Perspectivas de Investimentos na Área Laboratorial Cesar Almeida Rodrigues Abril/2016

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Perspectivas de Investimentos na Área Laboratorial Cesar Almeida Rodrigues Abril/2016"

Transcrição

1 Perspectivas de Investimentos na Área Laboratorial Cesar Almeida Rodrigues Abril/2016

2 Declaração de Conflito de Interesses Eu, Cesar Almeida Rodrigues, autor da apresentação, declaro que possuo vínculo empregatício com a empresa Abbott Laboratórios do Brasil Ltda, onde todo o conteúdo da apresentação está alinhado com estratégia da empresa, sendo propriedade intelectual da mesma.

3 O Universo do Serviço de Saúde no Século 21: Tendo que Fazer Mais com Menos

4 O Universo do Serviço de Saúde no Século 21: Tendo que Fazer Mais com Menos Mudança demográfica reforça o aumento de DCNTs Realidade Econômica: Orçamento reduzido para o serviço de saúde Desafio nº 1 Envelhecimento da população Consumerismo Aplicado à Saúde Desafio nº 2 Aumento de DCNTs Realidade do Serviço de Saúde: Aumento da demanda do serviço de saúde

5 DCNTs são um desafio no Brasil O custo do tratamento e da perda de produtividade no Brasil devido às 5 principais DCNTs causadoras de morte ficou estimado em: $72 bilhões World Bank. (2005). Addressing the Challenge of Non-communicable Diseases in Brazil. Report No BR

6 O Brasil está defasado em relação aos mercados de Alta Renda Gastos totais com a saúde (% do PIB) Países de alta renda 12,2% 9,3% 10,2%

7 O Paradoxo do Diagnóstico: Papel Importante Reconhecido Vs. Pequeno Investimento O diagnóstico e tratamento precoces fazem com que as DCNTs parem de progredir em complicações onerosas e incapacitantes e em morte prematura NCD Alliance WHO, What is the impact of Non Communicable Diseases on National Health Expenditures: A synthesis of available data, Discussion Paper No. 3 Geneva 2011, accessed 25 November EDMA answer to the European Commission consultation on Community Action on Health Services, 31 January 2007, p.2

8 O Paradoxo do Diagnóstico: Papel Importante Reconhecido Vs. Pequeno Investimento O diagnóstico e 70% tratamento precoces fazem com que as DNTs parem de progredir em complicações onerosas e incapacitantes e em morte prematura Orçamento dos serviços em saúde gasto com diagnósticos <2% NCD Alliance As decisões médicas baseiamse nos IVDs WHO, What is the impact of Non Communicable Diseases on National Health Expenditures: A synthesis of available data, Discussion Paper No. 3 Geneva 2011, accessed 25 November EDMA answer to the European Commission consultation on Community Action on Health Services, 31 January 2007, p.2

9 A saúde dos pacientes com DCNTs pode ser melhorada por meio de maior entendimento sobre os IVDs Em 2012, a quantidade média anual de IVDs realizados foi de 8 por habitante no Brasil, em comparação à média de 23 por habitante na União Europeia 8 23 Brazilian Chamber of Laboratory Diagnostics,2012 EDMA (European Diagnostics Manufacturers Association), 2011

10 IVDs: Uma das Principais Ferramentas de Diagnóstico Monitoramento dos tratamentos prescritos Avaliação de intervenções médicas Prevenção da doença e Triagem da população Diagnóstico, Seleção de tratamento e Prognóstico Os Diagnósticos In Vitro são usados paralelamente com os serviços de saúde EDMA webpage, About In Vitro Diagnosis, accessed 25 November 2013 FDA, Overview of IVD Regulation, accessed on 17 January 2014

11 Como Abbott entende Inovação no Ambiente Laboratorial? Investimentos na parte de Gestão -R$10B Orçamento 2X Demanda 70% Decisões

12 O modelo ideal de funcionamento do Ecossistema da Saúde + Fique Saudável C Custo C P = R - C Resultados

13 Barreiras que impossibilitam a adoção do modelo ideal Lab Clínica Geral Prescriçao PS Especialista UTI $1 Poupado = $1,115 Investido

14 Como o laboratório pode criar valor? Readmissão + KPIS Duração da Internação LAB Nível de Serviço Reduzir Tempo de Espera Condições Adquiridas no Hospital

15 Como o laboratório pode criar valor? Valor Criado Valor Criado Ecossistema da Saúde Hospital Lab Performance = Accesso x x Resulados Satisfação Custo

16 Abbott Diagnóstico: nosso propósito e onde estamos focando nossos esforços ADD oferece melhoria na qualidade e custo nos cuidados para saúde, melhorando a qualidade e a rapidez na tomada de decisão médica e econômica para os profissionais da saúde Diagnóstico e tratamento Business Intelligence Métricas Hospitalares / KPI Gestão de Negócios na Medicina Serviços profissionais Habilitação do aperfeiçoamento no tratamento de pacientes, desenvolvimento de inteligência médica e melhoria do gerenciamento do investimento médico

17 MUITO OBRIGADO. Cesar Almeida Rodrigues General Manager Abbott Diagnóstico

O Valor de Diagnóstico Diagnóstico Precoce e prevenção Antonio Vergara

O Valor de Diagnóstico Diagnóstico Precoce e prevenção Antonio Vergara O Valor de Diagnóstico Antonio Vergara O valor de Diagnóstico em beneficio do paciente O Valor do Diagnóstico Valor Clínico O Valor de Diagnóstico Industria dos Diagnósticos Valor de Inovação IVD da despensa

Leia mais

O IRC como Instrumento de Competitividade Reforma num contexto de crise

O IRC como Instrumento de Competitividade Reforma num contexto de crise O IRC como Instrumento de Competitividade Reforma num contexto de crise 3 de Outubro de 2013 Paulo Gaspar Tópicos Enquadramento O exemplo de outros Estados-membros Concretizar Um sistema fiscal competitivo

Leia mais

COMPORTAMENTOS NÃO SAUDÁVEIS ASSOCIADOS À INATIVIDADE FÍSICA NO LAZER EM TRABALHADORES DAS INDÚSTRIAS DO SUL DO BRASIL

COMPORTAMENTOS NÃO SAUDÁVEIS ASSOCIADOS À INATIVIDADE FÍSICA NO LAZER EM TRABALHADORES DAS INDÚSTRIAS DO SUL DO BRASIL COMPORTAMENTOS NÃO SAUDÁVEIS ASSOCIADOS À INATIVIDADE FÍSICA NO LAZER EM TRABALHADORES DAS INDÚSTRIAS DO SUL DO BRASIL Autores: Rodrigo de Rosso Krug (1), Giovâni Firpo Del Duca (1), Kelly Samara da Silva

Leia mais

DST Testes Moleculares GENÉTICA MOLECULAR GENÉTICA MOLECULAR

DST Testes Moleculares GENÉTICA MOLECULAR GENÉTICA MOLECULAR GENÉTICA MOLECULAR GENÉTICA MOLECULAR DST Testes Moleculares A Genética de Microorganismos do Hermes Pardini é reconhecida por oferecer uma gama de exames moleculares que auxiliam nas decisões clínicas

Leia mais

Estratégias de mercado, dimensionamento e aquisição de tecnologias.

Estratégias de mercado, dimensionamento e aquisição de tecnologias. Painel Estratégias para planejamento, organização e implantação de um Centro de Diagnóstico Estratégias de mercado, dimensionamento e aquisição de tecnologias. Agenda Estratégias de mercado, dimensionamento

Leia mais

Instituto Nacional de Saúde Pública (INASA)

Instituto Nacional de Saúde Pública (INASA) Instituto Nacional de Saúde Pública (INASA) Augusto Paulo Silva Helsinki (KTL), June 2007 Definição República da Guiné-Bissau Instituição técnico-científica subordinada ao Ministério da Saúde Pública (MINSAP),

Leia mais

Utilização de medicamentos isentos de prescrição e economias geradas para os sistemas de saúde: uma revisão

Utilização de medicamentos isentos de prescrição e economias geradas para os sistemas de saúde: uma revisão Utilização de medicamentos isentos de prescrição e economias geradas para os sistemas de saúde: uma revisão Prof. Antonio Cesar Rodrigues Faculdade do Instituto de Administração FIA Seminário Medicamentos

Leia mais

Aspectos Psicossociais nas Relac o es de Trabalho Experie ncias do Reino Unido e do Canada

Aspectos Psicossociais nas Relac o es de Trabalho Experie ncias do Reino Unido e do Canada Aspectos Psicossociais nas Relac o es de Trabalho Experie ncias do Reino Unido e do Canada Profa. Dra. Marcia Bandini 12º Fórum de Segurança e Saúde no Trabalho Agenda 1. SMT um tema atual 2. Fatores de

Leia mais

O PAPEL DOS TESTES DIAGNÓSTICOS EM POLÍTICA PÚBLICA DE SAÚDE E EM DECISÕES CLÍNICAS. Murilo Contó National Consultant PAHO/WHO

O PAPEL DOS TESTES DIAGNÓSTICOS EM POLÍTICA PÚBLICA DE SAÚDE E EM DECISÕES CLÍNICAS. Murilo Contó National Consultant PAHO/WHO O PAPEL DOS TESTES DIAGNÓSTICOS EM POLÍTICA PÚBLICA DE SAÚDE E EM DECISÕES CLÍNICAS Murilo Contó National Consultant PAHO/WHO Sumário 1- Definição Produtos Diagnósticos in vitro (IVD) 2- Características

Leia mais

Tópicos. Cenário Atual. Estratégias e custo efetividade. Metas para redução de Doenças Crônicas Não- Transmissíveis (DCNT) 2011

Tópicos. Cenário Atual. Estratégias e custo efetividade. Metas para redução de Doenças Crônicas Não- Transmissíveis (DCNT) 2011 Tópicos Cenário Atual Metas para redução de Doenças Crônicas Não- Transmissíveis (DCNT) 2011 Estratégias e custo efetividade Envelhecimento Populacional Mais Idade Mais DCNT Mortalidade DCNT = 63% dos

Leia mais

ALIANÇA LATINO AMERICANA PARA O DESENVOLVIMENTO DO DIAGNÓSTICO IN VITRO ALADDiV

ALIANÇA LATINO AMERICANA PARA O DESENVOLVIMENTO DO DIAGNÓSTICO IN VITRO ALADDiV ALIANÇA LATINO AMERICANA PARA O DESENVOLVIMENTO DO DIAGNÓSTICO IN VITRO ALADDiV Leticia Seixas Prata da Fonseca Fortaleza, 29/09/2015 1 Fonte: www.advameddx.org Fonte: The Lewin Group - 2009 Características

Leia mais

SEMINÁRIO IBRE GOVERNANÇA E GESTÃO DOS HOSPITAIS DE ATENDIMENTO PÚBLICO NO BRASIL MÔNICA VIEGAS ANDRADE OUTUBRO, 2014

SEMINÁRIO IBRE GOVERNANÇA E GESTÃO DOS HOSPITAIS DE ATENDIMENTO PÚBLICO NO BRASIL MÔNICA VIEGAS ANDRADE OUTUBRO, 2014 SEMINÁRIO IBRE GOVERNANÇA E GESTÃO DOS HOSPITAIS DE ATENDIMENTO PÚBLICO NO BRASIL RIO DE JANEIRO 20 DE OUTUBRO DE 2014 MÔNICA VIEGAS ANDRADE OUTUBRO, 2014 CONTEXTO: SISTEMA DE SAÚDE BRASILEIRO MIX PUBLICO-PRIVADO

Leia mais

Impact of trial design on GCP inspections

Impact of trial design on GCP inspections 14 th International Conference of Drug Regulatory Authorities Impact of trial design on GCP inspections Laura Gomes Castanheira Clinical Trials and New Drugs Coordination Safety and Efficacy Evaluation

Leia mais

Controlo da qualidade e supervisão laboratorial. Cláudia Amorim Vaz Centro hospitalar de são João 1 julho

Controlo da qualidade e supervisão laboratorial. Cláudia Amorim Vaz Centro hospitalar de são João 1 julho Controlo da qualidade e supervisão laboratorial Cláudia Amorim Vaz Centro hospitalar de são João 1 julho A importância do diagnóstico precoce PHOTO CAPTION A realização dos testes de rastreio vão permitir

Leia mais

FORMAÇÃO NA FFULISBOA NA ÁREA DAS ANÁLISES CLÍNICAS E GENÉTICA HUMANA. Matilde Fonseca e Castro Maio 2016 (mcastro@ff.ulisboa.pt)

FORMAÇÃO NA FFULISBOA NA ÁREA DAS ANÁLISES CLÍNICAS E GENÉTICA HUMANA. Matilde Fonseca e Castro Maio 2016 (mcastro@ff.ulisboa.pt) FORMAÇÃO NA FFULISBOA NA ÁREA DAS ANÁLISES CLÍNICAS E GENÉTICA HUMANA Matilde Fonseca e Castro Maio 2016 (mcastro@ff.ulisboa.pt) População muito envelhecida (2 milhões de habitantes com idade >65 anos)

Leia mais

Redes de Atenção à Saúde coordenadas pela APS: resposta aos desafios da crise global dos sistemas de saúde

Redes de Atenção à Saúde coordenadas pela APS: resposta aos desafios da crise global dos sistemas de saúde Redes de Atenção à Saúde coordenadas pela APS: resposta aos desafios da crise global dos sistemas de saúde Renato Tasca, OPS/OMS Brasil Belo Horizonte, 18 de outubro de 2011 Cenário global de crise dos

Leia mais

GORETTI REIS Deputada Estadual 2ª Secretária AL/SE. Presidente da Secretaria Especial da Saúde UNALE

GORETTI REIS Deputada Estadual 2ª Secretária AL/SE. Presidente da Secretaria Especial da Saúde UNALE GORETTI REIS Deputada Estadual 2ª Secretária AL/SE Presidente da Secretaria Especial da Saúde UNALE Setembro/2015 Duas décadas e meia de existência, tem sido capaz de estruturar e consolidar um sistema

Leia mais

ATUALIZAÇÃO EM MEDICINA DO TRABALHO. Atualização sobre enfoques e tendências atuais na Gestão da Saúde nas organizações

ATUALIZAÇÃO EM MEDICINA DO TRABALHO. Atualização sobre enfoques e tendências atuais na Gestão da Saúde nas organizações ATUALIZAÇÃO EM MEDICINA DO TRABALHO Atualização sobre enfoques e tendências atuais na Gestão da Saúde nas organizações É lançar mão de todas as funções e conhecimentos necessários, para através de pessoas

Leia mais

O Custo do Mau Controle do Diabetes para a Saúde Pública

O Custo do Mau Controle do Diabetes para a Saúde Pública O Custo do Mau Controle do Diabetes para a Saúde Pública DR. AUGUSTO PIMAZONI NETTO Coordenador dos Grupos de Educação e Controle do Diabetes do Hospital do Rim e Hipertensão da Universidade Federal de

Leia mais

APRESENTAÇÃO DAS ATIVIDADES DA WRS CONSULTORIA LTDA

APRESENTAÇÃO DAS ATIVIDADES DA WRS CONSULTORIA LTDA APRESENTAÇÃO DAS ATIVIDADES DA WRS CONSULTORIA LTDA IMPORTÂNCIA DO COMISSIONAMENTO COMISSIONAMENTO COMISSIONAMENTO COMISSIONAMENTO COMISSIONAMENTO OBJETIVO DO COMISSIONAMENTO Verificar o cumprimento dos

Leia mais

Rainforest Alliance Certified TM

Rainforest Alliance Certified TM Secretaría de la Red de Agricultura Sostenible Rainforest Alliance P. O. Box 11029 1000 San José Costa Rica standards@sanstandards.org Rainforest Alliance Certified TM Relatório de Auditoria Anual 1 Sucocítrico

Leia mais

O Risco de morrer por doença crónica em Portugal de 1980 a 2012: tendência e padrões de sazonalidade

O Risco de morrer por doença crónica em Portugal de 1980 a 2012: tendência e padrões de sazonalidade O Risco de morrer por doença crónica em Portugal de 198 a 212: tendência e padrões de sazonalidade Baltazar Nunes Departamento de Epidemiologia Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge IV Congresso

Leia mais

Juliana Araújo Torres. Enfermeira do Serviço de Epidemiologia

Juliana Araújo Torres. Enfermeira do Serviço de Epidemiologia Indicadores da Qualidade e Segurança do Protocolo Juliana Araújo Torres Enfermeira do Serviço de Epidemiologia Hospital Nove de Julho Estrutura 315 leitos 1600 colaboradores 4.000 médicos cadastrados no

Leia mais

Gestão de Custos. Soluções e Controle de Doenças Crônicas. Junho, 2017 Romero Franca

Gestão de Custos. Soluções e Controle de Doenças Crônicas. Junho, 2017 Romero Franca Gestão de Custos Soluções e Controle de Doenças Crônicas Junho, 2017 Romero Franca Nossa missão $184,8 Bi Ajudar as pessoas a viver de forma mais saudável e contribuir para que o sistema de saúde funcione

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA HOSPITALAR Unidade Dias

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE SAÚDE COMUNITÁRIA ESPECIALIZAÇÃO EM MEDICINA DO TRABALHO THIAGO MORO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE SAÚDE COMUNITÁRIA ESPECIALIZAÇÃO EM MEDICINA DO TRABALHO THIAGO MORO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE SAÚDE COMUNITÁRIA ESPECIALIZAÇÃO EM MEDICINA DO TRABALHO THIAGO MORO ANÁLISE DE AFASTAMENTOS PREVIDENCIÁRIOS POR TRANSTORNO MENTAL:

Leia mais

Luciene Machado. Painel Financiamento: fontes e modalidades para suportar os investimentos

Luciene Machado. Painel Financiamento: fontes e modalidades para suportar os investimentos Seminário ABDIB- As Soluções para o Saneamento Básico e os Recursos Hídricos no Brasil Painel Financiamento: fontes e modalidades para suportar os investimentos SP, 16/03/2017 15 de dezembro de 2016 Luciene

Leia mais

Indicadores de desempenho em gestão de saúde populacional

Indicadores de desempenho em gestão de saúde populacional Indicadores de desempenho em gestão de saúde populacional Marcelo Caldeira Pedroso Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (USP) São Paulo, 21 de outubro de 2014 1 Informações sobre o conteúdo

Leia mais

Estudo mostra que LANTUS ajudou pacientes com Diabetes Tipo 2 a atingirem a meta recomendada pela ADA para o controle de açúcar no sangue

Estudo mostra que LANTUS ajudou pacientes com Diabetes Tipo 2 a atingirem a meta recomendada pela ADA para o controle de açúcar no sangue Paris, 07 de junho, de 2008 Estudo mostra que LANTUS ajudou pacientes com Diabetes Tipo 2 a atingirem a meta recomendada pela ADA para o controle de açúcar no sangue Novos dados apresentados na Annual

Leia mais

Painel: Tecnologias e Mídias

Painel: Tecnologias e Mídias Painel: Tecnologias e Mídias Valter Roesler: roesler@inf.ufrgs.br I Jornada Educação e Envelhecimento Título do capítulo 31 de julho de 2014 Sumário Mecanismos de interação com a tecnologia Desafios da

Leia mais

Investimentos em Infraestrutura e Crescimento Econômico Brasileiro

Investimentos em Infraestrutura e Crescimento Econômico Brasileiro Investimentos em Infraestrutura e Crescimento Econômico Brasileiro Márcio Holland Secretário de Política Econômica Comissão de Infraestrutura do Senado Federal Brasília, 19 de maio de 2014 2 Por que investimentos

Leia mais

GNT Saúde Suplementar. Goiânia, 31 de Março e 01 de Abril de 2017

GNT Saúde Suplementar. Goiânia, 31 de Março e 01 de Abril de 2017 GNT Saúde Suplementar Goiânia, 31 de Março e 01 de Abril de 2017 Goiânia, 31 de Março e 01 de Abril de 2017 DRG e sua aplicabilidade na Saúde Suplementar GOLDETE PRISZKULNIK Executiva Médica em Gestão

Leia mais

Comparação NBR ISO X RDC s ANVISA ESTUDO COMPARATIVO ENTRE: NBR ISO 13485:2004 RCD 59:2000 PORTARIA 686:1998

Comparação NBR ISO X RDC s ANVISA ESTUDO COMPARATIVO ENTRE: NBR ISO 13485:2004 RCD 59:2000 PORTARIA 686:1998 Comparação NBR ISO 13485 X RDC s ANVISA ESTUDO COMPARATIVO ENTRE: NBR ISO 13485:2004 RCD 59:2000 PORTARIA 686:1998 Agenda Objetivo do estudo Visão Geral da NBR 13485:2004 Tendências mundiais Resultados

Leia mais

MACRO AMBIENTE TECNOLÓGICO: MODELOS ASSISTENCIAIS DE SISTEMA DE SAÚDE

MACRO AMBIENTE TECNOLÓGICO: MODELOS ASSISTENCIAIS DE SISTEMA DE SAÚDE MACRO AMBIENTE TECNOLÓGICO: MODELOS ASSISTENCIAIS DE SISTEMA DE SAÚDE MODELO ASSISTENCIAL Chamamos de Modelo Assistencial, a forma como são organizados as ações e os serviços dentro de um Sistema de Saúde.

Leia mais

Módulo: Experiência das Autogestões no Gerenciamento de Assistência à Saúde, Painel da Promoção da Saúde à Verticalização do Atendimento.

Módulo: Experiência das Autogestões no Gerenciamento de Assistência à Saúde, Painel da Promoção da Saúde à Verticalização do Atendimento. Módulo: Experiência das Autogestões no Gerenciamento de Assistência à Saúde, Painel da Promoção da Saúde à Verticalização do Atendimento. Ricardo Ayache Diretor de Comunicação da Unidas Presidente da Caixa

Leia mais

Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável. Orientações Programáticas

Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável. Orientações Programáticas Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável Orientações Programáticas 1 - Enquadramento Portugal era um dos poucos países Europeus que não dispunha de um programa nacional de alimentação,

Leia mais

ANATEL AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES

ANATEL AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ANATEL AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES GERÊNCIA DE CERTIFICAÇÃO E NUMERAÇÃO www.anatel.gov.br Visão geral do processo de certificação e homologação de produtos para telecomunicações no Brasil Lei

Leia mais

Total. Analisando os custos para os países até 2030, o estudo foca naqueles passíveis de impactar diretamente o PIB, dentre eles:

Total. Analisando os custos para os países até 2030, o estudo foca naqueles passíveis de impactar diretamente o PIB, dentre eles: Resumo do estudo Impactos econômicos das doenças crônicas na produtividade e na aposentadoria precoce: o Brasil em foco (Victoria University - Austrália) 1. Resumo Executivo O envelhecimento da população

Leia mais

Plano de Ações estratégicas para o enfrentamento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) no Brasil, 2011 2022

Plano de Ações estratégicas para o enfrentamento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) no Brasil, 2011 2022 Plano de Ações estratégicas para o enfrentamento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) no Brasil, 2011 2022 Cristiane Penaforte Secretaria de Vigilância em Saúde DCNT no Brasil Tendência de Mortalidade,

Leia mais

O VALOR DOS DIAGNÓSTICOS IN VITRO (IVDs) Dr. Paulo Marcos Senra Souza / André Gibrail Dezembro de 2014

O VALOR DOS DIAGNÓSTICOS IN VITRO (IVDs) Dr. Paulo Marcos Senra Souza / André Gibrail Dezembro de 2014 O VALOR DOS DIAGNÓSTICOS IN VITRO (IVDs) Dr. Paulo Marcos Senra Souza / André Gibrail Dezembro de 2014 I. Introdução Sobre os diagnósticos in vitro Índice I. Introdução Sobre os diagnósticos in vitro...

Leia mais

Gestão à Vista: Transparência e Produtividade na Comunicação Organizacional. Adriana Daum Machado Assessora da Qualidade

Gestão à Vista: Transparência e Produtividade na Comunicação Organizacional. Adriana Daum Machado Assessora da Qualidade Gestão à Vista: Transparência e Produtividade na Comunicação Adriana Daum Machado Assessora da Qualidade MERIDIONAL DADOS DADOS 2012 2012 HOSPITAL PRIVADO COM FINS LUCRATIVOS 169 LEITOS 62 LEITOS DE UTI

Leia mais

PPP Summit 2013 Desafios vinculados à estruturação dos projetos de PPP: Condução dos estudos de viabilidade Tomás Anker

PPP Summit 2013 Desafios vinculados à estruturação dos projetos de PPP: Condução dos estudos de viabilidade Tomás Anker PPP Summit 2013 Desafios vinculados à estruturação dos projetos de PPP: Condução dos estudos de viabilidade Tomás Anker Maio, 2013 Agenda 1. Fundo PSP Brazil e o que fazemos 2. Estruturação: Critérios

Leia mais

NUNO VASCO LOPES CHIEF EXECUTIVE OFFICER

NUNO VASCO LOPES CHIEF EXECUTIVE OFFICER NUNO VASCO LOPES CHIEF EXECUTIVE OFFICER HÁ TEMPOS DE CORUJA E TEMPOS DE FALCÃO. D. JOÃO II Como a coruja, observámos o mercado. Tomámos decisões. Definimos o que somos. Reorganizámo-nos. O mercado

Leia mais

Lisboa. Jornadas de Fiscalidade 2017

Lisboa. Jornadas de Fiscalidade 2017 Lisboa Jornadas de Fiscalidade 2017 A tributação das indústrias extrativas Intervenção inicial: Jaime Carvalho Esteves (PwC) Cristina Teixeira (PwC) Gilles de Vignemont (PwC) Moderação: Jaime Carvalho

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SARA HELENA PEREIRA E SILVA

FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SARA HELENA PEREIRA E SILVA FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SARA HELENA PEREIRA E SILVA Propriedade intelectual e a alta modernidade: redefinindo o sistema para adequação aos direitos fundamentais Projeto de pesquisa orientado

Leia mais

Pro-Hosp 2013 Política Hospitalar do Estado de Minas Gerais

Pro-Hosp 2013 Política Hospitalar do Estado de Minas Gerais Pro-Hosp 2013 Política Hospitalar do Estado de Minas Gerais PRO-HOSP Conjunto de ações e políticas hospitalares do Estado que visam o fortalecimento e a melhoria das Redes de Atenção à Saúde Prioritárias

Leia mais

Contribuições do SISTEMA BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO para a Melhoria da Qualidade da Assistência e Segurança dos Pacientes

Contribuições do SISTEMA BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO para a Melhoria da Qualidade da Assistência e Segurança dos Pacientes Contribuições do SISTEMA BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO para a Melhoria da Qualidade da Assistência e Segurança dos Pacientes ABRIL/2011 O Universo de Atuação População 190.732.694 habitantes Fonte: IBGE 2010

Leia mais

Avaliação da Cultura de Segurança do Doente nos Cuidados de Saúde Primários

Avaliação da Cultura de Segurança do Doente nos Cuidados de Saúde Primários NORMA NÚMERO: 003/2015 DATA: 11/03/2015 ATUALIZAÇÃO 06/02/2017 ASSUNTO: PALAVRAS-CHAVE: PARA: CONTACTOS: Avaliação da Cultura de Segurança do Doente nos Cuidados de Saúde Primários Segurança do Doente;

Leia mais

Compartilhamento de Risco

Compartilhamento de Risco Dr. Claudio Luiz Lottenberg Presidente do Hospital Albert Einstein Compartilhamento de Risco Operadora / Prestadores 11 de junho de 2016 O tamanho do setor de saúde brasileiro é estimado em R$ 470 bilhões,

Leia mais

Fazer uma mudança, assumindo a responsabilidade. O papel do marketing na entrega de um sistema de saúde sustentável e bem sucedido.

Fazer uma mudança, assumindo a responsabilidade. O papel do marketing na entrega de um sistema de saúde sustentável e bem sucedido. Fazer uma mudança, assumindo a responsabilidade O papel do marketing na entrega de um sistema de saúde sustentável e bem sucedido. Michael Simpkins Mais de 20 anos de trabalho em todo o mercado de saúde

Leia mais

Categoria: Gestão do Atendimento e Segurança do Paciente Subcategoria: Classe 2. Viviane R Buffon Diretora Clínica

Categoria: Gestão do Atendimento e Segurança do Paciente Subcategoria: Classe 2. Viviane R Buffon Diretora Clínica Categoria: Gestão do Atendimento e Segurança do Paciente Subcategoria: Classe 2 Implantação da Comissão de Colaboração Clínica como ferramenta de Gestão do Atendimento e de Segurança do Paciente em âmbito

Leia mais

2.2 Ambiente Macroeconômico

2.2 Ambiente Macroeconômico Por que Ambiente Macroeconômico? Fundamentos macroeconômicos sólidos reduzem incertezas sobre o futuro e geram confiança para o investidor. A estabilidade de preços é uma condição importante para processos

Leia mais

PROTOCOLO DE IDENTIFICAÇÃO DO PACIENTE

PROTOCOLO DE IDENTIFICAÇÃO DO PACIENTE IV ENCONTRO GOIANO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS PROTOCOLO DE IDENTIFICAÇÃO DO PACIENTE Programa Nacional de Segurança Do Paciente Thais Yoshida Enfermeira Coordenadora do Núcleo Interno de Segurança do Paciente

Leia mais

INOVAÇÃO E P&D: QUAL O MELHOR CAMINHO?

INOVAÇÃO E P&D: QUAL O MELHOR CAMINHO? INOVAÇÃO E P&D: QUAL O MELHOR CAMINHO? XXXII CONGRESSO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE MEDICINA FARMACÊUTICA 23 e 24 novembro 2006 João Sanches Diretor de Comunicação A inovação é pilar da competitividade Prosperidade

Leia mais

PERFIL DE MORBIDADE HOSPITALAR DO SUS POR DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS EM MARINGÁ-PARANÁ ( )

PERFIL DE MORBIDADE HOSPITALAR DO SUS POR DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS EM MARINGÁ-PARANÁ ( ) PERFIL DE MORBIDADE HOSPITALAR DO SUS POR DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS EM MARINGÁ-PARANÁ (2008-2012) Pedro Henrique Teixeira Soto 1 ; Gabriela Martini Raitz 2 ; Ludmila Lopes Bolsoni 3 ; Cássia

Leia mais

10. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

10. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 10. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Referências Bibliográficas 1 - Correia de Campos A. Saúde o custo de um valor sem preço. Lisboa: Editora Portuguesa de Livros Técnicos e Científicos. 1983. 2 - Direcção

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO MESTRADO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE NA AMAZÔNIA OCIDENTAL

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO MESTRADO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE NA AMAZÔNIA OCIDENTAL EDITAL PROPEG/PPG Nº 12/2017: PROCESSO DE SELEÇÃO PARA O PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA SAÚDE NA AMAZÔNIA OCIDENTAL- CURSO DE MESTRADO ANO LETIVO 2018. ADENDO Nº 03 A Universidade Federal do Acre,

Leia mais

Combatendo as DCNT: uma abordagem diferente é necessária. transmissíveis (DCNT) na agenda global de saúde, a fim de enfrentar a chamada

Combatendo as DCNT: uma abordagem diferente é necessária. transmissíveis (DCNT) na agenda global de saúde, a fim de enfrentar a chamada Combatendo as DCNT: uma abordagem diferente é necessária A Aliança DCNT ( NCD Alliance ) 1 visa colocar as doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) na agenda global de saúde, a fim de enfrentar a chamada

Leia mais

SAÚDE CORPORATIVA: ASSOCIAÇÃO ENTRE A MEDICINA ASSISTENCIAL A MEDICINA PREVENTIVA E A SAÚDE OCUPACIONAL

SAÚDE CORPORATIVA: ASSOCIAÇÃO ENTRE A MEDICINA ASSISTENCIAL A MEDICINA PREVENTIVA E A SAÚDE OCUPACIONAL SAÚDE CORPORATIVA: ASSOCIAÇÃO ENTRE A MEDICINA ASSISTENCIAL A MEDICINA PREVENTIVA E A SAÚDE OCUPACIONAL A expansão do mercado de equipamentos hospitalares quase triplicou seu faturamento nos últimos cinco

Leia mais

Paciente Certo no Lugar Certo Gestão de Fluxo no Hospital. Mara Lílian Soares Nasrala

Paciente Certo no Lugar Certo Gestão de Fluxo no Hospital. Mara Lílian Soares Nasrala Paciente Certo no Lugar Certo Gestão de Fluxo no Hospital Mara Lílian Soares Nasrala HOSPITAL SANTA ROSA Indicadores - 2016 Leitos Instalados 180 Leitos UTI 61 Cirurgias 11.722 PA 75.034 Fundado em 1997-19

Leia mais

GESTÃO CONTÁBIL-ADMINISTRATIVA NAS ORGANIZAÇÕES DO TERCEIRO SETOR

GESTÃO CONTÁBIL-ADMINISTRATIVA NAS ORGANIZAÇÕES DO TERCEIRO SETOR GESTÃO CONTÁBIL-ADMINISTRATIVA NAS ORGANIZAÇÕES DO TERCEIRO SETOR Orleans Silva Martins Origem e Significado da Expressão Terceiro Setor Terceiro Setor é uma expressão ainda pouco utilizada no Brasil visto

Leia mais

CHAMAMENTO PÚBLICO TUBERCULOSE

CHAMAMENTO PÚBLICO TUBERCULOSE CHAMAMENTO PÚBLICO TUBERCULOSE Por que uma chamada para um desafio? Transparência. A oportunidade é amplamente comunicada a todos que possam trazer ideias e possíveis soluções na sociedade. Por que uma

Leia mais

Programa de Apoio à Vida (PRAVIDA): Integrando Pesquisa, Intervenção e Ensino para a Prevenção do Suicídio.

Programa de Apoio à Vida (PRAVIDA): Integrando Pesquisa, Intervenção e Ensino para a Prevenção do Suicídio. Programa de Apoio à Vida (PRAVIDA): Integrando Pesquisa, Intervenção e Ensino para a Prevenção do Suicídio. Henrique Asfor Pinheiro Nathália Ribeiro Pinho de Sousa Barbara Carvalho de Souza Luidianne Karoline

Leia mais

SUÍÇA INOVAÇÃO E TECNOLOGIA

SUÍÇA INOVAÇÃO E TECNOLOGIA SUÍÇA INOVAÇÃO E TECNOLOGIA Curitiba 17.10.2017 A Suíça números e fatos 41.285 km 2 Tamanho da Suíça Berna A capital 8 milhões População 500 milhões de consumidores Acessíveis em um só dia 4 idiomas nacionais

Leia mais

4ª CAMPANHA DA REDE DE VOLUNTARIADO DIGITAL DO HOSPITAL DA BALEIA PRESTAÇÃO DE CONTAS

4ª CAMPANHA DA REDE DE VOLUNTARIADO DIGITAL DO HOSPITAL DA BALEIA PRESTAÇÃO DE CONTAS 4ª CAMPANHA DA REDE DE VOLUNTARIADO DIGITAL DO HOSPITAL DA BALEIA PRESTAÇÃO DE CONTAS Prezados Voluntários digitais, A 4ª campanha da Rede de Voluntariado Digital do Hospital da Baleia foi um sucesso.

Leia mais

Sociedade Brasileira de Cardiologia Carta do Rio de Janeiro III Brasil Prevent / I América Latina. Rio de Janeiro, 30 de novembro de 2012.

Sociedade Brasileira de Cardiologia Carta do Rio de Janeiro III Brasil Prevent / I América Latina. Rio de Janeiro, 30 de novembro de 2012. Sociedade Brasileira de Cardiologia Carta do Rio de Janeiro III Brasil Prevent / I América Latina Rio de Janeiro, 30 de novembro de 2012 Objetivo O documento final será publicado como artigo especial nos

Leia mais

PROJETO: INTERVENÇÃO BRASILEIRA PARA AUMENTAR O USO DE EVIDÊNCIAS NA PRÁTICA CLÍNICA SÍNDROMES CORONARIANAS AGUDAS

PROJETO: INTERVENÇÃO BRASILEIRA PARA AUMENTAR O USO DE EVIDÊNCIAS NA PRÁTICA CLÍNICA SÍNDROMES CORONARIANAS AGUDAS PROJETO: INTERVENÇÃO BRASILEIRA PARA AUMENTAR O USO DE EVIDÊNCIAS NA PRÁTICA CLÍNICA SÍNDROMES CORONARIANAS AGUDAS BRAZILIAN INTERVENTION TO INCREASE EVIDENCE USAGE IN PRACTICE ACUTE CORONARY SYNDROMES

Leia mais

Parcerias Público-Privadas O que esperar? = Perspectiva do Setor Privado

Parcerias Público-Privadas O que esperar? = Perspectiva do Setor Privado Parcerias Público-Privadas O que esperar? = Perspectiva do Setor Privado CBDL Posicionamento: Conscientes dos aspectos de segurança e eficácia de seus produtos e do seu papel de geradoras de empregos e

Leia mais

Relatório do 1º Workshop sobre Doença de Chagas em Portugal

Relatório do 1º Workshop sobre Doença de Chagas em Portugal INSTITUTO DE HIGIENE E MEDICINA TROPICAL Unidade de Ensino e Investigação em Clínica das Doenças Tropicais Jorge Seixas, MD Professor Auxiliar Relatório do 1º Workshop sobre Doença de Chagas em Portugal

Leia mais

Saúde Mental na Comunidade: Da Investigação à Prática

Saúde Mental na Comunidade: Da Investigação à Prática 12 de Outubro Organização: FENACERCI Fundação Calouste Gulbenkian Lisboa Equipa: Sandra Oliveira Luísa Carolino Adriana Paiva Saúde Mental na Comunidade: Da Investigação à Prática Programa de Sensibilização

Leia mais

Desenvolvimento & Infraestrutura Impactos na Economia e Sociedade. Martin Raiser Diretor Banco Mundial, Brasil

Desenvolvimento & Infraestrutura Impactos na Economia e Sociedade. Martin Raiser Diretor Banco Mundial, Brasil Desenvolvimento & Infraestrutura Impactos na Economia e Sociedade Martin Raiser Diretor Banco Mundial, Brasil Infraestrutura ajuda no crescimento e empregos Crescimento per capita como resultado de diferentes

Leia mais

Observação em Promoção da Saúde e Doenças Crónicas

Observação em Promoção da Saúde e Doenças Crónicas Observação em Promoção da Saúde e Doenças Crónicas Dia do INSA A Observação de Saúde, função colaborativa -atribuições, actividades e perspectivas futuras Porto, 27 Setembro 2010 Departamento de Promoção

Leia mais

1º SIMPÓSIO GESTÃO DE ATIVOS

1º SIMPÓSIO GESTÃO DE ATIVOS 1º SIMPÓSIO GESTÃO DE ATIVOS Implantação ISO 55001 Gestão de Ativos na área hospitalar Gerente Executivo de Eng. De Obras e Manutenção Heitor Akira Kuramoto Hospital BP - Beneficência Portuguesa de São

Leia mais

RECURSOS EXISTENTES DE PESSOAL MÉDICO E PARA-MÉDICO NA REGIÃO DO GRANDE SÃO PAULO EM 1966

RECURSOS EXISTENTES DE PESSOAL MÉDICO E PARA-MÉDICO NA REGIÃO DO GRANDE SÃO PAULO EM 1966 RECURSOS EXISTENTES DE PESSOAL MÉDICO E PARA-MÉDICO NA REGIÃO DO GRANDE SÃO PAULO EM 1966 João YUNES (1) YUNES, J. Recursos existentes de pessoal médico e para-médico na região do Grande São Paulo (Brasil)

Leia mais

Programa de Cuidado Clinico da Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica: resultados e evolução dos indicadores clínicos

Programa de Cuidado Clinico da Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica: resultados e evolução dos indicadores clínicos Programa de Cuidado Clinico da Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica: resultados e evolução dos indicadores clínicos Disease Specific Care Certification program of Chronic Obstrutive Pulmonay Disease: results

Leia mais

AVALIAÇÃO DA PRESCRIÇÃO DE CITALOPRAM NO MUNÍCIPIO DE CASTILHO/SP

AVALIAÇÃO DA PRESCRIÇÃO DE CITALOPRAM NO MUNÍCIPIO DE CASTILHO/SP AVALIAÇÃO DA PRESCRIÇÃO DE CITALOPRAM NO MUNÍCIPIO DE CASTILHO/SP Glaziely Jesus Freitas da Cruz Denise Cristina S. Takemoto Rodrigo Ferreira Corsato Graduando em Farmácia Juliana Gomes de Faria Silvana

Leia mais

Pedro Coutinho jpcoutinho@ambidata.pt Paulo Rego paulorego@ambidata.pt. LABWAY ROAD SHOW 2007 - Sessão #2

Pedro Coutinho jpcoutinho@ambidata.pt Paulo Rego paulorego@ambidata.pt. LABWAY ROAD SHOW 2007 - Sessão #2 Pedro Coutinho jpcoutinho@ambidata.pt Paulo Rego paulorego@ambidata.pt Agenda O Que é um Laboratório Digital? Áreas de Actuação Vantagens e Dificuldades O Circuito da Informação Digital Assinatura Digitalizada

Leia mais

Sistemas de monitoramento de pacientes

Sistemas de monitoramento de pacientes Sistemas de monitoramento de pacientes Eliza Cristiane de Carvalho Natália de Souza Leite Biomedicina Tópicos de Pesquisa em Informática CI242 Orientadora: Profª Dra. Carmem Hara O que é monitoramento

Leia mais

CMB - X Congresso Nacional das Operadoras e Hospitais em Saúde Suplementar Painel: Melhorando a Gestão em Operadoras e Hospitais - Operadoras

CMB - X Congresso Nacional das Operadoras e Hospitais em Saúde Suplementar Painel: Melhorando a Gestão em Operadoras e Hospitais - Operadoras CMB - X Congresso Nacional das Operadoras e Hospitais em Saúde Suplementar Painel: Melhorando a Gestão em Operadoras e Hospitais - Operadoras 22/07/2015 4º no Ranking nacional Medicina de Grupo 1º Empresa

Leia mais

Benchmarking Hospitalar

Benchmarking Hospitalar Seminário Governança e Gestão dos hospitais de atendimento público no Brasil Rio de Janeiro, 20 de Outubro de 2014 Benchmarking Hospitalar Uma ferramenta para a melhoria do desempenho Bernard F. Couttolenc

Leia mais

Acidentes de trânsito e Álcool

Acidentes de trânsito e Álcool O CUSTO DOS ACIDENTES DE TRÂNSITO CAUSADOS POR ABUSO DO ÁLCOOL NA CIDADE DE PORTO ALEGRE BRASIL Tanara Sousa, Esmeralda Correa, Marianne Stampe, Sabino Pôrto Jr, Flávio Pechansky, Raquel de Boni Acidentes

Leia mais

TIC Saúde 2015 Apresentação dos principais resultados CBIS 2016

TIC Saúde 2015 Apresentação dos principais resultados CBIS 2016 TIC Saúde 15 Apresentação dos principais resultados CBIS 16 Goiânia 28 de Novembro de 16 SOBRE O CETIC.br PRODUÇÃO DE ESTATÍSTICAS TIC PARA POLÍTICAS PÚBLICAS Modelo Multissetorial de Governança da Internet

Leia mais

Claudia Laselva Março_2017

Claudia Laselva Março_2017 Certificação Magnet: o que aprendemos nesta trajetória Claudia Laselva Março_2017 O que é o Magnet? É um programa destinado a reconhecer organizações de saúde que oferecem o melhor cuidado de enfermagem.

Leia mais

Reinaldo Scheibe Presidente da Abramge

Reinaldo Scheibe Presidente da Abramge 27º Congresso Nacional das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos Políticas de Saúde e a Dinâmica dos Serviços Suplementar e SUS Reinaldo Scheibe Presidente da Abramge Panorama Geral Saúde no Brasil Fonte:

Leia mais

Lineu Jucá graduado em Medicina UFC-1977 Médico do Trabalho Universidade Gama Filho-78 Residência Especialista Angiologia e Cir. Vascular-81 Mestre

Lineu Jucá graduado em Medicina UFC-1977 Médico do Trabalho Universidade Gama Filho-78 Residência Especialista Angiologia e Cir. Vascular-81 Mestre Lineu Jucá graduado em Medicina UFC-1977 Médico do Trabalho Universidade Gama Filho-78 Residência Especialista Angiologia e Cir. Vascular-81 Mestre Cirurgia Escola Paulista Medicina-2010 Administração

Leia mais

CONSCIENTIZAÇÃO DA NECESSIDADE DO PSA-GUANDU

CONSCIENTIZAÇÃO DA NECESSIDADE DO PSA-GUANDU CEDAE - Companhia Estadual de Águas e Esgotos DG - Diretoria de Produção e Grande Operação CONSCIENTIZAÇÃO DA NECESSIDADE DO PSA-GUANDU 1 CEDAE - Companhia Estadual de Águas e Esgotos DG - Diretoria de

Leia mais

Utilização do Protótipo de Sistema Web de Prontuário Eletrônico no Sistema de Teleconsultoria em Cardiologia no Amazonas

Utilização do Protótipo de Sistema Web de Prontuário Eletrônico no Sistema de Teleconsultoria em Cardiologia no Amazonas Utilização do Protótipo de Sistema Web de Prontuário Eletrônico no Sistema de Teleconsultoria em Cardiologia no Amazonas Geisiana N. Maurício 1, William R. Malvezzi 1 1 Centro de Pós-Graduação e Extensão

Leia mais

Cleverson A. Fargiani

Cleverson A. Fargiani 1 Cleverson A. Fargiani IBM Cognos Now! BAM Business Activity Monitoring 2008 IBM Corporation 2 Agenda do Workshop de Cognos Now! Soluções de Gerenciamento de Desempenho Conceito de BI Operacional & BI

Leia mais

Marcelo Mario Matos Moreira

Marcelo Mario Matos Moreira CASSS LATAM 2015 Marcelo Mario Matos Moreira General-Manager of Biological Products, Blood, Tissues, Cells and Organs GGPBS Updates on Regulatory issues for Biotherapeutics Products License in Brazil August,

Leia mais

Líderes e Práticas Especial Filantropia

Líderes e Práticas Especial Filantropia Líderes e Práticas Especial Filantropia 60 healthcaremanagement.com.br edição 42 HEALTHCARE Management Planejamento financeiro Com cerca de 75% dos procedimentos destinados ao SUS, Hospital Márcio Cunha

Leia mais

Todas as amostras para garantia externa da qualidade (proficiência) deverão ser analisadas para participantes de estudos ou amostras de pacientes.

Todas as amostras para garantia externa da qualidade (proficiência) deverão ser analisadas para participantes de estudos ou amostras de pacientes. GERENCIAMENTO DA QUALIDADE NO LABORATÓRIO Versão 3.0, março de 2009 2008 Pharmaceutical Product Development, Inc. Todos os direitos reservados. 2008 Pharmaceutical Product Development, Inc. Todos os direitos

Leia mais

Ambiente pró-inovação

Ambiente pró-inovação Ambiente pró-inovação Perspectiva global Alexander Triebnigg, Presidente Novartis Brasil Novartis: uma empresa de P&D global Inglaterra Gastrointestinal Diseases Respiratory Diseases Genome & Proteome

Leia mais

DISTRITOS SANITÁRIOS

DISTRITOS SANITÁRIOS DISTRITOS SANITÁRIOS CONCEITO: É unidade mais periférica de administração sanitária, que detém responsabilidades e poder decisório ante a política local de saúde, tendo como objetivo chegar a uma integração

Leia mais

Despacho n.º 280/96, de 6 de Setembro (DR, 2.ª série, n.º 237, de 12 de Outubro de 1996)

Despacho n.º 280/96, de 6 de Setembro (DR, 2.ª série, n.º 237, de 12 de Outubro de 1996) (DR, 2.ª série, n.º 237, de 12 de Outubro de 1996) Acesso aos medicamentos anti-retrovíricos, destinados ao tratamento da infecção pelo vírus da imunodeficiência humana (VIH) Em resultado da investigação

Leia mais

Critérios Prognósticos do Hepatopata na UTI: Quando o tratamento pode ser útil ou fútil

Critérios Prognósticos do Hepatopata na UTI: Quando o tratamento pode ser útil ou fútil Critérios Prognósticos do Hepatopata na UTI: Quando o tratamento pode ser útil ou fútil Liana Codes, PhD Hospital Universitário Prof. Edgard Santos, UFBA Unidade de Gastroenterologia e Hepatologia do Hospital

Leia mais

Alguns aspectos relacionados com a segurança alimentar no concelho de Lisboa

Alguns aspectos relacionados com a segurança alimentar no concelho de Lisboa Alguns aspectos relacionados com a segurança alimentar no concelho de Lisboa MARIA DO ROSÁRIO NOVAIS MARIA ISABEL SANTOS CRISTINA BELO CORREIA O Laboratório de Microbiologia dos Alimentos do Instituto

Leia mais

OS ESPAÇOS COLETIVOS, A TERRITORIALIZAÇÃO E A

OS ESPAÇOS COLETIVOS, A TERRITORIALIZAÇÃO E A OS ESPAÇOS COLETIVOS, A TERRITORIALIZAÇÃO E A IMPLANTAÇÃO DAS LINHAS DE CUIDADO EM SÃO BERNARDO DO CAMPO Curso: Redes de Urgência e Emergência no SUS Secretaria de Saúde de São Bernardo do Campo Departamento

Leia mais

INGESTÃO DIETÉTICA E COMPOSIÇÃO CORPORAL DE DANÇARINAS DA UFPA (BELÉM PA).

INGESTÃO DIETÉTICA E COMPOSIÇÃO CORPORAL DE DANÇARINAS DA UFPA (BELÉM PA). INGESTÃO DIETÉTICA E COMPOSIÇÃO CORPORAL DE DANÇARINAS DA UFPA (BELÉM PA). GLEICIANE MARTINS GOMES ADRIANA MOURA DOS SANTOS JOSEANA MOREIRA ASSIS RIBEIRO FERNANDO VINÍCIUS FARO REIS JÚLIO ALVES PIRES FILHO

Leia mais

Seminário Internacional de OPME

Seminário Internacional de OPME Ministério da Fazenda Seminário Internacional de OPME Análise Setorial e Adoção de Boas Práticas - Contribuições para o Mercado Brasileiro Evoluir e Manter sua Sustentabilidade São Paulo, 20 de outubro

Leia mais

SIG RUTE: Radiologia e Diagnóstico por Imagem em Pediatria (RADPED)

SIG RUTE: Radiologia e Diagnóstico por Imagem em Pediatria (RADPED) ARTIGO SIG RUTE: Radiologia e Diagnóstico por Imagem em Pediatria (RADPED) AUTOR Alexandra Monteiro Doutor. Professora Associado de Radiologia da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade do Estado

Leia mais