1 - INTRODUÇÃO 2 - METODOLOGIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1 - INTRODUÇÃO 2 - METODOLOGIA"

Transcrição

1 SUMÁRIO 1. Introdução Metodologia Estimativa da Área Plantada Estimativa da Produção Avaliação das Culturas Algodão Arroz Feijão Milho Soja Trigo Estimativas de Área, Produção e Produtividade... 7 a Estimativa Mensal de Colheita a Balanço de Oferta e Demanda... 24

2 SEXTO LEVANTAMENTO DE AVALIAÇÃO DA SAFRA 2006/2007 MARÇO INTRODUÇÃO O Ministério da Agricultura, - MAPA, por meio da Companhia Nacional de Abastecimento Conab, realiza levantamentos das safras agrícolas para quantificar e acompanhar a produção brasileira. O presente trabalho é de grande valia na elaboração e acompanhamento das políticas agrícolas e de abastecimento, permitindo aos gestores de políticas públicas conhecer, antecipadamente, os eventuais problemas de abastecimento e adotar, tempestivamente, as devidas ações corretivas, bem como, informar o mercado sobre o volume a ser produzido, de forma a subsidiar o seu planejamento. Para a realização do presente levantamento, técnicos da CONAB mantiveram contato com as fontes de informação dos principais municípios produtores do país: Secretarias de Agricultura, Órgãos de Assistência Técnica e Extensão Rural (oficiais e privados), Agentes Financeiros, produtores rurais, Escritórios de Planejamento e técnicos de Cooperativas. A Conab agradece a todos aqueles que, direta ou indiretamente, participaram da realização deste trabalho. 2 - METODOLOGIA As estimativas de área e produção foram desenvolvidas dentro dos seguintes critérios: a) Safra de Verão 2006/2007: Para as culturas de algodão, amendoim 1ª e 2ª safras, arroz, feijão 1ª e 2ª safras, milho 1ª e 2ª safras, mamona e soja, nos Estados das Regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste, oeste da Bahia, sul do Maranhão e sul do Piauí, foram utilizados os dados da pesquisa. Nos Estados onde não foi efetuada a pesquisa, em razão do calendário agrícola, foram mantidos os dados de área da safra anterior e utilizadas as produtividades médias dos últimos cinco anos, descartando-se os anos atípicos. b) Culturas de Inverno: Para as culturas de aveia, centeio, cevada, trigo e triticale foram utilizados os dados da pesquisa. c) Safra da Região Norte/Nordeste, exceto sul do Maranhão e sul do Piauí: Foram repetidas as áreas da safra 2005/06, exceto nos Estados onde foi realizada a pesquisa. Para a estimativa da produtividade, foi considerada a média dos últimos cinco anos, descartandose os anos atípicos. Avaliação da Safra Agrícola 2006/2007 Sexto Levantamento Março/2007 2

3 3 - ESTIMATIVA DA ÁREA PLANTADA A área cultivada no País é de 45,6 milhões de hectares. Comparativamente à safra anterior (47,3 milhões de hectares), verifica-se uma redução de 3,5%, ou seja, deixaram de ser cultivadas, 1,7 milhão de hectares. Quando comparada ao levantamento fevereiro (45,5 milhões de hectares), houve um ajuste de mais 0,3% (119,1 mil hectares). A soja, o milho 1ª safra, o feijão 1ª e 3ª safras, o arroz, o trigo e o algodão tiveram suas áreas mantidas. O milho 2ª safra foi reajustado para cima em 4,7% (173,9 mil hectares). O feijão 2ª safra teve sua área reduzida em 2,7% (em 54,8 mil hectares). Da área total, a soja ocupa 45,1% (20,6 milhões de hectares), seguido pelo milho total, com 29,2% (13,3 milhões de hectares), pelo feijão total, com 9,4% (4,3 milhões de hectares), e pelo arroz, com 6,6% (3,0 milhões de hectares). ESTIMATIVA DE ÁREA PLANTADA SAFRA VARIAÇÃO (Em 1000 ha) Safra Levantamento 05/06 06/07 Anterior Anterior CULTURA Área Área Área Particip. Particip. Particip. Percent. Abs. Percent. Abs. Fevereiro março (%) (%) (%) (a) (b) (c) (c) / (a) (c) - (a) (c) / (b) (c) - (b) SOJA ,3 47, ,5 45, ,5 45,1 (7,4) (1.648,8) - - MILHO ,9 27, ,9 28, ,8 29,2 3,0 386,9 1,3 173,9 MILHO 1ª SAFRA 9.652,8 20, ,1 20, ,1 20,7 (1,8) (177,7) - - MILHO 2ª SAFRA 3.311,1 7, ,8 8, ,7 8,5 17,1 564,6 4,7 173,9 FEIJÃO 4.223,6 8, ,8 9, ,0 9,4 1,2 52,4 (1,3) (54,8) FEIJÃO 1ª SAFRA 1.233,3 2, ,4 2, ,4 2,9 8,5 105,1 - - FEIJÃO 2ª SAFRA 2.051,3 4, ,4 4, ,6 4,4 (2,6) (52,7) (2,7) (54,8) FEIJÃO 3ª SAFRA 939,0 2,0 939,0 2,1 939,0 2, ARROZ 2.996,2 6, ,4 6, ,4 6,6 0,0 1,2 - - TRIGO 2.361,8 5, ,0 3, ,0 3,9 (25,6) (603,8) - - ALGODÃO - CAROÇO 856,2 1, ,9 2, ,9 2,3 22,3 190,7 - - DEMAIS PRODUTOS 1.694,9 3, ,1 3, ,1 3,5 (3,2) (54,8) 0,0 0, ,9 100, ,6 100, ,7 100,0 (3,5) (1.676,2) 0,3 119,1 Fonte: CONAB - Levantamento: Mar / ESTIMATIVA DA PRODUÇÃO A produção é de 127,7 milhões de toneladas, sendo a maior da história. Comparativamente à safra anterior (120,8 milhões de toneladas), verifica-se um crescimento de 5,7% (6,9 milhões de toneladas). Comparada à do levantamento de fevereiro, a produção cresceu 0,9% (1,2 milhões de toneladas), em função do ajuste na área e do comportamento climático favorável às lavouras. Avaliação da Safra Agrícola 2006/2007 Sexto Levantamento Março/2007 3

4 ESTIMATIVA DE PRODUÇÃO (Em 1000 t) SAFRA VARIAÇÃO Safra Levantamento 05/06 06/07 Anterior Anterior PRODUTO Produção Produção Produção Particip. Particip. Particip. Percent. Abs. Percent. Abs. fevereiro março (%) (%) (%) (a) (b) (c) (c) / (a) (c) - (a) (c) / (b) (c) - (b) SOJA ,9 44, ,3 44, ,8 44,4 6, ,9 0,7 390,5 MILHO ,9 35, ,6 37, ,9 38,2 14, ,0 1,7 828,3 MILHO 1ª SAFRA ,0 26, ,8 28, ,1 28,0 12, ,1 0,5 171,3 MILHO 2ª SAFRA ,9 8, ,8 9, ,8 10,2 21, ,9 5,3 657,0 FEIJÃO 3.471,2 2, ,8 2, ,3 2,8 3,1 107,1 (1,2) (42,5) FEIJÃO 1ª SAFRA 1.149,3 1, ,2 1, ,2 1,1 27,5 315,9 - - FEIJÃO 2ª SAFRA 1.462,2 1, ,4 1, ,9 1,0 (11,9) (173,3) (3,2) (42,5) FEIJÃO 3ª SAFRA 859,7 0,7 824,2 0,7 824,2 0,7 (4,1) (35,5) - - ARROZ ,0 9, ,0 8, ,0 8,9 (2,3) (264,0) - - TRIGO 4.873,1 4, ,7 1, ,7 1,7 (54,2) (2.639,4) - - ALGODÃO - CAROÇO 1.685,7 1, ,5 1, ,5 1,7 29,1 489,8 - - DEMAIS PRODUTOS 3.237,0 2, ,7 2, ,7 2,3 (10,7) (345,3) ,8 100, ,6 100, ,9 100,0 5, ,1 0, ,3 Fonte: CONAB - Levantamento: Mar / AVALIAÇÃO DAS CULTURAS 5.1. ALGODÃO A área cultivada é de 1,05 milhão de hectares, 22,3% superior à da safra anterior. A produção de caroço de algodão será superior à da safra passada em 29,1% (489,8 mil toneladas) e a de pluma em 33,0% (342,6 mil toneladas). Confirma-se, assim, o ganho de área relacionado a uma melhora nos preços do produto no âmbito dos mercados interno e externo. Por outro lado, nos Estados de São Paulo e Paraná, o algodão cedeu área para a cana-de-açúcar. Nesses Estados, o algodão é cultivado, em sua grande maioria, por pequenos produtores que comercializam o produto em forma in natura resultando numa remuneração pouco atrativa. No Distrito Federal a área cultivada com algodão foi reduzida de 2,9 para 0,8 mil hectares, dando lugar à produção de soja. A produção nacional de algodão em caroço é de 3,6 milhões de toneladas, das quais a pluma participa com 38,8%, ou seja, 1,4 milhão de toneladas. Essa produção supera em 30,6% a da safra anterior. Na região Centro-Oeste, maior produtora, destaca-se um incremento de 42,2% no Mato Grosso do Sul, 40,4% no Mato Grosso e 34,0% em Goiás ARROZ Avaliação da Safra Agrícola 2006/2007 Sexto Levantamento Março/2007 4

5 Praticamente não houve alteração na área cultivada, em relação à safra anterior, ficando em 3,0 milhões de hectares. A produção está estimada em 11,3 milhões de toneladas, sendo inferior em 2,3% à da safra anterior, ocasião em que essa cultura obteve produtividade recorde no Rio Grande do Sul, maior produtor nacional. As boas condições climáticas que vêm se verificando em todo o país poderão elevar os níveis de produtividade, podendo alcançar ou superar a da safra anterior. Fato esse, que será aferido no próximo levantamento FEIJÃO A presente avaliação indica um incremento de 1,2% (52,4 mil hectares) na área cultivada com feijão total, em relação à safra anterior, mas uma leve queda de 1,3% (54,8 mil hectares) em relação ao levantamento anterior. Dos 4,3 milhões de hectares cultivados com essa leguminosa, 1,3 milhões (31,3%) são de 1ª safra, 2,0 milhões (46,7%) são de 2ª safra e, o restante (22%), são de 3ª safra. A produção de feijão total está estimada em 3,6 milhões de toneladas, superior em 107,1 mil toneladas (3,1%) à da safra anterior. Desse total 1,5 milhão de toneladas (40,9%) é de 1ª safra, 1,3 milhão (36,0%) é de 2ª safra e o restante, 0,8 milhão (23,1%) é de 3ª safra. Tendo em vista o preço do produto não atrativo no período de implantação do feijão 2ª safra, alguns produtores optaram pelo milho, ou seja, deixarão de ser cultivados 52,7 mil hectares, o que representa uma retração de 2,6% na área de feijão 2ª safra em relação ao ciclo anterior. Redução essa, verificada nos Estados de Minas Gerais (3,0%), São Paulo (2,0%), Paraná (23,0%), Santa Catarina (3,0%) e no Rio Grande do Sul (2,8%) MILHO A área cultivada com milho 1ª e 2ª safras é de 13,4 milhões de hectares, superior à da safra passada em 3,0%, ou seja, estão sendo cultivados 386,9 mil hectares a mais. Dessa área, 9,5 milhões de hectares (71,0%) foram cultivadas com milho 1ª safra e o restante, 3,9 milhões (29,0%), serão cultivados com milho 2ª safra. A área cultivada com milho 2ª safra cresceu 564,6 mil hectares (17,1%) quando comparada com a safra anterior. Essa expansão deve-se aos bons preços do produto e as condições climáticas favoráveis. A produção total é estimada em 48,8 milhões de toneladas, superior em 6,2 milhões (14,7%) à da safra 2005/06. Desse total, 35,8 milhões (73,4%) são de 1ª safra e o restante, 13,0 milhões (26,6%), são de 2ª safra. Apesar da redução de 177,7 mil hectares (1,8%) na área plantada com milho na 1ª safra, houve um incremento de 4,0 milhões de toneladas na sua produção, em função das boas condições climáticas ocorridas durante todo o ciclo da cultura. E espera-se um Avaliação da Safra Agrícola 2006/2007 Sexto Levantamento Março/2007 5

6 aumento de 2,3 milhões de toneladas (21,1%) na produção da 2ª safra em função do aumento de 564,6 mil hectares (17,1%) na área, estimulado pelos preços de mercado, e pelas boas condições climáticas. Como a 2ª safra encontra-se em processo de implantação estamos trabalhando com uma produtividade bastante conservadora, ou seja, 3.344Kg/ha, ainda dependente das condições climatológicas SOJA A área cultivada com soja nesta safra é de 20,6 milhões de hectares, 1,6 milhões (7,4%) inferior à de 2005/06. A redução de área deve-se à perspectiva de mercado, levando o agricultor a plantar nas áreas mais produtivas. Apesar da redução na área cultivada, as boas condições climáticas favoreceram a produtividade média do país, que passou de kg/ha para kg/ha, ou seja, houve um incremento de 14,6% que elevou a produção de 53,4 milhões de toneladas para 56,7 milhões, 6,2% maior do que a safra anterior. Cabe destacar que no norte do Mato Grosso as chuvas prejudicaram a colheita das lavouras de ciclo precoce, impactando negativamente na produtividade média do Estado, passando de kg/ha no levantamento de fevereiro para kg/ha. Entretanto, os Estados do Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul tiveram suas produtividade aumentadas em relação ao levantamento anterior, em 2,2%, 2,0%, 5,3% e 2,4% respectivamente, em função das boas condições climáticas que têm favorecido as lavouras em estágio de frutificação e maturação. Esses dados serão apreciados no próximo levantamento, quando os técnicos irão a campo a fim de confirmar essas produtividades, quando as lavouras estarão em estágio mais avançado de desenvolvimento TRIGO As lavouras de trigo encontram-se completamente colhidas. A área cultivada foi de 1,76 milhão de hectares, inferior à da safra passada em 25,6%, redução essa, impulsionada pelos baixos preços do produto e pelas condições climáticas adversas na época da implantação da cultura (estiagem) e no período de floração e frutificação (geadas). Como resultado, a produtividade da safra caiu para kg/ha, sendo inferior á da safra anterior em 38,4%. Em função da redução da área plantada e da produtividade, a produção foi de 2,23 milhões de toneladas, inferior à da safra passada em 54,2% (2,64 milhões de toneladas). Avaliação da Safra Agrícola 2006/2007 Sexto Levantamento Março/2007 6

7 6 - ESTIMATIVAS DE ÁREA, PRODUÇÃO E PRODUTIVIDADE Quadro 1 ESTIMATIVA DE Á REA PLANTADA (Em 1000 ha) SAFRA VARIAÇÃO 06/07 CULTURA 05/06 Fev/2007 M ar/2007 Percentual Absoluta (a) (b) (c) c / a c - a ALGODÃO 856, , ,9 22,3 190,7 AM ENDOIM TOTAL 113,1 101,3 101,3 (10,4) (11,8) AM ENDOIM 1ª SAFRA 81,8 70,0 70,0 (14,4) (11,8) AM ENDOIM 2ª SAFRA 31,3 31,3 31,3 - - ARROZ 2.996, , ,4-1,2 AVEIA 356,8 321,4 321,4 (9,9) (35,4) CENTEIO 4,3 4,3 4,3 - - CEVADA 142,9 93,3 93,3 (34,7) (49,6) FEIJÃO TOTAL 4.223, , ,0 1,2 52,4 FEIJÃO 1ª SAFRA 1.233, , ,4 8,5 105,1 FEIJÃO 2ª SAFRA 2.051, , ,6 (2,6) (52,7) FEIJÃO 3ª SAFRA 939,0 939,0 939,0 - - GIRASSOL 66,9 80,9 80,9 20,9 14,0 M AM ONA 147,9 209,1 209,1 41,4 61,2 M ILHO TOTAL , , ,8 3,0 386,9 M ILHO 1ª SAFRA 9.652, , ,1 (1,8) (177,7) M ILHO 2ª SAFRA 3.311, , ,7 17,1 564,6 SOJA , , ,5 (7,4) (1.648,8) SORGO 731,9 722,2 722,2 (1,3) (9,7) TRIGO 2.361, , ,0 (25,6) (603,8) TRITICALE 131,1 107,7 107,7 (17,8) (23,4) , , ,7 (3,5) (1.676,2) Quadro 2 ESTIMATIVA DA PRODUÇÃO DE GRÃOS ( Em 1000 t) SAFRA VARIAÇÃO 06/07 Percentual Absoluta PRODUTO 05/06 Fev/2007 M ar/2007 (c)/(a) (c)-(a) (a) (b) (c) (1) ALGODÃO - CAROÇO 1.685, , ,5 29,1 489,8 ALGODÃO - PLUM A 1.037, , ,5 33,0 342,7 AM ENDOIM TOTAL 267,7 242,5 242,5 (9,4) (25,2) AM ENDOIM 1ª SAFRA 209,4 184,9 184,9 (11,7) (24,5) AM ENDOIM 2ª SAFRA 58,4 57,6 57,6 (1,3) (0,8) ARROZ , , ,0 (2,3) (263,9) AVEIA 516,5 378,0 378,0 (26,8) (138,5) CENTEIO 6,6 5,9 5,9 (10,6) (0,7) CEVADA 399,4 188,5 188,5 (52,8) (210,9) FEIJÃO TOTAL 3.471, , ,3 3,1 107,1 FEIJÃO 1ª SAFRA 1.149, , ,2 27,5 315,9 FEIJÃO 2ª SAFRA 1.462, , ,9 (11,9) (173,3) FEIJÃO 3ª SAFRA 859,7 824,2 824,2 (4,1) (35,5) GIRASSOL 93,6 120,0 120,0 28,2 26,4 M AM ONA 103,9 152,3 152,3 46,6 48,4 M ILHO TOTAL , , ,9 14, ,0 M ILHO 1ª SAFRA , , ,1 12, ,1 M ILHO 2ª SAFRA , , ,8 21, ,9 SOJA , , ,8 6, ,9 SORGO 1.543, , ,7 3,7 57,7 TRIGO 4.873, , ,7 (54,2) (2.639,4) TRITICALE 306,3 203,8 203,8 (33,5) (102,5) (2) , , ,9 5, ,1 (1) Produção de caroço de alg odão. (2) Exclui a p roduç ão de alg odão em p lu m a. Avaliação da Safra Agrícola 2006/2007 Sexto Levantamento Março/2007 7

8 Quadro 3 DE GRÃOS - PRODUTOS SELECIONADOS(*) ÁREA (Em mil ha) MÉDIA (Em kg/ha) PRODUÇÃO (Em mil t) NORTE 1.724, ,0 (1,6) , , ,1 3,9 RR 57,2 57, ,6 203,5 204,7 0,6 RO 390,2 367,3 (5,9) ,3 751,3 744,5 (0,9) AC 77,0 77,4 0, ,3 95,3 98,0 2,8 AM 29,6 29, ,2 53,4 53,5 0,1 AP 5,8 5,9 1, ,8 5,5 5,6 2,7 PA 641,0 636,5 (0,7) (4,9) 1.296, ,6 (5,6) TO 523,9 523,1 (0,1) , , ,2 18,2 NORDESTE 7.961, ,6 2, , , ,6 9,6 MA 1.343, ,5 (1,4) , , ,5 (0,8) PI 942,0 953,9 1, , , ,9 30,2 CE 1.250, ,0 (0,1) (8,9) 1.142, ,9 (8,9) RN 192,8 192, (4,4) 123,3 118,0 (4,3) PB 409,9 409, (26,3) 304,8 224,5 (26,3) PE 629,3 629, (21,4) 414,6 326,0 (21,4) AL 195,6 195, (4,4) 121,1 115,8 (4,4) SE 203,1 203, (2,3) 249,1 243,5 (2,2) BA 2.795, ,5 5, , , ,5 22,2 CENTRO-OESTE , ,2 (4,9) , , ,4 5,4 MT 7.761, ,8 (5,5) , , ,9 2,7 MS 2.839, ,9 (5,3) , , ,6 9,6 GO 3.698, ,8 (3,6) , , ,5 8,0 DF 119,5 118,7 (0,7) ,0 437,3 482,4 10,3 SUDESTE 5.433, ,0 (5,9) , , ,2 2,9 MG 3.113, ,7 (4,4) , , ,4 10,1 ES 67,5 65,5 (2,9) ,6 111,7 114,5 2,5 RJ 20,4 20,0 (1,9) (2,3) 41,0 39,3 (4,2) SP 2.232, ,8 (8,2) , , ,1 (6,4) SUL , ,9 (4,3) , , ,6 6,1 PR 8.783, ,0 (5,2) , , ,4 9,9 SC 1.497, ,2 (1,9) , , ,6 16,4 RS 7.507, ,7 (3,8) , , ,6 (1,0) NORTE/NORDESTE 9.686, ,6 1, , , ,7 8,1 CENTRO-SUL , ,1 (4,8) , , ,2 5, , ,7 (3,5) , , ,9 5,7 (*) Produtos selecionados: Caroço de algodão, amendoim (1ª e 2ª safras), arroz, aveia, centeio, cevada, feijão (1ª, 2ª e 3ª safras), girassol, mamona, milho (1ª e 2ª safras), soja, sorgo, trigo e triticale. Quadro 4 ALGODÃO EM CAROÇO ÁREA (Em mil ha) PRODUTIVIDADE (Em kg/ha) PRODUÇÃO (Em mil t) NORTE - 1, ,6 - TO - 1, ,6 - NORDESTE 300,5 347,7 15, ,2 872, ,4 24,0 MA 7,3 7, ,8 20,8 24,1 15,8 PI 13,8 17,3 25, ,9 48,6 25,0 CE 9,7 9, ,0 8,0 - RN 14,1 14, ,6 9,6 - PB 8,5 8, ,9 6,9 - PE 3,2 3, ,3 2,3 - AL 10,2 10, ,1 4,1 - BA 233,7 277,4 18, ,4 781,7 977,8 25,1 CENTRO-OESTE 465,6 623,9 34, , , ,1 39,2 MT 366,0 501,4 37, , , ,2 40,4 MS 30,0 42,3 41, ,8 108,0 153,5 42,2 GO 66,7 79,4 19, ,6 193,8 259,5 34,0 DF 2,9 0,8 (72,4) ,2 8,8 2,7 (69,0) SUDESTE 74,2 61,4 (17,2) ,9 193,1 174,0 (9,9) MG 30,4 32,5 7, ,5 86,6 96,0 10,8 SP 43,8 28,9 (34,0) ,1 106,4 78,1 (26,7) SUL 15,9 12,9 (19,0) ,0 30,1 30,9 2,9 PR 15,9 12,9 (19,0) ,0 30,1 30,9 2,9 NORTE/NORDESTE 300,5 348,7 16, ,2 872, ,0 24,4 CENTRO-SUL 555,7 698,2 25, , , ,0 33,5 856, ,9 22, , , ,0 30,6 Avaliação da Safra Agrícola 2006/2007 Sexto Levantamento Março/2007 8

9 Quadro 5 ALGODÃO EM PLUMA ÁREA (Em mil ha) PRODUTIVIDADE (Em kg/ha) PRODUÇÃO (Em mil t) NORTE - 1, ,4 - TO - 1, ,4 - NORDESTE 300,5 347,7 15, ,9 335,0 422,0 26,0 MA 7,3 7, ,8 7,8 9,0 15,8 PI 13,8 17,3 25, (8,3) 14,0 16,1 14,6 CE 9,7 9, ,8 2,8 - RN 14,1 14, ,4 3,4 - PB 8,5 8, ,4 2,4 - PE 3,2 3, ,7 0,7 - AL 10,2 10, ,4 1,4 - BA 233,7 277,4 18, ,6 302,5 386,2 27,7 CENTRO-OESTE 465,6 623,9 34, ,9 620,4 880,4 41,9 MT 366,0 501,4 37, ,6 503,3 721,6 43,4 MS 30,0 42,3 41, ,2 41,0 59,1 44,0 GO 66,7 79,4 19, ,1 72,7 98,6 35,7 DF 2,9 0,8 (72,4) ,2 3,3 1,0 (69,0) SUDESTE 74,2 61,4 (17,2) ,3 71,9 65,6 (8,7) MG 30,4 32,5 7, ,5 32,5 36,0 10,8 SP 43,8 28,9 (34,0) ,1 39,4 29,7 (24,7) SUL 15,9 12,9 (19,0) ,5 10,6 11,1 4,9 PR 15,9 12,9 (19,0) ,5 10,6 11,1 4,9 NORTE/NORDESTE 300,5 348,7 16, ,9 335,0 423,4 26,4 CENTRO-SUL 555,7 698,2 25, ,4 702,8 957,1 36,2 856, ,9 22, , , ,5 33,0 Quadro 6 CAROÇO DE ALGODÃO ÁREA (Em mil ha) PRODUTIVIDADE (Em kg/ha *) PRODUÇÃO (Em mil t) NORTE - 1, ,2 - TO - 1, ,2 - NORDESTE 300,5 347,7 15, ,1 537,3 659,4 22,7 MA 7,3 7, ,8 13,0 15,1 15,8 PI 13,8 17,3 25, ,7 24,9 32,6 30,9 CE 9,7 9, ,2 5,2 - RN 14,1 14, ,2 6,2 - PB 8,5 8, ,5 4,5 - PE 3,2 3, ,5 1,5 - AL 10,2 10, ,8 2,8 - BA 233,7 277,4 18, ,0 479,2 591,6 23,5 CENTRO-OESTE 465,6 623,9 34, , , ,7 37,5 MT 366,0 501,4 37, ,2 814, ,6 38,6 MS 30,0 42,3 41, ,0 67,0 94,4 41,0 GO 66,7 79,4 19, ,7 121,1 160,9 32,9 DF 2,9 0,8 (72,4) ,2 5,4 1,7 (69,0) SUDESTE 74,2 61,4 (17,2) ,0 121,2 108,4 (10,6) MG 30,4 32,5 7, ,5 54,2 60,0 10,8 SP 43,8 28,9 (34,0) ,3 67,1 48,4 (27,8) SUL 15,9 12,9 (19,0) ,6 19,4 19,8 1,7 PR 15,9 12,9 (19,0) ,6 19,4 19,8 1,7 NORTE/NORDESTE 300,5 348,7 16, ,1 537,3 661,7 23,1 CENTRO-SUL 555,7 698,2 25, , , ,8 31,8 856, ,9 22, , , ,5 29,1 Avaliação da Safra Agrícola 2006/2007 Sexto Levantamento Março/2007 9

10 Quadro 7 AMENDOIM 1ª SAFRA CENTRO-OESTE 2,9 4,2 44, ,4 6,6 12,0 81,6 MS 1,9 1, ,2 4,7 5,1 9,2 GO 1,0 2,3 130, ,5 1,9 6,9 255,3 SUDESTE 69,2 56,2 (18,8) ,1 187,4 155,3 (17,1) MG 2,5 1,5 (40,0) ,5 4,0 2,5 (38,5) SP 66,7 54,7 (18,0) ,6 183,4 152,9 (16,7) SUL 9,7 9,6 (1,1) ,9 15,3 17,6 14,6 PR 5,1 5,0 (2,0) ,7 8,8 11,0 25,2 RS 4,6 4, ,4 6,5 6,5 0,4 CENTRO-SUL 81,8 70,0 (14,4) ,2 209,4 184,9 (11,7) 81,8 70,0 (14,4) ,2 209,4 184,9 (11,7) Quadro 8 AMENDOIM 2ª SAFRA ÁREA (Em mil ha) PRODUTIVIDADE (Em kg/ha) PRODUÇÃO (Em mil t) NORDESTE 11,1 11, ,5 12,7 13,1 3,5 CE 0,8 0, (4,9) 1,0 1,0 (4,9) PB 1,9 1, (19,2) 2,3 1,8 (19,2) SE 1,2 1, (0,3) 1,4 1,4 (0,3) BA 7,2 7, ,8 7,9 8,9 11,8 CENTRO-OESTE 7,3 7, (2,1) 21,3 20,9 (2,1) MT 7,3 7, (2,1) 21,3 20,9 (2,1) SUDESTE 12,9 12, (3,2) 24,4 23,6 (3,2) SP 12,9 12, (3,2) 24,4 23,6 (3,2) NORTE/NORDESTE 11,1 11, ,5 12,7 13,1 3,5 CENTRO-SUL 20,2 20, (2,7) 45,7 44,5 (2,7) 31,3 31, (1,3) 58,4 57,6 (1,3) Quadro 9 AMENDOIM TOTAL (1ª e 2ª SAFRA) ÁREA (Em mil ha) PRODUTIVIDADE (Em kg/ha) PRODUÇÃO (Em mil t) NORDESTE 11,1 11, ,5 12,7 13,1 3,5 CE 0,8 0, (4,9) 1,0 1,0 (4,9) PB 1,9 1, (19,2) 2,3 1,8 (19,2) SE 1,2 1, (0,3) 1,4 1,4 (0,3) BA 7,2 7, ,8 7,9 8,9 11,8 CENTRO-OESTE 10,2 11,5 12, ,4 27,9 32,8 17,7 MT 7,3 7, (2,1) 21,3 20,9 (2,1) MS 1,9 1, ,2 4,7 5,1 9,2 GO 1,0 2,3 130, ,5 1,9 6,9 255,3 SUDESTE 82,1 69,1 (15,8) ,4 211,8 178,9 (15,5) MG 2,5 1,5 (40,0) ,5 4,0 2,5 (38,5) SP 79,6 67,6 (15,1) ,0 207,8 176,5 (15,1) SUL 9,7 9,6 (1,1) ,9 15,3 17,6 14,6 PR 5,1 5,0 (2,0) ,7 8,8 11,0 25,2 RS 4,6 4, ,4 6,5 6,5 0,4 NORTE/NORDESTE 11,1 11, ,5 12,7 13,1 3,5 CENTRO-SUL 102,0 90,2 (11,6) ,7 255,1 229,4 (10,1) 113,1 101,3 (10,4) ,1 267,7 242,5 (9,4) Avaliação da Safra Agrícola 2006/2007 Sexto Levantamento Março/

11 Quadro 10 ARROZ ÁREA (Em mil ha) PRODUTIVIDADE (Em kg/ha) PRODUÇÃO (Em mil t) NORTE 455,4 488,5 7, , , ,2 13,4 RR 23,5 23, ,0 122,2 123,4 1,0 RO 76,0 72,2 (5,0) ,3 146,7 151,0 2,9 AC 24,6 24, ,2 33,2 33,6 1,2 AM 10,9 10, (0,6) 20,8 20,7 (0,6) AP 3,3 3, ,3 3,7 3,7 1,3 PA 211,6 211, (1,0) 423,2 419,0 (1,0) TO 105,5 142,4 35, ,6 264,8 398,8 50,6 NORDESTE 734,9 755,2 2, , , ,1 12,2 MA 506,3 511,4 1, ,1 708,9 723,6 2,1 PI 148,2 160,1 8, ,0 195,0 280,1 43,6 CE 35,7 34,7 (2,8) ,8 113,5 113,4 (0,1) RN 1,5 1, ,3 3,7 3,9 5,3 PB 7,8 7, (1,2) 10,8 10,7 (1,2) PE 4,8 4, ,3 21,0 24,9 18,3 AL 3,2 3, ,5 13,4 14,5 7,5 SE 9,8 9, ,4 33,0 40,4 22,4 BA 17,6 22,0 25, ,2 15,7 39,6 152,8 CENTRO-OESTE 442,2 492,9 11, , , ,1 18,9 MT 287,5 330,6 15, ,8 738,8 899,2 21,7 MS 43,4 42,1 (3,0) ,1 193,3 202,7 4,8 GO 111,2 120,1 8, ,9 206,8 252,2 21,9 DF 0,1 0, ,1 0,1 - SUDESTE 127,4 115,3 (9,5) ,3 300,8 275,7 (8,3) MG 92,5 85,0 (8,1) ,3 198,9 187,0 (6,0) ES 3,3 2,9 (11,0) ,8 8,7 (11,0) RJ 2,7 2,8 3, ,3 8,6 9,5 10,3 SP 28,9 24,6 (15,0) (0,7) 83,5 70,5 (15,6) SUL 1.236, ,4 (7,4) (1,8) 8.009, ,9 (9,1) PR 62,3 57,9 (7,0) ,8 180,7 174,4 (3,5) SC 155,9 155, , ,1 - RS 1.018,1 931,6 (8,5) (2,4) 6.729, ,4 (10,7) NORTE/NORDESTE 1.190, ,8 4, , , ,2 12,7 CENTRO-SUL 1.805, ,6 (2,9) (2,9) 9.449, ,8 (5,7) 2.996, ,4 0, (2,3) , ,0 (2,3) Avaliação da Safra Agrícola 2006/2007 Sexto Levantamento Março/

12 Quadro 11 AVEIA SUL 356,8 321,4 (9,9) (18,8) 516,5 378,0 (26,8) PR 285,9 237,3 (17,0) (18,8) 394,5 265,8 (32,6) SC 19,4 18,2 (6,0) (7,1) 19,0 16,6 (12,6) RS 51,5 65,9 28, (27,5) 103,0 95,6 (7,2) CENTRO-SUL 356,8 321,4 (9,9) (18,8) 516,5 378,0 (26,8) 356,8 321,4 (9,9) (18,8) 516,5 378,0 (26,8) Quadro 12 CENTEIO SUL 4,3 4, (10,6) 6,6 5,9 (10,6) PR 0,6 0,3 (50,0) (49,1) 1,3 0,3 (76,9) RS 3,7 4,0 8, (2,8) 5,3 5,6 5,7 CENTRO-SUL 4,3 4, (10,6) 6,6 5,9 (10,6) 4,3 4, (10,6) 6,6 5,9 (10,6) Quadro 13 CEVADA SUL 142,9 93,3 (34,7) (27,7) 399,4 188,5 (52,8) PR 51,1 34,7 (32,0) (16,7) 168,6 95,4 (43,4) SC 4,4 3,5 (20,0) (21,4) 12,3 7,7 (37,4) RS 87,4 55,1 (37,0) (38,0) 218,5 85,4 (60,9) CENTRO-SUL 142,9 93,3 (34,7) (27,7) 399,4 188,5 (52,8) 142,9 93,3 (34,7) (27,7) 399,4 188,5 (52,8) Avaliação da Safra Agrícola 2006/2007 Sexto Levantamento Março/

13 Quadro 14 FEIJÃO 1ª SAFRA NORTE 7,1 7, (2,5) 4,0 3,9 (2,5) TO 7,1 7, (3,5) 4,0 3,9 (2,5) NORDESTE 297,5 332,3 11, ,1 86,3 119,6 38,6 BA 297,5 332,3 11, ,1 86,3 119,6 38,6 CENTRO-OESTE 60,3 82,7 37, ,4 86,1 146,9 70,6 MT 3,6 4,1 12, ,2 3,2 3,9 21,9 MS 2,0 4,6 130, ,3 2,1 5,5 161,9 GO 43,4 60,8 40, ,6 64,2 105,8 64,8 DF 11,3 13,2 16, ,5 16,6 31,7 91,0 SUDESTE 332,1 316,4 (4,7) ,0 348,8 345,4 (1,0) MG 239,9 215,0 (10,4) ,6 218,8 203,2 (7,1) ES 9,1 8,7 (4,0) (1,3) 7,0 6,6 (5,7) RJ 2,6 2,5 (4,0) (1,4) 2,2 2,1 (4,5) SP 80,5 90,2 12, (1,3) 120,8 133,5 10,5 SUL 536,3 599,9 11, ,6 624,1 849,4 36,1 PR 353,4 401,5 13, ,0 422,3 566,1 34,1 SC 91,9 100,6 9, ,0 116,7 161,0 38,0 RS 91,0 97,8 7, ,7 85,1 122,3 43,7 NORTE/NORDESTE 304,6 339,4 11, ,0 90,3 123,5 36,8 CENTRO-SUL 928,7 999,0 7, , , ,7 26, , ,4 8, , , ,2 27,5 Quadro 15 FEIJÃO 2ª SAFRA NORTE 167,0 167, ,8 117,2 125,2 6,8 RR 1,5 1, (4,2) 0,9 0,9 - RO 65,5 65, ,0 35,4 42,4 19,8 AC 15,8 15, ,6 8,7 9,0 3,4 AM 3,9 3, (8,9) 3,7 3,4 (8,1) AP 1,0 1, (1,7) 0,6 0,6 - PA 74,0 74, ,8 62,0 62,5 0,8 TO 5,3 5, ,1 5,9 6,4 8,5 NORDESTE 1.310, ,9 0, (12,7) 588,9 514,8 (12,6) MA 84,7 86,8 2, ,1 39,1 2,6 PI 232,8 232, (15,8) 88,5 74,5 (15,8) CE 532,8 532, (8,7) 245,1 223,8 (8,7) RN 80,2 80, (9,1) 37,1 33,7 (9,2) PB 204,1 204, (23,3) 118,4 90,8 (23,3) PE 176,2 176, (14,3) 61,7 52,9 (14,3) CENTRO-OESTE 71,0 71, (6,5) 95,0 88,8 (6,5) MT 20,0 20, (14,1) 25,6 22,0 (14,1) MS 28,2 28, ,8 26,4 29,0 9,8 GO 21,0 21, (13,6) 40,1 34,7 (13,5) DF 1,8 1, ,6 2,9 3,1 6,9 SUDESTE 238,1 232,1 (2,5) (5,4) 280,5 258,6 (7,8) MG 167,3 162,3 (3,0) (5,4) 195,6 179,5 (8,2) ES 15,3 15, ,5 11,3 12,3 8,8 RJ 4,0 4, (3,4) 3,6 3,4 (5,6) SP 51,5 50,5 (2,0) (7,7) 70,0 63,4 (9,4) SUL 264,4 215,6 (18,5) (2,8) 380,6 301,5 (20,8) PR 204,8 157,7 (23,0) ,0 311,3 244,4 (21,5) SC 30,5 29,6 (3,0) (18,7) 38,7 30,6 (20,9) RS 29,1 28,3 (2,8) (10,8) 30,6 26,5 (13,4) NORTE/NORDESTE 1.477, ,9 0, (9,6) 706,1 640,0 (9,4) CENTRO-SUL 573,5 518,7 (9,6) (5,1) 756,1 648,9 (14,2) 2.051, ,6 (2,6) (9,5) 1.462, ,9 (11,9) Avaliação da Safra Agrícola 2006/2007 Sexto Levantamento Março/

14 Quadro 16 FEIJÃO 3ª SAFRA NORDESTE 735,3 735, (10,6) 416,4 371,9 (10,7) PI 9,3 9, (6,4) 7,3 6,8 (6,8) CE 13,8 13, (22,9) 13,2 10,2 (22,7) PE 133,5 133, (2,4) 68,1 66,5 (2,3) AL 98,5 98, (9,8) 52,2 47,1 (9,8) SE 49,4 49, ,6 24,9 25,5 2,4 BA 430,8 430, (13,9) 250,7 215,8 (13,9) CENTRO-OESTE 75,5 75, ,9 214,8 - MT 6,9 6, ,8 17,0 17,1 0,6 MS 0,5 0, (7,5) 0,5 0,5 - GO 63,2 63, ,6 182,6 - DF 4,9 4, (1,7) 14,8 14,6 (1,4) SUDESTE 111,1 111, ,8 218,5 226,7 3,8 MG 52,0 52, ,4 122,2 131,3 7,4 SP 59,1 59, (0,9) 96,3 95,4 (0,9) SUL 17,1 17, ,2 9,9 10,8 9,1 PR 17,1 17, ,8 9,9 10,8 9,1 NORTE/NORDESTE 735,3 735, (10,6) 416,4 371,9 (10,7) CENTRO-SUL 203,7 203, ,0 443,3 452,3 2,0 939,0 939, (4,1) 859,7 824,2 (4,1) Quadro 17 FEIJÃO TOTAL (1ª, 2ª e 3ª SAFRA) NORTE 174,1 174, ,6 121,2 129,1 6,5 RR 1,5 1, ,9 0,9 - RO 65,5 65, ,8 35,4 42,4 19,8 AC 15,8 15, ,4 8,7 9,0 3,4 AM 3,9 3, (8,1) 3,7 3,4 (8,1) AP 1,0 1, ,6 0,6 - PA 74,0 74, ,8 62,0 62,5 0,8 TO 12,4 12, ,1 9,9 10,3 4,0 NORDESTE 2.343, ,5 1, (9,2) 1.091, ,3 (7,8) MA 84,7 86,8 2, ,1 39,1 2,6 PI 242,1 242, (15,2) 95,8 81,3 (15,1) CE 546,6 546, (9,5) 258,3 234,0 (9,4) RN 80,2 80, (9,3) 37,1 33,7 (9,2) PB 204,1 204, (23,3) 118,4 90,8 (23,3) PE 309,7 309, (7,9) 129,8 119,4 (8,0) AL 98,5 98, (9,8) 52,2 47,1 (9,8) SE 49,4 49, ,4 24,9 25,5 2,4 BA 728,3 763,1 4, (5,0) 337,0 335,4 (0,5) CENTRO-OESTE 206,8 229,2 10, ,7 396,0 450,5 13,8 MT 30,5 31,0 1, (7,7) 45,8 43,0 (6,1) MS 30,7 33,3 8, ,2 29,0 35,0 20,7 GO 127,6 145,0 13, (0,9) 286,9 323,1 12,6 DF 18,0 19,9 10, ,2 34,3 49,4 44,0 SUDESTE 681,3 659,6 (3,2) ,2 847,8 830,7 (2,0) MG 459,2 429,3 (14,4) ,4 536,6 514,0 (4,2) ES 24,4 24,0 (1,6) ,1 18,3 18,9 3,3 RJ 6,6 6,5 (1,5) (3,8) 5,8 5,5 (5,2) SP 191,1 199,8 4, (2,6) 287,1 292,3 1,8 SUL 817,8 832,6 1, , , ,7 14,5 PR 575,3 576,3 0, ,3 743,5 821,3 10,5 SC 122,4 130,2 6, ,9 155,4 191,6 23,3 RS 120,1 126,1 5, ,5 115,7 148,8 28,6 NORTE/NORDESTE 2.517, ,6 1, (7,9) 1.212, ,4 (6,4) CENTRO-SUL 1.705, ,4 0, , , ,9 8, , ,0 1, , , ,3 3,1 Avaliação da Safra Agrícola 2006/2007 Sexto Levantamento Março/

15 Quadro 18 GIRASSOL CENTRO-OESTE 43,5 57,5 32, ,0 58,7 86,1 46,7 MT 17,3 17, (4,2) 27,5 26,4 (4,0) MS 18,5 18, ,3 18,9 25,5 34,9 GO 7,4 21,4 189, (1,8) 11,9 33,8 184,0 DF 0,3 0, ,5 0,4 0,4 - SUDESTE 2,2 2, ,3 3,3 - SP 2,2 2, ,3 3,3 - SUL 21,2 21, (3,2) 31,6 30,6 (3,2) PR 1,2 1, ,6 1,6 1,6 - RS 20,0 20, (3,3) 30,0 29,0 (3,3) CENTRO-SUL 66,9 80,9 20, ,0 93,6 120,0 28,2 66,9 80,9 20, ,0 93,6 120,0 28,2 Quadro 19 MAMONA NORDESTE 142,2 203,9 43, ,2 95,7 144,4 50,9 PI 15,8 15,9 0, ,9 7,0 12,2 74,3 CE 10,1 10, ,8 8,3 8,7 4,8 RN 0,8 0, (13,8) 0,7 0,6 (14,3) PE 7,4 7, (14,6) 4,8 4,1 (14,6) BA 108,1 169,7 57, ,0 74,9 118,8 58,6 SUDESTE 5,2 4,7 (9,6) ,8 7,5 6,9 (8,0) MG 3,3 2,8 (15,3) ,6 3,9 (15,2) SP 1,9 1, ,3 2,9 3,0 3,4 SUL 0,5 0, ,9 0,7 1,0 42,9 PR 0,5 0, ,2 0,7 1,0 42,9 NORTE/NORDESTE 142,2 203,9 43, ,2 95,7 144,4 50,9 CENTRO-SUL 5,7 5,2 (8,8) ,6 8,2 7,9 (3,7) 147,9 209,1 41, ,6 103,9 152,3 46,6 Avaliação da Safra Agrícola 2006/2007 Sexto Levantamento Março/

16 Quadro 20 MILHO 1ª SAFRA NORTE 538,4 541,1 0, , ,0 0,6 RR 12,2 12, ,4 24,4 - RO 125,0 121,3 (3,0) ,4 243,8 239,8 (1,6) AC 36,6 37,0 1, ,5 53,4 55,4 3,7 AM 12,9 12, ,9 23,2 24,1 3,9 AP 1,5 1,6 4, ,3 1,2 1,3 8,3 PA 275,7 280,1 1, (8,6) 572,9 532,2 (7,1) TO 74,5 76,0 2, ,4 165,0 212,8 29,0 NORDESTE 2.468, ,0 1, , , ,7 15,0 MA 362,7 367,1 1, ,8 424,4 446,0 5,1 PI 290,1 295,9 2, ,1 233,2 414,3 77,7 CE 638,8 638, (10,7) 740,4 661,2 (10,7) RN 84,0 84, (8,0) 52,5 48,3 (8,0) PB 187,6 187, (30,9) 168,8 116,7 (30,9) PE 283,4 283, (36,8) 221,1 139,7 (36,8) AL 83,7 83, (2,4) 52,7 51,5 (2,3) SE 142,7 142, (7,1) 189,8 176,2 (7,2) BA 395,1 418,8 6, ,4 686, ,8 64,7 CENTRO-OESTE 731,7 858,9 17, , , ,2 28,3 MT 135,7 176,4 30, ,9 475,0 684,4 44,1 MS 102,1 104,7 2, ,9 520,7 570,6 9,6 GO 460,6 543,5 18, , , ,8 30,9 DF 33,3 34,3 3, ,8 203,8 226,4 11,1 SUDESTE 2.178, ,2 (1,1) , , ,0 5,7 MG 1.347, ,4 3, , , ,2 16,4 ES 39,8 38,6 (3,0) ,1 83,6 86,9 3,9 RJ 11,1 10,7 (3,6) (5,4) 26,6 24,3 (8,6) SP 781,0 718,5 (8,0) (1,1) 3.697, ,6 (9,1) SUL 3.735, ,9 (8,5) , , ,2 13,3 PR 1.514, ,0 (13,0) , , ,8 8,4 SC 784,8 714,2 (9,0) , , ,5 19,5 RS 1.436, ,7 (3,5) , , ,9 17,3 NORTE/NORDESTE 3.006, ,1 1, , , ,7 10,9 CENTRO-SUL 6.646, ,0 (3,2) , , ,4 12, , ,1 (1,8) , , ,1 12,5 Avaliação da Safra Agrícola 2006/2007 Sexto Levantamento Março/

17 Quadro 21 MILHO 2ª SAFRA RO 17,3 17, ,1 42,4 45,4 7,1 TO 0,9 0, ,9 2,9 - NORDESTE 382,8 387,0 1, ,8 477,9 1,1 BA 382,8 387,0 1, ,8 477,9 1,1 CENTRO-OESTE 1.640, ,2 20, (2,8) 6.112, ,1 16,6 MT 911, ,0 26, (5,1) 3.553, ,6 19,5 MS 521,3 573,4 10, (6,1) 1.720, ,5 3,3 GO 202,2 242,6 20, ,8 808, ,7 32,9 DF 6,2 6, ,3 30,3 - SUDESTE 293,1 338,6 15, ,9 658,4 889,0 35,0 MG 24,7 29,9 21, ,1 94,8 117,2 23,6 SP 268,4 308,7 15, ,0 563,6 771,8 36,9 SUL 976, ,7 19, , , ,5 29,2 PR 976, ,7 19, , , ,5 29,2 NORTE/NORDESTE 401,0 405,2 1, ,5 518,1 526,2 1,6 CENTRO-SUL 2.910, ,5 19, , , ,6 22, , ,7 17, , , ,8 21,1 Quadro 22 MILHO TOTAL (1ª e 2ª SAFRA) NORTE 556,6 559,3 0, , , ,3 0,8 RR 12,2 12, ,4 24,4 - RO 142,3 138,6 (2,6) ,3 286,2 285,2 (0,3) AC 36,6 37,0 1, ,6 53,4 55,4 3,7 AM 12,9 12, ,9 23,2 24,1 3,9 AP 1,5 1,6 6, ,6 1,2 1,3 8,3 PA 275,7 280,1 1, (8,6) 572,9 532,2 (7,1) TO 75,4 76,9 2, ,0 167,9 215,7 28,5 NORDESTE 2.850, ,0 1, , , ,6 13,0 MA 362,7 367,1 1, ,8 424,4 446,0 5,1 PI 290,1 295,9 2, ,1 233,2 414,3 77,7 CE 638,8 638, (10,7) 740,4 661,2 (10,7) RN 84,0 84, (8,0) 52,5 48,3 (8,0) PB 187,6 187, (30,9) 168,8 116,7 (30,9) PE 283,4 283, (36,8) 221,1 139,7 (36,8) AL 83,7 83, (2,4) 52,7 51,5 (2,3) SE 142,7 142, (7,1) 189,8 176,2 (7,2) BA 777,9 805,8 3, , , ,7 38,7 CENTRO-OESTE 2.372, ,1 19, , , ,3 20,9 MT 1.046, ,4 26, (3,2) 4.028, ,0 22,4 MS 623,4 678,1 8, (3,7) 2.241, ,1 4,8 GO 662,8 786,1 18, , , ,5 31,4 DF 39,5 40,5 2, ,9 234,1 256,7 9,7 SUDESTE 2.472, ,8 0, , , ,0 7,7 MG 1.371, ,3 3, , , ,4 16,5 ES 39,8 38,6 (3,0) ,1 83,6 86,9 3,9 RJ 11,1 10,7 (3,6) (5,2) 26,6 24,3 (8,6) SP 1.049, ,2 (2,1) (0,9) 4.260, ,4 (3,0) SUL 4.711, ,6 (2,8) , , ,7 16,2 PR 2.491, ,7 (0,5) , , ,3 14,8 SC 784,8 714,2 (9,0) , , ,5 19,5 RS 1.436, ,7 (3,5) , , ,9 17,3 NORTE/NORDESTE 3.407, ,3 1, , , ,9 9,8 CENTRO-SUL 9.556, ,5 3, , , ,0 15, , ,8 3, , , ,9 14,7 Avaliação da Safra Agrícola 2006/2007 Sexto Levantamento Março/

18 Quadro 23 SOJA NORTE 517,5 453,0 (12,5) , , ,1 (2,1) RR 20,0 20, ,0 56,0 - RO 106,4 91,0 (14,5) ,8 283,0 265,9 (6,0) AM 1,9 1, (7,1) 5,7 5,3 (7,0) PA 79,7 70,8 (11,2) (0,8) 238,1 209,9 (11,8) TO 309,5 269,3 (13,0) ,0 700,4 719,0 2,7 NORDESTE 1.487, ,4 (4,1) , , ,2 7,5 MA 382,5 351,9 (8,0) , ,1 967,7 (5,6) PI 232,0 222,7 (4,0) ,2 544,5 612,4 12,5 BA 872,6 850,8 (2,5) , , ,1 12,8 CENTRO-OESTE , ,8 (13,1) , , ,3 (1,6) MT 5.891, ,8 (15,0) , , ,5 (5,1) MS 1.919, ,4 (9,0) , , ,2 13,8 GO 2.489, ,3 (12,0) , , ,7 (3,8) DF 54,0 52,3 (3,1) ,2 145,7 156,9 7,7 SUDESTE 1.717, ,7 (15,2) , , ,6 (3,5) MG 1.060,9 930,4 (12,3) , , ,6 3,1 SP 656,6 525,3 (20,0) , , ,0 (14,0) SUL 8.153, ,6 1, , , ,6 20,5 PR 3.928, ,8 1, , , ,8 28,9 SC 339,5 376,8 11, ,3 814, ,3 29,0 RS 3.885, ,0 0, , , ,5 9,1 NORTE/NORDESTE 2.004, ,4 (6,3) , , ,3 4,9 CENTRO-SUL , ,1 (7,5) , , ,5 6, , ,5 (7,4) , , ,8 6,2 Quadro 24 SORGO NORTE 21,1 21, ,7 26,1 36,2 38,7 TO 21,1 21, ,9 26,1 36,2 38,7 NORDESTE 90,9 105,3 15, ,5 147,3 188,5 28,0 CE 8,3 8, ,5 15,4 17,4 13,0 RN 12,2 12, ,2 23,1 25,3 9,5 PE 20,8 20, ,4 36,4 - BA 49,6 64,0 29, ,1 72,4 109,4 51,1 CENTRO-OESTE 415,6 404,5 (2,7) ,0 907,3 918,2 1,2 MT 114,0 114, ,6 202,9 222,3 9,6 MS 76,8 76, ,8 169,0 180,5 6,8 GO 221,2 210,1 (5,0) ,3 524,2 504,2 (3,8) DF 3,6 3, ,2 11,2 - SUDESTE 175,9 162,9 (7,4) ,1 393,4 390,1 (0,8) MG 77,9 65,4 (16,0) ,9 172,9 153,7 (11,1) SP 98,0 97,5 (0,5) ,8 220,5 236,4 7,2 SUL 28,4 28, (1,7) 68,9 67,7 (1,7) PR 3,4 3, (4,4) 11,9 11,4 (4,2) RS 25,0 25, (1,3) 57,0 56,3 (1,2) NORTE/NORDESTE 112,0 126,4 12, ,9 173,4 224,7 29,6 CENTRO-SUL 619,9 595,8 (3,9) , , ,0 0,5 731,9 722,2 (1,3) , , ,7 3,7 Avaliação da Safra Agrícola 2006/2007 Sexto Levantamento Março/

19 Quadro 25 TRIGO NORDESTE 0,5 0, (100,0) 2,5 - (100,0) BA 0,5 0, (100,0) 2,5 - (100,0) CENTRO-OESTE 108,7 61,8 (43,1) ,5 194,2 114,3 (41,1) MT 0,5 - (100,0) (100,0) 1,7 - (100,0) MS 95,2 50,5 (47,0) (13,4) 135,2 62,1 (54,1) GO 11,9 10,1 (15,0) ,4 51,2 46,2 (9,8) DF 1,1 1,2 9, (9,1) 6,1 6,0 (1,6) SUDESTE 70,8 61,4 (13,3) (19,1) 195,8 137,4 (29,8) MG 14,6 12,5 (14,4) ,2 63,7 56,3 (11,6) SP 56,2 48,9 (13,0) (29,4) 132,1 81,1 (38,6) SUL 2.181, ,3 (25,1) (40,9) 4.480, ,0 (55,8) PR 1.276,3 880,6 (31,0) (41,7) 2.801, ,2 (59,8) SC 60,0 60,4 0, ,7 114,9 126,8 10,4 RS 845,5 693,3 (18,0) (43,2) 1.564,2 728,0 (53,5) NORTE/NORDESTE 0,5 0, (100,0) 2,5 - (100,0) CENTRO-SUL 2.361, ,5 (25,6) (38,4) 4.870, ,7 (54,1) 2.361, ,0 (25,6) (38,4) 4.873, ,7 (54,2) Quadro 26 TRITICALE ÁREA (Em mil ha) PRODUTIVIDADE (Em kg/ha) PRODUÇÃO (Em mil t) SUDESTE 24,9 24, ,2 71,2 - SP 24,9 24, ,2 71,2 - SUL 106,2 82,8 (22,0) (27,7) 235,1 132,6 (43,6) PR 85,8 64,4 (25,0) (22,7) 193,1 112,1 (41,9) SC 10,6 9,0 (15,0) (34,7) 25,3 14,0 (44,7) RS 9,8 9,4 (4,0) (59,4) 16,7 6,5 (61,1) CENTRO-SUL 131,1 107,7 (17,8) (19,0) 306,3 203,8 (33,5) 131,1 107,7 (17,8) (19,0) 306,3 203,8 (33,5) Avaliação da Safra Agrícola 2006/2007 Sexto Levantamento Março/

20 7 ESTIMATIVA MENSAL DE COLHEITA Quadro 27 ARROZ DISTRIBUIÇÃO MENSAL DA COLHEITA - SAFRA 2006/07 Em mil toneladas PRODUÇÃO Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Qtd % Qtd % Qtd % Qtd % Qtd % Qtd % Qtd % Qtd % Qtd % Qtd NORTE 1.150,2 1,2 14,0 14,4 165,6 30,0 345,5 18,5 212,8 11,7 134,7 11,9 136,3 12,3 141, RR (*) 123, ,0 123, RO 151,0 5,0 7,5 26,0 39,3 45,0 67,9 23,0 34,7 1,0 1, AC 33,6 10,0 3,4 40,0 13,4 45,0 15,1 5,0 1, AM 20,7 15,0 3,1 50,0 10,4 25,0 5,2 10,0 2, AP 3, ,0 0,4 60,0 2,2 30,0 1, PA 419, ,0 58,7 10,0 41,9 14,0 58,7 26,0 108,9 32,0 134,1 4,0 16, TO 398, ,0 43,9 54,0 215,3 29,0 115,6 6,0 23, NORDESTE 1.251, ,2 115,3 40,0 500,4 28,7 359,4 10,1 126,9 5,2 65,6 3,2 39,7 3,5 43,7 MA 723, ,0 101,3 50,0 361,8 30,0 217,1 5,0 36,2 1,0 7, PI 280, ,0 14,0 47,0 131,6 42,0 117,6 6,0 16, CE 113, ,0 2,3 38,0 43,1 30,0 34,0 10,0 11,3 20,0 22,7 RN (*) 3, ,0 0,2 20,0 0,8 35,0 1,4 40,0 1,6 PB 10, ,0 0,5 20,0 2,1 50,0 5,4 23,0 2,5 2,0 0,2 - - PE 24, ,0 2,5 10,0 2,5 30,0 7,5 20,0 5,0 10,0 2,5 20,0 5,0 AL (*) 14, ,0 14,5 SE (*) 40, ,0 16,2 60,0 24,3 - - BA 39, ,0 4,0 45,0 17,8 45,0 17, CENTRO-OESTE 1.354,1 4,1 55,1 23,0 312,0 36,1 489,2 32,8 444,5 3,8 50,8 0,2 2, MT 899,2 5,0 45,0 28,0 251,8 35,0 314,7 30,0 269,7 2,0 18, MS 202,7 5,0 10,1 26,0 52,7 45,0 91,2 19,0 38,5 5,0 10, GO 252, ,0 7,6 33,0 83,2 54,0 136,2 9,0 22,7 1,0 2, DF 0, ,0 0,1 50,0 0, SUDESTE 275, ,9 43,8 37,4 103,2 34,7 95,7 6,5 17,9 5,5 15, MG 187, ,0 24,3 28,0 52,4 42,0 78,5 9,0 16,8 8,0 15, ES 8, ,0 0,4 35,0 3,0 50,0 4,3 8,0 0,7 2,0 0, RJ 9, ,0 1,4 65,0 6,2 16,0 1,5 4,0 0, SP 70, ,0 17,6 59,0 41,6 16,0 11, SUL 7.283,9 0,9 67,1 6,8 495,0 57, ,3 33, ,7 1,2 90, PR 174,4 4,0 7,0 17,0 29,6 36,0 62,8 38,0 66,3 5,0 8, SC 1.099, ,0 164,9 58,0 637,5 25,0 274,8 2,0 22, RS 6.010,4 1,0 60,1 5,0 300,5 58, ,1 35, ,7 1,0 60, NORTE/NORDESTE 2.401,2 0,6 14,0 6,9 165,6 19,2 460,8 29,7 713,2 20,6 494,2 11,0 263,2 8,6 206,9 1,7 39,7 1,8 43,7 CENTRO-SUL 8.913,8 1,4 122,2 9,5 850,9 53, ,7 33, ,9 1,8 159,5 0,2 17, ,0 1,2 136,2 9, ,4 46, ,5 32, ,1 5,8 653,7 2,5 280,9 1,8 206,9 0,4 39,7 0,4 43,7 (*) RN - colheita 30% julho, 47% agosto e 23% setembro. (*) RR - colheita 60% em agosto, 30% em setembro e 10% em outubro. (*) AL - colheita 35% agosto, 50% setembro e 15% outubro; SE - colheita 40% julho e 60% agosto. Arroz Distribuição Mensal da Colheita - Safra 2006/07 (Em porcentagem) 50% 46,3% 40% 30% 32,7% 20% 10% 0% 1,2% 9,0% 5,8% 2,5% 1,8% 0,4% 0,4% Avaliação da Safra Agrícola 2006/2007 Sexto Levantamento Março/

21 Quadro 28 FEIJÃO 1ª SAFRA DISTRIBUIÇÃO MENSAL DA COLHEITA - SAFRA 2006/07 Em mil toneladas PRODUÇÃO Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Jun Qtd % Qtd % Qtd % Qtd % Qtd % Qtd % Qtd % Qtd % Qtd % Qtd NORTE 3, ,0 1,2 60,0 2,3 10,0 0, TO 3, ,0 1,2 60,0 2,3 10,0 0, NORDESTE 119, ,0 2,4 40,0 47,8 45,0 53,8 13,0 15, BA 119, ,0 2,4 40,0 47,8 45,0 53,8 13,0 15, CENTRO-OESTE 146, ,4 74,1 27,1 39,8 21,0 30,8 1,5 2, MT 3, ,0 2,7 30,0 1, MS 5, ,0 3,9 30,0 1, GO 105, ,0 74,1 25,0 26,5 4,0 4,2 1,0 1,1 - - DF 31, ,0 9,5 70,0 22, SUDESTE 345,4 2,3 8,0 7,8 26,9 10,4 35,8 26,6 91,9 48,4 167,3 4,1 14,2 0,4 1, MG 203, ,0 61,0 65,0 132,1 5,0 10, ES 6, ,0 0,2 12,0 0,8 50,0 3,3 35,0 2, RJ 2, ,0 0,3 45,0 0,9 40,0 0, SP 133,5 6,0 8,0 20,0 26,7 26,0 34,7 20,0 26,7 24,0 32,0 3,0 4,0 1,0 1, SUL 849, ,0 28,3 31,9 270,5 39,7 337,1 19,8 168,4 5,3 45, PR 566, ,0 28,3 40,0 226,4 42,0 237,8 13,0 73, SC 161, ,0 25,8 26,0 41,9 30,0 48,3 28,0 45, RS 122, ,0 18,3 47,0 57,5 38,0 46, NORTE/NORDESTE 123, ,9 3,6 40,6 50,2 43,9 54,2 12,6 15, CENTRO-SUL 1.341,7 0,6 8,0 4,1 55,2 22,8 306,4 37,5 503,1 28,0 375,4 6,7 90,0 0,3 3, ,2 0,5 8,0 3,8 55,2 20,9 306,4 34,6 506,6 29,0 425,6 9,8 144,3 1,3 19, ,8 Feijão 1ª Safra Distribuição Mensal da Colheita - Safra 2006/07 (Em porcentagem) 40% 35% 30% 34,6% 29,0% 25% 20% 15% 10% 5% 0% 20,9% 9,8% 3,8% 0,5% 1,3% 0,0% 0,0% Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Jun Avaliação da Safra Agrícola 2006/2007 Sexto Levantamento Março/

22 Quadro 29 MILHO 1ª SAFRA DISTRIBUIÇÃO MENSAL DA COLHEITA - SAFRA 2006/07 Em mil toneladas PRODUÇÃO Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Qtd % Qtd % Qtd % Qtd % Qtd % Qtd % Qtd % Qtd % Qtd % Qtd NORTE 1.090, ,3 58,0 24,7 269,3 27,8 302,9 21,6 235,7 16,5 180,3 1,8 19, ,2 24,4 RR (*) 24, ,0 24,4 RO 239, ,0 24,0 40,0 95,9 35,0 83,9 10,0 24,0 5,0 12, AC 55, ,0 5,0 14,0 7,8 22,0 12,2 30,0 16,6 19,0 10,5 6,0 3, AM 24, ,0 2,4 25,0 6,0 40,0 9,6 20,0 4,8 5,0 1, AP 1, ,0 0,3 68,0 0,9 12,0 0, PA 532, ,0 26,6 20,0 106,4 21,0 111,8 26,0 138,4 25,0 133,1 3,0 16, TO 212, ,0 53,2 40,0 85,1 24,0 51,1 11,0 23, NORDESTE 3.184, ,3 74,4 5,4 171,4 20,1 639,0 16,5 524,3 20,1 639,9 22,5 715,6 13,2 420,1 MA 446, ,0 17,8 8,0 35,7 40,0 178,4 27,0 120,4 15,0 66,9 5,0 22,3 1,0 4,5 PI 414, ,0 8,3 10,0 41,4 38,0 157,4 35,0 145,0 15,0 62,1 CE 661, ,0 19,8 26,0 171,9 54,0 357,0 17,0 112,4 RN 48, ,0 3,9 55,0 26,6 34,0 16,4 3,0 1,4 PB 116, ,0 15,2 35,0 40,8 39,0 45,5 13,0 15,2 PE 139, ,0 7,0 29,0 40,5 32,0 44,7 34,0 47,5 AL 51, ,0 15,5 70,0 36,1 SE 176, ,0 35,2 80,0 141,0 BA 1.130, ,0 56,5 12,0 135,7 40,0 452,3 28,0 316,6 12,0 135,7 3,0 33,9 - CENTRO-OESTE 4.465,2 1,1 47,0 27, ,8 31, ,7 21,0 939,3 11,9 532,0 6,5 290, MT 684, ,0 95,8 16,0 109,5 15,0 102,7 30,0 205,3 25,0 171, MS 570,6 3,0 17,1 62,0 353,8 32,0 182,6 2,0 11,4 1,0 5, GO 2.983,8 1,0 29,8 25,0 746,0 35, ,3 25,0 746,0 10,0 298,4 4,0 119, DF 226, ,0 45,3 35,0 79,2 35,0 79,2 10,0 22, SUDESTE 9.509,0 1,1 102,6 7,9 746,7 18, ,3 27, ,8 29, ,7 14, ,9 1,9 181, MG 6.035, ,0 120,7 9,0 543,2 26, ,2 38, ,4 22, ,7 3,0 181, ES 86,9 2,0 1,7 21,0 18,2 20,0 17,4 25,0 21,7 31,0 26,9 1,0 0, RJ 24, ,0 2,4 20,0 4,9 40,0 9,7 30,0 7, SP 3.362,6 3,0 100,9 18,0 605,3 35, ,9 29,0 975,2 13,0 437,1 2,0 67, SUL ,2 12, ,8 34, ,5 24, ,3 14, ,7 10, ,0 4,0 700,9 0,8 144,7 0,3 53,3 - - PR 8.408,8 10,0 840,9 34, ,0 28, ,5 16, ,4 11,0 925,0 1,0 84, SC 3.799,5 5,0 190,0 23,0 873,9 26,0 987,9 25,0 949,9 15,0 569,9 5,0 190,0 1,0 38, RS 5.334,9 20, ,0 42, ,7 17,0 906,9 4,0 213,4 6,0 320,1 8,0 426,8 2,0 106,7 1,0 53,3 - - NORTE/NORDESTE 4.274, ,4 58,0 8,0 343,7 11,1 474,3 20,5 874,8 16,5 704,7 15,4 659,2 16,7 715,6 10,4 444,5 CENTRO-SUL ,4 7, ,4 25, ,0 23, ,3 19, ,7 16, ,8 7, ,2 1,0 325,7 0,2 53, ,1 6, ,4 22, ,0 21, ,0 18, ,0 16, ,5 8, ,8 2,8 984,9 2,1 769,0 1,2 444,5 (*) RR - colheita 20% outubro, 65% novembro e 15% dezembro. 50% Milho 1ª Safra Distribuição Mensal da Colheita - Safra 2006/07 (Em porcentagem) 45% 40% 35% 30% 25% 20% 22,4% 21,7% 18,2% 16,7% 15% 10% 6,3% 8,6% 5% 2,8% 2,1% 1,2% 0% Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Avaliação da Safra Agrícola 2006/2007 Sexto Levantamento Março/

LSPA. Levantamento Sistemático da Produção Agrícola. Dezembro de Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas no ano civil

LSPA. Levantamento Sistemático da Produção Agrícola. Dezembro de Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas no ano civil Diretoria de Pesquisas Coordenação de Agropecuária Gerência de Agricultura LSPA Dezembro de 2013 Levantamento Sistemático da Produção Agrícola Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas

Leia mais

LSPA. Levantamento Sistemático da Produção Agrícola. Setembro de 2013. Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas no ano civil

LSPA. Levantamento Sistemático da Produção Agrícola. Setembro de 2013. Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas no ano civil Diretoria de Pesquisas Coordenação de Agropecuária Gerência de Agricultura LSPA Setembro de 213 Levantamento Sistemático da Agrícola Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas no

Leia mais

DPE / COAGRO Levantamento Sistemático da Produção Agrícola - LSPA Diretoria de Pesquisas Coordenação de Agropecuária Gerência de Agricultura LSPA

DPE / COAGRO Levantamento Sistemático da Produção Agrícola - LSPA Diretoria de Pesquisas Coordenação de Agropecuária Gerência de Agricultura LSPA Diretoria de Pesquisas Coordenação de Agropecuária Gerência de Agricultura LSPA janeiro de 215 Levantamento Sistemático da Agrícola Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas no

Leia mais

Trimestre 2008: outubro, novembro e dezembro

Trimestre 2008: outubro, novembro e dezembro Trimestre 2008: outubro, novembro e dezembro Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Companhia Nacional de Abastecimento CONAB Diretoria de Logística e Gestão Empresarial DIGEM Superintendência

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO NOVEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

Sorgo Período: junho de 2016

Sorgo Período: junho de 2016 Sorgo Período: junho de 2016 Quadro I: Preços pagos ao produtor Centro de Produção UF Unidade Média de Mercado 12 1 meses (a) mês (b) Mês atual (c) Preço mínimo Var % (c/a) Verde GO 60kg 21,42 24,56 27,73

Leia mais

SUMÁRIO. 1 - Lavouras... 5. 1 - Área, produção e rendimento médio - confronto das estimativas mensais março / fevereiro safra 2012 Brasil...

SUMÁRIO. 1 - Lavouras... 5. 1 - Área, produção e rendimento médio - confronto das estimativas mensais março / fevereiro safra 2012 Brasil... ...... PRODUÇÃO DAS LAVOURAS EM MARÇO DE 2012 SUMÁRIO 1 - Lavouras... 5 TABELAS DE RESULTADOS Safra 2012 1 - Área, produção e rendimento médio - confronto das estimativas mensais março / fevereiro safra

Leia mais

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1)

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) ANEXO I BICICLETA ESCOLAR Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) Assunto: Adesão à ata de registro de preços nº 70/2010 do pregão eletrônico nº 40/2010. 1 2 BICICLETA 20 - AC,

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015 DADOS GERAIS DO ESTADO DO MATO GROSSO Total Part % Brasil Part % Região Área Total - km² 903.386 10,63% 56,24% População

Leia mais

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE:

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Lista de Sigla CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Boletim Ano VI - Edição nº 2/211 Boletim Ano VI - Edição nº 1 / 211 Painel de Ind Nº 9/215 Técnicos Resp Equipe CGPM

Leia mais

Produção Agrícola Municipal 2015. Assunto: Lavouras Temporárias

Produção Agrícola Municipal 2015. Assunto: Lavouras Temporárias Produção Agrícola Municipal 2015 Assunto: Lavouras Temporárias Tabela 1 - Áreas plantada e colhida, quantidade produzida, rendimento médio e valor da produção, segundo os principais produtos das lavouras

Leia mais

Associação Brasileira dos Produtores de Soja

Associação Brasileira dos Produtores de Soja Associação Brasileira dos Produtores de Soja De acordo com o 5 Levantamento de safra 2015/16, publicado em fevereiro pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), a área plantada deve crescer 3,6%

Leia mais

CONJUNTURA DO MERCADO DE MANDIOCA E DERIVADOS NO BRASIL

CONJUNTURA DO MERCADO DE MANDIOCA E DERIVADOS NO BRASIL CONJUNTURA DO MERCADO DE MANDIOCA E DERIVADOS NO BRASIL 1 SEMESTRE/2011 Fábio Isaías Felipe Pesquisador do Cepea/ESALQ/USP E-mail: fifelipe@esalq.usp.br Fone: 55 19 3429-8847 Fax: 55 19 3429-8829 http://www.cepea.esalq.usp.br

Leia mais

Associação Brasileira dos Produtores de Soja

Associação Brasileira dos Produtores de Soja Associação Brasileira dos Produtores de Soja 1. PREVISÃO DE SAFRA E DESTINAÇÃO De acordo com o 7 Levantamento de safra 2015/16, publicado em abril pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), a área

Leia mais

8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014)

8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014) 8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014) Elaboração: Contraf-CUT, CNTV e Federação dos Vigilantes do Paraná Fonte: Notícias da imprensa, SSP e sindicatos Apoio: Sindicato dos Vigilantes de Curitiba

Leia mais

Boletim do Complexo soja

Boletim do Complexo soja Boletim do Complexo soja 1. Grão: No mês de fevereiro houve um aumento no preço médio em quase todos os estados, com exceção de Santa Catarina. O estado que obteve a maior média foi o do Paraná R$ 57,31/sc,

Leia mais

GIRASSOL Período: Julho de 2012

GIRASSOL Período: Julho de 2012 GIRASSOL Período: Julho de 2012 QUADRO I PREÇOS PAGO AO PRODUTOR (R$ 60/Kg) Centro de Referência Un Período Anteriores Período atual Variação (%) Julho/11 Julho/12 Preços Mínimos (60/Kg) Centro Sul 60

Leia mais

MERCADO BRASILEIRO DE SUPLEMENTOS MINERIAS 2014

MERCADO BRASILEIRO DE SUPLEMENTOS MINERIAS 2014 MERCADO BRASILEIRO DE SUPLEMENTOS MINERIAS 2014 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS INDUSTRIAS DE SUPLEMENTOS MINERAIS RUA AUGUSTA, 2676 13 ANDAR SALA 132 CEP 01412-100 SÃO PAULO SP Telefone: (011) 3061-9077 e-mail:

Leia mais

PROGRAMA DE SUBVENÇÃO AO PRÊMIO DO SEGURO RURAL PSR

PROGRAMA DE SUBVENÇÃO AO PRÊMIO DO SEGURO RURAL PSR PROGRAMA DE SUBVENÇÃO AO PRÊMIO DO SEGURO RURAL PSR Exercício 2013 Números Preliminares Vicente de Paulo Diniz Diretor do Departamento de Gestão de Risco Rural DEGER Ana Carolina Mera Coordenadora do Seguro

Leia mais

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2017 ( t ) ( US$ / t )

BRASIL - IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2017 ( t ) ( US$ / t ) BRASIL IMPORTAÇÃO DE TRIGO 2017 (POR PAÍS) PAÍSES JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ARGENTINA Volume ( Ton/Liq ) 399.473,26 422.403,60 501.033,08 371.050,32 437.918,87 2.131.879,13 Valor

Leia mais

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento C o m p an h i a N ac io n a l d e Abastecimento D i r e t o r i a d e Opercações e A b a stecimento S u p erintedência de O p erações Comerciais G e r ên c i a d e Formação e Controle de Estoques P o

Leia mais

SUMÁRIO. Avaliação da Safra Agrícola 2007/20087 Segundo Levantamento de Intenção de Plantio Novembro/2007 1

SUMÁRIO. Avaliação da Safra Agrícola 2007/20087 Segundo Levantamento de Intenção de Plantio Novembro/2007 1 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 2 2. METODOLOGIA 2 3. ESTIMATIVA DA ÁREA PLANTADA 3 4. ESTIMATIVA DA PRODUÇÃO 4 5. AVALIAÇÃO DAS CULTURAS 6 6. ESTIMATIVAS DE ÁREA, PRODUÇÃO E PRODUTIVIDADE 13 7. BALANÇO DE OFERTA

Leia mais

Casos de FHD Óbitos e Taxa de letalidade

Casos de FHD Óbitos e Taxa de letalidade Casos de dengue Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Total 2003 20.471 23.612 - - - - - - - - - - 44.083 2002 94.447 188.522 237.906 128.667 60.646 23.350 12.769 10.149 6.682 7.138 9.246 9.052

Leia mais

PÓLO COSTA DAS PISCINAS/PARAÍBA PLANO DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DO TURISMO SUSTENTÁVEL ANEXO V GASTOS TURÍSTICOS TABELAS

PÓLO COSTA DAS PISCINAS/PARAÍBA PLANO DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DO TURISMO SUSTENTÁVEL ANEXO V GASTOS TURÍSTICOS TABELAS PÓLO COSTA DAS PISCINAS/PARAÍBA PLANO DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DO TURISMO SUSTENTÁVEL ANEXO V GASTOS TURÍSTICOS TABELAS JOÃO PESSOA-PB, JUNHO 2004 TABELA Nº01 GASTO MÉDIO INDIVIDUAL DIÁRIO em R$ 1.00,

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ALGODÃO DEZEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ALGODÃO DEZEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ALGODÃO DEZEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

Mamona Período: março de 2014

Mamona Período: março de 2014 Mamona Período: março de 2014 Quadro I: preço pago ao produtor Centro de Produção UF Unidade 12 meses (a) Média de Mercado 1 mês (b) Mês atual (c) Preço mínimo Var % (c/a) Irecê BA 60kg 128,18 130,38 126,73

Leia mais

REGIÕES DE MAIOR CONCENTRAÇÃO NA PRODUÇÃO DE SOJA NO BRASIL

REGIÕES DE MAIOR CONCENTRAÇÃO NA PRODUÇÃO DE SOJA NO BRASIL RELATÓRIO DA SAFRA DE SOJA E MILHO REGIÕES DE MAIOR CONCENTRAÇÃO NA PRODUÇÃO DE SOJA NO BRASIL Relatório do USDA traz levantamento das regiões de produção de soja no Brasil, com a concentração da produção

Leia mais

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA MEC

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA MEC SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA MEC A EVOLUÇÃO DA EDUCAÇÃO BÁSICA O movimento Constitucional; O processo de discussão que antecedeu a LDB nº9394/96; A concepção de Educação Básica e a universalização do

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO (VBP) AGROPECUÁRIO Julho/2015 R$ milhões VBP PRINCIPAIS PRODUTOS AGRÍCOLAS LAVOURAS

Leia mais

MATÉRIAS-PRIMAS PARA PRODUÇÃO DO BIODIESEL: PRIORIZANDO ALTERNATIVAS

MATÉRIAS-PRIMAS PARA PRODUÇÃO DO BIODIESEL: PRIORIZANDO ALTERNATIVAS MATÉRIAS-PRIMAS PARA PRODUÇÃO DO BIODIESEL: PRIORIZANDO ALTERNATIVAS SÍLVIO CRESTANA DIRETOR-PRESIDENTE SÃO PAULO AGOSTO, 2005 Cenários MATRIZ ENERGÉTICA MUNDIAL (%) Cenários MATRIZ ENERGÉTICA BRASILEIRA

Leia mais

Racionamento de água. Abril/2017

Racionamento de água. Abril/2017 Racionamento de água Abril/2017 Objetivo da Pesquisa Metodologia Tópicos da Pesquisa Informações técnicas Levantar informações sobre temas importantes no contexto atual dos Pequenos Negócios. TEMA ANALISADO

Leia mais

TÊNIS DE MESA Nº 03 04/09/2015

TÊNIS DE MESA Nº 03 04/09/2015 ! TÊNIS DE MESA Nº 03 04/09/2015! Jogos Escolares da Juventude 2015 12 a 14 anos Boletim Oficial de Resultados 04/09/2015 CENTRO DE FORMAÇÃO OLÍMPICA - QUADRA 1 TÊNIS DE MESA - EQUIPE - Feminino 1 09:00

Leia mais

Os preços médios da soja pago aos produtores familiares pelas cooperativas

Os preços médios da soja pago aos produtores familiares pelas cooperativas Soja Os preços médios da soja pago aos produtores familiares pelas cooperativas apresentaram queda no primeiro mês de 2014, como mostra a Tabela 1. O estado de Minas Gerais foi o único que apresentou variação

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA Nível superior Cargo 1: Contador DF Brasília/Sede da Administração Central 35 1820 52,00 Nível médio Cargo 2: Agente Administrativo AC Rio Branco/Sede da SRTE 2 1496 748,00 Nível médio Cargo 2: Agente

Leia mais

Superintendência Regional do Rio Grande do Norte Gerência de Operações e de Suporte Estratégico Setor de Apoio à Logística e Gestão da Oferta

Superintendência Regional do Rio Grande do Norte Gerência de Operações e de Suporte Estratégico Setor de Apoio à Logística e Gestão da Oferta Superintendência Regional do Rio Grande do Norte Gerência de Operações e de Suporte Estratégico Setor de Apoio à Logística e Gestão da Oferta LEVANTAMENTO DE AVALIAÇÃO DE SAFRA DE GRÃOS E ALGODÃO EM CAROÇO

Leia mais

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE:

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Lista de Siglas do Pa CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Boletim Ano VI - Edição nº 2/211 Boletim Ano VI - Edição nº 1 / 211 Painel de Indicador Nº 2/215 Técnicos Responsáv

Leia mais

Safra 2010/2011. Janeiro/2011

Safra 2010/2011. Janeiro/2011 Safra 2010/2011 Safra 2010/2011 Safra 2010/2011 Quarto Levantamento Terceiro Levantamento Décimo Segundo Levantamento Janeiro/2011 Janeiro/2011 Setembro/2011 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Leia mais

1 Produção Agrícola 2014

1 Produção Agrícola 2014 1 Produção Agrícola 2014 1.1- Cereais, leguminosas e oleaginosas A terceira estimativa da safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas 1 totalizou 189,4 milhões de toneladas 2, superior 0,7% à

Leia mais

ZONEAMENTO AGRÍCOLA DE RISCO CLIMÁTICO SPA/MAPA

ZONEAMENTO AGRÍCOLA DE RISCO CLIMÁTICO SPA/MAPA ZONEAMENTO AGRÍCOLA DE RISCO CLIMÁTICO SPA/MAPA 1. Definição; 2. Antecedentes; 3. Elaboração; 4. Metodologia; 5. Utilidade; Departamento de Gestão de Risco Rural Coordenação-Geral de Zoneamento Agropecuário

Leia mais

MOVIMENTAÇÃO NACIONAL DO EMPREGO NO SEGMENTO DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA

MOVIMENTAÇÃO NACIONAL DO EMPREGO NO SEGMENTO DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA MOVIMENTAÇÃO NACIONAL DO EMPREGO NO SEGMENTO DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA São Paulo 211 Conteúdo INTRODUÇÃO... 3 1. MOVIMENTAÇÃO NACIONAL DO EMPREGO NO SEGMENTO DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA

Leia mais

SUBSÍDIOS PARA A AÇÃO SINDICAL COMPORTAMENTO DO EMPREGO METALÚRGICO MARÇO DE 2011

SUBSÍDIOS PARA A AÇÃO SINDICAL COMPORTAMENTO DO EMPREGO METALÚRGICO MARÇO DE 2011 SUBSÍDIOS PARA A AÇÃO SINDICAL COMPORTAMENTO DO EMPREGO METALÚRGICO MARÇO DE 2011 ANÁLISE DOS RESULTADOS De acordo com os dados do Ministério do Trabalho e Emprego, de janeiro a dezembro de 2012 foram

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ARROZ NOVEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ARROZ NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ARROZ NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

Pendências de Envio do Relatório de Gestão Municipal-2013 aos CMS

Pendências de Envio do Relatório de Gestão Municipal-2013 aos CMS INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO OUTUBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO OUTUBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO OUTUBRO DE 2015 CALENDÁRIO AGRÍCOLA - FEIJÃO Safra 1ª - Safra das Águas 2ª - Safra da Seca 3ª - Safra de Inverno Principais Regiões Sul, Sudeste,

Leia mais

Balanço 2016 Perspectivas 2017

Balanço 2016 Perspectivas 2017 2203 Valor Bruto da Produção (VBP) 23 24 Balanço 2016 Perspectivas 2017 Perspectivas 2017 AGRICULTURA PUXA CRESCIMENTO DO VBP EM 2017 O cenário econômico internacional será o responsável pelo comportamento

Leia mais

Soja Análise da Conjuntura Agropecuária MUNDO SAFRA 2014/15

Soja Análise da Conjuntura Agropecuária MUNDO SAFRA 2014/15 Soja Análise da Conjuntura Agropecuária Novembro de 2014 MUNDO SAFRA 2014/15 Devido ao aumento das cotações nas últimas safras, principalmente na comparação com o milho, o cultivo da soja vem aumentando

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL CAMPEONATO BRASILEIRO DA SÉRIE D TABELA BÁSICA / EDIÇÃO 2016 PRIMEIRA FASE REF ROD DATA - DIA HORA GR JOGO ESTÁDIO CIDADE 1ª 12/06 - Dom A1 Rondônia RO x Amazonas AM A1 Acre AC x Amapá AP A2 Tocantins

Leia mais

mostra a Tabela 1. O estado do Rio Grande do Sul não acompanhou o cenário de queda

mostra a Tabela 1. O estado do Rio Grande do Sul não acompanhou o cenário de queda Soja Os preços médios da soja apresentaram pequena queda em fevereiro, como mostra a Tabela 1. O estado do Rio Grande do Sul não acompanhou o cenário de queda e apresentou variação positiva para fevereiro,

Leia mais

Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento

Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento Janeiro de 2008 Apresentado por Fernando Chacon Diretor de Marketing de Cartões do Banco Itaú 1 Mercado de Cartões Faturamento anual: R$ bilhões

Leia mais

Indicadores IBGE. Estatística da Produção Agrícola. Abril de 2012. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE

Indicadores IBGE. Estatística da Produção Agrícola. Abril de 2012. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE Indicadores IBGE Estatística da Produção Agrícola Abril de 2012 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE Presidenta da República Dilma Rousseff Ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão

Leia mais

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento SAFRA 2005/2006 Terceiro Levantamento Dezembro/2005 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO - MAPA Roberto Rodrigues Ministro SECRETARIA EXECUTIVA Luís Carlos Guedes Pinto Secretário SECRETARIA

Leia mais

Contas Regionais do Brasil 2011

Contas Regionais do Brasil 2011 Diretoria de Pesquisas Contas Regionais do Brasil 2011 Coordenação de Contas Nacionais frederico.cunha@ibge.gov.br alessandra.poca@ibge.gov.br Rio, 22/11/2013 Contas Regionais do Brasil Projeto de Contas

Leia mais

Novas tecnologias para o desenvolvimento produtivo baseado na experiência do desenvolvimento do Cerrado Brasileiro

Novas tecnologias para o desenvolvimento produtivo baseado na experiência do desenvolvimento do Cerrado Brasileiro Novas tecnologias para o desenvolvimento produtivo baseado na experiência do desenvolvimento do Cerrado Brasileiro Cláudio Takao Karia Chefe Adjunto de P&D Embrapa Cerrados VI Foro por el desarrollo de

Leia mais

Mamona Período: janeiro de 2015

Mamona Período: janeiro de 2015 Mamona Período: janeiro de 2015 Quadro I: preço pago ao produtor Centro de Produção UF Unidade 12 meses (a) Média de Mercado 1 mês (b) Mês atual (c) Preço mínimo Var % (c/a) Irecê BA 60kg 96,02 79,16 76,18

Leia mais

SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 5 2. METODOLOGIA 6

SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 5 2. METODOLOGIA 6 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 5 2. METODOLOGIA 6 3. ESTIMATIVA DA ÁREA PLANTADA 6 4. ESTIMATIVA DA PRODUÇÃO 7 5. INFLUÊNCIAS CLIMÁTICAS 8 6. AVALIAÇÃO DAS CULTURAS 9 6.1 Algodão 9 6.2 Arroz 10 6.3 - Canola 11

Leia mais

O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010

O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010 O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010 O IBGE realizou, em outubro, o primeiro prognóstico para

Leia mais

Indicadores IBGE. Estatística da Produção Agrícola. janeiro de Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE

Indicadores IBGE. Estatística da Produção Agrícola. janeiro de Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE Indicadores IBGE Estatística da Produção Agrícola janeiro de 2016 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE Presidenta da República Dilma Rousseff Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão

Leia mais

Energia Limpa: Viabilidade e Desafios A Bioeletricidade

Energia Limpa: Viabilidade e Desafios A Bioeletricidade Energia Limpa: Viabilidade e Desafios A Bioeletricidade Zilmar José de Souza XIV CONGRESSO BRASILEIRO DE ENERGIA Rio de Janeiro 23 de outubro de 2012 A UNICA A União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA)

Leia mais

TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS A ESTADOS, DF E MUNICÍPIOS - DEZEMBRO/2014

TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS A ESTADOS, DF E MUNICÍPIOS - DEZEMBRO/2014 SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL COINT - Coordenação-Geral de Análise e Informações das Transferências Financeiras Intergovernamentais TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS A ESTADOS, DF E MUNICÍPIOS - DEZEMBRO/2014

Leia mais

Indicadores IBGE. Estatística da Produção Agrícola. fevereiro de Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE

Indicadores IBGE. Estatística da Produção Agrícola. fevereiro de Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE Indicadores IBGE Estatística da Produção Agrícola fevereiro de 2016 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE Presidenta da República Dilma Rousseff Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão

Leia mais

Evolução das Despesas Estaduais

Evolução das Despesas Estaduais PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CONTABILIDADE E ECONOMIA SINDICATO DAS EMPRESAS DE SERVIÇOS CONTÁBEIS DO RS Convênio FACE/PUCRS e SESCON-RS Relatório 2 Evolução das Despesas

Leia mais

Mortos e Acidentes por Unidade Federativa

Mortos e Acidentes por Unidade Federativa e Acidentes por Unidade Federativa - 2016 Data: 23/05/2017 FILTROS: Veículos: Todos, Caminhões, Ônibus Valores: Absolutos Estado: Todos BR: Todas Estados com maior número de mortes e acidentes - 2016 Este

Leia mais

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE:

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Lista de Siglas d CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Boletim Ano VI - Edição nº 2/211 Boletim Ano VI - Edição nº 1 / 211 Painel de Indica Nº 1/215 Técnicos Respon Equipe

Leia mais

Custo da Cesta Básica aumenta em todas as cidades

Custo da Cesta Básica aumenta em todas as cidades 1 São Paulo, 16 de fevereiro de 2016 NOTA à IMPRENSA Custo da Cesta Básica aumenta em todas as cidades A partir de janeiro de 2016, o DIEESE (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos)

Leia mais

Balanço dos 10 anos do Selo Combustível Social

Balanço dos 10 anos do Selo Combustível Social SEMINÁRIO NACIONAL DE AVALIAÇÃO DO SELO COMBUSTÍVEL SOCIAL: A INCLUSÃO SOCIAL E PRODUTIVA DA AGRICULTURA FAMILIAR NOS 10 ANOS DO PNPB Balanço dos 10 anos do Selo Combustível Social Dezembro de 2015 Brasília

Leia mais

Rio de Janeiro, 18/05/2017. Mercado de Trabalho Brasileiro 1º trimestre de 2017

Rio de Janeiro, 18/05/2017. Mercado de Trabalho Brasileiro 1º trimestre de 2017 1 Rio de Janeiro, 18/05/2017 Mercado de Trabalho Brasileiro estre de 2017 O B J P R I N C I P A L Produzir informações contínuas PNAD Contínua Produzir informações anuais E T I sobre a inserção da população

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF UF Tecnologia Velocidade Quantidade de Acessos AC ATM 12 Mbps a 34Mbps 3 AC ATM 34 Mbps

Leia mais

TRIBUTAÇÃO SOBRE AS MPEs RANKING DOS ESTADOS 2012

TRIBUTAÇÃO SOBRE AS MPEs RANKING DOS ESTADOS 2012 TRIBUTAÇÃO SOBRE AS MPEs RANKING DOS ESTADOS 2012 ROTEIRO 1 2 3 4 O PROJETO RESULTADOS DIFERENÇA NAS ALÍQUOTAS LIÇÕES: BONS E MAUS EXEMPLOS 1 O PROJETO 1 2 3 4 O PROJETO RESULTADOS DIFERENÇA NAS ALÍQUOTAS

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MILHO NOVEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MILHO NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MILHO NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

BOLETIM DO MILHO Nº 13

BOLETIM DO MILHO Nº 13 BOLETIM DO MILHO Nº 13 COMERCIALIZAÇÃO O acompanhamento semanal de safras do DERAL indica que foram comercializadas, no Paraná, até o momento, 10,4 milhões de toneladas de milho, o que representa 73% da

Leia mais

Indicadores IBGE. Estatística da Produção Agrícola. Março de Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE

Indicadores IBGE. Estatística da Produção Agrícola. Março de Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE Indicadores IBGE Estatística da Produção Agrícola Março de 2013 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE Presidenta da República Dilma Rousseff Ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão

Leia mais

Mamona Período: janeiro de 2016

Mamona Período: janeiro de 2016 Mamona Período: janeiro de 2016 Quadro I: preço pago ao produtor Centro de Produção UF Unidade 12 meses (a) Média de Mercado 1 mês (b) Mês atual (c) Preço mínimo Var % (c/a) Irecê BA 60kg 78,96 93,13 88,33

Leia mais

CUSTO DE PRODUÇÃO DE GRÃOS EM GUARAPUAVA-PR

CUSTO DE PRODUÇÃO DE GRÃOS EM GUARAPUAVA-PR CUSTO DE PRODUÇÃO DE GRÃOS EM GUARAPUAVA-PR Foi realizado no dia 10 de julho de 2012 em Guarapuava (PR), o painel de custos de produção de grãos. A pesquisa faz parte do Projeto Campo Futuro da Confederação

Leia mais

Dados sobre o Programa de Educação Tutorial PET atualizados em abril de Fonte: SESu/MEC Apresentação: Diretoria da CENAPET

Dados sobre o Programa de Educação Tutorial PET atualizados em abril de Fonte: SESu/MEC Apresentação: Diretoria da CENAPET Dados sobre o Programa de Educação Tutorial PET atualizados em abril de 05 Fonte: SESu/MEC Apresentação: Diretoria da CENAPET Informações Gerais Número de Grupos: 84 Número de IES: Categoria Administrativa

Leia mais

Vigilância em Saúde do Trabalhador Agenda Estratégica e a Renast

Vigilância em Saúde do Trabalhador Agenda Estratégica e a Renast Vigilância em Saúde do Trabalhador Agenda Estratégica e a Renast Coordenação Geral de Saúde do Trabalhador Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador Secretaria de Vigilância

Leia mais

Heringer Day Novembro de 2016

Heringer Day Novembro de 2016 Heringer Day Novembro de 2016 PROGRAMAÇÃO 15:00 Recepção de Investidores e Analistas 15:30 Mercado de fertilizantes e resultados do 3T16 e 9M16 Dalton Carlos Heringer CEO Rodrigo Bortolini Rezende CFO

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos RORAIMA OUTUBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos RORAIMA OUTUBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos RORAIMA OUTUBRO DE 2015 DADOS GERAIS DO ESTADO DA RORAIMA Total Part % Brasil Part % Região Área Total - km² 224.118 2,64% 5,82% População - mil (1)

Leia mais

Perfil das Micro e Pequenas Empresas no ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Perfil das Micro e Pequenas Empresas no ESTADO DO RIO DE JANEIRO Perfil das Micro e Pequenas Empresas no ESTADO DO RIO DE JANEIRO NOTA CONJUNTURAL DO OBSERVATÓRIO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, SETEMBRO DE 2011 03 2011 PANORAMA GERAL O crescimento

Leia mais

Evolução das Ocorrências de Sinistros de Morte no Feriado de Corpus Christi por Tipo de Veículo

Evolução das Ocorrências de Sinistros de Morte no Feriado de Corpus Christi por Tipo de Veículo Estatísticas Corpus Christi Nos últimos anos, as ocorrências de acidentes envolvendo veículos automotores, no período do feriado de Corpus Christi, cujas indenizações foram solicitadas à Seguradora Líder

Leia mais

Pesquisa sobre a Securitização da Dívida Ativa dos Municípios

Pesquisa sobre a Securitização da Dívida Ativa dos Municípios Pesquisa sobre a Securitização da Dívida Ativa dos Municípios Objetivos: Diagnosticar a situação atual dos municípios brasileiros em relação à Securitização da Dívida Ativa de acordo com a resolução 33

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Março/15) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

1 Lavouras 0,8 0,7 0,4 R O T O

1 Lavouras 0,8 0,7 0,4 R O T O 1 Lavouras 1.1 - Produção Agrícola 2013 - Cereais, leguminosas e oleaginosas A nona estimativa da safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas 1 totalizou 187,0 milhões de toneladas 2, superior

Leia mais

PARANÁ CONTINUA SENDO O MAIOR PRODUTOR DE GRÃOS

PARANÁ CONTINUA SENDO O MAIOR PRODUTOR DE GRÃOS SECRETARIA DE ESTADO DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA RURAL D E R A L PARANÁ CONTINUA SENDO O MAIOR PRODUTOR DE GRÃOS 20/03/06 O levantamento de campo realizado pelo DERAL, no

Leia mais

Atenção Integral à Desnutrição Infantil

Atenção Integral à Desnutrição Infantil Atenção Integral à Desnutrição Infantil PROTOCOLOS DE ATENÇÃO À CRIANÇA COM DESNUTRIÇÃO GRAVE Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Básica Coordenação Geral da Política

Leia mais

Anuário Estatístico do Turismo de Bonito

Anuário Estatístico do Turismo de Bonito Anuário Estatístico do Turismo de Bonito Ano Base - 2016 Realização: Apoio: ANUÁRIO ESTATÍSTICO DO TURISMO DE BONITO ANO BASE 2016 O Anuário Estatístico do Turismo é a compilação dos dados coletados pelo

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Maio/15) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

De janeiro a junho de 2013 as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT registraram crescimento de 38% ante mesmo período de 2012.

De janeiro a junho de 2013 as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT registraram crescimento de 38% ante mesmo período de 2012. De janeiro a junho de 2013 as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT registraram crescimento de 38% ante mesmo período de 2012. Os casos de Invalidez Permanente representaram a maioria das indenizações pagas

Leia mais

CENTRO COLABORADOR EM ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO DO ESCOLAR - CECANE/SC

CENTRO COLABORADOR EM ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO DO ESCOLAR - CECANE/SC CENTRO COLABORADOR EM ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO DO ESCOLAR - CECANE/SC COORDENADOR Prof. Francisco de Assis Guedes de Vasconcelos SUB-COORDENAÇÃO PESQUISA Prof. Cristine Garcia Gabriel Prof. Janaina das Neves

Leia mais

CONJUNTURA QUINZENAL 01 A 15/02/2016

CONJUNTURA QUINZENAL 01 A 15/02/2016 SOJA - MATO GROSSO CONJUNTURA QUINZENAL 01 A 15/02/2016 ANO 2 Nº14 A colheita avança e começa a derrubar os preços da soja em Mato Grosso. De acordo com dados do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária

Leia mais

Desenvolvimento e Oportunidades da Agricultura Familiar. Marco Antonio Viana Leite Diretor PAC e Mais Alimentos

Desenvolvimento e Oportunidades da Agricultura Familiar. Marco Antonio Viana Leite Diretor PAC e Mais Alimentos Desenvolvimento e Oportunidades da Agricultura Familiar Marco Antonio Viana Leite Diretor PAC e Mais Alimentos Agricultura Familiar no Mundo São 500 milhões de estabelecimentos da agricultura familiar

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL DE ACOMPANHAMENTO DE MERCADO Março de 2015 ETANOL HIDRATADO

RELATÓRIO MENSAL DE ACOMPANHAMENTO DE MERCADO Março de 2015 ETANOL HIDRATADO CDC - Coordenadoria de Defesa da Concorrência RELATÓRIO MENSAL DE ACOMPANHAMENTO DE MERCADO Março de 2015 ETANOL HIDRATADO 1. Introdução Neste relatório será apresentado o comportamento dos preços de etanol

Leia mais

RELATÓRIO ESTATÍSTICO DA SOJA AGOSTO/2008

RELATÓRIO ESTATÍSTICO DA SOJA AGOSTO/2008 Instituto Mato Grossense de Economia Agrícola RELATÓRIO ESTATÍSTICO DA SOJA AGOSTO/2008 Presindente: Rui Carlos Ottoni Prado Superintendente: Seneri Kernbeis Paludo Equipe Técnica: Anamaria Gaudencio Martins,Daniel

Leia mais

RESULTADO DO LIRAa JANEIRO FEVEREIRO/15

RESULTADO DO LIRAa JANEIRO FEVEREIRO/15 RESULTADO DO LIRAa JANEIRO FEVEREIRO/15 1º LIRAa 2015 - Situação dos municípios brasileiros Participação voluntária de 1.844 municípios Pesquisa realizada entre janeiro/fevereiro de 2015; Identifica focos

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

Formação dos Grupos e forma de disputa

Formação dos Grupos e forma de disputa Formação dos Grupos e forma de disputa Sorteio realizado no dia 01 de Novembro de 2010 na sede social da APMP. Categoria Força Livre 1. Amazonas 2. Acre 3. Amapá 4. Ceara 5. Espirito Santo 6. Goiás 7.

Leia mais

Indicadores 3 e 4 do contrato de gestão Relatório de setembro de 2014

Indicadores 3 e 4 do contrato de gestão Relatório de setembro de 2014 Indicadores 3 e 4 do contrato de gestão Relatório de setembro de 2014 André de Oliveira Vieira Outubro de 2014 Indicadores 3 e 4 do contrato de gestão Setembro de 2014 1 Sumário 1. Introdução... 3 2. Metodologia

Leia mais

Indicadores 5 e 6 do contrato de gestão Relatório de Abril de 2010

Indicadores 5 e 6 do contrato de gestão Relatório de Abril de 2010 Indicadores 5 e 6 do contrato de gestão Relatório de Abril de 2010 Leonardo Ferreira Carneiro Junho de 2010 Indicadores 5 e 6 do contrato de gestão Abril de 2010 1 Sumário 1. Introdução... 3 2. Metodologia

Leia mais