Capítulo 1. Capítulo 2. Capítulo 3. Contabilidade gerencial: panorama Contabilidade gerencial e conceitos de custo... 23

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Capítulo 1. Capítulo 2. Capítulo 3. Contabilidade gerencial: panorama... 1. Contabilidade gerencial e conceitos de custo... 23"

Transcrição

1 SUMÁRIO Capítulo 1 Contabilidade gerencial: panorama... 1 O que é contabilidade gerencial?... 2 Planejamento... 3 Controle... 3 Tomada de decisões... 4 Por que a contabilidade gerencial é importante para a sua carreira?... 5 Alunos de administração... 5 Alunos de contabilidade... 6 Certificação profissional investimento inteligente... 7 De que habilidades os gerentes precisam para serem bem sucedidos?... 8 Habilidades de gerenciamento estratégico... 8 Habilidades de gestão de riscos empresariais... 9 Habilidades de gestão de processos Produção enxuta Teoria das restrições (TOC) Habilidades de mensuração Habilidades de liderança Importância da ética nos negócios Código de conduta dos contadores gerenciais Responsabilidade social corporativa Resumo Perguntas Apêndice 1A: governança corporativa Capítulo 2 Contabilidade gerencial e conceitos de custo Classificações gerais de custo Custos de produção Materiais diretos Mão de obra direta Custos indiretos de produção Custos não relacionados à produção Custos do produto versus custos do período Custos do produto Custos do período Custos primários e custos de transformação Classificações de custo para prever o comportamento dos custos Custos variáveis Custos fixos Pressuposto da linearidade e intervalo relevante.. 31 Custos mistos Análise de custos mistos Diagnosticar o comportamento dos custos com um gráfico de dispersão Método dos pontos extremos Método de regressão dos mínimos quadrados Demonstrações de resultados no formato tradicional e com margem de contribuição Demonstração de resultados no formato tradicional Demonstração de resultados com margem de contribuição Classificações de custo para atribuir custos a objetos de custo Custos diretos Custos indiretos Classificações de custo para a tomada de decisões Custos e receitas diferenciais Custos de oportunidade Custos perdidos Resumo Problema de revisão 1: termos de custo Problema de revisão 2: método dos pontos extremos Perguntas Aplicação em Excel Exercícios Problemas Casos Apêndice 2A: Cálculos da regressão dos mínimos quadrados Apêndice 2A: Exercícios e problemas Apêndice 2B: Custo da qualidade Capítulo 3 Método de custeio por ordem de produção. 83 Método de custeio por ordem de produção panorama Método de custeio por ordem de produção exemplo... 85

2 }u SUMÁRIO xix Medir os custos de materiais diretos Relatório de custos por ordem de produção Medir os custos de mão de obra direta Calcular taxas predeterminadas de custos indiretos Aplicar os custos indiretos de produção Custos indiretos de produção análise mais detalhada Necessidade de uma taxa predeterminada Escolha de uma base de alocação de custos indiretos Cálculo de custos unitários Método de custeio por ordem de produção fluxo dos custos Compra e despacho de materiais Despacho de materiais diretos e indiretos Custos de mão de obra Custos indiretos de produção Aplicar os custos indiretos de produção Conceito de uma conta de compensação Custos não relacionados à produção Custos de produtos manufaturados Custos de produtos vendidos Tabelas de custos de produtos manufaturados e de custos de produtos vendidos Subavaliação e superavaliação dos custos indiretos análise mais detalhada Calcular custos indiretos subavaliados e superavaliados Eliminar saldos de custos indiretos subavaliados ou superavaliados Saldos liquidados para custos de produtos vendidos Saldos alocados entre contas Qual método deve ser utilizado para eliminar custos indiretos subavaliados ou superavaliados? Modelo geral de fluxos de custos de produtos Múltiplas taxas predeterminadas de custos indiretos Método de custeio por ordem de produção em empresas de prestação de serviços Resumo Problema de revisão: custeio por ordem de produção Perguntas Aplicação em Excel Exercícios Problemas Casos Apêndice 3A: Taxa predeterminada de custos indiretos e capacidade máxima Apêndice 3B: Outras classificações dos custos de mão de obra Capítulo 4 Método de custeio por processo Comparação entre os métodos de custeio por ordem de produção e por processo Similaridades entre os métodos de custeio por ordem de produção e por processo Diferenças entre os métodos de custeio por ordem de produção e por processo Fluxos de custos no método de custeio por processo Departamentos de processamento Fluxo de custos indiretos, de materiais e de mão de obra Registros de custos indiretos, de materiais e de mão de obra Custos de materiais Custos de mão de obra Custos indiretos Completar os fluxos de custos Unidades equivalentes de produção Método da média ponderada Cálculo e aplicação dos custos Custo por unidade equivalente método da média ponderada Atribuir custos método da média ponderada Relatório de reconciliação de custos Custeio operacional Resumo Problema de revisão: fluxos de custos dos processos e unidades de custeio Perguntas Aplicação em Excel Exercícios Problemas Casos Apêndice 4A: Método PEPS Apêndice 4B: Alocações do departamento de serviços Capítulo 5 Relações de custo volume lucro Fundamentos da análise de custo volume lucro (CVL) Margem de contribuição Relações de CVL na forma de equação Relações de CVL na forma gráfica Preparar o gráfico CVL Índice de margem de contribuição (índice MC) Algumas aplicações dos conceitos de CVL Variações nos custos fixos e no volume de vendas Variação nos custos variáveis e no volume de vendas

3 xx }u SUMÁRIO Variação nos custos fixos, preço de venda e volume de vendas Variação nos custos variáveis, custos fixos e volume de vendas Variação no preço de venda Análise do lucro alvo e do ponto de equilíbrio Análise do lucro -alvo Método da equação Método da fórmula Análise do lucro -alvo em termos de vendas (valor monetário) Análise do ponto de equilíbrio Ponto de equilíbrio em vendas unitárias Ponto de equilíbrio em vendas (valor monetário) Margem de segurança Considerações de CVL ao escolher uma estrutura de custo Estrutura de custo e estabilidade do lucro Alavancagem operacional Estruturar comissões de vendas Mix de vendas Definição de mix de vendas Mix de vendas e análise do ponto de equilíbrio. 207 Premissas da análise CVL Resumo Problema de revisão: relações CVL Perguntas Aplicação em Excel Exercícios Problemas Casos Capítulo 6 Custeio variável e relatórios segmentados: ferramentas de gerenciamento Panorama de custeio variável e custeio por absorção Custeio variável Custeio por absorção Despesas de venda e administrativas Resumo das diferenças Custeio variável e custeio por absorção exemplo Demonstração de resultados com margem de contribuição pelo método do custeio variável. 234 Demonstração de resultados pelo método de custeio por absorção Reconciliação de resultados que refletem o método de custeio variável com resultados pelo método de custeio por absorção Vantagens do custeio variável e da abordagem da margem de contribuição Possibilitar uma análise CVL Explicar as variações na receita operacional líquida Suporte à tomada de decisões Adaptação à teoria das restrições Demonstrações de resultados segmentadas e a abordagem da margem de contribuição Custos fixos rastreáveis e comuns e margem por segmento Identificação dos custos fixos rastreáveis Custos fixos rastreáveis podem se tornar custos comuns Demonstrações de resultados segmentadas exemplo Níveis das demonstrações de resultados segmentadas Demonstrações de resultados segmentadas e a tomada de decisões Demonstrações de resultados segmentadas erros comuns Omissão de custos Métodos inapropriados para atribuir custos rastreáveis aos segmentos Deixar de atribuir custos diretamente Base de alocação inapropriada Dividir custos comuns arbitrariamente entre os segmentos Demonstrações de resultados perspectiva dos relatórios externos Demonstração de resultados que abrangem toda a empresa Informações financeiras segmentadas Resumo Problema de revisão 1: contraste entre os custeios variável e por absorção Problema de revisão 2: demonstrações de resultados segmentadas Perguntas Aplicação em Excel Exercícios Problemas Casos Capítulo 7 Método de custeio baseado em atividades: ferramenta para auxiliar a tomada de decisões Custeio baseado em atividades: panorama Custos não relacionados à produção e o custeio baseado em atividades Custos de produção e o custeio baseado em atividades Agrupamentos de custo, bases de alocação e custeio baseado em atividades Projetar um sistema de custeio baseado em atividades (ABC) Passos para implementar o custeio baseado em atividades

4 }u SUMÁRIO xxi Passo 1: Definir atividades, agrupamentos de custos de atividades e medidas de atividades. 282 Mecanismo do custeio baseado em atividades Passo 2: Atribuir custos indiretos a agrupamentos de custos de atividades Passo 3: Calcular índices de atividade Passo 4: Atribuir custos indiretos a objetos de custo Passo 5: Preparar relatórios gerenciais Comparação dos custos do produto pelos sistemas de custeio tradicional e ABC Margens de produtos calculadas por meio do sistema de custeio tradicional Diferenças entre os custos do produto pelos sistemas de custeio tradicional e ABC Determinar alvos de melhorias nos processos Custeio baseado em atividades e relatórios externos Restrições do custeio baseado em atividades Resumo Problema de revisão: custeio baseado em atividades Perguntas Aplicação em Excel Exercícios Problemas Apêndice 7A: Análise de ações ABC Apêndice 7B: Usar uma forma modificada do custeio baseado em atividades para determinar custos de produto para relatórios externos Capítulo 8 Planejamento de lucros Modelo básico de orçamento Vantagens de um orçamento Contabilidade por responsabilidade Escolher um período orçamentário Orçamento autoimposto Fatores humanos na criação de um orçamento Comitê orçamentário Orçamento -mestre: panorama Preparar o orçamento mestre Orçamento de vendas Orçamento de produção Compras de estoque empresa de merchandising Orçamento de materiais diretos Orçamento de mão de obra direta Orçamento de custos indiretos de produção Orçamento de estoques finais de produtos concluídos Orçamento de despesas de venda e administrativas Orçamento de caixa Demonstração de resultados orçada Balanço patrimonial orçado Resumo Problema de revisão: cronogramas orçamentários Perguntas Aplicação em Excel Exercícios Problemas Casos Capítulo 9 Orçamentos flexíveis e análise de desempenho Orçamentos flexíveis Características de um orçamento flexível Deficiências do planejamento orçamentário estático Como funciona um orçamento flexível Variações do orçamento flexível Variações das atividades Variações da receita e das despesas Relatório de desempenho que combine variações das atividades e variações das receitas e das despesas Relatórios de desempenho em organizações sem fins lucrativos Relatórios de desempenho em centros de custo. 394 Orçamentos flexíveis com múltiplos direcionadores de custo Alguns erros comuns Resumo Problema de revisão: análise de variação usando um orçamento flexível Perguntas Aplicação em Excel Exercícios Problemas Casos Capítulo 10 Custos padrão e variações Custos padrão introdução Quem usa custos -padrão? Determinar custos -padrão Determinar custos -padrão de materiais diretos. 421 Determinar padrões de mão de obra direta Determinar os custos -padrão dos custos indiretos variáveis de produção Usar padrões em orçamentos flexíveis Modelo geral para a análise de variação de custos padrão Usar custos padrão Variações de materiais diretos

5 xxii }u SUMÁRIO Variação de quantidade dos materiais Variação de preço dos materiais Variação de quantidade dos materiais análise mais detalhada Variação de preço dos materiais análise mais detalhada Isolamento de variações Responsabilidade pela variação Usar custos padrão variações da mão de obra direta Variação de eficiência da mão de obra análise mais detalhada Variação de taxa salarial análise mais detalhada Usar custos padrão variações dos custos indiretos variáveis de produção Variações dos custos indiretos de produção análise mais detalhada Importante sutileza nas variações de materiais Análise de variação e gerenciamento por exceção Uso internacional de custos padrão Avaliação de controles baseados em custos padrão Vantagens dos custos -padrão Possíveis problemas com o uso dos custos -padrão Resumo Problema de revisão: custos -padrão Perguntas Aplicação em Excel Exercícios Problemas Caso Apêndice 10A: Taxas predeterminadas de custos indiretos e análise de custos indiretos em um sistema de custeio-padrão Apêndice 10B: Lançamentos contábeis para registrar variações Capítulo 11 Mensuração de desempenho em organizações descentralizadas Descentralização nas organizações Vantagens e desvantagens da descentralização. 471 Contabilidade por responsabilidade Centros de custos, lucros e investimentos Centros de custos Centros de lucros Centros de investimentos Avaliação do desempenho dos centros de investimentos retorno sobre investimentos Fórmula do retorno sobre investimentos (ROI). 473 Definição de receita operacional líquida e ativos operacionais Compreender o ROI Críticas ao ROI Lucro residual Motivação e lucro residual Comparação divisional e lucro residual Medidas de desempenho operacional Tempo de ciclo do pedido Tempo de transformação (tempo do ciclo de produção) Eficiência do ciclo de produção (ECP) Balanced scorecard Características comuns dos balanced scorecards Estratégia de uma empresa e o balanced scorecard Atrelar a remuneração ao balanced scorecard Vantagens de um feedback gráfico e em tempo hábil Resumo Problema de revisão: retorno sobre investimentos (ROI) e lucro residual Perguntas Aplicação em Excel Exercícios Problemas Caso Apêndice 11A: Preços de transferência Apêndice 11B: Encargos do departamento de serviços Capítulo 12 Análise diferencial: chave da tomada de decisões Conceitos de custo na tomada de decisões Identificar custos e benefícios relevantes Custos diferentes para diferentes propósitos Exemplo de identificação de custos e benefícios relevantes Reconciliar as abordagens total e diferencial Por que isolar os custos relevantes? Adicionar e eliminar linhas de produto e outros segmentos Ilustração da análise de custos Formato comparativo Cuidado com a alocação dos custos fixos Decisão de produzir ou comprar Aspectos estratégicos da decisão de produzir ou comprar Exemplo de decisão de produzir ou comprar Custo de oportunidade Pedidos especiais Utilização de um recurso restrito Margem de contribuição por unidade do recurso restrito

6 }u SUMÁRIO xxiii Gerenciar restrições Problema das múltiplas restrições Custos de produtos conjuntos e a abordagem da margem de contribuição Riscos da alocação Decisões de vender ou processar mais Custeio baseado em atividades e custos relevantes Resumo Problema de revisão: custos relevantes Perguntas Aplicação em Excel Exercícios Problemas Casos Capítulo 13 Decisões de orçamento de capital Orçamento de capital planejar investimentos Decisões típicas de um orçamento de capital Valor do dinheiro no tempo Fluxos de caixa descontados método do valor presente líquido Exemplificação do método do valor presente líquido Ênfase nos fluxos de caixa Saídas de caixa típicas Entradas de caixa típicas Recuperação do investimento original Pressupostos facilitadores Escolher uma taxa de desconto Exemplo ampliado do método do valor presente líquido Fluxos de caixa descontados método da taxa interna de retorno Exemplificação do método da taxa interna de retorno Valor recuperado e outros fluxos de caixa Usar a taxa interna de retorno Custo de capital como uma ferramenta de triagem Comparação dos métodos do valor presente líquido e da taxa interna de retorno Expandir o método do valor presente líquido Abordagem do custo total Abordagem do custo incremental Decisões de custo mínimo Fluxos de caixa incertos Exemplo Opções reais Decisões de preferência classificação de projetos de investimentos Método da taxa interna de retorno Método do valor presente líquido Outras abordagens para as decisões de orçamento de capital Método do payback Avaliação do método do payback Exemplo ampliado do payback Payback e fluxos de caixa desiguais Método da taxa de retorno simples Críticas ao método da taxa de retorno simples Pós auditoria dos projetos de investimento Resumo Problema de revisão: comparação dos métodos de orçamento de capital Perguntas Aplicação em Excel Exercícios Problemas Casos Apêndice 13A: Conceito de valor presente Apêndice 13B: Tabelas de valor presente Capítulo 14 Demonstração de fluxos de caixa Demonstração de fluxos de caixa: conceitos chave Organizar a demonstração de fluxos de caixa Atividades operacionais: método direto ou indireto? Método indireto: processo de três passos Passo Passo Passo Atividades de investimento e financiamento: fluxos de caixa brutos Propriedades, instalações e equipamentos. 641 Lucros retidos Resumo dos conceitos -chave Exemplo de uma demonstração de fluxos de caixa Atividades operacionais Passo Passo Passo Atividades de investimento Atividades de financiamento Analisar o quadro geral Interpretar a demonstração de fluxos de caixa Considerar as circunstâncias específicas de uma empresa Considerar as relações entre os números Fluxo de caixa livre Qualidade dos lucros Resumo Problema de revisão

7 xxiv }u SUMÁRIO Perguntas Exercícios Problemas Apêndice 14A: Método direto para determinar o caixa líquido gerado pelas atividades operacionais Capítulo 15 Análise de demonstrações financeiras Restrições da análise de demonstrações financeiras Comparar dados financeiros entre empresas O que há por trás dos índices Demonstrações na forma comparativa e common-size Variações em valores e percentuais nas demonstrações Demonstrações common-size (análise vertical) Análise de índices acionista ordinário Lucros por ação Índice preço -lucro Índices de pagamento e de rendimento dos dividendos Índice de pagamento de dividendos Índice de rendimento de dividendos Retorno sobre o total de ativos Retorno sobre o patrimônio dos acionistas ordinários Alavancagem financeira Valor contábil por ação Análise de índices credor de curto prazo Capital de giro Índice de liquidez corrente Índice de liquidez seca (teste ácido) Giro de contas a receber Giro de estoques Análise de índices credor de longo prazo Índice de cobertura de juros Índice de endividamento (debt-to-equity ratio). 688 Resumo dos índices e fontes de dados comparativos entre índices Resumo Problema de revisão: índices selecionados e alavancagem financeira Perguntas Exercícios Problemas Apêndice A Precificação de produtos e serviços Introdução Abordagem dos economistas para a precificação Elasticidade -preço da demanda Preço maximizador de lucros Abordagem do custeio por absorção para a precificação cost -plus Estabelecer um preço de venda alvo usando o custeio por absorção Determinar o percentual de markup Problemas com o custeio por absorção Método do custo meta Motivos para usar o método do custo -meta Exemplo de custeio pelo método do custo -meta. 716 Resumo Perguntas Exercícios Problemas Apêndice B Análise de lucratividade Introdução Lucratividade absoluta Lucratividade relativa Decisões de trade -off de volume Implicações gerenciais Resumo Perguntas Exercícios Problemas Caso Créditos Índice

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Gestão Financeira, Controladoria e Auditoria

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Gestão Financeira, Controladoria e Auditoria CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Gestão Financeira, Controladoria e Auditoria 1 OBJETIVO: Proporcionar aos participantes uma visão prática do ponto de vista de mercado e correta

Leia mais

Unidade III. Existe uma técnica própria para a construção de padrões para a Análise de Balanços, e tal se encontra neste capítulo.

Unidade III. Existe uma técnica própria para a construção de padrões para a Análise de Balanços, e tal se encontra neste capítulo. Unidade III FIXAÇÃO DOS ÍNDICES PADRÕES Matarazzo (08) afirma: A Análise de Balanços através de índices só adquire consistência e objetividade quando os índices são comparados com padrões, pois, do contrário,

Leia mais

Copyright 2004 Pearson Education, Inc. Slide 2-0

Copyright 2004 Pearson Education, Inc. Slide 2-0 Capítulo 2 Demonstrações financeiras e sua análise Slide 2-0 Objetivos de aprendizagem 1. Rever o conteúdo do relatório da administração e os procedimentos para a consolidação internacional de demonstrações

Leia mais

Unidade II. Unidade II

Unidade II. Unidade II Unidade II REESTRUTURAÇÃO FINANCEIRA NAS ORGANIZAÇÕES Neste módulo, estudaremos como ocorre a reestruturação financeira nas empresas, apresentando um modelo de planejamento de revitalização, com suas características

Leia mais

Carga Horária: Total: 60 horas/aula Semanal: 04 aulas Créditos: 04 Modalidade: Teórica Classificação do Conteúdo pelas DCN: Formação Profissional

Carga Horária: Total: 60 horas/aula Semanal: 04 aulas Créditos: 04 Modalidade: Teórica Classificação do Conteúdo pelas DCN: Formação Profissional DISCIPLINA: Contabilidade Gerencial VALIDADE: a partir do 1º semestre de 007 TÉRMINO: CÓDIGO: ADM.0 Carga Horária: Total: 0 horas/aula Semanal: aulas Créditos: Modalidade: Teórica Classificação do Conteúdo

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Texto para as questões de 31 a 35 conta saldo despesa de salários 10 COFINS a recolher 20 despesas de manutenção e conservação 20 despesa de depreciação 20 PIS a recolher 30 despesas

Leia mais

ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN 2016.1 CONTABEIS - Campus Mossoró) 3ª série

ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN 2016.1 CONTABEIS - Campus Mossoró) 3ª série ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN 2016.1 CONTABEIS - Campus Mossoró) 3ª série CONTABILIDADE INTRODUTORIA II DIREITO TRIBUTARIO LEGISLAÇÃO SOCIAL E TRABALHISTA ORÇAMENTO PUBLICO TEORIA DA CONTABILIDADE CONTEÚDO

Leia mais

Sumário. Prefácio, xiii

Sumário. Prefácio, xiii Sumário Prefácio, xiii 1 Introdução à Gestão de Custos, 1 1.1 Objetivos do capítulo, 1 1.2 Contabilidade versus gestão de custos, 2 1.3 A contabilidade de custos e suas funções, 4 1.4 Definições e conceitos,

Leia mais

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000)

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000) Blumenau SC, 27 de julho de 2007 A Cremer S.A. (Bovespa: CREM3), distribuidora de produtos para a saúde e também líder na fabricação de produtos têxteis e adesivos cirúrgicos, anuncia hoje seus resultados

Leia mais

Analise Financeira ou de Balanço

Analise Financeira ou de Balanço ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS FASF- FACULDADE SAGRADA FAMÍLIA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CONTABILIDADE GERENCIAL PROF. EDENISE Analise Financeira ou de Balanço Avaliação da Situação da Empresa em seus

Leia mais

CONTABILIDADE DE CUSTOS e GERENCIAL

CONTABILIDADE DE CUSTOS e GERENCIAL Centro Universitário Padre Anchieta CONTABILIDADE DE CUSTOS e GERENCIAL Professor: Josué Centro Universitário Padre Anchieta 1. INTRODUÇÃO À CONTABILIDADE DE CUSTOS Professor: Josué CAP. 1 do Livro Suficiência

Leia mais

Sumário. Capítulo 1. Conceitos Gerais...1

Sumário. Capítulo 1. Conceitos Gerais...1 Sumário Capítulo 1 Conceitos Gerais...1 1. Conceito de Contabilidade de Custos...1 2. Breve Histórico da Contabilidade de Custos...1 3. Tipos de Indústrias...3 3.1. Quanto ao ritmo de fabricação dos produtos...3

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS (Currículo iniciado em 2015)

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS (Currículo iniciado em 2015) EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS (Currículo iniciado em 2015) ADMINISTRAÇÃO 102 h/a 1975 Breve histórico e fundamentos da administração. Perspectivas da administração: clássica,

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA APOSTILA DE ESTUDO ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Marcelo Cauduro de Castro - Mestre mccastro@terra.com.br MINI CURRÍCULO: Marcelo Cauduro de Castro é Mestre em Administração de Empresas pela Universidade Federal

Leia mais

Curso Preparatório para o Exame de Suficiência do CFC

Curso Preparatório para o Exame de Suficiência do CFC Curso Preparatório para o Exame de Suficiência do CFC Objetivo Preparar os estudantes e profissionais para prestar o Exame de Suficiência do CFC 2013 Bacharel em Ciências Contábeis. O curso inclui módulos

Leia mais

Carga Horária: Total: 60 horas/aula Semanal: 04 aulas Créditos: 04 Modalidade: Teórica Classificação do Conteúdo pelas DCN: Formação Profissional

Carga Horária: Total: 60 horas/aula Semanal: 04 aulas Créditos: 04 Modalidade: Teórica Classificação do Conteúdo pelas DCN: Formação Profissional DISCIPLINA: Contabilidade Gerencial CÓDIGO: 2ADM.0 VALIDADE: a partir de agosto de 200 TÉRMINO: Carga Horária: Total: 60 horas/aula Semanal: aulas Créditos: Modalidade: Teórica Classificação do Conteúdo

Leia mais

AULA 04 EXERCÍCIO 06 - ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS (FINANCEIRAS ):

AULA 04 EXERCÍCIO 06 - ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS (FINANCEIRAS ): Contabilidade Gerencial e Controladoria Prof. Oscar Scherer Dia 23/03/2012. AULA 04 EXERCÍCIO 06 - ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS (FINANCEIRAS ): Parte importante da administração financeira, devendo

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA APOSTILA DE ESTUDO ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Marcelo Cauduro de Castro - Mestre mccastro@terra.com.br MINI CURRÍCULO: Marcelo Cauduro de Castro é Mestre em Administração de Empresas pela Universidade Federal

Leia mais

Petrobras 2013. Apostila. Exercícios Resolvidos e Comentados. Passe Concursos. Engenheiro de Produção Jr. http://blog.passeconcursos.com.

Petrobras 2013. Apostila. Exercícios Resolvidos e Comentados. Passe Concursos. Engenheiro de Produção Jr. http://blog.passeconcursos.com. Apostila Petrobras 2013 Engenheiro de Produção Jr Exercícios Resolvidos e Comentados Junho 2013 2 Conteúdo 1. Gestão Econômica...4 1.1. Juros Simples...4 1.2. Juros Compostos...4 1.3. Tipos de Taxas...8

Leia mais

Prof. Fernando Oliveira Boechat

Prof. Fernando Oliveira Boechat Prof. Fernando Oliveira Boechat Prof. Fernando Oliveira Boechat Sumário: 1. Introdução 2. Prof. Fernando Oliveira Boechat 2 Introdução: ENTENDENDO AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS BRASILEIRAS Prof. Fernando

Leia mais

INDICADORES FINANCEIROS NA TOMADA DE DECISÕES GERENCIAIS

INDICADORES FINANCEIROS NA TOMADA DE DECISÕES GERENCIAIS INDICADORES FINANCEIROS NA TOMADA DE DECISÕES GERENCIAIS ANA BEATRIZ DALRI BRIOSO¹, DAYANE GRAZIELE FANELLI¹, GRAZIELA BALDASSO¹, LAURIANE CARDOSO DA SILVA¹, JULIANO VARANDAS GROPPO². 1 Alunos do 8º semestre

Leia mais

CIÊNCIAS CONTÁBEIS EMENTAS DO CURSO 1º P CONTABILIDADE GERAL I ÉTICA PROFISSIONAL INSTITUIÇÃO DE DIREITO PÚBLICO E PRIVADO I MATEMÁTICA

CIÊNCIAS CONTÁBEIS EMENTAS DO CURSO 1º P CONTABILIDADE GERAL I ÉTICA PROFISSIONAL INSTITUIÇÃO DE DIREITO PÚBLICO E PRIVADO I MATEMÁTICA CIÊNCIAS CONTÁBEIS EMENTAS DO CURSO 1º P CONTABILIDADE GERAL I Noções gerais da contabilidade. Conceito, Função, Objeto e Finalidade da contabilidade. Patrimônio, Fontes Patrimoniais, Atos e Fatos Administrativos.

Leia mais

AVALIAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

AVALIAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Unidade III AVALIAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Prof. Walter Dominas Conteúdo da unidade III 1) Fixaçao dos Indices Padrões Elaboração dos índices padrões Comparação com os índices padrões 2) Análise

Leia mais

Formação do Preço de Venda

Formação do Preço de Venda CURSO DE ADM - 5º PERÍODO - FASF Objetivo Refletir sobre a importância de se conhecer e identificar a FORMAÇÃO DE PREÇO, como fator determinante para a sobrevivência da exploração da atividade da empresa.

Leia mais

(ROA) 1) 20010 10% 2011 11%. A

(ROA) 1) 20010 10% 2011 11%. A CURSO LISTA DE EXERC CÍCIOS 2012.2 UNIDADE II ADM SEMESTRE 2º BLOCOO DISCIPLINA Gestão Financeira NOTA TURMA ADM 5NB ESTUDANTES PROFESSOR (A) Dr. Wellington Ribeiro Justo DATA 01/12/2012 Responda com responsabilidade

Leia mais

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO 1) Considere os demonstrativos a seguir: Balanço Patrimonial em 31.12.2011 Ativo Passivo Ativo Circulante R$ 252.000,00 Passivo Circulante R$ 168.000,00 Ativo Imobilizado R$ 348.000,00

Leia mais

Fundamentos de Contabilidade para Executivos

Fundamentos de Contabilidade para Executivos Fundamentos de Contabilidade para Executivos Um guia prático para entender os Demonstrativos Contábeis Este curso é eminentemente prático e é dirigido àqueles profissionais que não têm tempo para estudar

Leia mais

FASF - FACULDADE SAGRADA FAMILIA - CURSO DE ADM 5º PERIODO CONTROLE INTERNO. Aula 3 e 4

FASF - FACULDADE SAGRADA FAMILIA - CURSO DE ADM 5º PERIODO CONTROLE INTERNO. Aula 3 e 4 CONTROLE INTERNO Aula 3 e 4 Objetivos Conceito Sistema Categorias de Controle Interno Controles Organizacionais e Segregação de Funções É o controle obtido por meio da maneira de designar responsabilidade

Leia mais

Sumário. Parte I. Parte II 3 FERRAMENTAS DE ANÁLISE NORMATIVA 34 1 INTRODUÇÃO 2 2 FERRAMENTAS DE ANÁLISE POSITIVA 18 4 BENS PÚBLICOS 54

Sumário. Parte I. Parte II 3 FERRAMENTAS DE ANÁLISE NORMATIVA 34 1 INTRODUÇÃO 2 2 FERRAMENTAS DE ANÁLISE POSITIVA 18 4 BENS PÚBLICOS 54 Parte I PRIMEIROS PASSOS 1 1 INTRODUÇÃO 2 FINANÇAS PÚBLICAS E IDEOLOGIA 3 Visão orgânica do governo 3 Visão mecanicista do governo 4 Ponto de vista deste livro 5 O GOVERNO RESUMIDO 5 O marco legal 5 O

Leia mais

FANOR. MBA Internacional - Finanças. DISCIPLINA: Análise Financeira Estratégica. PROFESSOR: José Moraes Feitosa (Neto)

FANOR. MBA Internacional - Finanças. DISCIPLINA: Análise Financeira Estratégica. PROFESSOR: José Moraes Feitosa (Neto) Bibliografia Básica: FANOR MBA Internacional - Finanças DISCIPLINA: Análise Financeira Estratégica PROFESSOR: José Moraes Feitosa (Neto) CONTATOS: www.netofeitosa.com.br contato@netofeitosa.com.br (85)

Leia mais

Pós-Graduação em Finanças Empresariais MANUAL DO CANDIDATO. Ingresso agosto 2010. ESPM Unidade Porto Alegre

Pós-Graduação em Finanças Empresariais MANUAL DO CANDIDATO. Ingresso agosto 2010. ESPM Unidade Porto Alegre Pós-Graduação em Finanças Empresariais MANUAL DO CANDIDATO Ingresso agosto 2010 ESPM Unidade Porto Alegre Rua Guilherme Schell, 350 Santo Antônio Porto Alegre/RS. Informações: Central de Candidatos: (51)

Leia mais

CPF DO CANDIDATO (A): DATA: 17/11/2014. NOME DO CANDIDATO (A): PROVA ESCRITA

CPF DO CANDIDATO (A): DATA: 17/11/2014. NOME DO CANDIDATO (A): PROVA ESCRITA CPF DO CANDIDATO (A): DATA: 17/11/2014. NOME DO CANDIDATO (A): PROVA ESCRITA Processo Seletivo para Curso de Especialização em Controladoria e Finanças Edital nº 04/2014 INSTRUÇÕES: A prova é individual,

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS ANÁLISE DOS DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS ANÁLISE DOS DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS CENTRO DE ECONOMIA E ADMINISTRAÇÃO FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS ANÁLISE DOS DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS PROF. Msc. JOSÉ VICENTE CAMPINAS - SP 2009 2 ANÁLISE

Leia mais

CONTABILIDADE GERENCIAL

CONTABILIDADE GERENCIAL PROF. EDENISE AP. DOS ANJOS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 5º PERÍODO CONTABILIDADE GERENCIAL As empresas devem ser dirigidas como organismos vivos, como entidades em continuidade, cujo objetivo é a criação de

Leia mais

Teleconferência de Resultados 3T15. 29 de outubro de 2015

Teleconferência de Resultados 3T15. 29 de outubro de 2015 Teleconferência de Resultados 3T15 Exoneração de Responsabilidade As eventuais declarações que possam ser feitas durante essa teleconferência relativas à perspectiva dos negócios, às projeções e metas

Leia mais

DELIBERAÇÃO CVM Nº 547, DE 13 DE AGOSTO DE 2008

DELIBERAÇÃO CVM Nº 547, DE 13 DE AGOSTO DE 2008 TEXTO INTEGRAL DA, COM AS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELA DELIBERAÇÃO CVM Nº 624, DE 28 DE JANEIRO DE 2010 (DOCUMENTO DE REVISÃO CPC Nº 01) Aprova o Pronunciamento Técnico CPC 03 do Comitê de Pronunciamentos

Leia mais

ASPECTOS CONCEITUAIS OBJETIVOS planejamento tomada de decisão

ASPECTOS CONCEITUAIS OBJETIVOS planejamento tomada de decisão FACULDADES INTEGRADAS DO TAPAJÓS DISCIPLINA: CONTABILIDADE GERENCIAL PROFESSOR: JOSÉ DE JESUS PINHEIRO NETO ASSUNTO: REVISÃO CONCEITUAL EM CONTABILIDADE DE CUSTOS ASPECTOS CONCEITUAIS A Contabilidade de

Leia mais

ANÁLISE DAS FERRAMENTAS DE CONTROLE GERENCIAL PARA MELHORIA DA PERFORMANCE EMPRESARIAL. Prof. Elias Garcia egarcia@unioeste.br

ANÁLISE DAS FERRAMENTAS DE CONTROLE GERENCIAL PARA MELHORIA DA PERFORMANCE EMPRESARIAL. Prof. Elias Garcia egarcia@unioeste.br ANÁLISE DAS FERRAMENTAS DE CONTROLE GERENCIAL PARA MELHORIA DA PERFORMANCE EMPRESARIAL Prof. Elias Garcia egarcia@unioeste.br Prof. Elias Garcia Bacharel em Ciências Contábeis 1988 Especialização em Contabilidade

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, ATUÁRIA E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, ATUÁRIA E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, ATUÁRIA E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Plano de Curso Disciplina: ORÇAMENTO EMPRESARIAL Professor responsável: FRANCISCO

Leia mais

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS UNIDADE VI - ÍNDICES DE RENTABILIDADE

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS UNIDADE VI - ÍNDICES DE RENTABILIDADE ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS UNIDADE VI - ÍNDICES DE RENTABILIDADE 0 6. ÍNDICES DE RENTABILIDADE Caro aluno, você já sabe todo empresário ou investidor espera que o capital investido seja adequadamente

Leia mais

Abaixo segue a demonstração dos resultados da empresa.

Abaixo segue a demonstração dos resultados da empresa. Exercício de Acompanhamento II A NAS Car produz acessórios esportivos personalizados para automóveis. Ela se especializou em manoplas de câmbio, tendo desenvolvida uma linha padronizada em alumínio polido

Leia mais

PLANEJAR, ELABORAR E CUMPRIR METAS

PLANEJAR, ELABORAR E CUMPRIR METAS PLANEJAR, ELABORAR E CUMPRIR METAS Fernanda Micaela Ribeiro Theiss Prof. Ademar Lima Júnior Centro Universitário Leonardo da Vinci UNIASSELVI Bacharelado em Ciências Contábeis (CTB 561) 14/05/2012 RESUMO

Leia mais

Unidade III FUNDAMENTOS DA GESTÃO FINANCEIRA

Unidade III FUNDAMENTOS DA GESTÃO FINANCEIRA Unidade III 8 GESTÃO DE RISCOS Neste módulo, trabalharemos a importância do gerenciamento dos riscos econômicos e financeiros, focando alguns exemplos de fatores de riscos. Estudaremos também o cálculo

Leia mais

OBJETIVOS DA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA

OBJETIVOS DA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Gestão Financeira O Principal: OBJETIVOS DA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Maximizar a riqueza dos proprietários da empresa (privado). Ou a maximização dos recursos (público). rentabilidade - retorno sobre o

Leia mais

Especialização em Negócios e Finanças

Especialização em Negócios e Finanças Especialização em Negócios e Finanças Apresentação CAMPUS IGUATEMI Inscrições em Breve Nova Turma -->Turma02 *Alunos matriculados após o início das aulas poderão cursar as disciplinas já realizadas, em

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS. Causas de Fracasso:

PLANO DE NEGÓCIOS. Causas de Fracasso: PLANO DE NEGÓCIOS Causas de Fracasso: Falta de experiência profissional Falta de competência gerencial Desconhecimento do mercado Falta de qualidade dos produtos/serviços Localização errada Dificuldades

Leia mais

Prof. Paulo Arnaldo Olak olak@uel.br

Prof. Paulo Arnaldo Olak olak@uel.br 6C0N021 Contabilidade Gerencial Prof. Paulo Arnaldo Olak olak@uel.br Programa da Disciplina Introdução e delimitações Importância da formação do preço de venda na gestão do lucro. Principais elementos

Leia mais

EMENTAS DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

EMENTAS DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS GERAL I FILOSOFIA INSTITUIÇÕES DE DIREITO PÚBLICO E PRIVADO MATEMÁTICA METODOLOGIA CIENTÍFICA PSICOLOGIA APLICADA ÀS ORGANIZAÇÕES TÉCNICAS DE COMUNICAÇÃO ORAL E ESCRITA ADMINISTRAÇÃO DO CONHECIMENTO E

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA «

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA « CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA «21. O sistema de intermediação financeira é formado por agentes tomadores e doadores de capital. As transferências de recursos entre esses agentes são

Leia mais

INVESTIMENTO A LONGO PRAZO 1. Princípios de Fluxo de Caixa para Orçamento de Capital

INVESTIMENTO A LONGO PRAZO 1. Princípios de Fluxo de Caixa para Orçamento de Capital 5 INVESTIMENTO A LONGO PRAZO 1. Princípios de Fluxo de Caixa para Orçamento de Capital 1.1 Processo de decisão de orçamento de capital A decisão de investimento de longo prazo é a decisão financeira mais

Leia mais

Análise Avançada das Demonstrações Financeiras

Análise Avançada das Demonstrações Financeiras Análise Avançada das Demonstrações Financeiras Como enxergar a realidade financeira e patrimonial da empresa através das análises estática e dinâmica das demonstrações financeiras Durante décadas as empresas

Leia mais

Neste contexto, o Fluxo de Caixa torna-se ferramenta indispensável para planejamento e controle dos recursos financeiros de uma organização.

Neste contexto, o Fluxo de Caixa torna-se ferramenta indispensável para planejamento e controle dos recursos financeiros de uma organização. UNIDADE II FLUXOS DE CAIXA Em um mercado competitivo, a gestão eficiente dos recursos financeiros, torna-se imprescindível para o sucesso da organização. Um bom planejamento do uso dos recursos aliado

Leia mais

Objetivos 29/09/2010 BIBLIOGRAFIA. Administração Financeira I UFRN 2010.2 Prof. Gabriel Martins de Araújo Filho. Tópicos BALANÇO DE TAMANHO COMUM

Objetivos 29/09/2010 BIBLIOGRAFIA. Administração Financeira I UFRN 2010.2 Prof. Gabriel Martins de Araújo Filho. Tópicos BALANÇO DE TAMANHO COMUM Objetivos Administração Financeira I UFRN 2010.2 Prof. Gabriel Martins de Araújo Filho A EMPRESA NO MODELO DO BALANÇO PATRIMONIAL: análise das demonstrações financeiras Compreender a importância da padronização

Leia mais

Avaliação do desempenho dos investimentos na empresa

Avaliação do desempenho dos investimentos na empresa P A R T E I I A n á l i s e G e r e n c i a l 64 C A P Í T U L O 6 Avaliação do desempenho dos investimentos na empresa O capítulo anterior mostrou como a geração de lucro impulsiona o balanço patrimonial

Leia mais

UM GLOSSÁRIO PARA O DIA A DIA DO EXECUTIVO

UM GLOSSÁRIO PARA O DIA A DIA DO EXECUTIVO UM GLOSSÁRIO PARA O DIA A DIA DO EXECUTIVO! MAIS DE 15 CONCEITOS PARA VOCÊ CONFERIR! INVISTA 10 MINUTOS PARA LAPIDAR E CORRIGIR CONCEITOS E PRÁTICAS DO SEU COTIDIANO Francisco Cavalcante (francisco@fcavalcante.com.br)

Leia mais

Tendo o texto acima como referência inicial, julgue os itens a seguir.

Tendo o texto acima como referência inicial, julgue os itens a seguir. 1. A administração de recursos humanos, historicamente conhecida como administração de pessoal, lida com sistemas formais para administrar pessoas dentro da organização. A administração de recursos humanos

Leia mais

TEORIA DAS RESTRIÇÕES: PRINCIPAIS CONCEITOS E APLICAÇÃO PRÁTICA

TEORIA DAS RESTRIÇÕES: PRINCIPAIS CONCEITOS E APLICAÇÃO PRÁTICA TEORIA DAS RESTRIÇÕES: PRINCIPAIS CONCEITOS E APLICAÇÃO PRÁTICA Peter Wanke, D.Sc. Introdução A Teoria das Restrições, também denominada de TOC (Theory of Constraints) é um desenvolvimento relativamente

Leia mais

Disciplinas Obrigatórias do Núcleo Básico Geral Comum do Campus de Limeira

Disciplinas Obrigatórias do Núcleo Básico Geral Comum do Campus de Limeira EMENTAS DAS DISCIPLINAS DOS CURSOS DA ÁREA DE GESTÃO Disciplinas Obrigatórias do Núcleo Básico Geral Comum do Campus de Limeira Sociedade e Cultura no Mundo Contemporâneo As mudanças nas relações entre

Leia mais

PROJETO SABER CONTÁBIL EXAME DE SUFICIÊNCIA DICAS PARA RESOLUÇÕES DAS QUESTÕES CONTABILIDADE DE CUSTOS E GERENCIAL

PROJETO SABER CONTÁBIL EXAME DE SUFICIÊNCIA DICAS PARA RESOLUÇÕES DAS QUESTÕES CONTABILIDADE DE CUSTOS E GERENCIAL PROJETO SABER CONTÁBIL EXAME DE SUFICIÊNCIA DICAS PARA RESOLUÇÕES DAS QUESTÕES CONTABILIDADE DE CUSTOS E GERENCIAL Braulino José dos Santos TERMINOLOGIAS Terminologia em custos Gasto Investimento Custo

Leia mais

Prefácio, xvii. Parte I Ambiente da Análise Financeira, 1

Prefácio, xvii. Parte I Ambiente da Análise Financeira, 1 Prefácio, xvii Parte I Ambiente da Análise Financeira, 1 1 Amplitude da análise financeira, 3 1.1 Visão estratégica da empresa, 3 1.2 Que é análise financeira de empresas, 6 1.3 Análise financeira e áreas

Leia mais

Sumário AS LIÇÕES DA HISTÓRIA 13. O que é a Ciência da Fábrica? 1 PARTE I. 1 A Indústria Norte-Americana 15

Sumário AS LIÇÕES DA HISTÓRIA 13. O que é a Ciência da Fábrica? 1 PARTE I. 1 A Indústria Norte-Americana 15 O que é a Ciência da Fábrica? 1 0.1 Uma resposta simples (A resposta curta) 1 0.2 Uma resposta mais elaborada (A resposta longa) 1 0.2.1 Foco: a gestão da produção 1 0.2.2 O escopo: as operações 3 0.2.3

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ADMINISTRAÇÃO PROF. WALTENO MARTINS PARREIRA JÚNIOR CONTEÚDO E OBJETO DE ESTUDO DA ADMINISTRAÇÃO

ADMINISTRAÇÃO INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ADMINISTRAÇÃO PROF. WALTENO MARTINS PARREIRA JÚNIOR CONTEÚDO E OBJETO DE ESTUDO DA ADMINISTRAÇÃO ADMINISTRAÇÃO INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ADMINISTRAÇÃO PROF. WALTENO MARTINS PARREIRA JÚNIOR CONTEÚDO E OBJETO DE ESTUDO DA ADMINISTRAÇÃO Administração do latim ad(direção, tendência para) e minister(subordinação

Leia mais

2. Classificar atos e fatos contábeis.

2. Classificar atos e fatos contábeis. MÓDULO II Qualificação Técnica de Nível Médio de ASSISTENTE FINANCEIRO II.1 PROCESSOS DE OPERAÇÕES CONTÁBEIS Função: Planejamento de Processos Contábeis 1. Interpretar os fundamentos e conceitos da contabilidade.

Leia mais

APOSTILA DE ANÁLISE DE CUSTOS

APOSTILA DE ANÁLISE DE CUSTOS APOSTILA DE ANÁLISE DE CUSTOS Prof Fabio Uchôas de Lima São Paulo 2013 Não é permitida a cópia ou reprodução, no todo ou em parte, sem o expresso consentimento deste autor com base na Lei 9.610/92. Contato:

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS página 1 07. Onde é classificado o Subgrupo Estoques no plano de contas? 01. São acontecimentos que ocorrem na empresa e que não provocam alterações no Patrimônio: A) Atos Administrativos

Leia mais

Análise de Custos de Projetos Como calcular o custo de um projeto de viabilidade financeira

Análise de Custos de Projetos Como calcular o custo de um projeto de viabilidade financeira Análise de Custos de Projetos Como calcular o custo de um projeto de viabilidade financeira Eduardo Regonha Doutor pela UNIFESP / EPM Pós Graduado em Administração Hospitalar pela FGV Consultor na Área

Leia mais

FACULDADE DE ESTUDOS SOCIAIS DO ESPÍRITO SANTO CIÊNCIAS CONTÁBEIS SIMULADO MULTIDISCIPLINAR - SiM 6 Período - 2º SEMESTRE 2009.

FACULDADE DE ESTUDOS SOCIAIS DO ESPÍRITO SANTO CIÊNCIAS CONTÁBEIS SIMULADO MULTIDISCIPLINAR - SiM 6 Período - 2º SEMESTRE 2009. FACULDADE DE ESTUDOS SOCIAIS DO ESPÍRITO SANTO CIÊNCIAS CONTÁBEIS SIMULADO MULTIDISCIPLINAR - SiM 6 Período - 2º SEMESTRE 2009 Aluno(a): Turma: Data: 14/12/2009 Avaliação Contabilidade Avançada II 1ª Questão

Leia mais

Electro Aço Altona S/A

Electro Aço Altona S/A Electro Aço Altona S/A Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ n.º 82.643.537/0001-34 IE n.º 250.043.106 Rua Eng.º Paul Werner, 925 CEP 89030-900 Blumenau SC Data base: 30 de Junho de 2011 1 Destaques

Leia mais

Rogério João Lunkes Contabilidade Gerencial Um Enfoque na Tomada de Decisão Visual Books Sumário Prefácio 1 1 Aspectos Fundamentais da Contabilidade Gerencial 3 1 1 A Evolução da Contabilidade Gerencial

Leia mais

ÍNDICES FINANCEIROS E LUCRATIVIDADE - UM ESTUDO DOS ÍNDICES DE RENTABILIDADE

ÍNDICES FINANCEIROS E LUCRATIVIDADE - UM ESTUDO DOS ÍNDICES DE RENTABILIDADE 1 ÍNDICES FINANCEIROS E LUCRATIVIDADE - UM ESTUDO DOS ÍNDICES DE RENTABILIDADE Giselle Damasceno da Silva Graduanda em Ciências Contábeis pela UFPA RESUMO Este estudo, parte da necessidade de utilização

Leia mais

Líder em consultoria no agronegócio

Líder em consultoria no agronegócio MPRADO COOPERATIVAS mprado.com.br COOPERATIVAS 15 ANOS 70 Consultores 25 Estados 300 cidade s 500 clientes Líder em consultoria no agronegócio 2. Finanças 2.1 Orçamento anual integrado Objetivo: Melhorar

Leia mais

CURSO DE TECNOLOGIA EM MARKETING

CURSO DE TECNOLOGIA EM MARKETING CURSO DE TECNOLOGIA EM MARKETING EMENTA (2012) Disciplina: COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR Aspectos introdutórios. Os processos decisórios do consumidor. Diferenças individuais. Processos psicológicos. Influências

Leia mais

Planejamento Operacional: Orçamento

Planejamento Operacional: Orçamento UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTÁBEIS Curso de Ciências Contábeis Tópicos Especiais em Contabilidade Orçamento Prof. Mestre. João Rafael Alberton Casca - 2015 Parte

Leia mais

Decisões Empresariais. Logística. Administração Financeira. Administração financeira (finanças corporativas) Investimento.

Decisões Empresariais. Logística. Administração Financeira. Administração financeira (finanças corporativas) Investimento. Logística Prof. Clóvis Luiz Galdino Administração Financeira Administração financeira (finanças corporativas) Administração: ato de reger, governar ou gerir negócios públicos ou particulares. Finanças:

Leia mais

Aula 2 Contextualização

Aula 2 Contextualização Planejamento Financeiro Aula 2 Contextualização Profa. Claudia Abramczuk Definição da quantidade de capital para investimento Movimentações financeiras constituem o patrimônio da empresa O bom planejamento

Leia mais

Demonstrações Financeiras Externas

Demonstrações Financeiras Externas P A R T E I D e m o n s t r a ç õ e s F i n a n c e i r a s p a r a G e r e n t e s 16 C A P Í T U L O 2 Demonstrações Financeiras Externas O que o mundo sabe sobre sua empresa As demonstrações financeiras

Leia mais

EDITAL ESQUEMATIZADO + PLANEJAMENTO E CONTROLE DE ESTUDOS Referência: EDITAL CESGRANRIO - EDITAL Nº 1 - PETROBRAS/PSP RH 2014.

EDITAL ESQUEMATIZADO + PLANEJAMENTO E CONTROLE DE ESTUDOS Referência: EDITAL CESGRANRIO - EDITAL Nº 1 - PETROBRAS/PSP RH 2014. ESTUDO ORGANIZADO PARA CONTADOR JÚNIOR PETROBRAS EDITAL ESQUEMATIZADO + PLANEJAMENTO E CONTROLE DE ESTUDOS Referência: EDITAL CESGRANRIO - EDITAL Nº 1 - PETROBRAS/PSP RH 2014.2, DE 11/09/2014 1 WWW.ESTUDOORGANIZADO.COM.BR

Leia mais

Autorizado pela Portaria nº 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: ADMINISRAÇÃO FINANCEIRA

Autorizado pela Portaria nº 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: ADMINISRAÇÃO FINANCEIRA C U R S O D E C I Ê N C I A S C O N T Á B E I S Autorizado pela Portaria nº 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: ADMINISRAÇÃO FINANCEIRA Código: CNB CH Total: 72H Pré-Requisito: Período

Leia mais

Análise Econômico-Financeira

Análise Econômico-Financeira Universidade Federal do Pará Curso de Ciências Contábeis Departamento de Contabilidade Análise Econômico-Financeira Gilvan Pereira Brito 0301007601 Belém-Pará 2007 1 Universidade Federal do Pará Curso

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA

A IMPORTÂNCIA DA FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA A IMPORTÂNCIA DA FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA Palestra no SINCOPEÇAS-RS 22 de maio de 2014 www.alfredo.com.br PREÇO DE VENDA E MARGEM DE LUCRO 2 GOVERNO CONCORRENTES FORNECEDOR EMPRESA CLIENTES PREÇO DE

Leia mais

CONTABILIDADE GERAL E GERENCIAL

CONTABILIDADE GERAL E GERENCIAL CONTABILIDADE GERAL E GERENCIAL AULA 06: ANÁLISE E CONTROLE ECONÔMICO- FINANCEIRO TÓPICO 01: ANÁLISE POR ÍNDICES Fonte (HTTP://WWW.FEJAL.BR/IMAGES/CURS OS/CIENCIASCONTABEIS.JPG) ANÁLISE POR INTERMÉDIO

Leia mais

Introdução à Administração Financeira

Introdução à Administração Financeira Introdução à Administração Financeira Conceitos Introdutórios e Revisão de alguns elementos e conceitos essenciais à Administração Financeira Introdução à Administração Financeira Administração: é a ciência

Leia mais

MBA EM GESTÃO EMPRESARIAL

MBA EM GESTÃO EMPRESARIAL MBA EM GESTÃO EMPRESARIAL DURAÇÃO: 432 h/a 20 meses aproximadamente. AULAS: Sábados, aulas quinzenais. HORÁRIO: 08:00 às 17:40 DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA MATRÍCULA: Cópia do Diploma de Graduação (autenticada);

Leia mais

CÓDIGO CRÉDITOS PERÍODO PRÉ-REQUISITO TURMA ANO INTRODUÇÃO

CÓDIGO CRÉDITOS PERÍODO PRÉ-REQUISITO TURMA ANO INTRODUÇÃO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS ESCOLA DE GESTÃO E NEGÓCIOS CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS, ADMINISTRAÇÃO E ECONOMIA DISCIPLINA: ESTRUTURA E ANÁLISE DE CUSTO CÓDIGO CRÉDITOS PERÍODO PRÉ-REQUISITO

Leia mais

Administração Financeira

Administração Financeira Administração Financeira MÓDULO 6: DECISÕES DE FINANCIAMENTO A CURTO PRAZO Nossa experiência, após centenas de demonstrações financeiras examinadas, sinaliza que as empresas entram num cenário de dificuldades

Leia mais

GRADUAÇÃO CIÊNCIAS CONTÁBEIS EMENTÁRIO PRIMEIRO PERÍODO

GRADUAÇÃO CIÊNCIAS CONTÁBEIS EMENTÁRIO PRIMEIRO PERÍODO GRADUAÇÃO CIÊNCIAS CONTÁBEIS EMENTÁRIO PRIMEIRO PERÍODO 302101 TEORIAS GERAL DA ADMINISTRAÇÃO A administração e o fenômeno administrativo. Evolução histórica da administração. Evolução do pensamento administrativo.

Leia mais

1. Introdução à Contabilidade Gerencial e aos Sistemas de Custos por Ordem 1 2. Sistema de Custos por Processo 47 Apêndice: Método do Custo Médio 63

1. Introdução à Contabilidade Gerencial e aos Sistemas de Custos por Ordem 1 2. Sistema de Custos por Processo 47 Apêndice: Método do Custo Médio 63 Sumário 1. Introdução à Contabilidade Gerencial e aos Sistemas de Custos por Ordem 1 Diferenças entre Contabilidades Gerencial e Financeira 2 O Contador Gerencial na Empresa 3 Terminologia dos Custos de

Leia mais

ANALISE DE BALANÇO UNIDADE 1 : INTRODUÇÃO. Extrair informações das Demonstrações Financeiras para a tomada de decisões.

ANALISE DE BALANÇO UNIDADE 1 : INTRODUÇÃO. Extrair informações das Demonstrações Financeiras para a tomada de decisões. ANALISE DE BALANÇO 1.1 Objetivo da análise de Balanços UNIDADE 1 : INTRODUÇÃO Extrair informações das Demonstrações Financeiras para a tomada de decisões. 1.2 Dados versus Informações Dados: São os números

Leia mais

TRABALHO AVALIATIVO Curso: Ciências Contábeis Disciplina: Contabilidade Financeira e Orçamentaria II Turma: 7º Periodo

TRABALHO AVALIATIVO Curso: Ciências Contábeis Disciplina: Contabilidade Financeira e Orçamentaria II Turma: 7º Periodo TRABALHO AVALIATIVO Curso: Ciências Contábeis Disciplina: Contabilidade Financeira e Orçamentaria II Turma: 7º Periodo Elaboração do Trabalho: valor 3,0 Apresentação : Valor 3,0 (Impressa/escrita e Slides)

Leia mais

FORMULÁRIO DE ALTERAÇÃO DE EMENTAS

FORMULÁRIO DE ALTERAÇÃO DE EMENTAS FORMULÁRIO DE ALTERAÇÃO DE EMENTAS CURSO: Ciências Contábeis MATRIZ(ES) CURRICULAR(ES): 2014.1 ALTERAÇÕES PASSAM A VIGORAR A PARTIR DO SEMESTRE: 2015.1 Contabilidade Intermediária I FASE: 3ª fase FASE:

Leia mais

CAPÍTULO 2. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS, IMPOSTOS, e FLUXO DE CAIXA. CONCEITOS PARA REVISÃO

CAPÍTULO 2. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS, IMPOSTOS, e FLUXO DE CAIXA. CONCEITOS PARA REVISÃO Bertolo Administração Financeira & Análise de Investimentos 6 CAPÍTULO 2 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS, IMPOSTOS, e FLUXO DE CAIXA. CONCEITOS PARA REVISÃO No capítulo anterior determinamos que a meta mais

Leia mais

QUALIDADE DA INFORMAÇÃO Sem Precisar Trocar o Sistema da Sua Empresa

QUALIDADE DA INFORMAÇÃO Sem Precisar Trocar o Sistema da Sua Empresa PERFIL Nome: SILVIO LUIZ DO PRADO Contato: (062) 8201-2226 - Goiânia GO E-mail: silvio.controller@terra.com.br Skype: silvio.prado1 Profissão: Contador CRC-GO 60645 Formação: Bacharel em Ciências Contábeis

Leia mais

Sistema OMMINI. http://www.ommini.com.br/home/

Sistema OMMINI. http://www.ommini.com.br/home/ Sistema OMMINI http://www.ommini.com.br/home/ Sistema integrado a qualquer aplicativo ERP com análises precisas de Inteligência Empresarial ou Business Intelligence. O conceito surgiu na década de 90 e

Leia mais

Módulo 12 Gerenciamento Financeiro para Serviços de TI

Módulo 12 Gerenciamento Financeiro para Serviços de TI Módulo 12 Gerenciamento Financeiro Módulo 12 Gerenciamento Financeiro para Serviços de TI Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste material sem a

Leia mais

TERRITORIAL SÃO PAULO MINERAÇÃO LTDA. Balanços patrimoniais (em Reais)

TERRITORIAL SÃO PAULO MINERAÇÃO LTDA. Balanços patrimoniais (em Reais) Balanços patrimoniais Ativo 2010 (não auditado) 2011 2012 2013 Novembro'14 Dezembro'14 Circulante Caixa e equivalentes de caixa 6.176.733 12.245.935 4.999.737 709.874 1.666.340 2.122.530 Contas a receber

Leia mais

ANÁLISE FUNDAMENTALISTA COM FOCO PARA A RECOMENDAÇÃO DE COMPRA / VENDA DE AÇÕES

ANÁLISE FUNDAMENTALISTA COM FOCO PARA A RECOMENDAÇÃO DE COMPRA / VENDA DE AÇÕES ANÁLISE FUNDAMENTALISTA COM FOCO PARA A RECOMENDAÇÃO DE COMPRA / VENDA DE AÇÕES! A análise do desempenho histórico! Análise setorial! Análise de múltiplos! Elaboração de projeções de resultados! Determinação

Leia mais

Capítulo 3 Projeções contábeis e financeiras 63

Capítulo 3 Projeções contábeis e financeiras 63 Sumário Capítulo 1 Conceitos de matemática financeira 1 1.1 Introdução 1 1.2 Taxa de juro nominal e taxa de juro real 3 1.2.1 Fórmula 3 1.3 Capitalização simples 4 1.3.1 Fórmulas 4 1.4 Capitalização composta

Leia mais

FLUXO DE CAIXA: IMPORTANTE FERRAMENTA PARA AS DECISÕES EMPRESARIAIS Cristiane Aparecida MOTA 1 Hiroshi Wilson YONEMOTO 2 Marcela de Souza CABRAL 3

FLUXO DE CAIXA: IMPORTANTE FERRAMENTA PARA AS DECISÕES EMPRESARIAIS Cristiane Aparecida MOTA 1 Hiroshi Wilson YONEMOTO 2 Marcela de Souza CABRAL 3 1 FLUXO DE CAIXA: IMPORTANTE FERRAMENTA PARA AS DECISÕES EMPRESARIAIS Cristiane Aparecida MOTA 1 Hiroshi Wilson YONEMOTO 2 Marcela de Souza CABRAL 3 RESUMO: Este trabalho tem a intenção de demonstrar a

Leia mais

Finanças para Executivos Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva

Finanças para Executivos Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais

Métricas empresariais

Métricas empresariais Métricas empresariais 1 Índice 1. Lista de Indicadores Setoriais Pág. 4 2. Métricas de Marketing Geral Pág. 5. Métricas de Propaganda Pág. 4. Métricas de Promoção Pág. 7 5. Métricas de Distribuição Pág.

Leia mais