PLANO DE ENSINO. I DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1. Campus: Uruguaiana 2. Curso: Enfermagem 3. Componente Curricular: Semiologia e Semiotécnica de Enfermagem

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLANO DE ENSINO. I DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1. Campus: Uruguaiana 2. Curso: Enfermagem 3. Componente Curricular: Semiologia e Semiotécnica de Enfermagem"

Transcrição

1 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PLANO DE ENSINO I DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1. Campus: Uruguaiana 2. Curso: Enfermagem 3. Componente Curricular: Semiologia e Semiotécnica de Enfermagem 4. Código: UR º semestre 5. Pré-requisito(s): Anatomia II, Fundamentos de Enfermagem. 6. Docente Responsável: Scheffer Schell da Silva Docentes da Disciplina: - Scheffer Schell da Silva 7. Turma(s): Turma A, B, C, D, E - Anali Martegani Ferreira 9. Turno: Tarde Horário: 8. Ano Letivo/Semestre: 2011/2 3ª feiras - 15:30 às 19:30 (Teórica) 3ª feiras - 19:30 às 20:30 (Prática) Sala: 607 (Teórica) / 201 (Prática) 10. Carga Horária: 75 horas (05 créditos) 11. Créditos Teóricos: Créditos Práticos: 01 II EMENTA Biossegurança no ambiente de cuidado. Precauções padrão. Sinais vitais nas diferentes fases da vida. Dor como quinto sinal vital. Propedêutica em Enfermagem (inspeção, palpação, percussão e ausculta). Exame físico nos diferentes sistemas corporais. Estudo avançado do Processo de Enfermagem com ênfase no Histórico, Diagnóstico e Planejamento do Cuidado. III - OBJETIVO(S) Habilitar o acadêmico para: - reconhecer situações de risco à saúde no ambiente de trabalho e à saúde do indivíduo. - realizar as técnicas para o exame físico nos indivíduos nas diferentes fases da vida. - realizar a avaliação de saúde nos indivíduos nas diferentes fases da vida. - desenvolver habilidades de escrita dos registros de enfermagem, de forma clara e concisa, com base no Processo de Enfermagem. IV CONTEÚDOS Unidade 1: Biossegurança no ambiente de cuidado 1.1 Precauções padrão (lavagem de mãos, anti-sepsia das mãos, uso de equipamento de proteção individual) 1.2 Limpeza e desinfecção das áreas internas e externas das instituições de saúde 1.3 Centro de Material Esterilizado (limpeza, desinfeção e esterilização de equipamentos e materiais) 1.4 Segurança do paciente, prevenção e controle de infecções Unidade 2: Sinais vitais nas diferentes fases da vida e a dor como 5º sinal vital Unidade 3: Exame Físico em Enfermagem: ferramenta para o levantamento de dados do indivíduo 3.1 Propedêutica: inspeção, percussão, palpação e ausculta 3.2 Ectoscopia, exame físico geral e peculiaridades nas diferentes fases da vida: criança, adulto e idoso. 3.3 Sistema tegumentar 3.4 Tórax, mamas e axilas 3.5 Sistema respiratório 3.6 Sistema cardiovascular 3.7 Sistema digestório 3.8 Sistema geniturinário 3.9 Sistema musculoesquelético 3.10 Sistema vascular periférico e linfático 3.11 Sistema neurológico e neurossensorial Unidade 4: Estudo avançado do Processo de Enfermagem com ênfase no Histórico, Diagnóstico e Planejamento do Cuidado 4.1 Histórico de Enfermagem (Anamnese e Exame Físico)

2 2 4.2 Diagnósticos de Enfermagem 4.3 Planejamento do Cuidado Unidade 5: Registros de Enfermagem 5.1 Evolução (Sistema Weed e outros) 5.2 Nota de admissão 5.3 Nota de transferência 5.4 Nota de alta 5.5 Nota de óbito 5.6 Ficha de sinais vitais, infusões, drenagens e eliminações. V METODOLOGIA Os recursos didáticos utilizados para o desenvolvimento da disciplina serão constituídos de estudo independente, aula expositivo-dialogada, aulas teórico-práticas, seminário, estudo dirigido, resolução de situação-problema. TÉCNICAS RECURSOS Deverá ser realizado autonomamente pelo aluno conforme as especificidades e demandas dos conteúdos, utilizando livros e artigos Estudo independente científicos. Serão disponibilizados materiais para estudo através do Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) Moodle. Aulas expositivo-dialogadas Quadro negro, Slides em arquivo Power Point Aulas teórico-práticas Seminários Estudos de caso Laboratório de Ensino (manequins) Quadro negro, Slides em arquivo Power Point, Filme Estudo de caso, Slides em arquivo Power Point, Artigos científicos Resolução de situaçãoproblema Situações problema, artigos científicos VI AVALIAÇÃO DO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM A avaliação do processo de ensino e aprendizagem tem finalidade diagnóstica, formativa e somativa. Deve ser realizada no transcorrer das atividades propostas de forma contínua e sistemática. Para a avaliação serão utilizados os seguintes critérios: conhecimentos teóricos e sua associação com a prática, desenvolvimento de técnicas e habilidades, assiduidade, pontualidade, interesse e participação do acadêmico. 1) Instrumentos de Avaliação: N1: Uma (01) Atividade Teórica em grupo Seminário Sistema Corporal (Valor 2,0) N2: Uma (01) Avaliação Teórica individual Prova Escrita (Valor 2,0) N3: Uma (01) Avaliação Teórica Cumulativa individual Prova Escrita (Valor 3,0) N4: Uma (01) Atividade Prática em grupo - Cliente Virtual (Valor 2,0) N5: Participação nas aulas e assiduidade durante a disciplina (Valor 1,0) ATENÇÃO: Todos os trabalhos deverão seguir as regras de redação científica, utilizando-se o Manual para Elaboração e Normalização de Trabalhos Acadêmicos Conforme Normas da ABNT da UNIPAMPA. 2) Critérios para obtenção da nota final: A nota final será expressa através do seguinte cálculo, onde já serão considerados os pesos da referida nota: NOTA FINAL = N1(valor 2,0) + N2(valor 2,0) + N3(valor 3,0) + N4(valor 2,0) + N5(valor 1,0) 1) Frequência A frequência mínima exigida é de 75% conforme a Resolução nº 29, de 28 de abril de 2011 da UNIPAMPA. A entrega de atestado ou laudo médico deve ocorrer em até 72 horas após sua emissão a Secretaria Acadêmica do Campus, ressalvados os casos de impossibilidade para tal procedimento. 2) Avaliação Final O acadêmico deverá atingir a nota igual ou maior do que seis (6,0) e possuir a frequência mínima de 75% no componente curricular para ser considerado aprovado. VII - ATIVIDADES DE RECUPERAÇÃO PREVENTIVA DO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM As atividades de recuperação preventiva serão oferecidas aos acadêmicos como forma de superação da aprendizagem insuficiente. As atividades poderão ser oferecidas nas seguintes formas: seminário, estudo dirigido, estudo de caso, resolução de situações problema, resenha e/ou paper.

3 Ao acadêmico que, após a atividade de recuperação preventiva, não atingir a nota seis (6,0) será oferecida uma avaliação teórica de recuperação escrita individual, composta por questões abertas e fechadas, a ser realizada conforme o cronograma da disciplina. A nota máxima que poderá ser obtida na avaliação de recuperação é seis (6,0) e substituirá a nota final geral obtida pelo acadêmico. Afastamentos legais (licença saúde e licença gestante/maternidade): será oportunizada a recuperação dos dias perdidos por meio de atividades teóricas e/ou práticas, mediante protocolo na Secretaria Acadêmica do Campus. VIII CRONOGRAMA (3ª feira: 5 horas/aula por dia) AGOSTO Data Conteúdo Professora(s) - Apresentação da disciplina. - Divisão dos grupos para Seminários Sistemas Corporais (APÊNDICE I) Todas 16 - Precauções padrão (lavagem de mãos, anti-sepsia das mãos, uso de equipamento de proteção individual); - Limpeza e desinfecção das áreas internas e externas das instituições de saúde; - Centro de Material Esterilizado (limpeza, desinfecção e esterilização de equipamentos e materiais); - Segurança do paciente, prevenção e controle de infecções. Sinais vitais nas diferentes fases da vida e a dor como 5º sinal vital Anali 23 - Propedêutica: inspeção, percussão, palpação e ausculta - Ectoscopia, exame físico geral e peculiaridades nas diferentes fases da vida: criança, adulto e idoso. Apresentação Seminários: 30 - Sistema tegumentar, tórax, mamas e axilas - Sistema respiratório - Sistema cardiovascular SETEMBRO 06 1ª Avaliação Teórica Anali 13 Apresentação Seminários: - Sistema digestório - Sistema geniturinário Anali - Sistema musculoesquelético 20 FERIADO Revolução Farroupilha Apresentação Seminários: - Sistema vascular periférico e linfático Anali - Sistema neurológico e neurossensorial OUTUBRO 04 - Estudo avançado do Processo de Enfermagem com ênfase no Histórico de Enfermagem, Diagnóstico de Enfermagem e Planejamento do Cuidado - Evolução (Sistema Weed e outros) - Nota de admissão, transferência, alta, óbito - Ficha de sinais vitais, infusões, drenagens e eliminações 11 Aula prática: - Lavagem de mãos; - Uso de equipamento de proteção individual; - Sinais Vitais; - Avaliação da dor; - Exame Físico nas diferentes fases da vida (Técnicas Propedêuticas). 18 2ª Avaliação Teórica (todo o conteúdo da disciplina) 25 III Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão (III SIEPE) NOVEMBRO - Divisão dos grupos para Atividade Teórico Prática Cliente Virtual (5 grupos) (APÊNDICE II); - Preparação da Atividade Prática Cliente Virtual. 3

4 08 Aula prática: Cliente Virtual (4 grupos) 15 FERIADO Proclamação da República 22 Aula prática: Cliente Virtual (4 grupos) 29 Divulgação das notas. Avaliação da disciplina. Todas Estudo independente para avaliação teórica de recuperação. DEZEMBRO 06 Avaliação Teórica de Recuperação. Encerramento da disciplina e divulgação das notas finais. Todas IX - REFERÊNCIAS BÁSICAS (Leituras Obrigatórias) ALFARO-LEFEVRE, R. Aplicação do processo de enfermagem: promoção do cuidado colaborativo. 5. ed. Porto Alegre: Artmed, p. 5 exemplares ATKINSON, LESLIE D. Fundamentos de enfermagem: introdução ao processo de enfermagem. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, p. BENEDET, S. A.; BUD, M. B. C. Manual de Diagnóstico de Enfermagem. Uma abordagem baseada na Teoria das Necessidades Humanas Básicas e na Classificação Diagnóstica de Nanda. 2 ed. Florianópolis: Bernúncia, KAWAMOTO, E. E. Fundamentos de enfermagem. 2. ed. São Paulo: EPU, p.1 exemplar NORTH AMERICAN NURSING DIAGNOSIS ASSOCIATION. Diagnósticos de Enfermagem da NANDA: definições e classificações Porto Alegre: Artmed; exemplar POSSO, M.B.S. Semiologia e semiotécnica de enfermagem. São Paulo: Atheneu, SMELTZER, S.C.; BARE G.B. Tratado de enfermagem médico-cirúrgica. 10. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, volumes. SILVA, M. J. P. Comunicação tem remédio: a comunicação nas relações interpessoais em saúde. 4. ed. São Paulo: Edições Loyola, p. 4 exemplares SWEARINGEN, PAMELA L. Atlas fotográfico de procedimentos de enfermagem. 3.ed. Sao Paulo: Artmed, p. X REFERÊNCIAS COMPLEMENTARES ALMEIDA, Fabiane de Amorim. Enfermagem pediátrica: a criança, o adolescente e sua família no hospital. São Paulo: Manole, p. ANDRIS, D.A. et al. Semiologia: bases para a prática assistencial. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, BARROS, A.L.B.L. Anamnese e exame físico: avaliação diagnóstica de enfermagem no adulto. 2.ed. Porto Alegre: Artmed, BARROS, E.; ALBUQUERQUE, G.C.; PINHEIRO, C.T.S; CZEPIELEWSKI, M.A. Exame clínico: consulta rápida. 2.ed. Porto Alegre: Artmed, BULECHEK, G.M., BUTCHER, H. K., DOCHTERMAN, J.M. Classificação das intervenções de enfermagem (NIC). Rio de Janeiro: Elsevier, HORTA, W.A. Processo de enfermagem. São Paulo: EPU, JARVIS, C. Exame físico e avaliação de saúde. 3.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, MOZACHI, N. O hospital: manual do ambiente hospitalar. 3. ed. Curitiba: Editora Manual Real, MOORHEAD, S. et al. Classificação dos resultados de enfermagem (NOC). Rio de Janeiro: Elsevier, NISHIO, E.A.; BAPTISTA, M.A.C.S. Educação permanente em enfermagem: a evolução da educação 4

5 5 continuada. Rio de Janeiro: Elsevier, NORTH AMERICAN NURSING DIAGNOSIS ASSOCIATION. Diagnósticos de Enfermagem da NANDA: definições e classificações Porto Alegre: Artmed; Notas de enfermagem: um guia para cuidadores na atualidade. International Council of Nurses (ICN). Rio de Janeiro: Elsevier, 2010 (tradução: Telma Ribeiro Garcia). PORTO, C. C. Exame clínico: bases para a prática médica. 5. ed. Rio de Janeiro, RJ: Guanabara Koogan, POTTER, P.A.; PERRY, A.G. Fundamentos de enfermagem. 7.ed. Rio de Janeiro: Elsevier, RODRIGUES YT, RODRIGUES PP. Semiologia pediátrica. Rio de janeiro: Guanabara Koogan; RODRIGUES YT, RODRIGUES PP. Semiologia pediátrica. Rio de janeiro: Guanabara Koogan; SANTOS, E.F. et al. Legislação em Enfermagem: atos normativos do exercício e do ensino da Enfermagem. São Paulo: Atheneu, exemplares SILVA, E.R.R et al. Diagnóstico de enfermagem com base em sinais e sintomas. Porto Alegre: Artmed, SPARKS, S.M, TAYLOR, C.M, DYER, G. Diagnóstico em Enfermagem. Rio de Janeiro: Reichmann & Affonso Editores, Data: 15/08/2011 Docente Responsável:

6 6 APÊNDICE I - ORIENTAÇÕES PARA SEMINÁRIOS SISTEMAS CORPORAIS 1. Sistema Tegumentar, Tórax, Mamas e Axilas 2. Sistema Respiratório 3. Sistema Cardiovascular 4. Sistema Digestório 5. Sistema Geniturinário 6. Sistema Musculoesquelético 7. Sistema Vascular Periférico e Linfático 8. Sistema Neurológico e Neurossensorial Normas para apresentação do Seminário: 1. Preparo e Apresentação na forma de slides. 2. Entrega escrita do trabalho, no mínimo 05 laudas e máximo de 10 laudas seguindo as normas básicas da ABNT: espaçamento entre linhas 1,5; fonte tamanho 12, alinhamento justificado, utilizando títulos e subtítulos, margem 3 cm. 1. Folha de rosto: Universidade, disciplina, professor, aluno, título do trabalho, data. 2. Introdução. 3. Desenvolvimento: utilizando títulos e subtítulos. 4. Considerações. 5. Tempo de Apresentação: 30 minutos 6. Tempo de Discussão: 20 minutos A atividade deve conter: 1. Conceituação sobre o sistema apresentado, parâmetros considerados de normalidade e problemas/alterações que podem ocorrer (desenvolver os principais problemas de enfermagem encontrados na literatura). Podem ser utilizadas figuras ilustrativas, desde que estejam com notas explicativas justificando sua apresentação no trabalho e a fonte bibliográfica. 2. Avaliação geral e sinais vitais. Descrever as formas de abordagem do paciente para a avaliação do sistema em estudo e avaliação dos sinais vitais na criança e adulto. 3. Descrição e formas de aplicação das técnicas propedêuticas utilizadas para realização do exame físico do sistema em estudo. 4. Diagnósticos de Enfermagem (DE) possíveis que se relacionem com os problemas de enfermagem encontrados e relacionados com o sistema em estudo. Deve descrever o conceito do DE e as características definidoras (sinais e sintomas) que se relacionam com o problema de enfermagem. No mínimo incluir dois DE. 5. Considerações: síntese breve retomando o desenvolvimento do trabalho. Itens contemplados para avaliação: 1. Organização da apresentação e criatividade na produção da atividade. 2. Apresentação Oral: Postura 3. Reflexões do grupo sobre a temática. Será avaliado cada membro do grupo. Todos devem falar. As professoras estarão à disposição para orientações e dúvidas durante a construção do trabalho.

7 7 APÊNDICE II ORIENTAÇÃO E INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO PARA ATIVIDADE PRÁTICA CLIENTE VIRTUAL Normas para apresentação da Atividade: 1. Preparo e Apresentação na forma de slides. 2. Entrega escrita do trabalho, no mínimo 05 laudas e máximo de 10 laudas seguindo as normas básicas da ABNT: espaçamento entre linhas 1,5; fonte tamanho 12, alinhamento justificado, utilizando títulos e subtítulos, margem 3 cm. 1. Folha de rosto: Universidade, disciplina, professor, aluno, título do trabalho, data. 2. Introdução. 3. Desenvolvimento: utilizando títulos e subtítulos. 4. Considerações. 5. Tempo de Apresentação: 30 minutos 6. Tempo de Discussão: 20 minutos A atividade deve conter: Cada grupo receberá um conjunto de imagens. A partir delas, os acadêmicos construirão um personagem, criando sua identificação, sua anamnese e seu exame físico. Após deverão definir possíveis diagnósticos de Enfermagem, bem como as intervenções e os resultados esperados. Ou seja, os acadêmicos organizarão o Processo de Enfermagem de um paciente hipotético em todas as suas etapas. Importante: deverá ser descrito como a forma como observaram os sinais e sintomas (técnicas propedêuticas). 1. TRABALHO ESCRITO: Indicadores: Estrutura do trabalho: - Introdução ao assunto; - Desenvolvimento; - Considerações finais; - Referências. Nota (1,0): Comentários do avaliador: 2. APRESENTAÇÃO ORAL Indicadores: Criatividade: recursos utilizados (vídeos, figuras/fotos, uso adequado dos recursos audiovisuais) Domínio do Conteúdo Apresentado (leitura x interpretação) Clareza e Postura - Participação na construção do trabalho (presença e comprometimento) Utilizou o tempo estipulado para apresentação Nota (1,0): Comentários do avaliador: NOTA FINAL DO GRUPO: (Nota máxima 2,0) OBS: caso haja algum membro do grupo ausente sem justificativa no dia da apresentação, o mesmo será avaliado somente pelo trabalho escrito (Nota máxima 1,0) e não terá nota de apresentação.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CAMPUS URUGUAIANA CURSO DE ENFERMAGEM PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CAMPUS URUGUAIANA CURSO DE ENFERMAGEM PLANO DE ENSINO 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CAMPUS URUGUAIANA CURSO DE ENFERMAGEM PLANO DE ENSINO I DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1. Universidade Federal do Pampa 2. Campus: Uruguaiana 3. Curso: Enfermagem

Leia mais

PLANO DE ENSINO. 9. Turno: Tarde 8. Ano Letivo/Semestre: 2011/2

PLANO DE ENSINO. 9. Turno: Tarde 8. Ano Letivo/Semestre: 2011/2 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PLANO DE ENSINO I DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1. Campus: Uruguaiana 2. Curso: Enfermagem 3. Componente Curricular: Fundamentos

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA 1/5 PROGRAMA DE DISCIPLINA DISCIPLINA: SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM CÓDIGO: ENB056 CARGA HORÁRIA TEÓRICA 60H CARGA HORÁRIA PRÁTICA 75H CRÉDITOS 9 VERSÃO CURRICULAR: 2010/2 PERÍODO: 4º DEPTO:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CAMPUS URUGUAIANA CURSO DE ENFERMAGEM PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CAMPUS URUGUAIANA CURSO DE ENFERMAGEM PLANO DE ENSINO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CAMPUS URUGUAIANA CURSO DE ENFERMAGEM PLANO DE ENSINO I DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1. Universidade Federal do Pampa 2. Campus: Uruguaiana 3. Curso: Enfermagem

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS URUGUAIANA CURSO DE ENFERMAGEM PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS URUGUAIANA CURSO DE ENFERMAGEM PLANO DE ENSINO 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS URUGUAIANA CURSO DE ENFERMAGEM PLANO DE ENSINO I DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1. Universidade Federal do Pampa 2. Campus: Uruguaiana 3. Curso: Enfermagem 4. Docente Responsável:

Leia mais

Componente Curricular: METODOLOGIA DO PROCESSO DE CUIDAR I

Componente Curricular: METODOLOGIA DO PROCESSO DE CUIDAR I CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: METODOLOGIA DO PROCESSO DE CUIDAR I Código: ENF 202 Pré-requisito: Nenhum

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CAMPUS URUGUAIANA CURSO DE ENFERMAGEM PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CAMPUS URUGUAIANA CURSO DE ENFERMAGEM PLANO DE ENSINO 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CAMPUS URUGUAIANA CURSO DE ENFERMAGEM PLANO DE ENSINO I DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1. Universidade Federal do Pampa 2. Campus: Uruguaiana 3. Curso: Enfermagem

Leia mais

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO PLANO DE CURSO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Curso: Bacharelado em Enfermagem Disciplina: Semiologia e Semiotécnica II Professor: Petrúcia Maria de Matos E-mail: petruciamatos@hotmail.com Código: Carga Horária:

Leia mais

PRÓ-REITORIA ACADÊMICA PLANO DE ENSINO

PRÓ-REITORIA ACADÊMICA PLANO DE ENSINO PRÓ-REITORIA ACADÊMICA PLANO DE ENSINO I DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1. Universidade Federal do Pampa 2. Campus: Uruguaiana 3. Curso: Enfermagem 4. Docente Responsável: Messa Torres 5. Disciplina: Saúde Mental

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA PRÓ-REITORIA DE ENSINO DEPARTAMENTO DE MEDICINA E ENFERMAGEM SELEÇÃO DE MONITOR NÍVEL I EDITAL Nº 02/2014/DEM

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA PRÓ-REITORIA DE ENSINO DEPARTAMENTO DE MEDICINA E ENFERMAGEM SELEÇÃO DE MONITOR NÍVEL I EDITAL Nº 02/2014/DEM UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA PRÓ-REITORIA DE ENSINO DEPARTAMENTO DE MEDICINA E ENFERMAGEM SELEÇÃO DE MONITOR NÍVEL I EDITAL Nº 02/2014/DEM 1. A Universidade Federal de Viçosa, através do presente edital,

Leia mais

Plano de Ensino. Simone Cristine dos Santos Nothaft Contato: nothaft@hotmail.com. Tania Maria Ascari Contato: tania.ascari@udesc.br.

Plano de Ensino. Simone Cristine dos Santos Nothaft Contato: nothaft@hotmail.com. Tania Maria Ascari Contato: tania.ascari@udesc.br. Curso: ENF - Enfermagem Departamento: DEN - Enfermagem Disciplina: Semiologia e Semiotécnica 2 Código: 4QSLST2 Carga horária: 144 Período letivo: 2014/2 Professor: Maria Luiza B. Brum Contato: maria.brum@udesc.br

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Período/ Fase: 3º Semestre: 1º Ano: 2013 Disciplina: Introdução à Enfermagem

PLANO DE ENSINO. Período/ Fase: 3º Semestre: 1º Ano: 2013 Disciplina: Introdução à Enfermagem PLANO DE ENSINO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Curso: Enfermagem Professorer: Dayane Borille Dborille@hotmail.com Período/ Fase: 3º Semestre: 1º Ano: 2013

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA 1/7 PROGRAMA DE DISCIPLINA DISCIPLINA: ENFERMAGEM CLÍNICA E CIRÚRGICA CÓDIGO: ENB041 CARGA HORÁRIA TEÓRICA 75H CARGA HORÁRIA PRÁTICA 105H CRÉDITOS 12 VERSÃO CURRICULAR: 2010/2 PERÍODO: 6º DEPTO: ENB PRÉ-REQUISITOS

Leia mais

Plano de Ensino. Objetivos

Plano de Ensino. Objetivos Plano de Ensino Disciplina: FUNDAMENTAÇÃO BÁSICA EM ENFERMAGEM Código: Série: 3º Obrigatória ( X ) Optativa ( ) CH Teórica: CH Prática: CH Total: 160h Obs: Objetivos Objetivo Geral: Proporcionar ao aluno

Leia mais

JUSTIFICATIVA DA INCLUSÃO DA DISCIPLINA NA CONSTITUIÇÃO DO CURRÍCULO

JUSTIFICATIVA DA INCLUSÃO DA DISCIPLINA NA CONSTITUIÇÃO DO CURRÍCULO FACULDADES INTEGRADAS TERESA D ÁVILA LORENA - SP Curso: Enfermagem Disciplina: Enfermagem Saúde da Criança e do Adolescente Ano letivo 2011 Série 3º Ano Carga Horária Total h/a T 90 h/a P 54 h/a En. Cl.

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 PLANO DE CURSO

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 PLANO DE CURSO CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: BIOSSEGURANÇA Código: ENF- 307 Pré-requisito: Nenhum Período Letivo: 20.2

Leia mais

5. RELAÇÕES INTERDISCIPLINARES

5. RELAÇÕES INTERDISCIPLINARES PLANO DE ENSINO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Curso: Enfermagem Professoras: Dayane C. Borille Patricia Ribeiro Período/ Fase: 4ª fase Semestre: 2º Ano:

Leia mais

PLANO DE CURSO. EMENTA: Disciplina específica que visa embasar a avaliação fisioterápica nos aspectos teóricos e práticos.

PLANO DE CURSO. EMENTA: Disciplina específica que visa embasar a avaliação fisioterápica nos aspectos teóricos e práticos. PLANO DE CURSO CURSO: Curso de Fisioterapia DEPARTAMENTO: RECURSOS TERAPÊUTICOS E FÍSICO FUNCIONAIS DISCIPLINA: SEMIOLOGIA CRÉDITOS: 4 (4 0) PROFESSOR: LEANDRO DE MORAES KOHL EMENTA: Disciplina específica

Leia mais

PLANO DE ENSINO. 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Curso: Farmácia Professora: Liamara Basso Dala Costa

PLANO DE ENSINO. 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Curso: Farmácia Professora: Liamara Basso Dala Costa PLANO DE ENSINO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Curso: Farmácia Professora: Liamara Basso Dala Costa Email: liamara@uniarp.edu.br Período/ Fase: 1ª Fase Semestre:

Leia mais

PLANO DE ENSINO I IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA: ANO SEMESTRE PERÍODO. 2010 Primeiro V TOTAL (H/A) SEMESTRAIS/ANUAL 36 50 86

PLANO DE ENSINO I IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA: ANO SEMESTRE PERÍODO. 2010 Primeiro V TOTAL (H/A) SEMESTRAIS/ANUAL 36 50 86 NIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGLO MINEIRO PLANO DE ENSINO I IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA: ANO SEMESTRE PERÍODO 2010 Primeiro V CRSO: Medicina COMPONENTE CRRICLAR : Disciplina Semiologia Médica CÓDIGO: DCM

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: METODOLOGIA DO PROCESSO DE CUIDAR II Código: ENF 204 Pré-requisito: ENF 202

Leia mais

Bases Fundamentais do Cuidar: Semiologia e Semiotécnica de Enfermagem II JUSTIFICATIVA DA INCLUSÃO DA DISCIPLINA NA CONSTITUIÇÃO DO CURRÍCULO

Bases Fundamentais do Cuidar: Semiologia e Semiotécnica de Enfermagem II JUSTIFICATIVA DA INCLUSÃO DA DISCIPLINA NA CONSTITUIÇÃO DO CURRÍCULO FACULDADES INTEGRADAS TERESA D ÁVILA LORENA - SP Curso: Enfermagem Disciplina: Bases Fundamentais do Cuidar: Semiologia e Semiotécnica de Enfermagem II Ano letivo 2010 Série 2º Carga Horária Total 342

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: Paulino Botelho Código: 091 Município: SÃO CARLOS Eixo Tecnológico: AMBIENTE E SAÚDE Habilitação Profissional: TÉCNICO EM ENFERMAGEM Qualificação:

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Ambiente, Saúde e Segurança Habilitação Profissional: Auxiliar de Enfermagem Qualificação:

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE PLANO DE ENSINO

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE PLANO DE ENSINO 1 PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE PLANO DE ENSINO I DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1. Campus: Uruguaiana 2. Curso: Especialização em Ciências da Saúde 3. Componente Curricular: Conceito

Leia mais

Faculdade da Alta Paulista

Faculdade da Alta Paulista CURSO DE ENFERMAGEM PLANO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO Área: Estágio de Enfermagem em Saúde do Adulto I e II Campo de Atuação: Santa Casa de Tupã; Instituto de Psiquiatria de Tupã e Hospital São

Leia mais

COMISSÃO DE SISTEMATIZAÇÃO DA REFORMA CURRICULAR

COMISSÃO DE SISTEMATIZAÇÃO DA REFORMA CURRICULAR REESTRUTURAÇÃO DAS ATIVIDADES DO CURSO MÉDICO CARACTERIZAÇÃO DAS DISCIPLINAS E ESTÁGIOS DA NOVA MATRIZ CURRICULAR CÓDIGO DA DISCIPLINA ATUAL: MED033 NOME ATUAL: Semiologia Médica II (incluindo Semiologia

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM DISCIPLINA: SEMIOLOGIA E SEMIOTÉCNICA 2 4º PERIODO. A enfermagem na inter-relação com seres humanos nos vários ciclos de vida.

CURSO DE ENFERMAGEM DISCIPLINA: SEMIOLOGIA E SEMIOTÉCNICA 2 4º PERIODO. A enfermagem na inter-relação com seres humanos nos vários ciclos de vida. 1 EIXO TEMÁTICO CURSO DE ENFERMAGEM DISCIPLINA: SEMIOLOGIA E SEMIOTÉCNICA 2 4º PERIODO A enfermagem na inter-relação com seres humanos nos vários ciclos de vida. 2 DESCRIÇÃO DO EIXO TEMÁTICO Estuda o Processo

Leia mais

Prof. Ms. Alex Miranda Rodrigues

Prof. Ms. Alex Miranda Rodrigues È a ciência e a arte cujo objeto é o estudo dos sintomas e sinais clínicos como manifestações de doença. Compreende a terminologia médica e o método de estudo do paciente. Medicina em transformação. Tecnificação

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico Etec: PROF. MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÃ Eixo Tecnológico: AMBIENTE E SAÚDE Habilitação Profissional: Qualificação Técnica de Nível Médio de

Leia mais

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO PLANO DE CURSO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Curso: Bacharelado em Enfermagem Disciplina: Assistência de Enfermagem à Saúde do Adulto Professor: Petrúcia Maria de Matos E-mail: petruciamatos@hotmail.com Código:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Cargo: ENFERMEIRO/ÁREA 1. DESCRIÇÃO SUMÁRIA DO CARGO: Prestar assistência ao paciente e/ou usuário em clínicas, hospitais, ambulatórios, navios, postos de saúde e em domicílio, realizar consultas e procedimentos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO DE PROFESSOR SUBSTITUTO EDITAL Nº 017/2010 O Reitor da, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, torna público que estão abertas as inscrições para Processo Seletivo

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: Ambiente e Saúde CURSO: Curso Técnico em Meio Ambiente MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO FORMA/GRAU:( )integrado ( x )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado (

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CCS ODT - CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA P L A N O D E E N S I N O

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CCS ODT - CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA P L A N O D E E N S I N O UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CCS ODT - CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA P L A N O D E E N S I N O DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA Semestre: 2011/2 Nome da disciplina Departamentos: ODT

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: Gestão e Negócios CURSO: Bacharelado em Administração MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO PLANO DE ENSINO FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( x

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA DISCIPLINA: ENFERMAGEM CLÍNICA GRADE: RESOLUÇÃO CEPEC Nº 831 SEMESTRE: 5º ANO: 2012 MATRIZ CURRICULAR: BACHARELADO E LICENCIATURA CARGA HORÁRIA TOTAL: 100 horas CARGA HORÁRIA TEÓRICA:

Leia mais

PLANO DE CURSO 4 PERÍODO ANO: 2013.2

PLANO DE CURSO 4 PERÍODO ANO: 2013.2 PLANO DE CURSO 4 PERÍODO ANO: 2013.2 CURSO: MEDICINA DISCIPLINA: SEMIOLOGIA CARGA HORÁRIA: 432 horas PROFESSOR TITULAR: Edino Jurado PROFESSORES:Cláudio Teixeira, Edilberto Paravidine, Evaldo Otal, Ézil

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DEPARTAMENTO DE FUNDAMENTOS DE ENFERMAGEM PLANO DE CURSO DISCIPLINA ENFERMAGEM MÉDICO CIRÚRGICA

Leia mais

A prática da assistência em Enfermagem em cinco lançamentos da Editora Elsevier: para começar 2013 com mais conhecimento!

A prática da assistência em Enfermagem em cinco lançamentos da Editora Elsevier: para começar 2013 com mais conhecimento! A prática da assistência em Enfermagem em cinco lançamentos da Editora Elsevier: para começar 2013 com mais conhecimento! Para orientar a prática da Enfermagem, cinco novidades da Elsevier na área apresentam

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 PLANO DE CURSO

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 PLANO DE CURSO CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: BIOSSEGURANÇA Código: ENF- 307 Pré-requisito: Nenhum Período Letivo: 2013.1

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL CONTINUADA (FIC)

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL CONTINUADA (FIC) PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL CONTINUADA (FIC) AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE Florestal 2014 Reitora da Universidade Federal de Viçosa Nilda de Fátima Ferreira Soares Pró-Reitor de Ensino

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO FACULDADE DE ENFERMAGEM PROGRAMA DE DISCIPLINA DISCIPLINA: HISTOLOGIA DOS ÓRGÃOS GRADE: RESOLUÇÃO CEPEC Nº 831 SEMESTRE: 2 ANO: 2011 MATRIZ

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL CURSO DE ENFERMAGEM DOURADOS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL CURSO DE ENFERMAGEM DOURADOS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL CURSO DE ENFERMAGEM DOURADOS EDITAL DE RETIFICAÇÃO Convocação Especial de Professores para o Curso de Enfermagem 1- Área de Formação: Graduação em Enfermagem

Leia mais

PRÉ-REQUISITOS (ESPECIFICAR CONTEÚDOS E, SE POSSÍVEL, DISCIPLINAS)

PRÉ-REQUISITOS (ESPECIFICAR CONTEÚDOS E, SE POSSÍVEL, DISCIPLINAS) 7.5. Disciplina Clínica Médica 4: Atenção Primária (Atual Medicina Geral de Adultos II (CLM006)) CÓDIGO DA DISCIPLINA ATUAL: CLM006 NOME ATUAL: Medicina Geral de Adultos II NOVO NOME: Clínica Médica 4:

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2015 (Enfermagem)

PROCESSO SELETIVO 2015 (Enfermagem) Santa Casa de Misericórdia de Passos Hospital Regional CNPJ (MF) 23.278.898/0001-60 - Inscrição Estadual: Isento PABX - DDR: (035) 3529.1300 (Geral) Rua Santa Casa, 164 - CEP 37904-020 Passos - MG e-mail:

Leia mais

SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM ANA FLÁVIA FINALLI BALBO

SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM ANA FLÁVIA FINALLI BALBO SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM ANA FLÁVIA FINALLI BALBO Sistematização da Assistência de Enfermagem = Processo de Enfermagem Na década de 50, iniciou-se o foco na assistência holística da

Leia mais

CURSO ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria nº 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 P L A N O D E C U R S O

CURSO ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria nº 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 P L A N O D E C U R S O CURSO ODONTOLOGIA Autorizado pela Portaria nº 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 Componente Curricular: Odontologia em Saúde Coletiva III Código: ODO-034 Pré-requisito:

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTAGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE BACHAREL EM ENFERMAGEM

REGULAMENTO DO ESTAGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE BACHAREL EM ENFERMAGEM REGULAMENTO DO ESTAGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE BACHAREL EM ENFERMAGEM 2014 O Estágio Supervisionado é um componente curricular obrigatório. O estágio supervisionado obrigatório será desenvolvido

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE MEDICINA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE MEDICINA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE MEDICINA PLANO DE ENSINO DO MÓDULO Introdução ao estudo da medicina II área do conhecimento Clínica Médica/ Cardiologia (2013/semestre

Leia mais

PLANO DE CURSO 2. EMENTA:

PLANO DE CURSO 2. EMENTA: PLANO DE CURSO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Curso: Enfermagem Disciplina: ENFERMAGEM OBSTÉTRICA E NEONATAL Professor: Renata Fernandes do Nascimento Código: Carga Horária: 80 H Créditos: 05 Preceptoria: 20H

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA 1/6 PROGRAMA DE DISCIPLINA DISCIPLINA: ENFERMAGEM DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE CÓDIGO: EMI042 CARGA HORÁRIA TEÓRICA 30H CARGA HORÁRIA PRÁTICA 90H CRÉDITOS 8 VERSÃO CURRICULAR: 2010/2 PERÍODO: 7º DEPTO:

Leia mais

EMENTÁRIO. Princípios de Conservação de Alimentos 6(4-2) I e II. MBI130 e TAL472*.

EMENTÁRIO. Princípios de Conservação de Alimentos 6(4-2) I e II. MBI130 e TAL472*. EMENTÁRIO As disciplinas ministradas pela Universidade Federal de Viçosa são identificadas por um código composto por três letras maiúsculas, referentes a cada Departamento, seguidas de um número de três

Leia mais

1 - NORMA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE QUÍMICA INDUSTRIAL

1 - NORMA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE QUÍMICA INDUSTRIAL 1 1 - NORMA DO ESTÁGO SUPERVSONADO DO CURSO DE QUÍMCA NDUSTRAL 2 NSTRUÇÃO NORMATVA 01/2009 DE 02 de outubro de 2009 1 Dispõe sobre o Regulamento do Estágio Supervisionado do Curso de Química ndustrial

Leia mais

ODONTOLOGIA FOTOGRAFIA APLICADA À ODONTOLOGIA 3º Período / Carga Horária: 40 horas

ODONTOLOGIA FOTOGRAFIA APLICADA À ODONTOLOGIA 3º Período / Carga Horária: 40 horas ODONTOLOGIA FOTOGRAFIA APLICADA À ODONTOLOGIA 3º Período / Carga Horária: 40 horas 1. PRÉ-REQUISITO: Anatomia Geral LISTA DE MATERIAIS 1 Máquina Fotográfica Digital que apresente função manual e Zoom óptico

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE ENSINO NORMATIVA INTERNA PARA O TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)

PRÓ-REITORIA DE ENSINO NORMATIVA INTERNA PARA O TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) PRÓ-REITORIA DE ENSINO NORMATIVA INTERNA PARA O TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) Aracaju/SE 2011 CAPÍTULO I Das finalidades e dos Objetivos Art. 1º - As Normas de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC)

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2012. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2012. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2012 Ensino Técnico ETEC Monsenhor Antonio Magliano Código: 088 Município: Garça Eixo Tecnológico: Saúde Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de Técnico em Enfermagem

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC Monsenhor Antonio Magliano Código: 088 Município: Garça Eixo Tecnológico: Saúde Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de Técnico em Enfermagem

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: Recursos Naturais Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Técnico em Meio Ambiente FORMA/GRAU:( )integrado ( x )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

Bases de técnica cirúrgicas

Bases de técnica cirúrgicas UNIDADE III Bases de técnica cirúrgicas grandes eixos: O currículo do Curso de Medicina da UCG será desenvolvido a partir de dois - Eixo teórico-prático integrado - Eixo do desenvolvimento pessoal No eixo

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA Santa Maria, RS. 2012 SUMÁRIO CAPÍTULO I... 3 DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS... 3 CAPÍTULO II... 4 REGULARIZAÇÃO DO ESTÁGIO... 4 CAPÍTULO III... 5 DOS ASPECTOS LEGAIS... 5

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Ensino Técnico

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÃ Eixo Tecnológico: AMBIENTE E SAÚDE Habilitação Profissional: Qualificação Técnica de Nível Médio

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CAMPUS URUGUAIANA CURSO DE ENFERMAGEM PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CAMPUS URUGUAIANA CURSO DE ENFERMAGEM PLANO DE ENSINO 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CAMPUS URUGUAIANA CURSO DE ENFERMAGEM PLANO DE ENSINO I DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1. Universidade Federal do Pampa 2. Campus: Uruguaiana 3. Curso: Enfermagem

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Carga Horária: 72 horas/aula

PLANO DE ENSINO. Carga Horária: 72 horas/aula PLANO DE ENSINO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Curso: Farmácia Professores: Dinamar aparecida Gomes dinamar_gomes@hotmail.com Período/ Fase: 1º Semestre:

Leia mais

Componente Curricular: ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO II

Componente Curricular: ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO II CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO II Código: ENF - 226 Pré-requisito: ENF

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: SAÚDE DO ADULTO I Código: ENF - 206 CH Total: 90h Pré-Requisito: Nenhum Período

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS JAGUARÃO CURSO DE PEDAGOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS JAGUARÃO CURSO DE PEDAGOGIA PLANO DE ENSINO 2011-1 DISCIPLINA: Psicologia da Educação - JP0009 PROFESSORA: Dr.ª Jane Liberalesso Pereira I DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Carga horária total: 60 h 4 créditos II EMENTA Considerando a importância

Leia mais

COMISSÃO DE SISTEMATIZAÇÃO DA REFORMA CURRICULAR

COMISSÃO DE SISTEMATIZAÇÃO DA REFORMA CURRICULAR REESTRUTURAÇÃO DAS ATIVIDADES DO CURSO MÉDICO CARACTERIZAÇÃO DAS DISCIPLINAS E ESTÁGIOS DA NOVA MATRIZ CURRICULAR CÓDIGO DA DISCIPLINA ATUAL: GOB001 NOME ATUAL: Ginecologia e Obstetrícia 1 NOVO NOME: Ginecologia

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Ambiente e Saúde Habilitação Profissional: TÉCNICO EM ENFERMAGEM Qualificação:

Leia mais

Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Plano de Trabalho Docente 2015

Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Plano de Trabalho Docente 2015 Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico ETEC PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: São Carlos SP Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnico em Recursos Humanos Qualificação:

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM: TELECOMUNICAÇÕES I - INTRODUÇÃO

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM: TELECOMUNICAÇÕES I - INTRODUÇÃO MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM: TELECOMUNICAÇÕES I - INTRODUÇÃO O Curso Superior de Tecnologia em Telecomunicações prevê em sua grade curricular atividades

Leia mais

Orientações para Preenchimento do Plano de Ensino

Orientações para Preenchimento do Plano de Ensino Orientações para Preenchimento do Plano de Ensino Este documento tem como objetivo orientar os docentes da UFCSPA na elaboração do Plano de Ensino de disciplinas no formato adequado ao Sistema de Registro

Leia mais

Motivação: descrever os motivos que o levaram a realizar a pesquisa

Motivação: descrever os motivos que o levaram a realizar a pesquisa RELATÓRIO DE QUALIFICAÇÃO Elementos pré-textuais Capa Folha de rosto Resumo Sumário Ao relatório de qualificação deverá ser inserido: capa, folha de rosto, resumo, listas (de ilustrações, tabelas, abreviaturas

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SANTOS REGULAMENTO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Para os propósitos deste documento são aplicáveis as seguintes definições:

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SANTOS REGULAMENTO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Para os propósitos deste documento são aplicáveis as seguintes definições: 1 UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SANTOS REGULAMENTO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Para os propósitos deste documento são aplicáveis as seguintes definições: Professor-autor é aquele que possui pleno domínio da área

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE ODONTOLOGIA DA FACULDADE ASCES

REGULAMENTAÇÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE ODONTOLOGIA DA FACULDADE ASCES REGULAMENTAÇÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE ODONTOLOGIA DA FACULDADE ASCES NATUREZA E FINALIDADES Art. 1º. O estágio curricular do Curso de Odontologia da Faculdade ASCES constitui um momento de aprendizagem

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: Produção Industrial Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Técnico em Móveis FORMA/GRAU:(X )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

SELEÇÃO EXTERNA DE PROFESSORES. Curso de Medicina EDITAL DE SELEÇÃO

SELEÇÃO EXTERNA DE PROFESSORES. Curso de Medicina EDITAL DE SELEÇÃO SELEÇÃO EXTERNA DE PROFESSORES Curso de Medicina EDITAL DE SELEÇÃO A coordenadora do curso de Medicina, Profa. Alessandra Duarte Clarizia, nos termos das regras fixadas pela Pró-Reitoria de Graduação do

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul ANEXO I MANUAL DE ALTERAÇÃO DE PPCs DE CURSOS SUPERIORES

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS Eixo Tecnológico: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO. Habilitação Profissional: TÉCNICO EM PROGRAMAÇÃO DE

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Etec Dr. José Luiz Viana Coutinho Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Escola Técnica Estadual Dr. José Luiz Viana Coutinho Código: 073 Município: Jales Eixo Tecnológico: Informação

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: : Gestão e Negócios MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Curso Superior em Administração/Bacharelado FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( x

Leia mais

MARIA DA CONCEIÇÃO MUNIZ RIBEIRO MESTRE EM ENFERMAGEM (UERJ

MARIA DA CONCEIÇÃO MUNIZ RIBEIRO MESTRE EM ENFERMAGEM (UERJ Diagnóstico de Enfermagem e a Taxonomia II da North American Nursing Diagnosis Association NANDA MARIA DA CONCEIÇÃO MUNIZ RIBEIRO MESTRE EM ENFERMAGEM (UERJ Taxonomia I A primeira taxonomia da NANDA foi

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: Infraestrutura Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Curso Técnico em Edificações FORMA/GRAU:( X )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico Etec Professor Massuyuki Kawano Código: 136 Município: Tupã Eixo Tecnológico: AMBIENTE, SAÚDE e SEGURANÇA Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio

Leia mais

P L A N O D E E N S I N O. DISCIPLINA: Psicologia da Educação II. CARGA HORÁRIA TOTAL : 72h TEORIA: 72 PRÁTICA:

P L A N O D E E N S I N O. DISCIPLINA: Psicologia da Educação II. CARGA HORÁRIA TOTAL : 72h TEORIA: 72 PRÁTICA: P L A N O D E E N S I N O DEPARTAMENTO: Departamento de Matemática DISCIPLINA: Psicologia da Educação II SIGLA: PSE II CARGA HORÁRIA TOTAL : 72h TEORIA: 72 PRÁTICA: CURSO(S): Licenciatura em Matemática

Leia mais

CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO

CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO Com a finalidade de otimizar o processo de elaboração e avaliação dos Projetos Pedagógicos do Cursos (PPC), sugere-se que os itens a seguir sejam

Leia mais

CONSIDERANDO que este Conselho compete normatizar esse procedimento; R E S O L V E:

CONSIDERANDO que este Conselho compete normatizar esse procedimento; R E S O L V E: RESOLUÇÃO N o 03/90, CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Aprova as Normas para elaboração de Projetos de Cursos de Especialização (Pós-Graduação lato sensu ). O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

Leia mais

UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA CAMPUS UNISULVIRTUAL EDITAL DE TRIAGEM Nº 08/05/2013

UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA CAMPUS UNISULVIRTUAL EDITAL DE TRIAGEM Nº 08/05/2013 UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA CAMPUS UNISULVIRTUAL EDITAL DE TRIAGEM Nº 08/05/2013 A FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA - UNISUL, Campus UnisulVirtual, nos termos deste edital, torna

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: Produção Industrial Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Curso Técnico em Móveis FORMA/GRAU:( X )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE BACHARELADO EM ODONTOLOGIA DO IMMES. Capítulo I

MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE BACHARELADO EM ODONTOLOGIA DO IMMES. Capítulo I MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE BACHARELADO EM ODONTOLOGIA DO IMMES. Capítulo I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art.1 - O presente Manual tem por finalidade orientar os alunos concluintes do Curso

Leia mais

RESOLUÇÃO. São Paulo, 24 de junho de 2010. Prof. Héctor Edmundo Huanay Escobar Presidente

RESOLUÇÃO. São Paulo, 24 de junho de 2010. Prof. Héctor Edmundo Huanay Escobar Presidente RESOLUÇÃO CONSEPE 18/2010 APROVAÇÃO DO REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO, DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS, DO CAMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO. O Presidente do Conselho

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÃNDIA ESCOLA TÉCNICA DE SAÚDE CURSO TÉCNICO EM ANÁLISES CLÍNICAS PROFESSORA: CYNTHIA BARBOSA FIRMINO PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÃNDIA ESCOLA TÉCNICA DE SAÚDE CURSO TÉCNICO EM ANÁLISES CLÍNICAS PROFESSORA: CYNTHIA BARBOSA FIRMINO PLANO DE ENSINO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÃNDIA ESCOLA TÉCNICA DE SAÚDE CURSO TÉCNICO EM ANÁLISES CLÍNICAS PROFESSORA: CYNTHIA BARBOSA FIRMINO PLANO DE ENSINO FUNÇÃO: Proteção e Prevenção SUBFUNÇÃO: Fundamentos Básicos

Leia mais

Cirurgiã Dentista, Especialista em Radiologia, Especializanda em Ortodontia PLANO DE CURSO

Cirurgiã Dentista, Especialista em Radiologia, Especializanda em Ortodontia PLANO DE CURSO C U R S O O D O N T O L O G I A Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 Componente Curricular: RADIOLOGIA Código: ODO-14 Pré-requisito: ANATOMIA

Leia mais

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO PLANO DE ENSINO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Curso: Enfermagem Professores: Patrícia Ribeiro patriciaenf95@hotmail.com Período/ Fase: 6 Semestre: 2º Ano:

Leia mais

PROVA PARA SELEÇÃO AO SERVIÇO MILITAR TEMPORÁRIO NA ÁREA DA2ª REGIÃO MILITAR - ESTÁGIO DE SERVIÇO TÉCNICO (EST/2016)

PROVA PARA SELEÇÃO AO SERVIÇO MILITAR TEMPORÁRIO NA ÁREA DA2ª REGIÃO MILITAR - ESTÁGIO DE SERVIÇO TÉCNICO (EST/2016) PROVA PARA SELEÇÃO AO SERVIÇO MILITAR TEMPORÁRIO NA ÁREA DA2ª REGIÃO MILITAR - ESTÁGIO DE SERVIÇO TÉCNICO (EST/2016) ÁREA: ENFERMAGEM RELAÇÃO DE ASSUNTOS 1 - ADMINISTRAÇÃO EM SAÚDE E ADMINISTRAÇÃO APLICADA

Leia mais

Normas para Trabalhos de Conclusão de Curso no Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental da Universidade Federal de Pelotas

Normas para Trabalhos de Conclusão de Curso no Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental da Universidade Federal de Pelotas Normas para Trabalhos de Conclusão de Curso no Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental da Universidade Federal de Pelotas 1 Objetivos Com a finalidade de obter o grau de tecnólogo em Gestão Ambiental,

Leia mais

UNA-SUS Universidade Aberta do SUS SAUDE. da FAMILIA. CASO COMPLEXO 9 Família Lima. Fundamentação Teórica: Consulta de enfermagem na Saúde Coletiva

UNA-SUS Universidade Aberta do SUS SAUDE. da FAMILIA. CASO COMPLEXO 9 Família Lima. Fundamentação Teórica: Consulta de enfermagem na Saúde Coletiva CASO COMPLEXO 9 Família Lima : Consulta de enfermagem na Saúde Coletiva Eliana Campos Leite Saparolli A consulta de enfermagem é uma atividade privativa do enfermeiro respaldada pela atual legislação do

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO SUPERIOR DE ENGENHARIA MECÂNICA I - INTRODUÇÃO

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO SUPERIOR DE ENGENHARIA MECÂNICA I - INTRODUÇÃO MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO SUPERIOR DE ENGENHARIA MECÂNICA I - INTRODUÇÃO O Curso Superior de Engenharia Mecânica prevê em sua grade curricular atividades práticas de suma

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: ENFERMAGEM EM ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE I Código: ENF 214

Leia mais