Sistema Endócrino. Introdução. Glândulas e suas secreções. 1. Hipotálamo: 2. Hipófise anterior (adeno-hipófise):

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sistema Endócrino. Introdução. Glândulas e suas secreções. 1. Hipotálamo: 2. Hipófise anterior (adeno-hipófise):"

Transcrição

1 Introdução Sistema Endócrino O sistema endócrino é composto por um grupo de tecidos especializados (glândulas) cuja função é produzir e liberar na corrente sanguínea substâncias chamadas Hormônios. Os hormônios são transportados aos seus locais de ação, em diversas partes do corpo, onde exercem efeitos reguladores sobre os processos celulares. Eles podem atuar sobre órgãos específicos (órgãos-alvo) ou sobre células distribuídas pelo corpo. A liberação de um hormônio é frequentemente desencadeada pela alteração na concentração de alguma substância nos líquidos corporais. Tal efeito, portanto, é corretivo e compreende um mecanismo de manutenção da homeostase corporal. Desta forma os hormônios realizam uma série de funções como controlar o crescimento e desenvolvimento e manter a homeostasia. Além disto, o sistema endócrino está interado com o sistema nervoso levando várias respostas para alterações nos meios internos e externos. Glândulas e suas secreções 1. Hipotálamo: a) Hormônio liberador da tireotropina b) Fator liberador de corticotropina c) Hormônio liberador de gonadotropina d) Fator liberador do Hormônio do crescimento e) Hormônio inibidor da liberação do GH f) Fator inibidor da liberação de prolactina g) Fator liberador de prolactina 2. Hipófise anterior (adeno-hipófise): a) Hormônio tireotropina b) Hormônio adrenocorticotrópico c) Hormônio folículo-estimulante d) Hormônio luteinizante Gonadotrópicos e) Hormônio prolactina f) Hormônio do crescimento Página 1 de 11

2 2. Hipófise posterior (neuro-hipófise): a) Hormônio antidiurético b) Hormônio ocitocina 3. Tireóide: a) Hormônio tireoxina b) Hormônio triiodotironina c) Hormônio calcitonina 4. Paratireóide: a) Hormônio paratireóideo (paratormônio) 5. Supra-renal (adrenais): a) Hormônio cortisol (córtex supra-renal) b) Hormônio aldosterona (córtex supra-renal) c) Hormônio adrenalina (medula supra-renal) d) Hormônio noradrenalina (medula supra-renal) 6. Ilhotas de Langerhans (pancreáticas): a) Insulina b) Glucagon 7. Ovário: a) Estrogênio b) Progesterona Página 2 de 11

3 8. Testículos: a) Testosterona 9. Pineal: a) Melatonina 10. Placenta: Apostila de Anatomia e Fisiologia Humana Sistema Endócrino - Prof. Raphael Garcia a) Gonadotropina coriônica b) Estrogênio c) Progesterona d) Lactogênio da placenta humana Classificação dos hormônios Os hormônios podem ser divididos em 2 classes principais: 1. Proteínas, peptídeos e derivados de aminoácidos. 2. Esteróides Os hormônios esteróides são os hormônios do córtex supra-renal, os hormônios sexuais femininos (estrogênio e progesterona) e os hormônios sexuais masculinos (androgênios, principalmente testosterona). Todos os outros pertencem a primeira classe mencionada. Glândula Hipotálamo Os hormônios do hipotálamo, chamados fatores liberadores ou inibidores, atuam na adenohipófise (glândula pituitária anterior) controlando a secreção dos hormônios desta glândula. A secreção de 2 dos principais hormônios da adeno-hipófise, a prolactina e o hormônio do crescimento estão sujeitos ao controle hipotalâmico por corresponderem aos fatores liberadores e inibidores secretados pelo hipotálamo. Existem liberadores hipotalâmicos correspondentes aos hormônios da adeno-hipófise, porém não existem inibidores correspondentes para todos os outros hormônios como o tireotropina, adrenocorticotrópico, folículo-estimulante e luteinizante. Estes hormônios controlam respectivamente as funções da tireóide, córtex supra-renal, ovários e testículos. Para tais hormônios que não possuem fatores inibidores hipotalâmicos, a inibição acontece por resposta (feedback) dos órgão-alvo para cessar sua atuação. O hipotálamo também exerce controle neural sobre a secreção de outros hormônios. Página 3 de 11

4 Os hormônios, antidiurético e ocitocina da neuro-hipófise e a adrenalina e noradrenalina da medula supra-renal são liberados na corrente sanguínea por estimulação de impulsos originados no hipotálamo. Portanto o hipotálamo exerce controle nervoso direto sobre a neuro-hipófise e a medula suprarenal e ainda controla via liberadores e inibidores as secreções da adeno-hipófise. Esta glândula mestre possui ainda centros controladores da temperatura do corpo e volume de seus líquidos e esta ligado por circuitos a quase todas as partes do encéfalo. Tendo em vista as várias atuações do hipotálamo, pode-se afirmar que ele controla continuamente quase todo o sistema endócrino. Glândula Hipófise A hipófise é uma massa de tecido do cerca de 1 cm de diâmetro e 0,8 g de peso em um adulto. Possui 2 divisões básicas: 1. Adeno-hipófise (glândula hipófise anterior) 2. Neuro-hipófise (glândula hipófise posterior) Glândula Neuro-hipófise A Neuro-hipófise não produz nenhum hormônio, mas funciona no armazenamento de 2 hormônios do Hipotálamo. O ocitocina e o ADH (hormônio antidiurético) são transportados do hipotálamo para a neurohipófise via neuronal e suas liberações são controladas pelos impulsos nervosos dos núcleos hipotalâmicos. Tálamo Hipotálamo Glândula Pineal Glândula Hipófise Página 4 de 11

5 ADH (Hormônio antidiurético) A ação principal do ADH é reduzir o volume e aumentar a concentração da urina pelo aumento da permeabilidade dos túbulos coletores e túbulos contornados distais dos rins a água permitindo que maiores quantidades de água sejam reabsorvidas para corrente sanguínea. Também foi observado que em altas concentrações o ADH constrita as arteríolas aumentando a pressão arterial. Esta resposta pode ser importante durante uma hemorragia grave. A velocidade de liberação do ADH é controlada pela concentração do plasma e do volume sanguíneo. Células dos núcleos hipotalâmicos funcionam como osmorreceptores regulando a concentração do líquido extracelular. Sendo assim, quando a perda excessiva de água aumenta a concentração do plasma ocasiona uma transmissão de impulsos nervosos para neuro-hipófise que libera ADH e, consequentemente conserva água. Uma hemorragia com perda de 10% do volume sanguíneo também estimulará a liberação de ADH. Uma doença associada a deficiência da neuro-hipófise é o diabetes insipidus uma doença causada pela diminuição da produção de ADH. A deficiência de ADH inibe a reabsorção de água pelos rins, o que leva a excreção de grande volume de urina, até 20 litros por dia. Hormônio Ocitocina A função da ocitocina é influenciar a lactação das mamas para liberar leite. A sucção do bebê é o estímulo para a liberação da ocitocina. Os impulsos da mama são transmitidos aos núcleos hipotalâmicos que desencadeiam a liberação da ocitocina da neuro-hipófise. A ocitocina também estimula as contrações uterinas durante o parto. Ela atua sobre a musculatura lisa do útero para manter o trabalho de parto. Glândula Adeno-hipófise Os principais hormônios da adeno-hipófise, com exceção do GH (hormônio do crescimento), controlam as atividades de glândulas-alvo específicas tireóide, córtex supra-renal, ovário, testículo e glândula mamária. Todos os hormônios da adeno-hipófise são proteínas. Hormônio estimulante da tireóide (TSH) O TSH, também chamado de tireotropina, regula o tamanho e a função da glândula tireóide e ainda a secreção dos hormônios da tireóide (tireoxina e triiodotireonina). Página 5 de 11

6 Os níveis sanguíneos de tireoxina e triiodotironina são regulados por um mecanismo de feedback (resposta), ou seja, uma elevação na concentração plasmática desses hormônios da tireóide reduz a secreção de tireotropina pela hipófise anterior. Hormônio adrenocorticotrópico (ACTH) O ACTH controla o crescimento e as funções das zonas do córtex supra-renal que sintetizam e secretam o cortisol e os hormônios esteróides similares. A secreção de ACTH é consideravelmente reduzida quando o fator liberador de corticotropina (hipotalâmico) está ausente. Um mecanismo de feedback controla a concentração plasmática desse hormônio. Hormônios gonadotrópicos O hormônio folículo-estimulante (FSH) estimula o crescimento do folículo ovariano nas mulheres, e da espermatogênese, nos homens (processo onde também participa a testosterona). O hormônio luteinizante (LH) controla a produção testicular de testosterona no homem. Na mulher, atua em conjunto com o FSH para promover a maturação do folículo ovariano e também desencadeia a ovulação. A Prolactina contribui para o desenvolvimento das glândulas mamárias (que é controlada principalmente pelo estrogênio e progesterona na presença do GH) e estimula a síntese de leite, que começa 1 dia ou 2 após o parto, em conjunção com outros hormônios. Sua liberação é controlada principalmente pelo fator inibidor da liberação de prolactina (hipotalâmico). Hormônio do crescimento (GH) O GH acelera o crescimento, aumentando o tamanho de todos os órgãos e promove o crescimento ósseo antes do fechamento das epífises. O hormônio do crescimento aumenta o comprimento dos ossos por estimular a proliferação de células cartilaginosas da zona de crescimento, eleva a síntese protéica, aumenta a concentração sérica de açúcar, ou seja, reduz a absorção de glicose pelas células e aumenta a utilização de gorduras como substrato energético. Uma baixa produção de GH na infância resulta no nanismo. E uma superprodução deste hormônio em crianças, antes do fechamento das epífises dos ossos longos resulta no gigantismo. Uma superprodução em adultos resulta em acromegalia. Tendo em vista que os ossos longos, após o fechamento das epífises, não aumentam em comprimento, os ossos esponjosos aumentam em espessura. Página 6 de 11

7 Glândula tireóide Apostila de Anatomia e Fisiologia Humana Sistema Endócrino - Prof. Raphael Garcia A Glândula tireóide é composta por 2 lobos que se dispõem de cada lado da traquéia. A tireóide é um dos órgãos mais sensíveis do corpo. Na puberdade, gravidez e estresse ela aumenta de tamanho tronando-se mais ativa. 2 hormônios responsáveis pelas funções da tireóide foram identificados. Tireoxina e triiodotireonina. Os hormônios da tireóide têm ação sobre o GH e são necessários para um desenvolvimento normal do SNC Bócio é o termo usado para descrever qualquer aumento da tireóide decorrente da deficiência de iodo, podendo esta secretar pouco, muito ou quantidades normais de hormônios. Hipertireoidismo (secreção aumentada dos hormônios da tireóide): Nesta condição, o paciente se torna excitado e nervoso, pele úmida, pulso rápido, metabolismo elevado, perda de peso, intolerância ao calor, apetite aumentado, mãos trêmulas e exoftalmia. O tratamento pode ser feito com a remoção de parte da glândula ou administração de iodo. Hipotireoidismo (secreção reduzida dos hormônios da tireóide): A forma mais grave em adultos é conhecida como mixedema, espessamento da pele em baixo dos olhos, lábios, dedos e pernas. Os sinais clínicos do mixedema são metabolismo baixo, lentidão mental, pele insensível e seca, FC e PA diminuída, ganho de peso e perda de cabelo. Cretinismo: É uma doença proveniente de deficiência tireóidea não tratada na infância caracterizada pelo retardo mental e físico, boca e língua grandes. Hormônio Calcitonina: Hormônio da tireóide que reduz rapidamente o cálcio sanguíneo. Quando a concentração de cálcio no sangue está elevada, estimula a secreção de calcitonina que inibe a reabsorção nos ossos e a liberação de cálcio. Glândulas paratireóides As Glândulas paratireóides estão localizadas na parte posterior da tireóide e normalmente são em 2 pares. Secretam o paratormônio que possui função homeostática e regula a concentração de íons cálcio nos líquidos corporais, aumentando o cálcio sanguíneo pelo aumento da reabsorção óssea. Este hormônio também aumenta a reabsorção de cálcio nos rins. O cálcio possui funções como, formação óssea, coagulação do sangue, manutenção da permeabilidade celular e da excitabilidade neuromuscular. 99% do cálcio estão contidos nos ossos. Página 7 de 11

8 Glândula Tireóide Glândulas Paratireóides Glândulas supra-renais Existem 2 glândulas supra-renais, uma superior a cada rim. Elas possuem cerca de 4 cm de comprimento e 4 g de peso. Cada glândula possui um córtex, ou porção externa, e uma medula, ou porção interna. O córtex e a medula são diferentes tanto na origem quanto na função. Córtex supra-renal 3 tipos de substâncias são secretadas pelo córtex: Aldosterona, cortisol e poucas quantidades de hormônio sexual (androgênio e estrogênio). A aldosterona tem a função primária de influenciar a excreção urinária do Na e do K. Ela aumenta a reabsorção renal dos túbulos coletores e distais ao sódio e consequentemente a reabsorção passiva de água. A reabsorção de Na é acompanhada pela secreção de K, portanto, altos níveis de potássio no sangue, o que pode ser tóxico, são consequência de uma deficiência na secreção de aldosterona. O Cortisol, entre outras funções, tem atividade antiinflamatória e antialérgica, além de influenciar o metabolismo da glicose, proteínas e lipídios. Este hormônio também estimula a glicogênese hepática a partir de aminoácidos como substrato, aumenta a glicose sanguínea e possui ação permissiva na eritropoiese. Os Androgênicos produzem masculinização. O mais importante é a testosterona, secretada pelos testículos. Os androgênicos da supra-renal possuem ação secundária. Página 8 de 11

9 Medula supra-renal Apostila de Anatomia e Fisiologia Humana Sistema Endócrino - Prof. Raphael Garcia Enquanto que os hormônios do córtex são esteróides, os da medula pertencem a uma classe de compostos chamados catecolaminas. A medula supra-renal funciona em conjunto com o sistema nervoso simpático em certas situações de emergência. Os hormônios adrenalina e noradrenalina são liberados por estímulos nervosos e os principais efeitos são cardiovascular e metabólico. O efeito dos 2 hormônios sobre o sistema cardiovascular é aumentar a FC, a força de contração ventricular, vasoconstrição na pele e na região abdominal e vasodilatação nos músculos esqueléticos. A noradrenalina é principalmente um vasoconstritor e a adrenalina é um potente estimulador cardíaco. Os efeitos metabólicos destes hormônios incluem a estimulação da quebra do glicogênio do fígado e dos músculos esqueléticos e a glicogênese no fígado para produção de energia. Glândulas Supra-renais Ilhotas pancreáticas As ilhotas pancreáticas estão distribuídas por todo o pâncreas e produzem 2 hormônios: Insulina e Glucagon. A função primária da Insulina é aumentar a utilização da glicose pelos tecidos, principalmente músculos esqueléticos, estimular a ação, no tecido adiposo, da enzima lipase e inibir a produção de glicose no fígado. Página 9 de 11

10 O fator regulador da secreção de insulina é o nível de glicose sanguínea em jejum. A secreção aumenta em resposta a um aumento no açúcar sanguíneo. O Glucagon tem efeito contrário a insulina, e seu nível sanguíneo aumenta em resposta a hipoglicemia. Este hormônio ainda aumenta a gliconeogênese no fígado. Ovários Os ovários são 2 pequenas glândulas localizadas na porção pélvica do abdome feminino. A camada externa do ovário produz os óvulos. 2 tipos de hormônios são secretados pelos ovários: O Estrogênio e a Progesterona. Suas funções são discutidas no sistema reprodutor. Testículos Os testículos são pequenas glândulas ovóides suspensas na região inguinal masculina, circundadas e suportadas pelo escroto. O hormônio secretado pelos testículos é a Testosterona, e sua função também é abordada no capítulo sobre a reprodução. Glândula Pineal A glândula pineal é um órgão pequeno, cônico, de cor cinza localizado aproximadamente no centro do encéfalo. Sua secreção é a Melatonina, um hormônio que exerce um efeito inibidor sobre as gônadas (ovário e testículo), controlando a maturação sexual. Placenta A placenta foi reconhecida como órgão endócrino após se observar que os ovários de uma mulher grávida poderiam ser retirados após 4 meses sem que houvesse o término da gravidez. Ela secreta gonadotropina coriônica humana, estrogênio, progesterona e lactogênio da placenta humana. A produção de gonadotropina coriônica se inicia quando há a fertilização e tem um momento de pico em torno da 9ª semana de gestação. Sua função é preservar o corpo lúteo do ovário e secretar estrogênio e progesterona. Os altos níveis de estrogênio durante a gestação provocam o aumento da musculatura uterina, o crescimento das mamas, alargamento dos órgãos sexuais externos e a abertura da vagina. O lactogênio, entre outras funções, estimula a glicogênese. Página 10 de 11

11 Pâncreas Ovários Testículos Página 11 de 11

Anatomia e Fisiologia Humana

Anatomia e Fisiologia Humana Introdução Boa parte do funcionamento do corpo humano depende da comunicação entre as células por meio de mensageiros químicos que viajam pelos sangue. Conjunto de células produtoras de hormônios. Hormônios

Leia mais

29/03/2012. Biologia. Principais glândulas endócrinas humanas

29/03/2012. Biologia. Principais glândulas endócrinas humanas Biologia Tema: Módulo 01: Anatomia e fisiologia Marcos Vinícius Introdução É um sistema que juntamente com o sistema nervoso atua no controle das funções gerais do nosso organismo. É representado pelos

Leia mais

SISTEMA ENDÓCRINO PROFESSOR CLERSON

SISTEMA ENDÓCRINO PROFESSOR CLERSON SISTEMA ENDÓCRINO PROFESSOR CLERSON CARACTERÍSTICAS FUNCIONAMENTO DO CORPO COMUNICAÇÃO COM CÉLULAS: AÇÃO HORMONAL LIBERAÇÃO POR DETERMINADAS CÉLULAS GLÂNDULAS ENDÓCRINAS: CÉLULAS PRODUTORAS DE HORMÔNIOS

Leia mais

Aula 23 Sistema endócrino

Aula 23 Sistema endócrino Aula 23 Sistema endócrino O sistema endócrino é formado por órgãos e tecidos que secretam hormônios. Os hormônios são lançados na corrente sangüínea e influenciam a atividade de células, órgãos ou sistemas.

Leia mais

Fisiologia do Sistema Endócrino-I

Fisiologia do Sistema Endócrino-I Curso Preparatório para Residência em Enfermagem-2012 Fisiologia do Sistema Endócrino-I Prof. Fernando Ramos Gonçalves -Msc Glândulas endócrinas: Funções: Secreções de substâncias (hormônios) que atuam

Leia mais

Profª Leticia Pedroso

Profª Leticia Pedroso Profª Leticia Pedroso Sistema Endócrino O homem apresenta em seu organismo várias glândulas endócrinas (glândulas que secretam hormônios para dentro do sangue). Hormônios são mensageiros químicos responsáveis

Leia mais

SISTEMA ENDÓCRINO SISTEMA HORMONAL

SISTEMA ENDÓCRINO SISTEMA HORMONAL SISTEMA ENDÓCRINO SISTEMA HORMONAL HORMÔNIOS 1. MENSAGEIROS QUÍMICOS PRODUZIDOS PELAS GLÂNDULAS ENDÓCRINAS. 2. REGULADORES: - (ESTIMULANTES OU INIBIDORES) - (CRESCIMENTO, METABOLISMO, REPRODUÇÃO, ETC.)

Leia mais

Existem três tipos de glândulas: endócrinas (tireóide, suprarrenal), exócrinas (lacrimais, mamárias) e anfícrinas ou mistas (pâncreas)

Existem três tipos de glândulas: endócrinas (tireóide, suprarrenal), exócrinas (lacrimais, mamárias) e anfícrinas ou mistas (pâncreas) Existem três tipos de glândulas: endócrinas (tireóide, suprarrenal), exócrinas (lacrimais, mamárias) e anfícrinas ou mistas (pâncreas) É formado pelas glândulas endócrinas Essas tem origem no tecido epitelial

Leia mais

SISTEMA ENDÓCRINO. Prof. TIAGO

SISTEMA ENDÓCRINO. Prof. TIAGO SISTEMA ENDÓCRINO Prof. TIAGO CARACTERÍSTICAS GERAIS INTEGRAÇÃO DOS SISTEMAS. CONTROLEDEATIVIDADES FISIOLOGICAS. SEMELHANTE AO SISTEMA NERVOSO. EFETUADO POR HORMÔNIOS TRANSPORTADO PELA CORRENTE SANGUINEA

Leia mais

FISIOLOGIA HUMANA III

FISIOLOGIA HUMANA III FISIOLOGIA HUMANA III UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO Profª Drª Silvia Aparecida Pieta Interação dos sistemas nervoso e endócrino Os sistemas nervoso e

Leia mais

Fisiologia humana 0 (parte IV) Hormônios e reprodução. Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.

Fisiologia humana 0 (parte IV) Hormônios e reprodução. Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms. Fisiologia humana 0 (parte IV) Hormônios e reprodução Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.br/ Sistema Endócrino Composto pelas glândulas endócrinas integra e regula

Leia mais

3) (UFABC/2009) Leia a tirinha:

3) (UFABC/2009) Leia a tirinha: Lista de Exercícios Pré Universitário Uni-Anhanguera Aluno(a): Nº. Professor: Mário Neto Série: 2 Ano Disciplina: Biologia 11) (Fuvest-1998) Uma jovem que sempre foi saudável chegou a um hospital em estado

Leia mais

Biologia. Aulas 33, 34 e 35 Setor B. Prof. Rafa

Biologia. Aulas 33, 34 e 35 Setor B. Prof. Rafa Biologia Aulas 33, 34 e 35 Setor B Prof. Rafa Tipos de glândulas: Exócrinas: com ducto de saída lacrimais, mamárias, salivares, sebáceas e sudoríparas Endócrinas: sem ducto de saída, secreções (hormônios)

Leia mais

SISTEMA ENDÓCRINO. Jatin Das VISÃO GERAL GLÂNDULAS ENDÓCRINAS

SISTEMA ENDÓCRINO. Jatin Das VISÃO GERAL GLÂNDULAS ENDÓCRINAS SISTEMA ENDÓCRINO Jatin Das VISÃO GERAL GLÂNDULAS ENDÓCRINAS As glândulas endócrinas mais importantes são: 1. hipófise; 2. tireóide; 3. paratireóides; 4. supra-renais; 5. ilhotas de Langerhans do pâncreas;

Leia mais

Sistema Endócrino. Introdução

Sistema Endócrino. Introdução Introdução A coordenação das funções do organismo é feita pelos sistemas nervoso e endócrino. Este é formado pelo conjunto das glândulas, que produzem os hormônios, substâncias lançadas no sangue que influenciam

Leia mais

Sistema Endócrino É UM SISTEMA SOFISTICADO E SENSÍVEL FORMADO POR VÁRIOS ÓRGÃOS OU

Sistema Endócrino É UM SISTEMA SOFISTICADO E SENSÍVEL FORMADO POR VÁRIOS ÓRGÃOS OU SISTEMA ENDRÓCRINO Sistema Endócrino É UM SISTEMA SOFISTICADO E SENSÍVEL FORMADO POR VÁRIOS ÓRGÃOS OU GLÂNDULAS DIFERENTES QUE SECRETAM HORMÔNIOS. OS HORMÔNIOS SÃO MENSAGEIROS QUÍMICOS,GERALMENTE TRANSPORTADOS

Leia mais

Sistema neuro-hormonal

Sistema neuro-hormonal Sistema neuro-hormonal O que é o sistema neuro-hormonal? Qualquer alteração no exterior ou no interior do corpo corresponde a um Estímulo que provoca uma resposta do sistema neurohormonal. Como funciona

Leia mais

SISTEMA ENDÓCRINO. Prof. Me. Leandro Parussolo

SISTEMA ENDÓCRINO. Prof. Me. Leandro Parussolo SISTEMA ENDÓCRINO Prof. Me. Leandro Parussolo Sistema Endócrino Função de garantir o fluxo de informações entre diferentes cells, permitindo a integração funcional de todo o organismo; Garantir a reprodução;

Leia mais

Exercícios de Coordenação Endócrina

Exercícios de Coordenação Endócrina Exercícios de Coordenação Endócrina 1. (UFABC) Leia a tirinha: Material de apoio do Extensivo Enquanto o futuro não chega, diabéticos controlam a glicemia através de injeções diárias de insulina ou mesmo

Leia mais

ANATOMIA DOS ANIMAIS DOMÉSTICOS Sistema Endócrino

ANATOMIA DOS ANIMAIS DOMÉSTICOS Sistema Endócrino ANATOMIA DOS ANIMAIS DOMÉSTICOS Sistema Endócrino O sistema nervoso e as glândulas endócrinas são os dois principais mecanismos de comunicação e coordenação do corpo humano. Eles regulam quase todos os

Leia mais

Tema 07: Glândulas Endócrinas

Tema 07: Glândulas Endócrinas Universidade Federal do Amazonas ICB Dep. Morfologia Disciplina: Tópicos Especiais para Biotecnologia Tema 07: Glândulas Endócrinas Função Produção de hormônios; 1 Constituição Controle da homeostase;

Leia mais

Universidade Castelo Branco Bases Anatomofisiológicas do Corpo Humano I Estudo Morfofuncional do Sistema Endócrino (Glândulas Endócrinas) Unidade IV

Universidade Castelo Branco Bases Anatomofisiológicas do Corpo Humano I Estudo Morfofuncional do Sistema Endócrino (Glândulas Endócrinas) Unidade IV 1 Universidade Castelo Branco Bases Anatomofisiológicas do Corpo Humano I Estudo Morfofuncional do Sistema Endócrino (Glândulas Endócrinas) Unidade IV Visão Geral do Sistema das Glândulas Endócrinas Introdução

Leia mais

Hipófise (ou glândula Pituitária)

Hipófise (ou glândula Pituitária) Sistema Hormonal Sistema Hormonal O sistema endócrino é formado pelo conjunto de glândulas endócrinas, as quais são responsáveis pela secreção de substância denominadas hormonas. As glândulas endócrinas

Leia mais

Sistema endócrino. Apostila 3 Página 22

Sistema endócrino. Apostila 3 Página 22 Sistema endócrino Apostila 3 Página 22 Sistema mensageiro Hormônios: informacionais, produzidas pelas glândulas endócrinas e distribuídas pelo sangue. Órgão-alvo: reage ao estímulo do hormônio. Sistema

Leia mais

10/06/2013 GLÂNDULAS ENDÓCRINAS GLÂNDULAS ENDÓCRINAS (NAV) Tireóide Paratireóide Hipófise Pineal Adrenal Ilhotas pancreáticas Timo

10/06/2013 GLÂNDULAS ENDÓCRINAS GLÂNDULAS ENDÓCRINAS (NAV) Tireóide Paratireóide Hipófise Pineal Adrenal Ilhotas pancreáticas Timo UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Campus Curitibanos Medicina Veterinária ANATOMIA II (NAV) Tireóide Paratireóide Pineal Adrenal Ilhotas pancreáticas Timo Profa. Rosane Silva glândulas de secreção

Leia mais

Sistema endócrino + Sistema nervoso. integração e controle das funções do organismo

Sistema endócrino + Sistema nervoso. integração e controle das funções do organismo Sistema endócrino Sistema endócrino + Sistema nervoso integração e controle das funções do organismo Sistema endócrino Conjunto de glândulas endócrinas que secretam hormônio Relembrando Glândulas que liberam

Leia mais

ZOOLOGIA E HISTOLOGIA ANIMAL

ZOOLOGIA E HISTOLOGIA ANIMAL ZOOLOGIA E HISTOLOGIA ANIMAL Sistema Endócrino Prof. Fernando Stuchi Introdução Os mensageiros químicos do corpo (hormônios) são produzidos pelas glândulas endócrinas ou glândulas de secreção interna,

Leia mais

10/09/2015. Glândula pineal. Hormônio Melatonina : produzido à noite, na ausência de luz. Crescimento; Regulação do sono; CONTROLE HORMONAL

10/09/2015. Glândula pineal. Hormônio Melatonina : produzido à noite, na ausência de luz. Crescimento; Regulação do sono; CONTROLE HORMONAL Glândulas endócrinas e tecidos que secretam hormônios; Coordena funções do organismo CONTROLE HORMONAL S. Nervoso + S. endócrino = Homeostase Mensageiros químicos; Atuam em um tecido ou órgão alvo específico;

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Ciências Aeronáuticas. Sistema Endócrino. Prof. Raimundo Júnior M.Sc.

Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Ciências Aeronáuticas. Sistema Endócrino. Prof. Raimundo Júnior M.Sc. Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Ciências Aeronáuticas Sistema Endócrino Prof. Raimundo Júnior M.Sc. Sistema Hormonal atua como um sistema de controle e regulação (assim como o

Leia mais

XIV O Sistema Endócrino

XIV O Sistema Endócrino 103 XIV O Sistema Endócrino a. HORMÔNIOS: São substâncias químicas produzidas por um grupo de células, numa parte do corpo e, secretadas na corrente sangüíneas, controlam ou ajudam no controle de outras

Leia mais

Sistema Endócrino: controle hormonal

Sistema Endócrino: controle hormonal Sistema Endócrino: controle hormonal Todos os processos fisiológicos estudados até agora, como digestão, respiração, circulação e excreção, estão na dependência do sistema que fabrica os hormônios. O sistema

Leia mais

SISTEMA ENDÓCRINO. Prof. Diego Ceolin

SISTEMA ENDÓCRINO. Prof. Diego Ceolin SISTEMA ENDÓCRINO Prof. Diego Ceolin INTRODUÇÃO Função: Atua juntamente com o sistema nervoso para o equilíbrio corporal ( Homeostase ) HOMEOSTASE Tendência permanente do organismo manter a constância

Leia mais

Excreção. Manutenção do equilíbrio de sal, água e remoção de excretas nitrogenadas.

Excreção. Manutenção do equilíbrio de sal, água e remoção de excretas nitrogenadas. Fisiologia Animal Excreção Manutenção do equilíbrio de sal, água e remoção de excretas nitrogenadas. Sistema urinario Reabsorção de açucar, Glicose, sais, água. Regula volume sangue ADH: produzido pela

Leia mais

Glândulas endócrinas:

Glândulas endócrinas: SISTEMA ENDOCRINO Glândulas endócrinas: Funções: Secreções de substâncias (hormônios) que atuam sobre célula alvo Regulação do organismo (homeostase) Hormônios: Substâncias químicas que são produzidas

Leia mais

CONTROLE E INTEGRAÇÂO

CONTROLE E INTEGRAÇÂO CONTROLE E INTEGRAÇÂO A homeostase é atingida através de uma série de mecanismos reguladores que envolve todos os órgãos do corpo. Dois sistemas, entretanto, são destinados exclusivamente para a regulação

Leia mais

Sistema Endócrino Sistema Endócrino Sistema Endócrino Sistema Endócrino Sistema Endócrino Sistema Endócrino Mensagem Química: Hormônios Os hormônios são substâncias químicas liberadas na corrente sanguínea

Leia mais

d) uma célula é alvo apenas para um dado hormônio e) uma determinada função pode ser controlada por vários hormônios

d) uma célula é alvo apenas para um dado hormônio e) uma determinada função pode ser controlada por vários hormônios Fisiologia Endócrina - Bloco 1 de exercícios 1. O mecanismo de feedback ou retroação é o principal meio regulador da secreção das glândulas endócrinas. Um exemplo de feedback negativo é: a) aumento da

Leia mais

SISTEMA ENDÓCRINO. Ornólia Paracampos

SISTEMA ENDÓCRINO. Ornólia Paracampos SISTEMA ENDÓCRINO Ornólia Paracampos CARACTERÍSTICAS Sistema de regulação e integração de funções O mediador químico é um hormônio Alcança o alvo via sangue Aã Ação mais lenta e mais duradoura d São glândulas

Leia mais

Sistema Endócrino II - Hormônios

Sistema Endócrino II - Hormônios Ciências Morfofuncionais III Sistema Endócrino II - Hormônios Natureza, química e funções Professores: Felipe, Jean-Pierre e Olivia Endocrinologia Estudo das secreções internas do organismo Hormônios São

Leia mais

22.05. O tipo básico de tecido epitelial é o de revestimento sendo os demais tecidos epiteliais (glandular e neuroepitélio) derivados desse.

22.05. O tipo básico de tecido epitelial é o de revestimento sendo os demais tecidos epiteliais (glandular e neuroepitélio) derivados desse. BIO 8E aula 22 22.01. O tecido epitelial de revestimento é pobre em substância intercelular e avascular. Existe também o tecido epitelial glandular que é derivado do tecido epitelial de revestimento. O

Leia mais

SISTEMA ENDÓCRINO. Prof. André Maia

SISTEMA ENDÓCRINO. Prof. André Maia SISTEMA ENDÓCRINO O sistema endócrino e formado pelo conjunto de glândulas endócrinas, as quais são responsáveis pela secreção de substancias denominadas hormônios. As glândulas endócrinas (do grego endos,

Leia mais

SISTEMA ENDÓCRINO. Hipotálamo Paratireóide

SISTEMA ENDÓCRINO. Hipotálamo Paratireóide INTRODUÇÃO O sistema endócrino é composto por um grupo de tecidos especializados chamados glândulas cuja função é produzir e liberar na corrente sanguínea substâncias chamadas s. Os hormônios são transportados

Leia mais

Curso: Integração Metabólica

Curso: Integração Metabólica Curso: Integração Metabólica Aula 7: Suprarrenal e tireoide Prof. Carlos Castilho de Barros Algumas pessoas podem apresentar distúrbios que provocam a obesidade. Estórias como Eu como pouco mas continuo

Leia mais

GLICOCORTICÓIDES PRINCIPAIS USOS DOS FÁRMACOS INIBIDORES DOS ESTERÓIDES ADRENOCORTICAIS

GLICOCORTICÓIDES PRINCIPAIS USOS DOS FÁRMACOS INIBIDORES DOS ESTERÓIDES ADRENOCORTICAIS GLICOCORTICÓIDES - Hormônios esteroidais: Hormônios sexuais e Hormônios do Córtex da Adrenal. - Hormônios do Córtex da Adrenal: o Adrenocorticosteróides [glicocorticóides e (cortisol) e Mineralocorticóides

Leia mais

Brígida Ferrão. 10 de Outubro de 2014

Brígida Ferrão. 10 de Outubro de 2014 Brígida Ferrão 10 de Outubro de 2014 DEFINIÇÃO Sistema Endócrino conjunto de orgãos e tecidos que produzem hormonas, libertadas na corrente sanguínea e que controlam outros orgãos alvo Envelhecimento tecidos

Leia mais

Embriologia e Histologia Animal II

Embriologia e Histologia Animal II Embriologia e Histologia Animal II HISTOFISIOLOGIA DO SISTEMA ENDÓCRINO Daniela dos Santos Brum Glândulas endócrinas Secretam seus produtos (moléculas biologicamente ativas) HORMÔNIOS Corrente sanguínea

Leia mais

Sistema endócrino I. As células produtoras de hormônios estão geralmente reunidas em órgãos denominados glândulas endócrinas.

Sistema endócrino I. As células produtoras de hormônios estão geralmente reunidas em órgãos denominados glândulas endócrinas. RESUMO DE AULA Sistema endócrino I O funcionamento e equilíbrio fisiológico do corpo humano dependem em parte da comunicação entre as células por meio de mensageiros químicos denominados de hormônios.

Leia mais

FISIOLOGIA HUMANA SISTEMA ENDÓCRINO

FISIOLOGIA HUMANA SISTEMA ENDÓCRINO FISIOLOGIA HUMANA 1 SISTEMA ENDÓCRINO 2 1 Visão geral Sistema endócrino: Grupo de glândulas responsáveis por regular vários órgãos dentro do corpo; Satisfazer as necessidades de crescimento e reprodução

Leia mais

Fisiologia I CÓRTEX ADRENAL. Prof. Élio Waichert Júnior 1

Fisiologia I CÓRTEX ADRENAL. Prof. Élio Waichert Júnior 1 CÓRTEX ADRENAL Prof. Élio Waichert Júnior 1 Córtex adrenal Colesterol Hormônios corticosteróides Mineralocorticóides Glicocorticóides Hormônios androgênicos Afetam os eletrólitos (sódio, potássio) Afetam

Leia mais

Profa. Dra. Milena Araújo Tonon Corrêa 1

Profa. Dra. Milena Araújo Tonon Corrêa 1 Profa. Dra. Milena Araújo Tonon Corrêa 1 Hormônios 2 HORMÔNIOS DA HIPÓFISE E DO HIPOTÁLAMO Quanto a sua origem os hormônios da hipófise e hipotálamo podem ser classificados em : - Hormônios da hipófise

Leia mais

O aumento das concentrações de prolactina pode ocorrer em várias situações, sejam elas fisiológicas ou patológicas.

O aumento das concentrações de prolactina pode ocorrer em várias situações, sejam elas fisiológicas ou patológicas. Hiperprolactinemia A hiperprolactinemia é alteração endocrinológica mais comum que ocorre no sistema nervoso central, sendo mais comum no sexo feminino. Além disso, é uma causa freqüente de infertilidade.

Leia mais

Fisiologia do sistema endócrino: hipotálamo e hipófise

Fisiologia do sistema endócrino: hipotálamo e hipófise Fisiologia do sistema endócrino: hipotálamo e hipófise Prof. Kellen Brunaldi Universidade Estadual de Maringá, Departamento de Ciências Fisiológicas Curso: Odontologia Silverthorn, Capítulo 7. Roteiro

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL - UNISC DEPARTAMENTO DE FARMÁCIA DISCIPLINA DE FISIOLOGIA GERAL HORMÔNIOS MASCULINOS

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL - UNISC DEPARTAMENTO DE FARMÁCIA DISCIPLINA DE FISIOLOGIA GERAL HORMÔNIOS MASCULINOS UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL - UNISC DEPARTAMENTO DE FARMÁCIA DISCIPLINA DE FISIOLOGIA GERAL HORMÔNIOS MASCULINOS Andiara Onizzolo Marques Isadora Schmachtenberg Manoela Zaccani Maristela Ullrich

Leia mais

Anatomia e Fisiologia Animal Sistema Endócrino. Profa. Valdirene Zabot Unochapecó

Anatomia e Fisiologia Animal Sistema Endócrino. Profa. Valdirene Zabot Unochapecó Anatomia e Fisiologia Animal Sistema Endócrino Profa. Valdirene Zabot Unochapecó Sistema de Comunicação Corpórea: Endócrino Nervoso Produtos = Hormônios: ajudam a enviar informações para outras células

Leia mais

Aluno (a): Turma: Data: / / Lista de exercícios de Ciências 8º ano

Aluno (a): Turma: Data: / / Lista de exercícios de Ciências 8º ano Aluno (a): Turma: Data: / / Lista de exercícios de Ciências 8º ano 1. Na pirâmide alimentar, que alimentos precisam ser consumidos em maior quantidade? a) Carboidratos complexos, como alimentos integrais

Leia mais

Sistema Endócrino. Objetivo da Aula. Anatomia I. Aula 10 p. 76

Sistema Endócrino. Objetivo da Aula. Anatomia I. Aula 10 p. 76 Sistema Endócrino Objetivo da Aula Compreender a divisão, forma e função do sistema endócrino. Adquirir a capacidade de aplicar este conhecimento na prática acadêmica e profissional da Educação Física.

Leia mais

Biologia Fascículo 02 Juvenal Carlos Schalch

Biologia Fascículo 02 Juvenal Carlos Schalch Biologia Fascículo 02 Juvenal Carlos Schalch Índice Fisiologia Animal II... 1 Sistema nervoso... 1 Sistema excretor... 5 Sistema endócrino... 8 Exercícios... 12 Gabarito... 15 Fisiologia Animal II Sistema

Leia mais

Hormônios Metabólicos da

Hormônios Metabólicos da Hormônios Metabólicos da Tireóide Tireóide Produz Calcitoninahomeostasia de CA Produz hormôniocolóide [Ca +2 ] plasmática (inibe osteoclastos) [Ca +2 ] plasmática Síntese dos Hormônios Capilar Bomba de

Leia mais

BIOLOGIA FRENTE 3 CADERNO TETRA 4

BIOLOGIA FRENTE 3 CADERNO TETRA 4 BIOLOGIA FRENTE 3 CADERNO TETRA 4 1 Caro(a) professor(a), O Manual do Professor constitui uma importante ferramenta para o uso dos cadernos de sala da Coleção Pré-vestibular do Sistema de Ensino Poliedro

Leia mais

BIOLOGIA - 3 o ANO MÓDULO 18 SISTEMA ENDÓCRINO PARTE 1

BIOLOGIA - 3 o ANO MÓDULO 18 SISTEMA ENDÓCRINO PARTE 1 BIOLOGIA - 3 o ANO MÓDULO 18 SISTEMA ENDÓCRINO PARTE 1 Paratireoides Tireoide Hipófise Timo Pâncreas Cápsulas suprarrenais ilhotas pancreáticas Testículos (no homem) Ovários (na mulher) glândula tireoide

Leia mais

Fisiologia do Sistema Reprodutor Masculino. Carla Cristina Zeppenfeld Doutoranda Zootecnia

Fisiologia do Sistema Reprodutor Masculino. Carla Cristina Zeppenfeld Doutoranda Zootecnia Fisiologia do Sistema Reprodutor Masculino Carla Cristina Zeppenfeld Doutoranda Zootecnia Introdução Durante a gestação, a diferenciação sexual se dá ou não pela presença do hormônio antimülleriano e da

Leia mais

Alterações Hormonais no Estresse

Alterações Hormonais no Estresse Alterações Hormonais no Estresse Na reação simpática da Fase de Alarme do Estresse é onde ocorre maior secreção de hormônios anti-inflamatórios, como por exemplo, um dos corticosteroides, a desoxicorticosterona,

Leia mais

INTRODUÇÃO AO ESTUDO FISIOLOGIA DI SISTEMA NERVOSO AUTONOMO. Fundamentos da organização morfo-funcional do SNA.

INTRODUÇÃO AO ESTUDO FISIOLOGIA DI SISTEMA NERVOSO AUTONOMO. Fundamentos da organização morfo-funcional do SNA. INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA FISIOLOGIA DI SISTEMA NERVOSO AUTONOMO Fundamentos da organização morfo-funcional do SNA. Obs: O texto abaixo apresenta caráter introdutório, dessa forma, não substitui as aulas

Leia mais

Comportamento sexual está intimamente relacionado ao comportamento reprodutivo; Influenciado por vários fatores fisiológicos e comportamentais;

Comportamento sexual está intimamente relacionado ao comportamento reprodutivo; Influenciado por vários fatores fisiológicos e comportamentais; Curso - Psicologia Disciplina: Bases Biológicas do Comportamento Resumo Aula - Comportamento Reprodutivo Comportamento Reprodutivo Comportamento sexual está intimamente relacionado ao comportamento reprodutivo;

Leia mais

ABORDAGEM MORFOFUNCIONAL DO SISTEMA ENDÓCRINO

ABORDAGEM MORFOFUNCIONAL DO SISTEMA ENDÓCRINO ABORDAGEM MORFOFUNCIONAL DO SISTEMA ENDÓCRINO Djanira Aparecida da Luz Veronez 1 Michele Patrícia Müller Mansur Vieira 2 Neysa Aparecida Tinoco Regattieri 3 INTRODUÇÃO O sistema endócrino é constituído

Leia mais

Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) Em Bovinos Leiteiros

Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) Em Bovinos Leiteiros Gado de Leite 1/35 Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) Em Bovinos Leiteiros Erick Fonseca de Castilho Doutor em Reprodução Animal (UFV/MG) efcmv@yahoo.com.br 2/35 Introdução Cronologia dos conceitos

Leia mais

Fluxo sanguíneo - 21% do débito cardíaco.

Fluxo sanguíneo - 21% do débito cardíaco. Função renal: excreção, controle do volume e composição dos líquidos corporais. Composto por um par de rins, um par de ureteres, pela bexiga urinária e pela uretra. Os rins situam-se na parte dorsal do

Leia mais

ZONA DE SOBREVIVÊNCIA. Conforto Térmico. Gráfico 1: Variações da temperatura corporal de um animal homeotérmico em função da temperatura ambiente.

ZONA DE SOBREVIVÊNCIA. Conforto Térmico. Gráfico 1: Variações da temperatura corporal de um animal homeotérmico em função da temperatura ambiente. ZONA DE SOBREVIVÊNCIA Hipotermia HOMEOTERMIA Homeotermia (HOMEOSTASIA) Hipertermia ou Homeostasia Termogênese Termoneutralidade Zona de Conforto Térmico Temperatura corporal TI TCIn Zona de TCS Termoneutralidade

Leia mais

SISTEMA ENDÓCRINO - HORMONAL

SISTEMA ENDÓCRINO - HORMONAL SISTEMA ENDÓCRINO - HORMONAL As funções corporais são reguladas por dois grandes sistemas de controle: 1. Sist. Nervoso 2. Sist. Hormonal ou Endócrino envolvido com: - diferentes funções metabólicas -

Leia mais

ANATOMIA I Profª Ingrid Frederico Barreto ICA 1 ESTUDO DIRIGIDO: OSSOS. Objetivo: Ajudar o estudante a rever os conteúdos de forma aplicada.

ANATOMIA I Profª Ingrid Frederico Barreto ICA 1 ESTUDO DIRIGIDO: OSSOS. Objetivo: Ajudar o estudante a rever os conteúdos de forma aplicada. ANATOMIA I Profª Ingrid Frederico Barreto ICA 1 ESTUDO DIRIGIDO: OSSOS Objetivo: Ajudar o estudante a rever os conteúdos de forma aplicada. 1. Liste todos os ossos do esqueleto axial. 2. Liste todos os

Leia mais

Rota de Aprendizagem 2015/16 9.º Ano

Rota de Aprendizagem 2015/16 9.º Ano Ciências Naturais CienTic Projeto 1 Qual é a importância da saúde e quais são as estratégias para a promover? Tempo Previsto: 3 quinzenas do 1ºPeríodo 1.ª Fase: Saúde e qualidade de vida da população.

Leia mais

SISTEMA REPRODUTOR. Sistema reprodutor feminino

SISTEMA REPRODUTOR. Sistema reprodutor feminino SISTEMA REPRODUTOR A reprodução é de importância tremenda para os seres vivos, pois é por meio dela que os organismos transmitem suas características hereditariamente e garantem a sobrevivência de suas

Leia mais

Introdução. Renata Loretti Ribeiro - Enfermeira

Introdução. Renata Loretti Ribeiro - Enfermeira Introdução O sistema urinário é constituído pelos órgãos uropoéticos, isto é, incumbidos de elaborar a urina e armazená- la temporariamente até a oportunidade de ser eliminada para o exterior. Na urina

Leia mais

Vestibular1 A melhor ajuda ao vestibulando na Internet Acesse Agora! www.vestibular1.com.br HORMÔNIOS

Vestibular1 A melhor ajuda ao vestibulando na Internet Acesse Agora! www.vestibular1.com.br HORMÔNIOS HORMÔNIOS Hormônio, substância produzida pelos animais e vegetais para regular processos corporais, tais como o crescimento, o metabolismo, a reprodução e o funcionamento dos diversos órgãos. Nos animais,

Leia mais

FISIOLOGIA DO EIXO HIPOTÁLAMO- HIPOFISÁRIO

FISIOLOGIA DO EIXO HIPOTÁLAMO- HIPOFISÁRIO FISIOLOGIA DO EIXO - HIPOFISÁRIO Letícia Lotufo Histórico: Sec. XI d.c. Galeno - primeiras evidências da associação íntima entre o hipotálamo e a hipófise 1920 Lewi & Greving Identificação do trato hipotalâmico-hipofisário

Leia mais

SISTEMA HIPOTÁLAMO- HIPÓFISE. Prof. Dra. Lucila L K Elias

SISTEMA HIPOTÁLAMO- HIPÓFISE. Prof. Dra. Lucila L K Elias SISTEMA HIPOTÁLAMO- HIPÓFISE Prof. Dra. Lucila L K Elias TÓPICOS Unidade hipotalâmica-hipofisária Eixos hipotálamo-hipófise-glândula-alvo Hormônios hipofisiotróficos Retroalimentação negativa Hipófise

Leia mais

HIPOTÁLAMO E HIPÓFISE. Introdução à Endocrinologia

HIPOTÁLAMO E HIPÓFISE. Introdução à Endocrinologia HIPOTÁLAMO E HIPÓFISE Introdução à Endocrinologia GENERALIDADES SOBRE HORMÔNIOS CONCEITO Hormônios são substâncias que funcionam como mensageiras inter-celulares CLASSIFICAÇÃO DOS HORMÔNIOS PROTÉICOS Formados

Leia mais

Hipófise. 1.1. Relações anatômicas. Hipotálamo interface entre os sistemas nervoso e endócrino. Remoção cirúrgica morte 1 a 2 dias

Hipófise. 1.1. Relações anatômicas. Hipotálamo interface entre os sistemas nervoso e endócrino. Remoção cirúrgica morte 1 a 2 dias 1. CARACTERÍSTICAS GERAIS DO SISTEMA HIPOTÂMICO HIPÓFISÁRIO 1.1. Relações anatômicas Hipófise Hipotálamo interface entre os sistemas nervoso e endócrino Infundíbulo Controla a função hipofisária através

Leia mais

FISIOLOGIA ENDÓCRINA

FISIOLOGIA ENDÓCRINA EXERCÍCIOS DE APRENDIZAGEM FISIOLOGIA ENDÓCRINA 01. Os chamados hormônios trópicos da hipófise são aqueles que estimulam: a) o desenvolvimento e a função de outras glândulas b) a produção e a eliminação

Leia mais

CIÊNCIAS E PROGRAMA DE SAÚDE

CIÊNCIAS E PROGRAMA DE SAÚDE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO CIÊNCIAS E PROGRAMA DE SAÚDE 14 CEEJA MAX DADÁ GALLIZZI PRAIA GRANDE - SP ACREDITE EM VOCÊ Profª Elaine Terroso Esse material foi elaborado

Leia mais

CONTROLE FISIOLÓGICO DA FILTRAÇÃO GLOMERULAR E DO FLUXO SANGUÍNEO RENAL

CONTROLE FISIOLÓGICO DA FILTRAÇÃO GLOMERULAR E DO FLUXO SANGUÍNEO RENAL Prof. Hélder Mauad CONTROLE FISIOLÓGICO DA FILTRAÇÃO GLOMERULAR E DO FLUXO SANGUÍNEO RENAL São variáveis e sujeitas a controle fisiológico São variáveis e sujeitas a controle fisiológico 1. Sistema Nervoso

Leia mais

ZOOLOGIA E HISTOLOGIA ANIMAL

ZOOLOGIA E HISTOLOGIA ANIMAL ZOOLOGIA E HISTOLOGIA ANIMAL Sistema Endócrino Prof. Fernando Stuchi Introdução à Endocrinologia As múltiplas atividades das células, tecidos e órgãos do corpo são coordenadas pelo inter-relacionamento

Leia mais

Unidade II Vida e ambiente Aula 5.2 Conteúdo: Sistema Endócrino.

Unidade II Vida e ambiente Aula 5.2 Conteúdo: Sistema Endócrino. Unidade II Vida e ambiente Aula 5.2 Conteúdo: Sistema Endócrino. Habilidade: Conhecer as principais glândulas endócrinas humanas e seus respectivos hormônios. Sistema Sensorial São os órgãos capazes de

Leia mais

Fisiologia da Adrenal

Fisiologia da Adrenal Fisiologia da Adrenal Profa. Letícia Lotufo Glândula Adrenal: Porção externa córtex 80 a 90% Tecido mesodérmico Porção interna medula 10 a 20% Tecido neurodérmico 1 Adrenal histologia: Zona glomerulosa

Leia mais

Neuroendocrinologia. Sistemas neuroendócrinos no cérebro dos peixes. Eixo hipotálamo - hipófise - glândulas-alvo

Neuroendocrinologia. Sistemas neuroendócrinos no cérebro dos peixes. Eixo hipotálamo - hipófise - glândulas-alvo Neuroendocrinologia Sistemas neuroendócrinos no cérebro dos peixes Eixo hipotálamo - hipófise - glândulas-alvo Neuro-endocrinologia O campo de neuro-endocrinologia - papel significante no entendimento

Leia mais

Estrutura adrenal. Função da medula adrenal. Função da medula adrenal. Funções do córtex adrenal. Funções do córtex adrenal. Funções do córtex adrenal

Estrutura adrenal. Função da medula adrenal. Função da medula adrenal. Funções do córtex adrenal. Funções do córtex adrenal. Funções do córtex adrenal Estrutura adrenal Função da medula adrenal O córtex compreende a zona glomerulosa, secretora dos minelocorticóides, e a zona reticulada, secretora de glicocorticóides e dos androgênios adrenais. A medula

Leia mais

FISIOLOGIA ENDÓCRINA. Aula Fisiologia da Tireóide

FISIOLOGIA ENDÓCRINA. Aula Fisiologia da Tireóide UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Programa de Pós-Graduação em Ciências Fisiológicas Lab. Regulação Central do Sistema Cardiovascular Prof. Hélder Mauad FISIOLOGIA ENDÓCRINA Aula Fisiologia da Tireóide

Leia mais

Módulo II.III- Fisiologia. Bibliografia: Textbook of Medical Phisiology, Guyton, A. e Hall, J. 11ª Edição, págs. 918-930

Módulo II.III- Fisiologia. Bibliografia: Textbook of Medical Phisiology, Guyton, A. e Hall, J. 11ª Edição, págs. 918-930 Módulo II.III- Fisiologia Tema da Aula: Hipófise Docente: Dr. Eduardo Teles Martins Data: 09/12/2008 Número da Aula Previsto: 17 Desgravador: Ana Rita Antão Corrector: Gonçalo Santos www.comissaodecurso0713fml.blogspot.com

Leia mais

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 43 MÉTODOS CONTRACEPTIVOS

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 43 MÉTODOS CONTRACEPTIVOS BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 43 MÉTODOS CONTRACEPTIVOS Como pode cair no enem? (UFC) A pílula do dia seguinte é composta de hormônios, os mesmos da pílula anticoncepcional comum, só que em doses mais elevadas.

Leia mais

FACULDADE DE FARMÁCIA DA UNIVERSIDADE DE LISBOA. Bases Fisiológicas da Sede, Fome e Saciedade Fisiologia Humana

FACULDADE DE FARMÁCIA DA UNIVERSIDADE DE LISBOA. Bases Fisiológicas da Sede, Fome e Saciedade Fisiologia Humana FACULDADE DE FARMÁCIA DA UNIVERSIDADE DE LISBOA Bases Fisiológicas da Sede, Fome e Saciedade Fisiologia Humana Enquadramento A alimentação garante a sobrevivência do ser humano Representa uma fonte de

Leia mais

Reologia e Mecanismos de Edema

Reologia e Mecanismos de Edema Conceitos Reologia é o estudo do fluxo. Um aspecto importante a ser considerado é a viscosidade sanguínea, que diz respeito à maior ou menor facilidade de fluxo, maior ou menor atrito durante o fluxo sanguíneo.

Leia mais

ANATOMIA HUMANA. Faculdade Anísio Teixeira Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto

ANATOMIA HUMANA. Faculdade Anísio Teixeira Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto ANATOMIA HUMANA Faculdade Anísio Teixeira Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto Sistema Urinário Conceito As atividades metabólicas resultam na decomposição de proteínas, lipídeos e carboidratos.

Leia mais

APARELHO EXCRETOR HUMANO

APARELHO EXCRETOR HUMANO Disciplina: Biologia Série: 2ª série EM - 1º TRIM Professora: Ivone Azevedo da Fonseca Assunto: Aparelho Excretor Humano APARELHO EXCRETOR HUMANO O descarte dos produtos indesejáveis e a regulação hidrossalina

Leia mais

Mensageiros Químicos. Introdução: As Comunicações entre as células: 3 Tipos de Moléculas: Receptores:

Mensageiros Químicos. Introdução: As Comunicações entre as células: 3 Tipos de Moléculas: Receptores: Introdução: A célula é uma entidade isolada em sua própria membrana, bem como as suas organelas que também se encontram envoltas em sua próprias membranas, separando-as do restante da célula. Desta forma

Leia mais

Mas por que só pode entrar um espermatozóide no óvulo???

Mas por que só pode entrar um espermatozóide no óvulo??? Mas por que só pode entrar um espermatozóide no óvulo??? Lembre-se que os seres humanos só podem ter 46 cromossomos, sendo um par sexual, por exemplo: se dois espermatozóides com cromossomo sexual X e

Leia mais

Controle da Osmolalidade dos Líquidos Corporais

Controle da Osmolalidade dos Líquidos Corporais Controle da Osmolalidade dos Líquidos Corporais Qual é a faixa normal de osmolalidade plasmática? 260-290 - 310 mosm/kg H 2 0 Super-hidratação Desidratação NORMAL Osmolalidade é uma função do número total

Leia mais

Tópicos da Aula. Classificação CHO. Processo de Digestão 24/09/2012. Locais de estoque de CHO. Nível de concentração de glicose no sangue

Tópicos da Aula. Classificação CHO. Processo de Digestão 24/09/2012. Locais de estoque de CHO. Nível de concentração de glicose no sangue Universidade Estadual Paulista DIABETES E EXERCÍCIO FÍSICO Profª Dnda Camila Buonani da Silva Disciplina: Atividade Física e Saúde Tópicos da Aula 1. Carboidrato como fonte de energia 2. Papel da insulina

Leia mais

COLÉGIO SÃO PAULO Rio de Janeiro, junho/2014.

COLÉGIO SÃO PAULO Rio de Janeiro, junho/2014. COLÉGIO SÃO PAULO Rio de Janeiro, junho/2014. ENSINO MÉDIO RECUPERAÇÃO PARALELA PARCIAL ORIENTAÇÃO DE ESTUDO DISCIPLINA: Biologia (2ª série) PROFESSOR: Priscila Temas/Capítulos - Cap 12 Núcleo, divisões

Leia mais