Discussão Técnica sobre Ferrovias no Paraná

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Discussão Técnica sobre Ferrovias no Paraná"

Transcrição

1 Discussão Técnica sobre Ferrovias no Paraná

2

3

4 Macro fluxos Logísticos Conexões Marítimas e Matriz de Transportes Pretendida 2025 (PNLP) Ponto de Ruptura Fluxo Norte e Sul Matriz de Transportes - PNLP Fluxo de Cargas Predominante Valor Agregado e Granéis Valor Agregado e Granes Volumes de Granéis

5 Fluxo de Produção e Logístico Zona de Produção 80% Grãos e Logística de Escoamento de 90% Agronegócio Ponto de Ruptura Fluxo Norte e Sul 23,0% 6,2% Maracaju 11,0% 4,1% Norte / Sul Porto de Paranaguá 2 Porto + 41,1 Milhões/T Movimenta 40% Granéis Agrícolas do Brasil; 40% Grãos (Exportação) e 57% Fertilizantes (Importação) Mais 20 anos s/ investimentos estruturantes; Maior Infraestrutura Terrestre do país (4 milhões de toneladas de capacidade em Silos, armazéns, etc.); Necessidade Construção de novos berços (Governo Federal); Necessidade - Dragagem de Aprofundamento (Governo Federal); Investimentos impactam diretamente na Redução dos Custos Portuários. Ferrovia O custo Transporte Ferroviário é 22 % inferior ao Rodoviário; Proposta via Mafra aumenta em +130 km o acesso ao Porto de Paranaguá; +130 km percurso - Neutralizará o benefício do frete Ferroviário; Proposta via Mafra trará pressão de aumento Frete Ferroviário e Rodoviário; Necessidade Traçado compatível as necessidades do PR, MS e MT; Melhor traçado/maior Investimento = Menor Distancias/Menor Custo; Melhor traçado agora = Redução custos logísticos próximos 100 anos. Ranking Brasil e Mov. Granéis Guaíra 19,3% Cascavel Mafra Paranaguá Santos 1 Porto - 43% Mov. Granéis 2 Porto - 40% Mov. Granéis Tendências de Mercado Todos cenários apontam crescimento Norte / Sul 3,8% S. Francisco 7 Porto - 7% Mov. Granéis 11,6% Rio Grande 3 Porto - 10% Mov. Granéis

6 INVESTIMENTOS PREVISTOS PARA O PORTO DE PARANAGUÁ / TIPO VALOR (R$ MILHÕES) Até TOTAL Investimentos Governo Federal Investimentos Privados Investimentos Privados Green Field Novos Arrendamentos Novos Investimentos Privados TOTAL Nota: PDZPO aprovado em agosto de 2012 Programa de arrendamentos será apresentado em setembro de 2012

7 PROPOSTA PARANAENSE NORTE - SUL MARACAJÚ-ENG. BLEY - PARANAGUÁ CONTORNO EXTREMO OESTE DE CURITIBA MAFRA P/ CHAPECÓ CONTORNO EXT.OESTE CTBA

8 PROPOSTA DA NOVA FERROVIA MARACAJU-LITORAL /PR Eng. Bley Curitiba PR Guaratuba Mafra Rio Negro SC Garuva

9 FERROVIA NORTE SUL (Panorama/SP Chapecó/SC Rio Grande/RS) Proponente Traçado Bitola Vantagens Desvantagens Governo Federal Não Definido Mista Ligação com o Centro-Oeste e o Rio Grande do Sul Macrologística Maringá Campo Mourão Laranjeiras do Sul Pato Branco Indefinido Traçado de menor distância (425 km) Cascavel, importante nó de interconexão de cargas fica fora da rota da Norte-Sul, reduzindo as cargas da rede. Paraná Maringá Campo Mourão Cascavel Sudoeste do Paraná Mista Conexão Cascavel Campo Mourão (importante polo concentrador de grãos); Melhor Topografia para Construção; Aproveitamento da estrutura ferroviária já existente (pátios, armazéns, moegas, operadores) Aumento da distância entre Maringá e Chapecó. (485km, ou 14% a mais que a alternativa por Laranjeiras do Sul)

10 FERROVIA MARACAJU LITORAL/PR Proponente Traçado Bitola Vantagens Desvantagens Governo Federal Maracaju Guaíra Cascavel Guarapuava Engenheiro Bley Mafra S. F. do Macrologística Sul Paranaguá Mista Indefinido Não identificadas Aumento da distância entre Guarapuava e Paranaguá em 130km (20% a mais no frete); Problemas Ambientais; Severas restrições à expansão do Porto de S. F. do Sul; aumento do transit time, menor velocidade operacional; necessidade de transbordos de cargas. Paraná Maracaju Guaíra Cascavel Guarapuava Engenheiro Bley RMC Paranaguá Mista Menor distância (400 km); Frete mais barato; Redução da sobrecarga na BR-277; melhoria da regularidade das cargas, redução do transit time, melhoria das condições ambientais urbanas em Paranaguá; Menor impacto ambiental Não identificadas

11 COMPARAÇÃO DAS ALTERNATIVAS DE TRANSPORTE ENTRE GUARAPUAVA E PARANAGUÁ VARIÁVEIS RODOVIÁRIO Via Mafra e S. F. do Sul FERROVIÁRIO Nova Ferrovia Distância (km) Custo do Frete (R$/t)* 28,36 14,33 8,76 Velocidade Média Operacional (km/h) Transit Time (horas) 6:30 19:20 6:50 Emissão aprox.de CO 2 (por mil t.) Implantação de 3º trilho (bitola mista) Características do Traçado na Serra 10,5 t 4,6 t 3,6 t Não se aplica Inviável no atual traçado Possível Não se aplica Rampas de 3,8% e raios de curva de 78 metros Rampas de 1,5% e raios de curva de 600 metros * Estimativas realizadas considerando o custo e não o preço do frete, que varia de acordo com o mercado

12 Proposta do Governo Federal para as Ferrovias da Região Sul Maracaju Maringá SP Cascavel Eng. Bley Paranaguá Mafra S. F. do Sul Chapecó Bitola Métrica Bitola Mista RS Bitola Larga

13 DIFICULDADES TÉCNICAS NA IMPLANTAÇÃO DO BINÁRIO A Ferrovia Mafra - São Francisco do Sul apresentação severas limitações em seu traçado; Raios de curva de 78 metros Rampas de 3,8% Tuneis estreitos. A implantação de um trecho em bitola mista nesta transposição necessitaria de um novo traçado, sobretudo nas curvas de menor raio; Ainda assim, o sistema binário não iria funcionar sem a continuidade nos trilhos da Ferrovia EF-277 (Paranaguá-Curitiba), cuja adaptação para bitola mista, e túneis é considerada técnica e financeiramente inviável, assim como a de Mafra - São Francisco do Sul. Para atingir Paranaguá, o proposto binário deveria construir um trecho ferroviário no litoral do Estado, fazendo a ligação entre São Francisco do Sul ou Joinville e Paranaguá. Este trecho seria, em parte, coincidente com o trecho litorâneo do traçado proposto pelo Paraná. Apesar do aproveitamento das faixas de domínio das ferrovias existentes, todas as pontes, túneis e viadutos terão que ser reconstruídos, inviabilizando a utilização da ferrovia durante este período. O sistema não aumentaria significativamente a produtividade ferroviária, uma vez que as rampas continuariam limitando a velocidade de operação dos trens e o tipo de maquinário empregado. Há uma grande disparidade de capacidade instalada entre as duas ferrovias (razão de 2:1), o que inviabiliza uma operação em binário (fonte: ALL)

14 IMAGEM DE SATÉLITE DO TRECHO DA SERRA DA FERROVIA MAFRA-S.F. DO SUL Traçado da Ferrovia na Serra da Dona Francisca Raios de curva de 78m A implantação de um trecho em bitola mista nesta transposição necessitaria de um novo traçado, sobretudo nas curvas de menor raio

15 Túneis estreitos com Gabarito p/ Bitola Métrica Apesar do aproveitamento das faixas de domínio das ferrovias existentes, todas as pontes, túneis e viadutos terão que ser reconstruídos, inviabilizando a utilização da ferrovia durante este período.

16 Viadutos em Bitola Métrica

17 Adaptação desta estrada de ferro à bitola mista demandaria um reforma completa da ferrovia, com impacto ambiental equivalente à construção de uma nova estrada.

18 IMAGEM DE SATÉLITE DO TRECHO DA SERRA DA FERROVIA CURITIBA - PARANAGUÁ Traçado da Ferrovia na Serra do Mar Raios de curva de 80m

19

Painel "Logística como Fator de Competitividade. "Importância da Ferrovia Transnordestina para o Complexo de SUAPE".

Painel Logística como Fator de Competitividade. Importância da Ferrovia Transnordestina para o Complexo de SUAPE. Painel "Logística como Fator de Competitividade "Importância da Ferrovia Transnordestina para o Complexo de SUAPE". Agenda Painel "Logística como Fator de Competitividade A Transnordestina Indução de Oportunidades

Leia mais

OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA

OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA - 2014 Índice Santa Catarina 1 Infraestrutura de Transportes Modal Rodoviário 2 Infraestrutura de Transportes Modal

Leia mais

Ferrovia é infra-estrutura que precisa existir e crescer para que outras atividades prosperem.

Ferrovia é infra-estrutura que precisa existir e crescer para que outras atividades prosperem. Ferrovia é infra-estrutura que precisa existir e crescer para que outras atividades prosperem. A EMPRESA Empresa privada de logística, antiga Companhia Ferroviária do Nordeste Opera com 95 locomotivas,

Leia mais

História Ferroviária

História Ferroviária História Ferroviária A Estrada de Ferro em SC E. F. Tereza Cristina Felisberto Caldeira Brant Pontes consegue em 1874 a concessão para a construção da ferrovia. A Estrada de Ferro The Donna Thereza Christina

Leia mais

As atuais condições da infraestrutura de transporte e logística do Brasil

As atuais condições da infraestrutura de transporte e logística do Brasil ESTUDO DA CNT APONTA QUE INFRAESTRUTURA RUIM AUMENTA CUSTO DO TRANSPORTE DE SOJA E MILHO As atuais condições da infraestrutura de transporte e logística do Brasil têm impacto significativo na movimentação

Leia mais

Modal Ferroviário. Equipe: Docemar M. Borges Felipe Cordova Leonardo F. Heinz Wivian Neckel

Modal Ferroviário. Equipe: Docemar M. Borges Felipe Cordova Leonardo F. Heinz Wivian Neckel Modal Ferroviário Equipe: Docemar M. Borges Felipe Cordova Leonardo F. Heinz Wivian Neckel O que é modal? O modal ferroviário caracteriza-se, especialmente, por sua capacidade de transportar grandes volumes,

Leia mais

TUFI DAHER FILHO Presidente da Transnordestina

TUFI DAHER FILHO Presidente da Transnordestina TUFI DAHER FILHO Presidente da Transnordestina Juiz de Fora, 28 de outubro de 2011 A g e n d a A TRANSNORDESTINA: O PROJETO: Situação da Malha Atual Clientes Trajetória A Transnordestina Indução de Oportunidades

Leia mais

A função de ligar a produção ao consumo; A evolução do sistema de transporte está associada às mudanças econômicas do Brasil;

A função de ligar a produção ao consumo; A evolução do sistema de transporte está associada às mudanças econômicas do Brasil; Geografia A dimensão territorial do país; A função de ligar a produção ao consumo; A evolução do sistema de transporte está associada às mudanças econômicas do Brasil; Segunda metade do século XX: contradição

Leia mais

Logística Vale Bienal dos Negócios da Agricultura 21/08/2009

Logística Vale Bienal dos Negócios da Agricultura 21/08/2009 Logística Vale Bienal dos Negócios da Agricultura 21/08/2009 Logística Vale Corredores Logísticos Legenda Ferrovias Estrada de Ferro Carajás - EFC Ferrovia Norte Sul FNS Ferrovia Norte Sul FNS (em construção)

Leia mais

SUBSÍDIO EXPEDITO SOBRE A FERROVIA LESTE - OESTE MARACAJÚ (MS) MAFRA(SC) e PORTOS SC e PR

SUBSÍDIO EXPEDITO SOBRE A FERROVIA LESTE - OESTE MARACAJÚ (MS) MAFRA(SC) e PORTOS SC e PR SUBSÍDIO EXPEDITO SOBRE A FERROVIA LESTE - OESTE MARACAJÚ (MS) MAFRA(SC) e PORTOS SC e PR Realização: Apoio: Execução: Fl. 1 Apresentação Este estudo é uma iniciativa da FIESC, que conta com o apoio do

Leia mais

III VALEC VALEC SUMÁRIO. Constituição Competências

III VALEC VALEC SUMÁRIO. Constituição Competências Gramado 2013 SUMÁRIO I VALEC Constituição Competências II III Estudos e Projetos Panorama/Chapecó Chapecó/Rio Grande Itajaí /Chapecó/Dionísio Cerqueira Lucas do Rio Verde/Vilhena Vilhena/Porto Velho Obras

Leia mais

OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA SUGESTÕES AO PLO 2013

OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA SUGESTÕES AO PLO 2013 OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA SUGESTÕES AO PLO 2013 Índice 10 Santa Catarina 10 Infraestrutura de Transportes Modal Rodoviário 17 Infraestrutura

Leia mais

1 INTRODUÇÃO. Tabela 1 Valor exportado do agronegócio brasileiro

1 INTRODUÇÃO. Tabela 1 Valor exportado do agronegócio brasileiro 1 INTRODUÇÃO O Brasil encontra-se num ambiente favorável de crescimento econômico nos últimos anos. A economia brasileira tem como principais forças o comércio, o setor industrial e o agronegócio. O agronegócio,

Leia mais

Infraestrutura de Santa Catarina para o Desenvolvimento

Infraestrutura de Santa Catarina para o Desenvolvimento Infraestrutura de Santa Catarina para o Desenvolvimento Ministério dos Transportes PAULO SÉRGIO PASSOS Ministro de Estado dos Transportes Florianópolis, 27 de fevereiro de 2013 ASPECTOS NACIONAIS INFRAESTRUTURA

Leia mais

ESTRUTURA ESCRITORIO SEDE CURITIBA, PR. Matriz

ESTRUTURA ESCRITORIO SEDE CURITIBA, PR. Matriz ESTRUTURA ESCRITORIO SEDE CURITIBA, PR. Matriz ESTRUTURA ESCRITÓRIOS OPERACIONAIS Porto Trombetas Belém Porto Franco Altamira São Luís Parauapebas Floriano Posto da Mata Cofins e Sabará Guarapuava Florianópolis

Leia mais

Perspectivas. Dezembro de 2006

Perspectivas. Dezembro de 2006 Perspectivas Dezembro de 2006 PORTO de SANTOS - Maior com plexo portuário da América do Sul - Área aproximada: 8 milhões de m 2 - TONELAGEM : Crescimento contínuo / Recorde histórico de 72 milhões tons

Leia mais

,8% ,7% ,4% ,7% ,4%

,8% ,7% ,4% ,7% ,4% Fernando Seabra Mundo (mi. US$) Brasil (mi. US$) MarketShare 2010 39.719 11.043 27,8% 2011 45.698 16.327 35,7% 2012 53.183 17.248 32,4% 2013 57.444 22.810 39,7% 2014 59.005 23.277 39,4% Fonte: comtrade.un.org

Leia mais

O SR. JOSUÉ BENGTSON (PTB/PA) pronuncia o. seguinte discurso: Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, o

O SR. JOSUÉ BENGTSON (PTB/PA) pronuncia o. seguinte discurso: Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, o O SR. JOSUÉ BENGTSON (PTB/PA) pronuncia o seguinte discurso: Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, o reaquecimento da economia brasileira a partir do ano passado, deixou em alerta todo o sistema produtivo

Leia mais

GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS TRANSPORTE NA CADEIA DE SUPRIMENTOS: OS MODAIS DE TRANSPORTE

GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS TRANSPORTE NA CADEIA DE SUPRIMENTOS: OS MODAIS DE TRANSPORTE GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS TRANSPORTE NA CADEIA DE SUPRIMENTOS: OS MODAIS DE TRANSPORTE Prof. Dr. Daniel Caetano 2016-1 Objetivos Conhecer os principais modos de transporte usados na Gestão da Cadeia

Leia mais

Apresentação Transnordestina

Apresentação Transnordestina Apresentação Transnordestina Histórico 1998 No contrato de concessão foi previsto a construção pela União e sua operação pela CFN. 2001 DNIT iniciou as providências de implantação (projetos e estudos ambientais).

Leia mais

Modelo de Negócios Objetivo

Modelo de Negócios Objetivo JULIO FONTANA Modelo de Negócios Objetivo Heavy haul do agronegócio Dominância dos principais corredores de exportação Expansão do setor agrícola DEMANDA DO AGRONEGÓCIO LOCALIZAÇÃO ESTRATÉGICA Grandes

Leia mais

DNIT SETOR FERROVIÁRIO NACIONAL NEGÓCIOS NOS TRILHOS ENCONTREM Diretoria de Infra-Estrutura Ferroviária. Ministério dos Transportes

DNIT SETOR FERROVIÁRIO NACIONAL NEGÓCIOS NOS TRILHOS ENCONTREM Diretoria de Infra-Estrutura Ferroviária. Ministério dos Transportes SETOR FERROVIÁRIO NACIONAL NEGÓCIOS NOS TRILHOS ENCONTREM 2006 Diretoria de Infra-Estrutura Ferroviária DNIT Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes Ministério dos Transportes GESTÃO GOVERNAMENTAL

Leia mais

EIXO TRANSPORTES. garantindo maior integração da malha brasileira de Transportes.

EIXO TRANSPORTES. garantindo maior integração da malha brasileira de Transportes. EIXO TRANSPORTES Para integrar as diferentes regiões do Brasil, eliminar gargalos logísticos e garantir que a produção nacional tenha custos mais baixos para os mercados interno e externo, o PAC 2 realiza

Leia mais

OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DA REGIÃO SUL

OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DA REGIÃO SUL OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DA REGIÃO SUL - 2014 Índice 3 Paraná Infraestrutura de Transportes Modal Rodoviário Infraestrutura de Transportes Modal Aquaviário Infraestrutura

Leia mais

Comitê dos Usuários dos Portos e Aeroportos do Estado de São Paulo

Comitê dos Usuários dos Portos e Aeroportos do Estado de São Paulo Comitê dos Usuários dos Portos e Aeroportos do Estado de São Paulo 27/03/2014 Renato Ferreira Barco DIRETOR PRESIDENTE VISÃO GERAL PORTO DE SANTOS / BRASIL ÁREA DE INFUÊNCIA PORTO DE SANTOS 75 67% 56%

Leia mais

MUNDO. Elaboração: EMBRAPA TRIGO/Socioeconomia JANEIRO, 2014

MUNDO. Elaboração: EMBRAPA TRIGO/Socioeconomia JANEIRO, 2014 Elaboração: EMBRAPA TRIGO/Socioeconomia JANEIRO, 2014 MUNDO Tabela 1. Área, rendimento e oferta e demanda de TRIGO no mundo, safras 2011/12, 2012/13 e 2013/14. Item 2011/2012 2012/2013(A) 2013/2014 (B)

Leia mais

Portos do Paraná anunciam R$ 5,1 bilhões em investimentos privados

Portos do Paraná anunciam R$ 5,1 bilhões em investimentos privados Comércio exterior, logística, portos, transportes, indústrias, serviços, negócios e economia. Home Anuncie Institucional Fale Conosco Assinatura Pesquisar no site... Home» Destaque, Novidade Portos do

Leia mais

Clique para editar o estilo. Clique para editar os estilos do texto mestre Segundo nível Terceiro nível Quarto nível Quinto nível

Clique para editar o estilo. Clique para editar os estilos do texto mestre Segundo nível Terceiro nível Quarto nível Quinto nível 1 Agenda Clique para editar o estilo 1. Institucional ALL 2. Rotas de Atuação Container 3. Histórico / Projeção 2009 4. Características Mercado / Estratégia Atuação 5. Próximos Passos 1. Institucional

Leia mais

INFRA-ESTRUTURA RODO-FERROVI FERROVIÁRIA RIA DE ACESSO AO PORTO DE SANTOS. São Paulo, 09 de Novembro de 2006

INFRA-ESTRUTURA RODO-FERROVI FERROVIÁRIA RIA DE ACESSO AO PORTO DE SANTOS. São Paulo, 09 de Novembro de 2006 INFRA-ESTRUTURA RODO-FERROVI FERROVIÁRIA RIA DE ACESSO AO PORTO DE SANTOS São Paulo, 09 de Novembro de 2006 1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS HINTERLÂNDIA (ÁREA DE INFLUÊNCIA) DO PORTO DE SANTOS A PRODUÇÃO PRODUÇÃO

Leia mais

O IMPACTO DO PEDÁGIO NO TRANSPORTE DE GRÃOS E INSUMOS NO ESTADO DO PARANÁ

O IMPACTO DO PEDÁGIO NO TRANSPORTE DE GRÃOS E INSUMOS NO ESTADO DO PARANÁ O IMPACTO DO PEDÁGIO NO TRANSPORTE DE GRÃOS E INSUMOS NO ESTADO DO PARANÁ CURITIBA, JUNHO DE 2011 1 INTRODUÇÃO Os objetivos do presente trabalho são mensurar os impactos das atuais tarifas de pedágio nos

Leia mais

FERROVIA EF 267: TODOS JUNTOS PARA. Senhor Presidente, os defensores das ferrovias como o melhor modal para

FERROVIA EF 267: TODOS JUNTOS PARA. Senhor Presidente, os defensores das ferrovias como o melhor modal para Discurso proferido pelo deputado GERALDO RESENDE (PMDB/MS), em sessão no dia 06/08/2013. FERROVIA EF 267: TODOS JUNTOS PARA TRONÁ-LA REALIDADE Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, É com muita

Leia mais

Expansão do Modal Ferroviário Vetores de Investimento e Projeto da Malha Paulista. Julio Fontana São Paulo, 28 de julho de 2016

Expansão do Modal Ferroviário Vetores de Investimento e Projeto da Malha Paulista. Julio Fontana São Paulo, 28 de julho de 2016 Expansão do Modal Ferroviário Vetores de Investimento e Projeto da Malha Paulista 1 Julio Fontana São Paulo, 28 de julho de 2016 AGENDA 1 EXPANSÃO DO MODAL FERROVIÁRIO vetores de investimento 2 PROJETO

Leia mais

EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS

EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS CONCESSIONÁRIAS 1- NOVOESTE Ferrovia Novoeste S.A. 2- FCA Ferrovia Centro-Atlântica S.A. 3- MRS MRS Logística S.A. 4- FTC Ferrovia Tereza Cristina S.A. 5- ALL

Leia mais

TRANSPORTE FERROVIÁRIO NOVEMBRO DE 2016

TRANSPORTE FERROVIÁRIO NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRANSPORTE FERROVIÁRIO NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

Transportes. Prof. Márcio Padovani

Transportes. Prof. Márcio Padovani Transportes Índice Definição de transporte Origem e evolução dos transportes Rodoviário Ferroviário Marítimo Aéreo Oleoduto Evolução dos transportes no Porto Classificação dos transportes Quanto à modalidade

Leia mais

OS ENTRAVES NA MULTIMODALIDADE E A COMPETITIVIDADE FERROVIAS E TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS

OS ENTRAVES NA MULTIMODALIDADE E A COMPETITIVIDADE FERROVIAS E TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS OS ENTRAVES NA MULTIMODALIDADE E A COMPETITIVIDADE FERROVIAS E TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS São Paulo, 11 de maio de 2010 CONCESSÕES FERROVIÁRIAS ATUAIS E FUTURAS FERROVIAS SISTEMA DE BITOLA LARGA Prolongamento

Leia mais

FIESP - 8º Encontro de Logística e Transportes A Hora do Investimento Privado

FIESP - 8º Encontro de Logística e Transportes A Hora do Investimento Privado FIESP - 8º Encontro de Logística e Transportes A Hora do Investimento Privado Painel: Logística e Competitividade Mineração e Agronegócio: Superando Obstáculos para o Escoamento da Produção (São Paulo-SP,

Leia mais

VALEC. Ministério dos Transportes

VALEC. Ministério dos Transportes VALEC Ministério dos Transportes Outubro de 2007 LOCALIZAÇÃO MAPA DA FERROVIA NORTE-SUL AÇAILÂNDIA (MA) / PÁTIO DE ARAGUAÍNA (TO) Extensão: 361 km OBRAS CONCLUÍDAS PÁTIO DE ARAGUAÍNA (TO) / PÁTIO DE GUARAÍ

Leia mais

AGRONEGÓCIO BRASILEIRO ALAVANCA DO DESENVOLVIMENTO OPORTUNIDADES E DESAFIOS

AGRONEGÓCIO BRASILEIRO ALAVANCA DO DESENVOLVIMENTO OPORTUNIDADES E DESAFIOS AGRONEGÓCIO BRASILEIRO ALAVANCA DO DESENVOLVIMENTO OPORTUNIDADES E DESAFIOS AVALIAÇÕES TÉCNICAS / FEVEREIRO DE 2016 LUIZ ANTONIO FAYET Consultor da CNA AGRONEGÓCIO BRASILEIRO EVOLUÇÃO HÁ 50 ANOS = IMPORTADOR

Leia mais

LOGÍSTICA DE TRANSPORTES DE CARGAS

LOGÍSTICA DE TRANSPORTES DE CARGAS LOGÍSTICA DE TRANSPORTES DE CARGAS Jean Carlos Pejo J C PEJO CONSUTORES ASSOCIADOS S/C LTDA Mapa da Produção de Soja no Brasil Projeção da Produção de Soja no Brasil Safra Produção Exportação 2009/2010

Leia mais

CLIPPING DE NOTÍCIAS

CLIPPING DE NOTÍCIAS Data: 09.02.2015 Veículo: DIARIO DO PARÁ Caderno: BRASIL Pág.:A3 Coluna: LINHA DIRETA 1- Matérias referente diretamente à Companhia ( X ) 3- Matérias de interesses da Companhia ( ) Data: 09.02.2015 Veículo:

Leia mais

RELATÓRIO SITUAÇÃO DA BR - 174

RELATÓRIO SITUAÇÃO DA BR - 174 RELATÓRIO SITUAÇÃO DA BR - 174 Junho/2013 1. Introdução O Movimento Pró-Logística que reúne as entidades: Associação dos Produtores de Soja e Milho do Estado de Mato Grosso APROSOJA, Associação dos Produtores

Leia mais

Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos - ANPTrilhos

Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos - ANPTrilhos Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos - ANPTrilhos XVII Assembleia Geral da CIT 27 e 28/06/2012 - Manaus/AM Sávio Neves Diretor Institucional ANPTrilhos Presidente ABOTTc

Leia mais

Categoria: Construção de Ferrovia

Categoria: Construção de Ferrovia Projeto 015 : Construção do contorno ferroviário de São Francisco do Sul E2 Ferroviária LOCALIZAÇÃO: São Francisco do Sul - SC INTERVENÇÃO: Construção Categoria: Construção de Ferrovia EXTENSÃO/QUANTIDADE/VOLUME:

Leia mais

Agenda. Introdução. Estrutura Organizacional. Histórico/Características do Porto de Itaguaí. Acesso ao Porto de Itaguaí. Terminais do Porto de Itaguaí

Agenda. Introdução. Estrutura Organizacional. Histórico/Características do Porto de Itaguaí. Acesso ao Porto de Itaguaí. Terminais do Porto de Itaguaí 2016 Agenda Introdução Estrutura Organizacional Histórico/Características do Porto de Itaguaí Acesso ao Porto de Itaguaí Terminais do Porto de Itaguaí Plano de Desenvolvimento e Zoneamento - PDZ Investimentos/

Leia mais

Infraestrutura e os Corredores de Escoamento da Produção Agrícola nos Corredores Centro

Infraestrutura e os Corredores de Escoamento da Produção Agrícola nos Corredores Centro Infraestrutura e os Corredores de Escoamento da Produção Agrícola nos Corredores Centro Oeste e Centro Norte do País Investimentos em Hidrovias, Ferrovias e Portos Senado Federal, 18 de maio de 2012 Engº

Leia mais

Regional Nordeste Concessões e Parcerias. Ampliação das Oportunidades de Negócios 01 de Outubro de 2015 Fortaleza

Regional Nordeste Concessões e Parcerias. Ampliação das Oportunidades de Negócios 01 de Outubro de 2015 Fortaleza Regional Nordeste Concessões e Parcerias Ampliação das Oportunidades de Negócios 01 de Outubro de Fortaleza Programa de Gestão de PPPs do Estado do Piauí Viviane Moura Bezerra Superintendente de Parcerias

Leia mais

Novos terminais vão reduzir custos das exportações de grãos do Centro-Oeste

Novos terminais vão reduzir custos das exportações de grãos do Centro-Oeste Consultas a editais do 2º leilão de áreas portuárias superam 3.500 acessos Novos terminais vão reduzir custos das exportações de grãos do Centro-Oeste Mais de 3.500 consultas já foram feitas aos editais

Leia mais

PRODUTOS INDUSTRIALIZADOS

PRODUTOS INDUSTRIALIZADOS PRODUTOS INDUSTRIALIZADOS 1 Agenda Resumo Resultados 1T07 Mercado Estratégia Projetos com clientes 2 Resumo Industrializados Negócio de produtos industrializados - Intermodalidade Área de atuação ão: Brasil

Leia mais

Análise da Pesquisa DataFolha 2015 encomendada pela CBSK - Confederação Brasileira de Skate, sobre o Skate no Brasil.

Análise da Pesquisa DataFolha 2015 encomendada pela CBSK - Confederação Brasileira de Skate, sobre o Skate no Brasil. Análise da Pesquisa DataFolha 2015 encomendada pela CBSK - Confederação Brasileira de Skate, sobre o Skate no Brasil. - Estimativa de Praticantes de Skate no Paraná Curitiba 2016 OBJETIVO Utilizar os dados

Leia mais

UFPR DEPARTAMENTO DE TRANSPORTES SISTEMAS DE TRANSPORTES TT 046 MALHA FERROVIÁRIA. Aula 06

UFPR DEPARTAMENTO DE TRANSPORTES SISTEMAS DE TRANSPORTES TT 046 MALHA FERROVIÁRIA. Aula 06 UFPR DEPARTAMENTO DE TRANSPORTES SISTEMAS DE TRANSPORTES TT 046 MALHA FERROVIÁRIA Prof. Djalma Pereira Prof. Eduardo Ratton Profa. Gilza Fernandes Blasi Profa. Márcia de Andrade Pereira Aula 06 MALHA FERROVIÁRIA

Leia mais

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso Índice 1 - Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso 1.1 Agronegócio Soja 1.2 Agronegócio Milho 1.3 Agronegócio Algodão 1.4 Agronegócio Boi 2 Competitividade 2.1 Logística

Leia mais

Secretaria de Portos. Ministério dos Transportes. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Secretaria de Portos. Ministério dos Transportes. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de s Ministério dos Transportes Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Principais Corredores para Escoamento da Safra de Grãos CE Velho PE RN PB SE AL Salvador Ilhéus Hidrovias

Leia mais

Os Clientes e as Ferrovias Siderurgia Brasileira

Os Clientes e as Ferrovias Siderurgia Brasileira Os Clientes e as Ferrovias Siderurgia Brasileira IV Brasil nos Trilhos 2010 Paulo Fraga Diretor de Planej. Vendas e Logística Agosto de 2010 A Siderurgia Brasileira A capacidade instalada de produção da

Leia mais

José Roberto Correia Serra Diretor Presidente Autoridade Portuária Santos, 02 de fevereiro de 2010

José Roberto Correia Serra Diretor Presidente Autoridade Portuária Santos, 02 de fevereiro de 2010 José Roberto Correia Serra Diretor Presidente Autoridade Portuária Santos, 02 de fevereiro de 2010 Estudo de Expansão BID Estudo de Acessibilidade USP/FDTE Planejamento Estratégico da CODESP Estudo da

Leia mais

Desafios no aumento de eficiência na Logística de petróleo e derivados no país

Desafios no aumento de eficiência na Logística de petróleo e derivados no país Desafios no aumento de eficiência na Logística de petróleo e derivados no país 2 O mercado brasileiro de derivados possui uma concentração na costa litorânea e no sul sudeste do país e o potencial de crescimento

Leia mais

Promoção da competitividade e desenvolvimento da economia brasileira

Promoção da competitividade e desenvolvimento da economia brasileira Objetivo Promoção da competitividade e desenvolvimento da economia brasileira Fim das barreiras à entrada Estímulo à expansão dos investimentos do setor privado Modernização da infraestrutura e da gestão

Leia mais

Concessões RODOVIAS FERROVIAS PORTOS AEROPORTOS

Concessões RODOVIAS FERROVIAS PORTOS AEROPORTOS Concessões RODOVIAS FERROVIAS PORTOS AEROPORTOS Retomada do Planejamento em Logística O Programa de Investimentos em Logística (PIL) é a integração de 2 ações de planejamento do Governo Federal nos últimos

Leia mais

Infra-estrutura de transportes

Infra-estrutura de transportes Infra-estrutura de transportes Prof. Adm. Denilton Macário de Paula Modal Rodoviário No modal rodoviário podemos encontrar tanto o transporte de passageiros como o transporte de cargas. A infra-estrutura

Leia mais

Seminário CNI BID TRANSPORTE PARA O COMÉRCIO E A INTEGRAÇÃO REGIONAL

Seminário CNI BID TRANSPORTE PARA O COMÉRCIO E A INTEGRAÇÃO REGIONAL Seminário CNI BID TRANSPORTE PARA O COMÉRCIO E A INTEGRAÇÃO REGIONAL Custos de transporte nas exportações brasileiras: como solucionar os gargalos? Eng. Elcio Ribeiro, MSc. Uso da Terra no Brasil Área

Leia mais

AUTOR: LEONARDO SOUZA SOARES LEONARDO SOUZA

AUTOR: LEONARDO SOUZA SOARES LEONARDO SOUZA AUTOR: LEONARDO SOUZA SOARES Apresentar proposta de classificação de vias em âmbito nacional, de forma a permitir padronização de conceitos entre as diversas ferrovias brasileiras. Normas e conceitos mundiais;

Leia mais

RUMO ALL. Reunião Anual com Investidores. Dezembro 2015

RUMO ALL. Reunião Anual com Investidores. Dezembro 2015 RUMO ALL Reunião Anual com Investidores Dezembro 2015 2 Disclaimer Esta apresentação contém estimativas e declarações sobre operações futuras a respeito de nossa estratégia e oportunidades de crescimento

Leia mais

LISTA DE PROJETOS DE SANTA CATARINA

LISTA DE PROJETOS DE SANTA CATARINA LISTA DE PROJETOS DE SANTA CATARINA ENERGIA ELÉTRICA - Geração Projeto: Pequena Central Hidrelétrica João Borges Descrição : Construção de pequena central hidrelétrica no rio Caveiras, com capacidade instalada

Leia mais

55º Fórum Nacional de Secretários de Planejamento INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA

55º Fórum Nacional de Secretários de Planejamento INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA 55º Fórum Nacional de Secretários de Planejamento INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA Salvador/BA, 06 de Setembro de 2013 PREMISSA BÁSICA O setor de Transportes como catalisador do desenvolvimento nacional Estruturando

Leia mais

PROJETO: INTEGRAÇÃO REGIONAL DO VALE DO ITAPOCU TRANSPORTE DE PASSAGEIROS SOBRE TRILHOS Corupá Jaraguá do Sul - Guaramirim

PROJETO: INTEGRAÇÃO REGIONAL DO VALE DO ITAPOCU TRANSPORTE DE PASSAGEIROS SOBRE TRILHOS Corupá Jaraguá do Sul - Guaramirim PROJETO: INTEGRAÇÃO REGIONAL DO VALE DO ITAPOCU TRANSPORTE DE PASSAGEIROS SOBRE TRILHOS Corupá Jaraguá do Sul - Guaramirim APRESENTAÇÃO Câmara Temática Integração sobre Trilhos CTIT: Equipe idealizador

Leia mais

O BRASIL VIROU GENTE GRANDE E AGORA?

O BRASIL VIROU GENTE GRANDE E AGORA? O BRASIL VIROU GENTE GRANDE E AGORA? A Evolução da Movimentação de Carga no Brasil e no Mundo BRASIL Virando Gente Grande Movimentação do Comércio Exterior no Brasil 1990 = 50 bi 2000 = 110 bi 2004 = 160

Leia mais

HIDROVIAS E SUA LOGÍSTICA PARTE 2. Os desafios e perspectivas do transporte ferroviário no Brasil

HIDROVIAS E SUA LOGÍSTICA PARTE 2. Os desafios e perspectivas do transporte ferroviário no Brasil HIDROVIAS E SUA LOGÍSTICA PARTE 2 Os desafios e perspectivas do transporte ferroviário no Brasil Vicente Abate - Presidente da ABIFER São Paulo, 18 de setembro de 2014 ABIFER, há mais de 37 anos ABIFER

Leia mais

MODELAGEM DA LOCALIZAÇÃO DE ARMAZÉNS INTERMODAIS PARA ESCOAMENTO DA PRODUÇÃO DE SOJA PARA EXPORTAÇÃO NO ESTADO DO PARANÁ

MODELAGEM DA LOCALIZAÇÃO DE ARMAZÉNS INTERMODAIS PARA ESCOAMENTO DA PRODUÇÃO DE SOJA PARA EXPORTAÇÃO NO ESTADO DO PARANÁ XXXVI ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUCÃO João Pessoa/PB, Brasil, de 03 a 06 de outubro de 2016 MODELAGEM DA LOCALIZAÇÃO DE ARMAZÉNS INTERMODAIS PARA ESCOAMENTO DA PRODUÇÃO DE SOJA PARA EXPORTAÇÃO

Leia mais

CARGA FRACIONADA POR CABOTAGEM. Amplie suas opções, economize e ajude o meio ambiente

CARGA FRACIONADA POR CABOTAGEM. Amplie suas opções, economize e ajude o meio ambiente CARGA FRACIONADA POR CABOTAGEM Amplie suas opções, economize e ajude o meio ambiente Por uma logística mais integrada e eficiente A Pratical One nasceu com essa visão e com o desejo de contribuir para

Leia mais

Atualmente lavouras da Região Centro-Sul, principalmente Guarapuava e União da Vitória, estão sendo afetadas pela estiagem.

Atualmente lavouras da Região Centro-Sul, principalmente Guarapuava e União da Vitória, estão sendo afetadas pela estiagem. Data : 11/03/2004 Hora : Título: Milho Fonte: Autor: Vera da Rocha Matéria: Apesar dos problemas climáticos no Paraná, ou seja, chuvas irregulares e mal distribuídas desde o início do ano, a produção da

Leia mais

Perspectivas de Negócios em Infraestrutura. novembro 2013

Perspectivas de Negócios em Infraestrutura. novembro 2013 Perspectivas de Negócios em Infraestrutura novembro 2013 Brasil no Mundo Globalizado - Importação e exportação manufaturas, commodities e serviços; - Crescimento da economia e aumento do consumo nos países

Leia mais

Modais de Transporte. Claudio Barbieri da Cunha. Escola Politécnica. Claudio Barbieri da Cunha

Modais de Transporte. Claudio Barbieri da Cunha. Escola Politécnica. Claudio Barbieri da Cunha Modais de Transporte Escola Politécnica Funções do Transporte Movimentar geograficamente e posicionar os estoque (produtos/bens/materiais) Abastecer instalações (fábricas) com matérias primas e insumos

Leia mais

SISTEMA ANCHIETA IMIGRANTES WORKSHOP LOGÍSTICA FIESP

SISTEMA ANCHIETA IMIGRANTES WORKSHOP LOGÍSTICA FIESP SISTEMA ANCHIETA IMIGRANTES WORKSHOP LOGÍSTICA FIESP Junho/2016 Área de Influência Características Gerais Capacidade Rodoviária Operações Principais Investimentos Realizados Outros Investimentos Investimentos

Leia mais

SCPar PORTO DE IMBITUBA S.A.

SCPar PORTO DE IMBITUBA S.A. SCPar PORTO DE IMBITUBA S.A. O Porto de Imbituba está localizado numa enseada aberta junto à Ponta de Imbituba, no litoral Sul de Santa Catarina, a cerca de 90 km da capital Florianópolis. Arrendatários:

Leia mais

- Rumos da Cabotagem - Pontos Fortes e Pontos Fracos

- Rumos da Cabotagem - Pontos Fortes e Pontos Fracos - Rumos da Cabotagem - Pontos Fortes e Pontos Fracos BENEFÍCIOS ECONÔMICOS, ENERGÉTICOS E AMBIENTAIS Cabotagem Brasileira o mundo cresceu no entorno das baias abrigadas População mundial regiões costeiras

Leia mais

Clique para editar o estilo do subtítulo mestre ABRIL /04/11

Clique para editar o estilo do subtítulo mestre ABRIL /04/11 Clique para editar o estilo do subtítulo mestre ABRIL 2011 EMAP EMPRESA MARANHENSE DE ADMINISTRAÇÃO PORTUÁRIA Empresa pública, criada pela Lei 7.225, de 31 de agosto 1998, com personalidade jurídica de

Leia mais

COMPETITIVIDADE DOS FRETES FERROVIÁRIOS: RIOS: OS CASOS DO AÇÚCAR E DO ETANOL COM DESTINO PARA O PORTO DE PARANAGUÁ

COMPETITIVIDADE DOS FRETES FERROVIÁRIOS: RIOS: OS CASOS DO AÇÚCAR E DO ETANOL COM DESTINO PARA O PORTO DE PARANAGUÁ COMPETITIVIDADE DOS FRETES FERROVIÁRIOS: RIOS: OS CASOS DO AÇÚCAR E DO ETANOL COM DESTINO PARA O PORTO DE PARANAGUÁ José Vicente Caixeta Filho Professor Titular Depart. de Economia, Administração e Sociologia

Leia mais

Seminário Empresarial Brasil-China Investimentos em Infraestrutura Ferroviária

Seminário Empresarial Brasil-China Investimentos em Infraestrutura Ferroviária Seminário Empresarial Brasil-China Investimentos em Infraestrutura Ferroviária Paulo Sérgio Passos Ministro de Estado dos Transportes Brasília, 16.07.2014 Brasil e China: Economias Complementares China

Leia mais

Construir km de ferrovias

Construir km de ferrovias Construir 4.696 km de ferrovias Entendimento: Entre 2011 e o final de 2014, o País contará com 4 956 km adicionais de trilhos de ferrovias, não incluídos os modais urbanos (trens urbanos e metrôs), bem

Leia mais

O Papel do Governo no Transporte Ferroviário. Atuação do Ministério dos Transportes

O Papel do Governo no Transporte Ferroviário. Atuação do Ministério dos Transportes O Papel do Governo no Transporte Ferroviário Atuação do Ministério dos Transportes Brasília, 11 de agosto de 2010 Paulo Sérgio Passos Ministro dos Transportes Um momento especial 2010 tem sido um ano de

Leia mais

Inconsistência na estrutura de transporte público das cidades brasileiras

Inconsistência na estrutura de transporte público das cidades brasileiras Inconsistência na estrutura de transporte público das cidades brasileiras Por Mateus Araújo Maia A expansão do meio urbano tem sido um fator desafiador para que a mobilidade seja desenvolvida afim de que

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DOS TRENS REGIONAIS. Silvestre Eduardo Rocha Ribeiro Diretor de Planejamento Companhia Paulista Trens Metropolitanos - CPTM

A IMPORTÂNCIA DOS TRENS REGIONAIS. Silvestre Eduardo Rocha Ribeiro Diretor de Planejamento Companhia Paulista Trens Metropolitanos - CPTM A IMPORTÂNCIA DOS TRENS REGIONAIS Silvestre Eduardo Rocha Ribeiro Diretor de Planejamento Companhia Paulista Trens Metropolitanos - CPTM REDE DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS SOBRE TRILHOS NA MACROMETRÓPOLE

Leia mais

Ciclo de Seminários para o Enem: Mobilidade Urbana e Nacional

Ciclo de Seminários para o Enem: Mobilidade Urbana e Nacional Ciclo de Seminários para o Enem: Mobilidade Urbana e Nacional Diamantina, Outubro de 2016 Mobilidade Urbana 2 Histórico Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri UFVJM 1 Republica (1989

Leia mais

RECURSOS HUMANOS PARA O SETOR METROFERROVIÁRIO

RECURSOS HUMANOS PARA O SETOR METROFERROVIÁRIO RECURSOS HUMANOS PARA O SETOR METROFERROVIÁRIO Módulo I Apresentação do Setor Engº Henrique José Boneti TIISA SA MATRIZ de TRANSPORTES de CARGA Ano 2000 (%)* Ano 2006 (%)** PNLT 2023 Rodoviário 60,49 58

Leia mais

INTERMODAL SOUTH AMERICA CONFERÊNCIA INFRAPORTOS PAINEL PALESTRA VIABILIDADE DAS EXPORTAÇÕES DEPENDE DOS PORTOS

INTERMODAL SOUTH AMERICA CONFERÊNCIA INFRAPORTOS PAINEL PALESTRA VIABILIDADE DAS EXPORTAÇÕES DEPENDE DOS PORTOS INTERMODAL SOUTH AMERICA CONFERÊNCIA INFRAPORTOS PAINEL PERSPECTIVAS E INVESTIMENTOS NO SETOR PALESTRA VIABILIDADE DAS EXPORTAÇÕES DEPENDE DOS PORTOS JOSÉ AUGUSTO DE CASTRO São Paulo, 02 de abril de 2013

Leia mais

Obras realizadas e em andamento em 2014 nas rodovias concedidas no Paraná:

Obras realizadas e em andamento em 2014 nas rodovias concedidas no Paraná: Obras realizadas e em andamento em 2014 nas rodovias concedidas no Paraná: VALORES CONSOLIDADOS Ano: 2014 Total de frentes de obra: 38 Valor investido: R$ 611.915.791,00 Número de trabalhadores nas obras:

Leia mais

24º Fórum de Debates Brasilianas.org

24º Fórum de Debates Brasilianas.org Transportes 24º Fórum de Debates Brasilianas.org Os desafios da logística e infraestrutura Marcos regulatórios e entraves burocráticos Reginaldo Cardoso São Paulo, 30 de Maio de 2012 Deutsche Post - DHL

Leia mais

Estradeiro Expedição. Santo Antônio das Lendas

Estradeiro Expedição. Santo Antônio das Lendas Estradeiro Expedição Santo Antônio das Lendas Maio/2013 1. Introdução O Movimento Pró-Logística que reúne as entidades: Associação dos Produtores de Soja e Milho do Estado de Mato Grosso APROSOJA, Associação

Leia mais

7 Estudo de Caso: Malha Ferroviária Centro-Sul

7 Estudo de Caso: Malha Ferroviária Centro-Sul 7 Estudo de Caso: Malha Ferroviária Centro-Sul 7.1 Apresentação Este capítulo destina-se ao estudo de caso: projeção da demanda de açúcar na malha ferroviária Centro-Sul. Para o estudo de caso o trabalho

Leia mais

INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA PERNAMBUCO. Elber Justo MSC 2016

INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA PERNAMBUCO. Elber Justo MSC 2016 INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA PERNAMBUCO Elber Justo MSC 2016 AS EMPRESAS DO GRUPO MSC Desde 1970, a MSC tem crescido e se tornado uma das maiores transportadoras marítimas do mundo. Durante

Leia mais

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA Abril 2014

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA Abril 2014 APRESENTAÇÃO CORPORATIVA Abril 2014 01 MUDANÇA DE CONTROLE MUDANÇA DE CONTROLE Instituição líder no setor de energia global US$ 12.8 bilhões sob gestão US$765 milhões investidos no Brasil (TBG, Sete Brasil

Leia mais

01 de setembro de Belém - PA. Adalberto Tokarski Diretor

01 de setembro de Belém - PA. Adalberto Tokarski Diretor 01 de setembro de 2015. Belém - PA Adalberto Tokarski Diretor AGENDA 1. AS HIDROVIAS BRASILEIRAS 2. COMPLEXO HIDROVIÁRIO REGIÃO AMAZÔNICA 3. EVOLUÇÃO DA PRODUÇÃO DE GRÃOS 4. NOVOS INVESTIMENTOS Região

Leia mais

Desenvolvimento do Modal Ferroviário FIESP

Desenvolvimento do Modal Ferroviário FIESP Desenvolvimento do Modal Ferroviário FIESP Julho/2015 Principais Investimentos da MRS em São Paulo Julho/2015 Para suportar o crescimento futuro a MRS vem realizando investimentos significativos como forma

Leia mais

Gargalos dos portos do Rio de Janeiro. Sistema FIRJAN

Gargalos dos portos do Rio de Janeiro. Sistema FIRJAN Gargalos dos portos do Rio de Janeiro Sistema FIRJAN 14 de fevereiro de 2014 Principais portos do Rio de Janeiro (incluindo novas unidades em estágio avançado) Açu (São João da Barra) Angra dos Reis Itaguaí

Leia mais

TRENS DE ALTA VELOCIDADE

TRENS DE ALTA VELOCIDADE TRENS DE ALTA VELOCIDADE LINHA RIO SÃO PAULO OS PROJETOS AVALIADOS TRANSCORR RSC, desenvolvido sob a coordenação do GEIPOT (empresa vinculada ao MT, atualmente em processo de liquidação), com recursos

Leia mais

Projeto de Desenvolvimento Regional Integrado e Sustentável do Tocantins

Projeto de Desenvolvimento Regional Integrado e Sustentável do Tocantins Projeto de Desenvolvimento Regional Integrado e Sustentável do Tocantins Novembro 2015 1 Logística 2 Logística 3 Logística 4 Logística 5 Logística 6 Logística 7 Logística 8 Logística 9 Modais Comparativo

Leia mais

CAOS LOGÍSTICO REGIONAL

CAOS LOGÍSTICO REGIONAL CAOS LOGÍSTICO REGIONAL O POLO, O PORTO E AS CIDADES NÃO PODEM PARAR Carolina Lembo Gerente do Departamento de Infraestrutura ÍNDICE 1. Contextualização 2. Vantagens do Polo de Cubatão 3. Entraves Logísticos

Leia mais

IV Brasil nos Trilhos

IV Brasil nos Trilhos IV Brasil nos Trilhos Crescimento do Setor Ferroviá Bruno Batista Diretor Executivo CNT Brasília, 11 de agosto de 2010. Objetivos da Pesquisa Identificar as alterações ocorridas no setor nos últimos anos

Leia mais

Cold Chain Capacity and Growth in Latin America. Jose Luis Demeterco CEO, Brado Logistica S.A.

Cold Chain Capacity and Growth in Latin America. Jose Luis Demeterco CEO, Brado Logistica S.A. Cold Chain Capacity and Growth in Latin America Jose Luis Demeterco CEO, Brado Logistica S.A. Click here to play VIDEO O INÍCIO Duas empresas pioneiras que por seis anos operaram através de contratos

Leia mais

Oportunidades para apoio ao desenvolvimento do Centro Oeste. 25 de junho de 2013.

Oportunidades para apoio ao desenvolvimento do Centro Oeste. 25 de junho de 2013. Oportunidades para apoio ao desenvolvimento do Centro Oeste. 25 de junho de 2013. O Estado de Goiás Goiás, uma das 27 unidades federativas, está situado na região Centro Oeste do País ocupando uma área

Leia mais