67.301/1. RLP 10 & 20: Controlador pneumático de volume-caudal. Sauter Components

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "67.301/1. RLP 10 & 20: Controlador pneumático de volume-caudal. Sauter Components"

Transcrição

1 7./ RL & : Conrolador pneumáico de volume-caudal Usado em conjuno com um prao orifício ou com um sensor de pressão dinâmica e um acuador pneumáico de regiso para conrolo do volume de ar em sisemas de ar condicionado. ara ponos de consigna fixos, inversão ou variáveis (A). ode ambém ser usado como um conrolador de pressão de condua. odos os conroladores A conformam com N - e N 7- (x G ) e podem ser uilizados em áreas Zona onde há um risco de explosão. Conforma com os regulamenos sobre equipamenos de pressão (97//G Ar..). Base em ermoplásico; placa fronal com ajusadores para limiação de mínima e máxima do sinal do pono de consigna; os ajusamenos são feios usando uma moeda e a escala de %. A acção de conrolo pode ser inverida. Adequado para monagem mural ou em calhas (C-N 5 e N 5, acessório). Não pode ser insalado apoiado sobre o seu exremo. Ligação de ar comprimido Rp 8 com rosca fêmea. Ligações de baixa pressão: conecores de encaixe para ubos de plásico macio (Ø inerno e mm). ipo Acção de conrolo Gama de pono de consigna olume caudal % ressão dif. ) a Capacidade de ar n /h Conrolador inegral de volume-caudal para ar de alimenação e de reorno RL F B RL F95 A Conrolador inegral de volume-caudal para gases agressivos no ar de exausão RL F9 B RL F9 A Conrolador proporcional de volume-caudal para ar de alimenação e de reorno RL F B RL F95 A eso ressão de saída... bar nrada:desloc.pono consigna ) Sensibilidade de resposa.5 a... %... bar Linearidade; precisão de Gama uilizável p esá... ka exracção raiz quadrada ) % ressão admissível Banda (só RL ) a (ligações de baixa pressão) ka ressão de alimenação ). bar ±. RL RL Consumo de ar RL, RL n /h, 5 n /h Diagrama de ligações A888 A89 emp. ambiene admissível...55 C Desenho dimensional M97 M97 Grau de proecção nsruções de monagem M 5577 M 5579 Acessórios 55 5 scala (...5 a) quando usado como conrolador de condua 55 7 scala (...5 a) quando usado como conrolador de pressão de condua ) 55 7 scala (5...5 a) quando usado como conrolador de pressão de condua ) 99 * Supore de fixação para calha N 5, e * Conecor curo roscado (R 8 ) para ubo de plásico macio, Ø in. mm; peças necessárias 978 onos de consigna mín. e máx. ajusados e marcados 978 nfluência ajusada e marcada *) Desenho dimensional ou diagrama de ligações disponível sob o mesmo número ) Ajuse de fábrica...5 a. Usando a unidade de eses XY, a gama pode ser alerada de a ( =.7) para...5 a ( =.). ) As percenagens referem-se a volume de ar % (RL : enre e % = 7 %) ) ara a ligação, recomendamos o uso de conroladores de emperaura sem amplificador (S. 8 ou K. 8), uma vez que são alimenados direcamene pelo resrior inerno do RL. ) er a Secção sobre regulamenos respeianes à qualidade do ar de alimenaçãp, especialmene a emperauras ambiene baixas. kg bar,, % olume de ar mín Y7 Y97 máx,, bar ressão de comando B8 ariável de comando =,7 =, =, 5 5 a ressão diferencial B

2 7./ RL & % zero n x Xp A B Conrolador B B Xp Xs A Conrolador xi B8 Funcionameno RL A pressão diferencial (...5 a) criada no prao orifício ou sensor de pressão dinâmica é converida pelo ransduor de exracção de raiz quadrada a um sinal fluidico-linear sandard (... bar). A variável de comando na ligação (p.e. conrolador de emperaura S 8) desloca o volume de ar. sa variável é limiada pelos ajusadores de mín. e máx., e é comparada com o valor real. ara conrolo de valor fixo nenhuma variável de comando é necessária, o ajusador min" serve enão como ajusador do pono de consigna. O conrolador inegral compensa sem erro apreciável, o desvio de conrolo. Nos modelos F9 e F9, uma pequena quanidade de ar é consanemene fornecido às duas linhas de baixa pressão a fim de proeger o diafragma, dos gases agressivos. Funcionameno RL A variável de comando na ligação (p.e. conrolador de emperaura S 8) é limiada pelos ajusadores de mín. e máx., e é reduzida por um divisor de pressão não linear Xs a um sinal de baixa pressão (...5 a). ara conrolo de valor fixo nenhuma variável de comando é necessária, o ajusador min" serve enão como ajusador de pono de consigna. se sinal fluidico-linear é comparado com a pressão diferencial de um prao orifício ou sensor de pressão dinâmica. O amplificador de baixa pressão amplifica o desvio de conrolo para o sinal de saída... bar, e aciva a unidade de regulação (conrolador com banda X p = a). Quando os volumes de ar são baixos (abaixo de %), ano o remanescene desvio de conrolo do conrolador como o erro sisemáivo da raiz quadrada devem ser reajusados (ver M 8). nformação écnica Manual écnico: A 7 Noas de engenharia e insalação O S 8 e o K 8 (sem amplificador) são uma boa escolha de conrolador de emperaura. São alimenados por um resrior inerno insalado na ligação do RL. nfluência : a pressão de saída... bar do conrolador de emperaura (variável de comando... %) alera o pono de consigna de volume-caudal enre e 5 a (ajuse de fábrica =.). Um pequeno parafuso inerno possibilia que esa gama de pono de consigna seja aumenada por um facor de. =.: % da variável de comando equivale a. vezes o volume de ar, pressão diferencial 5 a. =.7: % da variável de comando equivale a.7 vezes o volume de ar, pressão diferencial 5 a. ara se poder ajusar a influência, é necessária a unidades de eses XY. Não deverá haver qualquer posicionador ligado enre o conrolador inegral (RL ) e o acuador de válvula. A pressão de saída deverá seguir direcamene para o acuador. A unidade não deverá ser insalada apoiada sobre o seu exremo. Diagramas de ligações B8 RL F (F95) F9 (F9) RL F (F95), bar p Δ B (A) - (+) + (-) Δ, bar p XS² B (A) min xi máx l/h,... bar min max l/h,... bar Δ Δ Δ A888a A89a Δp variável de comando pressão diferencial pressão de saída conrolador

3 7. RL & / Desenho dimensional 5 Ø,8 Ø,7 9, Rp /8 (SO 7/) M97c Acessórios ,5 975,5 R /8 (SO 7/) 8 Ø5 s M58 8,5 M 7 7 K9

4 7./ RL & xemplos de uso com RL ou RL. Facilidade de conrolo de volume de ar variável, para salas aberas'., bar AK S 8A, bar AK RL F (95) RL F (95) Ba. Facilidade de conrolo RL só para volume de ar variável, para salas aberas'; conrolador de ar de exausão conrolado pelo conrolador de ar de alimenação., bar l <, m RL F (95) 8 : AK S 8A, bar RL F (95) AK XR Bc. facilidade de conrolo de volume de ar consane, para salas aberas', com opções de pono de consigna. (NO ), bar AK, bar AK RL F (95) RL F (95) RU 5 mín. máx., bar Bb 7 7 L8

5 7. RL & /5. Facilidade de conrolo de volume de ar variável, com reaquecedor, para salas aberas', com zona mora; reaquecedor normalmene fechado; o conrolador de emperaura ambiene em acção de conrolo A e B. enil SS 8 L p p ozone p, bar AK RL F (95) SS 8, bar AK RL F (95) 5 Ø, mm, bar Bb 5. Facilidade de conrolo de volume de ar variável, com reaquecedo, para salas aberas'; reaquecedor normalmene abero; o conrolador de emperaura ambiene em acção de conrolo A. enil S 8A p p p, bar AK S 8A, bar AK RL F (95) 5, bar RL F (95) 7 NO Ø, mm XR Bc Conrolador de volumecaudal Relé elecro-pneumáico A (ar de exausão) Acuador de regiso ou válvula 7 Relé de sequência SA (ar de alimenação) Unidade descarga de pressão 8 Relé inerface L HC (serpenina aquec.) Conrol. emperaura ambiene enil álvula ozone Zona mora 5 Resrior de linha exerno NO Normalmene abera Normalmene fechada mpresso na Suíça Reservado o direio de emenda N.B.: Uma vírgula enre números cardinais, represena um pono decimal Fr. Sauer AG, CH- Basle 7 7 L8

Dep. Ar Condicionado TERMOSTATO MECÂNICO, PARA AMBIENTE, 1 ESCALÃO SISTIMETRA CONTIMETRA FICHA TÉCNICA - MARÇO 2014 1/1 TA 31/I

Dep. Ar Condicionado TERMOSTATO MECÂNICO, PARA AMBIENTE, 1 ESCALÃO SISTIMETRA CONTIMETRA FICHA TÉCNICA - MARÇO 2014 1/1 TA 31/I ICHA ÉCNICA - MARÇO 2014 ERMOSAO MECÂNICO, PARA AMBIENE, 1 ESCALÃO CARACERÍSICAS ÉCNICAS PRINCIPAIS Gama de ajuste........ +7 a +30ºC Contacto eléctrico....... 1 contacto inversor Poder de corte.........

Leia mais

2 Conceitos de transmissão de dados

2 Conceitos de transmissão de dados 2 Conceios de ransmissão de dados 2 Conceios de ransmissão de dados 1/23 2.2.1 Fones de aenuação e disorção de sinal 2.2.1 Fones de aenuação e disorção do sinal (coninuação) 2/23 Imperfeições do canal

Leia mais

SIMIREL Relés de supervisão 3UG

SIMIREL Relés de supervisão 3UG abela de escolha Aplicação Sisema rifásico Sisema rifásico fala de fase (com ou sem neuro) e assimeria enre fases inversão da seqüência de fases Conaos 1 comuador 2 comuadores 1 comuador ensões ensões

Leia mais

Sistemas de Energia Ininterrupta: No-Breaks

Sistemas de Energia Ininterrupta: No-Breaks Sisemas de Energia Ininerrupa: No-Breaks Prof. Dr.. Pedro Francisco Donoso Garcia Prof. Dr. Porfírio Cabaleiro Corizo www.cpdee.ufmg.br/~el GEP-DELT-EEUFMG Porque a necessidade de equipamenos de energia

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2006/2 UNIFAL 2 O DIA GABARITO 1 13 FÍSICA QUESTÕES DE 31 A 45

PROCESSO SELETIVO 2006/2 UNIFAL 2 O DIA GABARITO 1 13 FÍSICA QUESTÕES DE 31 A 45 OCEO EEIVO 006/ UNIF O DI GIO 1 13 FÍIC QUEÕE DE 31 45 31. Uma parícula é sola com elocidade inicial nula a uma alura de 500 cm em relação ao solo. No mesmo insane de empo uma oura parícula é lançada do

Leia mais

VÁLVULA MOTORIZADA corpo em aço inox roscado, 3/8-1/2-3/4

VÁLVULA MOTORIZADA corpo em aço inox roscado, 3/8-1/2-3/4 VÁLVULA MOTORIZAA corpo em aço inox roscado, /8 - / - / / Série 90 APRESETAÇÃO Caudal devido à consrução do corpo da válvula com sede inclinada Válvula ani-golpe de ariee (uilização: enrada do fl uido

Leia mais

= + 3. h t t. h t t. h t t. h t t MATEMÁTICA

= + 3. h t t. h t t. h t t. h t t MATEMÁTICA MAEMÁICA 01 Um ourives possui uma esfera de ouro maciça que vai ser fundida para ser dividida em 8 (oio) esferas menores e de igual amanho. Seu objeivo é acondicionar cada esfera obida em uma caixa cúbica.

Leia mais

Tamanho máx. da partícula 50 µm. Pressão para definir as forças de pistão 6,3 bar

Tamanho máx. da partícula 50 µm. Pressão para definir as forças de pistão 6,3 bar Cilindro de bielas de Cilindro de guia Ø - mm com efeito duplo mancal esférico Amortecimento: hidráulico, com ajuste fixo com 1 Temperatura ambiente min./máx. +0 C / +65 C Fluido Ar comprimido Tamanho

Leia mais

UNIDADES DE ROLAMENTOS DE ESFERAS

UNIDADES DE ROLAMENTOS DE ESFERAS 280 UIDDE DE ROMETO DE EFER UIDDE DE ROMETO TIPO E DE FERRO FUDIDO COM PRFUO DE TRV UCP2 Diâmero do eixo 12-90... 286 1/2-3 1/2 polegada UIDDE DE ROMETO TIPO FGE DE FERRO FUDIDO COM PRFUO DE TRV UCF2 UCF2

Leia mais

Prof. Josemar dos Santos

Prof. Josemar dos Santos Engenharia Mecânica - FAENG Sumário SISTEMAS DE CONTROLE Definições Básicas; Exemplos. Definição; ; Exemplo. Prof. Josemar dos Sanos Sisemas de Conrole Sisemas de Conrole Objeivo: Inroduzir ferramenal

Leia mais

Transistor de Efeito de Campo de Porta Isolada MOSFET - Revisão

Transistor de Efeito de Campo de Porta Isolada MOSFET - Revisão Transisor de Efeio de Campo de Pora Isolada MOSFET - Revisão 1 NMOS: esruura física NMOS subsrao ipo P isposiivo simérico isposiivo de 4 erminais Pora, reno, Fone e Subsrao (gae, drain, source e Bulk)

Leia mais

46.100/1. RDT 100: Controlador electrónico com display para ar condicionado. Sauter Components

46.100/1. RDT 100: Controlador electrónico com display para ar condicionado. Sauter Components R.0/ RDT 0: Controlador electrónico com display para ar condicionado Para uso universal, autónomo em sistemas de ventilação e ar condicionado ou similares; com funções de medição, controlo e tempos para

Leia mais

Escola E.B. 2,3 / S do Pinheiro

Escola E.B. 2,3 / S do Pinheiro Escola E.B. 2,3 / S do Pinheiro Ciências Físico Químicas 9º ano Movimenos e Forças 1.º Período 1.º Unidade 2010 / 2011 Massa, Força Gravíica e Força de Ario 1 - A bordo de um vaivém espacial, segue um

Leia mais

Campo magnético variável

Campo magnético variável Campo magnéico variável Já vimos que a passagem de uma correne elécrica cria um campo magnéico em orno de um conduor aravés do qual a correne flui. Esa descobera de Orsed levou os cienisas a desejaram

Leia mais

A FÁBULA DO CONTROLADOR PID E DA CAIXA D AGUA

A FÁBULA DO CONTROLADOR PID E DA CAIXA D AGUA A FÁBULA DO CONTROLADOR PID E DA CAIXA D AGUA Era uma vez uma pequena cidade que não inha água encanada. Mas, um belo dia, o prefeio mandou consruir uma caia d água na serra e ligou-a a uma rede de disribuição.

Leia mais

Pressóstatos, Série PM1 Pressão de comutação: -0,9-16 bar mecânico Conexão elétrica: Conector, M12x1 Fole sob carga de mola, regulável

Pressóstatos, Série PM1 Pressão de comutação: -0,9-16 bar mecânico Conexão elétrica: Conector, M12x1 Fole sob carga de mola, regulável 843 Grandeza de medida Elemento de comutação Freqüência de comutação máx. Segurança de excesso de pressão Temperatura ambiente min./máx. Temperatura de produto mín/máx. Fluido Resistência ao choque max.

Leia mais

Figura 1 Carga de um circuito RC série

Figura 1 Carga de um circuito RC série ASSOIAÇÃO EDUAIONAL DOM BOSO FAULDADE DE ENGENHAIA DE ESENDE ENGENHAIA ELÉTIA ELETÔNIA Disciplina: Laboraório de ircuios Eléricos orrene onínua 1. Objeivo Sempre que um capacior é carregado ou descarregado

Leia mais

METODOLOGIAS ALTERNATIVAS DE GERAÇÃO DE CENÁRIOS NA APURAÇÃO DO V@R DE INSTRUMETOS NACIONAIS. Alexandre Jorge Chaia 1 Fábio da Paz Ferreira 2

METODOLOGIAS ALTERNATIVAS DE GERAÇÃO DE CENÁRIOS NA APURAÇÃO DO V@R DE INSTRUMETOS NACIONAIS. Alexandre Jorge Chaia 1 Fábio da Paz Ferreira 2 IV SEMEAD METODOLOGIAS ALTERNATIVAS DE GERAÇÃO DE CENÁRIOS NA APURAÇÃO DO V@R DE INSTRUMETOS NACIONAIS Alexandre Jorge Chaia 1 Fábio da Paz Ferreira 2 RESUMO Uma das ferramenas de gesão do risco de mercado

Leia mais

Bombas com Variadores de Frequência Inteligentes Integrados

Bombas com Variadores de Frequência Inteligentes Integrados Bombas com Variadores de Frequência Ineligenes Inegrados soluion ouline file no: 100.11p dae: january 2013 supersedes: new dae: new máxima performance durane odo o empo 125 a Armsrong desenvolveu o Design

Leia mais

Sistema de sensores Sensores de pressão Série PM1. Catálogo impresso

Sistema de sensores Sensores de pressão Série PM1. Catálogo impresso Sistema de sensores Sensores de pressão Série PM1 Catálogo impresso Sistema de sensores Sensores de pressão Série PM1 Pressão de comutação: -0,9-16 bar mecânico Conexão elétrica: Conector, ISO 4400, formato

Leia mais

SELECÇÃO DE MOTORES ELÉCTRICOS

SELECÇÃO DE MOTORES ELÉCTRICOS SELECÇÃO DE MOTORES ELÉCTRICOS FACTORES QUE INFLUEM NA SELECÇÃO DO MOTOR ELÉCTRICO CARGA ACCIONADA E CARACTERÍSTICAS DE SERVIÇO Diagramas de carga: oência e/ ou binário requeridos e sua variação. Classe

Leia mais

Transmissor de Pressão Diferencial NP800H

Transmissor de Pressão Diferencial NP800H Transmissor de Pressão Diferencial NP800H MANUAL DE INSTRUÇÕES V2 DESCRIÇÃO O transmissor inteligente NP800H é utilizado na medição e monitoração de pressão diferencial em ambientes agressivos, onde além

Leia mais

REGULAMENTO TARIFÁRIO

REGULAMENTO TARIFÁRIO REGULAMENTO TARIFÁRIO DO SECTOR DO GÁS NATURAL Julho 2008 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Crisóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel: 21 303 32 00 Fax: 21 303 32 01 e-mail: erse@erse.p

Leia mais

CAPÍTULO 9. y(t). y Medidor. Figura 9.1: Controlador Analógico

CAPÍTULO 9. y(t). y Medidor. Figura 9.1: Controlador Analógico 146 CAPÍULO 9 Inrodução ao Conrole Discreo 9.1 Inrodução Os sisemas de conrole esudados aé ese pono envolvem conroladores analógicos, que produzem sinais de conrole conínuos no empo a parir de sinais da

Leia mais

Descrição B. Cilindro sensor PD 40..

Descrição B. Cilindro sensor PD 40.. Descrição B Cilindro sensor PD 40.. PT 1. Segurança 2 2. unção 3 3. Transporte 8 4. Montagem 8 5. Instalação 9 6. Comissionamento 10 7. uncionamento/operação 10 8. Eliminação de falhas / Reparação 11 9.

Leia mais

Função definida por várias sentenças

Função definida por várias sentenças Ese caderno didáico em por objeivo o esudo de função definida por várias senenças. Nese maerial você erá disponível: Uma siuação que descreve várias senenças maemáicas que compõem a função. Diversas aividades

Leia mais

Eficiência em dimensões reduzidas!

Eficiência em dimensões reduzidas! Caálogo Janeiro 200 para moores assíncronos Eficiência em dimensões reduzidas! Ninguém faz ano com a elericidade. para moores assíncronos Sumário Apresenação Páginas 2 e Caracerísicas, aplicações especiais

Leia mais

uma marca Zelio Control Relés de medição e controle

uma marca Zelio Control Relés de medição e controle uma marca Sumário Guia de escolha Páginas e Caracerísicas gerais Páginas e 5 elés de conrole de Apresenação Páginas 6 a 8 redes rifásicas M Ti Caracerísicas Página 9 eferências Página 0 Dimensões, esquemas

Leia mais

Manual de Instruções de Operação e Manutenção. THP Transmissor de Posição Por Efeito Hall

Manual de Instruções de Operação e Manutenção. THP Transmissor de Posição Por Efeito Hall Manual de Instruções de Operação e Manutenção THP Transmissor de Posição Por Efeito Hall 1. INFORMAÇÕES GERAIS... 3 2. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS... 3 3. DESENHO DIMENSIONAL... 4 3.1 DIMENSÕES THP ROTATIVO...

Leia mais

Tradução do documento original. Uma nova versão do documento original está disponível. Série 3730 Posicionador Electropneumático Tipo 3730-1

Tradução do documento original. Uma nova versão do documento original está disponível. Série 3730 Posicionador Electropneumático Tipo 3730-1 Série 3730 Posicionador Electropneumático Tipo 3730-1 Aplicação Posicionador de simples efeito ou duplo efeito para ligação a válvulas de comando pneumáticas. Auto-calbragem, adaptação automática à válvula

Leia mais

Espaço SENAI. Missão do Sistema SENAI

Espaço SENAI. Missão do Sistema SENAI Sumário Inrodução 5 Gerador de funções 6 Caracerísicas de geradores de funções 6 Tipos de sinal fornecidos 6 Faixa de freqüência 7 Tensão máxima de pico a pico na saída 7 Impedância de saída 7 Disposiivos

Leia mais

CAPITULO 01 DEFINIÇÕES E PARÂMETROS DE CIRCUITOS. Prof. SILVIO LOBO RODRIGUES

CAPITULO 01 DEFINIÇÕES E PARÂMETROS DE CIRCUITOS. Prof. SILVIO LOBO RODRIGUES CAPITULO 1 DEFINIÇÕES E PARÂMETROS DE CIRCUITOS Prof. SILVIO LOBO RODRIGUES 1.1 INTRODUÇÃO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE ENGENHARIA FENG Desinase o primeiro capíulo

Leia mais

CAPÍTULO III TORÇÃO PROBLEMAS ESTATICAMENTE INDETERMINADOS TORÇÃO - PEÇAS DE SEÇÃO VAZADA DE PAREDES FINAS

CAPÍTULO III TORÇÃO PROBLEMAS ESTATICAMENTE INDETERMINADOS TORÇÃO - PEÇAS DE SEÇÃO VAZADA DE PAREDES FINAS APÍTULO III TORÇÃO PROBLEMAS ESTATIAMENTE INDETERMINADOS TORÇÃO - PEÇAS DE SEÇÃO VAZADA DE PAREDES FINAS A- TORÇÃO PROBLEMAS ESTATIAMENTE INDETERMINADOS Vimos aé aqui que para calcularmos as ensões em

Leia mais

Prof. Luiz Marcelo Chiesse da Silva DIODOS

Prof. Luiz Marcelo Chiesse da Silva DIODOS DODOS 1.JUÇÃO Os crisais semiconduores, ano do ipo como do ipo, não são bons conduores, mas ao ransferirmos energia a um deses ipos de crisal, uma pequena correne elérica aparece. A finalidade práica não

Leia mais

Válvulas solenoides de 2/2 vias servo operadas tipo EV220B 15 50

Válvulas solenoides de 2/2 vias servo operadas tipo EV220B 15 50 Catálogo técnico Válvulas solenoides de 2/2 vias servo operadas tipo EV220B 15 50 EV220B 15 50 é um programa universal de válvula solenoide de 2/2 vias indiretamente servo-operada. O corpo da válvula em

Leia mais

MÉTODO MARSHALL. Os corpos de prova deverão ter a seguinte composição em peso:

MÉTODO MARSHALL. Os corpos de prova deverão ter a seguinte composição em peso: TEXTO COMPLEMENTAR MÉTODO MARSHALL ROTINA DE EXECUÇÃO (PROCEDIMENTOS) Suponhamos que se deseje dosar um concreo asfálico com os seguines maeriais: 1. Pedra 2. Areia 3. Cimeno Porland 4. CAP 85 100 amos

Leia mais

S E N S Y C A L. Especificações Gerais do Transmissor de Pressão Inteligente RP2000. Avenida do Estado, 4567 Mooca São Paulo SP CEP 03105-000

S E N S Y C A L. Especificações Gerais do Transmissor de Pressão Inteligente RP2000. Avenida do Estado, 4567 Mooca São Paulo SP CEP 03105-000 S E N S Y C A L I N S T R U M E N T O S E S I S T E M A S L T D A do Transmissor de Pressão Inteligente RP2000 Avenida do Estado, 4567 Mooca São Paulo SP CEP 03105-000 Fone: +55 11 3275-0094 e-mail: vendas@sensycal.com.br

Leia mais

PINÇA PNEUMÁTICA COM TRÊS GARRAS - SÉRIE P12

PINÇA PNEUMÁTICA COM TRÊS GARRAS - SÉRIE P12 PINÇA PNEUMÁTICA COM TRÊS GARRAS - SÉRIE P robusta de alta precisão com três garras e autocentrante. Dupla ação, prende a peça interna ou externamente. O corpo é feito de alumínio endurecido altamente

Leia mais

ALICATES. Alicate Universal. Alicate Eletricista

ALICATES. Alicate Universal. Alicate Eletricista ALICAE Os alicaes BELZER são ferramenas de nível profissional, reconhecidas como as melhores do mercado, desinadas a segurar, puxar, dobrar, girar e corar objeos dos mais diversos formaos, especialmene

Leia mais

1C.71 CRONOTERMOSTATO SEMANAL TOUCH SCREEN. fig. 1. fig. 2. fig. 3

1C.71 CRONOTERMOSTATO SEMANAL TOUCH SCREEN. fig. 1. fig. 2. fig. 3 fig. Ò www.findernet.com C. CRONOERMOSAO SEMANAL OUCH SCREEN fig. CARACERÍSICAS ÉCNICAS................... LEGENDA DO DISPLAY........ CONFIGURAÇÕES BÁSICAS................. / CONFIGURAÇÃO MANUAL DA EMPERAURA............

Leia mais

Estando o capacitor inicialmente descarregado, o gráfico que representa a corrente i no circuito após o fechamento da chave S é:

Estando o capacitor inicialmente descarregado, o gráfico que representa a corrente i no circuito após o fechamento da chave S é: PROCESSO SELETIVO 27 2 O DIA GABARITO 1 13 FÍSICA QUESTÕES DE 31 A 45 31. Considere o circuio mosrado na figura abaixo: S V R C Esando o capacior inicialmene descarregado, o gráfico que represena a correne

Leia mais

CÉLULA / SENSOR ION-SELETIVO CLORO LIVRE INORGÂNICO

CÉLULA / SENSOR ION-SELETIVO CLORO LIVRE INORGÂNICO Head office: Via Catania 4, 00040 Pavona di Albano Laziale (Roma) Italy, Tel. +39 06 9349891 (8 lines) Fax +39 06 9343924 CÉLULA / SENSOR ION-SELETIVO CLORO LIVRE INORGÂNICO GUIA DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO

Leia mais

ENGENHARIA ECONÔMICA AVANÇADA

ENGENHARIA ECONÔMICA AVANÇADA ENGENHARIA ECONÔMICA AVANÇADA TÓPICOS AVANÇADOS MATERIAL DE APOIO ÁLVARO GEHLEN DE LEÃO gehleao@pucrs.br 55 5 Avaliação Econômica de Projeos de Invesimeno Nas próximas seções serão apresenados os principais

Leia mais

Manual de Operação e Instalação

Manual de Operação e Instalação Manual de Operação e Instalação Transmissor de nível Cod: 073AA-005-122M Rev. A Série LT-200 Fevereiro / 2004 S/A. Rua João Serrano, 250 Bairro do Limão São Paulo SP CEP 02551-060 Fone: (11) 3488-8999

Leia mais

Condensadores e Bobinas

Condensadores e Bobinas ondensadores e Bobinas Arnaldo Baisa TE_4 Dielécrico é não conduor Placas ou armaduras conduoras ondensadores TE_4 R Área A Analogia Hidráulica V S + - Elecrão Elecrões que se repelem d Bomba Hidráulica

Leia mais

Medidores e Controladores Digitais de Caudal Mássico

Medidores e Controladores Digitais de Caudal Mássico Medidores e Controladores Digitais de Caudal Mássico uma empresa do grupo Bronkhorst M+W Instruments. O seu especialista em medição directa A Saber A M+W Instruments foi fundada em 1988 e tem sido desde

Leia mais

1.1.1. Gama Platinum COMPACT. Componentes opcionais PLATINUM COMPACT. 1.1.2. Gama Platinum PLUS

1.1.1. Gama Platinum COMPACT. Componentes opcionais PLATINUM COMPACT. 1.1.2. Gama Platinum PLUS 1.1. Caldeiras murais a gás de condensação 1.1.1. Gama Platinum COMPACT Caldeiras murais de condensação PLATINUM COMPACT Mista instantânea. Tecnologia GAS INVERTER. Combustão estanque. Baixo NOx, Classe

Leia mais

7. VENTILADORES INTRODUÇÃO CAMPOS DE APLICAÇÃO

7. VENTILADORES INTRODUÇÃO CAMPOS DE APLICAÇÃO 7. ENTILADORES INTRODUÇÃO eniladores são máquinas de fluxo geradoras que ransmiem a energia mecânica recebida do eixo ara o fluido (gás). Seu funcionameno é similar às bombas, sendo a rincial diferença

Leia mais

Valor do Trabalho Realizado 16.

Valor do Trabalho Realizado 16. Anonio Vicorino Avila Anonio Edésio Jungles Planejameno e Conrole de Obras 16.2 Definições. 16.1 Objeivo. Valor do Trabalho Realizado 16. Parindo do conceio de Curva S, foi desenvolvida pelo Deparameno

Leia mais

BTL BTL. Transdutores Micropulse. Índice Série compacta de haste

BTL BTL. Transdutores Micropulse. Índice Série compacta de haste Índice compacta de haste..2 série..4 série..6..8 de pulso digital..10 SSI série série de pulso digital SSI..1 instruções de compacta de haste Pressão de trabalho de 600 bar, alta repetibilidade, sem contato,

Leia mais

S E N S Y C A L. Especificações Gerais do Transmissor de Pressão Inteligente RP2000. Avenida do Estado, 4567 Mooca São Paulo SP CEP 03105-000

S E N S Y C A L. Especificações Gerais do Transmissor de Pressão Inteligente RP2000. Avenida do Estado, 4567 Mooca São Paulo SP CEP 03105-000 S E N S Y C A L I N S T R U M E N T O S E S I S T E M A S L T D A do Transmissor de Pressão Inteligente RP2000 Avenida do Estado, 4567 Mooca São Paulo SP CEP 03105-000 Fone: +55 11 3275-0094 e-mail: vendas@sensycal.com.br

Leia mais

OTIMIZAÇÃO ENERGÉTICA NA CETREL: DIAGNÓSTICO, IMPLEMENTAÇÃO E AVALIAÇÃO DE GANHOS

OTIMIZAÇÃO ENERGÉTICA NA CETREL: DIAGNÓSTICO, IMPLEMENTAÇÃO E AVALIAÇÃO DE GANHOS STC/ 08 17 à 22 de ouubro de 1999 Foz do Iguaçu Paraná - Brasil SESSÃO TÉCNICA ESPECIAL CONSERVAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA (STC) OTIMIZAÇÃO ENERGÉTICA NA CETREL: DIAGNÓSTICO, IMPLEMENTAÇÃO E AVALIAÇÃO DE

Leia mais

MEDIÇÃO DE PRESSÃO -0-

MEDIÇÃO DE PRESSÃO -0- MEDIÇÃO DE PRESSÃO -0- SUMÁRIO 1 - PRESSÃO 2 2.1 - MEDIÇÃO DE PRESSÃO 2 2.2 - PRESSÃO ATMOSFÉRICA 2 2.3 - PRESSÃO RELATIVA POSITIVA OU MANOMÉTRICA 2 2.4 - PRESSÃO ABSOLUTA 2 2.5 - PRESSÃO RELATIVA NEGATIVA

Leia mais

DMX Light Control. Daniel Ribeiro, Pedro Torres, Paula Pereira

DMX Light Control. Daniel Ribeiro, Pedro Torres, Paula Pereira DMX Ligh Conrol Daniel Ribeiro, Pedro Torres, Paula Pereira Resumo DMX-Ligh Conrol efecua o conrolo de sisemas de luzes que funcionam segundo o proocolo DMX, aravés de rádio frequência. Ese sisema foi

Leia mais

Soluções para a Eficiência energética eléctrica

Soluções para a Eficiência energética eléctrica Soluções para a Eficiência energéica elécrica Tecnologia para a eficiência energéica Sisema de Gesão Energéica da CIRCUTOR Sofware de gesão energéica udiorias energéicas Diagnósico energéico e écnica de

Leia mais

exercício e o preço do ativo são iguais, é dito que a opção está no dinheiro (at-themoney).

exercício e o preço do ativo são iguais, é dito que a opção está no dinheiro (at-themoney). 4. Mercado de Opções O mercado de opções é um mercado no qual o iular (comprador) de uma opção em o direio de exercer a mesma, mas não a obrigação, mediane o pagameno de um prêmio ao lançador da opção

Leia mais

Módulo 07 Capítulo 06 - Viscosímetro de Cannon-Fensk

Módulo 07 Capítulo 06 - Viscosímetro de Cannon-Fensk Módulo 07 Capíulo 06 - Viscosímero de Cannon-Fensk Inrodução: o mundo cienífico, medições são necessárias, o que sempre é difícil, impreciso, principalmene quando esa é muio grande ou muio pequena. Exemplos;

Leia mais

MEDIDOR DE VAZÃO TIPO THERMAL

MEDIDOR DE VAZÃO TIPO THERMAL Características Mede vazão de gás em SCFM, Nm³/h, Kg/h, outros. Mede temperatura de processo do gás. Sinal de Saída: 2 x 4-20mA: para vazão e temperatura; Pulsos para totalização de vazão. RS232 para conexão

Leia mais

Termorresistência Modelo TR10-H, sem poço de proteção

Termorresistência Modelo TR10-H, sem poço de proteção Medição elétrica de temperatura Termorresistência Modelo TR10-H, sem poço de proteção WIKA folha de dados TE 60.08 outras aprovações veja página 8 Aplicações Para montagem direta em processo Fabricante

Leia mais

Válvula Direcional 4/3 e 4/2 Acionamento Manual Tipo WMM 10

Válvula Direcional 4/3 e 4/2 Acionamento Manual Tipo WMM 10 RP 30/04.05 Substitui: 03.90 Válvula Direcional 4/3 e 4/ Acionamento Manual Tipo WMM 10 Tamanho Nominal 10 Série 1X Pressão máxima de operação 315 bar Vazão máxima 100 L/min Índice Conteúdo Características

Leia mais

LEICA SPRINTER Nível Electrónico

LEICA SPRINTER Nível Electrónico LEICA SPRINTER Nível Electrónico Sem erros, Simples, Rápido O novo Standard em nivelamento a um preço inacreditável Com o LEICA SPRINTER Você torna-se no topógrafo mais rápido do mundo Fiável Mede a mira

Leia mais

2. DÍODOS DE JUNÇÃO. Dispositivo de dois terminais, passivo e não-linear

2. DÍODOS DE JUNÇÃO. Dispositivo de dois terminais, passivo e não-linear 2. ÍOOS E JUNÇÃO Fernando Gonçalves nsiuo Superior Técnico Teoria dos Circuios e Fundamenos de Elecrónica - 2004/2005 íodo de Junção isposiivo de dois erminais, passivo e não-linear Foografia ânodo Símbolo

Leia mais

TRANSMISSOR DE PRESSÃO

TRANSMISSOR DE PRESSÃO TRANSMISSOR DE PRESSÃO Introdução O desenvolvimento dos transmissores de pressão teve seu início já no século 20, com diferentes tipos de sensores sendo aplicadas em diferentes funcionalidades. A grande

Leia mais

Aula 1. Atividades. Para as questões dessa aula, podem ser úteis as seguintes relações:

Aula 1. Atividades. Para as questões dessa aula, podem ser úteis as seguintes relações: Aula 1 Para as quesões dessa aula, podem ser úeis as seguines relações: 1. E c = P = d = m. v E m V E P = m. g. h cos = sen = g = Aividades Z = V caeo adjacene hipoenusa caeo oposo hipoenusa caeo oposo

Leia mais

3 Metodologia de calibração proposta

3 Metodologia de calibração proposta Metodologia de calibração proposta 49 3 Metodologia de calibração proposta A metodologia tradicional de calibração direta, novamente ilustrada na Figura 22, apresenta uma série de dificuldades e limitações,

Leia mais

Seleção de comprimento de onda com espectrômetro de rede

Seleção de comprimento de onda com espectrômetro de rede Seleção de comprimento de onda com espectrômetro de rede Fig. 1: Arranjo do experimento P2510502 O que você vai necessitar: Fotocélula sem caixa 06779.00 1 Rede de difração, 600 linhas/mm 08546.00 1 Filtro

Leia mais

INSTRUMENTAÇÃO, CONTROLE E AUTOMAÇÃO

INSTRUMENTAÇÃO, CONTROLE E AUTOMAÇÃO INSTRUMENTAÇÃO, CONTROLE E AUTOMAÇÃO Pág.: 1/88 ÍNDICE Professor: Waldemir Loureiro Inrodução ao Conrole Auomáico de Processos... 4 Conrole Manual... 5 Conrole Auomáico... 5 Conrole Auo-operado... 6 Sisema

Leia mais

Saída dupla - 2 NA 16A, interrupção dupla, abertura tanto na fase (L) quanto no neutro N

Saída dupla - 2 NA 16A, interrupção dupla, abertura tanto na fase (L) quanto no neutro N Série - Relé fotoelétrico 12-16 A SÉRIE Características.32.41 Relé para acionamento de lâmpadas em função do nível de luminosidade ambiente Sensor fotoelétrico integrado Montagem em poste ou parede.32-2

Leia mais

Manual de uso. EVD evolution. driver para válvula de expansão eletrônica. Integrated Control Solutions & Energy Savings READ CAREFULLY IN THE TEXT!

Manual de uso. EVD evolution. driver para válvula de expansão eletrônica. Integrated Control Solutions & Energy Savings READ CAREFULLY IN THE TEXT! EVD evoluion driver para válvula de expansão elerônica Manual de uso NO POWER & SINAL CABLES TOETHER READ CAREFULLY IN THE TEXT! Inegraed Conrol Soluions & Energy Savings ADVERTÊNCIAS TRATAMENTO A CAREL

Leia mais

Universidade Federal de Lavras

Universidade Federal de Lavras Universidade Federal de Lavras Deparameno de Ciências Exaas Prof. Daniel Furado Ferreira 8 a Lisa de Exercícios Disribuição de Amosragem 1) O empo de vida de uma lâmpada possui disribuição normal com média

Leia mais

ELECTRÓNICA DE POTÊNCIA II

ELECTRÓNICA DE POTÊNCIA II E.N.I.D.H. Deparameno de Radioecnia APONTAMENTOS DE ELECTRÓNICA DE POTÊNCIA II (Capíulo 2) José Manuel Dores Cosa 2000 42 ÍNDICE Inrodução... 44 CAPÍTULO 2... 45 CONVERSORES COMUTADOS DE CORRENTE CONTÍNUA...

Leia mais

SISTEMA PÚBLICO DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA

SISTEMA PÚBLICO DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA Capiulo V SISTEMA PÚBLICO DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA 5.1 - INTRODUÇÃO I - QUALIDADE DA ÁGUA A água em sua uilização obedece a padrões qualiaivos que são variáveis de acordo com o seu uso (domésico, indusrial,

Leia mais

CALDEIRAS Winter 201 5

CALDEIRAS Winter 201 5 CALDEIRAS 201 Winter 5 CALDEIRAS LENHA 43 54 Lenha SZM W 35 kw Lenha SZM W 35 kw VISTA EM CORTE FRONTAL DA CALDEIRA DE LENHA E PRINCIPAIS COMPONENTES ÁGUA AR 1 ENTRADA DE AR PARA COMBUSTÃO 5 2 MATERIAL

Leia mais

Ampliador com estágio de saída classe AB

Ampliador com estágio de saída classe AB Ampliador com eságio de saída classe AB - Inrodução Nese laboraório será esudado um ampliador com rês eságios empregando ransisores bipolares, com aplicação na faixa de áudio freqüência. O eságio de enrada

Leia mais

Fitting INLINE com turbina para medição de vazão

Fitting INLINE com turbina para medição de vazão Fitting ININE com turbina para medição de vazão Tipo pode ser combinado com N 06 a N 65 Sistema de canalização fechada, i.e. sensor dentro do fitting Tecnologia Quarto de Volta Componentes eletrônicos

Leia mais

Universidade Federal de Pelotas UFPEL Departamento de Economia - DECON. Economia Ecológica. Professor Rodrigo Nobre Fernandez

Universidade Federal de Pelotas UFPEL Departamento de Economia - DECON. Economia Ecológica. Professor Rodrigo Nobre Fernandez Universidade Federal de Peloas UFPEL Deparameno de Economia - DECON Economia Ecológica Professor Rodrigo Nobre Fernandez Capíulo 6 Conabilidade Ambienal Nacional Peloas, 2010 6.1 Inrodução O lado moneário

Leia mais

Campo magnético criado por uma corrente eléctrica e Lei de Faraday

Campo magnético criado por uma corrente eléctrica e Lei de Faraday Campo magnéico ciado po uma coene elécica e Lei de Faaday 1.Objecivos (Rev. -007/008) 1) Esudo do campo magnéico de um conjuno de espias (bobine) pecoidas po uma coene elécica. ) Esudo da lei de indução

Leia mais

Transmissor de Pressão Submersível 2.75

Transmissor de Pressão Submersível 2.75 Folha de Dados Transmissor de Pressão Submersível 2.75 Geral Os transmissores de pressão da MJK foram desenvolvidos para medição de nível pela imersão do transmissor de pressão em tanques abertos, poços

Leia mais

Teoria da Comunicação. Prof. Andrei Piccinini Legg Aula 09

Teoria da Comunicação. Prof. Andrei Piccinini Legg Aula 09 Teoria da Comuniação Pro. Andrei Piinini Legg Aula 09 Inrodução Sabemos que a inormação pode ser ransmiida aravés da modiiação das araerísias de uma sinusóide, hamada poradora do sinal de inormação. Se

Leia mais

Cilindro de bielas de pistão Cilindro de guia Série GPC. Catálogo impresso

Cilindro de bielas de pistão Cilindro de guia Série GPC. Catálogo impresso Cilindro de bielas de Cilindro de guia Série GPC Catálogo impresso 2 Cilindro de bielas de Cilindro de guia Série GPC Cilindro de guia, Série GPC-BV Ø 10-100 mm com efeito duplo mancal liso mortecimento:

Leia mais

I NST R UM ENTAÇÃO I N D UST RI AL EN G3 5 01 P RO F ª. L ET Í CI A CHAV ES FO NSECA

I NST R UM ENTAÇÃO I N D UST RI AL EN G3 5 01 P RO F ª. L ET Í CI A CHAV ES FO NSECA Medição INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL ENG3501 PROFª. LETÍCIA CHAVES FONSECA Medição 1. INTRODUÇÃO 2. CONCEITOS DE PRESSÃO 3. DISPOSITIVOS DE MEDIÇÃO DE PRESSÃO 4. BIBLIOGRAFIA 2 1. Introdução Medição de pressão

Leia mais

Selo diafragma com conexão flangeada Projeto rosqueado e de grande volume Modelo 990.41

Selo diafragma com conexão flangeada Projeto rosqueado e de grande volume Modelo 990.41 Selos diafragma Selo diafragma com conexão flangeada Projeto rosqueado e de grande volume Modelo 990.41 WIKA folha de dados DS 99.32 outras aprovações veja página 3 Aplicações Para montagem (montagem direta,

Leia mais

CAP. 3 - EXTENSÔMETROS - "STRAIN GAGES" Exemplo: extensômetro Huggenberger

CAP. 3 - EXTENSÔMETROS - STRAIN GAGES Exemplo: extensômetro Huggenberger CAP. 3 - EXTENSÔMETOS - "STAIN GAGES" 3. - Extensômetros Mecânicos Exemplo: extensômetro Huggenberger Baseia-se na multiplicação do deslocamento através de mecanismos de alavancas. Da figura: l' = (w /

Leia mais

Adaptado de O Prisma e o Pêndulo as dez mais belas experiências científicas, p. 52, Crease, R. (2006)

Adaptado de O Prisma e o Pêndulo as dez mais belas experiências científicas, p. 52, Crease, R. (2006) PROVA MODELO GRUPO I Arisóeles inha examinado corpos em moimeno e inha concluído, pelo modo como os corpos caem denro de água, que a elocidade de um corpo em queda é uniforme, proporcional ao seu peso,

Leia mais

Válvulas atuadas de controle e on/off KLINGER. Connect With Quality. Richard Klinger Ind. e Com. Ltda

Válvulas atuadas de controle e on/off KLINGER. Connect With Quality. Richard Klinger Ind. e Com. Ltda Connect With Quality Válvulas atuadas de controle e on/off KLINGER Richard Klinger Ind. e Com. Ltda Av. Duque de Caxias, 2001 Jardim Sta. Lúcia CEP 13223-025 Várzea Paulista São Paulo Fone: (11) 4596.9514

Leia mais

Com base no enunciado e no gráfico, assinale V (verdadeira) ou F (falsa) nas afirmações a seguir.

Com base no enunciado e no gráfico, assinale V (verdadeira) ou F (falsa) nas afirmações a seguir. PROVA DE FÍSICA 2º ANO - 1ª MENSAL - 2º TRIMESTRE TIPO A 01) O gráico a seguir represena a curva de aquecimeno de 10 g de uma subsância à pressão de 1 am. Analise as seguines airmações. I. O pono de ebulição

Leia mais

Form. A2 / / 371,214 19,500 SEÇÃO B-B ESCALA 1 : 2 R12. Este desenho contem informação que não podem ser rasuradas ou alteradas. Codigo Des.

Form. A2 / / 371,214 19,500 SEÇÃO B-B ESCALA 1 : 2 R12. Este desenho contem informação que não podem ser rasuradas ou alteradas. Codigo Des. 1 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 A 371,214 A A B 19,500 B B B C 949 864 270 C D D E E 85 40 58 F SEÇÃO B-B ESCALA 1 : 2 F 15 15 30 13 40 R12 G R8 G Form. A2 Este desenho contem informação que não podem ser rasuradas

Leia mais

Form. A2 / / 592,500 371,214 286,500 SEÇÃO B-B ESCALA 1 : 2 R12. Este desenho contem informação que não podem ser rasuradas ou alteradas. Codigo Des.

Form. A2 / / 592,500 371,214 286,500 SEÇÃO B-B ESCALA 1 : 2 R12. Este desenho contem informação que não podem ser rasuradas ou alteradas. Codigo Des. 1 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 A 592,500 371,214 A A B B B B C 949 864 270 C D D E E 85 20 286,500 40 58 45 F SEÇÃO B-B ESCALA 1 : 2 F 15 15 30 10 13 40 R12 G R8 G Form. A2 Este desenho contem informação que

Leia mais

STAP. Reguladores de pressão diferencial DN 65-100

STAP. Reguladores de pressão diferencial DN 65-100 STAP Reguladores de pressão diferencial DN 65-100 IMI TA / Reguladores de pressão diferencial / STAP STAP STAP fl angeada é uma controladora de pressão diferencial de alta performance que mantém constante

Leia mais

INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLE DE PROCESSOS TRANSMISSAO E TELEMETRIA

INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLE DE PROCESSOS TRANSMISSAO E TELEMETRIA INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLE DE PROCESSOS TRANSMISSAO E TELEMETRIA Introdução Frequentemente, o instrumento indicador, controlador, registrador, etc. e instalado a uma distancia considerável do ponto de medição.

Leia mais

Medição de Potência. Jorge Guilherme 2008 #20 2 R. Elementos reactivos ou armazenadores de energia Elementos resistivos ou dissipadores de energia

Medição de Potência. Jorge Guilherme 2008 #20 2 R. Elementos reactivos ou armazenadores de energia Elementos resistivos ou dissipadores de energia Elecrónica de nsrumenação edição de oência Jorge Guilherme 008 #0 oência em.. U ce., ce. Elecrónica de nsrumenação U. [] oência em.a. p( u(. i( [] oência insanânea Num circuio resisivo puro i( u( / u (

Leia mais

ANÁLISE DE ESTRUTURAS VIA ANSYS

ANÁLISE DE ESTRUTURAS VIA ANSYS 2 ANÁLISE DE ESTRUTURAS VIA ANSYS A Análise de esruuras provavelmene é a aplicação mais comum do méodo dos elemenos finios. O ermo esruura não só diz respeio as esruuras de engenharia civil como pones

Leia mais

CURSO E COLÉGIO APOIO. Professor: Ronaldo Correa

CURSO E COLÉGIO APOIO. Professor: Ronaldo Correa CURSO E COLÉGIO APOIO Professor: Ronaldo Correa Holiday - Christmas.mpg medidas 1-Medidas Grandeza tudo aquilo que pode ser medido. Medir comparar com um padrão. No Brasil e na maioria dos países as unidades

Leia mais

INSTRUMENTAÇÃO. Eng. Marcelo Saraiva Coelho

INSTRUMENTAÇÃO. Eng. Marcelo Saraiva Coelho INSTRUMENTAÇÃO CONCEITOS E DEFINIÇÕES Nas indústrias, o termo PROCESSO tem um significado amplo. Uma operação unitária, como por exemplo, destilação, filtração ou aquecimento, é considerado um PROCESSO.

Leia mais

Pressurização. Descrição das séries Wilo-Helix V 2/4/6/10/16. Bombas simples

Pressurização. Descrição das séries Wilo-Helix V 2/4/6/10/16. Bombas simples Descrição das séries Wilo-Helix V 2/4/6/1/16 Versão Bomba centrífuga de alta pressão multiestágio de alta eficiência não autoaspirante em versão vertical, feita completamente em aço inoxidável, com conexões

Leia mais

Diodos. Símbolo. Função (ideal) Conduzir corrente elétrica somente em um sentido. Tópico : Revisão dos modelos Diodos e Transistores

Diodos. Símbolo. Função (ideal) Conduzir corrente elétrica somente em um sentido. Tópico : Revisão dos modelos Diodos e Transistores 1 Tópico : evisão dos modelos Diodos e Transisores Diodos Símbolo O mais simples dos disposiivos semiconduores. Função (ideal) Conduzir correne elérica somene em um senido. Circuio abero Polarização 2

Leia mais

Função de risco, h(t) 3. Função de risco ou taxa de falha. Como obter a função de risco. Condições para uma função ser função de risco

Função de risco, h(t) 3. Função de risco ou taxa de falha. Como obter a função de risco. Condições para uma função ser função de risco Função de risco, h() 3. Função de risco ou axa de falha Manuenção e Confiabilidade Prof. Flavio Fogliao Mais imporane das medidas de confiabilidade Traa-se da quanidade de risco associada a uma unidade

Leia mais

www.cudell.pt B Linha de apoio: Tel. 707 30 50 30

www.cudell.pt B Linha de apoio: Tel. 707 30 50 30 ENCANAMENTOS RÍGIDOS Tubos de Aço sem Costura Abraçadeiras para Tubo Hidráulico Rígido Junções para Tubo Hidráulico Rígido Passadores de Esfera Flanges SAE com Ligação Roscada Máquina Manual de Curvar

Leia mais

Válvula da ilustração: MONOVAR DN2000 (80 )

Válvula da ilustração: MONOVAR DN2000 (80 ) SAPAG MONOVAR é a válvula de dissipação de energia. Características Design extremamente simples (patenteado) Características de cavitação excelentes Regulação de caudal ou de pressão muito precisos Controlo

Leia mais

VISÃO GERAL DOS ACUMULADORES

VISÃO GERAL DOS ACUMULADORES ACUMULADORES VISÃO GERAL DOS ACUMULADORES Designação do tipo Acumuladores de camadas PC Acumuladores de camadas PC 2WR Acumuladores de água fresca FS 1R página 119 página 120 página 161 Acumulador combinado

Leia mais