O BRANDING COMO ALICERCE DA MARCA CONVERSE ALL STAR

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O BRANDING COMO ALICERCE DA MARCA CONVERSE ALL STAR"

Transcrição

1 134 O BRANDING COMO ALICERCE DA MARCA CONVERSE ALL STAR Sheila Rodrigues Motta - Bacharel em Publicidade e Propaganda pelo Centro Universitário Uniseb. Daniela Pereira Tincani - Mestre em Comunicação pela Universidade Paulista; Coordenadora do CST em Marketing do Centro Universitário Resumo Com o objetivo de descobrir se a percepção do consumidor da marca All Star Converse corresponde ao desenvolvimento e gerenciamento da marca planejados pelos profissionais de marketing por meio das ferramentas do branding, o presente trabalho apresenta as ferramentas do marketing, em especial o branding, conceitua esse e outros instrumentos, interligando em alguns momentos a teoria com algumas ações da Converse. Demonstra o uso das ferramentas do branding e comprova a importância e a eficiência do trabalho de marketing para o sucesso da empresa, destacando e agregando valor ao produto e sua marca, gerando uma comunicação mais eficaz com consumidores de vários perfis, sobressaindo suas qualidades e buscando melhorias em um processo bidirecional. Palavras-chave: All Star. Branding. Percepção do consumidor. Abstract In order to find out whether the consumer perception of the brand Converse All Star corresponds to the development and management of the brand designed by marketers through the tools of branding, this paper presents the tools of marketing, especially branding, conceptualizes this and other instruments, at times linking theory with some actions of Converse. Demonstrates the use of the tools of branding and proves the importance and efficiency of marketing work for the company's success, highlighting and adding value to the product and your brand, generating more effective communication with consumers of various profiles, highlighting their qualities and seeking improvements in a two-way process. Keywords: All Star. Branding. Consumer Perception. 1. Introdução O trabalho visa relacionar as teorias de branding com algumas das ações efetuadas pela Converse ao longo dos anos A importância da marca é consensual, a marca surge com a função de diferenciar a origem do produto e se torna base do trabalho do profissional de marketing, sendo assim, temos nesse trabalho uma busca por compreensão de métodos que bem desenvolvidos junto aos consumidores podem elevar o valor de uma empresa e sua marca, independente do seu

2 135 segmento de atuação, apresentando aos detentores da marca maior lucratividade e destaque no mercado. Sendo assim, o conteúdo presente nesta monografia permitirá aos profissionais de diversos segmentos, mas, especialmente das áreas de marketing, comunicação social e administração uma analise mais compreensiva e comprobatória das vantagens de um desenvolvimento de branding direcionado as necessidades emocionais do consumidor. As metodologias de desenvolvimento deste trabalho são: pesquisa bibliográfica que se utiliza de materiais publicados em livros, artigos e informações disponíveis na web, este método permite um conteúdo rico e estável, ao analisar os dados levantados buscou-se para a produção deste, autores respeitados na área da pesquisa e assuntos correlatos. Desta forma verificamos a importância de se compreender as ferramentas de branding para a eficácia das ações de marketing e gestão de valores, criando uma relação bilateral com o consumidor ganhando sua fidelidade à marca. 2. O Branding como Ferramenta de Marketing Neste tópico trataremos sobre algumas definições de marketing que possibilitarão a compreensão do presente trabalho. A teoria é baseada, assim como todo o trabalho, no estudo de alguns autores como Kotler, Keller, Aaker e Nunes, de forma a contrapor e complementar o entendimento de conceitos e seu funcionamento efetivo no gerenciamento da empresa, marca e seus valores. Para descrever o que é marca Keller e Machado (2006) usam a definição da America Marketing Association (AMA) marca é um nome, termo, símbolo, desenho ou uma combinação desses elementos que deve identificar os bens ou serviços de um fornecedor ou grupo de fornecedores e diferencia-los dos da concorrência. O nome da marca ou produto para Nunes e Haigh (2003) é de suprema importância no posicionamento da marca, na sua estrutura, estratégia e adequação ao meio. Kotler e Armstrong (2007) exaltam a importância de se buscar o valor do produto, sejam eles produtos tangíveis ou intangíveis (serviços), ou produtos entre os extremos do tangível e intangível vindo de algumas combinações onde o produto e o serviço se complementam ou são dependentes um do outro. Definimos produto como algo que pode ser oferecido a um mercado para apreciação, aquisição, uso ou consumo e que pode satisfazer um desejo ou uma necessidade. Produtos incluem mais do que apenas bens tangíveis. Definidos amplamente

3 136 incluem objetos físicos, serviços, eventos, pessoas, lugares, organizações, ideias ou um misto de todas essas entidades. (KOTLER; ARMSTRONG, 2007p. 200,). Nunes e Haigh (2003) descrevem a preposição e a promessa de valor como algo que deve estar presente no dia a dia da empresa, que deve inspirar todos dentro e fora da organização, mantendo aqueles que partilham da mesma ideologia e eliminando naturalmente os que não se enquadram na cultura da empresa. Sampaio (2003) já previa o consumo a forma como o conhecemos hoje, com um consumidor consciente de seus direitos, mais ativo e participativo, que combinada a uma concorrência cada vez mais acirrada entre produtos de linhas iguais, transformaria os valores materiais em bens de destaque e diferenciação. Da mesma forma as compras cada vez mais próximas somam como um atrativo, os produtos que antes eram somente comercializados em lojas, às vezes em locais distantes do consumidor, agora estão disponíveis em lojas virtuais, desta forma assegurando três importantes diferenciais dos produtos: qualidade, preço e tempo que proporcionam experiências positivas ao consumidor e geram valor ao seu histórico de compra, que por sua vez empresta esse valor a própria marca. Ainda de acordo com Sampaio (2003) em diversos casos a marca vale mais que a instituição empresarial propriamente, isto acontece por meio das associações de valores intangíveis a marca, que são de difícil avaliação financeira. O marketing tem o objetivo de fazer com que a marca atinja o consumidor racional e emocionalmente, aumentando o valor da marca e a sua percepção pelo consumidor. Apesar de haverem contrários ao conceito de que a marca vale mais que a própria empresa, temos a Converse como exemplo da eficácia de uma marca bem estruturada, com valores intangíveis perceptíveis ao seu público, passando por diversas crises mantendo seu valor mercadológico através dos valores intrínsecos a marca. Em uma pesquisa feita pela empresa americana Arcature Corporation citada por Sampaio (2003) comprova-se que uma marca forte proporciona uma maior rentabilidade final à empresa. E que dentre os fatores que fortalecem uma marca destacam-se a qualidade, que envolve do produto ao atendimento, da campanha publicitária a venda e pós venda. E o mix de marketing 1, que atinge seu alto desempenho perante o consumidor quando tratado de forma equilibrada, não permitindo que ferramentas distintas compitam entre si. Para Nunes e Haigh (2003) a estrutura da marca deixa de ser mecânica para ser orgânica, pois é parte de um conjunto, onde ganha conotação humana, referenciando a crença, 1 O mix de marketing composto por produto, preço, praça e promoção é utilizado para atingir os objetivos traçados pelo marketing.

4 137 valores, objetivos e missão da empresa aos olhos do consumidor, desta forma dando vida as empresas. Quadro 1 - Processo de valorização da marca Fonte: elaboração própria, Nunes e Haigh (2003) dividem o processo de valorização da marca em cinco fases (Quadro 1). A primeira delas é a fase de reflexão, onde se busca o entendimento do negocio, analise da concorrência e do público, buscando solucionar problemas ou o melhor desenvolvimento da marca. É nesta fase que se define a essência e identidade da marca que para os autores é a definição do propósito e cultura da marca, através do estabelecimento de sua visão, missão, valores, slogan de comunicação, statement positioning 2, propósito de valor e promessa de marca. A preposição e a promessa de valor são descritas por Nunes e Haigh (2003) como algo que deve estar presente no dia a dia da empresa, que deve inspirar todos dentro e fora da organização, mantendo aqueles que partilham da mesma ideologia e eliminando naturalmente os que não se enquadram na cultura da empresa. Na segunda fase Nunes e Haigh (2003) afirmam que é necessário definir a melhor arquitetura de marca, de acordo com sua estrutura. A arquitetura de marcas é um sistema que organiza e gerencia as marcas e submarcas com base no papel de cada uma delas, dentro do sistema, na relação com seu mercado. Essa organização deve obedecer a uma hierarquia entre elas para garantir o maior valor do conjunto das marcas. (NUNES; HAIGH, p. 112, 2003). A Converse hoje oferece diversos modelos de calçados, mas foi o modelo All Star Chuck Taylor que construiu e consolidou a marca, suas diferentes linhas apresentam características especificas e em alguns casos o design apresenta uma linguagem direcionada a um publico especifico, como o modelo Chuck Taylor pensado nos jogadores de basquete. Em outros momentos uma estampa assinada por algum renomado artista, ou com uma temática especifica, pode ser encontrada em diferentes modelos, essa diversidade e união fortalecem o entendimento da Converse como uma marca mãe, apresentando diferentes 2 Termo usado se referir a declaração de posicionamento, que é uma breve e clara descrição de quem é o públicoalvo da marca, determinando a imagem da marca que se deseja comunicar.

5 138 produtos, que alem dos calçados já mencionados, oferecem ainda camisetas, bonés e bolsas da marca, essa estrutura é denominada branded house. Seguindo o que falam Nunes e Haigh (2003) a terceira fase do processo é o planejamento estratégico da marca, e desenvolvimento de ações que envolvem marketing, comunicação, gestão, vendas, tecnologia e outros processos, a quarta fase implementa aquilo que foi definido no planejamento estratégico e por fim a quinta fase, Brand value, que tem como objetivo avaliar o resultado do processo, de forma a maximizar ou corrigir as estratégias adotadas. Com a concorrência por um mercado cada vez mais competitivo, o profissional de marketing desenvolve novas formas de destacar os produtos da empresa, uma dessas ferramentas é o branding, usada atualmente e que Sampaio (2003, p.325) define de duas formas: 1- conjunto de tarefas de marketing e de comunicação destinadas a otimizar a gestão da marca. 2- sistemas e técnicas de gestão das tarefas de criação e desenvolvimento, lançamento, sustentação, expansão, reposicionamento e relacionamento das marcas. Segundo Sampaio (2003) uma marca valorizada deve ter seu branding (gerenciamento da marca) bem planejado, de forma a protegê-la de pressões exógenas, para não prejudicar a marca. Algumas ações podem colaborar para a eficácia do branding: ter uma estratégia fundamentada, com precisão nos objetivos, evitando ter mais de uma marca, exclusividade da marca reforçam a marca da empresa não somente do produto, valoriza todos os serviços oferecidos, ter um bom endomarketing 3, comunicação integrada 4 e visão mundial. O novo entendimento do que é marca foi um dos pilares da transição do marketing para o branding, não substituindo o anterior, mas colaborando através dos novos conceitos e entendimentos, de forma a beneficiar o mercado empresarial e sua relação com o consumidor, em um entendimento do que representa a marca hoje. Para Martins (2007, p.5): A marca não é uma pessoa, é uma identidade no nível mitológico, o espírito da marca esta no nível do imaginário coletivo e não mais tem ligação com a realidade concreta. As marcas são mais que meros nomes e símbolos. Elas são um elemento-chave nas relações da empresa com os consumidores. As marcas representam as percepções e os sentimentos dos consumidores em relação a um produto e seu desempenho tudo 3 O endomarketing é a ferramenta de marketing interno cujo objetivo é melhorar as relações organizacionais, gerando satisfação entre seus colaboradores, o que os motiva dentro da empresa e reflete no seu relacionamento com o cliente. 4 A Comunicação Integrada é a homogeneidade no dialogo das ações e estratégias planejadas pela empresa, independente do setor, com o objetivo de agregar valor à marca.

6 139 o que o produto ou serviço significa para os consumidores. (KOTLER; ARMSTRONG, 2007, p.201) Segundo Martins (2007) o consumidor tem a predisposição de naturalmente supervalorizar aquilo que o agrada, seja o nome da marca, o próprio produto ou as ações de publicidade e uma vez aumentada à percepção do produto, sua participação no mercado também cresce. Assim ao ir às compras o consumidor busca emoção, quando ele usa uma determinada marca ele também usa as características da marca. Essas características da marca também podem ser chamadas de valores, valores que abrangem tanto aspectos físicos do produto quanto os aspectos intangíveis, ampliando o valor da marca na percepção do consumidor. Uma das formas citadas por Kotler e Armstrong (2007) para que as empresas possam agregar valor ao produto ou serviço, é a criação de experiências para o cliente durante ou depois da compra. Essa soma de valores divide o produto ou serviço em três níveis, acrescendo um tipo de valor a cada nível, (quadro 2) sendo o mais básico o que oferece beneficio central, ou seja, que oferece exatamente o que o consumidor necessita. No segundo nível temos o produto básico, nele encontramos características físicas e funcionais, design, qualidade, embalagem e marca. Por fim o terceiro nível apresenta um produto ampliado, onde ao produto inicial são acrescidos serviços que vão desde a assistência técnica ate os canais de comunicação do produto, porem, o cliente compreende e compra o produto como um todo. Quadro 2 - Três níveis de produto Fonte: Kotler, 2007, p.201 De acordo com Martins (2007) a construção de uma marca forte requer alguns passos: primeiro criar identidade do produto, algo muito alem de dar a marca um nome, segundo passo é criar um diferencial, independente de qual, que o transforme em algo superior a um

7 140 produto commodities 5, o terceiro passo pede uma qualidade superior de produção seja tecnológica, de matéria prima, design ou outro. A Converse atende ao segundo nível proposto no processo de valorização da marca ao se posicionar de forma especifica ou mesmo exclusiva a diferentes públicos garantindo com isso destaque perante o consumidor. Para Martins (2007) a terceira etapa busca a diferenciação através de valores culturais vinculando a marca a especialistas na área. No caso da Converse, direcionando a análise para o modelo Chuck Taylor, verificamos essa etapa do processo com o modelo tornando-se o tênis oficial dos times de basquete, patrocinando as olimpíadas de Londres em 1984, trazendo a marca o peso de especialista em esportes em especial o basquete. Essa é a etapa mais forte do processo da Converse pois dela nasceu à assinatura Chuck Taylor e as mudanças por exemplo no desenho do solado e as primeiras versões coloridas do calçado. Martins (2007) continua dizendo que o quarto nível é considerado social e racionalmente o mais perfeito nível, ele agrega a marca características que a tornam uma representação do consumidor, porem é no quinto nível que a marca atinge seu ápice, com seu style desenvolvido ele passa a materializar um espírito próprio. Neste processo de valorização, representatividade e materialização de seu próprio estilo, a Converse tornou-se o tênis que representava o estilo americano, ganhando força fora da America do Norte por meio de sua representatividade, tornando-se reflexo dos desejos e descobertas dos jovens desde então. Uma ferramenta utilizada para traçar o processo de valorização da marca, bem como para avaliar o retorno das ações desenvolvidas é a pesquisa, independente da metodologia adotada, porem, Martins (2007) lembra que o marketing deve ficar atento aos resultados de suas pesquisas, onde a motivação de compra apresentada pelo consumidor muitas vezes é racional e pouco real. O consumidor não reconhece suas motivações emocionais ou não as admitem, a má analise das pesquisas podem levar a marca a rumos totalmente contrários ao que influi positivamente na percepção do consumidor e consequentemente seu comportamento de compra. Nunes e Haigh (2003) dizem que quando se atinge a consistência entre o que a empresa é de fato e o que ela projeta como imagem e temos a compreensão da diferença entre 5 Commodities são produtos básicos, que podem ser produzidos por varias empresas, e atendem a um amplo grupo de consumidores.

8 141 a imagem da marca e ela como cultura, no terceiro estágio da transição, o objetivo da empresa também é o brand equity. Sobre isso Nunes e Haigh (2003) apresentam algumas perspectivas que compõem a identidade da marca, são elas: associação do produto, que se refere ao escopo, atributos, qualidades, valor, uso, usuários e pais de origem, associação com a organização e seus atributos a exemplo produção de inovação, cultura, ética e sustentabilidade, associação com a pessoa, dando destaque a personalidade humana da marca, associação a símbolos, que se tornam a imagem visual da marca. Na definição de Nunes e Haigh (2003) Brand equity é um conjunto de ativos (e passivos) associados ao nome da marca e símbolo que se acrescenta (ou subtrai) ao valor proporcionado pelo produto ou serviço para uma empresa e/ou para os consumidores dessa empresa. Seguindo Nunes e Haigh (2003) apresentam como os principais ativos do brand equity o reconhecimento da marca, a fidelidade que é o ponto central do valor de uma marca, a qualidade do produto que permite ao consumidor a percepção do retorno do investimento feito e a associação com a marca que é de acordo com Nunes e Haigh (2003, p.82) tudo o que conecta o consumidor à marca. Pode incluir imagens, atributos do produto, situações de uso, associações organizacionais, personalidade da marca e símbolo. Kotler e Armstrong (2007) dizem que pela constante busca de comunicar benefícios do produto são associados a eles atributos, como características do produto, estilo, qualidade de nível, que atinge níveis bem maiores que os dos concorrentes, qualidade de consistência que atinge o esperado pelo produto e design. Outras formas de apresentar o produto são embalagens e os rótulos, que tem tanto a função de proteger como a de comunicar sobre o produto e destacar ele nas lojas. O brand equity de acordo com Kotler e Armstrong (2007) vão além do nome e símbolo da marca, trata-se do diferencial positivo da relação da empresa com o consumidor, representando seu significado para o consumidor. Assim, uma marca forte é aquela que conquista a preferência e fidelidade do consumidor, independente do valor de venda do produto e enquanto empresa a marca tem um valor patrimonial difícil de ser calculado. Essa vantagem competitiva proporcionada pelo brand equity facilita quando há lançamento de extensões da marca e da linha. Uma marca poderosa tem um alto brand equity. O brand equity é o efeito diferenciador positivo que o conhecimento do nome da marca tem sobre a reação do cliente ao produto ou serviço. Uma medida do brand equity é a extensão na qual

9 142 alguns clientes se dispõe a pagar mais pela marca.( KOTLER; ARMSTRONG, 2007, p. 210) Um alto brand equity proporciona muitas vantagens competitivas a uma empresa. Uma marca poderosa tem um alto nível de conscientização de marca e fidelidade por parte do consumidor. Como os consumidores esperam que as lojas disponibilizem a marca, a empresa tem uma maior alavancagem na negociação com os revendedores. Como o nome da marca carrega alta credibilidade, a empresa consegue lançar com mais facilidade extensões de marca e linhas. Uma marca poderosa oferece à empresa algumas defesas contra a feroz guerra dos preços. Acima de tudo, entretanto, uma marca forte forma a base para o desenvolvimento de sólidos e lucrativos relacionamentos com o cliente. Assim, o ativo fundamental por trás do brand equity é o valor do cliente o valor dos relacionamentos com o cliente criados pela marca. Uma marca forte é importante, mas o que ela de fato representa é um conjunto lucrativo de clientes fieis, O foco adequado de marketing é o desenvolvimento do valor do cliente, com a administração de marca servindo de ferramenta essencial de marketing. (KOTLER; ARMSTRONG, 2007, p.210,) O consumidor busca marcas que representem características inerentes ao produto que os representem ou características que eles desejam ter. Identificar quais emoções humanas eleva o valor da marca é o ponto mais delicado e de vital importância para a saúde da marca. Essas características humanas que traspassam seus valores e conceitos funcionais foram chamadas pelo pesquisador David Ogilvy de brand personality. Martins (2007) ainda ressalta que enquanto as empresas buscam as melhorias do produto que é oferecido, o consumidor busca marcas pelas características emocionais. E por meio de ações de publicidade elas atingem imediatamente o consumidor, ocupando seu imaginário e atendendo suas necessidades e motivações pessoais. Esse apelo emocional pode ser encontrado tanto nas campanhas da própria Converse, como a marca torna-se elemento de apelo emocional para outras campanhas e produtos de comunicação sejam eles informativos ou de entretenimento. Fazendo os valores psicológicos da marca mais nítidos ao publico, facilitando sua interação e em outros casos ate a compreensão do que se deseja informar, por meio da analise semiótica 6 do indivíduo. A alma [da marca] concede as características emocionais visíveis que transmitem o espírito da marca e caracterizam o produto. A comunicação é mais eficaz o habitat natural que o produto ocupa no imaginário coletivo, com personagens que agem de maneira adequada a esse espírito. (MARTINS, p.110, 2007) Como exemplo temos a figura 17, que mesmo não se tratando da marca Converse, insere o produto no contexto do qual e ao qual quer se comunicar. Em uma analise superficial pode-se dizer que o par de All Star remetem a individualidade e liberdade de escolha, através da qual o individuo pode comunicar aos outros sobre si. 6 Semiótica é uma ciência, que estuda os fenômenos culturais através de signos, de forma a entender como o homem percebe o que o rodeia.

10 143 Figura 1 - Capa Revista Info (Junho 2010). A campanha use sua alma do lado de fora criada pela GlobalComm 7 em 2007, é outro exemplo para o processo de comunicar ao consumidor sobre o próprio consumidor, fazendo com que a marca represente os valores neles presentes, criando um vínculo emocional da marca com seus usuários. Figura 2 - Campanha "Use a alma pelo lado de fora" (2007) 8 7 GlobalComm agencia que trabalha com a Converse. fazemos questão de reunir os melhores talentos em todas as disciplinas, capazes de desenvolver projetos criativos para gerar maior valor de marca e lucro para os clientes. A agência busca inovar sempre para ser percebida como uma parceira estratégica. (apresentação da agência disponível no site <http://www.globalcomm.com.br/globalcomm> acesso em 16/11/12) 8 Cliente: Converse Brasil Produto conceitual Direção de Arte - Luís Giudice Redação - Ricardo Silvestrin Direção de Criação - Ricardo Silvestrin e Luís Giudice Produção Gráfica - João Paulo Rocha Fotógrafo - Ricardo Barcellos Aprovação no cliente - Altamir Breda e Luciano Ferrari.

11 Considerações Finais Por meio de pesquisa bibliográfica, com base em livros, artigos e informações da web, foram coletadas informações embasadas em autores renomados, dentro de cada assunto abordado, ora se complementando, ora se contrapondo, trazendo ao trabalho credibilidade histórica e teórica e analises mais abrangentes do assunto. Os conceitos de marketing que permitiram o entendimento das ferramentas de analise e ações de valorização da marca. Assim durante a narrativa teórica dos mecanismos adotados pelo branding, em busca desta valorização, relacionamos fatos e ações efetuadas pela Converse durante sua trajetória a fim de corroborar com a eficácia destes mecanismos. Compreendendo as possíveis formas de identificar os consumidores, separa-los em segmentos e trabalhar de forma direcionada com cada grupo, verificamos que a Converse All Star esta presente em diversos perfis e busca atender dentro de uma mesma linha, no caso o modelo Chuck Taylor, diversos públicos, que se diferenciam e equiparam de uma forma que impede um desenho totalmente seguro e único dos consumidores da marca. Sendo assim destacamos por maior ênfase de dados coletados que o modelo Chuck Taylor tem uma identidade cultural mais associada a movimentos musicais como o Rock in Roll e o Punk Rock. Observamos que uma comunicação estabelecida com o objetivo de atingir o brand equity, e baseado no entendimento de quem é o seu consumidor, gera uma relação bilateral de troca de valores, onde a marca oferece valores que o consumidor busca pra si e devolve a marca valores dele. Ao reconhecer essa devolutiva a marca se apropria de novos valores fortalecendo sua personalidade. Conclui-se assim que, as ações de branding são efetivamente validas, geram valores ao produto e a marca, administram esses valores, estabelecendo uma relação emocional com o consumidor que se torna fiel a marca e propaga esses valores. Uma marca deve investir em gerenciamento de branding para se fortalecer, aumentar seu lucro e valor de negociação. Referências AAKER, David A.; ANDRADRE, André. Marcas: Brand Equity gerenciando o valor da marca. 12.ed. São Paulo: Elsevier, CONVERSE, Sobre a Converse All Star Disponível em: <http://www.converseallstar.com.br/> Acesso em: 20 out. 2012

12 145 DUARTE, Jorge; BARROS, Antônio. Métodos e técnicas em pesquisa de comunicação. São Paulo: Atlas, 2005 GIOSA, Lívio A. As grandes sacadas de marketing do Brasil. São Paulo: Editora Senac, HEALEY, MATTHEW. O que é o branding? [S.I.] Editora: Gustavo Gili, HOLT, Douglas B. Como as marcas se tornam ícones: os princípios do branding cultural, São Paulo: Cultrix, KELLER, Kevin Lane & MACHADO, Marcos. Gestão Estratégica de Marcas. São Paulo: Editora Pearson Education do Brasil, KOTLER, Philip; ARMSTRONG, Gary. Princípios de marketing. Pearson, ed. São Paulo: KOTLER. Philip. O Marketing sem segredos: Philip Kotler responde a todas as suas dúvidas. 1.ed. Porto Alegre: Bookman, KOTLER. Philip; Keller, Kevin Lane. Administração de marketing. 14.ed. São Paulo: Pearson Education do Brasil, LAZAROTTI, Marco Tulio M. e SOARES, Arreguy S. A mudança de perfil dos consumidores da marca All Star em BH. UNI-BH MG, Junho, Disponível em: <http://www.autores.com.br/ /artigos-cientificos/diversos/a-mudanca-deperfil-dos-consumidores-da-marca-all-star-em-bh.html> Acesso em: 7 out MARTINS, José Roberto. O manual para você criar, gerenciar e avaliar marcas. 3.ed. [S.I.] GlobalBrands, MARTINS, José Souza. A natureza emocional da Marca: construção de empresas ricas. 6.ed. rev. e atualizada Rio de Janeiro: Elsevier, MUNDO DAS MARCAS, Converse e All Star Disponíveis em: < Acesso em: 20 out NORONHA, Luci Grace Rodrigues. A estrela-guia de cada pé: articulações culturais por trás do consumo da marca Converse All Star f. Dissertação Comunicação Social habilitação em publicidade e propaganda. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Rio Grande do Sul, Disponível em: < Acesso em: 8 set NUNES, Gilson; HAIGH, David. Marca: valor do intangível, medindo e gerenciando seu valor econômico. São Paulo: Atlas, PINHEIRO, Roberto Meireles et al. Comportamento do consumidor e pesquisa de mercado. 3.ed. Rio de Janeiro: FGV, 2006.

13 146 RESENDE, Eliene L.; CALIC, Carlo AS MARCAS E SEU SIGNIFICADO - Um estudo da marca Converse All Star e sua evolução perante os seus consumidores ao longo das gerações. PUC MG, abril, Disponível em: <http://www.webartigos.com/artigos/asmarcas-e-seu-significado-um-estudo-da-marca-converse-all-star/36789/> Acesso em: 8 set RIBEIRO, Beatriz Gomes. All Star: Moda, Mídia e Consumo Curso de Design de Moda: Habilitação em Estilismo, Centro Universitário Senac SP, Disponível em: < Acesso em: 8 out. 212 SAMPAIO, Rafael. Propaganda de A a Z Como usar a propaganda para construir marcas e empresas de sucesso. 3.ed. rev. e amp. Rio de Janeiro: Campus, Figura 1 - Capa revista Info (Junho 2010) Disponível em: <http://info.abril.com.br/arquivo/2010/jun.shtml> Acesso em 14 nov Figura 2 - Campanha "Use a alma pelo lado de fora" (2007) Disponível em <http://www.globalcomm.com.br/globalcomm> Acesso em: 16 nov. 2012

FACULDADE ATENEU FATE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO MBA EM GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING O BRANDING COMO FERRAMENTA DE MARKETING E CONSOLIDAÇÃO DE MARCA

FACULDADE ATENEU FATE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO MBA EM GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING O BRANDING COMO FERRAMENTA DE MARKETING E CONSOLIDAÇÃO DE MARCA FACULDADE ATENEU FATE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO MBA EM GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING O BRANDING COMO FERRAMENTA DE MARKETING E CONSOLIDAÇÃO DE MARCA LEVY TELES DE MENESES FORTALEZA-CE 2015 FACULDADE ATENEU

Leia mais

Aula 2: O conceito de branding: o significado da marca, sua imagem e patrimônio (emocional e financeiro).

Aula 2: O conceito de branding: o significado da marca, sua imagem e patrimônio (emocional e financeiro). Aula 2: O conceito de branding: o significado da marca, sua imagem e patrimônio (emocional e financeiro). A importância da publicidade na construção e gestão das marcas. Definição dos grupos de trabalho.

Leia mais

REVISTA ACADÊMICA DA FACULDADE FERNÃO DIAS

REVISTA ACADÊMICA DA FACULDADE FERNÃO DIAS A INFLUÊNCIA DA SEGMENTAÇÃO DE MERCADO NO POSICIONAMENTO E NO BRAND EQUITY DE MARCAS E PRODUTOS Rubens Gomes Gonçalves (FAFE/USCS) * Resumo Muitos autores têm se dedicado a escrever artigos sobre uma das

Leia mais

com níveis ótimos de Brand Equity, os interesses organizacionais são compatíveis com as expectativas dos consumidores.

com níveis ótimos de Brand Equity, os interesses organizacionais são compatíveis com as expectativas dos consumidores. Brand Equity O conceito de Brand Equity surgiu na década de 1980. Este conceito contribuiu muito para o aumento da importância da marca na estratégia de marketing das empresas, embora devemos ressaltar

Leia mais

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Josiane Corrêa 1 Resumo O mundo dos negócios apresenta-se intensamente competitivo e acirrado. Em diversos setores da economia, observa-se a forte

Leia mais

A APLICAÇÃO DE CONCEITOS DE MARKETING DIGITAL AO WEBSITE INSTITUCIONAL

A APLICAÇÃO DE CONCEITOS DE MARKETING DIGITAL AO WEBSITE INSTITUCIONAL A APLICAÇÃO DE CONCEITOS DE MARKETING DIGITAL AO WEBSITE INSTITUCIONAL Victor Nassar 1 O advento da internet e o consequente aumento da participação do consumidor nos websites, representou uma transformação

Leia mais

TÍTULO: A IMPORTÂNCIA DO MARKETING DE VENDAS PARA MELHORAR O DESEMPENHO DA EQUIPE DE VENDAS

TÍTULO: A IMPORTÂNCIA DO MARKETING DE VENDAS PARA MELHORAR O DESEMPENHO DA EQUIPE DE VENDAS Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: A IMPORTÂNCIA DO MARKETING DE VENDAS PARA MELHORAR O DESEMPENHO DA EQUIPE DE VENDAS CATEGORIA:

Leia mais

introdução a publicidade & propaganda Aula 3- Funções e Conceitos de publicidade e propaganda

introdução a publicidade & propaganda Aula 3- Funções e Conceitos de publicidade e propaganda introdução a publicidade & propaganda Aula 3- Funções e Conceitos de publicidade e propaganda professor Rafael Ho mann Setores envolvidos Anunciante também conhecido como cliente, é a empresa, pessoa ou

Leia mais

Introdução...3. O que é marca?...4. Marcas x produtos...4. Kotler apresenta cinco níveis para um produto:...5

Introdução...3. O que é marca?...4. Marcas x produtos...4. Kotler apresenta cinco níveis para um produto:...5 Marcas Marcas Introdução...3 O que é marca?...4 Marcas x produtos...4 Kotler apresenta cinco níveis para um produto:...5 Exemplo de diferentes níveis de produto...6 Desafios do branding...8 Conceito de

Leia mais

Conceito de Marketing Considerações Preliminares Atendimento

Conceito de Marketing Considerações Preliminares Atendimento Conceito de Marketing Considerações Preliminares Atendimento Metodologia de Ensino 1) Noções de Marketing 2) Marketing de Serviço 3) Marketing de Relacionamento 1 2 1) Noções de Marketing 3 4 5 6 www.lacconcursos.com.br

Leia mais

AS DECISÕES REFERENTES AOS CANAIS DE MARKETING ESTÃO ENTRE AS MAIS CRÍTICAS COM QUE AS GERÊNCIAS PRECISAM LIDAR

AS DECISÕES REFERENTES AOS CANAIS DE MARKETING ESTÃO ENTRE AS MAIS CRÍTICAS COM QUE AS GERÊNCIAS PRECISAM LIDAR KOTLER, 2006 AS DECISÕES REFERENTES AOS CANAIS DE MARKETING ESTÃO ENTRE AS MAIS CRÍTICAS COM QUE AS GERÊNCIAS PRECISAM LIDAR. OS CANAIS AFETAM TODAS AS OUTRAS DECISÕES DE MARKETING Desenhando a estratégia

Leia mais

e-mail: professor@luisguilherme.adm.br / www.luisguilherme.adm.br FONE: (62) 9607-2031

e-mail: professor@luisguilherme.adm.br / www.luisguilherme.adm.br FONE: (62) 9607-2031 INSTITUTO UNIFICADO DE ENSINO SUPERIOR OBJETIVO - IUESO PLANO DE ENSINO CURSO: Administração PROF. Luis Guilherme Magalhães SÉRIE: 7º e 8º Período TURNO: Matutino DISCIPLINA: Gestão Mercadológica CARGA

Leia mais

O que é Estudio Cosmica?

O que é Estudio Cosmica? Apresentacao O que é Estudio Cosmica? Criação e Concepção de Ideias e Projetos. Estudio Cosmica é um Estúdio de Criação e desenvolvimento de Ideias, Sempre Atento e antenado ao Mercado e novidades, buscando

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Marketing. Conteúdo Programático. Administração Geral / 100h

Curso Superior de Tecnologia em Marketing. Conteúdo Programático. Administração Geral / 100h Administração Geral / 100h O CONTEÚDO PROGRAMÁTICO BÁSICO DESTA DISCIPLINA CONTEMPLA... Administração, conceitos e aplicações organizações níveis organizacionais responsabilidades Escola Clássica história

Leia mais

Questões abordadas - Brand

Questões abordadas - Brand AULA 9 Marketing Questões abordadas - Brand O que é uma marca e como funciona o branding? O que é brand equity? Como o brand equity é construído, avaliado e gerenciado? Quais são as decisões mais importantes

Leia mais

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING Sumário Parte um Conceitos e tarefas da administração de marketing CAPITULO I MARKETING PARA 0 SÉCULO XXI A importância do marketing O escopo do marketing 0 que é marketing? Troca e transações A que se

Leia mais

Desenvolvimento de Marcas Fortes. Criação de Brand Equity

Desenvolvimento de Marcas Fortes. Criação de Brand Equity Desenvolvimento de Marcas Fortes Criação de Brand Equity 1. O que é brand equity? Equity significa valor/patrimônio. Brand equity = valor da marca/patrimônio de marca. A American Marketing Association

Leia mais

Plano de marketing Um roteiro para a ação

Plano de marketing Um roteiro para a ação Plano de marketing Um roteiro para a ação 1. Planejar, planejar, planejar 2. Planejamento de marketing e plano de marketing 3. Processo de elaboração e roteiro do plano de marketing 4. Detalhamento do

Leia mais

UNIÃO DE ENSINO SUPERIOR DE CAMPINA GRANDE FACULDADE DE CAMPINA GRANDE-FAC-CG

UNIÃO DE ENSINO SUPERIOR DE CAMPINA GRANDE FACULDADE DE CAMPINA GRANDE-FAC-CG UNIÃO DE ENSINO SUPERIOR DE CAMPINA GRANDE FACULDADE DE CAMPINA GRANDE-FAC-CG CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING MÓDULO I 304101 FUNDAMENTOS DE MARKETING Fundamentos do Marketing. Processo de Marketing.

Leia mais

Fashion Marketing & Communication

Fashion Marketing & Communication Os programas de Pós-Graduação oferecidos pela Faculdade de Tecnologia do Istituto Europeo di Design estão em conformidade legal e atendem as Resoluções CNE/CES nº 1, de 3 de abril de 2001 e nº 1, de 8

Leia mais

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES):

Leia mais

2. Origem e Evolução do Branding

2. Origem e Evolução do Branding Branding: Gestão do Patrimônio da Marca como Diferencial Competitivo Ricardo Rosa Dutra Professor Curso Ciências Contábeis UNIFEMM ricardodutra2004@ig.com.br 1. Introdução A American Marketing Association

Leia mais

Análise do processo de relacionamento estratégico do Café com Arte 1

Análise do processo de relacionamento estratégico do Café com Arte 1 Análise do processo de relacionamento estratégico do Café com Arte 1 Amanda Evelyn França MAIA 2 Bianca Amorim da SILVA 3 José Carlos Almeida da ROSA 4 Tamiris Ferreira MIRANDA 5 Renato Souza do NASCIMENTO

Leia mais

E - Simulado 02 Questões de Tecnologia em Marketing

E - Simulado 02 Questões de Tecnologia em Marketing E - Simulado 02 Questões de Tecnologia em Marketing Questão 01: (ENADE 2009): Um fabricante de sapatos pode usar a mesma marca em duas ou mais linhas de produtos com o objetivo de reduzir os custos de

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: 4001 Publicidade e Propaganda MISSÃO DO CURSO O curso de Publicidade e Propaganda do Centro Universitário Estácio Radial de São Paulo tem como missão formar

Leia mais

Faculdade da Alta Paulista

Faculdade da Alta Paulista Plano de Ensino Disciplina: Marketing Aplicado aos Negócios Código: Série: 3ª Série Obrigatória ( x ) Optativa ( ) CH Teórica: CH Prática: CH Total: 80 horas Período Letivo: 2015 Obs: Objetivo Geral: Apresentar

Leia mais

Módulo 5. Composto de Marketing (Marketing Mix)

Módulo 5. Composto de Marketing (Marketing Mix) Módulo 5. Composto de Marketing (Marketing Mix) Dentro do processo de administração de marketing foi enfatizado como os profissionais dessa área identificam e definem os mercados alvo e planejam as estratégias

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 7 Planejamento Estratégico Planejamento de TI Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO MARKETING E COMUNICAÇÃO DE MODA

PÓS-GRADUAÇÃO MARKETING E COMUNICAÇÃO DE MODA PÓS-GRADUAÇÃO MARKETING E COMUNICAÇÃO DE MODA Coordenadora: Gláucia Centeno 13/04/2015 > 09/2016 400 horas Idioma: Português Aulas: Segundas e quartas das 19h30 às 22h30 PÚBLICO-ALVO Profissionais com

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: São José do Rio Pardo Código: 150 Município: São José do Rio Pardo Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnica de Nível

Leia mais

Emoção CONSTRUÇÃO DE MARCAS

Emoção CONSTRUÇÃO DE MARCAS Emoção Grande parte das nossas decisões de compra são feitas por impulso, de forma irracional, instintiva. Se temos dinheiro, compramos as marcas com as quais nos relacionamos emocionalmente. Cada marca

Leia mais

A FIDELIZAÇÃO DO CLIENTE COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO NA CONQUISTA DO MERCADO

A FIDELIZAÇÃO DO CLIENTE COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO NA CONQUISTA DO MERCADO 122 A FIDELIZAÇÃO DO CLIENTE COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO NA CONQUISTA DO MERCADO Edilene Mayumi Murashita Takenaka, Sérgio Luís Destro, João Vitor Minca Campioni, Dayane Magalhães Fernandes, Giovana Maria

Leia mais

Gestão da Marca. Construção de valores

Gestão da Marca. Construção de valores Gestão da Marca Construção de valores Design é mais do que o veículo pelo qual as marcas se expressam e se conectam com seus clientes... o design é um reflexo do ecossistema humano Marc Gobé Especialista

Leia mais

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro.

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. PLANO DE MARKETING Andréa Monticelli Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. 1. CONCEITO Marketing é

Leia mais

Pesquisa Risqué Clássicos. Thamara Yanne Silva Santos Antônio Terra Centro Universitário de Belo Horizonte, Belo Horizonte, MG

Pesquisa Risqué Clássicos. Thamara Yanne Silva Santos Antônio Terra Centro Universitário de Belo Horizonte, Belo Horizonte, MG Pesquisa Risqué Clássicos Thamara Yanne Silva Santos Antônio Terra Centro Universitário de Belo Horizonte, Belo Horizonte, MG Grupos focais são comumente utilizados em pesquisas de marketing para determinar

Leia mais

Introdução ao Marketing. História do Conceito

Introdução ao Marketing. História do Conceito História do Conceito O termo marketing, de acordo com Cobra (1988, p. 34) é uma expressão anglo-saxônica derivada da palavra mercari, do latim, que significa comércio, ou ato de mercar, comercializar ou

Leia mais

"O valor emocional das marcas."

O valor emocional das marcas. DOMINGO, FEVEREIRO 24, 2008 "O valor emocional das marcas." Por Thales Brandão Atualmente as empresas estão buscando cada vez mais gerir suas marcas com conjunto de valores completamente diferentes dos

Leia mais

Integrada de Marketing. UNIBAN Unidade Marte Disciplina: Planejamento de Campanha Prof. Me. Francisco Leite Aulas: 31.03.11

Integrada de Marketing. UNIBAN Unidade Marte Disciplina: Planejamento de Campanha Prof. Me. Francisco Leite Aulas: 31.03.11 O Planejamento de Comunicação Integrada de Marketing UNIBAN Unidade Marte Disciplina: Planejamento de Campanha Prof. Me. Francisco Leite Aulas: 31.03.11 Agenda: Planejamento de Comunicação Integrada de

Leia mais

Política de Patrocínio

Política de Patrocínio SUMÁRIO APRESENTAÇÃO...02 1. OBJETIVO INSTITUCIONAL...03 2. OBJETIVOS ESTRATÉGICOS...04 3. LINHAS DE ATUAÇÃO...05 3.1 Projetos prioritários...05 3.2 Projetos que não podem ser patrocinados...05 4. ABRANGÊNCIA...06

Leia mais

CARGA HORÁRIA: 80 H/A, sendo 72h em sala de aula + 8h AED

CARGA HORÁRIA: 80 H/A, sendo 72h em sala de aula + 8h AED DISCIPLINA: Comunicação Integrada CÓDIGO: COS 1034 CARGA HORÁRIA: 80 H/A, sendo 72h em sala de aula + 8h AED PERÍODO: 5º SEMESTRE: 2012/2 CURRÍCULO: 2010/1 DOCENTE: Ms. Marina Roriz EMENTA Conceito, relevância

Leia mais

Capital Intelectual. O Grande Desafio das Organizações. José Renato Sátiro Santiago Jr. José Renato Sátiro Santiago. Novatec

Capital Intelectual. O Grande Desafio das Organizações. José Renato Sátiro Santiago Jr. José Renato Sátiro Santiago. Novatec Capital Intelectual O Grande Desafio das Organizações José Renato Sátiro Santiago Jr. José Renato Sátiro Santiago Novatec 1 Tudo começa com o conhecimento A gestão do conhecimento é um assunto multidisciplinar

Leia mais

Curso de Jornalismo Disciplina: Ascom Prof.: Luciana Souza Reino

Curso de Jornalismo Disciplina: Ascom Prof.: Luciana Souza Reino Curso de Jornalismo Disciplina: Ascom Prof.: Luciana Souza Reino Texto extraído da Monografia COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL COMO FERRAMENTA ESTRATÉGICA NO REPOSICIONAMENTO DA MARCA VALE de Aline Roque Heiss

Leia mais

I - Marketing social e societal

I - Marketing social e societal I - Marketing social e societal Professor Reginaldo Braga LUCAS 2 SEMESTRE 2010 Definições de marketing social Marketing social é a modalidade de ação mercadológica institucional que tem como objetivo

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE A MARCA COMO SINALIZADORA DOS VALORES E MISSÃO NA COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL Por Teresa Cristina de Azevedo Tang Orientador:

Leia mais

Liderança, gestão de pessoas e do ambiente de trabalho

Liderança, gestão de pessoas e do ambiente de trabalho Glaucia Falcone Fonseca O que é um excelente lugar para se trabalhar? A fim de compreender o fenômeno dos excelentes locais de trabalho, devemos primeiro considerar o que as pessoas falam sobre a experiência

Leia mais

É Natural Educar Assim 1

É Natural Educar Assim 1 É Natural Educar Assim 1 Luana da Silva de ANDRADE 2 Larissa Santos de ASSIS 3 Luana Cristina KNOD 4 Rafaela Ritz dos SANTOS 5 Simone Cristina KAUFMANN 6 Tamires Lopes SILVA 7 YhevelinSerrano GUERIN 8

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/ 2013

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/ 2013 Curso: Graduação: Habilitação: Regime: Duração: COMUNICAÇÃO SOCIAL BACHARELADO MATRIZ CURRICULAR PUBLICIDADE E PROPAGANDA SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL

Leia mais

Prof: Carlos Alberto

Prof: Carlos Alberto AULA 1 Marketing Prof: Carlos Alberto Bacharel em Administração Bacharel em Comunicação Social Jornalismo Tecnólogo em Gestão Financeira MBA em Gestão de Negócios Mestrado em Administração de Empresas

Leia mais

Sobre os autores. Apresentação

Sobre os autores. Apresentação Sobre os autores Apresentação 1 Gestão de marketing, 1 1.1 Estratégia e as forças competitivas, 2 1.1.1 Primeira força: ameaça de entrada de novos concorrentes, 3 1.1.2 Segunda força: pressão dos produtos

Leia mais

Posicionamento Global da marca FSC e Ferramentas de Marketing - Perguntas e Respostas Frequentes

Posicionamento Global da marca FSC e Ferramentas de Marketing - Perguntas e Respostas Frequentes Posicionamento Global da marca FSC e Ferramentas de Marketing - Perguntas e Respostas Frequentes 1. Perguntas e Respostas para Todos os Públicos: 1.1. O que é posicionamento de marca e por que está sendo

Leia mais

Política de Comunicação Integrada

Política de Comunicação Integrada Política de Comunicação Integrada agosto 2009 Política de Comunicação Integrada Política de Comunicação Integrada 5 1. Objetivos Promover a comunicação integrada entre as empresas Eletrobras e dessas

Leia mais

INVENÇÃO E INOVAÇÃO INTRODUÇÃO. Desenvolvimento de Novos Produtos: Aspectos Conceituais e Critérios rios de Planejamento. Definição de Produto

INVENÇÃO E INOVAÇÃO INTRODUÇÃO. Desenvolvimento de Novos Produtos: Aspectos Conceituais e Critérios rios de Planejamento. Definição de Produto INTRODUÇÃO Cenário político e econômico da Globalização Desenvolvimento de Novos Produtos: Aspectos Conceituais e Critérios rios de Planejamento Viçosa Novembro de 2012 Ceres Mattos Della Lucia ceresnut@yahoo.com.br

Leia mais

MBA Gestão de Mercados ementas 2015/2

MBA Gestão de Mercados ementas 2015/2 MBA Gestão de Mercados ementas 2015/2 Análise de Tendências e Inovação Estratégica Levar o aluno a compreender os conceitos e as ferramentas de inteligência preditiva e inovação estratégica. Analisar dentro

Leia mais

Política de Comunicação Integrada

Política de Comunicação Integrada Política de Comunicação Integrada agosto 2009 Política de Comunicação Integrada 4 1 Objetivos Promover a comunicação integrada entre as empresas Eletrobras e dessas com os seus públicos de relacionamento,

Leia mais

AULA 4 Marketing de Serviços

AULA 4 Marketing de Serviços AULA 4 Marketing de Serviços Mercado Conjunto de todos os compradores reais e potenciais de um produto ou serviço. Trata-se de um sistema amplo e complexo, que envolve: FORNECEDORES CONCORRENTES CLIENTES

Leia mais

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes Unidade IV Marketing Profª. Daniela Menezes Comunicação (Promoção) Mais do que ter uma ideia e desenvolver um produto com qualidade superior é preciso comunicar a seus clientes que o produto e/ ou serviço

Leia mais

SOMOS UMA AGÊNCIA JOVEM, ÁGIL E CRIATIVA QUE TEM UM PROPÓSITO BEM CLARO: TER BOAS IDEIAS PARA GERAR BONS RESULTADOS.

SOMOS UMA AGÊNCIA JOVEM, ÁGIL E CRIATIVA QUE TEM UM PROPÓSITO BEM CLARO: TER BOAS IDEIAS PARA GERAR BONS RESULTADOS. 2 plenapropaganda portfólio quem somos 3 SOMOS UMA AGÊNCIA JOVEM, ÁGIL E CRIATIVA QUE TEM UM PROPÓSITO BEM CLARO: TER BOAS IDEIAS PARA GERAR BONS RESULTADOS. A Plena é uma agência que atua sempre focada

Leia mais

&DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR

&DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR &DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR Toda comunicação publicitária visa atender a alguma necessidade de marketing da empresa. Para isso, as empresas traçam estratégias de comunicação publicitária, normalmente traduzidas

Leia mais

1- O que é um Plano de Marketing?

1- O que é um Plano de Marketing? 1- O que é um Plano de Marketing? 2.1-1ª etapa: Planejamento Um Plano de Marketing é um documento que detalha as ações necessárias para atingir um ou mais objetivos de marketing, adaptando-se a mudanças

Leia mais

Dare to Dream. Palavras-chave: Cultura, Educação, Sustentabilidade, Responsabilidade Social, Ação

Dare to Dream. Palavras-chave: Cultura, Educação, Sustentabilidade, Responsabilidade Social, Ação Dare to Dream Mostra Local de: Londrina Categoria do projeto: I Projetos em Implantação (projetos que estão em fase inicial) Nome da Instituição/Empresa: Universidade Estadual de Londrina Cidade: Londrina

Leia mais

- Aula 04_2012 - Profa. Ms. Karen Reis

- Aula 04_2012 - Profa. Ms. Karen Reis Protótipos de Jogos Digitais - Aula 04_2012-1 O documento do game (GDD) Game Design Document (GDD) usa palavras, tabelas e diagramas para explicar o conceito e o funcionamento de um game, a partir de uma

Leia mais

O fato é que todas as marcas existentes nos mercados se degladiam com os mesmos objetivos:

O fato é que todas as marcas existentes nos mercados se degladiam com os mesmos objetivos: 96 4. PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE MARCAS E PATENTES 4.1. A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE MARCAS Muitas marcas, institucionais ou não, são pensadas, desenvolvidas e projetadas para fazerem

Leia mais

MBA EM BRANDING (GESTÃO DE MARCAS) APOIO: INFOBRANDING O MAIOR PORTAL DE BRANDING DO BRASIL

MBA EM BRANDING (GESTÃO DE MARCAS) APOIO: INFOBRANDING O MAIOR PORTAL DE BRANDING DO BRASIL MBA EM BRANDING (GESTÃO DE MARCAS) APOIO: INFOBRANDING O MAIOR PORTAL DE BRANDING DO BRASIL O programa irá prepara-lo para especializar-se no desenvolvimento e planejamento da gestão de marcas; capacitando-o

Leia mais

Espaços Culturais como estratégia de comunicação de marca

Espaços Culturais como estratégia de comunicação de marca Espaços Culturais como estratégia de comunicação de marca Casos: Oi, Vivo, Citibank e HSBC Objetivos a. Analisar as estratégias de comunicação das empresas que utilizam os espaços culturais do Rio de Janeiro

Leia mais

Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques

Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques Nada é mais perigoso do que uma idéia, quando ela é a única que temos. (Alain Emile Chartier) Neste módulo, faremos, a partir

Leia mais

Expandir visões e criar novas estratégias para o seu negócio. Podemos fazer isso juntos.

Expandir visões e criar novas estratégias para o seu negócio. Podemos fazer isso juntos. Expandir visões e criar novas estratégias para o seu negócio. Podemos fazer isso juntos. Quem somos A 2DA Branding & Design é uma empresa de construção de marca. O que fazemos Transformamos ideias e negócios

Leia mais

BRANDING. (Gestão de Marca) Juarez Leal

BRANDING. (Gestão de Marca) Juarez Leal BRANDING (Gestão de Marca) Juarez Leal Conceituação (marca) Marca país Marca setorial Construção de marca DEFINIÇÃO DE MARCA Marca é um nome, termo, sinal, símbolo ou combinação dos mesmos, que tem o propósito

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR PROJETO INTEGRADOR 1. INTRODUÇÃO Conforme as diretrizes do Projeto Pedagógico dos Cursos Superiores de Tecnologia da Faculdade Unida de Suzano

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal do Ceará Pró-Reitoria de Graduação PROGRAMA DE DISCIPLINA

Ministério da Educação Universidade Federal do Ceará Pró-Reitoria de Graduação PROGRAMA DE DISCIPLINA Ministério da Educação Universidade Federal do Ceará Pró-Reitoria de Graduação PROGRAMA DE DISCIPLINA 1. Curso: COMUNICAÇÃO SOCIAL: Publicidade e Propaganda Código: 12 3.Modalidade(s): Bacharelado x Licenciatura

Leia mais

ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional

ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional Carlos Henrique Cangussu Discente do 3º ano do curso de Administração FITL/AEMS Marcelo da Silva Silvestre Discente do 3º ano do

Leia mais

Expandir visões e criar novas estratégias para o seu negócio. Podemos fazer isso juntos.

Expandir visões e criar novas estratégias para o seu negócio. Podemos fazer isso juntos. Expandir visões e criar novas estratégias para o seu negócio. Podemos fazer isso juntos. Quem somos A 2DA Branding & Design é uma empresa de construção de marca. O que fazemos Transformamos ideias e negócios

Leia mais

Pesquisa sobre a integração da Logística com o Marketing em empresas de grande porte

Pesquisa sobre a integração da Logística com o Marketing em empresas de grande porte III SEGeT Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia 1 Pesquisa sobre a integração da Logística com o Marketing em empresas de grande porte Alexandre Valentim 1 Heloisa Nogueira 1 Dário Pinto Junior

Leia mais

Unidade II COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL. Profa. Ma. Andrea Morás

Unidade II COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL. Profa. Ma. Andrea Morás Unidade II COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL Profa. Ma. Andrea Morás Comunicação empresarial Envolve todas as ferramentas de comunicação. Atividade multidisciplinar. Envolve conflitos, emoções, potencialidades e

Leia mais

Endomarketing: um estudo de caso em uma agência de uma instituição financeira de Bambuí- MG

Endomarketing: um estudo de caso em uma agência de uma instituição financeira de Bambuí- MG Endomarketing: um estudo de caso em uma agência de uma instituição financeira de Bambuí- MG Bruna Jheynice Silva Rodrigues 1 ; Lauriene Teixeira Santos 2 ; Augusto Chaves Martins 3 ; Afonso Régis Sabino

Leia mais

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente A Importância do Marketing nos Serviços da Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente Hellen Souza¹ Universidade do Vale do Rio dos Sinos UNISINOS RESUMO Este artigo aborda a importância

Leia mais

A administração de marketing precisa de informações e dados confiáveis sobre quais importantes decisões estratégicas serão tomadas.

A administração de marketing precisa de informações e dados confiáveis sobre quais importantes decisões estratégicas serão tomadas. Administração Mercadológica Conceitos fundamentais de marketing No marketing existem conceitos a serem compreendidos para que as ações possam ser assertivas. A administração de marketing começa com a identificação

Leia mais

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes Unidade IV Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas Prof a. Daniela Menezes Tipos de Mercado Os mercados podem ser divididos em mercado de consumo e mercado organizacional. Mercado de consumo: o consumidor

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2009

PLANO DE ENSINO 2009 1 PLANO DE ENSINO 2009 Fundamental I ( ) Fundamental II ( ) Médio ( ) Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Graduação ( X ) Pós-graduação ( ) I. Dados Identificadores Curso Administração

Leia mais

ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO COM O PÚBLICO INTERNO

ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO COM O PÚBLICO INTERNO 1 ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO COM O PÚBLICO INTERNO Por Regina Stela Almeida Dias Mendes NOVEMBRO 2004 UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA 2 ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING

GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING PÓS-GRADUAÇÃO / FIB-2009 Prof. Paulo Neto O QUE É MARKETING? Marketing: palavra em inglês derivada de market que significa: mercado. Entende-se que a empresa que pratica

Leia mais

GESTÃO NO DESIGN DE INTERIORES: O Designer, Métodos e Práticas Interdisciplinares I. Professora: Bárbara Ribeiro

GESTÃO NO DESIGN DE INTERIORES: O Designer, Métodos e Práticas Interdisciplinares I. Professora: Bárbara Ribeiro GESTÃO NO DESIGN DE INTERIORES: O Designer, Métodos e Práticas Interdisciplinares I Professora: Bárbara Ribeiro B-RIBEIRO.COM Aula 06: 08-Junho GESTÃO BRANDING, MARKETING, PLANO DE NEGÓCIOS OBJETIVO VIABILIZAR

Leia mais

Considerando que a pesquisa mercadológica é uma ferramenta de orientação para as decisões das empresas, assinale a opção correta.

Considerando que a pesquisa mercadológica é uma ferramenta de orientação para as decisões das empresas, assinale a opção correta. ESPE/Un SERE plicação: 2014 Nas questões a seguir, marque, para cada uma, a única opção correta, de acordo com o respectivo comando. Para as devidas marcações, use a Folha de Respostas, único documento

Leia mais

MARKETING EMPRESARIAL MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE

MARKETING EMPRESARIAL MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO E SUSTENTABILIDADE Marketing: uma introdução Introdução ao Marketing O que é Marketing Marketing é a área do conhecimento que engloba todas as atividades concernentes às relações

Leia mais

REVISANDO O CONCEITO E A EVOLUÇÃO DO MARKETING

REVISANDO O CONCEITO E A EVOLUÇÃO DO MARKETING PROGRAMA PRIMEIRA EMPRESA INOVADORA PRIME GESTÃO MERCADOLÓGICA 2009 REVISANDO O CONCEITO E A EVOLUÇÃO DO MARKETING Todo comprador poderá adquirir o seu automóvel da cor que desejar, desde que seja preto.

Leia mais

Campanha promocional Doutores da Alegria - Voluntáriado 1

Campanha promocional Doutores da Alegria - Voluntáriado 1 Campanha promocional Doutores da Alegria - Voluntáriado 1 Alexandre COELHO 2 Catarina CARVALHO 3 Danielle RIBEIRO 4 Leoni ROCHA 5 Paloma HADDAD 6 Professor/Orientador: Daniel CAMPOS 7 Universidade Fumec,

Leia mais

Interatividade UniNorte 1

Interatividade UniNorte 1 Interatividade UniNorte 1 Anne Caroline BARROS 2 Francisco BARBOZA 3 Heverton PAULA 4 Igor SANTOS 5 Eudóxia Pereira da SILVA 6 Márcio Alexandre dos Santos SILVA 7 Centro Universitário do Norte (UniNorte),

Leia mais

Marketing Empresarial MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE

Marketing Empresarial MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE Marketing Empresarial Capítulo 1 Marketing: uma introdução Introdução ao Marketing O que é Marketing Marketing é a área do conhecimento que engloba todas as atividades concernentes às relações de troca,

Leia mais

Fase I - Contexto e Pesquisa - Alinhamento dos conceitos de Branding, análise do contexto atual e introdução ao Design Thinking.

Fase I - Contexto e Pesquisa - Alinhamento dos conceitos de Branding, análise do contexto atual e introdução ao Design Thinking. Os programas de Pós-Graduação oferecidos pela Faculdade de Tecnologia do Istituto Europeo di Design estão em conformidade legal e atendem as Resoluções CNE/CES nº 1, de 3 de abril de 2001 e nº 1, de 8

Leia mais

Fase I - Contexto e Pesquisa - Alinhamento dos conceitos de Branding, análise do contexto atual e introdução ao Design Thinking.

Fase I - Contexto e Pesquisa - Alinhamento dos conceitos de Branding, análise do contexto atual e introdução ao Design Thinking. Os programas de Pós-Graduação oferecidos pela Faculdade de Tecnologia do Istituto Europeo di Design estão em conformidade legal e atendem as Resoluções CNE/CES nº 1, de 3 de abril de 2001 e nº 1, de 8

Leia mais

Metodologia de Comunicação Integrada de Marketing o caso Orium

Metodologia de Comunicação Integrada de Marketing o caso Orium Metodologia de Comunicação Integrada de Marketing o caso Orium Luciano Mattana (UNIFRA) lucianomattana@unifra.br Greice de Bem Noro (UNIFRA) greice@unifra.br Milena Marinho Mottini (UNIFRA) milleninhamm@hotmail.com

Leia mais

UM SUPERMERCADO E UM DESAFIO

UM SUPERMERCADO E UM DESAFIO SAIR DO LUGAR-COMUM PÃO DE AÇÚCAR UM SUPERMERCADO E UM DESAFIO Só em São Paulo, a associação que reúne os supermercados tem mais de 50 empresas cadastradas. As lojas se espalham com um volume impressionante.

Leia mais

O BRANDING: Ferramenta estratégica para o posicionamento da marca.

O BRANDING: Ferramenta estratégica para o posicionamento da marca. O BRANDING: Ferramenta estratégica para o posicionamento da marca. SILVA, Giorgio Gilwan da. Pós-graduando em Design Gráfico Estratégia Corporativa pela Universidade do Vale do Itajaí. giorgiogilwan@gmail.com

Leia mais

Operações de Merchandising estratégias competitivas para o aumento da vendas em supermercados do pequeno varejo de secos e molhados

Operações de Merchandising estratégias competitivas para o aumento da vendas em supermercados do pequeno varejo de secos e molhados Operações de Merchandising estratégias competitivas para o aumento da vendas em supermercados do pequeno varejo de secos e molhados Fabiano Akiyoshi Nagamatsu Everton Lansoni Astolfi Eduardo Eufrasio De

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO TURMA: 3º T 03 EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO TURMA: 3º T 03 EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: Gestão e Negócios Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Superior em Administração FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( x ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

Branding e Estratégia de Marca. Prof. Msc. Cárbio Almeida Waqued

Branding e Estratégia de Marca. Prof. Msc. Cárbio Almeida Waqued Branding e Estratégia de Marca Prof. Msc. Cárbio Almeida Waqued BRANDING TERAPIA DAS MARCAS Eu até queria falar de Marca com eles, mas eles só falam de comunicação... Comentário real de um CEO, sobre uma

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS Cultura Brasileira 1º PERÍODO O fenômeno cultural. Cultura(s) no Brasil. Cultura regional e

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Faculdade de Comunicação Social. Aline Camargo Luciane Padilha Aragon Patrícia Lima da Silva

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Faculdade de Comunicação Social. Aline Camargo Luciane Padilha Aragon Patrícia Lima da Silva Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Faculdade de Comunicação Social Aline Camargo Luciane Padilha Aragon Patrícia Lima da Silva Porto Alegre 2008 Aline Camargo Luciane Padilha Aragon

Leia mais

Fase I - Contexto e Pesquisa - Alinhamento dos conceitos de Branding, análise do contexto atual e introdução ao Design Thinking.

Fase I - Contexto e Pesquisa - Alinhamento dos conceitos de Branding, análise do contexto atual e introdução ao Design Thinking. Os programas de Pós-Graduação oferecidos pela Faculdade de Tecnologia do Istituto Europeo di Design estão em conformidade legal e atendem as Resoluções CNE/CES nº 1, de 3 de abril de 2001 e nº 1, de 8

Leia mais

CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Autorizado pela Portaria no 1.399 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 PLANO DE CURSO

CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Autorizado pela Portaria no 1.399 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 PLANO DE CURSO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Autorizado pela Portaria no 1.399 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: Marketing Aplicado à Engenharia Código: ENGP - 587 Pré-requisito: ----- Período Letivo:

Leia mais