Educação para a PAZ Teresina-PI 2006

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Educação para a PAZ Teresina-PI 2006"

Transcrição

1 Educação para a PAZ Teresina-PI 2006

2 PROJETO 1 TÍTULO EDUCAÇÃO PARA A PAZ (Iniciado em 1999) 2 COORDENAÇÃO: Diretora Pedagógica:. Profª. Waldília Neiva de M. S. Cordeiro. Profª. Maria Luiza Lima do Vale Coordenação Pedagógica:. Profª. Lunalva Maria Cardoso Ferreira Nunes. Profª. Clézia Maria Coutinho Bento 3 INTRODUÇÃO São nas atitudes diárias que se pode interferir no quadro aterrorizador da violência que preocupa a sociedade atual. Sabe-se que na maioria das vezes as ações se voltam para as conseqüências e não para eliminar as causas. Os educadores não podem ficar omissos sem agir intencionalmente diante dos fatos de violência que ocorrem nas escolas e na sociedade. O termo violência nem sempre é usado e mencionado. Há talvez um medo, um receio de estimulá-la. Prefere-se valorizar a busca d e as ações que a promovam. Não podemos encarar a violência como algo normal. Não podemos, também, ter uma atitude de indiferença. Ela só é normal quando se passa com os outros. Quando se passa conosco ou com alguém próximo, deixa de ser. Quando algum de nós lê a notícia de um crime, no dia seguinte, provavelmente já nos esquecemos, mas as famílias das vítimas jamais esquecerão. A violência destroça as pessoas. (MOLINA, Antônio Munõz. À procura do olhar. IN: Elle, Lisboa, março/99) 4. OBJETIVOS/ METODOLOGIA/ SUJEITOS O projeto de educação do Colégio Notre Dame já se volta para a valorização da pessoa e para o respeito aos direitos e à integridade de cada ser no grupo social. Mas, objetiva-se, aqui, trabalhar intencional e sistematicamente através de questionamentos, diálogos e ações concretas, no âmbito do colégio e da comunidade próxima a essa, envolvendo e comprometendo todos (alunos, professores, funcionários e famílias), num projeto de EDUCAÇÃO PARA A PAZ. Os trabalhos deverão ser desenvolvidos semanalmente, nas salas de aula. 5. PERIODICIDADE O Projeto deve ser desenvolvido ao longo da nossa existência, programado a acontecer anualmente, com sedimentação de atitudes e valores diante do outro, da sociedade e da vida. É uma caminhada ética em direção a uma sociedade mais justa e pacífica. Pretende-se construir um caminho de paz que deve ser documentado em uma BT Educação para a PAZ como resultado das descobertas e ações promovidas

3 nesse sentido, durante o ano. Outros materiais, conforme a seqüência proposta em cada ano, poderão ser produzidos e socializados tendo em vista a sensibilização para o problema e as mudanças sociais necessárias. 6. CRONOGRAMA EDUCAÇÃO PARA A PAZ 2006 MÊS SEMANA PROJETO DE TRABALHO RESULTADO A Abril B Maio C Junho de 17 a 21 de 24 a 28 de 02 a 05 de 08 a 12 de 15 a 19 de 22 a 31 de 01 e 02 de 05 a 09. O que é Paz?. Como promovermos?. Quais os símbolos concretos da paz?. Quais as representações / gestos de paz?. Que máximas sobre poderemos descobrir, encontrar, construir, vivenciar?. Selecionar músicas sobre a paz. copiar. memorizar / cantar. Selecionar músicas que proporcionam. ouvir. gravar. cantar. Selecionar poemas que falam de Paz. copiar. memorizar / cantar. Escrever poemas sobre Paz. escrever. memorizar. declamar. Selecionar obras literárias sobre. comentar. Escrever histórias e produzir desenhos sobre Paz. escrever.. Relação de obras (Referências bibliográficas)

4 D Agosto de 12 a 16 de 28 a 31 de 04 a 11 de 11 a 18 de 21 a 25. ilustrar. Produzir cartazes sobre Paz. elaborar textos. desenhar. Produzir adesivos / bottons sobre. Organizar o correio d na sala. caixa de correio. correspondência na sala. Correspondência sobre entre salas. Carta coletiva individual. Produzir correspondência sobre. Carta coletiva para outras salas (escolas de outras instituições). Produzir correspondência (externa) sobre. em grupo para as famílias. Cartazes. Adesivos / bottons. Caixas de correio E Setembro de 01 e 08 de 11 a 15 de 18 a 22 de 25 a 29 F Outu-bro de 02 a 06 de 07 a 11 de 23 a 31 G Novem-bro de 01 a 03 de 06 a 10. Dialogar sobre a saúde no planeta. armamento/ desarmamento. Dialogar sobre o comportamento no trânsito. Produzir faixas sobre a convivência no trânsito. Dialogar sobre os mais velhos:. direitos, condições de vida. atitudes de respeito O Estatuto da Criança e do Adolescente. Imaginar: um mundo de Paz. Imaginar: uma escola d A fome no mundo. Fazer levantamento de atitudes de solidariedade.,.,. Faixas / / / / Desenhos. Organizar a BT da sala BT

5 de 13 a 17 de 20 a 24 Educação para. Elaborar o cronograma do Projeto Educação para para o ano de Plano Educa-ção para a Paz/ ESTRATÉGIAS OPERACIONAIS: Criação da Comissão de Coordenação das Ações pel no Colégio (Professores e Técnicos); Criação do Comitê pel com alunos/ Representantes de todas as classes/ salas do colégio; Elaboração do Estatuto/ Carta Educação pel do Colégio; Apresentação periódica dos resultados das atividades desenvolvidas (Socialização dos Resultados). Rua General Lages, 2205 Horto Florestal CEP.: Teresina/PI Fone: (86) / Fax: (86) Site:

CONCURSO de PARÓDIAS - 2011

CONCURSO de PARÓDIAS - 2011 CONCURSO de PARÓDIAS - 2011 OBJETIVOS Inovar o trabalho com os alunos. Trabalhar a interdisciplinaridade com todo o Ensino Médio. Resgatar as virtudes da nossa sociedade como: carisma, espiritualidade,

Leia mais

PROJETO PROFESSOR(A) CONSELHEIRO(A)

PROJETO PROFESSOR(A) CONSELHEIRO(A) PROJETO PROFESSOR(A) CONSELHEIRO(A) Responsável: Setor de Coordenação Pedagógica São Luís 2010 PROJETO PROFESSOR(A) CONSELHEIRO(A) 1. APRESENTAÇÃO: A escola é espaço de construção, sistematização, apropriação

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL ESCOLA ABERTA DE PASSO FUNDO PROJETO FÓRUM PERMANENTE DE PASSO FUNDO POR UMA CULTURA DE PAZ NO AMBIENTE ESCOLAR

ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL ESCOLA ABERTA DE PASSO FUNDO PROJETO FÓRUM PERMANENTE DE PASSO FUNDO POR UMA CULTURA DE PAZ NO AMBIENTE ESCOLAR ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL ESCOLA ABERTA DE PASSO FUNDO PROJETO FÓRUM PERMANENTE DE PASSO FUNDO POR UMA CULTURA DE PAZ NO AMBIENTE ESCOLAR AGOSTO/2005 DADOS DE IDENTIFICAÇÃO: Escola: Escola

Leia mais

COLÉGIO ESTADUAL DARIO VELOZZO PLANO DE TRABALHO DOCENTE DISCIPLINA: ENSINO RELIGIOSO. 7º ano ENSINO FUNDAMENTAL

COLÉGIO ESTADUAL DARIO VELOZZO PLANO DE TRABALHO DOCENTE DISCIPLINA: ENSINO RELIGIOSO. 7º ano ENSINO FUNDAMENTAL COLÉGIO ESTADUAL DARIO VELOZZO PLANO DE TRABALHO DOCENTE 2014 DISCIPLINA: ENSINO RELIGIOSO 7º ano ENSINO FUNDAMENTAL PROFESSORA: JUCELAINE AVILA DE OLIVEIRA Professora: Jucelaine Disciplina: Ensino Religioso

Leia mais

PLANO DE AÇÃO. Equipe Pedagógica

PLANO DE AÇÃO. Equipe Pedagógica PLANO DE AÇÃO Equipe Pedagógica I DADOS Estabelecimento: Escola Estadual José Ribas Vidal Ensino Fundamental Município: Campo Largo Núcleo: Área Metropolitana - Sul Pedagogas: Cristiane Rodrigues de Jesus

Leia mais

A criança de 6 anos, a linguagem escrita e o ensino fundamental de nove anos

A criança de 6 anos, a linguagem escrita e o ensino fundamental de nove anos A criança de 6 anos, a linguagem escrita e o ensino fundamental de nove anos Organizadoras: Francisca Izabel Pereira Maciel Mônica Correia Baptista Sara Mourão Monteiro Estrutura da exposição 1. O contexto

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ÍTALO BRASILEIRO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ÍTALO BRASILEIRO CENTRO UNIVERSITÁRIO ÍTALO BRASILEIRO PROGRAMA DE AUXÍLIO À PESQUISA 2014 PROGRAMA DE AUXÍLIO À PESQUISA O objetivo principal do Programa de Auxílio à Pesquisa é propiciar condições favoráveis ao desenvolvimento

Leia mais

Plano de Promoção. e Proteção dos Direitos da Criança. do Concelho de Marvão

Plano de Promoção. e Proteção dos Direitos da Criança. do Concelho de Marvão Plano de Promoção e Proteção dos Direitos da Criança do Concelho de Marvão 1 Índice Introdução I. Fundamentação A - Estratégias 1 Estudo e análise da realidade concelhia. 2 Promoção dos Direitos da Criança...

Leia mais

SETORIAL DE EXTENSÃO DO CE/UFPE Plano de Trabalho (2015-2017)

SETORIAL DE EXTENSÃO DO CE/UFPE Plano de Trabalho (2015-2017) SETORIAL DE EXTENSÃO DO CE/UFPE Plano de Trabalho (2015-2017) Coordenadoras: Maria da Conceição dos Reis Auxiliadora Maria Martins da Silva APRESENTAÇÃO O presente documento: PLANO DE TRABALHO DA SETORIAL

Leia mais

RELATÓRIO ATIVIDADES MÊS FEVEREIRO E MARÇO

RELATÓRIO ATIVIDADES MÊS FEVEREIRO E MARÇO RELATÓRIO ATIVIDADES MÊS FEVEREIRO E MARÇO PATROCÍNIO: Fevereiro começou com a reunião de pais das crianças iniciantes no dia 14, nesta reunião procuramos passar um pouco da história do Projeto, a parceria

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CUIABÁ SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO EMEB. PROF.ª MARIA DIMPINA LOBO DUARTE PROJETO DE LEITURA

PREFEITURA MUNICIPAL DE CUIABÁ SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO EMEB. PROF.ª MARIA DIMPINA LOBO DUARTE PROJETO DE LEITURA PREFEITURA MUNICIPAL DE CUIABÁ SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO EMEB. PROF.ª MARIA DIMPINA LOBO DUARTE PROJETO DE LEITURA 1. JUSTIFICATIVA 1 Percebemos que a realidade atual vem afastando cada vez mais

Leia mais

REALIZAÇÃO DO TRABALHO

REALIZAÇÃO DO TRABALHO PROJETO DE LEITURA Não basta ter uma biblioteca para a formação de uma comunidade leitora. É preciso, sobretudo, um plano de ação que se preocupe com as práticas de incentivo à leitura. Nós criamos estratégias

Leia mais

PROF. FLAUDILENIO E. LIMA

PROF. FLAUDILENIO E. LIMA UNIDADE 1 NORMAS TÉCNICAS APLICADAS AO DESENHO TÉCNICO MECÂNICO Conteúdo da unidade NORMAS TÉCNICAS APLICADAS AO DESENHO TÉCNICO MECÂNICO 1.1 Normas Técnicas. 1.2 Associação Brasileira de Normas Técnicas

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE RONDÔNIA CENTRO DE APOIO OPERACIONAL DA INFÂNCIA E JUVENTUDE E DA DEFESA DOS USUÁRIOS DOS SERVIÇOS DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE RONDÔNIA CENTRO DE APOIO OPERACIONAL DA INFÂNCIA E JUVENTUDE E DA DEFESA DOS USUÁRIOS DOS SERVIÇOS DE EDUCAÇÃO APRESENTAÇÃO A humanidade não pode libertarse da violência senão por meio da não-violência. Mahatma Gandhi Em concordância com o Plano Geral de Atuação 2009/2010 do Ministério Público do Estado de Rondônia,

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO ADRIANNE HENRIQUES FILIPE MACHADO. Plano de aula. Jovens na criação de blogs.

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO ADRIANNE HENRIQUES FILIPE MACHADO. Plano de aula. Jovens na criação de blogs. UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO ADRIANNE HENRIQUES FILIPE MACHADO Plano de aula Jovens na criação de blogs São Paulo Setembro de 2012 ADRIANNE HENRIQUES FILIPE MACHADO (7.153.974 vespertino)

Leia mais

DISCUTINDO MATEMÁTICA NO CONTEXTO DA INCLUSÃO

DISCUTINDO MATEMÁTICA NO CONTEXTO DA INCLUSÃO DISCUTINDO MATEMÁTICA NO CONTEXTO DA INCLUSÃO Roberta Negrão de Araújo Marília Bazan Blanco João Coelho Neto Universidade Estadual do Norte do Paraná-Campus Cornélio Procópio Flaviane Torres Banaki Colégio

Leia mais

MINUTA SERVIÇOS DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULOS CRIANÇAS E ADOLESCENTES

MINUTA SERVIÇOS DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULOS CRIANÇAS E ADOLESCENTES MINUTA SERVIÇOS DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULOS CRIANÇAS E ADOLESCENTES DESCRIÇÃO: Consiste em serviço complementar ao PAIF, desenvolvido com crianças e adolescentes visando incentivar a socialização

Leia mais

Boletim: 0002-2013 Publicado por: Núcleo de Informações Educacionais e Tecnologia Data: 05/08/2013

Boletim: 0002-2013 Publicado por: Núcleo de Informações Educacionais e Tecnologia Data: 05/08/2013 A peça teatral Para sempre quase eterno foi inspirada no livro O vampiro que descobriu o Brasil de Ivan Jaf. A ideia de organizar um grupo de teatral na escola foi decorrente de um projeto de leitura que

Leia mais

Professores Regentes: Angela Aparecida Bernegozze Marlei Aparecida Lazarin Asoni Marlene Antonia de Araujo

Professores Regentes: Angela Aparecida Bernegozze Marlei Aparecida Lazarin Asoni Marlene Antonia de Araujo 4 1. IDENTIFICAÇÃO Título do Projeto: Trabalhando a tabuada através de jogos on-line Público Alvo: Alunos do 3º e 5º do Ensino Fundamental Turno: Matutino Disciplinas Envolvidas: Matemática Professores

Leia mais

Modelo do Pré-Projeto

Modelo do Pré-Projeto Modelo do Pré-Projeto EDITAL N o 02/2015 - ENGETEC ESCLARECIMENTOS GERAIS A apresentação do pré-projeto de extensão nesse formato é OBRIGATÓRIA para todos os candidatos. Usar Fonte Arial 10 com espaçamento

Leia mais

Avaliação da Aprendizagem - Práticas de Mudança: por uma praxis transformadora. Celso dos Santos Vasconcellos

Avaliação da Aprendizagem - Práticas de Mudança: por uma praxis transformadora. Celso dos Santos Vasconcellos Celso dos Santos Vasconcellos Trabalhar com: Grupos Seminários Jogos Estudo do Meio Experimentação Problematização Complexos Temáticos Temas Geradores Projetos Rever os Conteúdos Considerar Conhecimento

Leia mais

COMUNICADO DE OFERTA DAS DISCIPLINAS DOS MÓDULOS 1

COMUNICADO DE OFERTA DAS DISCIPLINAS DOS MÓDULOS 1 COMUNICADO DE OFERTA DAS DISCIPLINAS DOS MÓDULOS 1. 2 E 3 E DAS PROVAS DE TERCEIRA OPORTUNIDADE PARA OS MÓDULOS 4 E 5 DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO Prezado aluno, prezada

Leia mais

Nivelamento de estratégias de aproximação entre rádios comunitárias e sua comunidade. Estratégias Bronze

Nivelamento de estratégias de aproximação entre rádios comunitárias e sua comunidade. Estratégias Bronze Nivelamento de estratégias de aproximação entre rádios comunitárias e sua comunidade Metodologia Foi escolhido o nivelamento ouro, prata e bronze de acordo com a dificuldade de implementação da estratégia

Leia mais

Universidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Saúde Departamento de Saúde Comunitária. Professor: Walfrido Kühl. Svoboda MÉTODOS E MEIOS DE

Universidade Federal do Paraná. Setor de Ciências da Saúde Departamento de Saúde Comunitária. Professor: Walfrido Kühl. Svoboda MÉTODOS E MEIOS DE Universidade Federal do Paraná Setor de Ciências da Saúde Departamento de Saúde Comunitária Disciplina: Saúde Pública P I (MS052) Professor: Walfrido Kühl Svoboda MÉTODOS E MEIOS DE EDUCAÇÃO SANITÁRIA

Leia mais

PLANO DE AÇÃO - EQUIPE PEDAGÓGICA

PLANO DE AÇÃO - EQUIPE PEDAGÓGICA PLANO DE AÇÃO - EQUIPE PEDAGÓGICA JUSTIFICATIVA O ato de planejar faz parte da história do ser humano, pois o desejo de transformar sonhos em realidade objetiva é uma preocupação marcante de toda pessoa.

Leia mais

ESTADO DO AMAZONAS CAMARA MUNICIPAL DE MANAUS GABINETE DO VEREADOR PROF. SAMUEL

ESTADO DO AMAZONAS CAMARA MUNICIPAL DE MANAUS GABINETE DO VEREADOR PROF. SAMUEL PROJETO DE LEI Nº012/ 2016 INSTITUI a Semana do Desarmamento Infantil e dá outras providências. Art. 1º - Fica instituída a Semana do Desarmamento Infantil, a ser comemorada no Município de Manaus, na

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL MESTRE ZECA AMÂNCIO (60 anos de tradição)

ESCOLA ESTADUAL MESTRE ZECA AMÂNCIO (60 anos de tradição) ESCOLA ESTADUAL MESTRE ZECA AMÂNCIO (60 anos de tradição) 1- IDENTIFICAÇÃO DA ESCOLA Nome do Estabelecimento: Escola Estadual Mestre Zeca Amâncio Tipologia: RO35C4 Endereço: Rua Irmãos de Caux, s/nº -

Leia mais

CHAMADA INTERNA N 01/2016 PROPPG

CHAMADA INTERNA N 01/2016 PROPPG CHAMADA INTERNA N 01/2016 PROPPG SELEÇÃO DE TECNOLOGIAS PARA O PROJETO DE GESTÃO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL DE TECNOLOGIAS NO ÂMBITO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA (IFPA) O Instituto Federal

Leia mais

Procedimento de Gestão. Resolução/ Remediação de Situações de Trabalho de Menores

Procedimento de Gestão. Resolução/ Remediação de Situações de Trabalho de Menores 1. OBJECTIVO Este procedimento estabelece a metodologia de definição, implementação e controlo de acções a desenvolver no caso de ser detectada a utilização de trabalho de menores, de forma a assegurar

Leia mais

PLANO ANUAL DE TRABALHO PAT 2016

PLANO ANUAL DE TRABALHO PAT 2016 PLANO ANUAL DE TRABALHO 1 PAT 2016 SINDICATO DOS SERVIDORES FAZENDÁRIOS DO ESTADO DO PARÁ - SINDSFEPA 2016 SUMÁRIO 2 APRESENTAÇÃO 03 I OBJETIVOS 03 II ESTRATÉGIA 04 III - PROJETOS 04 PROJETO 1 Acompanhar

Leia mais

Plano de Aula Integrado com Hipermídia

Plano de Aula Integrado com Hipermídia Plano de Aula Integrado com Hipermídia Sumário Estrutura Curricular Dados da Aula Duração das atividades Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno Estratégias e recursos da aula Recursos

Leia mais

A USUCAPIÃO E O ABANDONO DO LAR CONJUGAL

A USUCAPIÃO E O ABANDONO DO LAR CONJUGAL FACULDADE DE DIREITO DE VITÓRIA VIT MUNZ A USUCAPIÃO E O ABANDONO DO LAR CONJUGAL VITÓRIA/ES 2012 VIT MUNZ A USUCAPIÃO E O ABANDONO DO LAR CONJUGAL Projeto de monografia apresentado a Faculdade de Direito

Leia mais

Programa Competências Transversais

Programa Competências Transversais Programa Competências Transversais o Consumo Consciente de Energia o Desenho Arquitetônico o Educação Ambiental o Empreendedorismo o Fundamentos de Logística o Finanças Pessoais o Legislação Trabalhista

Leia mais

Silvana Inês de Oliveira

Silvana Inês de Oliveira CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde REESTRUTURAÇÃO DO FLUXO DO ATENDIMENTO AO TRABALHADOR DO SUS ADOECIDO OU ACIDENTADO NO TRABALHO DO MUNICÍPIO DE

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO OBRIGATÓRIA PARA APRESENTAÇÃO DE PESQUISAS AO COMITÊ DE ÉTICA EM USO DE ANIMAIS

DOCUMENTAÇÃO OBRIGATÓRIA PARA APRESENTAÇÃO DE PESQUISAS AO COMITÊ DE ÉTICA EM USO DE ANIMAIS PESQUISA /AULAS ENVOLVENDO ANIMAIS 2 DOCUMENTAÇÃO OBRIGATÓRIA PARA APRESENTAÇÃO DE PESQUISAS AO COMITÊ DE ÉTICA EM USO DE ANIMAIS 1. TODA DOCUMENTAÇÃO DEVERÁ SER ENTREGUE E PROTOCOLADA NA SECRETARIA DE

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC DE NOVA ODESSA Código: 234 Município: Nova Odessa Eixo Tecnológico: Segurança Habilitação Profissional: Técnico em Segurança do Trabalho Qualificação:

Leia mais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº /2013

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº /2013 PREFEITURA MUNICIPAL DE CARLOS CHAGAS - MG PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº /2013 Cria os cargos de Coordenador de Programas Sociais, com base na Lei Complementar 1835, de 19 de janeiro de 2012, e dá outras

Leia mais

CONVOCATÓRIA DE CANDIDATURAS PARA O GRUPO ASSESSOR DA SOCIEDADE CIVIL (BRASIL)

CONVOCATÓRIA DE CANDIDATURAS PARA O GRUPO ASSESSOR DA SOCIEDADE CIVIL (BRASIL) CONVOCATÓRIA DE CANDIDATURAS PARA O GRUPO ASSESSOR DA SOCIEDADE CIVIL (BRASIL) A ONU Mulheres Brasil convida organizações e redes da sociedade civil brasileira a apresentar candidaturas para o Grupo Assessor

Leia mais

FAMÍLIA COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES

FAMÍLIA COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES CARTILHA DA FAMÍLIA COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM SERVIÇOS DE ACOLHIMENTO Porto Alegre, 2016 Dedicada a todas as famílias com crianças e adolescentes em serviços de acolhimento, especialmente às famílias

Leia mais

Planificação Anual de Atividades Ano letivo 2013/2014 Educar é amar

Planificação Anual de Atividades Ano letivo 2013/2014 Educar é amar Página 1 Planificação Anual de Atividades Ano letivo 2013/2014 Educar é amar 1º Período Calendarização Atividades Competências Gerais Conteúdos Recursos Humanos e materiais 02 de setembro 12 de setembro

Leia mais

VIVA ALEMANHA/SP. CONCURSO DE DESENHO Mitos e lendas de origem germânica. Realização da Secretaria de Estado da Educação do Governo de São Paulo

VIVA ALEMANHA/SP. CONCURSO DE DESENHO Mitos e lendas de origem germânica. Realização da Secretaria de Estado da Educação do Governo de São Paulo 1 VIVA ALEMANHA/SP CONCURSO DE DESENHO Mitos e lendas de origem germânica Realização da Secretaria de Estado da Educação do Governo de São Paulo JUSTIFICATIVA O Concurso de Desenho Mitos e Lendas de Origem

Leia mais

SEGUNDA CIRCULAR PRORROGAÇÃO DAS INSCRIÇÕES

SEGUNDA CIRCULAR PRORROGAÇÃO DAS INSCRIÇÕES SEGUNDA CIRCULAR PRORROGAÇÃO DAS INSCRIÇÕES VII Congresso Internacional de Pesquisa (Auto)biográfica - VII CIPA CUIABÁ/MT 17 a 20 de Julho de 2016 Prezad@s Colegas, A Diretoria da BIOgraph e a Comissão

Leia mais

Instituto de Medicina Integral Prof. Fernando Figueira - IMIP Escola de Pós-Graduação em Saúde Materno Infantil Instituição Civil Filantrópica

Instituto de Medicina Integral Prof. Fernando Figueira - IMIP Escola de Pós-Graduação em Saúde Materno Infantil Instituição Civil Filantrópica EDITAL O Instituto de Medicina Integral Prof. Fernando Figueira IMIP em parceria com a Faculdade Pernambucana de Saúde FPS tornam público que será realizada, SELEÇÃO DE TÍTULOS para vagas dos Programas

Leia mais

PROJETO CULTURA DIGITAL E MOBILIZAÇÃO SOCIAL

PROJETO CULTURA DIGITAL E MOBILIZAÇÃO SOCIAL PROJETO CULTURA DIGITAL E MOBILIZAÇÃO SOCIAL Apresentação Objetivo Geral e Justificativa Objetivos Específicos Resultados Metodologia Operacionalização Formas de investimento Orçamento Contrapartidas Apresentação

Leia mais

MESTRADO PROFISSIONAL EM REABILITAÇÃO E INCLUSÃO. Normas para a apresentação de dissertações de mestrado

MESTRADO PROFISSIONAL EM REABILITAÇÃO E INCLUSÃO. Normas para a apresentação de dissertações de mestrado MESTRADO PROFISSIONAL EM REABILITAÇÃO E INCLUSÃO Normas para a apresentação de dissertações de mestrado O texto a seguir contém orientações para auxiliar os alunos na formatação e montagem de dissertações

Leia mais

Manual de Estágio. Gestor

Manual de Estágio. Gestor Manual de Estágio Gestor SUMÁRIO Introdução...3 1. Concepção didático-pedagógica da Escola Técnica Residência Técnica...4 2. Quais as obrigações dos gestores de ensino em relação aos estagiários?...4 3.

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO A PESQUISA E INICIAÇÃO CIENTÍFICA DAS FACULDADES INTEGRADAS EINSTEIN DE LIMEIRA PAPIC- EINSTEIN

PROGRAMA DE APOIO A PESQUISA E INICIAÇÃO CIENTÍFICA DAS FACULDADES INTEGRADAS EINSTEIN DE LIMEIRA PAPIC- EINSTEIN PROGRAMA DE APOIO A PESQUISA E INICIAÇÃO CIENTÍFICA DAS FACULDADES INTEGRADAS EINSTEIN DE LIMEIRA PAPIC- EINSTEIN EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS DO PAPIC- EINSTEIN Nº 01/2015 A Comissão Científica do

Leia mais

REGULAMENTO CENAP/SMED N 01/2014

REGULAMENTO CENAP/SMED N 01/2014 Coordenadoria de Ensino e Apoio Pedagógico CENAP M I N U T A D E R E G U L A ME N T O REGULAMENTO CENAP/SMED N 01/2014 CRIAÇÃO DO MASCOTE DO PROJETO SALVADOR PROTEGE O GOL A Coordenadoria de Ensino e Apoio

Leia mais

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO BOLSAS DEMANDA SOCIAL/2013

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO BOLSAS DEMANDA SOCIAL/2013 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CENTRO DE EDUCAÇÃO E CIÊNCIAS HUMANAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL EDITAL DO PROCESSO SELETIVO BOLSAS DEMANDA SOCIAL/2013 O Programa de Pós-Graduação

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL LUIS VAZ DE CAMÕES EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA ESCOLA

ESCOLA ESTADUAL LUIS VAZ DE CAMÕES EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA ESCOLA ESCOLA ESTADUAL LUIS VAZ DE CAMÕES EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA ESCOLA Ipezal/Angélica MS Maio de 2012. ESCOLA ESTADUAL LUIS VAZ DE CAMÕES EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA ESCOLA PROFESSORES RESPONSÁVEIS: ALDO ARARIPE PEIXOTO

Leia mais

PCN - PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS

PCN - PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS PCN - PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS 01. O que são os Parâmetros Curriculares Nacionais? (A) Um documento com leis educacionais. (B) Um livro didático para ser aplicado em sala. (C) Um referencial para

Leia mais

Jornal do Servidor. 2013. O documento, que foi construído com ampla participação dos servidores através de inúmeras reuniões

Jornal do Servidor. 2013. O documento, que foi construído com ampla participação dos servidores através de inúmeras reuniões Jornal do Servidor Sindicato Único dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Blumenau Blumenau Março/Abril 2013 Mais de 1,5 mil servidores reuniram-se na praça da prefeitura, mostrando força e

Leia mais

Normas para apresentação dos trabalhos

Normas para apresentação dos trabalhos Normas para apresentação dos trabalhos 1. Da inscrição Os trabalhos só poderão ser inscritos mediante submissão de resumo. O resumo deverá obedecer ao seguinte formato: - ter no mínimo de 350 e no máximo

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS UNIDADE TIMÓTEO

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS UNIDADE TIMÓTEO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS UNIDADE TIMÓTEO Relatório das ações de combate ao mosquito Aedes aegypti em março/2016 promovidas pelo Setor de Enfermagem TIMÓTEO ABRIL/ 2016 INTRODUÇÃO

Leia mais

VALÉRIA NUNES DE OLIVEIRA

VALÉRIA NUNES DE OLIVEIRA SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO SERVIÇO SOCIAL VALÉRIA NUNES DE OLIVEIRA OS PROCESSOS DE TRABALHO Itapetinga/Ba 2015 VALÉRIA NUNES DE OLIVEIRA OS PROCESSOS DE TRABALHO Trabalho apresentado ao Curso

Leia mais

Art. 1º O Concurso AGIR é uma iniciativa do GOB-PR a ser realizado bienalmente, quando do seu Congresso. Tem como objetivos principais:

Art. 1º O Concurso AGIR é uma iniciativa do GOB-PR a ser realizado bienalmente, quando do seu Congresso. Tem como objetivos principais: CAPÍTULO 1 DOS OBJETIVOS Art. 1º O Concurso AGIR é uma iniciativa do GOB-PR a ser realizado bienalmente, quando do seu Congresso. Tem como objetivos principais: Divulgar ações filantrópicas, fraternas,

Leia mais

A TECNOLOGIA SOCIAL, GRUPO FORMIGUINHA, COMO UMA ALIADA DA EDUCAÇÃO BÁSICA EM ITABAIANA-SE: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA.

A TECNOLOGIA SOCIAL, GRUPO FORMIGUINHA, COMO UMA ALIADA DA EDUCAÇÃO BÁSICA EM ITABAIANA-SE: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA. A TECNOLOGIA SOCIAL, GRUPO FORMIGUINHA, COMO UMA ALIADA DA EDUCAÇÃO BÁSICA EM ITABAIANA-SE: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA. Danilo Moura (Especialista em Docência no ensino de ciências, professor na Escola Municipal

Leia mais

Evangelização Espírita Ismênia de Jesus Plano de Aula Jardim. Título: O passe e a água fluidificada

Evangelização Espírita Ismênia de Jesus Plano de Aula Jardim. Título: O passe e a água fluidificada Plano de Aula 16 Centro Espírita Ismênia de Jesus Evangelização Espírita Ismênia de Jesus Plano de Aula Jardim Educadora: Priscila e Camila Dia: 08/06/2015 Horário: 20h as 21h Título: O passe e a água

Leia mais

Risco de Liquidez e Gerenciamento de Capital

Risco de Liquidez e Gerenciamento de Capital Risco de Liquidez e Gerenciamento de Capital Gerenciamento de Capital Política de Gerenciamento do Risco de Capital Plano de Capital: 2012-2015 Monitoramento mensal do nível de crise de capital As projeções

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SEED SUPERINTENDÊNCIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUED CURSO DE INTRODUÇÃO A EDUCAÇÃO DIGITAL

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SEED SUPERINTENDÊNCIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUED CURSO DE INTRODUÇÃO A EDUCAÇÃO DIGITAL Professor-tutor/Assessor da CRTE: Adriana Regina Perez Rech Nome do Cursista: Claudia Regina de Lima Estabelecimento: Colégio Estadual de Ouro Verde Ensino Fundamental e Médio Data: 01/11/2011 Atividade:

Leia mais

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA NO MUNICÍPIO DE MARINGÁ/PR

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA NO MUNICÍPIO DE MARINGÁ/PR VIOLÊNCIA DOMÉSTICA NO MUNICÍPIO DE MARINGÁ/PR Autor: Hemerson Weslley Maziero e-mail: hwmaziero@gmail.com Profª Me. Cleide de Fátima Viana Castilho (orientadora) e-mail: Cleide.castilho@hotmail.com -

Leia mais

Programa Viseu Solidário. Conteúdo do Plano de Apoio a Pessoas e Famílias 2013

Programa Viseu Solidário. Conteúdo do Plano de Apoio a Pessoas e Famílias 2013 Programa Viseu Solidário Conteúdo do Plano de Apoio a Pessoas e Famílias 2013 Tendo em conta os cortes orçamentais decorrentes das medidas de austeridade existentes no nosso País prevê-se um aumento significativo

Leia mais

PROJETO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA EM COMUNICAÇÃO E PUBLICIDADE INSTITUCIONAL 2013-2014. Nathalia Fagundes Jornalista

PROJETO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA EM COMUNICAÇÃO E PUBLICIDADE INSTITUCIONAL 2013-2014. Nathalia Fagundes Jornalista PROJETO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA EM COMUNICAÇÃO E PUBLICIDADE INSTITUCIONAL 2013-2014 Nathalia Fagundes Jornalista O presente material apresenta os trabalhos realizados através da Prestação

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTOAVALIAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL 2014/01 a 2014/02 APRESENTAÇÃO O Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES,

Leia mais

Backup. O que é um backup?

Backup. O que é um backup? Backup O que é um backup? No capítulo sobre software conhecemos o conceito de dados, agora chegou o momento de observarmos um procedimento para preservarmos nossos dados. A este procedimento damos o nome

Leia mais

A Herança de Paulo Freire

A Herança de Paulo Freire A Herança de Paulo Freire Cinco Princípios-Chave que definem a visão Freiriana de Educação Musical. Eles são: Primeiro Princípio 1. Educação Musical é um Diálogo Alunos e professores apresentam um problema

Leia mais

Software Livre e o Ensino Público: limites e perspectivas

Software Livre e o Ensino Público: limites e perspectivas Software Livre e o Ensino Público: limites e perspectivas Laura Bittencourt Paiva Valquíria Lopes Rabelo RESUMO Este artigo pretende analisar quais as perspectivas da adoção do sistema e da filosofia de

Leia mais

VIVA ALEMANHA/SP. Realização da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo CONCURSO DE DESENHO

VIVA ALEMANHA/SP. Realização da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo CONCURSO DE DESENHO 1 VIVA ALEMANHA/SP Realização da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo CONCURSO DE DESENHO Mitos e Lendas de Origem Germânica JUSTIFICATIVA O Concurso de Desenho Mitos e Lendas de Origem Germânica

Leia mais

Introdução. Prezado artesão (ã), seja bem vindo ao curso de artesanato tradicional!

Introdução. Prezado artesão (ã), seja bem vindo ao curso de artesanato tradicional! Introdução Prezado artesão (ã), seja bem vindo ao curso de artesanato tradicional! Teremos uma caminhada de trabalho conjunto ao longo deste semestre e temos certeza que aprenderemos uns com os outros

Leia mais

Roteiro para elaboração de projetos CMDCA JUNDIAÍ. 1. ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO CMDCA/Jundiaí-SP

Roteiro para elaboração de projetos CMDCA JUNDIAÍ. 1. ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO CMDCA/Jundiaí-SP Roteiro para elaboração de projetos CMDCA JUNDIAÍ 1. ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO CMDCA/Jundiaí-SP I IDENTIFICAÇÃO O Projeto deverá ser apresentado com a seguinte folha de rosto: 1.1- Nome do Projeto:

Leia mais

LEI N. 11.645, 10 de março de 2008 Obrigatoriedade da temática História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena

LEI N. 11.645, 10 de março de 2008 Obrigatoriedade da temática História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena LEI N. 11.645, 10 de março de 2008 Obrigatoriedade da temática História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena Art. 26.A. Nos estabelecimentos de ensino fundamental e de ensino médio, públicos e privados,

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO DE DESENHO E REDACÇÃO DO MINISTÉRIO DA ASSISTÊNCIA E REINSERÇÃO SOCIAL. Capítulo I Disposições Gerais. Artigo 1.

REGULAMENTO DO CONCURSO DE DESENHO E REDACÇÃO DO MINISTÉRIO DA ASSISTÊNCIA E REINSERÇÃO SOCIAL. Capítulo I Disposições Gerais. Artigo 1. REGULAMENTO DO CONCURSO DE DESENHO E REDACÇÃO DO MINISTÉRIO DA ASSISTÊNCIA E REINSERÇÃO SOCIAL Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1.º (Objecto) O presente Regulamento tem por objecto o estabelecimento

Leia mais

NOME DA UNIDADE ESCOLAR: ( ) CRECHE ( ) EDI ( ) ESCOLA MUNICIPAL COM EDUCAÇÃO INFANTIL BAIRRO CRE

NOME DA UNIDADE ESCOLAR: ( ) CRECHE ( ) EDI ( ) ESCOLA MUNICIPAL COM EDUCAÇÃO INFANTIL BAIRRO CRE NOME DA UNIDADE ESCOLAR: ( ) CRECHE ( ) EDI ( ) ESCOLA MUNICIPAL COM EDUCAÇÃO INFANTIL BAIRRO CRE Pesquisa elaborada pelo Sepe/RJ - Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação do Rio de Janeiro SAE

Leia mais

participar da centros urbanos Como sua comunidade pode plataforma dos Plataforma dos Centros Urbanos www.unicef.org.br Aliados estratégicos:

participar da centros urbanos Como sua comunidade pode plataforma dos Plataforma dos Centros Urbanos www.unicef.org.br Aliados estratégicos: Como sua comunidade pode participar da plataforma dos centros urbanos? www.unicef.org.br Aliados estratégicos: Ilustração: Jonatas Tobias Parceiros técnicos: Plataforma dos Centros Urbanos COMO SUA COMUNIDADE

Leia mais

Em 23/2/2005, o Senhor Secretário de Educação Básica do Ministério da Educação,

Em 23/2/2005, o Senhor Secretário de Educação Básica do Ministério da Educação, PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 28/10/2005 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Ministério da Educação/Secretaria de

Leia mais

ÉTICA E MORAL. profa. Karine Pereira Goss

ÉTICA E MORAL. profa. Karine Pereira Goss profa. Karine Pereira Goss Muitas vezes utiliza-se esses termos como sinônimos. Mas há diferenças entre eles, embora se relacionem estreitamente. MORAL é um conjunto de normas que regulam o comportamento

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENADORIA DE SERVIÇOS DE SAÚDE - CSS

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENADORIA DE SERVIÇOS DE SAÚDE - CSS Os objetivos deste modelo de regimento visam a padronização de critérios importantes para melhorar o funcionamento da comissão, estabelecer condições mínimas de composição e fortalecer a comissão junto

Leia mais

Processo seletivo ADRA/Prefeitura Municipal de Cariacica. Conforme oferta descrita no quadro a seguir:

Processo seletivo ADRA/Prefeitura Municipal de Cariacica. Conforme oferta descrita no quadro a seguir: Processo seletivo ADRA/Prefeitura Municipal de Cariacica Conforme oferta descrita no quadro a seguir: FUNÇÃO Assistente Social REQUISITOS Completo em Serviço Social; Experiência profissional desejável:

Leia mais

Sandra Aparecida Lino

Sandra Aparecida Lino CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde Reeducação Postural dos Trabalhadores de Saúde da Unidade de Saúde de Cascalho Rico/MG Sandra Aparecida Lino Cascalho

Leia mais

CUSTOS SOCIAIS E ECONÔMICOS DOS ACIDENTES DE TRÂNSITO EM MARINGÁ

CUSTOS SOCIAIS E ECONÔMICOS DOS ACIDENTES DE TRÂNSITO EM MARINGÁ 1.0 Introdução CUSTOS SOCIAIS E ECONÔMICOS DOS ACIDENTES DE TRÂNSITO EM MARINGÁ Prof. Dr. Joilson Dias Assistente Científica: Cássia Kely Favoretto Costa Departamento de Economia Universidade Estadual

Leia mais

Comitê de Entidades no Combate à Fome e Pela Vida 23/10/2012

Comitê de Entidades no Combate à Fome e Pela Vida 23/10/2012 MOBILIZAÇÃO SOCIAL Comitê de Entidades no Combate à Fome e Pela Vida 23/10/2012 MOBILIZAÇÃO SOCIAL Mobilização é processo contínuo. Não é um evento. Pessoas conscientes e com vontade de mudar a realidade;

Leia mais

Do mar das idéias ao mar das letras: algumas navegações sobre a leitura e a escrita

Do mar das idéias ao mar das letras: algumas navegações sobre a leitura e a escrita Do mar das idéias ao mar das letras: algumas navegações sobre a leitura e a escrita Gláucia de Souza * Ó mar anterior a nós, teus medos Tinham coral e praias e arvoredos. Desvendadas a noite e a cerração,

Leia mais

A FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL. Silvia Helena Vieira Cruz

A FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL. Silvia Helena Vieira Cruz A FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL Silvia Helena Vieira Cruz INTRODUÇÃO Os ganhos decorrentes das experiências vividas pelas crianças em creches e pré-escolas dependem diretamente

Leia mais

Em 2000, estabelecemos, coletivamente, as Metas do Milênio, dando o necessário destaque à erradicação da fome. Mas podem tornar-se letra morta por fal

Em 2000, estabelecemos, coletivamente, as Metas do Milênio, dando o necessário destaque à erradicação da fome. Mas podem tornar-se letra morta por fal PRÊMIO OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO Em 2000, estabelecemos, coletivamente, as Metas do Milênio, dando o necessário destaque à erradicação da fome. Mas podem tornar-se letra morta por falta de

Leia mais

Normas do Laboratório de Práticas de Enfermagem

Normas do Laboratório de Práticas de Enfermagem UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Escola de Enfermagem Laboratório de Práticas de Enfermagem Telefone: (31) 3409-9873 Endereço: Av. Professor Alfredo Balena, nº 190 sala 321 - Centro - Belo Horizonte/MG

Leia mais

Regulamento para a participação de trabalhos científicos e acadêmicos no 6º Congresso Internacional CBL do Livro Digital - 2016

Regulamento para a participação de trabalhos científicos e acadêmicos no 6º Congresso Internacional CBL do Livro Digital - 2016 Regulamento para a participação de trabalhos científicos e acadêmicos no 6º Congresso Internacional CBL do Livro Digital - 2016 1 DISPOSIÇÕES GERAIS 1.1 O CONGRESSO INTERNACIONAL CBL DO LIVRO DIGITAL CONGRESSO,

Leia mais

FREQÜÊNCIA ESCOLAR PODERÃO TER O BENEFÍCIO BLOQUEADO EM NOVEMBRO

FREQÜÊNCIA ESCOLAR PODERÃO TER O BENEFÍCIO BLOQUEADO EM NOVEMBRO INFORME BOLSA FAMÍLIA Nº 142 10 de setembro de 2008 FAMÍLIAS DO PBF COM BENEFICIÁRIOS QUE NUNCA TIVERAM INFORMAÇÃO DE FREQÜÊNCIA ESCOLAR PODERÃO TER O BENEFÍCIO BLOQUEADO EM NOVEMBRO SENARC publica a Instrução

Leia mais

Trabalho Sobre a Cultura Cientifíco-tecnológica

Trabalho Sobre a Cultura Cientifíco-tecnológica 1 P a g e Trabalho Sobre a Cultura Cientifíco-tecnológica Trabalho realizado realizado pelo aluno Paulo Joon nº2 da turma 2 do 11º ano do Colégio de S. Teotónio no âmbito da disciplina de Filosofia(2º

Leia mais

As equipes poderão ser formadas por alunos Ensino Fundamental II e do Ensino Médio e Técnico.

As equipes poderão ser formadas por alunos Ensino Fundamental II e do Ensino Médio e Técnico. Ceará Faz Ciência 2015 Tema: Luz Ciência e Vida Regulamento 1. Inscrições Os projetos deverão ser submetidos pela Coordenação Pedagógica da Escola e/ou professor responsável. O período para submissão dos

Leia mais

Jimboê. História. Avaliação. Projeto. 5 o ano. 3 o bimestre

Jimboê. História. Avaliação. Projeto. 5 o ano. 3 o bimestre Professor, esta sugestão de avaliação corresponde ao terceiro bimestre escolar ou à Unidade 3 do Livro do Aluno. Projeto Jimboê 5 o ano Avaliação 3 o bimestre 1 Avaliação NOME: ESCOLA: PROFESSOR: TURMA:

Leia mais

Palavras chaves: Autoavaliação institucional; Indicadores de qualidade; Avaliações externas

Palavras chaves: Autoavaliação institucional; Indicadores de qualidade; Avaliações externas 01180 AVALIAÇÃO NA ESCOLA E A CONSTRUÇÃO DE INDICADORES DE QUALIDADE Janete Ribeiro Nhoque Julio Gomes Almeida Programa de Pós Graduação em Educação Universidade Cidade de São Paulo Resumo: O objetivo

Leia mais

1 Plano Anual de Actividades (2008/2009)*

1 Plano Anual de Actividades (2008/2009)* 1 Plano Anual de Actividades (2008/2009)* Meses Actividades Objectivos Recursos Materiais Recursos Humanos Local Setembro Não se irão realizar actividades orientadas. Contribuir para a adaptação e integração

Leia mais

Concurso de Livro de Contos Infantis Histórias da Ajudaris: Pequenos Gestos Grandes Corações. Regulamento. Artigo 1º Apresentação

Concurso de Livro de Contos Infantis Histórias da Ajudaris: Pequenos Gestos Grandes Corações. Regulamento. Artigo 1º Apresentação Concurso de Livro de Contos Infantis Histórias da Ajudaris: Pequenos Gestos Grandes Corações Regulamento Artigo 1º Apresentação A Ajudaris, a Rede de Bibliotecas Escolares (RBE) e o Plano Nacional de Leitura

Leia mais

Boas situações de Aprendizagens. Atividades. Livro Didático. Currículo oficial de São Paulo

Boas situações de Aprendizagens. Atividades. Livro Didático. Currículo oficial de São Paulo Atividades Boas situações de Aprendizagens Livro Didático Currículo oficial de São Paulo LÓGICA NUMA CONCEPÇÃO QUE SE APOIA EXCLUSIVAMENTE EM CONTEÚDOS E ATIVIDADES Enfoque fragmentado, centrado na transmissão

Leia mais

Autor: Profª Msª Carla Diéguez METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA

Autor: Profª Msª Carla Diéguez METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA Autor: Profª Msª Carla Diéguez METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA OBJETIVO DA AULA AULA 3 O PROJETO E O ARTIGO PARTE 1 A ESTRUTURA DO PROJETO E DO ARTIGO Objetivo Geral Auxiliar o aluno na elaboração do

Leia mais

I Seminário Estadual sobre Segurança Escolar: Consolidando uma Cultura de Paz e Direitos Humanos na Escola

I Seminário Estadual sobre Segurança Escolar: Consolidando uma Cultura de Paz e Direitos Humanos na Escola I Seminário Estadual sobre Segurança Escolar: Consolidando uma Cultura de Paz e Direitos Humanos na Escola Ana Coelho Vieira Selva Não existe um caminho para a paz. A paz é o caminho. Mahatma Gandhi A

Leia mais

Funções Assegurar a racionalização, organização e coordenação do trabalho Docente, permitindo ao Professor e Escola um ensino de qualidade, evitando

Funções Assegurar a racionalização, organização e coordenação do trabalho Docente, permitindo ao Professor e Escola um ensino de qualidade, evitando Funções Assegurar a racionalização, organização e coordenação do trabalho Docente, permitindo ao Professor e Escola um ensino de qualidade, evitando a improvisação e a rotina. Explicitar princípios, diretrizes

Leia mais

CAPÍTULO II DOS OBJETIVOS DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO

CAPÍTULO II DOS OBJETIVOS DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO Versão final MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA O ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE LICENCIATURA DA UNOESC CAPÍTULO I DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO Art. 1º O Estágio Curricular Supervisionado

Leia mais

Salvador, março de 2016. Prezados

Salvador, março de 2016. Prezados Salvador, março de 2016 Prezados A Empresa NACE- Núcleo de Ações Culturais Estratégicas, em parceria com a Prefeitura de Salvador, através da Saltur estará realizando no mês de maio de 2016 o MUSA - FESTIVAL

Leia mais

GUIA PRÁTICO ATENDIMENTO AÇÃO SOCIAL

GUIA PRÁTICO ATENDIMENTO AÇÃO SOCIAL Manual de GUIA PRÁTICO ATENDIMENTO AÇÃO SOCIAL INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/7 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Atendimento Ação Social (31 A V4.07) PROPRIEDADE

Leia mais