ETF Exchange Traded Fund. Fevereiro 2015

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ETF Exchange Traded Fund. Fevereiro 2015"

Transcrição

1 ETF Exchange Traded Fund Fevereiro

2 SUMÁRIO DESTAQUES INICIAIS VANTAGENS DO PRODUTO ESTATÍSTICAS MERCADO LOCAL ESTATÍSTICAS MERCADO INTERNACIONAL FUNCIONAMENTO DO PRODUTO ETF DE ÍNDICE ESTRANGEIRO INICIATIVAS DE DESENVOLVIMENTO 2

3 SUMÁRIO DESTAQUES INICIAIS 3

4 ETF EXCHANGE TRADED FUND Fundo que acompanha a variação de um índice de referência, com cotas negociadas em Bolsa Destaques: 16 ETS referenciados a índices de Ações Locais e 2 referenciados a Índices Estrangeiros (S&P500) Patrimônio total dos ETFs: R$ 3,15 bilhões Negociação diária média dos ETFs: R$ 119 Milhões Produtos complementares: Aluguel de Cotas Disponível para todos os ETFs Opções Listadas: BOVA11, PIBB11 Opções Flexíveis: FIND11, ISUS11, GOVE11, BOVA11 Termo de ETF 4

5 ETF EXCHANGE TRADED FUND ETFs Listados ÍNDICE CÓDIGO DE NEGOCIAÇÃO PATRIMÔNIO NEGOCIAÇÃO MÉDIA DIÁRIA R$ Mil GESTORA INÍCIO DE NEGOCIAÇÃO R$ Milhões IBrX-50 PIBB ITAÚ jul/04 IBOVESPA BOVA BLACKROCK dec/08 SMALL CAP SMAL BLACKROCK dec/08 MID LARGE CAP MILA BLACKROCK dec/08 IBrX-100 BRAX BLACKROCK feb/10 IMOBILIÁRIO MOBI BLACKROCK feb/10 CONSUMO CSMO BLACKROCK feb/10 FINANCEIRO FIND ITAÚ apr/11 SUST. EMPRESARIAL ISUS ITAÚ nov/11 GOV. CORPORATIVA GOVE ITAÚ nov/11 DIVIDENDOS DIVO ITAÚ jan/12 MATERIAIS BÁSICOS MATB ITAÚ jan/12 UTILIDADE PÚBLICA UTIP BLACKROCK may/12 CARBONO EFICIENTE ECOO BLACKROCK jun/12 IBOVESPA XBOV CEF nov/12 S&P500 IVVB BLACKROCK apr/14 DIVIDENDOS (S&P) BBSD BB DTVM nov/14 S&P500 SPXI ITAÚ fev/15 TOTAL Fonte: BM&FBOVESPA, Black Rock, CEF, Itaú: Out/14 5

6 SUMÁRIO VANTAGENS DO PRODUTO 6

7 VANTAGENS Diversificação do portfólio A carteira de um ETF é composta por dezenas de ativos Com a diversificação da carteira, o risco é minimizado pela correlação entre os ativos Transparência Divulgação em tempo real do valor da cota negociada (valor de mercado) e divulgação do preço indicativo (IOPV) a cada 30 segundos Divulgação diária da carteira (valor contábil) no site dos gestores e no portal da CVM Praticidade Através da compra de uma única cota, o ETF permite acesso a diversos ativos Com uma baixa aplicação inicial (em torno de R$ 200 para alguns ETFs) é possível iniciar os investimentos O ETF pode ser negociado durante todo o horário de negociação da BM&FBOVESPA 7

8 VANTAGENS Baixo custo Taxas de administração dos ETFs tendem a ser menores que em fundos de investimento convencionais As cotas do ETF podem ser alugadas, gerando uma receita extra ao doador Importante lembrar que o ETF está sujeito aos custos de corretagem Utilização do produto em diferentes Estratégias de Investimento Permite posições compradas no ETF e vendidas através de aluguel das cotas Possibilidade de arbitragem entre o ETF e os ativos que compõem a carteira Alocação e apostas entre setores da economia Operações estruturadas com derivativos (Futuros de Índices, Opções, Termo) Alocações em carteiras de investimento baixo custo e facilidade para calibragem das alocações entre RF e RV 8

9 SUMÁRIO ESTATÍSTICAS MERCADO LOCAL 9

10 ESTATÍSTICAS MERCADO LOCAL Participação dos Investidores no volume negociado (%) 0,4% Empresas 7,0% 24,8% Pessoas Físicas 28,3% Financeiras Participação dos Investidores no Patrimônio (%) 1,3% 3,2% 1,2% 21,9% Outros Estrangeiros Financeiras 39,5% Institucionais Estrangeiros 72,5% Institucionais Pessoas Físicas Volume médio negociado ao dia (R$ milhões) Evolução do Patrimônio e do Número de Investidores jan/15 ADTV - R$ Milhões Média do Nº de Negs PL (R$ Milhões) # de Clientes Fonte: BM&FBOVESPA jan/15 10

11 ESTATÍSTICAS MERCADO LOCAL Patrimônio (R$ Milhões) Volume médio negociado ao dia (R$ Mil) IBOVESPA (BOVA11) IBOVESPA (BOVA11) IBrX IBrX IBrX IBrX IBOVESPA (XBOV11) 87 S&P CARBONO EFICIENTE 79 CARBONO EFICIENTE 847 S&P IBOVESPA (XBOV11) 679 DIVIDENDOS 36 DIVIDENDOS (S&P) 248 SUST. EMPRESARIAL 32 DIVIDENDOS 140 SMALL CAP 28 CONSUMO 103 FINANCEIRO 27 SUST. EMPRESARIAL 96 GOV. CORPORATIVA 20 SMALL CAP 92 DIVIDENDOS (S&P) 12 GOV. CORPORATIVA 70 MATERIAIS BÁSICOS 11 FINANCEIRO 67 CONSUMO 10 IMOBILIÁRIO 32 UTILIDADE PÚBLICA 6 UTILIDADE PÚBLICA 1 MID LARGE CAP 4 MATERIAIS BÁSICOS 1 IMOBILIÁRIO 2 MID LARGE CAP 1 Fonte: BM&FBOVEPA e CVM 11

12 SUMÁRIO ESTATÍSTICAS MERCADO INTERNACIONAL 12

13 ESTATÍSTICAS MERCADO INTERNACIONAL Patrimônio Global dos ETP (Exchange Traded Products): USD 2.8 trilhões* Patrimônio dos ETP nos EUA: USD 2 trilhões* Volume médio diário dos ETFs negociado nos EUA: USD 76 bilhões* Participação dos ETFs no Volume Negociado (%) de outras Bolsas Número de ETFs listados em outras Bolsas 48% % 23% 12% 11% 11% 9% 5% 5% 1% Fonte: WFE Dez/14 Fonte: WFE Dez/14 *Fonte: Landscape BlackRock / XTF ETF EXPERTS 13

14 ETF ESTATÍSTICAS MERCADO INTERNACIONAL MERCADO GLOBAL DE ETPs - ÍNDICES DE REFERÊNCIA Ações 16% 4% 2% Asia Pacífico - 8% Europa - 9% Renda Fixa Base Ampla Global - 11% Commodities Outros 78% Mercados Emergentes - 12% América do Norte - 59% ETP EM RELAÇÃO À INDÚSTRIA DE FUNDOS USD Billions FUNDOS ETP ETP/FUNDOS EUA ,0 12,8% CANADA ,0 6,2% ASIA PACIFICO ,0 5,5% MEXICO 133 5,1 3,8% EUROPA ,0 4,8% BRASIL ,0 0,1% Fonte ETF: BlackRock - ETP LANDSCAPE jan/15. Fonte Fundos:ICI, (3º Quarto) 14

15 SUMÁRIO FUNCIONAMENTO DO PRODUTO 15

16 ETF MERCADO PRIMÁRIO Acessível para investidores de Grande Porte Existe lote mínimo para integralização ( criação ) e resgate ( destruição ) de cotas: ETF Lote Mínimo de Valor da Valor do lote integralização/resgate cota* mínimo (R$) BBSD Cotas 35, BOVA cotas 48, BRAX cotas 40, CSMO cotas 50, DIVO cotas 26, ECOO cotas 58, FIND cotas 46, GOVE cotas 20, ISUS cotas 23, ETF Lote Mínimo de Valor da Valor do lote Integralização/resgate cota* mínimo (R$) IVVB cotas 60, MATB cotas 13, MILA cotas 45, MOBI cotas 10, PIBB cotas 85, SMAL cotas 47, SPXI cotas 59, UTIP cotas 20, XBOV cotas 49, Liquidação das Integralizações/Regastes para ETFs Locais: D+3 Liquidação das Integralizações/Resgates para ETF Estrangeiro: D+1 Negociação apenas nas corretoras autorizadas ( agentes autorizados ) Taxa de integralização e resgate BM&FBOVESPA: R$ 150,00 por operação** *Valor da cota: fechamento de 12/02/2014 **Não considera os custos devidos às corretoras 16

17 ETF MERCADO SECUNDÁRIO Acessível para investidores de Menor Porte No mercado secundário, também existem lotes mínimos para negociação (compra e venda) ETF Lote Padrão Valor da Valor do Lote cota* Padrão (R$) BBSD Cotas 35,22 352,20 BOVA cotas 48,13 481,30 BRAX cotas 40,33 403,30 CSMO cotas 50,46 504,60 DIVO cotas 26,26 262,60 ECOO cotas 58,65 586,50 FIND cotas 46,53 465,30 GOVE cotas 20,85 208,50 ISUS cotas 23,83 238,30 ETF Lote Padrão Valor da Valor do Lote cota* Padrão (R$) IVVB cotas 60,71 607,10 MATB cotas 13,69 136,90 MILA cotas 45,53 455,30 MOBI cotas 10,13 101,30 PIBB cotas 85,8 858,00 SMAL cotas 47,65 476,50 SPXI cotas 59,15 591,50 UTIP cotas 20,03 200,30 XBOV cotas 49,45 494,50 Idêntica à negociação de uma ação no mercado a vista Liquidação das compras e vendas: D+3 Negociação em qualquer corretora *Valor da cota: fechamento de 12/02/

18 CUSTOS ENVOLVIDOS Taxa de Administração dos Gestores É a remuneração do gestor do ETF, através de cobrança de % sobre o patrimônio do ETF As rentabilidades dos ETFs divulgadas já estão líquidas da taxa de administração ETF GESTOR TAXA DE ADMNISTRAÇÃO (a.a) BBSD11 BB DTVM 0,50% BOVA11 BLACKROCK 0,54% BRAX11 BLACKROCK 0,20% CSMO11 BLACKROCK 0,69% DIVO11 ITAÚ 0,50% ECOO11 BLACKROCK 0,38% FIND11 ITAÚ 0,60% GOVE11 ITAÚ 0,50% ISUS11 ITAÚ 0,40% ETF GESTOR TAXA DE ADMNISTRAÇÃO (a.a) IVVB11 BLACKROCK 0,27% MATB11 ITAÚ 0,50% MILA11 BLACKROCK 0,54% MOBI11 BLACKROCK 0,69% PIBB11 ITAÚ 0,05% SMAL11 BLACKROCK 0,69% SPXI11 ITAÚ 0,27% UTIP11 BLACKROCK 0,69% XBOV11 CAIXA 0,50% Taxa de Negociação BM&FBOVESPA Investidor Emolumentos Liquidação Total Pessoa Física 0,0050% 0,0275% 0,0325% Fundos e Clubes de investimento 0,0050% 0,0200% 0,0250% 18

19 CAMADAS DE LIQUIDEZ A liquidez dos ETFs vai além das ofertas disponíveis na tela de negociação Como o ETF é composto por dezenas de ativos, há muita facilidade para a criação de níveis adicionais de liquidez 1º Nível Tela de Negociação 2º Nível Formador de Mercado Ativos Imediatos 3º Nível Integralização e Resgate de Cotas 1º Nível - Liquidez aparente das ofertas em tela inseridas por qualquer participante do mercado 2º Nível - Para operações de maior volume a liquidez pode ser proporcionada através do contato direto com formadores de mercado ou arbitradores 3º Nível - A liquidez das dezenas de ativos que compõem a carteira de um ETF pode ser utilizada para criar um novo nível de liquidez no próprio no ETF, através do mecanismo de integralização e resgate das cotas 19

20 FORMADOR DE MERCADO São contratados pelos gestores dos ETFs para promover a liquidez do produto Têm obrigação contratual de colocação de ordens de acordo com parâmetros pré-definidos ÍNDICE CÓDIGO DE NEGOCIAÇÃO FORMADOR LOTE (cotas) SPREAD CONTRATADO IBrX-50 PIBB11 ITAUVEST 5.000, , ,20%, 0,25%, 0,30% IBOVESPA BOVA11 CREDIT SUISSE 3.000, 8.000, ,10%, 0,15%, 0,20% MID LARGE CAP MILA11 CREDIT SUISSE , 4.000, ,15%, 0,20%, 0,25% SMALL CAP SMAL11 CREDIT SUISSE 1.000, 2.000, ,25%, 0,35%, 0,60% IBrX-100 BRAX11 CREDIT SUISSE 1.500, 4.000, ,15%, 0,20%, 0,25% CONSUMO CSMO11 CREDIT SUISSE 1.500, 3.000, ,15%, 0,20%, 0,25% IMOBILIÁRIO MOBI11 CREDIT SUISSE 3.500, 7.000, ,15%, 0,20%, 0,25% FINANCEIRO FIND11 BTG PACTUAL ,35% SUST. EMPRESARIAL ISUS11 ITAUVEST 2.000, 8.000, ,20%, 0,25%, 0,30% GOV. CORP. TRADE GOVE11 ITAUVEST 5.000, , ,20%, 0,25%, 0,30% MATERIAIS BÁSICOS MATB11 ITAUVEST 2.500, 7.500, ,20%, 0,25%, 0,30% DIVIDENDOS DIVO11 ITAUVEST 2.500, 7.500, ,20%, 0,25%, 0,30% UTILIDADE PÚBLICA UTIP11 CREDIT SUISSE 1.600, 4.000, ,15%, 0,20%, 0,25% CARBONO EFICIENTE ECOO11 CITIGROUP 500, 2.000, ,20%, 0,25%, 0,30% IBOVESPA XBOV11 BRADESCO 3.000, 8.000, ,10%, 0,15%, 0,20% S&P500 IVVB11 CREDIT SUISSE 4.000, , ,10%, 0,15%, 0,20% S&P500 SPXI DIVIDENDOS (S&P) BBSD11 CREDIT SUISSE 2.000,10.000, ,25%, 0,35%, 0,60% 20

21 REGRAS DE LEILÃO Para os ETFs são utilizados os seguintes parâmetros para leilão na negociação no mercado secundário Parâmetros para preço Para o primeiro negócio do dia, é utilizado o valor teórico da cota do ETF (IOPV) referente ao fechamento do pregão anterior (válido para todos os ETFs com exceção do ETF Estrangeiro) Para os demais negócios do dia, é utilizado o valor mais recente entre preço do último negócio do próprio ETF valor teórico da cota do ETF (IOPV), sendo o IOPV atualizado toda vez que ocorrer variação positiva ou negativa de 1% sobre o seu último preço de referência Parâmetros para quantidade Maior valor entre: Quantidade média de cotas do ETF negociadas nos últimos 30 pregões Quantidade de cotas correspondentes a 20% do lote mínimo de integralização/resgate do próprio ETF 21

22 VALOR DA COTA DO ETF Para apurar o valor do investimento, são utilizadas três medidas: 1) Valor de Mercado É o preço de compra e venda das cotas do ETF no sistema de negociação da BM&FBOVESPA O preço de cada negócio realizado é distribuído pelos provedores de market data (Bloomberg, Reuters, Broadcast, etc.) 2) Valor Indicativo (IOPV) IOPV = Indicative Optimized Portfolio Value É o valor teórico da carteira do ETF, utilizando o último preço disponível para cada ativo da carteira É calculado e publicado pela BM&FBOVESPA a cada 30 segundos Também é distribuído pelos provedores de market data (Bloomberg, Reuters, etc.) 3) Valor Contábil Valor da cota do ETF, considerando o preço de fechamento dos ativos na carteira do ETF É calculado diariamente pelo administrador do ETF e publicado no site dos gestores e no portal da CVM 22

23 SUMÁRIO ETF DE ÍNDICE ESTRANGEIRO 23

24 ETF ESTRANGEIRO Fundo de índice internacional listado na Bolsa que possibilita ao investidor implementar estratégias de investimentos referenciadas ao Índice S&P 500 Regras para Acesso Investidores de Alta Qualificação: Investimentos superiores à R$ ,00 Entidades Fechadas de Previdência Complementar, de acordo com a Resolução CMN. tem permissão para investir: Até 10% do Patrimônio Total da Fundação Até 25% do Patrimônio do ETF 24

25 ETF ESTRANGEIRO Características Ticker: IVVB11 Início da negociação: 29/04/2014 Lote de negociação no mercado primário: cotas aprox. R$ ,00 Lote de negociação no mercado secundário: 10 cotas aproximadamente R$ 500,00 Taxa de Administração: 0,27% aa Negociação em Reais, idêntica a um ETF local Formador de mercado Credit Suisse Lote total do formador de mercado aprox. R$ Características Ticker: SPXI11 Início da negociação: 30/01/2015 Lote de negociação no mercado primário: cotas aproximadamente R$ ,00 Lote de negociação no mercado secundário: 10 cotas aproximadamente R$ 500,00 Taxa de Administração: 0,27% aa Negociação em Reais, idêntica a um ETF local Formador de mercado - em análise Lote total do formador de mercado em análise ,00 em tela 25

26 SUMÁRIO INICIATIVAS DE DESENVOLVIMENTO 26

27 ETF ENTREGAS REALIZADAS E PREVISTAS Iniciativas de Desenvolvimento CONCLUÍDAS Novas regras de Leilão de ETF. Plataforma para lançamento do ETF Estrangeiro. Nova política de licenciamento de índices BM&FBOVESPA para criação de ETFs. Guia para gestores e administradores - para registro e listagem de novos ETFS. Contratação de Formadores de Mercado para Opções do ETF BOVA11. Permissão para aluguel de cotas do ETF Estrangeiro. Reformulação do site da BM&FBOVESPA e do Boletim Mensal de Estatísticas dos ETFs. 27

28 ETF ENTREGAS REALIZADAS E PREVISTAS Iniciativas de Desenvolvimento EM DESENVOLVIMENTO Permitir a contratação de 2 novos formadores de mercado para cada ETF. Possibilitar benefícios de hedge para Formadores de Mercado de ETF. Ajustes na plataforma de ETF para permissão de diferentes modelos de integralização e resgate, viabilizando o lançamento do ETF de Renda Fixa. Pleito à CVM para acesso às ETF Estrangeiro para investidores de menor porte (menos que R$ 1 milhão em patrimônio). Lançamento de Opções e aceitação de cotas do ETF Estrangeiro como margem de garantia. Fee Holiday para ETFs com baixa liquidez Atrair novos gestores para listagem de novos ETFs locais e estrangeiros. Curso de ETFs e Workshops e eventos para divulgação do Produto. 28

29 29

ETF s Ferramentas de Gestão. Luiz Felipe P. Andrade BLACKROCK - Maio de 2011

ETF s Ferramentas de Gestão. Luiz Felipe P. Andrade BLACKROCK - Maio de 2011 ETF s Ferramentas de Gestão Luiz Felipe P. Andrade BLACKROCK - Maio de 2011 Como funcionam os ETFs? ETFs são Fundos negociados em Bolsa que seguem índices de mercado Os ETFs ishares reúnem o melhor de

Leia mais

Tendência e Desafios: Mercado de ETFs no Brasil. Itaú Asset Management - Maio de 2011

Tendência e Desafios: Mercado de ETFs no Brasil. Itaú Asset Management - Maio de 2011 Tendência e Desafios: Mercado de ETFs no Brasil Itaú Asset Management - Maio de 2011 Demanda por ETFs nos EUA 4 Ingresso em ETFs acelerou na última década. Investidores Institucionais: conveniência nas

Leia mais

BM&FBOVESPA divulga balanço de operações de novembro de 2010. Empréstimos de ações têm recorde de volume financeiro

BM&FBOVESPA divulga balanço de operações de novembro de 2010. Empréstimos de ações têm recorde de volume financeiro BM&FBOVESPA divulga balanço de operações de novembro de 2010 Empréstimos de ações têm recorde de volume financeiro Total de negócios com ETFs passa de 17,9 mil para 25,6 mil Futuro de juro (DI) totaliza

Leia mais

$ $ ETF EXCHANGE TRADED FUND $ $

$ $ ETF EXCHANGE TRADED FUND $ $ ETF EXCHANGE TRADED FUND Investimento para quem busca a possibilidade de melhores retornos, através de uma carteira diversificada e com menor custo. Confira porque os fundos de índices são a nova opção

Leia mais

Estratégias Operacionais no Mercado de Ações. Giácomo Diniz 01/10/2013

Estratégias Operacionais no Mercado de Ações. Giácomo Diniz 01/10/2013 Estratégias Operacionais no Mercado de Ações Giácomo Diniz 01/10/2013 Agenda 1) Aluguel de Ações 2) Estratégia ShortSelling 3) Estratégia Long &Short a) Spread b) Ratio c) Apuração de Resultado 4) ETF

Leia mais

ETF Exchange Traded Fund

ETF Exchange Traded Fund ETF Exchange Traded Fund FUNDOS BM&FBOVESPA Eficiência. Eficiência. Transparência. Transparência. Flexibilidade. Flexibilidade. Em um Em único um único investimento. investimento. O que é Exchange Traded

Leia mais

Claudio Avanian Jacob. Diretor Internacional, Comercial e de Desenvolvimento de Mercado

Claudio Avanian Jacob. Diretor Internacional, Comercial e de Desenvolvimento de Mercado Claudio Avanian Jacob Diretor Internacional, Comercial e de Desenvolvimento de Mercado Diversificação de Portfólio Agenda Diversificação de Portfólio de Produtos Produtos de Renda Fixa Futuro de Cupom

Leia mais

O que são os ETFs (Fundos de Índice)? Ibovespa - IBOV (Referência ETF BOVA11) Gráfico Diário 01/02/2013

O que são os ETFs (Fundos de Índice)? Ibovespa - IBOV (Referência ETF BOVA11) Gráfico Diário 01/02/2013 O que são os ETFs (Fundos de Índice)? ETFs (Exchange Traded Funds) é como são conhecidos mundialmente os Fundos de Índice, isto é, fundos que replicam os mais variados índices de mercado e têm cotas negociadas

Leia mais

O ETF como instrumento na gestão de recursos:

O ETF como instrumento na gestão de recursos: O ETF como instrumento na gestão de recursos: Agosto de 2013 Tendências e Oportunidades no Brasil e no mundo. Informação Pública Política Corporativa de Segurança da Informação Conteúdo Utilização de ETFs

Leia mais

Renda Variável ETF de Ações. Renda Variável. ETF de Ações

Renda Variável ETF de Ações. Renda Variável. ETF de Ações Renda Variável O produto O, também conhecido como Exchange Traded Fund (ETF), é um fundo de índice, considerado investimento em renda variável. O produto representa uma comunhão de recursos destinados

Leia mais

BM&FBOVESPA Diversificação Internacional via BM&FBOVESPA. Claudio Avanian Jacob Diretor Comercial e de Desenvolvimento de Mercado

BM&FBOVESPA Diversificação Internacional via BM&FBOVESPA. Claudio Avanian Jacob Diretor Comercial e de Desenvolvimento de Mercado BM&FBOVESPA Diversificação Internacional via BM&FBOVESPA Claudio Avanian Jacob Diretor Comercial e de Desenvolvimento de Mercado AGENDA PRODUTOS DE EXPOSIÇÃO NO EXTERIOR BDR NÃO PATROCINADO BRAZILIAN DEPOSITARY

Leia mais

Perfin Institucional FIC FIA

Perfin Institucional FIC FIA Perfin Institucional FIC FIA Relatório Mensal- Junho 2013 O fundo Perfin Institucional FIC FIA utiliza-se de análise fundamentalista para compor o seu portfólio, baseado no diferencial existente entre

Leia mais

Formador de Mercado DEP Diretoria de Engenharia de Produtos

Formador de Mercado DEP Diretoria de Engenharia de Produtos Formador de Mercado DEP Diretoria de Engenharia de Produtos FORMADOR Março/2015 DE MERCADO Confidencial Restrita Confidencial Uso Interno Público 1 Agenda Papel do Formador de Mercado (FM) Relações de

Leia mais

Investimentos em imóveis de forma moderna e inteligente.

Investimentos em imóveis de forma moderna e inteligente. Investimentos em imóveis de forma moderna e inteligente. A possibilidade de diversificar o investimento e se tornar sócio dos maiores empreendimentos imobiliários do Brasil. Este material tem o objetivo

Leia mais

Perspectivas 2013 Diversificação de Ativos e Meta Atuarial

Perspectivas 2013 Diversificação de Ativos e Meta Atuarial Perspectivas 2013 Diversificação de Ativos e Meta Atuarial Fundos de Índice: ETFs ishares Apresentação BlackRock Agenda 1. Fundos de Índice: ETFs (Exchange Traded Funds) 2. Estratégias de Utilização 3.

Leia mais

BTG Fundo de Fundos. 5ª Emissão. Janeiro, 2013. Para informações adicionais, leia atentamente os Avisos Adicionais no final da apresentação.

BTG Fundo de Fundos. 5ª Emissão. Janeiro, 2013. Para informações adicionais, leia atentamente os Avisos Adicionais no final da apresentação. 5ª Emissão Janeiro, 2013 Para informações adicionais, leia atentamente os Avisos Adicionais no final da apresentação. SEÇÃO 1 Características Características Fundo Carteira Remuneração FUNDO FII fechado

Leia mais

A popularização e expansão do mercado de capitais. Diretoria de Desenvolvimento e Fomento de Negócios Maio/2010

A popularização e expansão do mercado de capitais. Diretoria de Desenvolvimento e Fomento de Negócios Maio/2010 A popularização e expansão do mercado de capitais Diretoria de Desenvolvimento e Fomento de Negócios Maio/2010 POPULARIZAÇÃO Objetivos dos Programas de Popularização Divulgar os segmentos de atuação da

Leia mais

Relatórios da Carteira de Investimentos RECIPREV

Relatórios da Carteira de Investimentos RECIPREV Data da Posição: 20/03/2015 Relatórios da Carteira de Investimentos RECIPREV Autarquia Municipal de Previdência e Assistência à Saúde dos Servidores Composição da Carteira de Investimentos RECIPREV (Gestores)

Leia mais

CLUBE DE INVESTIMENTO. Mais uma maneira de investir no mercado de ações

CLUBE DE INVESTIMENTO. Mais uma maneira de investir no mercado de ações CLUBE DE INVESTIMENTO Mais uma maneira de investir no mercado de ações Clube de Investimento Clube de Investimento É uma associação de pessoas físicas, mínimo de 3 e máximo de 150, com objetivo em comum

Leia mais

Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Vale do Rio Doce (C.N.P.J. nº 04.890.401/0001-15) (Administrado pelo Banco J. Safra S.A.

Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Vale do Rio Doce (C.N.P.J. nº 04.890.401/0001-15) (Administrado pelo Banco J. Safra S.A. Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Vale do Rio Doce (Administrado pelo Banco J. Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 30 de setembro de 2015 e relatório dos auditores independentes Relatório dos

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T15

Divulgação de Resultados 1T15 São Paulo - SP, 06 de Maio de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private equity

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T14

Divulgação de Resultados 1T14 Divulgação de Resultados 1T14 A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private-equity ( Fundos

Leia mais

Mercado de Capitais. Renda Variável. Mercado Primário de Ações. Mercado Primário - ETAPAS. Mercado Primário - ETAPAS

Mercado de Capitais. Renda Variável. Mercado Primário de Ações. Mercado Primário - ETAPAS. Mercado Primário - ETAPAS Mercado Primário de Ações Mercado de Capitais Renda Variável Mestrando: Paulo Jordão. 03/04/2012 Venda direta aos investidores através de ofertas públicas (IPOs) ou subscrição particular; Motivos: Expansão

Leia mais

Relatórios da Carteira de Investimentos RECIPREV

Relatórios da Carteira de Investimentos RECIPREV Data da Posição: 28/02/2015 Relatórios da Carteira de Investimentos RECIPREV Autarquia Municipal de Previdência e Assistência à Saúde dos Servidores Composição da Carteira de Investimentos RECIPREV (Gestores)

Leia mais

1 - BTG Pactual Corporate Office Fund BRCR11

1 - BTG Pactual Corporate Office Fund BRCR11 1 - BTG Pactual Corporate Office Fund BRCR11 O FII BTG Pactual Corporate Office Fund é um fundo de investimento imobiliário do tipo corporativo, ou seja, tem como objetivo investir em ativos imobiliários

Leia mais

Curso Introdução ao Mercado de Ações

Curso Introdução ao Mercado de Ações Curso Introdução ao Mercado de Ações Módulo 2 Continuação do Módulo 1 www.tradernauta.com.br Sistema de negociação da Bovespa e Home Broker Mega Bolsa Sistema implantado em 1997, é responsável por toda

Leia mais

CONTRATOS DERIVATIVOS. Futuro BVMF de Standard & Poor s 500 (S&P 500)

CONTRATOS DERIVATIVOS. Futuro BVMF de Standard & Poor s 500 (S&P 500) CONTRATOS DERIVATIVOS Futuro BVMF de Standard & Poor s 500 (S&P 500) Futuro de S&P 500 Solução unificada para administração de risco ou alavancagem relativa a um portfólio diversificado de ações de primeira

Leia mais

BICBANCO STOCK INDEX AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS

BICBANCO STOCK INDEX AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS BICBANCO STOCK INDEX AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS (Administrado pelo Banco Industrial e Comercial S.A.) DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AO EXERCÍCIO FINDO EM 30 DE SETEMBRO

Leia mais

Taxa de corretagem para Home-Broker. R$ 14,99 por operação + Taxa da Bovespa. *Após a 6ª operação do dia, a corretagem é grátis até o final do pregão

Taxa de corretagem para Home-Broker. R$ 14,99 por operação + Taxa da Bovespa. *Após a 6ª operação do dia, a corretagem é grátis até o final do pregão Custos Operacionais Os resgates solicitados são efetuados através de TED. Para tanto, cada cliente, terá direito a um por semana (gratuitamente), não cumulativo. A partir do segundo, será repassado o custo

Leia mais

A presente Instituição aderiu ao Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas para os Fundos de Investimento. CARACTERÍSTICAS HG Verde Fundo de Investimento Multimercado FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS

Leia mais

A Indústria de Fundos de Investimento no Brasil. Luiz Calado Gerente de Certificação da ANBID

A Indústria de Fundos de Investimento no Brasil. Luiz Calado Gerente de Certificação da ANBID A Indústria de Fundos de Investimento no Brasil Luiz Calado Gerente de Certificação da ANBID A ANBID A ANBID Associação Nacional dos Bancos de Investimentos Criada em 1967, é a maior representante das

Leia mais

CONTRATOS DERIVATIVOS. Futuro de IGP-M

CONTRATOS DERIVATIVOS. Futuro de IGP-M CONTRATOS DERIVATIVOS Futuro de IGP-M Futuro de IGP-M Ferramenta de gerenciamento de risco contra a variação do nível de preços de diversos setores da economia O produto Para auxiliar o mercado a se proteger

Leia mais

Fundos de Investimento

Fundos de Investimento Fundos de Investimento Difusão de Fundos de Investimento BB DTVM e FGV 17/05/2013 Programa. A ANBIMA. O que são Fundos de Investimento. Como se constituem. Governança. Operação. A indústria Brasileira

Leia mais

FUNDOS DE INVESTIMENTO EM AÇÕES E FUNDOS MULTIMERCADO

FUNDOS DE INVESTIMENTO EM AÇÕES E FUNDOS MULTIMERCADO I Curso de Férias do Grupo de Estudos de Direito Empresarial - Direito UFMG EM AÇÕES E FUNDOS MULTIMERCADO Fernanda Valle Versiani Mestranda em Direito Empresarial pela Universidade Federal de Minas Gerais,

Leia mais

RELATÓRIO CEMEC 06 COMPARAÇÕES INTERNACIONAIS

RELATÓRIO CEMEC 06 COMPARAÇÕES INTERNACIONAIS RELATÓRIO 06 COMPARAÇÕES INTERNACIONAIS Setembro/2012 COMPARAÇÕES INTERNACIONAIS Apresentação O objetivo deste relatório é apresentar alguns indicadores que permitam a comparação do desempenho econômico-financeiro

Leia mais

Posição e Desempenho da Carteira - Resumo HSBC INSTITUIDOR FUNDO MULTIPLO - MODERADA MIX 20

Posição e Desempenho da Carteira - Resumo HSBC INSTITUIDOR FUNDO MULTIPLO - MODERADA MIX 20 BENCHMARK RF:80.00% ( 100.00%CDI ) + RV:20.00% ( 100.00%IBRX 100 ) Relatório Gerencial Consolidado - Período de 01/04/2015 Posição e Desempenho da Carteira - Resumo a 30/04/2015 pg. 1 Posição Sintética

Leia mais

Posição e Desempenho da Carteira - Resumo HSBC INSTITUIDOR FUNDO MULTIPLO - CONSERVADORA FIX

Posição e Desempenho da Carteira - Resumo HSBC INSTITUIDOR FUNDO MULTIPLO - CONSERVADORA FIX BENCHMARK 100.00%CDI Relatório Gerencial Consolidado - Período de 01/04/2015 Posição e Desempenho da Carteira - Resumo a 30/04/2015 pg. 1 Posição Sintética dos Ativos em 30/04/2015 Financeiro % PL FUNDOS

Leia mais

Santos, 30 de setembro de 2009

Santos, 30 de setembro de 2009 Santos, 30 de setembro de 2009 Estas são nossas primeiras impressões, comentário e observações quanto a Resolução 3790/09 que regula as aplicações financeiras dos RPPS: Valorização da elaboração da política

Leia mais

Aprenda a investir na Bolsa de Valores

Aprenda a investir na Bolsa de Valores Aprenda a investir na Bolsa de Valores Investimento: Curso completo: R$ 350,00 à vista ou parcelado em até 5x (c/ juros) Módulos 1 ao 5: R$ 199,00 à vista ou parcelado em até 5x (c/ juros) Módulos 6 ao

Leia mais

ETFs ishares Negociado com uma ação, diversificado como um fundo

ETFs ishares Negociado com uma ação, diversificado como um fundo ETFs ishares Negociado com uma ação, diversificado como um fundo Saulo Mendes Diretor da BlackRock Brasil Agenda 1. Quem somos 2. Conhecendo melhor os ETFs ishares 3. Simplificando a Gestão da Carteira

Leia mais

RB CAPITAL RENDA II FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII APRESENTAÇÃO AOS INVESTIDORES. Março/2012

RB CAPITAL RENDA II FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII APRESENTAÇÃO AOS INVESTIDORES. Março/2012 RB CAPITAL RENDA II FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII APRESENTAÇÃO AOS INVESTIDORES Março/2012 Agenda Introdução A Oferta Características do portfolio final do Fundo Rendimento das Cotas Contatos &

Leia mais

Safra Fundo Mútuo de Privatização FGTS Vale do Rio Doce (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30

Safra Fundo Mútuo de Privatização FGTS Vale do Rio Doce (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 Safra Fundo Mútuo de Privatização FGTS Vale do Rio Doce Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 de setembro de 2003 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CLIC FUNDO DE INVEST. EM ACOES

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CLIC FUNDO DE INVEST. EM ACOES LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ: Informações referentes a Novembro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o As informações completas sobre esse fundo podem

Leia mais

As entidades locais no apoio às empresas regionais na retomada dos investimentos e experiência do Instituto Mineiro de Mercado de Capitais

As entidades locais no apoio às empresas regionais na retomada dos investimentos e experiência do Instituto Mineiro de Mercado de Capitais A retomada dos investimentos e o Mercado de Capitais Agosto de 2015 As entidades locais no apoio às empresas regionais na retomada dos investimentos e experiência do Instituto Mineiro de Mercado de Capitais

Leia mais

mcaffonso\home\mcaffonso\aaapaulo Leme\Apresentacoes PPT\Cetip_ Paulo Leme Painel I v6.pptx

mcaffonso\home\mcaffonso\aaapaulo Leme\Apresentacoes PPT\Cetip_ Paulo Leme Painel I v6.pptx mcaffonso\home\mcaffonso\aaapaulo Leme\Apresentacoes PPT\Cetip_ Paulo Leme Painel I v6.pptx 1 Debêntures Ideias para fomentar o mercado Marco Antonio Sudano Diretor de Trading do Itaú BBA I. Overview do

Leia mais

Divulgação de Resultados 2014

Divulgação de Resultados 2014 São Paulo - SP, 10 de Fevereiro de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private-equity

Leia mais

CSHG Unique FIC FIA Comentário do Gestor

CSHG Unique FIC FIA Comentário do Gestor CSHG Unique FIC FIA Comentário do Gestor Novembro 2010 Sobre Insider Buying/Selling Uma das perguntas cuja resposta todo analista ou investidor de ações gostaria de ter se refere à opinião daquelas pessoas

Leia mais

Caixa TRX Logística Renda FII - CXTL11. Relatório Trimestral 1º Trimestre de 2014

Caixa TRX Logística Renda FII - CXTL11. Relatório Trimestral 1º Trimestre de 2014 Caixa TRX Logística Renda FII CXTL11 Relatório Trimestral 1º Trimestre de 2014 índice Caixa TRX Logística Renda FII CXTL11 Relatório Trimestral 1º Trimestre de 2014 DADOS DO FUNDO 3 RENTABILIDADE 10 OBJETIVO

Leia mais

Cotas de Fundos de Investimento Imobiliário - FII

Cotas de Fundos de Investimento Imobiliário - FII Renda Variável Cotas de Fundos de Investimento Imobiliário - FII Fundo de Investimento Imobiliário Aplicação no mercado imobiliário sem investir diretamente em imóveis O produto O Fundo de Investimento

Leia mais

www.contratofuturo.com

www.contratofuturo.com www.contratofuturo.com www.contratofuturo.com O que é o Índice Futuro Para falar de índice futuro, primeiro precisamos falar do ÍNDICE no presente, que é o Ibovespa. O famoso índice que serve para medir

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS DA OABPREV-PR PARA O EXERCÍCIO DE 2007/2009

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS DA OABPREV-PR PARA O EXERCÍCIO DE 2007/2009 POLÍTICA DE INVESTIMENTOS DA OABPREV-PR PARA O EXERCÍCIO DE 2007/2009 1- OBJETIVOS A Política de Investimentos dos Recursos Garantidores das Reservas Técnicas da OABPrev-PR, tem por objetivo a maximização

Leia mais

DESEMPENHO DOS INVESTIMENTOS PLANO BD Junho/2015

DESEMPENHO DOS INVESTIMENTOS PLANO BD Junho/2015 Junho/2015 DESEMPENHO DOS INVESTIMENTOS PLANO BD Junho/2015 ANÁLISE GLOBAL DOS INVESTIMENTOS DO PLANO Os investimentos do Plano BD apresentaram, em junho, rentabilidade de 1,24%, o que representa 101,64%

Leia mais

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução.

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução. Proibida a reprodução. A Planner oferece uma linha completa de produtos financeiros e nossa equipe de profissionais está preparada para explicar tudo o que você precisa saber para tomar suas decisões com

Leia mais

BICBANCO Stock Index Ações Fundo de Investimento em Títulos e Valores Mobiliários (Administrado pelo Banco Industrial e Comercial S.A.

BICBANCO Stock Index Ações Fundo de Investimento em Títulos e Valores Mobiliários (Administrado pelo Banco Industrial e Comercial S.A. BICBANCO Stock Index Ações Fundo de Investimento em Títulos e Valores Mobiliários (Administrado pelo Banco Industrial e Comercial S.A.) Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício Findo em 30 de

Leia mais

Divulgação de Resultados 3T15

Divulgação de Resultados 3T15 São Paulo - SP, 4 de Novembro de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private equity

Leia mais

Fundos de Investimento Imobiliário - FII

Fundos de Investimento Imobiliário - FII CONCEITO: Instrumento na forma de condomínio fechado, portanto não admitem resgate (saída a qualquer momento), para aplicação em empreendimentos imobiliários: Ativos imobiliários: propriedade direta de

Leia mais

RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução.

RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução. Proibida a reprodução. A Planner oferece uma linha completa de produtos financeiros e nossa equipe de profissionais está preparada para explicar tudo o que você precisa saber para tomar suas decisões com

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO COM FOCO EM TÍTULOS DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO ESTRUTURADO REIT RIVIERA FII

FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO COM FOCO EM TÍTULOS DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO ESTRUTURADO REIT RIVIERA FII FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO COM FOCO EM TÍTULOS DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO ESTRUTURADO REIT RIVIERA FII Crédito lastreado em imóveis, alta rentabilidade e fluxo de caixa constante, com a solidez do concreto.

Leia mais

Curso Preparatório CPA20

Curso Preparatório CPA20 Página 1 de 9 Você acessou como Flávio Pereira Lemos - (Sair) Curso Preparatório CPA20 Início Ambiente ) CPA20_130111_1_1 ) Questionários ) Passo 2: Simulado Módulo II ) Revisão da tentativa 1 Iniciado

Leia mais

Prazos e Riscos de Mercado

Prazos e Riscos de Mercado Prazos e Riscos de Mercado A Pilla Corretora oferece aos seus clientes uma gama completa de produtos e serviços financeiros. Nossa equipe de profissionais está qualificada para atender e explicar tudo

Leia mais

Como investir em 2012 Entenda como funciona cada produto financeiro : O Globo 2/fev/2012

Como investir em 2012 Entenda como funciona cada produto financeiro : O Globo 2/fev/2012 Como investir em 2012 Entenda como funciona cada produto financeiro : O Globo 2/fev/2012 Analistas indicam quais cuidados tomar no mercado financeiro em 2012 e quais investimentos oferecem menor probabilidade

Leia mais

Kinea Rendimentos Imobiliários - FII. Relatório de Gestão

Kinea Rendimentos Imobiliários - FII. Relatório de Gestão Kinea Rendimentos Imobiliários - FII Relatório de Gestão Maio de 2013 Palavra do Gestor Prezado investidor, O Kinea Rendimentos Imobiliários FII ( Fundo ) é dedicado ao investimento em Ativos de renda

Leia mais

Deloitte Touche Tohmatsu Auditores Independentes

Deloitte Touche Tohmatsu Auditores Independentes Ishares S&P 500 Fundo de Investimento em Cotas de Fundo de Índice - Investimento no Exterior CNPJ nº 19.909.560/0001-91 (Administrado pela Citibank Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A.)

Leia mais

Fundos de Investimento Imobiliário Workshop para jornalistas. Nov 2011

Fundos de Investimento Imobiliário Workshop para jornalistas. Nov 2011 Fundos de Investimento Imobiliário Workshop para jornalistas Nov 2011 Agenda 4 Definição 4 Tipos de Fundos 4 Vantagens 4 Base Legal 4 Tamanho da Indústria 4 Ambientes de Negociação 4 Liquidez / Precificação

Leia mais

CAIXA FI INSTITUCIONAL AÇÕES BDR NIVEL I

CAIXA FI INSTITUCIONAL AÇÕES BDR NIVEL I CAIXA FI INSTITUCIONAL AÇÕES BDR NIVEL I 1 Por que investir em fundo de AÇÕES BDR NIVEL I? Viabiliza o acesso das instituições reguladas pela Resolução CMN 3792/09 a investimentos no exterior; Estrutura

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SPINELLI FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 55.075.238/0001-78 SETEMBRO/2015

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SPINELLI FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 55.075.238/0001-78 SETEMBRO/2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o Spinelli Fundo de Investimento em Ações. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento do fundo,

Leia mais

Conteúdo Programático. Agente Autônomo de Investimentos (ANCORD)

Conteúdo Programático. Agente Autônomo de Investimentos (ANCORD) Conteúdo Programático Agente Autônomo de Investimentos (ANCORD) 1. A atividade do agente autônomo de investimento Instrução CVM 497 Diferenciação das atividades do agente autônomo, administração de carteiras,

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O MB HORIZONTE FIC FIA

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O MB HORIZONTE FIC FIA LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ: Informações referentes a Janeiro de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o As informações completas sobre esse fundo podem ser

Leia mais

Política e Alternativas de Investimentos. Alessandra Cardoso Towers Watson

Política e Alternativas de Investimentos. Alessandra Cardoso Towers Watson Política e Alternativas de Investimentos Alessandra Cardoso Towers Watson Processo de gestão de recursos Governança Definir Definição dos objetivos Alocação dos recursos Estrutura de investimento Executar

Leia mais

A importância do asset allocation na otimização dos resultados

A importância do asset allocation na otimização dos resultados A importância do asset allocation na otimização dos resultados Joaquim Levy Diretor Superintendente da BRAM Cristiano Picollo Corrêa Portfolio Specialist da BRAM Agenda Introdução Estudo de Casos Caso

Leia mais

Por dentro da Política de Investimentos IPERGS Porto Alegre (RS) Fev/2015

Por dentro da Política de Investimentos IPERGS Porto Alegre (RS) Fev/2015 Por dentro da Política de Investimentos IPERGS Porto Alegre (RS) Fev/2015 Política de Investimento Os RPPS possuem obrigação legal de elaborar anualmente sua política de investimentos; Essa política deve

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O GRADUAL IGB-30 FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O GRADUAL IGB-30 FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O GRADUAL IGB-30 FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ: Nº 18.048.590/0001-98 Informações referentes a setembro de 2014 Esta lâmina contém um resumo das informações

Leia mais

dt A presente Instituição aderiu ao Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas para os Fundos de Investimento. CARACTERÍSTICAS HG Verde Fundo de Investimento Multimercado FUNDO DE INVESTIMENTO EM

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O VIDA FELIZ FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 07.660.310/0001-81 OUTUBRO/2015

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O VIDA FELIZ FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 07.660.310/0001-81 OUTUBRO/2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o Vida Feliz Fundo de Investimento em Ações. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento do fundo,

Leia mais

Kinea Rendimentos Imobiliários - FII. Relatório de Gestão

Kinea Rendimentos Imobiliários - FII. Relatório de Gestão Kinea Rendimentos Imobiliários - FII Relatório de Gestão Janeiro de 2013 Palavra do Gestor Prezado investidor, O Kinea Rendimentos Imobiliário FII ( Fundo ) é dedicado ao investimento em Ativos de renda

Leia mais

A Importância do Mercado Secundário

A Importância do Mercado Secundário A Importância do Mercado Secundário Apresentação ao Conselho Superior de Estudos Avançados CONSEA da FIESP Agosto / 2015 Agosto/2015 Confidencial Restrita Confidencial Uso Interno X Público 1 Sobre a BM&FBOVESPA

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ: Informações referentes a Setembro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o As informações completas sobre esse fundo podem

Leia mais

SONHOS AÇÕES. Planejando suas conquistas passo a passo

SONHOS AÇÕES. Planejando suas conquistas passo a passo SONHOS AÇÕES Planejando suas conquistas passo a passo Todo mundo tem um sonho, que pode ser uma viagem, a compra do primeiro imóvel, tranquilidade na aposentadoria ou garantir os estudos dos filhos, por

Leia mais

relatório mensal BB Recebíveis Imobiliários Fundo de Investimento Imobiliário FII

relatório mensal BB Recebíveis Imobiliários Fundo de Investimento Imobiliário FII relatório mensal BB Recebíveis Imobiliários Fundo de Investimento Imobiliário FII Maio 2015 BB Recebíveis Imobiliários Fundo de Investimento Imobiliário FII O fundo BB Recebíveis Imobiliários FII iniciou

Leia mais

Abrapp Série de Encontros Regionais 2015

Abrapp Série de Encontros Regionais 2015 Abrapp Série de Encontros Regionais 2015 Bruno Stein Vinicius Bueno Lima Abril 2015 SOMENTE PARA USO DE INVESTIDORES INSTITUCIONAIS E PROFISSIONAIS - PROIBIDA A REPRODUÇÃO Mensagem Institucional BlackRock

Leia mais

Apresentação GAP Multiportfolio

Apresentação GAP Multiportfolio Apresentação GAP Multiportfolio Estrutura GAP ASSET MANAGEMENT Renda Fixa Renda Variável Pesquisa Macroeconômica Crédito Risco Portfolio Manager Leonardo Callou Oscar Camargo Renato Junqueira Portfolio

Leia mais

A presente Instituição aderiu ao Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas para os Fundos de Investimento. CARACTERÍSTICAS HG Verde Fundo de Investimento Multimercado FUNDO de Investimento em Cotas

Leia mais

Extrato de Fundos de Investimento

Extrato de Fundos de Investimento São Paulo, 04 de Maio de 2015 Prezado(a) FUNDO DE PENSAO MULTIPATR OAB 01/04/2015 a 30/04/2015 Panorama Mensal Abril 2015 No cenário internacional, o mês de abril foi marcado por surpresas negativas em

Leia mais

RELATÓRIO DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES RESULTADOS 1T10 156.512.000,00

RELATÓRIO DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES RESULTADOS 1T10 156.512.000,00 RELATÓRIO DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES RESULTADOS 156.512.000,00 Resultados do RESULTADOS São Paulo, 14 de maio de 2010 A BRADESPAR [BM&FBOVESPA: BRAP3 (ON), BRAP4 (PN); LATIBEX: XBRPO (ON), XBRPP (PN)]

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O QUELUZ TRADER FIM 09.052.643/0001-53. Informações referentes a Agosto de 2015

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O QUELUZ TRADER FIM 09.052.643/0001-53. Informações referentes a Agosto de 2015 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O QUELUZ TRADER FIM 09.052.643/0001-53 Informações referentes a Agosto de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o QUELUZ TRADER FUNDO

Leia mais

Aprenda a investir na Bolsa de Valores/

Aprenda a investir na Bolsa de Valores/ Aprenda a investir na Bolsa de Valores/ Chegou a sua vez de investir em ações Método consagrado. Linguagem simples, sem financês. Mais de 200.000 alunos formados. Curso sobre Bolsa mais vendido no país

Leia mais

XP Corporate Macaé - FII (XPCM11)

XP Corporate Macaé - FII (XPCM11) XP Corporate Macaé - FII (XPCM11) PERFIL DO FUNDO Os recursos do Fundo oriundos da 1ª Emissão de Cotas foram investidos na aquisição do Imóvel The Corporate em Macaé-RJ, de forma a proporcionar a seus

Leia mais

Princípios de Investimento

Princípios de Investimento Princípios de Investimento Rentabilidade Rentabilidade é o grau de rendimento proporcionado por um investimento pela valorização do capital ao longo do tempo. Liquidez Liquidez é a rapidez com que se consegue

Leia mais

DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA A INDÚSTRIA DE FUNDOS IMOBILIÁRIOS NO BRASIL

DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA A INDÚSTRIA DE FUNDOS IMOBILIÁRIOS NO BRASIL DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA A INDÚSTRIA DE FUNDOS IMOBILIÁRIOS NO BRASIL Valdery Albuquerque 2ª Conferência Internacional de Crédito Imobiliário De 17 a 19 de março de 2010 Índice 1. Conceitos e Características

Leia mais

Fundo cotado em bolsa desde seu lançamento

Fundo cotado em bolsa desde seu lançamento Fundo cotado em bolsa desde seu lançamento Esta apresentação visa apenas passar informações gerais do fundo que está sendo estruturado, e, não é e não deve ser considerada de nenhuma forma uma oferta firme,

Leia mais

2ª Conferência de Investimentos Alternativos: FIDC, FII E FIP

2ª Conferência de Investimentos Alternativos: FIDC, FII E FIP 2ª Conferência de Investimentos Alternativos: FIDC, FII E FIP São Paulo, 21 de Agosto de 2013 Hotel Caesar Park Patrocínio Os Setores Mais Promissores Para Os Fundos Imobiliários/ Rodrigo Machado Apresentação

Leia mais

Kinea Renda Imobiliária

Kinea Renda Imobiliária Introdução O é um fundo que busca aplicar recursos em empreendimentos corporativos e centros de distribuição de excelente padrão construtivo, de forma diversificada e preferencialmente prontos. Uma oportunidade

Leia mais

Banco do Brasil - Cartilha de Fundos de Investimento Fundos de Investimento

Banco do Brasil - Cartilha de Fundos de Investimento Fundos de Investimento Fundos de Investimento O que é?...2 Tipos de Fundos...2 Fundos de curto prazo...2 Fundos renda fixa...2 Fundos referenciados DI...2 Fundos multimercado...3 Fundos de ações...3 Fundos da dívida externa...3

Leia mais

Perfin Long Short 15 FIC FIM

Perfin Long Short 15 FIC FIM Perfin Long Short 15 FIC FIM Relatório Mensal- Junho 2013 O Perfin LongShort 15 FICFIM tem como objetivo gerarretorno superior ao CDIno médio prazo. O fundo utiliza-se de análise fundamentalista eaestratégia

Leia mais

a) mercados de derivativos, tais como, exemplificativamente, índices de ações, índices de preços, câmbio (moedas), juros;

a) mercados de derivativos, tais como, exemplificativamente, índices de ações, índices de preços, câmbio (moedas), juros; CREDIT SUISSE HEDGINGGRIFFO 1. Públicoalvo LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS dezembro/2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o CSHG EQUITY HEDGE LEVANTE FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais

Como Investir em Ações

Como Investir em Ações Como Investir em Ações Programas de Popularização da Bolsa Quer ser sócio? www.quersersocio.com.br Cursos gratuitos www.bmfbovespa.com.br/cursos Vídeos educativos www.tvbvmf.com.br Simuladores de mercado

Leia mais

Regulação de Fundos de Investimento

Regulação de Fundos de Investimento Regulação de Fundos de Investimento Reações à crise de 2008, novidades e desafios Francisco Santos Superintendente de Relações com Investidores Institucionais 6º Congresso ANBIMA de Fundos de Investimento

Leia mais

Fundos de Investimento Imobiliário Negociação Mercado Secundário. Maio 2011

Fundos de Investimento Imobiliário Negociação Mercado Secundário. Maio 2011 Fundos de Investimento Imobiliário Negociação Mercado Secundário Maio 2011 4 Agenda Introdução Ambientes de Negociação Panorama do Mercado Liquidez Precificação Conclusões 2 4 Introdução Patrimônio Líquido

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DO SEGMENTO BOVESPA: AÇÕES, FUTUROS E DERIVATIVOS DE AÇÕES. Capítulo Revisão Data

MANUAL DE PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DO SEGMENTO BOVESPA: AÇÕES, FUTUROS E DERIVATIVOS DE AÇÕES. Capítulo Revisão Data 4 / 106 DEFINIÇÕES AFTER-MARKET período de negociação que ocorre fora do horário regular de Pregão. AGENTE DE COMPENSAÇÃO instituição habilitada pela CBLC a liquidar operações realizadas pelas Sociedades

Leia mais

Os fundos referenciados identificam em seu nome o indicador de desempenho que sua carteira tem por objetivo acompanhar.

Os fundos referenciados identificam em seu nome o indicador de desempenho que sua carteira tem por objetivo acompanhar. FUNDO REFERENCIADO DI Os fundos referenciados identificam em seu nome o indicador de desempenho que sua carteira tem por objetivo acompanhar. Para tal, investem no mínimo 80% em títulos públicos federais

Leia mais