Agenda. 1. O Mercado. 2. Brasil: Vantagens Competitivas. 3. V-Agro Hoje. 4. Nossos Negócios. 5. Estrutura Financeira. 6. Governança Corporativa

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Agenda. 1. O Mercado. 2. Brasil: Vantagens Competitivas. 3. V-Agro Hoje. 4. Nossos Negócios. 5. Estrutura Financeira. 6. Governança Corporativa"

Transcrição

1 V-AGRO Reunião APIMEC Novembro 2013

2 2 Agenda 1. O Mercado 2. Brasil: Vantagens Competitivas 3. V-Agro Hoje 4. Nossos Negócios Produção Agrícola Transformação de Terras 5. Estrutura Financeira 6. Governança Corporativa 7. Estratégia de Crescimento

3 3 Agenda 1. O Mercado 2. Brasil: Vantagens Competitivas 3. V-Agro Hoje 4. Nossos Negócios Produção Agrícola Transformação de Terras 5. Estrutura Financeira 6. Governança Corporativa 7. Estratégia de Crescimento

4 O Mercado Forte demanda e produção limitada Crescimento Populacional (bilhões de indivíduos) Soja (Milhões de toneladas) China 6,5 6,9 7,7 8,3 8,8 9,3 Urbana Rural 187,6%* Produção Consumo* / / / / /13 Demanda Mundial por Grãos (Milhões de toneladas) Milho (Milhões de toneladas) 77,5%* Soja Produção Milho Consumo* / / / / /13 Fonte: ONU, MB Agro, OECD e Jornal Valor Econômico 4

5 O Mercado Produção de alimentos no Brasil crescerá mais rapidamente que resto do mundo Fonte: OCDE, e UN 5 10 / 15% 4% 26% 10 / 15% 26% 40% 7% A OCDE projeta que o mundo deverá aumentar em 20% a produção de alimentos para atender o crescimento demanda até O Brasil é o país que mais ampliará a produção, com previsão de aumento de 40% no período.

6 6 Agenda 1. O Mercado 2. Brasil: Vantagens Competitivas 3. V-Agro Hoje 4. Nossos Negócios Produção Agrícola Transformação de Terras 5. Estrutura Financeira 6. Governança Corporativa 7. Estratégia de Crescimento

7 Brasil Por que é esperado que Brasil cresça mais rápido que demais países? Terra Disponível Recursos Humanos Clima 144% (1) % 56% Ásia e Pacífico Europa Norte da África e Oriente Médio % América do Norte 59% Norte da Ásia e Leste dos Urais 14% 14% América do Sul e Central África Sub- Sahariana Potencial de terra arável Terra arável em uso % de terra arável em uso (1) No norte da África e no Oriente Médio a proporção é superior a 100% devido a prática de irrigação. Fonte: FAO 7

8 Brasil Terras negociadas com desconto Fonte: SLC, Frank Knight Research, FNP and Brasil Pural 8 US$ mil / ha Polônia: 9,1 Rússia 0,8 EUA 16,0 França: 12,5 Alemanha: 14,2 Romênia: 4,9 Bulgária: 3,1 Argentina 11,5 Brasil 5,1 Austrália 3,5

9 Brasil Falta de Infraestrutura e Possíveis Upsides Acima do Paralelo Milhões de Ton. AP Santana Vila do Conde Produção: 68,2 (52% da produção brasileira) Consumo interno: 14,5 Exportado: 8,2 (14% do total exportado) Excedente: 45,5 AM Porto Velho Itacoatiara Santarém Miritituba PA BR 163 MA PI Itaqui RO Lucas do Rio Verde MT BA Nova Mutum Salvador Abaixo do Paralelo Milhões de Ton. Produção: 62,8 (48 % da produção brasileira) Consumo interno: 58,2 Superávit: 50,1 Exportado: 50,1 (86% do total exportado) Paralelo 16 MS PR GO SP MG Santos Paranaguá ES Vitória Ilhéus Fonte: MB Agro, Produção de Grãos(Conab, 2011) e exportação por porto (SECEX, 2011) Elaboração CNA Médio e longo prazo Hidrovia Rodovia Ferrovia Porto 9

10 10 Agenda 1. O Mercado 2. Brasil: Vantagens Competitivas 3. V-Agro Hoje 4. Nossos Negócios Produção Agrícola Transformação de Terras 5. Estrutura Financeira 6. Governança Corporativa 7. Estratégia de Crescimento

11 11 V-Agro: Fusão entre 3 Companhia Combinação que originou uma das maiores companhias agrícolas brasileiras Fusão de 3 empresas em uma das maiores empresas agrícolas do Brasil» Produção de biodiesel tendo o óleo de soja como matéria-prima» 3 usinas de biodiesel operacionais» 3 usinas de biodiesel não operacionais» 42 mil hectares de terra R$ 166 milhões da venda das 4 usinas operacionais de biodiesel e 42 mil ha de terras» Produção de soja, algodão e milho» 72 mil hectares de terra própria e 156 mil hectares de terra arrendada» 89% de maquinário próprio» Produção de soja, algodão e milho» Ativo de açúcar e álcool e esmagadora de caroço de algodão» 17 mil hectares de terra própria e 61 mil hectares de terra arrendada» 74% de maquinário próprio R$ 102 milhões da venda do ativo de açúcar e etanol e da esmagadora de caroço de algodão

12 12 V-Agro Visão Geral da Companhia» Foco na produção de grãos e fibras exclusivamente no Brasil» Exposição em diferentes regiões geográficas para mitigar risco climático» 253 mil ha sob gestão (Safra 2013/14) - 89 mil ha próprios mil ha arrendados» Plantio de 290 mil ha na safra 2013/ mil ha de soja - 42 mil ha de milho - 39 mil ha de algodão - 15 mil ha de sorgo - 12 mil ha de girassol» Única empresa de grãos/fibras pertencente ao Índice Bovespa» Governança corporativa de alto nível

13 13 V-Agro Produção de grãos e fibras e diversificação do risco climático Distribuição das Terras Agriculturáveis Terras Arrendadas 15 mil ha Plantio Safra 2013/14: Soja : 15,0 mil ha PI MT GO MG BA Terras Arrendadas 23 mil ha Plantio Safra 2013/14: Soja: 7 mil ha Milho: 2 mil ha Algodão: 12 mil ha Terras Próprias 89 mil ha Terras Arrendadas 119 mil ha Plantio Safra 2013/14: Soja: 155 mil ha Algodão: 27 mil ha Milho: 37 mil ha Sorgo: 12 mil ha Girassol: 12 mil ha Terras Arrendadas 8 mil ha Plantio Safra 2013/14: Soja: 5 mil ha Milho: 3 mil ha Sorgo: 3 mil ha

14 14 V-Agro Busca da autossuficiência em maquinário Maquinário Próprio Terceiros Total % Autossuficiência Capacidade Média (ha/dia) Tratores % - Plantadeiras % Pulverizadores % Aeronaves Agrícolas % (1) Colheitadeiras Grãos % (1) Colheitadeiras Algodão % 900 Caminhões Total (1) Cálculo do % leva em consideração capacidade de aproveitamento das máquinas em relação a capacidade total Investimento na aquisição de maquinário: Safra 2012/13: R$43,3 milhões Safra 2013/14: R$40,5 milhões

15 V-Agro Armazéns: Significante capacidade de armazenagem Possibilita a estocagem dos grãos e venda em período de entressafra, com melhores preços. Capacidade estática de armazenamento de 303,8 mil toneladas. Investimento em armazenagem: Localização 2013: R$20,0 milhões 2014: R$20,0 milhões Armazéns Capacidade Mil tons UP Ribeiro do Céu 1 54,0 UP Estrela do Norte 1 32,4 UP Mãe Margarida 1 27,0 UP Terra Santa 1 61,2 UP Sete Placas 1 15,0 UP Terra Mãe 1 4,2 Deciolância 1 17,0 UP Rio Verde 1 18,0 UP São José 3 67,8 UP Batalha do Bartolomeu 1 7,2 Total ,8 15

16 (1) Entre as unidades as unidades Garapirama, Garapirama, Sete Placas, São José Sete e Campo Placas, Limpo São José e Campo Limpo 16 V-Agro Algodoeiras Unidade de Produção Algodoeiras UP Ribeiro do Céu 1 UP Guapirama 1 UP Bahia 1 Algodoeira Deciolândia (1) 1 Total 4 Fazem a separação entre a pluma - principal produto - e o caroço de algodão - rico em proteína e óleo, o que o faz uma importante fonte de alimento em nível mundial. Capacidade instalada para hectares plantados de algodão.

17 17 V-Agro Capacidade reconhecida de identificação e valorização de terras R$1.065,4 52,0 R$1.087,0 52,0 CAGR 1,3% Iporanga São José Fazendas (1) R$779,7 50,0 129,8 194,2 198,3 241,8 243,2 7,8% 10,5% Mãe Margarida ,8 283,8 Terra Santa Ribeiro do Céu 206,8 304,6 309,8 213,0 Avaliação de 2010 Avaliação de 2012 Avaliação de ,1% 13,3% (1) A avaliação da fazenda São José é datada de 6 de Agosto de 2008.

18 18 Agenda 1. O Mercado 2. Brasil: Vantagens Competitivas 3. V-Agro Hoje 4. Nossos Negócios Produção Agrícola Transformação de Terras 5. Estrutura Financeira 6. Governança Corporativa 7. Estratégia de Crescimento

19 Produção Agrícola Ciclo de Produção * Inclui 1ª e 2ª Safra 19 Ano 1 Ano 2 JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ Planejamento Agrícola Compra Insumos Operação Gerenciamento da Produção Produção Comercialização Produção Preços Custos Tecnologias Área Mercado CAPEX Fertilizantes NPK (Fev jun) Sementes (Mar Set) Defensivos (Mar Jul) Operação (Mar Set) Análise Solo Manejo de Inverno Preparo Solo Aplicação de Calcário PLANTIO Soja (Set Nov) Milho* (Out Fev) Algodão* (Nov Jan) Tratos Culturais (Set Jun) COLHEITA BENEFICIAMENTO Soja (Jan Abr) Milho* (Fev Ago) Algodão* (Jun Set) Algodão* (Jun Dez) Tradings Indústria doméstica Clientes diretos Tradings Industria têxtil local Tradings

20 Produção Agrícola Diversificado Mix de Culturas SOJA ALGODÃO SAFRA MT 1ª Safra BA 1ª Safra GO 1ª Safra PI 1ª Safra MT 1ª Safra MT 2ª Safra BA 1ª Safra GO 1ª Safra SET OUT NOV DEZ JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO MILHO SORGO GIRASSOL MT 2ª Safra BA 1ª Safra GO 1ª Safra PI 1ª Safra MT 2ª Safra MT 2ª Safra Plantio Tratamento Colheita Gestão de Risco Climático» Redução do risco climático através de planejamento e respeito das datas para plantio» Possível substituição de plantio de determinada cultura visando evitar perda a rentabilidade 20

21 Nova Intenção de Plantio Safra 2013/14 Alteração no mix buscando rentabilidade das culturas 21 Mix de Culturas 2012/13 Realizado Part. (%) Plantio 2013/14 Intenção de Plantio 1ª Intenção Intenção Revisada Part. (%) Dif. (ha) Soja % % ª Safra % % ª Safra % Algodão % % ª Safra % - 2ª Safra % % Milho % % ª Safra % % - 2ª Safra % % Girassol % % Sorgo % % Café 415 0% - - 0% - Total % % - 751

22 Plantio Soja Mato Grosso Respeito a janela ideal de plantio SAFRA 11/12 SAFRA 12/13 Setembro Outubro Novembro Dezembro Média Prod. (sc/ha) Plantio Safra 2013/14 51,95 sc/ha 41,11 sc/ha 24,27 sc/ha 132,7 mil ha (95%) 6,8 mil ha (5%)» 100% do plantio da soja verão no Mato Grosso já concluído 22

23 Plantio Soja e Milho Conclusão plantio soja e milho verão no MT e BA Soja 1ª Safra Área Estado Área Planejada Plantada (ha) (ha) % Plantado Mato Grosso % Bahia % MG/GO % Piauí % Total % Milho 1ª Safra Área Estado Área Planejada Plantada (ha) (ha) % Plantado MG/GO % Bahia % Total % Algodão 1ª Safra Área Estado Área Planejada Plantada (ha) (ha) % Plantado Mato Grosso Bahia % Total % Obs: Até 22 de novembro 23

24 Produtividades 24 Algodão Mix de Culturas 2011/2012 (kg/ha) 2012/2013 (kg/ha) 2013/2014 (kg/ha) (Estimativa) Em pluma 1ª Safra Em pluma 2ª Safra Caroço de Algodão Soja Milho 1ª Safra ª Safra ª Safra ª Safra Girassol 2ª Safra Sorgo 2ª Safra

25 Transformação de Terras Criação de valor para o investidor 25 Preço de Aquisição US$ 1,5 k / ha Preço de Aquisição US$ 2.2 k / ha Terra Madura Transformação de terra bruta em terra agriculturável Custo transformação Cerrado: (-) US$ 1.1 k / ha Pasto: (-) US$ 0.9 k / ha Safras onde produtividade é crescente a cada ano Terra madura com taxa de crescimento estável

26 26 Agenda 1. O Mercado 2. Brasil: Vantagens Competitivas 3. V-Agro Hoje 4. Nossos Negócios Produção Agrícola Transformação de Terras 5. Estrutura Financeira 6. Governança Corporativa 7. Estratégia de Crescimento

27 Endividamento (R$ mil) Endividamento (em R$ mil) 30/09/ /09/2012 (-) Curto Prazo (-) Longo Prazo (=) Endividamento (+) Disponibilidades (=) Dívida Líquida Diferença nas dívidas com Custos, Fornecedores e Capex entre 30/09/2012 e 30/09/2013 Dívida Líquida 30/09/2013 Custos Safra Fornecedores Capex Dívida Líquida 30/09/2013 Gerencial Dívida Líquida 30/09/

28 Endividamento 28

29 Comercial Comercialização das safras Safra Produto % % comercializado (1) faturado (2) Preço Vendido (3) 2012/13 Soja 100% 99,5% USD 10,89 /bu ou USD 24,01 /Saca Milho 90% 51,7% USD 2,84 /bu ou USD 6,71 /Saca Algodão 63% 9,6% USD 0,9151 /lb Girassol 100% 100,0% R$ 51,84 /saca Soja 46% - USD 9,75 /bu ou USD 21,49 / Saca Milho /14 Algodão 15% - USD 0,9000 /lb Girassol 59% - R$ 49,32 /saca (1) Dado de 22 de novembro (2) Dado de 30 de setembro (3) Preço fazenda líquido de frete para soja e milho» % não faturado só impactará resultado quando da entrega do produto» Safra 2014/15: toneladas de soja GMO Free (equivalente a ha) vendidas ao preço de USD 26,5/saca» Preços fixados acima dos praticados hoje pelo mercado 29

30 30 Comercial Compra de fertilizantes US$ por ton Cloreto de Potássio 12/13 13/14 14/ % -32% -31% MT BA PI MAP + Micros Super Simples 12/13 13/14 14/15-23% -23% -29% % -4% % /13 13/14 14/ MT BA PI MT BA PI

31 31 Agenda 1. O Mercado 2. Brasil: Vantagens Competitivas 3. V-Agro Hoje 4. Nossos Negócios Produção Agrícola Transformação de Terras 5. Estrutura Financeira 6. Governança Corporativa 7. Estratégia de Crescimento

32 32 Governança Corporativa Composição Acionária Otaviano Pivetta 16,6% (1) Gávea Invest. 14,3% Helio Seibel 12.7% (2) Salo Seibel 4.6% Bonsucex 8,6% (3) EWZ Invest LLC 6.6% Outros 36,6% (1) Considerada posição indireta do Sr. Otaviano Olavo Pivetta (2) Considerada posição direta e indireta do Sr. Hélio Seibel (3) Considerada posição direta e indireta do Sr. Silvio Tini de Araújo

33 Governança Corporativa Elevado nível de governança corporativa 33 Conselho de Administração Salo Seibel Presidente Katia Costa Vice-Presidente Sílvio Tini Otaviano Pivetta Hélio França Carlos Fernandes Rodrigo Arruy Independente Comitê Estratégico Financeiro Comitê de Auditoria e Gestão de Risco Comitê de Gente Conselho Fiscal Oscar Bernardes Bruno Melcher Silvio Tini Rodrigo Arruy João Araujo Marcos Peters Katia Costa Rodrigo Arruy Julieta Nogueira Katia Costa Carlos A. Fernandes Otaviano Pivetta Edmundo de Macedo Soares Fernando José F. Silva Ademar Alfredo Vitoriano Diretoria Executiva Arlindo Moura CEO Cristiano Soares CFO e RI Cleiton Custódio COO Gilmar Rossatto CCO

34 Governança Corporativa Evolução dos Preços e Volume Financeiro Evolução do Preço Ibovespa x VAGR3 (Base 100: 31/12/2012) Valor de Mercado: (22/11/2013) 160 R$ milhões Número de Ações: VAGR3 IBOV Valor médio diário negociado: (9M13) R$ 7,2 milhões 34

35 35 Agenda 1. O Mercado 2. Brasil: Vantagens Competitivas 3. V-Agro Hoje 4. Nossos Negócios Produção Agrícola Transformação de Terras 5. Estrutura Financeira 6. Governança Corporativa 7. Estratégia de Crescimento

36 36 Estratégia de Crescimento Plano para próximos 5 anos Área Plantada 500 mil hectares 50% de área própria e 50% de área arrendada Aquisição de Terras Cerrado Pastagem degradada Fonte de Recursos Criação de uma LandCo Aumento de Capital

O Mercado Drivers de Demanda

O Mercado Drivers de Demanda Apresentação dos Resultados 4T12 15/03/2013 O Mercado Drivers de Demanda Crescimento Populacional (bilhões de indivíduos) Soja (Milhões de toneladas) China 6,5 6,9 7,7 8,3 8,8 9,3 Urbana Rural 187,6%*

Leia mais

Agenda. 1. O Mercado. 2. Criação da V-Agro. 3. V-Agro Hoje. 4. Estrutura Operacional. 5. Estrutura Financeira. 6. Governança Corporativa

Agenda. 1. O Mercado. 2. Criação da V-Agro. 3. V-Agro Hoje. 4. Estrutura Operacional. 5. Estrutura Financeira. 6. Governança Corporativa Relações com Investidores FEV 2013 2 Agenda 1. O Mercado 2. Criação da V-Agro 3. V-Agro Hoje 4. Estrutura Operacional 5. Estrutura Financeira 6. Governança Corporativa 7. Próximos Passos 3 Agenda 1. O

Leia mais

Apresentação BTG. Fevereiro de 2015

Apresentação BTG. Fevereiro de 2015 Apresentação BTG Fevereiro de 2015 Agenda 2 1. O Mercado 2. Brasil: Vantagens Competitivas 3. V-Agro Hoje 4. Nosso Negócio: Produção Agrícola 5. Estrutura Financeira 6. Governança Corporativa O Mercado

Leia mais

Reunião Pública com Analistas e Investidores 17 de dezembro de 2012

Reunião Pública com Analistas e Investidores 17 de dezembro de 2012 Reunião Pública com Analistas e Investidores 17 de dezembro de 2012 1 Disclaimer Esta apresentação pode conter informações que representem expectativas de resultados, planos de crescimento e estratégias

Leia mais

Reunião APIMEC. Novembro de 2014

Reunião APIMEC. Novembro de 2014 Reunião APIMEC Novembro de 2014 Agenda 2 1. O Mercado 2. Brasil: Vantagens Competitivas 3. V-Agro Hoje 4. Nosso Negócio: Produção Agrícola 5. Estrutura Financeira 6. Governança Corporativa O Mercado Forte

Leia mais

Reunião Pública Dezembro de 2015

Reunião Pública Dezembro de 2015 Reunião Pública Dezembro de 2015 Cenário Macroeconômico Arlindo de Azevedo Moura CEO 2 Cenário Macroeconômico 3 COMMODITIES Pressão de queda nos preços Menor preço dos últimos 16 anos TAXA DE CÂMBIO RESTRIÇÃO

Leia mais

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso Índice 1 - Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso 1.1 Agronegócio Soja 1.2 Agronegócio Milho 1.3 Agronegócio Algodão 1.4 Agronegócio Boi 2 Competitividade 2.1 Logística

Leia mais

GERANDO VALOR ATRAVÉS DA AGRICULTURA E DESENVOLVIMENTO DE TERRAS APIMEC

GERANDO VALOR ATRAVÉS DA AGRICULTURA E DESENVOLVIMENTO DE TERRAS APIMEC GERANDO VALOR ATRAVÉS DA AGRICULTURA E DESENVOLVIMENTO DE TERRAS APIMEC A EMPRESA VISÃO GERAL DA COMPANHIA Controlada do Grupo SLC: 67 anos de experiência no setor agrícola e 20 anos de joint-venture com

Leia mais

Oportunidade de Investimento no Agronegócio Brasileiro Junho de 2012

Oportunidade de Investimento no Agronegócio Brasileiro Junho de 2012 Oportunidade de Investimento no Agronegócio Brasileiro Junho de 2012 1 Disclaimer Esta apresentação pode conter informações que representem expectativas de resultados, planos de crescimento e estratégias

Leia mais

Perspec8vas para a agropecuária brasileira para os próximos cinco anos

Perspec8vas para a agropecuária brasileira para os próximos cinco anos www.imea.com.br Perspec8vas para a agropecuária brasileira para os próximos cinco anos Daniel Latorraca Superintendente Agenda Visão da cadeia de grãos nos últimos 10 anos Visão da pecuária nos últimos

Leia mais

LSPA. Levantamento Sistemático da Produção Agrícola. Dezembro de Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas no ano civil

LSPA. Levantamento Sistemático da Produção Agrícola. Dezembro de Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas no ano civil Diretoria de Pesquisas Coordenação de Agropecuária Gerência de Agricultura LSPA Dezembro de 2013 Levantamento Sistemático da Produção Agrícola Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ARROZ NOVEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ARROZ NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ARROZ NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

MERCADO DE GRÃOS, FARELOS E ANIMAIS DE REPOSIÇÃO EM MATO GROSSO

MERCADO DE GRÃOS, FARELOS E ANIMAIS DE REPOSIÇÃO EM MATO GROSSO MERCADO DE GRÃOS, FARELOS E ANIMAIS DE REPOSIÇÃO EM MATO GROSSO Abril/2013 1 Custo total do confinamento 0,02 65% é o custo com a aquisição do animal 3,85 9,07 0,96 1. MANEJO SANITÁRIO E REPRODUTIVO 2.

Leia mais

Associação Brasileira dos Produtores de Soja

Associação Brasileira dos Produtores de Soja Associação Brasileira dos Produtores de Soja De acordo com o 5 Levantamento de safra 2015/16, publicado em fevereiro pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), a área plantada deve crescer 3,6%

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO NOVEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ALGODÃO DEZEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ALGODÃO DEZEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ALGODÃO DEZEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO NOVEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

1 - INTRODUÇÃO 2 - METODOLOGIA

1 - INTRODUÇÃO 2 - METODOLOGIA SUMÁRIO 1. Introdução... 2 2. Metodologia... 2 3. Estimativa da Área Plantada... 3 4. Estimativa da Produção... 3 5. Avaliação das Culturas... 4 5.1 Algodão... 4 5.2 Arroz... 4 5.3 Feijão... 5 5.4 Milho...

Leia mais

Cenários Agrícolas: Soja e Milho 2013/14 e 2014/15

Cenários Agrícolas: Soja e Milho 2013/14 e 2014/15 Cenários Agrícolas: Soja e Milho 2013/14 e 2014/15 Dezembro 2013 Soja milhões ha Soja / EUA - Área Plantada e Produção Área Plantada (milhões ha) Produção (milhões de toneladas) 29,2 30,6 26,2 30,6 31,3

Leia mais

INDÚSTRIA DE ALIMENTOS NOVEMBRO DE 2016

INDÚSTRIA DE ALIMENTOS NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INDÚSTRIA DE ALIMENTOS NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO

REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO JOÃO CRUZ REIS FILHO SECRETÁRIO DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Brasília/DF JULHO DE 2015 22 CENÁRIO POPULACIONAL

Leia mais

EBITDA da operação agrícola de R$ 161,4 milhões em 2012

EBITDA da operação agrícola de R$ 161,4 milhões em 2012 EBITDA da operação agrícola de R$ 161,4 milhões em 2012 COTAÇÃO VAGR3 (14/03/2013) R$ 0,46 Total de Ações: 3.486.812.005 Market Cap: R$ 1.604 Milhões PART.ICIPANTES Arlindo de Azevedo Moura CEO Eduardo

Leia mais

Perspectivas para as Safras 14/15 e 15/16

Perspectivas para as Safras 14/15 e 15/16 BrasilAgro Day 2014 Perspectivas para as Safras 14/15 e 15/16 18 de Dezembro de 2014 Soja Soja/EUA Oferta e Demanda (milhões de toneladas) 107,7 80,7 91,5 90,7 84,3 82,8 91,4 Est. Finais 48,1 50,7 48,4

Leia mais

CONJUNTURA DO MERCADO DE MANDIOCA E DERIVADOS NO BRASIL

CONJUNTURA DO MERCADO DE MANDIOCA E DERIVADOS NO BRASIL CONJUNTURA DO MERCADO DE MANDIOCA E DERIVADOS NO BRASIL 1 SEMESTRE/2011 Fábio Isaías Felipe Pesquisador do Cepea/ESALQ/USP E-mail: fifelipe@esalq.usp.br Fone: 55 19 3429-8847 Fax: 55 19 3429-8829 http://www.cepea.esalq.usp.br

Leia mais

Relatório final da safra 2013/2014. Região Centro-Sul

Relatório final da safra 2013/2014. Região Centro-Sul Relatório final da safra 2013/2014 Região Centro-Sul Tabela 1. Balanço final da safra 2013/2014 na região Centro-Sul Comparativo com a safra 2012/2013 Produtos Safra 2012/2013 2013/2014 Var. (%) Cana-de-açúcar

Leia mais

1ª Intenção de plantio para safra 2012/13 totaliza 310 mil hectares (9,4% superior à safra anterior)

1ª Intenção de plantio para safra 2012/13 totaliza 310 mil hectares (9,4% superior à safra anterior) 1ª Intenção de plantio para safra 2012/13 totaliza 310 mil hectares (9,4% superior à safra anterior) COTAÇÃO VAGR3 (13/11/2012) R$ 0,37 Total de Ações: 2.320.145.338 Market Cap: R$ 858,4 Milhões PARTICIPANTES

Leia mais

FERTILIZANTES HERINGER S/A

FERTILIZANTES HERINGER S/A FERTILIZANTES HERINGER S/A 4,5 bilhões de anos Área + de 51 BILHOES de hectares 71% H2O Somente 3% agua doce +- 15 bilhoes de hectares de terra + de 1 BILHÃO HECTARES PLANTADOS 6.6 BILHOES HABITANTES Previsão

Leia mais

5 maiores Problemas da Humanidade até 2050

5 maiores Problemas da Humanidade até 2050 5 maiores Problemas da Humanidade até 2050 Água Energia Evolução da População Mundial 1950 2011 2050 2,5 bi 7,5 bi 9,3 bi Evolução dos Famintos 1950 2011 2050 0,5 bi 0,9 bi 1,3 bi Alimentos Lixo Pobreza

Leia mais

O reflexo do crédito rural e suas implicações no custo de produção

O reflexo do crédito rural e suas implicações no custo de produção O reflexo do crédito rural e suas implicações no custo de produção SISTEMA SINDICAL SISTEMA SINDICAL RURAL PATRONAL BRASILEIRO CNA Federações da Agricultura Estaduais Sindicatos Rurais Produtores Rurais

Leia mais

CONJUNTURA MENSAL MAIO

CONJUNTURA MENSAL MAIO SOJA - MATO GROSSO CONJUNTURA MENSAL MAIO ANO 1 Nº1 O mercado de soja tem observado movimentação de queda em seus preços, decorrente principalmente das evoluções no lado da oferta, tanto em âmbito nacional

Leia mais

BTG Pactual CEO Conference 14 de Fevereiro de 2012

BTG Pactual CEO Conference 14 de Fevereiro de 2012 BTG Pactual CEO Conference 14 de Fevereiro de 2012 1 DISCLAIMER Esta apresentação pode conter informações que representem expectativas de resultados, planos de crescimento e estratégias futuras. Tais afirmações

Leia mais

GIRASSOL Período: Julho de 2012

GIRASSOL Período: Julho de 2012 GIRASSOL Período: Julho de 2012 QUADRO I PREÇOS PAGO AO PRODUTOR (R$ 60/Kg) Centro de Referência Un Período Anteriores Período atual Variação (%) Julho/11 Julho/12 Preços Mínimos (60/Kg) Centro Sul 60

Leia mais

Santander Asset Management

Santander Asset Management Santander Asset Management Fundos São Paulo, 08 de novembro de 2006 2 1 2 3 A internacionalização das empresas brasileiras Fundos de Investimento Fundos Multimercados 3 1 2 3 A internacionalização das

Leia mais

O Agronegócio e o Sucesso do Brasil no Mercado de Carnes Gedeão Silveira Pereira

O Agronegócio e o Sucesso do Brasil no Mercado de Carnes Gedeão Silveira Pereira O Agronegócio e o Sucesso do Brasil no Mercado de Carnes Gedeão Silveira Pereira Vice Presidente FARSUL Terra arável disponível, por pessoa no mundo Brasil EUA Rússia Índia China União Européia Congo Austrália

Leia mais

APIMEC Nordeste Março, 2015

APIMEC Nordeste Março, 2015 Título Aqui Título Aqui APIMEC Nordeste Março, 2015 Agenda 1. Perfil Corporativo 2. Informações Financeiras 3. Perspectivas Futuras 4. Governança Corporativa e Mercado de Capitais 2 Perfil Corporativo

Leia mais

APRENDENDO SOBRE: CONTABILIZAÇÃO DE ATIVOS BIOLÓGICOS E TERRAS

APRENDENDO SOBRE: CONTABILIZAÇÃO DE ATIVOS BIOLÓGICOS E TERRAS APRENDENDO SOBRE: CONTABILIZAÇÃO DE ATIVOS BIOLÓGICOS E TERRAS INTRODUÇÃO 2 Em 2011, todas as Companhias listadas em Bolsa no Brasil passaram a reportar seus números (do ano de 2010 e quarto trimestre

Leia mais

É mesmo R$ 17,00 R$ 16,50 R$ 15,50 R$ 15,00 R$ 14,50 R$ 14,00

É mesmo R$ 17,00 R$ 16,50 R$ 15,50 R$ 15,00 R$ 14,50 R$ 14,00 Milhões de toneladas BOLETIM SEMANAL Milho - Análise É mesmo A PACIÊNCIA PODE SER UMA VIRTUDE: Os números do último levantamento de comprometimento do milho matogrossense, realizado pelo Imea, apresentaram

Leia mais

Impurezas e Qualidade de Cana-de-Açúcar

Impurezas e Qualidade de Cana-de-Açúcar Impurezas e Qualidade de Cana-de-Açúcar Levantamento dos níveis de impurezas nas últimas safras Luiz Antonio Dias Paes 12 de Maio de 2011 Dados Gerais da Safra 10/11 Impurezas Evolução Indicadores Impurezas

Leia mais

R$ 24,20 R$ 22,20 R$ 21,

R$ 24,20 R$ 22,20 R$ 21, Milho - Análise CHEGANDO AO FIM: Com 80,1% da área de milho 2ª safra colhida torna-se mais evidente que a safra 11/12 será a maior da história, elevando o Brasil como salvador do mercado internacional,

Leia mais

Dlt Dalton Carlos Heringer CEO e Membro do Conselho. Diretor de Controladoria e de Relações com Investidores. 12 de Março de 2009

Dlt Dalton Carlos Heringer CEO e Membro do Conselho. Diretor de Controladoria e de Relações com Investidores. 12 de Março de 2009 Visão Geral Da Companhia Dlt Dalton Carlos Heringer CEO e Membro do Conselho Wilson Rio Mardonado d Diretor de Controladoria e de Relações com Investidores 12 de Março de 2009 Mercado Mundial de Fertilizantes

Leia mais

CENÁRIO DO TRIGO PARA O BRASIL

CENÁRIO DO TRIGO PARA O BRASIL CENÁRIO DO TRIGO PARA O BRASIL EDSON CSIPAI BUNGE ALIMENTOS S.A. 25-10-2010 A importância do TRIGO no CUSTO dos negócios... Moinho de Trigo 80% Indústria de Macarrão 85% A formação do preço do trigo...

Leia mais

Projeto de Desenvolvimento Regional Integrado e Sustentável do Tocantins

Projeto de Desenvolvimento Regional Integrado e Sustentável do Tocantins Projeto de Desenvolvimento Regional Integrado e Sustentável do Tocantins Novembro 2015 1 Logística 2 Logística 3 Logística 4 Logística 5 Logística 6 Logística 7 Logística 8 Logística 9 Modais Comparativo

Leia mais

PRODUÇÃO DE ALIMENTOS EM ÁREAS DE RENOVAÇÃO DE CANAVIAIS: VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA, POTENCIAL DE PRODUÇÃO E RESPONSABILIDADE SOCIAL.

PRODUÇÃO DE ALIMENTOS EM ÁREAS DE RENOVAÇÃO DE CANAVIAIS: VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA, POTENCIAL DE PRODUÇÃO E RESPONSABILIDADE SOCIAL. PRODUÇÃO DE ALIMENTOS EM ÁREAS DE RENOVAÇÃO DE CANAVIAIS: VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA, POTENCIAL DE PRODUÇÃO E RESPONSABILIDADE SOCIAL. São Paulo, 17/04/07 Silvio Borsari Filho 1 AGRADECIMENTOS é a

Leia mais

Desafios para o Investimento em Novas Usinas de Etanol no Brasil

Desafios para o Investimento em Novas Usinas de Etanol no Brasil Desafios para o Investimento em Novas Usinas de Etanol no Brasil Dezembro, 2011 11 Sumário SEÇÃO 1 SEÇÃO 2 SEÇÃO 3 SEÇÃO 4 Rápida Avaliação Setorial Desempenho Econômico-Financeiro Quadro Evolutivo Setorial

Leia mais

Mamona Período: janeiro de 2015

Mamona Período: janeiro de 2015 Mamona Período: janeiro de 2015 Quadro I: preço pago ao produtor Centro de Produção UF Unidade 12 meses (a) Média de Mercado 1 mês (b) Mês atual (c) Preço mínimo Var % (c/a) Irecê BA 60kg 96,02 79,16 76,18

Leia mais

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DE 2014

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DE 2014 Relações com Investidores DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DE 2014 Apresentação: José Rubens de la Rosa CEO José Antonio Valiati CFO & Diretor de Relações com Investidores Thiago Arrué Deiro Gerente Financeiro

Leia mais

CUSTO DE PRODUÇÃO DE GRÃOS EM GUARAPUAVA-PR

CUSTO DE PRODUÇÃO DE GRÃOS EM GUARAPUAVA-PR CUSTO DE PRODUÇÃO DE GRÃOS EM GUARAPUAVA-PR Foi realizado no dia 10 de julho de 2012 em Guarapuava (PR), o painel de custos de produção de grãos. A pesquisa faz parte do Projeto Campo Futuro da Confederação

Leia mais

Gargalos logísticos e perspectivas

Gargalos logísticos e perspectivas Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais Gargalos logísticos e perspectivas Daniel Furlan Amaral Gerente de Economia ABN AMRO São Paulo SP 26 de janeiro de 2015 1 Produção de grãos cada vez

Leia mais

Levantamento de Custos de Produção de Cascavel PR

Levantamento de Custos de Produção de Cascavel PR Levantamento de Custos de Produção de Cascavel PR Os produtores de Cascavel se reuniram no dia 29/06, para realizar o levantamento de custos de produção de grãos para o projeto Campo Futuro, uma iniciativa

Leia mais

SOBRE COMERCIALIZAÇÃO DE ARROZ

SOBRE COMERCIALIZAÇÃO DE ARROZ CICLO DE PALESTRAS E DEBATES SOBRE COMERCIALIZAÇÃO DE ARROZ E TRIGO NO BRASIL Comissão de Agricultura e Reforma Agrária do Senado Federal Flávio Turra Gerente Técnico e Econômico da Ocepar fturra@ocepar.org.br

Leia mais

CARNE AVÍCOLA NOVEMBRO DE 2016

CARNE AVÍCOLA NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CARNE AVÍCOLA NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

VP Negócios Emergentes SN Agronegócios. Crédito Rural

VP Negócios Emergentes SN Agronegócios. Crédito Rural VP Negócios Emergentes SN Agronegócios Crédito Rural Agronegócio no Brasil fonte: SECEX/MDIC PIB Brasil 2013 R$ 4.838 bi Agronegócios R$ 1.020 bi * 21.08% US$ Bilhões 300 250 200 Exportações Brasileiras

Leia mais

BOLETIM DO MILHO Nº 13

BOLETIM DO MILHO Nº 13 BOLETIM DO MILHO Nº 13 COMERCIALIZAÇÃO O acompanhamento semanal de safras do DERAL indica que foram comercializadas, no Paraná, até o momento, 10,4 milhões de toneladas de milho, o que representa 73% da

Leia mais

MANUAL PRÁTICO DA CONJUNTURA ECONÔMICA Parte 2 11/11/2015

MANUAL PRÁTICO DA CONJUNTURA ECONÔMICA Parte 2 11/11/2015 MANUAL PRÁTICO DA CONJUNTURA ECONÔMICA Parte 2 11/11/2015 Índice 4 Agronegócio 7 Agricultura e seus efeitos regionais 5 6 4.1. O que é Agronegócio? 4.2. Por que analisar o Agronegócio? Conjuntura econômica

Leia mais

Gerenciamento de risco no agronegócio Ivan Wedekin

Gerenciamento de risco no agronegócio Ivan Wedekin Gerenciamento de risco no agronegócio Ivan Wedekin Junho de 2008 Assim caminha a humanidade 1. O consumidor é o grande beneficiário da inovação tecnológica no agronegócio. 2. Mais integração e adensamento

Leia mais

Teleconferência Resultados 3T07

Teleconferência Resultados 3T07 Teleconferência Resultados 3T07 Destaques no trimestre Crescimento orgânico da receita bruta de 31,4% no 3T07 e 36,6% nos12 mesesatésetembrode 2007 Impulsionado pelo crescimento de vendas no MI de 58,4%

Leia mais

Aviso. atualmente disponíveis para a Companhia.

Aviso. atualmente disponíveis para a Companhia. Aviso Eventuais declarações que possam ser feitas durante esta apresentação, relativas às perspectivas de negócios da Companhia, projeções e metas operacionais e financeiras, constituem se em crenças e

Leia mais

SEAB Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento DERAL - Departamento de Economia Rural. MILHO PARANENSE - SAFRA 2013/14 Novembro de 2013

SEAB Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento DERAL - Departamento de Economia Rural. MILHO PARANENSE - SAFRA 2013/14 Novembro de 2013 MILHO PARANENSE - SAFRA 2013/14 Novembro de 2013 A estimativa para a 1ª safra de milho, temporada 2013/14, aponta uma redução de aproximadamente 180 mil hectares, que representa um decréscimo de 23% em

Leia mais

APIMEC - SP 16 de dezembro de 2008

APIMEC - SP 16 de dezembro de 2008 APIMEC - SP 16 de dezembro de 2008 DISCLAIMER Eventuais declarações que possam ser feitas durante esta apresentação, relativas às perspectivas de negócios da Companhia, projeções e metas operacionais e

Leia mais

BOLETIM SEMANAL. Milho - Análise. 27 de abril de 2012 Número: 200

BOLETIM SEMANAL. Milho - Análise. 27 de abril de 2012 Número: 200 Milhões t Milho - Análise GRANDE OFERTA: Os preços do milho continuam em queda constante, desde quando os principais países produtores do mundo (exceto Argentina) anunciaram aumentar a produção e, em contrapartida,

Leia mais

Teleconferência dos Resultados 3T2009 Gerdau S.A. Consolidado IFRS

Teleconferência dos Resultados 3T2009 Gerdau S.A. Consolidado IFRS Teleconferência dos Resultados 3T2009 Gerdau S.A. Consolidado IFRS André Gerdau Johannpeter Diretor-Presidente e CEO Osvaldo B. Schirmer Vice-presidente e Diretor de RI 5 de novembro de 2009 Teleconferência

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MILHO NOVEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MILHO NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MILHO NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

Disclaimer e Confidencialidade. Este material é confidencial e não deve ser divulgado sem autorização expressa e formal da Renar Maças S.A.

Disclaimer e Confidencialidade. Este material é confidencial e não deve ser divulgado sem autorização expressa e formal da Renar Maças S.A. Renar Maçãs 2015 Disclaimer e Confidencialidade Este material é confidencial e não deve ser divulgado sem autorização expressa e formal da Renar Maças S.A. 2 Índice I Mercado de Maçãs II A Renar III Destaques

Leia mais

Cenário e a gestão do produtor em tempos de crise. Fernando Lobo Pimentel Eng. Agrônomo e Advogado

Cenário e a gestão do produtor em tempos de crise. Fernando Lobo Pimentel Eng. Agrônomo e Advogado Cenário e a gestão do produtor em tempos de crise Fernando Lobo Pimentel Eng. Agrônomo e Advogado Agenda Cenário macroeconômico Internacional Doméstico Mercado agrícola Soja e milho Status da Safra Atual

Leia mais

UM ANO 4, 10EM JANEIRO UM ANO US$ US$ OUTUBRO 27/10/2016 PERSPECTIVAS PARA O MERCADO DE SOJA E MILHO EM 2016/17

UM ANO 4, 10EM JANEIRO UM ANO US$ US$ OUTUBRO 27/10/2016 PERSPECTIVAS PARA O MERCADO DE SOJA E MILHO EM 2016/17 PERSPECTIVAS PARA O MERCADO DE SOJA E MILHO EM 2016/17 FERNANDO MURARO JR. Engenheiro agrônomo e analista de mercado da AgRural Commodities Agrícolas SINDIADUBOS CURITIBA (PR), 27/out/16 US$ R$ UM ANO

Leia mais

CONJUNTURA QUINZENAL 01 A 15/02/2016

CONJUNTURA QUINZENAL 01 A 15/02/2016 SOJA - MATO GROSSO CONJUNTURA QUINZENAL 01 A 15/02/2016 ANO 2 Nº14 A colheita avança e começa a derrubar os preços da soja em Mato Grosso. De acordo com dados do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária

Leia mais

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso

Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso Índice 1 - Conceito de Agronegócio e a atuação do Imea 2 - Agronegócio no Brasil e em Mato Grosso 2.1 Agronegócio Soja 2.2 Agronegócio Milho 2.3 Agronegócio Algodão

Leia mais

Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira. Cenário da cacauicultura

Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira. Cenário da cacauicultura Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira Cenário da cacauicultura Helinton Rocha Diretor Geral Brasília, DF 00:30 Brasília, 1º de abril de 2015

Leia mais

A Cemig e a Sustentabilidade Empresarial

A Cemig e a Sustentabilidade Empresarial A Cemig e a Sustentabilidade Empresarial Luiz Fernando Rolla Diretor de Finanças, Relações com Investidores e Controle de Participações O que é desenvolvimento sustentável? Éo desenvolvimento que atende

Leia mais

222 empresas com atividade em 539 municípios, localizados em 18 Estados. 2,2 milhões de hectares de área plantada para fins industriais

222 empresas com atividade em 539 municípios, localizados em 18 Estados. 2,2 milhões de hectares de área plantada para fins industriais II Encontro Brasileiro de Silvicultura (EBS) Setor de Celulose e Papel João Comério 11 de abril, 2011 Dados do Setor 222 empresas com atividade em 539 municípios, localizados em 18 Estados 2,2 milhões

Leia mais

18 de novembro de 2014

18 de novembro de 2014 Reunião Pública sobre o 3T14 e estratégia de crescimento A registrou no 3T14 um lucro líquido de R$ 2,7 milhões, 82% abaixo do lucro do 3T13, sensibilizado pelo crescimento de 17% da receita líquida, pela

Leia mais

Esalq a vista 148,77-0,77 149,54

Esalq a vista 148,77-0,77 149,54 COTAÇÕES AGRÍCOLAS SEMANAL SEMANA: 52 sexta-feira, 23 de dezembro de 216 BOI (contrato 33@) - Em R$/@ Esalq a vista 148,77 -,77 149,54 dez/16 149,59 -,12 149,5 149,99 1 2.59 149,71-39,6 jan/17 149,5 1,1

Leia mais

EBITDA Ajustado de R$ 97,7 milhões em 2015

EBITDA Ajustado de R$ 97,7 milhões em 2015 COTAÇÃO VAGR3 (23/03/2016) R$ 5,90 Total de Ações: 17.914.118 Market Cap: R$ 105,7 milhões PARTICIPANTES Arlindo de Azevedo Moura CEO Cristiano Soares Rodrigues CFO e DRI CONTATO www.v-agro.com.br/ri E-mail:

Leia mais

Biodiesel: Panorama e perspectivas. 23 de Abril 2014 Cuiabá - MT

Biodiesel: Panorama e perspectivas. 23 de Abril 2014 Cuiabá - MT Biodiesel: Panorama e perspectivas 23 de Abril 2014 Cuiabá - MT 1 Sumário Tecnologias de produção; A biomassa na matriz energética; Capacidade agrícola brasileira; Histórico do PNPB; Mercado; Novo marco

Leia mais

Atualmente lavouras da Região Centro-Sul, principalmente Guarapuava e União da Vitória, estão sendo afetadas pela estiagem.

Atualmente lavouras da Região Centro-Sul, principalmente Guarapuava e União da Vitória, estão sendo afetadas pela estiagem. Data : 11/03/2004 Hora : Título: Milho Fonte: Autor: Vera da Rocha Matéria: Apesar dos problemas climáticos no Paraná, ou seja, chuvas irregulares e mal distribuídas desde o início do ano, a produção da

Leia mais

RELATÓRIO ESTATÍSTICO DA SOJA AGOSTO/2008

RELATÓRIO ESTATÍSTICO DA SOJA AGOSTO/2008 Instituto Mato Grossense de Economia Agrícola RELATÓRIO ESTATÍSTICO DA SOJA AGOSTO/2008 Presindente: Rui Carlos Ottoni Prado Superintendente: Seneri Kernbeis Paludo Equipe Técnica: Anamaria Gaudencio Martins,Daniel

Leia mais

FIESP - 8º Encontro de Logística e Transportes A Hora do Investimento Privado

FIESP - 8º Encontro de Logística e Transportes A Hora do Investimento Privado FIESP - 8º Encontro de Logística e Transportes A Hora do Investimento Privado Painel: Logística e Competitividade Mineração e Agronegócio: Superando Obstáculos para o Escoamento da Produção (São Paulo-SP,

Leia mais

INDX apresenta alta de 2,67% em março

INDX apresenta alta de 2,67% em março INDX apresenta alta de 2,67% em março Dados de Março/11 Número 51 São Paulo O Índice do Setor Industrial (INDX), composto pelas ações mais representativas do segmento, encerrou o mês de março de 2010,

Leia mais

SMILES S.A. APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS 1T de maio de 2016

SMILES S.A. APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS 1T de maio de 2016 SMILES S.A. APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS 1T16 05 de maio de 2016 Aviso Importante O material divulgado pela Companhia reflete as expectativas dos administradores e poderá conter estimativas sobre eventos

Leia mais

Data Moeda Valor Vista Descrição Taxa US$ 07-Jul-00 Real 0,5816 Sem frete - PIS/COFINS (3,65%) NPR 1,81 14-Jul-00 Real 0,5938 Sem frete - PIS/COFINS

Data Moeda Valor Vista Descrição Taxa US$ 07-Jul-00 Real 0,5816 Sem frete - PIS/COFINS (3,65%) NPR 1,81 14-Jul-00 Real 0,5938 Sem frete - PIS/COFINS Data Moeda Valor Vista Descrição Taxa US$ 07-Jul-00 Real 0,5816 Sem frete - PIS/COFINS (3,65%) NPR 1,81 14-Jul-00 Real 0,5938 Sem frete - PIS/COFINS (3,65%) NPR 1,8 21-Jul-00 Real 0,6493 Sem frete - PIS/COFINS

Leia mais

Reunião Pública com Analistas e Investidores

Reunião Pública com Analistas e Investidores 2014 Reunião Pública com Analistas e Investidores Grupo São Martinho 300.000 Ha Área agrícola de colheita 4 usinas São Martinho, Iracema, Santa Cruz e Boa Vista 20 milhões de toneladas Capacidade de processamento

Leia mais

LSPA. Levantamento Sistemático da Produção Agrícola. Setembro de 2013. Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas no ano civil

LSPA. Levantamento Sistemático da Produção Agrícola. Setembro de 2013. Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas no ano civil Diretoria de Pesquisas Coordenação de Agropecuária Gerência de Agricultura LSPA Setembro de 213 Levantamento Sistemático da Agrícola Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas no

Leia mais

CAFÉ NOVEMBRO DE 2016

CAFÉ NOVEMBRO DE 2016 DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CAFÉ NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

CUSTO DE PRODUÇÃO DE GRÃOS EM CASTRO-PR

CUSTO DE PRODUÇÃO DE GRÃOS EM CASTRO-PR CUSTO DE PRODUÇÃO DE GRÃOS EM CASTRO-PR Foi realizado no dia 09 de julho de 2012 em Castro (PR), o painel de custos de produção de grãos. A pesquisa faz parte do Projeto Campo Futuro da Confederação da

Leia mais

MANUAL PRÁTICO DA CULTURA DA SOJA 17/06/2015

MANUAL PRÁTICO DA CULTURA DA SOJA 17/06/2015 MANUAL PRÁTICO DA CULTURA DA SOJA 17/06/2015 Índice O panorama do complexo soja O mercado mundial da soja O mercado da soja em Mato Grosso Principais rotas de escoamento da soja no Estado Como se formam

Leia mais

Relatório da Balança Comercial de Autopeças

Relatório da Balança Comercial de Autopeças dez/13 jan/14 mar/14 abr/14 jun/14 jul/14 set/14 out/14 dez/13 jan/14 mar/14 abr/14 jun/14 jul/14 set/14 out/14-1.067-914 -822-869 -707-761 -829-928 -678-749 -708-528 I Resultados Mensal: -30,3% Acum.

Leia mais

O MERCADO DE SOJA 1. INTRODUÇÃO

O MERCADO DE SOJA 1. INTRODUÇÃO O MERCADO DE SOJA 1. INTRODUÇÃO A cultura da soja apresenta relevante importância para a economia brasileira, sendo responsável por uma significativa parcela na receita cambial do Brasil, destacando-se

Leia mais

Evento: O Agronegócio e o Comércio Mundial. Agronegócio Brasileiro: Atualidade e Desafio

Evento: O Agronegócio e o Comércio Mundial. Agronegócio Brasileiro: Atualidade e Desafio Evento: O Agronegócio e o Comércio Mundial Agronegócio Brasileiro: Atualidade e Desafio São Paulo, 22 de Setembro de 2015 Parece que estamos decolando ECONOMIA A BRASILEIR Agronegócio - Balança Comercial

Leia mais

Resultados de Junho de 2014

Resultados de Junho de 2014 Junho / 2014 Resultados de Junho de 2014 - Exportação: US$ 20,5 bi, em valor, e média diária de US$ 1,023 bilhão; sobre mai-14, aumento de 3,6%, pela média diária; sobre jun-13, redução de 3,5%, pela média

Leia mais

A CRISE ATUAL: RISCOS E OPORTUNIDADES PARA O CENTRO-OESTE BRASILEIRO. Geraldo Barros Cepea/Esalq/USP

A CRISE ATUAL: RISCOS E OPORTUNIDADES PARA O CENTRO-OESTE BRASILEIRO. Geraldo Barros Cepea/Esalq/USP GB A CRISE ATUAL: RISCOS E OPORTUNIDADES PARA O CENTRO-OESTE BRASILEIRO Geraldo Barros Cepea/Esalq/USP A MACROECONOMIA O CRESCIMENTO DE LONGO PRAZO BRASIL,1850-2008 10 9 8 GB 7 6 5 4 PIB 3 2 1 PIB PC 0

Leia mais

Levantamento de Custos de Produção de Castro PR

Levantamento de Custos de Produção de Castro PR Levantamento de Custos de Produção de Castro PR Os produtores de Castro se reuniram no dia 27/06, para realizar o levantamento de custos de produção de grãos para o projeto Campo Futuro, uma iniciativa

Leia mais

Logística Vale Bienal dos Negócios da Agricultura 21/08/2009

Logística Vale Bienal dos Negócios da Agricultura 21/08/2009 Logística Vale Bienal dos Negócios da Agricultura 21/08/2009 Logística Vale Corredores Logísticos Legenda Ferrovias Estrada de Ferro Carajás - EFC Ferrovia Norte Sul FNS Ferrovia Norte Sul FNS (em construção)

Leia mais

RENDA VARIÁVEL. Novembro / 2011

RENDA VARIÁVEL. Novembro / 2011 Novembro / 2011 Acreditamos no Investimento em Renda Variável O mercado americano é um exemplo de consistentes e elevados retornos no longo prazo 2 A Bolsa Brasileira também Apresenta Sólidos Resultados

Leia mais

Sorgo Período: junho de 2016

Sorgo Período: junho de 2016 Sorgo Período: junho de 2016 Quadro I: Preços pagos ao produtor Centro de Produção UF Unidade Média de Mercado 12 1 meses (a) mês (b) Mês atual (c) Preço mínimo Var % (c/a) Verde GO 60kg 21,42 24,56 27,73

Leia mais

Geração de Caixa Operacional de R$ 70,5 milhões no 1S16

Geração de Caixa Operacional de R$ 70,5 milhões no 1S16 COTAÇÃO VAGR3 (09/08/2016) R$ 16,12/ação Total de Ações: 17.914.118 Market Cap: R$ 288,8 milhões PARTICIPANTES Arlindo de Azevedo Moura CEO Geração de Caixa Operacional de R$ 70,5 milhões no 1S16 São Paulo,

Leia mais

A Agricultura do Brasil e do Paraná

A Agricultura do Brasil e do Paraná Governo do Estado do Paraná A Agricultura do Brasil e do Paraná Políticas Públicas para a Produção de Biodiesel Orlando Pessuti Vice-Governador Abril/2007 BRASIL 5º Maior país do mundo PIB de US$ 1,0 trilhão

Leia mais

Balanço dos 10 anos do Selo Combustível Social

Balanço dos 10 anos do Selo Combustível Social SEMINÁRIO NACIONAL DE AVALIAÇÃO DO SELO COMBUSTÍVEL SOCIAL: A INCLUSÃO SOCIAL E PRODUTIVA DA AGRICULTURA FAMILIAR NOS 10 ANOS DO PNPB Balanço dos 10 anos do Selo Combustível Social Dezembro de 2015 Brasília

Leia mais

Perspectivas para os mercados de soja e milho.

Perspectivas para os mercados de soja e milho. Perspectivas para os mercados de soja e milho www.intlfcstone.com Aviso Legal A negociação de derivativos, tais como futuros, opções e swaps pode não ser adequada para todos os investidores. A negociação

Leia mais

CONJUNTURA QUINZENAL 16 A 30/11/2015

CONJUNTURA QUINZENAL 16 A 30/11/2015 SOJA - MATO GROSSO CONJUNTURA QUINZENAL 16 A 30/11/2015 ANO 1 Nº9 O ritmo intenso de plantio da soja em Mato Grosso ao longo de todo o mês de novembro contribuiu para que a marca de 95,6% fosse atingida

Leia mais