JUGEND CONTROLE PREDIAL. PROJETO: Memorial Descritivo do Sistema de Cabeamento Estruturado. Obra: Barra Shopping - Expansão VII

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "JUGEND CONTROLE PREDIAL. PROJETO: Memorial Descritivo do Sistema de Cabeamento Estruturado. Obra: Barra Shopping - Expansão VII"

Transcrição

1 PROJETO: Memorial Descritivo do Sistema de Cabeamento Estruturado CLIENTE: Multiplan Empreendimentos Imobiliários Pasta: multiplan_barra_shopping-pro-ec doc DATA: 07/09/2012

2 0 Emissão do Memorial Descritivo EW - EW 07/09/12 REV. REF. DESCRIÇÃO PROJ. DES. RESP. VISTO DATA JUGEND Jugend Engenharia de Automação Ltda. Rua Major Sertório, 332 s São Paulo - SP Tel./Fax: OBRA: Barra Shopping - Expansão VII CLIENTE: Multiplan Empreendimentos Imobiliários DESENHO: TÍTULO: Memorial Descritivo do Sistema de Cabeamento Estruturado ESPECIALIDADE: CLASSE DE PROJETO: Básico 2/0 NO CLIENTE: ARQUIVO: multiplan_barra_shopping-pro-ec doc Proibida toda reprodução ou alteração sem a autorização expressa da Jugend Engenharia de Automação Ltda.

3 Sumário A. OBJETIVO... 4 B. NORMAS E DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA... 4 C. TERMINOLOGIA... 5 D. ESCOPO DE FORNECIMENTO... 6 D.1. PRODUTOS... 6 D.2. SERVIÇOS... 6 E. DESCRIÇÃO GERAL DO SISTEMA... 6 E.1. OBJETIVO... 6 E.2. O SISTEMA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO... 7 E.2.1. O projeto... 7 E.3. O IMÓVEL... 7 E.4. CONCEPÇÃO BÁSICA DO CABEAMENTO ESTRUTURADO... 7 E.4.1. Geral... 7 E.4.2. Pontos de Informação... 8 E Shopping Center...8 E Acesso Externo de Dados...8 E Acesso Externo de TV...8 E Pontos de Voz, Dados e Imagem...8 E Shopping Center...8 E Lojas Âncora...8 E Escritórios...8 E.4.3. Rede de Dados Wireless... 9 E.4.4. Acesso voz, dados e imagem e distribuição para o Shopping... 9 E Voz...11 E Dados...11 E Imagem...11 E Limite previsto de provedores...12 E Sistema de CFTV com endereço IP...12 E Sistema de Automação e Segurança...12 E Filosofia para fornecimento...12 E.5. IMPLANTAÇÃO DO CABEAMENTO ESTRUTURADO Número: JUGEND: multiplan_barra_shopping-pro-ec doc Sumário: i

4 E.5.1. MTR do Shopping E.5.2. Intermediate Telecommunication Room - ITR E.5.3. Distribuição F. REQUISITOS TÉCNICOS F.1. REQUISITOS GERAIS F.1.1. Responsabilidades Gerais F.1.2. Condições Adicionais F.2. PREMISSAS DE PROJETO F.3. PREMISSAS BÁSICAS F.3.1. Cabeamento Horizontal F Concepção...15 F Conectores...15 F Infra-estrutura...16 F Cabos...16 F Jumper-cables...16 F Patch Cords...16 F.3.2. ITR F.3.3. Cabeamento Vertical ou Backbone F Concepção...17 F Conectores...17 F Distribuidor Interno Ótico (DIO)...17 F Sistema de Distribuição Coaxial...17 F Cabos...17 F Infra-estrutura do Backbone Vertical...17 F.3.4. DG F.3.5. Condições ambientais G. REQUISITOS GERAIS DE MONTAGEM E INSTALAÇÃO NA OBRA G.1. MONTAGEM G.2. INSTALAÇÃO H. REQUISITOS DE ACEITAÇÃO H.1. FINALIDADE H.2. SISTEMÁTICA DOS TESTES H.2.1. Instalação H.2.2. Testes e Comissionamento H.2.3. Certificação I. DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA I.1. PROPOSTA I.1.1. Proposta Técnica I.1.2. Proposta Comercial Número: JUGEND: multiplan_barra_shopping-pro-ec doc Sumário: ii

5 I.2. FORNECIMENTO I.2.1. Hardware I.2.2. Serviços de Engenharia I.2.3. Manuais de Manutenção I.3. CRONOGRAMA E GERENCIAMENTO DO PROJETO J. REQUISITOS PARA MANUTENÇÃO J.1. SOBRESSALENTES J.2. EQUIPAMENTOS E INSTRUMENTOS ESPECIAIS J.3. CONDIÇÕES A SEREM ATENDIDAS K. REQUISITOS DE TREINAMENTO K.1. GERAL K.2. CURSOS K.3. TREINAMENTO DO PESSOAL DE OPERAÇÃO E DE MANUTENÇÃO K.3.1. Treinamento no Sistema K.3.2. Treinamento em Manutenção Preventiva e Reconfiguração L. GARANTIA M. ANEXOS... 1 M.1. ANEXO 1 LISTA DE ESCOPO... 1 Número: JUGEND: multiplan_barra_shopping-pro-ec doc Sumário: iii

6 A. Objetivo A presente especificação técnica tem por objetivo estabelecer os requisitos técnicos mínimos estabelecidos pelo Barra Shopping, que deverão ser obedecidos pelo Proponente na elaboração da proposta, quanto ao projeto, transporte, armazenamento, instalação, testes, certificação, assistência técnica, documentação técnica, treinamento e garantia da Memorial Descritivo do Sistema de Cabeamento Estruturado previsto para a Expansão II do Shopping. Esta Especificação, bem como todos os seus anexos e plantas listadas a seguir, serão partes integrantes do contrato de compra do sistema entre o Shopping e o Proponente Vencedor. O Projeto Básico do Sistema de Distribuição de Telecomunicações inicia-se pelo Resumo de Funções do Empreendimento, abordando todas as funções a serem cumpridas pelo Cabeamento Estruturado. Com a aprovação deste documento pelo Shopping, o mesmo foi compatibilizado com os demais projetos, com o objetivo de viabilizar as funções aprovadas mediante a correta especificação das interfaces correspondentes. A partir deste ponto, com todas as funções e interfaces claramente definidas, a Jugend efetuou o dimensionamento do sistema, definindo sua arquitetura básica, locação de Rack s e especificações técnicas dos principais elementos componentes do sistema. Foram efetuados todos os levantamentos necessários para o projeto de instalação do sistema e a elaboração da Especificação de Compra do mesmo, que corresponde ao conjunto de documentos destinados à sua aquisição. Integram esta especificação de compra os seguintes documentos: Cabeamento Estruturado Descrição Nome do Arquivo revisão Nível Lagoa 01-barra_shopping-cab-R04.dwg 04 Nível Américas 02-barra_shopping-cab-R04.dwg 04 Nível Escritórios (+14,22) 03-barra_shopping-cab-R04.dwg 04 Nível Escritórios (+19,67) 04-barra_shopping-cab-R04.dwg 04 Especificações e Listas de Escopo Descrição Nome do Arquivo revisão Memorial Descritivo multiplan_park_shopping-pro-ec doc 0 Lista de Escopo de Cabeamento multiplan_park_shopping-pro-es xls 0 Tabela 1: Lista de Documentos. Além destes, integram esta especificação de compra os seguintes documentos: Projeto Arquitetônico; Projeto Elétrico. B. NORMAS E DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA Todo o fornecimento de equipamentos e serviços executados pelo Proponente deverá obedecer às determinações dessa especificação e atender as normas da ABNT e as internacionais recomendadas, prevalecendo, quando em dúvida, a mais restritiva entre elas. Número JUGEND: multiplan_barra_shopping-pro-ec doc Folha: 4

7 A edição válida de cada norma será a vigente na data de apresentação da proposta pelo Proponente, não desprezando revisões futuras. ANSI/EIA/TIA-568B: Commercial Building Telecommunications Cabling Standard; EIA/TIA-569: Commercial Building Standard for Telecommunications Pathways and Spaces; EIA/TIA-606: The Administration Standard for the Telecommunications Infrastructure of Commercial Buildings; NBR 5410: Norma Brasileira de Instalações Elétricas de Baixa e Média Tensão. Onde essas normas forem omissas e quando não houver menções específicas, poderão ser utilizadas outras normas estrangeiras, desde que haja aquiescência da Soifer Participações. C. TERMINOLOGIA É objetivo deste item à conceituação dos termos, siglas e abreviações utilizadas na especificação. Termo CCO Redundância Retrofit CFTV ITR DG POP Backbone ADSL Zone Wired Patch Panel Jumper Cables WKS Pocket PC Significado Centro de Controle Operacional, possuindo equipamentos que permitem a supervisão e controle de todos os sistemas do Barra Shopping. Uso de dois equipamentos distintos capazes de realizar a mesma função, com o objetivo de conferência ou substituição em caso de falha. Reforma, modificações - É o nome dado à intervenção em empreendimentos imobiliários não importando qual seja a abrangência, incluindo desde a reforma de um empreendimento até reformas específicas, como por exemplo, as de automação, segurança e comunicações. O objetivo do retrofit é sempre a atualização e modernização do imóvel. Sistema de Circuito Fechado de TV; Intermediate Telecommunications Room ou Salas de Comunicação; Distribuidor Geral, contendo os equipamentos centrais de voz, dados e imagem; Point of Presence, ou local onde têm acesso as provedoras de serviços de telefonia, dados e imagem. Espinha Dorsal, ou Cabeamento Principal de um sistema de distribuição de dados. Assinante Digital Sobre Linha Física. Cabeado por Zona. Painel de Conexões. Cabos de Interconexão Assinante Digital Sobre Linha Física. Computador de Bolso (Portátil). Tabela 2: Terminologia. Número JUGEND: multiplan_barra_shopping-pro-ec doc Folha: 5

8 D. ESCOPO DE FORNECIMENTO D.1. Produtos Os seguintes produtos devem ser incluídos no Contrato: Todo o Hardware necessário à implantação do Cabeamento Estruturado, conforme especificado no Anexo 1. D.2. Serviços Os seguintes serviços devem ser incluídos no Contrato: Projeto Executivo de todo o sistema; Revisão do projeto de instalação de infra-estrutura para a adequação ao caso particular do sistema a ser fornecido; Complementação necessária às instalações já projetadas, para a adaptação às peculiaridades de seu sistema; Acompanhamento das obras civis porventura necessárias, referentes à implantação do projeto executivo de instalação; Instalação do sistema; Testes, ajustes e configuração em campo, incluindo certificação categoria 6 para o cabeamento metálico UTP; Reconfiguração do Sistema após 30 dias; Treinamento em manutenção do Sistema; Documentação gráfica e Banco de Dados (SQL) de tudo que foi fornecido, permitindo a rápida localização de qualquer tópico desejado, dentro da documentação, atendendo à norma EIA/TIA 606; Manuais de Configuração e Manutenção; Desenhos as-built após a Certificação. E. DESCRIÇÃO GERAL DO SISTEMA E.1. Objetivo Esta especificação estabelece os requisitos funcionais mínimos exigidos pelo Barra Shopping para o Sistema de Cabeamento Estruturado Expansão VII. Como o mesmo já existe e esta em pleno funcionamento foi criada uma nova entrada de serviço para as operadoras, um novo POP/DG e uma nova sala MTR, além de novos ITR s. Entretanto os sistemas deverão se interligar garantindo assim comunicação entre a parte existente e a nova. Esta integração se dará através de eletrocalha que segue do MTR novo até o DG existente. Este projeto foi orientado tomando como premissa básica que se trata de um Shopping Center, com todas as necessidades decorrentes no que diz respeito à sua modernização e atendendo às especificações fundamentais pertinentes. Este ponto deve ser objeto de avaliação detalhada por parte do Proponente, objetivando o atendimento integral das especificações aqui contidas. Número JUGEND: multiplan_barra_shopping-pro-ec doc Folha: 6

9 E.2. O Sistema de Cabeamento Estruturado E.2.1. O projeto O Sistema de Cabeamento estruturado do Barra Shopping foi elaborado seguindo a seqüência seguinte: Elaboração e aprovação do Resumo de Funções. Com isto, definiu-se o conjunto de recursos oferecidos pelo sistema aos usuários do Prédio; Elaboração da Lista de Escopo do Cabeamento Estruturado (Anexo 1 deste documento), de forma a atender a todas as necessidades levantadas para o prédio; Definição da arquitetura do sistema, com os ITR s, níveis e padrões de redes possíveis de trafegarem pelo sistema projetado, número de pontos projetados, interfaces com links externos, etc; E.3. O imóvel O Barra Shopping - Expansão VII tem a seguinte composição: Barra Shopping Item Pavimento Composição p541-pe-02-a-02h-planta-baixanivel-lagoa r03.dwtários, hall de estacionamento VIP, Casas de Máquinas; Estacionamento Coberto, MTR, POP/DG, ITR s, lojas, sani- Nível Lagoa p541-pe-03-a-03i-planta-baixanivel-americas r03.dwg Escritórios, Lojas; Estacionamento Descoberto, Acesso ao Shopping e aos Nível Américas p541-pe-04-a-04b-planta-baixanivel-escritorios r02.dwg (+14,22) Nível Escritórios Escritórios, Áreas Técnicas, CAG, SE s, etc.; p541-pe-05-a-05b-planta-baixanivel-escritorios r02.dwg (+19,67) Nível Escritórios Escritórios; p541-pe-06-a-06b-planta-nivelcobertura-+25,12--r02.dwg Nível Cobertura Área Técnica dos Escritórios; Tabela 3: Descrição Barra Shopping. E.4. Concepção Básica do Cabeamento Estruturado E.4.1. Geral Os sistemas de comunicação são agrupados em três tipos distintos: Voz - Telefonia; Dados - rede de computadores, acesso à Internet, acesso a Links de Dados de Cartões de Crédito, TEF, e previsão de link s de alta velocidade (via cabo ou via satélite); Imagem Circuito Fechado de TV, TV Aberta e TV a Cabo. Estes sistemas deverão possibilitar: Acesso a backbones óticos de telefonia disponibilizados pelas concessionárias; Acesso a backbones de alta velocidade para dados; Acesso a backbones coaxiais para dados e imagem; Acesso a linhas físicas para telefonia; Número JUGEND: multiplan_barra_shopping-pro-ec doc Folha: 7

10 Previsão para conexão via satélite na Central do Shopping e distribuição para os setores do empreendimento; Central de Comunicações do Shopping para voz, dados e imagem; Rede de voz, dados e imagem estruturada, interligando a Central de Comunicações, as áreas comuns, lojas e outros. E.4.2. Pontos de Informação E Shopping Center O Sistema de distribuição de Telefonia e de Rede de Computadores será realizado através de uma pré-cablagem que garanta que os elementos disponíveis sejam distribuídos em todos os ambientes de interesse, com os pontos de conexão em tomadas padrão tipo RJ 45 para voz e dados e tipo F para imagem. E Acesso Externo de Dados Através dos link's de dados poderão ser fornecidos os serviços de Telefonia, acesso à Internet, acesso a TV a Cabo e Aberta, Link s via Satélite, entre outros. E Acesso Externo de TV Os links externos de TV como TV a Cabo, TV Aberta, Redes de Notícias, Redes de Informações Financeiras etc, serão encaminhados ao MTR, sendo posteriormente distribuídos via Rede de Cabos padrão RG-6. E Pontos de Voz, Dados e Imagem Está prevista a distribuição de pontos de voz, dados e imagem às unidades fim do Shopping conforme a seguir. Cada ponto de informação pode ser configurado como voz ou como dados. E Por Loja/Quiosque: Shopping Center Disponibilizados em uma Caixas MUTOA ou closet de loja; 3 pontos de Informação para cada Loja (em cabo UTP Cat.6); 1 ponto de Imagem para cada Loja (em cabo RG-6); Distribuição dos Pontos: E Acesso a Redes de Cartões de Crédito - pelo ponto de Rede; Acesso para rede de Transferência Automática de Fundos - TEF - pelo ponto de Rede; Telefonia convencional ou Voz sobre IP pelo ponto de Voz; Lojas Âncora 6 pontos de voz/dados; 1 Fibra Óptica - 1 par; 1 Pontos de Imagem; E Escritórios 6 pontos de voz/dados; 1 Fibra óptica 1 par; 2 Pontos de Imagem; Obs: Previsto quatro quadros com a quantidades de pontos descrita acima para cada andar de escritórios. Número JUGEND: multiplan_barra_shopping-pro-ec doc Folha: 8

11 E.4.3. Rede de Dados Wireless Além do sistema convencional descrito nos itens acima, o empreendimento contará com uma rede sem fio que possibilitará o acesso à internet e intranet de qualquer local do mall do Shopping, na parte condominial. Para as lojas, poderá haver redes wireless privativas, de responsabilidade de cada lojista. Foram previstos pontos de dados da rede wired, para conexão com os access points destinados à ativação das antenas do sistema wireless. Os pontos de Alimentação elétrica dos Access points devem vir da rede estabilizada de Automação. Estes pontos já estão previstos nos projetos de Automação. E.4.4. Acesso voz, dados e imagem e distribuição para o Shopping O sistema de acesso para o Shopping pode ser visto na Figura 1 a seguir: Número JUGEND: multiplan_barra_shopping-pro-ec doc Folha: 9

12 Fig.01: Diagrama em Blocos Cabeamento Estruturado Barra Shopping. Ainda na figura 2 abaixo podemos ver os tipos de conexões disponíveis: Número JUGEND: multiplan_barra_shopping-pro-ec doc Folha: 10

13 ITR UTP-Cat.6 Work Station (Intranet / Internet) UTP-Cat.6 Telefone IP ou convencional UTP-Cat.6 TV Convencional, LCD ou Plasma UTP-Cat.6 Terminal Multimídia UTP-Cat.6 T UTP-Cat.6 Access Point Rede Wireless Notebook Câmera IP (CFTV) PDA Figura 2: Diagrama ITR x Utilidades E Voz Para voz, o backbone disponibilizado se interligará as concessionárias disponíveis no DG e alimentarão os racks. O sistema de telefonia está sendo previsto com duas alternativas: Telefonia VoIP, utilizando a rede de dados do prédio; Telefonia digital normal. Nesta opção, o backbone vertical conterá cabos CI em estrela, destinados a cada um dos pavimentos a partir do DG no Nível Lagoa. Nos pavimentos, estes cabos são conectados em patch panels nos Intermediate Telecommunications Room ITR s - e disponibilizados para atenderem os setores e pontos definidos para receberem ramais. O atendimento dentro dos pavimentos ocorrerá através de cabos UTP Cat. 6. E Dados Da mesma forma prevista para voz o backbone previsto chegará até o DG e se interligará as concessionárias disponíveis. Cada ITR receberá então, para efeitos de dados, fibra ótica de 2 pares via o backbone vertical. O padrão do prédio é então a rede em cabo de Fibra Ótica, de forma a manter tanto o Switch do DG como os Switches dos ITR s nesta opção. Nos pavimentos, estes pontos são conectados aos patch panels dos ITR s para montagem e distribuição das redes internas das unidades, que ocorre por cabo UTP até os pontos físicos. E Imagem Para imagem, é previsto o acesso ao Shopping de até três provedores de TV a Cabo. Para tanto, o DG deverá prever estas entradas, os espaços e o cabeamento para a instalação por estes de seus equipamentos específicos e a conexão dos mesmos a patches coaxiais no DG. De cada ITR, descem pelo backbone vertical três lances de cabo coaxial, que também ficam disponibilizados no DG. Número JUGEND: multiplan_barra_shopping-pro-ec doc Folha: 11

14 Assim, cada provedor instala seus equipamentos e os conecta ao patch panel, efetuando a conexão aos setores que definam esta necessidade, utilizando jumper cables coaxiais. E Limite previsto de provedores O sistema projetado contempla até o seguinte número de provedores possíveis, conforme figura 1: Dados: Até quatro provedores com possibilidade de expansão; Voz: Até quatro provedores com possibilidade de expansão; Imagem: Até três provedores com possibilidade de expansão pela rede óptica (IP TV). E Sistema de CFTV com endereço IP É parte do fornecimento do sistema de cabeamento estruturado os pontos de rede para cada uma das câmeras de CFTV constantes do projeto de automação e segurança. Para tanto foi deixado espaço no Rack padrão 19 de 44 U s em cada ITR que acomodarão os pontos das câmeras. No backbone foi previsto uma fibra adicional para atender exclusivamente o sistema de CFTV, mas não obrigatoriamente, assim todos os cabos de Fibra Óptica deverão ser acomodados no Rack de cabeamento (com intuito de utilizar apenas um DIO), e um Jumper Cable deverá ser utilizado para habilitar os switch s de CFTV que deverão ser PoE. E Sistema de Automação e Segurança É parte do fornecimento do sistema de cabeamento estruturado os pontos de rede para os itens constantes do projeto de automação e segurança, como Controladoras de Rede etc. Assim foram adicionados 4 pontos em cada ITR para atender ao sistema de Automação. E Filosofia para fornecimento As premissas adotadas para a implantação de voz, dados e imagem são as seguintes: Voz: Será prevista toda a infra-estrutura para a compatibilização com as instalações existentes. Dados: Será prevista a infra-estrutura de cabeamento e para os equipamentos constantes do MTR (Roteadores, Firewall e Switches), e dos ITR s (Switches). O cabeamento da rua até o DG, bem como os racks e equipamentos contidos nestes são de responsabilidade das operadoras. O cabeamento dos ITR até o MTR, serão de responsabilidade da Instaladora. Imagem: Será previsto no backbone 3 lances de Cabo RG-11 que servirão para atendimento a futuros pontos de imagem porventura a serem utilizados no Shopping. Estes também serão acomodados nos Racks de Cabeamento. Ainda foi criado na cobertura um POP de Antenas para acomodar as antenas de lojas que utilizam links de satélite ou links do póprio Shopping. E.5. Implantação do Cabeamento Estruturado De forma a atender à concepção básica definida em E.4, o cabeamento estruturado do Shopping deve atender as premissas de implantação a seguir. E.5.1. MTR do Shopping Será criada uma nova sala de POP/DG e MTR para acomodar a nova entrada de cabos das operadoras. Porém haverá a possibilidade de integração com o DG existente, através de calhar correndo pela cobertura. Número JUGEND: multiplan_barra_shopping-pro-ec doc Folha: 12

15 E.5.2. Intermediate Telecommunication Room - ITR Os pontos por pavimento e por ITR estão na tabela a seguir. Distribuição de Pontos por ITR Voz ITR Localização/Pavimento F.O. Wireless Dados Aberto Fechado VoIP Imagen CFTV/Automação 1 Nível Lagoa Nível Lagoa Nível Lagoa Nível Lagoa Nível Lagoa Nível Lagoa Nível Escritório +14, TOTAL = E.5.3. Distribuição No Shopping Expansão VII haverá um total de 7 ITR s. Estes ITR s deverão ser constituídos de Patch Panels através dos quais serão configuradas as conexões com os Switches, Distribuidores de RF etc. O Patch Panel deverá possibilitar a reconfiguração a qualquer tempo, através do realinhamento de Jumper cables, de todas as conexões de dados, voz e imagem de cada pavimento. Para o Sistema de Dados o DG será interligado a cada ITR através de um backbone com cabos de Fibra Ótica. Todo o Cabeamento UTP a ser implementado deverá ser Certificado para Categoria 6 do Fabricante escolhido. O Sistema de Voz terá previsão de se interligar as concessionárias no MTR. Seus Ramais estarão conectados ao Patch Panel ou a Blocos IDC (se Digital Tradicional) do mesmo e a partir deste, interligado a cada ITR através de um Backbone de cabos CCI, dimensionado de acordo com cada ITR (para a versão digital tradicional). O Sistema de Transmissão via Coaxial terá filosofia semelhante, com o recebimento dos sinais de entrada em Patches Coaxiais no MTR e sua distribuição aos ITR s através do Backbone, com os cabos Coaxiais RG-11 necessários para cada ITR. O Projeto segue as recomendações das normas internacionais para cabeamento estruturado (EIA/TIA 568/569). Número JUGEND: multiplan_barra_shopping-pro-ec doc Folha: 13

16 F. REQUISITOS TÉCNICOS F.1. Requisitos Gerais F.1.1. Responsabilidades Gerais O Fornecimento do Sistema de Cabeamento Estruturado deve ser realizado na modalidade Turn-Key. O Fornecedor deve prover toda a mão-de-obra, materiais, equipamentos, serviços e itens adicionais necessários ao projeto, configuração, comissionamento e colocação em serviço do Sistema de Cabeamento Estruturado especificado neste documento. Materiais não orçados, porém necessários à implantação do sistema serão de plena responsabilidade do fornecedor, não podendo em hipótese nenhuma ser objeto de aditivos. Somente itens adicionais solicitados por escrito pelo Shopping, que não estejam incluídos no escopo inicial, poderão ser cobrados a parte. Os espelhos cegos das caixas instaladas em paredes para pontos de telefonia serão de responsabilidade do Fornecedor, assim como espelhos para mobiliário. O Fornecedor deve analisar o projeto de Instalação e demais que tenham relação com o Sistema de Cabeamento Estruturado. Deve verificar cuidadosamente as interfaces, lógicas e demais aspectos destes projetos, aprová-los neste sentido ou efetuar os comentários correspondentes, solicitando as correções necessárias à correta operação integrada. Após a aprovação destes projetos, o Fornecedor do Sistema de Cabeamento Estruturado se tornará totalmente responsável pela integração do seu fornecimento ao Shopping, não cabendo qualquer repasse de responsabilidade a nenhum dos projetistas e/ou instaladores do sistema supramencionados. Reclamações somente serão julgadas procedentes no caso de haver alteração em algum dos projetos citados sem a devida comunicação ao Fornecedor do Sistema de Cabeamento Estruturado. F.1.2. Condições Adicionais O Fornecedor do Sistema será responsável pela integração do seu sistema a todos os demais sistemas instalados no empreendimento. Deverá analisar e aprovar todas as interferências entre o Sistema de Cabeamento Estruturado e os demais existentes no empreendimento. Após esta análise e o apontamento de modificações que julgue necessárias, tornase integralmente responsável pelo Sistema de Cabeamento Estruturado, bem como das interfaces que o mesmo tenha que realizar. O Proponente deve comprovar, de forma a não deixar dúvidas, que equipamentos não fabricados no país terão suporte adequado em território nacional do ponto de vista técnico, tecnológico e de manutenção. Deverá ser comprovada a intenção do fabricante destes equipamentos de se instalar efetivamente em território nacional, no sentido de prover os equipamentos que irão compor este fornecimento de todas as condições de apoio necessárias à Operação e Manutenção do Sistema, por um prazo mínimo de 20 anos a partir do fim do período de Garantia, conforme determinado no Escopo de Fornecimento. F.2. Premissas de Projeto O projeto deverá seguir o estabelecido nas normas de cabeamento, EIA/TIA 568B e 569 em suas últimas versões, e as demais aplicáveis, conforme Capítulo B desta especificação. Número JUGEND: multiplan_barra_shopping-pro-ec doc Folha: 14

17 F.3. Premissas Básicas O Sistema de Cabeamento Estruturado será baseado em uma estrutura Zone Wired com 2 interposições: DG - No L1, recebe os cabos das Concessionárias e provê a distribuição do Backbone para o Prédio; ITR s - Instalados conforme plantas de Cabeamento Estruturado, fazem a conexão entre o Backbone e o Cabeamento Horizontal ou Radial para as áreas dos Pavimentos. O Sistema de Cabeamento Estruturado especificado para o Shopping deverá ser composto por dois subsistemas, de forma a atender às premissas colocadas de projeto: Cabeamento Vertical ou Backbone É a rede que conecta os diversos pavimentos do Prédio; Cabeamento Horizontal É a rede interna que atende às áreas comuns, privativas. Deve possuir o seu projeto baseado nos seguintes conceitos: Deve ser compatível com os diversos padrões de rede existentes hoje no mercado, aceitando pelo menos os seguintes: Ethernet 10BaseT, Ethernet 100BaseTX, Gigabit Ethernet, 10 Gigabits, respeitadas as especificações estabelecidas para: Backbone de Dados; Backbone de Voz; Backbone Coaxial. A configuração dos pontos depende da especificação de necessidade de cada usuário em cada setor, sendo mutável em qualquer tempo dentro das premissas estabelecidas. Desta forma, o projeto prevê um operador do sistema que ficará encarregado e responsável pelas mudanças de configuração em cada um dos pontos do Shopping. Este operador deverá ser treinado de forma a conhecer o sistema de cabeamento que será fornecido, bem como deve receber a documentação atualizada a cada modificação; A documentação padrão do Sistema e de suas partes deverá ser totalmente editada em português, incluindo especificações padronizadas, literaturas técnicas de suporte, documentação de instalação, operação e manutenção, além dos demais documentos necessários à total compreensão, operação e manutenção do sistema proposto; Toda a parte de cabeamento metálico do projeto deve ser certificado CAT-6. F.3.1. Cabeamento Horizontal F Concepção O Cabeamento Horizontal deverá ser centralizado nos ITR s. Estes ITR s deverão ser constituídos de um Patch Panel através do qual serão configuradas as conexões com os Switches, Distribuidores de F.O., Distribuidores de RF e Telefonia. A distribuição dos pontos de voz e dados, a partir dos Patch Panel, será executada em cabo UTP CAT 6 para voz e dados ou Cabo Coaxial RG-6 para vídeo. Este Patch Panel deverá possibilitar a reconfiguração a qualquer tempo, através do realinhamento de jumper cables, de todas as conexões de dados, voz e TV. Os pontos de voz ou de dados serão distribuídos através de eletrodutos e eletrocalhas, ou sobre o forro ou embutidos quando necessário. O Patch Panel deverá ter a capacidade de atender a 100% dos pontos como pontos de telefone e deverá prever os espaços necessários para a instalação de Switches para dados com a mesma capacidade. F Conectores Para todos os pontos de usuários servidos pelo Cabeamento Estruturado deverá ser prevista a instalação de Conectores RJ-45 Fêmea para voz e dados. Estes pontos serão distribuídos conforme especificado nas plantas. Para pontos do Sistema Coaxial (TV Aberta ou a Cabo ou outros serviços), deverão ser fornecidos conectores tipo "F". Todos os conectores deverão estar identificados de acordo com seu arranjo no ITR, nas duas pontas. Número JUGEND: multiplan_barra_shopping-pro-ec doc Folha: 15

18 F Infra-estrutura Para as áreas de maior abrangência, as regras são as que seguem: Geral: A distribuição dos pontos no edifício será efetuada pelo teto, até as tomadas, de acordo com o projeto. Para cada ponto de piso, o cabo de voz, dados e elétrica deverá ter uma folga de 4 m, de forma que o ponto tenha flexibilidade de movimentação para alteração de posição física. Dentro dos racks, deverá ser deixada uma folga mínima de 3 m. As tomadas de pisos, com pelo menos um ponto de voz, um de dados e um de elétrica estabilizada, terão proteções contra pó. A proteção deverá fechar-se mesmo com o cabo plugado ao conector. A partir destes pontos, serão utilizados Patch Cords, que poderão atender diretamente o equipamento de voz e/ou dados e/ou imagem. F Cabos Para os lances entre os pontos de voz e dados dos usuários e os ITR s dos Pavimentos deverão ser utilizados Cabos UTP - CAT 6, 24 AWG, 4 pares de fio rígido para cada ponto. A Temperatura de Operação é de -20 a 70 o C. Para lances de cabos coaxiais deverão ser utilizados cabos RG-6. F Jumper-cables Para a Interligação dos Patch Panels com os Switches ou Patches de Telefonia no ITR deverá ser utilizado o Jumper Cable, com as mesmas especificações descritas acima, porém flexível. Para Interligação dos Patches Óticos deverão ser utilizados Jumpers Óticos cujas fibras seguirão as mesmas considerações dos Cabos Óticos descritos a seguir. Para Interligação dos Patches Coaxiais deverão ser utilizados Jumpers Coaxiais RG-6 flexíveis. Em nenhuma destas situações, os Jumper Cables poderão ultrapassar 5 m de comprimento. Todos os Jumper Cables deverão estar identificados nas duas pontas de acordo com a arrumação do ITR, separados em cores para voz e para dados. F Patch Cords Para conectar os Computadores às Tomadas RJ-45, deverão ser utilizados Patch Cords, que são cabos de 2,5 m de comprimento com conectores RJ-45 nas extremidades, também utilizando cabos flexíveis. F.3.2. ITR Os ITR s deverão ser compostos por Racks padrão 19" que abrigarão os Blocos de Conexão IDC, para conexão dos Lances de Telefonia no caso da alternativa ser a da telefonia digital tradicional. Estes Racks deverão abrigar para dados Patches RJ-45, Patches Óticos para fibras. Para imagem, Patches Coaxiais com os respectivos condicionadores para Cabo Coaxial. A Tabela abaixo detalha cada um dos ITR s e deverá ser confirmada e preenchida quando da execução do Projeto Executivo pelo Proponente Vencedor. ITR Pavimento Dados Voz Imagem Switches 1u Total Total Número JUGEND: multiplan_barra_shopping-pro-ec doc Folha: 16

19 Os Racks deverão ter porta com chave, que será mestra para todos os racks, para que toda a manutenção seja frontal. Os cabos deverão ser agrupados e fixados através de Organizadores de Cabos Verticais e Horizontais e deverão estar todos identificados, assim como os conectores nos Patches. Estes equipamentos deverão possibilitar a configuração e reconfiguração e/ou inserção de qualquer ponto de Rede Telefone x Imagem, através do realinhamento dos Jumper cables. Todos os elementos deverão ser Categoria 6 suportando operação em temperaturas de -20 a 70 o C. F.3.3. Cabeamento Vertical ou Backbone F Concepção O Backbone do Prédio deve ser composto por três partes diferentes, com as seguintes funções: F Telefone: Cabos CI de 50, 100 e 200 pares para a alternativa digital tradicional ou via o Cabeamento de Dados para a alternativa VoIP; Dados: Cabos de Fibra Ótica de 4 vias (dois para cada ITR) sendo um deles backup; Coaxial: Cabos RG-11, um para cada provedor definido. Conectores Para o Sistema de Telefonia (alternativa digital tradicional) serão utilizados blocos IDC nos Patch Panels dos ITR s e do MTR. Todos os elementos deverão ser Categoria 6, suportando operação em temperaturas de -20 a 70 o C (para os cabos chegando do backbone vertical). Para os cabos óticos deverão ser utilizados, tanto no ITR como no MTR, conectores SC 586SC. Quando não utilizados, deverão possuir tampas para fechamento das conexões. Para os cabos UTP deverão ser utilizados conectores RJ-45. Para a distribuição via cabos coaxiais, deverão ser utilizados conectores tipo "F". F Distribuidor Interno Ótico (DIO) Deverão ser utilizados DIO s para 8 pares de fibras com os adaptadores SC e os suportes e cordões necessários para as conexões com os cabos óticos e os respectivos Patches Óticos. F Sistema de Distribuição Coaxial Deverão ser utilizados patches para 16 cabos com conectores F e os suportes e cordões necessários para as conexões com os cabos coaxiais e os respectivos Patches. F Cabos Para os Lances de Voz entre os ITR s e o MTR (Backbone Vertical na alternativa tradicional), deverão ser utilizados Cabos CI de 25, 50, 100 e 200 pares de fio rígido. A Temperatura de Operação deverá ser de -20 a 70 o C. Para VoIP, cabos UTP Cat 6. Para os Lances de Rede de Dados entre os ITR s e o MTR (Backbone Vertical), deverão ser utilizados: Cabos UTP Cat 6 e/ou Cabos de Fibra Ótica Multímodo - Índice Gradual de 62,5/125 mm com quatro pares de fibras. Para os Lances de Link s Externos e CATV entre os ITR s e o MTR deverá ser utilizado cabo RG-11. F Infra-estrutura do Backbone Vertical São utilizadas Eletrocalhas Metálicas, correndo por prumadas específicas. São utilizadas eletrocalhas separadas, ou com septos, para cabos UTP, F.O. e Coaxiais. Todos os racks deverão ser aterrados. Número JUGEND: multiplan_barra_shopping-pro-ec doc Folha: 17

20 F.3.4. DG O DG deverá ser composto por Racks padrão 19 para montagem em piso (serão aceitos racks abertos apenas dentro do DG), que abrigarão os Patch Panels de conexão dos Lances de Dados, de Voz e Coaxial. Nestes Racks serão instalados os DIO s, os Patches Óticos, Patches RJ 45 e os Patches para Cabo Coaxial. Os Racks deverão ter ventilação forçada com filtro de ar para o arrefecimento dos equipamentos eletrônicos. Os cabos deverão ser agrupados e fixados através de Organizadores de Cabos e deverão estar todos identificados, assim como os conectores no Patch. Este equipamento deverá possibilitar a configuração e reconfiguração e/ou inserção de qualquer ponto da Rede de Telefonia e Imagem através do realinhamento dos Jumper cables. F.3.5. Condições ambientais O DG deverá possuir equipamentos de ar condicionado com backup. Número JUGEND: multiplan_barra_shopping-pro-ec doc Folha: 18

JUGEND CONTROLE PREDIAL. PROJETO: Memorial Descritivo do Sistema de Cabeamento Estruturado. Obra: Shopping Metropolitano

JUGEND CONTROLE PREDIAL. PROJETO: Memorial Descritivo do Sistema de Cabeamento Estruturado. Obra: Shopping Metropolitano PROJETO: Memorial Descritivo do Sistema de Cabeamento Estruturado CLIENTE: CYRELA COMMERCIAL PROPERTIES Pasta: cyrella_metropolitano-pro-ec-2-1-2012.doc DATA: 05/04/2012 1 Revisão de Escopo Devido Compatibilização

Leia mais

JUGEND CONTROLE PREDIAL. Sistema de Cabeamento Estruturado Resumo de Funções. OBRA: Shopping Metropolitano

JUGEND CONTROLE PREDIAL. Sistema de Cabeamento Estruturado Resumo de Funções. OBRA: Shopping Metropolitano Sistema de Cabeamento Estruturado Resumo de Funções OBRA: CLIENTE: Cyrela Commercial Properties Camargo Correa Desenvolvimento Imobiliário Pasta: cyrella_metropolitano-pro-rf-2-2-2011.doc DATA: 24/10/2011

Leia mais

CABEAMENTO ESTRUTURADO NORMAS AMERICANAS EIA/TIA

CABEAMENTO ESTRUTURADO NORMAS AMERICANAS EIA/TIA CABEAMENTO ESTRUTURADO NORMAS AMERICANAS EIA/TIA NORMAS AMERICANAS EIA/TIA EIA/TIA 568-B: Commercial Building Telecomunications Cabling Standard Essa norma de 2001 é a revisão da norma EIA/TIA 568-A de

Leia mais

APRENDIZAGEM INDUSTRIAL. UNIDADE 3 Técnicas de cabeamento

APRENDIZAGEM INDUSTRIAL. UNIDADE 3 Técnicas de cabeamento APRENDIZAGEM INDUSTRIAL UNIDADE 3 Técnicas de cabeamento O cabeamento horizontal Compreende os segmentos de cabos que são lançados horizontalmente entre as áreas de trabalho e as salas de telecomunicações

Leia mais

Aula 4b Elementos da Infraestrutura

Aula 4b Elementos da Infraestrutura Aula 4b Elementos da Infraestrutura Prof. José Maurício S. Pinheiro 2010 1 Elementos de Infra-estrutura São utilizados em projetos de sistemas de cabeamento para estabelecer o tráfego de voz, dados e imagens,

Leia mais

EM 1991 a EIA (Eletronic Industries Association) publicou um padrão para cabeamento de telecomunicações

EM 1991 a EIA (Eletronic Industries Association) publicou um padrão para cabeamento de telecomunicações Laboratório de Redes. Cabeamento Estruturado Pedroso 4 de março de 2009 1 Introdução EM 1991 a EIA (Eletronic Industries Association) publicou um padrão para cabeamento de telecomunicações de edifícios

Leia mais

InfraEstrutura de Redes

InfraEstrutura de Redes Faculdade Anhanguera de São Caetano do Sul InfraEstrutura de Redes Curso: Tecnologia em Redes de Computadores Prof:Eduardo M. de Araujo Site-http://www.professoreduardoaraujo.com Cabeamento Estruturado

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Curso Tecnológico de Redes de Computadores Disciplina: Infraestrutura de Redes de Computadores - 1º período Professor: José Maurício S. Pinheiro AULA 04 Sistemas

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Curso Tecnológico de Redes de Computadores Disciplina: Infraestrutura de Redes de Computadores - 1º período Professor: José Maurício S. Pinheiro AULA 01 Conceitos

Leia mais

Cabeamento Estruturado. Norma 568

Cabeamento Estruturado. Norma 568 Cabeamento Estruturado Norma 568 1 Resumo Evolução da Norma; Onde e como utilizar a norma; Conhecer como a norma ANSI/EIA/TIA 568B está dividida em subsistemas; D e s c r e v e r a s c a r a c t e r í

Leia mais

PROJETO DE REDE LOCAL E BACKBONE

PROJETO DE REDE LOCAL E BACKBONE São Paulo, 29 de julho de 2010 PROJETO DE REDE LOCAL E BACKBONE 1. Informações e recomendações importantes O projeto foi solicitado pela Unidade para a implantação de rede local para o prédio GETS, sendo

Leia mais

Aula 4a - Sistemas de Cabeamento

Aula 4a - Sistemas de Cabeamento Aula 4a - Sistemas de Cabeamento Prof. José Maurício S. Pinheiro 2010 1 Sistemas de Cabeamento Uma rede de computadores é um conjunto de recursos inter-relacionados e interligados com o objetivo de formar

Leia mais

PROJETO LÓGICO DA REDE LOCAL DE COMPUTADORES DA REITORIA

PROJETO LÓGICO DA REDE LOCAL DE COMPUTADORES DA REITORIA PROJETO LÓGICO DA REDE LOCAL DE COMPUTADORES DA REITORIA COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA (COTEC) JUNHO/2011 Rua do Rouxinol, N 115 / Salvador Bahia CEP: 41.720-052 Telefone: (71) 3186-0001. Email: cotec@ifbaiano.edu.br

Leia mais

Noções de Cabeamento Estruturado Metálico

Noções de Cabeamento Estruturado Metálico Noções de Cabeamento Estruturado Metálico Roteiro Parâmetros elétricos Cuidados com cabos metálicos Normas 568 / 606 Elementos do cabeamento estruturado Cabeamento Embora pareça uma questão simples, um

Leia mais

Cabeamento Estruturado Metálico em Edifícios Comerciais

Cabeamento Estruturado Metálico em Edifícios Comerciais Cabeamento Estruturado Metálico em Edifícios Comerciais Cabeamento estruturado - definição Sistema de cabeamento capaz de prover tráfego de gêneros de informações diferenciadas dentro de um mesmo sistema

Leia mais

Infraestrutura de Redes

Infraestrutura de Redes Infraestrutura de Redes Apresentação 01: Conceitos de Cabeamento Estruturado Prof. João Paulo Just - http://just.pro.br 1 Conceitos de Cabeamento Porque? Anteriormente: serviços como sistemas de alarmes,

Leia mais

Cabeamento Estruturado. Prof. Marciano dos Santos Dionizio

Cabeamento Estruturado. Prof. Marciano dos Santos Dionizio Cabeamento Estruturado Prof. Marciano dos Santos Dionizio Norma ANSI/EIA/TIA 568B Divide um sistema de cabeamento em subsistemas: 1. Facilidades de Entrada (pela NBR14565: Sala de Entrada de Telecomunicações

Leia mais

"TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS "TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS I - OBJETO 1.1. Contratação de empresa especializada em serviços de Infraestrutura com manutenção corretiva, manutenção preventiva, instalações, desinstalações,

Leia mais

Disciplina: Cabeamento de Redes Profª Érica Barcelos

Disciplina: Cabeamento de Redes Profª Érica Barcelos Disciplina: Cabeamento de Redes Profª Érica Barcelos CAPÍTULO 4 4. CABEAMENTO ESTRUTURADO- PARTE II Cada nível do subsistema estudado no capítulo anterior foi regulamentado por normas que visam padronizar

Leia mais

Sistemas de Cabeamento SISTEMA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO 23/09/2015. Topologias Lógicas x Topologias Físicas. Cabeamento Não-estruturado aula 26/08

Sistemas de Cabeamento SISTEMA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO 23/09/2015. Topologias Lógicas x Topologias Físicas. Cabeamento Não-estruturado aula 26/08 Sistemas de Cabeamento SISTEMA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO Uma rede de computadores é um conjunto de recursos inter-relacionados e interligados com o objetivo de formar um sistema em comum. PROF. FABRICIO

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO 1. CABEAMENTO VERTICAL 1.1 INTRODUÇÃO

MEMORIAL DESCRITIVO 1. CABEAMENTO VERTICAL 1.1 INTRODUÇÃO MEMORIAL DESCRITIVO 1. CABEAMENTO VERTICAL 1.1 INTRODUÇÃO O cabeamento vertical, ou cabeamento de backbone integra todas as conexões entre o backbone do centro administrativo e os racks departamentais,

Leia mais

Cabeamento Estruturado. Definição. Definição. Prof. Leandro Pykosz Leandro@sulbbs.com.br Redes de Computadores - UDESC

Cabeamento Estruturado. Definição. Definição. Prof. Leandro Pykosz Leandro@sulbbs.com.br Redes de Computadores - UDESC Cabeamento Estruturado Prof. Leandro Pykosz Leandro@sulbbs.com.br Redes de Computadores - UDESC Definição Entende-se por rede interna estruturada aquela que é projetada de modo a prover uma infra-estrutura

Leia mais

PROJETO DE REDE LOCAL E BACKBONE

PROJETO DE REDE LOCAL E BACKBONE São Paulo, 21 de maio de 2010 PROJETO DE REDE LOCAL E BACKBONE 1 Informações e recomendações importantes O projeto foi solicitado pela Unidade para a implantação de rede local para o prédio MAC- IBIRAPUERA

Leia mais

REFORMA EDIFICAÇÃO PRINCIPAL INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS AVANÇADO IBIRAMA IBIRAMA/SC

REFORMA EDIFICAÇÃO PRINCIPAL INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS AVANÇADO IBIRAMA IBIRAMA/SC REFORMA EDIFICAÇÃO PRINCIPAL INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS AVANÇADO IBIRAMA IBIRAMA/SC MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO DE CABEAMENTO ESTRUTURADO ÍNDICE 1 Informativos gerais 2 Especificações e Tabelas

Leia mais

BACK BONE DE FIBRA ÓPTICA

BACK BONE DE FIBRA ÓPTICA MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO RUA JOÃO POLITI, 1589 ITAJUBÁ MG BACK BONE DE FIBRA ÓPTICA Responsável Técnico: Airton Leandro Seidel 1 INDICE GERAL DO MEMORIAL DESCRITIVO 1. OBJETIVO DO PROJETO 03 2. ESCOPO

Leia mais

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS: 1.1. Este roteiro serve como base às obras de Contratação de empresa especializada para o fornecimento de material e mão de obra para execução de rede

Leia mais

APRENDIZAGEM INDUSTRIAL. UNIDADE 6 Cabeamento Residencial

APRENDIZAGEM INDUSTRIAL. UNIDADE 6 Cabeamento Residencial APRENDIZAGEM INDUSTRIAL UNIDADE 6 Cabeamento Residencial Cabeamento residencial Sistema que integra os serviços de telecomunicações em uma residência: Rede local de computadores, acesso à internet, controle

Leia mais

Cabeamento Estruturado

Cabeamento Estruturado Cabeamento Estruturado Infra-estrutura de cabeamento metálico ou óptico, capaz de atender a diversas aplicações proporcionando flexibilidade de layout, facilidade de gerenciamento, administração e manutenção

Leia mais

CLIENTE: CYRELA COMMERCIAL PROPOERTIES

CLIENTE: CYRELA COMMERCIAL PROPOERTIES Automação Predial e Patrimonial - Memorial Descritivo para Lojas CLIENTE: CYRELA COMMERCIAL PROPOERTIES Pasta: cyrella_metropolitano-pro-ec-lojas-1-0-2012.doc DATA: 14/05/2012 0 Emissão de Memorial Descritivo

Leia mais

EIA/TIA 569-B infra-estrutura caminhos e espaços

EIA/TIA 569-B infra-estrutura caminhos e espaços ANSI EIA/TIA 569-B EIA/TIA 569-B infra-estrutura caminhos e espaços Conforme a EIA/TIA 569A a infra-estrutura é dividida nos seguintes subsistemas: Área de Trabalho; Percursos horizontais; Sala ou armário

Leia mais

Cabeamento Estruturado. Profa. M.Sc. Enga. Maria Cristina Fischer de Toledo cristinaft@osite.com.br 1/2011

Cabeamento Estruturado. Profa. M.Sc. Enga. Maria Cristina Fischer de Toledo cristinaft@osite.com.br 1/2011 Cabeamento Estruturado Profa. M.Sc. Enga. Maria Cristina Fischer de Toledo cristinaft@osite.com.br 1/2011 1 Roteiro da Apresentação Cabeamento Estruturado Evolução Histórico da Padronização Definição Projeto

Leia mais

INSTRUÇÃO TÉCNICA 06 PROJETOS DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS, COMUNICAÇÃO E SISTEMAS DE PREVENÇÃO DE DESCARGAS ATMOSFÉRICAS

INSTRUÇÃO TÉCNICA 06 PROJETOS DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS, COMUNICAÇÃO E SISTEMAS DE PREVENÇÃO DE DESCARGAS ATMOSFÉRICAS INSTRUÇÃO TÉCNICA 06 PROJETOS DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS, COMUNICAÇÃO E SISTEMAS DE PREVENÇÃO DE DESCARGAS ATMOSFÉRICAS 1 OBJETIVO Revisão 00 fev/2014 1.1 Estas Instruções Normativas de Projeto apresentam

Leia mais

INSTITUTO DE INOVAÇÃO E CONHECIMENTO TERMO DE REFERÊNCIA

INSTITUTO DE INOVAÇÃO E CONHECIMENTO TERMO DE REFERÊNCIA INSTITUTO DE INOVAÇÃO E CONHECIMENTO TERMO DE REFERÊNCIA REALIZAÇÃO DE ESTUDOS E FORMULAÇÃO DE PROJECTO DE BACKBONE DE FIBRA OPTICA PARA IMPLANTAÇÃO DE INFRA-ESTRUTURA DE COMUNICAÇÃO REDE DO ESTADO INIC

Leia mais

APOSTILA DE REDES DE COMPUTADORES RESUMO 1º BIMESTRE - 2º SEMESTRE

APOSTILA DE REDES DE COMPUTADORES RESUMO 1º BIMESTRE - 2º SEMESTRE APOSTILA DE REDES DE COMPUTADORES RESUMO 1º BIMESTRE - 2º SEMESTRE 1 1. CABEAMENTO ESTRUTURADO Cabeamento estruturado é a disciplina que estuda a disposição organizada e padronizada de conectores e meios

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO E DE ESPECIFICAÇÕES

MEMORIAL DESCRITIVO E DE ESPECIFICAÇÕES MEMORIAL DESCRITIVO E DE ESPECIFICAÇÕES SISTEMA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO OBRA: ESCOLA DE ENSINO PROFISSIONALIZANTE PROJETO PADRÃO PROPRIETÁRIO: MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO - MEC FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO

Leia mais

NOTA DE ESCLARECIMENTO Nº 8

NOTA DE ESCLARECIMENTO Nº 8 Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Assessoria Especial para Modernização da Gestão Central de Compras e Contratações NOTA DE ESCLARECIMENTO Nº 8 PREGÃO ELETRÔNICO Nº 4/2015 PROCESSO Nº 04300.003546/2014-01

Leia mais

Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1

Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1 Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1 Aula 1 Ambiente de Data Center Os serviços de comunicação em banda larga estão mais

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS 06.09.000 SISTEMA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO 06.09.001 - EQUIPAMENTOS ATIVOS

ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS 06.09.000 SISTEMA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO 06.09.001 - EQUIPAMENTOS ATIVOS ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS 06.09.000 SISTEMA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO 06.09.001 - EQUIPAMENTOS ATIVOS Tipo: Gabinete Rack do tipo bastidor com porta e ventilação forçada 24U x 19"x 670mm, com porta de

Leia mais

Anexo V: Solução de Pontos de rede local

Anexo V: Solução de Pontos de rede local Anexo V: Solução de Pontos de rede local 1. Objetivo: 1.1. Contratação de solução de Pontos de Rede de telecomunicação para conexão de diversos tipos de equipamentos eletrônicos como computadores, impressoras,

Leia mais

REDES. A Evolução do Cabeamento

REDES. A Evolução do Cabeamento REDES A Evolução do Cabeamento Até o final dos anos 80, todos os sistemas de cabeamento serviam apenas a uma aplicação, isto é, eram sistemas dedicados. Estes sistemas eram sempre associados à um grande

Leia mais

MODELO DE DOCUMENTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE PROJETO

MODELO DE DOCUMENTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE PROJETO DISCIPLINA: PROJETO FÍSICO DE REDE PROJETO: CABEAMENTO ESTRUTURADO DE REDES LOCAIS MODELO DE DOCUMENTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE PROJETO OBS: O MODELO PODERÁ SER ALTERADO DE ACORDO COM A NECESSIDADE DE CADA

Leia mais

Redes de Computadores. Cabeamento Estruturado

Redes de Computadores. Cabeamento Estruturado Redes de Computadores Ano 2002 Profª. Vívian Bastos Dias Aula 4 Propriedades desejadas de um sistema de cabeamento estruturado: Máxima independência na tecnologia de acessos a redes. Maior adequação à

Leia mais

CAB Cabeamento Estruturado e Redes Telefônicas

CAB Cabeamento Estruturado e Redes Telefônicas MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAMPUS SÃO JOSÉ SANTA CATARINA CAB Cabeamento Estruturado e Redes Telefônicas

Leia mais

Redes de Dados e Comunicações

Redes de Dados e Comunicações Redes de Dados e Comunicações Prof.: Fernando Ascani Cabo Par Trançado Conector-RJ 45 A norma EIA/TIA padronizou o conector RJ-45 para a conectorização de cabos UTP. Para a conectorização do cabo UTP,

Leia mais

Catálogo de. Produtos LABORATÓRIO ÓPTICO FERRAMENTARIA / METALURGIA PRODUTOS INJETADOS MARCAS DISTRIBUÍDAS B5NX-CNC

Catálogo de. Produtos LABORATÓRIO ÓPTICO FERRAMENTARIA / METALURGIA PRODUTOS INJETADOS MARCAS DISTRIBUÍDAS B5NX-CNC FIBRAS ÓPTICAS E ACESSÓRIOS LABORATÓRIO ÓPTICO FERRAMENTARIA / METALURGIA B5NX-CNC PRODUTOS INJETADOS Catálogo de MARCAS DISTRIBUÍDAS Produtos R A Division of Cisco Systems, Inc. RACKS E ACESSÓRIOS Linha

Leia mais

Serviço Público Federal Conselho Regional de Corretores de Imóveis Estado de São Paulo

Serviço Público Federal Conselho Regional de Corretores de Imóveis Estado de São Paulo ANEXO VII PREGÃO PRESENCIAL Nº. 021/2015 Termo de Referência 1. DO OBJETO 1.1. Este Termo de Referência tem por objetivo a aquisição, por intermédio de licitação na modalidade de Pregão Presencial, de

Leia mais

UTP Unshielded Twisted Pair - UTP ou Par Trançado sem Blindagem: é o mais usado atualmente tanto em redes domésticas quanto em grandes redes

UTP Unshielded Twisted Pair - UTP ou Par Trançado sem Blindagem: é o mais usado atualmente tanto em redes domésticas quanto em grandes redes Definição Cabeamento para uso integrado em comunicações de voz, dados e imagem preparado de maneira a atender diversos layouts de instalações, por um longo período de tempo, sem exigir modificações físicas

Leia mais

ENGENHARIA E PROJETOS ELÉTRICOS LTDA

ENGENHARIA E PROJETOS ELÉTRICOS LTDA APRESENTAÇÃO As especificações contidas neste memorial são referentes às instalações de cabeamento estruturado do prédio sede do Tribunal Regional do Trabalho 12ª Região TRT, localizado na Av. Jorn.Rubens

Leia mais

22/02/2014. Cabeamento estruturado garante: Organização; Flexibilidade; Desempenho; Escalabilidade; Simplificação do uso; Simplificação da manutenção.

22/02/2014. Cabeamento estruturado garante: Organização; Flexibilidade; Desempenho; Escalabilidade; Simplificação do uso; Simplificação da manutenção. Consiste de um conjunto de produtos de conectividade, empregados de acordo com regras específicas de engenharia; Tais produtos garantem conectividade máxima para os dispositivos existentes e preparam a

Leia mais

Planejamento de Redes e Cabeamento Estruturado

Planejamento de Redes e Cabeamento Estruturado Planejamento de Redes e Cabeamento Estruturado Projeto e Instalação Prof. Deivson de Freitas Introdução Nenhuma área de tecnologia cresceu tanto como a de redes locais (LANs) A velocidade passou de alguns

Leia mais

OBJETIVOS 1 INFORMAÇÕES ADICIONAIS 1 DISPOSIÇÃO ORGANIZACIONAL 2 PLANTA A 5 PLANTA B 6 DISTRIBUIÇÃO E CONFIGURAÇÃO DOS RACKS 7

OBJETIVOS 1 INFORMAÇÕES ADICIONAIS 1 DISPOSIÇÃO ORGANIZACIONAL 2 PLANTA A 5 PLANTA B 6 DISTRIBUIÇÃO E CONFIGURAÇÃO DOS RACKS 7 ÍNDICES OBJETIVOS 1 JUSTIFICATIVAS 1 INFORMAÇÕES ADICIONAIS 1 SEGURANÇA - INTERNET 1 SISTEMA OPERACIONAL 2 PROTOCOLO TCP/IP 2 INTRANET 2 DISPOSIÇÃO ORGANIZACIONAL 2 ESTAÇÕES 2 MICROS 3 IMPRESSORAS 3 PLANTA

Leia mais

Cabeamento estruturado. Norma Padrão 568B e 569A

Cabeamento estruturado. Norma Padrão 568B e 569A Cabeamento estruturado Norma Padrão 568B e 569A Cabeamento Estruturado O padrão 568B O objetivo desta norma é: especificar um sistema de cabeamento genérico para edificios comerciais que suporte um ambiente

Leia mais

InfraEstrutura de Redes

InfraEstrutura de Redes Faculdade Anhanguera de São Caetano do Sul InfraEstrutura de Redes Curso: Tecnologia em Redes de Computadores Prof:Eduardo M. de Araujo Site-http://www.professoreduardoaraujo.com Line Cords e Patch Cables.

Leia mais

Introdução aos sistemas de cabeamento estruturado

Introdução aos sistemas de cabeamento estruturado Introdução aos sistemas de cabeamento estruturado Prof. José Maurício S. Pinheiro 2010 1 Histórico No início da década de 80 os sistemas Mainframe dominavam o mercado. Surgem os conceitos de "Networking"

Leia mais

1 de 6 25/08/2015 10:22

1 de 6 25/08/2015 10:22 1 de 6 25/08/2015 10:22 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria Executiva Subsecretaria de Planejamento e Orçamento Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano Termo de Adjudicação

Leia mais

Normas e Padrões. Prof. Marciano dos Santos Dionizio

Normas e Padrões. Prof. Marciano dos Santos Dionizio Normas e Padrões Prof. Marciano dos Santos Dionizio Devido à falta de padronização para cabeamento de redes, em 1991 a EIA (Electronics Industries Alliance) e a TIA (Telecomunications Industry Association)

Leia mais

Curso de Instalação e Gestão de Redes Informáticas

Curso de Instalação e Gestão de Redes Informáticas ESCOLA PROFISSIONAL VASCONCELLOS LEBRE Curso de Instalação e Gestão de Redes Informáticas FICHA DE TRABALHO Nº3 José Vitor Nogueira Santos Topologia de Redes Fibra Óptica e Wireless - 0830 Mealhada, 2009

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ANEXO III PROJETO BÁSICO DE INSTALAÇÃO DE CABEAMENTO PARA REDE LOCAL DE MICROCOMPUTADORES 1.Objetivo Este projeto tem por objetivo descrever a instalação de cabeamento de rede lógica no edifício-sede da

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA

TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA FORNECIMENTO DE MATERIAIS E SERVIÇOS PARA INFRAESTRUTURA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO E DE TELEFONIA DA SALA TÉCNICA (D) E NOVA SALA DO CENTRO DE OPERAÇÕES DE EMERGÊNCIA

Leia mais

Manual do Usuário. ccntelecom.com.br

Manual do Usuário. ccntelecom.com.br Manual do Usuário ccntelecom.com.br PD-FIBER (1 Gbps, 7 Ramais/Clientes) O PD-FIBER é um equipamento constituído de uma placa que concentra alguns produtos já conceituados da CCN Telecom, de forma a reduzir

Leia mais

Instalação e manutenção de equipamentos Identificador Tarefa Atividades Instalar, desinstalar e configurar equipamento de telecomunicações.

Instalação e manutenção de equipamentos Identificador Tarefa Atividades Instalar, desinstalar e configurar equipamento de telecomunicações. Instalação e manutenção de equipamentos IMEQ010 Instalar, desinstalar e configurar equipamento de telecomunicações. Instalar e desinstalar fisicamente equipamento de telecomunicações; Realizar a configuração

Leia mais

Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA

Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA Disciplina: Redes de Computadores Prof.: Rafael Freitas Reale Aluno: Data / / Prova Final de Redes Teoria Base 1) Qual o tipo de ligação e a topologia respectivamente

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Contrato Didático-Pedagógico: Semana Aulas Programação 1. 04 2. 04 3. 04 4. 04

PLANO DE ENSINO. Contrato Didático-Pedagógico: Semana Aulas Programação 1. 04 2. 04 3. 04 4. 04 PLANO DE ENSINO Curso: REDES DE COMPUTADORES Disciplina: PRÁTICAS DE CABEAMENTO ESTRUTURADO Professor: FRANCISCO TESIFOM MUNHOZ Período: NOTURNO Carga Horária: 80h Ano Letivo: 2008 Período: 1º semestre

Leia mais

Cabeamento Estruturado (Parte 2) Prof. Eduardo

Cabeamento Estruturado (Parte 2) Prof. Eduardo Estruturado (Parte 2) Prof. Eduardo Para debater... O que vimos na aula anterior? Montar uma rede doméstica é diferente de montar uma rede local de uns 100 PCs? Na aula anterior trabalhamos com a combinação

Leia mais

NORMA ANSI/EIA/TIA 568 - B. Projeto Físico de Rede

NORMA ANSI/EIA/TIA 568 - B. Projeto Físico de Rede NORMA ANSI/EIA/TIA 568 - B O PADRÃO BASEIA-SE NOS SEIS PRINCIPAIS COMPONENTES DE UM SISTEMA DE CABEAMENTO ESTRUTURADO, QUE SÃO: 1 FACILIDADE DE ENTRADA (Entrance Facility) : É COMPOSTA POR HARDWARE DE

Leia mais

Técnico de Manutenção e Suporte em Informática Cabeamento Estruturado Unidade 8 Norma NBR 14565

Técnico de Manutenção e Suporte em Informática Cabeamento Estruturado Unidade 8 Norma NBR 14565 Técnico de Manutenção e Suporte em Informática Cabeamento Estruturado Unidade 8 Norma NBR 14565 Prof. Leandro Cavalcanti de Almeida leandro.almeida@ifpb.edu.br @leandrocalmeida ...rede interna estruturada

Leia mais

Cabeamento Estruturado e Projeto de Redes. / NT Editora. -- Brasília: 2013. 52p. : il. ; 21,0 X 29,7 cm.

Cabeamento Estruturado e Projeto de Redes. / NT Editora. -- Brasília: 2013. 52p. : il. ; 21,0 X 29,7 cm. Autor Thálisson de Oliveira Lopes Graduação em Tecnologia em Processamento de Dados (2007), Especialista em Gestão de Tecnologia da Informação (2008 e 2010) e Mestre em Gestão do Conhecimento e Tecnologia

Leia mais

Padronização. Rua Lourenço Pinto, 299 - Curitiba Paraná Brasil CEP 80010-160

Padronização. Rua Lourenço Pinto, 299 - Curitiba Paraná Brasil CEP 80010-160 Padronização O presente documento tem o intuito de definir a padronização utilizada para a infra-estrutura de rede de dados e voz, em sites da GVT. Deverá ser usado como base para execução dos projetos

Leia mais

Projeto de Cabeamento Estruturado

Projeto de Cabeamento Estruturado Projeto de Cabeamento Estruturado Sistema de Cabeamento Estruturado Subsistemas 1 Subsistema Cabeamento Horizontal 2 Subsistema Cabeamento Vertical 3 - Área de Trabalho - ATR 4 - Armário de Telecomunicações

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. implantação e conectividade da rede de dados da EBSERH. 3 Módulo e cabo stack para switch de borda 12

TERMO DE REFERÊNCIA. implantação e conectividade da rede de dados da EBSERH. 3 Módulo e cabo stack para switch de borda 12 TERMO DE REFERÊNCIA I DEFINIÇÃO DO OBJETO O presente Projeto Básico tem por objeto a aquisição de equipamentos para implantação e conectividade da rede de dados da EBSERH. ITEM DESCRIÇÃO QUANTIDADE 1 Switch

Leia mais

RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00008/2015-001 SRP

RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00008/2015-001 SRP 26430 - INST.FED.DE EDUC.,CIENC.E TEC.S.PERNAMBUCANO 158149 - INST.FED.EDUC.CIENC.E TEC.SERTãO PERNAMBUCANO RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00008/2015-001 SRP 1 - Itens da Licitação 1 - EQUIPAMENTO

Leia mais

Cabeamento Estruturado

Cabeamento Estruturado Cabeamento Estruturado Definição Cabeamento para uso integrado em comunicações de voz, dados e imagem preparado de maneira a atender diversos layouts de instalações, por um longo período de tempo, sem

Leia mais

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 45/2014 ESCLARECIMENTO N. 2

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 45/2014 ESCLARECIMENTO N. 2 MENSAGEM Assunto: Esclarecimento Referência: Pregão Eletrônico n. 45/2014 Data: 06/3/2015 Objeto: Registro de Preços para fornecimento de equipamentos, componentes de solução de rede local, incluindo instalação

Leia mais

Projeto da rede de dados para o Núcleo de Tecnologias para Educação e Gestão - NUTEG

Projeto da rede de dados para o Núcleo de Tecnologias para Educação e Gestão - NUTEG Projeto da rede de dados para o Núcleo de Tecnologias para Educação e Gestão - NUTEG Diretoria de Suporte à Informática Local: Núcleo de Tecnologias para Educação e Gestão NUTEG Endereço: Av. BPS, 1303

Leia mais

Meios Físicos de Comunicação

Meios Físicos de Comunicação Meios Físicos de Comunicação Aula 3 Equipamentos de Conectividade e Organização Meios Físicos de Comunicação - Equipamentos de Conectividade e Organização 1 Conteúdo Elementos de Infraestrutura Estrutura

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Superação dos resultados Inovação Integridade Valorização Humana Melhoria Continua

APRESENTAÇÃO. Superação dos resultados Inovação Integridade Valorização Humana Melhoria Continua APRESENTAÇÃO EMPRESA A LHS Engenharia tem como principal objetivo a prestação de serviços e apoio adequado que garantem soluções eficazes com resultado garantido, durabilidade e excelente relação custo/benefício.

Leia mais

ANEXO III DAS OBRIGAÇÕES DA CONTRATADA

ANEXO III DAS OBRIGAÇÕES DA CONTRATADA CONCORRÊNCIA DIRAT/CPLIC 001/2007 1 ANEXO III DAS OBRIGAÇÕES DA CONTRATADA ESTABELECE, RESPONSABILIDADES DIVERSAS, TIPOS E HORÁRIO DE COBERTURA DE SUPORTE, E DEMAIS RESPONSABILIDADES DA CONTRATADA RELATIVAS

Leia mais

FICHA TÉCNICA PATCH PANEL 24 PORTAS C5e RoHS

FICHA TÉCNICA PATCH PANEL 24 PORTAS C5e RoHS FICHA TÉCNICA PATCH PANEL 24 PORTAS C5e RoHS 1- Aplicação: Este produto aplica-se a sistemas de cabeamento estruturado, para tráfego de voz, dados e imagens, do tipo 10BASE-T, 100BASE-Tx, 155M ATM, 4/16MB

Leia mais

Plano de Reestruturaça o CEU-II

Plano de Reestruturaça o CEU-II Plano de Reestruturaça o CEU-II Sumário Sumário... 1 Objetivos... 1 Objetivos específicos... 1 Instalação de infraestrutura para rede lógica... 1 Descritivo da solução... 2 Limitações... 2 Orçamento...

Leia mais

Infra-estrutura tecnológica

Infra-estrutura tecnológica Assessoria Técnica de Tecnologia da Informação ATTI Supervisão de Infra-estrutura Projeto de Informatização da Secretaria Municipal de Saúde do Município de São Paulo Infra-estrutura tecnológica Rede Lógica

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 8

REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 8 REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 8 Índice 1. Cabeamento estruturado...3 2 1. CABEAMENTO ESTRUTURADO Montar uma rede doméstica é bem diferente de montar uma rede local de 100 pontos em uma

Leia mais

INSTALAÇÕES DE CABEAMENTO ESTRUTURADO

INSTALAÇÕES DE CABEAMENTO ESTRUTURADO FNDE ProInfância INSTALAÇÕES DE CABEAMENTO ESTRUTURADO PROJETO EXECUTIVO MEMORIAL TÉCNICO 13 de março de 2008 FNDE ProInfância INSTALAÇÕES DE CABEAMENTO ESTRUTURADO MEMORIAL TÉCNICO Memória Descritiva

Leia mais

Graduação Tecnológica em Redes de Computadores. Infraestrutura de Redes de Computadores

Graduação Tecnológica em Redes de Computadores. Infraestrutura de Redes de Computadores Graduação Tecnológica em Redes de Computadores Infraestrutura de Redes de Computadores Euber Chaia Cotta e Silva euberchaia@yahoo.com.br Graduação Tecnológica em Redes de Computadores Introdução ao cabeamento

Leia mais

A empresa CLEMAR ENGENHARIA LTDA., solicita os seguintes esclarecimentos:

A empresa CLEMAR ENGENHARIA LTDA., solicita os seguintes esclarecimentos: COP-148/2009 Processo nº 000578-14.89/09-2 Assunto: Esclarecimento A empresa CLEMAR ENGENHARIA LTDA., solicita os seguintes esclarecimentos: Questionamento 1: CABEAMENTO ESTRUTURADO: Utilizando os diagramas

Leia mais

Capítulo 5 - Sistemas de Cabeamento Estruturado

Capítulo 5 - Sistemas de Cabeamento Estruturado Capítulo 5 - Sistemas de Cabeamento Estruturado Prof. Othon Marcelo Nunes Batista Mestre em Informática 1 de 44 Roteiro Cabeamento Planejamento para o Cabeamento Estruturado Cabeamento Horizontal Cabeamento

Leia mais

NOTA DE ESCLARECIMENTO Nº 6. PERGUNTA 1: Os itens 15 e 16 do termo de referência, referentes aos treinamentos, trazem as seguintes determinações:

NOTA DE ESCLARECIMENTO Nº 6. PERGUNTA 1: Os itens 15 e 16 do termo de referência, referentes aos treinamentos, trazem as seguintes determinações: Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Assessoria Especial para Modernização da Gestão Central de Compras e Contratações NOTA DE ESCLARECIMENTO Nº 6 PREGÃO ELETRÔNICO Nº 4/2015 PROCESSO Nº 04300.003546/2014-01

Leia mais

Termo de Referência. (Storage) do ambiente de Migração, composta pelo do subsistema de disco IBM DS8300.

Termo de Referência. (Storage) do ambiente de Migração, composta pelo do subsistema de disco IBM DS8300. Termo de Referência Expansão da solução s de armazenamento (Storage) do ambiente de Migração, composta pelo do subsistema de disco IBM DS8300. Termo de Referência Expansão da solução de armazenamento do

Leia mais

PEDIDO DE COTAÇÃO - ANEXO I

PEDIDO DE COTAÇÃO - ANEXO I Folha: 0001 Objeto: Aquisição de Material de e Permanente (Equipamentos e Suprimentos de Informática), para 001 081266-9 CABO UTP CAT5E FLEXíVEL, CAIXA COM 300MT Lote 1- Destino: Uinfor CX 30 002 113294-5

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Rede é um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. O tipo de rede é definido pela sua área de abrangência, podemos classificar as redes

Leia mais

Disciplina: Cabeamento de Redes Profª Érica Barcelos

Disciplina: Cabeamento de Redes Profª Érica Barcelos Disciplina: Cabeamento de Redes Profª Érica Barcelos CAPÍTULO 3 3. CABEAMENTO ESTRUTURADO-PARTE 1 Os primeiros projetos de cabeamento estruturado foram desenvolvidos para sistemas telefônicos comerciais,

Leia mais

Graduação Tecnológica em Redes de Computadores. Infraestrutura de Redes de Computadores

Graduação Tecnológica em Redes de Computadores. Infraestrutura de Redes de Computadores Graduação Tecnológica em Redes de Computadores Infraestrutura de Redes de Computadores Euber Chaia Cotta e Silva euberchaia@yahoo.com.br Graduação Tecnológica em Redes de Computadores Administração Euber

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Locação de Imóvel Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. Outubro /2007

TERMO DE REFERÊNCIA. Locação de Imóvel Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. Outubro /2007 TERMO DE REFERÊNCIA Locação de Imóvel Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade 1. INTRODUÇÃO 1.1. OBJETIVO Outubro /2007 O presente Termo de Referência, tem como objetivo orientar as empresas

Leia mais

Sistemas de Informação Tópicos Avançados em informática I Cabeamento Lógico Estruturado. 7º Período / Carga Horária: 72 horas

Sistemas de Informação Tópicos Avançados em informática I Cabeamento Lógico Estruturado. 7º Período / Carga Horária: 72 horas Sistemas de Informação Tópicos Avançados em informática I Cabeamento Lógico Estruturado 7º Período / Carga Horária: 72 horas EMENTA: Componentes e equipamentos de um sistema de cabeamento. Normas internacionais

Leia mais

redes, infraestrutura e telecom

redes, infraestrutura e telecom redes, infraestrutura e telecom Integração de soluções, projetos, implementação e manutenção de redes, infraestrutura de TI e telecom para empresas de grande e médio portes. SERVIÇOS redes, infraestrutura

Leia mais

Infra-Estrutura de Redes

Infra-Estrutura de Redes Faculdade Anhanguera de São Caetano do Sul Infra-Estrutura de Redes Curso: Tecnologia em Redes de Computadores Prof:Eduardo M. de Araujo Site-http://www.professoreduardoaraujo.com Ementa 1 Apresentação

Leia mais

Tópicos Especiais em Informática / Redes APOSTILA 02 Componentes de um Sistema de Cabeamento Estruturado Professor Marco Antônio Chaves Câmara

Tópicos Especiais em Informática / Redes APOSTILA 02 Componentes de um Sistema de Cabeamento Estruturado Professor Marco Antônio Chaves Câmara Tópicos Especiais em Informática / Redes APOSTILA 02 1. Objetivo : Nesta apostila, iniciaremos o estudo prático dos projetos de redes de computadores. Com base no conhecimento adquirido na apostila anterior

Leia mais

Planejamento e Projeto de Redes de Computadores. Eduardo Barrére

Planejamento e Projeto de Redes de Computadores. Eduardo Barrére Planejamento e Projeto de Redes de Computadores Eduardo Barrére Aula Presencial Projeto Físico Eduardo Barrére eduardo.barrere@ice.ufjf.br O projeto deve considerar Seleção de tecnologias (conforme o projeto

Leia mais

Infraestrutura de Redes Locais. Edmilson Carneiro Moreira

Infraestrutura de Redes Locais. Edmilson Carneiro Moreira Infraestrutura de Redes Locais Edmilson Carneiro Moreira Sumário Introdução Histórico Cabeamento Estruturado Conceitos Categorias e Classes de desempenho ANSI/TIA-568-C Referências [1] Paulo Sérgio Cabeamento

Leia mais

PAINEL DE ACESSO FRONTAL CATEGORIA 5 ENHANCED

PAINEL DE ACESSO FRONTAL CATEGORIA 5 ENHANCED PAINEL DE ACESSO FRONTAL CATEGORIA 5 ENHANCED Aplicações imagens, segundo requisitos da norma ANSI/TIA/EIA-568A, uso interno, para cabeamento horizontal ou secundário, em salas de telecomunicações (cross-connect)

Leia mais

Guia do usuário. PoE 200 G

Guia do usuário. PoE 200 G Guia do usuário PoE 200 G Injetor PoE 200 G Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. O injetor PoE 200 G é compatível com o padrão IEEE 802.3af. Ele oferece até

Leia mais