ÉDER PERUZZO ESTUDO DA VIABILIDADE DE IMPLANTAÇÃO DO COLETOR DE DADOS VIA RADIOFREQÜÊNCIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ÉDER PERUZZO ESTUDO DA VIABILIDADE DE IMPLANTAÇÃO DO COLETOR DE DADOS VIA RADIOFREQÜÊNCIA"

Transcrição

1 ÉDER PERUZZO ESTUDO DA VIABILIDADE DE IMPLANTAÇÃO DO COLETOR DE DADOS VIA RADIOFREQÜÊNCIA Instituto Cenecista Fayal de Ensino Superior Itajaí (SC) 2008

2 ÉDER PERUZZO ESTUDO DA VIABILIDADE DE IMPLANTAÇÃO DO COLETOR DE DADOS VIA RADIOFREQÜÊNCIA Trabalho de Conclusão de estágio supervisionado do curso de Administração do Instituto Cenecista Fayal de Ensino Superior. Instituto Cenecista Fayal de Ensino Superior Itajaí (SC) 2008

3 ESTUDO DA VIABILIDADE DE IMPLANTAÇÃO DO COLETOR DE DADOS VIA RADIOFREQUÊNCIA Este trabalho de conclusão de curso foi julgado aprovado para a obtenção do grau de Bacharel em Administração de Empresas do Instituto Cenecista Fayal de Ensino Superior IFES. Itajaí, SC 30 de novembro de Profº Wilson Reginatto Jr. Coordenador de estágios Banca Examinadora Profº Luiz Eduardo Simão, Msc. Orientador Profº Leodir Senger Profº Guido Renato Miranda

4 EQUIPE TÉCNICA Estagiário Éder Peruzzo Coordenador de Estágio Profº Wilson Reginatto Júnior Orientador de Conteúdo Profº Luiz Eduardo Simão, Msc. Orientador de Metodologia Profº Marcello Soares Supervisor de Campo Engº Benoir Wertzner

5 AGRADECIMENTOS Este trabalho é o resultado de empenho, dedicação, esforço e muita persistência. Em função disso, quero agradecer: Deus, pela oportunidade de viver e chegar até aqui. Aos meus pais, Francisco Peruzzo e Elsa Cortina Peruzzo, pelo exemplo de educação que dispuseram e pelo orgulho de ter um filho na faculdade. A minha esposa Frantchesca Rossanna Schafer Peruzzo, pelo amor, paciência, palavras de incentivo, sempre me apoiando para que eu concluísse mais essa etapa em nossa vida. Aos filhos, Beatris Eloisa Peruzzo e Jonathan Peruzzo pela paciência em deixar o papai usar o computador para realizar os trabalhos em casa e compreendendo que papai tinha que sair de casa para ir à Faculdade, não podendo ficar ao lado deles o tempo todo. Aos meus amigos que de uma forma ou de outra estiveram presentes nessa trajetória e, em especial ao Alexsander, Pedro, Luana, Ana Virgínia e Benoir Wertzner (Superintendente Operacional do Grupo LOCALFRIO S/A), estes levarei como exemplo de companheirismo para vida toda. A empresa LOCALFRIO S/A que proporcionou essa oportunidade acadêmica e profissional e aos colegas que compõe essa empresa, convivendo e incentivandome no dia-a-dia de forma confiável e digna. Aos professores e colegas do curso pela convivência e troca de experiências sem igual. Ao mestre orientador Luiz Eduardo Simão, pelo apoio, compreensão e paciência nos momentos em que precisei. Ao professor Wilson Reginatto Júnior pelo incentivo nas horas em que necessitei de um ombro amigo. E a todos aqueles que de alguma forma contribuíram para a elaboração desse trabalho.

6 RESUMO O presente trabalho de conclusão de estágio destaca a implantação do processo de recebimento e armazenagem de mercadorias paletizadas no armazém do grupo LOCALFRIO S/A filial Itajaí/SC. Durante a realização do estágio pode-se observar a importância de se ter um controle rápido e eficaz, trazendo segurança à empresa e em especial o cliente, que a cada dia exige um retorno em menor espaço de tempo possível. Para solucionar essa deficiência, verificou-se que se faz necessária a implantação do coletor de radiofreqüência no processo de recebimento e armazenagem de mercadorias paletizadas, obtendo-se um aumento no nível de satisfação do cliente exportador. Palavras chave: recebimento de mercadorias e coletor de dados.

7 LISTA DE FIGURAS Figura 01 - Modelo de coletores e antenas Figura 02 - Etapas do trabalho de pesquisa

8 LISTA DE QUADROS Quadro 01 - Fluxograma do processo atual...36 Quadro 02 - Dados de descarga paletizadas ocorridas em Maio/ Quadro 03 - Dados de descarga paletizadas ocorridas em Junho/ Quadro 04 - Dados de descarga paletizadas ocorridas em Julho/ Quadro 05 - Demonstrativo das médias dos dados levantados no processo...59 Quadro 06 - Fluxograma do processo proposto Quadro 07 - Demonstrativo da proposta de redução do número de pessoas...65 Quadro 08 - Demonstrativo da proposta de redução do custo operacional...66 Quadro 09 - Demonstrativo da proposta de aumento na capacidade instalada...66 Quadro 10 - Demonstrativo da análise do custo x benefício...66

9 LISTA DE SIGLAS ABML - Associação Brasileira de Movimentação e Logística. DRP - Distribution Resources Planning (planejamento e programação da EDI - Electronic Data Interchange (Intercâmbio Eletrônico de Dados). Gate In Setor responsável para realizar o registro de entrada do caminhão. GIS - Geographic Information System (Sistema de informação geográfica). MRP - Material Requirement Planning (planejamento das necessidades de materiais). Pallets Estrado de madeira utilizado para acondicionar mercadorias. RF - Radiofreqüência. SIG - Sistema de Informações Gerenciais. UA - Unidade de armazenagem. WMAS Nome do sistema operacional que é utilizado na empresa LOCALFRIO. WMS - Warehouse Management System (Sistema de gerenciamento de armazéns).

10 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO Histórico da Empresa Problemas Justificativa OBJETIVOS Objetivos gerais Objetivos específicos FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA Administração geral Administração logística Sistemas logísticos e subsistemas Atividades logísticas Armazenagem, manuseio e movimentação Operadores logísticos Sistemas de informação Modelo de coletores e antenas METODOLOGIA Caracterização Método de Pesquisa RESULTADOS PRELIMINARES Mapear o processo Levantamento de dados Tabular e analisar dados Propor melhorias no nível de serviço e custos Demonstrativo do uso do coletor na armazenagem de mercadorias Simular impactos com nível de serviço e custos CONCLUSÃO REFERÊNCIAS... 69

11 10 1 INTRODUÇÃO O mercado nacional vem sofrendo diversas mudanças a cada ano que passa, tornando mais evidente à concorrência e a necessidade de investimentos em novas tecnologias, modificando a empresa de forma a adaptar-se ao máximo para prestar um serviço de bom nível, oferecendo aos seus clientes a terceirização dos serviços de armazenagem e transporte de mercadorias. Tais melhorias se fazem necessárias para manter a empresa competitiva no mercado, buscando novas alternativas com foco em redução de custos, aumento do volume diário de movimentação e conseqüentemente a satisfação dos clientes. Este trabalho foi uma pesquisa sobre a implantação do uso de coletores de dados via radiofreqüência no recebimento e armazenagem de mercadorias, com a intenção de avaliar a viabilidade do método, os impactos esperados, medindo os resultados, comparando-os ao sistema atual que é realizado de forma manual (sem o uso da tecnologia). Para que se consigam resultados satisfatórios, será necessário uma integração e um comprometimento dos envolvidos no processo. Além disso é importante que as informações sejam passadas corretamente, para que o processo obtenha o resultado desejado. Essas informações deverão obedecer a determinadas diretrizes apresentadas neste trabalho.

12 Histórico da organização O Grupo LOCALFRIO S/A está a 50 anos no mercado no segmento de armazenagem de cargas secas e frigoríficas. A filial de Itajaí/SC foi aberta devido ao grande crescimento nas movimentações de exportações e importações no Sul do país e principalmente no porto de Itajaí/SC e Navegantes/SC. Para tanto o grupo tem fortes investimentos na filial Itajaí/SC, onde este trabalho será desenvolvido. Atualmente a unidade de Itajaí/SC está localizada em um ponto estratégico, de fácil acesso a BR 101 e aos portos de Itajaí/SC, Navegantes/SC e São Francisco do Sul/SC. Possui 204 funcionários, capacitados e treinados para melhor atender seus clientes, contando com uma área total de m2, onde oferece: m² de armazéns para carga geral e exportação; m² de pátio para triagem e estacionamento de 120 caminhões; m² de pátio com capacidade para armazenar Teus; 812 tomadas para plugagem de contêineres reefers; Monitoramento das temperaturas dos contêineres Reefer 24 horas; Presença do Ministério da Agricultura (SIF3206); Licença da ANVISA; Recinto reconhecido como REDEX; Transporte rodoviário com frota própria; 03 Empilhadeiras Reach Stacker com capacidade para 45 tons; 02 Empilhadeiras Top Loader com capacidade para 45 tons; Unitização e Desunitização de contêineres; Picking, preparação, etiquetagem e paletização para as cargas de importação e geral; Segurança armada com sistema de monitoramento 24 horas; Registros fotográficos das operações; 15 salas para utilização de seus clientes; A empresa possui a certificação ISO e tem como política da qualidade: Empresa ética e inovadora, cujo principal objetivo é a satisfação dos clientes,

13 12 internos e externos, através da parceria plena, recursos humanos e tecnologia, buscando sempre a melhoria da qualidade. Atualmente a LOCALFRIO S/A. firmou uma parceria com a empresa TECONVI (Terminal de Contêineres do Vale do Itajaí), que administra o Porto de Itajaí/SC, aumentando sua cartela de clientes. 1.2 Problema de pesquisa Baseando-se na experiência profissional do acadêmico por atuar como gerente operacional, juntamente com o apoio do superintendente operacional da empresa, percebe-se a necessidade de melhoria no atual processo de recebimento e armazenagem de mercadorias paletizadas, havendo a possibilidade de mudança, dando melhor velocidade na informação, deixando-a mais precisa, sendo transmitida em menor tempo, diminuindo os custos operacionais e aumentando a satisfação do cliente. Assim, o problema de pesquisa será: É viável a implantação de coletores de dados no processo de recebimento e armazenagem de mercadorias? 1.3 Justificativa Este trabalho é importante para a empresa, pois propõe melhoria no atual processo de recebimento e armazenagem de mercadorias paletizadas utilizado na mesma hoje sendo realizado de forma manual. A transferência dos dados que são coletados fisicamente pelo conferente são preenchidos em formulário de papel (romaneio de recebimento), com pouco espaço para preenchimento correto da descrição das mercadorias, com caligrafia de difícil interpretação, tornando a identificação ilegível, passivo a erros, demora na transmissão dos dados e insatisfação do cliente. Posteriormente este romaneio de recebimento será entregue para outro departamento onde é feito o input no sistema (digitação dos dados capturados),

14 13 gerando um banco de dados no sistema WMS - Warehouse Management System (Sistema de gerenciamento de armazéns), havendo necessidade de maior número de funcionários para lançamento dos dados escritos nas romaneio de recebimentos para posterior transferência das informações capturadas aos clientes, tornando o processo de recebimento e armazenagem de mercadorias paletizadas muito lento e burocrático, com muitas romaneio de recebimentos paralelas ao sistema para depois evidenciar os dados capturados e registrados no WMS. Acredita-se que será importante para a empresa aplicar a nova tecnologia utilizando a tecnologia de informação via coletores de dados radiofreqüência. Criar-se-á um padrão no recebimento e armazenagem de mercadorias com controle rápido (online) das informações capturadas pelos conferentes, diminuir-se-á os erros durante o recebimento e armazenamento das mercadorias em função do não uso de romaneio de recebimentos de papel para identificação das mercadorias recebidas, reduzir-seá os custos com material de expediente (formulários internos que são utilizados para controle e tonner) e mão-de-obra para processamento dos dados, aumentando o volume diário de movimentações, deixando os clientes satisfeitos e conseqüentemente, mantendo a empresa competitiva no mercado em que atua. Este trabalho também é de extrema importância para o acadêmico, uma vez que aumentará o nível de conhecimento na área de recebimento e armazenagem de mercadorias, enfatizando a relevância e as oportunidades de mudanças que podem ocorrer no dia-a-dia de uma empresa, medindo os resultados dos investimentos versus o retorno da satisfação do cliente, salientando a estrutura atuante da empresa no mercado.

15 14 2 OBJETIVOS Para responder o problema de pesquisa, este trabalho buscará apresentar o objetivo geral e objetivos específicos, descritos a seguir: 2.1 Objetivos gerais Para responder ao problema de pesquisa, o presente trabalho tem como objetivo geral, identificar qual é o impacto da implantação de coletor de dados via radiofreqüência. 2.2 Objetivos específicos Para responder o objetivo geral são buscados os seguintes objetivos específicos: 1. Mapear o processo de recebimento e armazenagem de mercadorias paletizadas de recebimento de mercadorias (carga e armazenagem). 2. Levantar dados do processo de recebimento e armazenagem de mercadorias paletizadas, apontando o tempo de cada operação e volume movimentado por dia. 3. Tabular e analisar dados do processo de recebimento e armazenagem de mercadorias paletizadas. 4. Propor melhorias no recebimento de mercadorias e armazenagem de forma informatizada. 5. Simular impactos com nível de serviços e custos.

16 15 3 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA 3.1 Administração geral A palavra Administração vem do latim ad, que significa direção, tendência para e minister, que é subordinação ou obediência, ou seja, aquele que realiza uma função abaixo do comando de outrem. Porém costuma-se dizer que administrar é tomar decisões sobre objetivos e utilização de recursos. Stoner; Freeman (1999, p. 5) define administração da seguinte maneira: A Administração é o processo de planejar, organizar, liderar e controlar os esforços realizados pelos membros da organização e o uso de todos os outros recursos organizacionais para alcançar os objetivos estabelecidos. Desde o início da civilização o homem sente necessidade de organizar-se, essa organização não deixa de ser uma forma de administração, uma vez que, desde o princípio essas civilizações possuíam uma organização do trabalho, liderança e formas de avaliação do trabalho exercido por cada membro. Os egípcios, durante as construções das pirâmides, praticavam ações que fazem parte da teoria da administração. Eles valorizavam o planejamento das atividades, a boa liderança e a divisão das responsabilidades e tarefas. Influenciada por diversos tipos de organização, como a Igreja católica, organização militar, até o final do século IXX a administração desenvolveu-se de forma lenta, porém a partir do século XX seu desenvolvimento foi notável. A revolução também teve grande influência no desenvolvimento da organização com a invenção da máquina a vapor e sua aplicação na produção. Essas mudanças provocaram um forte impacto na estrutura social, comercial e econômica da época. Estruturas que também tiveram forte influência no desenvolvimento da administração. A organização militar teve como influência a organização linear, princípio da unidade de comando, a escala hierárquica (organograma), a centralização do comando e a descentralização da execução (descentralização do trabalho).

17 16 A administração tem sua história dividida em várias escolas. Essas escolas adotam abordagens baseadas em métodos de administração desenvolvidos e aplicados de forma que trouxeram grande contribuição para a administração usada até os dias atuais. Na escola clássica destaca-se a abordagem chama de Abordagem Weberiana, onde se destacam Max Weber, Frederick Winslow Taylor, Henry Ford e Henry Fayol. Conforme citado: Essa abordagem, portanto, deve ser a primeira a ser estudada, [...]. Apesar de Weber se ter orientado e, idéias e princípios de Taylor, é muito difícil separar o momento exato da contribuição de um ou de outro, assim como o de Fayol, devendo esses três autores ser vistos como precursores da teoria administrativa. (KWASNICKA, 1989, p. 21). A abordagem típica da escola da administração científica é a ênfase nas tarefas. Segundo Chiavenato (2000, p. 32) A escola da administração científica foi iniciada no começo do século XX pelo engenheiro americano Frederick Taylor. Taylor teve inúmeros seguidores (como Gantt, Gilbreth, Emerson, Ford e Barth). O seguidor mais conhecido dos precursores da Administração científica é Henry Ford. A preocupação básica de Taylor foi eliminar o desperdício e elevar os níveis de produtividade através da aplicação de métodos e técnicas da engenharia industrial. Para Stoner; Freeman (1999, p. 24) a teoria da administração científica surgiu da necessidade de se aumentar a produtividade. Motta (1998, p. 3) cita que: O pensamento central dessa escola pode ser resumido na afirmação de que alguém será um bom administrador à medida que planejar cuidadosamente seus passos, que organizar e coordenar racionalmente as atividades de seus subordinados que souber comandar e controlar tais atividades. Para Maximiano (2005, p. 54), Taylor é o mais importante desse movimento não apenas pela natureza de suas contribuições, mas também porque muitos o reconheciam como sua liderança. Segundo citado por Taylor apud Kwasnicka, (1989, p. 45): A Administração Científica tem por seu fundamento, a certeza de que o verdadeiro interesse de ambos, empregador e empregado, são um, único e

18 17 mesmo: de que a prosperidade do empregador não pode existir, por muitos anos, se não for acompanhada da prosperidade do empregado. Outro integrante da escola clássica da administração foi Henry Fayol, que foi um dos maiores a contribuir no campo da gerência e da administração. Baseou-se nos princípios de Taylor, porém trabalhou os níveis organizacionais e não os de fábrica, como Taylor. Preocupava-se principalmente com as funções administrativas de direção. Ele acreditava que uma boa administração depende de um bom treinamento de administradores. Para Fayol a função de administrar é distinta das outras funções da empresa, como finanças, produção e distribuição. Para Maximiano (2005, p. 75): Fayol considerava a empresa como um sistema racional de regras e autoridade, que justifica a existência na medida em que atende o objetivo primário de fornecer valor, na forma de bens e serviços, a seus consumidores. Essa idéia aplica-se a qualquer tipo de organização, embora Fayol tivesse usado como ponto de partida uma empresa industrial. Outro grande nome da escola clássica foi Henry Ford, seu nome está diretamente ligado ao processo de linha de montagem em massa. Ford foi quem elevou a um alto grau os princípios de produção em massa, que são o de peças padronizado e trabalhadores altamente especializados. Essa teoria defendida foi muito criticada e nos tempos atuais são poucas as organizações que a utilizam. Assim cita Maximiano. Na produção de massa, as qualificações do trabalhador resumem-se ao conhecimento necessário para a execução de uma tarefa a clássica atividade de apertar parafuso, parodiada por Charles Chaplin no filme s Modernos. Essa mecanização da atividade humana, que produz a alienação do trabalhador, foi objeto das críticas mais contundentes que se fizeram á produção massificada. (MAXIMIANO, 2005, p. 67). Nesta escola que foi desenvolvida por Ford o estudo dos tempos e movimentos, conforme citado por Chiavenato (2000, p. 35) Essa análise do trabalho seguia-se o estudo dos tempos e movimentos, ou seja, a determinação do tempo médio que um operário comum levaria para

19 18 a execução da tarefa, por meio da utilização do cronômetro. Há esse tempo médio eram adicionados os tempos elementares e mortos (esperas, tempos de saída do operário da linha para suas necessidades pessoais etc.), para resultar o chamado tempo padrão. O mesmo autor resume que a administração científica parte da certeza de que os interesses de ambos são um único interesse: a prosperidade do empregador não pode existir por muito tempo se não for acompanhada da prosperidade do empregado, e vice-versa. A teoria da burocracia surgiu da inspiração e busca nas obras do economista e sociólogo Max Weber. Surgiu por volta da década de 40, no momento em que a Teoria Clássica e a teoria das relações Humanas disputavam entre si o espaço na teoria administrativa. Max Weber é considerado o pai da teoria burocrática. Para Weber a organização deve seguir os padrões de racionalidade e eficiência. De acordo com Weber, as organizações formais modernas se baseiam em leis, que as pessoas aceitam por acreditarem que são racionais, isto é, definidas em função do interesse das próprias pessoas e não para satisfazer aos caprichos arbitrários de um dirigente. (MAXIMIANO, 2005, p. 101). Para Weber, segundo Chiavenato (2000, p. 201), a burocracia é a organização eficiente por excelência. Para conseguir eficiência, a burocracia detalha nos mínimos detalhes como as coisas deverão ser feitas. Na visão de Weber, segundo Maximiano (2005, p. 102), o tipo ideal de burocracia é um modelo abstrato que procura retratar os elementos que constituem qualquer organização formal do mundo real. As vantagens oferecidas nesta escola para Weber, são citadas por Chiavenato (2000, p. 206) como: Racionalidade, precisão na definição do cargo e na operação, rapidez nas decisões, univocidade de interpretação, uniformidade de rotinas e procedimentos, continuidade da organização, redução do atrito entre as pessoas, constância, confiabilidade e benefícios para as pessoas na organização. A Escola da Teoria Neoclássica teve um grande reconhecimento a partir de 1930, foi considerado um movimento relativamente heterogêneo. Os nomes mais conhecidos desta escola são: Peter F. Drucker, Ernest Dale, Harold Koontz, Cyril O Donnell, Michael Jucius, William Newmann, Ralph Davis, Georg Terry, Morris Hurley e Louis Allen.

20 19 As principais características encontradas na Teoria Neoclássica são a ênfase na prática da administração, nos princípios gerais da administração, nos objetivos e resultados, reafirmação dos princípios clássicos e o ecletismo. Para resumir as contribuições da escola neoclássica, podemos afirmar que elas se aproximam muito das teorias comportamentais e, portanto, se fundamentam nas ciências humanas para se compreender melhor a dinâmica das organizações (KWASNICKA, 1989, p. 70). As principais características da Teoria Neoclássica segundo Chiavenato (2000, p. 112) são: 1. Pragmatismo 2. Reafirmação dos postulados clássicos 3. Ênfase nos princípios gerais de administração 4. Ênfase nos objetivos e nos resultados 5. Ecletismo. 6. Pragmatismo 7. Reafirmação dos postulados clássicos 8. Ênfase nos princípios gerais de administração 9. Ênfase nos objetivos e nos resultados 10. Ecletismo. Nesta escola foi amplamente discutido o problema da centralização versus descentralização. Na teoria neoclássica, as funções do administrador correspondem aos elementos da administração que Fayol definira no seu tempo. Chiavenato (2000, p. 123) cita que: Na realidade, as funções do administrador, ou seja, o processo administrativo forma mais do que uma seqüência cíclica, pois elas estão intimamente relacionadas em uma interação dinâmica. A abordagem humanística da Administração começou logo após a morte de Taylor. Tem características democráticas. Motta (1998, p. 15) afirma que a Teoria das Relações Humanas surgiu após estudos realizados em universidades nos Estados Unidos e que se baseavam nas orientações de Taylor, Gilbreth e seus sucessores. Um homem era encarado como uma unidade isolada, cuja eficiência poderia ser estimada cientificamente.

21 20 Para Chiavenato (2000, p. 71): A teoria das relações humanas nasceu da necessidade de corrigir a tendência à desumanização do trabalho surgida com a aplicação de métodos rigorosos, científicos e precisos, aos quais os trabalhadores tinham de se submeter. A teoria das relações humanas preocupou-se com o esmagamento do homem pelo impetuoso desenvolvimento da civilização industrializada. Chiavenato (2000, p. 81) define a Teoria das Relações Humanas da seguinte maneira: é a corrente administrativa iniciada com a Experiência de Hawtorne e que enfatiza as pessoas, os grupos e a organização informal em contraposição aos pressupostos formais da Teoria Clássica. Motta (1998, p. 25) explica que A estrutura formal da empresa jamais mereceu atenção por parte da Escola de Ralações Humanas. Toda a sua análise teve por objeto a organização informal. A partir da Teoria das Relações Humanas, todo o acervo de teorias psicológicas a respeito da motivação humana passou a ser aplicado dentro das organizações. Considera-se a Escola Moderna da Administração como uma visão mais evoluída das idéias já desenvolvidas anteriormente. A escola moderna aborda três abordagens: a da pesquisa operacional, a da visão sistêmica e a contingencial. A abordagem de pesquisa operacional permite uma visão mais ampla da organização. Seu maior desenvolvimento foi na Grã-Bretanha, onde foi utilizado no estudo dos esquemas para ataque em guerras. Quando foi utilizado na análise de problema aplicado à administração tornou-se um grande instrumento de tomada de decisão. Assim define Kwasnicka (1989, p. 118): Pesquisa operacional é uma ferramenta de análise, usada por administradores para auxiliá-los nos processo de recebimento e armazenagem de mercadorias paletizadas de tomada de decisão. Esse tipo de pesquisa contribui para a avaliação científica das alternativas para os planos de ação, dando maior segurança ao administrador no processo de tomada de decisão. A pesquisa operacional, porém, não soluciona problemas do dia-a-dia do administrador, como capacidade de máquina e produtividade individual. Em contrapartida preocupa-se com aspectos mais amplos, como variáveis de vendas, produção, inventário, programação e a inter-relação das mesmas.

22 21 Para Kwasnicka (1989, p. 122) a pesquisa operacional é caracterizada como uma ferramenta para aprimorar a eficácia das organizações. A abordagem sistêmica tem por finalidade identificar as propriedades, princípios e leis características dos sistemas em geral, independentemente do tipo de cada um, da natureza de seus elementos componentes e das relações entre eles. Trata do sistema como um todo, considera que o sistema administrativo deve ser visto de interligada e não em partes. Motta (1998, p. 85): De acordo com a abordagem sistêmica, a organização é vista em termos de comportamentos inter-relacionados. Para Chiavenato (2000, p. 372) a abordagem sistêmica contrapões-se à micro abordagem do sistema fechado. Esse sistema administrativo é composto por um conjunto de recursos estruturados, constituídos de pessoas, equipamentos, materiais e procedimentos, destinados a processar uma tarefa administrativa específica. Os sistemas foram classificados como abertos, que é o que melhor permite uma profunda e ampla análise das organizações ao mesmo tempo, e fechado, que é aquele que não realiza intercâmbio com o seu meio externo, tendendo necessariamente para um progressivo caos interno, desintegração e morte. O mesmo autor considera que a abordagem sistêmica trouxe uma fantástica ampliação na visão dos problemas organizacionais em contraposição à antiga abordagem do sistema fechado. A Abordagem contingencial parte para novos modelos organizacionais mais flexíveis e orgânicos, como a estrutura matricial, em redes e em equipes. Enfatiza o modelo do homem complexo e abordagens contingenciais sobre motivação e liderança. Essa abordagem parte do ponto de vista de que as variáveis que compõem o sistema organizacional são mutáveis, porém a forma adotada por um, afeta consideravelmente a outra, assim citou KAWASNICKA (1989, p. 143). Nesta abordagem, os administradores acreditam que as organizações são adaptáveis, que é possível antecipar-se às incertezas e imprevisibilidades futuras, reduzindo assim as surpresas decorrentes das mudanças. A abordagem contingencial foi desenvolvida por administradores, consultores e pesquisadores que tentaram aplicar os conceitos das principais escolas a situações reais. (STONER; FREEMAN, 1999, p. 35) Chiavenato (2000, p. 377) cita:

23 22 A Abordagem contingencial salienta que não se alcança a eficácia organizacional seguindo um único e exclusivo modelo organizacional, ou seja, não existe uma forma única e melhor para organizar no intuito de se alcançar os objetivos variados das organizações dentro de um ambiente também variado. O mesmo autor cita que nesta teoria tudo é relativo, tudo depende. Esta teoria explica que não há nada de absoluto nos princípios gerais de administração. Os aspectos universais e normativos devem ser substituídos pelo critério de ajuste constante entre a organização e o seu ambiente e tecnologia. A teoria da contingência pode ser considerada interativa e eclética, porém ao mesmo tempo relativista e situacional. Em alguns aspectos parece ser uma maneira relativa de encarar o mundo do que propriamente uma teoria administrativa. Podemos concluir que as teorias administrativas vêm evoluindo com as necessidades apresentadas, mas que até os dias de hoje ainda são usadas como bases na administração das organizações. Chiavenatto (2000, p. 6) cita que: Existem cinco variáveis básicas que influenciam poderosamente a TGA: tarefas, estrutura, pessoas, ambiente e tecnologia. Cada teoria administrativa procura valorizar uma ou algumas dessas variáveis básicas. A adequação entre essas cinco variáveis constitui o principal desafio da moderna administração, haja vista que, saímos da era industrial e estamos ingressando na era da informação, onde mudanças cada vez mais rápidas e inesperadas ocorrem, como o crescimento em tamanho das organizações e as atividades organizacionais, cada vez são mais complexos. 3.2 Administração logística A definição de administração logística varia de um autor para o outro, porém a essência é basicamente a mesma, a integração das atividades melhorando o nível de serviço e agregando valor para o cliente. A palavra logística foi usada pela primeira vez na guerra, onde para se obter sucesso é necessário um bom sistema de apoio. É uma palavra de origem francesa. Observa-se que a logística empresarial evoluiu muito desde os primórdios. Com o passar do tempo, a administração logística passou a ser vista como parte de toda a

INNOVA. Soluções de software que capacitam os processadores de aves a...

INNOVA. Soluções de software que capacitam os processadores de aves a... INNOVA Soluções de software que capacitam os processadores de aves a... Maximizar o rendimento e a produtividade Estar em conformidade com os padrões de qualidade e garantir a segurança dos alimentos Obter

Leia mais

Teorias da Administração

Teorias da Administração Teorias da Administração Cronologia das teorias da administração 1903 Administração Científica 1903 Teoria Geral da Administração 1909 Teoria da Burocracia 1916 Teoria Clássica da Administração 1932 Teoria

Leia mais

17/08/2010. Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves

17/08/2010. Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves 17//2010 Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves Engenheiro Agrônomo CCA/UFSCar 1998 Mestre em Desenvolvimento Econômico, Espaço e Meio Ambiente IE/UNICAMP 2001 Doutor em Engenharia de Produção PPGEP/UFSCar

Leia mais

DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DE SERGIPE - ADMINISTRAÇÃO QUESTÕES

DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DE SERGIPE - ADMINISTRAÇÃO QUESTÕES QUESTÕES 01) A Administração recebeu influência da Filosofia e diversos filósofos gregos contribuíram para a Teoria da Administração. A forma democrática de administrar os negócios públicos é discutida

Leia mais

Estamos presentes no mercado de prestação de serviços logísticos há 11 anos; Temos Know-how europeu;

Estamos presentes no mercado de prestação de serviços logísticos há 11 anos; Temos Know-how europeu; Estamos presentes no mercado de prestação de serviços logísticos há 11 anos; Temos Know-how europeu; Fazemos uma parceria total com o cliente, combinando redução de custos fixos e otimização de recursos

Leia mais

WMS - Warehouse Management System

WMS - Warehouse Management System Sistema de Gestão Empresarial LUSANA SOUZA NATÁLIA BATUTA MARIA DAS GRAÇAS TATIANE ROCHA GTI V Matutino Prof.: Itair Pereira Sumário 1. INTRODUÇÃO... 2 2. WMS... 2 3. SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO... 2 4. POLÍTICA

Leia mais

LOGÍSTICA Professor: Dr. Edwin B. Mitacc Meza

LOGÍSTICA Professor: Dr. Edwin B. Mitacc Meza LOGÍSTICA Professor: Dr. Edwin B. Mitacc Meza edwin@engenharia-puro.com.br www.engenharia-puro.com.br/edwin Gerenciamento Logístico Gerenciamento Logístico A missão do gerenciamento logístico é planejar

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Suprimentos. WMS Gerenciamento de Armazém

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Suprimentos. WMS Gerenciamento de Armazém Bloco Suprimentos WMS Gerenciamento de Armazém Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo WMS, que se encontra no Bloco Suprimentos. Todas informações aqui disponibilizadas foram

Leia mais

Sistemas de Transformação e Estratégia de produção

Sistemas de Transformação e Estratégia de produção Sistemas de Transformação e de produção A seleção do Processo de produção depende: -Tecnologia dos Processos de Transformaçã ção -Tecnologia dos meios auxiliares (dispositivos, ferramentas) -Tecnologia

Leia mais

Unidade I LOGÍSTICA INTEGRADA. Marinalva R. Barboza

Unidade I LOGÍSTICA INTEGRADA. Marinalva R. Barboza Unidade I LOGÍSTICA INTEGRADA Marinalva R. Barboza Definição do conceito de logística e evolução Logística tem origem no idioma francês Logistique se define de forma militar sendo uma parte estratégica

Leia mais

Armazenamento e TI: sistema de controle e operação

Armazenamento e TI: sistema de controle e operação Armazenamento e TI: sistema de controle e operação Pós-Graduação Latu-Sensu em Gestão Integrada da Logística Disciplina: TI aplicado à Logística Professor: Mauricio Pimentel Alunos: RA Guilherme Fargnolli

Leia mais

Software de gerenciamento de trabalho

Software de gerenciamento de trabalho Software de gerenciamento de trabalho Software de gerenciamento de trabalho GoalPost O software de gerenciamento de trabalho (LMS) GoalPost da Intelligrated fornece informações sob demanda para medir,

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM

DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM WMS WAREHOUSE MANAGEMENT SYSTEM SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE ARMAZÉM/DEP M/DEPÓSITO WMS Software de gerenciamento de depósito que auxilia as empresas na busca de melhorias nos

Leia mais

LOGÍSTICA EMPRESARIAL

LOGÍSTICA EMPRESARIAL LOGÍSTICA EMPRESARIAL FORNECEDORES Erros de compras são dispendiosos Canais de distribuição * Compra direta - Vendedores em tempo integral - Representantes dos fabricantes Compras em distribuidores Localização

Leia mais

Armazenagem. Por que armazenar?

Armazenagem. Por que armazenar? Armazenagem Introdução Funções da armazenagem Atividades na armazenagem Objetivos do planejamento de operações de armazenagem Políticas da armazenagem Pilares da atividade de armazenamento Armazenagem

Leia mais

Docente do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial UNOESTE. E mail: joselia@unoeste.br

Docente do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial UNOESTE. E mail: joselia@unoeste.br Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 141 A LOGÍSTICA COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Douglas Fernandes 1, Josélia Galiciano Pedro 1 Docente do Curso Superior

Leia mais

WMS. Agenda. Warehouse Management Systems (WMS) Warehouse Management Systems Sistema de Gerenciamento de Armazéns

WMS. Agenda. Warehouse Management Systems (WMS) Warehouse Management Systems Sistema de Gerenciamento de Armazéns WMS Warehouse Management Systems Sistema de Gerenciamento de Armazéns Breno Amorim brenoamorim@hotmail.com Informática Aplicada a Logística Profº Breno Amorimsexta-feira, 11 de setembro de 2009 Agenda

Leia mais

Logística e Administração de Estoque. Definição - Logística. Definição. Profª. Patricia Brecht

Logística e Administração de Estoque. Definição - Logística. Definição. Profª. Patricia Brecht Administração Logística e Administração de. Profª. Patricia Brecht Definição - Logística O termo LOGÍSTICA conforme o dicionário Aurélio vem do francês Logistique e significa parte da arte da guerra que

Leia mais

20/04/2009. Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores. Disciplina: Dinâmica nas Organizações. Prof.: Fernando Hadad Zaidan. Unidade 2.

20/04/2009. Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores. Disciplina: Dinâmica nas Organizações. Prof.: Fernando Hadad Zaidan. Unidade 2. Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores Disciplina: Dinâmica nas Organizações Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 2.1 2 ETAPAS DO DESENVOLVIMENTO DA TEORIA DA ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

2 SIGNIFICADO DA ADMINISTRAÇÃO

2 SIGNIFICADO DA ADMINISTRAÇÃO 2 SIGNIFICADO DA ADMINISTRAÇÃO 2.1 IMPORTÂNCIA DA ADMINISTRAÇÃO Um ponto muito importante na administração é a sua fina relação com objetivos, decisões e recursos, como é ilustrado na Figura 2.1. Conforme

Leia mais

Vantagens competitivas e estratégicas no uso de operadores logísticos. Prof. Paulo Medeiros

Vantagens competitivas e estratégicas no uso de operadores logísticos. Prof. Paulo Medeiros Vantagens competitivas e estratégicas no uso de operadores logísticos Prof. Paulo Medeiros Introdução nos EUA surgiram 100 novos operadores logísticos entre 1990 e 1995. O mercado para estas empresas que

Leia mais

Armazenagem & Automação de Instalações. Prof. Fernando Augusto Silva Marins fmarins@feg.unesp.br www.feg.unesp.br/~fmarins

Armazenagem & Automação de Instalações. Prof. Fernando Augusto Silva Marins fmarins@feg.unesp.br www.feg.unesp.br/~fmarins Armazenagem & Automação de Instalações Prof. Fernando Augusto Silva Marins fmarins@feg.unesp.br www.feg.unesp.br/~fmarins 1 Sumário - Armazenagem Estratégica - Automação na Armazenagem 2 Armazenagem -

Leia mais

LOGÍSTICA Prof. Edwin B. Mitacc Meza

LOGÍSTICA Prof. Edwin B. Mitacc Meza LOGÍSTICA Prof. Edwin B. Mitacc Meza Prova 1 09 de Maio de 2013 Nome: 1ª QUESTÃO (1,0) Segundo os dados divulgados pela ood and Agriculture Organization (AO, 2011) sobre as exportações brasileiras, em

Leia mais

WAMAS SOFTWARE DE LOGÍSTICA. Eficiente. Flexível. Confiável.

WAMAS SOFTWARE DE LOGÍSTICA. Eficiente. Flexível. Confiável. WAMAS SOFTWARE DE LOGÍSTICA Eficiente. Flexível. Confiável. Automação SSI Schaefer: Pensamento Global Ação Local Liderança de mercado A SSI SCHAEFER é uma empresa mundialmente conhecida quando se trata

Leia mais

Sistemas de Informação. Sistemas Integrados de Gestão ERP

Sistemas de Informação. Sistemas Integrados de Gestão ERP Sistemas de Informação Sistemas Integrados de Gestão ERP Exercício 1 Um arame é cortado em duas partes. Com uma das partes é feito um quadrado. Com a outra parte é feito um círculo. Em que ponto deve ser

Leia mais

Tecnologia aplicada à Logística. Prof. José Rovani Kurz rovani@highpluss.com.br

Tecnologia aplicada à Logística. Prof. José Rovani Kurz rovani@highpluss.com.br Tecnologia aplicada à Logística Prof. José Rovani Kurz rovani@highpluss.com.br Logística Qual a primeira imagem que vem a sua mente quando ouve a palavra LOGÍSTICA? Logística De cada 10 pessoas, pelo menos

Leia mais

4 Sistema de Informações

4 Sistema de Informações 4 Sistema de Informações 4.1 O conceito de informação O desenvolvimento das operações logísticas de uma determinada empresa ou organização está visceralmente ligado ao fluxo e intercâmbio de informações

Leia mais

LOGÍSTICA 1. Nubia Aparecida dos Reis Souza 2 RESUMO

LOGÍSTICA 1. Nubia Aparecida dos Reis Souza 2 RESUMO 1 LOGÍSTICA 1 Nubia Aparecida dos Reis Souza 2 RESUMO Versa o presente artigo sobre logística e suas aplicabilidades no mundo moderno. A logística foi criada para suprir necessidades durante a Segunda

Leia mais

Logística empresarial

Logística empresarial 1 Logística empresarial 2 Logística é um conceito relativamente novo, apesar de que todas as empresas sempre desenvolveram atividades de suprimento, transporte, estocagem e distribuição de produtos. melhor

Leia mais

IF685 Gerenciamento de Dados e Informação - Prof. Robson Fidalgo 1

IF685 Gerenciamento de Dados e Informação - Prof. Robson Fidalgo 1 IF685 Gerenciamento de Dados e Informação - Prof. Robson Fidalgo 1 Banco de Dados Introdução Por: Robson do Nascimento Fidalgo rdnf@cin.ufpe.br IF685 Gerenciamento de Dados e Informação - Prof. Robson

Leia mais

Abordagem Clássica da Administração: TGA Abordagem Clássica da Administração. Abordagem Clássica da Administração:

Abordagem Clássica da Administração: TGA Abordagem Clássica da Administração. Abordagem Clássica da Administração: TGA Abordagem Clássica da Administração Profa. Andréia Antunes da Luz andreia-luz@hotmail.com No despontar do XX, 2 engenheiros desenvolveram os primeiros trabalhos pioneiros a respeito da Administração.

Leia mais

Bases Tecnológicas do curso de Logística 1991 3º Módulo

Bases Tecnológicas do curso de Logística 1991 3º Módulo Bases Tecnológicas do curso de Logística 1991 3º Módulo III.1 GESTÃO DE TRANSPORTES 1.1. O desenvolvimento econômico e o transporte. 1.2. A geografia brasileira, a infraestrutura dos estados, municípios

Leia mais

ARMAZENAGEM E T.I. Prof.: Disciplina Integrantes

ARMAZENAGEM E T.I. Prof.: Disciplina Integrantes ARMAZENAGEM E T.I. Pós-Graduação em Gestão Integrada da Logística Turma: GIL131M - 2013 Universidade São Judas Tadeu Prof.: Ms. Maurício Pimentel Disciplina: Tecnologia da Informação Aplicada a Logística

Leia mais

Tecnologias da Informação e da Comunicação Aula 01

Tecnologias da Informação e da Comunicação Aula 01 Tecnologias da Informação e da Comunicação Aula 01 Douglas Farias Cordeiro Universidade Federal de Goiás 31 de julho de 2015 Mini-currículo Professor do curso Gestão da Informação Professor do curso ESAMI

Leia mais

ERP é um sistema de gestão empresarial que gerencia as informações relativas aos processos operacionais, administrativos e gerenciais das empresas.

ERP é um sistema de gestão empresarial que gerencia as informações relativas aos processos operacionais, administrativos e gerenciais das empresas. Introdução Sistemas de Informação é a expressão utilizada para descrever um Sistema seja ele automatizado (que pode ser denominado como Sistema Informacional Computadorizado), ou seja manual, que abrange

Leia mais

Vamos nos conhecer. Avaliações 23/08/2015. Módulo I Introdução à Logistica Empresarial Danillo Tourinho S. da Silva, M.Sc.

Vamos nos conhecer. Avaliações 23/08/2015. Módulo I Introdução à Logistica Empresarial Danillo Tourinho S. da Silva, M.Sc. Módulo I Introdução à Logistica Empresarial Danillo Tourinho S. da Silva, M.Sc. Vamos nos conhecer Danillo Tourinho Sancho da Silva, M.Sc Bacharel em Administração, UNEB Especialista em Gestão da Produção

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS DELIBERAÇÃO Nº 002/2009 CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO ESCOLAR. Prof. Bento

ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO ESCOLAR. Prof. Bento ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO ESCOLAR Prof. Bento QUESTÕES Doc. # 1 Revisão Indique se é Verdadeira ou Falsa a seguinte afirmação UMA TEORIA É UMA EXPLICAÇÃO LÓGICA OU ABSTRACTA DE UM PROBLEMA OU CONJUNTO DE

Leia mais

Transportes Diamante. Resumo. Uma nova forma de pensar e agir

Transportes Diamante. Resumo. Uma nova forma de pensar e agir Transportes Diamante Uma nova forma de pensar e agir por Wagner Rodrigo Weber e Jacir Adolfo Erthal Wagner Rodrigo Weber Mestre em Organizações e Desenvolvimento pela UNIFAE - Centro Universitário; Administrador,

Leia mais

Logistica e Distribuição. Manuseio de Materiais. Mas quais são as atividades da Logística? Ballou, 1993

Logistica e Distribuição. Manuseio de Materiais. Mas quais são as atividades da Logística? Ballou, 1993 Mas quais são as atividades da Logística? Ballou, 1993 Logística e Distribuição Manuseio de Materiais / Gestão de Informações Primárias Apoio 1 2 Manuseio de Materiais Refere-se aos deslocamentos de materiais

Leia mais

O último capítulo desta dissertação visa tecer conclusões a respeito do trabalho e sugerir algumas recomendações para estudos futuros.

O último capítulo desta dissertação visa tecer conclusões a respeito do trabalho e sugerir algumas recomendações para estudos futuros. 7 Conclusão O último capítulo desta dissertação visa tecer conclusões a respeito do trabalho e sugerir algumas recomendações para estudos futuros. A presente dissertação, conforme exposto no Capítulo 1,

Leia mais

Qualidade de Software

Qualidade de Software Rafael D. Ribeiro, M.Sc. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br A expressão ISO 9000 (International Organization for Standardization) designa um grupo de normas técnicas que estabelecem

Leia mais

TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO I

TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO I TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO I 1 TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO I Administração é a maneira de governar organizações ou parte delas. É o processo de planejar, organizar, dirigir e controlar o uso de recursos

Leia mais

Prof. Marcelo Mello. Unidade III DISTRIBUIÇÃO E

Prof. Marcelo Mello. Unidade III DISTRIBUIÇÃO E Prof. Marcelo Mello Unidade III DISTRIBUIÇÃO E TRADE MARKETING Canais de distribuição Canal vertical: Antigamente, os canais de distribuição eram estruturas mercadológicas verticais, em que a responsabilidade

Leia mais

ESTUDOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE EM UMA EMPRESA DE CONSULTORIA EM ENGENHARIA CIVIL

ESTUDOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE EM UMA EMPRESA DE CONSULTORIA EM ENGENHARIA CIVIL ESTUDOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE EM UMA EMPRESA DE CONSULTORIA EM ENGENHARIA CIVIL ANA LAURA CANASSA BASSETO (UTFPR) alcanassa@hotmail.com Caroline Marqueti Sathler (UTFPR)

Leia mais

Pode ser desdobrada em 2 orientações diferentes que se completam.

Pode ser desdobrada em 2 orientações diferentes que se completam. Evolução da Teoria Administrativa Escolas de Concepção Administrativa. Abordagem Clássica da Administração. Pode ser desdobrada em 2 orientações diferentes que se completam. 1 - Visão Americana: Liderada

Leia mais

Prof. Jean Cavaleiro. Unidade I LOGÍSTICA INTEGRADA:

Prof. Jean Cavaleiro. Unidade I LOGÍSTICA INTEGRADA: Prof. Jean Cavaleiro Unidade I LOGÍSTICA INTEGRADA: PRODUÇÃO E COMÉRCIO Introdução Entender a integração logística. A relação produção e demanda. Distribuição e demanda. Desenvolver visão sistêmica para

Leia mais

Armazenagem e Movimentação de Materiais II

Armazenagem e Movimentação de Materiais II Tendências da armazenagem de materiais Embalagem: classificação, arranjos de embalagens em paletes, formação de carga paletizada, contêineres Controle e operação do armazém Equipamentos de movimentação

Leia mais

Diferença entre a visão departamental e visão por processos.

Diferença entre a visão departamental e visão por processos. GESTÃO POR PROCESSOS Diferença entre a visão departamental e visão por processos. A visão por processos é conhecida desde a época medieval com a atuação dos artesãos responsáveis por todas as etapas do

Leia mais

GESTÃO. 1.-A Gestão e a evolução das teorias da Gestão. 1.2- (breve) História do Pensamento sobre a Gestão DEG/FHC DEG 1

GESTÃO. 1.-A Gestão e a evolução das teorias da Gestão. 1.2- (breve) História do Pensamento sobre a Gestão DEG/FHC DEG 1 GESTÃO 1.-A Gestão e a evolução das teorias da Gestão 1.2- (breve) História do Pensamento sobre a Gestão DEG/FHC DEG 1 1.2-História do Pensamento sobre a Gestão As organizações e a prática da Gestão foram,

Leia mais

LOGÍSTICA EMENTAS DO CURSO

LOGÍSTICA EMENTAS DO CURSO LOGÍSTICA EMENTAS DO CURSO 1º P TÉCNICAS DE COMUNICAÇÃO ORAL E ESCRITA Técnicas de leitura, interpretação e produção de textos, expressão oral e apresentação de trabalhos acadêmicos, argumentação científica.

Leia mais

INTRODUÇÃO À GESTÃO DE PESSOAS Comparativo entre idéias

INTRODUÇÃO À GESTÃO DE PESSOAS Comparativo entre idéias FACULDADE GOVERNADOR OZANAM COELHO PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE PESSOAS INTRODUÇÃO À GESTÃO DE PESSOAS Comparativo entre idéias ALINE GUIDUCCI UBÁ MINAS GERAIS 2009 ALINE GUIDUCCI INTRODUÇÃO À GESTÃO DE

Leia mais

Focaliza o aspecto econômico e de formação de preços dos serviços de transporte.

Focaliza o aspecto econômico e de formação de preços dos serviços de transporte. GERENCIAMENTO DO TRANSPORTE Focaliza o aspecto econômico e de formação de preços dos serviços de transporte. Trade-off CUSTO x NÍVEL DE SERVIÇO FORMAÇÃO DO PREÇO FINAL Para elaboração de uma estratégia

Leia mais

paulo.santosi9@aedu.com

paulo.santosi9@aedu.com 1 2 1 Analista da Divisão de Contratos da PRODESP Diretor de Esporte do Prodesp Clube Trainer Graduado em Administração de Empresas Pós-graduado em Gestão Estratégica de Negócios MBA em Negociação Mestrando

Leia mais

1.-A Gestão e a evolução das teorias da Gestão

1.-A Gestão e a evolução das teorias da Gestão 1.-A Gestão e a evolução das teorias da Gestão 1.2- História do Pensamento sobre a Gestão 1 GESTÃO 1.-A Gestão e a evolução das teorias da Gestão 1.2- História do Pensamento sobre a Gestão 2 1.2-História

Leia mais

Administração Pública

Administração Pública Administração Pública Sumário Aula 1- Características básicas das organizações formais modernas: tipos de estrutura organizacional, natureza, finalidades e critérios de departamentalização. Aula 2- Processo

Leia mais

Operação do Sistema Logístico

Operação do Sistema Logístico Operação do Sistema Logístico Prof. Ph.D. Cláudio F. Rossoni Engenharia Logística II Objetivo Entender que, possuir um excelente planejamento para disponibilizar produtos e serviços para os clientes não

Leia mais

ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial

ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial Prof. Pedro Luiz de O. Costa Bisneto 14/09/2003 Sumário Introdução... 2 Enterprise Resourse Planning... 2 Business Inteligence... 3 Vantagens

Leia mais

Introdução... teor i neoclá neocl ss s i s ca da a dmini mi s ni t s r t ação

Introdução... teor i neoclá neocl ss s i s ca da a dmini mi s ni t s r t ação Teoria neoclássica da administração Prof. Paulo Barreto Introdução... A teoria neoclássica da administração é o nome dado a um conjunto de teorias que surgiram na década de 50 e que propõem uma retomada

Leia mais

Departamento de Engenharia. ENG 1090 Introdução à Engenharia de Produção

Departamento de Engenharia. ENG 1090 Introdução à Engenharia de Produção Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Engenharia Curso de Graduação em Engenharia de Produção ENG 1090 Introdução à Engenharia de Produção Prof. Gustavo Suriani de Campos Meireles Faz

Leia mais

G P - AMPLITUDE DE CONTROLE E NÍVEIS HIERÁRQUICOS

G P - AMPLITUDE DE CONTROLE E NÍVEIS HIERÁRQUICOS G P - AMPLITUDE DE CONTROLE E NÍVEIS HIERÁRQUICOS Amplitude de Controle Conceito Também denominada amplitude administrativa ou ainda amplitude de supervisão, refere-se ao número de subordinados que um

Leia mais

Prof. Daniel Bertoli Gonçalves UNISO - SOROCABA

Prof. Daniel Bertoli Gonçalves UNISO - SOROCABA Prof. Daniel Bertoli Gonçalves UNISO - SOROCABA Engenheiro Agrônomo CCA/UFSCar 1998 Mestre em Desenvolvimento Econômico, Espaço e Meio Ambiente IE/UNICAMP 2001 Doutor em Engenharia de Produção PPGEP/UFSCar

Leia mais

ANÁLISE DO GERENCIAMENTO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS POR MEIO DO PROGRAMA 5 S EM UMA TRANSPORTADORA NA CIDADE DE MARINGÁ

ANÁLISE DO GERENCIAMENTO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS POR MEIO DO PROGRAMA 5 S EM UMA TRANSPORTADORA NA CIDADE DE MARINGÁ 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 ANÁLISE DO GERENCIAMENTO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS POR MEIO DO PROGRAMA 5 S EM UMA TRANSPORTADORA NA CIDADE DE MARINGÁ Daiane Maria De Genaro Chiroli 1

Leia mais

Recursos Humanos Prof. Angelo Polizzi. Logística Empresarial e Sistema Integrado. Objetivos do Tema. Logística

Recursos Humanos Prof. Angelo Polizzi. Logística Empresarial e Sistema Integrado. Objetivos do Tema. Logística Recursos Humanos Prof. Angelo Polizzi e Sistema Integrado Objetivos do Tema Apresentar: Uma visão da logística e seu desenvolvimento com o marketing. A participação da logística como elemento agregador

Leia mais

Logistica e Distribuição

Logistica e Distribuição Mas quais são as atividades da Logística? Ballou, 1993 Logística e Distribuição Armazenagem e Movimentação Primárias Apoio 1 2 A armazenagem corresponde a atividades de estocagem ordenada e a distribuição

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 1 OBJETIVOS 1. Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? 2. Como os sistemas de informação apóiam as principais funções empresariais:

Leia mais

CONCEITO DO OPERADOR LOGÍSTICO (fevereiro de 1999)

CONCEITO DO OPERADOR LOGÍSTICO (fevereiro de 1999) CONCEITO DO OPERADOR LOGÍSTICO (fevereiro de 1999) INDICE 1. INTRODUÇÃO 2. SERVIÇOS LOGÍSITICOS 3. O CONCEITO DO OPERADOR LOGÍSITICO 3.1 DEFINIÇÃO 3.2 CARACTERIZAÇÃO DE OPERADOR LOGÍSTICO 4. DEFINIÇÕES

Leia mais

Filósofos. A história administração. Filósofos. Igreja Católica e Organização Militar. Revolução Industrial

Filósofos. A história administração. Filósofos. Igreja Católica e Organização Militar. Revolução Industrial Uninove Sistemas de Informação Teoria Geral da Administração 3º Semestre Prof. Fábio Magalhães Blog da disciplina: http://fabiotga.blogspot.com A história administração A história da Administração é recente,

Leia mais

MRP COMO SISTEMA PROPULSOR DE MELHORIAS NA ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS

MRP COMO SISTEMA PROPULSOR DE MELHORIAS NA ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS ISSN 1984-9354 MRP COMO SISTEMA PROPULSOR DE MELHORIAS NA ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS Jamile Pereira Cunha Rodrigues (UESC) Resumo Diante do atual cenário competitivo empresarial, as empresas estão buscando

Leia mais

A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos

A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos Denis Alcides Rezende Do processamento de dados a TI Na década de 1960, o tema tecnológico que rondava as organizações era o processamento de

Leia mais

CADEIA DE SUPRIMENTOS MÉTODOS DE RECEBIMENTOS RESUMO

CADEIA DE SUPRIMENTOS MÉTODOS DE RECEBIMENTOS RESUMO 1 CADEIA DE SUPRIMENTOS MÉTODOS DE RECEBIMENTOS LEANDRO PANTOJO 1 PETERSON ROBERTO DE LARA 2 VAGNER FUSTINONI 3 RENATO FRANCISCO SALDANHA SILVA 4 VALDECIL DE SOUZA 5 RESUMO O objetivo deste trabalho será

Leia mais

Novas Formas de Organização do Trabalho

Novas Formas de Organização do Trabalho Novas Formas de Organização do Trabalho Nesse cenário tecnológico, os trabalhadores são organizados em um novo conceito de divisão do trabalho que compreende: a) Novas tecnologias de produção; b) Novos

Leia mais

As Teorias da Administração em foco: de Taylor a Drucker

As Teorias da Administração em foco: de Taylor a Drucker As Teorias da Administração em foco: de Taylor a Drucker O presente artigo busca destacar as principais contribuições teóricas que definiram a linha evolutiva da Administração que se desenvolveu desde

Leia mais

A Avaliação do Uso da Tecnologia da Informação na Administração da Produção de uma Distribuidora de Produtos de Blumenau/SC

A Avaliação do Uso da Tecnologia da Informação na Administração da Produção de uma Distribuidora de Produtos de Blumenau/SC A Avaliação do Uso da Tecnologia da Informação na Administração da Produção de uma Distribuidora de Produtos de Blumenau/SC PERES, Diego de Assis. diegoeletrotecnico@hotmail.com Uniasselvi-Fadesc CRUZ,

Leia mais

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG Capítulo 3: Sistemas de Negócios Colaboração SPT SIG Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos, gerentes e profissionais de empresas.

Leia mais

P á g i n a 3 INTRODUÇÃO

P á g i n a 3 INTRODUÇÃO P á g i n a 3 INTRODUÇÃO A Administração de Materiais compreende as decisões e o controle sobre o planejamento, programação, compra, armazenamento e distribuição dos materiais indispensáveis à produção

Leia mais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Capítulo 3: Sistemas de Apoio Gerenciais Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos,

Leia mais

UnB Universidade de Brasília. Administração de Recursos Materiais. Tema: Gestão de estoque. Alunos: - Beliza de Ávila.

UnB Universidade de Brasília. Administração de Recursos Materiais. Tema: Gestão de estoque. Alunos: - Beliza de Ávila. UnB Universidade de Brasília Administração de Recursos Materiais Tema: Gestão de estoque Alunos: - Beliza de Ávila - Felipe Jordán - Guilherme de Miranda - Jefferson Coelho O conceito de ocupação física

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

Planejamento Organização Direção Controle. Termos chaves Planejamento processo de determinar os objetivos e metas organizacionais e como realiza-los.

Planejamento Organização Direção Controle. Termos chaves Planejamento processo de determinar os objetivos e metas organizacionais e como realiza-los. Decorrência da Teoria Neoclássica Processo Administrativo. A Teoria Neoclássica é também denominada Escola Operacional ou Escola do Processo Administrativo, pela sua concepção da Administração como um

Leia mais

SI- Sistemas de Informação. Professora: Mariana A. Fuini

SI- Sistemas de Informação. Professora: Mariana A. Fuini SI- Sistemas de Informação Professora: Mariana A. Fuini INTRODUÇÃO A informação é tudo na administração de uma organização. Mas para uma boa informação é necessário existir um conjunto de características

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA KANBAN NA PRODUÇÃO PARA MINIMIZAÇÃO DE CUSTO E MAXIMIZAÇÃO DE LUCROS

IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA KANBAN NA PRODUÇÃO PARA MINIMIZAÇÃO DE CUSTO E MAXIMIZAÇÃO DE LUCROS IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA KANBAN NA PRODUÇÃO PARA MINIMIZAÇÃO DE CUSTO E MAXIMIZAÇÃO DE LUCROS RESUMO Regiane A. Olmedo de Souza regianeolmedo@gmail.com Renan Fernandes Nascimento renanfn8@yahoo.com.br Rozana

Leia mais

PLANEJAMENTO E CONTROLE DA PRODUÇÃO

PLANEJAMENTO E CONTROLE DA PRODUÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS UNICAMP INSTITUTO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS - IFCH DEPARTAMENTO DE ECONOMIA E PLANEJAMENTO ECONÔMICO DEPE CENTRO TÉCNICO ECONÔMICO DE ASSESSORIA EMPRESARIAL - CTAE

Leia mais

Gerenciamento simultâneo de produção e processo

Gerenciamento simultâneo de produção e processo Gerenciamento simultâneo de produção e processo Leonardo Werncke Oenning - Departamento de Engenharia de Materiais UNESC, wo.leo@hotmail.com Leopoldo Pedro Guimarães Filho UNESC, lpg@unesc.net; Dino Gorini

Leia mais

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br Corporativo Transformar dados em informações claras e objetivas que possibilitem às empresas tomarem decisões em direção ao sucesso. Com essa filosofia a Star Soft Indústria de Software e Soluções vem

Leia mais

Logistica e Distribuição. Conceito. Nomenclatura dos Operadores Logísticos

Logistica e Distribuição. Conceito. Nomenclatura dos Operadores Logísticos A terceirização de serviços logísticos se constitui uma das Logística e Distribuição novas tendências da prática empresarial moderna, principalmente dentro dos conceitos da Gestão da Cadeia de Suprimentos

Leia mais

1 Habilitação: Educação Profissional Técnica de Nível Médio em Administração de Logística

1 Habilitação: Educação Profissional Técnica de Nível Médio em Administração de Logística Habilitação, qualificações e especializações: 1 Habilitação: Educação Profissional Técnica de Nível Médio em Administração de Logística Carga-Horária: 960 horas 1.2 Objetivo Geral do Curso O curso de Educação

Leia mais

Existem três categorias básicas de processos empresariais:

Existem três categorias básicas de processos empresariais: PROCESSOS GERENCIAIS Conceito de Processos Todo trabalho importante realizado nas empresas faz parte de algum processo (Graham e LeBaron, 1994). Não existe um produto ou um serviço oferecido por uma empresa

Leia mais

SISTEMAS DE AUTOMAÇÃO

SISTEMAS DE AUTOMAÇÃO PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br SISTEMAS DE AUTOMAÇÃO Rosenclever Lopes Gazoni Data MACROPROCESSO [1] AUTOMAÇÃO DE ESCRITÓRIO/COMERCIAL: Correio eletrônico; vídeo texto; vídeo conferência; teleconferência;

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL PARA AS EMPRESAS

A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL PARA AS EMPRESAS A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL PARA AS EMPRESAS Gilmar da Silva, Tatiane Serrano dos Santos * Professora: Adriana Toledo * RESUMO: Este artigo avalia o Sistema de Informação Gerencial

Leia mais

Armazenagem, Controle e Distribuição. Aula 3. Contextualização. Principais Atribuições. Controles de Estoque. Plano de Ação. Instrumentalização

Armazenagem, Controle e Distribuição. Aula 3. Contextualização. Principais Atribuições. Controles de Estoque. Plano de Ação. Instrumentalização Armazenagem, Controle e Distribuição Aula 3 Contextualização Prof. Walmar Rodrigues da Silva Controles de Estoque Principais Atribuições Planejamento Controle Gestão de estoques PDCA Sistema de administração

Leia mais

CONFIRA UMA BREVE DESCRIÇÃO DAS VANTAGENS COMPETITIVAS OBTIDAS A PARTIR DE CADA META COMPETITIVA VANTAGEM DA QUALIDADE

CONFIRA UMA BREVE DESCRIÇÃO DAS VANTAGENS COMPETITIVAS OBTIDAS A PARTIR DE CADA META COMPETITIVA VANTAGEM DA QUALIDADE CHÃO DE FÁBRICA A PRODUÇÃO COMPETITIVA CONFIRA UMA BREVE DESCRIÇÃO DAS VANTAGENS COMPETITIVAS OBTIDAS A PARTIR DE CADA META COMPETITIVA VANTAGEM DA QUALIDADE Foco principal das empresas que competem com

Leia mais

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning ERP Enterprise Resources Planning A Era da Informação - TI GRI Information Resource Management -Informação Modo organizado do conhecimento para ser usado na gestão das empresas. - Sistemas de informação

Leia mais

Sistemas e Sistemas de Informação

Sistemas e Sistemas de Informação Sistemas e Sistemas de Informação 1) Defina pensamento sistêmico. É pensar na empresa como um sistema. A empresa não é vista como um conjunto de partes independentes, buscando alcançar objetivos isolados,

Leia mais

LOGÍSTICA. Curso: Gestão Comercial Prof. Daniel Rossi 1.0 UMA FUNÇÃO ESSENCIAL NA EMPRESA

LOGÍSTICA. Curso: Gestão Comercial Prof. Daniel Rossi 1.0 UMA FUNÇÃO ESSENCIAL NA EMPRESA Curso: Gestão Comercial Prof. Daniel Rossi LOGÍSTICA 1.0 UMA FUNÇÃO ESSENCIAL NA EMPRESA O conceito de Logística sempre envolve um fluxo de materiais de uma origem ou destino e, no outro sentido, um fluxo

Leia mais

FEA. Desenvolvimento de Profissionais de Logística com Foco nos Resultados dos Negócios. Sergio Rodrigues Bio

FEA. Desenvolvimento de Profissionais de Logística com Foco nos Resultados dos Negócios. Sergio Rodrigues Bio FEA Desenvolvimento de Profissionais de Logística com Foco nos Resultados dos Negócios Sergio Rodrigues Bio Centro Breve Apresentação USP 6 campi, 5.000 profs. 60.000 alunos Cerca de 30% da produção científica

Leia mais

TIPOS DE PROCESSOS Existem três categorias básicas de processos empresariais:

TIPOS DE PROCESSOS Existem três categorias básicas de processos empresariais: PROCESSOS GERENCIAIS Conceito de Processos Todo trabalho importante realizado nas empresas faz parte de algum processo (Graham e LeBaron, 1994). Não existe um produto ou um serviço oferecido por uma empresa

Leia mais

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS WALLACE BORGES CRISTO 1 JOÃO CARLOS PEIXOTO FERREIRA 2 João Paulo Coelho Furtado 3 RESUMO A Tecnologia da Informação (TI) está presente em todas as áreas de

Leia mais

Distribuição Física. A distribuição física de produtos é realizada com a participação de alguns componentes, físicos ou informacionais, a saber:

Distribuição Física. A distribuição física de produtos é realizada com a participação de alguns componentes, físicos ou informacionais, a saber: Distribuição Física Objetivo da aula: Apresentar e discutir o conceito e os componentes do sistema de distribuição física, dentro do processo logístico. O objetivo geral da distribuição física, como meta

Leia mais

Pós-Graduação Business Intelligence

Pós-Graduação Business Intelligence Pós-Graduação Business Intelligence Tendências de Mercado de Business Intelligence Aula 01 Negócios e Tecnologia da Informação Objetivos da Aprendizagem Discutir as pressões corporativas e as reações que

Leia mais