Pharmanager Estudo de Mercado e Supply Chain para o Varejo Farmacêutico Paulo Paiva Diretor Comercial, Vendas Regionais Latam & Consultoria

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Pharmanager 2013. Estudo de Mercado e Supply Chain para o Varejo Farmacêutico Paulo Paiva Diretor Comercial, Vendas Regionais Latam & Consultoria"

Transcrição

1 Pharmanager 2013 Estudo de Mercado e Supply Chain para o Varejo Farmacêutico Paulo Paiva Diretor Comercial, Vendas Regionais Latam & Consultoria Junho/13

2 Mercado de Varejo 1. Vendas Previsão de Volume em Unidades Standard (SU) CAGR ,0% CAGR ,5% Variação +/- 2% CAGR Principais Impulsionadores Economia Cresce e Inflação sob controle Cresc. PIB~ +1,5 3,5% Inflação ~ 5% Crescimento do Emprego Formal Aumento de Vendas por aumento de renda e melhor distribuição Aumento da Idade Média da população LOE Perda de Exclusividade Incremento da Farmácia Popular History 2 and forecast MAT March

3 Mercado de Varejo 1. Previsão em Volume Unidades Standard (SU) Volume SU RX vs OTC detalhes RX 49% 49% 50% 50% 52% 52% 53% 54% 54% 55% OTC 51% 51% 50% 50% 48% 48% 47% 46% 46% 45% Volume SU RX quebra ORI UGX BGX 24% 8% 16% 14% 13% 12% 16% 15% 14% 23% 20% 17% 17% 18% 13% 14% 15% 16% 9% 10% 11% 18% 20% 22% 23% 23% 24% 24% 25% 25% History 3 and forecast MAT March ORI = Products classified as Reference by ANVISA, UGX = unbranded generics (classified as generics by ANVISA), BGX = branded generics

4 Mercado Varejo - Previsão 2. Previsão R$ com descontos (PPP) RX OTC 26 71% 29% +12% 29 71% 29% +5% Valores com descontos RX vs OTC quebra 31 70% 30% 34 70% 30% CAGR ,7% 38 70% 30% 41 70% 30% 46 70% 30% Variation of +/- 2% in forecast CAGR 51 70% 30% Valores com Descontos RX quebra ORI 38% 35% 35% 34% 34% 33% 32% 31% UGX 10% 12% 11% 11% 11% 12% 13% 14% BGX 23% 23% 24% 25% 25% 25% 26% 26% History 4 and forecast MAT March ORI = Products classified as Reference by ANVISA, UGX = unbranded generics (classified as generics by ANVISA), BGX = branded generics

5 CONSUMER HEALTH Dez/12 em R$ OTC Valor MAT: 12.1 Bi Peso: 53% +7.0% PAC Valor MAT: 1.4 Bi Peso: 6% +11.4% BRASIL CONSUMER HEALTH 22.8 Bi Anuais +8.9% Rx R$ 28bi (PPP) PEC Valor MAT: 8.5 Bi Peso: 37% +9.7% NTR Valor MAT: 730M Peso: 3% +29.5% Os mercados Personal Care, Patient Care e Nutrição atingem um valor ~14bi Reais 5

6 Mercado Consumer Health por regiões Mercado Consumo em Farmácia OTC na Farmácia +19% +21% +18% +19% 1 Bi 5% 3.5 Bi 16% 600M 5% 2.3 Bi 19% +32% +24% 1.8bi 8% 1 Bi 9% +9% 11.3BI 53% +10% 6 BI 51% WEI8HT +11% 3,8 Bi 18% +8% 2 Bi 17% <Presentation title> 6 6/26/2013 MAT MAR DADOS NACIONAIS NÃO PROJETADOS

7 Mercado Consumer Health por regiões Mercado Consumo em Farmácia Personal Care na Farmácia +19% +21% +12% +19% 1 Bi 5% 3.5 Bi 16% 260 M 4% 800 M 11% +32% +42% 1.8bi 8% 500 M 7% +9% 11.3BI 53% +3% 4 BI 54% WEI8HT +11% 3,8 Bi 18% +13% 1.3 Bi 19% <Presentation title> 7 6/26/2013 MAT MAR DADOS NACIONAIS NÃO PROJETADOS

8 Mercado Consumer Health por regiões Mercado Consumo em Farmácia Patient Care na Farmácia +19% +21% +42% +33% 1 Bi 5% 3.5 Bi 16% 95 M 4% 280 M 11% +32% +62% 1.8bi 8% 145 M 7% +9% 11.3BI 53% +11% 830 M 54% WEI8HT +11% 3,8 Bi 18% +20% 340 M 19% <Presentation title> 8 6/26/2013 MAT MAR DADOS NACIONAIS NÃO PROJETADOS

9 Mercado Consumer Health por regiões Mercado Consumo em Farmácia Nutrition na Farmácia +19% +21% +34% +37% 1 Bi 5% 3.5 Bi 16% 25 M 3% 100 M 12% +32% +59% 1.8bi 8% 75 M 9% +9% 11.3BI 53% +42% 510 M 61% WEI8HT +11% 3,8 Bi 18% +33% 120 M 15% <Presentation title> 9 6/26/2013 MAT MAR DADOS NACIONAIS NÃO PROJETADOS

10 Total Pharma Market Existem +68K Farmácias no Brasil e aprox. 13K são responsáveis por 75% da venda de medicamentos Categorias de PDVs CAT % R$ PDVs 1 12,5% ,5% ,5% ,5% , ,5% ,5% ,5% ,5% Total 100% , , ,175 2,935 1,531 1,404 5,630 4,516 1,114 10, CAT 1 CAT 2 CAT 3 CAT 4 CAT 5 CAT 6 CAT 7 CAT 8 Source: IMS, MAT Set/12 10

11 Existem +68K Farmácias no Brasil e aprox. 6K são responsáveis por 75% da venda de Consumer Health (PEC, PAC, NTR) Segmentação das Farmácias R / I por Categoria para HPC em R$* MAT Set12 CAT HPC #PDVs R I R R$/Loja I R$ / Loja I Uma loja Independente categoria 1 vende vezes mais em R$* que uma loja Independente categoria 8 8 R Uma loja REDE categoria 1 vende 10 vezes mais em R$* que uma loja REDE categoria 8 IMS HPC * R$ preço ao consumidor

12 O Consumidor na Farmácia Independentes Redes Razão da ida do consumidor à farmácia: 92% 91% 6% 8% 2% 1% Ao entrar na farmácia, 92% dos entrevistados estavam em busca de medicamentos. Compra de medicamento Compra de Produto de Higiene e Beleza Outros Comprou medicamentos: 86% 85% E do total de entrevistados, 86% acabaram comprando algum itemdurante sua ida a farmácia. 14% 15% Sim Não Perfil 1 IMS Comercial Health Brasil 2012

13 O Perfil das Farmácias no Brasil Independentes Redes Check-Outs: Metros Quadrados: 40% 39% 38% 23% 29% 22% 14% 23% 9% 19% 7% 13% 17% 14% 16% 15% 32% 28% ou mais Até 50 m² Entre 51 e 100 m² Entre 101 e 150 m² Mais de 150 m² Atendentes: 4% 1% 7% 7% 20% 19% 27% 26% 8% 12% 10% 9% 25% 26% As farmácias da amostra tem na sua maioria 1 ou 2 check-outs. Nas redes temos mais lojas com 3 ou 4 check-outs ou mais Perfil 1 IMS Comercial Health Brasil 2012

14 o Perfil das Farmácias no Brasil Independentes Redes Espaço para Dermocosméticos: Motoboy: 81% 84% 30% 35% 33% 36% 19% 16% 7% 2% 12% 12% 7% 4% 3% 0% 9% 10% Sim Serviço de Entrega: Não ou mais 61% 46% 39% 54% Mais de 80% das farmácias da amostra já contam com espaço para dermocosméticos. Em 2010 somente 67% das independentes possuíam tal espaço. Sim Não Perfil 1 IMS Comercial Health Brasil 2012

15 o Perfil das Farmácias no Brasil Independentes Redes Sala para Atendimento: Vagas de Estacionamento: 74% 71% 42% 45% 32% 26% 29% 13% 13% 21% 10% 12% 3% 9% Sim Não Nenhuma Até 2 De 3 a 5 De 6 a 10 Mais de 10 Farmácia de Manipulação: 94% 90% Aumentou o número de farmácias com sala de atendimento comparado a São mais de 70% versus menos de 50% do último estudo. 6% 10% Sim Não Perfil 1 IMS Comercial Health Brasil 2012

16 o Perfil das Farmácias no Brasil Independentes Redes Predominância da localização: Proximidade da localização: 44% 42% 39% 38% 73% 69% 16% 18% 0% 1% 1% 1% 13% 7% 5% 5% 1% 1% 14% 11% 5% 3% Residencial Comercial Industrial Misto Não Especificado Metrô Rodoviária Estação de Trem Ponto de Ônibus Aeroporto Nenhuma das opções Localização em esquina: Localização em Complexos Comerciais: 83% 79% 52% 50% 48% 50% 1% 1% 1% 2% 12% 8% 5% 3% 2% 2% Sim Não Posto de Gasolina Shopping Center Centro Comercial Supermercado Outros Não está localizada dentro de outro complexo Perfil 1 IMS Comercial Health Brasil 2012

17 A complexidade da cadeia de suprimentos da Indústria até o varejo A Cadeia Farma (Produtos Farma e Consumo) Varejo (Redes/Independentes) Outros SKUs Rx+OTC+PEC+PAC+NTR

18 a complexidade dessa cadeia gera rupturas e altera o nível de serviços prestados pela farmácia (medicamentos) Alto nível de ruptura/faltas tem reduzido a rentabilidade e competitividade das farmácias Fato: 27% consumidores das farmácias não encontram tudo o que procuram em um único ponto de venda; 11% destes NÃO buscarão os produtos procurados em outras farmácias = perda de vendas (~3% Mercado Total ~R$ 1.41bi) 1

19 Como Integrar essa Cadeia de Suprimentos e reduzir rupturas, melhorar margens e níveis de serviços? Pontos Chave Oportunidades na Cadeia Integração eletrônica para cima e para baixo da cadeia de suprimentos Gestão pró-ativa entre Fabricantes e Distribuidores e Redes dos volumes de estoque (VMI, CMI) Definir e Gerenciar indicadores de nível de serviços no quesito reposição do estoque do Varejo Redução de custos de Estoque por uma melhor gestão dos nós da cadeia de suprimentos (visibilidade) Incrementar o uso de ecommerce ao Consumidor 19

20 IMS ecommerce Tecnologia que integra a cadeia de distribuição e oferece soluções completas e diferenciadas à todos os stakeholders Fabricante (Vendedor) Farmácia (Comprador) Fluxo Comercial ecommerce ecommerce PDV Canal de Distribuição (Comprador ou Operador Logístico) ecommerce / EcommercePDV 32 Fabricantes +600 WHS Todas as Grandes Redes de Varejo ~8.200 Lojas Outras Farmácias R$ 28bi em

21 O que o Farmácia 360º oferece? Em um mercado cada vez mais competitivo, identificar oportunidades e ter informações que suportem as melhores decisões pode fazer toda a diferença no sucesso da sua farmácia. Pensando nisso, a IMS Health, através de uma parceria estratégica com a Associação Brasileira do Comércio Farmacêutico (ABCFarma), desenvolveu o Farmácia 360º; um relatório que oferece importantes visões para ampliar seu poder analítico e possibilitar uma melhor gestão de sua farmácia: Performance da sua farmácia na região Tendências de mercado nacional e por micro-região Oportunidades para a sua farmácia Footer [via Insert tab > Header & Footer] 21 Fixed Date [via Insert tab > Header & Footer]

22 Obrigado CONSUMER HEALTH Paulo Paiva Diretor Comercial/Vendas Regionais Latam & Consultoria <Presentation title> 22 6/26/2013

Farmácias: Estratégia e Diferenciação

Farmácias: Estratégia e Diferenciação Seminário GVcev Farmácias: Estratégia e Diferenciação Evolução e Tendências do Mercado de Farmácias Paulo Paiva IMS Health do Brasil Brasil Retail Market 2 O mercado vive hoje um bom momento Evolução mercado

Leia mais

Reunião Pública com Analistas Abril, 2009

Reunião Pública com Analistas Abril, 2009 Reunião Pública com Analistas Abril, 2009 Profarma Overview Profarma: Overview da Companhia Desde 1961, a Profarma distribui produtos farmacêuticos, higiene pessoal e cosméticos para farmácias e hospitais

Leia mais

IMS Health do Brasil - Farmácia 360º A visão que faltava para o seu negócio. Tutorial para a leitura analítica do relatório Farmácia 360º

IMS Health do Brasil - Farmácia 360º A visão que faltava para o seu negócio. Tutorial para a leitura analítica do relatório Farmácia 360º IMS Health do Brasil - Farmácia 360º A visão que faltava para o seu negócio Tutorial para a leitura analítica do relatório Farmácia 360º Índice Objetivos e Aplicações do Farmácia 360º 3-4 Conteúdo do Farmácia

Leia mais

Close-Up. Sincofarma/SP 16 de Setembro de 2015 Paulo Paiva Diretor Regional Latam

Close-Up. Sincofarma/SP 16 de Setembro de 2015 Paulo Paiva Diretor Regional Latam Close-Up Sincofarma/SP 16 de Setembro de 2015 Paulo Paiva Diretor Regional Latam Empresa criadora dos primeiros Livros e Relatórios Estatísticos do Mercado de Prescrição em todo o mundo. Quem Somos Fundada

Leia mais

ESTUDO DE ÓTICAS 2014 MERCADO, VAREJISTAS E CLIENTES

ESTUDO DE ÓTICAS 2014 MERCADO, VAREJISTAS E CLIENTES ESTUDO DE ÓTICAS 2014 MERCADO, VAREJISTAS E CLIENTES VAREJISTAS E CLIENTES PESQUISA DE MERCADO - MÉTODO E AMOSTRA 2012 350 entrevistas com gerentes e proprietários de óticas 2014 541 entrevistas com gerentes

Leia mais

TECNOLOGIAS PARA ESTOQUE EFICIENTE E REDUÇÃO DE RUPTURAS

TECNOLOGIAS PARA ESTOQUE EFICIENTE E REDUÇÃO DE RUPTURAS TECNOLOGIAS PARA ESTOQUE EFICIENTE E REDUÇÃO DE RUPTURAS DISPONIBILIDADE EM GÔNDOLA Claudia Fajuri 21/05/2014 QUAL É O LUCRO DO SETOR SUPERMERCADISTA? Para cada R$100,00que entram no caixa, quantos Reais

Leia mais

Brochura - Panorama ILOS

Brochura - Panorama ILOS Brochura - Panorama ILOS c Custos Logísticos no Brasil - 2014 - Apresentação O tema custos é uma preocupação recorrente dos executivos de logística no Brasil. Por isso, de dois em dois anos, o ILOS vai

Leia mais

RANKING ABAD NIELSEN 2015 BASE 2014

RANKING ABAD NIELSEN 2015 BASE 2014 RANKING ABAD NIELSEN 2015 BASE 2014 Abril, 2015 AGENDA Um resumo das Mudanças no Mercado Brasileiro em 2014 O Setor Atacadista-distribuidor neste contexto O processo de interiorização do consumo e o reflexo

Leia mais

Alianças Estratégicas entre Indústria e Varejo

Alianças Estratégicas entre Indústria e Varejo Alianças Estratégicas entre Indústria e Varejo Agenda 1) Mudanças no Ambiente - A evolução do Varejo - A evolução da Indústria - A evolução Consumidor 2) Trade Marketing: Resposta ao Novo Cenário 3) Modelos

Leia mais

Farmácias Estratégia e Diferenciação

Farmácias Estratégia e Diferenciação Seminário GVcev Farmácias Estratégia e Diferenciação Varejo multicanal Alternativa de negócio? Lismeri Avila Pesquisa e-commerce Pesquisa feita pelo Provar em 2006 40% dos consumidores pretendem comprar

Leia mais

Estudo do mercado brasileiro de reposição automotivo

Estudo do mercado brasileiro de reposição automotivo Estudo do mercado brasileiro de reposição automotivo Novo estudo da Roland Berger São Paulo, março de 2015 O mercado de reposição oferece grande potencial, mas empresários do setor precisam de suporte

Leia mais

SETOR de shopping center no Brasil: UMA VISÃO DO MERCADO

SETOR de shopping center no Brasil: UMA VISÃO DO MERCADO Informativo setorial de shopping centers Nº01 maio 2011 NÚMERO DE SHOPPINGS, 2 Descubra a distribuição dos shoppings por área bruta comercial. FLUXO DE CLIENTES, 6 Entenda o fluxo médio diário e a densidade

Leia mais

SETOR de shopping center no Brasil:

SETOR de shopping center no Brasil: Informativo setorial de shopping centers Nº01 maio 2011 número de Shoppings, 2 Descubra a distribuição dos shoppings por área bruta comercial. Fluxo de Clientes, 6 Entenda o fluxo médio diário e a densidade

Leia mais

COMO FAZER UM. Imagem do curso PRODUTOS

COMO FAZER UM. Imagem do curso PRODUTOS Bem Vindos! COMO FAZER UM CORRETO Imagem do curso MIX DE PRODUTOS Messias Cavalcante Responde pela Recycle Consultoria. Mais de 15 anos nas áreas corporativas de Marketing, Trade Marketing, Branding e

Leia mais

A EDIÇÃO PAULISTA DA ECONOFARMA ESTÁ DE VOLTA. -feira

A EDIÇÃO PAULISTA DA ECONOFARMA ESTÁ DE VOLTA. -feira A EDIÇÃO PAULISTA DA ECONOFARMA ESTÁ DE VOLTA -feira EM 2014, A ECONOFARMA RETORNA COM UM NOVO OLHAR SOBRE O VAREJO FARMACÊUTICO CENÁRIO ATUAL O varejo nacional projeta otimismo de crescimento para os

Leia mais

Canais de marketing. Trade Marketing. Trade Marketing. Trade marketing é uma ferramenta que atua diretamente em três níveis:

Canais de marketing. Trade Marketing. Trade Marketing. Trade marketing é uma ferramenta que atua diretamente em três níveis: Canais de marketing Prof. Ricardo Basílio ricardobmv@gmail.com Trade Marketing Trade Marketing Trade marketing é uma ferramenta que atua diretamente em três níveis: Distribuidores; Clientes; Ponto de venda.

Leia mais

Revolução Multicanal no Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos

Revolução Multicanal no Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos Revolução Multicanal no Setor de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos Prof. Dr. Leandro Guissoni EAESP/FGV "N a fábrica fazem os cosm éticos, na loja vendem os esperança." ( Revlon) Agenda Multicanalidade

Leia mais

As diretrizes de consumo no Brasil

As diretrizes de consumo no Brasil As diretrizes de consumo no Brasil A visão do consumidor Luiz Goes A GS&MD Gouvêa de Souza Consultoria Empresarial Canais de distribuição / Centrais e redes de negócios/ Controladoria e finanças / Crédito

Leia mais

COMPETITIVIDADE: DESENVOLVIMENTO PRÓXIMOS ANOS? COMO SERÁ O DO SEU NEGÓCIO NOS. Sussumu Honda

COMPETITIVIDADE: DESENVOLVIMENTO PRÓXIMOS ANOS? COMO SERÁ O DO SEU NEGÓCIO NOS. Sussumu Honda REFLEXÕES SOBRE A COMPETITIVIDADE: COMO SERÁ O DESENVOLVIMENTO DO SEU NEGÓCIO NOS PRÓXIMOS ANOS? Sussumu Honda 2013: O MUNDO Perspectivas Globais RECUPERAÇÃO GRADATIVA COM GRANDES MUDANÇAS Perspectivas

Leia mais

AVALIAÇÃO DO EVENTO. Local ÍNDICE DE SATISFAÇÃO 98% Bom 26% Excelente 72% Fraco 2%

AVALIAÇÃO DO EVENTO. Local ÍNDICE DE SATISFAÇÃO 98% Bom 26% Excelente 72% Fraco 2% AVALIAÇÃO DO EVENTO AVALIAÇÃO DO EVENTO Local 2% 26% 98% 72% AVALIAÇÃO DO EVENTO A & B 6% 34% 60% 94% AVALIAÇÃO DO EVENTO Salas e Espaços de Relacionamento 1% 47% 52% 99% Almoço 1% AVALIAÇÃO DO EVENTO

Leia mais

TOTVS COLABORAÇÃO 2.0 FISCAL powered by NeoGrid

TOTVS COLABORAÇÃO 2.0 FISCAL powered by NeoGrid TOTVS COLABORAÇÃO 2.0 FISCAL powered by NeoGrid Recebimento de NF-e e CT-e Emissão de NF-e, CT-e, MDF-e e NFS-e Integração nativa com o seu ERP Exija a solução que é o melhor investimento para a gestão

Leia mais

Trade Marketing Estratégico ou Tático. Tania Zahar Miné

Trade Marketing Estratégico ou Tático. Tania Zahar Miné Trade Marketing Estratégico ou Tático Tania Zahar Miné Agenda Mercado - Farmácias Trade Marketing Consumidor e shopper Desafios e oportunidades Farma Mercado Farmácias Números do setor Canal em crescimento

Leia mais

A Nova Geografia de Negócios e a Diversidade de Formatos de Varejo e Implicaçõ. ções para Indústria de Bens de Consumo.

A Nova Geografia de Negócios e a Diversidade de Formatos de Varejo e Implicaçõ. ções para Indústria de Bens de Consumo. A Nova Geografia de Negócios e a Diversidade de Formatos de Varejo e Implicaçõ ções para Indústria de Bens de Consumo. Realização : 27 de Abril de 2010 Mercure Grand Hotel S.Paulo/SP 39º RELATÓRIO ANUAL

Leia mais

Prof. Marcelo Mello. Unidade III DISTRIBUIÇÃO E

Prof. Marcelo Mello. Unidade III DISTRIBUIÇÃO E Prof. Marcelo Mello Unidade III DISTRIBUIÇÃO E TRADE MARKETING Canais de distribuição Canal vertical: Antigamente, os canais de distribuição eram estruturas mercadológicas verticais, em que a responsabilidade

Leia mais

Pesquisa sobre Logística no E-commerce Brasileiro 2013

Pesquisa sobre Logística no E-commerce Brasileiro 2013 Pesquisa sobre Logística no E-commerce Brasileiro 2013 www.brazilpanels.com.br www.abcomm.com.br www.ecommerceschool.com.br Apoio: INTRODUÇÃO A Logística foi escolhida para ser o tema do primeiro estudo

Leia mais

Curso Intensivo. Merchandising - Formação Avançada e Gerenciamento de Produtos por Categoria em Farmácias

Curso Intensivo. Merchandising - Formação Avançada e Gerenciamento de Produtos por Categoria em Farmácias Curso Intensivo Merchandising - Formação Avançada e Gerenciamento de Produtos por Categoria em Farmácias O EaDPLUS é um dos melhores portais de cursos à distância do Brasil e conta com um ambiente virtual

Leia mais

COMÉRCIO SIMPLIFICADO

COMÉRCIO SIMPLIFICADO COMÉRCIO SIMPLIFICADO BLOCO 3 Unidades Produtivas Comerciais ANO-BASE 2001 CÓDIGO PAEP DA EMPRESA - GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Secretaria de Economia e Planejamento SEADE Fundação Sistema Estadual

Leia mais

GfK. Crescimento a partir do conhecimento Transformamos informações em decisões de negócios inteligentes

GfK. Crescimento a partir do conhecimento Transformamos informações em decisões de negócios inteligentes GfK. Crescimento a partir do conhecimento Transformamos informações em decisões de negócios inteligentes 4 ª maior empresa de pesquisa de mercado. Vendas em 2014: 1,5 bi 13.000 especialistas em 100 países

Leia mais

LOGÍSTICA Professor: Dr. Edwin B. Mitacc Meza

LOGÍSTICA Professor: Dr. Edwin B. Mitacc Meza LOGÍSTICA Professor: Dr. Edwin B. Mitacc Meza edwin@engenharia-puro.com.br www.engenharia-puro.com.br/edwin Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos ... lembrando Uma cadeia de suprimentos consiste em todas

Leia mais

Subáreas. Marketing estratégico: Marketing de varejo

Subáreas. Marketing estratégico: Marketing de varejo Marketing estratégico: Marketing de varejo Marketing de serviços: Marketing de agronegócios Área: Marketing e Vendas Competências diagnóstico mercadológico; metodologia de análise e segmentação de mercado

Leia mais

Projeto TRANSFORMAR. No Contexto Varejo há que se trocar a turbina durante o voo, logo:

Projeto TRANSFORMAR. No Contexto Varejo há que se trocar a turbina durante o voo, logo: 1 Projeto TRANSFORMAR Levando em consideração que as PERDAS podem ser provenientes de diversas fontes, sejam elas OPERACIONAIS, OBSOLESCÊNCIA, FURTO ou INCONSISTÊNCIA DE DADOS, o Supermercados Russi adotou

Leia mais

Questões abordadas - Distribuição

Questões abordadas - Distribuição AULA 11 Marketing Questões abordadas - Distribuição O que é um sistema de canais de marketing e uma rede de valor? Qual é o trabalho realizado pelos canais de marketing? Como esses canais devem ser projetados?

Leia mais

Os Desafios de Gestão do Canal Indireto Como garantir a execução"

Os Desafios de Gestão do Canal Indireto Como garantir a execução Os Desafios de Gestão do Canal Indireto Como garantir a execução" 07.07.2014 Today s Agenda 9:30am - 9:45am Introdução & Objetivos 3 Today s Agenda 9:45am 10:00am Os desafios do GTM e do Canal Indireto

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO CEARÁ CEFET/CE DEPARTMAENTO DE EDIFICAÇÕES CURSO DE VIAS E TRANSPORTES CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO CEARÁ CEFET/CE DEPARTMAENTO DE EDIFICAÇÕES CURSO DE VIAS E TRANSPORTES CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO CEARÁ CEFET/CE DEPARTMAENTO DE EDIFICAÇÕES CURSO DE VIAS E TRANSPORTES CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO PROFESSOR: HAMIFRANCY MENESES 1 TÓPICOS ABORDADOS DEFINIÇÃO DE CANAL

Leia mais

Teleconferência de Resultados 1T15. 8 de maio de 2015. Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 1T15. 8 de maio de 2015. Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 8 de maio de 2015 Magazine Luiza Destaques do Vendas E-commerce Despesas Operacionais EBITDA Luizacred Lucro Líquido Ganhos de market share, principalmente em tecnologia Receita

Leia mais

SYMM CONSULTORIA TAILAN OLIVEIRA 2014

SYMM CONSULTORIA TAILAN OLIVEIRA 2014 GCV GESTÃO COMERCIAL PARA VAREJO SYMM CONSULTORIA TAILAN OLIVEIRA 2014 ABORDAGEM 1. O GESTÃO COMERCIAL PARA VAREJO 2. DIFICULDADE E DORES ATUAIS 3. COMO RESOLVER COM GCV 4. COMO GERIR FRANQUIA COM O GCV

Leia mais

Logística empresarial

Logística empresarial 1 Logística empresarial 2 Logística é um conceito relativamente novo, apesar de que todas as empresas sempre desenvolveram atividades de suprimento, transporte, estocagem e distribuição de produtos. melhor

Leia mais

Prof. Jean Cavaleiro. Unidade I LOGÍSTICA INTEGRADA:

Prof. Jean Cavaleiro. Unidade I LOGÍSTICA INTEGRADA: Prof. Jean Cavaleiro Unidade I LOGÍSTICA INTEGRADA: PRODUÇÃO E COMÉRCIO Introdução Entender a integração logística. A relação produção e demanda. Distribuição e demanda. Desenvolver visão sistêmica para

Leia mais

Software para Supermercado Revenda

Software para Supermercado Revenda Software para Supermercado Revenda Software para Automação Comercial, Completos e Simples para o seu negócio. SIA PDV (Frente de Caixa). SIA PDV vendido separadamente. TEF Dedicado vendido separadamente.

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos COMÉRCIO VAREJISTA NOVEMBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos COMÉRCIO VAREJISTA NOVEMBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos COMÉRCIO VAREJISTA NOVEMBRO DE 2015 PRODUTOS O COMÉRCIO RESPONDE POR 12,7% DO PIB BRASILEIRO O COMÉRCIO VAREJISTA É RESPONSÁVEL POR 42% DO COMÉRCIO

Leia mais

de frente Na linha Automação e expansão ABAD ENTREVISTA

de frente Na linha Automação e expansão ABAD ENTREVISTA Na linha Como a automação contribuiu para o desenvolvimento das empresas de distribuição e atacadistas? A automação foi fundamental para o crescimento e fortalecimento do setor. Sem o uso intensivo da

Leia mais

Seminário GVcev Varejo e Tecnologia: Presente e Perspectivas. Panorama de Utilização da Tecnologia da Informação Érico Veras Marques FGV/CIA/UFC

Seminário GVcev Varejo e Tecnologia: Presente e Perspectivas. Panorama de Utilização da Tecnologia da Informação Érico Veras Marques FGV/CIA/UFC Seminário GVcev Varejo e Tecnologia: Presente e Perspectivas Panorama de Utilização da Tecnologia da Informação FGV/CIA/UFC Gastos e Investimentos % do Faturamento Média Grandes Empresas: 5,3% Média Indústria:

Leia mais

A Cadeia de Abastecimentos corresponde ao conjunto de processos necessários para: agregar-lhes valor dentro da visão dos clientes e consumidores e

A Cadeia de Abastecimentos corresponde ao conjunto de processos necessários para: agregar-lhes valor dentro da visão dos clientes e consumidores e A Cadeia de Abastecimentos corresponde ao conjunto de processos necessários para: obter materiais, agregar-lhes valor dentro da visão dos clientes e consumidores e disponibilizar os produtos no local e

Leia mais

Atuação Tribanco. Presente em todos Estados Brasileiros; Presente em 60% dos Municípios Brasileiros; Quantidade de Clientes Varejo: 36.

Atuação Tribanco. Presente em todos Estados Brasileiros; Presente em 60% dos Municípios Brasileiros; Quantidade de Clientes Varejo: 36. Atuação Tribanco. Presente em todos Estados Brasileiros; Presente em 60% dos Municípios Brasileiros; Quantidade de Clientes Varejo: 36.079 Soluções para promover o desenvolvimento sustentável de seus clientes;

Leia mais

O VAREJO E A DISTRIBUIÇÃO FARMACÊUTICA EM 2010. Eugênio De Zagottis Vice Presidente Comercial Droga Raia

O VAREJO E A DISTRIBUIÇÃO FARMACÊUTICA EM 2010. Eugênio De Zagottis Vice Presidente Comercial Droga Raia O VAREJO E A DISTRIBUIÇÃO FARMACÊUTICA EM 2010 Eugênio De Zagottis Vice Presidente Comercial Droga Raia TÓPICOS PARA DISCUSSÃO O VAREJO E O ATACADO DE MEDICAMENTOS EM 2005 TENDÊNCIAS PARA 2010 PERGUNTAS

Leia mais

QUESTIONÁRIO LOGISTICS CHALLENGE 2015 PRIMEIRA FASE

QUESTIONÁRIO LOGISTICS CHALLENGE 2015 PRIMEIRA FASE QUESTIONÁRIO LOGISTICS CHALLENGE 2015 PRIMEIRA FASE *Envie o nome de seu grupo, dos integrantes e um telefone de contato junto com as respostas do questionário abaixo para o e-mail COMMUNICATIONS.SLA@SCANIA.COM*

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES ASI Elaborado e adaptado por: Prof.Mestra Rosimeire Ayres Aula BUSINESS INTELLIGENCE - BI

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES ASI Elaborado e adaptado por: Prof.Mestra Rosimeire Ayres Aula BUSINESS INTELLIGENCE - BI ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES ASI Elaborado e adaptado por: Prof.Mestra Rosimeire Ayres Aula BUSINESS INTELLIGENCE - BI APRESENTAÇÃO APLICAÇÃO NO VAREJO SUPERMERCADO Desempenho e Serviço Aparência

Leia mais

POR QUE ALGUNS E-COMMERCES PROSPERAM APESAR DAS INCERTEZAS?

POR QUE ALGUNS E-COMMERCES PROSPERAM APESAR DAS INCERTEZAS? POR QUE ALGUNS E-COMMERCES PROSPERAM APESAR DAS INCERTEZAS? SAMUEL GONSALES Analista de Sistemas MBA em Gestão de Negócios PÓS em Sistemas Integrados de Gestão. Gerente de Produtos e-commerce responsável

Leia mais

Prevenção de Perdas. Prof. Anderson Ozawa. Presidente Prevenção de Perdas Brasil Diretor Boucinhas Consultoria

Prevenção de Perdas. Prof. Anderson Ozawa. Presidente Prevenção de Perdas Brasil Diretor Boucinhas Consultoria Prevenção de Perdas Reduza os Custos da Farmácia Aplicando Boas Práticas na Prevenção de Perdas: Inventário Rotativo, Produtos Vencidos, Produtos Danificados, Furtos, etc. Prof. Anderson Ozawa Presidente

Leia mais

Agenda. Cenário. Tendências e o impacto da Tecnologia. Demandas do Novo Consumidor. Desafios no novo cenário

Agenda. Cenário. Tendências e o impacto da Tecnologia. Demandas do Novo Consumidor. Desafios no novo cenário Agenda Cenário Tendências e o impacto da Tecnologia Demandas do Novo Consumidor Desafios no novo cenário Agenda Cenário Tendências e o impacto da Tecnologia Demandas do Novo Consumidor Desafios no novo

Leia mais

Pesquisa Profissionais de Ecommerce

Pesquisa Profissionais de Ecommerce Pesquisa Profissionais de Ecommerce Agosto de 2011 http://www.ecommerceschool.com.br Introdução O crescimento do comércio eletrônico brasileiro é feito com tecnologia e pessoas. Por trás desse crescimento

Leia mais

Prof. Marcelo Mello. Unidade IV DISTRIBUIÇÃO E

Prof. Marcelo Mello. Unidade IV DISTRIBUIÇÃO E Prof. Marcelo Mello Unidade IV DISTRIBUIÇÃO E TRADE MARKETING Trade Marketing é confundido por algumas empresas como um conjunto de ferramentas voltadas para a promoção e a comunicação dos produtos. O

Leia mais

16/02/2010. Relação empresa-cliente-consumidor. Distribuição física do produto final até ponto de venda final

16/02/2010. Relação empresa-cliente-consumidor. Distribuição física do produto final até ponto de venda final Logística de Distribuição e Reversa MSe. Paulo Cesar C. Rodrigues paulo.rodrigues@usc.br Mestre em Engenharia de Produção Conceito Relação empresa-cliente-consumidor Distribuição física do produto final

Leia mais

2 A 4 ABRIL 2013 Transamerica Expo Center São Paulo Brasil

2 A 4 ABRIL 2013 Transamerica Expo Center São Paulo Brasil SOBRE O EVENTO QUEM VISITA QUEM EXPÕE DEPOIMENTOS COMO PARTICIPAR FEIRA INTERNACIONAL DE LOGÍSTICA, TRANSPORTE DE CARGAS E COMÉRCIO EXTERIOR 2 A 4 ABRIL 2013 Transamerica Expo Center São Paulo Brasil ONDE

Leia mais

PDV: DE OLHO NA RENTABILIDADE

PDV: DE OLHO NA RENTABILIDADE PDV: DE OLHO NA RENTABILIDADE Muitas vezes o desconhecimento sobre políticas de estoque, finanças e parcerias comerciais é a principal explicação das dificuldades que muitas empresas têm em progredir ou

Leia mais

Importância dos Medicamentos no MIX de Produtos em Farmácias e Drogarias

Importância dos Medicamentos no MIX de Produtos em Farmácias e Drogarias Importância dos Medicamentos no MIX de Produtos em Farmácias e Drogarias 31.03.2016 Importância dos Medicamentos no MIX de Produtos em Farmácias e Drogarias Paulo Paiva Diretor Regional LATAM O Brasil

Leia mais

VISÃO DO VAREJO DE MATERIAL DE. Claudio Conz Presidente da Anamaco

VISÃO DO VAREJO DE MATERIAL DE. Claudio Conz Presidente da Anamaco VISÃO DO VAREJO DE MATERIAL DE CONSTRUÇÃO Claudio Conz Presidente da Anamaco O universo de lojas varejistas de material de construção no Brasil segundo a RAIS (Relatório Anual de Informações Sociais) do

Leia mais

Comércio na internet: muito mais que e-commerce

Comércio na internet: muito mais que e-commerce Comércio na internet: muito mais que e-commerce Sophia Mind A Sophia Mind Pesquisa e Inteligência de Mercado é a empresa do grupo de comunicação feminina Bolsa de Mulher voltada para pesquisa e inteligência

Leia mais

Lean e a Gestão Integrada da Cadeia de Suprimentos

Lean e a Gestão Integrada da Cadeia de Suprimentos JOGO DA CERVEJA Experimento e 2: Abordagem gerencial hierárquica e centralizada Planejamento Integrado de todos os Estágios de Produção e Distribuição Motivação para um novo Experimento Atender à demanda

Leia mais

FRANCHISING JAIR PASQUALI

FRANCHISING JAIR PASQUALI FRANCHISING JAIR PASQUALI jair.pasquali@marisolsa.com PARTICIPAÇÃO DOS SEGMENTOS DE VAREJO RECEITA TOTAL DO COMÉRCIO VAREJISTA E DE VEÍCULOS Produtos farmacêuticos 5,7% Tecidos e artigos do vestuário 7,5%

Leia mais

Sorriso aberto - Edição 11 - DEC News. Escrito por Adriana Bruno Sex, 09 de Setembro de 2011 14:50

Sorriso aberto - Edição 11 - DEC News. Escrito por Adriana Bruno Sex, 09 de Setembro de 2011 14:50 Categorias de oral care confirmam tendência de crescimento em 2010. Segmentação de produtos é positiva e abre o leque de opções para todas as classes sociais O brasileiro está experimentando mais e também

Leia mais

Curso de Engenharia de Produção. Noções de Engenharia de Produção

Curso de Engenharia de Produção. Noções de Engenharia de Produção Curso de Engenharia de Produção Noções de Engenharia de Produção Logística: - II Guerra Mundial; - Por muito tempo as indústrias consideraram o setor de logística de forma reativa e não proativa (considera

Leia mais

Modelo de Briefing de Produto - Roteiro de Coleta de Informações - Completo

Modelo de Briefing de Produto - Roteiro de Coleta de Informações - Completo BRIEFING DE PRODUTO Modelo de Briefing de Produto - Roteiro de Coleta de Informações - Completo Modelo Extraído dos livros: Tudo o que você queria saber sobre propaganda e ninguém teve paciência para explicar

Leia mais

SHOPPING CENTERS Evolução Recente

SHOPPING CENTERS Evolução Recente ÁREA DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS 2 - AO2 GERÊNCIA SETORIAL DE COMÉRCIO E SERVIÇOS Data: Maio/98 N o 16 SHOPPING CENTERS Evolução Recente Este informe apresenta a evolução recente da indústria de shopping

Leia mais

7 erros mais comuns no supply chain, pela visão colaborativa dos processos B2B

7 erros mais comuns no supply chain, pela visão colaborativa dos processos B2B 7 erros mais comuns no supply chain, pela visão colaborativa dos processos B2B A Jango Assessoria, há 11 anos no mercado, já atuou em conjunto com várias equipes e projetos que, direta ou indiretamente,

Leia mais

Trade Marketing & Shopper Insights

Trade Marketing & Shopper Insights EDIÇÃO ESPECIAL Trade Marketing & Shopper Insights REALIZAÇÃO: SOBRE O TRADE DAY O Trade Day é o primeiro curso de Trade Marketing especializado em canais. Este programa é fruto da parceria estratégica

Leia mais

Tecnologia da Informação Aula 3 Revolução dos SI

Tecnologia da Informação Aula 3 Revolução dos SI Tecnologia da Informação Aula 3 Revolução dos SI Anderson L. S. Moreira anderson.moreira@ifpe.edu.br Instituto Federal de Pernambuco Recife - PE Visão Geral Desafios Empresariais Administração * Monitora

Leia mais

MANUAL LOJA VIRTUAL - PORTAL PHARMA LINK

MANUAL LOJA VIRTUAL - PORTAL PHARMA LINK Data: Abril de 2014 MANUAL LOJA VIRTUAL - PORTAL PHARMA LINK ÍNDICE Objetivo:... 2 Premissas:... 2 1 CADASTRO NA LOJA VIRTUAL... 3 1.1 Acesso...3 1.2. Cadastrar Loja...3 1.3 Ativação de Cadastro...6 1.3.1

Leia mais

Estudo sobre o aftermarket no Brasil

Estudo sobre o aftermarket no Brasil Estudo sobre o aftermarket no Brasil Seminário da Reposição Automotiva São Paulo, 14 de outubro de 2014 O Sindipeças, Sindirepa e Sincopeças, em conjunto com a Roland Berger, estão elaborando um novo estudo

Leia mais

FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO PONTA GROSSA

FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO PONTA GROSSA FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO ANÁLISE CONJUNTURAL DO MÊS DE JANEIRO DE 2014 PONTA GROSSA Este relatório, referente ao mês de Janeiro de 2014, da Pesquisa Conjuntural

Leia mais

PLATAFORMA DE NEGÓCIOS

PLATAFORMA DE NEGÓCIOS SOBRE NOSSA PLATAFORMA COMPLETA A Plataforma de Negocio da Tommasi foi formada ao longo de 20 anos de experiência no ramo de importação e exportação e de uma equipe especializada para formação de uma estrutura

Leia mais

A WZ É UMA EMPRESA EMPRESA

A WZ É UMA EMPRESA EMPRESA EMPRESA A WZ É UMA EMPRESA de consultoria em logística formada por profissionais com ampla experiência de mercado e oriundos de empresas dos setores varejista, atacadista, distribuidores e industrias.

Leia mais

Núcleo Gestor da Cadeia Têxtil e de Confecções em Pernambuco

Núcleo Gestor da Cadeia Têxtil e de Confecções em Pernambuco Núcleo Gestor da Cadeia Têxtil e de Confecções em Pernambuco O que é o NTCPE? O Núcleo Gestor da Cadeia Têxtil e de Confecções em Pernambuco/NTCPE é uma associação de direito privado, sem fins lucrativos.

Leia mais

Parceiros O PROGRAMA DE PARCERIAS GVN. O que é o GVN Parceiro: O perfil do GVN Parceiro

Parceiros O PROGRAMA DE PARCERIAS GVN. O que é o GVN Parceiro: O perfil do GVN Parceiro Parceiros O PROGRAMA DE PARCERIAS GVN O que é o GVN Parceiro: O GVN Parceiro é uma modalidade de parceria de negócios criada pelo Grupo Vila Nova para ampliar sua capilaridade de oferta e garantir que

Leia mais

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica Ementários Disciplina: Gestão Estratégica Ementa: Os níveis e tipos de estratégias e sua formulação. O planejamento estratégico e a competitividade empresarial. Métodos de análise estratégica do ambiente

Leia mais

Nova Pontocom ANEFAC

Nova Pontocom ANEFAC Nova Pontocom ANEFAC Quem somos Uma empresa brasileira, focada em comércio eletrônico, nascida a partir da associação dos dois maiores grupos do varejo nacional. 2 3 Estruturada em cinco unidades de negócios

Leia mais

Faculdade de Tecnologia de Pompéia. LOGÍSTICA Prof. Paulo Medeiros

Faculdade de Tecnologia de Pompéia. LOGÍSTICA Prof. Paulo Medeiros Faculdade de Tecnologia de Pompéia LOGÍSTICA Prof. Paulo Medeiros Concepção de logística Agrupar conjuntamente as atividades relacionadas ao fluxo de produtos e serviços para administrá-las de forma coletiva.

Leia mais

NeoGrid & Ciclo Desenvolvimento

NeoGrid & Ciclo Desenvolvimento Inteligência e Colaboração na Cadeia de Suprimentos e Demanda NeoGrid & Ciclo Desenvolvimento Paulo Viola paulo.viola@neogrid.com Introdução Tema: Inteligência e Colaboração na Cadeia de Suprimentos e

Leia mais

A Fórmula de Sucesso para os Supermercados de Descontos

A Fórmula de Sucesso para os Supermercados de Descontos A Fórmula de Sucesso para os Supermercados de Descontos Convenção da ABRAS - Brasil Paul Foley São Paulo, 17 de setembro 2015 estratégias de varejo que funcionam Vamos iniciar esta palestra de um jeito

Leia mais

VAGAS. Ger Supply Chain. Coord Adm Vendas / Gerente Jr

VAGAS. Ger Supply Chain. Coord Adm Vendas / Gerente Jr VAGAS Ger Supply Chain Coord Adm Vendas / Gerente Jr Superior Completo e MBA em Logística Experiência na posição de 5 anos mínimo Reporte: Diretor Industrial Inglês Fluente e desejável espanhol Reportando-se

Leia mais

Abril - 2015. Divulgado em 14 de maio de 2015.

Abril - 2015. Divulgado em 14 de maio de 2015. Abril - 2015 Divulgado em 14 de maio de 2015. VAREJO AMPLIADO CRESCE 1,1% EM ABRIL, APONTA ICVA Indicador considera a receita de vendas deflacionada pelo IPCA em comparação com abril de 2014; no índice

Leia mais

Melhores Práticas do Varejo em Precificação. e Promoção. José Roberto Resende. Shopping Brasil

Melhores Práticas do Varejo em Precificação. e Promoção. José Roberto Resende. Shopping Brasil Melhores Práticas do Varejo em Precificação e Promoção José Roberto Resende Shopping Brasil Julho - 2008 Estratégia de Crediário Participação dos anúncios por prazo de pagamento 100% * Todas as categorias

Leia mais

Por que investir no Brasil

Por que investir no Brasil Por que investir no Brasil Por que investir em Eventos? Expertise nacional e internacional dos organizadores contribui para o desenvolvimento dos seus negócios, impactando os seus atuais e potenciais clientes

Leia mais

Administração Mercadológica

Administração Mercadológica Organização Competitiva e Estratégias de Branding Administração Mercadológica Os elementos do mix de marketing Marketing-mix = Composto de MKt = 4P s Estratégia de produto Estratégia de preço Estratégia

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial. Conteúdo Programático. Administração Geral / 100h

Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial. Conteúdo Programático. Administração Geral / 100h Administração Geral / 100h O CONTEÚDO PROGRAMÁTICO BÁSICO DESTA DISCIPLINA CONTEMPLA... Administração, conceitos e aplicações organizações níveis organizacionais responsabilidades Escola Clássica história

Leia mais

Como sua empresa pode

Como sua empresa pode Como sua empresa pode [ O guia de segmentação por IP ] Tecnologia de Inteligência de IP e de geolocalização O método de encontrar a localização física e geográfica de um usuário com base unicamente em

Leia mais

DHL OCEAN DIRECT (FCL) A CONFIABILIDADE QUE VOCÊ EXIGE A FLEXIBILIDADE QUE VOCÊ PRECISA

DHL OCEAN DIRECT (FCL) A CONFIABILIDADE QUE VOCÊ EXIGE A FLEXIBILIDADE QUE VOCÊ PRECISA DHL OCEAN DIRECT (FCL) A CONFIABILIDADE QUE VOCÊ EXIGE A FLEXIBILIDADE QUE VOCÊ PRECISA POR QUE ESCOLHER O DHL OCEAN DIRECT (FCL) EXPERIÊNCIA EM LOGÍSTICA PARA NEGÓCIOS DE TODOS OS TAMANHOS Nossa experiência

Leia mais

Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos. Profª Caroline Pauletto Spanhol

Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos. Profª Caroline Pauletto Spanhol Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos Profª Caroline Pauletto Spanhol Cadeia de Abastecimento Conceitos e Definições Elementos Principais Entendendo a Cadeia de Abastecimento Integrada Importância

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação Gestão da Tecnologia da Informação A TCI BPO Com atuação em todo o Brasil, a TCI oferece excelência na prestação dos serviços em BPO - Business Process Outsourcing, levando aos seus clientes as melhores

Leia mais

RESULTADOS 3T11. Grupo Pão de Açúcar e Globex Utilidades. 4 de novembro de 2011

RESULTADOS 3T11. Grupo Pão de Açúcar e Globex Utilidades. 4 de novembro de 2011 RESULTADOS 3T11 Grupo Pão de Açúcar e Globex Utilidades 4 de novembro de 2011 ELETRO GPA ALIMENTAR AGENDA RESULTADOS Supermercados Proximidade Atacarejo Postos e Drogarias Hipermercado Lojas Especializadas

Leia mais

Fatores de pressão da mudança do papel da logística com enfoque na DrogaFuji

Fatores de pressão da mudança do papel da logística com enfoque na DrogaFuji Universidade de Brasília Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação - FACE ADM Departamento de Administração Administração de Recursos Materiais Fatores

Leia mais

Raia Drogasil Day Visão Geral da Execução 2014. Novembro de 2013

Raia Drogasil Day Visão Geral da Execução 2014. Novembro de 2013 Raia Drogasil Day Visão Geral da Execução 2014 Novembro de 2013 Aviso Legal Esta apresentação contém certas declarações futuras e informações relacionadas à Companhia que refletem as visões atuais e/ou

Leia mais

30/09/2010. Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves. Como surgiu o termo?

30/09/2010. Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves. Como surgiu o termo? Engenheiro Agrônomo CCA/UFSCar 1998 Mestre em Desenvolvimento Econômico, Espaço e Meio Ambiente IE/UNICAMP 2001 Doutor em Engenhariade Produção PPGEP/UFSCar 2005 Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves Consultor

Leia mais

Regulação & Desenvolvimento Segurança Sanitária versus Liberdade de Mercado

Regulação & Desenvolvimento Segurança Sanitária versus Liberdade de Mercado 2012 Regulação & Desenvolvimento Segurança Sanitária versus Liberdade de Mercado Sussumu Honda Presidente da Abras Vamos falar sobre... A Abras. O Setor de Autosserviço Segurança Sanitária versus Liberdade

Leia mais

:: Webinar. Como o E-Commerce B2B ajuda Indústrias, Distribuidores e Importadores a vender. Eduardo Santos é Gestor de Negócios da Vertis E-Commerce.

:: Webinar. Como o E-Commerce B2B ajuda Indústrias, Distribuidores e Importadores a vender. Eduardo Santos é Gestor de Negócios da Vertis E-Commerce. :: Webinar Como o E-Commerce B2B ajuda Indústrias, Distribuidores e Importadores a vender Eduardo Santos é Gestor de Negócios da Vertis E-Commerce. E-mail: eduardo@vertisnet.com.br Linkedin: br.linkedin.com/pub/eduardo-santos/21/a03/796/

Leia mais

TRANSFORME INFORMAÇÕES EM RESULTADOS

TRANSFORME INFORMAÇÕES EM RESULTADOS TRANSFORME INFORMAÇÕES EM RESULTADOS Hoje, mais do que nunca, o conhecimento é o maior diferencial de uma organização, mas somente quando administrado e integrado com eficácia. Para melhor atender os seus

Leia mais

Oportunidades no Canal Indireto Autosserviço. (Mercado da Vizinhança)

Oportunidades no Canal Indireto Autosserviço. (Mercado da Vizinhança) Oportunidades no Canal Indireto Autosserviço (Mercado da Vizinhança) Auxiliamos nossos clientes a monitorar os indicadores de performance e otimizar a estratégia do seu mix de marcas Insights Delivery

Leia mais

PASSO-A-PASSO DO PROJETO EDUCACIONAL

PASSO-A-PASSO DO PROJETO EDUCACIONAL PASSO-A-PASSO DO PROJETO EDUCACIONAL 1 2 Projeto Gestão de Educacional 3 Canais 4 5 de 6 Mapa de competências Plano Desenvolvimento Gestão da Monitor/aval formação de ações implementação e ROI Diagnóstico

Leia mais

1. O Brasil vive um momento de transformação no padrão do consumo. 3. Produtos de Limpeza e Higiene & Beleza têm enorme potencial

1. O Brasil vive um momento de transformação no padrão do consumo. 3. Produtos de Limpeza e Higiene & Beleza têm enorme potencial PRINCIPAIS MESSAGENS 1. O Brasil vive um momento de transformação no padrão do consumo 2. Temos indicadores demográficos e socio econômicos para ser otimistas nesta década 3. Produtos de Limpeza e Higiene

Leia mais

Magazine Luiza APIMEC-RIO 2014

Magazine Luiza APIMEC-RIO 2014 APIMEC-RIO 2014 Visão Geral Estratégia Indicadores Financeiros Quem somos? Estados com Lojas Centros de Distribuição Alhandra 736 lojas 24 mil funcionários Centro-Oeste 2% 21% Ribeirão Preto Nordeste 48%

Leia mais