NOVO MARCO REGULATÓRIO PARA FERROVIAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "NOVO MARCO REGULATÓRIO PARA FERROVIAS"

Transcrição

1

2 NOVO MARCO REGULATÓRIO PARA FERROVIAS

3 Atribuições especificas da ANTT para o Transporte Ferroviário de Cargas (Lei /2001) administrar os contratos de concessão e arrendamento de ferrovias celebrados até a vigência desta Lei, em consonância com o inciso VI do art. 24; publicar editais, julgar as licitações e celebrar contratos de concessão para construção e exploração de novas ferrovias, com cláusulas de reversão à União dos ativos operacionais edificados e instalados; regular e coordenar a atuação dos concessionários, assegurando neutralidade com relação aos interesses dos usuários, orientando e disciplinando o tráfego mútuo e o direito de passagem de trens de passageiros e cargas e arbitrando as questões não resolvidas pelas partes; regular os procedimentos e as condições para cessão a terceiros de capacidade de tráfego disponível na infraestrutura ferroviária explorada por concessionários. (Incluído pela Lei nº , de 2012)

4 Modelos para a exploração de ferrovias Modelo Vertical: A exploração de infraestrutura ferroviária está associada à prestação do serviço. Uma única empresa é responsável por explorar a infraestrutura e operar os trens.; Modelo Horizontal ( open access ): As atividades de exploração de infraestrutura e prestação do serviço são separadas. Há um Gestor de Infraestrutura, responsável por manter e licenciar os trens e diversos Operadores com a incumbência de prestar o serviço de transporte ferroviário (operação dos trens). Modelo Vertical Menor custo de transporte (ganhos de escala); Características de monopólio natural; É o modelo adotado na América do Norte, Austrália e concessões da década de 90 no Brasil. Modelo Horizontal Surgiu na década de 80 a partir de experiências dos setores de telecomunicações e energia; Maior competitividade dos operadores ferroviários; É o modelo adotado na Europa.

5 As concessões de ferrovias no Brasil Produção de transporte ferroviário voltada basicamente para o mercado externo (exportação de commodities); Forte concentração de produção de transporte de minério de ferro e commodities agrícolas (soja); Elevada concentração da produção de transporte em apenas 1/3 da malha atual; Baixa participação dos fluxos intramodais (cerca de 7 %);

6 O Programa de Investimentos em Logística - Ferrovias Modelo de Exploração Horizontal (open access); Km de novas linhas; R$ 99,12 Bilhões de investimentos; Financiamento público: TJLP +1%; Carência de 5 anos; 15% de antecipação;

7 Estrutura do Modelo CONCESSÃO/SUBCONCESSÃO DO DIREITO DE EXPLORAÇÃO DA FERROVIA União 1. A Concessionária detém o direito de exploração da Ferrovia. Concessionária CESSÃO DO DIREITO DE USO Valec 2. A Valec compra a totalidade da capacidade da Ferrovia, remunerando a Concessionária por uma Tarifa (Tarifa pela Disponibilidade da Capacidade Operacional). TDCO 3. A Valec subcede, a título oneroso, partes do Direito de Uso aos Usuários. TARIFA DE FRUIÇÃO SUBCESSÃO DO DIREITO DE USO Usuários PREÇO DE VENDA 4. A Concessionária presta serviços de operação diretamente aos Usuários, que a remunera através de outra Tarifa (Tarifa de Fruição), na medida da utilização da Ferrovia.

8 Principais Alterações do Marco Regulatório Criação do Operador Ferroviário Independente Art. 3º da Lei /2012; Regras de cessão de Capacidade; Art. 3º da Lei /2012; Contratos de Concessão; O Objeto é a exploração de infraestrutura (Modelo Horizontal); Regime de Autorização. Atribui competência à ANTT para disciplinar as regras de cessão à terceiros da capacidade de tráfego. Cessão do Direito de uso da Capacidade; Obrigação de construir a ferrovia.

9 Pontos-chave de Regulação para o novo modelo de concessões Convivência de dois modelos de exploração (Vertical e Horizontal); Aquisição, por parte da VALEC, de Capacidade Operacional das atuais concessionárias; Regras de Segurança para a circulação de trens; Interoperabilidade Ferroviária (Sinalização e Comunicações Ferroviárias); Regulamento do Operador Ferroviário Independente; Regras e Procedimentos para a cessão da capacidade operacional;

10 Ações de curto prazo Ampliar o quadro de Servidores da ANTT Autorização de 135 vagas de concurso; Previsão de aumento de 50%; Capacitar os Servidores Cursos de Pós-Graduação: Engenharia ferroviária Regulação econômica; Contratação de consultorias especializadas Parceria com os demais órgãos do setor (DNIT, EPL, VALEC)

11 Agenda Regulatória (Resolução nº 4.057, de 25 de março de 2013) Eixo Temático nº 5: Transporte Ferroviáro de Cargas Regras de Depreciação; Regras de reversibilidade de bens; Regulamento de segurança na circulação de trens; Regras para exploração da faixa de domínio; Revisão da Resolução nº 2.695/2008 (autorização de obras e investimentos); Metodologia do 2º ciclo de Revisão Tarifária; Regras para compensação de créditos; Regras de Seguros ; Caracterização do Serviço Adequado. Eixo Temático nº 6: Exploração de Infraestrutura e Arrendamento de ativos operacionais Definição de elementos básicos de projeto para novas concessões; Regulamento do Operador Ferroviário Independente; Regras para devolução de trechos; Padronização dos Sistemas de Sinalização e Comunicações Ferroviárias; Sistemas de Custos de obras ferroviárias; Regras para a substituição de material rodante; Regras e Procedimentos de Fiscalização.

12 Obrigado! Alexandre Porto Gerente de Regulação de Infraestrutura e Serviços de Transporte Ferroviário de Cargas (61)

Sistema de Custos Operacionais Ferroviários S I C O F

Sistema de Custos Operacionais Ferroviários S I C O F Sistema de Custos Operacionais Ferroviários S I C O F Superintendência de Infraestrutura e Serviços de Transporte Ferroviário de Cargas - SUFER Roteiro 1. Investimentos em Infraestrutura Ferroviária 2.

Leia mais

TRANSPORTES FERROVIÁRIOS NO BRASIL. 16ª Semana de Tecnologia Metroferroviária

TRANSPORTES FERROVIÁRIOS NO BRASIL. 16ª Semana de Tecnologia Metroferroviária TRANSPORTES FERROVIÁRIOS NO BRASIL 16ª Semana de Tecnologia Metroferroviária 15 de Setembro de 2010 TRANSPORTES TERRESTRES Ministério dos Transportes: formular políticas e diretrizes; aprovar planos de

Leia mais

Lei de criação da EPL

Lei de criação da EPL Lei de criação da EPL Lei nº 12.743 de 19 de dezembro de 2012 Altera as Leis nos 10.233, de 5 de junho de 2001, e 12.404, de 4 de maio de 2011, para modificar a denominação da Empresa de Transporte Ferroviário

Leia mais

TECNOLOGIAS E INTEROPERABILIDADE NO TRANSPORTE FERROVIÁRIO

TECNOLOGIAS E INTEROPERABILIDADE NO TRANSPORTE FERROVIÁRIO 18ª Semana de Tecnologia Metroferroviária TECNOLOGIAS E INTEROPERABILIDADE NO TRANSPORTE FERROVIÁRIO Setembro/2012 Sumário 1. Modelos ferroviários existentes 2. O que é o Open Access? 3. Experiências relevantes

Leia mais

Sistema de Custos Operacionais Ferroviários S I C O F. Superintendência de Infraestrutura e Serviços de Transporte Ferroviário de Cargas - SUFER

Sistema de Custos Operacionais Ferroviários S I C O F. Superintendência de Infraestrutura e Serviços de Transporte Ferroviário de Cargas - SUFER Sistema de Custos Operacionais Ferroviários S I C O F Superintendência de Infraestrutura e Serviços de Transporte Ferroviário de Cargas - SUFER Roteiro 1. Investimentos em Infraestrutura Ferroviária 2.

Leia mais

Resolução nº 4597, de 11 de fevereiro de 2015

Resolução nº 4597, de 11 de fevereiro de 2015 Resolução nº 4597, de 11 de fevereiro de 2015 Institui a Agenda Regulatória no âmbito da Agência Nacional de Transportes Terrestres para o biênio 2015/2016 A Diretoria da Agência Nacional de Transportes

Leia mais

Ministério dos Transportes

Ministério dos Transportes Ministério dos Transportes Os 15 anos das Concessões Ferroviárias no Brasil O passaporte para a Competitividade e Desenvolvimento de um País Continental PAULO SÉRGIO PASSOS Ministro de Estado dos Transportes

Leia mais

EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS

EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS Superintendência de Infraestrutura e Serviços de Transporte Ferroviário de Cargas SUFER Gerência de Regulação e Outorga de Infraestrutura e Serviços de Transporte Ferroviário de Carga - GEROF EVOLUÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO PARA OPERAÇÕES DE DIREITO DE PASSAGEM E TRÁFEGO MÚTUO DO SISTEMA FERROVIÁRIO FEDERAL SEÇÃO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

REGULAMENTO PARA OPERAÇÕES DE DIREITO DE PASSAGEM E TRÁFEGO MÚTUO DO SISTEMA FERROVIÁRIO FEDERAL SEÇÃO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS REGULAMENTO PARA OPERAÇÕES DE DIREITO DE PASSAGEM E TRÁFEGO MÚTUO DO SISTEMA FERROVIÁRIO FEDERAL SEÇÃO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Disciplinar os procedimentos relativos ao compartilhamento de infraestrutura

Leia mais

Transporte Ferroviário de Cargas: Balanço e Perspectivas. Aeamesp

Transporte Ferroviário de Cargas: Balanço e Perspectivas. Aeamesp Transporte Ferroviário de Cargas: Balanço e Perspectivas Aeamesp 21.09.17 Nossas associadas Malha ferroviária de carga Movimentação de Carga (milhões de TU) A movimentação de cargas pelas ferrovias cresceu

Leia mais

(Quase) 20 Anos de Concessões Ferroviárias

(Quase) 20 Anos de Concessões Ferroviárias (Quase) 20 Anos de Concessões Ferroviárias Pinheiro IBRE/FGV I Seminário Internacional de Regulação de Ferrovias Rio, 6 de Outubro de 2015 Ciclos do setor ferroviário no Brasil 1º Ciclo: Implantação do

Leia mais

Novas Concessões e Expansão da Malha Rodoviária: Desafios Regulatórios

Novas Concessões e Expansão da Malha Rodoviária: Desafios Regulatórios Novas Concessões e Expansão da Malha Rodoviária: Desafios Regulatórios Caio Mário da Silva Pereira Neto Sócio, Pereira Neto Macedo Advogados Professor de Direito Econômico da DireitoGV Contexto atual Participação

Leia mais

Agenda. Perfil. Investimentos. Projetos de Expansão. Ferrovias no Brasil Modelos Regulatórios

Agenda. Perfil. Investimentos. Projetos de Expansão. Ferrovias no Brasil Modelos Regulatórios V Brasil nos Trilhos Agosto/2012 Agenda Perfil Investimentos Projetos de Expansão Ferrovias no Brasil Modelos Regulatórios Perfil Histórico Principais fatos históricos da ALL Março de 1997 Início das atividades

Leia mais

8º Encontro de Logística e Transportes - FIESP. Roberto Zurli Machado

8º Encontro de Logística e Transportes - FIESP. Roberto Zurli Machado 8º Encontro de Logística e Transportes - FIESP Roberto Zurli Machado Maio, 2013 Agenda Ações do Governo Federal - Logística Atuação do BNDES Ações do Governo Federal Logística Logística e Transportes Posicionamento

Leia mais

OS DESAFIOS DA LOGÍSTICA NO BRASIL

OS DESAFIOS DA LOGÍSTICA NO BRASIL OS DESAFIOS DA LOGÍSTICA NO BRASIL ANIVERSÁRIO DE 15 ANOS DA ANUT SÃO PAULO (07/12/2017) LUIS HENRIQUE T. BALDEZ Presidente Executivo Ambiente Legal Lei das Concessões (nº 8.987/93) Lei dos Portos (nº

Leia mais

SHORT LINES & DIREITO DE PASSAGEM & PASSAGEIROS

SHORT LINES & DIREITO DE PASSAGEM & PASSAGEIROS SHORT LINES & DIREITO DE PASSAGEM & PASSAGEIROS JEAN PEJO 23ª Semana de Tecnologia Metroferroviária MALHA FERROVIÁRIA 1970 Associação Latino-americana de Ferrovias POTENCIAL PARA SHORT LINE MALHA FERROVIÁRIA

Leia mais

EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS

EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS CONCESSIONÁRIAS 1- NOVOESTE Ferrovia Novoeste S.A. 2- FCA Ferrovia Centro-Atlântica S.A. 3- MRS MRS Logística S.A. 4- FTC Ferrovia Tereza Cristina S.A. 5- ALL

Leia mais

Sistema de Custos Operacionais Ferroviários S I C O F

Sistema de Custos Operacionais Ferroviários S I C O F Sistema de Custos Operacionais Ferroviários S I C O F Superintendência de Infraestrutura e Serviços de Transporte Ferroviário de Cargas - SUFER São Paulo, 24 de janeiro de 2017. Roteiro 1. Da Política

Leia mais

ANUT REUNIÃO PLENÁRIA DE 01 DE JULHO DE 2015 PROGRAMA DE INVESTIMENTOS EM LOGÍSTICA FASE 2

ANUT REUNIÃO PLENÁRIA DE 01 DE JULHO DE 2015 PROGRAMA DE INVESTIMENTOS EM LOGÍSTICA FASE 2 ANUT REUNIÃO PLENÁRIA DE 01 DE JULHO DE 2015 PROGRAMA DE INVESTIMENTOS EM LOGÍSTICA FASE 2 PRESSUPOSTOS DO PROGRAMA Aumentar a competitividade da economia; Escoar com eficiência a produção agrícola crescente

Leia mais

Oportunidades de Investimento no Brasil

Oportunidades de Investimento no Brasil Oportunidades de Investimento no Brasil 8º Encontro de Logística e Transportes A Hora do Investimento Privado DINO ANTUNES DIAS BATISTA Ministério dos Transportes Sumário Marinha Mercante PIL Programa

Leia mais

INTEGRAÇÃO FERROVIÁRIA: COLOCANDO A COMPETITIVIDADE NOS TRILHOS

INTEGRAÇÃO FERROVIÁRIA: COLOCANDO A COMPETITIVIDADE NOS TRILHOS INTEGRAÇÃO FERROVIÁRIA: COLOCANDO A COMPETITIVIDADE NOS TRILHOS Wagner Cardoso - Gerente Executivo de Infraestrutura Matheus Castro - Especialista em Políticas e Indústria Gerência Executiva de Infraestrutura

Leia mais

PERSPECTIVA DOS USUÁRIOS DAS FERROVIAS

PERSPECTIVA DOS USUÁRIOS DAS FERROVIAS PERSPECTIVA DOS USUÁRIOS DAS FERROVIAS Alexandre de Mattos Setten Gerente Logística Copersucar 17/Março/06 PERFIL Copersucar Uma Cooperativa Privada: Fundada em 1959 91 associados 30 unidades produtoras

Leia mais

Ferrovias do Nordeste

Ferrovias do Nordeste Ferrovias do Nordeste Agosto 2013 ELABORAÇÃO: TLSA A Transnordestina Logística S/A, antiga Companhia Ferroviária do Nordeste CFN, obteve a concessão da Malha Nordeste SR (Recife), SR (Fortaleza) e SR (São

Leia mais

Carlos Campos Neto

Carlos Campos Neto V BRASIL NOS TRILHOS Investimentos e outras observações sobre o setor ferroviário brasileiro Carlos Campos Neto carlos.campos@ipea.gov.br Setembro de 2012 2 Crise/ajuste fiscal degrada/não amplia estoque

Leia mais

Transporte Ferroviário de Cargas: Balanço e Perspectivas

Transporte Ferroviário de Cargas: Balanço e Perspectivas Transporte Ferroviário de Cargas: Balanço e Perspectivas 36º Seminário de Logística - ABM Week 2017 São Paulo, 04 de Outubro de 2017. Nossas Associadas Malha ferroviária de carga Concessão - Decisão Acertada

Leia mais

FORUM LOGÍSTICA E INFRAESTRUTURA NO AGRONEGÓCIO JORNAL O ESTADO DE SÃO PAULO E CNA

FORUM LOGÍSTICA E INFRAESTRUTURA NO AGRONEGÓCIO JORNAL O ESTADO DE SÃO PAULO E CNA FORUM LOGÍSTICA E INFRAESTRUTURA NO AGRONEGÓCIO JORNAL O ESTADO DE SÃO PAULO E CNA LUIS HENRIQUE T. BALDEZ Presidente Executivo SÃO PAULO, 29 DE MAIO DE 2017 ANUT 15 ANOS DE GESTÃO E RESULTADOS DEFESA

Leia mais

Ministério Transportes

Ministério Transportes Ministério dos Transportes A Importância das Ferrovias para o Desenvolvimento Econômico Brasileiro: Escoamento, Transporte Competitivo, Políticas Públicas e Investimentos Marcelo Perrupato Secretário de

Leia mais

Profissional de logística no setor público Expectativas e Oportunidades

Profissional de logística no setor público Expectativas e Oportunidades Expectativas e Oportunidades Fábio Rogério Carvalho ANTT Piracicaba, 25 de março de 2013 SUMÁRIO 1. Competências da ANTT e da EPL 2. Novo servidor público 3. Profissional de logística no setor público

Leia mais

Concessões RODOVIAS FERROVIAS PORTOS AEROPORTOS

Concessões RODOVIAS FERROVIAS PORTOS AEROPORTOS Concessões RODOVIAS FERROVIAS PORTOS AEROPORTOS Retomada do Planejamento em Logística O Programa de Investimentos em Logística (PIL) é a integração de 2 ações de planejamento do Governo Federal nos últimos

Leia mais

15ª Semana de Tecnologia Metroferroviária

15ª Semana de Tecnologia Metroferroviária 15ª Semana de Tecnologia Metroferroviária Painel 4 Planejamento e Desenvolvimento Tecnológico e Econômico do Setor Metroferroviário Vicente Abate - Presidente da ABIFER São Paulo, 27 de agosto de 2009

Leia mais

V BRASIL NOS TRILHOS. A Expansão da Malha Ferroviária no Brasil. José Eduardo Castello Branco VALEC

V BRASIL NOS TRILHOS. A Expansão da Malha Ferroviária no Brasil. José Eduardo Castello Branco VALEC V BRASIL NOS TRILHOS A Expansão da Malha Ferroviária no Brasil José Eduardo Castello Branco VALEC Temática da apresentação Parte I: expansão da malha ferroviária no Brasil Parte II:open access FASE I:

Leia mais

Panorama das Ferrovias Brasileiras

Panorama das Ferrovias Brasileiras Panorama das Ferrovias Brasileiras Fernanda Rezende Coordenadora de Desenvolvimento do Transporte - CNT 17/10/2017 O Processo de Concessão das Ferrovias Evolução dos investimentos das concessionárias ferroviárias

Leia mais

REUNIÃO GT FERROVIÁRIO. 18/ABRIL/2018 São Paulo

REUNIÃO GT FERROVIÁRIO. 18/ABRIL/2018 São Paulo REUNIÃO GT FERROVIÁRIO 18/ABRIL/2018 São Paulo AGENDA DA REUNIÃO PANORAMA GERAL DO SETOR FERROVIÁRIO ASSUNTOS EM DESENVOLVIMENTO. Prorrogação dos Contratos. Novas concessões TEMAS REGULATÓRIOS. Agenda

Leia mais

A COMPETITIVIDADE DA LOGÍSTICA BRASILEIRA PALESTRA NA ABM WEEK SÃO PAULO (04/10/2017)

A COMPETITIVIDADE DA LOGÍSTICA BRASILEIRA PALESTRA NA ABM WEEK SÃO PAULO (04/10/2017) A COMPETITIVIDADE DA LOGÍSTICA BRASILEIRA SEUS IMPACTOS E PERSPECTIVAS PALESTRA NA ABM WEEK SÃO PAULO (04/10/2017) LUIS HENRIQUE T. BALDEZ Presidente Executivo POSICIONAMENTO ESTRATÉGICO COMO ESTAMOS HOJE

Leia mais

A visão do usuário. José de Freitas Mascarenhas. 11 de junho de Vice-Presidente da CNI e Presidente do Conselho de Infra-Estrutura.

A visão do usuário. José de Freitas Mascarenhas. 11 de junho de Vice-Presidente da CNI e Presidente do Conselho de Infra-Estrutura. A visão do usuário José de Freitas Mascarenhas Vice-Presidente da CNI e Presidente do Conselho de Infra-Estrutura da CNI 11 de junho de 2008 ROTEIRO 1. Reestruturação do setor 2. A atual demanda das ferrovias

Leia mais

APRESENTAÇÃO RELATÓRIO EXECUTIVO 2017

APRESENTAÇÃO RELATÓRIO EXECUTIVO 2017 O conteúdo desta publicação possui caráter meramente informativo e foi integralmente obtido a partir dos dados enviados mensalmente pelas concessionárias ferroviárias através do Sistema de Acompanhamento

Leia mais

Malha Ferroviária de São Paulo Proposta de Antecipação da Prorrogação do Contrato da Malha Paulista

Malha Ferroviária de São Paulo Proposta de Antecipação da Prorrogação do Contrato da Malha Paulista Malha Ferroviária de São Paulo Proposta de Antecipação da Prorrogação do Contrato da Malha Paulista Proposta de Abordagem do Grupo de Concessão da Frente Parlamentar 1. A questão A forma como está ocorrendo

Leia mais

Procedimentos de operações de direito de passagem e tráfego mútuo, visando à integração do Sistema Ferroviário Federal.

Procedimentos de operações de direito de passagem e tráfego mútuo, visando à integração do Sistema Ferroviário Federal. Procedimentos de operações de direito de passagem e tráfego mútuo, visando à integração do Sistema Ferroviário Federal. CONSIDERANDO que o art. 25, inciso V, da Lei nº 10.233, de 2001, estabelece como

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES SINALIZAÇÃO E SEGURANÇA NO TRANSPORTE FERROVIÁRIO

AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES SINALIZAÇÃO E SEGURANÇA NO TRANSPORTE FERROVIÁRIO AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES SINALIZAÇÃO E SEGURANÇA NO TRANSPORTE FERROVIÁRIO São Paulo 14 de Agosto de 2007 HISTÓRICO DO SETOR FERROVIÁRIO DE TRANSPORTES - ATÉ A DÉCADA DE 40: FERROVIA

Leia mais

A integração do sistema ferroviário nacional após a Lei /2017. Belo Horizonte, 3 de julho de 2017

A integração do sistema ferroviário nacional após a Lei /2017. Belo Horizonte, 3 de julho de 2017 A integração do sistema ferroviário nacional após a Lei 13.448/2017 Belo Horizonte, 3 de julho de 2017 1 2 3 4 5 O Sistema Ferroviário Nacional Prorrogação dos contratos O direito de passagem Obstáculos

Leia mais

HIDROVIAS E SUA LOGÍSTICA PARTE 2. Os desafios e perspectivas do transporte ferroviário no Brasil

HIDROVIAS E SUA LOGÍSTICA PARTE 2. Os desafios e perspectivas do transporte ferroviário no Brasil HIDROVIAS E SUA LOGÍSTICA PARTE 2 Os desafios e perspectivas do transporte ferroviário no Brasil Vicente Abate - Presidente da ABIFER São Paulo, 18 de setembro de 2014 ABIFER, há mais de 37 anos ABIFER

Leia mais

V Brasil nos Trilhos 2012

V Brasil nos Trilhos 2012 V Brasil nos Trilhos 2012 15 anos de concessão, o que fazer até 2030 A atuação do BNDES para a evolução do setor ferroviário no Brasil: histórico do apoio, investimentos futuros e novos desafios Roberto

Leia mais

III VALEC VALEC SUMÁRIO. Constituição Competências

III VALEC VALEC SUMÁRIO. Constituição Competências Gramado 2013 SUMÁRIO I VALEC Constituição Competências II III Estudos e Projetos Panorama/Chapecó Chapecó/Rio Grande Itajaí /Chapecó/Dionísio Cerqueira Lucas do Rio Verde/Vilhena Vilhena/Porto Velho Obras

Leia mais

Tecnologias e Interoperabilidade no Transporte Ferroviário

Tecnologias e Interoperabilidade no Transporte Ferroviário Tecnologias e Interoperabilidade no Transporte Ferroviário Guilherme Quintella Chairman UIC South America 13 de Setembro de 2012 UIC União Internacional de Ferrovias» Fundada em 1922 com sede em Paris»

Leia mais

COSAN DAY 2013 JULIO FONTANA

COSAN DAY 2013 JULIO FONTANA COSAN DAY 2013 JULIO FONTANA 2 DISCLAIMER Esta apresentação contém estimativas e declarações sobre operações futuras a respeito de nossa estratégia e oportunidades de crescimento futuro. Essas informações

Leia mais

PROVA OBJETIVA. 6 Os contratos impõem aos concessionários as seguintes. 7 Uma das grandes inovações desse programa refere-se à

PROVA OBJETIVA. 6 Os contratos impõem aos concessionários as seguintes. 7 Uma das grandes inovações desse programa refere-se à De acordo com o comando a que cada um dos itens a seguir se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com o

Leia mais

1º CONGRESSO BRASILEIRO DE DIREITO PÚBLICO DA INFRAESTUTURA O REGIME JURÍDICO DO SETOR PORTUÁRIO BRASILEIRO O QUE AS LICITAÇÕES E CONTRATOS ATUAIS

1º CONGRESSO BRASILEIRO DE DIREITO PÚBLICO DA INFRAESTUTURA O REGIME JURÍDICO DO SETOR PORTUÁRIO BRASILEIRO O QUE AS LICITAÇÕES E CONTRATOS ATUAIS 1º CONGRESSO BRASILEIRO DE DIREITO PÚBLICO DA INFRAESTUTURA O REGIME JURÍDICO DO SETOR PORTUÁRIO BRASILEIRO O QUE AS LICITAÇÕES E CONTRATOS ATUAIS TÊM DE NOVO? Mário Povia - Diretor-Geral da ANTAQ Brasília,

Leia mais

Serviços de consultoria e engenharia para o setor de logística de transportes:

Serviços de consultoria e engenharia para o setor de logística de transportes: PERFIL EMPRESARIAL Fundada em 1995 por um grupo de especialistas com ampla experiência no setor de transportes, a SYSFER iniciou suas atividades realizando projetos de consultoria de engenharia e de desenvolvimento

Leia mais

Marco Regulatório e Estrutura Regulatória dos Transportes Terrestres Rodoviários

Marco Regulatório e Estrutura Regulatória dos Transportes Terrestres Rodoviários Marco Regulatório e Estrutura Regulatória dos Transportes Terrestres Rodoviários Ciclo de Palestras Regulação Setorial: os modelos regulatórios brasileiros Fernando Barbelli Feitosa Brasília - 05.09.2014

Leia mais

REUNIÃO TÉCNICA TEMA: AGENDA REGULATÓRIA DO SETOR FERROVIÁRIO

REUNIÃO TÉCNICA TEMA: AGENDA REGULATÓRIA DO SETOR FERROVIÁRIO REUNIÃO TÉCNICA TEMA: AGENDA REGULATÓRIA DO SETOR FERROVIÁRIO SÃO PAULO, 22 DE SETEMBRO DE 2015 Luis Henrique T. Baldez Presidente Executivo OBJETIVOS DA REUNIÃO Uniformizar informações; Apresentar a Agenda

Leia mais

Cidadãos Inteligentes

Cidadãos Inteligentes Cidadãos Inteligentes Senador Walter Pinheiro Março/2015 Agenda O panorama brasileiro Oportunidades Smart People 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 Panorama 8.00 6.00 4.00

Leia mais

A indústria metroferroviária brasileira - investimentos e perspectivas

A indústria metroferroviária brasileira - investimentos e perspectivas A indústria metroferroviária brasileira - investimentos e perspectivas 7º Seminário sobre Ferrovias: Mobilização da Indústria para o Desenvolvimento do Setor Ferroviário Vicente Abate - Presidente da ABIFER

Leia mais

Superintendência de Serviços de Transporte de Passageiros SUPAS. 17ª Semana de Tecnologia Metroferroviária. São Paulo - SP

Superintendência de Serviços de Transporte de Passageiros SUPAS. 17ª Semana de Tecnologia Metroferroviária. São Paulo - SP Superintendência de Serviços de Transporte de Passageiros SUPAS 17ª Semana de Tecnologia Metroferroviária São Paulo - SP Sonia Rodrigues Haddad Setembro de 2011 Painel 6 -Trens Turísticos e sua Importância

Leia mais

Reunião do COINFRA / FIESP

Reunião do COINFRA / FIESP Brasília, 09 de março de 2016 Reunião do COINFRA / FIESP Fernando Paes Diretor-Executivo www.antf.org.br ASSOCIADAS Malhas Sul, Oeste, Norte e Paulista www.rumoall.com Malhas Centro-Leste (FCA) e Tramo

Leia mais

OFICINA DE TRABALHO PATRIMÔNIO

OFICINA DE TRABALHO PATRIMÔNIO OFICINA DE TRABALHO PATRIMÔNIO GESTÃO DOS BENS FERROVIÁRIOS: Problemática Existente e Propostas de Solução Cássia Malacarne Oliveira Coordenadora do Comitê de Patrimônio da ANTF Brasília, 04 de Setembro

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 3.696/11, DE 14 DE JULHO DE 2011

RESOLUÇÃO Nº 3.696/11, DE 14 DE JULHO DE 2011 Aprova o Regulamento para Pactuar as Metas de Produção por Trecho e as Metas de Segurança para as Concessionárias de Serviço Público de Transporte Ferroviário de Cargas. A Diretoria da Agência Nacional

Leia mais

NOVAS CONCESSÕES E A EXPANSÃO DA MALHA RODOVIÁRIA. 8º Encontro de Logística e Transportes

NOVAS CONCESSÕES E A EXPANSÃO DA MALHA RODOVIÁRIA. 8º Encontro de Logística e Transportes NOVAS CONCESSÕES E A EXPANSÃO DA MALHA RODOVIÁRIA 8º Encontro de Logística e Transportes São Paulo, 7 de maio de 2013 PROGRAMA DE INVESTIMENTOS EM LOGÍSTICA RODOVIAS 3ª Etapa do Programa de Concessões

Leia mais

OS USUÁRIOS E O SETOR FERROVIÁRIO BRASILEIRO

OS USUÁRIOS E O SETOR FERROVIÁRIO BRASILEIRO OS USUÁRIOS E O SETOR FERROVIÁRIO BRASILEIRO PRODUTIVIDADE, LUCRATIVIDADE E REGULAÇÃO ENGº LUIS HENRIQUE T. BALDEZ PRESIDENTE EXECUTIVO DA ANUT CÂMARA TEMÁTICA DE INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA DO AGRONEGÓCIO/MAPA

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 3.696, DE 14 DE JULHO DE Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação.

RESOLUÇÃO Nº 3.696, DE 14 DE JULHO DE Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. Informativo da Confederação Nacional da Indústria Ano I - Número 204- Julho de 2011 - www.cni.org.br DOU Nº 138, Seção 1, 20/07/2011 MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES

Leia mais

A VALEC e o novo modelo de concessões

A VALEC e o novo modelo de concessões A VALEC e o novo modelo de concessões INTRODUÇÃO TRANSPORTE FERROVIÁRIO ATUAL NOVO MODELO DE EXPLORAÇÃO DE FERROVIAS DESAFIOS PARA A VALEC Concessões de Ferrovias Regras e Riscos do Novo Modelo 0,003 0,005

Leia mais

Infraestrutura e Logística Reflexos na Competitividade

Infraestrutura e Logística Reflexos na Competitividade Infraestrutura e Logística Reflexos na Competitividade Enaex Agosto, 2013 Luciano Coutinho Presidente 1 Brasil apresenta fundamentos compatíveis com o crescimento sustentável de Longo Prazo País possui

Leia mais

comum natural contraprestação

comum natural contraprestação CONCESSÕES E PPP NO FINANCIAMENTO DOS TRANSPORTES 2 1. O Projeto BR 116/423 1. Minuta do edital 2. Estudo de Viabilidade da PPP 3. Concessão patrocinada 4. Concessão administrativa 2. A escolha da concessão

Leia mais

PPPs Municipais Fundamentos, Desafios e Oportunidades

PPPs Municipais Fundamentos, Desafios e Oportunidades PPPs Municipais Fundamentos, Desafios e Oportunidades André Dabus 22/09/2016 Agenda Entregas da Administração Publica: Cenário atual - Infraestrutura no Brasil; Desafios; Oportunidades; Licitações : Aspectos

Leia mais

O Modelo para a Malha Ferroviária Nacional: Investimentos, Oportunidades e Troca de Experiências

O Modelo para a Malha Ferroviária Nacional: Investimentos, Oportunidades e Troca de Experiências O Modelo para a Malha Ferroviária Nacional: Investimentos, Oportunidades e Troca de Experiências Brasil nos trilhos, setembro/2012 Apresentação do Secretário do PAC Máurício Muniz Imperativos para o desenvolvimento

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 3.695, DE 14 DE JULHO DE Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação.

RESOLUÇÃO Nº 3.695, DE 14 DE JULHO DE Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. Informativo da Confederação Nacional da Indústria Ano I - Número 202- Julho de 2011 - www.cni.org.br DOU Nº 138, Seção 1, 20/07/2011 MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES

Leia mais

R$ 50,8 bilhões em INVESTIMENTOS (R$ 10

R$ 50,8 bilhões em INVESTIMENTOS (R$ 10 R$ 50,8 bilhões em INVESTIMENTOS (R$ 10 (R$ 10 bi investidos pela RFFSA 80-96) 176% de aumento do número de LOCOMOTIVAS (3.182 em 2015) 135% de aumento do número de VAGÕES (103.098 em 2015) 142% de aumento

Leia mais

A INDÚSTRIA NAVAL E PORTOS REALIDADES E PERSPECTIVAS A ampliação do Porto do Rio de Janeiro

A INDÚSTRIA NAVAL E PORTOS REALIDADES E PERSPECTIVAS A ampliação do Porto do Rio de Janeiro A INDÚSTRIA NAVAL E PORTOS REALIDADES E PERSPECTIVAS A ampliação do Porto do Rio de Janeiro Rio de Janeiro, RJ 20 de setembro de 2008 Richard Klien Milhões de toneladas Avança a contêinerização no comércio

Leia mais

RUMO. Planos, Projetos, Investimentos e Prorrogação das Concessões SIMEFRE

RUMO. Planos, Projetos, Investimentos e Prorrogação das Concessões SIMEFRE RUMO Planos, Projetos, Investimentos e Prorrogação das Concessões SIMEFRE - 2018 / AGENDA 1 2 3 4 5 A RUMO A MALHA PAULISTA INVESTIMENTOS NECESSÁRIOS BENEFÍCIOS DA PRORROGAÇÃO ANTECIPADA DEMAIS PROJETOS

Leia mais

SEMINÁRIO AMBIENTE DE NEGÓCIOS:

SEMINÁRIO AMBIENTE DE NEGÓCIOS: SEMINÁRIO AMBIENTE DE NEGÓCIOS: SEGURANÇA JURÍDICA, TRANSPARÊNCIA E SIMPLICIDADE Sérgio Guerra Mudanças institucionais nas contratações públicas 23 de setembro de 2016 REGIMES DE CONTRATAÇÕES 1993 Licitações

Leia mais

O TRANSPORTE FERROVIÁRIO EM ANGOLA - SITUAÇÃO ACTUAL E PERSPECTIVAS DE DESENVOLVIMENTO

O TRANSPORTE FERROVIÁRIO EM ANGOLA - SITUAÇÃO ACTUAL E PERSPECTIVAS DE DESENVOLVIMENTO A MISSÃO DO REGULADOR FERROVIÁRIO HOJE E NUM CONTEXTO DE UMA REDE ONDE PODERÃO CIRCULAR MÚLTIPLOS OPERADORES FERROVIÁRIOS DECRETO PRESIDENCIAL 195/10 SEMINÁRIO O TRANSPORTE FERROVIÁRIO EM ANGOLA - SITUAÇÃO

Leia mais

LOGÍSTICA DE TRANSPORTES DE CARGAS

LOGÍSTICA DE TRANSPORTES DE CARGAS LOGÍSTICA DE TRANSPORTES DE CARGAS Jean Carlos Pejo J C PEJO CONSUTORES ASSOCIADOS S/C LTDA Mapa da Produção de Soja no Brasil Projeção da Produção de Soja no Brasil Safra Produção Exportação 2009/2010

Leia mais

ESTRUTURA INSTITUCIONAL ANTT MAIO/2011

ESTRUTURA INSTITUCIONAL ANTT MAIO/2011 ESTRUTURA INSTITUCIONAL ANTT MAIO/2011 TEMAS ESTRUTURA/ORGANOGRAMA DA ANTT DIRETORIA (composição e relação com grupos de interesse) PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO (Informações) SISTEMA DE INFORMAÇÃO ( Gerenciamento,

Leia mais

O papel da CAIXA na Estruturação e Modelagem de Parcerias Público Privadas. Roberto Derziê de Sant Anna Vice-Presidente de Governo

O papel da CAIXA na Estruturação e Modelagem de Parcerias Público Privadas. Roberto Derziê de Sant Anna Vice-Presidente de Governo E O papel da CAIXA na Estruturação e Modelagem de Parcerias Público Privadas Roberto Derziê de Sant Anna Vice-Presidente de Governo Cenário atual das Concessões e PPP no Brasil 101 Contratos de PPP assinados

Leia mais

18ª Semana da Tecnologia Ferroviária AEAMESP PAINEL TRENS REGIONAIS

18ª Semana da Tecnologia Ferroviária AEAMESP PAINEL TRENS REGIONAIS 18ª Semana da Tecnologia Ferroviária AEAMESP 18ª Semana da Tecnologia Ferroviária AEAMESP TRENS DE PASSAGEIROS NO MUNDO PAÍS BILHÕES DE PASSAGEIROS KM BILHÕES DE PASSAGEIROS CHINA 961 1,86 INDIA 925 8,03

Leia mais

Lisboa, 13 de Novembro de 2012 João Cantiga Esteves

Lisboa, 13 de Novembro de 2012 João Cantiga Esteves As PPP Análise Crítica Irrealismo, Desorçamentação e Má Gestão Lisboa, 13 de Novembro de 2012 João Cantiga Esteves PORTUGAL PPP: Irrealismo, Desorçamentação e Gestão Deficiente DEFINIÇÃO PROBLEMAS EVOLUÇÃO

Leia mais

MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES Secretaria-Executiva Inventariança da extinta Rede Ferroviária Federal S.A. - RFFSA. A Inventariança da extinta RFFSA

MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES Secretaria-Executiva Inventariança da extinta Rede Ferroviária Federal S.A. - RFFSA. A Inventariança da extinta RFFSA MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES Secretaria-Executiva Inventariança da extinta Rede Ferroviária Federal S.A. - RFFSA A Inventariança da extinta RFFSA setembro / 2012 1 - A REDE FERROVIÁRIA FEDERAL S.A. MALHA

Leia mais

SETOR DE TELECOMUNICAÇÕES

SETOR DE TELECOMUNICAÇÕES SETOR DE TELECOMUNICAÇÕES NO BRASIL AUDIÊNCIA PÚBLICA NA CÂMARA DOS DEPUTADOS ALEXANDER CASTRO BRASÍLIA, 1º DE MARÇO DE 2016 Solução para novo modelo de telecomunicações precisa garantir a estabilidade

Leia mais

61 RODOVIAS CONCEDIDAS 59 CONCESSIONÁRIAS ASSOCIADAS kms DE MALHA CONCEDIDA (9,6% DO TOTAL DE RODOVIAS PAVIMENTADAS)

61 RODOVIAS CONCEDIDAS 59 CONCESSIONÁRIAS ASSOCIADAS kms DE MALHA CONCEDIDA (9,6% DO TOTAL DE RODOVIAS PAVIMENTADAS) SIMEA 2015 São Paulo Agosto 2015 61 RODOVIAS CONCEDIDAS 21 federais 38 estaduais 2 municipais 59 CONCESSIONÁRIAS ASSOCIADAS 20 federais 37 estaduais 2 municipais 19.683 kms DE MALHA CONCEDIDA (9,6% DO

Leia mais

DESAFIOS DA INFRAESTRUTURA LOGÍSTICA DO BRASIL RODOVIAS, FERROVIAS E PORTOS. APRESENTAÇÃO NA ABM WEEK Rio de Janeiro/RJ, 27set2016

DESAFIOS DA INFRAESTRUTURA LOGÍSTICA DO BRASIL RODOVIAS, FERROVIAS E PORTOS. APRESENTAÇÃO NA ABM WEEK Rio de Janeiro/RJ, 27set2016 DESAFIOS DA INFRAESTRUTURA LOGÍSTICA DO BRASIL RODOVIAS, FERROVIAS E PORTOS APRESENTAÇÃO NA ABM WEEK Rio de Janeiro/RJ, 27set2016 LUIS HENRIQUE T. BALDEZ Presidente Executivo ABORDAGEM SETORIAL GARGALOS

Leia mais

PPPs: Experiência e Programas a Desenvolver no Brasil.

PPPs: Experiência e Programas a Desenvolver no Brasil. PPPs: Experiência e Programas a Desenvolver no Brasil. Histórico PPP Associações entre os setores público e privado; As primeiras PPPs foram aplicadas há algumas décadas, no Reino Unido; No Brasil a Parceria

Leia mais

MRS Logística. Negócios nos Trilhos. Nov

MRS Logística. Negócios nos Trilhos. Nov MRS Logística Negócios nos Trilhos Nov - 2011 Quem somos Concessionária Pública de Transporte Ferroviário, que interliga os três principais centros industriais do país: São Paulo, Rio de Janeiro e Minas

Leia mais

SETOR PORTUÁRIO NOVO MARCO REGULATÓRIO

SETOR PORTUÁRIO NOVO MARCO REGULATÓRIO SETOR PORTUÁRIO NOVO MARCO REGULATÓRIO Licitação - Como funciona o processo de outorga das autorizações dos terminais privados? Mudanças Institucionais promovidas pela Lei 12.815/2013. Junho/2013 1 Licitação:

Leia mais

Regulação e Antitruste no Setor Portuário frente às inovações da Lei n /13 Victor Oliveira Fernandes

Regulação e Antitruste no Setor Portuário frente às inovações da Lei n /13 Victor Oliveira Fernandes Regulação e Antitruste no Setor Portuário frente às inovações da Lei n. 12.815/13 Victor Oliveira Fernandes Regulação e Concorrência: o planejamento de mercados Aproximações e distanciamentos Importância

Leia mais

22ª Semana de Tecnologia Metroferroviária

22ª Semana de Tecnologia Metroferroviária REATIVAÇÃO OPERACIONAL DE LINHAS FERROVIÁRIAS Eng. Jean Carlos Pejo 22ª Semana de Tecnologia Metroferroviária REATIVAÇÃO OPERACIONAL DE LINHAS FERROVIÁRIAS PRINCIPAIS STAKEHOLDERS Governo Agencia Reguladora

Leia mais

O NOVO MODELO DE CONCESSÃO DE FERROVIAS

O NOVO MODELO DE CONCESSÃO DE FERROVIAS O NOVO MODELO DE CONCESSÃO DE FERROVIAS REGULAÇÃO DO OPERADOR FERROVIÁRIO INDEPENDENTE (OFI) EXPOSIÇÃO NA CTLOG / MAPA BRASÍLIA, 07 DE MAIO DE 2014 Luis Henrique T. Baldez Presidente Executivo OBJETIVOS

Leia mais

Fernando Fonseca. Diretor Geral Substituto

Fernando Fonseca. Diretor Geral Substituto Fernando Fonseca Diretor Geral Substituto São Paulo, 24 de fevereiro de 2016 Concessão Porto Organizado Total/Parcial de Porto Organizado = Flexibilidade do modelo Direito de exploração de Instalação Portuária

Leia mais

TEMA: AVALIAÇÃO DAS MODELAGENS DOS PROCESSOS DE CONCESSÃO DE RODOVIAS E FERROVIAS

TEMA: AVALIAÇÃO DAS MODELAGENS DOS PROCESSOS DE CONCESSÃO DE RODOVIAS E FERROVIAS TEMA: AVALIAÇÃO DAS MODELAGENS DOS PROCESSOS DE CONCESSÃO DE RODOVIAS E FERROVIAS ANÁLISES E PROPOSIÇÕES APRESENTAÇÃO NA FIESP/SP, EM 11/MAIO/2016 LUIS HENRIQUE T. BALDEZ Presidente Executivo ESTRUTURA

Leia mais

Opinião. Rafael Barros Pinto de Souza Engenheiro Civil. 07 de junho de O que as ferrovias têm a ver com a economia de um país?

Opinião. Rafael Barros Pinto de Souza Engenheiro Civil. 07 de junho de O que as ferrovias têm a ver com a economia de um país? O que as ferrovias têm a ver com a economia de um país? Rafael Barros Pinto de Souza Engenheiro Civil Nos últimos 50 anos, as ferrovias brasileiras vem sofrendo com a falta de investimento na construção

Leia mais

PAINEL 11 PROJETOS DE AMPLIAÇÃO E MODERNIZAÇÃO DE TRANSPORTE SOBRE TRILHOS EM CURSO NO BRASIL GEORGE FARIA EGIS-VEGA

PAINEL 11 PROJETOS DE AMPLIAÇÃO E MODERNIZAÇÃO DE TRANSPORTE SOBRE TRILHOS EM CURSO NO BRASIL GEORGE FARIA EGIS-VEGA PAINEL 11 PROJETOS DE AMPLIAÇÃO E MODERNIZAÇÃO DE TRANSPORTE SOBRE TRILHOS EM CURSO NO BRASIL GEORGE FARIA EGIS-VEGA Projeto Metrô de Salvador 20ª Semana de Tecnologia Metroferroviária AEAMESP São Paulo,

Leia mais

Ciclo de Palestras DIREITO SETORIAL E REGULATÓRIO Transportes Terrestres

Ciclo de Palestras DIREITO SETORIAL E REGULATÓRIO Transportes Terrestres Ciclo de Palestras DIREITO SETORIAL E REGULATÓRIO Transportes Terrestres Fernando Barbelli Feitosa Brasília - 9.09.2016 Sumário I. Transportes Terrestres II. Configuração Física Serviços e Infraestruturas

Leia mais

A logística brasileira não pode prescindir da ferrovia

A logística brasileira não pode prescindir da ferrovia XXII CONFERÊNCIA NACIONAL DE LOGÍSTICA A logística brasileira não pode prescindir da ferrovia Vicente Abate Presidente da ABIFER São Paulo, 21 de março de 2019 ABIFER, há mais de 40 anos SOBRE A ABIFER

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/leis_2001/.htm Página 1 de 41 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI N o 10.233, DE 5 DE JUNHO DE 2001. Mensagem de Veto Regulamento

Leia mais

TRANSPORTE RODOVIÁRIO RIO ALARGAR OS HORIZONTES AS OBRIGAÇÕES 29.MAIO.2008 ADVOGADOS

TRANSPORTE RODOVIÁRIO RIO ALARGAR OS HORIZONTES AS OBRIGAÇÕES 29.MAIO.2008 ADVOGADOS TRANSPORTE RODOVIÁRIO RIO ALARGAR OS HORIZONTES AS OBRIGAÇÕES DE SERVIÇO O PÚBLICOP 29.MAIO.2008 AS OBRIGAÇÕES DE SERVIÇO O PÚBLICOP 1. NOÇÃO E MODALIDADES 2. EVOLUÇÃO DO QUADRO JURÍDICO 3. A SOLUÇÃO DO

Leia mais

(National Oceanic and Atmospheric Administration) Ben Schmidt, Northeastern University

(National Oceanic and Atmospheric Administration) Ben Schmidt, Northeastern University (National Oceanic and Atmospheric Administration) Ben Schmidt, Northeastern University (National Oceanic and Atmospheric Administration) Ben Schmidt, Northeastern University Arranjos Federativos;

Leia mais

AVALIAÇÃO DA POLÍTICA DE PRORROGAÇÃO ANTECIPADA DAS CONCESSÕES FERROVIÁRIAS. Março de 2018

AVALIAÇÃO DA POLÍTICA DE PRORROGAÇÃO ANTECIPADA DAS CONCESSÕES FERROVIÁRIAS. Março de 2018 AVALIAÇÃO DA POLÍTICA DE PRORROGAÇÃO ANTECIPADA DAS CONCESSÕES FERROVIÁRIAS Março de 2018 Sumário 1. Contextualizando o setor de ferrovias 2. O objeto do Estudo 3. Vantagens e desvantagens do modelo de

Leia mais

PPP integral Regulação e fiscalização. Comissão de Monitoramento das Concessões e Permissões CMCP

PPP integral Regulação e fiscalização. Comissão de Monitoramento das Concessões e Permissões CMCP PPP integral Regulação e fiscalização Comissão de Monitoramento das Concessões e Permissões CMCP Linha 4: primeira linha de metrô implantada em modelo de PPP. Poder concedente responsável por: Obras civis

Leia mais

SISTEMAS DE PAGAMENTOS e INDICADORES DE QUALIDADE DE SERVIÇOS em CONCESSÕES e PPPs

SISTEMAS DE PAGAMENTOS e INDICADORES DE QUALIDADE DE SERVIÇOS em CONCESSÕES e PPPs SISTEMAS DE PAGAMENTOS e INDICADORES DE QUALIDADE DE SERVIÇOS em CONCESSÕES e PPPs CONCESSÕES PPPs LEGISLAÇÃO APLICÁVEL: Lei n 8.987/1995 Lei n 11.079/2004 e Lei nº 12.766/2012 Objetivos: atrair investimentos

Leia mais

PPI em maio de 2016 coordenar e supervisionar as concessões e privatizações Conselho do PPI é o órgão colegiado

PPI em maio de 2016 coordenar e supervisionar as concessões e privatizações Conselho do PPI é o órgão colegiado O que é o PPI? O Programa de Parcerias de Investimentos(PPI) foi lançado, em maio de 2016, com o objetivo de coordenar e supervisionar as concessões e privatizações de projetos de infraestrutura do Governo

Leia mais

Programa Paulista de Concessões. Dr. Rodrigo José Oliveira Pinto de Campos Diretor de Assuntos Institucionais da ARTESP

Programa Paulista de Concessões. Dr. Rodrigo José Oliveira Pinto de Campos Diretor de Assuntos Institucionais da ARTESP Programa Paulista de Concessões Dr. Rodrigo José Oliveira Pinto de Campos Diretor de Assuntos Institucionais da ARTESP Foz do Iguaçu, 13 de Maio de 2016 Sobre a ARTESP Criada pela Lei Complementar nº 914,

Leia mais