FANOR. MBA Internacional - Finanças. DISCIPLINA: Análise Financeira Estratégica. PROFESSOR: José Moraes Feitosa (Neto)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FANOR. MBA Internacional - Finanças. DISCIPLINA: Análise Financeira Estratégica. PROFESSOR: José Moraes Feitosa (Neto)"

Transcrição

1 Bibliografia Básica: FANOR MBA Internacional - Finanças DISCIPLINA: Análise Financeira Estratégica PROFESSOR: José Moraes Feitosa (Neto) CONTATOS: (85)

2 1 - COMO ANALISAR AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS

3 CRITÉRIOS E MÉTODOS DE ANÁLISE OBJETIVOS DA ANÁLISE DE DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS: Credores atuais e futuros. Investidores e Acionistas atuais e potenciais. Empregados. Administração da empresa. INDICADORES ECONÔMICOS E FINANCEIROS. COMPARAÇÃO TEMPORAL. COMPARAÇÃO SETORIAL.

4 ANÁLISE HORIZONTAL ANÁLISE HORIZONTAL E ANÁLISE VERTICAL: TÉCNICAS DE ANÁLISE COMPARATIVAS. ANÁLISE HORIZONTAL (AH):

5 ANÁLISE HORIZONTAL SITUAÇÕES ESPECIAIS AH COM EVOLUÇÃO NEGATIVA: AH COM VALORES NEGATIVOS E BASE POSITIVA:

6 ANÁLISE HORIZONTAL EM INFLAÇÃO

7 ANÁLISE VERTICAL

8 INDICADORES DE ANÁLISE INDICADORES DE LIQUIDEZ: Liquidez Corrente. Liquidez Seca. Liquidez Imediata. Liquidez Geral. INDICADORES DE ATIVIDADE: Prazo Médio de Estocagem PME. Giro dos Estoques. Prazo Médio de Pagamento a Fornecedores PMPF. Prazo Médio de Cobrança.

9 INDICADORES DE ENDIVIDAMENTO OBJETIVOS DOS INDICADORES. RELAÇÃO DE CAPITAL DE TERCEIROS E CAPITAL PRÓPRIO P/PL. RELAÇÃO DE CAPITAL DE TERCEIROS E ATIVO TOTAL P/AT. IMOBILIZAÇÃO DE RECURSOS PERMANENTES.

10 INDICADORES DE RENTABILIDADE OBJETIVOS DOS INDICADORES DE RETORNO. RETORNO SOBRE O ATIVO ROA. RETORNO SOBRE O INVESTIMENTO ROI: Capital Investido X Ativo Total. Passivos de Funcionamento e Passivos Onerosos. RETORNO SOBRE O PATRIMÔNIO LÍQUIDO ROE. LUCRATIVIDADE DAS VENDAS: Margem Bruta. Margem Operacional. Margem Líquida. ÁNÁLISE DE AÇÕES: Lucro por Ação LPA. Índice Preço/Lucro P/L.

11 DIAGRAMAS DE DESEMPENHO DECOMPOSIÇÃO DO ROE: DECOMPOSIÇÃO DO ROA:

12 2 ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Aplicações Práticas

13 ANÁLISE

14 ANÁLISE

15 AH E AV DOS BALANÇOS

16 AV DOS RESULTADOS

17 DEMONSTRATIVO DOS FLUXOS DE CAIXA

18 INDICADORES DE DESEMPENHO ENDIVIDAMENTO E ESTRUTURA: INDICADORES DEZ./06 DEZ./07 PASSIVO/PL 1,76 (176%) 1,34 (134%) PASSIVO/ATIVO TOTAL 63,8% 57,2% IMOB. RECURSOS PERMANENTES 1,058 (105,8%) 1,062 (106,2%) INDICADORES DE RENTABILIDADE: INDICADOR DEZ./07 RETORNO S/ INVESTIMENTO ROI 14,87% MARGEM OPERACIONAL 7,16% GIRO DO INVESTIMENTO 2,08 X RETORNO S/ PATRIMÔNIO LÍQUIDO ROE 8,13% MARGEM LÍQUIDA 2,59% GIRO DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO 3,14 X

19 CONCLUSÕES GERAIS RELAÇÃO ENTRE ROE E ROI. PROBLEMAS NA POSIÇÃO DE LIQUIDEZ. AJUSTE NA ESTRUTURA DE CAPITAL VISANDO MAIOR EQUILÍBRIO FINANCEIRO. ALTO CUSTO DE CAPTAÇÃO. ROI > ROE.

20 3 ANÁLISE CUSTO VOLUME LUCRO E ALAVANCAGEM OPERACIONAL

21 ANÁLISE CUSTO, VOLUME E LUCRO ANÁLISE CUSTO, VOLUME E LUCRO: Custos e Despesas Fixos: Podem variar no tempo. Custos e Despesas Variáveis: Dependem do volume de atividade. Custos e Despesas Semifixos ou Semivariáveis: Parte fixa e parte variável. Margem de Contribuição

22 PONTO DE EQUILÍBRIO PONTO DE EQUILÍBRIO OPERACIONAL (PEO): EXEMPLO ILUSTRATIVO: - Custos e despesas fixos: $ 2.000,00/mês - Preço de venda: $ 15,00/unid. - Custos e despesas variáveis: $ 5,00/unid. Ponto de Equilíbrio = 200 unidades

23 REPRESENTAÇÃO DO PONTO DE EQUILÍBRIO

24 PE CONTÁBIL, ECONÔMICO E FINANCEIRO EXEMPLO ILUSTRATIVO: - Custos e despesas fixos: $ 2.000,00/mês. - Preço de venda: $ 15,00/unid. - Custos e despesas variáveis: $ 5,00/unid. PE ECONÔMICO = 250 unidades. PE FINANCEIRO = 260 unidades.

25 ALAVANCAGEM OPERACIONAL RESULTADOS DE UMA EMPRESA VARIAÇÃO DE 205 NO VOLUME DE ATIVIDADE

26 ALAVANCAGEM EM PREJUÍZO

27 RISCOS OPERACIONAIS ACRÉSCIMO DE 205 NOS CUSTOS E DESPESAS FIXOS DECRÉSCIMO DE 20% NOS CUSTOS E DESPESAS FIXOS VARIAÇÕES NOS CUSTOS E DESPESAS VARIÁVEIS

28 FORMULAÇÕES DO GRAU DE ALAVANCAGEM OPERACIONAL

29 RESULTADO OPERACIONAL NO BRASIL

30 4 ALAVANCAGEM FINANCEIRA

31 RETORNO DO INVESTIMENTO E ALAVANCAGEM EMPRESA SEM DÍVIDAS: Lucro Líquido = Lucro operacional = $ 8.000,00. Ativo Total = Patrimônio Líquido = $ ,00. ROE = ROA = 16%. EMPRESA FINANCIADA COM 50% DE DÍVIDAS: Ativo Total = $ ,00 Dívidas = $ ,00 PL = $ ,00 Lucro Operacional = $ 8.000,00. Despesas Financeiras = $ 3.000,00 (K i = 12%). Lucro líquido = $ 5.000,00. ROA = 16%. ROE = 20%.

32 GRAU DE ALAVANCAGEM FINANCEIRA INDICADORES ROA = 16% K i = 12% ROE = 25,33% GAF = 1,58

33 APLICAÇÃO PRÁTICA Exemplo ilustrativo: Ativo total = $ 50,0 milhões. Dívidas = 25%; PL = 25% Despesas com juros = $ 3,0 milhões Lucro líquido = $ 5,0 milhões ROE = 20% GAF = 1,25 Se Dívida = 20% e PL = 80%: ROE = 17,0% GAF = 1,0625

34 INFLUÊNCIA DO IR NA ALAVANCAGEM NOVOS DADOS: IR = 34%. Ativo total = $ ,00. Dívidas = 40% e PL = 60%. Lucro operacional antes IR = $ 8.000,00. Despesas financeiras antes de benefício fiscal = $ 2.400,00. Lucro Operacional Líquido IR = $ 5.280,00. Despesas Financeiras Líquidas = $ 1.584,00. ROA = 10,56% gaf = 1,17 ROE = 12,32% Ki = 7,92%

35 RETORNO SOBRE INVESTIMENTO ROI ATIVO TOTAL X CAPITAL INVESTIDO. PASSIVOS DE FUNCIONAMENTO X PASSIVOS ONEROSOS.

36 APLICAÇÃO PRÁTICA BALANÇO PATRIMONIAL

37 APLICAÇÃO PRÁTICA DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS

38 APLICAÇÃO PRÁTICA ROI = 3,12% ROE = 3,10% GAF = 0,9936

39 5 MEDIDAS DE CRIAÇÃO DE VALOR

40 CRIAÇÃO DE VALOR CUSTO DE OPORTUNIDADE: Retorno da melhor alternativa abandonada. Medida relativa. Alternativas de mesmo risco. LUCRO ECONÔMICO: Resultado em excesso ao custo de oportunidade. Lucro Econômico = Retorno do Investimento ( ) Custo de Oportunidade do Capital Investido

41 VALOR ECONÔMICO AGREGADO VALOR ECONÔMICO AGREGADO E CRIAÇÃO DE VALOR. CÁLCULO DO VEA A PARTIR DO LUCRO OPERACIONAL CÁLCULO DO VEA A PARTIR DO LUCRO LÍQUIDO

42 APLICAÇÃO PRÁTICA DADOS DE UMA EMPRESA: Investimento Total: $ Dívidas: 40%. Custo da dívida (líq. IR): 10%. Custo de capital próprio: 15%. Resultado Operacional Líquido : $ Remuneração exigida pelos credores. : $ Remuneração mínima dos acionistas. : $ CUSTO TOTAL DE CAPITAL = $ VALOR ECONÔMICO AGREGADO = $

43 APLICAÇÃO PRÁTICA CUSTO TOTAL DE CAPITAL (WACC): WACC = 13,0%. EVA PELO LUCRO LÍQUIDO = $ EVA PELO WACC = $

44 RIQUEZA DO ACIONISTA VALOR DA RIQUEZA DO ACIONISTA: Relação entre o VEA e o MVA. Valor da empresa: capacidade de geração de resultados no futuro. Objetivo da empresa: CRIAÇÃO DE VALOR aos acionistas. Lucro x Valor.

45 GESTÃO BASEADA EM VALOR DIRECIONADORES DE VALOR. CAPACIDADES DIFERENCIADORAS. ESTRATÉGIAS FINANCEIRAS

46 CÁLCULO DO VEA A PARTIR DE DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS PUBLICADAS

47 CÁLCULO DO VEA A PARTIR DE DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Resultado Operacional Líquido $ ,00 $ ,00 Custo de Captação Líquida 9,22% 5,90% Custo Total de Capital 12,4150% 11,6094% Valor Econômico Agregado ($ ,00) ($ ,00) Retorno s/ Investimento ROI 5,960% 3,954% Giro do Investimento 0, ,17708 Margem Operacional 29,641% 22,327% ROE 4,4420% 2,9548% SPREAD do Acionista 9,4580% 11,6452% Riqueza Criada de Mercado (MVA) $ ,48 $ ,40

48 ÁRVORE DE VALOR

49 6-CAPITAL DE GIRO E EQUILÍBRIO FINANCEIRO

50 CONCEITOS BÁSICOS CAPITAL DE GIRO OU CAPITAL CIRCULANTE: Disponibilidades. Valores a Receber. Estoques. CICLO OPERACIONAL. FLUXO DO CAPITAL DE GIRO.

51 CAPITAL CIRCULANTE LÍQUIDO CAPITAL CIRCULANTE LÍQUIDO (CCL) OU CAPITAL DE GIRO LÍQUIDO (CGL). CCL (CGL) = Ativo Circulante - Passivo Circulante CCL = FINANCIAMENTO PERMANENTE QUE EXCEDE ÀS NECESSIDADES TAMBÉM PERMANENTES DE RECURSOS. CCL (CGL) = [(Patrimônio Líquido + Exigível a Longo Prazo) (Ativo Permanente + Realizável a Longo Prazo)] Ou: CCL (CGL) = Ativo Não Circulante (Passivo Não Circulante + Patrimônio Líquido).

52 CAPITAL CIRCULANTE LÍQUIDO CCL = $ $ = $ CCL = ($ $ ) ($ $50.000) = $

53 CAPITAL CIRCULANTE LÍQUIDO BENEFÍCIOS PRODUZIDOS POR REDUÇÕES NO CCL: Libera capital investido, reduzindo custo de oportunidade. Eficiência operacional. Repasse dos benefícios aos preços de venda incentivando maiores receitas. Limites na redução do CCL. CONCEITO DE CAPITAL DE GIRO PRÓPRIO

54 TRANSAÇÕES QUE ALTERAM O CCL TRANSAÇÕES QUE ELEVAM O CCL: Novas dívidas (empréstimos e financiamentos). Aumento de capital próprio por integralização de novas ações. Geração de lucro líquido. Reduções de ativos não circulantes. TRANSAÇÕES QUE REDUZEM O CCL: Reduções de dívidas não circulantes. Pagamentos de dividendos. Apuração de prejuízos líquidos. Elevação de ativos não circulantes. TRANSAÇÕES QUE NÃO AFETAM O CCL:

55 CICLOS OPERACIONAIS

56 PRAZOS OPERACIONAIS

57 PRAZOS OPERACIONAIS Exemplo Ilustrativo CÁLCULO DO CICLO OPERACIONAL: Prazo Médio de Estocagem. = 60,0 dias Giro dos Estoques. = 6,0 vezes Prazo Médio de Cobrança. = 20,0 dias Giro dos Valores a Receber. = 18,0 vezes CICLO OPERACIONAL = 80,0 dias CICLO FINANCEIRO (CAIXA): Prazo Médio Pagamento Fornecedores. = 28,4 dias CICLO FINANCEIRO. = 51,6 dias

58 INVESTIMENTO EM GIRO ROI = GIRO DO INVESTIMENTO X MARGEM OPERACIONAL DILEMA RISCO X RETORNO POLÍTICAS DE INVESTIMENTOS EM GIRO: Conservadora. Média. Agressiva.

59 FINANCIAMENTO DO CAPITAL DE GIRO ABORDAGEM DE EQUILÍBRIO (TRADICIONAL) ABORDAGEM DE RISCO MÍNIMO

60 FINANCIAMENTO DO CAPITAL DE GIRO OUTRAS ABORDAGENS DE COMPOSIÇÃO DO FINANCIAMENTO.

61 ADMINISTRAÇÃO DE CAIXA FLUXOS DE CAIXA CONCEITO DE CAIXA: CAIXA E APLICAÇÕES FINANCEIRAS. CAIXA, LIQUIDEZ E CUSTO. FLUXOS DE CAIXA: Fluxos de Caixa = Lucro Líquido + Despesas Não Desembolsáveis Exemplo:

62 CICLO DE CAIXA ESTRATÉGIAS DE CONTROLE DO SALDO DE CAIXA.

63 EXEMPLO ILUSTRATIVO DADOS DE UMA EMPRESA REFERENTES A UM ANO: Giro dos Estoques = 8,0 X Giro de valores a Receber = 6,0 X Prazo Médio de pagamento a Fornecedores = $ 40,0 dias Gastos com Reflexos no Caixa = $ Ciclo Operacional: 105 dias. Ciclo de Caixa: 65 dias. Saldo Mínimo de Caixa: $

AULA 04 EXERCÍCIO 06 - ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS (FINANCEIRAS ):

AULA 04 EXERCÍCIO 06 - ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS (FINANCEIRAS ): Contabilidade Gerencial e Controladoria Prof. Oscar Scherer Dia 23/03/2012. AULA 04 EXERCÍCIO 06 - ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS (FINANCEIRAS ): Parte importante da administração financeira, devendo

Leia mais

O que é Finanças? 22/02/2009 INTRODUÇÃO ÀS FINANÇAS CORPORATIVAS

O que é Finanças? 22/02/2009 INTRODUÇÃO ÀS FINANÇAS CORPORATIVAS Prof. Paulo Cesar C. Rodrigues E mail: prdr30@terra.com.br INTRODUÇÃO ÀS FINANÇAS CORPORATIVAS O que é administração financeira? Qual sua importância para as corporações? Como são tomadas as decisões financeiras?

Leia mais

Sumário. Parte 1 Contabilidade de Custos 1. Capítulo 1 Aspectos gerais 3

Sumário. Parte 1 Contabilidade de Custos 1. Capítulo 1 Aspectos gerais 3 Sumário Parte 1 Contabilidade de Custos 1 Capítulo 1 Aspectos gerais 3 1 Áreas da Contabilidade 3 2 Contabilidade de Custos 3 3 Contabilidade de Serviços 4 4 Contabilidade Industrial 4 5 Campo de aplicação

Leia mais

Analise Financeira ou de Balanço

Analise Financeira ou de Balanço ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS FASF- FACULDADE SAGRADA FAMÍLIA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CONTABILIDADE GERENCIAL PROF. EDENISE Analise Financeira ou de Balanço Avaliação da Situação da Empresa em seus

Leia mais

Gestão Capital de Giro

Gestão Capital de Giro Gestão Capital de Giro Conceito Capital de giro (ou de capital circulante), identifica os recursos que giram (circulam) várias vezes em determinado período. É formado basicamente por três importantes ativos

Leia mais

Capital de giro. Capital de giro. Administração. Índices Financeiros e Capital de Giro. Prof: Marcelo dos Santos

Capital de giro. Capital de giro. Administração. Índices Financeiros e Capital de Giro. Prof: Marcelo dos Santos Administração Prof: Marcelo dos Santos Índices Financeiros e Capital de Giro A administração do capital de giro envolve basicamente as decisões de compra e venda tomadas pela empresa, assim como suas atividades

Leia mais

Objetivos 29/09/2010 BIBLIOGRAFIA. Administração Financeira I UFRN 2010.2 Prof. Gabriel Martins de Araújo Filho. Tópicos BALANÇO DE TAMANHO COMUM

Objetivos 29/09/2010 BIBLIOGRAFIA. Administração Financeira I UFRN 2010.2 Prof. Gabriel Martins de Araújo Filho. Tópicos BALANÇO DE TAMANHO COMUM Objetivos Administração Financeira I UFRN 2010.2 Prof. Gabriel Martins de Araújo Filho A EMPRESA NO MODELO DO BALANÇO PATRIMONIAL: análise das demonstrações financeiras Compreender a importância da padronização

Leia mais

Análise Dinâmica do.capital de Giro

Análise Dinâmica do.capital de Giro Análise Dinâmica do.capital de Giro Questões 12.1 O que são contas cíclicas do giro? Dê exemplos de contas ativas e passivas. 12.2 Desenvolva uma análise comparativa entre as medidas do capital circulante

Leia mais

INSTITUTO ASSAF: ANÁLISE DO DESEMPENHO DOS BANCOS MÉDIOS E DOS BANCOS GRANDES

INSTITUTO ASSAF: ANÁLISE DO DESEMPENHO DOS BANCOS MÉDIOS E DOS BANCOS GRANDES INSTITUTO ASSAF: ANÁLISE DO DESEMPENHO DOS BANCOS MÉDIOS E DOS BANCOS GRANDES O Instituto Assaf comparou diversos indicadores de desempenho dos bancos grandes e dos bancos médios de 2009 a 2011. Primeiramente

Leia mais

Prefácio à 3ª edição, xiii Apresentação, xv. Parte I - Introdução, 1

Prefácio à 3ª edição, xiii Apresentação, xv. Parte I - Introdução, 1 Prefácio à 3ª edição, xiii Apresentação, xv Parte I - Introdução, 1 1 Conceitos Introdutórios, 3 1.1 Conceitos, 3 1.2 Objetivos da Análise das Demonstrações Contábeis, 5 1.3 Usuários da Análise das Demonstrações

Leia mais

Balanço Patrimonial. Ativos e Passivos. Análise Financeira de Balanços 29/10/2012. Planejamento Financeiro Profa.: Elaine Silvia Pasquini

Balanço Patrimonial. Ativos e Passivos. Análise Financeira de Balanços 29/10/2012. Planejamento Financeiro Profa.: Elaine Silvia Pasquini Balanço Patrimonial Relembrando da ultima aula!!!! Planejamento Financeiro Profa.: Elaine Silvia Pasquini Análise Financeira de Balanços O balanço Patrimonial de uma organização é uma peça contábil, em

Leia mais

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS UNIDADE VI - ÍNDICES DE RENTABILIDADE

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS UNIDADE VI - ÍNDICES DE RENTABILIDADE ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS UNIDADE VI - ÍNDICES DE RENTABILIDADE 0 6. ÍNDICES DE RENTABILIDADE Caro aluno, você já sabe todo empresário ou investidor espera que o capital investido seja adequadamente

Leia mais

Copyright 2004 Pearson Education, Inc. Slide 2-0

Copyright 2004 Pearson Education, Inc. Slide 2-0 Capítulo 2 Demonstrações financeiras e sua análise Slide 2-0 Objetivos de aprendizagem 1. Rever o conteúdo do relatório da administração e os procedimentos para a consolidação internacional de demonstrações

Leia mais

Planejamento e Controle do Lucro Empresas de Pequeno e Médio Porte

Planejamento e Controle do Lucro Empresas de Pequeno e Médio Porte Planejamento e Controle do Lucro Empresas de Pequeno e Médio Porte Profa. Dariane Reis Fraga Castanheira darianer@fia.com.br www.fia.com.br/proced Profa. Dariane Reis Fraga Castanheira 1 Objetivo Planejamento

Leia mais

Curso Completo de Contabilidade Geral e Avançada Professor: Silvio Sande

Curso Completo de Contabilidade Geral e Avançada Professor: Silvio Sande ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS É a técnica que consiste na decomposição, comparação e interpretação dos demonstrativos do estado patrimonial e do resultado econômico de uma entidade. Técnicas de análise

Leia mais

Prefácio, xvii. Parte I Ambiente da Análise Financeira, 1

Prefácio, xvii. Parte I Ambiente da Análise Financeira, 1 Prefácio, xvii Parte I Ambiente da Análise Financeira, 1 1 Amplitude da análise financeira, 3 1.1 Visão estratégica da empresa, 3 1.2 Que é análise financeira de empresas, 6 1.3 Análise financeira e áreas

Leia mais

CENTRO DE ECONOMIA E ADMINISTRAÇÃO FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA: ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA I CAPITAL DE GIRO

CENTRO DE ECONOMIA E ADMINISTRAÇÃO FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA: ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA I CAPITAL DE GIRO CENTRO DE ECONOMIA E ADMINISTRAÇÃO FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA: ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA I CAPITAL DE GIRO 1 Fundamentos sobre Capital de Giro O objetivo da Administração Financeira de Curto

Leia mais

Analise de Rentabilidade. Prof. Peter Wilson

Analise de Rentabilidade. Prof. Peter Wilson Analise de Rentabilidade Prof. Peter Wilson 1 Fases de Crescimento e Desenvolvimento Alto Receita Baixo Tempo 2 Fonte: Venture 1000.com O Consumo do Caixa Apresenta Diferentes Dinâmicas em cada Estágio

Leia mais

Contabilidade Gerencial 2. Contabilidade Gerencial. Projeção do orçamento. Administração. Prof: Marcelo dos Santos. Projeção Orçamento

Contabilidade Gerencial 2. Contabilidade Gerencial. Projeção do orçamento. Administração. Prof: Marcelo dos Santos. Projeção Orçamento Administração Prof: Marcelo dos Santos Contabilidade Gerencial 2 Contabilidade Gerencial Projeção Orçamento Análise de Desempenho Projeção do orçamento Uma projeção De orçamento deve Se iniciar pela vendas.

Leia mais

Análise Financeira. Adriano Leal Bruni. Material extraído de http://www. ://www.infinitaweb.com.br

Análise Financeira. Adriano Leal Bruni. Material extraído de http://www. ://www.infinitaweb.com.br Análise Financeira Adriano Leal Bruni 1 Por que analisar? Mensurar riscos de crédito de correntes e potenciais clientes. Julgar o desempenho esperado das firmas. Monitorar o progresso da firma em alcançar

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS NAS MICROS E PEQUENAS EMPRESAS

A IMPORTÂNCIA DA ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS NAS MICROS E PEQUENAS EMPRESAS A IMPORTÂNCIA DA ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS NAS MICROS E PEQUENAS EMPRESAS Claudio Barbosa Cardoso Orientador: Benedito Giovani Martins de Paula Linha de Pesquisa: Demonstrações Financeiras Universidade

Leia mais

Gestão e Controle Financeiro Material de Apoio para as Unidades 4 e 5

Gestão e Controle Financeiro Material de Apoio para as Unidades 4 e 5 Gestão e Controle Financeiro Material de Apoio para as Unidades 4 e 5 Você e sua equipe são responsáveis por elaborar um relatório de Análise Financeira da Empresa GAMA. Abaixo estão dispostos o DRE e

Leia mais

Workshop Rentabilidade e liquidez nas instituições de ensino Guilherme da Nóbrega Milton dos Santos

Workshop Rentabilidade e liquidez nas instituições de ensino Guilherme da Nóbrega Milton dos Santos Workshop Rentabilidade e liquidez nas instituições de ensino Guilherme da Nóbrega Milton dos Santos Conteúdo As números fundamentais da gestão econômicofinanceira Compreendendo a liquidez Capital de Giro

Leia mais

Seu preço de venda é rentável? José Flávio Bomtempo jflavio@uai.com.br 31 8449-6341

Seu preço de venda é rentável? José Flávio Bomtempo jflavio@uai.com.br 31 8449-6341 Seu preço de venda é rentável? José Flávio Bomtempo jflavio@uai.com.br 31 8449-6341 Seu preço de venda é rentável? Qual a rentabilidade do Patrimônio Líquido de sua empresa? Quais os itens que estão disponíveis

Leia mais

Conteúdo. Fundamento da Contabilidade. Prof. Adilson C. Bassan

Conteúdo. Fundamento da Contabilidade. Prof. Adilson C. Bassan Fundamento da Contabilidade Prof. Adilson C. Bassan Conteúdo Análise das Demonstrações Financeiras Análise da Rentabilidade Análise por Indicadores Análise Vertical e Horizontal e Avaliação Geral 1 Análise

Leia mais

Unidade IV. A necessidade de capital de giro é a chave para a administração financeira de uma empresa (Matarazzo, 2008).

Unidade IV. A necessidade de capital de giro é a chave para a administração financeira de uma empresa (Matarazzo, 2008). AVALIAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Unidade IV 7 ANÁLISE DO CAPITAL DE GIRO A necessidade de capital de giro é a chave para a administração financeira de uma empresa (Matarazzo, 2008). A administração

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS

FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS NOTA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS Curso: Administração de Empresas Turma: Disciplina: Administração Financeira Professor : Maxwell Lucena / Aluno(a): Maxwe R.A.: Assinatura: Data: / / 1ª. Questão

Leia mais

I. Introdução. 1. Índices na Avaliação de Demonstrações Contábeis

I. Introdução. 1. Índices na Avaliação de Demonstrações Contábeis 1 I. Introdução Para efetuarmos uma análise profissional das demonstrações financeiras devemos inicialmente: a) simplificar os dados das demonstrações realizando arrendodamentos e/ou efetuando o corte

Leia mais

ANÁLISE ECONÔMICA DE BALANÇO

ANÁLISE ECONÔMICA DE BALANÇO 1 ANÁLISE ECONÔMICA DE BALANÇO 1 QUOCIENTES DE RENTABILIDADE Os Quocientes de Rentabilidade servem para medir a capacidade econômica da empresa, isto é, evidenciam o grau de êxito econômico obtido pelo

Leia mais

REDE DE ENSINO LFG AGENTE E ESCRIVÃO PF Disciplina: Noções de Contabilidade Prof. Adelino Correia Aula nº09. Demonstração de Fluxo de Caixa

REDE DE ENSINO LFG AGENTE E ESCRIVÃO PF Disciplina: Noções de Contabilidade Prof. Adelino Correia Aula nº09. Demonstração de Fluxo de Caixa REDE DE ENSINO LFG AGENTE E ESCRIVÃO PF Disciplina: Noções de Contabilidade Prof. Adelino Correia Aula nº09 Demonstração de Fluxo de Caixa Demonstração de Fluxo de Caixa A partir de 28.12.2007 com a publicação

Leia mais

Faculdade Carlos Drummond de Andrade Profa. Katia de Angelo Terriaga

Faculdade Carlos Drummond de Andrade Profa. Katia de Angelo Terriaga Faculdade Carlos Drummond de Andrade Profa. Katia de Angelo Terriaga CONTABILIDADE GERENCIAL ANÁLISE ECONÔMICO-FINANCEIRA ATRAVÉS DE ÍNDICES Importância da Análise Através de Indicadores. Visa obter através

Leia mais

ANÁLISE DE BALANÇO DAS SEGURADORAS. Contabilidade Atuarial 6º Período Curso de Ciências Contábeis

ANÁLISE DE BALANÇO DAS SEGURADORAS. Contabilidade Atuarial 6º Período Curso de Ciências Contábeis ANÁLISE DE BALANÇO DAS SEGURADORAS Contabilidade Atuarial 6º Período Curso de Ciências Contábeis Introdução As empresas de seguros são estruturas que apresentam características próprias. Podem se revestir

Leia mais

Análises de demonstrações financeiras

Análises de demonstrações financeiras Análises de demonstrações financeiras Professor: Me. Claudio Kapp Junior Email: juniorkapp@hotmail.com Análise da demonstrações financeiras Demonstrações: Importante veículo de comunicação entre empresa

Leia mais

CONTABILIDADE GERAL E GERENCIAL

CONTABILIDADE GERAL E GERENCIAL CONTABILIDADE GERAL E GERENCIAL AULA 06: ANÁLISE E CONTROLE ECONÔMICO- FINANCEIRO TÓPICO 01: ANÁLISE POR ÍNDICES Fonte (HTTP://WWW.FEJAL.BR/IMAGES/CURS OS/CIENCIASCONTABEIS.JPG) ANÁLISE POR INTERMÉDIO

Leia mais

CAPÍTULO IV CAPITAL DE GIRO E EQUILÍBRIO FINANCEIRO. 4.1. Conceitos Básicos OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM

CAPÍTULO IV CAPITAL DE GIRO E EQUILÍBRIO FINANCEIRO. 4.1. Conceitos Básicos OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM CAPÍTULO IV CAPITAL DE GIRO E EQUILÍBRIO FINANCEIRO OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM 1. Definir capital de giro ou capital circulante e capital circulante líquido mostrando as transações que elevam e reduzem

Leia mais

Análise Financeira de Balanço

Análise Financeira de Balanço UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Instituto de Engenharia de Produção e Gestão Contabilidade Gerencial EPR 30 Análise Financeira de Balanço Juliano Jun Tatsumi nº11462 Marina Carvalho Brandão nº11466 Itajubá,

Leia mais

Análise Horizontal. Consiste no estabelecimento de um ano-base, no qual cada item componente da demonstração

Análise Horizontal. Consiste no estabelecimento de um ano-base, no qual cada item componente da demonstração Análise Horizontal Consiste no estabelecimento de um ano-base, no qual cada item componente da demonstração será designado pelo número-índice 100. Será verificada a tendência do item a partir de sua variação,

Leia mais

FCPERJ UCAM Centro. Contabilidade Empresarial DFC. Prof. Mônica Brandão

FCPERJ UCAM Centro. Contabilidade Empresarial DFC. Prof. Mônica Brandão FCPERJ UCAM Centro Contabilidade Empresarial DFC Prof. Mônica Brandão DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA É uma demonstração que tem por finalidade evidenciar as transações ocorridas em determinado período

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA APOSTILA DE ESTUDO ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Marcelo Cauduro de Castro - Mestre mccastro@terra.com.br MINI CURRÍCULO: Marcelo Cauduro de Castro é Mestre em Administração de Empresas pela Universidade Federal

Leia mais

UNIDADE I INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO 1.1 NATUREZA E DEFINIÇÕES DA ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO

UNIDADE I INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO 1.1 NATUREZA E DEFINIÇÕES DA ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO Resumo: UNIDADE I INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO 1.1 NATUREZA E DEFINIÇÕES DA ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO Capital de giro refere-se aos recursos correntes (curto prazo) da empresa,

Leia mais

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS. Aula 12- Unidade III. Análise avançada das demonstrações contábeis. Prof.: Marcelo Valverde

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS. Aula 12- Unidade III. Análise avançada das demonstrações contábeis. Prof.: Marcelo Valverde ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Aula 12- Unidade III. Análise avançada das demonstrações contábeis Prof.: Marcelo Valverde Unidade III. Análise avançada das demonstrações contábeis 3.1 Análise do

Leia mais

ANALISE DE BALANÇO UNIDADE 1 : INTRODUÇÃO. Extrair informações das Demonstrações Financeiras para a tomada de decisões.

ANALISE DE BALANÇO UNIDADE 1 : INTRODUÇÃO. Extrair informações das Demonstrações Financeiras para a tomada de decisões. ANALISE DE BALANÇO 1.1 Objetivo da análise de Balanços UNIDADE 1 : INTRODUÇÃO Extrair informações das Demonstrações Financeiras para a tomada de decisões. 1.2 Dados versus Informações Dados: São os números

Leia mais

ANÁLISE DE DEMONSTRATIVOS FINANCEIROS

ANÁLISE DE DEMONSTRATIVOS FINANCEIROS ANÁLISE DE DEMONSTRATIVOS FINANCEIROS Prof. Herbert Kimura INTRODUÇÃO À ANÁLISE DE BALANÇOS CONTEXTUALIZAÇÃO Prof. Herbert Kimura INFORMAÇÕES Interna Externa Armazenagem Contábil! Relatórios contábeis

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA - DFC

DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA - DFC DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA DFC A DFC é uma demonstração que tem por finalidade evidenciar as transações ocorridas em determinado período e que provocaram modificações nas disponibilidades da empresa

Leia mais

2.1. Giro dos Estoques O giro dos estoques geralmente mede a atividade, ou liquidez, dos estoques da empresa. Quanto maior for o valor dos estoques, maior será a necessidade de capital de giro da empresa.

Leia mais

Auditor Federal de Controle Externo/TCU - 2015

Auditor Federal de Controle Externo/TCU - 2015 - 2015 Prova de Análise das Demonstrações Comentada Pessoal, a seguir comentamos as questões de Análise das Demonstrações Contábeis aplicada na prova do TCU para Auditor de Controle Externo (2015). Foi

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, ATUÁRIA E CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO Janilson Laane Maio/2011 Objetivos 1. Apresentar o conceito e em que contexto está

Leia mais

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO 1) Considere os demonstrativos a seguir: Balanço Patrimonial em 31.12.2011 Ativo Passivo Ativo Circulante R$ 252.000,00 Passivo Circulante R$ 168.000,00 Ativo Imobilizado R$ 348.000,00

Leia mais

ANÁLISE DO SETOR DE TRANSPORTES

ANÁLISE DO SETOR DE TRANSPORTES ANÁLISE DO SETOR DE TRANSPORTES Empresas do Setor de Concessionárias de Transportes AGConcessoes BGPar CCR Conc Rio Teresopolis Concepa Econorte Ecosul Ecovias Invepar Localiza OHL Brasil Triunfo Empresas

Leia mais

Pessoal, ACE-TCU-2007 Auditoria Governamental - CESPE Resolução da Prova de Contabilidade Geral, Análise e Custos

Pessoal, ACE-TCU-2007 Auditoria Governamental - CESPE Resolução da Prova de Contabilidade Geral, Análise e Custos Pessoal, Hoje, disponibilizo a resolução da prova de Contabilidade Geral, de Análise das Demonstrações Contábeis e de Contabilidade de Custos do Concurso para o TCU realizado no último final de semana.

Leia mais

MBA EM GESTÃO EMPRESARIAL FINANÇAS CORPORATIVAS

MBA EM GESTÃO EMPRESARIAL FINANÇAS CORPORATIVAS MBA EM GESTÃO EMPRESARIAL FINANÇAS CORPORATIVAS O QUE É A DISCIPLINA? OBJETIVO: 1. Fornecer ao aluno conhecimento de algumas estratégias financeiras utilizadas nas organizações para tomadas de decisões

Leia mais

INDICADORES FINANCEIROS NA TOMADA DE DECISÕES GERENCIAIS

INDICADORES FINANCEIROS NA TOMADA DE DECISÕES GERENCIAIS INDICADORES FINANCEIROS NA TOMADA DE DECISÕES GERENCIAIS ANA BEATRIZ DALRI BRIOSO¹, DAYANE GRAZIELE FANELLI¹, GRAZIELA BALDASSO¹, LAURIANE CARDOSO DA SILVA¹, JULIANO VARANDAS GROPPO². 1 Alunos do 8º semestre

Leia mais

DOAR DEMONSTRAÇÃO DAS ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS UMA REVISÃO DOS CONCEITOS MAIO / 2007. Autor - Manoel Moraes Jr

DOAR DEMONSTRAÇÃO DAS ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS UMA REVISÃO DOS CONCEITOS MAIO / 2007. Autor - Manoel Moraes Jr DOAR DEMONSTRAÇÃO DAS ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS UMA REVISÃO DOS CONCEITOS MAIO / 2007 Autor - Manoel Moraes Jr OBJETIVOS DA DOAR Apresentar de forma ordenada e sumariada as informações relativas

Leia mais

Contabilidade Pública. Aula 6. Apresentação. Demonstração do Balanço Patrimonial. Demonstração dos Fluxos de Caixa. Necessidade e Função

Contabilidade Pública. Aula 6. Apresentação. Demonstração do Balanço Patrimonial. Demonstração dos Fluxos de Caixa. Necessidade e Função Contabilidade Pública Aula 6 Apresentação Prof. Me. Adilson Lombardo Demonstração do Balanço Patrimonial Necessidade e Função Demonstração dos Fluxos de Caixa Demonstração do Resultado Econômico Contextualização

Leia mais

Administração Financeira II

Administração Financeira II Administração Financeira II Introdução as Finanças Corporativas Professor: Roberto César INTRODUÇÃO AS FINANÇAS CORPORATIVAS Administrar é um processo de tomada de decisões. A continuidade das organizações

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Gestão Financeira I Prof.ª Thays Silva Diniz 1º Semestre 2011 INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Cap.1 A decisão financeira e a empresa 1. Introdução 2. Objetivo e Funções da

Leia mais

Conceito. Praticamente todos os indivíduos e organizações recebem ou levantam, gastam ou investem dinheiro.

Conceito. Praticamente todos os indivíduos e organizações recebem ou levantam, gastam ou investem dinheiro. Plano de Ensino Conceito A Função Financeira nas Empresas Utilização das informações contábeis Áreas de Decisões Financeiras Objetivos do Administrador Financeiro Organização da Função Financeira Estrutura

Leia mais

Guia Técnica Análise Financeira

Guia Técnica Análise Financeira Guia Técnica Análise Financeira Sertras Março 2015 Av. Paisagista José Silva de Azevedo Neto 200 bl. 4, sala 104, Barra da Tijuca, Rio de 1.- Índice 1.- Índice...2 2.- Introdução...3 3.- Procedimento Geral...4

Leia mais

Um Estudo nos Demonstrativos Financeiros Utilizando Técnicas de Análise de Balanços Realizada em uma Empresa do Setor Agroindustrial

Um Estudo nos Demonstrativos Financeiros Utilizando Técnicas de Análise de Balanços Realizada em uma Empresa do Setor Agroindustrial Um Estudo nos Demonstrativos Financeiros Utilizando Técnicas de Análise de Balanços Realizada em uma Empresa do Setor Agroindustrial Vanessa Dalmolin vanessa-dalmolin@hotmail.com UNIFRA Juliana Andréia

Leia mais

IMES-FAFICA Administração Financeira e Análise de Investimentos 1ª Prova Bimestral

IMES-FAFICA Administração Financeira e Análise de Investimentos 1ª Prova Bimestral IMES-FAFICA Administração Financeira e Análise de Investimentos 1ª Prova Bimestral NOME: RA: PARTE A - Testes 1. As quatro áreas básicas de finanças são,,, e. Finanças Corporativas trata das decisões financeiras

Leia mais

Análise das Demonstrações Contábeis

Análise das Demonstrações Contábeis Análise das Demonstrações Contábeis Prof. José MANOEL da Costa As demonstrações contábeis para usuário externo, publicadas aos usuários em geral, como já visto, são publicadas conforme princípios e normas

Leia mais

Decisões Empresariais. Logística. Administração Financeira. Administração financeira (finanças corporativas) Investimento.

Decisões Empresariais. Logística. Administração Financeira. Administração financeira (finanças corporativas) Investimento. Logística Prof. Clóvis Luiz Galdino Administração Financeira Administração financeira (finanças corporativas) Administração: ato de reger, governar ou gerir negócios públicos ou particulares. Finanças:

Leia mais

Prof. Fernando Oliveira Boechat

Prof. Fernando Oliveira Boechat Prof. Fernando Oliveira Boechat Prof. Fernando Oliveira Boechat Sumário: 1. Introdução 2. Prof. Fernando Oliveira Boechat 2 Introdução: ENTENDENDO AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS BRASILEIRAS Prof. Fernando

Leia mais

COMO CALCULAR E ANALISAR A CAPACIDADE DE

COMO CALCULAR E ANALISAR A CAPACIDADE DE COMO CALCULAR E ANALISAR A CAPACIDADE DE! Como calcular o fluxo de caixa! Qual a fórmula para determinar a capacidade de pagamento! Como analisar a liquidez Francisco Cavalcante (francisco@fcavalcante.com.br)

Leia mais

A Importância do Plano Financeiro no Plano de Negócios

A Importância do Plano Financeiro no Plano de Negócios A Importância do Plano Financeiro no Plano de Negócios Vanessa da Silva Sidônio vanessa_sidonio@hotmail.com Professor Heber Lavor Moreira heber@peritocontador.com.br Trabalho da Disciplina Administração

Leia mais

Ponto de Equilíbrio Custo: Custo Fixo: Custo Variável: Despesas variáveis: Despesas fixas:

Ponto de Equilíbrio Custo: Custo Fixo: Custo Variável: Despesas variáveis: Despesas fixas: 54 Ponto de Equilíbrio É o valor das vendas que permite a cobertura dos gastos totais (custos, despesas fixas e despesas variáveis). Neste ponto, os gastos são iguais à receita total da empresa, ou seja,

Leia mais

Simulado: Análise das Demonstrações Contábeis p/ TCU

Simulado: Análise das Demonstrações Contábeis p/ TCU Simulado: Análise das Demonstrações Contábeis p/ TCU Prezados(as), para fins de revisão de alguns pontos da disciplina de Análise das Demonstrações Contábeis, exigida no concurso para Auditor Federal de

Leia mais

Autorizado pela Portaria nº 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: ADMINISRAÇÃO FINANCEIRA

Autorizado pela Portaria nº 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: ADMINISRAÇÃO FINANCEIRA C U R S O D E C I Ê N C I A S C O N T Á B E I S Autorizado pela Portaria nº 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: ADMINISRAÇÃO FINANCEIRA Código: CNB CH Total: 72H Pré-Requisito: Período

Leia mais

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS: ESTUDO DE CASO DA EMPRESA MA PROMOTORA DE EVENTOS LTDA. Luciana da Silva Moraes 1. Moisés Araújo Guarda 2

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS: ESTUDO DE CASO DA EMPRESA MA PROMOTORA DE EVENTOS LTDA. Luciana da Silva Moraes 1. Moisés Araújo Guarda 2 1 ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS: ESTUDO DE CASO DA EMPRESA MA PROMOTORA DE EVENTOS LTDA. Luciana da Silva Moraes 1 Moisés Araújo Guarda 2 Sara Alexssandra Gusmão França 3 RESUMO Este artigo versa

Leia mais

ATIVO PASSIVO 3) DESTINAÇÃO DO LUCRO

ATIVO PASSIVO 3) DESTINAÇÃO DO LUCRO ATIVO I PASSIVO ATIVO I PASSIVO F ATIVO PASSIVO 3) DESTINAÇÃO DO LUCRO ATIVO PASSIVO 3) ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO ATIVO PASSIVO ATIVO PASSIVO AC ativo circulante ANC ativo não circulante PC passivo

Leia mais

Exercício Elaboração da DOAR e da DFC passo a passo

Exercício Elaboração da DOAR e da DFC passo a passo UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - UERJ FAF / DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DOAR e DFC Exercício Elaboração da DOAR e da DFC passo a passo Com base nas demonstrações contábeis que seguem,

Leia mais

TERRITORIAL SÃO PAULO MINERAÇÃO LTDA. Balanços patrimoniais (em Reais)

TERRITORIAL SÃO PAULO MINERAÇÃO LTDA. Balanços patrimoniais (em Reais) Balanços patrimoniais Ativo 2010 (não auditado) 2011 2012 2013 Novembro'14 Dezembro'14 Circulante Caixa e equivalentes de caixa 6.176.733 12.245.935 4.999.737 709.874 1.666.340 2.122.530 Contas a receber

Leia mais

Contabilidade Avançada Fluxos de Caixa DFC

Contabilidade Avançada Fluxos de Caixa DFC Contabilidade Avançada Demonstração dos Fluxos de Caixa DFC Prof. Dr. Adriano Rodrigues Normas Contábeis: No IASB: IAS 7 Cash Flow Statements No CPC: CPC 03 (R2) Demonstração dos Fluxos de Caixa Fundamentação

Leia mais

Balanço Patrimonial - TAM

Balanço Patrimonial - TAM Balanço Patrimonial - TAM Grupo de Contas 2009 2009 2008 2008 2007 2007 Sem ajuste Com ajuste Sem ajuste Com ajuste Sem ajuste Com ajuste Ativo 3.794.414 3.794.414 3.670.788 3.670.788 4.127.250 4.127.250

Leia mais

APOSTILA DE AVALIAÇÃO DE EMPRESAS POR ÍNDICES PADRONIZADOS

APOSTILA DE AVALIAÇÃO DE EMPRESAS POR ÍNDICES PADRONIZADOS UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA ESCOLA SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E GERÊNCIA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS PROGRAMA DE EXTENSÃO: CENTRO DE DESENVOLVIMENTO EM FINANÇAS PROJETO: CENTRO DE CAPACITAÇÃO

Leia mais

CRITÉRIOS / Indicadores

CRITÉRIOS / Indicadores CRITÉRIOS / Indicadores A lista de conceitos desta MELHORES E MAIORES Os valores usados nesta edição são expressos em reais de dezembro de 2014. A conversão para dólares foi feita, excepcionalmente, com

Leia mais

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Considerações Gerais

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Considerações Gerais ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Considerações Gerais Sumário 1. A Importância Dos Índices Nas Demonstrações Financeiras 1.1 - Preparação e Reclassificação Das Contas 2. Grupos de Índices 3. Capital

Leia mais

ANÁLISE DO DESEMPENHO ECONÔMICO-FINANCEIRO DE EMPRESAS DA REGIÃO DO VALE DO TAQUARI - RS

ANÁLISE DO DESEMPENHO ECONÔMICO-FINANCEIRO DE EMPRESAS DA REGIÃO DO VALE DO TAQUARI - RS CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS ANÁLISE DO DESEMPENHO ECONÔMICO-FINANCEIRO DE EMPRESAS DA REGIÃO DO VALE DO TAQUARI - RS Geisibel Costa da Silva Lajeado, outubro de 2014 Geisibel

Leia mais

Neste contexto, o Fluxo de Caixa torna-se ferramenta indispensável para planejamento e controle dos recursos financeiros de uma organização.

Neste contexto, o Fluxo de Caixa torna-se ferramenta indispensável para planejamento e controle dos recursos financeiros de uma organização. UNIDADE II FLUXOS DE CAIXA Em um mercado competitivo, a gestão eficiente dos recursos financeiros, torna-se imprescindível para o sucesso da organização. Um bom planejamento do uso dos recursos aliado

Leia mais

Análise das Demonstrações Financeiras. Análise de Índices

Análise das Demonstrações Financeiras. Análise de Índices Análise das Demonstrações Financeiras Análise de Índices Análise de Índices Relaciona itens e grupos de itens do Balanço Patrimonial e do Demonstrativo de Resultados. É útil para a análise de crédito e

Leia mais

AS INFORMAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AOS INDICADORES ECONÔMICO- FINANCEIROS: IMPORTANTE CONHECIMENTO NAS TOMADAS DE DECISÕES.

AS INFORMAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AOS INDICADORES ECONÔMICO- FINANCEIROS: IMPORTANTE CONHECIMENTO NAS TOMADAS DE DECISÕES. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ UFPA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS AS INFORMAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AOS INDICADORES ECONÔMICO- FINANCEIROS: IMPORTANTE CONHECIMENTO

Leia mais

20/02/2014. Capítulo 22 Capital de Giro. Introdução

20/02/2014. Capítulo 22 Capital de Giro. Introdução Introdução A administração do capital de giro envolve basicamente as decisões de compra e venda tomadas pela empresa, assim como suas atividades operacionais e financeiras Deve garantir a adequada consecução

Leia mais

Unidade IV INTERPRETAÇÃO DAS. Prof. Walter Dominas

Unidade IV INTERPRETAÇÃO DAS. Prof. Walter Dominas Unidade IV INTERPRETAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Prof. Walter Dominas Conteúdo programático Unidade I Avaliação de Empresas Metodologias Simples Unidade II Avaliação de Empresas - Metodologias Complexas

Leia mais

APSP. Análise do Projeto do Sistema Produtivo. Aula 7. 22/8/2006 Por: Lucia Balsemão Furtado 1

APSP. Análise do Projeto do Sistema Produtivo. Aula 7. 22/8/2006 Por: Lucia Balsemão Furtado 1 APSP Análise do Projeto do Sistema Produtivo Aula 7 Por: Lucia Balsemão Furtado 1 Análise da Viabilidade Econômica O que é Economia? É a ciência que se preocupa em administrar escassos recursos disponíveis

Leia mais

Contabilidade bem básica

Contabilidade bem básica Contabilidade bem básica Instruções simples para que você possa compreender todo o conteúdo do site. A contabilidade é uma base para os demais. Conceitos de contabilidade básica O que é contabilidade?

Leia mais

2ª edição Ampliada e Revisada. Capítulo 10 Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos

2ª edição Ampliada e Revisada. Capítulo 10 Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos 2ª edição Ampliada e Revisada Capítulo Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos Tópicos do Estudo Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos (Doar). Uma primeira tentativa de estruturar

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA «

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA « CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA «21. O sistema de intermediação financeira é formado por agentes tomadores e doadores de capital. As transferências de recursos entre esses agentes são

Leia mais

ANÁLISE DE BALANÇOS MÓDULO 1

ANÁLISE DE BALANÇOS MÓDULO 1 ANÁLISE DE BALANÇOS MÓDULO 1 Índice Análise Vertical e Análise Horizontal...3 1. Introdução...3 2. Objetivos e técnicas de análise...4 3. Análise vertical...7 3.1 Cálculos da análise vertical do balanço

Leia mais

GPME Prof. Marcelo Cruz

GPME Prof. Marcelo Cruz GPME Prof. Marcelo Cruz Política de Crédito e Empréstimos Objetivos Compreender os tópicos básicos da administração financeira. Compreender a relação da contabilidade com as decisões financeiras. Compreender

Leia mais

Métricas empresariais

Métricas empresariais Métricas empresariais 1 Índice 1. Lista de Indicadores Setoriais Pág. 4 2. Métricas de Marketing Geral Pág. 5. Métricas de Propaganda Pág. 4. Métricas de Promoção Pág. 7 5. Métricas de Distribuição Pág.

Leia mais

No concurso de São Paulo, o assunto aparece no item 27 do programa de Contabilidade:

No concurso de São Paulo, o assunto aparece no item 27 do programa de Contabilidade: Olá, pessoal! Como já devem ter visto, dois bons concursos estão na praça: Fiscal do ISS de São Paulo e Auditor Fiscal do Ceará. As bancas são, respectivamente, a Fundação Carlos Chagas (FCC) e a Escola

Leia mais

Como Elaborar um Fluxo de Caixa com Base em Demonstrações Encerradas (Parte I)

Como Elaborar um Fluxo de Caixa com Base em Demonstrações Encerradas (Parte I) Como Elaborar um Fluxo de Caixa com Base em Demonstrações Encerradas (Parte I) Procedimentos um guia prático Análise dos procedimentos Método direto e indireto Caso prático Francisco Cavalcante (francisco@fcavalcante.com.br)

Leia mais

TEORIA DA CONTABILIDADE 2010

TEORIA DA CONTABILIDADE 2010 DFC DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA ( Exercícios ) 1. INTRODUÇÃO A Demonstração de Fluxos de Caixa, de acordo com a lei 11.638/2007, passou a ser obrigatória para as companhias abertas, companhias de

Leia mais

Avaliação Econômica Valuation

Avaliação Econômica Valuation Avaliação Econômica Valuation Wikipedia The process of determining the current worth of an asset or company. There are many techniques that can be used to determine value, some are subjective and others

Leia mais

TRABALHO AVALIATIVO Curso: Ciências Contábeis Disciplina: Contabilidade Financeira e Orçamentaria II Turma: 7º Periodo

TRABALHO AVALIATIVO Curso: Ciências Contábeis Disciplina: Contabilidade Financeira e Orçamentaria II Turma: 7º Periodo TRABALHO AVALIATIVO Curso: Ciências Contábeis Disciplina: Contabilidade Financeira e Orçamentaria II Turma: 7º Periodo Elaboração do Trabalho: valor 3,0 Apresentação : Valor 3,0 (Impressa/escrita e Slides)

Leia mais

Análise Financeira II

Análise Financeira II UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO CAMPUS DE RIBEIRÃO PRETO FACULDADE DE ECONOMIA, ADM CONTABILIDADE DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO Análise Financeira II Análise Financeira Empresarial da empresa Marcopolo S.A.

Leia mais

Índices de Análise das Demonstrações Contábeis

Índices de Análise das Demonstrações Contábeis Índices de Análise das Demonstrações Contábeis Índices de Estrutura Patrimonial Índices de Estrutura Índices de Estrutura Estrutura do Balanço Patrimonial Estrutura das Aplicações (Ativo) Estrutura das

Leia mais

Ciclo Operacional. Venda

Ciclo Operacional. Venda Sumário 1 Introdução... 1 2 Dinâmica dos Fluxos de Caixa... 2 3 Capital Circulante Líquido (CCL) e Conceitos Correlatos... 4 4 Necessidade de capital de giro (NCG)... 6 5 Saldo em Tesouraria (ST)... 9

Leia mais

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte DLPA DEMONSTRAÇÃO DE LUCROS OU PREJUÍZOS ACUMULADOS A DLPA expõe as variações ocorridas, durante o exercício, na conta Lucros ou Prejuízos Acumulados. Ela pode ser incluída na DMPL Demonstração das Mutações

Leia mais