Uso de Citrato de Clomifeno: existe abuso?

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Uso de Citrato de Clomifeno: existe abuso?"

Transcrição

1 Hospital Regional da Asa Sul (HRAS) Setor de Reprodução 46 o Congresso Humancopia de Ginecológica Ginecologia e Obstetrícia do Distrito Federal Uso de Citrato de Clomifeno: existe abuso? Natalia I. Zavattiero Tierno

2 Citrato de Clomifeno Antagonista do estrogênio nos receptores hipotalâmicos e periféricos pulsos GnRH sensibilidade FSH e LH

3 Citrato de Clomifeno Efeitos adversos Espessura endometrial: inicialmente diminuída pelo efeito anti-estrogênico Muco cervical Aumento do risco de gravidez múltipla risco hiperestímulo Aumenta o risco de ca ovário? Baixo custo Requer pouca ou nenhuma monitorização

4 Indução da ovulação Conceitualmente visa correção de um estado anovulatório mediante o desenvolvimento de um ciclo monofolicular Hiperestimulação ovariana controlada Induzir ciclo multifolicular Lopes VM; Zavattiero NIT, Brasileiro JPB. Indução da Ovulação. Primo WQSP, Corrêa FJC. Manual de Ginecologia da SGOB. Brasília: Livre Expressão;

5 Infertilidade Análise seminal Permeabilidade tubária por HSG ou VLP Avaliação da ovulação ASRM 2006 National Institute for Health and clinical Excellence in the UK

6 Coito programado USG Clomifeno USG FD>18mm FD>18mm Progesterona mg/dia hcg R.S

7 Quais são as indicações do CC???

8 SOP 343 pacientes Prospectivo, randomizado, duplo-cego 06 meses 04 grupos: 90 cc 90 metformina 88 cc + metformina 75 modificações no estilo de vida Karimzadeh MA, Javedani M.Fertil Steril.2010; 94(1):

9 SOP Taxa de gravidez Em % CC ,2 14,4 14,8 Metformina CC + Metformina 5 Mudança Estilo de Vida 0 CC Metformina CC + Metformina Mudança Estilo de Vida Karimzadeh MA, Javedani M.Fertil Steril.2010; 94(1):

10 SOP ESHRE ASRM Utilizar citrato de clomifeno como primeira linha de tto por até 06 meses The Thessaloniki ESHRE/ASRM Sponsored PCOS Consensus Workshop Group

11 Citrato de Clomifeno Efetividade demonstrada em pacientes oligo ou anovulatórias Eficazes quando usadas em pacientes ovulatórias??

12 Citrato de Clomifeno Defeitos sutis ovulatórios não detectados por exames de rotina seriam corrigidos Aumento do folículos dominantes aumentaria a chance gravidez Aumenta o número de embriões

13 ISCA 15-30% casais infertilidade Investigação básica Extremo inferior da distribuição da fertilidade normal ou alterações não detectadas em exames de rotina Taxa de fecundidade por ciclo 1,8-3,8% Tratamento empírico Effectiveness and Treatment for Unexplained Infertility. The Practice Committee of ASRM. Fertil Steril 2006; 86:S

14 ISCA O prognóstico gravidez espontânea melhor do que nas causas conhecidas

15 Pacientes ISCA Coito Programado X Conduta Expectante

16 Citrato de Clomifeno Tratamento comum para ISCA Pode causar alterações na endocrinologia normal da ovulação Effectiveness and Treatment for Unexplained Infertility. The Practice Committee of ASRM. Fertil Steril 2006; 86:S

17 Em % 25 Coito Programado X Placebo (ISCA) 21,5% 8,1% Placebo 10 8,1% CC % 0,6% 3,1% 1,5% 3,4% 5,1%5 5,1%,1% ,1% P: 0,15 P: 0.15 P: 0,17 P: 0,04 Effectiveness and Treatment for Unexplained Infertility. The Practice Committee of ASRM. Fertil Steril 2006; 86:S111-14

18 Conclusão - Efeito significativo do citrato de clomifeno X conduta expectante, porém pequeno - 01 gravidez adicional a cada 40 ciclos (sem o último estudo) ou a cada 76 ciclos (com o último) Effectiveness and Treatment for Unexplained Infertility. The Practice Committee of ASRM. Fertil Steril 2006; 86:S

19 CC X Placebo Randomizado, duplo-cego 70 mulheres em cada grupo - ISCA 100mg CC 2 o - 6 o ou placebo USG 12 o dia HCG 5000 UI se FD >18mm. RS: entre 34-36h 03 meses de tratamento George K et al. Fertil Steril 2006;86:S100.

20 CC X Placebo Em % 25 18,5% 20% ,3% 12,9% Placebo 10 CC 5 0 Gravidez Clínica Bebê em Casa RR: 1.1 (IC ) Gravidez clínica RR: 0.89 (IC ) Bebê em casa George K et al. Fertil Steril 2006;86:S100.

21 Uso empírico do citrato de clomifeno em pacientes com ISCA não traz benefícios George K et al. Fertil Steril 2006;86:S100.

22 Citrato de clomifeno X expectante Estudo controlado randomizado ISCA, endometriose mínima Conduta expectante: RS por 06 meses CC: 50mg 2 o -6 o dia IIU sem estimulação: h após pico LH Bhattacharya S et al. BMJ 2008;a716

23 Bebê em casa Em % 25 23% 20 17% 15 14% 10 Expectante CC IIU 5 0 Expectante CC IIU RR: 0.79 (95% IC ) CC RR: 1.46 (95% IC ) IIU Bhattacharya S et al. BMJ 2008;a716.

24 Efeitos colaterais Citrato de clomifeno X expectante Dor abdominal, Fogachos, Náuseas, Cefaléia 10 a 20% CC Tto mais aceitável que expectante Bhattacharya S et al. BMJ 2008;a716.

25 A taxa de bebê em casa em pacientes ovulatórias não aumenta após uso de citrato de clomifeno Os efeitos antiestrogênicos do CC podem explicar a menor taxa de gravidez comparado com a conduta expectante em pacientes ovulatórias. Bhattacharya S et al. BMJ 2008;a716.

26 CC X expectante X IIU Randomizado 5 hospitais da Escócia 580 pctes Conduta expectante, CC, IIU ciclo natural 6 meses Wordsworth et al. Human Reprod. 2011:26,

27 CC X expectante X IIU Em % Expectante CC 10 IIU 5 0 Expectante CC IIU Wordsworth et al. Human Reprod. 2011:26,

28 CC X expectante X IIU Custo mais alto com CC e IIU em ciclo natural Tratamento empírico CC e IIU não se mostrou melhor que a conduta expectante. Wordsworth et al. Human Reprod. 2011:26,

29 Citrato de clomifeno em pacientes com ISCA CC 50 a 100mg X placebo ou tto expectante Bebê em casa Estudos randomizados controlados 1159 pacientes de 07 estudos controlados Hughes E, et al. Clomiphene citrate for unexplained subfertility in women. Cochrane Database Syst Rev 2010;1:CD

30 Citrato de clomifeno em pacientes com ISCA Bebê em Casa Gravidez Clínica CC X placebo RR: 0.79 (IC , p = 0.41) RR: 1.03 (IC ; p =0.91) CC com IIU X placebo RR: 2.4 (IC ; p =0.16) CC com HCG X placebo RR: 1.66 (IC ; p =0.35) Hughes E, et al. Clomiphene citrate for unexplained subfertility in women. Cochrane Database Syst Rev 2010;1:CD000057

31 Não há evidência de benefício clínico no uso do citrato de clomifeno para coito programdo em pacientes com ISCA. Hughes E, et al. Clomiphene citrate for unexplained subfertility in women. Cochrane Database Syst Rev 2010;1:CD000057

32 ASRM e ESHRE 2012 SOP: Rotterdam Thessaloniki 2008 Modificação estilo de vida Citrato de clomifeno primeira opção ISCA Conduta expectante CC/IIU FSH/IIU?? FIV Usar CC não aumenta a taxa de nascidos vivos comparado com a conduta expectante IDADE anos FIV Gianaroli L et al Hum Reprod. 2012; 27:

33 Citrato de clomifeno X Idade Armstrong S, Akande V. J Assist Reprod Genet. 29 março 2013.

34 Citrato de clomifeno X Idade Conclusão: - Estudos sugerem FIV melhor opção - CC e IIU podem atrasar a concepção desnecessariamente Armstrong S, Akande V. J Assist Reprod Genet. 29 março 2013.

35 Dose 150mg maior dose FDA: 750 mg por ciclo Imani et al. J Clin Endocrinol Metabol 1998;83: Palomba S. et al Fertil Steril 2006;86: National Institute for Clinical Excellence. A clinical guideline. 2004

36 Tempo de uso Kousta E. et al. Human Reprod 1997;3:

37 Tempo de uso Sem evidências de efetividade após 06 meses ASRM The Thessaloniki ESHRE/ASRM Sponsored PCOS Consensus Workshop Group

38 Uso de citrato de clomifeno existe abuso?

39 Uso de citrato de clomifeno existe abuso? SIM

40 OBRIGADA!

PROPEDÊUTICA BÁSICA DO CASAL INFÉRTIL

PROPEDÊUTICA BÁSICA DO CASAL INFÉRTIL PROPEDÊUTICA BÁSICA DO CASAL INFÉRTIL Profa. Márcia Mendonça Carneiro Departamento de Ginecologia e Obstetrícia FM-UFMG Ambulatório de Dor Pélvica Crônica e Endometriose HC- UFMG G INFERTILIDADE Incapacidade

Leia mais

SOLUÇÃO PARA A INFERTILIDADE

SOLUÇÃO PARA A INFERTILIDADE Revista: Carta Capital 28 de Agosto de 2002 SOLUÇÃO PARA A INFERTILIDADE DOIS ESPECIALISTAS DIZEM O QUE É CIÊNCIA E O QUE É MITO, ESCLARECEM AS POSSÍVEIS CAUSAS DO PROBLEMA E AS MELHORES ALTERNATIVAS PARA

Leia mais

Avaliação da Infertilidade

Avaliação da Infertilidade Avaliação da Infertilidade Dr. Eduardo Camelo de Castro Ginecologista e Obstetra Professor do Curso de Pós Graduação em Reprodução Humana da PUC-GO Experiência devastadora, comparanda ao divórcio e ao

Leia mais

AVALIAÇÃO BÁSICA DA INFERTILIDADE CONJUGAL. Fatores masculinos: 23% das causas Fatores inexplicáveis: 28% das causas Fatores femininos: 48% das causas

AVALIAÇÃO BÁSICA DA INFERTILIDADE CONJUGAL. Fatores masculinos: 23% das causas Fatores inexplicáveis: 28% das causas Fatores femininos: 48% das causas CAPÍTULO 1 1 Definição: AVALIAÇÃO BÁSICA DA INFERTILIDADE CONJUGAL Adner Nobre Elfie Tomaz Figueiredo Francisco C Medeiros Incapacidade de engravidar após 12 meses ou mais de relações sexuais regulares

Leia mais

Estratégias de preservação da fertilidade em pacientes com câncer. Iúri Donati Telles de Souza Especialista em Reprodução Humana USP Ribeirão Preto

Estratégias de preservação da fertilidade em pacientes com câncer. Iúri Donati Telles de Souza Especialista em Reprodução Humana USP Ribeirão Preto Estratégias de preservação da fertilidade em pacientes com câncer de mama Iúri Donati Telles de Souza Especialista em Reprodução Humana USP Ribeirão Preto Câncer de mama e fertilidade Por que? Como o tratamento

Leia mais

Infertilidade no consultório: Autora: Lara Morales- R2 Orientadora: Dra. Maria Albina

Infertilidade no consultório: Autora: Lara Morales- R2 Orientadora: Dra. Maria Albina Infertilidade no consultório: como conduzir Autora: Lara Morales- R2 Orientadora: Dra. Maria Albina Infertilidade Definição: Ausência de concepção após um ano mantendo relações sexuais sem proteção PRIMÁRIA

Leia mais

INFORMATIVO PROFERT - VOLUME 1 - NÚMERO 5-22/10/2009

INFORMATIVO PROFERT - VOLUME 1 - NÚMERO 5-22/10/2009 INFORMATIVO PROFERT - VOLUME 1 - NÚMERO 5-22/10/2009 Prezado(a) colega, Você recebe agora o QUARTO capítulo do programa "Reprodução Assistida no Consultório". O tema abordado aqui é: "Estimulação ovariana

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CASAL INFÉRTIL PONTO DE VISTA DA IMAGIOLOGIA GINECOLÓGICA

AVALIAÇÃO DO CASAL INFÉRTIL PONTO DE VISTA DA IMAGIOLOGIA GINECOLÓGICA AVALIAÇÃO DO CASAL INFÉRTIL PONTO DE VISTA DA IMAGIOLOGIA GINECOLÓGICA Renato Silva Martins Julho 2013 Introdução: Problemática da Infertilidade ESHRE European Society of Human Reproduction and Embriology

Leia mais

CAPÍTULO 1 AVALIAÇÃO BÁSICA DA INFERTILIDADE CONJUGAL. Adner Nobre Elfie Tomaz Figueiredo Francisco C Medeiros. 1 Definição:

CAPÍTULO 1 AVALIAÇÃO BÁSICA DA INFERTILIDADE CONJUGAL. Adner Nobre Elfie Tomaz Figueiredo Francisco C Medeiros. 1 Definição: CAPÍTULO 1 1 Definição: AVALIAÇÃO BÁSICA DA INFERTILIDADE CONJUGAL Adner Nobre Elfie Tomaz Figueiredo Francisco C Medeiros Incapacidade de engravidar após 12 meses ou mais de relações sexuais regulares

Leia mais

Estimulação Ovariana. Dr. João Pedro Junqueira

Estimulação Ovariana. Dr. João Pedro Junqueira Estimulação Ovariana Dr. João Pedro Junqueira Abordagem da Paciente com Baixa Resposta Prof Dimitris Loutradis,, (GRC) Abordagem da Paciente com Baixa Resposta Definição 1) < 3 53 5 folículos dominantes

Leia mais

Unidade 1 - REPRODUÇÃO E MANIPULAÇÃO DA FERTILIDADE

Unidade 1 - REPRODUÇÃO E MANIPULAÇÃO DA FERTILIDADE Que modificações ocorrem no organismo feminino após a nidação? A nidação e as primeiras fases de gestação encontram-se sob estreito controlo hormonal. A hormona hcg estimula o corpo lúteo a produzir hormonas,

Leia mais

Avaliação da Reserva Ovariana e Manejo da Má Respondedora. Dr. Alvaro Petracco

Avaliação da Reserva Ovariana e Manejo da Má Respondedora. Dr. Alvaro Petracco Avaliação da Reserva Ovariana e Manejo da Má Respondedora Dr. Alvaro Petracco Quem é uma má respondedora? Literatura controversa Cautela na interpretação de dados Definição Relacionada a idade Níveis de

Leia mais

FISIOLOGIA DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO

FISIOLOGIA DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO 1 UNIVERSIDADE DE CUIABÁ Atividade Presencial: estudo através de Textos e Questionários realizado em sala de aula SOBRE A FISIOLOGIA DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO CADA ESTUDANTE DEVERÁ IMPRIMIR E LEVAR

Leia mais

USO ORAL - ADULTO. Forma farmacêutica: Comprimidos.

USO ORAL - ADULTO. Forma farmacêutica: Comprimidos. USO ORAL - ADULTO Forma farmacêutica: Comprimidos. Apresentações: Caixa contendo 1 blister com 10 comprimidos. Caixa contendo 3 blísteres com 10 comprimidos cada. Cada comprimido contém 50 mg de citrato

Leia mais

Jean Carl Silva. Declaração de conflito de interesse

Jean Carl Silva. Declaração de conflito de interesse Jean Carl Silva Declaração de conflito de interesse Não recebi qualquer forma de pagamento ou auxílio financeiro de entidade pública ou privada para pesquisa ou desenvolvimento de método diagnóstico ou

Leia mais

PROGRAMAS DE IATF EM NOVILHAS ZEBUÍNAS

PROGRAMAS DE IATF EM NOVILHAS ZEBUÍNAS ANEXO TÉCNICO DO MANUAL DE SINCRONIZAÇÃO E INSEMINAÇÃO EM TEMPO FIXO EM BOVINOS PROGRAMAS DE IATF EM NOVILHAS ZEBUÍNAS Os protocolos de inseminação artificial em tempo fixo (IATF) são utilizados de forma

Leia mais

XIII Reunião Clínico - Radiológica XVII Reunião Clínico - Radiológica. Dr. RosalinoDalasen. www.digimaxdiagnostico.com.br/

XIII Reunião Clínico - Radiológica XVII Reunião Clínico - Radiológica. Dr. RosalinoDalasen. www.digimaxdiagnostico.com.br/ XIII Reunião Clínico - Radiológica XVII Reunião Clínico - Radiológica Dr. RosalinoDalasen www.digimaxdiagnostico.com.br/ CASO CLÍNICO IDENTIFICAÇÃO: S.A.B. Sexo feminino. 28 anos. CASO CLÍNICO ENTRADA

Leia mais

Clomifeno Citrato. Aplicações. Possibilidade do uso de diferentes dosagens de acordo com a necessidade do paciente. Indicações

Clomifeno Citrato. Aplicações. Possibilidade do uso de diferentes dosagens de acordo com a necessidade do paciente. Indicações Material Técnico Identificação Fórmula Molecular: C 26 H 28 ClNO.C 6 H 8 O 7 Peso molecular: 598,08 DCB/ DCI: 02293 citrato de clomifeno CAS: 50-41-9 INCI: Não aplicável Sinonímia: Citrato de Clomifeno

Leia mais

Milagre do Nascimento

Milagre do Nascimento Milagre do Nascimento A ciência colabora com o sonho de casais que não poderiam ter filhos por métodos tradicionais. Por Viviane Bittencourt A inseminação artificial é um dos métodos da reprodução assistida

Leia mais

Mas por que só pode entrar um espermatozóide no óvulo???

Mas por que só pode entrar um espermatozóide no óvulo??? Mas por que só pode entrar um espermatozóide no óvulo??? Lembre-se que os seres humanos só podem ter 46 cromossomos, sendo um par sexual, por exemplo: se dois espermatozóides com cromossomo sexual X e

Leia mais

Como prever a falência ovariana? Taxas de sucesso com congelamento/fiv

Como prever a falência ovariana? Taxas de sucesso com congelamento/fiv Como prever a falência ovariana? Taxas de sucesso com congelamento/fiv Serviço de Ginecologia HUCFF Tamara Paz (R2) Orientadora: Dra. Juraci Ghiaroni Envelhecimento feminino e infertilidade Ao nascimento:

Leia mais

Estimulação Ovariana. Agonistas. Dr. Eduardo Pandolfi Passos

Estimulação Ovariana. Agonistas. Dr. Eduardo Pandolfi Passos Estimulação Ovariana Agonistas Dr. Eduardo Pandolfi Passos Agonista Conteúdo História Citrato de clomifene Gonadotrofinas Agonista do GnRH 2 1931, Fevold evidencia o eixo pituitária - gônada 1940, A Schein

Leia mais

A neurohipófise tem comunicação

A neurohipófise tem comunicação A aula de hoje é sobre o eixo hipotálamohipófise - ovário. Porque que nós vamos falar desse eixo? Porque é ele que rege toda a fisiologia hormonal feminina, então pra nós falarmos do ciclo menstrual, nós

Leia mais

ABORDAGEM DO CASAL INFÉRTIL

ABORDAGEM DO CASAL INFÉRTIL ABORDAGEM DO CASAL INFÉRTIL DEFINIÇÃO Infertilidade é a incapacidade do casal engravidar, após um ano de relações sexuais regulares, sem uso de método contraceptivos. A chance de um casal normal engravidar

Leia mais

QUANDO INDICAR FERTILIZAÇÃO IN VITRO

QUANDO INDICAR FERTILIZAÇÃO IN VITRO 1 INFORMATIVO PROFERT - VOLUME 1 - NÚMERO 7-20/12/2009 Prezado(a) colega, Você recebe agora o SEXTO capítulo do programa "Reprodução Assistida no Consultório", com o tema "Quando encaminhar o casal para

Leia mais

Lê com atenção e reflecte antes de responder. Boa sorte!

Lê com atenção e reflecte antes de responder. Boa sorte! Agrupameo de Escolas de Casquilh Escola Secundária de Casquilh 2º Teste Sumativo (90 minut) DISCIPLINA DE BIOLOGIA 12ºano Turmas A e B TEMA: Reprodução Humana e Engenharia Genética Dezembro 2013 Professora

Leia mais

Terapia hormonal de baixa dose. Elvira Maria Mafaldo Soares UFRN/SOGORN

Terapia hormonal de baixa dose. Elvira Maria Mafaldo Soares UFRN/SOGORN Terapia hormonal de baixa dose Elvira Maria Mafaldo Soares UFRN/SOGORN Alterações endócrinas no Climatério pg/ml mui/ml mui/ml 150 FSH 80 60 100 50 0-8 -6-4 -2 0 2 4 6 8 anos Menopausa LH Estradiol 40

Leia mais

HORMÔNIOS SEXUAIS SISTEMA ENDÓCRINO FISIOLOGIA HUMANA

HORMÔNIOS SEXUAIS SISTEMA ENDÓCRINO FISIOLOGIA HUMANA HORMÔNIOS SEXUAIS SISTEMA ENDÓCRINO FISIOLOGIA HUMANA GLÂNDULAS SEXUAIS GÔNADAS MASCULINAS = TESTÍCULOS GÔNADAS FEMININAS = OVÁRIOS PRODUZEM GAMETAS E HORMÔNIOS SEXUAIS CONTROLE HORMONAL DO SISTEMA TESTÍCULOS

Leia mais

Indux (citrato de clomifeno) EMS Sigma Pharma Ltda. comprimido 50 mg

Indux (citrato de clomifeno) EMS Sigma Pharma Ltda. comprimido 50 mg Indux (citrato de clomifeno) EMS Sigma Pharma Ltda. comprimido 50 mg I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nome comercial: Indux Nome genérico: citrato de clomifeno APRESENTAÇÕES: Comprimidos de 50 mg: embalagem

Leia mais

Paciente de Alto Risco

Paciente de Alto Risco Paciente de Alto Risco Novas Fronteiras do Bloqueio Estrogênico na Prevenção do Câncer de Mama Não há conflitos de interesse. Nunca recebi qualquer forma de pagamento ou auxílio financeiro de entidade

Leia mais

Amenorréia Induzida: Indicações. XIX Jornada de Ginecologia e Obstetrícia do Rio Grande do Norte XVI Jornada da Maternidade Escola Januário Cicco

Amenorréia Induzida: Indicações. XIX Jornada de Ginecologia e Obstetrícia do Rio Grande do Norte XVI Jornada da Maternidade Escola Januário Cicco Amenorréia Induzida: Indicações XIX Jornada de Ginecologia e Obstetrícia do Rio Grande do Norte XVI Jornada da Maternidade Escola Januário Cicco I. Amenorréia Amenorréia secundária é um distúrbio que se

Leia mais

Necessidade de alerta à gravidez tardia

Necessidade de alerta à gravidez tardia Necessidade de alerta à gravidez tardia Conscientização para a sociedade do envelhecimento ovular Em 1960: mulher = 6,3 filhos Em 2010: mulher = 1,9 filhos Taxa de reposição = 2,1 filhos Conscientização

Leia mais

Os exames que avaliam a fertilidade do casal

Os exames que avaliam a fertilidade do casal CAPÍTULO 4 Os exames que avaliam a fertilidade do casal Na pesquisa da fertilidade, os fatores são estudados levando-se em consideração cada uma das etapas no processo de reprodução. Para cada uma delas,

Leia mais

Raniê Ralph GO. 24 de Setembro de 2008. Professor Sobral. Ciclo Menstrual

Raniê Ralph GO. 24 de Setembro de 2008. Professor Sobral. Ciclo Menstrual 24 de Setembro de 2008. Professor Sobral. Ciclo Menstrual Fisiologia O ciclo menstrual para ocorrer depende de uma série de intercomunicações entre diversos compartimentos femininos. Todo o ciclo menstrual

Leia mais

o estado da arte em 2015 Amália Martins Ana Fatela Ermelinda Pinguicha Tereza Paula

o estado da arte em 2015 Amália Martins Ana Fatela Ermelinda Pinguicha Tereza Paula o estado da arte em 2015 Amália Martins Ana Fatela Ermelinda Pinguicha Tereza Paula WHI, DOPS, KEEPS, ELITE DOPS 2012 E2 trifasico NETA E2 16 1006 45-58 (49,7) >3>24M (7) morte, EAM risco mortalidade,

Leia mais

Quais hormônios regulam a ovogênese?

Quais hormônios regulam a ovogênese? Controle Endócrino da Ovogênese Ciclo Sexual Feminino Prof. Dr. Wellerson Rodrigo Scarano Departamento de Morfologia 1 Quais hormônios regulam a ovogênese? 2 1 CONTROLE HORMONAL DA OVOGÊNESE A ovogênese

Leia mais

Newton Busso. Declaração de conflito de interesse

Newton Busso. Declaração de conflito de interesse Declaração de conflito de interesse Não recebi qualquer forma de pagamento ou auxílio financeiro de entidade pública ou privada para pesquisa ou desenvolvimento de método diagnóstico ou terapêutico ou

Leia mais

Revised American Thyroid Association Management Guidelines for Patients with Thyroid Nodules and Differentiated Thyroid Cancer.

Revised American Thyroid Association Management Guidelines for Patients with Thyroid Nodules and Differentiated Thyroid Cancer. Conduta no NT Resultado citológico diagnóstico ou suspeito de CTP cirurgia é recomendada. (A) Nódulos parcialmente císticos com aspirados repetidamente não diagnósticos observação rigorosa ou cirurgia

Leia mais

Doação de gâmetas. Faculdade de Medicina Universidade de Lisboa Ética e Deontologia Médicas Prof. Doutor Miguel Oliveira e Silva Maio 2010

Doação de gâmetas. Faculdade de Medicina Universidade de Lisboa Ética e Deontologia Médicas Prof. Doutor Miguel Oliveira e Silva Maio 2010 Faculdade de Medicina Universidade de Lisboa Ética e Deontologia Médicas Prof. Doutor Miguel Oliveira e Silva Maio 2010 Doação de gâmetas Trabalho realizado por: Ana Catarina Henriques Anabela Aires Maria

Leia mais

ZOLADEX 3,6 mg e ZOLADEX LA 10,8 mg acetato de gosserrelina

ZOLADEX 3,6 mg e ZOLADEX LA 10,8 mg acetato de gosserrelina ZOLADEX 3,6 mg e ZOLADEX LA 10,8 mg acetato de gosserrelina I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO ZOLADEX acetato de gosserrelina Atenção: seringa com sistema de proteção da agulha APRESENTAÇÃO Depot de 3,6

Leia mais

Gestação de Substituição ASPECTOS PSICOLÓGICOS II Simpósio de Direito Biomédico OAB Cássia Cançado Avelar Psicóloga Centro Pró-Criar Gestação de Substituição Esse tratamento é indicado para pacientes que

Leia mais

(www.gineco.com.br) Com relação às alterações hormonais que ocorrem no ciclo menstrual, é correto afirmar que

(www.gineco.com.br) Com relação às alterações hormonais que ocorrem no ciclo menstrual, é correto afirmar que 01 - (Unicastelo SP) O gráfico representa os níveis de concentração dos diferentes hormônios femininos, no organismo, durante o ciclo menstrual. (www.gineco.com.br) Com relação às alterações hormonais

Leia mais

ZOLADEX 3,6 mg e ZOLADEX LA 10,8 mg (acetato de gosserrelina)

ZOLADEX 3,6 mg e ZOLADEX LA 10,8 mg (acetato de gosserrelina) ZOLADEX 3,6 mg e ZOLADEX LA 10,8 mg (acetato de gosserrelina) I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO ZOLADEX acetato de gosserrelina APRESENTAÇÃO Atenção: seringa com sistema de proteção da agulha Depot de 3,6

Leia mais

TERAPIA DE REPOSIÇÃO HORMONAL. Prof. Eduardo J. Campos Leite Universidade Federal de Pernambuco Disciplina de Ginecologia campolei@terra.com.

TERAPIA DE REPOSIÇÃO HORMONAL. Prof. Eduardo J. Campos Leite Universidade Federal de Pernambuco Disciplina de Ginecologia campolei@terra.com. TERAPIA DE REPOSIÇÃO HORMONAL Prof. Eduardo J. Campos Leite Universidade Federal de Pernambuco Disciplina de Ginecologia campolei@terra.com.br Estrogênios? O que existe por trás desta linda mulher? T R

Leia mais

Conduta no endometrioma na mulher que quer engravidar. Dr. Iúri Telles

Conduta no endometrioma na mulher que quer engravidar. Dr. Iúri Telles Conduta no endometrioma na mulher que quer engravidar Endometrioma em pacientes com prole definida Se dor: Laparoscopia com excisão completa da cápsula Se não tem dor: conduta expectante ativa USTV e CA125

Leia mais

Docente do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da FMRP-USP Ribeirão Preto (SP), Brasil 4

Docente do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da FMRP-USP Ribeirão Preto (SP), Brasil 4 revisão sistematizada Hormônios utilizados na estimulação ovariana Hormones used for ovarian stimulation Wellington de Paula Martins 1 Carolina Oliveira Nastri 2 Paula Andrea de Albuquerque Sales Navarro

Leia mais

Osteoporose e a importância do Cálcio e Vitamina D

Osteoporose e a importância do Cálcio e Vitamina D Osteoporose e a importância do Cálcio e Vitamina D 13 th ILSI Brasil International Workshop on Functional Foods Nutrição e envelhecimento saudável Profª Associada Lígia Araújo Martini Departamento de Nutrição

Leia mais

Classificação: valores

Classificação: valores ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS BARREIRO 1º Teste Sumativo DISCIPLINA DE BIOLOGIA 12ºano Turma A TEMA : Reprodução Humana 20 de Outubro de 2011 90 minutos Nome: Nº Classificação: valores A professora:

Leia mais

FILIAÇÃO NA FECUNDAÇÃO IN VITRO. Thiago Kotula Brondani

FILIAÇÃO NA FECUNDAÇÃO IN VITRO. Thiago Kotula Brondani 1 FILIAÇÃO NA FECUNDAÇÃO IN VITRO Thiago Kotula Brondani Os avanços médicos-científicos e a disseminação das técnicas de reprodução humana assistida tornaram necessária a imposição de limites éticos e

Leia mais

Ricardo M. R. Meirelles

Ricardo M. R. Meirelles O DIABETES NA TERCEIRA IDADE Distúrbio Androgênico do Envelhecimento no Homem com Diabetes e Síndrome Metabólica Ricardo M. R. Meirelles Professor Associado de Endocrinologia PUC-Rio Presidente da Sociedade

Leia mais

Analgesia no Pós-Parto

Analgesia no Pós-Parto Analgesia no Pós-Parto Patrícia Medeiros de Souza 1 Kristiana Murad 2 Ana Tereza Silva Gonçalves 3 Neiza Freire Veleda 3 Rodolfo Corrêa 3 Ana Carolina de Oliveira 4 Silândia Amaral da Silva Freitas 5 Associação

Leia mais

Guia de Orientação para tratamento da infertilidade

Guia de Orientação para tratamento da infertilidade Guia de Orientação para tratamento da infertilidade Parabéns! Ao receber este guia vocês terão tomado a importante decisão de ter filhos. Pode ser que estejam tentando descobrir os motivos porque eles

Leia mais

ZOLADEX (acetato de gosserrelina) AstraZeneca do Brasil Ltda. Depot. 3,6 mg e 10,8 mg

ZOLADEX (acetato de gosserrelina) AstraZeneca do Brasil Ltda. Depot. 3,6 mg e 10,8 mg ZOLADEX (acetato de gosserrelina) AstraZeneca do Brasil Ltda. Depot 3,6 mg e 10,8 mg ZOLADEX 3,6 mg e ZOLADEX LA 10,8 mg acetato de gosserrelina I) IDENTIFICAÇÃO DO ZOLADEX acetato de gosserrelina Atenção:

Leia mais

RESIDÊNCIA MÉDICA 2015.

RESIDÊNCIA MÉDICA 2015. Recursos de estudo na Área do Aluno Site SJT Educação Médica Aula À La Carte Simulados Presenciais e on-line Cursos Extras Antibioticoterapia Prático SJT Diagnóstico por imagem Eletrocardiografia Revisão

Leia mais

Biotecnologia da Reprodução. Inseminação artificial. Transferência de embriões. Produção de animais transgênicos. Clonagem Cultura de células-tronco

Biotecnologia da Reprodução. Inseminação artificial. Transferência de embriões. Produção de animais transgênicos. Clonagem Cultura de células-tronco 23/07/12 Produção e Manipulação de Pré-embriões Inseminação artificial Fertilização in vitro Biotecnologia da Reprodução Produção de animais transgênicos Biopsia de embrião Determinação genética pré-implante

Leia mais

Subfertilidade Resumo de diretriz NHG M25 (segunda revisão, abril 2010)

Subfertilidade Resumo de diretriz NHG M25 (segunda revisão, abril 2010) Subfertilidade Resumo de diretriz NHG M25 (segunda revisão, abril 2010) Van Asselt KM, Hinloopen RJ, Silvius AM, Van der Linden PJQ, Van Oppen CCAN, Van Balen JAM traduzido do original em holandês por

Leia mais

Hipogonadismo. O que é Hipogonadismo? Causas 25/02/ 2015. Minhavida.com.br

Hipogonadismo. O que é Hipogonadismo? Causas 25/02/ 2015. Minhavida.com.br Hipogonadismo O que é Hipogonadismo? Hipogonadismo é uma doença na qual as gônadas (testículos nos homens e ovários nas mulheres) não produzem quantidades adequadas de hormônios sexuais, como a testosterona

Leia mais

Para compreender como os cistos se formam nos ovários é preciso conhecer um pouco sobre o ciclo menstrual da mulher.

Para compreender como os cistos se formam nos ovários é preciso conhecer um pouco sobre o ciclo menstrual da mulher. Cistos de Ovário Os ovários são dois pequenos órgãos, um em cada lado do útero. É normal o desenvolvimento de pequenos cistos (bolsas contendo líquidos) nos ovários. Estes cistos são inofensivos e na maioria

Leia mais