Para mim é sempre uma honra vir ao Congresso Nacional, lugar que frequentei durante alguns anos como senador.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Para mim é sempre uma honra vir ao Congresso Nacional, lugar que frequentei durante alguns anos como senador."

Transcrição

1 DISCURSO DO MINISTRO DOS TRANSPORTES, ANTONIO CARLOS RODRIGUES, NA COMISSÃO GERAL DA CÂMARA DOS DEPUTADOS, EM 13 DE AGOSTO DE 2015 Senhor presidente. Senhoras e senhores. Bom dia. Para mim é sempre uma honra vir ao Congresso Nacional, lugar que frequentei durante alguns anos como senador. Aqui na Câmara, onde tenho muitos amigos, não foram poucas as vezes em que estive participando de comissões e discussões importantes. Hoje, após quase oito meses à frente do Ministério dos Transportes, me sinto gratificado em poder prestar contas à Câmara dos Deputados sobre as principais ações da Pasta. Aproveito para agradecer o apoio que a Mesa Diretora desta Casa e seus parlamentares sempre dão ao Ministério dos Transportes. Irei apresentar um resumo de nossas atividades, desde aspectos gerais de minha gestão até a questão orçamentária, passando por ações de programas do governo federal, escoamento da safra e diálogo com caminhoneiros. Estamos criando condições para atrair os investimentos privados necessários para que o Brasil siga avançando. Precisamos de investimentos para aumentar nossa eficiência e competitividade, ampliar as exportações, promover a integração nacional e também na America do Sul, além de reduzir os custos logísticos. O Ministério dos Transportes é o órgão central que conduz o planejamento, a gestão e a regulação da infraestrutura na área de rodovias, ferrovias e hidrovias. 1

2 Aqui estão as instituições vinculadas ao Ministério. (INICIO DA APRESENTAÇÃO EM SLIDES) Apresento a seguir um diagnóstico dos modais de transporte. O cenário em rodovias é: temos grande dependência do transporte rodoviário, com uma malha federal pavimentada de 64 mil quilômetros que demanda investimento para manutenção e conservação. Temos necessidade de expandir e qualificar essa malha para escoar a produção e acessar novas fronteiras. Nossa malha rodoviária conta com 120 mil quilômetros de extensão. Temos 163 BRs, sendo que só o DNIT administra quase 52 mil quilômetros de rodovias. Estamos trabalhando e nos empenhando para o crescimento da nossa malha ferroviária. O Brasil concedeu 28 mil quilômetros de ferrovias. Hoje nossa malha é operada por 12 concessionárias, como podemos ver no mapa. O Brasil conta com grande potencial para o uso de hidrovias. Visto o diagnóstico, temos grandes desafios e estamos trabalhando em medidas que levem ao maior uso de nossas ferrovias e hidrovias. Nossa meta em relação ao orçamento é cumprir o que foi estabelecido para 2015, utilizando da melhor maneira possível os recursos disponíveis. Aqui estão as estratégias que estamos adotando. Dentro dessa lógica, gostaria de apresentar na sequência o PIL, Programa de Investimentos em Logística. São quase 200 bilhões de reais de investimentos projetados, dos quais 152 bilhões de reais serão investidos em rodovias e ferrovias. 2

3 O Ministério dos Transportes representa 77% dos investimentos dessa fase do PIL. Vou falar então das concessões rodoviárias Queria lembrar que o Brasil tem hoje 10 mil quilômetros de rodovias concedidas. E com o PIL 2015/2018 vamos aumentar esse número em 70%. Para 2015, temos previsão de realizar cinco leilões. Em 2016, outros 11 leilões, além de começar a realizar investimentos nas concessões existentes. Do programa de leilões de rodovias para 2015 já realizamos o leilão da Ponte Rio-Niterói em março. E vamos leiloar mais 2 mil e 600 quilômetros em outros 6 estados. No leilão da Ponte Rio-Niterói os resultados foram expressivos: reduzimos a tarifa de pedágio de cinco reais e vinte centavos para três reais e setenta centavos, além de conseguirmos mais de 1 bilhão de reais em investimentos. Para 2016 queremos conceder 4 mil e 500 quilômetros de estradas, sendo que cada novo trecho a ser concedido conta com uma média de 27 interessados. O PIL vai melhorar ainda mais as concessões existentes. Vão ser investidos mais de 15 bilhões de reais em duplicação, construção de faixas adicionais e vias marginais. Na primeira etapa do PIL, lançada no primeiro mandato da presidenta Dilma Rousseff, foram concedidos quase 5 mil quilômetros de estradas. Os investimentos nas ferrovias vão expandir ainda mais a malha brasileira. Até 2018, deverão estar em construção mais 3 mil e 300 quilômetros de ferrovias. Estão projetados investimentos de mais de 86 bilhões de reais em nossas ferrovias e em concessões existentes. Nos novos trechos de concessão o trabalho já foi iniciado, inclusive já aconteceram as audiências públicas para estudo da ferrovia Rio-Vitória. 3

4 Estão em negociação os novos investimentos nas concessões ferroviárias existentes. Preciso falar ainda sobre as obras do PAC, o Programa de Aceleração do Crescimento. Primeiramente em rodovias. O PAC permitiu investimentos continuados em manutenção com reflexos na melhoria das nossas estradas. Além disso, em 2015 já foram concluídos 179 quilômetros de rodovias e importantes obras de arte especiais e travessias urbanas. Essa é a travessia urbana de Marechal Cândido Rondon, no Paraná, primeira obra que inaugurei como ministro dos Transportes. Aqui a ponte Anita Garibaldi, na BR-101 em Laguna, Santa Catarina, que inaugurei juntamente com a presidenta Dilma Rousseff. O trecho da BR-235 na Bahia, entre Uauá e Pinhões. A travessia urbana de Xanxerê, em Santa Catarina. Nesse mapa vocês podem conferir algumas obras que estão em fase final de conclusão. E na sequência as principais obras estruturantes. Apresento nesse mapa as principais licitações que devemos lançar ainda este ano. E agora licitações programadas para a região Nordeste. Para fechar o assunto rodovias, destaco aqui os investimentos em Operações Rodoviárias, que contribuem para a redução da quantidade e da gravidade dos acidentes. 4

5 Agora falo sobre as ferrovias do PAC. Contamos com 3 grandes projetos estruturantes em ferrovias no PAC. Agora hidrovias. Estamos garantindo manutenção para 6 mil quilômetros de rios navegáveis de norte a sul do país. Agora falo sobre a Marinha Mercante. O Fundo da Marinha Mercante é a principal fonte de financiamento da construção naval. Estão em andamento 292 projetos financiados pelo Fundo. Além das ações específicas do Ministério dos Transportes, gostaria de destacar alguns assuntos relevantes que merecem a nossa atenção. Vamos começar pelo escoamento da safra. Essa é uma ação do governo federal onde colaboramos com o Ministério da Agricultura e com a Secretaria de Portos. Outro assunto também relevante foi o empenho do governo Dilma Rousseff no diálogo com os caminhoneiros. As principais conquistas desse diálogo foram: a sanção da lei dos caminhoneiros e a instalação de um Fórum Permanente para debater os interesses da categoria. Fecho minha apresentação fazendo considerações à visão do Ministério dos Transportes frente ao novo cenário macroeconômico brasileiro. 5

6 Que vai exigir: governar com ênfase em gestão e planejamento, buscando a melhor aplicação de recursos. E ainda: criar um ambiente favorável e de confiança para a participação da iniciativa privada, estando aberto ao diálogo permanente com setores produtivos e representantes da sociedade para a busca de soluções de transportes. Meu muito obrigado a todos. 6

Infraestrutura de Santa Catarina para o Desenvolvimento

Infraestrutura de Santa Catarina para o Desenvolvimento Infraestrutura de Santa Catarina para o Desenvolvimento Ministério dos Transportes PAULO SÉRGIO PASSOS Ministro de Estado dos Transportes Florianópolis, 27 de fevereiro de 2013 ASPECTOS NACIONAIS INFRAESTRUTURA

Leia mais

FERROVIA EF 267: TODOS JUNTOS PARA. Senhor Presidente, os defensores das ferrovias como o melhor modal para

FERROVIA EF 267: TODOS JUNTOS PARA. Senhor Presidente, os defensores das ferrovias como o melhor modal para Discurso proferido pelo deputado GERALDO RESENDE (PMDB/MS), em sessão no dia 06/08/2013. FERROVIA EF 267: TODOS JUNTOS PARA TRONÁ-LA REALIDADE Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, É com muita

Leia mais

Ministério dos Transportes

Ministério dos Transportes Ministério dos Transportes VI Congresso Internacional de Transportes da Amazônia Política Nacional de Transportes Belém, 01 de setembro de 2015 Ministério dos Transportes - Competências Possui como principais

Leia mais

Novos terminais vão reduzir custos das exportações de grãos do Centro-Oeste

Novos terminais vão reduzir custos das exportações de grãos do Centro-Oeste Consultas a editais do 2º leilão de áreas portuárias superam 3.500 acessos Novos terminais vão reduzir custos das exportações de grãos do Centro-Oeste Mais de 3.500 consultas já foram feitas aos editais

Leia mais

Infraestrutura estagnada: o nó da economia brasileira

Infraestrutura estagnada: o nó da economia brasileira Boletim Econômico Edição nº 51 dezembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Infraestrutura estagnada: o nó da economia brasileira 1 Situação atual da infraestrutura no

Leia mais

1 INTRODUÇÃO. Tabela 1 Valor exportado do agronegócio brasileiro

1 INTRODUÇÃO. Tabela 1 Valor exportado do agronegócio brasileiro 1 INTRODUÇÃO O Brasil encontra-se num ambiente favorável de crescimento econômico nos últimos anos. A economia brasileira tem como principais forças o comércio, o setor industrial e o agronegócio. O agronegócio,

Leia mais

Concessões RODOVIAS FERROVIAS PORTOS AEROPORTOS

Concessões RODOVIAS FERROVIAS PORTOS AEROPORTOS Concessões RODOVIAS FERROVIAS PORTOS AEROPORTOS Retomada do Planejamento em Logística O Programa de Investimentos em Logística (PIL) é a integração de 2 ações de planejamento do Governo Federal nos últimos

Leia mais

Secretaria de Portos. Ministério dos Transportes. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Secretaria de Portos. Ministério dos Transportes. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de s Ministério dos Transportes Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Principais Corredores para Escoamento da Safra de Grãos CE Velho PE RN PB SE AL Salvador Ilhéus Hidrovias

Leia mais

O SR. JOSUÉ BENGTSON (PTB/PA) pronuncia o. seguinte discurso: Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, o

O SR. JOSUÉ BENGTSON (PTB/PA) pronuncia o. seguinte discurso: Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, o O SR. JOSUÉ BENGTSON (PTB/PA) pronuncia o seguinte discurso: Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, o reaquecimento da economia brasileira a partir do ano passado, deixou em alerta todo o sistema produtivo

Leia mais

LEI 5.194/66 - Regula o exercício das profissões de Engenheiro, Arquiteto e Engenheiro-Agrônomo.

LEI 5.194/66 - Regula o exercício das profissões de Engenheiro, Arquiteto e Engenheiro-Agrônomo. LEI 5.194/66 - Regula o exercício das profissões de Engenheiro, Arquiteto e Engenheiro-Agrônomo. Art. 1º As profissões de engenheiro, arquiteto e engenheiro-agrônomo são caracterizadas pelas realizações

Leia mais

Programa Paulista de Concessões. Dr. Rodrigo José Oliveira Pinto de Campos Diretor de Assuntos Institucionais da ARTESP

Programa Paulista de Concessões. Dr. Rodrigo José Oliveira Pinto de Campos Diretor de Assuntos Institucionais da ARTESP Programa Paulista de Concessões Dr. Rodrigo José Oliveira Pinto de Campos Diretor de Assuntos Institucionais da ARTESP Foz do Iguaçu, 13 de Maio de 2016 Sobre a ARTESP Criada pela Lei Complementar nº 914,

Leia mais

SECRETARIA DOS TRANSPORTES CENÁRIOS DA INFRAESTRUTURA DO RS

SECRETARIA DOS TRANSPORTES CENÁRIOS DA INFRAESTRUTURA DO RS SECRETARIA DOS TRANSPORTES ST CENÁRIOS DA INFRAESTRUTURA DO RS CENÁRIOS INFRAESTRUTURA DO RIO GRANDE DO SUL Cenário encontrado e dificuldades Estradas em más condições 76 municípios sem acesso asfáltico

Leia mais

UFPR DEPARTAMENTO DE TRANSPORTES SISTEMAS DE TRANSPORTES TT 046 MALHA FERROVIÁRIA. Aula 06

UFPR DEPARTAMENTO DE TRANSPORTES SISTEMAS DE TRANSPORTES TT 046 MALHA FERROVIÁRIA. Aula 06 UFPR DEPARTAMENTO DE TRANSPORTES SISTEMAS DE TRANSPORTES TT 046 MALHA FERROVIÁRIA Prof. Djalma Pereira Prof. Eduardo Ratton Profa. Gilza Fernandes Blasi Profa. Márcia de Andrade Pereira Aula 06 MALHA FERROVIÁRIA

Leia mais

Expansão do Modal Ferroviário Vetores de Investimento e Projeto da Malha Paulista. Julio Fontana São Paulo, 28 de julho de 2016

Expansão do Modal Ferroviário Vetores de Investimento e Projeto da Malha Paulista. Julio Fontana São Paulo, 28 de julho de 2016 Expansão do Modal Ferroviário Vetores de Investimento e Projeto da Malha Paulista 1 Julio Fontana São Paulo, 28 de julho de 2016 AGENDA 1 EXPANSÃO DO MODAL FERROVIÁRIO vetores de investimento 2 PROJETO

Leia mais

TÍTULO: MULTIMODALIDADE APLICADA AO ESCOAMENTO DAS PRINCIPAIS MASSA ECONOMICAS BRASILEIRAS DESTINADAS À EXPORTAÇÃO PELO PORTO DE SANTOS

TÍTULO: MULTIMODALIDADE APLICADA AO ESCOAMENTO DAS PRINCIPAIS MASSA ECONOMICAS BRASILEIRAS DESTINADAS À EXPORTAÇÃO PELO PORTO DE SANTOS Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: MULTIMODALIDADE APLICADA AO ESCOAMENTO DAS PRINCIPAIS MASSA ECONOMICAS BRASILEIRAS DESTINADAS

Leia mais

III WTR PoP-BA RNP Salvador, set 2012 Cidades Digitais: Construindo um ecossistema de cooperação e inovação

III WTR PoP-BA RNP Salvador, set 2012 Cidades Digitais: Construindo um ecossistema de cooperação e inovação Cidades Digitais: Construindo um ecossistema de cooperação e inovação Américo T Bernardes Departamento de Infraestrutura para Inclusão Digital Secretaria de Inclusão Digital Ministério das Secretaria de

Leia mais

LOGÍSTICA DE TRANSPORTES DE CARGAS

LOGÍSTICA DE TRANSPORTES DE CARGAS LOGÍSTICA DE TRANSPORTES DE CARGAS Jean Carlos Pejo J C PEJO CONSUTORES ASSOCIADOS S/C LTDA Mapa da Produção de Soja no Brasil Projeção da Produção de Soja no Brasil Safra Produção Exportação 2009/2010

Leia mais

São Paulo, 17 de Agosto de 2012

São Paulo, 17 de Agosto de 2012 São Paulo, 17 de Agosto de 2012 Discurso do Presidente do Banco Central do Brasil, Alexandre Tombini, no 22º Congresso da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores - Fenabrave Senhoras

Leia mais

Infraestrutura e Logística Reflexos na Competitividade

Infraestrutura e Logística Reflexos na Competitividade Infraestrutura e Logística Reflexos na Competitividade Enaex Agosto, 2013 Luciano Coutinho Presidente 1 Brasil apresenta fundamentos compatíveis com o crescimento sustentável de Longo Prazo País possui

Leia mais

Ferrovias do Nordeste

Ferrovias do Nordeste Ferrovias do Nordeste Agosto 2013 ELABORAÇÃO: TLSA A Transnordestina Logística S/A, antiga Companhia Ferroviária do Nordeste CFN, obteve a concessão da Malha Nordeste SR (Recife), SR (Fortaleza) e SR (São

Leia mais

Pesquisa Custos Logísticos no Brasil 2015

Pesquisa Custos Logísticos no Brasil 2015 Pesquisa Custos Logísticos no Brasil 2015 Coordenadores Paulo Tarso Vilela de Resende Paulo Renato de Sousa Paula Oliveira Bolsistas Fapemig Bruna Catão Braga Larissa de Freitas Campos Rafael Barroso de

Leia mais

Modal Ferroviário. Equipe: Docemar M. Borges Felipe Cordova Leonardo F. Heinz Wivian Neckel

Modal Ferroviário. Equipe: Docemar M. Borges Felipe Cordova Leonardo F. Heinz Wivian Neckel Modal Ferroviário Equipe: Docemar M. Borges Felipe Cordova Leonardo F. Heinz Wivian Neckel O que é modal? O modal ferroviário caracteriza-se, especialmente, por sua capacidade de transportar grandes volumes,

Leia mais

REUNIÃO DO CONSELHO GESTOR CUIABÁ

REUNIÃO DO CONSELHO GESTOR CUIABÁ REUNIÃO DO CONSELHO GESTOR CUIABÁ 12-11-2015 PAUTA 09:00 Abertura Situação das obras federais ; PIL - Programa de Investimento em Logística Plano de ação das Frentes Parlamentares FPA e FRENLOG; CTLOG

Leia mais

O que precisa de ser feito para colocar o Brasil no radar dos investidores internacionais

O que precisa de ser feito para colocar o Brasil no radar dos investidores internacionais O que precisa de ser feito para colocar o Brasil no radar dos investidores internacionais ENIC, SALVADOR Setembro, 2015 kpmg.com.br 2014 KPMG Structured Finance S. A., uma sociedade anônima brasileira

Leia mais

Concessão de Serviço Público e Parceria Público-Privada

Concessão de Serviço Público e Parceria Público-Privada Concessão de Serviço Público e Parceria Público-Privada Câmara de Transporte e Logística FIESC Florianópolis/SC 26 de julho de 2012 Histórico O Reino Unido foi o pioneiro na institucionalização financeira,

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS Aula 12. Prof. a Dr. a Maria das Graças Rua

POLÍTICAS PÚBLICAS Aula 12. Prof. a Dr. a Maria das Graças Rua POLÍTICAS PÚBLICAS Aula 12 Prof. a Dr. a Maria das Graças Rua PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO (PAC), criado pelo Decreto 6.025/2007 que define a estrutura formal da sua gestão. PAC medidas de estímulo

Leia mais

Transportes. Sistema Rodoviário Brasileiro. Sistema Rodoviário Brasileiro

Transportes. Sistema Rodoviário Brasileiro. Sistema Rodoviário Brasileiro Transportes Nomes : Fabio Bertuol Felipe Beis Leonardo Demartini Rafael Souza O sistema rodoviário, é o modal mais utilizado no Brasil quer seja para o transporte de passageiros quer seja para transporte

Leia mais

Informativo nº 03/ de março de 2017 MOVIMENTO NOVA 381

Informativo nº 03/ de março de 2017 MOVIMENTO NOVA 381 MOVIMENTO NOVA 381 Data do lançamento: 21 de março de 2013 55.810 Participantes Inscritos 22 Estados Brasileiros com participantes 589 Municípios com participantes Como surgiu? Por meio da iniciativa de

Leia mais

Programa de Aceleração do Crescimento em Rondônia

Programa de Aceleração do Crescimento em Rondônia 1 CAPÍTULO Programa de Aceleração do Crescimento em Rondônia Criado em 2007 pelo Governo Federal, o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) promoveu a retomada do planejamento e da execução de grandes

Leia mais

A Importância do Arco Norte na Competitividade da Exportação Agropecuária

A Importância do Arco Norte na Competitividade da Exportação Agropecuária A Importância do Arco Norte na Competitividade da Exportação Agropecuária Saldo da Balança Comercial - Brasil US$ bilhões Exportação (US$ milhões) Importação (US$ milhões) Saldo 2013 2014 % 2013 2014

Leia mais

,8% ,7% ,4% ,7% ,4%

,8% ,7% ,4% ,7% ,4% Fernando Seabra Mundo (mi. US$) Brasil (mi. US$) MarketShare 2010 39.719 11.043 27,8% 2011 45.698 16.327 35,7% 2012 53.183 17.248 32,4% 2013 57.444 22.810 39,7% 2014 59.005 23.277 39,4% Fonte: comtrade.un.org

Leia mais

AGRONEGÓCIO BRASILEIRO ALAVANCA DO DESENVOLVIMENTO OPORTUNIDADES E DESAFIOS

AGRONEGÓCIO BRASILEIRO ALAVANCA DO DESENVOLVIMENTO OPORTUNIDADES E DESAFIOS AGRONEGÓCIO BRASILEIRO ALAVANCA DO DESENVOLVIMENTO OPORTUNIDADES E DESAFIOS AVALIAÇÕES TÉCNICAS / FEVEREIRO DE 2016 LUIZ ANTONIO FAYET Consultor da CNA AGRONEGÓCIO BRASILEIRO EVOLUÇÃO HÁ 50 ANOS = IMPORTADOR

Leia mais

Blocos econômicos. Bloco Econômico é uma integração de países nos. desenvolvimento e maior poder de competição.

Blocos econômicos. Bloco Econômico é uma integração de países nos. desenvolvimento e maior poder de competição. Blocos econômicos Bloco Econômico é uma integração de países nos aspectos, visando seu desenvolvimento e maior poder de competição. Eles constituem expressivos espaços integrados de livre comércio. Esses

Leia mais

3. O transporte no Brasil

3. O transporte no Brasil 47 3. O transporte no Brasil Neste capítulo, faz-se uma breve descrição do sistema de transporte de cargas no Brasil, onde são apresentados os investimentos programados pelo Governo Federal no setor, a

Leia mais

55º Fórum Nacional de Secretários de Planejamento INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA

55º Fórum Nacional de Secretários de Planejamento INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA 55º Fórum Nacional de Secretários de Planejamento INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA Salvador/BA, 06 de Setembro de 2013 PREMISSA BÁSICA O setor de Transportes como catalisador do desenvolvimento nacional Estruturando

Leia mais

IV Seminário Internacional Mobilidade e Transportes. Universidade de Brasília. Segurança Viária. André Vital SeinfraRodovia TCU

IV Seminário Internacional Mobilidade e Transportes. Universidade de Brasília. Segurança Viária. André Vital SeinfraRodovia TCU IV Seminário Internacional Mobilidade e Transportes Universidade de Brasília Segurança Viária André Vital SeinfraRodovia TCU Outubro de 2016 Reflexão Stop. A vida parou ou foi o automóvel? Carlos Drummond

Leia mais

Audiência Pública Plano Nacional de Logística Integrada

Audiência Pública Plano Nacional de Logística Integrada Ministério dos Transportes Audiência Pública Plano Nacional de Logística Integrada Novembro de 2015 SUMÁRIO Plano Nacional de Logística Integrada PNLI Programa de Investimento em Logística 2012 PIL I Programa

Leia mais

CADERNO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS AUDIÊNCIA PÚBLICA LOTES 4, 5 E 6 JOÃO MONLEVADE 28/06/12

CADERNO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS AUDIÊNCIA PÚBLICA LOTES 4, 5 E 6 JOÃO MONLEVADE 28/06/12 CADERNO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS AUDIÊNCIA PÚBLICA LOTES 4, 5 E 6 JOÃO MONLEVADE 28/06/12 Questionamento1: De Vera Monteiro Prefeitura: Gostaria de saber da previsão do início da obra do Viaduto do Cruzeiro

Leia mais

Território e planejamento de longo prazo: a experiência do Estudo da Dimensão territorial do planejamento

Território e planejamento de longo prazo: a experiência do Estudo da Dimensão territorial do planejamento Território e planejamento de longo prazo: a experiência do Estudo da Dimensão territorial do planejamento Leandro Freitas Couto Analista de Planejamento e Orçamento 27.07.2016 Retomada do planejamento

Leia mais

POTENCIAL DE PPPs NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

POTENCIAL DE PPPs NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO POTENCIAL DE PPPs NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO RILEY RODRIGUES Conselho Empresarial de Infraestrutura Sistema FIRJAN Principais desafios Os programas precisam ser estruturados, dentro de seus setores, como

Leia mais

Portos do Paraná anunciam R$ 5,1 bilhões em investimentos privados

Portos do Paraná anunciam R$ 5,1 bilhões em investimentos privados Comércio exterior, logística, portos, transportes, indústrias, serviços, negócios e economia. Home Anuncie Institucional Fale Conosco Assinatura Pesquisar no site... Home» Destaque, Novidade Portos do

Leia mais

III VALEC VALEC SUMÁRIO. Constituição Competências

III VALEC VALEC SUMÁRIO. Constituição Competências Gramado 2013 SUMÁRIO I VALEC Constituição Competências II III Estudos e Projetos Panorama/Chapecó Chapecó/Rio Grande Itajaí /Chapecó/Dionísio Cerqueira Lucas do Rio Verde/Vilhena Vilhena/Porto Velho Obras

Leia mais

RENOVAÇÃO DA FROTA VAGÕES DE CARGA & LOCOMOTIVAS

RENOVAÇÃO DA FROTA VAGÕES DE CARGA & LOCOMOTIVAS RENOVAÇÃO DA FROTA VAGÕES DE CARGA & LOCOMOTIVAS AGENDA 1 2 3 Situação atual Objetivos Benefícios Estratégia Conclusão Situação atual 3 Fabricantes de vagões de carga 2 Fabricantes de Locomotivas 70 Fabricantes

Leia mais

Thiago Vitorello, diretor-presidente da Triunfo Concepa

Thiago Vitorello, diretor-presidente da Triunfo Concepa 20anos 1997 Ao analisar os 20 anos de trajetória da Triunfo Concepa, uma das concessionárias rodoviárias da Triunfo Participações e Investimentos, nos deparamos também com um resgate histórico da evolução

Leia mais

Construir km de ferrovias

Construir km de ferrovias Construir 4.696 km de ferrovias Entendimento: Entre 2011 e o final de 2014, o País contará com 4 956 km adicionais de trilhos de ferrovias, não incluídos os modais urbanos (trens urbanos e metrôs), bem

Leia mais

Estradeiro BR-242/364 Movimento Pró-Logística/Aprosoja

Estradeiro BR-242/364 Movimento Pró-Logística/Aprosoja Estradeiro BR-242/364 Movimento Pró-Logística/Aprosoja Lucélia Denise Avi Analista de Meio Ambiente e Infraestrutura e Logística Famato O Estradeiro Pelo terceiro ano consecutivo, a Aprosoja realiza estradeiros

Leia mais

Importância e Oportunidades para o Desenvolvimento da Indústria de Serviços

Importância e Oportunidades para o Desenvolvimento da Indústria de Serviços Importância e Oportunidades para o Desenvolvimento da Indústria de Serviços Modais de Transporte no Brasil Características dos Modais Modal Ferroviário Maior concentração das ferrovias no Brasil As ferrovias

Leia mais

1 Introdução 1.1 Apresentação

1 Introdução 1.1 Apresentação 1 Introdução 1.1 Apresentação O Brasil é, notoriamente, um país com características geográficas favoráveis ao cultivo de produtos agrícolas. O primeiro registro dos predicados agrícolas desta terra data

Leia mais

Promoção da competitividade e desenvolvimento da economia brasileira

Promoção da competitividade e desenvolvimento da economia brasileira Objetivo Promoção da competitividade e desenvolvimento da economia brasileira Fim das barreiras à entrada Estímulo à expansão dos investimentos do setor privado Modernização da infraestrutura e da gestão

Leia mais

Modelo de Negócios Objetivo

Modelo de Negócios Objetivo JULIO FONTANA Modelo de Negócios Objetivo Heavy haul do agronegócio Dominância dos principais corredores de exportação Expansão do setor agrícola DEMANDA DO AGRONEGÓCIO LOCALIZAÇÃO ESTRATÉGICA Grandes

Leia mais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº, DE 2005 (Do Sr. Fernando de Fabinho)

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº, DE 2005 (Do Sr. Fernando de Fabinho) PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº, DE 2005 (Do Sr. Fernando de Fabinho) Autoriza o Poder Executivo a criar o Pólo de Desenvolvimento e Turismo da região geográfica Nordeste, com sede na cidade de Paulo Afonso

Leia mais

AGENDA 1. INVESTIMENTOS 2. METAS. 3. AÇÕES Transporte Energia Telecomunicações Saneamento

AGENDA 1. INVESTIMENTOS 2. METAS. 3. AÇÕES Transporte Energia Telecomunicações Saneamento AGENDA 1. INVESTIMENTOS 2. METAS 3. AÇÕES Transporte Energia Telecomunicações Saneamento 4. PILARES para o desenvolvimento Sustentabilidade Gestão Mão de Obra Dimensão da carência de infraestrutura se

Leia mais

Perspectivas de Negócios em Infraestrutura. novembro 2013

Perspectivas de Negócios em Infraestrutura. novembro 2013 Perspectivas de Negócios em Infraestrutura novembro 2013 Brasil no Mundo Globalizado - Importação e exportação manufaturas, commodities e serviços; - Crescimento da economia e aumento do consumo nos países

Leia mais

EIXO TRANSPORTES. garantindo maior integração da malha brasileira de Transportes.

EIXO TRANSPORTES. garantindo maior integração da malha brasileira de Transportes. EIXO TRANSPORTES Para integrar as diferentes regiões do Brasil, eliminar gargalos logísticos e garantir que a produção nacional tenha custos mais baixos para os mercados interno e externo, o PAC 2 realiza

Leia mais

Política Governamental Brasileira de Fomento à Exploração Mineral e Propostas de Aprimoramento

Política Governamental Brasileira de Fomento à Exploração Mineral e Propostas de Aprimoramento Política Governamental Brasileira de Fomento à Exploração Mineral e Propostas de Aprimoramento Claudio Scliar Secretário de Geologia, Mineração e Transformação Mineral / MME 24 de Maio POLÍTICA MINERAL

Leia mais

PLANO NACIONAL DE DESESTATIZAÇÃO - SUCESSOS E DESAFIOS

PLANO NACIONAL DE DESESTATIZAÇÃO - SUCESSOS E DESAFIOS CÂMARA DE COMÉRCIO AMERICANA DO RIO DE JANEIRO SEMINÁRIO INFRAESTRUTURA LOGÍSTICA DOS AEROPORTOS PLANO NACIONAL DE DESESTATIZAÇÃO - SUCESSOS E DESAFIOS Índice 1. Desafios da aviação Civil Brasileira 2.

Leia mais

OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA

OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA - 2014 Índice Santa Catarina 1 Infraestrutura de Transportes Modal Rodoviário 2 Infraestrutura de Transportes Modal

Leia mais

As atuais condições da infraestrutura de transporte e logística do Brasil

As atuais condições da infraestrutura de transporte e logística do Brasil ESTUDO DA CNT APONTA QUE INFRAESTRUTURA RUIM AUMENTA CUSTO DO TRANSPORTE DE SOJA E MILHO As atuais condições da infraestrutura de transporte e logística do Brasil têm impacto significativo na movimentação

Leia mais

A (falta de) infraestrutura e sua influencia no Mercado Global. Tema: Escoamento de safras agrícolas

A (falta de) infraestrutura e sua influencia no Mercado Global. Tema: Escoamento de safras agrícolas A (falta de) infraestrutura e sua influencia no Mercado Global Tema: Escoamento de safras agrícolas O desafio logístico é transformar distancias físicas em distancias econômicas isto é aproximar o centro

Leia mais

10º Encontro Anual PRH / ANP. Painel: A contribuição do CT-PETRO na formação de Recursos Humanos para o setor de Petróleo e Gás

10º Encontro Anual PRH / ANP. Painel: A contribuição do CT-PETRO na formação de Recursos Humanos para o setor de Petróleo e Gás 10º Encontro Anual PRH / ANP 18-19.06.2008 Painel: A contribuição do CT-PETRO na formação de Recursos Humanos para o setor de Petróleo e Gás Rogério Amaury de Medeiros Área de Planejamento medeiros@finep.gov.br

Leia mais

Restauração de paisagens e florestas

Restauração de paisagens e florestas Restauração de paisagens e florestas Desenvolvimento de estratégias subnacionais e integração de agendas globais Marco Terranova Um conceito com enfoque na funcionalidade dos ecossistemas A restauração

Leia mais

EVTEA - H Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental das Hidrovias

EVTEA - H Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental das Hidrovias EVTEA - H Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental das Hidrovias Descrição geral - Trabalho técnico de Economia, Engenharia, Ciências do Meio Ambiente, Estatística, Geografia, Ciências Sociais

Leia mais

REUNIÃO NÚCLEO DE PLANEJAMENTO E MODERNIZAÇÃO DA GESTÃO

REUNIÃO NÚCLEO DE PLANEJAMENTO E MODERNIZAÇÃO DA GESTÃO REUNIÃO NÚCLEO DE PLANEJAMENTO E MODERNIZAÇÃO DA GESTÃO 15 DE AGOSTO DE 2012 NÚCLEO DE PLANEJAMENTO E MODERNIZAÇÃO DA GESTÃO 15/08/12 PAUTA 1. AGENDA PLANEJAMENTO II SEMESTRE 2012 2. ESCRITÓRIO DE PROJETOS

Leia mais

DISCURSO DO PRESIDENTE DA CNI, ROBSON BRAGA DE ANDRADE, NA SOLENIDADE DE APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA SENAI DE APOIO À

DISCURSO DO PRESIDENTE DA CNI, ROBSON BRAGA DE ANDRADE, NA SOLENIDADE DE APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA SENAI DE APOIO À 1 DISCURSO DO PRESIDENTE DA CNI, ROBSON BRAGA DE ANDRADE, NA SOLENIDADE DE APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA SENAI DE APOIO À COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA BRASILEIRA, EM 13.04.2012. Excelentíssima senhora presidenta

Leia mais

GOVERNANÇA PÚBLICA: O DESAFIO DO BRASIL. O papel do TCU DIÁLOGO PÚBLICO CEARÁ 17 DE MARÇO DE 2014

GOVERNANÇA PÚBLICA: O DESAFIO DO BRASIL. O papel do TCU DIÁLOGO PÚBLICO CEARÁ 17 DE MARÇO DE 2014 GOVERNANÇA PÚBLICA: O DESAFIO DO BRASIL O papel do TCU DIÁLOGO PÚBLICO CEARÁ 17 DE MARÇO DE 2014 Ministro João Augusto Ribeiro Nardes Presidente do TCU SUMÁRIO O Estado e os desafios do Brasil Governança

Leia mais

Política Ambiental do Ministério dos Transportes

Política Ambiental do Ministério dos Transportes Política Ambiental do Ministério dos Transportes Considerações Iniciais Princípios básicos da Política de Transportes: a) A viabilidade ambiental dos empreendimentos de transportes; b) O respeito à necessidade

Leia mais

DNIT SETOR FERROVIÁRIO NACIONAL NEGÓCIOS NOS TRILHOS ENCONTREM Diretoria de Infra-Estrutura Ferroviária. Ministério dos Transportes

DNIT SETOR FERROVIÁRIO NACIONAL NEGÓCIOS NOS TRILHOS ENCONTREM Diretoria de Infra-Estrutura Ferroviária. Ministério dos Transportes SETOR FERROVIÁRIO NACIONAL NEGÓCIOS NOS TRILHOS ENCONTREM 2006 Diretoria de Infra-Estrutura Ferroviária DNIT Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes Ministério dos Transportes GESTÃO GOVERNAMENTAL

Leia mais

Avaliação e Evolução do Programa de Aceleração do Crescimento. (PAC 1 e PAC 2)

Avaliação e Evolução do Programa de Aceleração do Crescimento. (PAC 1 e PAC 2) PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CONTABILIDADE E ECONOMIA SINDICATO DAS EMPRESAS DE SERVIÇOS CONTÁBEIS DO RS Convênio FACE/PUCRS e SESCON-RS Relatório 14 Avaliação e Evolução

Leia mais

Elaboração do Plano Plurianual

Elaboração do Plano Plurianual Elaboração do Plano Plurianual 2016-2019 Fórum Dialoga Brasil Interconselhos Brasília-DF, 14 a 16 de abril de 2015 1 O que é o PPA É o instrumento constitucional de planejamento governamental que espelha

Leia mais

PERSPECTIVAS DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CIVIL. Paulo Safady Simão - Presidente da CBIC

PERSPECTIVAS DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CIVIL. Paulo Safady Simão - Presidente da CBIC PERSPECTIVAS DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CIVIL Paulo Safady Simão - Presidente da CBIC A CÂMARA BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO - CBIC FOI FUNDADA EM 1957 É A, REPRESENTANTE NACIONAL E INTERNACIONAL

Leia mais

Atuação da CAIXA em Saneamento Ambiental, Infra-estrutura e Mercado de Carbono

Atuação da CAIXA em Saneamento Ambiental, Infra-estrutura e Mercado de Carbono Seminário: Soluções Técnicas e Financeiras para Cidades Sustentáveis Atuação da CAIXA em Saneamento Ambiental, Infra-estrutura e Mercado de Carbono Rogério de Paula Tavares Superintendente Nacional de

Leia mais

Mapa do Desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro. Guilherme Mercês

Mapa do Desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro. Guilherme Mercês Mapa do Desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro Guilherme Mercês 27 de Setembro de 2016 Contas Públicas Variáveis estruturais estão na base da crise fiscal do estado do Rio de Janeiro e do Brasil.

Leia mais

A Gestão Ambiental no Setor Ferroviário Brasileiro: Sustentabilidade, Licenciamento Ambiental Federal

A Gestão Ambiental no Setor Ferroviário Brasileiro: Sustentabilidade, Licenciamento Ambiental Federal Ministério do Meio Ambiente Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis Diretoria de Licenciamento Ambiental - DILIC A Gestão Ambiental no Setor Ferroviário Brasileiro: Sustentabilidade,

Leia mais

PEDÁGIO: ASPECTOS ECONÔMICOS

PEDÁGIO: ASPECTOS ECONÔMICOS PEDÁGIO: ASPECTOS ECONÔMICOS Prof. Dr. Joilson Dias Assistente Científica: Cássia Kely Favoretto Costa Departamento de Economia Universidade Estadual de Maringá Maringá-Pr jdias@uem.br 1.0 Introdução A

Leia mais

Apoio do BNDES a projetos de Energia Elétrica

Apoio do BNDES a projetos de Energia Elétrica Apoio do BNDES a projetos de Energia Elétrica Eduardo Chagas Departamento de Energia Elétrica Área de Infraestrutura Maio de 2015 Papel da infraestrutura na retomada do crescimento Tendo em vista as dificuldades

Leia mais

VICE-PRESIDENTE DA FIESP PRESIDENTE DO CONSIC CONSELHO SUPERIOR DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO PRESIDENTE DO SINPROCIM / SINAPROCIM

VICE-PRESIDENTE DA FIESP PRESIDENTE DO CONSIC CONSELHO SUPERIOR DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO PRESIDENTE DO SINPROCIM / SINAPROCIM PALESTRA: ENGº. JOSÉ CARLOS DE OLIVEIRA LIMA VICE-PRESIDENTE DA FIESP PRESIDENTE DO CONSIC CONSELHO SUPERIOR DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO PRESIDENTE DO SINPROCIM / SINAPROCIM 1 A FIESP REPRESENTA MAIS DE

Leia mais

VALEC. Ministério dos Transportes

VALEC. Ministério dos Transportes VALEC Ministério dos Transportes Outubro de 2007 LOCALIZAÇÃO MAPA DA FERROVIA NORTE-SUL AÇAILÂNDIA (MA) / PÁTIO DE ARAGUAÍNA (TO) Extensão: 361 km OBRAS CONCLUÍDAS PÁTIO DE ARAGUAÍNA (TO) / PÁTIO DE GUARAÍ

Leia mais

Saúde e educação serão prioridades no Plano de

Saúde e educação serão prioridades no Plano de 1 de 5 28/01/2016 09:42 Agência Alagoas Agência Alagoas Secretaria de Estado da Comunicação 09:42 Quinta-feira 28/01/2016 Institucional Diário Oficial Notícias Secretarias Assessorias Galeria Notas 2015

Leia mais

Troféu Transparência Comunicação Visual

Troféu Transparência Comunicação Visual Troféu Transparência 2015 Comunicação Visual Sobre a ANEFAC Entidade sem fins lucrativos fundada há quase 50 anos Cerca de 1600 associados Executivos de finanças, administração e contabilidade Missão Promover

Leia mais

Não houve condições de ser feito devido a agenda da VLI que fez uma excelente apresentação sobre o funcionamento do pátio.

Não houve condições de ser feito devido a agenda da VLI que fez uma excelente apresentação sobre o funcionamento do pátio. OFICINA: PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL DA ÁREA DE INFLUÊNCIA DA FNS TOCANTINS LOCAL: AUDITORIO DO QUARTEL DA POLICIA MILITAR COLINAS DO TOCANTINS /TO DATA: 09 DE DEZEMBRO DE 2015 HORARIO: 08 AS

Leia mais

Investimentos em Infraestrutura de Transportes

Investimentos em Infraestrutura de Transportes Investimentos em Infraestrutura de Transportes AGOSTO/2015 Superintendência Regional do DNIT em Santa Catarina O DNIT é responsável por implementar a política de infraestrutura do Sistema Federal de Viação,

Leia mais

Infraestrutura no Brasil: desafios e oportunidades para a próxima década

Infraestrutura no Brasil: desafios e oportunidades para a próxima década SOBRATEMA FÓRUM BRASIL INFRAESTRUTURA 1 Infraestrutura no Brasil: desafios e oportunidades para a próxima década Paulo Resende 2010 UMA VISÃO GERAL SOBRE A INFRAESTRUTURA BRASILEIRA 2 2010 a 2020: um País

Leia mais

08/11/2004. Discurso do Presidente da República

08/11/2004. Discurso do Presidente da República Discurso do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na abertura da 4ª reunião do Grupo de Alto Nível do Programa Educação para Todos da Unesco Palácio Itamaraty, 08 de novembro de 2004 Senhor

Leia mais

Maurício Muniz Barretto de Carvalho SAM - Casa Civil 07/ 11/ 2006

Maurício Muniz Barretto de Carvalho SAM - Casa Civil 07/ 11/ 2006 Maurício Muniz Barretto de Carvalho SAM - Casa Civil 07/ 11/ 2006 Restrição ao investimento público Brasil e América Latina. Dilema de Política Fiscal: compatibilizar solvência, carga tributária, despesas

Leia mais

Pronunciamento do Deputado Federal Welinton Fagundes (PL - MT ) Sessão do dia 18/03/2005. Senhor Presidente, senhoras e senhores Deputados

Pronunciamento do Deputado Federal Welinton Fagundes (PL - MT ) Sessão do dia 18/03/2005. Senhor Presidente, senhoras e senhores Deputados Pronunciamento do Deputado Federal Welinton Fagundes (PL - MT ) Sessão do dia 18/03/2005 Senhor Presidente, senhoras e senhores Deputados Na condição de médico veterinário de formação, é com imensa honra

Leia mais

Inovação como prioridade estratégica do BNDES

Inovação como prioridade estratégica do BNDES Inovação como prioridade estratégica do BNDES Helena Tenorio Veiga de Almeida APIMECRIO 20/04/2012 Histórico do apoio à inovação no BNDES 2 Histórico do apoio à inovação no BNDES 1950 Infraestrutura Econômica

Leia mais

PORTARIA SOF N o 57, DE 10 DE JUNHO DE 2010. (publicada no DOU de 11/06/2010, seção I, página 73)

PORTARIA SOF N o 57, DE 10 DE JUNHO DE 2010. (publicada no DOU de 11/06/2010, seção I, página 73) PORTARIA SOF N o 57, DE 10 DE JUNHO DE 2010. (publicada no DOU de 11/06/2010, seção I, página 73) A SECRETÁRIA DE ORÇAMENTO FEDERAL, tendo em vista a autorização constante do art. 55, inciso III, da Lei

Leia mais

Abril/Maio de Realização: Apoio: Execução: Fl. [1]

Abril/Maio de Realização: Apoio: Execução: Fl. [1] ANÁLISE EXPEDITA da Situação Física das Rodovias SC-350 (BR-116/ Lebon Régis/ Caçador/ Taquara Verde/ BR-153) e SC-135 [Caçador/ Matos Costa/ BR-280 (Porto União)] Abril/Maio de 2016 Realização: Apoio:

Leia mais

VULNERABILIDADE DA REDE DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS NO BRASIL

VULNERABILIDADE DA REDE DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS NO BRASIL VULNERABILIDADE DA REDE DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS NO BRASIL Uso de SIG no Ministério dos Transportes CONSTRUCTION AND INFRASTRUCTURE Rio de Janeiro, 12 de Setembro de 2013 Ministério dos Transportes

Leia mais

Interferências e obstáculos na execução de obras de habitação e saneamento. Yves Besse Vice-presidente do conselho de administração

Interferências e obstáculos na execução de obras de habitação e saneamento. Yves Besse Vice-presidente do conselho de administração Interferências e obstáculos na execução de obras de habitação e saneamento Yves Besse Vice-presidente do conselho de administração Junho 2014 CAB ambiental Dados sobre Obras de saneamento Principais interferências

Leia mais

PROPOSTA DE PILARES PARA O PRÓXIMO PROGRAMA DE APOIO AS POLÍTICAS (PSI) APRESENTAÇÃO AO SEMINÁRIO DE AVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DO FMI E PERSPECTIVAS

PROPOSTA DE PILARES PARA O PRÓXIMO PROGRAMA DE APOIO AS POLÍTICAS (PSI) APRESENTAÇÃO AO SEMINÁRIO DE AVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DO FMI E PERSPECTIVAS PROPOSTA DE PILARES PARA O PRÓXIMO PROGRAMA DE APOIO AS POLÍTICAS (PSI) APRESENTAÇÃO AO SEMINÁRIO DE AVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DO FMI E PERSPECTIVAS MAPUTO, 11 DE MARÇO DE 2013 ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO

Leia mais

Distribuidoras: O Impacto do Aumento da Mistura

Distribuidoras: O Impacto do Aumento da Mistura Conferência BiodieselBR 2010 Distribuidoras: O Impacto do Aumento da Mistura Alisio Vaz Vice-Presidente Executivo Guarulhos 27 de Outubro de 2010 Conteúdo SINDICOM Mercado de Combustíveis Premissas PNPB

Leia mais

Geotecnologias aplicadas ao planejamento e à gestão da infraestrutura nacional de transportes: os fatores de restrição às rodovias federais planejadas

Geotecnologias aplicadas ao planejamento e à gestão da infraestrutura nacional de transportes: os fatores de restrição às rodovias federais planejadas Geotecnologias aplicadas ao planejamento e à gestão da infraestrutura nacional de transportes: os fatores de restrição às rodovias federais planejadas Latin America Geospatial Forum 2012 15 a 17 de Agosto,

Leia mais

ANÁLISE EXPEDITA da Situação Física da Rodovia BR-280/SC [Porto de São Francisco do Sul/ BR-153/SC (Porto União)]

ANÁLISE EXPEDITA da Situação Física da Rodovia BR-280/SC [Porto de São Francisco do Sul/ BR-153/SC (Porto União)] ANÁLISE EXPEDITA da Situação Física da Rodovia BR-280/SC [Porto de São Francisco do Sul/ BR-153/SC (Porto União)] Março de 2016 Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina - FIESC Glauco José

Leia mais

Regional Nordeste Concessões e Parcerias. Ampliação das Oportunidades de Negócios 01 de Outubro de 2015 Fortaleza

Regional Nordeste Concessões e Parcerias. Ampliação das Oportunidades de Negócios 01 de Outubro de 2015 Fortaleza Regional Nordeste Concessões e Parcerias Ampliação das Oportunidades de Negócios 01 de Outubro de Fortaleza Programa de Gestão de PPPs do Estado do Piauí Viviane Moura Bezerra Superintendente de Parcerias

Leia mais

BR-470/SC AMPLIAÇÃO DE CAPACIDADE

BR-470/SC AMPLIAÇÃO DE CAPACIDADE BR-470/SC AMPLIAÇÃO DE CAPACIDADE Dados fornecidos em 10/06/2016 LOTE 1: NAVEGANTES - BR 101 - DO KM 0 AO KM 18,6 Intervenções: 4 viadutos e 2 pontes Extensão: 18,6 km Início da obra: abril de 2013 Empresa:

Leia mais

BR 050, BR 365, BR 452 e BR 497

BR 050, BR 365, BR 452 e BR 497 V Workshop Rodovias Federais Região do Triângulo BR 050, BR 365, BR 452 e BR 497 Realização Apoio Câmaras Temáticas do CREAMG Conceito: esferas técnicas de articulação e planejamento do CREAMG, no intuito

Leia mais

CARGA FRACIONADA POR CABOTAGEM. Amplie suas opções, economize e ajude o meio ambiente

CARGA FRACIONADA POR CABOTAGEM. Amplie suas opções, economize e ajude o meio ambiente CARGA FRACIONADA POR CABOTAGEM Amplie suas opções, economize e ajude o meio ambiente Por uma logística mais integrada e eficiente A Pratical One nasceu com essa visão e com o desejo de contribuir para

Leia mais

OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA SUGESTÕES AO PLO 2013

OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA SUGESTÕES AO PLO 2013 OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA SUGESTÕES AO PLO 2013 Índice 10 Santa Catarina 10 Infraestrutura de Transportes Modal Rodoviário 17 Infraestrutura

Leia mais