FORMANDO NOVAS LIDERANÇAS:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FORMANDO NOVAS LIDERANÇAS:"

Transcrição

1 FORMANDO NOVAS LIDERANÇAS: A EXPERIÊNCIA DE MINAS GERAIS NA IMPLANTAÇÃO DE UM PROGRAMA DE TUTORIA ROBERTA KELLY FIGUEIREDO FERNANDA DE SIQUEIRA NEVES

2 2 Painel 07/022 Experiências de desenvolvimento de lideranças e avaliação de desempenho na gestão pública FORMANDO NOVAS LIDERANÇAS: A EXPERIÊNCIA DE MINAS GERAIS NA IMPLANTAÇÃO DE UM PROGRAMA DE TUTORIA Roberta Kelly Figueiredo Fernanda de Siqueira Neves RESUMO A profissionalização dos gestores tem se evidenciado como peça fundamental para a gestão pública. São os gestores que conduzem as equipes ao alcance dos resultados esperados atuando como elo entre os servidores e a estratégia governamental. Esse artigo tem como objetivo apresentar a experiência de Minas com a adoção do modelo de tutoria para promover o desenvolvimento gerencial e a formação de novas lideranças, por meio do Programa Lideranças Especialistas para o Futuro. Esse programa consiste em um processo de tutoria no qual lideranças, referências de boa gestão e possuidoras de grande expertise, acompanham servidores com vistas a propiciar desenvolvimento de competências gerenciais, troca de experiências como líder, ampliação da rede de relacionamentos e aprimoramento técnico. Além do desenvolvimento dos tutorados e da formação de um banco de potenciais sucessores, outro objetivo do programa é construir memória organizacional e garantir que o conhecimento de servidores experientes se dissemine no governo do Estado. A metodologia utilizada é baseada no mentoring, no coaching e na aprendizagem vivencial. Em seu primeiro ciclo, o programa contou com 47 tutores e 99 tutorados. Palavras-chave: tutoria, desenvolvimento gerencial, gestão de pessoas.

3 3 INTRODUÇÃO O governo do Estado de Minas Gerais passou por profundas transformações no seu modelo de gestão no período de 2003 a 2014, com vistas a superar as barreiras constituídas pelos antigos comportamentos organizacionais e reverter o modelo burocrático, centralizado e moroso da administração pública em uma nova modalidade de gerenciamento focado nos resultados para atender as demandas da sociedade. Para o alcance desses objetivos era primordial a busca por novas maneiras de gerir, a reformulação da estratégia, a redefinição de estruturas e sistemas, o estabelecimento de novas práticas de gestão e a transformação da cultura organizacional. Nesse sentido, o conceito de inovação e modernização passou a ser o eixo fundamental para a execução da estratégia govername ntal. Deve-se destacar que o sucesso da gestão governamental depende fundamentalmente da mobilização e envolvimento dos servidores com os objetivos e com a estratégia governamental. Assim, os gestores públicos passam a ter um papel de grande relevância, uma vez que constituem o elo entre a estratégia e os servidores. Também são primordiais para garantir a consolidação e a continuidade das boas práticas implementadas. O papel da liderança é decisivo para a implementação dos planos de governo e nas iniciativas de reforma e modernização da gestão pública. Assim, o desafio a ser enfrentado pelo líder contemporâneo passa a ser de duas naturezas: mobilizar suas equipes internas e promover articulações com outras equipes (e lideranças) para o alcance de seus próprios objetivos. Esta nova concepção de liderança é fundamental para a criação de valor público em todas as dimensões, mas especialmente na da gestão pública. Nesse sentido, o governo de Minas adotou uma série de medidas visando o fortalecimento da profissionalização e valorização dos gestores públicos. Destacase dentre elas o programa de tutoria chamado Lideranças Especialistas para o Futuro, implantado em Este programa tem como objetivo principal desenvolver novos talentos para a gestão pública e trazer benefícios para o Estado no contexto atual, e principalmente para os desafios futuros.

4 4 Esse artigo tem como objetivo apresentar a experiência de Minas com a adoção do modelo de tutoria para promover o desenvolvimento gerencial e a formação de novas lideranças, por meio do Programa Lideranças Especialistas para o Futuro. Nesse Programa, os tutores, lideranças, referências de boa gestão e possuidoras de grande expertise, a partir das suas experiências, orientam e aconselham seus tutorados a fim de propiciar seu desenvolvimento, através de oportunidades de relacionamento, sempre com foco no desenvolvimento do tutorado através das experiências do tutor. O tutorado é treinado para aproveitar ao máximo o processo de tutoria por meio de ferramentas de coaching autoaplicadas. OBJETIVOS DO PROGRAMA O Programa Lideranças Especialistas para o Futuro consiste em um processo de tutoria, com vistas a propiciar aos tutorados desenvolvimento de competências gerenciais, troca de experiências como líder, ampliação da rede de relacionamentos e aprimoramento técnico. O programa tem como objetivos específicos: Incentivar, potencializar e desenvolver talentos de gestores, utilizando a experiência gerencial e a expertise de lideranças ícones; Desenvolver competências gerenciais e essenciais;

5 5 Construir memória organizacional e garantir que o conhecimento de servidores experientes se dissemine no Governo do Estado de Minas Gerais; Proporcionar redes de relacionamento capazes de alavancar o conhecimento e desenvolvimento de competências dos tutorados. A instituição de programas dessa natureza apresentam vantagens para a organização, como a formação de novos líderes, transmissão da cultura e construção de uma memória organizacional, desenvolvimento de competências gerenciais e essenciais e aumento da produtividade. Para o tutor, desponta o aprimoramento de competências como gestor de pessoas, seu reconhecimento como líder-gestor, revitalização de interesses relacionados ao trabalho e ampliação dos conhecimentos e habilidades por meio da troca de experiências com o tutorado. Para o tutorado, destacam-se o desenvolvimento de competências gerenciais e essenciais, melhor desempenho no trabalho, incremento da rede de relacionamentos, desenvolvimento da expertise na área de conhecimento do tutor, aumento do nível de satisfação com o trabalho e valorização profissional. MODELO ADOTADO A implementação de um programa de tutoria com foco no desenvolvimento gerencial foi uma iniciativa inédita na administração pública brasileira e sua estruturação apresentou-se como um grande desafio, dado o contexto peculiar de sua aplicação. A partir de uma série de estudos sobre o tema, foi desenhado um modelo híbrido, que associa mentoring e coaching, tendo a aprendizagem vivencial como elemento direcionador do programa, promovendo o autodesenvolvimento do tutorado.

6 6 O mentoring é uma forma de gestão onde um profissional mais experiente orienta e compartilha com profissionais mais jovens, experiências e conhecimentos no sentido de dar-lhes orientações e conselhos para o desenvolvimento de suas carreiras. E o coaching consiste em uma metodologia de aceleração de resultados que visa o desenvolvimento de competências e habilidades para o alcance de resultados planejados em determinado período de tempo. No programa foram selecionados como tutores profissionais mais experientes, com o propósito de compartilhar suas vivências e conhecimentos com os tutorados, orientando-os para o desenvolvimento de suas carreiras. Associado a esses elementos do mentoring, o programa foi formatado em sessões nas quais tutores e tutorados, por meio da utilização de ferramentas do coaching, poderiam definir os resultados esperados com o processo, acompanhar o alcance dessas metas definidas e avaliar o desenvolvimento dos tutorados. Além da sugestão aos tutores de roteiros para o alinhamento das expectativas e para o acompanhamento do desenvolvimento, algumas dinâmicas para definição dos objetivos foram trabalhadas com os tutorados e também foram repassadas ferramentas de coaching, como diário de bordo, planos de ação e instrumentos de autoavaliação. O Ciclo de Aprendizagem Vivencial (CAV) foi apresentado a tutores e tutorados, enfatizando, com cada um, técnicas com o propósito de otimizar sua atuação nesse processo de aprendizagem. Adaptada ao contexto e estrutura do Programa Lideranças Especialistas para o Futuro, a aprendizagem vivencial fundamentou-se em três fases:

7 7 1) Relato de vivência por meio da história de vida e experiência do tutor. Para que essa fase pudesse ser explorada da melhor forma possível pelos tutores, esses foram orientados sobre técnicas de contação de estórias. Considerando a interação entre tutor e tutorado em encontros programados, as estórias tornam-se o meio para transmissão de experiências vividas pelos tutores, com o propósito de ajudar o tutorado a se desenvolver e atingir os objetivos acordados. A estrutura da contação de estórias objetiva dar suporte aos tutores para a seleção e transmissão das suas experiências que corroboram para o desenvolvimento do tutorado. As experiências também poderiam ser vivenciadas pelos tutorados por meio de diferentes oportunidades de aprendizagem disponibilizadas pelos tutores que extrapolavam as sessões, como participações em reuniões ou aulas conduzidas pelos tutores, almoços, eventos, etc. 2) Processamento e generalização, consistindo em autoavaliação, extrapolação, generalização por meio de analogias, avaliações, insights, realizados pelos tutorados com o auxílio do tutor. Nessa fase, o tutorado reflete e se expressa sobre a experiência relatada pelo tutor ou vivida juntamente com ele. Esse processamento pelo tutorado pode ser facilitado pela atuação do tutor, por meio de questões que o façam refletir sobre a situação e expressá-la, aplicando-a ao seu contexto e a suas necessidades de desenvolvimento. Para melhor resultado nessa fase, tutores e tutorados foram orientados sobre o processo de comunicação, recebendo dicas para a condução das conversas e técnicas de feedback. 3) Aplicação; que consistem no compromisso pessoal com as mudanças de comportamento, atitudes ou ações percebidas como necessárias. Essa é a fase mais importante da aprendizagem vivencial, quando o aprendizado evidenciado pelo processamento e pelas generalizações é posto em prática. É nessa etapa que o Programa Liderança

8 8 Especialistas para o Futuro é ratificado como um processo de autodesenvolvimento. Essa característica do programa é ressaltada com os tutorados, visto que cabe a esses traçar metas de desenvolvimento e se comprometer ao alcançar suas expectativas. O tutor é um dos elementos facilitadores para seu processo de desenvolvimento e a ele cabe o papel de compartilhar suas experiências profissionais, seus conhecimentos práticos e suas vivências com o seu tutorado. Utilizando seus feedbacks, encorajando e aconselhando, os tutores podem auxiliar na trajetória e nas escolhas profissionais dos tutorados. O processo de tutoria é um momento no qual o tutorado deve buscar o desenvolvimento e sucesso em alcança-lo depende de seu empenho e comprometimento. A fim de facilitar a atuação do tutorado, foi sugerida aos tutores uma abordagem objetiva da aplicação do aprendizado, como orientar e solicitar que o tutorado estabeleça metas de autodesenvolvimento para serem testadas em sua rotina normal; apresentar modelos ou exemplos de aplicações possíveis; e oferecer desafios para seu tutorado. Por meio do CAV, os tutorados foram orientados sobre como deveriam vivenciar as situações de sua rotina, atentando para fornecer respostas diferentes que revelem ter agregado ao seu saber as experiências e lições que lhe foram transmitidas pelo tutor durante o processo de tutoria. Para apoiar esse processo, eles poderiam fazer uso de ferramentas como o diário de bordo. METODOLOGIA E ETAPAS DO PROGRAMA A partir da necessidade de construção de uma memória organizacional por meio da retenção e transmissão de conhecimentos relevantes para a Administração pública e da necessidade de incentivar, potencializar e desenvolver talentos dos servidores utilizando a expertise e o conhecimento de gestores com maior experiência, a Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão elaborou o Programa Lideranças Especialistas para o Futuro. Essa iniciativa, além de atender à

9 9 necessidade de desenvolvimento e profissionalização dos gestores públicos, é consonante com sua competência de estabelecer normas, ações e políticas de recursos humanos direcionadas ao desenvolvimento, à qualificação e à valorização do servidor público; assim como orientar, coordenar, acompanhar e supervisionar sua implementação, disposta no artigo 211 da Lei Delegada 180 de Em 2014 foi implantado um piloto do programa com duração de seis meses, a fim de testar a metodologia adotada e identificar os pontos a serem apurados para os próximos ciclos. A coordenação do Programa reco mendou a realização de pelo menos um encontro mensal entre tutor e tutorado, podendo ser utilizadas outras formas de interação, a critério dos mesmos. Explicitando que apesar das ferramentas sugeridas não haveria um formato pré-definido para condução dos encontros, optou-se por fomentar processos de tutoria distintos e que atendessem às necessidades de tutores e tutorados, principalmente por se tratar de um projeto piloto. I Seleção de tutores Para implantação do Programa, a primeira atividade foi identificar os possíveis tutores, que deveriam ser servidores experientes, símbolos de boa gestão e liderança, além de reconhecidos por sua expertise. Essa identificação deveria levar em conta a necessidade de retenção do conhecimento e transmissão de experiências favoráveis à Administração Pública. Cinquenta tutores foram convidados pela alta administração do Governo de Minas Gerais para participar do processo de tutoria, sendo estes secretários e subsecretários de Estado, presidentes e gestores de empresas públicas, assessores ou gestores reconhecidos de órgãos e entidades do Poder Executivo mineiro. O Programa foi realizado com 47 tutores, devido ao desligamento de três deles, que assumiram outros compromissos, incompatíveis com a agenda do processo de tutoria. A aceitação por parte dos tutores foi muito positiva, o que foi favorecido pelo envolvimento e repercussão dada ao Programa pela alta gestão do governo. Ademais, outro fator primordial para a receptividade dos convidados a tutores para

10 10 participar do Programa deveu-se ao fato de sua indicação estar atrelada a um reconhecimento profissional, como símbolo de boa gestão, possuidor de grande expertise e modelo de liderança. II Lançamento do programa e inscrições de candidatos a tutorados Em 28 de março de 2014, o Governador do Estado lançou o Programa Lideranças Especialistas para o Futuro, regido pelo Edital SEPLAG/SCPRH Nº02/2014, que instituiu e regulamentou as inscrições para o Programa e especificou requisitos para a participação dos tutorados. Para participar do Programa como tutorado, os candidatos deveriam atender aos seguintes critérios: Ser servidor efetivo em exercício e já ter concluído o estágio probatório; Possuir experiência gerencial no serviço público estadual; Ter nota igual ou superior a 85% na última avaliação de desempenho; Estar em exercício ou residir em Belo Horizonte 1. Os servidores interessados em participar do programa puderam se inscrever durante o mês de abril de 2014, por meio do preenchimento de um formulário de inscrição, disponível em meio eletrônico. Ao preencher o formulário, o candidato a tutorado: Apresentou dados pessoais e breves currículos - acadêmico e profissional; Descreveu as intenções de participação no programa; Sugeriu um tutor obrigatoriamente e, opcionalmente, sugeriu outros dois nomes para atuarem como seu tutor, justificando as escolhas; Indiciou três dentre as sete competências gerências adotadas em Minas Gerais que gostaria de desenvolver no processo de tutoria 2 ; 1 Considerando a totalidade dos tutores atuava em Belo Horizonte, esse critério foi adotado para garantir que o processo de tutoria fosse realizado de modo presencial, visto que em benchmarking realizado em outras organizações foram apresentadas dificuldades provenientes de interação à distância entre tutores e tutorados. 2 A tipologia de competências definidas para o Estado de Minas Gerais é constituída por competências essências, competências técnicas e competências gerenciais. Atualmente, têm -se definido o perfil de competências essências, comum a todos os servidores públicos estaduais, e o perfil de competências dos gestores públicos. As competências gerenciais são: visão sistêmica,

11 11 Confirmou sua disponibilidade em participar do programa por um período de seis meses. Para promover e facilitar a indicação dos tutores, a Coordenação do Programa solicitou que cada tutor selecionado enviasse um breve currículo, que ficou disponível no site da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (SEPLAG) para consulta dos possíveis candidatos a tutorados durante o período de inscrições. A indicação das intenções, bem como das competências a serem desenvolvidas com o programa facilitou o alinhamento das expectativas no primeiro encontro entre tutor e tutorado, além de ajudar na seleção das experiências a serem relatadas pelos tutores e oportunidades de aprendizagem a serem disponibilizadas aos tutorados durante o processo de tutoria. III Seleção de tutorados Com um total de 287 inscrições, foi realizada uma pré-seleção dos candidatos, levando em consideração os critérios definidos em edital. Os inscritos foram filtrados pela comissão de seleção e suas informações foram entregues ao tutor, sem identificação nominal, a fim de que a seleção fosse realizada com base nas intenções do candidato, nas competências indicadas para o desenvolvimento e na justificativa da escolha do tutor. Após a filtragem dos dados pelo tutor, esse enviou à Coordenação do Programa o resultado de sua triagem e esta, por sua vez, revelou os nomes dos selecionados ao tutor, para conhecimento. A sugestão do tutor pelo tutorado, bem como a seleção dos tutorados por meio de suas experiências, intenções de desenvolvimento e justificativas pela escolha do tutor favorecem uma relação profícua entre as partes envolvidas na tutoria. Por ser um processo de mão dupla, em que de um lado está o tutor, que pretende ajudar e compartilhar o seu conhecimento, e, de outro lado, o tutorado, que está disponível ao aprendizado e aberto à escuta, é fundamental que essa relação seja de ajuda mútua, de compartilhamento e de consideração. Muitas vezes, tutor e compartilhamento de informações e conhecimentos, liderança de equipes, comportamento inovador, gestão de pessoas, competência técnica e orientação para os resultados.

12 12 tutorado não se conheciam previamente. O fato de cada um ter indicado (ou escolhido) o outro gerou segurança para as partes, especialmente para a realização do primeiro encontro, que tinha o propósito de alinhar as expectativas do tutor e do tutorado com o programa. No dia 08 de maio de 2014 foi divulgada a lista contendo os nomes de 97 servidores tutorados no Programa Lideranças Especialistas para o Futuro: Desenvolvendo Novos Talentos para a Gestão por Resultados. No dia 29 de maio a Coordenação do Programa Lideranças Especialistas para o Futuro divulgou lista complementar de candidatos. Ao final do processo de seleção, os 47 tutores selecionaram 99 candidatos de 27 órgãos e entidades do Governo de Minas. IV Workshops de tutores e de tutorados Antes do início do processo de tutoria, a Coordenação realizou workshop com os tutores e outro com os tutorados, para alinhar as ações do Programa e o papel que cada um dos atores, além de apresentar a metodologia, ferramentas a serem utilizadas e estratégias para a sua melhor condução e aproveitamento. O workshop dos tutores ocorreu nos dias 14, 24 e 25 de abril de 2014 e teve como objetivo alinhar as ações do programa e o papel do tutor, além de apresentar estratégias para o desenvolvimento do processo de tutoria. Esse workshop contou com a participação de especialistas em coaching e em contação de estórias da equipe da Diretoria de Gestão do Desempenho e Desenvolvimento de Pessoas da Secretaria de Estado da Fazenda de Minas Gerais, que orientaram os tutores sobre a metodologia adotada no programa. Para que o piloto do programa não limitasse as oportunidades de aprendizagem disponibilizadas aos tutorados, foram também apresentadas aos tutores oportunidades de desenvolvimento alternativas aos encontros formais para a troca de experiências com o tutorado, tais como reuniões, almoços, seminários, apresentações, entre outros. Nesse encontro, ressaltou-se que o processo de tutoria poderia ir além das sessões sugeridas pela Coordenação, podendo-se promover o desenvolvimento do tutorado por meio dessas oportunidades de aprendizagem informais.

13 13 O workshop dos tutorados ocorreu nos dias 22, 23 e 26 de maio de 2014 e teve como objetivo alinhar as ações do programa e o papel do tutorado, além de apresentar estratégias para o aproveitamento do processo de tutoria a partir de um planejamento para autodesenvolvimento. Nesse encontro, os tutorados puderam definir melhor as competências a serem desenvolvidas e refinar sua intenção com o programa a por meio de dinâmicas de autoconhecimento e de diretriz pessoal e profissional. Tais dinâmicas foram conduzidas pela coordenação do programa com o objetivo de preparar os tutorados para o alinhamento das expectativas com o programa juntamente ao tutor, no primeiro encontro. V Processo de tutoria e acompanhamentos O processo de tutoria, com duração de seis meses, foi realizado entre os meses de junho e novembro de Ao longo do piloto do Programa Lideranças Especialistas para o Futuro a Coordenação buscou deixar o processo de tutoria o mais flexível possível, de modo que, ao seu término, se tivesse uma ampla gama de experiências e de oportunidades de desenvolvimento disponibilizadas. Préestabelecer formas de interação e moldar acompanhamentos rígidos poderia limitar as oportunidades de desenvolvimento disponibilizadas ou mesmo relações estabelecidas. Ressalta-se que, apesar dessa opção, os tutores foram orientados sobre a condução do Programa, foram instruídos de acordo com a metodologia proposta e poderiam, inclusive, utilizar um roteiro sugerido para a condução dos encontros caso se sentissem mais à vontade dessa maneira. Além da orientação aos tutores, os tutorados também receberam um treinamento sobre o programa e sua metodologia, no qual puderam detalhar sua intenção com o processo de tutoria e ter conhecimento de instrumentos para seu acompanhame nto, a fim de otimizar os resultados alcançados com o programa. Durante o processo de tutoria, foram realizados 4 (quatro) acompanhamentos para conhecer a percepção dos atores envolvidos em relação ao processo de tutoria, bem como os pontos positivos e os que necessitavam de melhorias. Os resultados dessas avaliações serão tratados no próximo tópico.

14 14 AVALIAÇÃO DO PROGRAMA PILOTO Conforme já abordado, o programa foi implementado em 2014 com a natureza de um projeto piloto. Assim, o público de tutores e tutorados foi mais restrito para que após o primeiro ciclo fosse possível avaliar os pontos fortes e as necessidades de ajustes para posterior ampliação da abrangência do projeto. Nesse sentido, foram realizadas avaliações das percepções dos tutores e tutorados, com o objetivo de detectar avanços e possibilidades de aprimoramento na metodologia. Em geral, o Programa foi avaliado como uma iniciativa de sucesso, 81% dos participantes, entre tutores e tutorados, consideraram que o Programa atendeu ou superou as expectativas. A seleção de tutores com reconhecida expertise, experiência e abertos a compartilhar o conhecimento adquirido ao longo de toda sua experiência profissional foi apontada como fator chave para esse resultado. Em avaliação realizada com os tutorados ao final do programa, esses avaliaram seu desenvolvimento em relação a cada um dos pilares do programa: desenvolvimento nas competências gerenciais, aprimoramento técnico e ampliação da rede de relacionamentos. Mais de 90% dos respondentes apontou que conseguiu desenvolver cada um desses eixos. Destaca-se que 50% dos respondentes apontou um alto nível de desenvolvimento de suas competências gerenciais. Um outro fator positivo foi o alto interesse e comprometimento dos tutorados. Para 90% dos tutores que responderam ao questionário, o interesse e/ou comprometimento dos tutorados foi avaliado como bom ou ótimo. O Programa foi visto por tutores e tutorados como um espaço para compartilhamento de desafios de gestão e troca de conhecimentos e experiências. Além disso, o formato flexível de realização da tutoria propiciou liberdade para que tutor e tutorado pudessem moldar sua relação. Além disso, proporcionou apoio ao desenvolvimento formal a partir de vivências e experiências (e não apenas desenvolvimento técnico), criando também a possiblidade dos tutorados se relacionarem com um gestor referência. Outro aspecto apontado como positivo foi a ampliação significativa na rede de relacionamentos de tutores e tutorados.

15 15 CONSIDERAÇÕES FINAIS Na administração pública contemporânea, o gestor tem um papel fundamental na disseminação da cultura organizacional e da estratégia governamental, conduzindo as equipes ao alcance dos resultados esperados. Por essa razão, torna-se imperativa a implementação de ações que visem o fortalecimento da profissionalização e valorização dos gestores públicos, visando tanto o desenvolvimento daqueles já atuantes como a formação de novas lideranças. A implantação do Programa Lideranças Especialistas para o Futuro vem ao encontro dessa necessidade, objetivando o desenvolvimento de competências gerenciais, troca de experiências como líder, ampliação da rede de relacionamentos e aprimoramento técnico. Um grande ponto de destaque dessa iniciativa é justamente seu foco no desenvolvimento gerencial. Criar estratégias sustentáveis que possibilitem a profissionalização dos gestores, e a formação de novas lideranças, tem se mostrado um grande desafio para o setor público. Para promover a formação de novas lideranças, indica-se ampliar o escopo de seleção de tutorados para aqueles que possuem potencial gerencial, mapeado por meio de instrumentos específicos para esse fim. Com essa alteração, tanto servidores com experiência gerencial como aqueles que possuem perfil para ocuparem cargos de gestores, e ainda não o fizeram, teriam oportunidade de participar dessa iniciativa de desenvolvimento. Destaca-se que o modelo de tutoria também pode ser adaptado para o desenvolvimento de competências essenciais a todos os servidores, bem como para o desenvolvimento focado em competências técnicas, com pactuação de produtos do processo que sejam de interesse da Administração Pública. O modelo do programa, que associa elementos de mentoring, coaching e aprendizagem vivencial, é outro ponto forte para seu sucesso. Além de manter essa perspectiva metodológica, considera-se positivo reforçar a disponibilização de instrumentos de apoio ao desenvolvimento, como o roteiro para a cond ução do processo de tutoria em caráter sugestivo, diários de bordo, dinâmicas, planos de ação, entre outros.

16 16 Ressalta-se também a relevância da efetividade no serviço público como critério de elegibilidade para o programa, tendo em vista que seu objetivo é desenvolver lideranças que atuem no âmbito do Governo do Estado. Por meio desse critério é que se torna mais provável, também, a criação de uma memória organizacional. Para promover a adesão a esse programa de desenvolvimento gerencial, a seleção de tutores reconhecidos como lideranças, símbolos de boa gestão e/ou dotados de grande expertise foi fundamental. Para que nomes de grande porte, como os tutores do piloto do Programa, aceitassem a missão, o patrocínio da alta gestão foi essencial. Outro ponto de destaque refere-se à sugestão prévia do tutor pelo tutorado, aliada à seleção do tutorado pelos próprios tutores por meio de perfil e intenções, sem identificação nominal. A escolha mútua facilita muito o estabelecimento de uma relação positiva entre o tutor e o tutorado. A proximidade física oportunizada pelo critério de residência, ou exercício profissional na mesma localidade, também favoreceu o estabelecimento dessa relação, visto que possibilitou uma maior interação entre tutor e tutorado. A flexibilidade no formato foi um grande diferencial do Programa, e permitiu aos tutorados vivenciarem oportunidades de desenvolvimento muito ricas, que variaram em cada processo de tutoria. Um formato mais rígido limitaria essas experiências. O ponto negativo dessa flexibilidade deve-se à dificuldade de intervir em situações nas quais a relação entre tutor e tutorado não se estabeleceu de modo positivo, ou quando as horas de tutoria não foram cumpridas conforme orientado. Para resolver isso, sugere-se manter o formato flexível e ampliar o acompanhamento, solicitando retorno periódico do andamento do processo. A implantação do projeto piloto possibilitou a identificação de pontos fortes, bem como de pontos a serem aprimorados. Como recomendações de melhoria aponta-se a ampliação da duração do programa para 10 meses a um ano, visto que em seis meses alguns objetivos traçados nos processos de tutoria não foram alcançados devido ao tempo. Essa ampliação do tempo foi sugerida também pelos tutorados durante os acompanhamentos.

17 17 Outras sugestões para enriquecimento do Programa são a criação de um grupo de discussão virtual mediado pela Coordenação do Programa e a criação de um banco de dados. Ambos com o objetivo de compartilhar oportunidades de desenvolvimento vivenciadas por tutores e tutorados e trocar experiências relacionadas ao processo de tutoria. Outra sugestão seria a realização de workshops intermediários entre os tutorados e entre os tutores, para que possam criar redes de relacionamentos e trocar experiências e conhecimento. Vislumbra-se ainda a criação de redes por competências entre os tutorados que desejam desenvolver competências semelhantes, com a promoção de encontros e canais de comunicação entre eles. Por fim, mediante as avaliações do piloto foi possível identificar a efetividade desse modelo, com o alcance dos objetivos propostos de desenvolvimento de pessoas nos três eixos estruturantes do Programa, quais sejam: desenvolvimento gerencial, ampliação de rede de relacionamentos e aprimoramento técnico. Além da avaliação positiva de sua efetividade, sua implantação demonstrou algumas potencialidades desse modelo. Mais que sugestões de aprimoramento, em conjunto com tutores e tutorados, foram levantadas novas oportunidades de desenvolvimento aplicáveis ao serviço público, especialmente a uma área sensível como o desenvolvimento gerencial. Dessa maneira, recomenda-se a manutenção dessa iniciativa, com a incorporação das lições aprendidas com o piloto para os próximos ciclos no Programa Lideranças Especialistas para o Futuro, bem como sua ampliação para a formação de novas lideranças. REFERÊNCIAS ARAÚJO, Ane. Coach: um parceiro para o seu sucesso. São Paulo: Gente, ARAÚJO, Daniella Lopes Marinho de. Mentoring e Construção de memória Organizacional: um caminho possível? Dissertação - Mestrado. Universidade católica de Brasília, CAMPOS, Vanessa Oliveira. Utilizando Coaching e Mentoring no Desenvolvimento de Pessoas. Disponível em: <http://pt.slideshare.net/vcampos/utilizando -coaching-ementoring-no-desenvolvimento-de-pessoas> Acesso em: 14 de abril de 2014.

18 18 FIGUEIREDO, R K.; CORDEIRO, A. C. S. (org) Manual do Tutor do Programa Lideranças Especialistas para o Futuro, 2014 (Mimeo). GRAMIGNA, Maria Rita. Ciclo da Aprendizagem Vivencial. Disponível em: Acesso em: 27/04/2015 KRAM, Kate E. Phases of the mentor relationship. Academy of Management Journal. 26, p KRAM, Kate E. & ISABELLA, L.A. Mentoring Alternatives: the role of peer relationships in career development. Academy of Management Journal. 28 (1), p MANAGEMENT MENTORING. Cases Studies Disponível em: <http://www.management-mentors.com/clients/effective-mentoring/> Acesso em: 14 de abril de MARQUES, José Roberto. O que é Coaching e Mentoring? Disponível em: <http://www.ibccoaching.com.br/tudo-sobre-coaching/coaching/o-que-e-coaching-ementoring/> Acesso em: 14 de abril de MINAS GERAIS, Relatório Final de Atividades Realizadas em 2014 Referentes ao Produto do Acordo de Resultados Implantação do Piloto do Programa Lideranças Especialistas para o Futuro (mimeo) MINAS GERAIS, Edital SEPLAG/SCPRH Nº02/2014. Institui e regulamenta inscrições para o Programa Lideranças Especialistas para o Futuro: Desenvolvendo Novos Talentos para a Gestão por Resultados. Disponível em: <http://planejamento.mg.gov.br/images/phocadownload/tecnologia_da_informacao/li deres/edital_seplag_scprh_02_2014.pdf>. Acesso em: 29 Abr 2015.

19 19 AUTORIA Roberta Kelly Figueiredo Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão do Governo de Minas Gerais. Endereço eletrônico: Fernanda de Siqueira Neves Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão do Governo de Minas Gerais. Endereço eletrônico:

Catálogo de treinamentos

Catálogo de treinamentos Catálogo de treinamentos 11 3892-9572 www.institutonobile.com.br Desenvolvendo seus Talentos O Instituto Nobile desenvolve as mais modernas soluções em treinamento e desenvolvimento. Oferecemos programas

Leia mais

Desenvolvimento Humano

Desenvolvimento Humano ASSESSORIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Desenvolvimento Humano ADVISORY Os desafios transformam-se em fatores motivacionais quando os profissionais se sentem bem preparados para enfrentá-los. E uma equipe

Leia mais

Programa MENTORIA TÉCNICA

Programa MENTORIA TÉCNICA Programa MENTORIA TÉCNICA OBJETIVO Incentivar que os profissionais com mais experiência da área, os Mentores, passem adiante seu conhecimento técnico para os empregados que anseiam acelerar o seu desenvolvimento,

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS Metodologia de implantação

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS Metodologia de implantação GESTÃO POR COMPETÊNCIAS Metodologia de implantação Maria Rita Gramigna A gestão por competências é um programa executado através de blocos de intervenção, que se sucedem de forma simultânea ou passo-a-passo.

Leia mais

SEMIPRESENCIAL 2013.1

SEMIPRESENCIAL 2013.1 SEMIPRESENCIAL 2013.1 MATERIAL COMPLEMENTAR II DISCIPLINA: GESTÃO DE CARREIRA PROFESSORA: MONICA ROCHA LIDERANÇA E MOTIVAÇÃO Liderança e Motivação são fundamentais para qualquer empresa que deseja vencer

Leia mais

Esse programa visa a organização contínua e a efetividade do Processo Único de Federação, que contará com a inserção de um edital.

Esse programa visa a organização contínua e a efetividade do Processo Único de Federação, que contará com a inserção de um edital. Esse programa visa a organização contínua e a efetividade do Processo Único de Federação, que contará com a inserção de um edital. Esse terá suas etapas e prazos muito bem definidos, garantindo um processo

Leia mais

Gestão Por Competências nas IFES

Gestão Por Competências nas IFES Goiânia 22 de Novembro de 2012 Gestão Por Competências nas IFES Anielson Barbosa da Silva anielson@uol.com.br A G E N D A 1 Desafios da Gestão de Pessoas nas IFES. 2 3 Bases Legais da Gestão de Pessoas

Leia mais

1 LIDERANÇA. Indicador 1: Eficiência da Comunicação Organizacional

1 LIDERANÇA. Indicador 1: Eficiência da Comunicação Organizacional COMPILADO DAS SUGESTÕES DE MELHORIAS PARA O IDGP/2011 por critério e indicador 1 LIDERANÇA O critério Liderança aborda como está estruturado o sistema de liderança da organização, ou seja, o papel da liderança

Leia mais

Equipe com mais de 17 anos de experiência em Avaliação de Executivos, Coaching e Desenvolvimento de Lideranças

Equipe com mais de 17 anos de experiência em Avaliação de Executivos, Coaching e Desenvolvimento de Lideranças Equipe com mais de 17 anos de experiência em Avaliação de Executivos, Coaching e Desenvolvimento de Lideranças Responsável pela elaboração e realização de projetos em empresas de porte que foram reconhecidos

Leia mais

Texto para discussão. Desenvolvimento profissional dos integrantes da carreira de EPPGG

Texto para discussão. Desenvolvimento profissional dos integrantes da carreira de EPPGG 1 Introdução Texto para discussão Desenvolvimento profissional dos integrantes da carreira de EPPGG Como resultado da coleta de subsídios para aperfeiçoamento da gestão da carreira de Especialista em Políticas

Leia mais

PROJETO DESENVOLVIMENTO DE JOVENS LÍDERES 2014

PROJETO DESENVOLVIMENTO DE JOVENS LÍDERES 2014 PROJETO DESENVOLVIMENTO DE JOVENS LÍDERES 2014 1. Objetivo [REGULAMENTO] Contribuir para um futuro melhor para todos, a partir do investimento em desenvolvimento de jovens talentosos e com potencial para

Leia mais

Seminários Públicos Hay Group 2010

Seminários Públicos Hay Group 2010 Seminários Públicos Hay Group 2010 São Paulo, outubro de 2009 É com grande satisfação que estamos lhe apresentando nosso portfólio de seminários abertos Hay Group 2010. Esclarecemos que todos os seminários

Leia mais

Consultoria em Treinamento & Desenvolvimento de Pessoas

Consultoria em Treinamento & Desenvolvimento de Pessoas Consultoria em Treinamento & Desenvolvimento de Pessoas Evolução PMC têm atuação diferenciada na gestão de pessoas e clima organizacional, gerando na equipe mais agilidade para a mudança e maior capacidade

Leia mais

Diferenças entre Coaching, Mentoring e Counseling: Desmistificando o Coaching

Diferenças entre Coaching, Mentoring e Counseling: Desmistificando o Coaching Diferenças entre Coaching, Mentoring e Counseling: Desmistificando o Coaching Diferenças entre Coaching, Mentoring e Counsuling: Desmistificando o Coaching Inquietações... O que é? Para que serve? Quem

Leia mais

REGULAMENTO. Ao ler e concordar com os termos deste Regulamento, o candidato se compromete a:

REGULAMENTO. Ao ler e concordar com os termos deste Regulamento, o candidato se compromete a: Juntos pela Excelência REGULAMENTO Este instrumento tem por objetivo regulamentar o processo de seleção e desenvolvimento de Trainees Técnicos do Laboratório Leme, de acordo com os termos e condições adiante

Leia mais

PRÁTICAS DE GESTÃO DE CONHECIMENTO NA PwC

PRÁTICAS DE GESTÃO DE CONHECIMENTO NA PwC PRÁTICAS DE GESTÃO DE CONHECIMENTO NA PwC Fernando Amaral Josué Madeira Nágia Martins Pedro Porto Ramiles Pereira Renan Grossl Análise de Práticas de Conhecimento na PwC MENTORING COACHING 2 Quem é a PwC?

Leia mais

FERRAMENTAS DE GESTÃO DE PESSOAS PARA DIVIDIR CONHECIMENTO E MULTIPLICAR RIQUEZAS

FERRAMENTAS DE GESTÃO DE PESSOAS PARA DIVIDIR CONHECIMENTO E MULTIPLICAR RIQUEZAS FERRAMENTAS DE GESTÃO DE PESSOAS PARA DIVIDIR CONHECIMENTO E MULTIPLICAR RIQUEZAS ROGERIO LEME rogerio@lemeconsultoria.com.br /rogeriolemeoficial PUBLICAÇÕES ALGUNS DOS NOSSOS CLIENTES SETOR PÚBLICO SERVIÇOS

Leia mais

O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão

O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão Esse artigo tem como objetivo apresentar estratégias para assegurar uma equipe eficiente em cargos de liderança, mantendo um ciclo virtuoso

Leia mais

Plano de Trabalho 2013/2015

Plano de Trabalho 2013/2015 SECRETARIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO REGIONAL UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FUNDAP SEADE CEPAM CONVÊNIO SPDR USP FUNDAP SEADE CEPAM ANEXO I Plano de Trabalho 2013/2015 OUTUBRO DE 2013 I. JUSTIFICATIVAS

Leia mais

Curso de caráter teórico e prático, voltado para profissionais que buscam implantar uma unidade central de apoio à gestão por processos

Curso de caráter teórico e prático, voltado para profissionais que buscam implantar uma unidade central de apoio à gestão por processos Curso de caráter teórico e prático, voltado para profissionais que buscam implantar uma unidade central de apoio à gestão por processos Semana de Estruturação do Escritório de Processos Objetivo do Curso

Leia mais

Gestão e melhoria de processos no Governo de Minas Gerais: trajetória e resultados alcançados. Palestrante: Vanice Cardoso Ferreira

Gestão e melhoria de processos no Governo de Minas Gerais: trajetória e resultados alcançados. Palestrante: Vanice Cardoso Ferreira Gestão e melhoria de processos no Governo de Minas Gerais: trajetória e resultados alcançados Palestrante: Vanice Cardoso Ferreira Agenda A trajetória da Gestão de Processos no Governo de Minas A trajetória

Leia mais

PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS - PAE

PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS - PAE CENTRO DE ENSINO ATENAS MARANHENSE FACULDADE ATENAS MARANHESE DIREÇÃO ACADÊMICA CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS - PAE SÃO LUIS MA 2009 DIRETORIA ACADÊMICA Diretor

Leia mais

Position Paper. As Melhores Práticas Globais no Desenvolvimento de Trainees e Jovens Talentos. Edição Nº1. www.ipledu.com +55 11 2364 9355

Position Paper. As Melhores Práticas Globais no Desenvolvimento de Trainees e Jovens Talentos. Edição Nº1. www.ipledu.com +55 11 2364 9355 Position Paper Edição Nº As Melhores Práticas Globais no Desenvolvimento de Trainees e Jovens Talentos www.ipledu.com +55 64 955 O ipl Institute of Performance and Leadership é uma empresa especializada

Leia mais

Formação em Coaching Executivo e Empresarial

Formação em Coaching Executivo e Empresarial Formação em Coaching Executivo e Empresarial Áreas de Desenvolvimento Prioritário para os Próximos Doze Meses (2012) segundo o levantamento realizado pela Global Novations em Janeiro de 2012 T 1 Desenvolvimento

Leia mais

HR LEADERSHIP SUMMIT AGENDA WEEK. Garantia o crescimento do negócio a partir de estratégias agressivas de. desenvolvimento de líderes.

HR LEADERSHIP SUMMIT AGENDA WEEK. Garantia o crescimento do negócio a partir de estratégias agressivas de. desenvolvimento de líderes. AGENDA Garantia o crescimento do negócio a partir de estratégias agressivas de desenvolvimento de líderes. 1ª Edição HR LEADERSHIP SUMMIT D 10 de Março de 2015? Hotel Staybridge Realização: WEEK www.corpbusiness.com.br

Leia mais

II. NOSSA MISSÃO, VISÃO E VALORES

II. NOSSA MISSÃO, VISÃO E VALORES I. NOSSA HISTÓRIA A história da Crescimentum começou em 2003, quando o então executivo do Grupo Santander, Arthur Diniz, decidiu jogar tudo para o alto e investir em uma nova carreira. Ele optou por se

Leia mais

O PROCESSO DE COACHING EXECUTIVO E EMPRESARIAL: PERCEPÇÕES DE GESTORES DE RECURSOS HUMANOS PSICÓLOGOS E DE OUTRAS FORMAÇÕES

O PROCESSO DE COACHING EXECUTIVO E EMPRESARIAL: PERCEPÇÕES DE GESTORES DE RECURSOS HUMANOS PSICÓLOGOS E DE OUTRAS FORMAÇÕES 26 a 29 de outubro de 2010 ISBN 978-85-61091-69-9 O PROCESSO DE COACHING EXECUTIVO E EMPRESARIAL: PERCEPÇÕES DE GESTORES DE RECURSOS HUMANOS PSICÓLOGOS E DE OUTRAS FORMAÇÕES Dione Nunes Franciscato 1 ;

Leia mais

METODOLOGIA HSM Centrada nos participantes com professores com experiência executiva, materiais especialmente desenvolvidos e infraestrutura tecnológica privilegiada. O conteúdo exclusivo dos especialistas

Leia mais

MEDICINA PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO DO CURSO DE MEDICINA (SÍNTESE)

MEDICINA PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO DO CURSO DE MEDICINA (SÍNTESE) PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO DO CURSO DE (SÍNTESE) Ao longo de mais de cinco décadas, a Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas) estruturou um ambiente acadêmico intelectualmente rico

Leia mais

ESTATUTO DAS COMUNIDADES DE PRÁTICA - COPs NO PODER EXECUTIVO ESTADUAL

ESTATUTO DAS COMUNIDADES DE PRÁTICA - COPs NO PODER EXECUTIVO ESTADUAL ESTATUTO DAS COMUNIDADES DE PRÁTICA - COPs NO PODER EXECUTIVO ESTADUAL RESOLUÇÃO SEPLAG no. xx/xxxx Disciplina o funcionamento das Comunidades de Prática CoPs no âmbito do Poder Executivo Estadual, vinculadas

Leia mais

V Congresso Auditar. Tema:

V Congresso Auditar. Tema: V Congresso Auditar Tema: Carreira em Organizações Públicas - Conceitos e Experiências Prof. Dr. José Antonio Monteiro Hipólito Brasília, 05 de setembro de 014 14:00 15:30h Agenda 1. Introdução: Importância

Leia mais

PROGRAMA TALENTOS DA EDUCAÇÃO 2015

PROGRAMA TALENTOS DA EDUCAÇÃO 2015 PROGRAMA TALENTOS DA EDUCAÇÃO 2015 O programa Talentos da Educação é uma iniciativa da Fundação Lemann para apoiar pessoas talentosas e comprometidas com a melhoria da educação no Brasil. A proposta é

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu. MBA em Estratégia e Liderança Empresarial

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu. MBA em Estratégia e Liderança Empresarial Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Estratégia e Liderança Empresarial Apresentação O programa de MBA em Estratégia e Liderança Empresarial tem por objetivo preparar profissionais para

Leia mais

COACHING E MENTORING APLICADOS A PROJETOS

COACHING E MENTORING APLICADOS A PROJETOS COACHING E MENTORING APLICADOS A PROJETOS CONHEÇA OS FUNDAMENTOS O QUE É O COACHING? Coaching é um processo de aceleração de resultados que consiste no desenvolvimento de competências e habilidades profissionais

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

PROGRAMA DE GESTÃO DE DESEMPENHO (PGD)

PROGRAMA DE GESTÃO DE DESEMPENHO (PGD) UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE SUPERINTENDÊNCIA DE RECURSOS HUMANOS DEPARTAMENTO DE DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS HUMANOS DIVISÃO DE TREINAMENTO E AVALIAÇÃO SERVIÇO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO PROGRAMA DE

Leia mais

PROJETO INOVAÇÃO NAS ESCOLAS EDITAL PARA SELEÇÃO DE REDES PARCEIRAS EM 2016

PROJETO INOVAÇÃO NAS ESCOLAS EDITAL PARA SELEÇÃO DE REDES PARCEIRAS EM 2016 PROJETO INOVAÇÃO NAS ESCOLAS EDITAL PARA SELEÇÃO DE REDES PARCEIRAS EM 2016 Agosto de 2015 Sobre o projeto Inovação nas Escolas O projeto Inovação nas Escolas é uma iniciativa que visa à implementação,

Leia mais

O Coaching proporciona ao profissional ampliar sua visão estratégica de pessoas e organizações.

O Coaching proporciona ao profissional ampliar sua visão estratégica de pessoas e organizações. PARCEIRO EDUCACIONAL O Coaching proporciona ao profissional ampliar sua visão estratégica de pessoas e organizações. José Roberto Marques JRM Módulo Internacional na Universidade SOBRE O MBA O Instituto

Leia mais

Desenvolvendo Pessoas para Servirem com Excelência. Instituto Crer & Ser. A excelência honra a Deus!

Desenvolvendo Pessoas para Servirem com Excelência. Instituto Crer & Ser. A excelência honra a Deus! Palestras, Treinamentos e Consultoria para Gestão Ministerial Desenvolvendo Pessoas para Servirem com Excelência Instituto Crer & Ser A excelência honra a Deus! Quem somos O Instituto Crer & Ser nasceu

Leia mais

Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report

Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report Avaliação de: Sr. Mario Exemplo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report

Leia mais

NOSSA MISSÃO OS PROGRAMAS METODOLOGIAS AVALIAÇÕES

NOSSA MISSÃO OS PROGRAMAS METODOLOGIAS AVALIAÇÕES Desde 1999 NOSSA MISSÃO AÇÕES DE TREINAMENTO OS PROGRAMAS METODOLOGIAS AVALIAÇÕES MISSÃO Inspirar nossos clientes para a expansão de ideias e formação de relacionamentos saudáveis e duradouros no ambiente

Leia mais

Edital de Seleção. Edital de seleção PROGRAMA DE FORMAÇÃO PEDAGÓGICA E PROGRAMA JOVENS PESQUISADORES para organizações da sociedade civil

Edital de Seleção. Edital de seleção PROGRAMA DE FORMAÇÃO PEDAGÓGICA E PROGRAMA JOVENS PESQUISADORES para organizações da sociedade civil Edital de seleção PROGRAMA DE FORMAÇÃO PEDAGÓGICA E PROGRAMA JOVENS PESQUISADORES para organizações da sociedade civil Início das inscrições: 22 de fevereiro de 2013 Final das inscrições: 20 de março de

Leia mais

Já pesquisou alguma coisa sobre a Geração Y? Pois então corra, pois eles já vasculharam tudo para você.

Já pesquisou alguma coisa sobre a Geração Y? Pois então corra, pois eles já vasculharam tudo para você. Já pesquisou alguma coisa sobre a Geração Y? Pois então corra, pois eles já vasculharam tudo para você. A HR Academy e a NextView realizaram uma pesquisa focada em geração y, com executivos de RH das principais

Leia mais

APÊNDICE A QUESTIONÁRIO APLICADO AOS GESTORES

APÊNDICE A QUESTIONÁRIO APLICADO AOS GESTORES 202 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO ALGUNS COMENTÁRIOS ANTES DE INICIAR O PREENCHIMENTO DO QUESTIONÁRIO: a) Os blocos a seguir visam obter as impressões do ENTREVISTADO quanto aos processos de gestão da Policarbonatos,

Leia mais

Com o objetivo de continuar aprimorando o modelo de gestão de Minas Gerais, foi lançado, em 2010, o projeto Agenda de Melhorias caminhos para inovar

Com o objetivo de continuar aprimorando o modelo de gestão de Minas Gerais, foi lançado, em 2010, o projeto Agenda de Melhorias caminhos para inovar março de 2012 Introdução Com o objetivo de continuar aprimorando o modelo de gestão de Minas Gerais, foi lançado, em 2010, o projeto Agenda de Melhorias caminhos para inovar na gestão pública. A criação

Leia mais

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO COM FOCO EM COMPETÊNCIAS:

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO COM FOCO EM COMPETÊNCIAS: AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO COM FOCO EM COMPETÊNCIAS: Implantação do sistema de Avaliação de Desempenho com Foco em Competências no Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região Belém PA 2013 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO

Leia mais

Sistema Gestão de Gente

Sistema Gestão de Gente Sistema Gestão de Gente Uma organização moderna requer ferramentas de gestão modernas, que incorpore as melhores práticas de mercado em gestão de recursos humanos, que seja fácil de usar e que permita

Leia mais

03 Set PROJETO. Manual. Inscrições. www.incubadora.coppe.ufrj.br http://www.alumnicoppead.com.br/index.php/projeto-mentoring. até

03 Set PROJETO. Manual. Inscrições. www.incubadora.coppe.ufrj.br http://www.alumnicoppead.com.br/index.php/projeto-mentoring. até Manual Faça parte desse time! Inscrições até 03 Set www.incubadora.coppe.ufrj.br http://www.alumnicoppead.com.br/index.php/projeto-mentoring INDICE Agenda Objetivos O Mentoring Quais os benefícios chaves

Leia mais

Executive MBA. em Liderança e Gestão de RH

Executive MBA. em Liderança e Gestão de RH Executive MBA em Liderança e Gestão de RH B.I. INTERNATIONAL O B.I. International é uma escola de educação executiva que propõe um Modelo Único de Educação. Nossa premissa é desenvolver em cada aluno,

Leia mais

Cartilha de conceitos e passo a passo para inscrição

Cartilha de conceitos e passo a passo para inscrição Cartilha de conceitos e passo a passo para inscrição Projeto PNE Sports Foto: André Valentim / Banco de Imagens Petrobras ÍNDICE APRESENTAÇÃO 06 INSCRIÇÃO 12 Passo a passo para Inscrição 13 TECNOLOGIA

Leia mais

Governo do Estado de Mato Grosso Secretaria de Estado de Planejamento Unidade de Apoio a Projetos Especiais. durante o Estágio Probatório.

Governo do Estado de Mato Grosso Secretaria de Estado de Planejamento Unidade de Apoio a Projetos Especiais. durante o Estágio Probatório. Governo do Estado de Mato Grosso Secretaria de Estado de Planejamento Unidade de Apoio a Projetos Especiais REGULAMENTO 001, DE 10 DE OUTUBRO DE 2013. Regula o Monitoramento da Inserção e das Atividades

Leia mais

Desenvolvendo competências nos gestores públicos

Desenvolvendo competências nos gestores públicos Desenvolvendo competências nos gestores públicos Walter Sigollo Superintendente de Recursos Humanos e Qualidade 26/maio/2011 Contexto do País - Mercado Estudo Mercer Consulting Outsourcing - abril 2011

Leia mais

DESEN VOLVIMENTO. By OD&M

DESEN VOLVIMENTO. By OD&M ORKSHOPS 2014 DESEN VOLVIMENTO By OD&M Acreditamos que um dos melhores formatos instrucionais para a aprendizagem adulta é o da associação imediata entre os conceitos e sua aplicação prática, especialmente

Leia mais

Sobre o Grupo Pão de Açúcar. Participe do programa de Trainee 2011 do Grupo Pão de Açúcar!

Sobre o Grupo Pão de Açúcar. Participe do programa de Trainee 2011 do Grupo Pão de Açúcar! Participe do programa de Trainee 2011 do Grupo Pão de Açúcar! Venha fazer parte de uma empresa multiformato, composta por supermercados, hipermercados, lojas de produtos eletrônicos/eletrodoméstios, lojas

Leia mais

Mestrado Profissional em Administração em Rede Nacional

Mestrado Profissional em Administração em Rede Nacional Mestrado Profissional em Administração em Rede Nacional Modalidade a Distância Santo André-SP, junho de 2011 A quem se destina Qualificação de funcionários públicos federais, estaduais e municipais. Objetivos

Leia mais

Regulamento dos Cursos do Programa ESMP-VIRTUAL

Regulamento dos Cursos do Programa ESMP-VIRTUAL Regulamento dos Cursos do Programa ESMP-VIRTUAL A DIRETORA DA ESCOLA SUPERIOR DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS no exercício de suas atribuições legais, com fundamento no art. 65, inciso II da Lei

Leia mais

1. Escopo ou finalidade da iniciativa

1. Escopo ou finalidade da iniciativa 1. Escopo ou finalidade da iniciativa Esta iniciativa busca a modernização e a ampliação das ações e dos instrumentos de Comunicação para atender às necessidades de divulgação e alinhamento de informações

Leia mais

High Potentials, Talentos e Sucessão no Brasil

High Potentials, Talentos e Sucessão no Brasil High Potentials, Talentos e Sucessão no Brasil P e s q u i s a d a F u n d a ç ã o G e t u l i o V a r g a s I n s t i t u t o d e D e s e n v o l v i m e n t o E d u c a c i o n a l Conteúdo 1. Propósito

Leia mais

I Prêmio Novo Nordisk de Sustentabilidade

I Prêmio Novo Nordisk de Sustentabilidade I Prêmio Novo Nordisk de Sustentabilidade Apresentação Para a Novo Nordisk, responsabilidade social vai além do cuidado com as pessoas e com o meio ambiente. Nosso objetivo é propiciar um ambiente sustentável

Leia mais

Desenvolvimento de pessoas.

Desenvolvimento de pessoas. Desenvolvimento de pessoas. 2.2 FORMULAÇÃO DE UM PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS Gestão de Pessoas (Antonio Carlos Gil) e Gestão de Pessoas (Idalberto Chiavenato) "Se ensinardes alguma coisa a um

Leia mais

AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA. Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com.

AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA. Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com. AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com.br COM O SEBRAE, O SEU NEGÓCIO VAI! O Sebrae Goiás preparou diversas

Leia mais

Coaching de Qualidade de Vida. Instrumentação com Capacitação adicional para aplicação da RODA DA VIDA Profunda com Visão Sistêmica

Coaching de Qualidade de Vida. Instrumentação com Capacitação adicional para aplicação da RODA DA VIDA Profunda com Visão Sistêmica Coaching de Qualidade de Vida Instrumentação com Capacitação adicional para aplicação da RODA DA VIDA Profunda com Visão Sistêmica O Instituto Holos de Qualidade disponibiliza para Você este curso com

Leia mais

Oficina 1: CUSTOS. Ocorrência Desafio Ocorrências Lições Aprendidas Melhorias Considerações SGE. Procurar parceiros que dividam ou arquem com custos

Oficina 1: CUSTOS. Ocorrência Desafio Ocorrências Lições Aprendidas Melhorias Considerações SGE. Procurar parceiros que dividam ou arquem com custos Oficina : CUSTOS 2 Orçamento sem financeiro (Cronograma X Desembolso) Comunicação quanto ao Risco de não execução do projeto Procurar parceiros que dividam ou arquem com custos Negociação com SPOA/Secr.

Leia mais

Projetos: Terminologia e Aplicações

Projetos: Terminologia e Aplicações Capítulo 1 Projetos: Terminologia e Aplicações A profissionalização da área de Gerenciamento de Projetos é cada vez maior, não somente no Brasil, mas de modo universal. Tal fato é evidenciado observando-se

Leia mais

1. Objetivo. 2. Público-alvo

1. Objetivo. 2. Público-alvo 1. Objetivo Contribuir para um futuro melhor para todos a partir do investimento em desenvolvimento de jovens com potencial para liderança, atuantes em comunidades e/ou entidades sem fins lucrativos, em

Leia mais

PLANO DIRETOR 2014 2019

PLANO DIRETOR 2014 2019 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PESQUISA E INOVAÇÃO INDUSTRIAL EMBRAPII PLANO DIRETOR 2014 2019 1 Índice 1. INTRODUÇÃO... 4 2. MISSÃO... 8 3. VISÃO... 8 4. VALORES... 8 5. OBJETIVOS ESTRATÉGICOS... 8 6. DIFERENCIAIS

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 8ª REGIÃO INTRODUÇÃO

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 8ª REGIÃO INTRODUÇÃO Ser reconhecido como o melhor tribunal para se trabalhar e de melhores resultados. Visão de Futuro do TRT da 8ª Região. INTRODUÇÃO Prática adotada pelo Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região que consiste

Leia mais

DETALHAMENTO DA FORMAÇÃO EM COACHING EM RESILIÊNCIA

DETALHAMENTO DA FORMAÇÃO EM COACHING EM RESILIÊNCIA DETALHAMENTO DA FORMAÇÃO EM COACHING EM RESILIÊNCIA FILOSOFIA DO TREINAMENTO, MODELO E ABORDAGEM O Coaching em Resiliência é uma formação de coaching exclusiva licenciada pela SOBRARE e única especializada

Leia mais

Modelo de Desenvolvimento de Competências

Modelo de Desenvolvimento de Competências Modelo de Desenvolvimento de Competências 2.300 colaboradores O JL - Jornal de Londrina é o veículo de comunicação que Londrina escolheu para acompanhar as notícias da cidade, do Brasil e do mundo e entender

Leia mais

CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PRAÇA DA REPÚBLICA, 53 - FONE: 3255-2044 CEP: 01045-903 - FAX: Nº 3231-1518 SUBSÍDIOS PARA ANÁLISE DO PLANO DE CURSO

CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PRAÇA DA REPÚBLICA, 53 - FONE: 3255-2044 CEP: 01045-903 - FAX: Nº 3231-1518 SUBSÍDIOS PARA ANÁLISE DO PLANO DE CURSO 1 CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PRAÇA DA REPÚBLICA, 53 - FONE: 3255-2044 CEP: 01045-903 - FAX: Nº 3231-1518 SUBSÍDIOS PARA ANÁLISE DO PLANO DE CURSO 1. APRESENTAÇÃO É com satisfação que apresentamos este

Leia mais

FORMULÁRIO RELATO DA INICIATIVA INOVADORA 1

FORMULÁRIO RELATO DA INICIATIVA INOVADORA 1 Nome da iniciativa inovadora: FORMULÁRIO RELATO DA INICIATIVA INOVADORA 1 Painel de BI (Inteligência nos negócios) para publicação dos dados associados ao controle estadual Responsável pela Iniciativa

Leia mais

Experiência: Sistema de Custos e Informações Gerenciais do Banco Central do Brasil

Experiência: Sistema de Custos e Informações Gerenciais do Banco Central do Brasil Experiência: Sistema de Custos e Informações Gerenciais do Banco Central do Brasil Ministério da Fazenda Banco Central do Brasil Responsável: José Clovis Batista Dattoli, Chefe do Departamento de Planejamento

Leia mais

O NOVO MODELO DE AVALIAÇÃO

O NOVO MODELO DE AVALIAÇÃO III Congresso Consad de Gestão Pública O NOVO MODELO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DA SEPLAG Norma Maria Cavalcanti Alcoforado Painel 02/007 Avaliação de desempenho e remuneração variável O NOVO MODELO DE

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO Nº. 003/2013 PROCESSO SELETIVO DE CONTRATAÇÃO DE PESSOAL

EDITAL DE SELEÇÃO Nº. 003/2013 PROCESSO SELETIVO DE CONTRATAÇÃO DE PESSOAL EDITAL DE SELEÇÃO Nº. 003/2013 PROCESSO SELETIVO DE CONTRATAÇÃO DE PESSOAL A Fundação Interuniversitária de Estudos e Pesquisa sobre o Trabalho (UNITRABALHO), criada em 1996 com a missão de integrar universidades

Leia mais

Trilhas Técnicas SBSI - 2014

Trilhas Técnicas SBSI - 2014 brunoronha@gmail.com, germanofenner@gmail.com, albertosampaio@ufc.br Brito (2012), os escritórios de gerenciamento de projetos são importantes para o fomento de mudanças, bem como para a melhoria da eficiência

Leia mais

MELHORES PRÁTICAS DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES SOBRE SUSTENTABILIDADE Pronunciamento de Orientação CODIM

MELHORES PRÁTICAS DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES SOBRE SUSTENTABILIDADE Pronunciamento de Orientação CODIM MELHORES PRÁTICAS DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES SOBRE SUSTENTABILIDADE Pronunciamento de Orientação CODIM COLETIVA DE IMPRENSA Participantes: Relatores: Geraldo Soares IBRI; Haroldo Reginaldo Levy Neto

Leia mais

IV Encontro Nacional de Escolas de Servidores e Gestores de Pessoas do Poder Judiciário Rio de Janeiro set/2012

IV Encontro Nacional de Escolas de Servidores e Gestores de Pessoas do Poder Judiciário Rio de Janeiro set/2012 IV Encontro Nacional de Escolas de Servidores e Gestores de Pessoas do Poder Judiciário Rio de Janeiro set/2012 Rosely Vieira Consultora Organizacional Mestranda em Adm. Pública Presidente do FECJUS Educação

Leia mais

DESENVOLVENDO PESSOAS ATRAVÉS DO MENTORING ORGANIZACIONAL

DESENVOLVENDO PESSOAS ATRAVÉS DO MENTORING ORGANIZACIONAL DESENVOLVENDO PESSOAS ATRAVÉS DO MENTORING ORGANIZACIONAL Paulo Erlich* O Mentoring (Mentoria) vem sendo reconhecido mundialmente como um dos melhores métodos para desenvolvimento do indivíduo em diversas

Leia mais

Sumário. 1. Visão Geral do EcoLega 3. 2. Alinhamento Estratégico 3. 3. Orientações essenciais 4. 4. Oficinas e Formação 5

Sumário. 1. Visão Geral do EcoLega 3. 2. Alinhamento Estratégico 3. 3. Orientações essenciais 4. 4. Oficinas e Formação 5 2 Para acessar cada item do Sumário, clique nele. Para retornar ao sumário, clique na logo do ecolega em qualquer página. Sumário 1. Visão Geral do EcoLega 3 2. Alinhamento Estratégico 3 3. Orientações

Leia mais

Competitividade e Resultados: conseqüência do alinhamento de estratégia, cultura e competências.

Competitividade e Resultados: conseqüência do alinhamento de estratégia, cultura e competências. 1 Programa Liderar O Grupo Solvi é um conglomerado de 30 empresas que atua nas áreas de saneamento, valorização energética e resíduos. Como alicerce primordial de seu crescimento encontrase o desenvolvimento

Leia mais

Liziane Castilhos de Oliveira Freitas Departamento de Planejamento, Orçamento e Gestão Escritório de Soluções em Comportamento Organizacional

Liziane Castilhos de Oliveira Freitas Departamento de Planejamento, Orçamento e Gestão Escritório de Soluções em Comportamento Organizacional CASO PRÁTICO COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL E GESTÃO DE TALENTOS: COMO A GESTÃO DA CULTURA, DO CLIMA E DAS COMPETÊNCIAS CONTRIBUI PARA UM AMBIENTE PROPÍCIO À RETENÇÃO DE TALENTOS CASO PRÁTICO: COMPORTAMENTO

Leia mais

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Cursos para Melhoria do desempenho & Gestão de RH TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Administração do Tempo Ampliar a compreensão da importância

Leia mais

Política do Programa de Voluntariado Corporativo GRPCOM ATITUDE

Política do Programa de Voluntariado Corporativo GRPCOM ATITUDE Política do Programa de Voluntariado Corporativo GRPCOM ATITUDE O Programa de Voluntariado Corporativo GRPCOM ATITUDE visa fortalecer a missão de desenvolver a nossa terra e nossa gente e contribuir para

Leia mais

MBA em Gestão de Pessoas

MBA em Gestão de Pessoas REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Profª. Dra. Ana Ligia Nunes Finamor A Escola de Negócios de Alagoas. A FAN Faculdade de Administração e Negócios foi fundada

Leia mais

O PROCESSO DE SELEÇÃO NO CONTEXTO DO MODELO DE COMPETÊNCIAS E GESTÃO DOS TALENTOS

O PROCESSO DE SELEÇÃO NO CONTEXTO DO MODELO DE COMPETÊNCIAS E GESTÃO DOS TALENTOS O PROCESSO DE SELEÇÃO NO CONTEXTO DO MODELO DE COMPETÊNCIAS E GESTÃO DOS TALENTOS Autor: Maria Rita Gramigna Como identificar potenciais e competências em um processo seletivo? Como agir com assertividade

Leia mais

ESCOLA DE GESTÃO Formação de sucessores. Ivone Santos ivone.santos@tse.jus.br

ESCOLA DE GESTÃO Formação de sucessores. Ivone Santos ivone.santos@tse.jus.br ESCOLA DE GESTÃO Formação de sucessores Ivone Santos ivone.santos@tse.jus.br 1995 2006 2007 2009 2011 Primeiro concurso público realizado 1995 2006 2007 2009 2011 504 servidores Realização do 2º concurso

Leia mais

2. Disseminar o conhecimento gerado no Instituto Federal do Amazonas.

2. Disseminar o conhecimento gerado no Instituto Federal do Amazonas. Extensão ETENSÃO A implementação da politica de Extensão, no Instituto Federal do Amazonas reafirma a missão deste Instituto e seu comprometimento com o desenvolvimento local e regional promovendo a integração

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NORTE - RS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NORTE - RS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NORTE - RS PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO CIÊNCIAS BIOLÓGICAS LICENCIATURA PLENA ESTRATÉGIAS PEDAGÓGICAS O Curso de Ciências Biológicas, através

Leia mais

Planejamento de Recursos Humanos

Planejamento de Recursos Humanos UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Faculdade de Filosofia e Ciências Câmpus de Marília Departamento de Ciência da Informação Planejamento de Recursos Humanos Profa. Marta Valentim Marília 2014 As organizações

Leia mais

o Inexistência de um processo de gerenciamento de captação unificado, cada escola procedia de uma maneira;

o Inexistência de um processo de gerenciamento de captação unificado, cada escola procedia de uma maneira; Há quase dois séculos no mundo, o Instituto Marista está presente em 79 países, e se organiza através de estruturas administrativas chamadas de Província. No Brasil, são quatro unidades administrativas:

Leia mais

RUA TERCEIRA DO PARQUE, 08, 1 ANDAR, SALA 02, GLEBA B. CAMAÇARI-BA. FONE: + 55 (71) 8846-0196 (Aparecida). E-MAIL: consultoria.marca@gmail.

RUA TERCEIRA DO PARQUE, 08, 1 ANDAR, SALA 02, GLEBA B. CAMAÇARI-BA. FONE: + 55 (71) 8846-0196 (Aparecida). E-MAIL: consultoria.marca@gmail. PORTFÓLIO MARCA CONSULTORIA & TREINAMENTOS RUA TERCEIRA DO PARQUE, 08, 1 ANDAR, SALA 02, GLEBA B. CAMAÇARI-BA. FONE: + 55 (71) 8846-0196 (Aparecida). E-MAIL: consultoria.marca@gmail.com SUMÁRIO 1 QUEM

Leia mais

Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo

Leia mais

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br PREZADO (A) SENHOR (A) Agradecemos seu interesse em nossos programas de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você está recebendo o programa do curso

Leia mais

Projeto Empreendedores Cívicos

Projeto Empreendedores Cívicos Projeto Empreendedores Cívicos I. Conceito Empreendedores Cívicos são agentes de inovação social que fomentam e promovem transformações positivas em benefício da coletividade rumo a um Brasil Sustentável.

Leia mais

COUTO COACHING. Liberando potencial, maximizando resultados.

COUTO COACHING. Liberando potencial, maximizando resultados. COUTO COACHING Liberando potencial, maximizando resultados. O que é Coaching? Coaching é uma poderosa ferramenta de desenvolvimento e gerenciamento do comportamento humano e tem como objetivo levar o indivíduo

Leia mais

Trilhas de aprendizagem UCSebrae um caminho em construção

Trilhas de aprendizagem UCSebrae um caminho em construção Trilhas de aprendizagem UCSebrae um caminho em construção Trilhas de aprendizagem Trilhas de desenvolvimento Foco no desenvolvimento de competências Foco no desenvolvimento de carreiras O Sebrae O Serviço

Leia mais

Cases de Sucesso. Transformando Empresas Através do Desenvolvimento de Líderes LIANA GOMES. lianagomes.com.br CASE #1

Cases de Sucesso. Transformando Empresas Através do Desenvolvimento de Líderes LIANA GOMES. lianagomes.com.br CASE #1 Cases de Sucesso Transformando Empresas Através do Desenvolvimento de Líderes CASE #1 LIANA GOMES lianagomes.com.br Formadora de Líderes Formar Líderes coaches mentoring coaching Desenvolvimento de Líderes

Leia mais

TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO COMO FONTE DE VANTAGEM COMPETITIVA. Rogerio Leme rogerio@lemeconsultoria.com.br

TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO COMO FONTE DE VANTAGEM COMPETITIVA. Rogerio Leme rogerio@lemeconsultoria.com.br TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO COMO FONTE DE VANTAGEM COMPETITIVA Rogerio Leme rogerio@lemeconsultoria.com.br PUBLICAÇÕES Solicitar slides: eventos@lemeconsultoria.com.br Contato: rogerio@lemeconsultoria.com.br

Leia mais

Prezado(a) Sr.(a.) Atenciosamente, Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas. comercial@trecsson.com.br

Prezado(a) Sr.(a.) Atenciosamente, Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas. comercial@trecsson.com.br Prezado(a) Sr.(a.) Agradecemos seu interesse em nossos programa de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você está recebendo o programa do curso de Pós-MBA

Leia mais