Universidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Saúde Departamento de Saúde Comunitária. Professor: Walfrido Kühl. Svoboda MÉTODOS E MEIOS DE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Universidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Saúde Departamento de Saúde Comunitária. Professor: Walfrido Kühl. Svoboda MÉTODOS E MEIOS DE"

Transcrição

1 Universidade Federal do Paraná Setor de Ciências da Saúde Departamento de Saúde Comunitária Disciplina: Saúde Pública P I (MS052) Professor: Walfrido Kühl Svoboda MÉTODOS E MEIOS DE EDUCAÇÃO SANITÁRIA (EDUCAÇÃO EM SAÚDE)

2 SUMÁRIO RIO: 1 INTRODUÇÃO; 2 MÉTODOS DE ED. SANITÁRIA; 3 MÉTODOS DIRETOS; 4 MÉTODOS INDIRETOS.

3 1 - INTRODUÇÃO OBJETIVOS DA ED. SANITÁRIA: Conseguir que as pessoas estejam bem informadas sobre os problemas de saúde e enfermidades; Fazer com que as mesmas adotem a SAÚDE como um valor fundamental; Modificar condutas e hábitos insanos; Promover condutas adequadas e positivas de saúde.

4 1 - INTRODUÇÃO COMO ALCANÇAR AR ESSES OBJETIVOS? Nós profissionais da área de saúde > AGENTES DE ED. SANITÁRIA RIA, através: Elaboração de mensagens informativas persuasivas; Divulgação das mesmas na população alvo. IMPORTANTE: o procedimento técnico utilizado para alcançar o público-alvo é conhecido como: MÉTODO DE EDUCAÇÃO SANITÁRIA!!!

5 2 - MÉTODOS E MEIOS DA ED. SANITÁRIA OBJETIVO: Educação e persuasão de indivíduos adultos!! ED. SANITÁRIA NA ESCOLA: Utiliza métodos pedagógicos gicos próprios prios; Necessita de auxílio da equipe pedagógica gica escolar -> para que a informação seja assimilada pelas crianças as de forma mais efetiva!!!

6 2 - MÉTODOS E MEIOS DA ED. SANITÁRIA... 1) Métodos M Bidirecionais ou Diretos: Há contato direto entre Educador e Educando utiliza palavra falada como meio de comunicação INDIVÍDUOS DUOS E GRUPOS;

7 2 - MÉTODOS E MEIOS DA ED. SANITÁRIA... Há uma distância no espaço e/ou tempo utiliza palavra falada, a escrita ou a 2) Métodos M Unidirecionais ou Indiretos: entre o Educador e o Educando imagem, interpondo-se vários meios técnicos MEIOS DE COMUNICAÇÃO! ÃO!!! GRUPOS E COLETIVIDADES.

8 2 - MÉTODOS E MEIOS DA ED. SANITÁRIA... OBS.1: IMPORTANTE: Quanto mais estreita for a relação entre Educador e Educando, maior será a interação entre eles e maior a eficácia do método adotado!! OBS.2: Métodos Diretos mais eficazes que indiretos!!! Dentre eles: Diálogos e Discussões em Grupo melhores que Palestras e Aulas!!!

9 3 MÉTODOS DIRETOS (Ed. Sanitária) Utiliza a palavra falada primeiro e o mais desenhos, quadro-negro, datashow, slides, entre as partes e elucidação das dúvidas ou Contato direto entre Educador e Educando; efetivo!! Pode utilizar recursos técnicos etc; PRINCIPAL VANTAGEM: contato direto problemas que o Educando possa apresentar!!

10 3 MÉTODOS DIRETOS... (Ed. Sanitária) PRINCIPAIS VIAS DE APLICAÇÃO (4): 1) DIÁLOGOS: um dos melhores! Criar clima de confiança e compreensão; Tato social do entrevistador (escutar, conversar e aconselhar); Estimular o interesse; Aproveitar situações do momento.

11 3 MÉTODOS DIRETOS... (Ed. Sanitária) 2) AULAS: mais utilizado por escolas e universidades. Utilização de recursos audiovisuais de apoio, textos, indicações de livros, etc.; Mais para aquisição de conhecimento; Ideal não exceder 50 minutos; Resumo no final da aula.

12 AULAS

13 3 MÉTODOS DIRETOS... (Ed. Sanitária) 3) PALESTRAS: método mais utilizado no meio da saúde!!! Dirigidas para grupos, deve ser: A) promovida pelo próprio grupo social; B) orador elegido deve conhecer o tema; C) tema deve responder desejos, necessidades e interesse do público; D) condições locais ótimas; E) deve-se levar em conta considerações técnicas.

14 PALESTRAS

15 PALESTRAS

16 3 MÉTODOS DIRETOS... 4) DISCUSSÕES EM GRUPOS: grupos de 12 a 15 pessoas!! Conduzida por um líder; Sempre embasadas para tratar um problema achar soluções viáveis; Soluções estabelecidas com consenso geral; Muito eficaz nos grupos de ed. sanitária (+ democrático); Exposição de opiniões diferentes;

17 4 MÉTODOS INDIRETOS (Ed. Sanitária) Utilizam a palavra falada ou escrita ou imagem!!! Intercalam-se vários meios técnicost entre Educador e Educando; Alcançam um número elevado de pessoas MEIOS DE COMUNICAÇÃO DE MASSA!!!

18 MISTOS (AUDIVISUAIS): cinema, vídeo televisão. 4 MÉTODOS INDIRETOS... (Ed. Sanitária) MEIOS DE COMUNICAÇÃO DE MASSA (3 ORDENS): VISUAIS: cartazes, out-doors, folhetos cartas circulares, revistas, jornais, mala direta. SONOROS: rádio.

19 4 MÉTODOS INDIRETOS... (Ed. Sanitária) DESVANTAGENS: Não há relação cara-à-cara entre Educador e Educando; Eficácia de comunicação menor não há refluxo de informações entre as partes!!!

20 4 MÉTODOS INDIRETOS... (Ed. Sanitária) EFEITOS DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO DE MASSA: Incrementam conhecimento da população sobre o tema; São úteis p/ informar e sensibilizar grupos e coletividades sobre hábitos insanos; Objetivo do programa educativo.

21 4 MÉTODOS INDIRETOS... (Ed. Sanitária) EFEITOS DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO DE MASSA... Reforçam as atitudes previamente sustentadas; Não servem para modificar as atitudes contrárias firmemente enraizadas;

22 4 MÉTODOS INDIRETOS... (Ed. Sanitária) EFEITOS DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO DE MASSA... Podem dar lugar a mudanças de atitudes e condutas, mas somente quando já existe uma predisposição prévia à ação.

23

24 CARTAZES

25 CARTAZES

26 MEIOS DE COMUNICAÇÃO DE MASSA - CARTAZES CRITÉRIO MEIO CARTAZES EM CENTROS SANITÁRIOS E ESCOLAS SELETIVIDADE CUSTO POR PESSOA EXPOSTA GRUPOS SÓCIOS ECONÔMICOS MAIS ALCANÇADOS IDADE MÉDIA MAIS ALCANÇADA COMPLEXIDADE DA MENSAGEM EFICÁCIA POR PESSOA EXPOSTA BAIXA-MÉDIA MÉDIO MÉDIO CRIANÇAS E JOVENS, ADULTOS E IDOSOS BAIXA BAIXA-MÉDIA

27 OUTDOORS

28 MEIOS DE COMUNICAÇÃO DE MASSA OUTDOORS CRITÉRIO MEIO OUTDOOR SELETIVIDADE CUSTO POR PESSOA EXPOSTA GRUPOS SÓCIOS ECONÔMICOS MAIS ALCANÇADOS IDADE MÉDIA MAIS ALCANÇADA COMPLEXIDADE DA MENSAGEM EFICÁCIA POR PESSOA EXPOSTA BAIXA BAIXA BAIXA-MÉDIA TODAS AS IDADES BAIXA BAIXA

29 FOLHETOS

30 FOLHETOS

31 MEIOS DE COMUNICAÇÃO DE MASSA - FOLHETOS CRITÉRIO MEIO FOLHETOS SELETIVIDADE CUSTO POR PESSOA EXPOSTA GRUPOS SÓCIOS ECONÔMICOS MAIS ALCANÇADOS IDADE MÉDIA MAIS ALCANÇADA COMPLEXIDADE DA MENSAGEM EFICÁCIA POR PESSOA EXPOSTA ALTA BAIXA TODAS AS CLASSES TODAS AS IDADES MÉDIA MÉDIA

32 MEIOS DE COMUNICAÇÃO DE MASSA MALA DIRETA CRITÉRIO MEIO MALA DIRETA SELETIVIDADE CUSTO POR PESSOA EXPOSTA GRUPOS SÓCIOS ECONÔMICOS MAIS ALCANÇADOS IDADE MÉDIA MAIS ALCANÇADA COMPLEXIDADE DA MENSAGEM EFICÁCIA POR PESSOA EXPOSTA ALTA ALTA TODAS AS CLASSES TODAS AS IDADES MÉDIA ALTA

33 MEIOS DE COMUNICAÇÃO DE MASSA - JORNAIS CRITÉRIO MEIO JORNAIS SELETIVIDADE CUSTO POR PESSOA EXPOSTA GRUPOS SÓCIOS ECONÔMICOS MAIS ALCANÇADOS IDADE MÉDIA MAIS ALCANÇADA COMPLEXIDADE DA MENSAGEM EFICÁCIA POR PESSOA EXPOSTA MÉDIA ALTO MÉDIA-ALTO ADULTOS ALTA MÉDIA

34 MEIOS DE COMUNICAÇÃO DE MASSA - REVISTAS CRITÉRIO MEIO REVISTAS SELETIVIDADE CUSTO POR PESSOA EXPOSTA GRUPOS SÓCIOS ECONÔMICOS MAIS ALCANÇADOS IDADE MÉDIA MAIS ALCANÇADA COMPLEXIDADE DA MENSAGEM EFICÁCIA POR PESSOA EXPOSTA ALTA MÉDIO MÉDIO-ALTO JOVENS, ADULTOS E MULHERES ALTA MÉDIA-ALTA

35 MEIOS DE COMUNICAÇÃO DE MASSA - RÁDIO CRITÉRIO MEIO RADIO SELETIVIDADE CUSTO POR PESSOA EXPOSTA GRUPOS SÓCIOS ECONÔMICOS MAIS ALCANÇADOS IDADE MÉDIA MAIS ALCANÇADA COMPLEXIDADE DA MENSAGEM EFICÁCIA POR PESSOA EXPOSTA ALTA BAIXO TODAS AS CLASSES ADOLESCENTES, MULHERES, ADULTOS E IDOSOS BAIXA MÉDIA

36 MEIOS DE COMUNICAÇÃO DE MASSA CINEMA E VÍDEOV CRITÉRIO MEIO CINEMA E VIDEO SELETIVIDADE CUSTO POR PESSOA EXPOSTA GRUPOS SÓCIOS ECONÔMICOS MAIS ALCANÇADOS IDADE MÉDIA MAIS ALCANÇADA COMPLEXIDADE DA MENSAGEM EFICÁCIA POR PESSOA EXPOSTA ALTA ALTO TODAS AS CLASSES TODAS AS IDADES ALTO MÉDIA-ALTA

37 MEIOS DE COMUNICAÇÃO DE MASSA - TELEVISÃO CRITÉRIO MEIO TELEVISÃO SELETIVIDADE CUSTO POR PESSOA EXPOSTA GRUPOS SÓCIOS ECONÔMICOS MAIS ALCANÇADOS IDADE MÉDIA MAIS ALCANÇADA COMPLEXIDADE DA MENSAGEM EFICÁCIA POR PESSOA EXPOSTA BAIXA ALTO BAIXO-MÉDIO IDOSOS ALTA MÉDIA

38 TELEVISÃO

39

GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO E MODERNIZAÇÃO

GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO E MODERNIZAÇÃO ORIENTAÇÕES PARA ENQUADRAMENTO DE MODALIDADES DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO SISEA/MS. 1. PROGRAMA 1.1 Definição/Conceito É um conjunto de princípios e diretrizes que se articulam a partir de um mesmo referencial

Leia mais

PLANEJAMENTO ACADÊMICO. Carga Horária: Presencial Distância Total PROFESSOR (A): MAT. SIAPE

PLANEJAMENTO ACADÊMICO. Carga Horária: Presencial Distância Total PROFESSOR (A): MAT. SIAPE UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUDO DE EDUCAÇÃO, MATEMATICA E CIENTÍFICA LICENCIATURA INTEGRADA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, MATEMÁTICA E LINGUAGENS PLANEJAMENTO ACADÊMICO TEMA: CÓDIGO: Carga Horária: Presencial

Leia mais

Comunicação. O Cartaz. Escola Básica Integrada da Quinta do Conde Educação Visual e Tecnológica

Comunicação. O Cartaz. Escola Básica Integrada da Quinta do Conde Educação Visual e Tecnológica Comunicação O Cartaz Escola Básica Integrada da Quinta do Conde Educação Visual e Tecnológica Comunicação Visual O Cartaz Imagem a imagem informa, divulga, apela... No nosso dia-a-dia estamos constantemente

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PASSO FUNDENSE DE CEGOS 1. Luciele COPETTI 2 Bibiana de Paula FRIDERICHS 3 Universidade de Passo Fundo, Passo Fundo, RS

ASSOCIAÇÃO PASSO FUNDENSE DE CEGOS 1. Luciele COPETTI 2 Bibiana de Paula FRIDERICHS 3 Universidade de Passo Fundo, Passo Fundo, RS ASSOCIAÇÃO PASSO FUNDENSE DE CEGOS 1 Luciele COPETTI 2 Bibiana de Paula FRIDERICHS 3 Universidade de Passo Fundo, Passo Fundo, RS RESUMO Ver: conhecer por meio do sentido da visão, enxergar. Incapacidade

Leia mais

TÓPICOS DE RELATIVIDADE E NOVAS TECNOLOGIAS NO ENSINO MÉDIO: DESIGN INSTRUCIONAL EM AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM.

TÓPICOS DE RELATIVIDADE E NOVAS TECNOLOGIAS NO ENSINO MÉDIO: DESIGN INSTRUCIONAL EM AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM. TÓPICOS DE RELATIVIDADE E NOVAS TECNOLOGIAS NO ENSINO MÉDIO: DESIGN INSTRUCIONAL EM AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM. Palavras-chave: física moderna, ambiente virtual de aprendizagem, design instrucional,

Leia mais

DESIGN GRÁFICO QUE NEGÓCIO É ESSE?

DESIGN GRÁFICO QUE NEGÓCIO É ESSE? DESIGN GRÁFICO QUE NEGÓCIO É ESSE? O QUE É DESIGN GRÁFICO? Design Gráfico é o planejamento dos aspectos funcionais e visuais de peças gráficas que servem de suporte para a comunicação de diversos tipos

Leia mais

As Idéias e os Avanços da Biotecnologia

As Idéias e os Avanços da Biotecnologia As Idéias e os Avanços da Biotecnologia 1 2 ÍNDICE AS IDÉIAS E OS AVANÇOS DA BIOTECNOLOGIA PÁG. 5 BENEFÍCIOS DA BIOTECNOLOGIA PARA OS ALIMENTOS PÁG. 7 BENEFÍCIOS DA BIOTECNOLOGIA AO MEIO AMBIENTE PÁG.

Leia mais

SOCIOLOGIA A SOCIOLOGIA EM AÇÃO

SOCIOLOGIA A SOCIOLOGIA EM AÇÃO SOCIOLOGIA A SOCIOLOGIA EM AÇÃO A SOCIOLOGIA É estudo científico dos fatos sociais e, portanto, da própria sociedade. Exerce influência: na ação de governos, na educação, na vida política, na religião,

Leia mais

Conheça os Espaços Vida Saudável

Conheça os Espaços Vida Saudável Conheça os Espaços Vida Saudável O que é um Espaço Vida Saudável? O Espaço Vida Saudável (EVS) é um dos métodos que o Consultor Independente Herbalife pode utilizar para desenvolver seu próprio negócio

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES DE ESTÁGIO (PAE)

PLANO DE ATIVIDADES DE ESTÁGIO (PAE) Núcleo de Apoio à Prática Profissional das Licenciaturas CURSOS DE LICENCIATURAS PLANO DE ATIVIDADES DE ESTÁGIO (PAE) ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO Atualizado em 17 jun 2016 5º. PERÍODO 4º. PERÍODO

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC DE NOVA ODESSA Código: 234 Município: Nova Odessa Eixo Tecnológico: Segurança Habilitação Profissional: Técnico em Segurança do Trabalho Qualificação:

Leia mais

AVALIAÇÃO DE PARTICIPAÇÃO NO CURSO DE PROCEDIMENTOS DE PROTOCOLO CONSOLIDAÇÃO DAS RESPOSTAS APRESENTADAS PELOS CURSISTAS RESPONDENTES

AVALIAÇÃO DE PARTICIPAÇÃO NO CURSO DE PROCEDIMENTOS DE PROTOCOLO CONSOLIDAÇÃO DAS RESPOSTAS APRESENTADAS PELOS CURSISTAS RESPONDENTES AVALIAÇÃO DE PARTICIPAÇÃO NO CURSO DE PROCEDIMENTOS DE PROTOCOLO CONSOLIDAÇÃO DAS RESPOSTAS APRESENTADAS PELOS CURSISTAS RESPONDENTES Introdução Apresenta-se a consolidação dos dados obtidos a partir dos

Leia mais

Escola EB 2/3 João Afonso de Aveiro 2011/2012 Formação Cívica 3º Ciclo Previsão do número de aulas disponíveis (45 minutos)

Escola EB 2/3 João Afonso de Aveiro 2011/2012 Formação Cívica 3º Ciclo Previsão do número de aulas disponíveis (45 minutos) Escola EB 2/3 João Afonso de Aveiro 20/202 Formação Cívica 3º Ciclo Previsão do número de aulas disponíveis (45 minutos) Início das aulas...5-09-20 Fim do Primeiro Período...6-2-20 Número de aulas do º

Leia mais

Planejamento de Ensino na. Residência Multiprofissional. em Saúde

Planejamento de Ensino na. Residência Multiprofissional. em Saúde Planejamento de Ensino na Residência Multiprofissional em Saúde PLANEJAMENTO O QUÊ? PARA QUEM? ONDE? QUANDO? POR QUÊ? PARA QUÊ? COMO? COMO OCORREU O PROCESSO? OBJETO CONTEXTUALIZAÇÃO JUSTIFICATIVA OBJETIVOS

Leia mais

COORDENAÇÃO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES OFICINAS 2015 MATRÍCULAS: DE 25 DE FEVEREIRO A 06 DE MARÇO

COORDENAÇÃO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES OFICINAS 2015 MATRÍCULAS: DE 25 DE FEVEREIRO A 06 DE MARÇO COORDENAÇÃO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES OFICINAS 2015 MATRÍCULAS: DE 25 DE FEVEREIRO A 06 DE MARÇO LÍNGUA ESTRANGEIRA ALEMÃO Prof.ª Luciane Probst Unidade de Ensino I Prédio Pedro Fabro, Sala 303 Unidade

Leia mais

A FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL. Silvia Helena Vieira Cruz

A FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL. Silvia Helena Vieira Cruz A FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL Silvia Helena Vieira Cruz INTRODUÇÃO Os ganhos decorrentes das experiências vividas pelas crianças em creches e pré-escolas dependem diretamente

Leia mais

PROJETO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA EM COMUNICAÇÃO E PUBLICIDADE INSTITUCIONAL 2013-2014. Nathalia Fagundes Jornalista

PROJETO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA EM COMUNICAÇÃO E PUBLICIDADE INSTITUCIONAL 2013-2014. Nathalia Fagundes Jornalista PROJETO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA EM COMUNICAÇÃO E PUBLICIDADE INSTITUCIONAL 2013-2014 Nathalia Fagundes Jornalista O presente material apresenta os trabalhos realizados através da Prestação

Leia mais

PLANO DE GOVERNO UNIÃO DEMOCRÁTICA E POPULAR 2013-2016 SAÚDE

PLANO DE GOVERNO UNIÃO DEMOCRÁTICA E POPULAR 2013-2016 SAÚDE PLANO DE GOVERNO UNIÃO DEMOCRÁTICA E POPULAR 2013-2016 SAÚDE Valorização dos profissionais dentro disso; analisar a possibilidade da criação de plano de carreira de todos os profissionais da prefeitura;

Leia mais

GÊNEROS TEXTUAIS: O CARTEIRO CHEGOU

GÊNEROS TEXTUAIS: O CARTEIRO CHEGOU PRODUÇÃO b DE TEXTOS E GÊNEROS TEXTUAIS: O CARTEIRO CHEGOU Profª. Ms. Rafaela C. Beleboni Coordenação Pedagógica da Formação Continuada NAME http://ww2.itau.com.br/itaucrianca/index.htm ROTEIRO DAS AULAS

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE RONDÔNIA CENTRO DE APOIO OPERACIONAL DA INFÂNCIA E JUVENTUDE E DA DEFESA DOS USUÁRIOS DOS SERVIÇOS DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE RONDÔNIA CENTRO DE APOIO OPERACIONAL DA INFÂNCIA E JUVENTUDE E DA DEFESA DOS USUÁRIOS DOS SERVIÇOS DE EDUCAÇÃO "A educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda. Se a nossa opção é progressista, se estamos a favor da vida e não da morte, da equidade e não da injustiça, do direito

Leia mais

Normas para apresentação dos trabalhos

Normas para apresentação dos trabalhos Normas para apresentação dos trabalhos 1. Da inscrição Os trabalhos só poderão ser inscritos mediante submissão de resumo. O resumo deverá obedecer ao seguinte formato: - ter no mínimo de 350 e no máximo

Leia mais

Programas de atenção à Saúde. Profª Leticia Pedroso

Programas de atenção à Saúde. Profª Leticia Pedroso Programas de atenção à Saúde Profª Leticia Pedroso Programas de Saúde Podemos dizer que a política é a materialização da ação do Estado. No caso da saúde, temos a políticas públicas que se materializam

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SEED SUPERINTENDÊNCIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUED CURSO DE INTRODUÇÃO A EDUCAÇÃO DIGITAL

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SEED SUPERINTENDÊNCIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUED CURSO DE INTRODUÇÃO A EDUCAÇÃO DIGITAL Professor-tutor/Assessor da CRTE: Adriana Regina Perez Rech Nome do Cursista: Claudia Regina de Lima Estabelecimento: Colégio Estadual de Ouro Verde Ensino Fundamental e Médio Data: 01/11/2011 Atividade:

Leia mais

ORIENTAÇÕES TRABALHO EM EQUIPE. Trabalho em Equipe. Negociação

ORIENTAÇÕES TRABALHO EM EQUIPE. Trabalho em Equipe. Negociação 2015 Trabalho em Equipe Negociação Caros alunos, A seguir colocamos as orientações para a realização do trabalho em equipe. Trabalho em Equipe O trabalho em equipe é uma atividade que deverá ser desenvolvida

Leia mais

TREINAMENTO PARA OS COLABORADORES DA ÁREA DE TI RESPONSÁVEIS PELO DESENVOLVIMENTO DO SERVIDOR WEB

TREINAMENTO PARA OS COLABORADORES DA ÁREA DE TI RESPONSÁVEIS PELO DESENVOLVIMENTO DO SERVIDOR WEB TREINAMENTO PARA OS COLABORADORES DA ÁREA DE TI RESPONSÁVEIS PELO DESENVOLVIMENTO DO SERVIDOR WEB 1. Levantamento de Necessidades: Objetivos gerais: Desenvolvimento de um treinamento voltado para a implementação

Leia mais

Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n.º 9.394 de 20 de dezembro de 1996

Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n.º 9.394 de 20 de dezembro de 1996 Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional Lei n.º 9.394 de 20 de dezembro de 1996 Tramitação 1988 Promulgação da Constituição Federal 1988 a 1991 Início de discussão do projeto Jorge Hage na Câmara

Leia mais

FUNÇÃO DESENVOLVER PESSOAS:

FUNÇÃO DESENVOLVER PESSOAS: FUNÇÃO DESENVOLVER PESSOAS: Treinamento É o conjunto de métodos usados para transmitir aos funcionários novos e antigos as habilidades necessárias para o desempenho do trabalho. Treinamento Custo ou investimento?

Leia mais

Novas tecnologias ao serviço de uma pedagogia por competências. Ana Isabel Gonçalves Eliseu Alves Manuela Mendes Sónia Botelho

Novas tecnologias ao serviço de uma pedagogia por competências. Ana Isabel Gonçalves Eliseu Alves Manuela Mendes Sónia Botelho Novas tecnologias ao serviço de uma pedagogia por competências Ana Isabel Gonçalves Eliseu Alves Manuela Mendes Sónia Botelho 1 Tecnologia e sociedade de informação A velocidade das mudanças tecnológicas

Leia mais

Alfabetização matemática e direitos de aprendizagem no 1º ciclo. Luciana Tenuta lutenuta@gmail.com

Alfabetização matemática e direitos de aprendizagem no 1º ciclo. Luciana Tenuta lutenuta@gmail.com Alfabetização matemática e direitos de aprendizagem no 1º ciclo Luciana Tenuta lutenuta@gmail.com Direitos de Aprendizagem O artigo 32 da LDB estabelece que é necessário garantir o desenvolvimento da capacidade

Leia mais

PROJETO CULTURA DIGITAL E MOBILIZAÇÃO SOCIAL

PROJETO CULTURA DIGITAL E MOBILIZAÇÃO SOCIAL PROJETO CULTURA DIGITAL E MOBILIZAÇÃO SOCIAL Apresentação Objetivo Geral e Justificativa Objetivos Específicos Resultados Metodologia Operacionalização Formas de investimento Orçamento Contrapartidas Apresentação

Leia mais

Administração Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios

Administração Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Administração Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Cronograma das Aulas. Hoje você está na aula Semana Tema 01 Apresentação do PEA. Fundamentos

Leia mais

COMUNICAÇÃO. É a capacidade de transmitir uma informação com certeza de que o outro lado entenda a mensagem.

COMUNICAÇÃO. É a capacidade de transmitir uma informação com certeza de que o outro lado entenda a mensagem. NÚCLEO COMUM DESENVOLVIMENTO PESSOAL E PROFISSIONAL (DPP) AULA 08 E 09: COMUNICAÇÃO, ELABORAÇÃO E ACEITAÇÃO DE CRÍTICAS Disciplina do Curso Superior em Design de Interiores da UNAES/Anhanguera Educacional

Leia mais

Funções Assegurar a racionalização, organização e coordenação do trabalho Docente, permitindo ao Professor e Escola um ensino de qualidade, evitando

Funções Assegurar a racionalização, organização e coordenação do trabalho Docente, permitindo ao Professor e Escola um ensino de qualidade, evitando Funções Assegurar a racionalização, organização e coordenação do trabalho Docente, permitindo ao Professor e Escola um ensino de qualidade, evitando a improvisação e a rotina. Explicitar princípios, diretrizes

Leia mais

ENRIQUECIMENTO ESCOLAR

ENRIQUECIMENTO ESCOLAR ENRIQUECIMENTO ESCOLAR Cristina Delou, Psicóloga; Doutora em Educação Professora Associado da Faculdade de Educação da UFF Presidente do ConBraSD Conselho Brasileiro para Superdotação By PresenterMedia.com

Leia mais

Conhecendo Ferramentas de Interação

Conhecendo Ferramentas de Interação Gerência de Ensino a Distância Curso Tutoria em EaD Conhecendo Ferramentas de Interação Organizadora: Professora: Elisângela dos S. Menezes Ferramentas de Interação Conceito: Técnicas que possibilitam

Leia mais

Avaliação de impacto do Programa Escola Integrada de Belo Horizonte

Avaliação de impacto do Programa Escola Integrada de Belo Horizonte Avaliação de impacto do Programa Escola Integrada de Belo Horizonte Índice Programa Escola Integrada Avaliação de impacto Amostra Pesquisa Indicadores Resultados Impactos estimados Comentários Programa

Leia mais

VOCAÇÃO MUNICIPAL E DESENVOLVIMENTO LOCAL SUSTENTÁVEL

VOCAÇÃO MUNICIPAL E DESENVOLVIMENTO LOCAL SUSTENTÁVEL VOCAÇÃO MUNICIPAL E DESENVOLVIMENTO LOCAL SUSTENTÁVEL Prof.º Msc. Mario Pascarelli Filho Graduado em Engenharia Mecânica pela FEI. Pós-Graduado em Administração de Empresas pela FAAP. Mestre em Educação,

Leia mais

COLÉGIO ESTADUAL DARIO VELOZZO PLANO DE TRABALHO DOCENTE DISCIPLINA: ENSINO RELIGIOSO. 7º ano ENSINO FUNDAMENTAL

COLÉGIO ESTADUAL DARIO VELOZZO PLANO DE TRABALHO DOCENTE DISCIPLINA: ENSINO RELIGIOSO. 7º ano ENSINO FUNDAMENTAL COLÉGIO ESTADUAL DARIO VELOZZO PLANO DE TRABALHO DOCENTE 2014 DISCIPLINA: ENSINO RELIGIOSO 7º ano ENSINO FUNDAMENTAL PROFESSORA: JUCELAINE AVILA DE OLIVEIRA Professora: Jucelaine Disciplina: Ensino Religioso

Leia mais

Avaliação da Aprendizagem - Práticas de Mudança: por uma praxis transformadora. Celso dos Santos Vasconcellos

Avaliação da Aprendizagem - Práticas de Mudança: por uma praxis transformadora. Celso dos Santos Vasconcellos Celso dos Santos Vasconcellos Trabalhar com: Grupos Seminários Jogos Estudo do Meio Experimentação Problematização Complexos Temáticos Temas Geradores Projetos Rever os Conteúdos Considerar Conhecimento

Leia mais

Plano de Promoção. e Proteção dos Direitos da Criança. do Concelho de Marvão

Plano de Promoção. e Proteção dos Direitos da Criança. do Concelho de Marvão Plano de Promoção e Proteção dos Direitos da Criança do Concelho de Marvão 1 Índice Introdução I. Fundamentação A - Estratégias 1 Estudo e análise da realidade concelhia. 2 Promoção dos Direitos da Criança...

Leia mais

I I F ó r u m N a c i o n a l d o s. Conselhos de Usuár ios

I I F ó r u m N a c i o n a l d o s. Conselhos de Usuár ios I I F ó r u m N a c i o n a l d o s Conselhos de Usuár ios CONSELHO DE USUÁRIOS DA TIM RESOLUÇÃO Nº 623/2013 Fórum de Presidentes e Vice-Presidentes 29/03/2016 1º Fórum Nacional TIM Integração das 5 regiões

Leia mais

Software Livre na Educação: Desafios e Oportunidades

Software Livre na Educação: Desafios e Oportunidades Software Livre na Educação: Desafios e Oportunidades Prof. Luciano Porto Barreto lportoba@ufba.br Departamento de Ciência da Computação (DCC) Laboratório de Sistemas Distribuídos (LaSiD) Universidade Federal

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO ESPECIALIDADE: BIBLIOTECÀRIO Requisitos: Graduação em Biblioteconomia e Registro no Conselho de Classe 1. Planejar, programar, coordenar, controlar e dirigir sistemas biblioteconômicos e ou de informação

Leia mais

GRUPO II: estados TO GO PR PE - SC

GRUPO II: estados TO GO PR PE - SC GRUPO II: estados TO GO PR PE - SC Cristiane, Andréa, Patrícia, Estela, Terezinha, Ana Lúcia, Vanessa, Rosana, Ivan, Lorena, Mara Andréa, Rijane, Eliene Passo 1 Sensibilização dos professores quanto à

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA O objetivo desse roteiro é orientar os estudantes de Estatística para a realização do trabalho proposto conforme previsto no plano de ensino da disciplina.

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO DE FREQUÊNCIA DE VARIÁVEIS QUALITATIVAS E QUANTITATIVAS DISCRETAS (TABELAS E GRÁFICOS)

DISTRIBUIÇÃO DE FREQUÊNCIA DE VARIÁVEIS QUALITATIVAS E QUANTITATIVAS DISCRETAS (TABELAS E GRÁFICOS) DISTRIBUIÇÃO DE FREQUÊNCIA DE VARIÁVEIS QUALITATIVAS E QUANTITATIVAS DISCRETAS (TABELAS E GRÁFICOS) O QUE É ESTATÍSTICA Estatística é a ciência de obter conclusões a partir de dados. Envolve métodos para

Leia mais

Ambientes Virtuais e Mídias de Comunicação: Tarefa A Aluno: Maykon Dos Santos Marinho 1. Relação do itens principais

Ambientes Virtuais e Mídias de Comunicação: Tarefa A Aluno: Maykon Dos Santos Marinho 1. Relação do itens principais Ambientes Virtuais e Mídias de Comunicação: Tarefa A Aluno: Maykon Dos Santos Marinho 1. Relação do itens principais A interface está presente nos ambientes virtuais e nas mídias utilizadas em cursos EAD

Leia mais

Ocemg/Sescoop-MG. Juliana Gomes de Carvalho

Ocemg/Sescoop-MG. Juliana Gomes de Carvalho A Comunicação no Sistema Ocemg/Sescoop-MG Juliana Gomes de Carvalho Quase a totalidade das dificuldades das empresas hoje está na comunicação. Miguel Ângelo Filiage É preciso tomar consciência do potencial

Leia mais

Curso de Atendimento Personalizado e Call Center. Referencial Pedagógico

Curso de Atendimento Personalizado e Call Center. Referencial Pedagógico Curso de Atendimento Personalizado e Call Center Referencial Pedagógico 1. Competências Globais e Específicas Desenvolver competências gerais e específicas no âmbito do Atendimento ao Público, ao nível

Leia mais

TURISMO SUSTENTÁVEL & INFÂNCIA: EVENTOS ESPORTIVOS

TURISMO SUSTENTÁVEL & INFÂNCIA: EVENTOS ESPORTIVOS CONFERÊNCIA REGIONAL E NACIONAL DE PREVENÇÃO E INTERVENÇÃO AO TRÁFICO DE CRIANÇAS Moçambique, 09 de Outubro de 2008 TURISMO SUSTENTÁVEL & INFÂNCIA: EVENTOS ESPORTIVOS Partilhando lições aprendidas e desenvolvendo

Leia mais

REDE SOCIAL DE ALANDROAL

REDE SOCIAL DE ALANDROAL REDE SOCIAL DE ALANDROAL CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL (MAIO ) Área de Intervenção: Equipamentos e Respostas Sociais e Serviços Objetivo Geral Objetivos Específicos Ação População - Alvo Entidades/ Parceiros

Leia mais

Na educação a distância, você tem autonomia de estudo, isto é, VOCÊ faz sua programação, estabelece seu ritmo de estudo.

Na educação a distância, você tem autonomia de estudo, isto é, VOCÊ faz sua programação, estabelece seu ritmo de estudo. Olá!!! Com o crescente uso das tecnologias da informação e da comunicação nas práticas educacionais a educação a distância (EAD) tornou-se, no Brasil e no mundo, uma alternativa aos cursos presenciais.

Leia mais

VI GINCANA NACIONAL DE ECONOMIA

VI GINCANA NACIONAL DE ECONOMIA VI GINCANA NACIONAL DE ECONOMIA Dicas para a organização da etapa regional .A GINCANA NACIONAL DE ECONOMIA. É um evento importantíssimo para motivar a comunidade acadêmica. Por meio de uma competição saudável,

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnico em Programação de

Leia mais

M A N U A L D O ADMINISTRADOR DO PORTAL

M A N U A L D O ADMINISTRADOR DO PORTAL M A N U A L D O ADMINISTRADOR DO PORTAL Versão 1.1 Sumário Introdução 1 Sobre o Administrador do Portal 1 Categorias de informação 2 Link adicional 3 Lista de arquivos 5 Anexos da licitação 9 Anexos do

Leia mais

Nome: Sexo: ( )F ( )M. 1. Você cursou ou cursa Inglês em uma escola de idiomas ou com professor particular? Sim ( ) Não ( )

Nome: Sexo: ( )F ( )M. 1. Você cursou ou cursa Inglês em uma escola de idiomas ou com professor particular? Sim ( ) Não ( ) 1º Questionário para coleta de dados Nome: Sexo: ( )F ( )M 1. Você cursou ou cursa Inglês em uma escola de idiomas ou com professor particular? Sim ( ) Não ( ) 2. Por quanto tempo? Menos de 1 ano ( ) Entre

Leia mais

ESCOLA DOMINGOS SÁVIO REGIMENTO ESCOLAR

ESCOLA DOMINGOS SÁVIO REGIMENTO ESCOLAR ESCOLA DOMINGOS SÁVIO REGIMENTO ESCOLAR Título VI Da Organização Pedagógica Capítulo IV Do Sistema de Avaliação Art.61- No Ensino Fundamental a verificação do rendimento escolar compreende a avaliação

Leia mais

[Digite aqui] GUIA PARA OS CMDCAS A RESPEITO DA RESOLUÇÃO 164/2014

[Digite aqui] GUIA PARA OS CMDCAS A RESPEITO DA RESOLUÇÃO 164/2014 GUIA PARA OS CMDCAS A RESPEITO DA RESOLUÇÃO 164/2014 O que os Conselhos Municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente CMDCA precisam saber a respeito do Registro da Entidade e a Inscrição dos Programas

Leia mais

METODOLOGIA E PRÁTICA DO ENSINO DA MATEMÁTICA

METODOLOGIA E PRÁTICA DO ENSINO DA MATEMÁTICA Unidade II METODOLOGIA E PRÁTICA DO ENSINO DA MATEMÁTICA E CIÊNCIAS Prof. Me. Guilherme Santinho Jacobik Recursos para o planejamento das aulas Resolução de problemas. Portadores numéricos. Lúdico: Jogos,

Leia mais

Regulamento Prêmio Portal Unimed 2011 Singulares

Regulamento Prêmio Portal Unimed 2011 Singulares Regulamento Prêmio Portal Unimed 2011 Singulares 1. O que é o Prêmio Portal Unimed O Prêmio Portal Unimed tem como objetivo estimular a utilização das soluções web oferecidas pela empresa aos seus clientes.

Leia mais

Administração do Relacionamento com clientes

Administração do Relacionamento com clientes Administração do Relacionamento com clientes 1 Professor: Demóstenes Moreira de Farias Fortaleza, fevereiro de 2011 Mensagem da Diretoria boas vindas e cumprimentos o professor é um educador educar é mudar

Leia mais

Conteúdos: Língua, Linguagens e códigos Linguagem verbal e não verbal

Conteúdos: Língua, Linguagens e códigos Linguagem verbal e não verbal Conteúdos: Língua, Linguagens e códigos Linguagem verbal e não verbal Habilidades: Reconhecer a leitura de textos verbais e não verbais como possibilidade de acesso a diferentes informações Valorizar a

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS UNIDADE TIMÓTEO

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS UNIDADE TIMÓTEO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS UNIDADE TIMÓTEO Relatório das ações de combate ao mosquito Aedes aegypti em março/2016 promovidas pelo Setor de Enfermagem TIMÓTEO ABRIL/ 2016 INTRODUÇÃO

Leia mais

Apoio Pedagógico à Casa da Mãe Abigail

Apoio Pedagógico à Casa da Mãe Abigail ÁREA TEMÁTICA: DIRETOS HUMANOS E JUSTIÇA GEPES - Grupo de Estudos em Políticas Educacionais e Sociais UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO, CULTURA E COMUNIDADE COORDENADORIA

Leia mais

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST ÁREA MATEMÁTICA - ENSINO FUNDAMENTAL E ENSINO MÉDIO

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST ÁREA MATEMÁTICA - ENSINO FUNDAMENTAL E ENSINO MÉDIO SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST ÁREA MATEMÁTICA - ENSINO FUNDAMENTAL E ENSINO MÉDIO Título do Podcast Área Segmento Duração Ângulos Matemática Ensino fundamental e ensino médio 5min44seg. Habilidades: Ensino

Leia mais

CONTEÚDOS DE FILOSOFIA POR BIMESTRE PARA O ENSINO MÉDIO COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO

CONTEÚDOS DE FILOSOFIA POR BIMESTRE PARA O ENSINO MÉDIO COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO DE FILOSOFIA POR BIMESTRE PARA O ENSINO MÉDIO COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO GOVERNADOR DE PERNAMBUCO João Lyra Neto SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES Ricardo Dantas SECRETÁRIA

Leia mais

ELEMENTOS ESTRUTURANTES DA LINGUAGEM PLÁSTICA A TEXTURA OFICÍNA DAS ARTES. 1º Período / 2011-2012. 21 Novembro / 12º C

ELEMENTOS ESTRUTURANTES DA LINGUAGEM PLÁSTICA A TEXTURA OFICÍNA DAS ARTES. 1º Período / 2011-2012. 21 Novembro / 12º C ELEMENTOS ESTRUTURANTES DA LINGUAGEM PLÁSTICA A TEXTURA OFICÍNA DAS ARTES 1º Período / 2011-2012 21 Novembro / 12º C Estagiário: Bruno Miguel M. Lapa Duração 90 utos Aula nº /42 21-11-2011 Sumário: Elementos

Leia mais

VI CONGRESSO BRASILEIRO DE PREVENÇÃO DAS DST/AIDS Belo Horizonte - Minas Gerais Novembro de 2006

VI CONGRESSO BRASILEIRO DE PREVENÇÃO DAS DST/AIDS Belo Horizonte - Minas Gerais Novembro de 2006 VI CONGRESSO BRASILEIRO DE PREVENÇÃO DAS DST/AIDS Belo Horizonte - Minas Gerais Novembro de 2006 Contextos Epidêmicos e Aspectos Sociais das DST/Aids no Brasil: Os Novos Horizontes da Prevenção José Ricardo

Leia mais

Jimboê. História. Avaliação. Projeto. 5 o ano. 3 o bimestre

Jimboê. História. Avaliação. Projeto. 5 o ano. 3 o bimestre Professor, esta sugestão de avaliação corresponde ao terceiro bimestre escolar ou à Unidade 3 do Livro do Aluno. Projeto Jimboê 5 o ano Avaliação 3 o bimestre 1 Avaliação NOME: ESCOLA: PROFESSOR: TURMA:

Leia mais

SECRETARIA ESPECIAL DOS DIREITOS ANIMAIS SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO PREFEITURA DE PORTO ALEGRE EDITAL - FÓRUM ESTA ESCOLA É O BICHO - 2016

SECRETARIA ESPECIAL DOS DIREITOS ANIMAIS SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO PREFEITURA DE PORTO ALEGRE EDITAL - FÓRUM ESTA ESCOLA É O BICHO - 2016 SECRETARIA ESPECIAL DOS DIREITOS ANIMAIS SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO PREFEITURA DE PORTO ALEGRE EDITAL - FÓRUM ESTA ESCOLA É O BICHO - 2016 No ano de 2015 a Secretaria Especial dos Direitos Animais

Leia mais

Da administração à promoção do conhecimento.

Da administração à promoção do conhecimento. Da administração à promoção do. Aula tema 05 Conteúdo: 1. Barreiras à criação do 2. Fatores promotores da criação do Desafios para a criação do nas empresas A criação do nas empresas não é algo fácil de

Leia mais

PROFISSÕES A ESCOLHA CERTA

PROFISSÕES A ESCOLHA CERTA PROFISSÕES A ESCOLHA CERTA Sala 15 Temas Diversificados EM Integral E.E. PROFESSOR MILTON DA SILVA RODRIGUES Professores Apresentadores: CLEONICE PAES DE BARROS CLAUDIO ROMUALDO Realização: Justificativa

Leia mais

Após anos 70: aumento significativo de recursos para restauração. Não se observa um aumento proporcional de

Após anos 70: aumento significativo de recursos para restauração. Não se observa um aumento proporcional de Aspectos sociais em projetos de restauração de áreas degradadas Maria Castellano CTR Campinas Gestão de recursos naturais Os recursos naturais são passíveis de serem utilizados por muitos indivíduos; É

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO ADRIANNE HENRIQUES FILIPE MACHADO. Plano de aula. Jovens na criação de blogs.

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO ADRIANNE HENRIQUES FILIPE MACHADO. Plano de aula. Jovens na criação de blogs. UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO ADRIANNE HENRIQUES FILIPE MACHADO Plano de aula Jovens na criação de blogs São Paulo Setembro de 2012 ADRIANNE HENRIQUES FILIPE MACHADO (7.153.974 vespertino)

Leia mais

Aula 2. Normas de projeto para sinalização viária - introdução

Aula 2. Normas de projeto para sinalização viária - introdução Universidade Presbiteriana Mackenzie Escola de Engenharia Depto. de Engenharia Civil 1 0 semestre de 2.013 Aula 2 Normas de projeto para sinalização viária - introdução 2.1. Sinalização de trânsito CTB

Leia mais

Sistemas Fotovoltaicos (Modalidade Online) Apresentação do Curso

Sistemas Fotovoltaicos (Modalidade Online) Apresentação do Curso Sistemas Fotovoltaicos (Modalidade Online) Apresentação do Curso Sobre a Blue Sol A Blue Sol Energia Solar foi criada em 2008 com a finalidade de se especializar em soluções em energia solar e distribuição

Leia mais

CURSO DE LEGISLAÇÃO DE TRÂNSITO RELATÓRIO DE ATIVIDADES CONSOLIDADO

CURSO DE LEGISLAÇÃO DE TRÂNSITO RELATÓRIO DE ATIVIDADES CONSOLIDADO CURSO DE LEGISLAÇÃO DE TRÂNSITO RELATÓRIO DE ATIVIDADES CONSOLIDADO BELÉM/PA Realização: 13 a 1 de setembro de 2010. RELATÓRIO CONSOLIDADO Página 1 de 1/12/2010 1. Dados gerais Município sede Belém Local

Leia mais

Fundamentos da Educação a Distância

Fundamentos da Educação a Distância Fundamentos da Educação a Distância Profª Mára Lúcia Fernandes Carneiro UFRGS Instituto de Psicologia SEMINÁRIO DE CAPACITAÇÃO DOS COORDENADORES DE PÓLO DA UAB/RS Bento Gonçalves, abril/2008 O que é Educação

Leia mais

Tecnologias da Comunicação e da Informação na Educação

Tecnologias da Comunicação e da Informação na Educação Tecnologias da Comunicação e da Informação na Educação Prof. Liliana M. Passerino 2009 O que a educação tem a ver com tecnologia? Presença inegável da tecnologia em nossa sociedade; é segundo Levy (1993)

Leia mais

CADASTRO. Quem pode se inscrever para fazer esses cursos? Qualquer professor em exercício da rede pública estadual ou municipal.

CADASTRO. Quem pode se inscrever para fazer esses cursos? Qualquer professor em exercício da rede pública estadual ou municipal. CADASTRO O que é a Plataforma Paulo Freire? A Plataforma Paulo Freire é um sistema desenvolvido pelo Ministério da Educação para que o professor faça sua pré-inscrição em cursos de graduação, especialização,

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica e inovadora. PALESTRA:

Leia mais

SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E RECURSOS HUMANOS DIREÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO SERVIÇO TÉCNICO DE ATIVIDADES OCUPACIONAIS

SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E RECURSOS HUMANOS DIREÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO SERVIÇO TÉCNICO DE ATIVIDADES OCUPACIONAIS Centro de Atividades Ocupacionais de Santa Cruz Camacha Horta e Jardinagem INTRODUÇÃO O manuseamento de hortas e jardins constitui-se numa atividade didático pedagógica quando é desenvolvido com base para

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO E EDUCAÇÃO PROFISSIONAL

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO E EDUCAÇÃO PROFISSIONAL UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO E EDUCAÇÃO PROFISSIONAL PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL EM POLÍTICAS PÚBLICAS (PET-PP) RELATÓRIO DE ATIVIDADE DOAÇÃO DE ÓRGÃOS ABRIL DE

Leia mais

Curso de Capacitação para Museus Módulo IV Ação Educativa 1/73

Curso de Capacitação para Museus Módulo IV Ação Educativa 1/73 Curso de Capacitação para Museus Módulo IV Ação Educativa 1/73 Exposições 2/73 Longa duração maior tempo para pesquisar e conhecer o acervo, pensar a comunicação e as ações, desenvolver estratégias, avaliar

Leia mais

LEITURAS DE IMAGENS PUBLICITÁRIA

LEITURAS DE IMAGENS PUBLICITÁRIA LEITURAS DE IMAGENS PUBLICITÁRIA LILIANE SOARES DE PAULA MARIA CAROLINE FERREIRA JULHO 2009 LEITURAS DE IMAGENS PUBLICITÁRIA justificativa A escolha desse tema foi por ser acessível a todos: A imagem da

Leia mais

Compromisso da Kraft Foods Brasil

Compromisso da Kraft Foods Brasil Compromisso da Kraft Foods Brasil Compromisso da empresa A Kraft Foods adota, mundialmente, regras para dirigir a publicidade de seus produtos a crianças de forma responsável. De acordo com tais regras,

Leia mais

Desenho de Símbolos, Logotipos e Logomarcas com Software Livre. Introdução ao curso

Desenho de Símbolos, Logotipos e Logomarcas com Software Livre. Introdução ao curso Desenho de Símbolos, Logotipos e Logomarcas com Software Livre Introdução ao curso Sobre este curso Objetivo principal Difundir o uso de software livre na área de design Objetivos secundários Discutir

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO PROMOÇÃO DE VENDAS O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica e inovadora.

Leia mais

Manual de Identidade Corporativa

Manual de Identidade Corporativa Manual de Identidade Corporativa Ìndice: I. Introdução 3 II. O Logótipo 4 III. Tamanhos Máximos e Mínimos 5 IV. Cores 6 V. Tipos de Letra 7 VI. Como utilizar o logótipo 8 VII. Utilizar o logótipo em tons

Leia mais

QUESTIONÁRIO. 2 - O Programa que você cursa foi sua primeira opção na escolha de um Mestrado? a) Sim b) Não

QUESTIONÁRIO. 2 - O Programa que você cursa foi sua primeira opção na escolha de um Mestrado? a) Sim b) Não QUESTIONÁRIO 1 - Ano de Ingresso no Programa a) 2007 b) 2008 2 - O Programa que você cursa foi sua primeira opção na escolha de um Mestrado? a) Sim b) Não 3 - Gênero: a) Masculino b) Feminino 4 - Identifique

Leia mais

Webinar: 3 pilares do sucesso do seu negócio no Facebook

Webinar: 3 pilares do sucesso do seu negócio no Facebook Webinar: 3 pilares do sucesso do seu negócio no Facebook Pilares das Mídias Sociais Não importa o que você vende, mas como você posiciona e entrega isso Camila Porto 2 3 pilares do sucesso nas mídias sociais

Leia mais

CURSO VOCACIONAL DE ARTE E PUBLICIDADE

CURSO VOCACIONAL DE ARTE E PUBLICIDADE CURSO VOCACIONAL DE ARTE E PUBLICIDADE Planificação Anual - 2015-2016 Ensino Básico 9º Ano 2º Ano - Atividade Vocacional FOTOGRAFIA DIGITAL MATRIZ DE CONTEÚDOS E DE PROCEDIMENTOS Conteúdos Procedimentos

Leia mais

Como Fazer uma Monografia

Como Fazer uma Monografia Como Fazer uma Monografia Profa. Mara Abel Instituto de Informática / UFRGS marabel@inf.ufrgs.br O que é uma monografia? A descrição, através de um texto com formato pré-definido, dos resultados obtidos

Leia mais

Cadastro de Usuários Manual de Usuário 09/05/2011 FAPESP

Cadastro de Usuários Manual de Usuário 09/05/2011 FAPESP Cadastro de Usuários Manual de Usuário 09/05/2011 FAPESP Conteúdo Introdução... 3 Procedimento para cadastro... 3 Cadastro de Usuário Pesquisador... 4 Cadastro de Usuário Comum... 10 Ativação de Conta...

Leia mais

Plano de Aula Integrado com Hipermídia

Plano de Aula Integrado com Hipermídia Plano de Aula Integrado com Hipermídia Sumário Estrutura Curricular Dados da Aula Duração das atividades Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno Estratégias e recursos da aula Recursos

Leia mais

Seminário 2: Análise de livros didáticos de Física para o Ensino Médio

Seminário 2: Análise de livros didáticos de Física para o Ensino Médio Propostas e Projetos para o Ensino de Física Prof. Anne L. Scarinci Seminário 2: Análise de livros didáticos de Física para o Ensino Médio Henrique Gallo Jairo Mendes Marcos Teruo Ronaldo Belizário 2001

Leia mais

FERRAMENTAS DA QUALIDADE DIAGRAMA DE AFINIDADES

FERRAMENTAS DA QUALIDADE DIAGRAMA DE AFINIDADES FERRAMENTAS DA QUALIDADE DIAGRAMA DE AFINIDADES 1 O Diagrama de Afinidades permite que um grupo produza criativamente um grande número de idéias/questões e a seguir, as organize e resuma, com base em agrupamentos

Leia mais

Espaço Vida Saudável 1

Espaço Vida Saudável 1 Espaço Vida Saudável 1 Índice Cadastro de EVS... Pág 03 Novas Normas de Localização... Pág 09 Licença de funcionamento... Pág 12 Lançamento Pacote EVS... Pág 26 2 Cadastro EVS Por que cadastrar? Estar

Leia mais

MAE116 - Noções de Estatística

MAE116 - Noções de Estatística MAE116 - Noções de Estatística Grupo A - 1 semestre de 2015 Gabarito da Lista de exercícios 10 - Introdução à Estatística Descritiva - CASA Exercício 1. (2 pontos) Sabe-se que, historicamente, 18% dos

Leia mais

DISCURSIVA RESPOSTAS - AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO AVALIAÇÃO AVALIAÇÃO

DISCURSIVA RESPOSTAS - AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO AVALIAÇÃO AVALIAÇÃO DISCURSIVA ADMINISTRAÇÃO RESPOSTAS - DE DESEMPENHO DE DES Discursiva Respostas Administração Avaliação de Desempenho VP Concursos - Consultoria e Coaching www.vpconcursos.com.br Administração Geral - Avaliação

Leia mais