Analfabeto funcional é o sujeito incapaz de interpretar o que lê e de usar a leitura e escrita em atividades cotidianas (UNESCO).

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Analfabeto funcional é o sujeito incapaz de interpretar o que lê e de usar a leitura e escrita em atividades cotidianas (UNESCO)."

Transcrição

1

2

3 Segundo o Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (IBOPE) Somente 26% dos brasileiros acima de 15 anos apresentam plenas habilidades de leitura e escrita; 74% dos brasileiros entre 15 e 64 anos não conseguem ler, escrever e calcular plenamente; 67% destes são considerados analfabetos funcionais; 7% são considerados analfabetos absolutos. Analfabeto funcional é o sujeito incapaz de interpretar o que lê e de usar a leitura e escrita em atividades cotidianas (UNESCO).

4 Quais as características que um conjunto de frase deve ter para ser chamado de texto? Basta escrever sem erros de ortografia ou concordância para produzir um texto? O texto, hoje, tem sido confundido com um conjunto de frases organizadas em períodos, com ortografia correta e sem erros de concordância ou pontuação. Logo, se não atribuirmos sentido, é porque não estamos diante de um texto.

5 Listas não caracterizam texto. Experiência de viver com pouco dinheiro; Ato de existir; Não basta estar vivo, temos que viver a vida; Enfrentar as dificuldades; Vida de universitário não é só festas.

6 Anterior a meu ingresso na universidade, já imaginava que o Curso de Engenharia necessitasse de pensamento lógico, constatei que isso é verdade. A necessidade de estudar com afinco foi outra confirmação, estudar todos os dias. [TEXTO ORIGINAL] Anterior a meu ingresso na universidade, já imaginava que o Curso de Engenharia necessitasse de pensamento lógico, constatei que isso é verdade, pois diversas disciplinas apresentadas até o momento fazem esta exigência em seu conteúdo. A necessidade de estudar com afinco foi outra confirmação, estudar todos os dias, revisando os conteúdos, é primordial para bom desempenho, não só durante o Curso, mas como preparação para a vida profissional, onde terei que estudar continuamente.

7

8 Para se realizar uma boa leitura, são necessários alguns passos. 1º: Delimitar a unidade de leitura (seleção) - capítulo, seção que lhe interesse; 2º: Identificar o tema do texto qual o foco principal? 3º: Localizar o texto no tempo e no espaço - Quem é o autor? quando o produziu? quais as condições da época? que influências recebeu? 4º: Selecionar os elementos mais importantes do texto; 5º: Organizar as próprias ideias com relação aos elementos relevantes -Nesse ponto, é preciso um posicionamento do em relação às novas informações: concorda com elas? discorda delas? por quê? 6º: Elaborar hipóteses explicativas para as questões tematizadas, ir além do que foi dito pelo autor para construir um novo conhecimento acerca da questão.

9 Para ler e entender bem um texto: 1º Nível Informativo e de Reconhecimento. Destacar palavras-chave; Destacar passagens importantes; Usar uma palavra/frase para resumir a ideia central; # Aguça a memória visual e favorece o entendimento #. 2º Nível Interpretação. A interpretação é subjetiva, mas há limites, pois deve captar a essência do texto.

10 Mas sabe-se que não há associação necessária entre significante (expressão gráfica) e significado, sendo apenas uma convenção. Cadeira Ao contrário do hieróglifos Logo, o signo linguístico é uma Convenção.

11 Na convenção de Signo Linguístico: DENOTAÇÃO: é o sentido/significado das palavras (encontrado no dicionário). CONOTAÇÃO: é o sentido figurado dependente de um contexto e da postura ideológica do autor diante do mesmo.

12 Logo, interpretação depende de CONOTAÇÃO Pois As frases produzem significados diferentes de acordo com o contexto em que estão inseridas.

13 Os textos literários exploram bastante as construções Conotativas Já os textos Científicos devem dirimi-las. Esclarecer os conceitos, tirá-los das abstrações, torná-los mensuráveis, logo, torná-los Constructos. Construir Teorias e Prová-las.

14 A contextualização histórica e cultural do texto e/ou seu autor, é fundamental para a interpretação.

15

16

17

18

19

20

21

22 Quando a estrutura sintática da frase é suscetível a várias interpretações (Homonímia). Jorge ama Rosa tanto quanto João. Jorge ama Rosa tanto quanto João a ama. Jorge ama Rosa tanto quando ele ama João.

23

24

25 Leia com um dicionário por perto: você pode potencializar a leitura. Pegue um caderninho (vale a pena separar um só pra isso). Anote as palavras e ao lado o significado. Com o tempo seu vocabulário irá crescer e não vai ser mais preciso ficar recorrendo ao dicionário.

26 Faça paráfrases: escreva com suas palavras uma explicação ou uma nova apresentação do texto, seguindo as ideias do autor, mas sem copiar fielmente as palavras dele. Existem diversos tipos de paráfrase. As mais interessantes para quem está estudando são: Paráfrase-resumo: comece sublinhando as ideias principais, selecione as palavras-chave que identificar no texto e parta para o resumo. Atente ao fato de que resumir não é copiar partes, mas sim fazer uma indicação, com suas próprias palavras, das ideias básicas do que estava escrito. Paráfrase-resenha: além do resumo, um comentário sobre o texto. Paráfrase-esquema: apresenta o esqueleto do texto em tópicos ou em pequenas frases. Você pode usar setinhas ou canetas coloridas para diferenciar as palavras do seu esquema.

27 A boa interpretação vem da Boa Leitura. Estabeleça a meta de ler 1 livro por mês (não técnico).

28 Não se assuste com o tamanho do texto; Não se deixe levar pela falsa impressão de que ler não faz diferença; Se encontrar palavra desconhecidas, pare, pesquise, anote num canto do livro para memorizar; Volte a um texto/livro, quantas vezes precisar.

29

SERVIÇO DE PSICOLOGIA Ensino Religioso TURMA 101 E Novembro / 2013

SERVIÇO DE PSICOLOGIA Ensino Religioso TURMA 101 E Novembro / 2013 SERVIÇO DE PSICOLOGIA Ensino Religioso TURMA 101 E Novembro / 2013 Coren-RS Conselho Regional de Enfermagem do Rio Grande do Sul www.portalcoren-rs.gov.br C. H. A. Conhecimentos Habilidades Atitudes Conhecimentos:

Leia mais

SUGESTÕES PARA ESCREVER MELHOR

SUGESTÕES PARA ESCREVER MELHOR SUGESTÕES PARA ESCREVER MELHOR Trueffelpix / Shutterstock.com A MELHOR MANEIRA DE APRIMORAR A ESCRITA É... ESCREVENDO! Nas telas seguintes você conhecerá algumas estratégias interessantes para desenvolver

Leia mais

Hábitos de Estudo. 1. Onde estudar?

Hábitos de Estudo. 1. Onde estudar? Hábitos de Estudo Queridos alunos, Você sabe estudar? Estudar deve ser um hábito como escovar os dentes, comer e dormir? Qual o lugar apropriado para estudar? É adequado estudar da mesma forma para as

Leia mais

COMUNICAÇÃO APLICADA MÓDULO 4

COMUNICAÇÃO APLICADA MÓDULO 4 COMUNICAÇÃO APLICADA MÓDULO 4 Índice 1. Significado...3 1.1. Contexto... 3 1.2. Intertextualidade... 3 1.2.1. Tipos de intertextualidade... 3 1.3. Sentido... 4 1.4. Tipos de Significado... 4 1.4.1. Significado

Leia mais

Colégio Santa Catarina. Juiz de Fora - MG. - Estude, procurando compreender o assunto. Estudar não é decorar e sim compreender.

Colégio Santa Catarina. Juiz de Fora - MG. - Estude, procurando compreender o assunto. Estudar não é decorar e sim compreender. Colégio Santa Catarina Juiz de Fora - MG DICAS PARA ESTUDAR PORTUGUÊS - Estude, procurando compreender o assunto. Estudar não é decorar e sim compreender. - Faça pesquisa: Não anote nada em folhas soltas.

Leia mais

OS TIPOS DE TRABALHOS CIENTÍFICOS

OS TIPOS DE TRABALHOS CIENTÍFICOS OS TIPOS DE TRABALHOS CIENTÍFICOS Peculiaridades e formas de conduzir seus estudos Thaisa Bueno Uma breve diferenciação antes de começarmos Divulgação científica Jornalismo científico Disseminação científica

Leia mais

ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DR. ISIDORO DE SOUSA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE ESPANHOL. Domínios

ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DR. ISIDORO DE SOUSA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE ESPANHOL. Domínios Ano letivo 2012/2013 3º- ciclo 1 2 3 Domínios Afetivo Cognitivo Tem uma atitude negativa em relação à aprendizagem; Mostra-se desatento: não abre o livro, não copia apontamentos; Não faz, habitualmente,

Leia mais

SUMÁRIO CAPÍTULO 1 LEITURA & INTERPRETAÇÃO...

SUMÁRIO CAPÍTULO 1 LEITURA & INTERPRETAÇÃO... SUMÁRIO CAPÍTULO 1 LEITURA & INTERPRETAÇÃO... 1 Lição 1 LER é instrumento essencial... 1 1.1. A Leitura Crítica... 3 1.2. Contextualização... 5 1.3. Questão Comentada... 6 1.4. Sugestão de Redação... 7

Leia mais

Como Aprender Inglês: O Guia Prático

Como Aprender Inglês: O Guia Prático Como Aprender Inglês: O Guia Prático Elaboramos um sistema passo-a-passo para você aprender inglês de maneira mais simples e efetiva! Lucas Campos Introdução Ao Guia...3 Passo 1 As 4 Habilidades...4 Passo

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL 5º Ano. Disciplina de Português Ano Letivo /2017. Domínios/Conteúdos/Descritores. Unidade 0 Apresentações

PLANIFICAÇÃO ANUAL 5º Ano. Disciplina de Português Ano Letivo /2017. Domínios/Conteúdos/Descritores. Unidade 0 Apresentações AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VALE DE MILHAÇOS ESCOLA BÁSICA DE VALE DE MILHAÇOS PLANIFICAÇÃO ANUAL 5º Ano Disciplina de Português Ano Letivo - 2016/2017 Metas de aprendizagem/objetivos Domínios/Conteúdos/Descritores

Leia mais

HIPÓTESES DE ESCRITA Certezas Provisórias. Dúvidas Temporárias

HIPÓTESES DE ESCRITA Certezas Provisórias. Dúvidas Temporárias HIPÓTESES DE ESCRITA Certezas Provisórias Todas as crianças passam por níveis de hipóteses conceituais de escrita até atingirem a alfabetização: Uns alunos são mais rápidos que outros para se alfabetizarem;

Leia mais

Plano de Ensino. Meses Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Aulas Regulares Aulas de

Plano de Ensino. Meses Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Aulas Regulares Aulas de Identificação Plano de Ensino Curso: Direito Disciplina: Língua Portuguesa Ano/semestre: 2012/01 Carga horária: Total: 80h Semanal: 4h Professor: Michelle Teixeira da Silva Período/turno: matutino e noturno

Leia mais

ESPANHOL Cont. Ano Letivo 2015/2016. INFORMAÇÃO Exame a Nível de Escola Equivalente a Nacional. 11º Ano de Escolaridade

ESPANHOL Cont. Ano Letivo 2015/2016. INFORMAÇÃO Exame a Nível de Escola Equivalente a Nacional. 11º Ano de Escolaridade Ano Letivo 2015/2016 INFORMAÇÃO Exame a Nível de Escola Equivalente a Nacional ESPANHOL Cont. 11º Ano de Escolaridade Prova 847 2016 Despacho Normativo n.º 1-D/2016 1. Objeto de avaliação A prova a que

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO Disciplina: Português

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO Disciplina: Português CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO Disciplina: Português Ensino Básico Ano letivo: 16/17 5º ANO Perfil de Aprendizagens Específicas O aluno é capaz: Domínios Interpretar discursos orais breves (Referir

Leia mais

MELHORANDO A COMUNICAÇÃO

MELHORANDO A COMUNICAÇÃO MELHORANDO A COMUNICAÇÃO VOCÊ É O QUE VOCÊ ESCREVE! DICAS RÁPIDAS PARA TORNAR SEU TRABALHO AINDA MELHOR! QUAL A IMPORTÂNCIA DE SE ESCREVER BEM UM E-MAIL? Você transmite credibilidade e profissionalismo,

Leia mais

ESPANHOL INIC. Ano Letivo 2016/2017 INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA. 11º Ano de Escolaridade

ESPANHOL INIC. Ano Letivo 2016/2017 INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA. 11º Ano de Escolaridade Ano Letivo 2016/2017 INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA ESPANHOL INIC. 11º Ano de Escolaridade Prova 375 2017 Decreto-Lei nº 139/2012, de 5 de julho 1. Objeto de avaliação A prova a que esta

Leia mais

PROPOSTA DE REDAÇÃO. Onda de Refugiados na Europa

PROPOSTA DE REDAÇÃO. Onda de Refugiados na Europa MARATONA DE ESTUDOS PROPOSTA DE REDAÇÃO Onda de Refugiados na Europa Refugiado é toda a pessoa que, em razão de fundados temores de perseguição devido a sua raça, religião, nacionalidade, associação a

Leia mais

Currículo das Áreas Disciplinares/Critérios de Avaliação 5º Ano Disciplina: Português Metas Curriculares: Domínios/Objetivos

Currículo das Áreas Disciplinares/Critérios de Avaliação 5º Ano Disciplina: Português Metas Curriculares: Domínios/Objetivos Currículo das Áreas Disciplinares/Critérios de 5º Ano Disciplina: Português Metas Curriculares: Domínios/Objetivos Conteúdos Programáticos Critérios de Instrumentos de Comunicação oral Observação direta

Leia mais

Quem é Mortimer J. Adler?

Quem é Mortimer J. Adler? 1 A Arte de Ler Quem é Mortimer J. Adler? Por que falar disso? Ler é obter significado da página escrita Muitos não conseguem obter nada além de palavras Todos podem ler ficção simples Poucos podem ler

Leia mais

Competências em Literacia da Informação. Saber usar a informação de forma eficaz Como fazer um resumo

Competências em Literacia da Informação. Saber usar a informação de forma eficaz Como fazer um resumo Competências em Literacia da Informação Saber usar a informação de forma eficaz Como fazer um resumo Ana Isabel Roxo 2012 Estudar um tema Principais dificuldades: Saber como planear a realização da tarefa

Leia mais

LER E ESCREVER SÃO COISAS DE CRIANÇAS?

LER E ESCREVER SÃO COISAS DE CRIANÇAS? LER E ESCREVER SÃO COISAS DE CRIANÇAS? II Encontro Orientadores de Estudo PNAIC A criança no ciclo de alfabetização Mônica Correia Baptista monicacb.ufmg@gmail.com Professora Departamento de Administração

Leia mais

Metodologia Científica

Metodologia Científica Metodologia Científica O PROCESSO DE LEITURA E DA PRODUÇÃO DE TEXTOS Profª Ma. Fabiana Rocha O PROCESSO DE LEITURA Importância da Leitura Aprendizagem do ser humano; Enriquecer o vocabulário; Obter conhecimento;

Leia mais

10 passos para começar a estudar para concurso público

10 passos para começar a estudar para concurso público 10 passos para começar a estudar para Índice 1) Seja profissional 2) Tenha um foco 3) Defina as disciplinas básicas 4) Escolha materiais especializados e bons 5) Amadureça nas disciplinas 6) Tenha metas

Leia mais

PORTUGUÊS. Questões selecionadas da prova de Atendente Comercial Cespe 2011

PORTUGUÊS. Questões selecionadas da prova de Atendente Comercial Cespe 2011 PORTUGUÊS Questões selecionadas da prova de Atendente Comercial Cespe 2011 01. Etimologicamente formada das palavras gregas philos (amigo, amador) e atelês (franco, livre de qualquer encargo ou imposto),

Leia mais

Faculdade de Tecnologia e Ciências FTC Colegiado de Engenharia Civil Metodologia do Trabalho Científico. A Aprendizagem. PROFESSORA: Shaiala Aquino

Faculdade de Tecnologia e Ciências FTC Colegiado de Engenharia Civil Metodologia do Trabalho Científico. A Aprendizagem. PROFESSORA: Shaiala Aquino Faculdade de Tecnologia e Ciências FTC Colegiado de Engenharia Civil Metodologia do Trabalho Científico A Aprendizagem PROFESSORA: Shaiala Aquino O que é Aprendizagem Significativa? Quais as formas de

Leia mais

Lição 2 O Hábito da Leitura

Lição 2 O Hábito da Leitura Redação Técnica 43 Ao fi nal desta lição, esperamos que você possa: reconhecer o conceito de leitura; identifi car os principais objetivos da leitura; selecionar alguns recursos utilizados para efetuar

Leia mais

Mapeamento dos Critérios de Correção de Redação e correspondência com Matrizes de Referência para Avaliação

Mapeamento dos Critérios de Correção de Redação e correspondência com Matrizes de Referência para Avaliação Mapeamento dos e correspondência com Para cada aspecto avaliado há uma ou mais habilidades correspondentes das Matrizes que o aluno precisa desenvolver Para desenvolver a competência escritora: o Crie

Leia mais

Como Fazer? Que preciso? COMO DESCOBRIR UM LIVRO SOBRE UM ASSUNTO. - Podes procurar uns livros sobre um assunto de diversas maneiras:

Como Fazer? Que preciso? COMO DESCOBRIR UM LIVRO SOBRE UM ASSUNTO. - Podes procurar uns livros sobre um assunto de diversas maneiras: COMO DESCOBRIR UM LIVRO SOBRE UM ASSUNTO Na biblioteca há muitos livros. Para não te perderes e conseguires encontrar o que precisas sobre um assunto, deves saber como estão arrumados e como podes fazer

Leia mais

Perfil de aprendizagens específicas Português 7ºano Ano letivo: DOMÍNIOS SUBDOMÍNIOS NÍVEL 1 NÍVEL 2 NÍVEL 3 NÍVEL 4 NÍVEL 5

Perfil de aprendizagens específicas Português 7ºano Ano letivo: DOMÍNIOS SUBDOMÍNIOS NÍVEL 1 NÍVEL 2 NÍVEL 3 NÍVEL 4 NÍVEL 5 Oralidade DOMÍNIOS SUBDOMÍNIOS NÍVEL 1 NÍVEL 2 NÍVEL 3 NÍVEL 4 NÍVEL 5 Interpretar textos em identificar o com orais com identificar o tema, identificar o tema, explicitar o tema, explicitar o assunto,

Leia mais

HABILIDADES DE LÍNGUA PORTUGUESA- 2º ANO

HABILIDADES DE LÍNGUA PORTUGUESA- 2º ANO HABILIDADES DE LÍNGUA PORTUGUESA- 2º ANO HABILIDADES (EF02LP01) Expressar-se em situações de intercâmbio oral com autoconfiança (sem medo de falar em público), liberdade e desenvoltura, preocupando-se

Leia mais

ESPANHOL Cont. Ano Letivo 2016/2017 INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA. 11º Ano de Escolaridade

ESPANHOL Cont. Ano Letivo 2016/2017 INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA. 11º Ano de Escolaridade Ano Letivo 2016/2017 INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA ESPANHOL Cont. 11º Ano de Escolaridade Prova 368 2017 Decreto-Lei nº 139/2012, de 5 de julho 1. Objeto de avaliação A prova a que esta

Leia mais

Formador Residente, Maurício Ferreira

Formador Residente, Maurício Ferreira A Compreensão do Oral A compreensão do oral consiste na atribuição de significado a cadeias fónicas produzidas de acordo com a gramática da língua. Formador Residente, Maurício Ferreira Factores de compreensão

Leia mais

DICAS DE ESTUDO Orientações para ler, escrever e aprender cada vez melhor

DICAS DE ESTUDO Orientações para ler, escrever e aprender cada vez melhor DICAS DE ESTUDO Orientações para ler, escrever e aprender cada vez melhor A seguir são propostos alguns procedimentos que, caso sejam exercitados cotidianamente, podem ser muito eficientes para o desenvolvimento

Leia mais

COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS NÍVEL 2 NÍVEL 3 NÍVEL 4 NÍVEL 5. * Consegue compreender aquilo que ouve.

COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS NÍVEL 2 NÍVEL 3 NÍVEL 4 NÍVEL 5. * Consegue compreender aquilo que ouve. PORTUGUÊS 3º CICLO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO COMPREENSÃO DO ORAL Compreensão de formas complexas do oral, exigidas para o prosseguimento de estudos e para a entrada na vida profissional. * Capacidade de extrair

Leia mais

CHECKLIST REDAÇÃO PERFEITA PARA CONCURSOS. O passo-a-passo que você precisava para escrever excelentes redações! OFICINA DE REDAÇÃO

CHECKLIST REDAÇÃO PERFEITA PARA CONCURSOS. O passo-a-passo que você precisava para escrever excelentes redações! OFICINA DE REDAÇÃO CHECKLIST O passo-a-passo que você precisava para escrever excelentes redações! Brasília, 2015 Primeira Edição Muita gente diz que escrever não é uma tarefa fácil. Acontece que, na Oficina de Redação,

Leia mais

3.º Ciclo do Ensino Básico (Decreto Lei n.º 3/2008, de 7 de janeiro)

3.º Ciclo do Ensino Básico (Decreto Lei n.º 3/2008, de 7 de janeiro) INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Espanhol Maio de 2015 Prova 15 - Escrita 3.º Ciclo do Ensino Básico (Decreto Lei n.º 3/2008, de 7 de janeiro) 1. Introdução O presente documento dá a conhecer

Leia mais

FIP20902 Tópicos em Física Interdisciplinar: Metodologia da Pesquisa Científica. Elaboração de um Artigo Científico

FIP20902 Tópicos em Física Interdisciplinar: Metodologia da Pesquisa Científica. Elaboração de um Artigo Científico FIP20902 Tópicos em Física Interdisciplinar: Metodologia da Pesquisa Científica Elaboração de um Artigo Científico 05/10/2007 Ingredientes Principais Organização Linguagem apropriada É preciso aprender

Leia mais

Proposta de Redação Tema: A honestidade é um valor

Proposta de Redação Tema: A honestidade é um valor Proposta de Redação Tema: A honestidade é um valor Tema central: Reportagem: valores sociais Produção de texto Introdução: A palavra é o meio de que cada um de nós se utiliza para dizer do outro, para

Leia mais

Informação Prova de Equivalência à Frequência Espanhol

Informação Prova de Equivalência à Frequência Espanhol Informação Prova de Equivalência à Frequência Espanhol Prova 368 2016 10.º e 11.º Anos de Escolaridade (Continuação) O presente documento visa divulgar informação relativa à prova de Equivalência à Frequência,

Leia mais

SOARES, Magda. Letramento: um tema em três gêneros. 3. ed. Belo Horizonte, Autêntica, 2009.

SOARES, Magda. Letramento: um tema em três gêneros. 3. ed. Belo Horizonte, Autêntica, 2009. SOARES, Magda. Letramento: um tema em três gêneros. 3. ed. Belo Horizonte, Autêntica, 2009. 1º TEXTO: PRODUZIDO PARA LEITOR- PROFESSOR COM O OBJETIVO DE ESCLARECER O SIGNIFICADO DE LETRAMENTO. Letramento

Leia mais

Fichamento PERCURSO UNIVERSITÁRIO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL

Fichamento PERCURSO UNIVERSITÁRIO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL Fichamento PERCURSO UNIVERSITÁRIO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL O que é o PET? Programa vinculado a Secretaria de Educação Superior do Ministério da Educação. Indissociabilidade entre ensino, pesquisa

Leia mais

Informação Prova de equivalência à frequência

Informação Prova de equivalência à frequência Informação Prova de equivalência à frequência Ensino Secundário- 10.º/ 11.º Anos de Escolaridade Ano Letivo 2016/2017 Disciplina: Inglês Nível de Continuação Código da Prova: 367 Duração: 90 minutos Decreto-Lei

Leia mais

APRENDER, ESTUDAR e APREENDER

APRENDER, ESTUDAR e APREENDER APRENDER, ESTUDAR e APREENDER Na realidade da sala de aula, durante o processo de aprendizagem, se considerarmos as diversas possibilidades qualitativas e quantitativas do contexto socioeducativo, cognitivo

Leia mais

Dicas EPIS ALUNOS. Balanço e Resultados Escolares Dica 1/3

Dicas EPIS ALUNOS. Balanço e Resultados Escolares Dica 1/3 Janeiro Balanço e Resultados Escolares Balanço e Resultados Escolares Dica 1/3 Aproveita o início deste período para fazeres um balanço do teu comportamento e dos teus resultados escolares no 1º Período.

Leia mais

Português 1º ano João J. Linguagem e Significação

Português 1º ano João J. Linguagem e Significação Português 1º ano João J. Linguagem e Significação LINGUAGEM E SIGNIFICAÇÃO (SEMÂNTICA) A semântica é o estudo da significação das palavras. Divide-se em Descritiva (Sincrônica) e Histórica (Diacrônica).

Leia mais

No episódio de hoje...

No episódio de hoje... Redação 1/4 No episódio de hoje... Como é o modelo de redação da FATEC? 5 citações que você pode usar em sua redação Dicas práticas para escrever cada vez melhor COMO É O MODELO DE REDAÇÃO DA FATEC? Liiiii,

Leia mais

Escola Básica do 2º e 3º Ciclos de Pinhal de Frades. Questionário sobre actividades a desenvolver no Estudo Acompanhado

Escola Básica do 2º e 3º Ciclos de Pinhal de Frades. Questionário sobre actividades a desenvolver no Estudo Acompanhado 9. Apêndices 47 Apêndice 1 Escola Básica do 2º e 3º Ciclos de Pinhal de Frades Questionário sobre actividades a desenvolver no Estudo Acompanhado Colega, O Estudo Acompanhado é uma área destinada a apoiar

Leia mais

Mapeamento dos Critérios de Correção de Redação e correspondência com Matrizes de Referência para Avaliação

Mapeamento dos Critérios de Correção de Redação e correspondência com Matrizes de Referência para Avaliação Mapeamento dos e correspondência com Para cada aspecto avaliado há uma ou mais habilidades correspondentes das Matrizes que o aluno precisa desenvolver Para desenvolver a competência escritora: o Crie

Leia mais

FISIOTERAPIA Metodologia da Pesquisa Científica

FISIOTERAPIA Metodologia da Pesquisa Científica FISIOTERAPIA Metodologia da Pesquisa Científica Prof.ª Dr.ª Ana Lúcia Billig Foz do Iguaçu, setembro 2017 Resumo e Resenha Resumo Resumo: É um tipo de redação informativo referencial que se ocupa de reduzir

Leia mais

Mente aberta, coração aberto e vontade aberta. Sem mimimi. Cada um é único

Mente aberta, coração aberto e vontade aberta. Sem mimimi. Cada um é único O Início Temas abordados UFABC HELP Montando sua Grade Estudando ao longo do quadri Estudante na véspera Organização e disciplina Ferramentas tecnológicas Outros Mente aberta, coração aberto e vontade

Leia mais

Gêneros Textuais Acadêmicocientíficos. 3/6/5AD836_1.jpg

Gêneros Textuais Acadêmicocientíficos.  3/6/5AD836_1.jpg Gêneros Textuais Acadêmicocientíficos http://images.quebarato.com.br/photos/thumbs/ 3/6/5AD836_1.jpg Olá, Pessoal, Vamos acompanhar mais uma aula da prof. Alessandra. Hoje falaremos sobre alguns gêneros

Leia mais

HÁBITOS DE LEITURA INAF ÍNDICE DE ALFABETISMO FUNCIONAL

HÁBITOS DE LEITURA INAF ÍNDICE DE ALFABETISMO FUNCIONAL Pesquisa Quantitativa de Opinião PúblicaP HÁBITOS DE LEITURA INAF ÍNDICE DE ALFABETISMO FUNCIONAL RIO GRANDE DO SUL 1 Outubro/ 2006 INAF Indicador Nacional de Alfabetismo Funcional O que é o INAF O INAF

Leia mais

Departamento Curricular de Língua Materna e Humanidades 1

Departamento Curricular de Língua Materna e Humanidades 1 DOMÍNIOS Oralidade Metas curriculares 1. Escutar para aprender e construir conhecimentos. 2. Produzir um discurso oral com correção. 3. Produzir discursos com diferentes finalidades, tendo em conta a situação

Leia mais

Plano Curricular de Português 3.º Ano - Ano Letivo 2016/2017

Plano Curricular de Português 3.º Ano - Ano Letivo 2016/2017 Plano Curricular de Português 3.º Ano - Ano Letivo 2016/2017 1.º Período Conteúdos Programados Previstas Dadas Oralidade Escutar para aprender e construir conhecimentos. Identificar informação essencial.

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL 9.º Ano

PLANIFICAÇÃO ANUAL 9.º Ano AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VALE DE MILHAÇOS ESCOLA BÁSICA DE VALE DE MILHAÇOS PLANIFICAÇÃO ANUAL 9.º Ano Disciplina de Português Ano Letivo - 2016/2017 Metas de aprendizagem Conteúdos Nº de aulas previstas

Leia mais

Prof. Ms. Renato Dering

Prof. Ms. Renato Dering Prof. Ms. Renato Dering A Redação é o primeiro critério de desempate na hora de escolher as Universidades e cursos superiores; A segunda forma de desempate é a prova de Linguagens; Tirar menos de 450 pontos

Leia mais

Perfil de aprendizagens específicas Português 8ºano Ano letivo: DOMÍNIOS SUBDOMÍNIOS NÍVEL 1 NÍVEL 2 NÍVEL 3 NÍVEL 4 NÍVEL 5

Perfil de aprendizagens específicas Português 8ºano Ano letivo: DOMÍNIOS SUBDOMÍNIOS NÍVEL 1 NÍVEL 2 NÍVEL 3 NÍVEL 4 NÍVEL 5 Oralida Departamento LÍNGUAS Grupo 300 DOMÍNIOS SUBDOMÍNIOS NÍVEL 1 NÍVEL 2 NÍVEL 3 NÍVEL 4 NÍVEL 5 em intificar o com Interpretar intificar o tema, explicitar o intificar o tema, explicitar o tema, explicitar

Leia mais

PLANO CURRICULAR DISCIPLINAR. Português 6º Ano 1º Período Domínios de Referência. Descritores de Desempenho

PLANO CURRICULAR DISCIPLINAR. Português 6º Ano 1º Período Domínios de Referência. Descritores de Desempenho PLANO CURRICULAR DISCIPLINAR Português 6º Ano 1º Período Domínios de Referência Objetivos Descritores de Desempenho Conteúdos Oralidade O6 1. Interpretar discursos orais breves. 1. Distinguir a informação

Leia mais

Apresentação Oral de Seminários

Apresentação Oral de Seminários UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO TECNOLÓGICO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA AMBIENTAL Fundamentos de Engenharia Ambiental (DEA 07756) Prof. Celson Rodrigues Apresentação Oral de Seminários O que

Leia mais

CURRÍCULO DA DISCIPLINA DE PORTUGUÊS/ CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2013/2014

CURRÍCULO DA DISCIPLINA DE PORTUGUÊS/ CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2013/2014 1º Ciclo Metas/Domínios Objetivos gerais Conteúdos Programáticos Critérios 3º Ano Oralidade O3 Comprensão do oral Expressão oral Escutar para aprender e construir conhecimentos Produzir um discurso oral

Leia mais

INFORMAÇÃO DE PROVA EQUIVALENTE A EXAME NACIONAL

INFORMAÇÃO DE PROVA EQUIVALENTE A EXAME NACIONAL INFORMAÇÃO DE PROVA EQUIVALENTE A EXAME NACIONAL Espanhol Continuação (Bienal)- Prova Escrita Prova 847 2016 Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos 11º Ano de Escolaridade (Decreto-lei nº

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº042-PROEC/UNICENTRO, DE 28 DE MAIO DE 2013. Altera o 2º, do art. 1º, e os anexos I e II da Resolução nº133-proec/unicentro, de 26 de outubro de 2012 e aprova o Relatório Final. A PRÓ-REITORA

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ENSINO DE QUÍMICA III. Aula

ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ENSINO DE QUÍMICA III. Aula ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ENSINO DE QUÍMICA III Estágio Supervisionado em Ensino de Química INTRODUÇÃO Neste capítulo estarão expostos objetivos e metas, bem como as orientações necessárias para o desenvolvimento

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Sátão, Português 4.º ano. 1.º PERÍODO Domínios Objetivos Descritores de Desempenho

Agrupamento de Escolas de Sátão, Português 4.º ano. 1.º PERÍODO Domínios Objetivos Descritores de Desempenho 1.º PERÍODO Domínios Objetivos Descritores de Desempenho Oralidade Escutar para aprender e construir Utilizar técnicas para registar e reter a - Distinguir informação essencial de acessória. - Identificar

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MARTIM DE FREITAS 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MARTIM DE FREITAS 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MARTIM DE FREITAS 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO PLANO DE TRABALHO ANUAL PORTUGUÊS* 4º Ano de escolaridade Domínios Descritores de desempenho Meses ORALIDADE COMPREENSÃO DO ORAL Escutar

Leia mais

CURRÍCULO DA DISCIPLINA DE PORTUGUÊS/ CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2013/2014

CURRÍCULO DA DISCIPLINA DE PORTUGUÊS/ CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2013/2014 1º Ciclo Metas/Domínios Objetivos gerais Conteúdos Programáticos Critérios 2º Ano Oralidade O2 Comprensão do oral Expressão oral Respeitar regras da interação discursiva Respeitar o princípio de cortesia

Leia mais

Anexo B Relação de Assuntos Pré-Requisitos à Matrícula

Anexo B Relação de Assuntos Pré-Requisitos à Matrícula Anexo B Relação de Assuntos Pré-Requisitos à Matrícula MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO E CULTURA DO EXÉRCITO DIRETORIA DE EDUCAÇÃO PREPARATÓRIA E ASSISTENCIAL 6º ANO Ensino

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE LEITURA

PROCEDIMENTOS DE LEITURA PROCEDIMENTOS DE LEITURA O procedimento de leitura consiste em uma análise atenta do que está sendo comunicado, pois durante este processo ocorre o DIÁLOGO entre autor e leitor. Nesse sentido o autor do

Leia mais

Mini Exame do Estado Mental (MEEM)

Mini Exame do Estado Mental (MEEM) Mini Exame do Estado Mental (MEEM) Instruções de uso O MEEM é constituído de duas partes, uma que abrange orientação, memória e atenção, com pontuação máxima de 21 pontos e, outra que aborda habilidades

Leia mais

INFORMAÇÃO DE EXAME A NÍVEL DE ESCOLA EQUIVALENTE A NACIONAL Secundário - 1.ª e 2.ª FASES CÓDIGO: 847

INFORMAÇÃO DE EXAME A NÍVEL DE ESCOLA EQUIVALENTE A NACIONAL Secundário - 1.ª e 2.ª FASES CÓDIGO: 847 2015/2016 ANO DE ESCOLARIDADE: 11.º ANO DURAÇÃO DO EXAME: 120 minutos TOLERÂNCIA: 30 minutos INFORMAÇÃO DE EXAME A NÍVEL DE ESCOLA EQUIVALENTE A NACIONAL Secundário - 1.ª e 2.ª FASES CÓDIGO: 847 DISCIPLINA:

Leia mais

CURRÍCULO DA DISCIPLINA DE PORTUGUÊS/ CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2013/2014

CURRÍCULO DA DISCIPLINA DE PORTUGUÊS/ CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2013/2014 1º Ciclo Metas/Domínios Objetivos gerais Conteúdos Programáticos Critérios 4º Ano Oralidade O4 Comprensão do oral Expressão oral Escutar para aprender e construir conhecimentos Utilizar técnicas para registar

Leia mais

Informação Exame a Nível de Escola

Informação Exame a Nível de Escola Informação Exame a Nível de Escola Disciplina Prova 847 2014 ESPANHOL (CONT) 11ºANO Ensino Secundário Tipo de Prova Duração Escrita 120 minutos +30 minutos O presente documento divulga informação relativa

Leia mais

ESTRUTURAS COMPOSTAS. Variáveis Compostas Unidimensionais VETOR. Baseado nos slides de Rosely Sanches e Simone Senger de Souza

ESTRUTURAS COMPOSTAS. Variáveis Compostas Unidimensionais VETOR. Baseado nos slides de Rosely Sanches e Simone Senger de Souza ESTRUTURAS COMPOSTAS Variáveis Compostas Unidimensionais VETOR Baseado nos slides de Rosely Sanches e Simone Senger de Souza 2 ESTRUTURAS COMPOSTAS Pode-se organizar os dados dos tipos simples em tipos

Leia mais

PREPARA-TE PARA OS EXAMES: descobre os verbos mais importantes. Biblioteca da ESMA Coordenadora: Catarina Azevedo

PREPARA-TE PARA OS EXAMES: descobre os verbos mais importantes. Biblioteca da ESMA Coordenadora: Catarina Azevedo PREPARA-TE PARA OS EXAMES: descobre os verbos mais importantes 2012-2013 Coordenadora: Catarina Azevedo Um exame prepara-se com antecedência e depende muita da tua capacidade de interpretares corretamente

Leia mais

Interpretação de Textos a Partir de Análises Isoladas

Interpretação de Textos a Partir de Análises Isoladas Interpretação de Textos a Partir de Análises Isoladas Análise Estética (formal) Análise Estilística (figuras de linguagem) Análise Gramatical (morfossintática) Análise Semântica (de significado) Análise

Leia mais

Realizam a prova alunos autopropostos que se encontram abrangidos pelos planos de estudo instituídos pelo Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho.

Realizam a prova alunos autopropostos que se encontram abrangidos pelos planos de estudo instituídos pelo Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho. Agrupamento de Escolas Padre João Coelho Cabanita INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA ESPANHOL 2016 Prova 15 3.º Ciclo do Ensino Básico Ao abrigo do Despacho normativo n.º 1-G/2016, de 6 de abril

Leia mais

Informação Prova de Equivalência à Frequência de Inglês. Prova Escrita + Oral

Informação Prova de Equivalência à Frequência de Inglês. Prova Escrita + Oral Informação Prova de Equivalência à Frequência de Inglês Prova Escrita + Oral Código 21 9ºAno de Escolaridade Ensino Básico 2016/2017 1. Introdução O presente documento dá a conhecer os seguintes aspetos

Leia mais

INDICAÇÕES DE RECUPERAÇÃO º ANO AxBxC

INDICAÇÕES DE RECUPERAÇÃO º ANO AxBxC INDICAÇÕES DE RECUPERAÇÃO 2016-1º ANO AxBxC 1º ANO A / ENS. FUNDAMENTAL pares e ímpares. / LÍNGUA PORTUGUESA: Revisão do Leitura coletiva do texto Bichos uma história em quadrinhos pág. 07 do livro Interpretação

Leia mais

INGLÊS Cont. Ano Letivo 2016/2017 INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA. 11º Ano de Escolaridade

INGLÊS Cont. Ano Letivo 2016/2017 INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA. 11º Ano de Escolaridade Ano Letivo 2016/2017 INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INGLÊS Cont. 11º Ano de Escolaridade Prova 367 2017 Decreto-Lei nº 139/2012, de 5 de julho 1. Objeto de avaliação A prova a que esta informação

Leia mais

LEVANTAMENTO BIBLIOGRÁFICO. Disciplina: TC Projeto de Graduação I Turma C Profa. Denyse de Araújo

LEVANTAMENTO BIBLIOGRÁFICO. Disciplina: TC Projeto de Graduação I Turma C Profa. Denyse de Araújo LEVANTAMENTO BIBLIOGRÁFICO Disciplina: TC0600 - Projeto de Graduação I Turma C Profa. Denyse de Araújo Sumário Porque fazer um Levantamento Bibliográfico? Como Ler melhor? Como Organizar o material lido?

Leia mais

ESCOLA BÁSICA DE MAFRA 2016/2017 Português (2.º Ciclo) Perfil de Aprendizagens Específicas

ESCOLA BÁSICA DE MAFRA 2016/2017 Português (2.º Ciclo) Perfil de Aprendizagens Específicas ESCOLA BÁSICA DE MAFRA 2016/2017 Português (2.º Ciclo) Perfil de Aprendizagens Específicas (ponto 2 do artigo 7º do Despacho Normativo nº1-f/2016, de 5 de abril) 5.º Ano Interpretar textos orais breves.

Leia mais

Educação por Competências. Dezembro de 2014

Educação por Competências. Dezembro de 2014 Educação por Competências Dezembro de 2014 Vale a pena ser ensinado (na escola) tudo o que une e tudo o que liberta. Tudo o que une, isto é, tudo o que integra cada indivíduo num espaço de cultura e de

Leia mais

Português Oralidade Escutar para aprender e construir conhecimentos.

Português Oralidade Escutar para aprender e construir conhecimentos. METAS CURRICULARES 3º Ano Português Oralidade Escutar para aprender e construir conhecimentos. Produzir um discurso oral com correção. Produzir discursos com diferentes finalidades, tendo em conta a situação

Leia mais

INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA. Prova

INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA. Prova INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Espanhol - Prova Escrita e Prova Oral Prova 368 2017 11º Ano de Escolaridade (Decreto-lei nº 139/2012 de 5 de Julho) O presente documento visa divulgar a informação

Leia mais

A CONSTITUIÇÃO DO PARÁGRAFO:

A CONSTITUIÇÃO DO PARÁGRAFO: A CONSTITUIÇÃO DO PARÁGRAFO: Olá a todos! Vamos assistir a uma Apresentação da Profa. Dra. Marcela Silvestre sobre a Constituição do Parágrafo. Ao final desta espera-se que você aprenda sobre a construção

Leia mais

847- ESPANHOL (NÍVEL- CONTINUAÇÃO 10.º/ 11.º ANO)

847- ESPANHOL (NÍVEL- CONTINUAÇÃO 10.º/ 11.º ANO) 847- ESPANHOL (NÍVEL- CONTINUAÇÃO 10.º/ 11.º ANO) FORMAÇÃO ESPECÍFICA 1ª/2ª FASE 1.INTRODUÇÃO O presente documento visa divulgar as características do Exame de Espanhol a nível de escola a realizar em

Leia mais

PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA

PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Informação PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Francês Formação Geral (nível de continuação) 2017 Prova 365 Escrita -------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA. Prova

INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA. Prova INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Espanhol - Prova Escrita e Prova Oral Prova 375 2017 11º Ano de Escolaridade (Decreto-lei nº 139/2012 de 5 de Julho) O presente documento visa divulgar a informação

Leia mais

Colégio Mauricio Salles de Mello

Colégio Mauricio Salles de Mello Colégio Mauricio Salles de Mello Brasília, de de 20 Professor(a): Aluno(a): Ano: Turma: PLANO SEMANAL 3º ANO Semana de 08/11 a 28/11/2016 Use sempre expressões de boas maneiras para viver em harmonia.

Leia mais

COLÉGIO ADVENTISTA DE ALTAMIRA Ementa de Curso para Portfólio

COLÉGIO ADVENTISTA DE ALTAMIRA Ementa de Curso para Portfólio DISCIPLINA:. Língua Portuguesa SÉRIE/ TURMA:. 9º ano A/B BIMESTRE: 4º 1 e 2 - Texto Perder, ganhar, viver. Pag.( 230, 231 e 232) Leitura do texto; discussão; atividade escrita. Pag. ( 232 e 233) - Atividade

Leia mais

1) Devemos proceder a primeira leitura de reconhecimento ininterrupta.

1) Devemos proceder a primeira leitura de reconhecimento ininterrupta. TRABALHOS CIENTÍFICOS ACADÊMICOS Muitas vezes, o estudante ou pesquisador, ao ser abordado para fazer um trabalho científico acadêmico, tem muitas dificuldades de diferenciar as características quanto

Leia mais

Para começar, vamos aprender a montar um gráfico

Para começar, vamos aprender a montar um gráfico Este conteúdo faz parte da série: Excel Gráficos Ver 9 posts dessa série Uma das melhores ferramentas de análise do Excel são os gráficos. Com eles você consegue ter insights e total compreensão do que

Leia mais

Como Ler um Livro. Jacques Philippe Sauvé. UFPB/DSC

Como Ler um Livro. Jacques Philippe Sauvé. UFPB/DSC Como Ler um Livro Jacques Philippe Sauvé UFPB/DSC jacques@dsc.ufpb.br A Referência How to Read a Book Mortimer J. Adler e Charles Van Doren Simon Schuster 1940 (bestseller durante 1 ano) 1972 (segunda

Leia mais

Introdução. 3 º Ciclo do Ensino Básico (Decreto-Lei n.º 3/2008, de 7 de janeiro)

Introdução. 3 º Ciclo do Ensino Básico (Decreto-Lei n.º 3/2008, de 7 de janeiro) INFORMAÇÃO PROVA LÍNGUA ESTRANGEIRA I INGLÊS Escrita e Oral 2016 Prova 21 3 º Ciclo do Ensino Básico (Decreto-Lei n.º 3/2008, de 7 de janeiro) Introdução O presente documento divulga informação relativa

Leia mais

PENSAMENTOS LEITORES Pensamentos leitores JUNTOS PELA LEITURA. Pensamentos Leitores

PENSAMENTOS LEITORES Pensamentos leitores JUNTOS PELA LEITURA. Pensamentos Leitores Pensamentos leitores JUNTOS PELA LEITURA Pensamentos Leitores 3 Pensamentos leitores EDIÇÃO BRASILEIRA SÃO PAULO, JUNHO DE 2016. AUTORAS Alda Beraldo Lucinha Magalhães Marília Novaes Sandra M. M. Medrano

Leia mais

UNIDADE DE REVISÃO E RECUPERAÇÃO PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA

UNIDADE DE REVISÃO E RECUPERAÇÃO PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA UNIDADE DE REVISÃO E RECUPERAÇÃO PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA Organizamos esta unidade para orientá-lo na revisão dos conteúdos trabalhados ao longo da disciplina. Siga as orientações, reveja os conteúdos

Leia mais

11.º Ano de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho)

11.º Ano de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INGLÊS Maio de 2017 Prova 367 2017 11.º Ano de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) Introdução Prova escrita e oral O presente documento

Leia mais

PRÉ-REQUISITOS Haver concluído a disciplina Introdução aos Estudos Linguísticos ou disciplina equivalente..

PRÉ-REQUISITOS Haver concluído a disciplina Introdução aos Estudos Linguísticos ou disciplina equivalente.. GÊNEROS TEXTUAIS PROJETO DIDÁTICO Aula 10 META Apresentar a criação de um produto fi nal, a partir de atividades de leitura e escrita, como possibilidade de ressignifi cação da aprendizagem dos gêneros

Leia mais

Português. Conotação e Denotação. Professor Carlos Zambeli.

Português. Conotação e Denotação. Professor Carlos Zambeli. Português Conotação e Denotação Professor Carlos Zambeli www.acasadoconcurseiro.com.br Português DENOTAÇÃO X CONOTAÇÃO O signo linguístico (a palavra) é constituído pelo significante parte perceptível,

Leia mais

» INTRODUÇÃO. Realização de Provas e Exames JNE/2015 Alunos com Necessidades Educativas Especiais, da

» INTRODUÇÃO. Realização de Provas e Exames JNE/2015 Alunos com Necessidades Educativas Especiais, da INFORMAÇÃO - PROVA FINAL A NÍVEL DE ESCOLA PORTUGUÊS PROVA 51 2015 2.º CICLO DO ENSINO BÁSICO (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho)» INTRODUÇÃO Este documento foi construído de acordo com a Informação

Leia mais