HIRSUTISMO E HIPERANDROGENISMO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "HIRSUTISMO E HIPERANDROGENISMO"

Transcrição

1 HIRSUTISMO E HIPERANDROGENISMO Prof. Dr. Marcos Felipe Silva de Sá Setor de Reprodução Humana Departamento de Ginecologia e Obstetrícia Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto USP

2 CONCEITO Síndrome HIPERANDROGÊNICA Manifestações clínicas e/ou laboratoriais da ação dos androgênios na mulher

3 Fontes de Androgênios na Mulher DHEA DHEAS Adrenal 50% 50% A T Ovário 50% Periférico

4 Síndromes Hiperandrogênicas Órgão alvo Fonte Androgênica Transporte Metabolismo Rec. A Excreção

5 Efeitos dos Androgênios sobre os Pêlos Androgênios Folículo Piloso Terminal Pêlos Sexuais Folículo Sebáceo Produção de Sebo ( Acne )

6 Ação dos androgênios sobre o pêlo

7 MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS DO HIPERANDROGENISMO Anovulação Oligoamenorréia Infertilidade Hirsutismo Acne Oleosidade da pele e dos cabelos Queda dos cabelos calvície Obesidade Relação C/Q > 0,85 Engrossamento da voz Aumento da massa muscular Hipertrofia do clitóris

8 Manifestações Clínicas do Hiperandrogenismo Sinais Clínicos Acne Hirsutismo Acantose Nigricans Alopécia Pele oleosa

9 Manifestações Clínicas do Hiperandrogenismo

10 Disgenesia Gonadal Mista Manifestações Clínicas do Hiperandrogenismo

11 Etiologia do Hiperandrogenismo Causa idiopática Causas ovarianas Síndrome dos ovários micropolicísticos Tumores ovarianos produtores de androgênios. Hipertecose Causas adrenais HAC (forma clássica e não clássica) Tumores adrenais produtores de androgênios Síndrome de Cushing Causas mistas ( ovariana adrenal) Hipofisária Acromegalia Hiperprolactinemia Iatrogênica

12 Repercussões Cardiovasculares na SOP Clínica Anovulação Crônica Obesidade / Hiperandrogenismo Fatores Risco Resistência Insulínica Espessura íntima carótida formação placas carótida Calcificação coronária Doença Pré Clínica Intolerância Glicose Dislipidemia, Resist. Insulínica Disfunção Vascular Hipertensão Doença clínica Diabetes Tipo 2 Doença coronariana AVC Sukalich & Gurick, Sem Reprod Med 2003;3:309

13 ABORDAGEM DO HIPERANDROGENISMO Diagnóstico HISTÓRIA CLÍNICA Idade das primeiras manifestações Tempo de manifestação História menstrual associada Uso de medicamentos Alterações do peso corporal Se faz depilação freqüente ( intervalo ) Estresse psicológico associado História familiar Raça de origem

14 ABORDAGEM DO HIPERANDROGENISMO Diagnóstico EXAME FÍSICO Cálculo do Índice de Massa Corporal Relação Cintura / Quadril Presença de acne ( locais e intensidade ) Presença de seborréia ( cabelo oleoso, caspa etc) Pêlos terminais (Índice de Ferriman e Galleway) Alopecia Hipertrofia do clítoris Presença de galactorréia Tonalidade grave da voz e massa muscular aumentada Presença de acantose nigricans Presença de estrias Equimose e face de lua cheia

15 GRADUAÇÃO DO HIRSUTISMO 1: LEVE 2: MODERADO 3: INTENSO 4: SEVERO

16 Síndromes Hiperandrogênicas Diagnóstico Laboratorial Testosterona Total: Valores > 200ng/dl:tumor de ovário (?) DHEAS: Valores > 700ug/dl : tumor de adrenal (?) Quando T e DHEAS estiverem normais solicitar T livre. Se aumentada: verificar função hepática Androstenediona (?) Prolactina plasmática

17 Síndromes Hiperandrogênicas Diagnóstico Laboratorial Outros Exames Complementares 17OH Progesterona : a) < 200ng/dl descartar HAC b) Entre 200 e 500 ng/dl teste do ACTH >1.000ng/dl HAC c) >500 ng/dl HAC Nos casos de supeita de SOP: Glicose e insulina de Jejum : Índice de Quicki < 0,34 Teste de tolerância à glicose G/I = RI < 4,5 I/G = RI > 0,19

18 Ultrasom: Hiperandrogenimo Diagnóstico Avaliação por imagem Na presença de irregularidade menstrual, para pesquisa de massas em topografia de ovários e adrenais, de preferência com a realização de ultrasom Doppler para completar a caracterização da massa. TC e RNM : Complementar para identificar massas que não foram bem definidas ao exame de Ultrasom, principalmente massas adrenais.

19 Hiperandrogenismo Princípios do tratamento Reduzir a síntese androgênica Aumentar o clearance dos androgênios Reduzir os androgênios livres Bloquear a 5α redutase Bloquear o receptor androgênico

20 Síndromes Hiperandrogênicas Órgão alvo Fonte Androgênica Transporte Metabolismo Rec. A Excreção

21 Hiperandrogenismo Tratamento Sistêmico Anticoncepcionais orais Antiandrogênicos Espironolactona Ac. Ciproterona Flutamida Finasterida Cimetidine Sensibilizadores da insulina Agonistas do GnRH Glicocorticóides

22 Hiperandrogenismo Tratamento Anticoncepcionais Orais) Indicado no menacme 1ª opção Supressão do LH (e FSH) Redução dos A Estimulação da SHBG Redução dos A livres Regulariza o ciclo menstrual Promove contracepção Formulações com Ac Ciproterona ou Drospirenona Riscos: Tromboembolismo

23 Progestin Progesterone Dydrogesterone Cyproterone acetate Progesta genic Anti gonadotropic Anti estrogenic Estrogenic Androgenic Antiandrogenic Glucocorticoid Antimineralocorticoid Atividade Biológica da Progesterona Natural e Progestagênios Cyproterone acetate Medroxyprogesterone Promegestone Drospirenone Norethinodrel Levonorgestrel Norgestimate 3Ketodesogestrel Gestoden Schindler et al, Maturitas 2003; S7S16.

24 Hiperandrogenismo Tratamento Espironolactona Ações: Antagonista da aldosterona Aumenta o clearance dos Androgênios Inibe o receptor androgênico Supressão da síntese de androgênios adrenais Inibição da 5α redutase Doses: de 50 a 200 mg/dia MBE Melhora comprovada do hirsutismo (OR=7.18) Efeitos colaterais: Irregularidade menstrual, letargia, irritação gástrica, hipotensão e aumento do K sérico, feminização de fetos masculinos Cuidados especiais: Medidas de PA e K; Contracepção(CO)

25 Hiperandrogenismo Tratamento Acetato de Ciproterona Droga antiandrogênica Interfere na ligação da DHT com seu receptor Inibe a secreção de gonadotrofinas: Androgênios Dose: mg/d 5º ao 14º dia do ciclo ACO ACO contendo 2,5mg associado a 35µg EE. Efeitos colaterais: Ganho de peso, perda da líbido, depressão, enxaqueca, mastodínia e feminização de fetos masculinos ( indicada contracepção) Venturoli S et al JCEM 84: (1999)

26 Hiperandrogenismo Tratamento Flutamida Antiandrogênico não esteróide Bloqueia o receptor androgênico Doses: mg/d Revisão Sistemática (RCTs): Trata/o do hirsutismo: Melhores resultados comparado com metformina, espirolactona, finasterida e triptorelin Swiglo BA et al. J C E M 93(4): (2008 ) Alta hepatoxidade: Não é tratamento de 1ª escolha

27 Hiperandrogenismo Tratamento Finasterida Potente inibidor da 5α Redutase Bloqueia a conversão da T em DHT Reduz o escore de hirsutismo 30 a 60% Reduz o diâmetro do folículo piloso Doses: mg/d. Efeitos colaterais: libido; feminização de fetos masculinos ( ACO)

28 Hiperandrogenismo Tratamento Origem adrenal Dexametasona ( 0,25 a 1,0 mg VO/dia ) Prednisona ( 5,0 a 10 mg VO/ dia ) Em caso de tumores funcionantes o tratamento é cirúrgico

29 Hiperandrogenismo Tratamento Agonistas do GnRH Suprime o LH (e FSH ) Redução dos Androgênios Custo elevado Não tem vantagens sobre os ACO e AntiA Addback terapia : Reposição estroprogestativa ( EEC 0,625mg AMP 2,5mg ou ACO) Indicações: Má resposta aos ACO e Antiandrogênios Hipertecose Drogas : Ac Leuprolide 1 amp SC ou IM /mês ( 3,75 ou 7,5mg) Pamoato de Triptorelina 1 amp IM/ mês ( 3,75 mg) Heiner JS et al JCEM 80:34128 (1995) Carmina E et al Hum Reprod 12:6636 (1997 )

30 Hiperandrogenismo Tratamento Cirúrgico Níveis de testosterona plasmática em uma paciente submetida à ooforectomia unilateral por um tumor de células de Leydig ,4 PréCirurgico Níveis de Testosterona ,6 Pós Cirurgico ,3 142, horas 1º di a19:30 horas 2º di a 1:00h. 2º di a 17:30h. 2º dia13:30h.

31 OBRIGADO!

Hirsutismo / Hiperandrogenismo na adolescente

Hirsutismo / Hiperandrogenismo na adolescente Hirsutismo / Hiperandrogenismo na adolescente Teresa Borges Unidade de Endocrinologia Pediátrica Centro Hospitalar do Porto Curso Inverno Sociedade Portuguesa de Pediatria Caramulo 24/02/2013 Manifestações

Leia mais

Hirsutismo. Deborah C. de L. A. Queiroz E1. Francisco Bandeira, MD, PhD, FACE Coordenador

Hirsutismo. Deborah C. de L. A. Queiroz E1. Francisco Bandeira, MD, PhD, FACE Coordenador Hirsutismo Deborah C. de L. A. Queiroz E1 Francisco Bandeira, MD, PhD, FACE Coordenador Hirsutismo INTRODUÇÃO O hirsutismo é definido como a presença de pêlos terminais na mulher, em áreas anatômicas características

Leia mais

AspectosAtuaisno Tratamentoda Infertilidade. Policísticos. Elaine Soares Barbosa R1 Orientadora: Dra Maria Albina

AspectosAtuaisno Tratamentoda Infertilidade. Policísticos. Elaine Soares Barbosa R1 Orientadora: Dra Maria Albina AspectosAtuaisno Tratamentoda Infertilidade nasíndrome Síndromedos Ovários Policísticos Elaine Soares Barbosa R1 Orientadora: Dra Maria Albina Síndromede OváriosPolicísticos(SOP): Anovulação Hiperandrogênica

Leia mais

6 de Fevereiro de 2009. Apostila 01. Amenorréia e SOP Embriologia Sexo genético O óvulo sempre carrega 23X e o sptz pode carregar 23X ou 23Y.

6 de Fevereiro de 2009. Apostila 01. Amenorréia e SOP Embriologia Sexo genético O óvulo sempre carrega 23X e o sptz pode carregar 23X ou 23Y. 6 de Fevereiro de 2009. Apostila 01 Amenorréia e SOP Embriologia Sexo genético O óvulo sempre carrega 23X e o sptz pode carregar 23X ou 23Y. Sexo gonadal Tem Y? Reações dão origem ao sexo masculino testículos

Leia mais

Síndrome dos Ovários Policísticos e Síndrome Metabólica

Síndrome dos Ovários Policísticos e Síndrome Metabólica Isabel L.A.Corrêa Síndrome dos Ovários Policísticos e Síndrome Metabólica PRO MATRE Síndrome dos Ovários Policísticos The Rotterdam ESHRE/ASRM sponsored PCOS consensus workshop group, 2004 Oligoamenorréia

Leia mais

AMENORRÉIA Cynthia Salgado Lucena Caso Clínico/ Abril- 2011

AMENORRÉIA Cynthia Salgado Lucena Caso Clínico/ Abril- 2011 AMENORRÉIA Cynthia Salgado Lucena Caso Clínico/ Abril- 2011 ASPECTOS GERAIS: Mamas presentes/ FSH nl/ útero ausente: Agenesia mülleriana e sínd de resistência completa aos androgênios. Dosar testosterona.

Leia mais

Palavras-chave: Hiperandrogenismo. Acne. Hirsutismo. Síndrome de ovários poliquísticos. Resistência à insulina

Palavras-chave: Hiperandrogenismo. Acne. Hirsutismo. Síndrome de ovários poliquísticos. Resistência à insulina Endocrinología REVISTA IBEROAMERICANA DE COORDINADORA CIENTIFICA DE REPRODUCCION HUMANA Hiperandrogenismo Hiperandrogenism A.L.Areia 1, Mª Gil Varela 2, I. Torgal 3, C.Freire de Oliveira 4 Serviço de Ginecologia.

Leia mais

Amenorréia Induzida: Indicações. XIX Jornada de Ginecologia e Obstetrícia do Rio Grande do Norte XVI Jornada da Maternidade Escola Januário Cicco

Amenorréia Induzida: Indicações. XIX Jornada de Ginecologia e Obstetrícia do Rio Grande do Norte XVI Jornada da Maternidade Escola Januário Cicco Amenorréia Induzida: Indicações XIX Jornada de Ginecologia e Obstetrícia do Rio Grande do Norte XVI Jornada da Maternidade Escola Januário Cicco I. Amenorréia Amenorréia secundária é um distúrbio que se

Leia mais

Resumo A revisão de estudos baseados em evidências mostra o melhor tratamento

Resumo A revisão de estudos baseados em evidências mostra o melhor tratamento revisão Tratamento hormonal do hirsutismo baseado em evidências Evidence-based hormonal treatment of hirsutism Angela Maggio da Fonseca 1 Vicente Renato Bagnoli 1 Wilson Maça Yuki Arie 2 Fábio Bagnoli

Leia mais

ABORDAGEM DIAGNÓSTICA DAS

ABORDAGEM DIAGNÓSTICA DAS ABORDAGEM DIAGNÓSTICA DAS AMENORRÉIAS PELO MFC Melanie Noël Maia Preceptora do Programa de Residência em MFC da SMS-RJ CF Felippe Cardoso INTRODUÇÃO Uma das causas mais frequentes de consulta médica em

Leia mais

Bases Moleculares da Obesidade e Diabetes Síndromes que Causam Obesidade Prof. Carlos Castilho de Barros

Bases Moleculares da Obesidade e Diabetes Síndromes que Causam Obesidade Prof. Carlos Castilho de Barros Bases Moleculares da Obesidade e Diabetes Síndromes que Causam Obesidade Prof. Carlos Castilho de Barros http://wp.ufpel.edu.br/obesidadediabetes/ Fígado Estômago e Intestino delgado Localização Córtex

Leia mais

Amenorréia. Profª. Keyla Ruzi

Amenorréia. Profª. Keyla Ruzi Amenorréia Profª. Keyla Ruzi Amenorréia Conceito: ausência de menstruação em uma época na qual ela deveria ocorrer. Exclui-se períodos de amenorréia fisiológica, como na gravidez e lactação, antes da menarca

Leia mais

Anomalias do Desenvolvimento Sexual. Luciana M. Barros Oliveira Dep. Biorregulação ICS UFBA

Anomalias do Desenvolvimento Sexual. Luciana M. Barros Oliveira Dep. Biorregulação ICS UFBA Anomalias do Desenvolvimento Sexual Luciana M. Barros Oliveira Dep. Biorregulação ICS UFBA Introdução Anomalias do desenvolvimento sexual (ADS) = genitália ambígua Prevalência no Brasil:? É menino ou menina?

Leia mais

Hiperplasia Adrenal Congênita

Hiperplasia Adrenal Congênita Hiperplasia Adrenal Congênita HIPERPLASIA ADRENAL CONGÊNITA Diagnóstico e Tratamento IZABEL CALLAND RICARTE BESERRA Curso de Imersão em Endocrinologia Pediátrica Módulo: Adrenais e gônadas 29/07/2006 Engloba

Leia mais

MÉTODOS HORMONAIS. São comprimidos que contêm estrogênio e progestogênio associados.

MÉTODOS HORMONAIS. São comprimidos que contêm estrogênio e progestogênio associados. MÉTODOS HORMONAIS 1 - ANTICONCEPCIONAIS HORMONAIS ORAIS (PÍLULAS) É o método mais difundido e usado no mundo. As pílulas são consideradas um método reversível muito eficaz e o mais efetivo dos métodos

Leia mais

Excreção. Manutenção do equilíbrio de sal, água e remoção de excretas nitrogenadas.

Excreção. Manutenção do equilíbrio de sal, água e remoção de excretas nitrogenadas. Fisiologia Animal Excreção Manutenção do equilíbrio de sal, água e remoção de excretas nitrogenadas. Sistema urinario Reabsorção de açucar, Glicose, sais, água. Regula volume sangue ADH: produzido pela

Leia mais

GLICOCORTICÓIDES PRINCIPAIS USOS DOS FÁRMACOS INIBIDORES DOS ESTERÓIDES ADRENOCORTICAIS

GLICOCORTICÓIDES PRINCIPAIS USOS DOS FÁRMACOS INIBIDORES DOS ESTERÓIDES ADRENOCORTICAIS GLICOCORTICÓIDES - Hormônios esteroidais: Hormônios sexuais e Hormônios do Córtex da Adrenal. - Hormônios do Córtex da Adrenal: o Adrenocorticosteróides [glicocorticóides e (cortisol) e Mineralocorticóides

Leia mais

Teste para a Pesquisa de Receptores Hormonais Ilícitos nas Glândulas Supra- Renais Contra-indicações à realização do teste:

Teste para a Pesquisa de Receptores Hormonais Ilícitos nas Glândulas Supra- Renais Contra-indicações à realização do teste: Teste para a Pesquisa de Receptores Hormonais Ilícitos nas Glândulas Supra- Renais O teste consiste na dosagem dos níveis séricos de cortisol e ACTH, após um estímulo hormonal ou farmacológico in vivo

Leia mais

INFORMATIVO PROFERT - VOLUME 1 - NÚMERO 5-22/10/2009

INFORMATIVO PROFERT - VOLUME 1 - NÚMERO 5-22/10/2009 INFORMATIVO PROFERT - VOLUME 1 - NÚMERO 5-22/10/2009 Prezado(a) colega, Você recebe agora o QUARTO capítulo do programa "Reprodução Assistida no Consultório". O tema abordado aqui é: "Estimulação ovariana

Leia mais

PUBERDADE. Fase fisiológica com duração de 2 a 5 anos, durante a qual ocorre a maturação sexual

PUBERDADE. Fase fisiológica com duração de 2 a 5 anos, durante a qual ocorre a maturação sexual Puberdade PUBERDADE Transição entre a infância e a vida adulta Transformações físicas e psíquicas complexas Fase fisiológica com duração de 2 a 5 anos, durante a qual ocorre a maturação sexual Desenvolvimento

Leia mais

ANTICONCEPÇÃO CRITÉRIOS DE ELEGIBILIDADE DA OMS E OS MÉTODOS SEM ESTROGÊNIO

ANTICONCEPÇÃO CRITÉRIOS DE ELEGIBILIDADE DA OMS E OS MÉTODOS SEM ESTROGÊNIO ANTICONCEPÇÃO CRITÉRIOS DE ELEGIBILIDADE DA OMS E OS MÉTODOS SEM ESTROGÊNIO PROFA.DRA. MARTA EDNA HOLANDA DIÓGENES YAZLLE Responsável pelo Setor de Anticoncepção do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia

Leia mais

- O medicamento deve ser mantido em temperatura ambiente (15-30 C) e protegido da umidade.

- O medicamento deve ser mantido em temperatura ambiente (15-30 C) e protegido da umidade. ANDROCUR Acetato de ciproterona FORMA FARMACÊUTICA: Comprimido APRESENTAÇÃO: Cartucho com frasco com 20 comprimidos USO ADULTO COMPOSIÇÃO: Cada comprimido de Androcur contém 50 mg de acetato de ciproterona.

Leia mais

Anatomia e Fisiologia Humana

Anatomia e Fisiologia Humana Introdução Boa parte do funcionamento do corpo humano depende da comunicação entre as células por meio de mensageiros químicos que viajam pelos sangue. Conjunto de células produtoras de hormônios. Hormônios

Leia mais

Hipogonadismo Feminino

Hipogonadismo Feminino Hipogonadismo Feminino Hipogonadismo Feminino Luíz Antônio de Araújo Diretor do Departamento de Neuroendocrinologia da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Presidente do Clube da Hipófise

Leia mais

Corticóides na Reumatologia

Corticóides na Reumatologia Corticóides na Reumatologia Corticóides (CE) são hormônios esteróides produzidos no córtex (área mais externa) das glândulas suprarrenais que são dois pequenos órgãos localizados acima dos rins. São produzidos

Leia mais

29/03/2012. Biologia. Principais glândulas endócrinas humanas

29/03/2012. Biologia. Principais glândulas endócrinas humanas Biologia Tema: Módulo 01: Anatomia e fisiologia Marcos Vinícius Introdução É um sistema que juntamente com o sistema nervoso atua no controle das funções gerais do nosso organismo. É representado pelos

Leia mais

Raniê Ralph GO. 24 de Setembro de 2008. Professor Sobral. Ciclo Menstrual

Raniê Ralph GO. 24 de Setembro de 2008. Professor Sobral. Ciclo Menstrual 24 de Setembro de 2008. Professor Sobral. Ciclo Menstrual Fisiologia O ciclo menstrual para ocorrer depende de uma série de intercomunicações entre diversos compartimentos femininos. Todo o ciclo menstrual

Leia mais

Profa. Dra. Milena Araújo Tonon Corrêa 1

Profa. Dra. Milena Araújo Tonon Corrêa 1 Profa. Dra. Milena Araújo Tonon Corrêa 1 Hormônios 2 HORMÔNIOS DA HIPÓFISE E DO HIPOTÁLAMO Quanto a sua origem os hormônios da hipófise e hipotálamo podem ser classificados em : - Hormônios da hipófise

Leia mais

AVALIAÇÃO LABORATORIAL DOS HORMÔNIOS SEXUAIS

AVALIAÇÃO LABORATORIAL DOS HORMÔNIOS SEXUAIS AVALIAÇÃO LABORATORIAL DOS HORMÔNIOS SEXUAIS Marcelo Cidade Batista Laboratório de Hormônios LIM/42 Disciplina de Endocrinologia Divisão de Laboratório Central LIM/03 Hospital das Clínicas Faculdade de

Leia mais

Glândulas endócrinas:

Glândulas endócrinas: SISTEMA ENDOCRINO Glândulas endócrinas: Funções: Secreções de substâncias (hormônios) que atuam sobre célula alvo Regulação do organismo (homeostase) Hormônios: Substâncias químicas que são produzidas

Leia mais

PÍLULAS ANTICONCEPCIONAIS

PÍLULAS ANTICONCEPCIONAIS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Projeto PIBID - UNICAMP Projeto Licenciatura em Química Instituto de Química IQ Unicamp PÍLULAS ANTICONCEPCIONAIS Bolsista ID: Juliana Mukai de Mattos Supervisora: Profª.

Leia mais

Hipogonadismo. O que é Hipogonadismo? Causas 25/02/ 2015. Minhavida.com.br

Hipogonadismo. O que é Hipogonadismo? Causas 25/02/ 2015. Minhavida.com.br Hipogonadismo O que é Hipogonadismo? Hipogonadismo é uma doença na qual as gônadas (testículos nos homens e ovários nas mulheres) não produzem quantidades adequadas de hormônios sexuais, como a testosterona

Leia mais

Hipófise. 1.1. Relações anatômicas. Hipotálamo interface entre os sistemas nervoso e endócrino. Remoção cirúrgica morte 1 a 2 dias

Hipófise. 1.1. Relações anatômicas. Hipotálamo interface entre os sistemas nervoso e endócrino. Remoção cirúrgica morte 1 a 2 dias 1. CARACTERÍSTICAS GERAIS DO SISTEMA HIPOTÂMICO HIPÓFISÁRIO 1.1. Relações anatômicas Hipófise Hipotálamo interface entre os sistemas nervoso e endócrino Infundíbulo Controla a função hipofisária através

Leia mais

Sistema Endócrino: controle hormonal

Sistema Endócrino: controle hormonal Sistema Endócrino: controle hormonal Todos os processos fisiológicos estudados até agora, como digestão, respiração, circulação e excreção, estão na dependência do sistema que fabrica os hormônios. O sistema

Leia mais

Sistema Endócrino. Introdução. Glândulas e suas secreções. 1. Hipotálamo: 2. Hipófise anterior (adeno-hipófise):

Sistema Endócrino. Introdução. Glândulas e suas secreções. 1. Hipotálamo: 2. Hipófise anterior (adeno-hipófise): Introdução Sistema Endócrino O sistema endócrino é composto por um grupo de tecidos especializados (glândulas) cuja função é produzir e liberar na corrente sanguínea substâncias chamadas Hormônios. Os

Leia mais

ZOOLOGIA E HISTOLOGIA ANIMAL

ZOOLOGIA E HISTOLOGIA ANIMAL ZOOLOGIA E HISTOLOGIA ANIMAL Sistema Endócrino Prof. Fernando Stuchi Introdução Os mensageiros químicos do corpo (hormônios) são produzidos pelas glândulas endócrinas ou glândulas de secreção interna,

Leia mais

Vitaminas do Complexo B A Administração Reduz os Níveis de Homocisteína em Pacientes com Síndrome do Ovário Policístico Tratadas com Metformina (1)

Vitaminas do Complexo B A Administração Reduz os Níveis de Homocisteína em Pacientes com Síndrome do Ovário Policístico Tratadas com Metformina (1) Vitaminas do Complexo B A Administração Reduz os Níveis de Homocisteína em Pacientes com Síndrome do Ovário Policístico Tratadas com Metformina (1) O objetivo deste Informe Científico é apresentar os resultados

Leia mais

12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO ENDOCRINOLOGISTA

12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO ENDOCRINOLOGISTA 12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO ENDOCRINOLOGISTA QUESTÃO 21 Em relação ao metabolismo do iodo e dos hormônios tireoidianos, é correto afirmar, EXCETO: a) A biossíntese dos hormônios tireoidianos

Leia mais

Sistema Endócrino II - Hormônios

Sistema Endócrino II - Hormônios Ciências Morfofuncionais III Sistema Endócrino II - Hormônios Natureza, química e funções Professores: Felipe, Jean-Pierre e Olivia Endocrinologia Estudo das secreções internas do organismo Hormônios São

Leia mais

Distúrbios do Ciclo Menstrual

Distúrbios do Ciclo Menstrual Distúrbios do Ciclo Menstrual Departamento de Medicina III Profa. Dra.Maria Bethânia da Costa Chein Distúrbios Menstruais Etiologia Orgânica Funcional - Disfuncional Classificação Orgânica: gravidez, patologias

Leia mais

Universidade Federal de Pernambuco Disciplina de Ginecologia. Amenorréia Primária. Diagnóstico Etiológico

Universidade Federal de Pernambuco Disciplina de Ginecologia. Amenorréia Primária. Diagnóstico Etiológico Universidade Federal de Pernambuco Disciplina de Ginecologia Amenorréia Primária Diagnóstico Etiológico Prof. Sabino Pinho Otto Dix (1891 1969) Amenorréia Conceito: É a ausência temporária ou definitiva

Leia mais

Universidade Federal de Pernambuco Centro de Ciências Biológicas Departamento de Bioquímica. Aula Teórica: Hormônios I

Universidade Federal de Pernambuco Centro de Ciências Biológicas Departamento de Bioquímica. Aula Teórica: Hormônios I Universidade Federal de Pernambuco Centro de Ciências Biológicas Departamento de Bioquímica Aula Teórica: Hormônios I Disciplina: Bioquímica Curso: Ciências Farmacêuticas Priscilla Stela Santana de Oliveira

Leia mais

Hipertensão arterial. Casos clínicos. A. Galvão-Teles 22º CURSO NEDO PÓS-GRADUADO DE ENDOCRINOLOGIA ENDOCRINOLOGIA EM CASOS CLÍNICOS

Hipertensão arterial. Casos clínicos. A. Galvão-Teles 22º CURSO NEDO PÓS-GRADUADO DE ENDOCRINOLOGIA ENDOCRINOLOGIA EM CASOS CLÍNICOS 22º CURSO NEDO PÓS-GRADUADO DE ENDOCRINOLOGIA ENDOCRINOLOGIA EM CASOS CLÍNICOS Casos clínicos Hipertensão arterial A. Galvão-Teles Viseu, Outubro de 2012 Caso Clínico 1 Motivo consulta: Bócio Mulher de

Leia mais

TRATAMENTO MEDICAMENTOSO DO DIABETES MELLITUS: SULFONILUREIAS E BIGUANIDAS

TRATAMENTO MEDICAMENTOSO DO DIABETES MELLITUS: SULFONILUREIAS E BIGUANIDAS UNIVERSIDADE DE UBERABA LIGA DE DIABETES 2013 TRATAMENTO MEDICAMENTOSO DO DIABETES MELLITUS: SULFONILUREIAS E BIGUANIDAS PALESTRANTES:FERNANDA FERREIRA AMUY LUCIANA SOUZA LIMA 2013/2 CRITÉRIOS PARA ESCOLHA

Leia mais

Amenorréia Resumo de diretriz NHG M58 (março 2007)

Amenorréia Resumo de diretriz NHG M58 (março 2007) Amenorréia Resumo de diretriz NHG M58 (março 2007) Leusink GL, Oltheten JMT, Brugemann LEM, Belgraver A, Geertman JMA, Van Balen JAM traduzido do original em holandês por Luiz F.G. Comazzetto 2014 autorização

Leia mais

Hirsutismo: avaliação e princípios do tratamento

Hirsutismo: avaliação e princípios do tratamento ARTIGO DE REVISÃO Hirsutismo: avaliação e princípios do tratamento Hirsutism: Evaluation and principles of treatment Clovis Blattes Flores 1, Lucas Flores 2, Fabio Vasconcellos Comim 3 RESUMO O hirsutismo

Leia mais

Síndrome dos ovários policísticos: uma visão atual

Síndrome dos ovários policísticos: uma visão atual Polycystic ovary syndrome: an updated view ATUALIZAÇÃO Resumo Este trabalho trata-se de uma revisão da síndrome dos ovários policísticos (SOP) em relação aos seus aspectos etiopatogênicos, clínicos, diagnósticos

Leia mais

Curso: Integração Metabólica

Curso: Integração Metabólica Curso: Integração Metabólica Aula 7: Suprarrenal e tireoide Prof. Carlos Castilho de Barros Algumas pessoas podem apresentar distúrbios que provocam a obesidade. Estórias como Eu como pouco mas continuo

Leia mais

Nascimento: aumento de gonadotrofinas e esteróides em algumas semanas esses níveis diminuem.

Nascimento: aumento de gonadotrofinas e esteróides em algumas semanas esses níveis diminuem. Puberdade Período de 4-5 anos de transição entre a infância (fase não-reprodutiva) e a vida adulta (fase reprodutiva). Termina quando os ciclos tormam-se ovulatórios, pode durar até 2 anos após a menarca.

Leia mais

CONGRESSO BRASILEIRO DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA. SÃO PAULO, 2001.

CONGRESSO BRASILEIRO DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA. SÃO PAULO, 2001. CONGRESSO BRASILEIRO DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA. SÃO PAULO, 2001. AVALIAÇÃO CLÍNICO-LABORATORIAL DO EIXO HIPOTÁLAMO-HIPÓFISE- OVARIANO. Lucas Vianna Machado Prof. Titular de Ginecologia da Faculdade

Leia mais

PUBERDADE NORMAL E ANORMAL

PUBERDADE NORMAL E ANORMAL PUBERDADE NORMAL E ANORMAL José María Aragüés Serviço de Endocrinologia, Hospital Santa Maria. Hospital CUF Infante Santo, Lisboa Abril de 2009 PUBERDADE MASCULINA Conjunto de modificações que levam a

Leia mais

10/09/2015. Glândula pineal. Hormônio Melatonina : produzido à noite, na ausência de luz. Crescimento; Regulação do sono; CONTROLE HORMONAL

10/09/2015. Glândula pineal. Hormônio Melatonina : produzido à noite, na ausência de luz. Crescimento; Regulação do sono; CONTROLE HORMONAL Glândulas endócrinas e tecidos que secretam hormônios; Coordena funções do organismo CONTROLE HORMONAL S. Nervoso + S. endócrino = Homeostase Mensageiros químicos; Atuam em um tecido ou órgão alvo específico;

Leia mais

SISTEMA ENDÓCRINO SISTEMA HORMONAL

SISTEMA ENDÓCRINO SISTEMA HORMONAL SISTEMA ENDÓCRINO SISTEMA HORMONAL HORMÔNIOS 1. MENSAGEIROS QUÍMICOS PRODUZIDOS PELAS GLÂNDULAS ENDÓCRINAS. 2. REGULADORES: - (ESTIMULANTES OU INIBIDORES) - (CRESCIMENTO, METABOLISMO, REPRODUÇÃO, ETC.)

Leia mais

Resumo Este trabalho de revisão apresenta o tratamento hormonal da acne baseado

Resumo Este trabalho de revisão apresenta o tratamento hormonal da acne baseado revisão Tratamento hormonal da acne baseado em evidências Hormonal treatment of acne based on evidence Vicente Renato Bagnoli 1 Angela Maggio da Fonseca 1 Persio Yvon Adri Cezarino 2 Georges Fassolas 3

Leia mais

Terapia hormonal de baixa dose. Elvira Maria Mafaldo Soares UFRN/SOGORN

Terapia hormonal de baixa dose. Elvira Maria Mafaldo Soares UFRN/SOGORN Terapia hormonal de baixa dose Elvira Maria Mafaldo Soares UFRN/SOGORN Alterações endócrinas no Climatério pg/ml mui/ml mui/ml 150 FSH 80 60 100 50 0-8 -6-4 -2 0 2 4 6 8 anos Menopausa LH Estradiol 40

Leia mais

Eixos Hipotálamo-Hipófise- -Glândulas Periféricas

Eixos Hipotálamo-Hipófise- -Glândulas Periféricas Eixos Hipotálamo-Hipófise- -Glândulas Periféricas Seminário Teórico 18 de Janeiro de 2013 Mª Joana Santos, Olinda Marques Serviço de Endocrinologia, Hospital de Braga Hipotálamo e Hipófise Neuroendocrinologia

Leia mais

SÍNDROME DE CUSHING INTRODUÇÃO

SÍNDROME DE CUSHING INTRODUÇÃO SÍNDROME DE CUSHING INTRODUÇÃO Causada pela elevação crônica e inapropriada dos níveis séricos de glicocorticóides livres Incidência: 2,3 por milhão/ano Alta mortalidade 50% em 5 anos - Doenças cardiovasculares

Leia mais

Novas diretrizes para pacientes ambulatoriais HAS e Dislipidemia

Novas diretrizes para pacientes ambulatoriais HAS e Dislipidemia Novas diretrizes para pacientes ambulatoriais HAS e Dislipidemia Dra. Carla Romagnolli JNC 8 Revisão das evidências Ensaios clínicos randomizados controlados; Pacientes hipertensos com > 18 anos de idade;

Leia mais

Sistema endócrino I. As células produtoras de hormônios estão geralmente reunidas em órgãos denominados glândulas endócrinas.

Sistema endócrino I. As células produtoras de hormônios estão geralmente reunidas em órgãos denominados glândulas endócrinas. RESUMO DE AULA Sistema endócrino I O funcionamento e equilíbrio fisiológico do corpo humano dependem em parte da comunicação entre as células por meio de mensageiros químicos denominados de hormônios.

Leia mais

O aumento das concentrações de prolactina pode ocorrer em várias situações, sejam elas fisiológicas ou patológicas.

O aumento das concentrações de prolactina pode ocorrer em várias situações, sejam elas fisiológicas ou patológicas. Hiperprolactinemia A hiperprolactinemia é alteração endocrinológica mais comum que ocorre no sistema nervoso central, sendo mais comum no sexo feminino. Além disso, é uma causa freqüente de infertilidade.

Leia mais

ALTERAÇÕES METABÓLICAS NA GRAVIDEZ

ALTERAÇÕES METABÓLICAS NA GRAVIDEZ ALTERAÇÕES METABÓLICAS NA GRAVIDEZ CUSTO ENERGÉTICO DA GRAVIDEZ CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO FETAL SÍNTESE DE TECIDO MATERNO 80.000 kcal ou 300 Kcal por dia 2/4 médios 390 Kcal depósito de gordura- fase

Leia mais

HIPOTIROIDISMO INTRODUÇÃO

HIPOTIROIDISMO INTRODUÇÃO HIPOTIROIDISMO INTRODUÇÃO Deficiência hormonal mais comum Produção ou ação deficiente dos hormônios tiroidianos Prevalência de 2 a 3% na população geral Mais comum em mulheres (10:1), idosos e brancos

Leia mais

Biologia. Aulas 33, 34 e 35 Setor B. Prof. Rafa

Biologia. Aulas 33, 34 e 35 Setor B. Prof. Rafa Biologia Aulas 33, 34 e 35 Setor B Prof. Rafa Tipos de glândulas: Exócrinas: com ducto de saída lacrimais, mamárias, salivares, sebáceas e sudoríparas Endócrinas: sem ducto de saída, secreções (hormônios)

Leia mais

5-HT 1A Núcleos da rafe, hipocampo Gi, AMPc. 5-HT 1B Substância negra, globo pálido, gânglios da base Gi, AMPc. 5-HT 1D Cérebro Gi, AMPc

5-HT 1A Núcleos da rafe, hipocampo Gi, AMPc. 5-HT 1B Substância negra, globo pálido, gânglios da base Gi, AMPc. 5-HT 1D Cérebro Gi, AMPc UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE FARMACOLOGIA SEROTONINA Serotonina: funções e distribuição Receptores centrais e periféricos Neurotransmissor: neurônios

Leia mais

Afecções capilares/procedimento/práticas assistenciais.

Afecções capilares/procedimento/práticas assistenciais. Tricologia Afecções capilares/procedimento/práticas assistenciais. Anexo da pele Anatomia do couro cabeludo Doenças de couro cabeludo Protocolo Definições patológicas Tratamento patológicos Matérias e

Leia mais

SISTEMA ENDÓCRINO. Prof. Me. Leandro Parussolo

SISTEMA ENDÓCRINO. Prof. Me. Leandro Parussolo SISTEMA ENDÓCRINO Prof. Me. Leandro Parussolo Sistema Endócrino Função de garantir o fluxo de informações entre diferentes cells, permitindo a integração funcional de todo o organismo; Garantir a reprodução;

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL - UNISC DEPARTAMENTO DE FARMÁCIA DISCIPLINA DE FISIOLOGIA GERAL HORMÔNIOS MASCULINOS

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL - UNISC DEPARTAMENTO DE FARMÁCIA DISCIPLINA DE FISIOLOGIA GERAL HORMÔNIOS MASCULINOS UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL - UNISC DEPARTAMENTO DE FARMÁCIA DISCIPLINA DE FISIOLOGIA GERAL HORMÔNIOS MASCULINOS Andiara Onizzolo Marques Isadora Schmachtenberg Manoela Zaccani Maristela Ullrich

Leia mais

Aula 23 Sistema endócrino

Aula 23 Sistema endócrino Aula 23 Sistema endócrino O sistema endócrino é formado por órgãos e tecidos que secretam hormônios. Os hormônios são lançados na corrente sangüínea e influenciam a atividade de células, órgãos ou sistemas.

Leia mais

PARTE I QUESTÕES 1 A 5 (RESPOSTAS ESCRITAS)

PARTE I QUESTÕES 1 A 5 (RESPOSTAS ESCRITAS) Instruções Prova teórico-prática de Ginecologia A prova teórico-prática de Ginecologia compõe-se de 5 (cinco) questões respondidas de forma escrita e 2 (duas) questões respondidas de forma oral. Para cada

Leia mais

Avaliação Funcional da Hipófise

Avaliação Funcional da Hipófise Avaliação Funcional da Hipófise Dr. Luiz Antônio de Araújo Endoville, Joinville (SC) Dr. Cesar Luiz Boguszewski SEMPR, HC-UFPR, Curitiba (PR) Avaliação Funcional da Hipófise Dr. Cesar Luiz Boguszewski

Leia mais

SÍNDROME DOS OVÁRIOS POLICÍSTICOS: MITO OU REALIDADE? Uma visão unitária da fisiopatologia ovariana. e crítica ao Consenso de Rotterdam 2003.

SÍNDROME DOS OVÁRIOS POLICÍSTICOS: MITO OU REALIDADE? Uma visão unitária da fisiopatologia ovariana. e crítica ao Consenso de Rotterdam 2003. SÍNDROME DOS OVÁRIOS POLICÍSTICOS: MITO OU REALIDADE? Uma visão unitária da fisiopatologia ovariana e crítica ao Consenso de Rotterdam 2003. Toda a fisiologia da reprodução está centrada na liberação periódica

Leia mais

Folheto informativo: Informação para o utilizador. Androcur 10 mg comprimidos Acetato de ciproterona

Folheto informativo: Informação para o utilizador. Androcur 10 mg comprimidos Acetato de ciproterona Folheto informativo: Informação para o utilizador Androcur 10 mg comprimidos Acetato de ciproterona Leia com atenção todo este folheto antes de começar a tomar este medicamento pois contém informação importante

Leia mais

DIRETRIZES DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE REPRODUÇÃO HUMANA

DIRETRIZES DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE REPRODUÇÃO HUMANA DIRETRIZES DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE REPRODUÇÃO HUMANA ENDOCRINOLOGIA DA REPRODUÇÃO Membros da comissão: Sebastião Freitas de Medeiros, relator Mauri José Piazza, Ricardo Melo Marinho, Alessandro Gomes

Leia mais

Fisiologia humana 0 (parte IV) Hormônios e reprodução. Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.

Fisiologia humana 0 (parte IV) Hormônios e reprodução. Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms. Fisiologia humana 0 (parte IV) Hormônios e reprodução Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.br/ Sistema Endócrino Composto pelas glândulas endócrinas integra e regula

Leia mais

Hipófise (ou glândula Pituitária)

Hipófise (ou glândula Pituitária) Sistema Hormonal Sistema Hormonal O sistema endócrino é formado pelo conjunto de glândulas endócrinas, as quais são responsáveis pela secreção de substância denominadas hormonas. As glândulas endócrinas

Leia mais

Tumores da hipófise. Avaliação clínica

Tumores da hipófise. Avaliação clínica Tumores da hipófise Avaliação clínica Tumores da hipófise 10-25% de casos não seleccionados de autópsias RMN 10% de indivíduos normais Tumores da hipófise Incidência: 2/100000 Prevalência: 20/100000

Leia mais

ENFRENTAMENTO DA OBESIDADE ABORDAGEM TERAPÊUTICA

ENFRENTAMENTO DA OBESIDADE ABORDAGEM TERAPÊUTICA ENFRENTAMENTO DA OBESIDADE ABORDAGEM TERAPÊUTICA Obesidade 300 mil mortes / ano; 100 bi dólares / ano; O excesso de peso (IMC >25) acomete de 15% a 60% da população de todos os países civilizados. EUA...

Leia mais

A neurohipófise tem comunicação

A neurohipófise tem comunicação A aula de hoje é sobre o eixo hipotálamohipófise - ovário. Porque que nós vamos falar desse eixo? Porque é ele que rege toda a fisiologia hormonal feminina, então pra nós falarmos do ciclo menstrual, nós

Leia mais

DIRETRIZES PARA O HIPOGONADISMO MASCULINO

DIRETRIZES PARA O HIPOGONADISMO MASCULINO DIRETRIZES PARA O HIPOGONADISMO MASCULINO Dohle GR, Arver S, Bettocchi C, Kliesch S, Punab M, de Ronde W. Introdução O hipogonadismo masculino é uma síndrome clínica causada por deficiência androgênica.

Leia mais

ASSISTÊNCIA EM MASTOLOGIA

ASSISTÊNCIA EM MASTOLOGIA ASSISTÊNCIA EM MASTOLOGIA I - Ações da Unidade Básica: 1) Estímulo ao auto-exame de mamas 2) Exame clínico das mamas como parte integrante e obrigatória das consultas ginecológicas e de pré natal 3) Solicitação

Leia mais

Diabetes Mellitus em animais de companhia. Natália Leonel Ferreira 2º ano Medicina Veterinária

Diabetes Mellitus em animais de companhia. Natália Leonel Ferreira 2º ano Medicina Veterinária Diabetes Mellitus em animais de companhia Natália Leonel Ferreira 2º ano Medicina Veterinária O que é Diabetes Mellitus? É uma doença em que o metabolismo da glicose fica prejudicado pela falta ou má absorção

Leia mais

Sistema Endócrino Sistema Endócrino Sistema Endócrino Sistema Endócrino Sistema Endócrino Sistema Endócrino Mensagem Química: Hormônios Os hormônios são substâncias químicas liberadas na corrente sanguínea

Leia mais

INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS

INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS TÍTULO: DIABETES MELLITUS TIPO II E O ANTIDIABÉTICO METFORMINA CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: BIOMEDICINA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 60

PROVA ESPECÍFICA Cargo 60 11 PROVA ESPECÍFICA Cargo 60 QUESTÃO 26 Podem ser causas de calcificação de tecidos extra-ósseos, EXCETO: a) Osteomalácia. b) Nefropatia diabética. c) Hipoparatireoidismo. d) Doses elevadas de carbonato

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Ciências Aeronáuticas. Sistema Endócrino. Prof. Raimundo Júnior M.Sc.

Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Ciências Aeronáuticas. Sistema Endócrino. Prof. Raimundo Júnior M.Sc. Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Ciências Aeronáuticas Sistema Endócrino Prof. Raimundo Júnior M.Sc. Sistema Hormonal atua como um sistema de controle e regulação (assim como o

Leia mais

SÍNDROME DOS OVÁRIOS POLIQUÍSTICOS

SÍNDROME DOS OVÁRIOS POLIQUÍSTICOS FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA TRABALHO FINAL DO 6º ANO MÉDICO COM VISTA À ATRIBUIÇÃO DO GRAU DE MESTRE NO ÂMBITO DO CICLO DE ESTUDOS DE MESTRADO INTEGRADO EM MEDICINA LILIANE BATISTA

Leia mais

Ricardo M. R. Meirelles

Ricardo M. R. Meirelles O DIABETES NA TERCEIRA IDADE Distúrbio Androgênico do Envelhecimento no Homem com Diabetes e Síndrome Metabólica Ricardo M. R. Meirelles Professor Associado de Endocrinologia PUC-Rio Presidente da Sociedade

Leia mais

Adrenarca. O que é Puberdade? Puberdade Normal: Diagnóstico Clínico e Laboratorial. Gonadarca - Eixo Gonadotrófico. GnRH. GnRH

Adrenarca. O que é Puberdade? Puberdade Normal: Diagnóstico Clínico e Laboratorial. Gonadarca - Eixo Gonadotrófico. GnRH. GnRH O que é? Normal: Diagnóstico Clínico e Laboratorial Vinicius Nahime Brito Unidade de Endocrinologia do Desenvolvimento HCFMUSP É o período de transição entre a infância e a vida adulta, no qual ocorrem

Leia mais

Existem três tipos de glândulas: endócrinas (tireóide, suprarrenal), exócrinas (lacrimais, mamárias) e anfícrinas ou mistas (pâncreas)

Existem três tipos de glândulas: endócrinas (tireóide, suprarrenal), exócrinas (lacrimais, mamárias) e anfícrinas ou mistas (pâncreas) Existem três tipos de glândulas: endócrinas (tireóide, suprarrenal), exócrinas (lacrimais, mamárias) e anfícrinas ou mistas (pâncreas) É formado pelas glândulas endócrinas Essas tem origem no tecido epitelial

Leia mais

Doenças do córtex da supra-renal

Doenças do córtex da supra-renal Doenças do córtex da supra-renal Eixo hipotálamo-hipófise-supra-renal Em indivíduos normais, o hipotálamo produz o fator de liberação da corticotrofina (CRF). O CRF age sobre a hipófise estimulando-a a

Leia mais

76 Qual a informação que o modelo FRAX da OMS propicia na seleção do paciente com osteoporose a ser tratado:

76 Qual a informação que o modelo FRAX da OMS propicia na seleção do paciente com osteoporose a ser tratado: 76 Qual a informação que o modelo FRAX da OMS propicia na seleção do paciente com osteoporose a ser tratado: a) Risco relativo de fratura de quadril em 5 anos. b) Razão de risco para fraturas vertebrais

Leia mais

Profª Leticia Pedroso

Profª Leticia Pedroso Profª Leticia Pedroso Sistema Endócrino O homem apresenta em seu organismo várias glândulas endócrinas (glândulas que secretam hormônios para dentro do sangue). Hormônios são mensageiros químicos responsáveis

Leia mais

Adrenais e Pâncreas endócrino. Ms. Roberpaulo Anacleto

Adrenais e Pâncreas endócrino. Ms. Roberpaulo Anacleto Adrenais e Pâncreas endócrino Ms. Roberpaulo Anacleto Anatomia Adrenal Z. Glomerular Aldosterona Cortex Z.Fasciculada Cortisol Z. Reticular Andrógenos Introdução Os Incidentalomas são tumores achados incidentalmente,

Leia mais

PROPEDÊUTICA BÁSICA DO CASAL INFÉRTIL

PROPEDÊUTICA BÁSICA DO CASAL INFÉRTIL PROPEDÊUTICA BÁSICA DO CASAL INFÉRTIL Profa. Márcia Mendonça Carneiro Departamento de Ginecologia e Obstetrícia FM-UFMG Ambulatório de Dor Pélvica Crônica e Endometriose HC- UFMG G INFERTILIDADE Incapacidade

Leia mais

OBESIDADE MÓRBIDA. 2012 doutorpinnacabral.com.br Este documento é original e não pode ser modificado!

OBESIDADE MÓRBIDA. 2012 doutorpinnacabral.com.br Este documento é original e não pode ser modificado! OBESIDADE MÓRBIDA Este documento é original e não pode ser modificado! SENTE-SE SOLITÁRIO? PESO IDEAL E IMC Peso ideal: altura X altura X 25 = Exemplo: 1.72 X 1.72 X 25 = 74 kg Excesso de peso : 89 kg

Leia mais

ADRENAL subdivisões da glândula adrenal

ADRENAL subdivisões da glândula adrenal Função adrenal ADRENAL A glândula adrenal é uma glândula endócrina (secreta hormonas na corrente sanguínea, as quais são mensageiros químicos dentro do corpo) localizada na superfície anterior do rim.

Leia mais

FISIOLOGIA HUMANA SISTEMA ENDÓCRINO

FISIOLOGIA HUMANA SISTEMA ENDÓCRINO FISIOLOGIA HUMANA 1 SISTEMA ENDÓCRINO 2 1 Visão geral Sistema endócrino: Grupo de glândulas responsáveis por regular vários órgãos dentro do corpo; Satisfazer as necessidades de crescimento e reprodução

Leia mais

FORMAS FARMACÊUTICAS E APRESENTAÇÕES FINALOP comprimidos revestidos contendo 1 mg de finasterida. Embalagens com 30 comprimidos revestidos.

FORMAS FARMACÊUTICAS E APRESENTAÇÕES FINALOP comprimidos revestidos contendo 1 mg de finasterida. Embalagens com 30 comprimidos revestidos. FINALOP finasterida 1 mg Comprimidos revestidos USO ORAL USO ADULTO FORMAS FARMACÊUTICAS E APRESENTAÇÕES FINALOP comprimidos revestidos contendo 1 mg de finasterida. Embalagens com 30 comprimidos revestidos.

Leia mais

Arimide. Informações para pacientes com câncer de mama. Anastrozol

Arimide. Informações para pacientes com câncer de mama. Anastrozol Informações para pacientes com câncer de mama. AstraZeneca do Brasil Ltda. Rod. Raposo Tavares, km 26,9 CEP 06707-000 Cotia SP ACCESS net/sac 0800 14 55 78 www.astrazeneca.com.br AXL.02.M.314(1612991)

Leia mais

SISTEMA ENDÓCRINO. Prof. Diego Ceolin

SISTEMA ENDÓCRINO. Prof. Diego Ceolin SISTEMA ENDÓCRINO Prof. Diego Ceolin INTRODUÇÃO Função: Atua juntamente com o sistema nervoso para o equilíbrio corporal ( Homeostase ) HOMEOSTASE Tendência permanente do organismo manter a constância

Leia mais