Lista de Parâmetros Edição 04/03. sinamics SINAMICS G110

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Lista de Parâmetros Edição 04/03. sinamics SINAMICS G110"

Transcrição

1 Lisa de Parâmeros Edição 04/0 sinamics SINAMICS G110

2 SINAMICS G110 Documenação Guia de Iniciação O Guia de Iniciação é feio para proporcionar ao usuário rápido acesso a odas as informações básicas necessárias para insalar e ajusar o SINAMICS G110 para operação. Insruções de Operação Fornece informações sobre disposiivos do Sinamics G110, Insalação, Comissionameno, Modos de Conrole, Esruura do Sisema de Parâmeros, Idenificação de falhas, Especificações e opcionais disponíveis para o SINAMICS G110. Lisa de Parâmeros A Lisa de Parâmeros coném a descrição de odos os parâmeros relacionados ao SINAMICS G110 esruurados em ordem numérica. Caálogos No Caálogo será enconrada oda informação necessária para selecionar um deerminado inversor, assim como opcionais para a série SINAMICS G110.

3 Parâmeros 1 Falhas e Alarmes 2 Anexos SINAMICS G W - kw Lisa de Parâmeros Documenação de Usuário Válido para: Edição 04/0 Conversor ipo: SINAMICS G110 Sofware V1.0 Edição 04/0

4 Informação Imporane 04/0 Informação Imporane Esa Lisa de Parâmeros somene deve ser usada em conjuno com as Insruções de Operação do SINAMICS G110. ADVERTÊNCIA Favor presar especial aenção para as Adverências, Cuidados, Observações e Noas conidas nas Insruções de Operação. Você enconrará as Insruções de Operação no CD de documenação no qual pode ser requisiado via seu conao regional Siemens sob o número de encomenda 6SL271-0CA00-0AG0 ou aravés de downloading no nosso websie: hp://www.siemens.com.br/acionamenos. Qualidade Siemens aprovada para Sofware e Treinameno conforme ISO 9001, Regisro Não Não esá permiida a reprodução, ransmissão ou uso dese documeno ou seu coneúdo sem auorização expressa por escrio. Os infraores esarão sujeios a processos de indenização. Reservam-se odos os direios incluindo os resulanes da concessão de paenes, caracerísicas de funcionameno ou design. Siemens AG 200. Todos os direios reservados. SINAMICS é uma marca regisrada da Siemens. Podem exisir ouras funções não descrias nese documeno Não enano, ese fao não consiui obrigação de fornecer ais funções em um novo aparelho ou em caso de serviço écnico. Comprovamos que o coneúdo dese documeno corresponde ao hardware e sofware descrios. Não enano podem haver discrepâncias o que nos impede de garanir que sejam compleamene idênicos. A informação conida nese documeno é revisa periodicamene e qualquer aleração necessária será incluída na próxima edição. Agradecemos por oda sugesão de melhoria. Os manuais da Siemens são impressos em papel livre de cloro, proveniene de bosques gerenciados de forma ecológica. No processo de impressão não é uilizado qualquer ipo de solvenes. Documeno sujeio a alerações sem prévio aviso. Siemens-Akiengesellschaf. SINAMICS G110 Lisa de Parâmeros 4 6SL298-0BA11-0BP0

5 04/0 Índice Índice 1 Parâmeros Inrodução ao Sisema de Parâmeros do SINAMICS G Comissionameno Rápido (P0010=1) Descrição dos Parâmeros Falhas e Alarmes Mensagens de Falha Mensagens de Alarme Anexo Lisa de Abreviações SL298-0BA11-0BP0 5

6

7 04/0 Parâmeros 1 Parâmeros 1.1 Inrodução ao Sisema de Parâmeros do SINAMICS G110 O layou da descrição do parâmero em a forma explicada a seguir. 1 Núm. Par. 2 Nome do Parâmero 9 Min: [índice] CSa: 5 Tipo de Dado: 7 Unid: 10 Def: 4 P-Grupo: 6 Aivo: 8 Com.Rápido.: 11 Max: 12 : 2 1 Descrição: 1. Número do Parâmero Indica o número do parâmero em quesão. Os números uilizados são números de 4 dígios na faixa de 0000 a Números com prefixo r indicam que o parâmero é um parâmero somene leiura ( read-only ), o qual exibe um valor paricular mas não pode ser alerado direamene especificando um valor diferene, via ese número de parâmero (neses casos, enra-se com aspas - nos iens Unid, Mín, Def e Máx no cabeçalho da descrição do parâmero). Todos os demais parâmeros êm como prefixo um P. Os valores deses parâmeros podem ser alerados denro dos limies da faixa indicada pelos valores Mín e Máx no cabeçalho. [índice] indica que o parâmero é um parâmero indexado e especifica o número de índices disponíveis. 2. Nome do parâmero Indica o nome do parâmero relevane. A sisema BICO não esá disponível no conversor SINAMICS G110. Para possibiliar os nomes dos parâmeros para serem uilizados na variedade de ipos de conversores, os nomes dos parâmeros não em sido alerado.. Csa Esado de Comissionameno dos parâmeros. Três esados são possíveis: Comissionameno C Funcionando U Prono para parir T Iso indica quando o parâmero pode ser alerado. Um, dois ou odos os rês esados podem se especificados. Se odos os rês esados são especificados, significa que é possível alerar o ajuse desse parâmero em odos os rês esados do inversor. 4. P-Grupo (Grupo Funcional) Indica o grupo funcional do parâmero. Noa O parâmero P0004 (filro de parâmero) aua como um filro e permie acesso aos parâmeros de acordo com o grupo funcional selecionado. 6SL298-0BA11-0BP0 7

8 Parâmeros 04/0 5. Tipo de Dado Os ipos de dados disponíveis são mosrados na abela abaixo. Noação Significado U16 U2 I16 I2 Floa 16-bi sem sinal 2-bi sem sinal 16-bi ineiro 2-bi ineiro Pono fluuane 6. Aivo Indica se: Imediao aleração do valor do parâmero em efeio imediao assim que são digiadas, ou Confirmar a ecla P do painel de operação básico (BOP) deve ser pressionado anes para a aleração er efeio. 7. Unid Indica a unidade de medida aplicável aos valores do parâmero. 8. Com.Rápido (Comissionameno Rápido) Indica (Sim ou Não) se um parâmero pode ou não ser alerado somene durane o comissionameno rápido, i.e. quando P0010 (grupo de parâmeros para comissionameno) esá ajusado em 1 (comissionameno rápido). 9. Min Indica o valor mínimo no qual o parâmero pode ser ajusado Def Indica o valor de fábrica, i.e. o valor que é assumido se o usuário não especifica um valor diferene para o parâmero. 11. Max Indica o valor máximo no qual o parâmero pode ser ajusado. 12. Indica o nível de acesso do usuário. Exisem quaro níveis de acesso: Sandard, Esendido, Exper. O número de parâmeros que aparece em cada grupo funcional depende do nível de acesso esabelecido em P000 (nível de acesso do usuário). 8 6SL298-0BA11-0BP0

9 04/0 Parâmeros 1. Descrição A descrição do parâmero consise das seções e coneúdos lisados baixo. Algumas dessas seções e coneúdos são opcionais e serão omiidos casos não sejam aplicáveis. Descrição Diagrama Ajuses Exemplo Condição Breve explicação da função do parâmero. Onde aplicável, um diagrama para ilusrar os efeios do parâmero numa curva caracerísica, por exemplo. Lisa dos ajuses aplicáveis. Iso inclui: Ajuses Possíveis, Ajuses mais comuns, Índices e campos de bi. Exemplo (opcional) dos efeios de um paricular ajuse de um parâmero. Quaisquer condições que devem ser saisfeias em relação a ese parâmero. Também quaisquer efeios pariculares que ese parâmero em em ouro(s) parâmero(s) ou que ouros parâmeros êm nese. Adverência / Cuidado / Aviso / Noa: Informações imporanes que podem ser necessárias para prevenir risco pessoal ou dano ao equipameno / informação específica que pode ser necessária no senido de eviar problemas / informação que pode ser úil ao usuário. Dealhes adicionais: Quaisquer origens de informações mais dealhadas a respeio do parâmero em quesão. 6SL298-0BA11-0BP0 9

10 Parâmeros 04/0 1.2 Comissionameno Rápido (P0010=1) Os seguines parâmeros são necessários para comissionameno rápido (P0010=1). Parâmero Nome de Acesso Csa P0100 Europa / América do Nore 1 C P004 Tensão nominal do moor 1 C P005 Correne nominal do moor 1 C P007 Poência nominal do moor 1 C P008 CosPhi nominal do moor C P009 Rendimeno nominal do moor C P010 Freqüência nominal do moor 1 C P011 Velocidade nominal do moor 1 C P05 Resfriameno do moor CT P0640 Faor de sobrecarga do moor [%] CUT P0700 Seleção da origem de comando 1 CT P1000 Seleção do sepoin de freqüência 1 CT P1080 Freqüência Mínima 1 CUT P1082 Freqüência Máxima 1 CT P1120 Tempo de rampa de aceleração 1 CUT P1121 Tempo de rampa de desaceleração 1 CUT P115 Tempo de rampa de desaceleração OFF CUT P100 Modo de conrole 2 CT P900 Fim do comissionameno rápido 1 C Quando P0010=1 é escolhido, P000 (nível de acesso do usuário) pode ser uilizado para selecionar os parâmeros a serem acessados. Ese parâmero ambém permie a seleção de uma lisa de parâmeros definida pelo usuário para comissionameno rápido. Não final da seqüência de comissionameno rápido, ajusar P900 = 1 para efeuar os cálculos necessários do moor e resear odos os ouros parâmeros (não incluídos em P0010=1) aos seus ajuses de fábrica. NOTA Iso se aplica somene ao modo de Comissionameno Rápido. Rese ao ajuse de fábrica de Fábrica Para resear odos os parâmeros aos ajuses de fábrica de fábrica, os seguines parâmeros devem ser ajusados como segue: Ajusar P0010 = 0 Ajusar P0970 = 1 NOTA O processo de rese leva aproximadamene 10 seg para se complear. 10 6SL298-0BA11-0BP0

11 04/0 Parâmeros Display de see segmenos O display de see segmenos é esruurado como segue: Segmen Bi Segmen Bi O significado dos bis relevanes no display é descrio nos parâmeros das palavras de esado e de comando. 6SL298-0BA11-0BP0 11

12 Parâmeros 04/0 1. Descrição dos Parâmeros r0000 Display do Acionameno Min: - Tipo de dado: U16 Unid: - Def: - P-Grupo: SEMPRE Max: - 1 Noa: Exibe a saída selecionada pelo usuário conforme definido em P0005. Pressionando a ecla "Fn" por 2 segundos fica permiido ao usuário visualizar os valores da ensão DC link, freqüência de saída, ensão de saída, correne de saída, e escolher o ajuse r0000 (definido em P0005). r0002 Esado do Acionameno Min: - Tipo de dado: U16 Unid: - Def: - P-Grupo: COMANDOS Max: - Mosra o esado aual do acionameno. Ajuses possíveis: 0 Modo de Comissionameno (P0010 = 0) 1 Acionameno prono 2 Falha do acionameno em falha aiva Parida do acionameno (pré-carga DC-link) 4 Acionameno funcionando 5 Parando (desacelerando) Condição: O esado é visualizado somene enquano esiver em pré-carregameno o DC link. P000 de acesso do usuário Min: 1 CSa: CUT Tipo de dado: U16 Unid: - Def: 1 P-Grupo: SEMPRE Aivo: confirmar Com.Rápido.: Não Max: 4 1 Define o acesso do usuário aos conjunos de parâmeros. O ajuse de fábrica (sandard) é suficiene para as aplicações mais simples. Ajuses possíveis: 1 Sandard: Permie o acesso aos parâmeros mais freqüenemene uilizados 2 Esendido: Permie acesso esendido p. ex. às funções de I/O do inversor. Exper: Somene para uso de especialisas. 4 reservado P0004 Filro de parâmero Min: 0 CSa: CUT Tipo de dado: U16 Unid: - Def: 0 P-Grupo: SEMPRE Aivo: confirmar Com.Rápido.: Não Max: 21 Filra os parâmeros disponíveis conforme a funcionalidade para proporcionar uma abordagem mais focada no comissionameno. Ajuses possíveis: 0 Todos os parâmeros 2 Inversor Moor 7 Comandos, Enradas/Saídas digiais 8 Enrada analógica 10 Canal de sepoin / RFG 12 Disposiivos do acionameno 1 Conrole do Moor 20 Comunicação 21 Alarmes / adverências / monioração Exemplo: P0004 = 8 especifica que apenas os parâmeros relaivos à enrada analógica esarão visíveis. P0005 Seleção do display Min: 2 CSa: CUT Tipo de dado: U16 Unid: - Def: 21 P-Grupo: FUNÇÃO Aivo: confirmar Com.Rápido.: Não Max: Seleciona o display para o parâmero r0000 (Display do Acionameno). Ajuses comuns: 21 Frequência aual 25 Tensão de saída aual 26 Tensão no DC link aual 27 Correne de saída aual Adverência: Eses ajuses referem-se aos números de parâmero somene-leiura ("rxxxx"). Dealhes: Vide as descrições dos parâmeros "rxxxx" relevanes. 12 6SL298-0BA11-0BP0

13 04/0 Parâmeros P0010 Parâmero de Comissionameno Min: 0 CSa: CT Tipo de dado: U16 Unid: - Def: 0 P-Grupo: SEMPRE Aivo: confirmar Com.Rápido.: Não Max: 0 1 Filra os parâmeros de maneira que apenas aqueles relacionados a um grupo funcional paricular são selecionados. Ajuses Possíveis: 0 Prono 1 Comissionameno rápido 2 Inversor 29 Download 0 Ajuse de fábrica Condição: Reornar a 0 para o inversor funcionar. Noa: P000 (nível de acesso do usuário) ambém deermina acesso a parâmeros. P0010 = 1 O inversor pode ser comissionado rápido e facilmene ajusando P0010 = 1. Depois de ajusado, somene parâmeros imporanes (ex.: P004, P005, ec.) são visíveis. Os valores deses parâmeros devem ser ajusados um após o ouro. A finalização do comissionameno rápido e o início dos cálculos inernos serão feios ajusando P900 = 1 ou. Após o processameno dos dados P0010 e P900 serão ajusados a zero auomaicamene. P0010 = 2 Somene para propósios de serviço P0010 = 29 Para ransferir um arquivo de parâmeros via PC (ex.: STARTER) o parâmero P0010 será ajusado para 29 pelo sofware ferramena. Quando o download iver sido finalizado, o sofware ferramena ajusará o parâmero P0010 à zero. P0010 = 0 Quando houver necessidade de ajusar os parâmeros para valores de fábrica, P0010 deve ser ajusado para 0. O Rese será iniciado ajusando o parâmero P0970 = 1. O Inversor será auomaicamene ajusado para seus ajuses de fábrica. Iso pode ajudar se você obeve problemas durane o ajuse dos parâmeros e deseja iniciar novamene. P0014[] Modo de Armazenar Min: 0 CSa: UT Tipo de dado: U16 Unid: - Def: 0 P-Grupo: - Aivo: confirmar Com.Rápido.: Não Max: 1 Ajusa o modo de armazenar os parâmeros. O modo de armazenar pode ser configurado para odas as inerfaces lisadas sob índices. Ajuses Possíveis: 0 Voláil (RAM) 1 Não-voláil (EEPROM) Índice: P0014[0] : USS P0014[1] : reservado P0014[2] : reservado Noa: Uma requisição independene de armazenar pode fazer pare da comunicação serial (ex. PKE bis do proocolo USS), ajusado por um CLP ou Sofware Ferramena para PC como o STARTER. Veja a abela abaixo para uma influencia no ajuse do P Com o BOP, os parâmeros sempre serão armazenados na EEPROM. 2. P0014 será sempre armazenado na EEPROM.. P0014 não será alerado no caso de rese para valores de fábrica (P0010 = 0 e P0971 = 1). 4. P0014 pode ser ransferido em um DOWNLOAD (P0010 = 29). 5. Se Requisição de armazenar via USS = voláil (RAM) e P0014[x] = voláil (RAM)", você pode fazer a ransferência dos valores dos parâmeros na memória não-voláil via P Se Requisição de armazenar via USS e P0014[x] são inconsisenes, o ajuse do P0014[x] = "armazenar não-voláil (EEPROM)" em sempre mais ala prioridade. Sore reques via USS EEPROM EEPROM RAM RAM Value of P0014[x] RAM EEPROM RAM EEPROM Resul EEPROM EEPROM RAM EEPROM 6SL298-0BA11-0BP0 1

14 Parâmeros 04/0 r0018 Versão de Firmware Min: - Tipo de dado: U2 Unid: - Def: - P-Grupo: INVERSOR Max: - Exibe o número da versão do firmware insalado. r0019 CO/BO: Palavra de conrole do BOP Min: - Tipo de dado: U16 Unid: - Def: - P-Grupo: COMANDOS Max: - Exibe o esado dos comandos do painel de operações. Campos binários: Bi00 ON/OFF1 0 NÃO 1 SIM Bi01 OFF2: Parade elérica 0 SIM 1 NÃO Bi08 JOG direia 0 NÃO 1 SIM Bi11 Reversão (inversão de sepoin) 0 NÃO 1 SIM Bi1 Poenciômero moorizado MOP para cima 0 NÃO 1 SIM Bi14 Poenciômero moorizado MOP para baixo 0 NÃO 1 SIM Noa: As funções a seguir podem ser aribuídas as eclas individuais: - ON/OFF1, - OFF2, - JOG, - REVERSÃO, - INCREMENTAR, - DECREMENTAR Dealhes: O Display de 7 segmenos do parâmero-bi (parâmero binário) é explicado na inrodução da Lisa de Parâmeros. r0020 CO: Sepoin de frequência aual Min: - Tipo de dado: Floa Unid: Hz Def: - P-Grupo: CONTROLE Max: - 2 Exibe a sepoin de frequência aual (saída do gerador da função de rampa). r0021 CO: Frequência Aual Min: - Tipo de dado: Floa Unid: Hz Def: - P-Grupo: CONTROLE Max: - 2 Exibe a freqüência de saída aual do inversor (r0024) excluindo a compensação de escorregameno e limiação de freqüência. r0024 CO: Frequência de saída aual Min: - Tipo de dado: Floa Unid: Hz Def: - P-Grupo: CONTROLE Max: - Exibe a frequência de saída aual (compensação de escorregameno e limiação de frequência esão incluídos). r0025 CO: Tensão aual de saída Min: - Tipo de dado: Floa Unid: V Def: - P-Grupo: CONTROLE Max: - Exibe a ensão [rms] aplicada no moor. r0026 CO: Tensão aual filrada no DC-link Min: - Tipo de dado: Floa Unid: V Def: - P-Grupo: INVERSOR Max: - Exibe a ensão no DC-link. r0027 CO: Correne de saída aual Min: - Tipo de dado: Floa Unid: A Def: - P-Grupo: CONTROLE Max: - Exibe valores rms esimados da correne do moor [A]. r004 CO: Temperaura do moor (i2) Min: - Tipo de dado: Floa Unid: % Def: - P-Grupo: MOTOR Max: - 2 Noa: Exibe a emperaura calculada do moor (modelo I2) como [%] do valor máximo permissível. Um valor de 100 % significa que o moor aingiu sua emperaura de operação máxima permissível. Nese caso, o moor enará reduzir a carga do moor conforme definido em P0610 (reação da emperaura I2 do moor). 14 6SL298-0BA11-0BP0

15 04/0 Parâmeros r0052 CO/BO: Ac. saus word 1 Min: - Tipo de dado: U16 Unid: - Def: - P-Grupo: COMANDOS Max: - 2 Exibe a primeira palavra de esado do inversor (formao binário) e pode ser usado para diagnosicar o esado do Inversor. Campos binários: Bi00 Acionameno prono 0 NÃO 1 SIM Bi01 Acionameno prono para operar 0 NÃO 1 SIM Bi02 Acionameno funcionando 0 NÃO 1 SIM Bi0 Falha do acionameno aiva 0 NÃO 1 SIM Bi04 OFF2 aivo 0 SIM 1 NÃO Bi05 OFF aivo 0 SIM 1 NÃO Bi06 ON inibido aivo 0 NÃO 1 SIM Bi07 Alarme do acionameno aivo 0 NÃO 1 SIM Bi08 Desvio de sepoin / valor aual 0 SIM 1 NÃO Bi09 conrole de PZD 0 NÃO 1 SIM Bi10 f_aual >= P1082 (f_max) 0 NÃO 1 SIM Bi11 Alarme: Limie de correne do moor 0 SIM 1 NÃO Bi12 Freio de reenção do moor aivo 0 NÃO 1 SIM Bi1 Sobrecarga no moor 0 SIM 1 NÃO Bi14 Moor rodando a direia 0 NÃO 1 SIM Bi15 Sobrecarga no Inversor 0 SIM 1 NÃO Condição: r0052 Bi00 - Bi02: Sae-sequence diagram afer Power On or ON/OFF1 respecively: ==> see below Power ON Drive ready r0052 Bi 00 ON/OFF1 r0052 Bi Pre-charging acive 1 0 Drive ready o run 1 0 Pulse enable 1 Drive running r0052 Bi 02 r005 Bi Ramping finished 1 0 r0052 Bi0 "Falha do acionameno aiva": Saída do Bi (Falha) será inverida na saída digial ( Baixo= Falha, Alo = Sem Falha). 6SL298-0BA11-0BP0 15

16 Parâmeros 04/0 r0052 Bi08 "Deviaion sepoin/ac. value": ==> see below ON OFF f f se Hz Hz Hz f ac Deviaion sepoin/ac. value Hz r0052 Bi r0052 Bi10 "f_aual >= P1082 (f_max)" ==> veja o parâmero P1082 r0052 Bi12 "Freio de reenção do moor aivo" ==> veja o parâmero P1215 r0052 Bi14 "Moor runs righ" ==> see below ON/OFF1 r0054 Bi 00 Reverse r0054 Bi 11 ON f ac 0 Drive running r0052 Bi 02 Moor runs righ r0052 Bi 14 lef no defined las sae is displayed Dealhes: O Display de 7 segmenos do parâmero-bi (parâmero binário) é explicado na inrodução da Lisa de Parâmeros. 16 6SL298-0BA11-0BP0

17 04/0 Parâmeros r005 CO/BO: Palavra de esado 2 Min: - Tipo de dado: U16 Unid: - Def: - P-Grupo: COMANDOS Max: - 2 Exibe a segunda palavra de esado do inversor (em formao binário). Campos binários: Bi00 Frenagem DC aiva 0 NÃO 1 SIM Bi01 f_aual > P2167 (f_off) 0 NÃO 1 SIM Bi02 f_aual > P1080 (f_min) 0 NÃO 1 SIM Bi06 f_aual >= sepoin (f_se) 0 NÃO 1 SIM Bi09 Rampa finalizada 0 NÃO 1 SIM Adverência: r005 Bi00 "Frenagem DC aiva" ==> veja o parâmero P12 r005 Bi01 "f_aual > P2167 (f_off)" r005 Bi02 "f_aual > P1080 (f_min)" ==> veja o parâmero P2167 ==> veja o parâmero P1080 r005 Bi06 "f_ac >= sepoin (f_se)" ==> see below ON OFF f f se Hz f ac r005 Bi f se f ac r005 Bi09 "Ramping finished" ==> see below ON OFF f f se f ac Ramping finished r005 Bi Dealhes: O Display de 7 segmenos do parâmero-bi (parâmero binário) é explicado na inrodução da Lisa de Parâmeros. 6SL298-0BA11-0BP0 17

18 Parâmeros 04/0 r0054 CO/BO: Palavra de conrole 1 Min: - Tipo de dado: U16 Unid: - Def: - P-Grupo: COMANDOS Max: - Exibe a primeira palavra de conrole do inversor (em formao binário) e pode ser usada diagnosicar quais comandos esão aivos. Campos binários: Bi00 ON/OFF1 0 NÃO 1 SIM Bi01 OFF2: Parada elérica 0 SIM 1 NÃO Bi02 OFF: Parada rápida 0 SIM 1 NÃO Bi0 Habilia pulsos 0 NÃO 1 SIM Bi04 Habilia RFG 0 NÃO 1 SIM Bi05 Inicia RFG 0 NÃO 1 SIM Bi06 Habilia sepoin 0 NÃO 1 SIM Bi07 Reconhecimeno de falha 0 NÃO 1 SIM Bi08 JOG para direia 0 NÃO 1 SIM Bi09 JOG para esquerda 0 NÃO 1 SIM Bi10 Conrole pelo PLC 0 NÃO 1 SIM Bi11 Reversão (inversão de sepoin) 0 NÃO 1 SIM Bi1 Poenciômero moorizado MOP para cima 0 NÃO 1 SIM Bi14 Poenciômero moorizado MOP para baixo 0 NÃO 1 SIM Bi15 Local / Remoo 0 NÃO 1 SIM Adverência: Idênico ao r206 se USS é selecionado como fone de comando via P0700 ou P0719. Dealhes: O Display de 7 segmenos do parâmero-bi (parâmero binário) é explicado na inrodução da Lisa de Parâmeros. r0055 CO/BO: Palavra de conrole 2 Min: - Tipo de dado: U16 Unid: - Def: - P-Grupo: COMANDOS Max: - Exibe a palavra adicional de conrole do inversor (em formao binário) e pode ser usada diagnosicar quais comandos esão aivos. Campos binários: Bi00 Frequência fixa Bi 0 0 NÃO 1 SIM Bi01 Frequência fixa Bi 1 0 NÃO 1 SIM Bi02 Frequência fixa Bi 2 0 NÃO 1 SIM Bi09 Habilia frenagem DC 0 NÃO 1 SIM Bi1 Falha exerna 1 0 SIM 1 NÃO Adverência: Idênico ao r207 se USS é selecionado como comando fone via P0700 ou P0719. Dealhes: O Display de 7 segmenos do parâmero-bi (parâmero binário) é explicado na inrodução da Lisa de Parâmeros. r0056 CO/BO: Esado de conrole do moor Min: - Tipo de dado: U16 Unid: - Def: - P-Grupo: CONTROLE Max: - Exibe a palavra de esado do moor (em formao binário) e pode ser usada diagnosicar esado do inversor Campos binários: Bi00 Conrole inicial finalizado 0 NÃO 1 SIM Bi01 Desmagneização do moor finalizada 0 NÃO 1 SIM Bi02 Habiliar Pulsos 0 NÃO 1 SIM Bi04 Exciação do moor finalizada 0 NÃO 1 SIM Bi05 Boos de parida aiva 0 NÃO 1 SIM Bi06 Boos de aceleração aiva 0 NÃO 1 SIM Bi07 Freqüência esá negaiva 0 NÃO 1 SIM Bi08 Enfraquecimeno de campo aivo 0 NÃO 1 SIM Bi09 Sepoin de ensão limiado 0 NÃO 1 SIM Bi10 Freqüência de escorregameno limiada 0 NÃO 1 SIM Bi1 I-máx do regulador aivo 0 NÃO 1 SIM Bi14 Vdc-máx do regulador aivo 0 NÃO 1 SIM Adverência: O regulador I-max (r0056 Bi1) será aivado quando a correne de saída aual (r0027) exceder o limie de correne em r0067. Dealhes: Veja a descrição do display de see segmenos dada na inrodução SL298-0BA11-0BP0

19 04/0 Parâmeros r0067 CO: Limie aual de correne de saída Min: - Tipo de dado: Floa Unid: A Def: - P-Grupo: CONTROLE Max: - Exibe a correne máxima de saída do acionameno. P005 Moor Inverer P0640 Moor proecion r0209 Inverer proecion Min r0067 Condição: Ese valor é influenciado pelo P0640 (Faor de sobrecarga no moor), uma diminuição das caracerísicas nominais e proeção érmica do moor e acionameno. Noa: P0610 (reação de emperaura I2 do moor) e P0290 (reação de sobrecarga do inversor) define a reação quando o limie é aingido. Normalmene : - Limie de correne (r0067) = correne nominal do moor P005 x faor de sobrecarga P Esse limie é menor ou igual a correne máxima do inversor r0209. O limie de correne pode ser reduzido se o cálculo do modelo érmico do moor e do inversor indicar que um sobreaquecimeno irá ocorrer. 6SL298-0BA11-0BP0 19

20 Parâmeros 04/0 P0100 Europa / América do Nore Min: 0 CSa: C Tipo de dado: U16 Unid: - Def: 0 P-Grupo: COM. RÁPIDO Aivo: confirmar Com.Rápido.: Sim Max: 2 1 Deermina se os ajuses de poencia serão expressos em [kw] ou [hp] (ex. Poencia nominal do moor P007). O ajuse de fábrica para a frequência nominal do moor P010 e a frequência máxima P1082 serão ambém ajusadas auomaicamene aqui, em adição a referência de frequência P2000. Ajuses Possíveis: 0 Europa [kw], freqüência base do moor é 50 Hz 1 América do Nore [hp], freqüência base do moor é 60 Hz 2 América do Nore [kw], freqüência base do moor é 60 Hz Condição: Onde: - Parar o acionameno (i.e. desabiliar odos os pulsos) anes de alerar ese parâmero. - Aleração do P0100 reajusa odos parâmeros de dados de placa do moor bem como ouros parâmeros que dependam dos parâmeros de dados de placa do moor (veja o P040 cálculo de dados do moor). Aleração do P0100 sobrescreve os ajuses da chave DIP50/60 (localizada de acordo diagrama mosrado abaixo): 1. Parâmero P0100 em maior prioridade que a DIP50/60 swich. 2. No enano, depois que o inversor é energizado novamene e P0100 < 2, o ajuse da chave DIP50/60 erá prioridade e sobrescreverá P A chave DIP50/60 não em qualquer efeio, se P0100 = 2. DIP50/60 swich Flow char Power cycle Quick commissioning P0010 = 1 P0100 = 2? yes yes P0100 = 2? no no no P0100 = 1? DIP50/60 = 50 Hz? no yes yes Power in kw Frequency 50 Hz Power in kw Frequency 60 Hz Power in hp Frequency 60 Hz P0100 = 0 P0100 = 2 P0100 = 1 Adverência: P0100 ajusado em 2 (==> [kw], ajuse de fábrica 60 [Hz]) são é sobrescrio pelo ajuse da chave DIP50/60 (veja o diagrama acima). r0127 Variane Analógica / USS Min: - Tipo de dado: U16 Unid: - Def: - 2 P-Grupo: INVERSOR Max: - Exibe o ipo da Placa de Conrole Variável. Ajuses Possíveis: 0 Analógica 1 USS 20 6SL298-0BA11-0BP0

21 04/0 Parâmeros r0200 Número do código da power sack aual Min: - Tipo de dado: U2 Unid: - Def: - P-Grupo: INVERSOR Max: - Idenifica o hardware variável como mosra a abela abaixo: Code- No. G110 Type G110 Type Inpu Volage & Frequency Power kw Inernal Filer Hea sink Frame Size 1 6SL211-0AB11-2UAx AIN 1AC20V 47-6Hz 0,12 no Y A 2 6SL211-0AB12-5UAx AIN 1AC20V 47-6Hz 0,25 no Y A 6SL211-0AB1-7UAx AIN 1AC20V 47-6Hz 0,7 no Y A 4 6SL211-0AB15-5UAx AIN 1AC20V 47-6Hz 0,55 no Y A 5 6SL211-0AB17-5UAx AIN 1AC20V 47-6Hz 0,75 no Y A 6 6SL211-0KB11-2UAx AIN 1AC20V 47-6Hz 0,12 no N A 7 6SL211-0KB12-5UAx AIN 1AC20V 47-6Hz 0,25 no N A 8 6SL211-0KB1-7UAx AIN 1AC20V 47-6Hz 0,7 no N A 9 6SL211-0KB15-5UAx AIN 1AC20V 47-6Hz 0,55 no N A 10 6SL211-0KB17-5UAx AIN 1AC20V 47-6Hz 0,75 no N A 11 6SL211-0AB21-1UAx AIN 1AC20V 47-6Hz 1,10 no Y B 12 6SL211-0AB21-5UAx AIN 1AC20V 47-6Hz 1,50 no Y B 1 6SL211-0AB22-2UAx AIN 1AC20V 47-6Hz 2,20 no Y C 14 6SL211-0AB2-0UAx AIN 1AC20V 47-6Hz,00 no Y C 15 6SL211-0AB11-2BAx AIN 1AC20V 47-6Hz 0,12 Cl. A Y A 16 6SL211-0AB12-5BAx AIN 1AC20V 47-6Hz 0,25 Cl. A Y A 17 6SL211-0AB1-7BAx AIN 1AC20V 47-6Hz 0,7 Cl. A Y A 18 6SL211-0AB15-5BAx AIN 1AC20V 47-6Hz 0,55 Cl. A Y A 19 6SL211-0AB17-5BAx AIN 1AC20V 47-6Hz 0,75 Cl. A Y A 20 6SL211-0KB11-2BAx AIN 1AC20V 47-6Hz 0,12 Cl. A N A 21 6SL211-0KB12-5BAx AIN 1AC20V 47-6Hz 0,25 Cl. A N A 22 6SL211-0KB1-7BAx AIN 1AC20V 47-6Hz 0,7 Cl. A N A 2 6SL211-0KB15-5BAx AIN 1AC20V 47-6Hz 0,55 Cl. A N A 24 6SL211-0KB17-5BAx AIN 1AC20V 47-6Hz 0,75 Cl. A N A 25 6SL211-0AB21-1AAx AIN 1AC20V 47-6Hz 1,10 Cl. A Y B 26 6SL211-0AB21-5AAx AIN 1AC20V 47-6Hz 1,50 Cl. A Y B 27 6SL211-0AB22-2AAx AIN 1AC20V 47-6Hz 2,20 Cl. A Y C 28 6SL211-0AB2-0AAx AIN 1AC20V 47-6Hz,00 Cl. A Y C 6SL298-0BA11-0BP0 21

22 Parâmeros 04/0 Code- No. G110 MLFB G110 Type Inpu Volage & Frequency Power kw Inernal Filer Hea sink 29 6SL211-0AB11-2UBx USS 1AC20V 47-6Hz 0,12 no Y A 0 6SL211-0AB12-5UBx USS 1AC20V 47-6Hz 0,25 no Y A 1 6SL211-0AB1-7UBx USS 1AC20V 47-6Hz 0,7 no Y A 2 6SL211-0AB15-5UBx USS 1AC20V 47-6Hz 0,55 no Y A 6SL211-0AB17-5UBx USS 1AC20V 47-6Hz 0,75 no Y A 4 6SL211-0KB11-2UBx USS 1AC20V 47-6Hz 0,12 no N A 5 6SL211-0KB12-5UBx USS 1AC20V 47-6Hz 0,25 no N A 6 6SL211-0KB1-7UBx USS 1AC20V 47-6Hz 0,7 no N A 7 6SL211-0KB15-5UBx USS 1AC20V 47-6Hz 0,55 no N A 8 6SL211-0KB17-5UBx USS 1AC20V 47-6Hz 0,75 no N A 9 6SL211-0AB21-1UBx USS 1AC20V 47-6Hz 1,10 no Y B 40 6SL211-0AB21-5UBx USS 1AC20V 47-6Hz 1,50 no Y B 41 6SL211-0AB22-2UBx USS 1AC20V 47-6Hz 2,20 no Y C 42 6SL211-0AB2-0UBx USS 1AC20V 47-6Hz,00 no Y C 4 6SL211-0AB11-2BBx USS 1AC20V 47-6Hz 0,12 Cl. A Y A 44 6SL211-0AB12-5BBx USS 1AC20V 47-6Hz 0,25 Cl. A Y A 45 6SL211-0AB1-7BBx USS 1AC20V 47-6Hz 0,7 Cl. A Y A 46 6SL211-0AB15-5BBx USS 1AC20V 47-6Hz 0,55 Cl. A Y A 47 6SL211-0AB17-5BBx USS 1AC20V 47-6Hz 0,75 Cl. A Y A 48 6SL211-0KB11-2BBx USS 1AC20V 47-6Hz 0,12 Cl. A N A 49 6SL211-0KB12-5BBx USS 1AC20V 47-6Hz 0,25 Cl. A N A 50 6SL211-0KB1-7BBx USS 1AC20V 47-6Hz 0,7 Cl. A N A 51 6SL211-0KB15-5BBx USS 1AC20V 47-6Hz 0,55 Cl. A N A 52 6SL211-0KB17-5BBx USS 1AC20V 47-6Hz 0,75 Cl. A N A 5 6SL211-0AB21-1ABx USS 1AC20V 47-6Hz 1,10 Cl. A Y B 54 6SL211-0AB21-5ABx USS 1AC20V 47-6Hz 1,50 Cl. A Y B 55 6SL211-0AB22-2ABx USS 1AC20V 47-6Hz 2,20 Cl. A Y C 56 6SL211-0AB2-0ABx USS 1AC20V 47-6Hz,00 Cl. A Y C Adverência: Parâmero r0200 = 0 indica que nenhuma power sack foi idenificada. P0201 Número do código da power sack Min: 0 CSa: C Tipo de dado: U16 Unid: - Def: 0 P-Grupo: INVERSOR Aivo: confirmar Com.Rápido.: Não Max: 6555 Frame Size Confirma o número de código da power sack aual. r0206 Poência nominal do inversor [kw] / [hp] Min: - Tipo de dado: Floa Unid: - Def: - P-Grupo: INVERSOR Max: - Exibe a poencia nominal de placa do inversor. Condição: Valor é exibido em [kw] ou [hp] dependendo do ajuse do P0100 (operação para Europa / América do Nore). r0206 [hp] = 0.75 r0206 [kw] 22 6SL298-0BA11-0BP0

23 04/0 Parâmeros r0207[] Correne nominal do inversor Min: - Tipo de dado: Floa Unid: A Def: - P-Grupo: INVERSOR Max: - Exibe a correne nominal do inversor. Índice: r0207[0] : Correne nominal do inversor r0207[1] : Correne nominal em Torque Variável (VT) r0207[2] : Correne nominal em Torque Consane (CT) Noa: A correne nominal em VT r0207[1] e a correne nominal em CT r0207[2] exibe o moor sandard de 4-pólos da Siemens apropriado (IEC) para o ciclo de carga selecionado (veja o diagrama). Os parâmeros r0207[1], r0207[2] são os valores de fábrica do P005 em associação com a aplicação CT/VT (ciclo de carga). Se r0207[1] = r0207[2], enão nenhuma diferenciação é possível enre aplicações CT/VT. Inverer curren/power % r % r0207[0] 100 % 85 % Raed inverer curren (coninuous) Base load curren (wih overload capabiliy) Shor-ime curren 60 s 00 s r0209 Correne máxima do inversor Min: - Tipo de dado: Floa Unid: A Def: - P-Grupo: INVERSOR Max: - Exibe a correne máxima de saída do inversor. Condição: Parâmero r0209 depende da diminuição das caracerísicas nominais na qual é afeada pela freqüência de chaveameno P1800, Temperaura ambiene e aliude. O dado de diminuição das caracerísicas nominais é dado nas INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO. P0290 Reação a sobrecarga do inversor Min: 0 CSa: CT Tipo de dado: U16 Unid: - Def: 0 P-Grupo: INVERSOR Aivo: confirmar Com.Rápido.: Não Max: 1 Seleciona a reação do inversor a uma sobre emperaura inerna do inversor. Ajuses Possíveis: 0 Reduz a frequência de saída 1 Falha (F0004 / F0005) Condição: Segue valores físicos que influenciam a proeção de sobrecarga do inversor (veja o diagrama): - Dissipador de emperaura - I² Inversor Inverer overload reacion P0290 i 2 i_max conrol A0505 F0005 Hea sink emperaure F0004 Adverência: P0290 = 0: - Redução de frequência de saída é somene efeiva se a carga ambém é reduzida. Iso é válido, por exemplo, para aplicações de orque variável com caracerísicas de orque quadráico como bombas e veniladores. - Ajusando P0290 = 0, o conrolador I-max aualizará o limie de correne de saída (r0067) no caso de sobre emperaura. Sempre resulará uma falha, se a ação não iver reduzido suficienemene a emperaura inerna. 6SL298-0BA11-0BP0 2

24 Parâmeros 04/0 P0295 Tempo de araso do desligameno do venilador Min: 0 CSa: CUT Tipo de dado: U16 Unid: s Def: 0 P-Grupo: TERMINAL Aivo: confirmar Com.Rápido.: Não Max: 600 Noa: Define o empo de araso para o desligameno do venilador do inversor em segundos depois que o acionameno foi desligado. Se ajusado em 0, o venilador do inversor será desligado quando o acionameno for desligado, sem araso. SINAMICS G110 FS A não possui venilador. P004 Tensão nominal do moor Min: 10 CSa: C Tipo de dado: U16 Unid: V Def: 20 P-Grupo: MOTOR Aivo: confirmar Com.Rápido.: Sim Max: Tensão nominal do moor [V] a parir dos dados de placa. O diagrama a seguir mosra uma placa de moor com a localização dos dados relevanes do moor. Condição: Alerável somene quando P0010 = 1 (comissionameno rápido). Aenção: A enrada dos dados de placa precisa corresponder à ligação de fechameno do moor (esrela / dela). Iso significa, se ligação riângulo é usado no moor, dados nominais de ligação dela em que ser inroduzido. Three-phase moor connecion Mains 1AC 20 V Inverer W2 U1 U2 V1 V2 W1 W2 U1 U2 V1 V2 W1 U1 20 V 400 V U1 V1 W1 Dela connecion V1 W1 Sar connecion Noa: Na figura acima a ensão nominal do moor (P004) seria 20 V para ligação dela ( ) e 400 V para ligação esrela (Y). Valor de fábrica depende do ipo de inversor e de seus dados nominais. 24 6SL298-0BA11-0BP0

25 04/0 Parâmeros P005 Correne nominal do moor Min: 0.01 CSa: C Tipo de dado: Floa Unid: A Def:.25 P-Grupo: MOTOR Aivo: confirmar Com.Rápido.: Sim Max: Correne nominal do moor [A] a parir dos dados de placa veja o diagrama em P004. Condição: Alerável somene quando P0010 = 1 (comissionameno rápido). Noa: O valor máximo de P005 depende da correne máxima do inversor r0209 e do ipo de moor: Asynchronous moor : P005 max, asyn = 2 r0209 É recomendável que a relação de P005 (correne nominal do moor) e r0207 (correne nominal do inversor) não devam ser menor que: V/f: 1 8 P005 r0207 Quando a relação da correne nominal do moor P005 e a meade da correne máxima do inversor exceder 1,5 uma adicional diminuição de correne nominal é aplicada. Iso é necessário para proeger o inversor das ondas de correnes harmônicas. r0209 I max,inv 0.7 r P005 r0209 Valor de fábrica depende do ipo de inversor e de seus dados nominais. P007 Poência nominal do moor Min: 0.01 CSa: C Tipo de dado: Floa Unid: - Def: 0.12 P-Grupo: MOTOR Aivo: confirmar Com.Rápido.: Sim Max: Poência nominal do moor [kw/hp] a parir dos dados de placa. Condição: Se P0100 = 1, valor será em [hp] veja o diagrama P004 (dados de placa). Alerável somene quando P0010 = 1 (comissionameno rápido). Noa: Valor de fábrica depende do ipo de inversor e de seus dados nominais. P008 CosPhi nominal do moor Min: CSa: C Tipo de dado: Floa Unid: - Def: P-Grupo: MOTOR Aivo: confirmar Com.Rápido.: Sim Max: Faor de poência nominal do moor (cosphi) a parir dos dados de placa - veja o diagrama P004. Condição: Alerável somene quando P0010 = 1 (comissionameno rápido). Visível somene quando P0100 = 0 ou 2, (poencia do moor inroduzida em [kw]). Se ajusado em 0 será calculado inernamene. P009 Rendimeno nominal do moor Min: 0.0 CSa: C Tipo de dado: Floa Unid: % Def: 0.0 P-Grupo: MOTOR Aivo: confirmar Com.Rápido.: Sim Max: 99.9 Rendimeno nominal do moor em [%] a parir dos dados de placa. Condição: Alerável somene quando P0010 = 1 (comissionameno rápido). Visível somene quando P0100 = 1, (poencia do moor inroduzida em [hp]). Se ajusado em 0 será calculado inernamene. Dealhes: Veja o diagrama em P004 (dados de placa). 6SL298-0BA11-0BP0 25

26 Parâmeros 04/0 P010 Frequência nominal do moor Min: CSa: C Tipo de dado: Floa Unid: Hz Def: P-Grupo: MOTOR Aivo: confirmar Com.Rápido.: Sim Max: Frequência nominal do moor em [Hz] a parir dos dados de placa. Condição: Alerável somene quando P0010 = 1 (comissionameno rápido). Números de pares de pólos são calculados auomaicamene se o parâmero for alerado. Dealhes: Veja o diagrama em P004 (dados de placa). P011 Velocidade nominal do moor Min: 0 CSa: C Tipo de dado: U16 Unid: 1/min Def: 0 P-Grupo: MOTOR Aivo: confirmar Com.Rápido.: Sim Max: Velocidade nominal do moor [rpm] a parir dos dados de placa. Condição: Alerável somene quando P0010 = 1 (comissionameno rápido). Se ajusado em 0 será calculado inernamene. Compensação de escorregameno em conrole V/f requer velocidade nominal do moor para operação correa. Números de pares de pólos são calculados auomaicamene se o parâmero for alerado. Noa: Valor de fábrica depende do ipo de inversor e de seus dados nominais. Dealhes: Veja o diagrama em P004 (dados de placa). r00 Escorregameno nominal do moor Min: - Tipo de dado: Floa Unid: % Def: - P-Grupo: MOTOR Max: - Exibe o escorregameno nominal do moor em [%] relaiva ao P010 (freqüência nominal do moor) e P011 (velocidade nominal do moor). P011 P010 r01 r00 [%] = % P010 P05 Resfriameno do moor Min: 0 CSa: CT Tipo de dado: U16 Unid: - Def: 0 P-Grupo: MOTOR Aivo: confirmar Com.Rápido.: Sim Max: 1 Seleciona o sisema de resfriameno do moor a ser uilizado. Ajuses Possíveis: 0 Auovenilado: Usando um venilador monado no eixo do moor. 1 Venilação forçada: Usando um venilador de resfriameno energizado separadamene. P040 Cálculo dos parâmeros do moor Min: 0 CSa: CT Tipo de dado: U16 Unid: - Def: 0 P-Grupo: MOTOR Aivo: confirmar Com.Rápido.: Não Max: 1 Calcula vários parâmeros do moor, (veja a abela abaixo): P040 = 1 : - P046 Magneizaion ime - P047 Demagneizaion ime - P050 Saor resisance (line-o-line) - P116 Boos end frequency - P2000 Reference frequency Ajuses Possíveis: 0 Sem cálculo 1 Paramerização complea Noa: Ese parâmero é requerido durane o comissionameno para oimizar a performance do inversor. 26 6SL298-0BA11-0BP0

27 04/0 Parâmeros P046 Tempo de magneização Min: CSa: CUT Tipo de dado: Floa Unid: s Def: P-Grupo: MOTOR Aivo: Imediao Com.Rápido.: Não Max: Ajusa o empo de magneização [s], i.e.empo de espera enre a habiliação dos pulsos e o inicio da rampa de aceleração. A magneização do moor será realizada durane esse empo. Noa: O empo de magneização é calculado auomaicamene a parir dos dados de placa do moor e corresponde a consane de empo do roor. Se ajuses de boos esiver maior que 100 %, o empo de magneização pode ser reduzido. Valor de fábrica depende do ipo de inversor e de seus dados nominais. Adverência: Uma excessiva redução desse empo pode resular magneização insuficiene do moor. P047 Tempo de desmagneização Min: CSa: CUT Tipo de dado: Floa Unid: s Def: P-Grupo: MOTOR Aivo: Imediao Com.Rápido.: Não Max: Noa: Alera o empo permiido para, depois de OFF2 / condição de falha, os pulsos serem habiliados novamene. O empo de desmagneização é aproximadamene 2.5 x consane de empo do roor em segundos. Valor de fábrica depende do ipo de inversor e de seus dados nominais. Adverência: Não aivo nos casos de parada com rampa de desaceleração ex.. depois de OFF1, OFF ou JOG. Ocorrerá Falha de sobrecorrene se o empo for excessivamene diminuído. P050 Resisência do esaor (enre fases) Min: CSa: CUT Tipo de dado: Floa Unid: Ohm Def: P-Grupo: MOTOR Aivo: Imediao Com.Rápido.: Não Max: Valor da resisência do esaor [Ohms] para o moor conecado (enre fases). O valor do parâmero inclui a resisência do cabo. Noa: Exisem duas maneiras de deerminar o valor desse parâmero: 1. Cálculo usando: - P040 = 1 (dados inroduzidos a parir dos dados de placas) ou - P0010 = 1, P900 = 1,2 ou (finalização do comissionameno rápido). 2. Medindo manualmene uilizando um Ohmímero. Uma vez medido enre fases, ese valor pode parecer ser mais alo (aé 2 vezes mais alo) que o esperado. O valor ajusado em P050 (resisência do esaor) é aquele obido aravés do úlimo méodo uilizado. Valor de fábrica depende do ipo de inversor e de seus dados nominais. 6SL298-0BA11-0BP0 27

28 Parâmeros 04/0 P0610 Rezação a emperaura por I2 do moor Min: 0 CSa: CT Tipo de dado: U16 Unid: - Def: 2 P-Grupo: MOTOR Aivo: confirmar Com.Rápido.: Não Max: 2 Define a reação quando o I2 do moor ainge limies de alarme. Ajuses Possíveis: 0 Sem reação, apenas alarme 1 Alarme e redução de I_max (resula em redução de freqüência de saída) 2 Alarme e falha (F0011) Condição: falha = 110% * P0614 (P0614 = nível de alarme de sobrecarga do I2 do moor; veja o valor aual em r004) Noa: O propósio da I2 do moor é calcular ou medir a emperaura do moor e desabiliar o inversor se o moor esiver e condições perigosas de sobreaquecimeno. A emperaura do moor dependerá de vários faores, incluindo o amanho do moor, emperaura ambiene, hisórico de regime de carga do moor e, claro, a correne de rabalho. (O quadrado da correne aualmene deermina o aquecimeno do moor e a elevação de emperaura com o empo por isso I2) Devido à maioria dos moores serem refrigerados pelas venoinhas inernas que giram na mesma velocidade do moor, a velocidade de rabalho do moor ambém é imporane. Claramene um moor funcionando com ala correne (alvez devido ao boos) e baixa velocidade, ocorrerá sobreaquecimeno mais rapidamene que ouro funcionando a 50 ou 60 Hz, carga nominal. O inversor leva em cona esses faores. Os acionamenos ambém possuem proeção I2 do inversor (i.e. proeção de sobreaquecimeno, veja o P0290) em ordem para proeger as unidades delas mesmas. Iso opera independenemene da I2 do moor e não esá descrio aqui. Operação I² : A medição da correne do moor (r0027) é comparada com a correne nominal do moor (P005), e ouros parâmeros de moor (P004, P007, ec.). A emperaura do moor é, enão, calculada. O cálculo ambém inclui a frequência de saída (velocidade do moor) por cona da venilação da venoinha. Se o parâmero P05 é alerado para indicar venilação forçada no moor, o cálculo é modificado de acordo. Para o cálculo da I2. a consane de empo de I2 do moor precisa ser ajusado usando P0611. A emperaura resulane é exibida em r004 como % da emperaura máxima. Quando r004 ainge o valor ajusado em P0614 (valor de fábrica 110%), um alarme A0511 ocorre. Se nenhuma ação é omada e a emperaura ainge 110% de P0614, o inversor desarma por falha, mosrando F0011. A reação ao alarme pode ser alerada a parir do ajuse de fábrica usando P0610; por exemplo, o acionameno pode reagir apesar do limie de correne er ocorrido, ou uma falha forçada imediaamene. O nível de alarme do P0614 pode ambém ser ajusado para elevar ou diminuir o nível de alarme ou de falha como necessário. A reação ao alarme pode ser alerada a parir do ajuse de fábrica usando P0610. O parâmero r004 é paricularmene usual para moniorar, se o cálculo de emperaura esiver elevando excessivamene. 28 6SL298-0BA11-0BP0

29 04/0 Parâmeros P0611 Consane de empo I2 do moor Min: 0 CSa: CT Tipo de dado: U16 Unid: s Def: 100 P-Grupo: MOTOR Aivo: Imediao Com.Rápido.: Não Max: Consane de empo érmica para o moor. O empo aé o limie érmico do moor ser aingido, é calculado via consane de empo érmica para do moor. Um valor mais alo incremena o empo na qual o limie érmico do moor é aingido. O valor do P0611 é esimado de acordo com os dados do moor inseridos durane o comissionameno rápido ou é calculado usando o P040 (Cálculo dos parâmeros do moor). Quando o cálculo dos parâmeros do moor, durane o comissionameno rápido, é compleado, o valor armazenado pode ser subsiuído pelo valor dado pelo fabricane do moor. Exemplo: Para um moor 1LA706 de 2-pólos o valor é 8 minuos (veja a abela). O valor para P0611 é calculado como segue abaixo: s P0611 = 8 min 60 = 480 s min Para moores sandard da Siemens 1LA7 os valores de consane de empo érmica são dados em minuos (veja a abela a seguir): Type 2 pole 4 pole 6 pole 8 pole 1LA LA LA LA LA LA LA LA LA LA LA LA LA LA LA LA LA LA LA LA Noa: P0611 < 99 s (I2-cálculo inaivo): Para aivar o cálculo de I2 ajuse o P0611 para um valor > 99 s. P0614 de alarme de sobrecarga de I2 do moor Min: 0.0 CSa: CUT Tipo de dado: Floa Unid: % Def: P-Grupo: MOTOR Aivo: confirmar Com.Rápido.: Não Max: Define o valor percenual [%] no qual o alarme A0511 (sobre emperaura do moor) é gerado. O cálculo do I2 do inversor é uilizado para esimar o período máximo de olerância (i.e., sem sobreaquecimeno) O cálculo de I2 do moor é usado para esimar um período olerável máximo (i.e. sem sobreaquecimeno) de sobrecarga no moor. O cálculo de I2 é julgado = 100 % quando esse período olerável máximo é aingido (veja o r004). Condição: Uma falha de sobre emperaura no moor (F0011) e ocasionada a 110 % dese nível. 6SL298-0BA11-0BP0 29

30 Parâmeros 04/0 P0640 Faor de sobrecarga do moor [%] Min: 10.0 CSa: CUT Tipo de dado: Floa Unid: % Def: P-Grupo: MOTOR Aivo: Imediao Com.Rápido.: Sim Max: Define o limie de correne de sobrecarga do moor em [%] relaiva a P005 (correne nominal do moor). Condição: Limiado à correne máxima do inversor ou a 400 % da correne nominal do moor (P005), o que for mais baixo. P0640max = min (r0209, 4 P005) P P0700 Seleção da fone de comando Min: 0 CSa: CT Tipo de dado: U16 Unid: - Def: 2 P-Grupo: COMANDOS Aivo: confirmar Com.Rápido.: Sim Max: 5 1 Seleciona a fone de comando digial. Ajuses Possíveis: 0 Ajuses de fábrica 1 BOP (eclado) 2 Terminal 5 USS Exemplo: SINAMICS G110 CPM110 AIN (Defaul: P0700 = 2) BOP Sequence conrol Terminals P0700 = 2 Sepoin channel Moor conrol SINAMICS G110 CPM110 USS (Defaul: P0700 = 5) BOP Sequence conrol Terminals USS P0700 = 5 Sepoin channel Moor conrol Condição: Parâmero P0719 Tem prioridade mais ala que P0700. Alerar esse parâmero a parir de P0700 = x a P0700 = 2 resaura os ajuses funcionais (P0701,...) das enradas digiais para ajuses de fábrica. 0 6SL298-0BA11-0BP0

31 04/0 Parâmeros P0701 Função da enrada digial 0 Min: 0 CSa: CT Tipo de dado: U16 Unid: - Def: 1 P-Grupo: COMANDOS Aivo: confirmar Com.Rápido.: Não Max: 29 2 Seleciona a função da enrada digial 0. Ajuses Possíveis: 0 Enrada digial desabiliada 1 ON/OFF1 2 ON reverso /OFF1 OFF2 - parada por inércia 4 OFF - desaceleração rápida 9 Reconhecimeno de falha 10 JOG à direia 11 JOG à esquerda 12 Reversão 1 MOP para cima (incremena frequência) 14 MOP para baixo (decremena frequência) 15 Frequência fixa (Seleção de direção) 16 Frequência fixa (Seleção de direção + ON) 21 Local/remoo 25 Habilia frenagem DC 29 Falha exerna Condição: A seguir, os ajuses do parâmero P0701 inclusive permanece aivo e não são afeados pelos ajuses de P0719: Noa: - OFF2 - OFF - Faul acknowledge - Fixed sepoin (direc selecion) - Local/Remoe - Exernal rip "ON/OFF1" pode ser selecionado somene por uma enrada digial (ex. P0700 = 2 e P0701 = 1). Configurando DIN1 com P0702 = 1 desabiliará DIN0 pelo ajuse P0701 = 0. "ON/OFF1" na enrada digial pode ser combinado com ON reverso/off1" na oura enrada digial. Somene a primeira enrada digial aivada serve como uma fone de comando. Diferenes fones de "OFF2", "OFF" são independenemene selecionáveis. Por exemplo, "OFF2" a parir da enrada digial ou a parir do BOP ou a parir da USS pode ser ordenado ao mesmo empo. Dealhes: JOG ==> see parameer P1058 MOP ==> see parameer r1050 Fixed frequency ==> see parameer P1001 DC brake ==> see parameer P122 P0702 Função da enrada digial 1 Min: 0 CSa: CT Tipo de dado: U16 Unid: - Def: 12 2 P-Grupo: COMANDOS Aivo: confirmar Com.Rápido.: Não Max: 29 Seleciona a função da enrada digial 1. Ajuses Possíveis: 0 Enrada digial desabiliada 1 ON/OFF1 2 ON reverso /OFF1 OFF2 - parada por inércia 4 OFF - desaceleração rápida 9 Reconhecimeno de falha 10 JOG à direia 11 JOG à esquerda 12 Reversão 1 MOP para cima (incremena frequência) 14 MOP para baixo (decremena frequência) 15 Frequência fixa (Seleção de direção) 16 Frequência fixa (Seleção de direção + ON) 21 Local/remoo 25 Habilia frenagem DC 29 Falha exerna Dealhes: Veja o P0701 (função da enrada digial 0). 6SL298-0BA11-0BP0 1

32 Parâmeros 04/0 P070 Função da enrada digial 2 Min: 0 CSa: CT Tipo de dado: U16 Unid: - Def: 9 P-Grupo: COMANDOS Aivo: confirmar Com.Rápido.: Não Max: 29 Seleciona a função da enrada digial 2. Ajuses Possíveis: 0 Enrada digial desabiliada 1 ON/OFF1 2 ON reverso /OFF1 OFF2 - parada por inércia 4 OFF - desaceleração rápida 9 Reconhecimeno de falha 10 JOG à direia 11 JOG à esquerda 12 Reversão 1 MOP para cima (incremena frequência) 14 MOP para baixo (decremena frequência) 15 Frequência fixa (Seleção de direção) 16 Frequência fixa (Seleção de direção + ON) 21 Local/remoo 25 Habilia frenagem DC 29 Falha exerna Dealhes: Veja o P0701 (função da enrada digial 0). P0704 Função da enrada digial Min: 0 CSa: CT Tipo de dado: U16 Unid: - Def: 0 P-Grupo: COMANDOS Aivo: confirmar Com.Rápido.: Não Max: Seleciona a função da enrada digial (via enrada analógica). Ajuses Possíveis: 0 Enrada digial desabiliada 1 ON/OFF1 2 ON reverso /OFF1 OFF2 - parada por inércia 4 OFF - desaceleração rápida 9 Reconhecimeno de falha 10 JOG à direia 11 JOG à esquerda 12 Reversão 1 MOP para cima (incremena frequência) 14 MOP para baixo (decremena frequência) 15 Frequência fixa (Seleção de direção) 16 Frequência fixa (Seleção de direção + ON) 21 Local/remoo 25 Habilia frenagem DC 29 Falha exerna Dealhes: Veja o P0701 (função da enrada digial 0). 2 6SL298-0BA11-0BP0

33 04/0 Parâmeros P0719[2] Seleção de cmd. & sep. freq. Min: 0 CSa: CT Tipo de dado: U16 Unid: - Def: 0 P-Grupo: COMANDOS Aivo: confirmar Com.Rápido.: Não Max: 55 Chave cenral para selecionar fone de comando de conrole do inversor. Fones de comando e sepoin podem ser aleradas independenemene. O dígio decimal escolhe a fone de comando e o dígio unidade escolhe a fone de sepoin. Os dois índices desse parâmero são usados para chavear o modo local/remoo. O sinal de local/remoo faz o chaveameno enre esses ajuses. O ajuse de fábrica é 0 para o primeiro índice (i.e. paramerização normal esá aiva). O segundo índice esá ajusado para conrole via BOP (i.e.aivação do sinal local/remoo irá enão chavear o conrole para o BOP). Ajuses Possíveis: 0 Cmd = P0700 Sepoin = P Cmd = P0700 Sepoin = Sepoin do MOP 2 Cmd = P0700 Sepoin = Sepoin Analógico Cmd = P0700 Sepoin = Frequência Fixa 5 Cmd = P0700 Sepoin = USS 10 Cmd = BOP Sepoin = P Cmd = BOP Sepoin = Sepoin do MOP 12 Cmd = BOP Sepoin = Sepoin Analógico 1 Cmd = BOP Sepoin = Frequência Fixa 15 Cmd = BOP Sepoin = USS 50 Cmd = USS Sepoin = P Cmd = USS Sepoin = Sepoin do MOP 52 Cmd = USS Sepoin = Sepoin Analógico 5 Cmd = USS Sepoin = Frequência Fixa 55 Cmd = USS Sepoin = USS Índice: P0719[0] : 1º Fone de conrole (Remoo) P0719[1] : 2º Fone de conrole (Local) Condição: P0719 em prioridade mais ala que P0700 e P1000. Adverência: Paricularmene usual quando, por exemplo, aleração de fone de comando emporariamene a parir de P0700 = 2. Ajuse funcional das enradas digiais não são resauradas para ajuses de fábrica. r0722 CO/BO: Valor binário das enradas digiais Min: - Tipo de dado: U16 Unid: - Def: - P-Grupo: COMANDOS Max: - Displays saus of digial inpus. Campos binários: Bi00 Enrada digial 0 0 OFF 1 ON Bi01 Enrada digial 1 0 OFF 1 ON Bi02 Enrada digial 2 0 OFF 1 ON Bi0 Enrada digial (via ADC) 0 OFF 1 ON Noa: Segmeno esá aceso quando o sinal esá aivo. P0724 Tempo de esabilização das enradas digiais Min: 0 CSa: CT Tipo de dado: U16 Unid: - Def: P-Grupo: COMANDOS Aivo: Imediao Com.Rápido.: Não Max: Define o empo de esabilização (empo de filragem) uilizado pelas enradas digiais. Ajuses Possíveis: 0 Sem empo de esabilização 1 Tempo de esabilização 2.5 ms 2 Tempo de esabilização 8.2 ms Tempo de esabilização 12. ms 6SL298-0BA11-0BP0

CAPÍTULO 9. y(t). y Medidor. Figura 9.1: Controlador Analógico

CAPÍTULO 9. y(t). y Medidor. Figura 9.1: Controlador Analógico 146 CAPÍULO 9 Inrodução ao Conrole Discreo 9.1 Inrodução Os sisemas de conrole esudados aé ese pono envolvem conroladores analógicos, que produzem sinais de conrole conínuos no empo a parir de sinais da

Leia mais

Espaço SENAI. Missão do Sistema SENAI

Espaço SENAI. Missão do Sistema SENAI Sumário Inrodução 5 Gerador de funções 6 Caracerísicas de geradores de funções 6 Tipos de sinal fornecidos 6 Faixa de freqüência 7 Tensão máxima de pico a pico na saída 7 Impedância de saída 7 Disposiivos

Leia mais

Eficiência em dimensões reduzidas!

Eficiência em dimensões reduzidas! Caálogo Janeiro 200 para moores assíncronos Eficiência em dimensões reduzidas! Ninguém faz ano com a elericidade. para moores assíncronos Sumário Apresenação Páginas 2 e Caracerísicas, aplicações especiais

Leia mais

Sistemas de Energia Ininterrupta: No-Breaks

Sistemas de Energia Ininterrupta: No-Breaks Sisemas de Energia Ininerrupa: No-Breaks Prof. Dr.. Pedro Francisco Donoso Garcia Prof. Dr. Porfírio Cabaleiro Corizo www.cpdee.ufmg.br/~el GEP-DELT-EEUFMG Porque a necessidade de equipamenos de energia

Leia mais

CAL. 6T63 ÍNDICE PORTUGUÊS. Português. n HORA/CALENDÁRIO Ponteiros de 24 horas, horas, minutos e pequeno dos segundos

CAL. 6T63 ÍNDICE PORTUGUÊS. Português. n HORA/CALENDÁRIO Ponteiros de 24 horas, horas, minutos e pequeno dos segundos PORTUGUÊS 78 ÍNDICE Página CORO TIPO BLOQUEIO ROSC... 80 CERTO D HOR... 81 CERTO DO DI DO MÊS... 82 CRONÓMETRO... 83 OPERÇÃO DO BOTÃO DE BLOQUEIO DE SEGURNÇ... 85 TQUÍMETRO... 86 TELÉMETRO... 88 SUBSTITUIÇÃO

Leia mais

exercício e o preço do ativo são iguais, é dito que a opção está no dinheiro (at-themoney).

exercício e o preço do ativo são iguais, é dito que a opção está no dinheiro (at-themoney). 4. Mercado de Opções O mercado de opções é um mercado no qual o iular (comprador) de uma opção em o direio de exercer a mesma, mas não a obrigação, mediane o pagameno de um prêmio ao lançador da opção

Leia mais

Prof. Luiz Marcelo Chiesse da Silva DIODOS

Prof. Luiz Marcelo Chiesse da Silva DIODOS DODOS 1.JUÇÃO Os crisais semiconduores, ano do ipo como do ipo, não são bons conduores, mas ao ransferirmos energia a um deses ipos de crisal, uma pequena correne elérica aparece. A finalidade práica não

Leia mais

Equações Simultâneas. Aula 16. Gujarati, 2011 Capítulos 18 a 20 Wooldridge, 2011 Capítulo 16

Equações Simultâneas. Aula 16. Gujarati, 2011 Capítulos 18 a 20 Wooldridge, 2011 Capítulo 16 Equações Simulâneas Aula 16 Gujarai, 011 Capíulos 18 a 0 Wooldridge, 011 Capíulo 16 Inrodução Durane boa pare do desenvolvimeno dos coneúdos desa disciplina, nós nos preocupamos apenas com modelos de regressão

Leia mais

OTIMIZAÇÃO ENERGÉTICA NA CETREL: DIAGNÓSTICO, IMPLEMENTAÇÃO E AVALIAÇÃO DE GANHOS

OTIMIZAÇÃO ENERGÉTICA NA CETREL: DIAGNÓSTICO, IMPLEMENTAÇÃO E AVALIAÇÃO DE GANHOS STC/ 08 17 à 22 de ouubro de 1999 Foz do Iguaçu Paraná - Brasil SESSÃO TÉCNICA ESPECIAL CONSERVAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA (STC) OTIMIZAÇÃO ENERGÉTICA NA CETREL: DIAGNÓSTICO, IMPLEMENTAÇÃO E AVALIAÇÃO DE

Leia mais

Manual de Instruções. Máquina de Eletroerosão EX 60 MS

Manual de Instruções. Máquina de Eletroerosão EX 60 MS Manual de nsruções Máquina de Eleroerosão EX 60 MS FUNÇÕES DOS COMANDOS Liga / Desliga Acia os caores do ransformador e da bomba do aciameno. Não inerrompe a alimenação para as réguas digiais e para a

Leia mais

67.301/1. RLP 10 & 20: Controlador pneumático de volume-caudal. Sauter Components

67.301/1. RLP 10 & 20: Controlador pneumático de volume-caudal. Sauter Components 7./ RL & : Conrolador pneumáico de volume-caudal Usado em conjuno com um prao orifício ou com um sensor de pressão dinâmica e um acuador pneumáico de regiso para conrolo do volume de ar em sisemas de ar

Leia mais

ENGENHARIA ECONÔMICA AVANÇADA

ENGENHARIA ECONÔMICA AVANÇADA ENGENHARIA ECONÔMICA AVANÇADA TÓPICOS AVANÇADOS MATERIAL DE APOIO ÁLVARO GEHLEN DE LEÃO gehleao@pucrs.br 55 5 Avaliação Econômica de Projeos de Invesimeno Nas próximas seções serão apresenados os principais

Leia mais

Instituto de Tecnologia de Massachusetts Departamento de Engenharia Elétrica e Ciência da Computação. Tarefa 5 Introdução aos Modelos Ocultos Markov

Instituto de Tecnologia de Massachusetts Departamento de Engenharia Elétrica e Ciência da Computação. Tarefa 5 Introdução aos Modelos Ocultos Markov Insiuo de Tecnologia de Massachuses Deparameno de Engenharia Elérica e Ciência da Compuação 6.345 Reconhecimeno Auomáico da Voz Primavera, 23 Publicado: 7/3/3 Devolução: 9/3/3 Tarefa 5 Inrodução aos Modelos

Leia mais

2 Conceitos de transmissão de dados

2 Conceitos de transmissão de dados 2 Conceios de ransmissão de dados 2 Conceios de ransmissão de dados 1/23 2.2.1 Fones de aenuação e disorção de sinal 2.2.1 Fones de aenuação e disorção do sinal (coninuação) 2/23 Imperfeições do canal

Leia mais

3 PROGRAMAÇÃO DOS MICROCONTROLADORES

3 PROGRAMAÇÃO DOS MICROCONTROLADORES 3 PROGRAMAÇÃO DOS MICROCONTROLADORES Os microconroladores selecionados para o presene rabalho foram os PICs 16F628-A da Microchip. Eses microconroladores êm as vanagens de serem facilmene enconrados no

Leia mais

Figura 1 Carga de um circuito RC série

Figura 1 Carga de um circuito RC série ASSOIAÇÃO EDUAIONAL DOM BOSO FAULDADE DE ENGENHAIA DE ESENDE ENGENHAIA ELÉTIA ELETÔNIA Disciplina: Laboraório de ircuios Eléricos orrene onínua 1. Objeivo Sempre que um capacior é carregado ou descarregado

Leia mais

Estando o capacitor inicialmente descarregado, o gráfico que representa a corrente i no circuito após o fechamento da chave S é:

Estando o capacitor inicialmente descarregado, o gráfico que representa a corrente i no circuito após o fechamento da chave S é: PROCESSO SELETIVO 27 2 O DIA GABARITO 1 13 FÍSICA QUESTÕES DE 31 A 45 31. Considere o circuio mosrado na figura abaixo: S V R C Esando o capacior inicialmene descarregado, o gráfico que represena a correne

Leia mais

SELECÇÃO DE MOTORES ELÉCTRICOS

SELECÇÃO DE MOTORES ELÉCTRICOS SELECÇÃO DE MOTORES ELÉCTRICOS FACTORES QUE INFLUEM NA SELECÇÃO DO MOTOR ELÉCTRICO CARGA ACCIONADA E CARACTERÍSTICAS DE SERVIÇO Diagramas de carga: oência e/ ou binário requeridos e sua variação. Classe

Leia mais

Valor do Trabalho Realizado 16.

Valor do Trabalho Realizado 16. Anonio Vicorino Avila Anonio Edésio Jungles Planejameno e Conrole de Obras 16.2 Definições. 16.1 Objeivo. Valor do Trabalho Realizado 16. Parindo do conceio de Curva S, foi desenvolvida pelo Deparameno

Leia mais

CAPITULO 01 DEFINIÇÕES E PARÂMETROS DE CIRCUITOS. Prof. SILVIO LOBO RODRIGUES

CAPITULO 01 DEFINIÇÕES E PARÂMETROS DE CIRCUITOS. Prof. SILVIO LOBO RODRIGUES CAPITULO 1 DEFINIÇÕES E PARÂMETROS DE CIRCUITOS Prof. SILVIO LOBO RODRIGUES 1.1 INTRODUÇÃO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE ENGENHARIA FENG Desinase o primeiro capíulo

Leia mais

Campo magnético variável

Campo magnético variável Campo magnéico variável Já vimos que a passagem de uma correne elécrica cria um campo magnéico em orno de um conduor aravés do qual a correne flui. Esa descobera de Orsed levou os cienisas a desejaram

Leia mais

SIMIREL Relés de supervisão 3UG

SIMIREL Relés de supervisão 3UG abela de escolha Aplicação Sisema rifásico Sisema rifásico fala de fase (com ou sem neuro) e assimeria enre fases inversão da seqüência de fases Conaos 1 comuador 2 comuadores 1 comuador ensões ensões

Leia mais

Diodos. Símbolo. Função (ideal) Conduzir corrente elétrica somente em um sentido. Tópico : Revisão dos modelos Diodos e Transistores

Diodos. Símbolo. Função (ideal) Conduzir corrente elétrica somente em um sentido. Tópico : Revisão dos modelos Diodos e Transistores 1 Tópico : evisão dos modelos Diodos e Transisores Diodos Símbolo O mais simples dos disposiivos semiconduores. Função (ideal) Conduzir correne elérica somene em um senido. Circuio abero Polarização 2

Leia mais

CNC 8055. Projetado para o usuário. Mais potente que nunca

CNC 8055. Projetado para o usuário. Mais potente que nunca CNC 8055 Projeado para o usuário. Mais poene que nunca CNC 8055 Projeado para o usuário. Mais poene que nunca A Fagor Auomaion esá há 30 anos fornecendo soluções para o mercado de Máquina Ferramena, ano

Leia mais

UNIDADES DE ROLAMENTOS DE ESFERAS

UNIDADES DE ROLAMENTOS DE ESFERAS 280 UIDDE DE ROMETO DE EFER UIDDE DE ROMETO TIPO E DE FERRO FUDIDO COM PRFUO DE TRV UCP2 Diâmero do eixo 12-90... 286 1/2-3 1/2 polegada UIDDE DE ROMETO TIPO FGE DE FERRO FUDIDO COM PRFUO DE TRV UCF2 UCF2

Leia mais

Guia de Recursos e Atividades

Guia de Recursos e Atividades Guia de Recursos e Aividades girls worldwide say World Associaion of Girl Guides and Girl Scous Associaion mondiale des Guides e des Eclaireuses Asociación Mundial de las Guías Scous Unir as Forças conra

Leia mais

CONTRATO N.º 026/2.015

CONTRATO N.º 026/2.015 CLÁUSULA PRIMEIRA - DAS PARTES CONTRATO N.º 026/2.015 Insrumeno paricular de conrao que enre si fazem: de um lado, como conraane, a PREFEITURA MUNICIPAL DE RIO QUENTE, e de ouro, como conraado, e a empresa

Leia mais

APLICAÇÃO DE MODELAGEM NO CRESCIMENTO POPULACIONAL BRASILEIRO

APLICAÇÃO DE MODELAGEM NO CRESCIMENTO POPULACIONAL BRASILEIRO ALICAÇÃO DE MODELAGEM NO CRESCIMENTO OULACIONAL BRASILEIRO Adriano Luís Simonao (Faculdades Inegradas FAFIBE) Kenia Crisina Gallo (G- Faculdade de Ciências e Tecnologia de Birigüi/S) Resumo: Ese rabalho

Leia mais

MICROMASTER 440. Lista de Parâmetros Edição 12/01. Documentação do Usuário 6SE6400-5BB00-0BP0

MICROMASTER 440. Lista de Parâmetros Edição 12/01. Documentação do Usuário 6SE6400-5BB00-0BP0 MICROMASTER 440 Lista de Parâmetros Edição /0 Documentação do Usuário Documentação Disponível para o MICROMASTER 440 Guia de Iniciação Para comissionamento rápido com o SDP e BOP. Instruções de Operação

Leia mais

www.siemens.com.br/acionamentos SINAMICS V60 A solução perfeita para aplicações básicas de servo.

www.siemens.com.br/acionamentos SINAMICS V60 A solução perfeita para aplicações básicas de servo. www.siemens.com.br/acionamentos SINAMICS V60 A solução perfeita para aplicações básicas de servo. SINAMICS V60 com servomotores 1FL5 A solução para aplicações básicas de servo A tecnologia servo-drive

Leia mais

Com base no enunciado e no gráfico, assinale V (verdadeira) ou F (falsa) nas afirmações a seguir.

Com base no enunciado e no gráfico, assinale V (verdadeira) ou F (falsa) nas afirmações a seguir. PROVA DE FÍSICA 2º ANO - 1ª MENSAL - 2º TRIMESTRE TIPO A 01) O gráico a seguir represena a curva de aquecimeno de 10 g de uma subsância à pressão de 1 am. Analise as seguines airmações. I. O pono de ebulição

Leia mais

Física. MU e MUV 1 ACESSO VESTIBULAR. Lista de Física Prof. Alexsandro

Física. MU e MUV 1 ACESSO VESTIBULAR. Lista de Física Prof. Alexsandro Física Lisa de Física Prof. Alexsandro MU e MU 1 - (UnB DF) Qual é o empo gaso para que um merô de 2m a uma velocidade de 18km/h aravesse um únel de 1m? Dê sua resposa em segundos. 2 - (UERJ) Um rem é

Leia mais

Telefonia Digital: Modulação por código de Pulso

Telefonia Digital: Modulação por código de Pulso MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Unidade de São José Telefonia Digial: Modulação por código de Pulso Curso écnico em Telecomunicações Marcos Moecke São José - SC, 2004 SUMÁRIO. MODULAÇÃO POR CÓDIGO DE PULSO....

Leia mais

Kcel Motores e Fios Ltda.

Kcel Motores e Fios Ltda. Í N D I C E 1. Fundamenos gerais... 5 1.1 Moores de correne conínua... 5 1.2 Moores de correne alernada... 5 Família de moores eléricos... 5 1.2.1 Moores de indução... 6 1.2.1.1 Moores de indução monofásicos...

Leia mais

Aula 1. Atividades. Para as questões dessa aula, podem ser úteis as seguintes relações:

Aula 1. Atividades. Para as questões dessa aula, podem ser úteis as seguintes relações: Aula 1 Para as quesões dessa aula, podem ser úeis as seguines relações: 1. E c = P = d = m. v E m V E P = m. g. h cos = sen = g = Aividades Z = V caeo adjacene hipoenusa caeo oposo hipoenusa caeo oposo

Leia mais

7. VENTILADORES INTRODUÇÃO CAMPOS DE APLICAÇÃO

7. VENTILADORES INTRODUÇÃO CAMPOS DE APLICAÇÃO 7. ENTILADORES INTRODUÇÃO eniladores são máquinas de fluxo geradoras que ransmiem a energia mecânica recebida do eixo ara o fluido (gás). Seu funcionameno é similar às bombas, sendo a rincial diferença

Leia mais

MODULAÇÃO. Modulação. AM Amplitude Modulation Modulação por amplitude 24/02/2015

MODULAÇÃO. Modulação. AM Amplitude Modulation Modulação por amplitude 24/02/2015 ODUAÇÃO... PW DIGITA odulação odulação éamodificaçãoinencional e conrolada de um sinal original oalmene conhecido por meio de um ouro sinal, que se deseja ransporar. Esa modificação permie o ranspore do

Leia mais

Bombas com Variadores de Frequência Inteligentes Integrados

Bombas com Variadores de Frequência Inteligentes Integrados Bombas com Variadores de Frequência Ineligenes Inegrados soluion ouline file no: 100.11p dae: january 2013 supersedes: new dae: new máxima performance durane odo o empo 125 a Armsrong desenvolveu o Design

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Inrodução Ins iuo de Info ormáic ca - UF FRGS Redes de Compuadores Conrole de fluxo Revisão 6.03.015 ula 07 Comunicação em um enlace envolve a coordenação enre dois disposiivos: emissor e recepor Conrole

Leia mais

Escola E.B. 2,3 / S do Pinheiro

Escola E.B. 2,3 / S do Pinheiro Escola E.B. 2,3 / S do Pinheiro Ciências Físico Químicas 9º ano Movimenos e Forças 1.º Período 1.º Unidade 2010 / 2011 Massa, Força Gravíica e Força de Ario 1 - A bordo de um vaivém espacial, segue um

Leia mais

O Fluxo de Caixa Livre para a Empresa e o Fluxo de Caixa Livre para os Sócios

O Fluxo de Caixa Livre para a Empresa e o Fluxo de Caixa Livre para os Sócios O Fluxo de Caixa Livre para a Empresa e o Fluxo de Caixa Livre para os Sócios! Principais diferenças! Como uilizar! Vanagens e desvanagens Francisco Cavalcane (francisco@fcavalcane.com.br) Sócio-Direor

Leia mais

WIN-SOFT STARTER. Software de simulação e especificação para soft starters SIRIUS 3RW. www.siemens.com.br/sirius. Win-Soft Starter Versão 1.

WIN-SOFT STARTER. Software de simulação e especificação para soft starters SIRIUS 3RW. www.siemens.com.br/sirius. Win-Soft Starter Versão 1. WIN-SOFT STARTER Software de simulação e especificação para soft starters SIRIUS 3RW Versão: 1.1-BR Edição: 08/2011 www.siemens.com.br/sirius Agosto 2011 Página 1 Conteúdo 1. Introdução... 3 2. Soft Starters

Leia mais

Ampliador com estágio de saída classe AB

Ampliador com estágio de saída classe AB Ampliador com eságio de saída classe AB - Inrodução Nese laboraório será esudado um ampliador com rês eságios empregando ransisores bipolares, com aplicação na faixa de áudio freqüência. O eságio de enrada

Leia mais

METODOLOGIAS ALTERNATIVAS DE GERAÇÃO DE CENÁRIOS NA APURAÇÃO DO V@R DE INSTRUMETOS NACIONAIS. Alexandre Jorge Chaia 1 Fábio da Paz Ferreira 2

METODOLOGIAS ALTERNATIVAS DE GERAÇÃO DE CENÁRIOS NA APURAÇÃO DO V@R DE INSTRUMETOS NACIONAIS. Alexandre Jorge Chaia 1 Fábio da Paz Ferreira 2 IV SEMEAD METODOLOGIAS ALTERNATIVAS DE GERAÇÃO DE CENÁRIOS NA APURAÇÃO DO V@R DE INSTRUMETOS NACIONAIS Alexandre Jorge Chaia 1 Fábio da Paz Ferreira 2 RESUMO Uma das ferramenas de gesão do risco de mercado

Leia mais

INTRODUÇÃO. 1. MODULAÇÃO POR CÓDIGO DE PULSO - PCM 1.1

INTRODUÇÃO. 1. MODULAÇÃO POR CÓDIGO DE PULSO - PCM 1.1 ETFSC UNED/SJ CURSO DE TELEFONIA DIGITAL CAPÍTULO. MODULAÇÃO POR CÓDIGO DE PULSO - PCM. INTRODUÇÃO. Uma grande pare dos sinais de inormações que são processados em uma rede de elecomunicações são sinais

Leia mais

Capítulo 5: Introdução às Séries Temporais e aos Modelos ARIMA

Capítulo 5: Introdução às Séries Temporais e aos Modelos ARIMA 0 Capíulo 5: Inrodução às Séries emporais e aos odelos ARIA Nese capíulo faremos uma inrodução às séries emporais. O nosso objeivo aqui é puramene operacional e esaremos mais preocupados com as definições

Leia mais

Dados do Plano. Resultado da Avaliação Atuarial. Data da Avaliação: 31/12/2010

Dados do Plano. Resultado da Avaliação Atuarial. Data da Avaliação: 31/12/2010 AVALIAÇÃO ATUARIAL Daa da Avaliação: 3/2/200 Dados do Plano Nome do Plano: CEEEPREV CNPB: 20.020.04-56 Parocinadoras: Companhia Esadual de Geração e Transmissão de Energia Elérica CEEE-GT Companhia Esadual

Leia mais

A FÁBULA DO CONTROLADOR PID E DA CAIXA D AGUA

A FÁBULA DO CONTROLADOR PID E DA CAIXA D AGUA A FÁBULA DO CONTROLADOR PID E DA CAIXA D AGUA Era uma vez uma pequena cidade que não inha água encanada. Mas, um belo dia, o prefeio mandou consruir uma caia d água na serra e ligou-a a uma rede de disribuição.

Leia mais

VALOR DA PRODUÇÃO DE CACAU E ANÁLISE DOS FATORES RESPONSÁVEIS PELA SUA VARIAÇÃO NO ESTADO DA BAHIA. Antônio Carlos de Araújo

VALOR DA PRODUÇÃO DE CACAU E ANÁLISE DOS FATORES RESPONSÁVEIS PELA SUA VARIAÇÃO NO ESTADO DA BAHIA. Antônio Carlos de Araújo 1 VALOR DA PRODUÇÃO DE CACAU E ANÁLISE DOS FATORES RESPONSÁVEIS PELA SUA VARIAÇÃO NO ESTADO DA BAHIA Anônio Carlos de Araújo CPF: 003.261.865-49 Cenro de Pesquisas do Cacau CEPLAC/CEPEC Faculdade de Tecnologia

Leia mais

Manual de uso. EVD evolution. driver para válvula de expansão eletrônica. Integrated Control Solutions & Energy Savings READ CAREFULLY IN THE TEXT!

Manual de uso. EVD evolution. driver para válvula de expansão eletrônica. Integrated Control Solutions & Energy Savings READ CAREFULLY IN THE TEXT! EVD evoluion driver para válvula de expansão elerônica Manual de uso NO POWER & SINAL CABLES TOETHER READ CAREFULLY IN THE TEXT! Inegraed Conrol Soluions & Energy Savings ADVERTÊNCIAS TRATAMENTO A CAREL

Leia mais

ELECTRÓNICA DE POTÊNCIA II

ELECTRÓNICA DE POTÊNCIA II E.N.I.D.H. Deparameno de Radioecnia APONTAMENTOS DE ELECTRÓNICA DE POTÊNCIA II (Capíulo 2) José Manuel Dores Cosa 2000 42 ÍNDICE Inrodução... 44 CAPÍTULO 2... 45 CONVERSORES COMUTADOS DE CORRENTE CONTÍNUA...

Leia mais

Aula - 2 Movimento em uma dimensão

Aula - 2 Movimento em uma dimensão Aula - Moimeno em uma dimensão Física Geral I - F- 18 o semesre, 1 Ilusração dos Principia de Newon mosrando a ideia de inegral Moimeno 1-D Conceios: posição, moimeno, rajeória Velocidade média Velocidade

Leia mais

Universidade Federal de Pelotas UFPEL Departamento de Economia - DECON. Economia Ecológica. Professor Rodrigo Nobre Fernandez

Universidade Federal de Pelotas UFPEL Departamento de Economia - DECON. Economia Ecológica. Professor Rodrigo Nobre Fernandez Universidade Federal de Peloas UFPEL Deparameno de Economia - DECON Economia Ecológica Professor Rodrigo Nobre Fernandez Capíulo 6 Conabilidade Ambienal Nacional Peloas, 2010 6.1 Inrodução O lado moneário

Leia mais

uma marca Zelio Control Relés de medição e controle

uma marca Zelio Control Relés de medição e controle uma marca Sumário Guia de escolha Páginas e Caracerísicas gerais Páginas e 5 elés de conrole de Apresenação Páginas 6 a 8 redes rifásicas M Ti Caracerísicas Página 9 eferências Página 0 Dimensões, esquemas

Leia mais

REGULAMENTO TARIFÁRIO

REGULAMENTO TARIFÁRIO REGULAMENTO TARIFÁRIO DO SECTOR DO GÁS NATURAL Julho 2008 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Crisóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel: 21 303 32 00 Fax: 21 303 32 01 e-mail: erse@erse.p

Leia mais

GFI00157 - Física por Atividades. Caderno de Trabalhos de Casa

GFI00157 - Física por Atividades. Caderno de Trabalhos de Casa GFI00157 - Física por Aiidades Caderno de Trabalhos de Casa Coneúdo 1 Cinemáica 3 1.1 Velocidade.............................. 3 1.2 Represenações do moimeno................... 7 1.3 Aceleração em uma

Leia mais

Guia Rápido de Programação V1000 SCANCHIP

Guia Rápido de Programação V1000 SCANCHIP Guia Rápido de Programação V1000 SCANCHIP 1 6 11 12 13 9 2 3 STOP 15 14 10 4 5 7 8 nº Display Nome Função 1 Área exibição de informação Exibe a referencia de freqüência, número de parâmetros 2 Tecla ESC

Leia mais

Composição Ótima da Dívida Pública Federal: Definição de uma Referência de Longo Prazo

Composição Ótima da Dívida Pública Federal: Definição de uma Referência de Longo Prazo Composição Óima da Dívida Pública Federal: Definição de uma Referência de Longo Prazo Brasília 2011 MINISTRO DA FAZENDA Guido Manega SECRETÁRIO-EXECUTIVO Nelson Henrique Barbosa Filho SECRETÁRIO DO TESOURO

Leia mais

1 TRANSMISSÃO EM BANDA BASE

1 TRANSMISSÃO EM BANDA BASE Página 1 1 TRNSMISSÃO EM BND BSE ransmissão de um sinal em banda base consise em enviar o sinal de forma digial aravés da linha, ou seja, enviar os bis conforme a necessidade, de acordo com um padrão digial,

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2006/2 UNIFAL 2 O DIA GABARITO 1 13 FÍSICA QUESTÕES DE 31 A 45

PROCESSO SELETIVO 2006/2 UNIFAL 2 O DIA GABARITO 1 13 FÍSICA QUESTÕES DE 31 A 45 OCEO EEIVO 006/ UNIF O DI GIO 1 13 FÍIC QUEÕE DE 31 45 31. Uma parícula é sola com elocidade inicial nula a uma alura de 500 cm em relação ao solo. No mesmo insane de empo uma oura parícula é lançada do

Leia mais

12 Integral Indefinida

12 Integral Indefinida Inegral Indefinida Em muios problemas, a derivada de uma função é conhecida e o objeivo é enconrar a própria função. Por eemplo, se a aa de crescimeno de uma deerminada população é conhecida, pode-se desejar

Leia mais

Influência de Variáveis Meteorológicas sobre a Incidência de Meningite em Campina Grande PB

Influência de Variáveis Meteorológicas sobre a Incidência de Meningite em Campina Grande PB Revisa Fafibe On Line n.3 ago. 007 ISSN 808-6993 www.fafibe.br/revisaonline Faculdades Inegradas Fafibe Bebedouro SP Influência de Variáveis Meeorológicas sobre a Incidência de Meningie em Campina Grande

Leia mais

Adaptado de O Prisma e o Pêndulo as dez mais belas experiências científicas, p. 52, Crease, R. (2006)

Adaptado de O Prisma e o Pêndulo as dez mais belas experiências científicas, p. 52, Crease, R. (2006) PROVA MODELO GRUPO I Arisóeles inha examinado corpos em moimeno e inha concluído, pelo modo como os corpos caem denro de água, que a elocidade de um corpo em queda é uniforme, proporcional ao seu peso,

Leia mais

Faculdade de Engenharia São Paulo FESP Física Básica 1 (BF1) - Professores: João Arruda e Henriette Righi

Faculdade de Engenharia São Paulo FESP Física Básica 1 (BF1) - Professores: João Arruda e Henriette Righi Faculdade de Engenharia São Paulo FESP Física Básica 1 (BF1) - Professores: João Arruda e Henriee Righi LISTA DE EXERCÍCIOS # 1 Aenção: Aualize seu adobe, ou subsiua os quadrados por negaivo!!! 1) Deermine

Leia mais

Cartilha MERCADO SECUNDÁRIO DE TÍTULOS PÚBLICOS FEDERAIS

Cartilha MERCADO SECUNDÁRIO DE TÍTULOS PÚBLICOS FEDERAIS Carilha MERCADO SECUNDÁRIO DE TÍTULOS PÚBLICOS FEDERAIS Capíulo I Aspecos Insiucionais O Governo anunciou em novembro de 1999 um conjuno de 21 medidas desinadas a incremenar a liquidez do mercado secundário

Leia mais

Equações Diferenciais Ordinárias Lineares

Equações Diferenciais Ordinárias Lineares Equações Diferenciais Ordinárias Lineares 67 Noções gerais Equações diferenciais são equações que envolvem uma função incógnia e suas derivadas, além de variáveis independenes Aravés de equações diferenciais

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Inrodução Ins iuo de Info ormáic ca - F FRGS Redes de Compuadores uliplexação Aula 05 Transmissão é possível sempre que a banda passane do meio for maior ou igual que a banda passane do sinal Banda analógica

Leia mais

INSTRUMENTAÇÃO, CONTROLE E AUTOMAÇÃO

INSTRUMENTAÇÃO, CONTROLE E AUTOMAÇÃO INSTRUMENTAÇÃO, CONTROLE E AUTOMAÇÃO Pág.: 1/88 ÍNDICE Professor: Waldemir Loureiro Inrodução ao Conrole Auomáico de Processos... 4 Conrole Manual... 5 Conrole Auomáico... 5 Conrole Auo-operado... 6 Sisema

Leia mais

Escola de Pós-Graduação em Economia da Fundação Getulio Vargas (EPGE/FGV) Macroeconomia I / 2016. Professor: Rubens Penha Cysne

Escola de Pós-Graduação em Economia da Fundação Getulio Vargas (EPGE/FGV) Macroeconomia I / 2016. Professor: Rubens Penha Cysne Escola de Pós-Graduação em Economia da Fundação Geulio Vargas (EPGE/FGV) Macroeconomia I / 2016 Professor: Rubens Penha Cysne Lisa de Exercícios 4 - Gerações Superposas Obs: Na ausência de de nição de

Leia mais

DMX Light Control. Daniel Ribeiro, Pedro Torres, Paula Pereira

DMX Light Control. Daniel Ribeiro, Pedro Torres, Paula Pereira DMX Ligh Conrol Daniel Ribeiro, Pedro Torres, Paula Pereira Resumo DMX-Ligh Conrol efecua o conrolo de sisemas de luzes que funcionam segundo o proocolo DMX, aravés de rádio frequência. Ese sisema foi

Leia mais

ESTIMAÇÃO DE ESTADO EM SISTEMAS ELÉTRICOS DE POTÊNCIA: PROGRAMA PARA ANÁLISE E ATUALIZAÇÃO DAS CARACTERÍSTICAS QUALITATIVAS DE CONJUNTO DE MEDIDAS

ESTIMAÇÃO DE ESTADO EM SISTEMAS ELÉTRICOS DE POTÊNCIA: PROGRAMA PARA ANÁLISE E ATUALIZAÇÃO DAS CARACTERÍSTICAS QUALITATIVAS DE CONJUNTO DE MEDIDAS ESTIMAÇÃO DE ESTADO EM SISTEMAS ELÉTRICOS DE POTÊNCIA: PROGRAMA PARA ANÁLISE E ATUALIZAÇÃO DAS CARACTERÍSTICAS QUALITATIVAS DE CONJUNTO DE MEDIDAS EDUARDO MARMO MOREIRA Disseração de Mesrado apresenada

Leia mais

Mecânica de Sistemas de Partículas Prof. Lúcio Fassarella * 2013 *

Mecânica de Sistemas de Partículas Prof. Lúcio Fassarella * 2013 * Mecânica e Sisemas e Parículas Prof. Lúcio Fassarella * 2013 * 1. A velociae e escape e um planea ou esrela é e nia como seno a menor velociae requeria na superfície o objeo para que uma parícula escape

Leia mais

MICROMASTER 420. Português. Guia Prático

MICROMASTER 420. Português. Guia Prático MICROMASTER 420 Guia Prático Português Este Guia Prático permite fazer o comissionamento do MICROMASTER 420 de forma fácil e eficiente. Para obter informações técnicas mais detalhadas, favor consultar

Leia mais

MÉTODO MARSHALL. Os corpos de prova deverão ter a seguinte composição em peso:

MÉTODO MARSHALL. Os corpos de prova deverão ter a seguinte composição em peso: TEXTO COMPLEMENTAR MÉTODO MARSHALL ROTINA DE EXECUÇÃO (PROCEDIMENTOS) Suponhamos que se deseje dosar um concreo asfálico com os seguines maeriais: 1. Pedra 2. Areia 3. Cimeno Porland 4. CAP 85 100 amos

Leia mais

Palavras-chave: Análise de Séries Temporais; HIV; AIDS; HUJBB.

Palavras-chave: Análise de Séries Temporais; HIV; AIDS; HUJBB. Análise de Séries Temporais de Pacienes com HIV/AIDS Inernados no Hospial Universiário João de Barros Barreo (HUJBB), da Região Meropoliana de Belém, Esado do Pará Gilzibene Marques da Silva ¹ Adrilayne

Leia mais

Inversor GV3000/SE CA para Operação Volts/Hertz e Vetorial Manual de Referência e Start-up do Software Versão 6.0. Manual de Instruções D2-3359-2PT

Inversor GV3000/SE CA para Operação Volts/Hertz e Vetorial Manual de Referência e Start-up do Software Versão 6.0. Manual de Instruções D2-3359-2PT Inversor GV3000/SE CA para Operação Volts/Hertz e Vetorial Manual de Referência e Start-up do Software Versão 6.0 Manual de Instruções D2-3359-2PT As informações contidas neste manual estão sujeitas à

Leia mais

O EFEITO DIA DO VENCIMENTO DE OPÇÕES NA BOVESPA 1

O EFEITO DIA DO VENCIMENTO DE OPÇÕES NA BOVESPA 1 O EFEITO DIA DO VENCIMENTO DE OPÇÕES NA BOVESPA 1 Paulo J. Körbes 2 Marcelo Marins Paganoi 3 RESUMO O objeivo dese esudo foi verificar se exise influência de evenos de vencimeno de conraos de opções sobre

Leia mais

FERRAMENTA PARA MAXIMIZAÇÃO DE CARGA NA FASE FLUENTE DE RECOMPOSIÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS. Eduardo Martins Viana

FERRAMENTA PARA MAXIMIZAÇÃO DE CARGA NA FASE FLUENTE DE RECOMPOSIÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS. Eduardo Martins Viana FERRAMENTA PARA MAXIMIZAÇÃO DE CARGA NA FASE FLUENTE DE RECOMPOSIÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS Eduardo Marins Viana DISSERTAÇÃO SUBMETIDA AO CORPO DOCENTE DA COORDENAÇÃO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA

Leia mais

Objetivo: Orientar sobre o passo a passo de comissionamento rápidos do inversor Micromaster 440

Objetivo: Orientar sobre o passo a passo de comissionamento rápidos do inversor Micromaster 440 Micromaster 440 Comissionameto rápido Bruno Firmino- 24/03/2014 Objetivo: Orientar sobre o passo a passo de comissionamento rápidos do inversor Micromaster 440 Aviso: Este documento apresenta dicas e exemplos

Leia mais

EFG 213-320. Manual de utilização 09.09 - 03.13. EFG 213 EFG 215 EFG 216k EFG 216 EFG 218k EFG 218 EFG 220 EFG 316k EFG 316 EFG 318k EFG 318 EFG 320

EFG 213-320. Manual de utilização 09.09 - 03.13. EFG 213 EFG 215 EFG 216k EFG 216 EFG 218k EFG 218 EFG 220 EFG 316k EFG 316 EFG 318k EFG 318 EFG 320 EFG 213-320 09.09 - Manual de uilização 51151934 03.13 P EFG 213 EFG 215 EFG 216k EFG 216 EFG 218k EFG 218 EFG 220 EFG 316k EFG 316 EFG 318k EFG 318 EFG 320 Declaração de conformidade Jungheinrich AG,

Leia mais

Data da Avaliação: 28/02/2011 (versão 31/08/2011) Data-Base: 31/12/2010

Data da Avaliação: 28/02/2011 (versão 31/08/2011) Data-Base: 31/12/2010 AVALIAÇÃO ATUARIAL 2010 Insiuo de Previdência e Assisência do Município do Rio de Janeiro (PREVI-RIO) Daa da Avaliação: 28/02/2011 (versão 31/08/2011) Daa-Base: 31/12/2010 SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 01 2.

Leia mais

MARCOS VELOSO CZERNORUCKI REPRESENTAÇÃO DE TRANSFORMADORES EM ESTUDOS DE TRANSITÓRIOS ELETROMAGNÉTICOS

MARCOS VELOSO CZERNORUCKI REPRESENTAÇÃO DE TRANSFORMADORES EM ESTUDOS DE TRANSITÓRIOS ELETROMAGNÉTICOS MARCOS VELOSO CZERNORUCKI REPRESENTAÇÃO DE TRANSFORMADORES EM ESTUDOS DE TRANSITÓRIOS ELETROMAGNÉTICOS Disseração apresenada à Escola Poliécnica da Universidade de São Paulo para obenção do íulo de Mesre

Leia mais

Universidade Federal de Lavras

Universidade Federal de Lavras Universidade Federal de Lavras Deparameno de Ciências Exaas Prof. Daniel Furado Ferreira 8 a Lisa de Exercícios Disribuição de Amosragem 1) O empo de vida de uma lâmpada possui disribuição normal com média

Leia mais

EQUIVALENTES DINÂMICOS PARA ESTUDOS DE HARMÔNICOS USANDO ANÁLISE MODAL. Franklin Clement Véliz Sergio Luis Varricchio Sergio Gomes Jr.

EQUIVALENTES DINÂMICOS PARA ESTUDOS DE HARMÔNICOS USANDO ANÁLISE MODAL. Franklin Clement Véliz Sergio Luis Varricchio Sergio Gomes Jr. SP-2 X SEPOPE 2 a 25 de maio de 2006 a 2 s o 25 h 2006 X SIPÓSIO DE ESPECIAISTAS E PANEJAENTO DA OPERAÇÃO E EXPANSÃO EÉTRICA X SYPOSIU OF SPECIAISTS IN EECTRIC OPERATIONA AND EXPANSION PANNING FORIANÓPOIS

Leia mais

UMA APLICAÇÃO DO TESTE DE RAIZ UNITÁRIA PARA DADOS EM SÉRIES TEMPORAIS DO CONSUMO AGREGADO DAS FAMÍLIAS BRASILEIRAS

UMA APLICAÇÃO DO TESTE DE RAIZ UNITÁRIA PARA DADOS EM SÉRIES TEMPORAIS DO CONSUMO AGREGADO DAS FAMÍLIAS BRASILEIRAS UMA APLICAÇÃO DO TESTE DE RAIZ UNITÁRIA PARA DADOS EM SÉRIES TEMPORAIS DO CONSUMO AGREGADO DAS FAMÍLIAS BRASILEIRAS VIEIRA, Douglas Tadeu. TCC, Ciências Econômicas, Fecilcam, vieira.douglas@gmail.com PONTILI,

Leia mais

1. Mod. Potência 2. Unid. Controle 3. Painel. 2. Unidade de Controle CU230P-2 (PROFIBUS DP, HVAC, CANopen)

1. Mod. Potência 2. Unid. Controle 3. Painel. 2. Unidade de Controle CU230P-2 (PROFIBUS DP, HVAC, CANopen) Dados técnicos Dados mecânicos Grau de proteção Max. IP55 / UL Type 12 IP20 / UL Open Type Dados elétricos Potência nominal (baixa sobrecarga LO) Corrente de saída nominal (Baixa sobrecarga LO) 0.37 90

Leia mais

2. Selecione Reset para caso deseje resetar todos os parâmetros para fábrica, antes de realizar o comissionamento: no YES OK

2. Selecione Reset para caso deseje resetar todos os parâmetros para fábrica, antes de realizar o comissionamento: no YES OK SINAMICS G120 Comissionamento rápido Henrique Barlera Objetivo: Guia de comissionamento rápido para o inversor de frequência SINAMICS G120, utilizando a unidade de controle CU240B-2, CU240E-2 ou CU230P-2

Leia mais

2. DÍODOS DE JUNÇÃO. Dispositivo de dois terminais, passivo e não-linear

2. DÍODOS DE JUNÇÃO. Dispositivo de dois terminais, passivo e não-linear 2. ÍOOS E JUNÇÃO Fernando Gonçalves nsiuo Superior Técnico Teoria dos Circuios e Fundamenos de Elecrónica - 2004/2005 íodo de Junção isposiivo de dois erminais, passivo e não-linear Foografia ânodo Símbolo

Leia mais

DEMANDA BRASILEIRA DE CANA DE AÇÚCAR, AÇÚCAR E ETANOL REVISITADA

DEMANDA BRASILEIRA DE CANA DE AÇÚCAR, AÇÚCAR E ETANOL REVISITADA XXX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Mauridade e desafios da Engenharia de Produção: compeiividade das empresas, condições de rabalho, meio ambiene. São Carlos, SP, Brasil, 12 a15 de ouubro

Leia mais

Micro CLP incorporado ao inversor de frequência TOSHIBA VFS15 MY FUNCTION

Micro CLP incorporado ao inversor de frequência TOSHIBA VFS15 MY FUNCTION Micro CLP incorporado ao inversor de frequência TOSHIBA VFS15 MY FUNCTION - 2 - 1 INTRODUÇÃO Visando a redução de periféricos elétricos envolvendo o controle de velocidade de motores, a Toshiba inseriu

Leia mais

4 Cenários de estresse

4 Cenários de estresse 4 Cenários de esresse Os cenários de esresse são simulações para avaliar a adequação de capial ao limie de Basiléia numa deerminada daa. Sua finalidade é medir a capacidade de o PR das insiuições bancárias

Leia mais

1C.71 CRONOTERMOSTATO SEMANAL TOUCH SCREEN. fig. 1. fig. 2. fig. 3

1C.71 CRONOTERMOSTATO SEMANAL TOUCH SCREEN. fig. 1. fig. 2. fig. 3 fig. Ò www.findernet.com C. CRONOERMOSAO SEMANAL OUCH SCREEN fig. CARACERÍSICAS ÉCNICAS................... LEGENDA DO DISPLAY........ CONFIGURAÇÕES BÁSICAS................. / CONFIGURAÇÃO MANUAL DA EMPERAURA............

Leia mais

METODOLOGIA PROJEÇÃO DE DEMANDA POR TRANSPORTE AÉREO NO BRASIL

METODOLOGIA PROJEÇÃO DE DEMANDA POR TRANSPORTE AÉREO NO BRASIL METODOLOGIA PROJEÇÃO DE DEMANDA POR TRANSPORTE AÉREO NO BRASIL 1. Inrodução O presene documeno visa apresenar dealhes da meodologia uilizada nos desenvolvimenos de previsão de demanda aeroporuária no Brasil

Leia mais

EXPERIÊNCIA 7 CONSTANTE DE TEMPO EM CIRCUITOS RC

EXPERIÊNCIA 7 CONSTANTE DE TEMPO EM CIRCUITOS RC EXPERIÊNIA 7 ONSTANTE DE TEMPO EM IRUITOS R I - OBJETIVO: Medida da consane de empo em um circuio capaciivo. Medida da resisência inerna de um volímero e da capaciância de um circuio aravés da consane

Leia mais

= + 3. h t t. h t t. h t t. h t t MATEMÁTICA

= + 3. h t t. h t t. h t t. h t t MATEMÁTICA MAEMÁICA 01 Um ourives possui uma esfera de ouro maciça que vai ser fundida para ser dividida em 8 (oio) esferas menores e de igual amanho. Seu objeivo é acondicionar cada esfera obida em uma caixa cúbica.

Leia mais

Boom nas vendas de autoveículos via crédito farto, preços baixos e confiança em alta: o caso de um ciclo?

Boom nas vendas de autoveículos via crédito farto, preços baixos e confiança em alta: o caso de um ciclo? Boom nas vendas de auoveículos via crédio faro, preços baixos e confiança em ala: o caso de um ciclo? Fábio Auguso Reis Gomes * Fabio Maciel Ramos ** RESUMO - A proposa dese rabalho é conribuir para o

Leia mais

BBR - Brazilian Business Review E-ISSN: 1807-734X bbronline@bbronline.com.br FUCAPE Business School Brasil

BBR - Brazilian Business Review E-ISSN: 1807-734X bbronline@bbronline.com.br FUCAPE Business School Brasil BBR - Brazilian Business Review E-ISSN: 1807-734X bbronline@bbronline.com.br FUCAPE Business School Brasil Ozawa Gioielli Sabrina P.; Gledson de Carvalho, Anônio; Oliveira Sampaio, Joelson Capial de risco

Leia mais

ANÁLISE DE TRANSIENTES COM ALTOS PERCENTUAIS DE TAMPONAMENTO DOS TUBOS DOS GERADORES DE VAPOR DE ANGRA 1

ANÁLISE DE TRANSIENTES COM ALTOS PERCENTUAIS DE TAMPONAMENTO DOS TUBOS DOS GERADORES DE VAPOR DE ANGRA 1 ANÁLISE DE TRANSIENTES COM ALTOS PERCENTUAIS DE TAMPONAMENTO DOS TUBOS DOS GERADORES DE VAPOR DE ANGRA 1 Márcio Poubel Lima *, Laercio Lucena Marins Jr *, Enio Anonio Vanni *, Márcio Dornellas Machado

Leia mais

Escola Secundária Dom Manuel Martins

Escola Secundária Dom Manuel Martins Escola Secundária Dom Manuel Marins Seúbal Prof. Carlos Cunha 1ª Ficha de Avaliação FÍSICO QUÍMICA A ANO LECTIVO 2006 / 2007 ANO II N. º NOME: TURMA: C CLASSIFICAÇÃO Grisson e a sua equipa são chamados

Leia mais

Transistor de Efeito de Campo de Porta Isolada MOSFET - Revisão

Transistor de Efeito de Campo de Porta Isolada MOSFET - Revisão Transisor de Efeio de Campo de Pora Isolada MOSFET - Revisão 1 NMOS: esruura física NMOS subsrao ipo P isposiivo simérico isposiivo de 4 erminais Pora, reno, Fone e Subsrao (gae, drain, source e Bulk)

Leia mais