Ciclo de Vida em QA Uma perspetiva complementar

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ciclo de Vida em QA Uma perspetiva complementar"

Transcrição

1 Ciclo de Vida em QA Uma perspetiva complementar André Cristóvão Martins ALFRAPARK Edifício C Piso 2 Estrada do Seminário, 4 - Alfragide AMADORA (Portugal) Telemóvel: de Junho de 2012 Resumo Pretende-se com este artigo dar a conhecer boas práticas circundantes ao processo de desenvolvimento de Software com vista a contribuir para o aumento de eficiência/eficácia e qualidade do produto final a desenvolver. Este artigo é também um testemunho pessoal com vista a que todos os leitores possam encarar a qualidade com outros olhos. Palavras-chave: Quality Assurance, Automatização, Integração Contínua, Autonomia de uma equipa de QA Onde Começa QA? É sabido que quanto mais cedo existirem tarefas de Quality Assurance no seio de um projeto, maior ganho de qualidade tem o produto final. O Modelo V (ilustrado na Figura 1) advoga isso mesmo, sendo um modelo que representa um processo de desenvolvimento de Software. Sucintamente, o Modelo V enfatiza a importância de considerar as atividades de testes durante o processo, ao invés de uma fase de testes após o término do processo. Deste modo, aquando levantamento dos requisitos e definição da especificação funcional, uma equipa de testes deve, paralelamente, elaborar o caderno de especificação de casos de teste de aceitação e o caderno de especificação de casos de teste funcionais. Posteriormente e, com a elaboração do caderno de especificação técnica, a equipa de testes deve conceber o caderno de especificação de casos de teste de integração. Na fase de implementação dos módulos de software são especificados os casos de teste unitários. Nesta fase, é atingido o vértice do V e começa a execução dos testes anteriormente especificados. Cronologicamente a execução dos testes inicia-se pelos testes unitários que é seguida depois pela execução dos testes funcionais e de integração e, por fim, a execução dos testes de aceitação, estes já executados pelo cliente delegando à equipa de testes um papel de acompanhamento/esclarecimento da execução dos testes. Ciclo de Vida em QA Uma perspetiva complementar Página 1

2 Figura 1 - Modelo V Esta abordagem traz a meu ver duas grandes vantagens: 1- Antecipar possíveis não-conformidades em qualquer ponto do projeto, reduzindo o custo de resolução e evitando a propagação de uma não-conformidade por outros módulos; 2- Antecipar a necessidade do conhecimento do negócio de uma equipa de testes permitindo a esta um aumento de eficácia e eficiência aquando início da execução dos testes; Com esta introdução processual, vamos agora descer um patamar e centralizarmo-nos na origem do Software propriamente dita. Procurarei abordar aplicações e boas práticas que servem de catalisadores para a qualidade do produto final. Aplicações de Controlo de Versões Para os menos familiarizados, uma aplicação de controlo de versões não é mais que um grande repositório centralizado onde são armazenados quaisquer artefactos produzidos pelas diversas equipas constituintes num projeto, sejam eles propostas, requisitos, especificações funcionais, especificações técnicas, cadernos de casos de teste, código, etc. e onde são controladas as alterações destes. Aplicações como Commit Monitor tornam possível saber em modo real quem, quando e o que foi alterado. Como sugestão, deixo a boa prática de condicionar a necessidade de introduzir comentários à ação de commit, isto é, impossibilitar commits sem qualquer comentário. Integração Contínua A ideia subjacente à integração contínua é, como o próprio nome indica, adotar mecanismos que integram continuadamente o código que vai sendo produzido. Deste modo, qualquer código novo é compilado com o código já existente oferecendo com isso um controlo de qualidade contínuo e contribuindo para um aumento de qualidade do Software e uma redução do tempo de disponibilização do mesmo nos ambientes. Desta forma, consegue-se antecipar possíveis conflitos entre os diversos Ciclo de Vida em QA Uma perspetiva complementar Página 2

3 módulos de Software. Subjacente a esta abordagem, um developer antes de fazer qualquer commit deve efetuar update para a sua máquina local do código existente no repositório. A grande vantagem é evitar integrações massivas e, sempre trabalhosas, do código produzido pelos vários developers evitando necessidade de rework. Complementarmente as aplicações de integração contínua (e.g. Hudson, Jenkins, etc) suportam (recorrendo a um só comando) o processo de criação e subida do Software para os ambientes existentes, bem como estão capacitados para despoletarem baterias de testes automáticos sempre que o servidor deteta um novo commit. Processo Automático Exemplo de uma arquitetura possível 1- A cada commit realizado o servidor de Controlo de Versões regista a alteração efetuada; 2- A cada commit realizado o servidor de integração contínua é notificado; 3- A cada commit realizado o servidor de integração contínua despoleta a bateria de Sanity Tests; 4- Caso o ponto 3 tenha sucesso, é dado início à disponibilização da nova versão de Software para os ambientes de teste; 5- A cada commit realizado o servidor de integração contínua despoleta a bateria de testes de regressão; 6- Criação automática de incidências quando a execução de um caso de teste falha; 7- Geração automática do relatório de execução da bateria com envio automático dos resultados para os membros da equipa do projeto por e instant messaging. Figura 2 - Processo Automático 1 Ciclo de Vida em QA Uma perspetiva complementar Página 3

4 Natureza da Aplicação a Desenvolver A equipa de desenvolvimento pode contribuir de forma preponderante como facilitadora aquando idealização da natureza da aplicação a desenvolver. Seguidamente, são apresentadas boas práticas que contribuem para a qualidade de Software. Registo de mensagens de integração É boa prática munir uma aplicação com ecrãs que permitem consultar a troca de mensagens entre a própria aplicação e as aplicações com que integram. Mensagens que costumam estar apenas presentes em tabelas de base de dados passam a estar facilmente acessíveis na própria aplicação, permitindo a qualquer momento efetuar uma análise de situações de erro mais detalhada. Indicadores de performance A importância de monitorizar os indicadores da memória que está a ser alocada, da percentagem de cpu, número de sessões ativas, tempos de resposta por cada chamada htlm, etc, ganha uma maior dimensão se estes indicadores estiverem acessíveis por um ecrã e associados a alarmísticas que avisam quando os indicadores estiverem a revelar uma degradação na aplicação. Processo de deployment ágil Cada vez mais é uma vantagem criar mecanismos que permitem com facilidade disponibilizar novas funcionalidades da aplicação, evitando recorrer à necessidade de criação de pacotes de Software e respetivo deployment para os ambientes. Processo este que acaba por ser algo moroso. Exemplos desses mecanismos são: o recurso a configurações xml que permitem, por exemplo, mudar todo um funcionamento de um ecrã recorrendo apenas a uma só intervenção; código protegido por funcionalidades que podem a qualquer momento, e através da própria aplicação, ser ativadas ou desativadas sem recurso a qualquer criação de pacotes de Software. Desta forma, evita-se a necessidade de ter várias linhas de desenvolvimento e passa-se a ter uma só linha; na realidade as novas funcionalidades estão sempre presentes, mesmo quando ainda inacabadas, mas devidamente desabilitadas. Gestão de Acessos É essencial e comum prever distintos perfis de acesso à aplicação. Temos, por exemplo, o perfil do utilizador final e o perfil administrador que habilita ao utilizador acesso total aos módulos da aplicação. Existem também perfis com base na própria organização da empresa cliente: uma direção x tem acesso a determinados módulos, os mesmos não são disponibilizados aos utilizadores da direção y. Isolamento O isolamento de uma aplicação é uma característica da testabilidade e traduz-se no grau em que o componente alvo de teste pode ser testado isoladamente. Garanti-lo permite criar funcionalidades configuradas às respostas das aplicações externas, isto é, com base no preenchimento de atributos de ecrã obtenho uma resposta x simulada, com base num preenchimento alternativo, obtenho uma resposta y simulada, e assim sucessivamente. Este isolamento deve também ser facilmente habilitado ou desabilitado a qualquer instante. Amiga da Automatização A idealização de uma aplicação deve desde logo prever que a mesma irá ter uma vertente de automatização de testes, pelo que o seu cariz deve prever a criação de facilitadores para a automatização. Exemplos destes são: a geração de TestIDs que se traduzem por identificadores unívocos de todos os elementos da aplicação; e a geração de ações de negócio com vista à automatização keyword driven. As vantagens inerentes a esta saudável amizade, passam por possibilitar Ciclo de Vida em QA Uma perspetiva complementar Página 4

5 usar uma ferramenta de automatização de testes integrada com a plataforma de desenvolvimento; desenho da automatização dos casos de negócio recorrendo a ações de negócio da aplicação e permitindo que a automatização esteja ao alcance de qualquer membro das equipas de projeto, tenham eles perfis de tester, funcional ou desenvolvimento. Indicação do número da revisão do código Um pormenor como disponibilizar a indicação do número da revisão do código na própria aplicação, faz muita diferença pois permite a uma equipa de QA saber a qualquer momento que revisão do código se encontra a testar. Deste modo, o ónus da decisão de subida de novo Software passa para a equipa de QA. Num processo de gestão de resolução de defeitos permite abolir a etapa de passar um incidente de resolvido para pronto a ser testado. A equipa de desenvolvimento deixa de ter a preocupação acrescida de subir correções. Amiga da abertura de incidentes Outro pormenor de grande eficiência é habilitar a aplicação, em ambiente de teste, com ecrãs munidos de links para abertura de incidentes com a automatização da ação de anexar a imagem do ecrã onde se detetou o incidente. Diversidade de ambientes Numa fase inicial ao projeto deve ser reconhecida e garantida a existência de vários ambientes, cada um com o seu propósito. Assim, recomendo como proposta minimalista a existência dos seguintes ambientes: 1- Ambiente local Tipicamente o ambiente de cada developer; 2- Ambiente de Desenvolvimento Usado pela equipa de desenvolvimento e tem como objetivo a realização dos primeiros testes de integração; 3- Ambiente de Testes Utilizado em exclusivo pela equipa de testes e com integração com outras aplicações externas; 4- Ambiente de Qualidade Evolutiva Usado pelo cliente com vista à aceitação do Software; 5- Ambiente de Qualidade Manutenção Usado para correções/validações de incidentes detetados em ambiente produtivo; 6- Ambiente Produtivo Utilizado pelo cliente final nas tarefas do dia-a-dia. Eventualmente pode haver necessidade de ter ainda um ambiente pré-produtivo e outro de formação. É boa prática garantir refrescamentos de dados periodicamente garantindo homogeneidade entre os diversos ambientes, diminuindo a degradação dos dados e salvaguardando o esforço da necessidade de reparação de dados aquando problemas de Software. A Autonomia de uma Equipa de QA Os pontos focados anteriormente permitem um incremento substancial na autonomia de uma equipa de QA. Esta equipa pode então gerir a subida de Software para os ambientes de testes e qualidade; Ativar ou desativar as diversas funcionalidades da aplicação, estando inerente a ativação em ambiente de qualidade apenas e só após ter certificado a mesma no ambiente de testes; Estar munida de ecrãs que lhe permitem um maior conhecimento na origem dos problemas que vai detetando, permitindolhes coletar informação com valor acrescentado aquando registo de incidências; etc. Sucintamente, uma equipa de QA autónoma é uma equipa com maior conhecimento e mais próxima da equipa técnica. A proximidade é conseguida quando a equipa técnica reconhece o valor acrescentado na Ciclo de Vida em QA Uma perspetiva complementar Página 5

6 informação do incidente e reconhece que o tempo necessário da análise ao problema diminui, estando a mesma focada única e exclusivamente na resolução do incidente. Onde Termina QA? Esta pergunta é de difícil resposta mas creio que as atividades de QA nunca terminam na realidade até o ciclo de vida da aplicação terminar. Vivemos atualmente numa era de constante mudança. As aplicações acompanham a mudança, seja ela económica ou social. A minha opinião muito pessoal é que o mindset de uma equipa de QA deve mudar e, enquanto recurso de uma equipa de QA que sou, só fico de consciência tranquila quando, depois de ter certificado uma funcionalidade de Software, garanto também que automatizo a funcionalidade que certifiquei, deste modo sei que o meu trabalho irá perpetuar a cada execução de bateria de testes automáticos, garantindo que a funcionalidade que certifiquei mantém-se estável e garantindo que problemas oriundos de regressão sejam rapidamente detetados. É também boa prática mudar a forma de encarar incidentes detetados em Produção, isto é, o objetivo será sempre de tentar garantir ao máximo um Software isento de incidentes, mas porque os há, cabe a uma equipa garantir também que a resolução dos mesmos seja também ela automatizada e diariamente verificada nas baterias de testes de regressão. Deste modo a qualidade deve ser assumida de forma proactiva e reativa ao longo do ciclo de vida de desenvolvimento da aplicação, nunca esquecendo a máxima que qualquer não-conformidade detetada numa fase inicial do projeto limita o impacto e o custo de resolução da mesma. Ciclo de Vida em QA Uma perspetiva complementar Página 6

7 Acerca do Autor André Martins tem 8 anos de experiência profissional na área de Software Testing e Quality Assurance tendo iniciado a sua carreira profissional como SW Tester em Setembro de 2004 no grupo IC R&D Mobile E2E Solutions da Siemens, tendo acumulado funções de Test Coordinator em Em 2006, integrou na empresa nacional de SW Testing WinTrust como consultor de Quality Assurance. Durante esta fase, desempenhou funções de desenho e execução de casos de teste funcionais em clientes como ITIJ, Vodafone, CelFocus, BPI, TIMw.e., Millennium BCP, Vodafone, através de parcerias com a Novabase e Critical SW. Ainda como consultor de QA da WinTrust esteve envolvido na conceção de uma arquitetura de testes automatizados no cliente OutSystems. Em 2008, passou pela Caixa Leasing e Factoring tendo como responsabilidade assegurar a passagem de conhecimento da metodologia de testes adotada pela WinTrust a colaboradores da Caixa Leasing e Factoring da DSI. Através de uma parceria com a Lógica foi responsável pela Automatização, Implementação e Execução dos cenários de teste de carga no âmbito da migração do sistema de base de dados de DB2 para Oracle das aplicações SAP SEAG e SGCC-SEP da EDP. No final de 2008 e até final de 2009, esteve no projeto Nova Plataforma de Balcões da CGD onde exerceu as funções de Arquiteto Chefe, Arquiteto Líder, Analista de Testes e Analista de Dados e onde teve papel preponderante na Automatização de Testes Funcionais. Em Dezembro de 2009 ingressou na INDRA onde é atualmente o responsável pela Equipa de Quality Assurance da aplicação SIT-e da PT Comunicações. Possui certificação ISTQB Foundation Level desde 2008 e é Licenciado em Engenharia de Telecomunicações e Informática pelo ISCTE. Ciclo de Vida em QA Uma perspetiva complementar Página 7

Retorno do Investimento em Testes Software

Retorno do Investimento em Testes Software Retorno do Investimento em Testes Software Rui Ribeiro Santos Av. Conde de Valbom, 30 8º 1050-068 Lisboa PORTUGAL Telef: +351 213 510 540 Fax: +351 213 510 549 Email: rui.santos@wintrust-intl.com URL:

Leia mais

Plataforma integrada para testes em arquitecturas orientadas a serviços

Plataforma integrada para testes em arquitecturas orientadas a serviços Plataforma integrada para testes em arquitecturas orientadas a serviços Índice Introdução... 2 A solução... 2 Plataforma Integrada (principais características)... 4 Eliminar limitações à execução de testes

Leia mais

System Quality Assurance

System Quality Assurance System Quality Assurance Visão Reduzir os custos inerentes à existência de defeitos em produção, em sistemas de alta complexidade funcional e de elevada heterogeneidade tecnológica, através de um conjunto

Leia mais

Software Open Source e Integração Contínua no Instituto de Informática Ferramentas de Integração Contínua

Software Open Source e Integração Contínua no Instituto de Informática Ferramentas de Integração Contínua Software Open Source e Integração Contínua no Instituto de Informática Ferramentas de Integração Contínua Janeiro 2015 Área de Desenvolvimento Departamento de Arquitetura e Desenvolvimento Agenda Processo

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional Apresentação Institucional Visão Geral A Logica Adviser SAP A Logica Adviser SAP é formada por profissionais com ampla experiência no mercado SAP. Sua essência está baseada nos princípios da: Qualidade

Leia mais

Atualizações Automáticas GUIA DE PROCEDIMENTOS E CONFIGURAÇÕES

Atualizações Automáticas GUIA DE PROCEDIMENTOS E CONFIGURAÇÕES Atualizações Automáticas GUIA DE PROCEDIMENTOS E CONFIGURAÇÕES Alidata Versão 1.0 Data de Revisão: 04.12.2013 1. ENQUADRAMENTO Este documento inclui os procedimentos e configurações para fazer as atualizações

Leia mais

Gestão da qualidade do software

Gestão da qualidade do software Gestão da qualidade do software Empenhada em assegurar que o nível de qualidade requerido de um produto de software é atingido Envolve a definição de normas e procedimentos de qualidade apropriados, e

Leia mais

Soluções de Gestão de Clientes e Impressão Universal

Soluções de Gestão de Clientes e Impressão Universal Soluções de Gestão de Clientes e Impressão Universal Manual do utilizador Copyright 2007 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Windows é uma marca registada da Microsoft Corporation nos E.U.A. As informações

Leia mais

Gestão de Configurações II

Gestão de Configurações II Gestão de Configurações II Bibliografia Livro: Software Configuration Management Patterns: Effective Teamwork, Practical Integration Gestão de Projecto 14 Padrões de Gestão Os padrões de gestão de configurações

Leia mais

LASAP. Visão Geral. LASAP Institucional

LASAP. Visão Geral. LASAP Institucional LASAP Visão Geral A LASAP A LASAP é formada por profissionais com ampla experiência no mercado SAP. Sua essência está baseada nos princípios da: Qualidade e Pontualidade na entrega dos projetos Inovação

Leia mais

1. Introdução ao. Crystal Reports

1. Introdução ao. Crystal Reports 1. Introdução ao Crystal Reports Como é sabido e geralmente aceite por todos nós, vivemos um período onde a complexidade dos negócios é cada vez maior, tal como o prova a intensificação da concorrência,

Leia mais

Qpoint Rumo à excelência empresarial

Qpoint Rumo à excelência empresarial Qpoint Rumo à excelência empresarial primavera bss A competitividade é cada vez mais decisiva para o sucesso empresarial. A aposta na qualidade e na melhoria contínua da performance dos processos organizacionais

Leia mais

Documentação significa as especificações, a documentação do usuário, os manuais e os guias técnicos entregues com o software da CA.

Documentação significa as especificações, a documentação do usuário, os manuais e os guias técnicos entregues com o software da CA. Política e Termos de Suporte da CA 1. Visão Geral O Suporte para softwares da CA consiste em assistência operacional e suporte técnico oferecidos pela CA, a seu critério razoável, durante o prazo estabelecido

Leia mais

Serviço de Faturação Eletrónica

Serviço de Faturação Eletrónica E-Invoicing Serviço prestado em acordo de interoperabilidade com a: Nov.2013 Ref. 02.007.14353 ÍNDICE 1 O que é uma Fatura Eletrónica? 3 2 Porquê a Faturação Eletrónica? 4 3 Quais as Vantagens? 7 4 O papel

Leia mais

Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL

Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL Information Technology Infrastructure Library ou Biblioteca de Infraestrutura da Tecnologia da Informação A TI de antes (ou simplesmente informática ),

Leia mais

PRIMAVERA BUSINESS SOFTWARE SOLUTIONS, SA

PRIMAVERA BUSINESS SOFTWARE SOLUTIONS, SA PRIMAVERA BUSINESS SOFTWARE SOLUTIONS, SA Introdução Nesta edição do Catálogo de Serviços apresentamos os vários tipos de serviços que compõe a actual oferta da Primavera na área dos serviços de consultoria.

Leia mais

ERP: Pacote Pronto versus Solução in house

ERP: Pacote Pronto versus Solução in house ERP: Pacote Pronto versus Solução in house Introdução Com a disseminação da utilidade e dos ganhos em se informatizar e integrar os diversos departamentos de uma empresa com o uso de um ERP, algumas empresas

Leia mais

Livraria dos Mestres

Livraria dos Mestres Gestão de Projectos Informáticos Livraria dos Mestres 3ª Entrega Empresa B Grupo nº 11 João Maurício nº 53919 Ricardo Carapeto nº 53942 Nuno Almeida nº 53946 Page 1 of 28 Índice 1. Sumário para a Gestão

Leia mais

12 EXCEL MACROS E APLICAÇÕES

12 EXCEL MACROS E APLICAÇÕES INTRODUÇÃO O principal objetivo deste livro é auxiliar o leitor na sua aprendizagem sobre os recursos avançados do Excel em especial na interligação com o Visual Basic for Applications (VBA). Pretende-se

Leia mais

Concurso público para aquisição de plataforma de facturação electrónica. Resposta aos pedidos de esclarecimentos. Julho de 2009

Concurso público para aquisição de plataforma de facturação electrónica. Resposta aos pedidos de esclarecimentos. Julho de 2009 GLOBALGARVE COOPERAÇÃO E DESENVOLVIMENTO, SA Concurso público para aquisição de plataforma de facturação electrónica Resposta aos pedidos de esclarecimentos Julho de 2009 Página 1 de 7 No seguimento do

Leia mais

Bem-vindo à apresentação do SAP Business One.

Bem-vindo à apresentação do SAP Business One. Bem-vindo à apresentação do SAP Business One. Neste tópico, responderemos à pergunta: O que é o Business One? Definiremos o SAP Business One e discutiremos as opções e as plataformas disponíveis para executar

Leia mais

QMS QUALIDADE COMUNICAÇÃO DE GESTÃO DA ESTRUTURA CONFIANÇA DECISÃO MODELO. ambidata GARANTIA SISTEMA GESTÃO SISTEMA RELATÓRIO SOFTWARE

QMS QUALIDADE COMUNICAÇÃO DE GESTÃO DA ESTRUTURA CONFIANÇA DECISÃO MODELO. ambidata GARANTIA SISTEMA GESTÃO SISTEMA RELATÓRIO SOFTWARE GARANTIA QMS SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE COMUNICAÇÃO GESTÃO SOFTWARE RELATÓRIO CONFIANÇA DECISÃO MODELO ESTRUTURA SISTEMA ambidata Digital Innovation Solutions & Consulting # 1 ATRIBUTOS DE UM PRODUTO

Leia mais

PHC TeamControl CS. A gestão de equipas e de departamentos

PHC TeamControl CS. A gestão de equipas e de departamentos PHC TeamControl CS A gestão de equipas e de departamentos A solução que permite concretizar projetos no tempo previsto e nos valores orçamentados contemplando: planeamento; gestão; coordenação; colaboração

Leia mais

EVOLUÇÃO DE SOFTWARE

EVOLUÇÃO DE SOFTWARE EVOLUÇÃO DE SOFTWARE Dinâmica da evolução de programas Manutenção de software Processo de evolução Evolução de sistemas legados 1 Mudança de Software 2 Manutenção de software Mudança de software é inevitável

Leia mais

Núvem Pública, Privada ou Híbrida, qual adotar?

Núvem Pública, Privada ou Híbrida, qual adotar? Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Gestão e Tecnologia da Informação - Turma 25 03/04/2015 Núvem Pública, Privada ou Híbrida, qual adotar? Paulo Fernando Martins Kreppel Analista de Sistemas

Leia mais

RESULTADOS PRÁTICOS DO USO DE INTEGRAÇÃO CONTÍNUA COM O JENKINS. Emerson Cordeiro Vieira. emerson@7comm.com.br

RESULTADOS PRÁTICOS DO USO DE INTEGRAÇÃO CONTÍNUA COM O JENKINS. Emerson Cordeiro Vieira. emerson@7comm.com.br RESULTADOS PRÁTICOS DO USO DE INTEGRAÇÃO CONTÍNUA COM O JENKINS Emerson Cordeiro Vieira emerson@7comm.com.br PAUTA Caracterização da empresa Motivação Arquitetura da solução Resultados Lições aprendidas

Leia mais

Identificação rápida de gargalos Uma forma mais eficiente de realizar testes de carga. Um artigo técnico da Oracle Junho de 2009

Identificação rápida de gargalos Uma forma mais eficiente de realizar testes de carga. Um artigo técnico da Oracle Junho de 2009 Identificação rápida de gargalos Uma forma mais eficiente de realizar testes de carga Um artigo técnico da Oracle Junho de 2009 Identificação rápida de gargalos Uma forma mais eficiente de realizar testes

Leia mais

Manual de Instalação v7.60. PRIMAVERA Business Software Solutions (última atualização em 27.03.2014) (última actualização em 27.02.

Manual de Instalação v7.60. PRIMAVERA Business Software Solutions (última atualização em 27.03.2014) (última actualização em 27.02. Manual de Instalação v7.60 PRIMAVERA Business Software Solutions (última atualização em 27.03.2014) (última actualização em 27.02.2012) Índice Índice... 1 Introdução... 2 Instalação do Software... 3 Requisitos

Leia mais

Sobre a Prime Control

Sobre a Prime Control Sobre a Prime Control A Prime Control é um Centro de Excelência em Qualidade de Software. Nossa missão é desenvolver, aperfeiçoar e realizar serviços de testes de software inovadores que agregam valor

Leia mais

Processo de declaração de conformidade de software PEM

Processo de declaração de conformidade de software PEM Processo de declaração de conformidade de software agosto, 2015 Versão 2,0 Este trabalho não pode ser reproduzido ou divulgado, na íntegra ou em parte, a terceiros nem utilizado para outros fins que não

Leia mais

HP Quality Center. Preparar materiais de treinamento e observações para a nova versão 16 Suporte pós-atualização 16 Suporte 17 Chamada à ação 17

HP Quality Center. Preparar materiais de treinamento e observações para a nova versão 16 Suporte pós-atualização 16 Suporte 17 Chamada à ação 17 Documento técnico HP Quality Center Atualize o desempenho Índice Sobre a atualização do HP Quality Center 2 Introdução 2 Público-alvo 2 Definição 3 Determine a necessidade de uma atualização do HP Quality

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software CENTRO UNIVERSITÁRIO NOVE DE JULHO Profº. Edson T. França edson.franca@uninove.br Software Sistemas Conjunto de elementos, entre os quais haja alguma relação Disposição das partes ou dos elementos de um

Leia mais

Gerência de Configuração de Software Funções

Gerência de Configuração de Software Funções Universidade Estadual de Maringá Departamento de Informática Ciência da Computação Processo de Engenharia de Software II Gerência de Configuração de Software Funções Rafael Leonardo Vivian {rlvivian.uem

Leia mais

Manual de utilização do Moodle

Manual de utilização do Moodle Manual de utilização do Moodle Docentes Universidade Atlântica 1 Introdução O conceito do Moodle (Modular Object Oriented Dynamic Learning Environment) foi criado em 2001 por Martin Dougiamas, o conceito

Leia mais

Lisboa, 18 de Janeiro de 2004

Lisboa, 18 de Janeiro de 2004 Lisboa, 18 de Janeiro de 2004 Realizado por: o Bruno Martins Nº 17206 o Cátia Chasqueira Nº 17211 o João Almeida Nº 17230 1 Índice 1 Índice de Figuras... 3 2 Versões... 4 3 Introdução... 5 3.1 Finalidade...

Leia mais

Matriz de Cursos. Testes para melhoria da Qualidade dos Sistemas. ATHOS Tecnologia

Matriz de Cursos. Testes para melhoria da Qualidade dos Sistemas. ATHOS Tecnologia Matriz de Testes para melhoria da Qualidade dos Sistemas ATHOS Tecnologia Testes para melhoria da Qualidade dos Sistemas - Apresentação e Instruções A matriz a seguir apresenta os cursos para Testes mais

Leia mais

Processo de Desenvolvimento de Software. Unidade V Modelagem de PDS. Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com

Processo de Desenvolvimento de Software. Unidade V Modelagem de PDS. Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Processo de Desenvolvimento de Software Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Conteúdo Programático desta aula Modelo Cascata (Waterfall) ou TOP DOWN. Modelo Iterativo. Metodologia Ágil.

Leia mais

PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE. Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software

PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE. Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE Introdução Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software Os modelos de processos de desenvolvimento de software surgiram pela necessidade de dar resposta às

Leia mais

Softwares de Sistemas e de Aplicação

Softwares de Sistemas e de Aplicação Fundamentos dos Sistemas de Informação Softwares de Sistemas e de Aplicação Profª. Esp. Milena Resende - milenaresende@fimes.edu.br Visão Geral de Software O que é um software? Qual a função do software?

Leia mais

Procifisc Engenharia e Consultadoria, Lda.

Procifisc Engenharia e Consultadoria, Lda. 01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 2 01. Apresentação da empresa, com sede em Castelo Branco, é uma empresa criada em 2007 que atua nos domínios da engenharia civil e da arquitetura. Atualmente, é uma empresa

Leia mais

Políticas de Qualidade em TI

Políticas de Qualidade em TI Políticas de Qualidade em TI Aula 05 MPS.BR (ago/12) Melhoria de Processo do Software Brasileiro Prof. www.edilms.eti.br edilms@yahoo.com Agenda Descrição sumária do MPS.BR - Melhoria de Processo do Software

Leia mais

O acesso à plataforma FAMS, para inventariação e/ou atualização dos registos patrimoniais pode fazer-se:

O acesso à plataforma FAMS, para inventariação e/ou atualização dos registos patrimoniais pode fazer-se: Plataforma online com acesso permanente via Internet, sem necessidade de recurso a VPN e totalmente integrável no ERP da empresa. Permite, por introdução do nº de inventário (manual, leitura do código

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA SUPORTE AO SISTEMA PROCESSO JUDICIAL ELETRÔNICO DA JUSTIÇA DO TRABALHO

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA SUPORTE AO SISTEMA PROCESSO JUDICIAL ELETRÔNICO DA JUSTIÇA DO TRABALHO 1102/2012 - Segunda-feira, 12 de Novembro de 2012 Conselho Superior da Justiça do Trabalho 1 MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA SUPORTE AO SISTEMA PROCESSO JUDICIAL ELETRÔNICO DA JUSTIÇA DO TRABALHO (Aprovado

Leia mais

Solução de Telecontagem. Gestão de Contratos. Esta solução é indicada para sistemas de contagem de caudal usando um mínimo de recursos.

Solução de Telecontagem. Gestão de Contratos. Esta solução é indicada para sistemas de contagem de caudal usando um mínimo de recursos. Solução de Telecontagem Esta solução é indicada para sistemas de contagem de caudal usando um mínimo de recursos. Os Dataloggers utilizados neste sistema, dispensam a necessidade de rede elétrica. Para

Leia mais

Automação do Processo de Instalação de Softwares

Automação do Processo de Instalação de Softwares Automação do Processo de Instalação de Softwares Aislan Nogueira Diogo Avelino João Rafael Azevedo Milene Moreira Companhia Siderúrgica Nacional - CSN RESUMO Este artigo tem como finalidade apresentar

Leia mais

Plataforma de Gestão de Actualizações de Software Descrição do Problema

Plataforma de Gestão de Actualizações de Software Descrição do Problema Plataforma de Gestão de Actualizações de Software Descrição do Problema Pedro Miguel Barros Morgado Índice Introdução... 3 Ponto.C... 4 Descrição do Problema... 5 Bibliografia... 7 2 Introdução No mundo

Leia mais

Janeiro 2012. Instruções de Segurança. Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores

Janeiro 2012. Instruções de Segurança. Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores Cenário 1 Alarme de reconhecimento Responsável Bloco faz o reconhecimento Atuação Equipa 1ª Intervenção Alarme Parcial Bloco A Atuação Equipa Evacuação Bloco A Situação Controlada? Sinistro? Sim Não Reposição

Leia mais

Solução de Gestão de Contraordenações - STICO. Apresentação de Solução

Solução de Gestão de Contraordenações - STICO. Apresentação de Solução Solução de Gestão de Contraordenações - STICO Apresentação de Solução A Oferta dos CTT Expresso e encomendas Courrier Estafetagem Logística Serviços Financeiros Produtos Poupanças Seguros Soluções Pagamentos

Leia mais

Manual de Utilizador MDDE Plug-in (Windows) 1 of 22

Manual de Utilizador MDDE Plug-in (Windows) 1 of 22 Manual de Utilizador MDDE Plug-in (Windows) 1 of 22 Marca do Dia Eletrónica (MDDE) A Marca De Dia Eletrónica (MDDE) é um serviço, concebido por CTT e MULTICERT, que coloca uma "estampilha eletrónica" num

Leia mais

Manual de Utilização Moodle@ISPAB

Manual de Utilização Moodle@ISPAB Manual de Utilização Moodle@ISPAB [Estudante] Pedro Valente Gabinete de Avaliação e Qualidade (GAQ) gaq@ispab.pt Criado em: 07/10/2014 Última alteração em: 07/10/2014 Versão: 0.9 1 Sumário O manual de

Leia mais

Declaração de Privacidade

Declaração de Privacidade Declaração de Privacidade A Kelly Services, Inc. e as suas subsidiárias ("Kelly Services" ou Kelly ) respeitam a sua privacidade e reconhecem que possui determinados direitos relacionados com quaisquer

Leia mais

PROTEKTO ACTFAST. Soluções para Segurança Pública. Porque todos os segundos contam

PROTEKTO ACTFAST. Soluções para Segurança Pública. Porque todos os segundos contam PROTEKTO Porque todos os segundos contam Soluções para Segurança Pública A resposta às ocorrências no âmbito da segurança pública, têm de ser imediatas, eficientes e eficazes. Cada resposta operacional,

Leia mais

Principais Vantagens do Microsoft Visual Studio Team System

Principais Vantagens do Microsoft Visual Studio Team System Principais Vantagens do Microsoft Visual Studio Team System White Paper Novembro de 2008 Para obter as últimas informações, visite o site www.msdnbrasil.com.br/vstudio As informações contidas neste documento

Leia mais

CONNOSCO AS SUAS FATURAS PODEM SER CASH

CONNOSCO AS SUAS FATURAS PODEM SER CASH CONNOSCO AS SUAS FATURAS PODEM SER CASH SOLUÇÃO DE FATURAÇÃO CASH ON TIME ESTE É O SEU MILLENNIUM. www.millenniumbcp.pt SOLUÇÃO DE FATURAÇÃO CASH ON TIME TUDO O QUE PRECISA DE SABER ÍNDICE 01. CASH ON

Leia mais

Teste de Software Apresentação

Teste de Software Apresentação Teste de Software Apresentação Prof Daves Martins Msc Computação de Alto Desempenho Email: daves.martins@ifsudestemg.edu.br Agenda Teste de Software VV&T e Defeitos de Software Inspeção de Software Teste

Leia mais

PHC Doc. Eletrónicos CS

PHC Doc. Eletrónicos CS Descritivo PHC Documentos Electrónicos CS PHC Doc. Eletrónicos CS A diminuição dos custos da empresa A solução que permite substituir a típica correspondência em papel, agilizando os processos documentais

Leia mais

O Valor do Licenciamento do SQL Server 2012 Versus Oracle Database

O Valor do Licenciamento do SQL Server 2012 Versus Oracle Database White Paper Publicado em: Janeiro de 2012 Aplica-se ao: SQL Server 2012 O Valor do Licenciamento do SQL Server 2012 Versus Oracle Database Resumo: As mudanças no produto e no licenciamento da Microsoft

Leia mais

PHC dteamcontrol Externo

PHC dteamcontrol Externo PHC dteamcontrol Externo A gestão remota de projetos e de informação A solução via Internet que permite aos seus Clientes participarem nos projetos em que estão envolvidos, interagindo na otimização dos

Leia mais

Adenda R4. Entidades Adjudicantes. Uma Empresa Certificada ISO 9001 e ISO 27001

Adenda R4. Entidades Adjudicantes. Uma Empresa Certificada ISO 9001 e ISO 27001 Adenda R4 Entidades Adjudicantes Uma Empresa Certificada ISO 9001 e ISO 27001 Índice 1. Introdução 2. Novas Funcionalidades anogov R4 3. Novas Abordagens anogov R4 4. Novas Soluções anogov R4+ 5. Índice

Leia mais

SIARL Sistema de Administração do Recurso Litoral

SIARL Sistema de Administração do Recurso Litoral SIARL Sistema de Administração do Recurso Litoral João HERDEIRO 1, Marisa SILVA 1 e Paulo PATRÍCIO 1 1 Direção-Geral do Território, Portugal (ajherdeiro@dgterritorio.pt; marisas@dgterritorio.pt; ppatricio@dgterritorio.pt)

Leia mais

Termos e Condições EventKey - EvtKey

Termos e Condições EventKey - EvtKey 1 Termos e Condições EventKey - EvtKey O presente instrumento regula o acordo estabelecido entre a EventKey, Lda, com sede social em Rua das Dálias, 36, Fânzeres - Porto, com o capital social de 5.000,00

Leia mais

iportalmais Rua Passos Manuel, n.º 66 / 76 4000-381 Porto - Portugal Telefone: +351225 106 476 Fax: 225 189 722 mail@iportalmais.pt www.iportalmais.pt MULTICERT Estrada Casal de Canas, Lote 6 Alfragide

Leia mais

w w w. p c s i s t. c o m. b r

w w w. p c s i s t. c o m. b r w w w. p c s i s t. c o m. b r S E U P R O G R A M A D E P O N T O S P C Como gerenciar minha FORÇA DE VENDA em TEMPO REAL, pela internet, de qualquer lugar que eu estiver? Como acompanhar minhas vendas

Leia mais

Apresentação. Caro Cliente,

Apresentação. Caro Cliente, Serviços do Suporte Apresentação Caro Cliente, Esta cartilha irá ajudá lo a nos conhecer melhor, bem como nossos procedimentos e práticas para que em conjunto, possamos lhe dar o melhor atendimento. Índice

Leia mais

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA APRESENTAÇÃO CORPORATIVA 2015 Quem é a 2VG? A Empresa A 2VG Soluções Informáticas SA., é uma empresa tecnológica portuguesa, fundada em 2009, que surgiu para colmatar uma necessidade detetada no mercado

Leia mais

1. Contratos de aluguer automóvel

1. Contratos de aluguer automóvel 1. Contratos de aluguer automóvel Pretende-se desenvolver um Sistema Informático para apoio à gestão de Contratos de Aluguer automóvel de Longa-duração (SICAL) que permita efectuar, cancelar e modificar

Leia mais

Plug and play options, integrating systems Opções de plug and play, integrando sistemas Flavio de Nadai

Plug and play options, integrating systems Opções de plug and play, integrando sistemas Flavio de Nadai Plug and play options, integrating systems Opções de plug and play, integrando sistemas Flavio de Nadai Plug & Play Options Integrating Systems Flávio De Nadai Desenvolvimento de Negócios Utilities & Telecom

Leia mais

ArcGIS for Server: Administração e Configuração do Site (10.2)

ArcGIS for Server: Administração e Configuração do Site (10.2) ArcGIS for Server: Administração e Configuração do Site (10.2) Duração: 3 dias (24 horas) Versão do ArcGIS: 10.2 Material didático: Inglês Descrição Projetado para administradores, este curso ensina como

Leia mais

PHC dsuporte Interno

PHC dsuporte Interno Descritivo PHC dsuporte Interno PHC PHC dsuporte Interno O controlo da assitência técnica da empresa A ferramenta essencial para o técnico gerir o seu diaa-dia, permitindo-lhe oferecer um melhor serviço

Leia mais

Apresentação de Solução

Apresentação de Solução Apresentação de Solução Solução: Gestão de Altas Hospitalares Unidade de negócio da C3im: a) Consultoria e desenvolvimento de de Projectos b) Unidade de Desenvolvimento Área da Saúde Rua dos Arneiros,

Leia mais

Requisitos técnicos dos produtos Thema

Requisitos técnicos dos produtos Thema Requisitos técnicos dos produtos Thema 1 Sumário 2 Apresentação...3 3 Servidor de banco de dados Oracle...4 4 Servidor de aplicação Linux...4 5 Servidor de terminal service para acessos...4 6 Servidor

Leia mais

Prevayler. Perola. André Luís Sales de Moraes Juliana Keiko Yamaguchi Tatiana Yuka Takaki

Prevayler. Perola. André Luís Sales de Moraes Juliana Keiko Yamaguchi Tatiana Yuka Takaki Prevayler Perola André Luís Sales de Moraes Juliana Keiko Yamaguchi Tatiana Yuka Takaki Prevayler Prevayler é a implementação em Java do conceito de Prevalência. É um framework que prega uma JVM invulnerável

Leia mais

Guia de Atualização PROJURIS WEB 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4.

Guia de Atualização PROJURIS WEB 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4. Guia de Atualização PROJURIS WEB 4.5 Por: Fabio Pozzebon Soares Página 1 de 11 Sistema ProJuris é um conjunto de componentes 100% Web, nativamente integrados, e que possuem interface com vários idiomas,

Leia mais

PHC Recursos Humanos CS

PHC Recursos Humanos CS PHCRecursos Humanos CS DESCRITIVO Optimize a selecção e recrutamento, proceda à correcta descrição de funções, execute as avaliações de desempenho e avalie as acções de formação. PHC Recursos Humanos CS

Leia mais

Contrato nº xxx/201x ANEXO 1 Acesso ao estudo do BI (Business Intelligence) Municípios - XXXXXX

Contrato nº xxx/201x ANEXO 1 Acesso ao estudo do BI (Business Intelligence) Municípios - XXXXXX Contrato nº xxx/201x ANEXO 1 Acesso ao estudo do BI (Business Intelligence) Municípios - XXXXXX 1. Resumo Executivo Disponibilizar acesso ao estudo do BI (Business Intelligence) da CELEPAR, baseado nas

Leia mais

gestão de listas de trabalho

gestão de listas de trabalho soluções transversais SOLUÇÕES gestão de listas de trabalho RESUMO DA SOLUÇÃO rapidez nível de serviço workflow uniformidade A GLT - Gestão de Listas de Trabalho - é uma ferramenta de suporte ao workflow

Leia mais

PHC Recursos Humanos CS

PHC Recursos Humanos CS PHC Recursos Humanos CS A gestão total dos Recursos Humanos A solução que permite a otimização da seleção e recrutamento, a correta descrição de funções, a execução das avaliações de desempenho e a avaliação

Leia mais

O aumento da força de vendas da empresa

O aumento da força de vendas da empresa PHC dcrm O aumento da força de vendas da empresa O enfoque total na atividade do cliente, através do acesso remoto à informação comercial, aumentando assim a capacidade de resposta aos potenciais negócios

Leia mais

Soluções PRIMAVERA Starter. Para empresas que vão crescer

Soluções PRIMAVERA Starter. Para empresas que vão crescer Soluções PRIMAVERA Para empresas que vão crescer 02 Soluções PRIMAVERA Soluções Para empresas que vão crescer A legislação relativa à utilização de programas informáticos de faturação certificados tem

Leia mais

A gestão completa dos seus recursos humanos

A gestão completa dos seus recursos humanos PHC Recursos Humanos CS DESCRITIVO Optimize a selecção e recrutamento, proceda à correcta descrição de funções, execute as avaliações de desempenho e avalie as acções de formação. PHC Recursos Humanos

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA TÍTULO: Termo de Referência para contratação de ferramenta case de AD. GECOQ Gerência de Controle e Qualidade 1/9

TERMO DE REFERÊNCIA TÍTULO: Termo de Referência para contratação de ferramenta case de AD. GECOQ Gerência de Controle e Qualidade 1/9 TÍTULO: ASSUNTO: GESTOR: TERMO DE REFERÊNCIA Termo de Referência para contratação de ferramenta case de AD DITEC/GECOQ Gerência de Controle e Qualidade ELABORAÇÃO: PERÍODO: GECOQ Gerência de Controle e

Leia mais

CATÁLOGO DE SERVIÇOS. Consultores Associados de Organizações e Informática, Lda

CATÁLOGO DE SERVIÇOS. Consultores Associados de Organizações e Informática, Lda CATÁLOGO DE SERVIÇOS Consultores Associados de Organizações e Informática, Lda ÍNDICE ÍNDICE 2 HISTÓRICO DE ALTERAÇÕES 2 1 INTRODUÇÃO 3 2 A CASO 4 2.1 Apresentação 4 2.2 Visão, Missão e Valores 4 3 SERVIÇOS

Leia mais

COMPETE 2020 PORTUGAL 2020

COMPETE 2020 PORTUGAL 2020 COMPETE 2020 PORTUGAL 2020 2 INOVAÇÃO PRODUTIVA Trata-se de uma linha de apoio ao investimento nas empresas, aplicável a PME e Não PME. Quais os principais objetivos desta linha: Apoiar a produção de novos

Leia mais

Iniciar. guia de utilização

Iniciar. guia de utilização Iniciar guia de utilização versão 2011.09 Setembro 2011 Ficha técnica Título biblio.net Iniciar : guia de utilização Autor António Manuel Freire Co-Autor Licínia Santos Colaboração Rui Pina, Paulo Almeida

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA MANUTENÇÔES EVOLUTIVAS NO SITE PRO-SST DO SESI

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA MANUTENÇÔES EVOLUTIVAS NO SITE PRO-SST DO SESI ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA MANUTENÇÔES EVOLUTIVAS NO SITE PRO-SST DO SESI 1. OBJETO 1.1. Contratação de empresa especializada para executar serviços de manutenção evolutiva, corretiva, adaptativa e normativa

Leia mais

A revolução tecnológica dos sistemas de gestão empresarial

A revolução tecnológica dos sistemas de gestão empresarial A revolução tecnológica dos sistemas de gestão empresarial Uma nova era se inicia Nosso objetivo é apresentar um nova era de oferta de soluções de sistemas de gestão empresarial. Para isso, vamos relembrar

Leia mais

O seu parceiro na Gestão de Projetos e Manutenção

O seu parceiro na Gestão de Projetos e Manutenção O seu parceiro na Gestão de Projetos e Manutenção Índice 1. Introdução. 3 2. PROM&E GROUP.... 4 3. Building Management Organograma. 6 3.1 Project Management 7 3.2 Gestão Manutenção.. 16 3.3 Otimização

Leia mais

Recrutamento de RH. Perfil de Administração de Base de Dados e Plataforma Aplicacional. ID do Documento:

Recrutamento de RH. Perfil de Administração de Base de Dados e Plataforma Aplicacional. ID do Documento: Recrutamento de RH Perfil de Administração de Base de Dados e Plataforma Aplicacional ID do Documento: Versão: Elaborado por: Aprovado por: Data de Re99visão: 1 Administração de Base de Dados e Plataforma

Leia mais

Teste de software. Definição

Teste de software. Definição Definição O teste é destinado a mostrar que um programa faz o que é proposto a fazer e para descobrir os defeitos do programa antes do uso. Quando se testa o software, o programa é executado usando dados

Leia mais

Uma plataforma estratégica

Uma plataforma estratégica Publicado: Fevereiro 2007 Autor: Rui Loureiro Sénior Partner Implementar o Help Desk Quando simplesmente pensamos em implementar um Help Desk, isso pode significar uma solução fácil de realizar ou algo

Leia mais

Gestão do Conteúdo. 1. Introdução

Gestão do Conteúdo. 1. Introdução Gestão do Conteúdo 1. Introdução Ser capaz de fornecer informações a qualquer momento, lugar ou através de qualquer método e ser capaz de fazê-lo de uma forma econômica e rápida está se tornando uma exigência

Leia mais

A questão está em quais os principais objetivos pretendidos com uma reconversão do sistema operacional.

A questão está em quais os principais objetivos pretendidos com uma reconversão do sistema operacional. De IBM DOS/VSE para z/os num instante A expansão das capacidades é uma das maiores intervenções entre os processos diários de um centro de computação. Mais de metade de todo o trabalho relacionado com

Leia mais

geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico.pt Impressão e acabamento: Inova 2ª edição: Março de 2006 ISBN: 989-615-024-9 Depósito legal: 240.

geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico.pt Impressão e acabamento: Inova 2ª edição: Março de 2006 ISBN: 989-615-024-9 Depósito legal: 240. Reservados todos os direitos por Centro Atlântico, Lda. Qualquer reprodução, incluindo fotocópia, só pode ser feita com autorização expressa dos editores da obra. Microsoft Windows XP SP2, 2ª edição Colecção:

Leia mais

Migração para Software Livre

Migração para Software Livre Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Ciências Agrárias CCA UFES Departamento de Computação Universidade Federal do Espírito Santo CCA UFES Migração para Software Livre Sistemas de Software

Leia mais

Como a nuvem mudará as operações de liberação de aplicativos

Como a nuvem mudará as operações de liberação de aplicativos DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA Junho de 2013 Como a nuvem mudará as operações de liberação de aplicativos Jacob Ukelson Entrega de aplicativos Sumário Resumo executivo 3 Seção 1: 4 Mudando o cenário de automação

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software Testes de Software Prof. MSc. Edilberto Silva prof.edilberto.silva@gmail.com http://www.edilms.eti.br Introdução Teste é um conjunto de atividades que pode ser planejado antecipadamente

Leia mais

Gerencie sua rede de comunicação de dados com eficiência, aumente a produtividade e utilize da melhor maneira todos os seus recursos

Gerencie sua rede de comunicação de dados com eficiência, aumente a produtividade e utilize da melhor maneira todos os seus recursos Gerencie sua rede de comunicação de dados com eficiência, aumente a produtividade e utilize da melhor maneira todos os seus recursos A infraestrutura de rede de comunicação de dados da sua empresa vem

Leia mais

2ª Conferência. Internet, Negócio e Redes Sociais Financiar, Inovar e Empreender. 21 de novembro de 2013 Auditório do ISEGI

2ª Conferência. Internet, Negócio e Redes Sociais Financiar, Inovar e Empreender. 21 de novembro de 2013 Auditório do ISEGI 2ª Conferência Internet, Negócio e Redes Sociais Financiar, Inovar e Empreender 21 de novembro de 2013 Auditório do ISEGI Patrocinador Principal Patrocinadores Globais APDSI 2ª Conferência Internet, Negócio

Leia mais

Workflow. Seminário OS SISTEMAS WORKFLOW

Workflow. Seminário OS SISTEMAS WORKFLOW Seminário OS SISTEMAS WORKFLOW LEANDRO SILVA CAMPOS LÍGIA CHRISTINE OLIVEIRA SOUSA LILIANE VERÔNICA DA SILVA JOSÉ CARLOS NUNES MARINHO TAVARES V. NETO UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL INSTITUTO LUTERANO

Leia mais