DESCRITIVO TÉCNICO INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DESCRITIVO TÉCNICO INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES"

Transcrição

1 DESCRITIVO TÉCNICO INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES 39

2 A, por resolução do seu Comitê Técnico, em acordo com o Estatuto e as Regras da Competição, adotou as exigências mínimas que seguem no tocante a esta ocupação na Competição Olimpíada do Conhecimento. O Descritivo Técnico consiste no seguinte: 1. INTRODUÇÃO COMPETÊNCIAS E ESCOPO DO TRABALHO O PROJETO TESTE GERENCIAMENTO E COMUNICAÇÕES DA OCUPAÇÃO AVALIAÇÃO EXIGÊNCIAS DE SEGURANÇA ESPECÍFICAS DA OCUPAÇÃO MATERIAIS E EQUIPAMENTOS José Luis Gonçalves Leitão Presidente do Comitê Técnico Data: 16/3/2012 Descritivo Técnico 1 de 9

3 1. INTRODUÇÃO 1.1. Nome e descrição da ocupação O nome da ocupação é Instalação e Manutenção de Redes PC Descrição da ocupação: O profissional que atua em instalação e manutenção de redes de computadores realiza serviços de administração de ambientes computacionais, definindo parâmetros de utilização, implantando rotinas e projetos, controla os níveis de serviço dos sistemas operacionais e redes e presta suporte técnico no uso de equipamentos e programas. Efetua configuração, instalação e manutenção de recursos e sistemas locais e remotos de redes e o gerenciamento de segurança do ambiente computacional, de acordo com projetos e normas técnicas, focando qualidade, segurança e preservação ambiental Escopo da aplicação Todo avaliador e Competidor deverão conhecer este Descritivo Técnico Em caso de divergência entre as línguas em que são publicados os Descritivos Técnicos, prevalecerá à versão em português Documentos associados Como este Descritivo Técnico contém apenas informações específicas da ocupação, deverá ser usado em conjunto com os seguintes documentos: RC Regulamento da Competição; RON Recursos on-line conforme indicados neste documento; PSSO Programa de Saúde e Segurança Ocupacional. 2. COMPETÊNCIAS E ESCOPO DO TRABALHO. O escopo do trabalho consiste em uma resolução da situação proposta que está baseada em competências profissionais, conhecimento e domínio técnico da ocupação Especificação das competências É apresentada ao competidor uma situação proposta contemplando elementos necessários para a resolução, dentro de prazos e condições determinadas, exigindo assim uma atitude ativa e um esforço para demonstrar suas competências. Contemplar soluções que atendam aos padrões de qualidade, considerando o tempo previsto e os recursos disponíveis. Elaborar situações para a resolução de problemas, no âmbito da situação proposta. Registrar as circunstâncias, contextualizando soluções mediante ao proposto. Data: 16/3/2012 Descritivo Técnico 2 de 9

4 A seguir são detalhadas algumas habilidades necessárias: Microsoft (MCSA), Cisco (CCNA), CompTIA A+ e Network+ e LPI Nível 1. NÃO HÁ NECESSIDADE QUE O COMPETIDOR POSSUA ESTAS CERTIFICAÇÕES, ELAS SOMENTE SERVEM COMO BASE PARA O CONTEÚDO UTILIZADO NAS PROVAS. Interpretar e aplicar informações, dados e soluções em manuais, catálogos, sistemas, Internet e outros recursos disponíveis referentes aos processos e produtos envolvidos na instalação e manutenção de redes de computadores; Montar e configurar e diagnosticar defeitos em computadores pessoais e servidores; Instalar módulos adicionais e periféricos em computadores pessoais e servidores; Instalar, configurar e manter o funcionamento de sistemas operacionais e aplicativos locais e remotos do ambiente computacional (rede); Instalar, configurar e manter sistemas de redes computacionais, incluindo configurações ponto a ponto e cliente/ servidor, protocolos, equipamentos de conectividade, serviços e dispositivos e placas de interface de redes e sistemas de segurança; Administrar uma rede local (LAN), incluindo configurações avançadas de usuário, para hardware e software; 2.2. Conhecimento Teórico Conhecimento teórico é requerido, avaliado nas habilidades intelectuais (HI) e mobilizado no desenvolvimento na prática do Projeto Teste Trabalho Prático Montagem de um computador pessoal; Instalar módulos adicionais e periféricos para um computador pessoal. Estes podem incluir dispositivos que utilizam métodos I/O; Fazer upgrades em hardware; Identificar e corrigir problemas de hardware e software; Conduzir procedimentos de rotinas em computador, como: o Planejar e implementar procedimentos de backup o o Instalar e configurar detecção e remoção de vírus Desenvolver e realizar testes de sistemas para verificação da eficiência, confiabilidade e integridade dos dados. Instalar e configurar sistemas operacionais; Instalar pacotes de software para rodar localmente em um computador pessoal; Instalar pacotes de software para rodar remotamente em um computador pessoal; Instalar e configurar uma rede, incluindo ponto a ponto e cliente/servidor o Instalar e configurar um cartão de rede o Conectar um cabo corretamente para uma LAN o Instalar e configurar um sistema operacional de rede (NOS) o Instalar e configurar protocolos de rede e clientes NOS o Instalar e configurar serviços e dispositivos específicos de rede. Administrar uma LAN/WAN (incluindo configurações de usuário avançado / software / segurança e hardware) Data: 16/3/2012 Descritivo Técnico 3 de 9

5 Localizar e corrigir problemas de rede; Usar software ferramentas de diagnósticos Implementar um rede; Realizar configurações de switch, roteadores, firewall e redes sem fio (IEEE). Implementar segurança de rede incluindo contas e autenticação. Integrar servidores e serviços de rede. 3. O PROJETO TESTE Formato/estrutura do Projeto Teste O formato do Projeto Teste é modular, sendo 1 módulo a cada dia da competição conforme segue:. Dia 1 Computação Doméstica (instalação, configuração e atualização). Dia 2 Pequenos Negócios (instalação, configuração e atualização). Dia 3 WAN (instalação, configuração e atualização). Dia 4 Segurança e Gerenciamento de Rede Exigências na criação do Projeto Teste Cada módulo do Projeto Teste deve: Ser possível a realização dentro do tempo especificado Ter um nível para que o Competidor possa realizar a prova Auto explicativa Estar acompanhado das folhas de avaliação que serão finalizadas na competição, de acordo com o descritivo técnico Desenvolvimento do Projeto Teste O Projeto Teste proposto deve ser preparado com os modelos fornecidos pela (www.senai.br/olimpiada). O software usado para textos será o Word, e para desenhos serão utilizados arquivos com extensões *.DWG Quem desenvolve o Projeto Teste/módulos. Cada Avaliador desenvolve uma proposta para Projeto Teste (Planejamento, Processo e Produto completo, com módulos) e apresenta para analise e votação dos demais Avaliadores. Três meses antes da competição, serão selecionadas através de votação 4 propostas de cada módulo. Após definidas as propostas, as mesmas sofrerão sugestões de modificação de no mínimo 30% e será apresentada pelos Avaliadores na competição. O Avaliador líder designa aos demais Avaliadores o projeto teste / Módulo a ser modificado e apresentado para seleção. Cada Avaliador desenvolve uma alteração de projeto teste / módulo e este será selecionado (votado) no local de competição Data: 16/3/2012 Descritivo Técnico 4 de 9

6 3.3.2 Como e onde o Projeto Teste/módulos é desenvolvido. O projeto teste é desenvolvido independentemente pelos Avaliadores da Ocupação Quando o Projeto Teste é desenvolvido. O projeto teste é desenvolvido Três meses antes da competição e apresentado com alterações para seleção Avaliação do Projeto Teste. Cada módulo alterado deverá ser acompanhado de uma proposta de Avaliação baseada nos critérios definidos na Seção A proposta de avaliação será desenvolvida pela(s) pessoa(s) que realizar(em) a alteração do módulo. A Avaliação é detalhada, desenvolvida e aprovada pelos Avaliadores da ocupação A Avaliação deverá ser registrada no SIAC (Sistema Integrado de Avaliação da Competição) antes da Competição Validação do Projeto Teste. Cada Projeto Teste/Módulo final será validado por uma equipe de especialistas (equipe de garantia da qualidade), que não participou do desenvolvimento do módulo. Eles vão garantir que: - O Projeto Teste/Módulo pode ser completado no tempo especificado - A ficha de avaliação está clara e devidamente desenvolvida - O Projeto Teste/Módulo enquadra-se na descrição técnica da ocupação 3.6. Seleção de Alteração do Projeto Teste. A seleção do Projeto Teste será por voto secreto dos Avaliadores, antes da Competição. Os membros de cada equipe (módulo) irão propor o teste final após sua chegada à Competição. Todos os avaliadores deverão sugerir questões e dados que contribuam ao mínimo de 30% para todas as mudanças exigidas no Projeto Teste. Procedimentos de garantia da qualidade irão assegurar que a decisão sobre o teste final será feita em conformidade com a descrição técnica e as regras da competição Veiculação do Projeto Teste. O Projeto é veiculado através do sítio da como segue: Três meses antes do início da competição Coordenação do Projeto Teste (preparação para a Competição). A coordenação do Projeto Teste estará a cargo do Avaliador Líder e da. 4. GERENCIAMENTO E COMUNICAÇÕES DA OCUPAÇÃO Fórum de Discussões. Antes da Competição, todas as discussões, comunicação, colaboração e tomadas de decisões relativas à ocupação deverão ocorrer no Fórum de Discussões específico da ocupação. Todas as decisões e comunicação relativas à Data: 16/3/2012 Descritivo Técnico 5 de 9

7 ocupação só terão validade se ocorridas no fórum. O Avaliador Líder (ou Avaliador por este nomeado) será o moderador nesse fórum. Consulte o Regulamento da Competição, para cronograma de comunicação e exigências no desenvolvimento da competição Informações ao Competidor. Toda informação aos Competidores estará disponível no site da (www.senai.br/olimpiada). Essas informações incluem: Regulamento da Competição; Descritivos Técnicos; Outras informações relativas à Competição Projetos de Teste. Projetos de Teste veiculados estarão disponíveis em (www.senai.br/olimpiada) Gerenciamento diário. As atividades diárias dos avaliadores da ocupação serão definidas pelo Avaliador Líder e apresentada em forma de cronograma no início da competição. 5. AVALIAÇÃO. A avaliação está baseada em competências e utiliza como instrumentos de avaliação Situação Proposta que contemplam, de forma global, integrada e contínua, as etapas de planejamento, de processo de execução e de Produto, incluindo a avaliação das Qualidades Pessoais (Habilidades Intelectuais e Atitudes). Esta seção descreve o modo pelo qual os Avaliadores irão avaliar o Projeto Teste/módulos. Também define os critérios de avaliação, procedimentos e exigências na pontuação Critérios de avaliação Esta seção define os critérios de avaliação e a pontuação (subjetiva e objetiva). A pontuação total para todos os critérios deve ser de 100. A avaliação desta ocupação abrange de forma global, integrada e contínua as etapas de Planejamento, Processo de Execução e Produto, incluindo a avaliação das Qualidades Pessoais: Etapas Percentuais Planejamento 20% Processo de Execução 20% Produto 60% A estrutura da prova será modular e composta por três etapas (planejamento, processo de execução e produto). Data: 16/3/2012 Descritivo Técnico 6 de 9

8 Planejamento: 20% Na etapa de Planejamento, deverão ser registrados as respostas por escrito, em função das solicitações apresentadas na Situação Proposta. Nesta etapa, são avaliadas as seguintes Qualidades Pessoais: Qualidades Pessoais Avaliadas Capacidade de Planejamento Capacidade de Pesquisa Capacidade de Transferência de Aprendizagem Processo de Execução: 20% Na etapa de Processo de Execução, deverão ser realizadas atividades para produzir o produto especificado. Nesta etapa, são avaliadas as seguintes Qualidades Pessoais: Qualidades Pessoais Avaliadas Consciência de Segurança Consciência de Qualidade Técnica e Ambiental Capacidade de Tomada de Decisão Capacidade de Pesquisa Capacidade de Transferência de Aprendizagem Capacidade de Planejamento Capacidade de Resolução de Problemas Zelo Disciplina Produto: 60% Na etapa de Produto, o resultado da etapa de Processo de Execução será avaliado segundo a conformidade com as especificações técnicas fornecidas, tendo como base a tabela abaixo: Seção Critério Pontos Subjetivo Objetivo Total A Planejamento B Processo de Execução C Computação Doméstica D Pequenos Negócios E WAN F Segurança e Gerenciamento de Rede Total = Data: 16/3/2012 Descritivo Técnico 7 de 9

9 5.2. Pontuação subjetiva. Para cada item das etapas de Planejamento e Processo de Execução o desempenho será avaliado com base em pontuação, conforme os critérios de avaliação apresentados na tabela a seguir: Pontuação Critérios de Avaliação O competidor demonstrou comportamento adequado no desenvolvimento do trabalho, obtendo os resultados esperados. O competidor demonstrou comportamento não adequado no desenvolvimento do trabalho, sem comprometer o resultado. O competidor demonstrou comportamento não adequado no desenvolvimento do trabalho, comprometendo parcialmente o resultado. O competidor demonstrou comportamento não adequado no desenvolvimento do trabalho, comprometendo totalmente o resultado. 6. EXIGÊNCIAS DE SEGURANÇA ESPECÍFICAS DA OCUPAÇÃO. Consulte a documentação de Segurança e Saúde Ocupacional específica da ocupação. 7. MATERIAIS E EQUIPAMENTOS Documento de Infraestrutura. O documento detalha todos os equipamentos, materiais e instalações que serão fornecidos pelo organizador. Encontra-se online (www.senai.br/olimpiada). O documento de infra-estrutura detalha os itens e quantidades solicitados pelos Avaliadores para a Competição. O Avaliador Líder, progressivamente, atualizará o documento de infra-estrutura, especificando quantidade, tipo e marca/modelo dos itens. A cada Competição, os Avaliadores deverão revisar e atualizar o documento de infra-estrutura em preparação para o próximo evento. O documento de infra-estrutura não inclui itens que os Competidores e/ou Avaliadores devam trazer. A versão dos softwares a ser utilizados será fornecida pelo Avaliador Líder 03 meses antes da Competição Materiais, equipamentos e ferramentas de responsabilidade dos participantes. Três teclados e três mouses. Os teclados devem ser suportados pelos softwares usados na competição. Data: 16/3/2012 Descritivo Técnico 8 de 9

10 7.3. Materiais, equipamentos e ferramentas trazidos pelos Avaliadores. Não aplicável Materiais e equipamentos proibidos na área da ocupação. Todo material e equipamento trazido por Competidores terá que ser apresentado aos Avaliadores. O Avaliador Líder desclassificará quaisquer itens que possam ser considerados inadequados, ferramentas, equipamentos relacionados à ocupação, que possam dar ao Competidor vantagem desonestos Amostra de diagramas de oficina e estação de trabalho. Diagramas de oficina e estação de trabalho estão disponíveis em: (www.senai.br/olimpiada) Leiaute da oficina: Data: 16/3/2012 Descritivo Técnico 9 de 9

DESCRITIVO TÉCNICO SEGURANÇA DO TRABALHO

DESCRITIVO TÉCNICO SEGURANÇA DO TRABALHO DESCRITIVO TÉCNICO SEGURANÇA DO TRABALHO 44 A, por resolução do seu Comitê Técnico, em acordo com a Constituição, os Estatutos e as Regras da Competição, adotou as exigências mínimas que seguem no tocante

Leia mais

Confecção de Roupas DESCRITIVO TÉCNICO

Confecção de Roupas DESCRITIVO TÉCNICO 30 Confecção de Roupas DESCRITIVO TÉCNICO A AmericaSkills, por resolução do seu Comitê Técnico, em acordo com a Constituição, os Estatutos e as Regras da Competição, adotou as exigências mínimas que seguem

Leia mais

DESCRITIVO TÉCNICO DESIGN GRÁFICO

DESCRITIVO TÉCNICO DESIGN GRÁFICO DESCRITIVO TÉCNICO DESIGN GRÁFICO 40 A, por resolução do seu Comitê Técnico, em acordo com o Estatuto e as Regras da Competição, adotou as exigências mínimas que seguem no tocante a esta ocupação na Competição.

Leia mais

DESCRITIVO TÉCNICO INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES

DESCRITIVO TÉCNICO INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES DESCRITIVO TÉCNICO INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES 39 A, por resolução do seu Comitê Técnico, em acordo com o Estatuto e as Regras da Competição, adotou as exigências mínimas que seguem no tocante a esta

Leia mais

Mecânica de Refrigeração DESCRITIVO TÉCNICO

Mecânica de Refrigeração DESCRITIVO TÉCNICO 38 Mecânica de Refrigeração DESCRITIVO TÉCNICO A AmericaSkills, por resolução do seu Comitê Técnico, em acordo com o Estatuto e as Regras da Competição, adotou as exigências mínimas que seguem no tocante

Leia mais

Tecnologia da Informação DESCRITIVO TÉCNICO

Tecnologia da Informação DESCRITIVO TÉCNICO 09 Tecnologia da Informação DESCRITIVO TÉCNICO A AmericaSkills, por resolução do seu Comitê Técnico, em acordo com os Estatutos e as Regras da Competição, adotou as exigências mínimas que seguem no tocante

Leia mais

DESCRITIVO TÉCNICO TECNOLOGIA DA (CEGOS)

DESCRITIVO TÉCNICO TECNOLOGIA DA (CEGOS) DESCRITIVO TÉCNICO TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (CEGOS) P4 A, por resolução do seu Comitê Técnico, em acordo com os Estatutos e as Regras da Competição, adotou as exigências mínimas que seguem no tocante a

Leia mais

Design Gráfico DESCRITIVO TÉCNICO

Design Gráfico DESCRITIVO TÉCNICO 40 Design Gráfico DESCRITIVO TÉCNICO A AmericaSkills, por resolução do seu Comitê Técnico, em acordo com o Estatuto e as Regras da Competição, adotou as exigências mínimas que seguem no tocante a esta

Leia mais

Eletricidade Industrial DESCRITIVO TÉCNICO

Eletricidade Industrial DESCRITIVO TÉCNICO 19 Eletricidade Industrial DESCRITIVO TÉCNICO A AmericaSkills, por resolução do seu Comitê Técnico, em acordo com os Estatutos e as Regras da Competição, adotou as exigências mínimas que seguem no tocante

Leia mais

DESCRITIVO TÉCNICO CONFEITARIA

DESCRITIVO TÉCNICO CONFEITARIA DESCRITIVO TÉCNICO CONFEITARIA 32 A, por resolução do seu Comitê Técnico, em acordo com o Estatuto e as Regras da Competição, adotou as exigências mínimas que seguem no tocante a esta ocupação na Competição

Leia mais

DESCRITIVO TÉCNICO TI - SOLUÇÕES DE SOFTWARES

DESCRITIVO TÉCNICO TI - SOLUÇÕES DE SOFTWARES DESCRITIVO TÉCNICO TI - SOLUÇÕES DE SOFTWARES 09 A, por resolução do seu Comitê Técnico, em acordo com os Estatutos e as Regras da Competição, adotou as exigências mínimas que seguem no tocante a esta

Leia mais

MARATONA DO CONHECIMENTO TECNOLÓGICO DESCRITIVO TÉCNICO DA OCUPAÇÃO DE: GESTÃO HOSPITALAR

MARATONA DO CONHECIMENTO TECNOLÓGICO DESCRITIVO TÉCNICO DA OCUPAÇÃO DE: GESTÃO HOSPITALAR MARATONA DO CONHECIMENTO TECNOLÓGICO DESCRITIVO TÉCNICO DA OCUPAÇÃO DE: GESTÃO HOSPITALAR 2015/2016 1. INTRODUÇÃO Nome da Ocupação: Tecnologia em Gestão Hospitalar Descrição da ocupação: O tecnólogo em

Leia mais

MARATONA DO CONHECIMENTO TECNOLÓGICO DESCRITIVO TÉCNICO DA OCUPAÇÃO DE: INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES

MARATONA DO CONHECIMENTO TECNOLÓGICO DESCRITIVO TÉCNICO DA OCUPAÇÃO DE: INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES MARATONA DO CONHECIMENTO TECNOLÓGICO DESCRITIVO TÉCNICO DA OCUPAÇÃO DE: INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES 2015/2016 1. INTRODUÇÃO Nome da Ocupação: Tecnologia da Informação e Administração de Sistemas de

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA

MINISTÉRIO DA FAZENDA MINISTÉRIO DA FAZENDA Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional PGFN Departamento de Gestão Corporativa - DGC Coordenação-Geral de Tecnologia da Informação - CTI CATÁLOGO DE SERVIÇOS DE TECNOLOGIA Infraestrutura

Leia mais

Importância do GED. Implantação de um Sistema de GED

Importância do GED. Implantação de um Sistema de GED Implantação de um Sistema de GED Gerenciamento Eletrônico de Documentos Importância do GED O GED tem uma importante contribuição na tarefa da gestão eficiente da informação; É a chave para a melhoria da

Leia mais

DESCRITIVO TÉCNICO. Data de Aprovação:18/12/2003 Data de Revisão: Dezembro 2005

DESCRITIVO TÉCNICO. Data de Aprovação:18/12/2003 Data de Revisão: Dezembro 2005 OCUPAÇÃO 0 5 DESCRITIVO TÉCNICO MECÂNICO - CAD DESENHO Data de Aprovação:18/12/2003 Data de Revisão: Dezembro 2005 A Comissão de Diretores do SENAI Coordenadora das Olimpíadas do Conhecimento determina,

Leia mais

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 052/2010 ESCLARECIMENTO 4

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 052/2010 ESCLARECIMENTO 4 MENSAGEM Assunto: Esclarecimento 4 Referência: Pregão Eletrônico n. 052/2010 Data: 19/11/2010 Objeto: Contratação de serviços técnicos especializados de atendimento remoto e presencial a usuários de tecnologia

Leia mais

Aula 03 - Redes e Conectividade. Prof. Hugo V. L. Souza

Aula 03 - Redes e Conectividade. Prof. Hugo V. L. Souza Aula 03 - Redes e Conectividade Prof. Hugo V. L. Souza Agenda Introdução as Redes de Computadores Fundamentos das redes de alta velocidades e a internet Redes locais e privadas - LANs Redes locais sem

Leia mais

linguagem técnica de informática; Perceber os sinais de pontuação e identificar sua função no texto; Ler siglas e identificar seus significados;

linguagem técnica de informática; Perceber os sinais de pontuação e identificar sua função no texto; Ler siglas e identificar seus significados; PLANO DE CURSO Disciplina Competências Habilidades Bases Tecnológicas INGLÊS TÉCNICO Aumentar e consolidar o seu vocabulário ativo e passivo, através da fixação de novas palavras e expressões contidas

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Serviços de informática. Prefeitura Municipal de Vitória das Missões-RS

TERMO DE REFERÊNCIA. Serviços de informática. Prefeitura Municipal de Vitória das Missões-RS TERMO DE REFERÊNCIA Serviços de informática Prefeitura Municipal de Vitória das Missões-RS 1 I VISITA IN LOCO No dia 24 de junho de 2014 na sede da Prefeitura Municipal de Vitória das Missões-RS realizamos

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS HUMANOS DA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DE CANOAS CANOASTEC

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS HUMANOS DA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DE CANOAS CANOASTEC PLANO DE DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS HUMANOS DA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DE CANOAS CANOASTEC Institui o Plano de Desenvolvimento de Recursos Humanos criando o Quadro

Leia mais

o desenvolvimento, o crescimento e a disseminação moral, honestidade e cooperação real transparência, alta qualidade e preços justos

o desenvolvimento, o crescimento e a disseminação moral, honestidade e cooperação real transparência, alta qualidade e preços justos Desde Junho do ano 2000, trabalhamos muito e buscamos crescer, em nossa sede e em capital. Mas todo nosso crescimento só foi e é possível porque nunca deixamos de lado o desenvolvimento, o crescimento

Leia mais

Gerência de Redes: Modelos de Gerência de Redes: Modelo FCAPS: Ferramentas de Gerência de Redes:

Gerência de Redes: Modelos de Gerência de Redes: Modelo FCAPS: Ferramentas de Gerência de Redes: Gerência de Redes: - Gerência de redes é o monitoramento de qualquer estrutura física e/ou lógica de uma rede. É de extrema importância esse gerenciamento para que se obtenha um bom fluxo no tráfego das

Leia mais

PLANO DA SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM CURSOS TÉCNICOS. Walter André de Almeida Pires. Silveira

PLANO DA SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM CURSOS TÉCNICOS. Walter André de Almeida Pires. Silveira PLANO DA SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM CURSOS TÉCNICOS 1. Identificação Curso Técnico em Informática Unidade São José Coordenador da S.A Walter André de Almeida Pires Unidade(s) Curricular(es) Envolvida(s)

Leia mais

SIMULADO: Simulado 3 - ITIL Foundation v3-40 Perguntas em Português

SIMULADO: Simulado 3 - ITIL Foundation v3-40 Perguntas em Português 1 de 7 28/10/2012 16:47 SIMULADO: Simulado 3 - ITIL Foundation v3-40 Perguntas em Português RESULTADO DO SIMULADO Total de questões: 40 Pontos: 0 Score: 0 % Tempo restante: 55:07 min Resultado: Você precisa

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARI SECRETARIA DE EDUCAÇÃO ASSESSORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARI SECRETARIA DE EDUCAÇÃO ASSESSORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ANALISE DA PROPOSTA TÉCNICA DOS PARA EDITAL 0001/010 Profissional: Administrador de Sistemas Alcançada Classificação Habilidades e capacitação Num. De Certificados Pontos a) Descrição do cargo: Atuar como

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Competências Analista 1. Administração de recursos de infra-estrutura de tecnologia da informação 2.

Leia mais

MSc Eliton Smith elitonsmith@gmail.com. Gerenciamento e Administração de Redes

MSc Eliton Smith elitonsmith@gmail.com. Gerenciamento e Administração de Redes MSc Eliton Smith elitonsmith@gmail.com Gerenciamento e Administração de Redes 2 Gerência de Redes ou Gerenciamento de Redes É o controle de qualquer objeto passível de ser monitorado numa estrutura de

Leia mais

FACSENAC. SISGEP SISTEMA GERENCIADOR PEDAGÓGICO DRP (Documento de Requisitos do Projeto de Rede)

FACSENAC. SISGEP SISTEMA GERENCIADOR PEDAGÓGICO DRP (Documento de Requisitos do Projeto de Rede) FACSENAC SISTEMA GERENCIADOR PEDAGÓGICO Versão: 1.2 Data: 25/11/2011 Identificador do documento: Documento de Visão V. 1.7 Histórico de revisões Versão Data Descrição Autor 1.0 03/10/2011 Primeira Edição

Leia mais

Guia de Atualização PROJURIS WEB 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4.

Guia de Atualização PROJURIS WEB 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4. Guia de Atualização PROJURIS WEB 4.5 Por: Fabio Pozzebon Soares Página 1 de 11 Sistema ProJuris é um conjunto de componentes 100% Web, nativamente integrados, e que possuem interface com vários idiomas,

Leia mais

Sistemas de Informações Gerenciais Introdução as redes de comunicação e redes de computadores Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza

Sistemas de Informações Gerenciais Introdução as redes de comunicação e redes de computadores Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Sistemas de Informações Gerenciais Introdução as redes de comunicação e redes de computadores Prof. MSc Hugo Vieira L. Souza Este documento está sujeito a copyright. Todos os direitos estão reservados

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Dr. José Luiz Viana Coutinho Código: 073 Município: Jales Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Habilitação Profissional

Leia mais

Planejar, administrar, desenvolver e implementar banco de dados e sistemas integrados de informacao.

Planejar, administrar, desenvolver e implementar banco de dados e sistemas integrados de informacao. PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000053 - ENGENHARIA DA COMPUTACAO Nivel: Superior Area Profissional: INFORMATICA Area de Atuacao: BANCO DE DADOS/INFORMATICA Planejar, administrar,

Leia mais

Plano de Gerência de Configuração

Plano de Gerência de Configuração Plano de Gerência de Configuração Objetivo do Documento Introdução A aplicação deste plano garante a integridade de códigos-fonte e demais produtos dos sistemas do, permitindo o acompanhamento destes itens

Leia mais

A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS. A decisão de automatizar

A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS. A decisão de automatizar A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS A decisão de automatizar 1 A decisão de automatizar Deve identificar os seguintes aspectos: Cultura, missão, objetivos da instituição; Características

Leia mais

OCUPAÇÃO 19 DESCRITIVO TÉCNICO. Data de Aprovação:18/12/2003 Data de Revisão: Dezembro de 2005

OCUPAÇÃO 19 DESCRITIVO TÉCNICO. Data de Aprovação:18/12/2003 Data de Revisão: Dezembro de 2005 DESCRITIVO TÉCNICO OCUPAÇÃO 19 Data de Aprovação:18/12/2003 Data de Revisão: Dezembro de 2005 A Comissão de Diretores do SENAI Coordenadora das Olimpíadas do Conhecimento determina, de acordo com as normas

Leia mais

DESCRITIVO TÉCNICO WEB DESIGN

DESCRITIVO TÉCNICO WEB DESIGN DESCRITIVO TÉCNICO WEB DESIGN 17 A, por resolução do seu Comitê Técnico, em acordo com os Estatutos e as Regras da Competição, adotou as exigências mínimas que seguem no tocante a esta ocupação na Competição.

Leia mais

Serviço HP IMC EAD Implementation

Serviço HP IMC EAD Implementation Serviço HP IMC EAD Implementation Dados técnicos O serviço HP IMC EAD Implementation tem o objetivo de fornecer a personalização do módulo Endpoint Admission Defense de acordo com as necessidades do Cliente

Leia mais

MÓDULO 11 ELEMENTOS QUE FAZEM PARTE DO PROJETO DO SISTEMA

MÓDULO 11 ELEMENTOS QUE FAZEM PARTE DO PROJETO DO SISTEMA MÓDULO 11 ELEMENTOS QUE FAZEM PARTE DO PROJETO DO SISTEMA Através dos elementos que fazem parte do projeto do sistema é que podemos determinar quais as partes do sistema que serão atribuídas às quais tipos

Leia mais

A CMNet disponibilizou no dia 24 de junho para download no Mensageiro a nova versão do Padrão dos Sistemas CMNet.

A CMNet disponibilizou no dia 24 de junho para download no Mensageiro a nova versão do Padrão dos Sistemas CMNet. Prezado Cliente, A CMNet disponibilizou no dia 24 de junho para download no Mensageiro a nova versão do Padrão dos Sistemas CMNet. No Padrão 9 você encontrará novas funcionalidades, além de alterações

Leia mais

Tecnologia e Infraestrutura. Conceitos de Redes

Tecnologia e Infraestrutura. Conceitos de Redes Tecnologia e Infraestrutura Conceitos de Redes Agenda Introdução às Tecnologias de Redes: a) Conceitos de redes (LAN, MAN e WAN); b) Dispositivos (Hub, Switch e Roteador). Conceitos e tipos de Mídias de

Leia mais

A LIBERDADE DO LINUX COM A QUALIDADE ITAUTEC

A LIBERDADE DO LINUX COM A QUALIDADE ITAUTEC A LIBERDADE DO LINUX COM A QUALIDADE ITAUTEC O AMBIENTE OPERACIONAL QUE AGREGA A CONFIABILIDADE E O SUPORTE DA ITAUTEC À SEGURANÇA E À PERFORMANCE DO LINUX O LIBRIX É UMA DISTRIBUIÇÃO PROFISSIONAL LINUX

Leia mais

Funcionalidade Escalabilidade Adaptabilidade Gerenciabilidade

Funcionalidade Escalabilidade Adaptabilidade Gerenciabilidade Projeto de Redes Requisitos Funcionalidade -- A rede precisa funcionar. A rede precisa permitir que os usuários desempenhem os seus deveres profissionais. A rede precisa oferecer conectividade de usuário-para-usuário

Leia mais

ANEXO II PERFIL DOS TÉCNICOS E ANALISTAS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER

ANEXO II PERFIL DOS TÉCNICOS E ANALISTAS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER PERFIL DOS TÉCNICOS E ANALISTAS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER 1. FORMAÇÃO, CONHECIMENTO E HABILIDADES EXIGIDAS 1.1. PERFIL DE TÉCNICO EM INFORMÁTICA: 1.1.1.DESCRIÇÃO DO PERFIL: O profissional desempenhará

Leia mais

II- profissional tecnicamente capacitado, com conhecimentos cientificamente

II- profissional tecnicamente capacitado, com conhecimentos cientificamente MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 240, DE 2 DE JUNHO DE 2014 O Presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais

Leia mais

Serviço Público. Manutenção e Suporte em Informática

Serviço Público. Manutenção e Suporte em Informática Serviço Público Manutenção e Suporte em Informática Wilson Pedro Coordenador do Curso de Serviço Público etec_sp@ifma.edu.br Carla Gomes de Faria Coordenadora do Curso de Manutenção e Suporte em Informática

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Prof. Macêdo Firmino Princípios de Gerência de Redes Macêdo Firmino (IFRN) Redes de Computadores Maio de 2011 1 / 13 Introdução Foi mostrado que uma rede de computadores consiste

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 16

REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 16 REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 16 Índice 1. SISTEMA OPERACIONAL DE REDE...3 1.1 O protocolo FTP... 3 1.2 Telnet... 4 1.3 SMTP... 4 1.4 SNMP... 5 2 1. SISTEMA OPERACIONAL DE REDE O sistema

Leia mais

PLANO DE CAPACITAÇÃO DA ÁREA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

PLANO DE CAPACITAÇÃO DA ÁREA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PLANO DE CAPACITAÇÃO DA ÁREA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO COMITÊ GESTOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (CGTI) JULHO/2012 Rua do Rouxinol, N 115 / Salvador Bahia CEP: 41.720-052 Telefone: (71) 3186-0001. Email:

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO Secretaria de Tecnologia da Informação

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO Secretaria de Tecnologia da Informação TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO Secretaria de Tecnologia da Informação REGIONALIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE TI MAPEAMENTO DE PROVIDÊNCIAS INICIAIS Março/2014 V 1.1 REGIONALIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE TI MAPEAMENTO

Leia mais

Sistemas de Informação I

Sistemas de Informação I + Sistemas de Informação I Dimensões de análise dos SI Ricardo de Sousa Britto rbritto@ufpi.edu.br + Introdução n Os sistemas de informação são combinações das formas de trabalho, informações, pessoas

Leia mais

PROGRAMA DE TREINAMENTO ACTIVE DIRECTORY DO WINDOWS SERVER 2003

PROGRAMA DE TREINAMENTO ACTIVE DIRECTORY DO WINDOWS SERVER 2003 PROGRAMA DE TREINAMENTO ACTIVE DIRECTORY DO WINDOWS SERVER 2003 CARGA HORÁRIA: 64 horas. O QUE É ESTE TREINAMENTO: O Treinamento Active Ditectory no Windows Server 2003 prepara o aluno a gerenciar domínios,

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Objeto. 2. Antecedentes. 3. Objeto da Licitação

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Objeto. 2. Antecedentes. 3. Objeto da Licitação TERMO DE REFERÊNCIA 1. Objeto 1.1. Contratação de empresa especializada em auditoria de tecnologia da informação e comunicações, com foco em segurança da informação na análise de quatro domínios: Processos

Leia mais

Prof. Marcelo Machado Cunha Parte 1 www.marcelomachado.com

Prof. Marcelo Machado Cunha Parte 1 www.marcelomachado.com Prof. Marcelo Machado Cunha Parte 1 www.marcelomachado.com Conceito, características e classificação das Redes de Computadores; Topologias; Meios físicos de transmissão; Equipamentos de Rede; Segurança;

Leia mais

TEF Transferência Eletrônica de Fundos

TEF Transferência Eletrônica de Fundos 1. VISÃO GERAL 1.1 OBJETIVOS: O TEF é uma solução eficiente e robusta para atender as necessidades do dia a dia de empresas que buscam maior comodidade e segurança nas transações com cartões, adequação

Leia mais

FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO ITAIPU - BRASIL REGULAMENTO DO PROCESSO SELETIVO Nº 42.15

FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO ITAIPU - BRASIL REGULAMENTO DO PROCESSO SELETIVO Nº 42.15 REGULAMENTO DO PROCESSO SELETIVO Nº 42.15 A FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO ITAIPU BRASIL (FPTI-BR) torna público que serão recebidas as inscrições para o Processo Seletivo nº 42.15 sob contratação em regime

Leia mais

15/09/2015. Gestão e Governança de TI. Modelo de Governança em TI. A entrega de valor. A entrega de valor. A entrega de valor. A entrega de valor

15/09/2015. Gestão e Governança de TI. Modelo de Governança em TI. A entrega de valor. A entrega de valor. A entrega de valor. A entrega de valor Gestão e Governança de TI Modelo de Governança em TI Prof. Marcel Santos Silva PMI (2013), a gestão de portfólio é: uma coleção de projetos e/ou programas e outros trabalhos que são agrupados para facilitar

Leia mais

AVISO DE SELEÇÃO Nº 19/ 2015

AVISO DE SELEÇÃO Nº 19/ 2015 AVISO DE SELEÇÃO Nº 19/ 2015 O SENAI Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial do Ceará realiza processo seletivo de profissionais para atuação em Fortaleza/CE. Os candidatos selecionados deverão estar

Leia mais

Proposta Técnica. Desenvolvimento de software QUICKSITE

Proposta Técnica. Desenvolvimento de software QUICKSITE Proposta Técnica Desenvolvimento de software CONTEÚDO Resumo Executivo...3 1.1 Duração e Datas Especiais... 3 1.2 Fatores Críticos de Sucesso... 3 A Hi Level...3 Solução Proposta...4 1.3 Escopo... 4 1.4

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação TLCne-051027-P0 Gestão da Tecnologia da Informação Disciplina: Governança de TI São Paulo, Outubro de 2012 0 Sumário TLCne-051027-P1 Conteúdo desta Aula Abordar o domínio Adquirir e Implementar e todos

Leia mais

Catálogo de Equipamentos Vivo Soluciona TI

Catálogo de Equipamentos Vivo Soluciona TI Catálogo de Equipamentos Vivo Soluciona TI Vivo Soluciona TI Equipamento Desktop, Notebook ou Tablet Manutenção Local ou Remota Segurança Antivírus e seguro contra roubo e furto Solução de informática

Leia mais

Serviço de Desenho e Implementação de Volume Virtual de HP Storage

Serviço de Desenho e Implementação de Volume Virtual de HP Storage Serviço de Desenho e Implementação de Volume Virtual de HP Storage Serviços HP CarePack Dados técnicos A configuração correta de hardware de armazenamento é crucial para ajudar a melhorar a eficácia dos

Leia mais

Softwares de Sistemas e de Aplicação

Softwares de Sistemas e de Aplicação Fundamentos dos Sistemas de Informação Softwares de Sistemas e de Aplicação Profª. Esp. Milena Resende - milenaresende@fimes.edu.br Visão Geral de Software O que é um software? Qual a função do software?

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores. Trabalho Interdisciplinar Semestral. 3º semestre - 2012.1

Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores. Trabalho Interdisciplinar Semestral. 3º semestre - 2012.1 Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores Trabalho Interdisciplinar Semestral 3º semestre - 2012.1 Trabalho Semestral 3º Semestre Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores Apresentação

Leia mais

Quarta-feira, 09 de janeiro de 2008

Quarta-feira, 09 de janeiro de 2008 Quarta-feira, 09 de janeiro de 2008 ÍNDICE 3 4 RECOMENDAÇÕES DE HARDWARE PARA O TRACEGP TRACEMONITOR - ATUALIZAÇÃO E VALIDAÇÃO DE LICENÇAS 2 1. Recomendações de Hardware para Instalação do TraceGP Este

Leia mais

PROCEDIMENTOS BÁSICOS PARA HOMOLOGAÇÃO DE SOFTWARE HOUSES COM PRODUTOS E APLICAÇÕES DE EDI NO PADRÃO DA INDÚSTRIA AUTOMOTIVA BRASILEIRA

PROCEDIMENTOS BÁSICOS PARA HOMOLOGAÇÃO DE SOFTWARE HOUSES COM PRODUTOS E APLICAÇÕES DE EDI NO PADRÃO DA INDÚSTRIA AUTOMOTIVA BRASILEIRA PROCEDIMENTOS BÁSICOS PARA HOMOLOGAÇÃO DE SOFTWARE HOUSES COM PRODUTOS E APLICAÇÕES DE EDI NO PADRÃO DA INDÚSTRIA AUTOMOTIVA BRASILEIRA Documento elaborado pelo Grupo de Trabalho da Comissão de Normas

Leia mais

Sistema BuildParty para montagem e gerenciamento de eventos. Plano de Testes. Versão <1.1> DeltaInfo. Soluções para web Soluções para o mundo

Sistema BuildParty para montagem e gerenciamento de eventos. Plano de Testes. Versão <1.1> DeltaInfo. Soluções para web Soluções para o mundo Sistema BuildParty para montagem e gerenciamento de eventos Plano de Testes Versão DeltaInfo Soluções para web Soluções para o mundo DeltaInfo 2 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autores

Leia mais

HP Router Advanced Implementation

HP Router Advanced Implementation HP Router Advanced Implementation Dados técnicos O HP Router Advanced Implementation tem como objetivo, baseado na entrevista para coleta de informações junto ao Cliente e na análise dos equipamentos existente,

Leia mais

Ensino Técnico. Ensino Técnico

Ensino Técnico. Ensino Técnico Ensino Técnico PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015 Ensino Técnico Código: 262 ETEC ANHANQUERA Município: Santana de Parnaíba Componente Curricular: Aplicativos Informatizados Eixo Tecnológico: Gestão

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS Eixo Tecnológico: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de

Leia mais

Mecânica de Automóveis DESCRITIVO TÉCNICO

Mecânica de Automóveis DESCRITIVO TÉCNICO 33 Mecânica de Automóveis DESCRITIVO TÉCNICO A AmericaSkills, por resolução do seu Comitê Técnico, em acordo com o Estatuto e as Regras da Competição, adotou as exigências mínimas que seguem no tocante

Leia mais

PROJETO NOVAS FRONTEIRAS. Descrição dos processos de gerenciamento da qualidade

PROJETO NOVAS FRONTEIRAS. Descrição dos processos de gerenciamento da qualidade PROJETO NOVAS FRONTEIRAS PLANO DE GERENCIAMENTO DA QUALIDADE QUALITY MANAGEMENT PLAN Preparado por Mara Lúcia Menezes Membro do Time Versão 3 Aprovado por Rodrigo Mendes Lemos Gerente do Projeto 15/11/2010

Leia mais

AFRE. a. ( ) Instalando um programa gerenciador de carregamento, como o LILO ou o GRUB. a. ( ) Data Werehouse ; Internet ; Linux

AFRE. a. ( ) Instalando um programa gerenciador de carregamento, como o LILO ou o GRUB. a. ( ) Data Werehouse ; Internet ; Linux 1. De que forma é possível alterar a ordem dos dispositivos nos quais o computador procura, ao ser ligado, pelo sistema operacional para ser carregado? a. ( ) Instalando um programa gerenciador de carregamento,

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec ETEC PROF. MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÃ Eixo Tecnológico: GESTÃO E NEGOCIOS Habilitação Profissional: TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO DE TÉCNICO

Leia mais

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar.

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar. C O B I T Evolução Estratégica A) Provedor de Tecnologia Gerenciamento de Infra-estrutura de TI (ITIM) B) Provedor de Serviços Gerenciamento de Serviços de TI (ITSM) C) Parceiro Estratégico Governança

Leia mais

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial 2 1. O Sistema PrinterTux O Printertux é um sistema para gerenciamento e controle de impressões. O Produto consiste em uma interface web onde o administrador efetua o cadastro

Leia mais

Relatorio do trabalho pratico 2

Relatorio do trabalho pratico 2 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA INE5414 REDES I Aluno: Ramon Dutra Miranda Matricula: 07232120 Relatorio do trabalho pratico 2 O protocolo SNMP (do inglês Simple Network Management Protocol - Protocolo

Leia mais

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil José Monteiro Lysandro Junior Light Serviços de Eletricidade S/A jose.monteiro@light.com.br

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS DE REDE

ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS DE REDE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇOS DE REDE Introdução O administrador de redes geovanegriesang@ifsul.edu.br www.geovanegriesang.com Gerenciamento de redes Gerenciamento de rede é o ato de iniciar, monitorar e modificar

Leia mais

Módulo 4. Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios

Módulo 4. Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios Módulo 4 Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios Estruturas e Metodologias de controle adotadas na Sarbanes COBIT

Leia mais

MECANISMOS PARA GOVERNANÇA DE T.I. IMPLEMENTAÇÃO DA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

MECANISMOS PARA GOVERNANÇA DE T.I. IMPLEMENTAÇÃO DA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza MECANISMOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DA GOVERNANÇA DE T.I. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza CICLO DA GOVERNANÇA DE TI O CICLO DA GOVERNANÇA DE TI O Ciclo da Governança de T.I. ALINHAMENTO

Leia mais

Gerenciamento de Redes

Gerenciamento de Redes Gerenciamento de Redes As redes de computadores atuais são compostas por uma grande variedade de dispositivos que devem se comunicar e compartilhar recursos. Na maioria dos casos, a eficiência dos serviços

Leia mais

Introdução. O que é Serviços de Terminal

Introdução. O que é Serviços de Terminal Introdução Microsoft Terminal Services e Citrix MetaFrame tornaram-se a indústria padrões para fornecer acesso de cliente thin para rede de área local (LAN), com base aplicações. Com o lançamento do MAS

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇO DE BACKUP. Professor Carlos Muniz

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇO DE BACKUP. Professor Carlos Muniz ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS O que é o Backup do Windows Server? O recurso Backup do Windows Server no Windows Server 2008 consiste em um snap-in do Console de Gerenciamento Microsoft (MMC) e

Leia mais

Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL

Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL Information Technology Infrastructure Library ou Biblioteca de Infraestrutura da Tecnologia da Informação A TI de antes (ou simplesmente informática ),

Leia mais

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC 1. Diretor da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação Coordenar

Leia mais

Dell Infrastructure Consulting Services

Dell Infrastructure Consulting Services Proposta de Serviços Profissionais Implementação do Dell OpenManage 1. Apresentação da proposta Esta proposta foi elaborada pela Dell com o objetivo de fornecer os serviços profissionais de implementação

Leia mais

Sistemas Operacionais II. Prof. Gleison Batista de Sousa

Sistemas Operacionais II. Prof. Gleison Batista de Sousa Sistemas Operacionais II Prof. Gleison Batista de Sousa Objetivos de aprendizagem Conhecer o funcionamento dos sistemas operacionais para redes de computadores. Aprender como é feito o gerenciamento do

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de Configuração de Redes de Computadores Linux. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de Configuração de Redes de Computadores Linux. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

Especificações da oferta Remote Infrastructure Monitoring

Especificações da oferta Remote Infrastructure Monitoring Visão geral do Serviço Especificações da oferta Remote Infrastructure Monitoring Este serviço oferece o Dell Remote Infrastructure Monitoring ("Serviço" ou "Serviços" RIM), como apresentado mais especificamente

Leia mais

Portfólio. Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Beja. Curso de Engenharia Informática. 4º Ano. José Afonso Esteves Janeiro

Portfólio. Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Beja. Curso de Engenharia Informática. 4º Ano. José Afonso Esteves Janeiro Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Beja Curso de Engenharia Informática 4º Ano Portfólio José Afonso Esteves Janeiro Certificação CISCO CCNA (Cisco Certificate Network Associate) 2009 1 Índice Resumo...3

Leia mais

LIGANDO MICROS EM REDE

LIGANDO MICROS EM REDE LAÉRCIO VASCONCELOS MARCELO VASCONCELOS LIGANDO MICROS EM REDE Rio de Janeiro 2007 ÍNDICE Capítulo 1: Iniciando em redes Redes domésticas...3 Redes corporativas...5 Servidor...5 Cliente...6 Estação de

Leia mais

PROPOSTA COMERCIAL PARA TREINAMENTOS DE TI

PROPOSTA COMERCIAL PARA TREINAMENTOS DE TI PROPOSTA COMERCIAL PARA TREINAMENTOS DE TI Curso: Formação para certificação MCSA em Windows Server 2012 Prepara para as provas: 70-410, 70-411 e 70-412 Em parceria com Pág. 1 Objetivo Adquirindo a formação

Leia mais

SOLUÇÕES EMPRESARIAS SERVIDORES TERMINAL SERVER SERVIDOR PROXY INSTALAÇÃO DE CAMERAS PARA EMPRESAS

SOLUÇÕES EMPRESARIAS SERVIDORES TERMINAL SERVER SERVIDOR PROXY INSTALAÇÃO DE CAMERAS PARA EMPRESAS feedbackari.com SOLUÇÕES EMPRESARIAS SERVIDORES TERMINAL SERVER SERVIDOR PROXY INSTALAÇÃO DE CAMERAS PARA EMPRESAS MANUTENÇÃO EM COMPUTADORES CONFIRA NOSSOS PRINCIPAIS SERVIÇOS PARA O SEU MICROCOMPUTADOR

Leia mais

MicroWork TOUCH CRM. Considerações Gerais

MicroWork TOUCH CRM. Considerações Gerais Considerações Gerais O é uma importante ferramenta para o controle de fluxo de loja de sua concessionária. Através deste aplicativo, sua recepcionista de showroom registrará os dados de contato de todos

Leia mais

Floricultura Beija-Flor

Floricultura Beija-Flor Floricultura Beija-Flor PLANO DE GERENCIAMENTO DE RECURSOS HUMANOS Preparado Samily Rocha Gois e Francisco Luiz Sobrinho Versão: 101.1 por Aprovado por Samily Rocha Gois Data: 27/11/2012 1.

Leia mais

HCT Compatibilidade Manual do Usuário

HCT Compatibilidade Manual do Usuário HCT Compatibilidade Manual do Usuário Índice Introdução...3 HCT Compatibilidade...3 Librix...3 Execução do Programa...4 Seleção de Testes...4 Testes Manuais...6 Teste de Teclado...6 Teste de Vídeo...7

Leia mais

Projeto de Redes Top-Down

Projeto de Redes Top-Down Projeto de Redes Top-Down Referência: Slides extraídos (material de apoio) do livro Top-Down Network Design (2nd Edition), Priscilla Oppenheimer, Cisco Press, 2010. http://www.topdownbook.com/ Alterações

Leia mais

TEORIA GERAL DE SISTEMAS

TEORIA GERAL DE SISTEMAS TEORIA GERAL DE SISTEMAS Vulnerabilidade dos sistemas e uso indevido Vulnerabilidade do software Softwares comerciais contém falhas que criam vulnerabilidades na segurança Bugs escondidos (defeitos no

Leia mais