Taxa de corretagem para Home-Broker. R$ 14,99 por operação + Taxa da Bovespa. *Após a 6ª operação do dia, a corretagem é grátis até o final do pregão

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Taxa de corretagem para Home-Broker. R$ 14,99 por operação + Taxa da Bovespa. *Após a 6ª operação do dia, a corretagem é grátis até o final do pregão"

Transcrição

1 Custos Operacionais Os resgates solicitados são efetuados através de TED. Para tanto, cada cliente, terá direito a um por semana (gratuitamente), não cumulativo. A partir do segundo, será repassado o custo de R$10,00 por TED. Taxa de corretagem para Home-Broker R$ 14,99 por operação + Taxa da Bovespa *Após a 6ª operação do dia, a corretagem é grátis até o final do pregão Tabela de corretagem para mesa de operações Financeiro do dia Alíquota Acréscimo R$ 0,01 até R$ 135,07 0,0% R$ 2,70 R$ 135,08 até R$ 498,62 2,0% R$ 0 R$ 498,63 até R$ 1.514,69 1,5% R$ 2,49 R$ 1.514,70 até R$ 3.029,38 1,0% R$ 10,06 Maior ou igual a R$ 3.029,39 0,5% R$ 25,21 Taxa de Serviços de Depositária mensal cobrada pela CBLC R$ 10,00 Taxa de Manutenção de Contas de custódia sem movimentação ou sem posição R$ 6,00 por conta

2 Tabela sobre o valor em custódia - Renda Variável Faixa de Valor Taxa Ano% de R$ 0 até R$ ,00 0, de R$ ,01 até R$ ,00 0, de R$ ,01 até R$ ,00 0, de R$ ,01 até R$ ,00 0, de R$ ,01 até R$ ,00 0, Acima de R$ ,01 0, Exemplo de cobrança: um investidor com R$ ,00 depositados em custódia pagará, anualmente, R$1.351,95. Resultado da soma abaixo: 1º faixa de valor depositada: R$ ,00x0, = 182,00. 2º faixa de valor depositada: R$ ,00x0, = 907,20. 3º faixa de valor depositada: R$ ,00x0, = 262,75 total: R$1.351,95. Obs.(*) Valor cobrado mensalmente Informamos ainda que será mantida a atual isenção de cobrança percentual sobre os valores depositados em custódia para investidores com posições até R$ ,00. Renda Fixa Pode começar a investir no Tesouro Direto a partir de R$30,00 até R$ ,00 por mês. A taxa cobrada pela Solidez na compra de títulos de 0,4% e a CBLC não cobra taxa de negociação sobre o valor total da operação, além de 0,30% de custódia ao ano. Operações de debêntures via CETIP Custo: R$ 0,30 por debênture

3 Tabela de Emolumentos, Liquidação e Registro, contendo as tarifas de negociação e as taxas de liquidação para o mercado a vista de renda variável, aplicáveis de forma regressiva a todos os comitentes que realizarem operações: Mercado a vista Emolumentos Liquidação Registro Total Pessoas físicas e demais investidoras 0,0050% 0,0275% - 0,0325% Fundos e Clubes de Investimento 0,0050% 0,0200% - 0,0250% Exercício de opções sobre valores mobiliários (lançador) 0,0050% 0,0200% - 0,0250% Exercício de Opções de Índices - spread 0,0050% 0,0275% - 0,0325% Mercado de opções Pessoas físicas e demais investidoras 0,0370% 0,0275% 0,0695% 0,1340% Fundos e Clubes de Investimento 0,0260% 0,0180% 0,0510% 0,0950% Mercado de opções sobre índices Pessoas físicas e demais investidoras 0,0230% 0,0275% 0,0335% 0,0840% Fundos e Clubes de Investimento 0,0170% 0,0180% 0,0250% 0,0600% Day-trade (para todos os investidores) 0,0120% 0,0180% 0,0150% 0,0450% Mercado a termo Pessoas físicas e demais investidoras 0,0180% 0,0275% 0,0195% 0,0650% Fundos e Clubes de Investimento 0,0180% 0,0180% 0,0290% 0,0650% Estratégia de Box - 4 pontas na abertura da posição Pessoas físicas e demais investidoras 0,0100% 0,0275% 0,0015% 0,0390% Fundos e Clubes de Investimento 0,0080% 0,0180% 0,0040% 0,0300% POP - Proteção do Investimento com Participação Pessoas físicas e demais investidoras 0,0070% 0,0250% - 0,0320% Fundos e Clubes de Investimento 0,0050% 0,0180% - 0,0230% Day-trade (para todos os investidores) 0,0070% 0,0180% - 0,0250% Observação: As taxas serão válidas a partir do pregão 04/11/2014. Para as operações realizadas durante os leilões de abertura, de fechamento em. Ofertas Públicas de Aquisição (OPA), o valor da tarifa de negociação será de 0,0070%, desde que (i) não sejam realizadas por fundos e clubes de investimento; e (ii) não sejam caracterizadas como day trade.

4 Tabela contendo as tarifas de negociação e as taxas de liquidação para o mercado a vista de renda variável, aplicáveis de forma progressiva a todos os comitentes que realizarem operações day trade: Volume Day Trade no Mercado a Vista de Renda Variavel (R$ milhões) Negociação Liquidação Total Pessoa Física Pessoa Jurídica Até 4 (inclusive) Até 20 (inclusive) 0,0050% (1) 0,0200% 0,0250% De 4 até 12,5 (inclusive) De 20 até 50 (inclusive) 0,0030% 0,0200% 0,0230% De 12,5 até 25 (inclusive) De 50 até 250 (inclusive) 0,0005% 0,0195% 0,0200% De 25 até 50 (inclusive) De 250 até 500 (inclusive) 0,0005% 0,0175% 0,0180% Mais de 50 Mais de 500 0,0005% 0,0155% 0,0160% (1) Tarifa de negociação desta faixa está sujeita à redução de acordo com as regras de preço por faixas de volume, conforme descrito na tabela abaixo. Observação: a apuração da faixa de volume de cada comitente: (i) será feita ao final do período de alocação e aplicação às operações day trade objetivo de cada pregão; (ii) considerará somente as operações day trade no mercado a vista de renda variável consolidadas por corretora; (iii) não considerará as operações realizadas por meio das contas de formador de mercado. Faixas de ADTV do mercado a visa de renda variável (1) Faixas de ADTV do mercado a visa de renda variável (1) Tarifas de negociação de refência Até R$ 9 bilhões (inclusive) 0,0050% De R$ 9 bilhões a R$ 11 bilhões (inclusive) 0,0040% De R$ 11 bilhões a R$ 13 bilhões (inclusive) 0,0030% Acima de R$ 13 bilhões 0,0020% (1) Para o cálculo do volume diário utilizado para a apuração do ADTV mensal, consideram-se as operações de mercado a vista com valores mobiliários de renda variável, incluindo o exercício das opções sobre valores mobiliários negociados no mercado a vista de renda variável.

5 Tarifas de negociação, registro e liquidação para o mercado de opções de ações, aplicáveis de forma progressiva a todos os comitentes que realizarem operações day trade Volume day trade no mercado de opções de ações (R$ milhões) Negociação Registro Liquidação Total Pessoa Física Pessoa Jurídica Até 0,8 (inclusive) Até 4 (inclusive) 0,0130% 0,0140% 0,0180% 0,0450% De 0,8 a 2,5 (inclusive) De 4 a 10 (inclusive) 0,0120% 0,0110% 0,0180% 0,0410% De 2,5 a 5 (inclusive) De 10 a 25 (inclusive) 0,0100% 0,0070% 0,0180% 0,0350% De 5 a 10 (inclusive) De 25 a 50 (inclusive) 0,0085% 0,0030% 0,0175% 0,0290% Mais que 10 Mais que 50 0,0075% 0,0030% 0,0155% 0,0260% Observação: a apuração da faixa de volume de cada comitente: (i) será feita ao final do dia e aplicada às operações day trade objeto de apuração nessa data; (ii) considerará somente as transações day trade no mercado de opções de ações por meio de uma mesma corretora; (iii) não considerará as operações realizadas por meio das contas de formador de mercado. Estarão sujeitas à Tarifa de Negociação calculada de acordo com essa sistemática as operações regulares, realizadas DURANTE O PREGÃO ( excluídas as operações realizadas nos leilões de abertura e fechamento, bem como as operações em OPA). Tarifas de emolumentos e taxa de liquidação aplicáveis às negociações do mercado de BALCÃO ORGANIZADO de renda variável. Mercado Avista Negociação Registro Liquidação Total Sobre o valor financeiro, de cada investidor (comprador e vendedor) 0,007% - 0,0275% 0,0345% Operações especiais 0,068% - 0,006% 0,074% Operações especiais com ativos não listados no MBO 0,350% - 0,150% 0,500% Mínimo de R$70,00 - R$30,00 R$100, ISS sobre corretagem 5%

6 IRRF Se a somatória das vendas do mês ultrapassar R$20.000,00, será cobrado. 0,005% sobre o valor total das vendas. Será cobrado 1% sobre o lucro liquido do day trade. Valor mínimo para operar na mesa de operações R$10.000,00 por ordem Liquidações Financeiras Operações no Mercado à vista = D+3 Operações no Mercado de Opções = D+1 Obs: Para exercício de opção será cobrado tabela de corretagem para mesa de operações. Em caso de solicitações adicionais e posteriores há um ano, será cobrada taxa de Serviços Adicionais. (valor sob consulta).

Tributação. Mercado de Derivativos, Fundos e Clubes de Investimentos, POP e Principais Perguntas

Tributação. Mercado de Derivativos, Fundos e Clubes de Investimentos, POP e Principais Perguntas Tributação Mercado de Derivativos, Fundos e Clubes de Investimentos, POP e Principais Perguntas 1 Índice Imposto de Renda para Mercado de Opções 03 Exemplos de Apuração dos Ganhos Líquidos - Antes do Exercício

Leia mais

Para investir em ações, você precisa ser cadastrado em uma Corretora de Valores, Distribuidora ou em um Banco.

Para investir em ações, você precisa ser cadastrado em uma Corretora de Valores, Distribuidora ou em um Banco. PERGUNTAS FREQUENTES 1. Como investir no mercado de renda variável (ações)? 2. Como é feita a transferência de recursos? 3. Qual a diferença de ações ON (Ordinária) e PN (Preferencial)? 4. Quais são os

Leia mais

http://www.receita.fazenda.gov.br/pessoafisica/irpf/2008/perguntas/aplicfinanrenfi...

http://www.receita.fazenda.gov.br/pessoafisica/irpf/2008/perguntas/aplicfinanrenfi... Page 1 of 8 Aplicações Financeiras - Renda Fixa e Renda Variável 617 Quais são as operações realizadas nos mercados financeiro e de capital? Nesses mercados são negociados títulos, valores mobiliários

Leia mais

TRIBUTAÇÃO. Atualizado em 12/2011

TRIBUTAÇÃO. Atualizado em 12/2011 TRIBUTAÇÃO Atualizado em 12/2011 1 Tributação dos Fundos de Investimento Instruções Normativas SRF nº 487 (30/12/04) e nº 489 (07/01/05) Lei nº 11.033/04 2 Base de Incidência de IR Base de incidência:

Leia mais

COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA

COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA ATENÇÃO ESTE FOLHETO FAZ REFERÊNCIA AO PREGÃO À VIVA VOZ, FORMA DE NEGOCIAÇÃO UTILIZADA ATÉ 30/9/2005. A PARTIR DESSA DATA, TODAS AS OPERAÇÕES FORAM CENTRALIZADAS

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DO SEGMENTO BOVESPA: AÇÕES, FUTUROS E DERIVATIVOS DE AÇÕES. Capítulo Revisão Data

MANUAL DE PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DO SEGMENTO BOVESPA: AÇÕES, FUTUROS E DERIVATIVOS DE AÇÕES. Capítulo Revisão Data 4 / 106 DEFINIÇÕES AFTER-MARKET período de negociação que ocorre fora do horário regular de Pregão. AGENTE DE COMPENSAÇÃO instituição habilitada pela CBLC a liquidar operações realizadas pelas Sociedades

Leia mais

Finança Pessoal. Artigo Clube de Investimento Versão completa em PDF Versão 1.0 www.financapessoal.com.br

Finança Pessoal. Artigo Clube de Investimento Versão completa em PDF Versão 1.0 www.financapessoal.com.br Bem-vindo aos artigos do Finança Pessoal. Nesse primeiro artigo vamos esclarecer as informações sobre os Clubes de Investimentos e vamos fazer um passo-a-passo de como montar um clube. Esse artigo é uma

Leia mais

COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA

COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA ATENÇÃO Este texto não é uma recomendação de investimento. Para mais esclarecimentos, sugerimos a leitura de outros folhetos editados pela BOVESPA. Procure sua Corretora.

Leia mais

Tributação. Mercado à Vista e Day Trade, Compensação de Perdas e Declaração no Informe do Imposto Renda

Tributação. Mercado à Vista e Day Trade, Compensação de Perdas e Declaração no Informe do Imposto Renda Tributação Mercado à Vista e Day Trade, Compensação de Perdas e Declaração no Informe do Imposto Renda Índice Quem recolhe o Imposto? 3 Prazo para Recolhimento 3 Como calcular o Imposto 3 Imposto de Renda

Leia mais

[CONFIDENCIAL] Aprenda com o SAGAZ. Primeiros passos para investir na Bolsa.

[CONFIDENCIAL] Aprenda com o SAGAZ. Primeiros passos para investir na Bolsa. 1 Aprenda com o SAGAZ Primeiros passos para investir na Bolsa. Está pensando em investir em ações e não sabe por onde começar? Fique tranqüilo, você está no lugar certo. Aqui você terá a melhor orientação

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO INVESTIDORES DE PERNAMBUCO

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO INVESTIDORES DE PERNAMBUCO ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO INVESTIDORES DE PERNAMBUCO I - Denominação e Objetivo Artigo 1º - O CLUBE DE INVESTIMENTO INVESTIDORES DE PERNAMBUCO, constituído por número limitado de membros

Leia mais

AULA 04. Estrutura do Sistema Financeiro Nacional. Subsistema Operativo III

AULA 04. Estrutura do Sistema Financeiro Nacional. Subsistema Operativo III AULA 04 Estrutura do Sistema Financeiro Nacional Subsistema Operativo III SCTVM As sociedades corretoras de títulos e valores mobiliários (SCTVM) são pessoas jurídicas auxiliares do Sistema Financeiro

Leia mais

Prof. Cid Roberto. Concurso 2012

Prof. Cid Roberto. Concurso 2012 Prof. Cid Roberto Concurso 2012 Grupo Conhecimentos Bancários no Google http://goo.gl/gbkij Comunidade Conhecimentos Bancários (orkut) http://goo.gl/4a6y7 São realizadas por bancos de investimentos e demais

Leia mais

Concurso 2011. Prof. Cid Roberto. As bolsas de valores são instituições administradoras de mercados. prof.bancario@gmail.com

Concurso 2011. Prof. Cid Roberto. As bolsas de valores são instituições administradoras de mercados. prof.bancario@gmail.com Concurso 2011 Prof. Cid Roberto prof.bancario@gmail.com Bolsa de Valores As bolsas de valores são instituições administradoras de mercados. Comunidade Conhecimentos Bancários (orkut) 8ª aula Início da

Leia mais

Nova Sistemática de Tributação no Mercado Financeiro para 2005

Nova Sistemática de Tributação no Mercado Financeiro para 2005 Nova Sistemática de Tributação no Mercado Financeiro para 2005 Ana Carolina Pereira Monguilod e Mário Shingaki Consultores tributários da Levy & Salomão Advogados No final do ano de 2004, o Governo Federal

Leia mais

MANUAL DE APURAÇÃO E DEMONSTRAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA NO MERCADO DE RENDA VARIÁVEL PARA PESSOA FÍSICA. Tributação no Mercado de Renda Variável

MANUAL DE APURAÇÃO E DEMONSTRAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA NO MERCADO DE RENDA VARIÁVEL PARA PESSOA FÍSICA. Tributação no Mercado de Renda Variável MANUAL DE APURAÇÃO E DEMONSTRAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA NO MERCADO DE RENDA VARIÁVEL PARA PESSOA FÍSICA Tributação no Mercado de Renda Variável São Paulo, 05 de janeiro de 2015 Prezado (a) Investidor (a),

Leia mais

GUIA DE TRIBUTAÇÃO OPERACIONAL V1. 04_2012

GUIA DE TRIBUTAÇÃO OPERACIONAL V1. 04_2012 GUIA DE TRIBUTAÇÃO OPERACIONAL V1. 04_2012 O objetivo deste material é prestar ao investidor uma formação básica de conceitos e informações que possam auxiliá-lo na tomada de decisões antes da realização

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO FIDUS

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO FIDUS ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO FIDUS I DENOMINAÇÃO E OBJETIVO ARTIGO 1º - O CLUBE DE INVESTIMENTO FIDUS constituído por número limitado de membros que têm por objetivo a aplicação de recursos

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Item 3.5.4 - Mercado de Capitais

Conhecimentos Bancários. Item 3.5.4 - Mercado de Capitais Conhecimentos Bancários Item 3.5.4 - Mercado de Capitais Conhecimentos Bancários Item 3.5.4 - Mercado de Capitais Sistema de distribuição de valores mobiliários, que tem o objetivo de proporcionar liquidez

Leia mais

GUIA PRÁTICO SAIBA COMO DECLARAR O IMPOSTO DE RENDA 2014

GUIA PRÁTICO SAIBA COMO DECLARAR O IMPOSTO DE RENDA 2014 GUIA PRÁTICO SAIBA COMO DECLARAR O IMPOSTO DE RENDA 2014 GUIA PRÁTICO PARA DECLARAÇÃO DE IMPOSTO DE RENDA 2014 1. INTRODUÇÃO Este material foi desenvolvido com o objetivo de auxiliar nossos clientes no

Leia mais

CLUBE DE INVESTIMENTO. Mais uma maneira de investir no mercado de ações

CLUBE DE INVESTIMENTO. Mais uma maneira de investir no mercado de ações CLUBE DE INVESTIMENTO Mais uma maneira de investir no mercado de ações Clube de Investimento Clube de Investimento É uma associação de pessoas físicas, mínimo de 3 e máximo de 150, com objetivo em comum

Leia mais

Ciências Econômicas. 4.2 Mercado de Capitais. Marcado Financeiro e de Capitais (Aula-2015/10.16) 16/10/2015. Prof. Johnny 1

Ciências Econômicas. 4.2 Mercado de Capitais. Marcado Financeiro e de Capitais (Aula-2015/10.16) 16/10/2015. Prof. Johnny 1 UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ Ciências Econômicas Mercado de Capitais Tributações Relatórios Professor : Johnny Luiz Grando Johnny@unochapeco.edu.br 4.2 Mercado de Capitais 4.3.1 Conceitos

Leia mais

Comitê Consultivo de Educação Programa TOP XIV. Dia 28 de julho de 2014 segunda-feira

Comitê Consultivo de Educação Programa TOP XIV. Dia 28 de julho de 2014 segunda-feira Dia 28 de julho de 2014 segunda-feira Local:, Rua XV de Novembro, 275 - Centro 1º andar 08h40 09h00 Credenciamento 09h00 09h15 Abertura: Comitê Consultivo de Educação 09h15 10h30 A Comissão de Valores

Leia mais

Isento 1.2 Cheque 1.2.1 Fornecimento de folhas de cheques Isento até 10ª folha no mês 1.2.2 Compensação de cheque Isento 1.3 Saque

Isento 1.2 Cheque 1.2.1 Fornecimento de folhas de cheques Isento até 10ª folha no mês 1.2.2 Compensação de cheque Isento 1.3 Saque SERVIÇOS ESSENCIAIS Valores máximos estabelecidos pelo Banestes S.A., conforme Resolução 3.919, de 25/11/2010 e Resolução 4.021 de 29/09/2011. Publicada em 08/04/2015 QUANTIDADE DE TRANSAÇÕES 1 CONTA CORRENTE

Leia mais

Palestra: Monitoramento de operações realizadas em Bolsas

Palestra: Monitoramento de operações realizadas em Bolsas Palestra: Monitoramento de operações realizadas em Bolsas 4º Congresso de Combate e Prevenção à Lavagem de Dinheiro e ao Financiamento do Terrorismo Marcos José Rodrigues Torres Diretor de Autorregulação

Leia mais

COMO INVESTIR NO MERCADO A TERMO MERCADOS

COMO INVESTIR NO MERCADO A TERMO MERCADOS COMO INVESTIR NO MERCADO A TERMO MERCADOS Como Investir no Mercado a Termo 1 2 Como Investir no Mercado a Termo O que é? uma OPERAÇÃO A TERMO É a compra ou a venda, em mercado, de uma determinada quantidade

Leia mais

atividade a prática de operações de arrendamento As sociedades de arrendamento mercantil são

atividade a prática de operações de arrendamento As sociedades de arrendamento mercantil são Arrendamento mercantil ou leasing é uma operação em que o proprietário de um bem cede a terceiro o uso desse bem por prazo determinado, recebendo em troca uma contraprestação. No que concerne ao leasing,

Leia mais

Guia de Declaração de IR 2014- Investimentos

Guia de Declaração de IR 2014- Investimentos Guia de Declaração de IR 2014- Investimentos BRASIL Guia de Declaração IR 2014- Investimentos O dia 30/04/2014 é último dia para entrega da declaração anual do Imposto de Renda 2014 e com o objetivo de

Leia mais

Guia de Declaração IR 2014. Investimentos. Março de 2014. Brasil

Guia de Declaração IR 2014. Investimentos. Março de 2014. Brasil Guia de Declaração IR 2014 Investimentos Março de 2014 Brasil Guia de Declaração IR 2014 - Investimentos O prazo de entrega da declaração anual do Imposto de Renda 2014 tem início no dia 6 de março e o

Leia mais

BANCO DO BRASIL. Profº Agenor paulino Trindade

BANCO DO BRASIL. Profº Agenor paulino Trindade BANCO DO BRASIL Profº Agenor paulino Trindade PREPARATÓRIO PARA O BANCO DO BRASIL Prof. AGENOR PAULINO TRINDADE MERCADO DE CAPITAIS DIRETITOS E PROVENTOS DAS AÇÕES: - Direito de Retirada Reembolso de Capital;

Leia mais

Perguntas Frequentes - Tributação

Perguntas Frequentes - Tributação 1. Tributação do Ganho de Capital Perguntas Frequentes - Tributação 1.1 - Como é feita a tributação dos ganhos obtidos com a alienação de ações? A tributação é feita em bases mensais, ou seja: o ganho

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos MEDIDA PROVISÓRIA Nº 206, DE 6 DE AGOSTO 2004. Altera a tributação do mercado financeiro e de capitais, institui o Regime Tributário

Leia mais

INSTRUÇÃO CVM Nº 117, DE 3 DE MAIO DE 1990.

INSTRUÇÃO CVM Nº 117, DE 3 DE MAIO DE 1990. Dispõe sobre a carteira própria de valores mobiliários das sociedades corretoras e dá outras providências. O PRESIDENTE DA COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS torna público que o Colegiado, em sessão realizada

Leia mais

AULA 16. Mercado de Capitais III

AULA 16. Mercado de Capitais III AULA 16 Mercado de Capitais III FUNCIONAMENTO DO MERCADO DE AÇÕES Mercado de bolsa: as negociações são abertas e realizadas por sistema de leilão, ou seja, a venda acontece para quem oferece melhor lance.

Leia mais

Mercado de Opções Opções de Compra Aquisição

Mercado de Opções Opções de Compra Aquisição Mercado de Opções Opções de Compra Aquisição Ao comprar uma opção, o aplicador espera uma elevação do preço da ação, com a valorização do prêmio da opção. Veja o que você, como aplicador, pode fazer: Utilizar

Leia mais

1. PRINCÍPIOS BÁSICOS DE ECONOMIA, FINANÇAS E ESTATÍSTICA

1. PRINCÍPIOS BÁSICOS DE ECONOMIA, FINANÇAS E ESTATÍSTICA CONTEÚDO CURSO PREPARATÓRIO PARA A REALIZAÇÃO DE PROVA DE CERTIFICAÇÃO PARA RESPONSÁVEIS PELA GESTÃO DOS RECURSOS DOS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RPPS (CPA-20, CPA-10 e ANCOR) 1. PRINCÍPIOS

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO BLUE STAR

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO BLUE STAR 1 ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO BLUE STAR I - Denominação e Objetivo Artigo 1º - O CLUBE DE INVESTIMENTO BLUE STAR constituído por número limitado de membros que têm por objetivo a aplicação

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DA BOLSA DE VALORES DE SÃO PAULO S.A. 1 / 6. Capítulo Revisão Data

MANUAL DE PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DA BOLSA DE VALORES DE SÃO PAULO S.A. 1 / 6. Capítulo Revisão Data DA BOLSA DE VALORES DE SÃO PAULO S.A. 1 / 6 CAPÍTULO X DO MERCADO DE OPÇÕES 10.1 CODIFICAÇÃO DAS SÉRIES A codificação utilizada no mercado de opções é composto de 5 letras (as 4 primeiras correspondem

Leia mais

MERCADO À VISTA. As ações, ordinárias ou preferenciais, são sempre nominativas, originando-se do fato a notação ON ou PN depois do nome da empresa.

MERCADO À VISTA. As ações, ordinárias ou preferenciais, são sempre nominativas, originando-se do fato a notação ON ou PN depois do nome da empresa. MERCADO À VISTA OPERAÇÃO À VISTA É a compra ou venda de uma determinada quantidade de ações. Quando há a realização do negócio, o comprador realiza o pagamento e o vendedor entrega as ações objeto da transação,

Leia mais

Aprenda a investir na Bolsa de Valores

Aprenda a investir na Bolsa de Valores Aprenda a investir na Bolsa de Valores Investimento: Curso completo: R$ 350,00 à vista ou parcelado em até 5x (c/ juros) Módulos 1 ao 5: R$ 199,00 à vista ou parcelado em até 5x (c/ juros) Módulos 6 ao

Leia mais

COMO INVESTIR NO MERCADO A TERMO MERCADOS

COMO INVESTIR NO MERCADO A TERMO MERCADOS COMO INVESTIR NO MERCADO A TERMO MERCADOS O que é? uma operação A TERMO É a compra ou a venda, em mercado, de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado,

Leia mais

MANUAL DE APURAÇÃO E DEMONSTRAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA NO MERCADO DE RENDA VARIÁVEL PARA PESSOA FÍSICA. Tributação no Mercado de Renda Variável

MANUAL DE APURAÇÃO E DEMONSTRAÇÃO DO IMPOSTO DE RENDA NO MERCADO DE RENDA VARIÁVEL PARA PESSOA FÍSICA. Tributação no Mercado de Renda Variável MANUAL E APURAÇÃO E EMONSTRAÇÃO O IMPOSTO E RENA NO MERCAO E RENA VARIÁVEL PARA PESSOA FÍSICA Tributação no Mercado de Renda Variável São Paulo, 05 de janeiro de 2014 TRIBUTAÇÃO NO MERCAO E RENA VÁRIAVEL

Leia mais

Modalidades. Aluguel de ações; Mercado a termo; Operações estruturadas; Financiamento com opções; Long & Short; Day Trade;

Modalidades. Aluguel de ações; Mercado a termo; Operações estruturadas; Financiamento com opções; Long & Short; Day Trade; Modalidades Fora o clássico buy & hold, que é a compra e eventual construção de uma posição comprada no mercado acionário algumas outras modalidades são: Aluguel de ações; Mercado a termo; Operações estruturadas;

Leia mais

Imposto de Renda 2013 MANUAL DE INFORMAÇÕES

Imposto de Renda 2013 MANUAL DE INFORMAÇÕES Imposto de Renda 2013 MANUAL DE INFORMAÇÕES Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física 2013: consulte as informações em seu Informe de Rendimentos Fator (IRF), Ano Calendário de 2012. Elaboramos este

Leia mais

Holding (empresa) - aquela que possui, como atividade principal, participação acionária em uma ou mais empresas.

Holding (empresa) - aquela que possui, como atividade principal, participação acionária em uma ou mais empresas. Glossário de A a Z A Ação - título negociável, que representa a menor parcela em que se divide o capital de uma sociedade anônima. Ação listada em Bolsa - ação negociada no pregão de uma Bolsa de Valores.

Leia mais

Tributação das Operações no Mercado Financeiro e de Valores Mobiliários

Tributação das Operações no Mercado Financeiro e de Valores Mobiliários Tributação das Operações no Mercado Financeiro e de Valores Mobiliários Informações Turma de Março 2014: Inscrições Abertas Início das Aulas: 12/03/2014 Dia e horário das aula: Segunda-Feira 19h00 às 23h00

Leia mais

Safra Fundo Mútuo de Privatização FGTS Vale do Rio Doce (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30

Safra Fundo Mútuo de Privatização FGTS Vale do Rio Doce (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 Safra Fundo Mútuo de Privatização FGTS Vale do Rio Doce Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 de setembro de 2003 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes

Leia mais

Capítulo 9 Aspectos sobre Tributação no Mercado Financeiro

Capítulo 9 Aspectos sobre Tributação no Mercado Financeiro Capítulo 9 Aspectos sobre Tributação no Mercado Financeiro 9.1 Apresentação do capítulo O objetivo deste capítulo é apresentar as principais características e definições da tributação de operações realizadas

Leia mais

10.1DAS CARACTERÍSTICAS E DEFINIÇÕES DO MERCADO DE OPÇÕES. a) Ativo-objeto - o Ativo admitido à negociação na Bolsa, a que se refere a opção;

10.1DAS CARACTERÍSTICAS E DEFINIÇÕES DO MERCADO DE OPÇÕES. a) Ativo-objeto - o Ativo admitido à negociação na Bolsa, a que se refere a opção; 1 / 7 CAPÍTULO X DO MERCADO DE OPÇÕES 10.1DAS CARACTERÍSTICAS E DEFINIÇÕES DO MERCADO DE OPÇÕES 10.1.1 O mercado de opções compreende as operações relativas à negociação de direitos outorgados aos titulares

Leia mais

INFORMAÇÕES REFERENTES À VENDA DOS PRODUTOS OFERECIDOS PELA ALFA CORRETORA DE CÂMBIO E VALORES MOBILIÁRIOS S.A. (CNPJ/MF N 62.178.

INFORMAÇÕES REFERENTES À VENDA DOS PRODUTOS OFERECIDOS PELA ALFA CORRETORA DE CÂMBIO E VALORES MOBILIÁRIOS S.A. (CNPJ/MF N 62.178. INFORMAÇÕES REFERENTES À VENDA DOS PRODUTOS OFERECIDOS PELA ALFA CORRETORA DE CÂMBIO E VALORES MOBILIÁRIOS S.A. (CNPJ/MF N 62.178.421/0001-64) O cliente, devidamente qualificado em sua ficha cadastral,

Leia mais

MERCADO DE OURO. Como investir no mercado a vista

MERCADO DE OURO. Como investir no mercado a vista MERCADO DE OURO Como investir no mercado a vista MERCADO DE OURO Como investir no mercado a vista 3 LIQUIDEZ INTERNACIONAL, DIVERSIFICAÇÃO DE INVESTIMENTO E RETORNO Ativo internacionalmente aceito, o

Leia mais

Definição. A sua criação baseia-se em dois princípios distintos

Definição. A sua criação baseia-se em dois princípios distintos Definição Pode ser definido como sendo um conjunto de instituições e de instrumentos que negociam com titulos e valores mobiliarios, tendo como objetivo a canalização de recursos de agentes compradores

Leia mais

PESSOA JURÍDICA TABELA DE TARIFAS E COMISSÕES BANCÁRIAS PAG. 01 (PJ)

PESSOA JURÍDICA TABELA DE TARIFAS E COMISSÕES BANCÁRIAS PAG. 01 (PJ) Valores máximos estabelecidos pelo Banestes S.A., Conforme resolução 3.919, DE 25/11/2010. Publicado em 01/06/2015 Vigência a partir de 01/07/2015. 1 CADASTRO BÁSICO 1.1 Cadastro Básico 35,00 1.2 Renovação

Leia mais

www.contratofuturo.com

www.contratofuturo.com www.contratofuturo.com www.contratofuturo.com História Antes do dólar a moeda de referência internacional era a Libra Esterlina, pois a Inglaterra era a grande economia mundial. Somente após a segunda

Leia mais

BM&FBOVESPA S.A. Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros. Regulamento de Operações Segmento Bovespa. 1. Ambiente

BM&FBOVESPA S.A. Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros. Regulamento de Operações Segmento Bovespa. 1. Ambiente BM&FBOVESPA S.A. Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros Regulamento de Operações Segmento Bovespa 1. Ambiente 2 / 11 Índice 07 16/12/08 ÍNDICE DEFINIÇÕES...... 7 CAPÍTULO I INTRODUÇÃO... 1 1.1 DO REGULAMENTO

Leia mais

Perguntas e Respostas sobre Liquidação Normas e Regulamentos

Perguntas e Respostas sobre Liquidação Normas e Regulamentos Perguntas e Respostas sobre Liquidação Normas e Regulamentos 60 questões com gabarito FICHA CATALOGRÁFICA (Catalogado na fonte pela Biblioteca da BM&FBOVESPA Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros) LIQUIDAÇÃO

Leia mais

Projeto de Integração das Clearings

Projeto de Integração das Clearings Projeto de Integração das Clearings Início da Fase 2 Clearing de Renda Variável e Renda Fixa Privada A implantação da 2ª Fase do Projeto de Integração das Clearings depende da aprovação dos órgãos reguladores

Leia mais

Capítulo 9 Aspectos sobre Tributação no Mercado Financeiro

Capítulo 9 Aspectos sobre Tributação no Mercado Financeiro Capítulo 9 Aspectos sobre Tributação no Mercado Financeiro 9.1 Apresentação do capítulo O objetivo deste capítulo é apresentar as principais características e definições da tributação de operações realizadas

Leia mais

GUIA DE UTILIZAÇÃO HOME BROKER V1. 04_2012. Títulos-Objeto. Todas as ações de emissão de empresas admitidas à negociação na BM&FBOVESPA.

GUIA DE UTILIZAÇÃO HOME BROKER V1. 04_2012. Títulos-Objeto. Todas as ações de emissão de empresas admitidas à negociação na BM&FBOVESPA. GUIA DE UTILIZAÇÃO HOME BROKER V1. 04_2012 O objetivo deste material é prestar ao investidor uma formação básica de conceitos e informações que possam auxiliá-lo na tomada de decisões antes da realização

Leia mais

A CBLC atua como Contraparte Central garantidora das Operações perante os Agentes de Compensação, conforme disposto no Título I do Regulamento.

A CBLC atua como Contraparte Central garantidora das Operações perante os Agentes de Compensação, conforme disposto no Título I do Regulamento. C A P Í T U L O I I I - C O M P E N S A Ç Ã O E L I Q U I D A Ç Ã O 1. A SPECTOS G ERAIS A CBLC é responsável pela Compensação e Liquidação das Operações com Ativos realizadas nos Sistemas de Negociação

Leia mais

Curso Preparatório ANBIMA - CPA-10 Curso Preparatório ANBIMA - CPA-20

Curso Preparatório ANBIMA - CPA-10 Curso Preparatório ANBIMA - CPA-20 Solange Honorato Curso Preparatório ANBIMA - CPA-10 Curso Preparatório ANBIMA - CPA-20 Módulo VI CPA10 Demais produtos de Investimentos Pg 70 De 8 a 13 Questões na prova (15% a 25%) Demais produtos de

Leia mais

Curso CPA-10 Certificação ANBID Módulo 6 Demais Produtos de Investimento

Curso CPA-10 Certificação ANBID Módulo 6 Demais Produtos de Investimento Pág: 1/45 Curso CPA-10 Certificação ANBID Módulo 6 Demais Produtos de Investimento Pág: 2/45 Módulo 6 - Demais Produtos de Investimento Este módulo apresenta as principais características de algumas das

Leia mais

IC CLUBE DE INVESTIMENTO CNPJ n. 07.847.689/0001-33 ESTATUTO SOCIAL

IC CLUBE DE INVESTIMENTO CNPJ n. 07.847.689/0001-33 ESTATUTO SOCIAL IC CLUBE DE INVESTIMENTO CNPJ n. 07.847.689/0001-33 ESTATUTO SOCIAL I - DENOMINAÇÃO E OBJETIVO Artigo 1 - O IC Clube de Investimento é constituído por número limitado de membros que têm por objetivo a

Leia mais

Murillo Lo Visco. Novatec

Murillo Lo Visco. Novatec Murillo Lo Visco Novatec Copyright 2012 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida a reprodução desta obra, mesmo parcial, por qualquer

Leia mais

Anexo I PROGRAMA DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA INVESTIMENTOS PERGUNTAS FREQÜENTES

Anexo I PROGRAMA DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA INVESTIMENTOS PERGUNTAS FREQÜENTES PROGRAMA DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA INVESTIMENTOS PERGUNTAS FREQÜENTES 1. AÇÕES Quais os riscos que eu corro investindo em ações? Quando se investe em uma ação específica, o investidor está comprando o risco

Leia mais

Tabela de Tarifas Pessoa Física - Serviços Diferenciados Divulgada em 16.05.2014 Vigência a partir de 16.06.2014

Tabela de Tarifas Pessoa Física - Serviços Diferenciados Divulgada em 16.05.2014 Vigência a partir de 16.06.2014 Vigência a partir de 16.06.2014 Produtos e Serviços / Periodicidade Cobrança por Tarifa - R$ Cheques - Remessa de talão via Correios Evento 6,00 Extratos - Extrato de Poupança, via Correios Extrato 2,00

Leia mais

Análise do Capital Mínimo necessário para Estratégias Complexas viáveis envolvendo Opções

Análise do Capital Mínimo necessário para Estratégias Complexas viáveis envolvendo Opções Análise do Capital Mínimo necessário para Estratégias Complexas viáveis envolvendo Opções Raquel Aparecida Mendes kquelmendes@hotmail.com Fatec - Bragança Pau Resumo:Opção é um contrato que dá a seu titular,

Leia mais

Gestão Ativa Perfil Renda Fixa Renda Variável Super Conservador 100% 0% Conservador 80% 20% Moderado 65% 35% Agressivo 50% 50%

Gestão Ativa Perfil Renda Fixa Renda Variável Super Conservador 100% 0% Conservador 80% 20% Moderado 65% 35% Agressivo 50% 50% III) Plano de Benefícios de Contribuição Definida (Plano CD) 1) Administracão dos Recursos: A administração dos recursos da Fundação Previdenciária IBM é terceirizada, sendo prerrogativa do Conselho Deliberativo

Leia mais

INTRODUÇÃO AO MERCADO FINANCEIRO. EQUIPE TRADER O mercado fala, a gente entende.

INTRODUÇÃO AO MERCADO FINANCEIRO. EQUIPE TRADER O mercado fala, a gente entende. INTRODUÇÃO AO MERCADO FINANCEIRO EQUIPE TRADER O mercado fala, a gente entende. Mercado de Renda Variável, os preços estão em constante oscilação. Pela sua liquidez não existe pechincha. A importância

Leia mais

a) mercados de derivativos, tais como, exemplificativamente, índices de ações, índices de preços, câmbio (moedas), juros;

a) mercados de derivativos, tais como, exemplificativamente, índices de ações, índices de preços, câmbio (moedas), juros; CREDIT SUISSE HEDGINGGRIFFO 1. Públicoalvo LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS dezembro/2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o CSHG EQUITY HEDGE LEVANTE FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais

TRIBUTAÇÃO DA CARTEIRA DO FUNDO

TRIBUTAÇÃO DA CARTEIRA DO FUNDO TRIBUTAÇÃO As informações apresentadas abaixo constituem um resumo das principais considerações fiscais da legislação brasileira que afetam o Fundo e seus investidores e não têm o propósito de ser uma

Leia mais

Iniciantes Home Broker

Iniciantes Home Broker Iniciantes Home Broker Para permitir que cada vez mais pessoas possam participar do mercado acionário e, ao mesmo tempo, tornar ainda mais ágil e simples a atividade de compra e venda de ações, foi criado

Leia mais

BM&FBOVESPA S.A. Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros. Regulamento de Operações Segmento Bovespa. 1. Ambiente

BM&FBOVESPA S.A. Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros. Regulamento de Operações Segmento Bovespa. 1. Ambiente BM&FBOVESPA S.A. Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros Regulamento de Operações Segmento Bovespa 1. Ambiente 7 / 11 DEFINIÇÕES 06 16/12/08 DEFINIÇÕES AFTER-MARKET - período de negociação que ocorre fora

Leia mais

Banco do Brasil - Cartilha de CDB CDB

Banco do Brasil - Cartilha de CDB CDB CDB O que é?... 2 Pré ou pós-fixado... 2 CDI... 3 Indicação... 3 Taxa de administração... 3 Segurança... 3 Modalidades de CDB... 4 Valor mínimo... 5 Rentabilidade... 4 Prazos... 5 Vencimento... 6 Final

Leia mais

Aula 2 Contextualização

Aula 2 Contextualização Gestão Financeira Aula 2 Contextualização Prof. Esp. Roger Luciano Francisco Segmentos do Mercado Financeiro Mercado monetário Mercado de crédito Mercado de capitais Mercado de câmbio Mercado Monetário

Leia mais

CAPÍTULO II - REGISTRO E ACEITAÇÃO DE OPERAÇÕES... 23

CAPÍTULO II - REGISTRO E ACEITAÇÃO DE OPERAÇÕES... 23 GLOSSÁRIO... 9 CAPÍTULO I - CADASTRO DE PARTICIPANTES E INVESTIDORES... 14 1. ASPECTOS GERAIS... 14 1.1. APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS... 14 1.2. CADASTRO DE PARTICIPANTES E INVESTIDORES POR MERCADO E SISTEMAS

Leia mais

São considerados Sistemas de Negociação os seguintes sistemas eletrônicos da BOVESPA:

São considerados Sistemas de Negociação os seguintes sistemas eletrônicos da BOVESPA: C A P Í T U L O I I - R E G I S T R O E A C E I T A Ç Ã O D E O P E R A Ç Õ E S 1. R EGISTRO DE O PERAÇÕES A CBLC registra Operações realizadas nos Sistemas de Negociação para os quais presta serviço.

Leia mais

ÍNDICE. Definições... 5 Resumo das Características da Oferta... 7 2. INFORMAÇÕES SOBRE OS ADMINISTRADORES, CONSULTORES E AUDITORES

ÍNDICE. Definições... 5 Resumo das Características da Oferta... 7 2. INFORMAÇÕES SOBRE OS ADMINISTRADORES, CONSULTORES E AUDITORES ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO Definições... 5 Resumo das Características da Oferta... 7 2. INFORMAÇÕES SOBRE OS ADMINISTRADORES, CONSULTORES E AUDITORES Administradores da Emissora... 13 Coordenador Líder... 13

Leia mais

ÓRGÃOS NORMATIVOS. Conselho Monetário Nacional CMN:

ÓRGÃOS NORMATIVOS. Conselho Monetário Nacional CMN: ÓRGÃOS NORMATIVOS Conselho Monetário Nacional CMN: Instituído pela Lei 4.595/64, é o órgão responsável por expedir diretrizes gerais do SFN. Suas principais funções definidas por lei são adaptar o volume

Leia mais

Mirae Asset Securities (Brasil) C.T.V.M. Ltda www.miraeasset.com.br

Mirae Asset Securities (Brasil) C.T.V.M. Ltda www.miraeasset.com.br ENTIDADES AUTORREGULADORAS DO MERCADO ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO BM&FBOVESPA A BM&FBOVESPA é uma companhia de capital brasileiro formada, em 2008, a partir da integração das operações da Bolsa de Valores

Leia mais

Contrato de Opção Flexível de Compra sobre Índice de Taxa de Juro Spot Especificações

Contrato de Opção Flexível de Compra sobre Índice de Taxa de Juro Spot Especificações Contrato de Opção Flexível de Compra sobre Índice de Taxa de Juro Spot Especificações 1. Definições Contrato (especificações): termos e regras sob os quais as operações serão realizadas e liquidadas. Compra

Leia mais

CALCULADORA DE IR F E R R AM E N TA C A L C U L A D O R A D E I R

CALCULADORA DE IR F E R R AM E N TA C A L C U L A D O R A D E I R F E R R AM E N TA C A L C U L A D O R A D E I R R E S U M O 2 PASSO A PASSO PASSO 1 PASSO 2 PASSO 3 PENDÊNCIA A REGULARIZAR? NÃO Acessar Menu Relatórios AÇÃO Integrar o Saldo Inicial da posição em custódia.

Leia mais

DEBÊNTURES DE INFRAESTRUTURA e PD&I Fundos IE/PD&I

DEBÊNTURES DE INFRAESTRUTURA e PD&I Fundos IE/PD&I DEBÊNTURES DE INFRAESTRUTURA e PD&I Fundos IE/PD&I [LEI n 12.431, de 27 de Junho de 2011] Agosto de 2011 Introdução 1. Debêntures de Infraestruturae de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação ( Debêntures

Leia mais

Guia Declaração. Investimentos. Março de 2012. Brasil

Guia Declaração. Investimentos. Março de 2012. Brasil 1 Guia Declaração Imposto de Renda 2012 Investimentos Março de 2012 Brasil Guia de Declaração IR 2012 - Investimentos 2 O dia 30/04/2012 é ultimo dia para entrega da declaração anual do Imposto de Renda

Leia mais

FUNDO DE GARANTIA DA BOLSA DE VALORES DE SÃO PAULO

FUNDO DE GARANTIA DA BOLSA DE VALORES DE SÃO PAULO FUNDO DE GARANTIA DA BOLSA DE VALORES DE SÃO PAULO DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2005 E 2004 E PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES A BDO International é

Leia mais

~ W SITA SOCIEDADE CORRETORA DE CÂMBIO E VALORES MOBILIÁRIOS S/A

~ W SITA SOCIEDADE CORRETORA DE CÂMBIO E VALORES MOBILIÁRIOS S/A W SITA REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO DA SITA SOCIEDADE CORRETORA DE CÂMBIO E VALORES MOBILIÁRIOS S/A Esta Sociedade Corretora, em atenção ao disposto no art. 6 da Instrução no 387/03 da CVM, define através

Leia mais

www.contratofuturo.com

www.contratofuturo.com www.contratofuturo.com www.contratofuturo.com O que é o Índice Futuro Para falar de índice futuro, primeiro precisamos falar do ÍNDICE no presente, que é o Ibovespa. O famoso índice que serve para medir

Leia mais

W W W. G U I A I N V E S T. C O M. B R

W W W. G U I A I N V E S T. C O M. B R 8 DICAS ESSENCIAIS PARA ESCOLHER SUA CORRETORA W W W. G U I A I N V E S T. C O M. B R Aviso Importante O autor não tem nenhum vínculo com as pessoas, instituições financeiras e produtos, citados, utilizando-os

Leia mais

Conteúdo Programático. Agente Autônomo de Investimentos (ANCORD)

Conteúdo Programático. Agente Autônomo de Investimentos (ANCORD) Conteúdo Programático Agente Autônomo de Investimentos (ANCORD) 1. A atividade do agente autônomo de investimento Instrução CVM 497 Diferenciação das atividades do agente autônomo, administração de carteiras,

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DE CLUBE DE INVESTIMENTO GRUPOINVEST

ESTATUTO SOCIAL DE CLUBE DE INVESTIMENTO GRUPOINVEST ESTATUTO SOCIAL DE CLUBE DE INVESTIMENTO GRUPOINVEST I - Denominação e Objetivo Artigo 1º - O Clube de Investimento GRUPOINVEST, doravante designado simplesmente Clube constituído por número limitado de

Leia mais

Pessoa Jurídica: Agentes Financeiros (Fundos e Tesourarias)

Pessoa Jurídica: Agentes Financeiros (Fundos e Tesourarias) PERFIL DOS CLIENTES Pessoa Física: Investidores Pessoa Jurídica: Agentes Financeiros (Fundos e Tesourarias) ATUAÇÃO Não Financeiros (Exportadores, Tradings, Indústria) Não Residentes (Agentes Financeiros,

Leia mais

5/3/2012. Derivativos. Prof. Dr. Bolivar Godinho de Oliveira Filho. Prof. Dr. Bolivar Godinho de Oliveira Filho

5/3/2012. Derivativos. Prof. Dr. Bolivar Godinho de Oliveira Filho. Prof. Dr. Bolivar Godinho de Oliveira Filho Derivativos Prof. Dr. Bolivar Godinho de Oliveira Filho 1 Prof. Dr. Bolivar Godinho de Oliveira Filho Currículo Economista com pós-graduação em Finanças pela FGV-SP, mestrado em Administração pela PUC-SP

Leia mais

MERCADO DE RENDA VARIÁVEL PRODUTOS E CARACTERÍSTICA

MERCADO DE RENDA VARIÁVEL PRODUTOS E CARACTERÍSTICA MERCADO DE RENDA VARIÁVEL PRODUTOS E CARACTERÍSTICA AÇÕES Ações são instrumentos utilizados pelas empresas para captar recursos no mercado financeiro para os mais diversos projetos (investimentos, redução

Leia mais

Capítulo 9 Aspectos sobre Tributação no Mercado Financeiro

Capítulo 9 Aspectos sobre Tributação no Mercado Financeiro Capítulo 9 Aspectos sobre Tributação no Mercado Financeiro 9.1 Apresentação do capítulo O objetivo deste capítulo é apresentar as principais características e definições da tributação de operações realizadas

Leia mais

Guia Produtos. e Serviços

Guia Produtos. e Serviços Guia Produtos e Serviços Conheça a Safra Corretora Torne-se um investidor 5 Carteira acompanhada 7 Safra Net Ações 8 Relatórios 9 Portfólio de produtos 10 Comece a operar na Safra Corretora 27 Taxas Operacionais

Leia mais

BICBANCO STOCK INDEX AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS

BICBANCO STOCK INDEX AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS BICBANCO STOCK INDEX AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS (Administrado pelo Banco Industrial e Comercial S.A.) DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AO EXERCÍCIO FINDO EM 30 DE SETEMBRO

Leia mais

Assunto: Informações sobre administradores de carteira previstas na Instrução CVM nº 306/99

Assunto: Informações sobre administradores de carteira previstas na Instrução CVM nº 306/99 OFÍCIO CIRCULAR/CVM/SIN/Nº 003 /2000 Rio de Janeiro, 11 / 05 /2000 Assunto: Informações sobre administradores de carteira previstas na Instrução CVM nº 306/99 Prezados Senhores, O artigo 12 da Instrução

Leia mais

REGULAÇÃO E TRIBUTAÇÃO 115 questões com gabarito

REGULAÇÃO E TRIBUTAÇÃO 115 questões com gabarito 115 questões com gabarito FICHA CATALOGRÁFICA (Catalogado na fonte pela Biblioteca da BM&F BOVESPA Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros) REGULAÇÃO E TRIBUTAÇÃO: 115 questões com gabarito. São Paulo:

Leia mais

Instrução Normativa SRF nº 298, de 12 de fevereiro de 2003

Instrução Normativa SRF nº 298, de 12 de fevereiro de 2003 Instrução Normativa SRF nº 298, de 12 de fevereiro de 2003 Aprova o formulário Resumo de Apuração de Ganhos - Renda Variável, para o exercício de 2004, ano-calendário de 2003. O SECRETÁRIO DA RECEITA FEDERAL,

Leia mais

Estrutura do Mercado de Valores Mobiliários Sistema de Distribuição

Estrutura do Mercado de Valores Mobiliários Sistema de Distribuição Estrutura do Mercado de Valores Mobiliários Sistema de Distribuição Onde estamos? Intermediários??? Setor Produtivo Emissores Investidores Art. 15. O sistema de distribuição de valores mobiliários compreende:

Leia mais