APRENDER, ESTUDAR e APREENDER

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "APRENDER, ESTUDAR e APREENDER"

Transcrição

1 APRENDER, ESTUDAR e APREENDER Na realidade da sala de aula, durante o processo de aprendizagem, se considerarmos as diversas possibilidades qualitativas e quantitativas do contexto socioeducativo, cognitivo e comportamental, seja na relação professor-aluno, aluno-escola, escola-família, podem ocorrer: -a compreensão, ou não, do conteúdo pretendido, - a adesão, ou não, a formas de pensamento mais evoluídas, - a mobilização, ou não, para outras ações de estudo e de aprendizagem. Nesse contexto, é preciso observar que existe uma diferença entre aprender e apreender, embora, nos dois verbos, exista a relação entre os sujeitos e o conhecimento: *o verbo aprender, derivado de apreender por síncope, significa tomar conhecimento, receber a informação de.. * apreender, do latim apprehendere, significa segurar, prender, pegar, entender, compreender, assimilar. Não se trata de um verbo passivo; para apreender é preciso agir, exercitar-se, informar-se, tomar para si, apropriar-se, entre outros fatores... Devemos distinguir quais dessas ações estão presentes na meta que estabelecemos: se for apenas para receber a informação de, basta uma exposição oral. Nessa perspectiva, uma aula ou uma boa palestra é o suficiente para a transmissão da informação. No entanto, como nossa meta se refere a apropriação do conhecimento pelo, para além do simples repasse da informação, é preciso superar o aprender (tomar conhecimento), na direção do apreender (compreender, apropriar-se). Como a ação de apreender não é passiva, o assimilar exige ação constante e consciente por parte do estudante que consiste em informar-se, exercitar-se, instruir-se, ESTUDAR! Para orientá-lo no processo de estudo, imprescindível para seu sucesso acadêmico, seguem orientações que poderão lhe assegurar apreensão dos conhecimentos necessários ao desenvolvimento de habilidades e competências para o ingresso na universidade. Bom trabalho! Solange Silveira Garcia Ferreira Psicopedagoga Clínica

2 Orientação de Estudo Quando nos dispomos a estudar, devemos seguir alguns passos que servirão para efetivar a aprendizagem - do aprender ao apreender: Aquecer: Pré - leitura ou leitura exploratória; Destacar:Leitura compreensiva; Resumir; Esquematizar; Verbalizar ou repetir mentalmente; Verificar. Aquecendo: a pré leitura ou leitura exploratória Trata-se de uma leitura rápida para se ter uma visão global do texto: do que se trata e qual é o conteúdo, visando ativar a concentração. Procedimento Fixar-se nos títulos e epígrafes. Procurar nomes próprios ou datas que possam servir de orientação.. Observar mapas, quadro cronológico, tabelas, imagens, que podem proporcionar tanta informação quanto a leitura de várias páginas. Destacando: a leitura compreensiva Para estudar, deve-e fazer uma dupla leitura. Por meio de uma leitura compreensiva, deve-se identificar as ideias principais e sublinhar as palavras que refletem a ideia central. Procedimento Procurar no dicionário as palavras cujo significado não se sabe por completo e que possam comprometer a compreensão do todo; Esclarecer dúvidas com ajuda de outro livro ou recurso tecnológico. Se isto não for possível, colocar pontos de interrogação na margem para lembrar o que se deve perguntar ao professor. Verificar os parágrafos que correspondem a uma unidade de pensamento.

3 Observar com atenção as palavras indicadoras. Distinguir as ideias principais das secundárias. Buscar as conclusões. Uma leitura compreensiva feita sobre um texto do qual previamente se fez uma leitura exploratória é três vezes mais eficaz e mais rápida do que se tivesse sido feita diretamente. Tudo isso facilitará a montagem de um resumo. Resumindo: Depois que o texto foi sublinhado e compreendido, passa-se a fazer um resumo do mesmo. É necessário escrever as ideias fundamentais de modo que o texto tenha sentido e, desse modo, seja mais fácil de assimilar: Deve ser exposto em palavras próprias; Deve respeitar o texto original À medida que você vai compreendendo o texto, os conceitos poderão ser transmitidos para o papel por meio de um esquema pessoal. Esquematizando: O esquema é uma espécie de resumo do resumo e nele devem aparece, de forma ordenada, as palavras-chave que sintetizam uma ideia. À medida que for repassando o resumo feito anteriormente, anote as ideias principais. Dessas serão extraídas palavras chaves que encerram as ideias de importância secundária que as completam. Exemplo: Ideia complementar 1 Ideia principal Ideia complementar 2 Ideia complementar 3 O esquema deve: - ser fiel à ideia do autor e não denotar a sua própria opinião; - ser constituído de palavras-estímulo significativas; Depois de pronto, compare-o com o sublinhado, para ver se estão compatíveis. Se houver conceitos repetidos, elimine-os; se houver lacunas, complete-as.

4 Verbalizando: a repetição oral ou mental Utilizando apenas o esquema, repita, de preferência em voz alta, todo o conteúdo do texto, consultando aquilo que você não lembra e repetindo tantas vezes quantas forem necessárias. Com o texto diante dos olhos, é preciso reconstruir várias vezes o tema de estudo, seja em voz alta, mentalmente ou por escrito. Cada vez que se faz uma interrupção que impeça o estudante de prosseguir na exposição, é necessário consultar o resumo ou o esquema. Em seguida, comece novamente do início. Este processo deve ser repetido quantas vezes forem necessárias, até que o estudante seja capaz de relatar o tema em sua totalidade e sem necessidade de utilizar as anotações. Verificando: A verificação possibilita que tenhamos certeza de que apreendemos. Um tempo aconselhável para uma primeira verificação é, portanto, de oito horas e, para a segunda verificação, mais outras oito horas. Assim o aluno favorece a possibilidade de evocar aquilo que aprendeu no decorrer de um tempo mais longo. Para repassar: Escreva o esquema de cabeça. Faça a repetição mental ativa olhando para o esquema; Consulte o resumo nas possíveis lacunas; em seguida, repita mentalmente mais uma vez. Faça perguntas de teste e responda a elas. Não repasse todo o conteúdo muito próximo ao horário das provas. Seguindo corretamente os passos para o estudo, o estudante terá plena segurança para enfrentar uma avaliação, certificando-se de que realmente aprendeu e APREENDEU o que foi ensinado, podendo fazer uso de tais conhecimentos para novas aprendizagens. Solange Silveira Garcia Ferreira Psicopedagoga Clínica

5 Atendimento Psicopedagógico Ano Letivo 2012 Orientação de Estudo Aluno(a) Turma: Horário Segunda Terça Quarta Quinta Sexta 07h00-12h30 aulas aulas aulas aulas aulas 12h30- almoço almoço almoço almoço almoço 13h30 13h30-14h30 14h30-15h30 15h30-16h30 16h30- lanche lanche lanche lanche lanche 17h00 17h00-18h00 18h00-19h00 19h00-20h00 20h00-20h30 20h30-21h30 21h30-22h30 jantar jantar jantar jantar jantar repouso repouso repouso repouso repouso Atenção: -evite programar estudo de disciplinas da área de exatas no período noturno; - cuide da higiene do sono para preservar sua atenção, memória e crescimento físico; -equilibre sua rotina reservando espaço para a vida pessoal( familiar), profissional ( estudo) e social ( amigos), gerando equilíbrio emocional! Bom trabalho! Solange Silveira Garcia Ferreira/Psicopedagoga

6 Atendimento Psicopedagógico Ano Letivo 2012 Orientação de Estudo Aluno(a) Turma: Horário Segunda Terça Quarta Quinta Sexta 07h00-13h15 aulas aulas aulas aulas aulas 13h30-14h30 almoço almoço almoço almoço almoço 14h30-15h30 15h30-16h30 16h30-17h00 lanche lanche lanche lanche lanche 17h00-18h00 18h00-18h30 18h30-19h30 19h30-20h00 jantar jantar jantar jantar jantar 20h00-21h00 21h00-22h00 22h00-05h45 repouso repouso repouso repouso repouso Atenção: -evite programar estudo de disciplinas da área de exatas no período noturno; - cuide da higiene do sono para preservar sua atenção, memória e crescimento físico; -equilibre sua rotina reservando espaço para a vida pessoal( familiar), profissional ( estudo) e social ( amigos), gerando equilíbrio emocional! Bom trabalho! Solange Silveira Garcia Ferreira/Psicopedagoga

DICAS DE ESTUDO Orientações para ler, escrever e aprender cada vez melhor

DICAS DE ESTUDO Orientações para ler, escrever e aprender cada vez melhor DICAS DE ESTUDO Orientações para ler, escrever e aprender cada vez melhor A seguir são propostos alguns procedimentos que, caso sejam exercitados cotidianamente, podem ser muito eficientes para o desenvolvimento

Leia mais

Métodos de Estudo & Investigação Científica

Métodos de Estudo & Investigação Científica medir é saber! Existe um Ensino que tem por objecto separar os que se destinam a saber e governar dos que se destinam a ignorar e obedecer! ( in Filix) MÉTODOS DE ESTUDO Plano Analítico - MEIC 1. Introdução:

Leia mais

1 ESCOLHA O AMBIENTE 2 PLANEJE O ESTUDO

1 ESCOLHA O AMBIENTE 2 PLANEJE O ESTUDO 1 ESCOLHA O AMBIENTE Escolha um local com boas condições gerais: bem iluminado, limpo, organizado, ventilação, sem ruídos, sem distrações; Escolha um cantinho do estudo : lugar que possa ser utilizado

Leia mais

REGULAMENTO DE NIVELAMENTO

REGULAMENTO DE NIVELAMENTO MANTIDA PELA INSTITUIÇÃO PAULISTA DE ENSINO E CULTURA - IPEC REGULAMENTO DE NIVELAMENTO 1 1. Introdução No Brasil, os alunos ingressantes no ensino superior apresentam muitas dificuldades em acompanhar

Leia mais

PROJETO DE APOIO PSICOPEDAGÓGICO AO UNIVERSITÁRIO

PROJETO DE APOIO PSICOPEDAGÓGICO AO UNIVERSITÁRIO PROJETO DE APOIO PSICOPEDAGÓGICO AO UNIVERSITÁRIO GUARAPUAVA 2017 1. Introdução O Núcleo de Apoio Psicopedagógico (NAPP) é um órgão de apoio educacional, de caráter permanente e de natureza multidisciplinar

Leia mais

REFLEXÕES DOCENTES ACERCA DA DISCALCULIA

REFLEXÕES DOCENTES ACERCA DA DISCALCULIA REFLEXÕES DOCENTES ACERCA DA DISCALCULIA Liziane Batista Souza Universidade Federal de Santa Maria -UFSM liziane.souza6@gmail.com Danieli Martins Ambrós Universidade Federal de Santa Maria -UFSM danieliambros@yahoo.com.br

Leia mais

O QUE É DIDÁTICA? ALTHAUS, M. T. M; ZANON, D. P. Didática: questões de ensino. Ponta Grossa: Ed. UEPG/NUTEAD, p

O QUE É DIDÁTICA? ALTHAUS, M. T. M; ZANON, D. P. Didática: questões de ensino. Ponta Grossa: Ed. UEPG/NUTEAD, p UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA DEPARTAMENTO DE PEDAGOGIA DISCIPLINA DIDÁTICA Professora Denise Puglia Zanon Professora Maiza Taques Margraf Althaus 1 O QUE É DIDÁTICA? REFERÊNCIA: ALTHAUS, M. T.

Leia mais

O QUE QUEREMOS? QUE VOCÊ SE DÊ SEU MÁXIMO PRA PROVA

O QUE QUEREMOS? QUE VOCÊ SE DÊ SEU MÁXIMO PRA PROVA 2ª edição O QUE QUEREMOS? QUE VOCÊ SE DÊ SEU MÁXIMO PRA PROVA Mande sua selfie escrevendo UMA palavra que resuma o #GEP. Marque 3 amigos no post! No Twitter ou no Instagram: @descomplica // @prof_valladares

Leia mais

ESTRATÉGIAS DE AUTORREGULAÇÃO DA APRENDIZAGEM

ESTRATÉGIAS DE AUTORREGULAÇÃO DA APRENDIZAGEM REDE SAGRADO COLÉGIO SAGRADO CORAÇÃO DE MARIA DE UBÁ ANO 2014 ESTRATÉGIAS DE AUTORREGULAÇÃO DA APRENDIZAGEM Esses procedimentos são entendidos como um conjunto de ações ordenadas, orientadas para a realização

Leia mais

Didática Aplicada ao Ensino de Ciências e Biologia

Didática Aplicada ao Ensino de Ciências e Biologia Universidade Tecnológica Federal do Paraná Curso Ciências Biológicas Licenciatura Campus Santa Helena Didática Aplicada ao Ensino de Ciências e Biologia Docente: Dra. Eduarda Maria Schneider E-mail: emschneider@utfpr.edu.br

Leia mais

NÚCLEO DE APOIO AO DISCENTE NAD ANALISANDO O ATO DE ESTUDAR

NÚCLEO DE APOIO AO DISCENTE NAD ANALISANDO O ATO DE ESTUDAR NÚCLEO DE APOIO AO DISCENTE NAD ANALISANDO O ATO DE ESTUDAR A sociedade está cada vez mais exigente em relação à capacitação dos profissionais, cobrando o desenvolvimento de competências variadas, além

Leia mais

Hábitos de Estudo. 1. Onde estudar?

Hábitos de Estudo. 1. Onde estudar? Hábitos de Estudo Queridos alunos, Você sabe estudar? Estudar deve ser um hábito como escovar os dentes, comer e dormir? Qual o lugar apropriado para estudar? É adequado estudar da mesma forma para as

Leia mais

Como estudar a partir de textos?

Como estudar a partir de textos? Como estudar a partir de textos? Existem vários tipos de textos informativos: Estruturas-tipo dos textos informativos Conteúdos É um tipo de texto que fornece informações Descrição específicas sobre qualidades

Leia mais

TÉCNICAS DE APRENDIZADO WWW.QUEROSERPOLICIAL.COM.BR 1 Sumário TÉCNICAS DE APRENDIZADO - Faça um bom plano de estudo...03 - Motivação nos estudos...04 - Organização nos estudos...04 2 Técnicas de Aprendizado

Leia mais

Ano Letivo: 2014 / 2015 Ano de Escolaridade: 1º

Ano Letivo: 2014 / 2015 Ano de Escolaridade: 1º 1.º CEB Agrupamento de Escolas Ano Letivo: 2014 / 2015 Ano de Escolaridade: 1º Saber escutar para reproduzir pequenas mensagens e Compreensão do oral Leitura Escrita para cumprir ordens e pedidos Prestar

Leia mais

Dicas de estudo. Material elaborado a partir da palestra da Psicopedagoga Andréia Gonçalves

Dicas de estudo. Material elaborado a partir da palestra da Psicopedagoga Andréia Gonçalves Dicas de estudo Material elaborado a partir da palestra da Psicopedagoga Andréia Gonçalves Onde estudar? De preferência não na cama, pois ao deitarmos, nosso cérebro entende (porque foi ensinado assim)

Leia mais

FIGURAS PLANAS E ESPACIAIS

FIGURAS PLANAS E ESPACIAIS CURSO DE FORMAÇÃO CONTINUADA EM MATEMÁTICA PARA PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA (4º E 5º ANOS) PROFESSORA ANDRESSA CESANA CEUNES/UFES/DMA FIGURAS PLANAS E ESPACIAIS AGOSTO DE 2015 A PEDAGOGIA DO TEXTO é

Leia mais

Seminários - tomar apontamentos. Seminários de Engenharia Física 2008/9

Seminários - tomar apontamentos. Seminários de Engenharia Física 2008/9 Seminários - tomar apontamentos Seminários de Engenharia Física 2008/9 Engenharia e Comunicação Comunicar é também ouvir receber mensagens (informação) e compreender Responsabilidades dos dois lados A

Leia mais

Técnica de sublinhar para esquematizar e resumir

Técnica de sublinhar para esquematizar e resumir Disciplina: Metodologia do Trabalho Academico Técnica de sublinhar para esquematizar e resumir Prof. a Dra. Carolina Davanzzo Gomes dos Santos Email: profcarolinadgs@gmail.com Página: profcarolinadgs.webnode.com.br

Leia mais

O CAMPO DA AVALIAÇÃO: HISTÓRICO E CONCEITO

O CAMPO DA AVALIAÇÃO: HISTÓRICO E CONCEITO UNIVERSIDADE AMERICANA UA DOUTORADO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO AVALIAÇÃO DE PROJETOS EDUCACIONAIS O CAMPO DA AVALIAÇÃO: HISTÓRICO E CONCEITO Carmem Lúcia Hygino Isabel Cristina Cavalcante de Melo Isabel Rivas

Leia mais

Analfabeto funcional é o sujeito incapaz de interpretar o que lê e de usar a leitura e escrita em atividades cotidianas (UNESCO).

Analfabeto funcional é o sujeito incapaz de interpretar o que lê e de usar a leitura e escrita em atividades cotidianas (UNESCO). Segundo o Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (IBOPE) Somente 26% dos brasileiros acima de 15 anos apresentam plenas habilidades de leitura e escrita; 74% dos brasileiros entre 15 e 64

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA Nome: Nº 6º ano Data: //2017 Professor: Fernanda/ Iuri 1º bimestre Nota: (valor: 1,0) a) Introdução Neste bimestre, sua média foi inferior a 6,0 e você não assimilou

Leia mais

SERVIÇO DE PSICOLOGIA Ensino Religioso TURMA 101 E Novembro / 2013

SERVIÇO DE PSICOLOGIA Ensino Religioso TURMA 101 E Novembro / 2013 SERVIÇO DE PSICOLOGIA Ensino Religioso TURMA 101 E Novembro / 2013 Coren-RS Conselho Regional de Enfermagem do Rio Grande do Sul www.portalcoren-rs.gov.br C. H. A. Conhecimentos Habilidades Atitudes Conhecimentos:

Leia mais

RESOLUÇÃO. Parágrafo único. O novo currículo será o 0006-LS e entrará em vigor no 1º semestre letivo de 2018.

RESOLUÇÃO. Parágrafo único. O novo currículo será o 0006-LS e entrará em vigor no 1º semestre letivo de 2018. RESOLUÇÃO CONSEPE 30/2017 ALTERA MATRIZ CURRICULAR, BEM COMO, EMENTAS E OBJETIVOS DO CURSO DE PÓS- GRADUAÇÃO LATO SENSU EM PSICOPEDAGOGIA: CLÍNICA E INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO USF E APROVA

Leia mais

NÚCLEO DE APOIO PSICOPEDAGÓGICO NAP

NÚCLEO DE APOIO PSICOPEDAGÓGICO NAP NÚCLEO DE APOIO PSICOPEDAGÓGICO NAP Ibiporã 2015 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 03 2 JUSTIFICATIVA... 05 3 OBJETIVOS... 06 3.1 Objetivo Geral... 06 3.2 Objetivos específicos... 06 4 METODOLOGIA... 07 4.1 Funções

Leia mais

O QUE QUEREMOS? QUE VOCÊ ARREBENTE NA PROVA

O QUE QUEREMOS? QUE VOCÊ ARREBENTE NA PROVA 2ª edição O QUE QUEREMOS? QUE VOCÊ ARREBENTE NA PROVA SPRINT // Corrida de velocidade EVITAR DISTRAÇÕES INTENSIDADE METAS DIÁRIAS/SEMANAIS Mande sua selfie aparecendo a plaquinha: É O #GEP, AMIGO! No Twitter

Leia mais

Dicas EPIS ALUNOS. A Importância do Sono Dica 1/2

Dicas EPIS ALUNOS. A Importância do Sono Dica 1/2 SETEMBRO Regresso às Aulas A Importância do Sono Dica 1/2 Agora que as férias estão a acabar, é importante que tenhas um ritmo de sono adequado. Deves dormir entre 7 e 8 horas por noite. A falta de horas

Leia mais

Métodos e Técnicas do Trabalho Científico e da Pesquisa

Métodos e Técnicas do Trabalho Científico e da Pesquisa 2014. 1 Métodos e Técnicas do Trabalho Científico e da Pesquisa FACULDADE POLIS DAS ARTES Professor: Tiago Silva de Oliveira E-mail: psicotigl@yahoo.com.br Noturno/2014.1 Carga Horária 80h 1 Dia da Semana

Leia mais

CURSO: LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS 2º PERÍODO

CURSO: LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS 2º PERÍODO 1 CURSO: LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS 2º PERÍODO 2 BIOINFORMÁTICA É a junção da ciência computacional e da biologia molecular. Para tal associação utiliza conhecimentos: Da física; Biologia; Química;

Leia mais

COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS NÍVEL 2 NÍVEL 3 NÍVEL 4 NÍVEL 5. * Consegue compreender aquilo que ouve.

COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS NÍVEL 2 NÍVEL 3 NÍVEL 4 NÍVEL 5. * Consegue compreender aquilo que ouve. PORTUGUÊS 3º CICLO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO COMPREENSÃO DO ORAL Compreensão de formas complexas do oral, exigidas para o prosseguimento de estudos e para a entrada na vida profissional. * Capacidade de extrair

Leia mais

DADOS GERAIS 1. EMENTA/SÚMULA

DADOS GERAIS 1. EMENTA/SÚMULA PLANO DE ENSINO IDENTIFICAÇÃO CURSO: Medicina TURMAS: ATIVIDADE CURRICULAR: Habilidades Médicas III CÓDIGO: ANO LETIVO: 4º Período 2011 NATUREZA: Prática CARGA HORÁRIA SEMANAL: 4horas CARGA HORÁRIA TOTAL:

Leia mais

PLANEJAR: atividade intencional > tomada de decisões

PLANEJAR: atividade intencional > tomada de decisões PLANEJAMENTO INSTRUMENTO DE AÇÃO EDUCATIVA PLANEJAR: atividade intencional > tomada de decisões Busca determinar fins Torna presentes valores e crenças Explicita nossa compreensão (mundo, vida, sociedade,

Leia mais

Programa de Formação Continuada para Docentes

Programa de Formação Continuada para Docentes Programa de Formação Continuada para Docentes Objetivos do programa Consolidar a identidade didático-pedagógica da instituição realizando reflexões com seus docentes sobre as diretrizes educacionais da

Leia mais

CST ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS - MADRUGADA / HORÁRIO - 06h

CST ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS - MADRUGADA / HORÁRIO - 06h CST ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE - MADRUGADA / HORÁRIO - 06h Série Turma QUARTA QUINTA SEXTA SEGUNDA TERÇA QUARTA 28/5/2014 29/5/2014 30/5/2014 2/6/2014 3/6/2014 4/6/2014 1ª A 2ª A 3ª A Sala B 102 B 102

Leia mais

FICHAMENTO COMENTADO DE IDÉIAS. 1. Idéia principal do artigo:

FICHAMENTO COMENTADO DE IDÉIAS. 1. Idéia principal do artigo: UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES DEPARTAMENTO DE ARTES PIBID UFRN Subprojeto Teatro ORIENTADOR: Prof. Dr. Sávio Araújo BOLSISTA: Suame Christine Fonseca

Leia mais

Optimizar uma Exposição Oral. António Rosado

Optimizar uma Exposição Oral. António Rosado Optimizar uma Exposição Oral António Rosado Objectivo da Exposição: a arte e a ciência de expor eficazmente ideias e informações com sentido, de modo a que possam surgir significados claros, estáveis e

Leia mais

Avaliando o desenvolvimento de competências em sala de aula Júlio Furtado www.juliofurtado.com.br www.juliofurtado.com.br 1 Roteiro: O sentido de desenvolver competências Ensinar conteúdos X desenvolver

Leia mais

2016 /2017. EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR Reunião de pais

2016 /2017. EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR Reunião de pais 2016 /2017 EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR Reunião de pais Ordem de trabalhos: 1. Projeto Educativo de Escola 2. Normas de Funcionamento 3. Programa Próprio de Grupo 4. Outros assuntos 1. Projeto Educativo da Escola

Leia mais

ALGORITMOS E LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO PRÉ AULA PRÉ AULA 21/10/ Representam estruturas de seleção com teste no final:

ALGORITMOS E LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO PRÉ AULA PRÉ AULA 21/10/ Representam estruturas de seleção com teste no final: ALGORITMOS E LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO Prof. Esp. Fabiano Taguchi http://fabianotaguchi.wordpress.com fabianotaguchi@gmail.com PRÉ AULA 01 Representam estruturas de seleção com teste no final: a) Repita/ Até_que

Leia mais

OS TIPOS DE TRABALHOS CIENTÍFICOS

OS TIPOS DE TRABALHOS CIENTÍFICOS OS TIPOS DE TRABALHOS CIENTÍFICOS Peculiaridades e formas de conduzir seus estudos Thaisa Bueno Uma breve diferenciação antes de começarmos Divulgação científica Jornalismo científico Disseminação científica

Leia mais

O QUE É O CONHECIMENTO COMUM, SABER POPULAR OU SENSO COMUM?

O QUE É O CONHECIMENTO COMUM, SABER POPULAR OU SENSO COMUM? O QUE É O CONHECIMENTO COMUM, SABER POPULAR OU SENSO COMUM? O senso comum (conhecimento popular) se refere ao conhecimento do povo, adquirido ao acaso, dominado por valores e crenças baseadas nas experiências

Leia mais

O QUE QUEREMOS? QUE VOCÊ ARREBENTE NA PROVA

O QUE QUEREMOS? QUE VOCÊ ARREBENTE NA PROVA 2ª edição O QUE QUEREMOS? QUE VOCÊ ARREBENTE NA PROVA COMO MONTAR UM CRONOGRAMA DE ESTUDOS PARA A RETA FINAL PARA ENTENDER MELHOR: Silencie o celular Feche a porta do quarto Anote todas as dicas OBJETIVOS

Leia mais

NORMAS E PROCEDIMENTOS CADERNO

NORMAS E PROCEDIMENTOS CADERNO Lar de Jovens Vida Nova NORMAS E PROCEDIMENTOS CADERNO Abril 2016 Normas e Procedimentos APRESENTAÇÃO Definição (O que é?) As Normas e Procedimentos Caderno é um documento, elaborado pela Cooperativa Pelo

Leia mais

Competências em Literacia da Informação. Saber usar a informação de forma eficaz Como fazer um resumo

Competências em Literacia da Informação. Saber usar a informação de forma eficaz Como fazer um resumo Competências em Literacia da Informação Saber usar a informação de forma eficaz Como fazer um resumo Ana Isabel Roxo 2012 Estudar um tema Principais dificuldades: Saber como planear a realização da tarefa

Leia mais

AFINAL, O QUE É SITUAÇÃO DIDÁTICA?

AFINAL, O QUE É SITUAÇÃO DIDÁTICA? AFINAL, O QUE É SITUAÇÃO DIDÁTICA? O planejamento consiste em sistematizar o trabalho docente na intenção de ajudar o aluno a desenvolver competências e habilidades que deem significação para efetivação

Leia mais

CURSO DE INSPETOR DE SOLDAGEM NÍVEL 1 - CIS. Orientações para o Estudo Online

CURSO DE INSPETOR DE SOLDAGEM NÍVEL 1 - CIS. Orientações para o Estudo Online CURSO DE INSPETOR DE SOLDAGEM NÍVEL 1 - CIS Orientações para o Estudo Online Página 1 Orientações para o Estudo Online Sumário Página Sistemática para o estudo independente 03 Técnicas de leitura 07 Organização

Leia mais

O verbo estudar implica em usar a inteligência para aprender, guardar na memória, decorar, memorizar, pensar sobre (algo), meditar e refletir.

O verbo estudar implica em usar a inteligência para aprender, guardar na memória, decorar, memorizar, pensar sobre (algo), meditar e refletir. ORIENTAÇÕES DE ESTUDO DE MATEMÁTICA AVALIAÇÃO PARCIAL 1º TRIMESTRE 2016 7º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL Iniciamos o ano letivo aprendendo que é necessário adquirir o hábito de estudar e praticar o que já

Leia mais

I. Dominar linguagens (DL): Dominar a norma culta da Língua Portuguesa e fazer uso das linguagens matemática, artística e científica.

I. Dominar linguagens (DL): Dominar a norma culta da Língua Portuguesa e fazer uso das linguagens matemática, artística e científica. As cinco grandes competências do ENEM Apresentaremos a seguir as grandes competências do Exame Nacional do Ensino Médio. Elas exigem dos estudantes e dos educadores uma série de novos procedimentos no

Leia mais

Ensinar e aprender História na sala de aula

Ensinar e aprender História na sala de aula Ensinar e aprender História na sala de aula Séries iniciais do Ensino Fundamental Ensino de História nas séries iniciais do Ensino Fundamental Por que estudar História? Quais ideias os educandos possuem

Leia mais

MAPA MENTAL. Por Denise Mucci. tvartdesign.com.br. Todos os direitos autorais são reservados a Denise Mucci

MAPA MENTAL. Por Denise Mucci. tvartdesign.com.br. Todos os direitos autorais são reservados a Denise Mucci 2016 MAPA MENTAL Por Denise Mucci Todos os direitos autorais são reservados a Denise Mucci tvartdesign.com.br como organizar o seu mapa mental primeiro eu te conto o que é um mapa mental. VAMOS LÁ é um

Leia mais

Agrupamento de Escolas de São Pedro do Sul Escola sede Escola Secundária de S. Pedro do Sul

Agrupamento de Escolas de São Pedro do Sul Escola sede Escola Secundária de S. Pedro do Sul Agrupamento de Escolas de São Pedro do Sul Escola sede Escola Secundária de S. Pedro do Sul CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO: PORTUGUÊS LÍNGUA NÃO MATERNA 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO 1. Enquadramento legal da avaliação

Leia mais

Colégio Santa Catarina. Juiz de Fora - MG. - Estude, procurando compreender o assunto. Estudar não é decorar e sim compreender.

Colégio Santa Catarina. Juiz de Fora - MG. - Estude, procurando compreender o assunto. Estudar não é decorar e sim compreender. Colégio Santa Catarina Juiz de Fora - MG DICAS PARA ESTUDAR PORTUGUÊS - Estude, procurando compreender o assunto. Estudar não é decorar e sim compreender. - Faça pesquisa: Não anote nada em folhas soltas.

Leia mais

Relatório de Atividade 2011

Relatório de Atividade 2011 Divisão de Educação e Juventude Núcleo de Apoio Psico-Educativo NAPE Dezembro de 2011 Só a qualidade da relação humana é potenciadora do bem-estar afetivo que permite o desenvolvimento cognitivo. Página

Leia mais

RITA RAPOSO - PSICÓLOGA EDUCACIONAL

RITA RAPOSO - PSICÓLOGA EDUCACIONAL RITA RAPOSO - PSICÓLOGA EDUCACIONAL índice 1. Causas do insucesso 2. Boas práticas parentais 3. Criar uma rotina de estudo 4. Gestão do tempo de estudo 5. Regras na planificação do estudo 6. Regras para

Leia mais

Guia de Solicitação de Matrícula Discente Ano-período:

Guia de Solicitação de Matrícula Discente Ano-período: Universidade Federal do Oeste do Pará Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação Contato: sistemas.ctic@ufopa.edu.br Guia de Solicitação de Matrícula Discente Ano-período: 2013.2 Índice 1. Apresentação

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Médio Etec: PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS Área de conhecimento: Ciências da Natureza e suas Tecnologias. Componente Curricular: BIOLOGIA Série:

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA Nome Nº 6º Ano Data: Professor(a): Nota: (valor 1,0) 1 o.bimestre Neste bimestre, sua média foi inferior a 6,0 e você não assimilou os conteúdos mínimos necessários.

Leia mais

HIPÓTESES DE ESCRITA Certezas Provisórias. Dúvidas Temporárias

HIPÓTESES DE ESCRITA Certezas Provisórias. Dúvidas Temporárias HIPÓTESES DE ESCRITA Certezas Provisórias Todas as crianças passam por níveis de hipóteses conceituais de escrita até atingirem a alfabetização: Uns alunos são mais rápidos que outros para se alfabetizarem;

Leia mais

A CONTEXTUALIZAÇÃO COMO AGENTE FACILITADOR NO PROCESSO ENSINO E APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA

A CONTEXTUALIZAÇÃO COMO AGENTE FACILITADOR NO PROCESSO ENSINO E APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA 27 a 30 de Agosto de 2014 A CONTEXTUALIZAÇÃO COMO AGENTE FACILITADOR NO PROCESSO ENSINO E APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA BARROSO, Poliana Polinabarroso@saocamilo-es.br BICALHO, Alessandro Erick alessandrobicalho@saocamilo-es.br

Leia mais

Currículo Cronológico-Funcional para Estudante. A finalidade do currículo é: relatar seus conhecimentos, interesses e gerar entrevistas.

Currículo Cronológico-Funcional para Estudante. A finalidade do currículo é: relatar seus conhecimentos, interesses e gerar entrevistas. Currículo Cronológico-Funcional para Estudante Diante da diversidade de modelos de currículos que temos a disposição na internet, fica difícil escolher qual é mais adequado. Este modelo de currículo foi

Leia mais

MÉTODOS DE ESTUDO SERVIÇO DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO

MÉTODOS DE ESTUDO SERVIÇO DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO MÉTODOS DE ESTUDO SERVIÇO DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO 1. INTRODUÇÃO Os alunos não sabem estudar - é uma frase que ouvimos com frequência. De facto, ao longo da escolaridade, nem sempre são transmitidas

Leia mais

PSICOLOGIA DA SAÚDE. Conceitos, Personalidade, Comportamento e Transtornos Mentais no Trabalho

PSICOLOGIA DA SAÚDE. Conceitos, Personalidade, Comportamento e Transtornos Mentais no Trabalho PSICOLOGIA DA SAÚDE Conceitos, Personalidade, Comportamento e Transtornos Mentais no Trabalho Boas vindas e Objetivo Contribuir com os Participantes no Desenvolvimento de Mudanças e Repertorio técnico

Leia mais

OBJETIVOS DO CURSO DE ENFERMAGEM

OBJETIVOS DO CURSO DE ENFERMAGEM FACULDADE DO NORTE GOIANO OBJETIVOS DO CURSO DE ENFERMAGEM Objetivos do curso O Curso de Graduação em Enfermagem tem por objetivo formar bacharel em enfermagem (enfermeiro) capaz de influenciar na construção

Leia mais

AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM NO ENSINO SUPERIOR

AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM NO ENSINO SUPERIOR UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ SEMINÁRIO DE DOCÊNCIA SUPERIOR AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM NO ENSINO SUPERIOR Profª Teresa Christina Torres S.Honório Teresina/2015 AGENDA DE APRESENTAÇÃO Elementos indispensáveis

Leia mais

Acompanhamento Fonoaudiológico Para Crianças Com Dificuldades. de Aprendizagem

Acompanhamento Fonoaudiológico Para Crianças Com Dificuldades. de Aprendizagem Acompanhamento Fonoaudiológico Para Crianças Com Dificuldades de Aprendizagem CORDEIRO, Ingrydh FIGUEIREDO, Luciana Centro de Ciências da Saúde/ Departamento de Fonoaudiologia PROBEX Resumo Levando em

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Médio Etec PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS Área de conhecimento: CIENCIAS DA NATUREZA, MATEMATICA E SUAS TECNOLOGIAS Componente Curricular: BIOLOGIA

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO PSICOPEDAGÓGICO - PAP

PROGRAMA DE APOIO PSICOPEDAGÓGICO - PAP PROGRAMA DE APOIO PSICOPEDAGÓGICO - PAP S U M Á R I O PROGRAMA DE APOIO PSICOPEDAGÓGICO... 3 Da Definição... 3 Dos Objetivos... 3 Da Justificativa... 3 Dos Projetos, Ações e Atividades... 4 Projeto Entrando

Leia mais

ESTÁGIO DE PORTUGUÊS II. Aula

ESTÁGIO DE PORTUGUÊS II. Aula ESTÁGIO DE PORTUGUÊS II Aula 5 Estágio Supervisionado em Ensino de Letras Geral OBJETIVOS - Exercitar a prática docente do ensino de língua portuguesa em escolas do ensino fundamental e médio. Específicos

Leia mais

Aula 1. Planejamento. Lilian R. Rios 18/02/16

Aula 1. Planejamento. Lilian R. Rios 18/02/16 Aula 1 Planejamento Lilian R. Rios 18/02/16 Planejamento de Ensino É um conjunto de conhecimentos práticos e teóricos ordenados de modo a possibilitar interagir com a realidade, programar as estratégias

Leia mais

A construção de uma Carreira: devolutiva coletiva e agendamentos individuais. Profa. Cássia Bordini Cintra Professora - Fatec São José dos Campos

A construção de uma Carreira: devolutiva coletiva e agendamentos individuais. Profa. Cássia Bordini Cintra Professora - Fatec São José dos Campos A construção de uma Carreira: devolutiva coletiva e agendamentos individuais Profa. Cássia Bordini Cintra Professora - Fatec São José dos Campos Sejam bem vindos VAMOS REFLETIR Acordo de Participação

Leia mais

II JORNADA DE AVALIAÇÃO PSICOLÒGICA DETRAN /RS

II JORNADA DE AVALIAÇÃO PSICOLÒGICA DETRAN /RS II JORNADA DE AVALIAÇÃO PSICOLÒGICA DETRAN /RS Os limites da técnica na avaliação psicológica para fins de habilitação Adriana Sylla Pereira Santos adrianasps@terra.com.br Os limites da técnica na avaliação

Leia mais

01 UNINORTE ENADE. Faça também por você.

01 UNINORTE ENADE. Faça também por você. 01 UNINORTE ENADE Faça também por você. 02 ENADE UNINORTE Confira algumas questões e o seu significado 03 UNINORTE ENADE O curso propiciou experiências de aprendizagem inovadora? Apesar de ser confuso,

Leia mais

O CONSTRUTIVISMO NA SALA DE AULA PROFA. DRA. PATRICIA COLAVITTI BRAGA DISTASSI - DB CONSULTORIA EDUCACIONAL

O CONSTRUTIVISMO NA SALA DE AULA PROFA. DRA. PATRICIA COLAVITTI BRAGA DISTASSI - DB CONSULTORIA EDUCACIONAL O CONSTRUTIVISMO NA SALA DE AULA 1. OS PROFESSORES E A CONCEPÇÃO CONSTRUTIVISTA Construtivismo é um referencial explicativo que norteia o planejamento, a avaliação e a intervenção; A concepção construtivista

Leia mais

Estágio: por onde começar?

Estágio: por onde começar? ENG09046 Terça-feira, das 16h30 às 18h10 Agosto de 2012 Estágio: por onde começar? Internamente: buscar entender como funciona a empresa, o setor/ departamento Externamente: ter uma visão macro sobre a

Leia mais

CURRICULUM VITAE COMO FAZER? PEQUENOS AJUSTES PODEM FAZER UMA GRANDE DIFERENÇA NA BUSCA POR UMA OPORTUNIDADE.

CURRICULUM VITAE COMO FAZER? PEQUENOS AJUSTES PODEM FAZER UMA GRANDE DIFERENÇA NA BUSCA POR UMA OPORTUNIDADE. CURRICULUM VITAE COMO FAZER? PEQUENOS AJUSTES PODEM FAZER UMA GRANDE DIFERENÇA NA BUSCA POR UMA OPORTUNIDADE. REGRAS GERAIS: Evite folhas coloridas e de maior gramatura, molduras especiais e fontes muito

Leia mais

Dicas EPIS ALUNOS. Balanço e Resultados Escolares Dica 1/3

Dicas EPIS ALUNOS. Balanço e Resultados Escolares Dica 1/3 Janeiro Balanço e Resultados Escolares Balanço e Resultados Escolares Dica 1/3 Aproveita o início deste período para fazeres um balanço do teu comportamento e dos teus resultados escolares no 1º Período.

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA AVALIAÇÃO E DA INFORMAÇÃO NA ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL DE ESTUDANTES EM PROCESSO DE TOMADA DE DECISÃO

A IMPORTÂNCIA DA AVALIAÇÃO E DA INFORMAÇÃO NA ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL DE ESTUDANTES EM PROCESSO DE TOMADA DE DECISÃO A IMPORTÂNCIA DA AVALIAÇÃO E DA INFORMAÇÃO NA ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL DE ESTUDANTES EM PROCESSO DE TOMADA DE DECISÃO PASSOS, Huana Freire Cirilo, Universidade Federal da Paraíba, Discente colaborador,

Leia mais

TÉCNICAS DE LEITURA A TÉCNICA DE SUBLINHAR

TÉCNICAS DE LEITURA A TÉCNICA DE SUBLINHAR Metodologia de Estudo e de Pesquisa em Administração TÉCNICAS DE LEITURA Existem diferentes formas de ler e estudar um texto. Aqui será dada ênfase às técnicas de sublinhar, de esquematizar, de resumir

Leia mais

O AUTISMO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

O AUTISMO NA EDUCAÇÃO INFANTIL O AUTISMO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Carmen Lucia Lopes Galvão Universidade Estadual do Rio de Janeiro - lumiar13@yahoo.com.br INTRODUÇÃO Este estudo buscará refletir sobre o autismo e o papel do educador na

Leia mais

AULA 04. Profª DENISE VLASIC HOFFMANN,Jussara Avaliar respeitar primeiro, educar depois.

AULA 04. Profª DENISE VLASIC HOFFMANN,Jussara Avaliar respeitar primeiro, educar depois. AULA 04 Profª DENISE VLASIC HOFFMANN,Jussara Avaliar respeitar primeiro, educar depois. Jussara Hoffmann Avaliar respeitar primeiro, educar depois Interesse questões avaliativas As crianças permanecem

Leia mais

FISIOTERAPIA Metodologia da Pesquisa Científica

FISIOTERAPIA Metodologia da Pesquisa Científica FISIOTERAPIA Metodologia da Pesquisa Científica Prof.ª Dr.ª Ana Lúcia Billig Foz do Iguaçu, setembro 2017 Resumo e Resenha Resumo Resumo: É um tipo de redação informativo referencial que se ocupa de reduzir

Leia mais

CONSELHO DE CLASSE: O ANO TODO E AGORA EM ESPECIAL NO FINAL DO ANO LETIVO

CONSELHO DE CLASSE: O ANO TODO E AGORA EM ESPECIAL NO FINAL DO ANO LETIVO TEXTO 2 http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/2310-6.pdf acesso em http://pt.wikipedia.org/wiki/conselho_de_classe 09 de outubro de 2014 CONSELHO DE CLASSE: O ANO TODO E AGORA EM ESPECIAL

Leia mais

Colégio Stella Maris Laguna SC EMENTA DA DISCIPLINA DE REDAÇÃO 9º ano 2º Trimestre Professora Eveline Silveira

Colégio Stella Maris Laguna SC EMENTA DA DISCIPLINA DE REDAÇÃO 9º ano 2º Trimestre Professora Eveline Silveira Colégio Stella Maris Laguna SC EMENTA DA DISCIPLINA DE REDAÇÃO 9º ano 2º Trimestre Professora Eveline Silveira DATA CONTEÚDOS 30/05 Gênero textual: relatos de memória. Produção textual. 06/06 Interpretação

Leia mais

Escrita e Apresentação. Charles Juca Busarello

Escrita e Apresentação. Charles Juca Busarello Escrita e Apresentação Charles Juca Busarello Roteiro Princípios Básicos Regras Básicas Elementos do Projeto Cheklist Referências Princípios Básicos A comunicação entre o pesquisador e o leitor, é uma

Leia mais

RESOLUÇÃO N o 01/82, DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO. Institui o Plano de Trabalho do Pessol Docente da Universidade Federal de Uberlândia.

RESOLUÇÃO N o 01/82, DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO. Institui o Plano de Trabalho do Pessol Docente da Universidade Federal de Uberlândia. RESOLUÇÃO N o 01/82, DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO Institui o Plano de Trabalho do Pessol Docente da Universidade Federal de Uberlândia. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA, no uso

Leia mais

Aula inaugural de redação Manual de Redação Ensino Fundamental e Médio Modalidade Presencial

Aula inaugural de redação Manual de Redação Ensino Fundamental e Médio Modalidade Presencial Aula inaugural de redação Manual de Redação Ensino Fundamental e Médio 1. Objetivos/Habilidades: Conhecer a estrutura e a organização do tipo textual que será cobrado no processo de avaliação do Ensino

Leia mais

Oficina de Apropriação de Resultados de Matemática. Paebes 2013

Oficina de Apropriação de Resultados de Matemática. Paebes 2013 Oficina de Apropriação de Resultados de Matemática Paebes 2013 Paebes 2013 Conhecendo o outro.. Expectativas... Paebes 2013 OBJETIVOS DA OFICINA Objetivo geral: Analisar e interpretar resultados da avaliação

Leia mais

1) Devemos proceder a primeira leitura de reconhecimento ininterrupta.

1) Devemos proceder a primeira leitura de reconhecimento ininterrupta. TRABALHOS CIENTÍFICOS ACADÊMICOS Muitas vezes, o estudante ou pesquisador, ao ser abordado para fazer um trabalho científico acadêmico, tem muitas dificuldades de diferenciar as características quanto

Leia mais

Benefícios da Leitura

Benefícios da Leitura Ler a par Benefícios da Leitura Proporciona à criança informação e conhecimento sobre o mundo. Apresenta à criança situações e ideias novas Estimulando a curiosidade, o pensamento crítico, e ainda a consciência

Leia mais

Trabalho de e por projeto. Joaquim Segura

Trabalho de e por projeto. Joaquim Segura Trabalho de e por projeto Joaquim Segura Novembro de 2016 Nota prévia O documento que agora se disponibiliza deve ser perspetivado como uma memória do relato de práticas apresentado aquando da formação

Leia mais

O FAZER DA PSICOLOGIA DO IFRN: Mitos e Verdades. Apresentação dos profissionais de Psicologia do IFRN

O FAZER DA PSICOLOGIA DO IFRN: Mitos e Verdades. Apresentação dos profissionais de Psicologia do IFRN O FAZER DA PSICOLOGIA DO IFRN: Mitos e Verdades Apresentação dos profissionais de Psicologia do IFRN Psicologia e Educação Atualmente, a Psicologia inserida na Educação, preocupase com as políticas públicas

Leia mais

COMUNICAÇÃO INTERNA 0002/13

COMUNICAÇÃO INTERNA 0002/13 Atender o telefone não é uma tarefa difícil fisicamente, mas utilizá-lo de forma correta e profissional, já não é tão linear quanto se pensa. Todas as ligações recebidas nos interessam, afinal somos uma

Leia mais

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License. Aprender a aprender a Aprender!

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License. Aprender a aprender a Aprender! This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License. Aprender a aprender a Aprender! Aprender é O que é aprender? Aprender é tomar, Aprender é

Leia mais

QUATRO OPERAÇÕES: UMA PROPOSTA DE MELHORAMENTO DOS CONCEITOS FUNDAMENTAIS

QUATRO OPERAÇÕES: UMA PROPOSTA DE MELHORAMENTO DOS CONCEITOS FUNDAMENTAIS QUATRO OPERAÇÕES: UMA PROPOSTA DE MELHORAMENTO DOS CONCEITOS FUNDAMENTAIS Carla Rocha 1 karlinhasbento@hotmail.com Lígia S. Bastos 2 ligiasousabastos@gmail.com Lisiane S. Gomes 3 lisy_sg12@hotmail.com

Leia mais

Cuidado e desmedicalização na atenção básica

Cuidado e desmedicalização na atenção básica Rio de Janeiro, agosto de 2012 Cuidado e desmedicalização na atenção básica Laura Camargo Macruz Feuerwerker Profa. Associada FSP-USP Medicalização e a disputa pela vida Movimento de compreender todos

Leia mais

7 Ensinamentos do Prof. Pier para aprender inteligência

7 Ensinamentos do Prof. Pier para aprender inteligência 7 Ensinamentos do Prof. Pier para aprender inteligência Biografia do Prof. Pier O Prof. Pier, como era conhecido Pierluigi Piazzi por seus alunos e admiradores, nasceu na Itália, no dia 29 de janeiro de

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CST em Análise e Desenvolvimento de Sistemas 4ª Série Sistemas de Informação A atividade prática supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem

Leia mais

Estágio Supervisionado em Processos Produtivos de Refeições

Estágio Supervisionado em Processos Produtivos de Refeições Estágio Supervisionado em Processos Produtivos de Refeições LEI Nº 11.788, DE 25 DE SETEMBRO DE 2008 Art. 2 o O estágio poderá ser obrigatório ou não-obrigatório, conforme determinação das diretrizes curriculares

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR. Setembro de 2014 INSTITUTO DE PROMOÇÃO SOCIAL DE BUSTOS, S.A. COLÉGIO FREI GIL

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR. Setembro de 2014 INSTITUTO DE PROMOÇÃO SOCIAL DE BUSTOS, S.A. COLÉGIO FREI GIL REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ESCOLAR Setembro de 2014 INSTITUTO DE PROMOÇÃO SOCIAL DE BUSTOS, S.A. COLÉGIO FREI GIL Índice Introdução... 3 Capítulo I Organização e gestão... 4 Capítulo II Funcionamento...

Leia mais

Os conteúdos programáticos serão trabalhados de acordo com os seguintes parâmetros:

Os conteúdos programáticos serão trabalhados de acordo com os seguintes parâmetros: 3º ciclo Oferta Complementar: Apoio ao estudo da disciplina de Português Domínios Ponderação Componente cognitiva (capacidades e conhecimentos) Oralidade Leitura Escrita Gramática 80% Componente socioafetiva

Leia mais