Complicações Metabólicas da Terapia Anti-retroviral

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Complicações Metabólicas da Terapia Anti-retroviral"

Transcrição

1 Complicações Metabólicas da Terapia Anti-retroviral Dra. Daisy Maria Machado Universidade Federal de São Paulo Centro de Referência e Treinamento em DST-AIDS 2004

2 Terapia Anti-retroviral HAART: Redução da morbidade e mortalidade TARV : Efeitos adversos a curto e longo prazo CLASSE DROGA ITRN ITRNN IP PACIENTE

3 Efeitos adversos da TARV a médio/ longo prazo Acidemia lática Lipodistrofia Alterações no metabolismo ósseo

4 Mecanismo de ação dos ITRN ITRN análogos de nucleosídeos análogos de nucleotídeos incorporados na cadeia de DNA viral Transcriptase Reversa interrupção da transcrição

5 Toxicidade Mitocondrial Acidose lática: AZT, ddi and d4t Sinais e sintomas Testes laboratoriais Fadiga Tolerância aos exercícios reduzida Falta de ar, taquipnéia Nausea, perda de peso Elevação do anion gap: [Na]-([Cl]+ [HCO3])>10 Elevação dos níveis séricos de lactato: > 3mmol/L Redução da razão entre DNA mitocondrial e DNA nuclear* * Utilizada apenas em pesquisa

6 Mecanismo da acidose lática Glicose associada aos ITRN Citoplasma Piruvate LDH Lactato NADH + H+ NAD+ Gliconeogenêsie Acetil CoA NADH ATP Mitocôndria 1 2

7 Fatores de risco para acidose lática Formas específicas de DNA mitocondrial Obesidade Depleção de cofatores nutricionais e vitaminas Tiamina Riboflavina A própria infecção pelo HIV

8 Tratamento da acidose lática Tratamento de suporte Interrupção da TARV Vitaminas do Complexo B IV e.g. 100mg tiamine, 20 mg riboflavina, 200 mg nicotinamida, 20 mg piridoxina, 20 mg depantenol (2 x/dia); Coenzime Q10 50mg 1x/dia L-carnitina 1000mg IV 2x/dia

9 Efeitos adversos a longo prazo da TARV Síndrome lipodistrófica: Modificações na distribuição da gordura corporal Hiperglicemia Infecção pelo HIV TARV Dislipidemia Resistência insulínica Influência hormonal Etiologia Reconstituição imune Genética Toxicidade mitocondrial

10 Achados da síndrome metabólica associada ao uso de anti-retrovirais Condição Clínica Acúmulo de gordura central Lipoatrofia periférica Laboratório Dislipedemia Diabetes Resistência insulínica Osteoporose Acidose lática Local e testes Intra-abdominal, dorsocervical, hipertrofia de mamas, lipomas Face, braços,pernas e nádegas Hipertrigliceridemia, colesterol-hdl alto baixo, LDL Níveis altos de glicemia de jejum e HbA 10 Aumento de insulina and nos níveis de peptideo-c Densitometria óssea

11 Definição de Lipodistrofia Carr A et al LANCET, 1999; 353: >/= 1 dos seguintes achados Perda de gordura periférica Adiposidade central >/= 1 dos seguintes achados Triglicérides ( jejum) > 2,0 mmol/l Colesterol total ( jejum) > 5,0 mmol/l Intolerância à glicose ou Diabetes mellitus Paciente não pode ter apresentado nos últimos 3 meses: Doença relacionada `a AIDS ou outra doença grave Uso de esteróides, glicocorticóides ou imuomoduladores

12 Modificações na distribuição de gordura corporal Clinicamente, 3 formas de lipodistrofia: 1. Lipoatrofia: gordura corporal acometendo face, membros e nádegas, com maior proeminência muscular e venosa 2. Acúmulo de gordura central: gordura visceral, gibosidade, mamas em mulheres e ginecomastia em homens 3. Mista: lipoatrofia periférica e aumento de gordura visceral

13

14 Prevalência de Lipodistrofia na Infecção pelo HIV Aumentando, distribuição universal, acometendo homens, mulheres e crianças Taxas de prevalência variam com os diferentes estudos: 2-84% em indvs. com HIV/AIDS Estudos em indvs. em uso de TARV: 5-75%

15 Casuística CEADIPe- UNIFESP Definição dos Grupos do Estudo Grupo 1 Sem IP (N = 20) Grupo 2 Com IP (N = 20) Crianças soropositivas que nunca receberam IP em seu esquema ARV Crianças soropositivas que recebiam há, no mínimo, 1 ano, ao menos 1 droga da classe dos IP em seu esquema ARV Valente et al, 2004

16 Métodos Avaliação do metabolismo glicídico Glicose sérica de jejum Glicose sérica 2 horas após sobrecarga oral com glicose (1,75g/kg de peso máximo 75g) Avaliação da Resistência Insulínica Insulina sérica de jejum Insulina sérica 2 horas após sobrecarga oral com glicose HOMA IR Avaliação do metabolismo lipídico Colesterol total LDL colesterol HDL colesterol Triglicérides Avaliação do ácido úrico sérico

17 Métodos Avaliação da distribuição da gordura corporal Exame de Composição Corporal por DEXA Medidas Antropométricas Peso (kg) Estatura (cm) Índice de Massa Corporal - Peso (kg) / Estatura (cm 2 ) Medida das circunferências de cintura e quadril (cm) Aferição da Pressão Arterial (mmhg)

18 Resultados Colesterol Total Intervalo de Confiança de 95% 210 Colesterol Total (mg/dl) p = 0, N= Sem IP Com IP

19 Resultados Triglicérides Intervalo de Confiança de 95% 220 Triglicérides (mg/dl) p = 0, N= Sem IP Com IP

20 Resultados Avaliação da influência do d4t nas variáveis estudadas para IP N = 40 crianças Grupo sem d4t : N = 12 Grupo com d4t : N = 28 Variáveis Grupo sem d4t Grupo com d4t p (N = 12) (N = 28) CD 4 (x 106 céls/l) 696,50 ± 381, ,04 ± 598,64 0,037 Tempo de terapia ARV (anos) 3,78 ± 1,23 5,81 ± 1,43 < 0,001 HOMA-IR 0,66 ± 0,28 1,07 ± 0,78 0,021 Colesterol Total (mg/dl) 140,25 ± 27,83 170,29 ± 42,26 0,012 LDL Colesterol (mg/dl) 80,00 ± 20,66 105,29 ± 33,16 0,006

21 Resultados Colesterol Total Intervalo de Confiança de 95% 220 Colesterol Total (mg/dl) p = 0, N= Sem d4t Com d4t

22 Resultados LDL Colesterol Intervalo de Confiança de 95% 140 LDL Colesterol (mg/dl) p = 0, N= Sem d4t Com d4t

23 Resultados Modelo de Regressão Linear Realizado para avaliar a influência do IP sobre o colesterol total, considerando-se que o d4t também mostrou elevar esta variável Variável dependente : Colesterol total Variáveis independentes : IP d4t IMC (r: 0,344 - p = 0,035) HOMA (r: 0,266 - p = 0,047) CD 4 (r: 0,627 - p < 0,001) Coeficiente de determinação : R 2 = 0,761 Coeficiente relacionado ao uso de IP p= 0,0059

24 Resultados Presença de Dislipidemia de Acordo com os Critérios do NCEP P = 0,044 P = 0, % 75 % 40 % 5 % Sem IP CT > 200 mg/dl Com IP Sem IP TG > 100 mg/dl Com IP Colesterol Triglicérides

25 Resultados Presença de Dislipidemia de Acordo com os Critérios do NCEP P = 0,091 P > 0, % 70 % 65 % 5 % Sem IP LDL > 130 mg/dl Com IP Sem IP HDL < 40 mg/dl Com IP

26 Conclusões 1. A comparação entre os grupos não demonstrou diferença significante para : Redistribuição da gordura corporal Alterações no metabolismo glicídico Resistência insulínica Pressão arterial Ácido Úrico

27 Conclusões 2. Nenhum paciente avaliado apresentou : Alterações no metabolismo glicídico - (ADA) Resistência insulínica Hipertensão arterial - (VII Joint) Hiperuricemia

28 Conclusões 3. O grupo de pacientes com IP apresentou níveis séricos de colesterol total e triglicérides significativamente elevados, quando comparados com o grupo sem IP, fato que se manteve mesmo após o ajuste do modelo de regressão 4. Os achados deste estudo sugerem que o uso de IP em criança soropositivas possa determinar alterações no metabolismo lipídico, elevando níveis séricos de colesterol total e triglicérides 5. Este efeito colateral deve ser considerado no acompanhamento de pacientes usuários de IP, devido ao potencial aumento do risco cardiovascular 6. São necessários mais estudos para elucidar melhor o impacto da Síndrome Lipodistrófica do HIV no risco cardiovascular dos pacientes soropositivos

29 National Cholesterol Education program ( NCEP) Não há consenso sobre quando se deve iniciar terapia para SLD NCEP recomenda uma abordagem conservadora em crianças com hiperlipidemia, em pacientes sem história de hipercolesterolemia na família Quando tratar? Como? Qual intervenção?

30 Nutricionista Importância da Equipe Multidisciplinar Fonoaudiologia Exercícios faciais Psicologia Fazer as pazes com o próprio corpo

31 Agradecimentos Equipe do CEADIPe Médicas Enfermeiras Psicólogas Nutricionistas Secretário Escriturário

ALTERAÇÕES METABÓLICAS NO PERFIL LIPÍDICO E GLICÊMICO DE PACIENTES HIV POSITIVOS QUE FAZEM USO DE ANTIRETROVIRAIS

ALTERAÇÕES METABÓLICAS NO PERFIL LIPÍDICO E GLICÊMICO DE PACIENTES HIV POSITIVOS QUE FAZEM USO DE ANTIRETROVIRAIS ALTERAÇÕES METABÓLICAS NO PERFIL LIPÍDICO E GLICÊMICO DE PACIENTES HIV POSITIVOS QUE FAZEM USO DE ANTIRETROVIRAIS Greice Rodrigues Bittencourt Introdução A terapia antiretroviral contemporânea (TARV) baseado

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE SÍNDROME LIPODISTRÓFICA EM HIV

MINISTÉRIO DA SAÚDE SÍNDROME LIPODISTRÓFICA EM HIV MINISTÉRIO DA SAÚDE SÍNDROME LIPODISTRÓFICA EM HIV 2011 Elaboração Heverton Zambrini - Hospital Heliópolis e CRT/Aids Santa Cruz, São Paulo Erika Ferrari Rafael da Silva - Universidade Federal de São Paulo

Leia mais

Suco de Laranja diminui o Estresse Oxidativo, Diabetes e o Risco de Doenças Cardiovasculares

Suco de Laranja diminui o Estresse Oxidativo, Diabetes e o Risco de Doenças Cardiovasculares Suco de Laranja diminui o Estresse Oxidativo, Diabetes e o Risco de Doenças Cardiovasculares Ms. Jacqueline Queiroz Silveira Nutricionista e Doutoranda Faculdade de Ciências Farmacêuticas - UNESP Araraquara

Leia mais

Intercorrências. pelo HIV/Aids. Dr. Marcos D IppolitoD

Intercorrências. pelo HIV/Aids. Dr. Marcos D IppolitoD I Congresso Brasileiro de Prevenção da Transmissão Vertical do HIV e Outras DSTs I Fórum F Brasileiro das Cidadãs Posithiv hivas Intercorrências Obstétricas tricas em Infecção pelo HIV/Aids Dr. Marcos

Leia mais

ENFRENTAMENTO DA OBESIDADE ABORDAGEM TERAPÊUTICA

ENFRENTAMENTO DA OBESIDADE ABORDAGEM TERAPÊUTICA ENFRENTAMENTO DA OBESIDADE ABORDAGEM TERAPÊUTICA Obesidade 300 mil mortes / ano; 100 bi dólares / ano; O excesso de peso (IMC >25) acomete de 15% a 60% da população de todos os países civilizados. EUA...

Leia mais

A SAÚDE DO OBESO Equipe CETOM

A SAÚDE DO OBESO Equipe CETOM A SAÚDE DO OBESO Dr. Izidoro de Hiroki Flumignan Médico endocrinologista e sanitarista Equipe CETOM Centro de Estudos e Tratamento para a Obesidade Mórbida. Diretor do Instituto Flumignano de Medicina

Leia mais

AGENTE DE FÉ E DO CORAÇÃO PASTORAL NACIONAL DA SAÚDE 04 de outubro de 2013. Dislipidemias

AGENTE DE FÉ E DO CORAÇÃO PASTORAL NACIONAL DA SAÚDE 04 de outubro de 2013. Dislipidemias AGENTE DE FÉ E DO CORAÇÃO PASTORAL NACIONAL DA SAÚDE 04 de outubro de 2013 Dislipidemias Raul D. Santos Unidade Clínica de Lípides InCor-HCFMUSP Faculdade de Medicina da USP Metabolismo do colesterol,

Leia mais

RISCO PRESUMIDO PARA DOENÇAS CORONARIANAS EM SERVIDORES ESTADUAIS

RISCO PRESUMIDO PARA DOENÇAS CORONARIANAS EM SERVIDORES ESTADUAIS 8. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: SAÚDE RISCO PRESUMIDO PARA DOENÇAS CORONARIANAS EM SERVIDORES ESTADUAIS Apresentador 1 SILVA,Claudia Fagundes e Apresentador 2 PLOCHARSKI, Mayara

Leia mais

Sybelle de Araujo Cavalcante Nutricionista

Sybelle de Araujo Cavalcante Nutricionista Secretaria de Estado da Saúde - SESAU Superintendência de Assistência em Saúde SUAS Diretoria de Atenção Básica - DAB Gerência do Núcleo do Programa Saúde e Nutrição Sybelle de Araujo Cavalcante Nutricionista

Leia mais

III CONGRESSO BRASILEIRO DOS SERVIÇOS DE SAÚDE DO PODER JUDICIÁRIO. Valéria M. Natale Divisão Médica - TRF 3ª. Região HCFMUSP

III CONGRESSO BRASILEIRO DOS SERVIÇOS DE SAÚDE DO PODER JUDICIÁRIO. Valéria M. Natale Divisão Médica - TRF 3ª. Região HCFMUSP III CONGRESSO BRASILEIRO DOS SERVIÇOS DE SAÚDE DO PODER JUDICIÁRIO Valéria M. Natale Divisão Médica - TRF 3ª. Região HCFMUSP DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS PRINCIPAL CAUSA DE MORTE NO MUNDO!! AS PRINCIPAIS

Leia mais

TRATAMENTO MEDICAMENTOSO DO DIABETES MELLITUS: SULFONILUREIAS E BIGUANIDAS

TRATAMENTO MEDICAMENTOSO DO DIABETES MELLITUS: SULFONILUREIAS E BIGUANIDAS UNIVERSIDADE DE UBERABA LIGA DE DIABETES 2013 TRATAMENTO MEDICAMENTOSO DO DIABETES MELLITUS: SULFONILUREIAS E BIGUANIDAS PALESTRANTES:FERNANDA FERREIRA AMUY LUCIANA SOUZA LIMA 2013/2 CRITÉRIOS PARA ESCOLHA

Leia mais

Palavras - chave: Síndrome Metabólica; Fatores de riscos; Terapia Nutricional; Obesidade abdominal. 1 INTRODUÇÃO

Palavras - chave: Síndrome Metabólica; Fatores de riscos; Terapia Nutricional; Obesidade abdominal. 1 INTRODUÇÃO SynThesis Revista Digital FAPAM, Pará de Minas, v.1, n.1, 355-366, out. 2009 www.fapam.edu.br/revista 355 IDENTIFICAÇÃO, PREVENÇÃO E TRATAMENTO DOS FATORES DE RISCOS ASSOCIADOS À SÍNDROME METABÓLICA EM

Leia mais

Pré diabetes. Diagnóstico e Tratamento

Pré diabetes. Diagnóstico e Tratamento Pré diabetes Diagnóstico e Tratamento Zulmira Jorge Assistente Hospitalar Endocrinologia do Hospital Santa Maria Endocrinologista do NEDO e do Hospital Cuf Infante Santo Diabetes Mellitus Diagnóstico PTGO

Leia mais

DIABETES MELLITUS. Ricardo Rodrigues Cardoso Educação Física e Ciências do DesportoPUC-RS

DIABETES MELLITUS. Ricardo Rodrigues Cardoso Educação Física e Ciências do DesportoPUC-RS DIABETES MELLITUS Ricardo Rodrigues Cardoso Educação Física e Ciências do DesportoPUC-RS Segundo a Organização Mundial da Saúde, existem atualmente cerca de 171 milhões de indivíduos diabéticos no mundo.

Leia mais

AÇÕES EDUCATIVAS COM UNIVERSITÁRIOS SOBRE FATORES DE RISCO PARA SÍNDROME METABÓLICA

AÇÕES EDUCATIVAS COM UNIVERSITÁRIOS SOBRE FATORES DE RISCO PARA SÍNDROME METABÓLICA AÇÕES EDUCATIVAS COM UNIVERSITÁRIOS SOBRE FATORES DE RISCO PARA SÍNDROME METABÓLICA Reângela Cíntia Rodrigues de Oliveira Lima UFPI/cynthiast_89@hotmail.com Gislany da Rocha Brito - UFPI/gislanyrochasj@hotmail.com

Leia mais

Na diabetes e dislipidemia

Na diabetes e dislipidemia Cuidados de saúde primários e Cardiologia NOCs e Guidelines: com tanta orientação ficamos mesmo orientados? Na diabetes e dislipidemia Davide Severino 4.º ano IFE de Cardiologia Hospital de Santarém EPE

Leia mais

Saber Viver. Resistência à insulina, alterações metabólicas e doenças cardiovasculares em pessoas vivendo com HIV/aids

Saber Viver. Resistência à insulina, alterações metabólicas e doenças cardiovasculares em pessoas vivendo com HIV/aids Saber Viver PROFISSIONAL DE SAÚDE nº 6 Setembro 2006 Resistência à insulina, alterações metabólicas e doenças cardiovasculares em pessoas vivendo com HIV/aids Saber Viver Profissional de Saúde 6ª Edição

Leia mais

INFLUÊNCIA DO EXERCÍCIO FÍSICO E ORIENTAÇÃO ALIMENTAR EM NÍVEIS DE TRIGLICERIDEMIA DE ADOLESCENTES OBESOS

INFLUÊNCIA DO EXERCÍCIO FÍSICO E ORIENTAÇÃO ALIMENTAR EM NÍVEIS DE TRIGLICERIDEMIA DE ADOLESCENTES OBESOS Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 23 a 26 de outubro de 2007 INFLUÊNCIA DO EXERCÍCIO FÍSICO E ORIENTAÇÃO ALIMENTAR EM NÍVEIS DE TRIGLICERIDEMIA DE ADOLESCENTES OBESOS Ciliane Valerio

Leia mais

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE DOENÇA METABÓLICA

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE DOENÇA METABÓLICA O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE DOENÇA METABÓLICA ENTENDENDO a doença metabólica A doença metabólica, também chamada de síndrome metabólica ou ainda de plurimetabólica, em geral faz parte de um conjunto de

Leia mais

RESUMOS SIMPLES...156

RESUMOS SIMPLES...156 155 RESUMOS SIMPLES...156 156 RESUMOS SIMPLES CARNEIRO, NELSON HILÁRIO... 159 CARNEIRO, NELSON HILÁRIO... 157 CORTE, MARIANA ZANGIROLAME... 159 CORTE, MARIANA ZANGIROLAME... 157 GARCIA JUNIOR, JAIR RODRIGUES...

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM NUTRIÇÃO ESPORTIVA APLICADA À SÁÚDE, ESTÉTICA E DESEMPENHO FÍSICO

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM NUTRIÇÃO ESPORTIVA APLICADA À SÁÚDE, ESTÉTICA E DESEMPENHO FÍSICO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM NUTRIÇÃO ESPORTIVA APLICADA À SÁÚDE, ESTÉTICA E DESEMPENHO FÍSICO 1. CURSO: Pós-graduação em Nutrição Esportiva aplicada à saúde, estética e desempenho físico. 1.1 Área de Conhecimento:

Leia mais

Prevenção Cardio vascular. Dra Patricia Rueda Cardiologista e Arritmologista

Prevenção Cardio vascular. Dra Patricia Rueda Cardiologista e Arritmologista Prevenção Cardio vascular Dra Patricia Rueda Cardiologista e Arritmologista Principal causa de morte em todo o mundo Considerada uma EPIDEMIA pela OMS em 2009 Alta mortalidade Alta morbidade = Muitas

Leia mais

Entendendo a lipodistrofia

Entendendo a lipodistrofia dicas POSITHIVAS Entendendo a lipodistrofia O que é a lipodistrofia? Lipodistrofia é quando o corpo passa a absorver e a distribuir as gorduras de maneira diferente. Diminui a gordura nas pernas, braços,

Leia mais

Treinamento de Força e Diabetes. Ms. Sandro de Souza

Treinamento de Força e Diabetes. Ms. Sandro de Souza Treinamento de Força e Diabetes Ms. Sandro de Souza Taxa de prevalência de Diabetes Mellitus Período: 2009 Relevância Diagnóstico de DIABETES MELLITUS Diabetes Care. 2007;30:S4 41. Resistência a Insulina

Leia mais

12º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM NÚCLEO DE ESTUDOS E APOIO AO PACIENTE HIV

12º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM NÚCLEO DE ESTUDOS E APOIO AO PACIENTE HIV 12º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM NÚCLEO DE ESTUDOS E APOIO AO PACIENTE HIV Nicole Amanda Formigoni Steiner 1 Alinne Bortolotto 2 Dayane Cristina de Souza 2 Ana Luiza Pelissari Pessanha de Paula Soares

Leia mais

Diagnóstico. Exame Laboratorial. Poliúria Polidpsia Polifagia

Diagnóstico. Exame Laboratorial. Poliúria Polidpsia Polifagia Diabetes Mellitus É concebido por um conjunto de distúrbios metabólicos, caracterizado por hiperglicemia resultando de defeitos na secreção de insulina e/ou na sua atividade Report of Expert Committe on

Leia mais

Saiba quais são os diferentes tipos de diabetes

Saiba quais são os diferentes tipos de diabetes Saiba quais são os diferentes tipos de diabetes Diabetes é uma doença ocasionada pela total falta de produção de insulina pelo pâncreas ou pela quantidade insuficiente da substância no corpo. A insulina

Leia mais

11º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM TERAPIAS ALTERNATIVAS NO TRATAMENTO EM PESSOAS VIVENDO COM HIV/AIDS

11º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM TERAPIAS ALTERNATIVAS NO TRATAMENTO EM PESSOAS VIVENDO COM HIV/AIDS 11º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM TERAPIAS ALTERNATIVAS NO TRATAMENTO EM PESSOAS VIVENDO COM HIV/AIDS Cleverson José Bezerra Guedes 1 Giuliano Gomes de Assis Pimentel 2 Nicole Amanda Formigoni Steiner

Leia mais

EXERCÍCIO E DIABETES

EXERCÍCIO E DIABETES EXERCÍCIO E DIABETES Todos os dias ouvimos falar dos benefícios que os exercícios físicos proporcionam, de um modo geral, à nossa saúde. Pois bem, aproveitando a oportunidade, hoje falaremos sobre a Diabetes,

Leia mais

ALTERAÇÕES METABÓLICAS NA GRAVIDEZ

ALTERAÇÕES METABÓLICAS NA GRAVIDEZ ALTERAÇÕES METABÓLICAS NA GRAVIDEZ CUSTO ENERGÉTICO DA GRAVIDEZ CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO FETAL SÍNTESE DE TECIDO MATERNO 80.000 kcal ou 300 Kcal por dia 2/4 médios 390 Kcal depósito de gordura- fase

Leia mais

Abordagem Diagnóstica e Terapêutica da Diabete Melito Não Complicada em Cães

Abordagem Diagnóstica e Terapêutica da Diabete Melito Não Complicada em Cães Abordagem Diagnóstica e Terapêutica da Diabete Melito Não Complicada em Cães Cecilia Sartori Zarif Residente em Clínica e Cirurgia de Pequenos Animais da UFV Distúrbio do Pâncreas Endócrino Diabete Melito

Leia mais

Olavo Henrique Munhoz Leite. Hospital das Clínicas Faculdade de Medicina da USP Brasília, julho de 2004

Olavo Henrique Munhoz Leite. Hospital das Clínicas Faculdade de Medicina da USP Brasília, julho de 2004 Recomendações para a Terapia Anti- Retroviral em Adultos e Adolescentes Infectados pelo HIV II Diretrizes Brasileiras para Tuberculose 2004 I Encontro Nacional de TUBERCULOSE Olavo Henrique Munhoz Leite

Leia mais

FUNDAMENTOS DA ESTEATOSE HEPÁTICA

FUNDAMENTOS DA ESTEATOSE HEPÁTICA FUNDAMENTOS DA ESTEATOSE HEPÁTICA GORDURA BRANCA X MARROM SINDROME METABÓLICA RESISTÊNCIA INSULÍNICA HIPERINSULINISMO ÍNDICE GLICÊMICO Dr. Izidoro de Hiroki Flumignan & EQUIPE MULTIDISCIPLINAR MEDICINA

Leia mais

A ELABORAÇÃO DE UM PCMSO INTEGRADO AO SÉCULO S

A ELABORAÇÃO DE UM PCMSO INTEGRADO AO SÉCULO S A ELABORAÇÃO DE UM PCMSO INTEGRADO AO SÉCULO S XXI (PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO M DE SAÚDE OCUPACIONAL - NR-7) Dr. José Carlos T. Dias Ferreira CRM 46.101 DEPTO. DE MEDICINA E SEGURANÇA DO TRABALHO - CIESP

Leia mais

ESPECTRO. ALTERAÇÕES METABÓLICAS DA OBESIDADE e DMT2 EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES Diabetes Tipo 2 em Crianças. Classificação de Diabetes em Jovens

ESPECTRO. ALTERAÇÕES METABÓLICAS DA OBESIDADE e DMT2 EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES Diabetes Tipo 2 em Crianças. Classificação de Diabetes em Jovens ALTERAÇÕES METABÓLICAS DA OBESIDADE e DMT2 EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES Diabetes Tipo 2 em Crianças Paulo César Alves da Silva Hospital Infantil Joana de Gusmão Florianópolis-SC Florianópolis-SC Módulo de

Leia mais

Interpretação de Exames Complementares na Síndrome Plurimetabólica

Interpretação de Exames Complementares na Síndrome Plurimetabólica Interpretação de Exames Complementares na Síndrome Plurimetabólica Vamos lembrar Hipócrates Que seu remédio seja seu alimento, e que seu alimento seja o seu remédio Integração É importante buscar um estado

Leia mais

ESTADO D O AMAZONAS CÂMARA MUNICIPAL DE MAN AUS GABINETE VEREADOR JUNIOR RIBEIRO

ESTADO D O AMAZONAS CÂMARA MUNICIPAL DE MAN AUS GABINETE VEREADOR JUNIOR RIBEIRO PROJETO DE LEI Nº. 253 / 2014 Dispõe sobre a obrigatoriedade do uso de equipamentos de Ionização de água potável em Unidades de Tratamento de doenças degenerativas da Rede Pública Municipal e de Organizações

Leia mais

OS 5 PASSOS QUE MELHORAM ATÉ 80% OS RESULTADOS NO CONTROLE DO DIABETES. Mônica Amaral Lenzi Farmacêutica Educadora em Diabetes

OS 5 PASSOS QUE MELHORAM ATÉ 80% OS RESULTADOS NO CONTROLE DO DIABETES. Mônica Amaral Lenzi Farmacêutica Educadora em Diabetes OS 5 PASSOS QUE MELHORAM ATÉ 80% OS RESULTADOS NO CONTROLE DO DIABETES Mônica Amaral Lenzi Farmacêutica Educadora em Diabetes TER DIABETES NÃO É O FIM... É o início de uma vida mais saudável, com alimentação

Leia mais

DIABETES E SINAIS VITAIS

DIABETES E SINAIS VITAIS AGENTE DE FÉ E DO CORAÇÃO PASTORAL NACIONAL DA SAÚDE 04 de outubro de 2013 DIABETES E SINAIS VITAIS Marcia Nery Equipe Médica de Diabetes Hospital das Clínicas da FMUSP Definição Diabetes mellitus: Doença

Leia mais

Ácido nicotínico 250 mg, comprimido de liberação Atorvastatina 20 mg, comprimido; Bezafibrato 400 mg, comprimido; Pravastatina 20 mg, comprimido;

Ácido nicotínico 250 mg, comprimido de liberação Atorvastatina 20 mg, comprimido; Bezafibrato 400 mg, comprimido; Pravastatina 20 mg, comprimido; DISLIPIDEMIA PARA A PREVENÇÃO DE EVENTOS CARDIOVASCULARES E PANCREATITE (CID 10: E78.0; E78.1; E78.2; E78.3; E78.4; E78.5; E78.6; E78.8) 1. Medicamentos Hipolipemiantes 1.1. Estatinas 1.2. Fibratos Atorvastatina

Leia mais

VI CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM DIABETES DIETOTERAPIA ACADÊMICA LIGA DE DIABETES ÂNGELA MENDONÇA

VI CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM DIABETES DIETOTERAPIA ACADÊMICA LIGA DE DIABETES ÂNGELA MENDONÇA VI CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM DIABETES DIETOTERAPIA ACADÊMICA ÂNGELA MENDONÇA LIGA DE DIABETES A intervenção nutricional pode melhorar o controle glicêmico. Redução de 1.0 a 2.0% nos níveis de hemoglobina

Leia mais

Colesterol O que é Isso? Trabalhamos pela vida

Colesterol O que é Isso? Trabalhamos pela vida Colesterol O que é Isso? X O que é o Colesterol? Colesterol é uma gordura encontrada apenas nos animais Importante para a vida: Estrutura do corpo humano (células) Crescimento Reprodução Produção de vit

Leia mais

Diário da Diabetes. Automonitorizar a sua glicemia. Como a HbA1c corresponde à média a da glicose sanguínea. Valores de glicemia

Diário da Diabetes. Automonitorizar a sua glicemia. Como a HbA1c corresponde à média a da glicose sanguínea. Valores de glicemia Automonitorizar a sua glicemia Quando verifica diariamente a sua glicemia, obtém uma fotografia do nível nesse momento. Os testes HbA1c feitos pelo seu médico indicam a média dos seus níveis de glicemia

Leia mais

Consulta de Enfermagem para Pessoas com Hipertensão Arterial Sistêmica. Ms. Enf. Sandra R. S. Ferreira

Consulta de Enfermagem para Pessoas com Hipertensão Arterial Sistêmica. Ms. Enf. Sandra R. S. Ferreira Consulta de Enfermagem para Pessoas com Hipertensão Arterial Sistêmica Ms. Enf. Sandra R. S. Ferreira O QUE É HIPERTENSÃO ARTERIAL? Condição clínica multifatorial caracterizada por níveis elevados e sustentados

Leia mais

IGF-1 e IGFBP-3 > - 1DP (ou normais) Teste de estímulo para GH Baixa probabilidade de deficiência de GH. GH > 5,5 ng/ml

IGF-1 e IGFBP-3 > - 1DP (ou normais) Teste de estímulo para GH Baixa probabilidade de deficiência de GH. GH > 5,5 ng/ml AVALIAÇÃO DE BAIXA ESTATURA Criança com estatura > -2 DP para idade e sexo Crianças com estatura < -2 DP ou velocidade de crescimento < -1 DP ou com mudança no canal de crescimento Observar dados clínicos

Leia mais

DOENÇA HEPÁTICA GORDUROSA NÃO ALCOÓLICA TRATAMENTO COM DROGAS

DOENÇA HEPÁTICA GORDUROSA NÃO ALCOÓLICA TRATAMENTO COM DROGAS DOENÇA HEPÁTICA GORDUROSA NÃO ALCOÓLICA TRATAMENTO COM DROGAS HELMA PINCHEMEL COTRIM FACULDADE DE MEDICINA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA DOENÇA HEPÁTICA GORDUROSA NÃO ALCOÓLICA TRATAMENTO QUAIS OS OBJETIVOS?

Leia mais

O que é O que é. colesterol?

O que é O que é. colesterol? O que é O que é colesterol? 1. O que é colesterol alto e por que ele é ruim? Apesar de a dislipidemia (colesterol alto) ser considerada uma doença extremamente prevalente no Brasil e no mundo, não existem

Leia mais

Prevalência, Conhecimento, Tratamento e Controle da Hipertensão em Adultos dos Estados Unidos, 1999 a 2004.

Prevalência, Conhecimento, Tratamento e Controle da Hipertensão em Adultos dos Estados Unidos, 1999 a 2004. Artigo comentado por: Dr. Carlos Alberto Machado Prevalência, Conhecimento, Tratamento e Controle da Hipertensão em Adultos dos Estados Unidos, 1999 a 2004. Kwok Leung Ong, Bernard M. Y. Cheung, Yu Bun

Leia mais

Nutrição no tratamento da AIDS

Nutrição no tratamento da AIDS UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ALIMENTOS E NUTRIÇÃO (PPGAN) Ciclo de Palestras Nutrição no tratamento da AIDS Verônica Mayrinck Mestranda em Alimentos e Nutrição

Leia mais

PREVALÊNCIA DOS FATORES DE RISCO PARA DIABETES MELLITUS TIPO 2 EM POPULAÇÃO ATENDIDA EM APARECIDA DE GOIÂNIA PELA LIGA ACADÊMICA DE DIABETES DA UFG

PREVALÊNCIA DOS FATORES DE RISCO PARA DIABETES MELLITUS TIPO 2 EM POPULAÇÃO ATENDIDA EM APARECIDA DE GOIÂNIA PELA LIGA ACADÊMICA DE DIABETES DA UFG PREVALÊNCIA DOS FATORES DE RISCO PARA DIABETES MELLITUS TIPO 2 EM POPULAÇÃO ATENDIDA EM APARECIDA DE GOIÂNIA PELA LIGA ACADÊMICA DE DIABETES DA UFG CAMPOS NETO, Moacir Batista de¹; SANTOS, Débora Ferreira

Leia mais

OBESIDADE MÓRBIDA. 2012 doutorpinnacabral.com.br Este documento é original e não pode ser modificado!

OBESIDADE MÓRBIDA. 2012 doutorpinnacabral.com.br Este documento é original e não pode ser modificado! OBESIDADE MÓRBIDA Este documento é original e não pode ser modificado! SENTE-SE SOLITÁRIO? PESO IDEAL E IMC Peso ideal: altura X altura X 25 = Exemplo: 1.72 X 1.72 X 25 = 74 kg Excesso de peso : 89 kg

Leia mais

10º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM NÚCLEO DE ESTUDOS E APOIO AO PACIENTE HIV/ AIDS

10º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM NÚCLEO DE ESTUDOS E APOIO AO PACIENTE HIV/ AIDS 10º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM NÚCLEO DE ESTUDOS E APOIO AO PACIENTE HIV/ AIDS Áurea Regina Telles Pupulin 1 Adrielli Priscilla Machado 2 Cleverson Jose Bezerra 2 Laís Carolina Laurenti Mortean

Leia mais

Mortalidade por Aids no Brasil

Mortalidade por Aids no Brasil Mortalidade por Aids no Brasil 2º Seminário de Estudos e Pesquisas em DST/HIV/Aids Dezembro, 2009 Denize Lotufo Estevam Programa Estadual de DST/Aids SP Mudanças nas causas de óbito em HIV entre 2000 e

Leia mais

Síndrome da Imunodeficiência Adquirida

Síndrome da Imunodeficiência Adquirida Síndrome da Imunodeficiência Adquirida Síndrome : Conjunto de sinais e sintomas que se desenvolvem conjuntamente e que indicam a existência de uma doença. A AIDS é definida como síndrome porque não tem

Leia mais

ASSISTÊNCIA EM MASTOLOGIA

ASSISTÊNCIA EM MASTOLOGIA ASSISTÊNCIA EM MASTOLOGIA I - Ações da Unidade Básica: 1) Estímulo ao auto-exame de mamas 2) Exame clínico das mamas como parte integrante e obrigatória das consultas ginecológicas e de pré natal 3) Solicitação

Leia mais

Co-infecção HIV/TB. Modelo Multivariado. Valeria Rolla Laboratório de pesquisa clínica em micobacterioses IPEC-Fiocruz. Ajustado

Co-infecção HIV/TB. Modelo Multivariado. Valeria Rolla Laboratório de pesquisa clínica em micobacterioses IPEC-Fiocruz. Ajustado Co-infecção HIV/TB Valeria Rolla Laboratório de pesquisa clínica em micobacterioses IPEC-Fiocruz Modelo Multivariado Naïve Só HAART Só QP HAART e QP Ajustado RH (95%CI) 1 0.41 (0.31-0.54) 0.57 (0.18-1.82)

Leia mais

Administração dos riscos cardiovasculares Resumo de diretriz NHG M84 (segunda revisão, janeiro 2012)

Administração dos riscos cardiovasculares Resumo de diretriz NHG M84 (segunda revisão, janeiro 2012) Administração dos riscos cardiovasculares Resumo de diretriz NHG M84 (segunda revisão, janeiro 2012) traduzido do original em holandês por Luiz F.G. Comazzetto 2014 autorização para uso e divulgação sem

Leia mais

10º Congreso Argentino y 5º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias

10º Congreso Argentino y 5º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias 10º Congreso Argentino y 5º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias EFEITO DE UM PROTOCOLO DE EXERCÍCIOS FÍSICOS SOBRE O ÍNDICE DE MASSA CORPORAL E CIRCUNFERÊNCIA DA CINTURA EM ADULTOS COM SÍNDROME

Leia mais

NURIA PACHECO FAGUNDES ANÁLISE DA LIPODISTROFIA ATRAVÉS DO PERFIL LIPÍDICO E GLICÊMICO EM PACIENTES HIV POSITIVOS

NURIA PACHECO FAGUNDES ANÁLISE DA LIPODISTROFIA ATRAVÉS DO PERFIL LIPÍDICO E GLICÊMICO EM PACIENTES HIV POSITIVOS 0 NURIA PACHECO FAGUNDES ANÁLISE DA LIPODISTROFIA ATRAVÉS DO PERFIL LIPÍDICO E GLICÊMICO EM PACIENTES HIV POSITIVOS CANOAS, 2007 1 NURIA PACHECO FAGUNDES ANÁLISE DA LIPODISTROFIA ATRAVÉS DO PERFIL LIPÍDICO

Leia mais

Congresso do Desporto Desporto, Saúde e Segurança

Congresso do Desporto Desporto, Saúde e Segurança Congresso do Desporto Desporto, Saúde e Segurança Projecto Mexa-se em Bragança Organização: Pedro Miguel Queirós Pimenta Magalhães E-mail: mexaseembraganca@ipb.pt Web: http://www.mexaseembraganca.ipb.pt

Leia mais

HIV/AIDS Pediatria Sessão Clínica do Internato Revisão Teórica. Orientadora: Dra Lícia Moreira Acadêmico: Pedro Castro (6 Ano)

HIV/AIDS Pediatria Sessão Clínica do Internato Revisão Teórica. Orientadora: Dra Lícia Moreira Acadêmico: Pedro Castro (6 Ano) HIV/AIDS Pediatria Sessão Clínica do Internato Revisão Teórica Orientadora: Dra Lícia Moreira Acadêmico: Pedro Castro (6 Ano) AIDS Conceito Doença que manifesta-se por infecções comuns de repetição, infecções

Leia mais

DIABETES MELLITUS DIABETES MELLITUS DIABETES MELLITUS DIABETES MELLITUS DIABETES MELLITUS DIABETES MELLITUS 18/9/2014

DIABETES MELLITUS DIABETES MELLITUS DIABETES MELLITUS DIABETES MELLITUS DIABETES MELLITUS DIABETES MELLITUS 18/9/2014 UNESC ENFERMAGEM SAÚDE DO ADULTO PROFª.: FLÁVIA NUNES O Diabetes Mellitus configura-se hoje como uma epidemia mundial, traduzindo-se em grande desafio para os sistemas de saúde de todo o mundo. O envelhecimento

Leia mais

ALTERAÇÕES METABÓLICAS ASSOCIADAS À TERAPIA ANTIRRETROVIRAL EM PACIENTES HIV POSITIVO.

ALTERAÇÕES METABÓLICAS ASSOCIADAS À TERAPIA ANTIRRETROVIRAL EM PACIENTES HIV POSITIVO. ALTERAÇÕES METABÓLICAS ASSOCIADAS À TERAPIA ANTIRRETROVIRAL EM PACIENTES HIV POSITIVO. METABOLIC CHANGES ASSOCIATED WITH ANTIRETROVIRAL THERAPY IN HIV POSITIVE PATIENTS. ALTERAÇÕES METABÓLICAS ASSOCIADAS

Leia mais

PALAVRAS CHAVE Diabetes mellitus tipo 2, IMC. Obesidade. Hemoglobina glicada.

PALAVRAS CHAVE Diabetes mellitus tipo 2, IMC. Obesidade. Hemoglobina glicada. 11. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA AVALIAÇÃO

Leia mais

Síndrome dos Ovários Policísticos e Síndrome Metabólica

Síndrome dos Ovários Policísticos e Síndrome Metabólica Isabel L.A.Corrêa Síndrome dos Ovários Policísticos e Síndrome Metabólica PRO MATRE Síndrome dos Ovários Policísticos The Rotterdam ESHRE/ASRM sponsored PCOS consensus workshop group, 2004 Oligoamenorréia

Leia mais

Lípidos e dislipidemia. Cláudio David

Lípidos e dislipidemia. Cláudio David Lípidos e dislipidemia Cláudio David Os lípidos Os 3 principais tipos de lípidos são: Glicéridos (triglicéridos) Esteróis (colesterol) Fosfolípidos (fosfatidil colina=lecitina e esfingomielina) Glicerol

Leia mais

ANEMIA EM PACIENTES COM DIABETES MELLITUS TIPO 2 1

ANEMIA EM PACIENTES COM DIABETES MELLITUS TIPO 2 1 ANEMIA EM PACIENTES COM DIABETES MELLITUS TIPO 2 1 Matias Nunes Frizzo 2, Paula Caitano Fontela 3, Eliane Roseli Winkelmann 4. 1 Pesquisa realizada no Departamento de Ciências da Vida - Curso de Farmácia

Leia mais

ETIOLOGIA. Alcoólica Biliar Medicamentosa Iatrogênica

ETIOLOGIA. Alcoólica Biliar Medicamentosa Iatrogênica PANCREATITE AGUDA ETIOLOGIA Alcoólica Biliar Medicamentosa Iatrogênica FISIOPATOLOGIA MANIFESTAÇÃO CLÍNICA CRITÉRIOS PROGNÓSTICOS Ranson Na admissão: Idade > 55 anos Leucócitos > 1600 N uréico aumento

Leia mais

Prevalência de fatores de risco cardiovascular em idosos: discutindo evidências e polêmicas

Prevalência de fatores de risco cardiovascular em idosos: discutindo evidências e polêmicas Prevalência de fatores de risco cardiovascular em idosos: discutindo evidências e polêmicas Profa. Dra. Cláudia Soar ANTROPOMETRIA ÍNDICE DE MASSA CORPORAL (IMC) Excesso de peso PERÍMETRO DA CINTURA (PC)

Leia mais

NOVA VISÃO ANTROPOMÉTRICA EM PACIENTES HIV POSITIVO COM USO DE ANTIRETROVIRAIS

NOVA VISÃO ANTROPOMÉTRICA EM PACIENTES HIV POSITIVO COM USO DE ANTIRETROVIRAIS NOVA VISÃO ANTROPOMÉTRICA EM PACIENTES HIV POSITIVO COM USO DE ANTIRETROVIRAIS LUCIEVELYN MARRONE 1 INGRID RAQUEL FIGUEIRA DA SILVA 2 BEATHRIZ REGINA MATOS 2 ROSANA DIVINA MARTINS DEPIERI 2 DÉBORA KAIRA

Leia mais

DROGAS HIPOGLICEMIANTES

DROGAS HIPOGLICEMIANTES DROGAS HIPOGLICEMIANTES Secreção da insulina Insulina plasmática Receptor de insulina Ações da insulina DIABETES: Síndrome de múltipla etiologia, decorrente da falta de insulina e/ou sua incapacidade

Leia mais

Perfil Lipídico. Prof. Fernando Ananias FUNÇÃO DOS LIPÍDIOS

Perfil Lipídico. Prof. Fernando Ananias FUNÇÃO DOS LIPÍDIOS Perfil Lipídico Prof. Fernando Ananias FUNÇÃO DOS LIPÍDIOS Maior reserva corporal de energia tecidos muscular e subcutâneo Proteção contra traumatismo: 4% Isolamento térmico Transportadores de vitaminas

Leia mais

AUMENTO DRAMÁTICO DO INTERESSE E PARTICIPAÇÃO DE CRIANÇAS NO ESPORTE DE ALTO NÍVEL

AUMENTO DRAMÁTICO DO INTERESSE E PARTICIPAÇÃO DE CRIANÇAS NO ESPORTE DE ALTO NÍVEL AUMENTO DRAMÁTICO DO INTERESSE E PARTICIPAÇÃO DE CRIANÇAS NO ESPORTE DE ALTO NÍVEL NECESSIDADE DO MELHOR CONHECIMENTO EM ÁREAS COMO: CRESCIMENTO NORMAL, DESENVOLVIMENTO, EFEITOS DO EXERCÍCIO EM CRIANÇAS

Leia mais

Atraso na introdução da terapia anti-retroviral em pacientes infectados pelo HIV. Brasil, 2003-2006

Atraso na introdução da terapia anti-retroviral em pacientes infectados pelo HIV. Brasil, 2003-2006 Atraso na introdução da terapia anti-retroviral em pacientes infectados pelo HIV. Brasil, 2003-2006 Paulo Roberto Borges de Souza-Jr Célia Landmann Szwarcwald Euclides Ayres de Castilho A Terapia ARV no

Leia mais

7º Congresso Unidas de

7º Congresso Unidas de 7º Congresso Unidas de Gestão o de Assistência à Saúde Dra. Rozana Ciconelli Centro Paulista de Economia da Saúde Escola Paulista de Medicina A epidemia da obesidade Como as doenças crônicas afetam a gestão

Leia mais

Modelo de Atenção às Condições Crônicas. Seminário II. Laboratório de Atenção às Condições Crônicas

Modelo de Atenção às Condições Crônicas. Seminário II. Laboratório de Atenção às Condições Crônicas Modelo de Atenção às Condições Crônicas Seminário II Laboratório de Atenção às Condições Crônicas A Estratificação de Risco na SMS de Curitiba HAS Diabete melito + Laboratório de Inovações na Atenção às

Leia mais

Novas diretrizes para pacientes ambulatoriais HAS e Dislipidemia

Novas diretrizes para pacientes ambulatoriais HAS e Dislipidemia Novas diretrizes para pacientes ambulatoriais HAS e Dislipidemia Dra. Carla Romagnolli JNC 8 Revisão das evidências Ensaios clínicos randomizados controlados; Pacientes hipertensos com > 18 anos de idade;

Leia mais

Que tipos de Diabetes existem?

Que tipos de Diabetes existem? Que tipos de Diabetes existem? -Diabetes Tipo 1 -também conhecida como Diabetes Insulinodependente -Diabetes Tipo 2 - Diabetes Gestacional -Outros tipos de Diabetes Organismo Saudável As células utilizam

Leia mais

POLICOSANOL 40% Auxilia na diminuição do colesterol. Informações Técnicas. INCI Name: 1-OCTACOSANOL CAS number: 557-61-9

POLICOSANOL 40% Auxilia na diminuição do colesterol. Informações Técnicas. INCI Name: 1-OCTACOSANOL CAS number: 557-61-9 Informações Técnicas POLICOSANOL 40% Auxilia na diminuição do colesterol INCI Name: 1-OCTACOSANOL CAS number: 557-61-9 DESCRIÇÃO Policosanol é uma mistura de álcoois alifáticos primários superiores (álcoois

Leia mais

BENEFÍCIOS DO EXERCÍCIO FÍSICO E DIETA HIPOCALÓRICA EM DIABÉTICOS

BENEFÍCIOS DO EXERCÍCIO FÍSICO E DIETA HIPOCALÓRICA EM DIABÉTICOS BENEFÍCIOS DO EXERCÍCIO FÍSICO E DIETA HIPOCALÓRICA EM DIABÉTICOS Autora: Márcia de Fátima Ferraretto Pavan Resumo: Diabetes mellitus é uma doença crônica e está associada a complicações que comprometem

Leia mais

Introdução. Infecção pelo HIV. Uma das mais devastadoras pandemias da história da humanidade. Profundas repercussões sociais

Introdução. Infecção pelo HIV. Uma das mais devastadoras pandemias da história da humanidade. Profundas repercussões sociais Introdução Uma das mais devastadoras pandemias da história da humanidade Profundas repercussões sociais Possibilitou um enorme avanço no campo da virologia Prof. Marco Antonio Passou de doença letal a

Leia mais

Valores de Referencia (Adultos - Homens) HEMACIAS: 4.85 milhoes/mm3. Relativo (%) /mm3 VR (%) VR (mm3) LEUCOCITOS: 4.400

Valores de Referencia (Adultos - Homens) HEMACIAS: 4.85 milhoes/mm3. Relativo (%) /mm3 VR (%) VR (mm3) LEUCOCITOS: 4.400 Resultados Página: 1/13 HEMOGRAMA ERITROGRAMA Valores de Referencia (Adultos - Homens) HEMACIAS: 4.85 milhoes/mm3 04.50 a 06.10 HEMOGLOBINA: 13.5 g/dl 13.00 a 16.50 HEMATOCRITO: 41.1 % 36.00 a 54.00 VCM:

Leia mais

PERCEPÇÃO DOS PACIENTES EM RELAÇÃO A LIPODISTROFIA COMO EFEITO ADVERSO À TERAPIA ANTI-RETROVIRAL 1

PERCEPÇÃO DOS PACIENTES EM RELAÇÃO A LIPODISTROFIA COMO EFEITO ADVERSO À TERAPIA ANTI-RETROVIRAL 1 PERCEPÇÃO DOS PACIENTES EM RELAÇÃO A LIPODISTROFIA COMO EFEITO ADVERSO À TERAPIA ANTI-RETROVIRAL 1 Cirlene Teixeira da Silva Costa 2 Milka Selestina Primo 3 Elma Mathias Dessunti 4 Zeneide Soubhia 5 Valéria

Leia mais

SÍNDROME DE INSULINO-RESISTÊNCIA, SÍNDROME METABÓLICA: DEFINIÇÕES

SÍNDROME DE INSULINO-RESISTÊNCIA, SÍNDROME METABÓLICA: DEFINIÇÕES Síndrome de insulino-resistência, síndrome metabólica: definições 15 SÍNDROME DE INSULINO-RESISTÊNCIA, SÍNDROME METABÓLICA: DEFINIÇÕES Sandra Paiva Serviço de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo; Hospital

Leia mais

ESTRATIFICAÇÃO DE RISCO

ESTRATIFICAÇÃO DE RISCO ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE REDES DE ATENÇÃO A SAÚDE DIRETORIA DE REDES ASSISTÊNCIAIS COORDENADORIA DA REDE DE HIPERTENSÃO E DIABETES ESTRATIFICAÇÃO DE RISCO

Leia mais

Sessão Televoter Diabetes

Sessão Televoter Diabetes 2013 Norte 24 de Outubro Quinta-feira Sessão Televoter Diabetes António Pedro Machado Simões Pereira Critérios para o diagnóstico de Diabetes A1C 6.5% Gl jj 126 mg/dl ou ou PTGO - Glicémia à 2ª hora 200

Leia mais

Sedentarismo, tratamento farmacológico e circunferência abdominal no controle glicêmico de diabéticos tipo 2 em Ponta Grossa.

Sedentarismo, tratamento farmacológico e circunferência abdominal no controle glicêmico de diabéticos tipo 2 em Ponta Grossa. 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( x ) SAÚDE

Leia mais

0800 30 30 03 www.unimedbh.com.br

0800 30 30 03 www.unimedbh.com.br ANS - Nº 34.388-9 0800 30 30 03 www.unimedbh.com.br Março 2007 Programa de Atenção ao Diabetes O que é diabetes? AUnimed-BH preocupa-se com a saúde e o bem-estar dos seus clientes, por isso investe em

Leia mais

Editor. Coordenador de Normatizações e Diretrizes da SBC. Editores. Membros do Comitê. Coordenação Geral. Esta diretriz deverá ser citada como:

Editor. Coordenador de Normatizações e Diretrizes da SBC. Editores. Membros do Comitê. Coordenação Geral. Esta diretriz deverá ser citada como: Diretriz sobre o Consumo de Gorduras e Saúde Cardiovascular 137 Coordenador de Normatizações e Diretrizes da SC Harry Correa Filho Editores Guilherme Fenelon e Silvana. D. Nishioka Coordenação Geral na

Leia mais

FGV GV Saúde. Condições Crônicas Fatores de risco e prevenção. Centro de Medicina Preventiva Hospital Israelita Albert Einstein Março de 2013

FGV GV Saúde. Condições Crônicas Fatores de risco e prevenção. Centro de Medicina Preventiva Hospital Israelita Albert Einstein Março de 2013 FGV GV Saúde Condições Crônicas Fatores de risco e prevenção Centro de Medicina Preventiva Hospital Israelita Albert Einstein Março de 2013 A Revisão Continuada de Saúde Revisão Continuada de Saúde (RCS)

Leia mais

Questionário: Risco de ter diabetes

Questionário: Risco de ter diabetes Questionário: Risco de ter diabetes ATENÇÃO! Este questionário não deve ser aplicado a gestantes e pessoas menores de 18 anos. Preencha o formulário abaixo. Idade: anos Sexo: ( ) Masculino ( ) Feminino

Leia mais

Boletim de atualização da Sociedade Brasileira de Infectologia ano I nº 1 out/nov/dez 2005. As terapias combinadas de antiretrovirais

Boletim de atualização da Sociedade Brasileira de Infectologia ano I nº 1 out/nov/dez 2005. As terapias combinadas de antiretrovirais InfectologiaHoje Boletim de atualização da Sociedade Brasileira de Infectologia ano I nº 1 out/nov/dez 2005 www.infectologia.org.br Apresentação A Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) tem a satisfação

Leia mais