Metas do Manejo da Asma

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Metas do Manejo da Asma"

Transcrição

1 Questionários para Avaliar o Controle e Qualidade de Vida: Qual o Melhor? Emilio Pizzichini Professor Associado de Medicina Universidade Meu Interesse Federal é de Santa Catarina Núcleo de Pesquisa em Asma e Inflamação das Gerar Vias Conflitos! Aéreas - NUPAIVA CNPA 2014 Buzios 26/04/2014 Metas do Manejo da Asma Controle da Asma Obter Controle Atual Reduzir Riscos Futuros Limitações Sintomas Atividades Med. Resgate Atuais Função Pulm. Instabilidade/ piora Perda da Função Pulm Riscos Futuros EXACERB. Efeitos adversos GINA 2012; NIH/NAEPP Expert Report No ; ATS/ERS Task Force on Asthma Severity & Control 2008 Multidimensões do controle da asma Paciente Sintomas Médico Controle da asma Comorbidades Biomarcadores #Risco Futuro# Patogenia Inflamação Classificação Atual de Controle Exacerbações Controle clínico X Controle da Doença Gibson, P. Curr Opin Pulm Med 2014, 20:1 7 1

2 Definição de Controle da Asma GINA 2012 Sintomas diurnos 2x/sem Limitação das atividades - nenhuma Medicação de resgate 2x/sem Sintomas noturnos - nenhum VEF 1 ou PEF N ( 80% do previsto) Instrumentos para Aferir o Controle da Asma Asthma Control Questionnaire (ACQ) Juniper et al., ERJ; 1999 Asthma Control TEST(ACT) Nathan et al., JACI; 2004 Asthma Control Scoring System (ACSS) Boulet et al., Chest; 2002 and Allergy 2007 Global Initiative for Asthma (GINA 2012) Instrumentos para a medida do controle da asma GINA2012 ACQ7 ACT ACSS Sintomas Diurnos Sintomas Noturnos Lim. das atividades Medicação de resgate Função Pulmonar Inflamação Auto-avaliação do pte. 2

3 GINA 2012 avaliação do controle da asma preferentemente nas últimas 4 semanas Asma Todos os itens abaixo Sintomas diurnos 2x/sem Limit. atividades nenhuma Med. de resgate 2x/sem Sintomas noturnos Nenhum VEF 1 ou PEF N 80% do previsto Asma Parcial. Qualquer dos itens abaixo Sintomas diurnos > 2x/sem Limit. atividades qualquer Med. de resgate > 2x/sem Sintomas noturnos qualquer VEF 1 ou PEF < 80% do previsto Asma Não 3 dos itens abaixo Sintomas diurnos > 2x/sem Limit. atividades qualquer Med. de resgate > 2x/sem Sintomas noturnos qualquer VEF 1 ou PEF < 80% do previsto VEF 1 pré BD sem suspender o tratamento antes do exame ACQ: Asthma Control Questionnaire 1. Em média, durante a última semana, com que frequência você acordou a noite por causa de sua asma? 0 Nunca 1 Quase nunca 2 Algumas vezes 3 Várias vezes 4 Muitas vezes 5 Um grande número de vezes 6 Incapaz de dormir JUNIPER et al Eur Respir J 1999; 14: Asthma Control Test (ACT) 1. Durante as últimas 4 semanas, com que freqüência sua asma impediu você de fazer coisas no trabalho, na escola ou em casa? Escore Score 2. Durante as últimas 4 semanas, com que frequência você teve falta de ar? 3. Durante as últimas 4 sem, com que frequência seus sintomas de asma (chiado no peito, tosse, falta de ar, aperto no peito, ou dor) acordaram você durante a noite ou de manhã mais cedo do que de costume? 4. Durante as últimas 4 sem, com que frequência vc usou sua medicação de alívio como o inalador ou seu nebulizador (como por ex: salbutamol )? 5. Como você avaliaria o controle da sua asma durante as últimas 4 sem.? TM: Copyright 2002, QualityMetric Incorporated.. Escore total do paciente 3

4 Instrumentos para a medida do controle da asma Asthma Control Score System (ACSS) Questionário com três domínios: Clínico Funcional - PFE ou VEF 1 Inflamatório (eosinofilia no escarro) Boulet LP et al. Chest. 2002,122(6): Instrumentos para a medida do controle da asma GINA 2012 ACQ ACT ACSS Quem avalia Profissional Paciente Paciente Profissional Período de avaliação 1-4 sem 1 sem 4 sem 1 sem Escore P. N DMCI* NA ? *DMCI diferença mínima clinicamente importante Instrumentos para a medida do controle da asma GINA 2012 ACQ ACT ACSS Parcialmente 0.75 < Não controlada

5 Qualidade de vida Alguns efeitos do tratamento podem ser identificados somente pelo paciente. O paciente fornece uma perspectiva global única na efetividade do tratamento. Avaliação padronizada pode ser mais confiável do que uma entrevista informal. Questionários de qualidade vida relacionados à saúde (HRQoL) Genéricos SF12 Doença específico Escala de Likert 7 pontos AQoLQ (S) e o Mini 1 AQoLQ prejuízo máximo 32 perguntas dividas 7 nenhum em quatro prejuízo domínios SINTOMAS (12) DMCI 0.5 LIMITAÇÃO DAS ATIVIDADES (11) ESTÍMULOS AMBIENTAIS (4) EMOÇÕES (5) Juniper et al,1994 e 1997 Incertezas/Questionamentos Como medir o parâmetro funcional para determinar o nível de controle da asma? Qual instrumento utilizar para aferir o controle da asma? Existe um melhor? Existe vantagem na avaliação do domínio inflamatório? Existem diferenças, na perspectiva do paciente, entre estar com a asma controlada ou parcialmente controlada? Marcelino O Vieira. Tese Doutorado, UFSC,

6 Delineamento do Estudo: Transversal VISITA 1 Questionário estruturado Consentimento informado Critérios de elegibilidade GINA 2010 Espirometria na vigência de LABA Espirometria sem uso de LABA Indução do Escarro VISITA 2 GINA 2010 ACQ7 ACT ACSS AQLQ(S) Testes Cutâneos Critérios de Inclusão CRITÉRIOS DE INCLUSÃO Asmáticos com idade entre 18 e 70 anos. Em uso de CI+LABA por pelo menos 03 meses Asma controlada ou parcialmente controlada de acordo com a GINA Livres de infecção respiratória nas últimas 04 semanas Sem exacerbação nos últimos 03 meses Não fumantes, ou ex-fumantes por pelo menos um ano, e com carga tabágica < 10 maços/ano. Características demográficas, clínicas e funcionais dos participantes, de acordo com o nível de controle da asma baseado na escala da GINA 2010 Característica C (n=23) PC ( n = 28) p Idade, anos 33.0 (18-61) 46.6 (22-67) <0.001 Gênero, feminino 12 (52.2%) 21 (75%) 0.14 Atopia, n 20 (86.9%) 20 (71.4%) 0.11 Nunca fumaram, n 16 (69.6%) 25 (89.3%) 0.15 Dose de CI, µg/d ( ) ( ) 0.35 Em uso de LABA 23 (100%) 28 (100%) VEF 1 pré-bd,% 92.7 (88.7;96.8) 77.8 (71.9;83.7) < VEF 1 pós-bd,% 94.3 (90.6;98.2) 80.8 (74.9;86.7) < VEF 1 /CVF pré-bd,% 80.8 (76.5;85.1) 69.5 (65.8;73.2) < VEF 1 /CVF pós-bd,% 80.8 (76.5;85.1) 69.5 (65.8;73.2) <

7 Escores 07/07/2014 ACQ-7 ACT p=0.003 ACSS p= C PC C PC C PC Proporção de pacientes com Asma ( ), Parcialmente ( ) e Não ( ) de acordo com diferentes instrumentos para classificar o nível de controle da Asma. 80 MAIS FLEXÍVEL 60 MAIS RÍGIDO % GINA ACQ7 ACT ACSS KOOLEN e Cols. (Eur. Respir. J ) Estudo Atual n = 145 (crianças) C-ACT e ACT correlacionam-se bem em prever asma parcialmente controlada/não controlada conforme a GINA, mas subestimam a proporção de crianças com asma parcialmente controlada/não controlada conforme este mesmo instrumento. GINA: 41.1% AC ACT: 72.5% AC 21.6% o controle da asma foi superestimado pelo ACT 7

8 AQLQ (S) escore 07/07/2014 Matriz de correlação entre os diversos instrumentos para classificar o nível de controle da Asma e o escore do AQLQ(S) global e de seus domínios AQLQ(S) AQLQ(S) AQLQ(S) AQLQ(S) AQLQ(S) atividades sintomas emoções estímulo GINA p= p= ns p < ACQ p< p< p < ACT p< p< p < ACSS ns p<0.007 p< ns ns p= 0.01 p= p= < Asma Asma Parcialmente 1 Atividades Sintomas Emoções Estímulos AC vs APC vs ANC (QoL) ASMÁTICOS n = não preencheram critérios PACIENTES QUE REALIZARAM OS PROCEDIMENTOS n = 94 AC n = 27 APC n = 30 ANC n = falhas no EI 01 falha no EI 04 falhas no EI AC n = 24 APC n = 29 ANC n = 33 TOTAL CONCLUÍDOS n = 86 CC Rocha, Mestr UFSc

9 AQLQ(S) escore total, média 07/07/2014 MÉDIA DO ESCORE TOTAL AQLQ(S) p < 0,001 p = 0,007 p < 0, AC APC ANC Média das diferenças e IC 95% AC vs APC = 0,9 (0,2-1,5), p = 0,007 AC vs ANC = 2,5 (1,9-3,2), p < 0,001 APC vs ANC = 1,6 (1,0-2,3), p < CC Rocha, Mestr UFSc 2013 MAGNITUDE DA INTERFERÊNCIA DO NÍVEL DE CONTROLE DA ASMA SOBRE A QUALIDADE DE VIDA NÍVEL DE CONTROLE Prejuízo grave < 3 MÉDIA ESCORE TOTAL AQLQ(S) Prejuízo moderado > 3 - < 6 Prejuízo mínimo ou ausente > 6 AC, n (%) 0 (0) 6 (25,0) 18 (75,0) APC, n (%) 0 (0) 21 (72,4) 8 (27,6) ANC, n (%) 10 (30,3) 21 (63,6) 2 (6,1) CC Rocha, Mestr UFSc 2013 Metas (Goals) do Manejo da Asma CONTROLE DA ASMA Obter LIMITAÇÕES ATUAIS Reduzir RISCOS FUTUROS Manter QUALIDADE DE VIDA Definido por Sintomas Atividades Medicação de Resgate Função pulmonar Definido por Instabilidade/ Piora Perda da F. Pulmonar Exacerbações Efeitos Adversos Modificado de GINA 2006; NIH/NAEPP Expert Report No. 2007; ATS/ERS Task Force on Asthma Severity & Control

10 CONCLUSÕES Existem diversos instrumentos válidos e responsivos para medir o controle da asma. A medida da qualidade de vida adiciona uma importante dimensão na determinação do controle da asma. O impacto diferencial e clinicamente importante da QoL na asma parcialmente controlada valida a classificação da GINA. É imperioso investigar o objetivo final do tratamento da asma. Muito Obrigado!!! Enjoy life!!!! 10

Tratamento personalizado da asma. Objetivos do manejo da Asma AJUSTES DO TRATAMENTO 04/06/ Etapas do tratamento

Tratamento personalizado da asma. Objetivos do manejo da Asma AJUSTES DO TRATAMENTO 04/06/ Etapas do tratamento Tratamento personalizado da asma Marcia Margaret M Pizzichini Professora de Medicina Universidade Federal de Santa Catarina Núcleo de Pesquisa em Asma e Inflamação das Vias Aéreas - NUPAIVA SBPT- Rio de

Leia mais

ASMA GRAVE: COMO DEFINIR E MANEJAR NA PRÁTICA DIÁRIA? OBJETIVOS DO MANEJO DA ASMA. Future Risks TRATAMENTO ATUAL DA ASMA GRAVE.

ASMA GRAVE: COMO DEFINIR E MANEJAR NA PRÁTICA DIÁRIA? OBJETIVOS DO MANEJO DA ASMA. Future Risks TRATAMENTO ATUAL DA ASMA GRAVE. ASMA GRAVE: COMO DEFINIR E MANEJAR NA PRÁTICA DIÁRIA? Marcia MM Pizzichini Professora de Medicina Universidade Federal de Santa Catarina Núcleo de Pesquisa em Asma e Inflamação das Vias Aéreas - NUPAIVA

Leia mais

Um Caso Comum de Nossa Prática!

Um Caso Comum de Nossa Prática! Broncoprovocação: Direta? Indireta? Qual o seu lugar no armamentário do pneumologista? Emilio Pizzichini Professor de Medicina Universidade Federal de Santa Catarina Núcleo de Pesquisa em Asma e Inflamação

Leia mais

Introdução. Corticoide inalado é suficiente para a maioria das crianças com asma.

Introdução. Corticoide inalado é suficiente para a maioria das crianças com asma. Introdução Corticoide inalado é suficiente para a maioria das crianças com asma. Alguns pacientes (poucos) podem se beneficiar do antileucotrieno como único tratamento. Se BD de longa ação: acima de 4

Leia mais

27/04/2016. Eosinofilia sanguínea como marcador de conduta no tratamento: utopia acadêmica ou aplicável na prática clínica?

27/04/2016. Eosinofilia sanguínea como marcador de conduta no tratamento: utopia acadêmica ou aplicável na prática clínica? 27/4/216 Eosinofilia sanguínea como marcador de conduta no tratamento: utopia acadêmica ou aplicável na prática clínica? Marcia Margaret M Pizzichini Professora de Medicina Universidade Federal de Santa

Leia mais

CASO CLÍNICO ASMA. Identificação: MSB, 46 anos, fem, do lar, Porto Alegre

CASO CLÍNICO ASMA. Identificação: MSB, 46 anos, fem, do lar, Porto Alegre CASO CLÍNICO ASMA Identificação: MSB, 46 anos, fem, do lar, Porto Alegre Dispnéia recorrente desde a infância, chiado no peito, dor torácica em aperto 2 despertares noturnos/semana por asma Diversas internações

Leia mais

Como o conhecimento da inflamação e dos biomarcadores podem nos auxiliar no manejo da asma?

Como o conhecimento da inflamação e dos biomarcadores podem nos auxiliar no manejo da asma? Como o conhecimento da inflamação e dos biomarcadores podem nos auxiliar no manejo da asma? Regina Carvalho Pinto Grupo de Doenças Obstrutivas HC-InCor-FMUSP Declaração de potencial conflito de Interesse

Leia mais

Sílvia Silvestre 08/11/2017. Asma : abordagem e como garantir a qualidade de vida a estes pacientes

Sílvia Silvestre 08/11/2017. Asma : abordagem e como garantir a qualidade de vida a estes pacientes Sílvia Silvestre 08/11/2017 Asma : abordagem e como garantir a qualidade de vida a estes pacientes Sumário Introdução Conceito Diagnóstico Abordagem Qualidade de vida Questionários Aplicabilidade Conclusões

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUÇÃO EM CIÊNCIAS MÉDICAS MARCELINO OSMAR VIEIRA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUÇÃO EM CIÊNCIAS MÉDICAS MARCELINO OSMAR VIEIRA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUÇÃO EM CIÊNCIAS MÉDICAS MARCELINO OSMAR VIEIRA ESTUDO SOBRE CONTROLE DA ASMA: UTILIZAÇÃO DOS INSTRUMENTOS GINA 2010,

Leia mais

Asma: Manejo do Período Intercrise. Pérsio Roxo Júnior Divisão de Imunologia e Alergia Departamento de Puericultura e Pediatria

Asma: Manejo do Período Intercrise. Pérsio Roxo Júnior Divisão de Imunologia e Alergia Departamento de Puericultura e Pediatria Asma: Manejo do Período Intercrise Pérsio Roxo Júnior Divisão de Imunologia e Alergia Departamento de Puericultura e Pediatria ASMA Doença Inflamatória Crônica Hiper-responsividade das vias aéreas inferiores

Leia mais

Classificação dos fenótipos na asma da criança. Cassio Ibiapina Pneumologista Pediatrico Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina da UFMG,

Classificação dos fenótipos na asma da criança. Cassio Ibiapina Pneumologista Pediatrico Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina da UFMG, Classificação dos fenótipos na asma da criança Cassio Ibiapina Pneumologista Pediatrico Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina da UFMG, Declaração sobre potenciais conflitos de interesse De

Leia mais

Cristiane Cinara Rocha QUALIDADE DE VIDA E INFLAMAÇÃO DAS VIAS AÉREAS EM DIFERENTES NÍVEIS DE CONTROLE DA ASMA

Cristiane Cinara Rocha QUALIDADE DE VIDA E INFLAMAÇÃO DAS VIAS AÉREAS EM DIFERENTES NÍVEIS DE CONTROLE DA ASMA Cristiane Cinara Rocha QUALIDADE DE VIDA E INFLAMAÇÃO DAS VIAS AÉREAS EM DIFERENTES NÍVEIS DE CONTROLE DA ASMA Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas, da Universidade

Leia mais

Avaliação Funcional na Asma Pediátrica. Dr. Diego Brandenburg Pneumologista Pediátrico Hospital de Clínicas de Porto Alegre

Avaliação Funcional na Asma Pediátrica. Dr. Diego Brandenburg Pneumologista Pediátrico Hospital de Clínicas de Porto Alegre Avaliação Funcional na Asma Pediátrica. Dr. Diego Brandenburg Pneumologista Pediátrico Hospital de Clínicas de Porto Alegre Diagnóstico de Asma: O diagnóstico de asma deve ser baseado em : História de

Leia mais

Diagnosis and treatment of asthma in childhood: a PRACTALL consensus report. Allergy Global Initiative for Asthma

Diagnosis and treatment of asthma in childhood: a PRACTALL consensus report. Allergy Global Initiative for Asthma Asma Diagnosis and treatment of asthma in childhood: a PRACTALL consensus report. Allergy 2008 Global Initiative for Asthma 2010. www.ginasthma.org Mónica Oliva 4 Novembro 2010 CS Norton Matos, 11 Maio

Leia mais

Medidas Laboratoriais do Controle: onde estamos, para onde vamos?

Medidas Laboratoriais do Controle: onde estamos, para onde vamos? Medidas Laboratoriais do Controle: onde estamos, para onde vamos? Marcia MM Pizzichini Professora de Medicina da UFSC NUPAIVA Asthma Research Center Florianópolis - Brasil Componentes das doenças das vias

Leia mais

Asma Diagnóstico e Tratamento

Asma Diagnóstico e Tratamento 1ªs Jornadas de Pneumologia de Angola Respirar bem, Dormir bem, Viver melhor Asma Diagnóstico e Tratamento Margarete Arrais MD, Pneumologista Introdução Importante problema de saúde pública. Desde a década

Leia mais

25 de SETEMBRO de 2015 AUDITÓRIO II EMESCAM - VITÓRIA/ES

25 de SETEMBRO de 2015 AUDITÓRIO II EMESCAM - VITÓRIA/ES 25 de SETEMBRO de 2015 AUDITÓRIO II EMESCAM - VITÓRIA/ES ASSOCIAÇÃO CAPIXABA DE MEDICINA DE FAMÍLIA E COMUNIDADE ACMFC ASMA NA INFÂNCIA BIANCA LAZARINI FORREQUE Residente R1 Residência de Medicina de Família

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUÇÃO EM CIÊNCIAS MÉDICAS MICHELLE GONÇALVES DE SOUZA TAVARES

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUÇÃO EM CIÊNCIAS MÉDICAS MICHELLE GONÇALVES DE SOUZA TAVARES UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUÇÃO EM CIÊNCIAS MÉDICAS MICHELLE GONÇALVES DE SOUZA TAVARES VALIDAÇÃO DOS CRITÉRIOS DE CONTROLE DA GINA 2015 FLORIANÓPOLIS

Leia mais

04/06/2012. Ache Eurofarma Genetech Boehringer AstraZeneca GSK Novartis Chiesi MSD TIOTRÓPIO NA ASMA UMA NOVA OPÇÃO?

04/06/2012. Ache Eurofarma Genetech Boehringer AstraZeneca GSK Novartis Chiesi MSD TIOTRÓPIO NA ASMA UMA NOVA OPÇÃO? TIOTRÓPIO NA ASMA UMA NOVA OPÇÃO? Dr Adalberto Sperb Rubin Pavilhão Pereira Filho Santa Casa de Porto Alegre UFCSPA Declaração de conflito de interesse Adalberto Sperb Rubin CREMERS 15842 De acordo com

Leia mais

IMPACTO DA RINITE SOBRE CONTROLE CLÍNICO E GRAVIDADE DA ASMA EM UM PROGRAMA DE REFERÊNCIA DO ESTADO DO MARANHÃO

IMPACTO DA RINITE SOBRE CONTROLE CLÍNICO E GRAVIDADE DA ASMA EM UM PROGRAMA DE REFERÊNCIA DO ESTADO DO MARANHÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DA UFMA IMPACTO DA RINITE SOBRE CONTROLE CLÍNICO E GRAVIDADE DA ASMA EM UM PROGRAMA DE REFERÊNCIA DO ESTADO DO MARANHÃO J A N A I N A O L I V E I

Leia mais

Declaração sobre Potenciais Conflitos de Interesse

Declaração sobre Potenciais Conflitos de Interesse Declaração sobre Potenciais Conflitos de Interesse Participações nos últimos 5 anos: Investigador de estudos patrocinados pelas empresas Novartis e Boehringer Ingelheim; Palestrante de eventos patrocinados

Leia mais

ASMA. FACIMED Curso de Medicina. Disciplina Medicina de Família e Comunidade. Prof. Ms. Alex Miranda Rodrigues

ASMA. FACIMED Curso de Medicina. Disciplina Medicina de Família e Comunidade. Prof. Ms. Alex Miranda Rodrigues ASMA FACIMED Curso de Medicina Disciplina Medicina de Família e Comunidade Prof. Ms. Alex Miranda Rodrigues Disciplina Medicina de Família e Comunidade 5º Período Objetivos Ao final desta aula o aluno

Leia mais

ENFERMAGEM DOENÇAS CRONICAS NÃO TRANMISSIVEIS. Doenças Respiratórias Parte 3. Profª. Tatiane da Silva Campos

ENFERMAGEM DOENÇAS CRONICAS NÃO TRANMISSIVEIS. Doenças Respiratórias Parte 3. Profª. Tatiane da Silva Campos ENFERMAGEM DOENÇAS CRONICAS NÃO TRANMISSIVEIS Doenças Respiratórias Parte 3 Profª. Tatiane da Silva Campos Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) - é uma doença com repercussões sistêmicas, prevenível

Leia mais

José R. Jardim Escola Paulista de Medcina

José R. Jardim Escola Paulista de Medcina 1 GOLD 2011 os sintomase o risco futuro devemser valorizados? José R. Jardim Escola Paulista de Medcina 2 O que é o GOLD 2011 É um documento curto, não são Diretrizes, mas sim recomendações. Ele não é

Leia mais

ASMA DE DIFÍCIL CONTROLE ASMA DE DIFÍCIL CONTROLE ASMA DE DIFÍCIL CONTROLE

ASMA DE DIFÍCIL CONTROLE ASMA DE DIFÍCIL CONTROLE ASMA DE DIFÍCIL CONTROLE Sexo feminino, 22 anos, estudante, parda Asmática desde bebê, em uso regular de: formoterol 12 mcg tid + budesonida 800 mcg bid + azatioprina 50mg bid + prednisona 40mg qd + azitromicina 3x/semana + budesonida

Leia mais

TRATAMENTO AMBULATORIAL DA ASMA NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA Andréa da Silva Munhoz

TRATAMENTO AMBULATORIAL DA ASMA NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA Andréa da Silva Munhoz TRATAMENTO AMBULATORIAL DA ASMA NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA Andréa da Silva Munhoz A asma é uma das doenças crônicas mais prevalentes na infância e apresenta altas taxas de mortalidade e internações. Por

Leia mais

Como fazer o step up ou step down no tratamento da asma

Como fazer o step up ou step down no tratamento da asma Como fazer o step up ou step down no tratamento da asma Marcia Margaret M Pizzichini Professora Associado de Medicina Universidade Federal de Santa Catarina Núcleo de Pesquisa em Asma e Inflamação das

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA UNIDADE CASO CLÍNICO

APRESENTAÇÃO DA UNIDADE CASO CLÍNICO APRESENTAÇÃO DA UNIDADE Objetivos educacionais da unidade Aqui, abordaremos como conduzir o paciente portador de asma para que permaneça no domicílio clinicamente estável e confortável. Serão tratados

Leia mais

Impacto do Grau de Controlo da Asma na Utilização de Cuidados de Saúde em Portugal

Impacto do Grau de Controlo da Asma na Utilização de Cuidados de Saúde em Portugal Unidade de Epidemiologia Instituto de Medicina Preventiva Faculdade de Medicina, Universidade de Lisboa Impacto do Grau de Controlo da Asma na Utilização de Cuidados de Saúde em Portugal Violeta Alarcão,

Leia mais

Como o Laboratório de Função Pulmonar pode ser útil na Asma? Jussara Fiterman. O Laboratório de Função Pulmonar é fundamental e isto não é novidade

Como o Laboratório de Função Pulmonar pode ser útil na Asma? Jussara Fiterman. O Laboratório de Função Pulmonar é fundamental e isto não é novidade Como o Laboratório de Função Pulmonar pode ser útil na Asma? Jussara Fiterman O Laboratório de Função Pulmonar é fundamental e isto não é novidade Diagnóstico clinico- funcional Avaliação objetiva da intensidade

Leia mais

ASMA. Curso de Operacionalização de Unidades Sentinelas Caxias do Sul /RS 09 a 11/

ASMA. Curso de Operacionalização de Unidades Sentinelas Caxias do Sul /RS 09 a 11/ ASMA Curso de Operacionalização de Unidades Sentinelas Caxias do Sul /RS 09 a 11/07 2008 Luiz Carlos Corrêa Alves Médico Pneumologista Mestre em Saúde Pública /área saúde, trabalho e ambiente Responsável

Leia mais

Fisiopatologia Tabagismo e DPOC

Fisiopatologia Tabagismo e DPOC XVI Curso Nacional de Atualizaçãoem Pneumologia Abordagem do tabagismo na asma e DPOC Maria Vera Cruz de Oliveira Castellano Hospital do Servidor Público Estadual / SP Fisiopatologia Tabagismo e DPOC Processo

Leia mais

RINITE ALÉRGICA E CONTROLE DA ASMA GRAVE: UM ESTUDO. Objetivo: O objetivo do presente estudo foi avaliar o papel da rinite alérgica em

RINITE ALÉRGICA E CONTROLE DA ASMA GRAVE: UM ESTUDO. Objetivo: O objetivo do presente estudo foi avaliar o papel da rinite alérgica em I RESUMO RINITE ALÉRGICA E CONTROLE DA ASMA GRAVE: UM ESTUDO TRANSVERSAL Tássia Milenna O. de Souza 1 Álvaro A. Cruz 2 Marcus M. Lessa 3 Objetivo: O objetivo do presente estudo foi avaliar o papel da rinite

Leia mais

I Inquérito Nacional sobre Asma INASma

I Inquérito Nacional sobre Asma INASma I Inquérito Nacional sobre Asma INASma Sumário do Inquérito Nacional de Controlo da Asma Direcção Geral de Saúde Dezembro 2010 I Inquérito Nacional sobre Asma Direcção geral de saúde / Comissão de Acompanhamento

Leia mais

DPOC Doença pulmonar obstrutiva crônica Resumo de diretriz NHG M26 (segunda revisão, julho 2007)

DPOC Doença pulmonar obstrutiva crônica Resumo de diretriz NHG M26 (segunda revisão, julho 2007) DPOC Doença pulmonar obstrutiva crônica Resumo de diretriz NHG M26 (segunda revisão, julho 2007) Smeele IJM, Van Weel C, Van Schayck CP, Van der Molen T, Thoonen B, Schermer T, Sachs APE, Muris JWM, Chavannes

Leia mais

Síndrome Overlap: diagnóstico e tratamento. Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS)

Síndrome Overlap: diagnóstico e tratamento. Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS) Síndrome Overlap: diagnóstico e tratamento XIII Curso Nacional de Atualização em Pneumologia MARÍLIA MONTENEGRO CABRAL Professora da Universidade de Pernambuco Médica da Clínica de Sono do Recife Rio de

Leia mais

c) cite o tratamento mais adequado para esse caso. (7,0 pontos) Respostas:

c) cite o tratamento mais adequado para esse caso. (7,0 pontos) Respostas: 01 Uma mulher de 31 anos de idade, negra, assintomática, fez exame médico de rotina para admissão em emprego. A radiografia de tórax em PA foi a seguinte: a) cite a principal hipótese diagnóstica. (7,0

Leia mais

Fisiopatogenia da bronquectasias

Fisiopatogenia da bronquectasias Arsenal terapêutico inalatório para bronquectasias não fibrocísticas: em que momento estamos?? Mônica Corso Pereira Unicamp - SP PUC-Campinas -SP Fisiopatogenia da bronquectasias Hipersecreção Secreções

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE MEDICINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EPIDEMIOLOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE MEDICINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EPIDEMIOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE MEDICINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EPIDEMIOLOGIA Dissertação de mestrado Avaliação do controle da asma em universitários no Sul do Brasil Fernanda Barros

Leia mais

RESUMO OBESIDADE E ASMA: CARACTERIZAÇÃO CLÍNICA E LABORATORIAL DE UMA ASSOCIAÇÃO FREQUENTE. INTRODUÇÃO: A asma e a obesidade são doenças crônicas com

RESUMO OBESIDADE E ASMA: CARACTERIZAÇÃO CLÍNICA E LABORATORIAL DE UMA ASSOCIAÇÃO FREQUENTE. INTRODUÇÃO: A asma e a obesidade são doenças crônicas com RESUMO OBESIDADE E ASMA: CARACTERIZAÇÃO CLÍNICA E LABORATORIAL DE UMA ASSOCIAÇÃO FREQUENTE. INTRODUÇÃO: A asma e a obesidade são doenças crônicas com prevalência elevada em todo mundo. Indivíduos obesos

Leia mais

Tratamento não medicamentoso

Tratamento não medicamentoso Tratamento não medicamentoso da Asma Maria Alenita de Oliveira-Disciplina de Pneumologia- UNIFESP Pneumologista do CEAP -Beneficência Portuguesa -SP UNIFESP Tratamento não medicamentoso Conceito Principais

Leia mais

Estr t a r té t gia i S IR I (P ( A P L A ) P og o r g ama m Respi p r i a Bahi h a

Estr t a r té t gia i S IR I (P ( A P L A ) P og o r g ama m Respi p r i a Bahi h a Estratégia SIR(PAL) Programa Respira Bahia Curso Nacional infecções respiratórias e ACMLemos tuberculose-2012 Prof. Associado da FAMED/UFBA Doutor em Medicina e Saude Chefe Serviço Pneumologia HUPES/UFBA

Leia mais

ENFERMAGEM DOENÇAS CRONICAS NÃO TRANMISSIVEIS. Doenças Respiratórias Parte 2. Profª. Tatiane da Silva Campos

ENFERMAGEM DOENÇAS CRONICAS NÃO TRANMISSIVEIS. Doenças Respiratórias Parte 2. Profª. Tatiane da Silva Campos ENFERMAGEM DOENÇAS CRONICAS NÃO TRANMISSIVEIS Doenças Respiratórias Parte 2 Profª. Tatiane da Silva Campos Rinite Alérgica é a inflamação aguda ou crônica, infecciosa, alérgica ou irritativa da mucosa

Leia mais

Como ler Espirometrias

Como ler Espirometrias Como ler Espirometrias J. Chaves Caminha Professor Auxiliar de Pneumologia do ICBAS Consultor de Medicina Intensiva do SCI do CHP Responsável pelo Laboratório de Fisiopatologia do CHP e do RIME Estudos

Leia mais

Árvore Brônquica. Asma e pequenas vias aéreas: Preciso me preocupar? Indo da traquéia ao alvéolo...

Árvore Brônquica. Asma e pequenas vias aéreas: Preciso me preocupar? Indo da traquéia ao alvéolo... Asma e pequenas vias aéreas: Preciso me preocupar? CURSO NACIONAL DE ATUALIZAÇÃO EM PNEUMOLOGIA SÃO PAULO, 2011 J. ALBERTO NEDER Prof. Titular Livre Docente Chefe da Disciplina de Pneumologia UNIFESP-EPM

Leia mais

Corticoides por via inalatória: há diferença entre eles? Cris&na G. Alvim Profa. Associada Dpto Pediatria UFMG Grupo Pneumologia Pediátrica HC/UFMG

Corticoides por via inalatória: há diferença entre eles? Cris&na G. Alvim Profa. Associada Dpto Pediatria UFMG Grupo Pneumologia Pediátrica HC/UFMG Corticoides por via inalatória: há diferença entre eles? ì Cris&na G. Alvim Profa. Associada Dpto Pediatria UFMG Grupo Pneumologia Pediátrica HC/UFMG Objetivos ì Quando usar Cor&coides Inatórios (CI)?

Leia mais

HOSPITALIZAÇÕES E MORTALIDADE POR ASMA: É POSSÍVEL EVITAR? DR. GUILHERME FREIRE GARCIA ABRA MAIO DE DIA MUNDIAL DA ASMA

HOSPITALIZAÇÕES E MORTALIDADE POR ASMA: É POSSÍVEL EVITAR? DR. GUILHERME FREIRE GARCIA ABRA MAIO DE DIA MUNDIAL DA ASMA HOSPITALIZAÇÕES E MORTALIDADE POR ASMA: É POSSÍVEL EVITAR? DR. GUILHERME FREIRE GARCIA ABRA MAIO DE 2012- DIA MUNDIAL DA ASMA DIA MUNDIAL DA ASMA 1º DE MAIO DE 2012 EPIDEMIOLOGIA DA ASMA 300 milhões de

Leia mais

Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC)

Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) COMO TRATAR A SAOS NO PACIENTE COM DPOC? II CURSO NACIONAL DE SONO MARÍLIA MONTENEGRO CABRAL Professora da Universidade de Pernambuco Médica da Clínica de Sono do Recife São Paulo, 24 de março de 2012

Leia mais

DOENÇAS PULMONARES OCUPACIONAIS

DOENÇAS PULMONARES OCUPACIONAIS DOENÇAS PULMONARES OCUPACIONAIS Objetivos da aula Rever aspectos da prova de função pulmonar (PFP) Identificar principais parâmetros da PFP usados em Pneumologia Ocupacional Fornecer subsídios para a discussão

Leia mais

Asma no idoso Como diferenciar da DPOC?

Asma no idoso Como diferenciar da DPOC? XII CURSO NACIONAL DE ATUALIZAÇÃO EM PNEUMOLOGIA SBPT 2011 Asma no idoso Como diferenciar da DPOC? Luiz Fernando Ferreira Pereira Pneumologista do H. das Clínicas da UFMG Chefe dos Serviços de Pneumologia:

Leia mais

Protocolo de Manejo da Asma

Protocolo de Manejo da Asma Clínica Médica Protocolo de Manejo da Asma Definição Asma é uma doença inflamatória crônica caracterizada por hiperresponsividade das vias aéreas inferiores e por limitação variável ao fluxo aéreo, reversível

Leia mais

PROTOCOLO DE DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DE ASMA DA SOCIEDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

PROTOCOLO DE DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DE ASMA DA SOCIEDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO PROTOCOLO DE DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DE ASMA DA SOCIEDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Diretoria 2017 / 2019 Presidente: Rogério Rufino Vice-Presidente: Fernanda Mello Vice-Presidente da Capital e Baixada

Leia mais

Quais as mudanças na revisão do GOLD Fernando Lundgren GOLD HOF SBPT

Quais as mudanças na revisão do GOLD Fernando Lundgren GOLD HOF SBPT Quais as mudanças na revisão do GOLD 2017 Fernando Lundgren GOLD HOF SBPT Conflitos de Interesse Objetivos do Projeto GOLD Alertar autoridades de saúde, profissionais de saúde, governantes e o publico

Leia mais

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS A asma é uma doença inflamatória crônica caracterizada por hiper-responsividade das vias aéreas inferiores e por limitação variável ao fluxo aéreo, reversível espontaneamente ou com

Leia mais

DPOC UMA REVISÃO DR VINÍCIUS RODRIGUES SOBRAMFA FEVEREIRO DE 2019

DPOC UMA REVISÃO DR VINÍCIUS RODRIGUES SOBRAMFA FEVEREIRO DE 2019 DPOC UMA REVISÃO DR VINÍCIUS RODRIGUES SOBRAMFA FEVEREIRO DE 2019 IMPACTO DA DPOC NA ROTINA ATIVIDADE FISICA 29 a 44% pacientes com DPOC relatam dispneia constante ou aos esforços Conforme a doença avança,

Leia mais

ESPIROMETRIA 07/07/2014. Mitos e verdades na BD. Padronização de broncodilatação Brasil ATS / ERS

ESPIROMETRIA 07/07/2014. Mitos e verdades na BD. Padronização de broncodilatação Brasil ATS / ERS Agenda 07/07/2014 ESPIROMETRIA Pré, pós com e sem tratamento Rogério Rufino UERJ Rogério Rufino SEM CONFLITOS DE INTERESSE Mitos e verdades na BD Variabilidade Valores de BD em normais Associação de medicamentos

Leia mais

SAOS Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono

SAOS Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono XIII Curso Nacional de Atualização em Pneumologia Rio de Janeiro, abril de 2012 O papel dos exames portáteis no diagnóstico dos distúrbios respiratórios do sono Christiano Perin Doutor em Pneumologia UFRGS

Leia mais

ASMA E RINITE: UM PROBLEMA DE SAÚDE PÚBLICA PROGRAMA DE CONTROLE DA ASMA E RINITE DA BAHIA - PROAR DRA. LÍVIA FONSECA

ASMA E RINITE: UM PROBLEMA DE SAÚDE PÚBLICA PROGRAMA DE CONTROLE DA ASMA E RINITE DA BAHIA - PROAR DRA. LÍVIA FONSECA ASMA E RINITE: UM PROBLEMA DE SAÚDE PÚBLICA PROGRAMA DE CONTROLE DA ASMA E RINITE DA BAHIA - PROAR DRA. LÍVIA FONSECA ASMA E RINITE: UM PROBLEMA DE SAÚDE PÚBLICA POR QUE? ASMA E RINITE ASMA e Saúde Pública

Leia mais

Prof. Claudia Witzel DOENÇA PULMONAR OBSTRUTIVA CRÔNICA

Prof. Claudia Witzel DOENÇA PULMONAR OBSTRUTIVA CRÔNICA DOENÇA PULMONAR OBSTRUTIVA CRÔNICA DPOC Desenvolvimento progressivo de limitação ao fluxo aéreo ( parte não reversível) É progressiva Associada a uma resposta inflamatória anormal do pulmão, a partículas

Leia mais

SPIRARE +METRUM = MEDIDA DA RESPIRAÇÃO

SPIRARE +METRUM = MEDIDA DA RESPIRAÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO EM ATIVIDADE FÍSICA ADAPTADA E SAÚDE OBJETIVO DA AULA FUNÇÃO PULMONAR ESPIROMETRIA e PICO DE FLUXO EXPIRATÓRIO (PFE) - Definir espirometria e Peak Flow ; - Identificar suas aplicações; -

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE MEDICINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUÇÃO EM CIÊNCIAS PNEUMOLÓGICAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE MEDICINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUÇÃO EM CIÊNCIAS PNEUMOLÓGICAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE MEDICINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUÇÃO EM CIÊNCIAS PNEUMOLÓGICAS VANESSA CRISTINA HARTMANN DOS SANTOS QUALIDADE DE VIDA NA ASMA: RELAÇÃO COM TABAGISMO,

Leia mais

PREVALÊNCIA DOS SINTOMAS DA ASMA EM ADOLESCENTES DE 13 E 14 ANOS

PREVALÊNCIA DOS SINTOMAS DA ASMA EM ADOLESCENTES DE 13 E 14 ANOS PREVALÊNCIA DOS SINTOMAS DA ASMA EM ADOLESCENTES DE 13 E 14 ANOS Marcos Abrantes Moreira. Acadêmico de Fisioterapia da Faculdade Santa Maria. E-mail:markim.abrantes@hotmail.com Luma Soares Lustosa. Acadêmica

Leia mais

ARTIGO DE REVISÃO. Andrea Edwiges Pinheiro de Menezes Barreto 1. Francisco Ranilson Alves Silva 2. RESUMO ABSTRACT

ARTIGO DE REVISÃO. Andrea Edwiges Pinheiro de Menezes Barreto 1. Francisco Ranilson Alves Silva 2. RESUMO ABSTRACT 33 ARTIGO DE REVISÃO Andrea Edwiges Pinheiro de Menezes Barreto 1. Francisco Ranilson Alves Silva 2. 1 Residência em Pediatria, Hospital Universitário Walter Cantídio, Universidade Federal do Ceará (UFC),

Leia mais

03/07/2012. Estratégia SIR(PAL) Curso Nacional de infec e tuberculose-2012

03/07/2012. Estratégia SIR(PAL) Curso Nacional de infec e tuberculose-2012 Estratégia SIR(PAL) Curso Nacional de infec e tuberculose-2012 ACMLemos Prof. Associado da FAMED/UFBA Doutor em Medicina e Saude Chefe Serviço Pneumologia HUPES/UFBA Coordenador do Núcleo de Pesquisa em

Leia mais

ASMA EM IDADE PEDIÁTRICA

ASMA EM IDADE PEDIÁTRICA Curso de Atualização 2018 - ACES BM e PIN 11, 13, 18 de abril e 4 de maio 2018 Anfiteatro Hospital Pediátrico Coimbra ASMA EM IDADE PEDIÁTRICA José António Pinheiro Alergologia Pediátrica Hospital Pediátrico

Leia mais

Artigo Original. Avaliação do Questionário de Controle da Asma validado para uso no Brasil* Resumo. Abstract

Artigo Original. Avaliação do Questionário de Controle da Asma validado para uso no Brasil* Resumo. Abstract Artigo Original Avaliação do Questionário de Controle da Asma validado para uso no Brasil* Evaluation of the Asthma Control Questionnaire validated for use in Brazil Mylene Leite 1, Eduardo Vieira Ponte

Leia mais

VMNI na Insuficiência Respiratória Hipercápnica

VMNI na Insuficiência Respiratória Hipercápnica VMNI na Insuficiência Respiratória Hipercápnica Ricardo Goulart Rodrigues rgourod@uol.com.br Ventilação não invasiva com pressão positiva Suporte ventilatório sem intubação Ventilação não invasiva com

Leia mais

Anexo II. Conclusões científicas e fundamentos para a alteração dos termos das Autorizações de Introdução no Mercado

Anexo II. Conclusões científicas e fundamentos para a alteração dos termos das Autorizações de Introdução no Mercado Anexo II Conclusões científicas e fundamentos para a alteração dos termos das Autorizações de Introdução no Mercado 7 Conclusões científicas Resumo da avaliação científica do Kantos Master e nomes associados

Leia mais

Broncodilatadores de ultra longa ação : Quais as evidências para usá-los isolados ou associados na DPOC estável?

Broncodilatadores de ultra longa ação : Quais as evidências para usá-los isolados ou associados na DPOC estável? Broncodilatadores de ultra longa ação : Quais as evidências para usá-los isolados ou associados na DPOC estável? A broncodilatação é central para o manejo sintomático na DPOC A GOLD recomenda broncodilatadores

Leia mais

Universidade Federal de Santa Catarina UFSC Centro de Ciências da Saúde Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas

Universidade Federal de Santa Catarina UFSC Centro de Ciências da Saúde Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas Universidade Federal de Santa Catarina UFSC Centro de Ciências da Saúde Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas ADAPTAÇÃO CULTURAL PARA A LÍNGUA PORTUGUESA FALADA NO BRASIL DO ASTHMA CONTROL SCORING

Leia mais

Assistência Farmacêutica em Asma

Assistência Farmacêutica em Asma Caracterização Assistência Farmacêutica em Asma Asma é uma doença inflamatória crônica caracterizada por hiper-responsividade das vias aéreas inferiores e por limitação variável ao fluxo aéreo, reversível

Leia mais

Controle das exposições ambientais e ocupacionais no tratamento da Asma

Controle das exposições ambientais e ocupacionais no tratamento da Asma Controle das exposições ambientais e ocupacionais no tratamento da Asma Maria Alenita de Oliveira Professora Adjunta da Disciplina de Pneumologia UFPB Coordenadora Comissão de Asma 2019-2020 TÓPICOS Interação

Leia mais

SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS RELATÓRIO PARA A

SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS RELATÓRIO PARA A número 06 - julho/2015 DECISÃO FINAL RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE Este relatório é uma

Leia mais

CRITÉRIOS DE INCLUSÃO/EXCLUSÃO:

CRITÉRIOS DE INCLUSÃO/EXCLUSÃO: Marcia Margaret Menezes Pizzichini 1 Clinical year in review asthma Prof Pascal Chanez Nesta seção o Prof. Pascal Chanez apresentou uma gama variada de artigos publicados no último ano desde estudos mecanísticos

Leia mais

ASMA BRÔNQUICA CONDUTA NA EMERGÊNCIA PEDIÁTRICA

ASMA BRÔNQUICA CONDUTA NA EMERGÊNCIA PEDIÁTRICA ASMA BRÔNQUICA CONDUTA NA EMERGÊNCIA PEDIÁTRICA UNITERMOS Isadora Medeiros Kuhn Ana Carolina Gomes de Lucena Marcelo Velloso Fabris Leonardo Araújo Pinto ASMA; EXACERBAÇÃO DOS SINTOMAS; SONS RESPIRATÓRIOS;

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA FACULDADE DE MEDICINA DA BAHIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA FACULDADE DE MEDICINA DA BAHIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA FACULDADE DE MEDICINA DA BAHIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE ESTUDO LONGITUDINAL DA FUNÇÃO PULMONAR, QUALIDADE DE VIDA E CONTROLE DA DOENÇA EM PACIENTES COM

Leia mais

Doença inflamatória crónica das vias aéreas de elevada prevalência. Uma patologias crónicas mais frequentes

Doença inflamatória crónica das vias aéreas de elevada prevalência. Uma patologias crónicas mais frequentes Tiago M Alfaro alfarotm@gmail.com 09/05/2014 Asma Doença inflamatória crónica das vias aéreas de elevada prevalência Uma patologias crónicas mais frequentes Heterogeneidade importante nas manifestações

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO QUANTO A QUALIDADE DE VIDA E FUNÇÃO PULMONAR EM PACIENTES ASMÁTICOS APÓS CONDICIONAMENTO FÍSICO

ESTUDO COMPARATIVO QUANTO A QUALIDADE DE VIDA E FUNÇÃO PULMONAR EM PACIENTES ASMÁTICOS APÓS CONDICIONAMENTO FÍSICO ESTUDO COMPARATIVO QUANTO A QUALIDADE DE VIDA E FUNÇÃO PULMONAR EM PACIENTES ASMÁTICOS APÓS CONDICIONAMENTO FÍSICO Adriana Machado Carreteiro 1 ; Aline Gonçalves Mendes 2 ; Lucas Mascotti de Carvalho 2

Leia mais

Infecção em doença estrutural pulmonar: o agente etiológico é sempre Pseudomonas?

Infecção em doença estrutural pulmonar: o agente etiológico é sempre Pseudomonas? Infecção em doença estrutural pulmonar: o agente etiológico é sempre Pseudomonas? Não há conflito de interesses Professor Associado FMB/UFBA Ambulatório Previamente hígidos Comorbidades Antibióticos (3

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA UNIDADE CASO CLÍNICO

APRESENTAÇÃO DA UNIDADE CASO CLÍNICO APRESENTAÇÃO DA UNIDADE Objetivos educacionais da unidade Aqui, abordaremos como conduzir o paciente portador de asma para que permaneça no domicílio clinicamente estável e confortável. Serão tratados

Leia mais

entendendo as diretrizes profissionais

entendendo as diretrizes profissionais ASMA GRAVE entendendo as diretrizes profissionais Asthma UK Este guia inclui informações sobre o que a Sociedade Respiratória Europeia (ERS) e a Sociedade Torácica Americana (ATS) divulgaram sobre asma

Leia mais

O PAPEL DO DIAGNÓSTICO ADEQUADO E DO TABAGISMO NO MANEJO DO IDOSO COM ASMA

O PAPEL DO DIAGNÓSTICO ADEQUADO E DO TABAGISMO NO MANEJO DO IDOSO COM ASMA O PAPEL DO DIAGNÓSTICO ADEQUADO E DO TABAGISMO NO MANEJO DO IDOSO COM ASMA Irineu Pereira de Morais Junior (1); Jair Rodrigues de Sousa Junior (2); Helena Emanuelly da Silva Oliveira (3); José Irajá Macêdo

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS FACULDADE DE TECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA THALES ARAÚJO DA SILVA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS FACULDADE DE TECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA THALES ARAÚJO DA SILVA UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS FACULDADE DE TECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA THALES ARAÚJO DA SILVA DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA AUTOMATIZADO BASEADO NA ADOÇÃO DE DISPOSITIVO

Leia mais

Resposta imunológica aos anticoncepcionais em portadoras de asma

Resposta imunológica aos anticoncepcionais em portadoras de asma Resposta imunológica aos anticoncepcionais em portadoras de asma André Viana Pereira Mota¹; Raquel Prudente de Carvalho Baldaçara² ¹Aluno do Curso de Medicina; Campus de Palmas; e-mail: vianaandre@hotmail.com;

Leia mais

DPOC e Asma DPOC. A diminuição do VEF1 reflete a intensidade da obstrução.

DPOC e Asma DPOC. A diminuição do VEF1 reflete a intensidade da obstrução. DPOC e Asma DPOC De acordo com os Cadernos de Atenção Básica, no seu módulo de Doenças Respiratórias Crônicas (nº 25), DPOC é uma doença com repercussões sistêmicas, prevenível e tratável, caracterizada

Leia mais

Espirometria. Espirometria. Espirometria. Espirometria. Relembrando... Volume: quantidade de ar que entra ou sai do pulmão (L)

Espirometria. Espirometria. Espirometria. Espirometria. Relembrando... Volume: quantidade de ar que entra ou sai do pulmão (L) Definição O termo espirometria vem do latim espirare = respirar + metrum = medida É a medida do ar que entra e sai do pulmão Exame peculiar em medicina, pois exige: compreensão e colaboração do paciente

Leia mais

ALINE DUARTE MARANHÃO

ALINE DUARTE MARANHÃO ALINE DUARTE MARANHÃO CONTROLE DA ASMA E QUALIDADE DE VIDA EM GESTANTES ASMÁTICAS RECIFE 2014 1 Aline Duarte Maranhão Controle da asma e qualidade de vida em gestantes asmáticas Dissertação apresentada

Leia mais

09/07/2014. DPOC Doença inflamatória sistêmica. Manejo das doenças cardiovasculares difere no paciente com DPOC?

09/07/2014. DPOC Doença inflamatória sistêmica. Manejo das doenças cardiovasculares difere no paciente com DPOC? Manejo das doenças cardiovasculares difere no paciente com DPOC? Roberto Stirbulov FCM da Santa Casa de SP Potencial conflito de interesse CFM nº 1.59/00 de 18/5/2000 ANVISA nº 120/2000 de 30/11/2000 CREMESP

Leia mais

Departamento De Pediatria

Departamento De Pediatria Departamento De Pediatria Journal Club Pneumologia Elaborado por : Nércio Liasse, médico residente de Pediatria Tutora: Dra Josina Chilundo Corticoesteróides inalatório ou Montelucaste diário para pré-escolares

Leia mais

conhecer e prevenir ASMA

conhecer e prevenir ASMA conhecer e prevenir ASMA 2013 Diretoria Executiva Diretor-Presidente: Cassimiro Pinheiro Borges Diretor Financeiro: Eduardo Inácio da Silva Diretor de Administração: André Luiz de Araújo Crespo Diretor

Leia mais

O IMPACTO DE CONDIÇÕES CRÔNICAS NA QUALIDADE DE VIDA RELACIONADA À SAÚDE (SF-36) DE IDOSOS EM ESTUDO DE BASE POPULACIONAL ISA-SP.

O IMPACTO DE CONDIÇÕES CRÔNICAS NA QUALIDADE DE VIDA RELACIONADA À SAÚDE (SF-36) DE IDOSOS EM ESTUDO DE BASE POPULACIONAL ISA-SP. O IMPACTO DE CONDIÇÕES CRÔNICAS NA QUALIDADE DE VIDA RELACIONADA À SAÚDE (SF-36) DE IDOSOS EM ESTUDO DE BASE POPULACIONAL ISA-SP. Margareth Guimarães Lima (DMPS FCM-UNICAMP); Marilisa Berti de Azevedo

Leia mais

Programação. Sistema Respiratório e Exercício. Unidade Funcional. Sistema Respiratório: Fisiologia. Anatomia e Fisiologia do Sistema Respiratório

Programação. Sistema Respiratório e Exercício. Unidade Funcional. Sistema Respiratório: Fisiologia. Anatomia e Fisiologia do Sistema Respiratório Sistema Respiratório e Exercício Programação Anatomia e Fisiologia do Sistema Respiratório Volumes e Capacidades Pulmonares ATIVIDADE FÍSICA ADAPTADA E SAÚDE Asma BIE DPOC Aula Prática (Peak Flow) Profa.

Leia mais

Prevalência da Asma em Portugal:

Prevalência da Asma em Portugal: Unidade de Epidemiologia Instituto de Medicina Preventiva e Saúde Pública Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa Prevalência da Asma em Portugal: Análise nacional, regional e comparação internacional

Leia mais

Poluição atmosférica & Morbidades Pulmonares

Poluição atmosférica & Morbidades Pulmonares Poluição atmosférica & Morbidades Pulmonares Poluição do ar e mudança do clima: ameaças e oportunidades para a saúde pública - 2017 Rafael Stelmach Divisão de Pneumologia do Instituto do Coração-HCFMUSP

Leia mais

Valores de referência em função pulmonar. Carlos AC Pereira Centro Diagnóstico Brasil-SP

Valores de referência em função pulmonar. Carlos AC Pereira Centro Diagnóstico Brasil-SP Valores de referência em função pulmonar Carlos AC Pereira Centro Diagnóstico Brasil-SP Seleção de valores de referência Johnston R. https://www.pftforum.com/blog/category/prediction-equations/ Introdução

Leia mais

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA E ATRIBUTOS RELACIONADOS A CAPACIDADE FUNCIONAL EM PNEUMOPATAS CRÔNICOS.

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA E ATRIBUTOS RELACIONADOS A CAPACIDADE FUNCIONAL EM PNEUMOPATAS CRÔNICOS. AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA E ATRIBUTOS RELACIONADOS A CAPACIDADE FUNCIONAL EM PNEUMOPATAS CRÔNICOS. Everton Henrique Rocha Ferreira Karla Miguel Green Tathiane Ribeiro Rosa Márcia Maria Faganello Mitsuya

Leia mais

Pneumonias de hipersensibilidade (Alveolite alérgica extrinseca)

Pneumonias de hipersensibilidade (Alveolite alérgica extrinseca) Pneumonias de hipersensibilidade (Alveolite alérgica extrinseca) LUIZ OTAVIO R. S. GOMES MÉDICO PNEUMOLOGISTA HOSPITAL DO PULMÃO BLUMENAU SC FURB - BLUMENAU Pneumonia de hipersensibilidade (alveolite alérgica

Leia mais

Tratamento da asma para controlar os sintomas e minimizar os riscos

Tratamento da asma para controlar os sintomas e minimizar os riscos Tratamento da asma para controlar os sintomas e minimizar os riscos GINA - Estratégia Global para Tratamento e Prevenção de Asma - 2014 Esta série de slides deve ser usada exclusivamente para fins acadêmicos

Leia mais

LUANDA DE ALLELUIA AVALIAÇÃO CLÍNICA E FUNCIONAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES ASMÁTICOS. Niterói, 2018

LUANDA DE ALLELUIA AVALIAÇÃO CLÍNICA E FUNCIONAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES ASMÁTICOS. Niterói, 2018 I UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE FACULDADE DE MEDICINA MESTRADO PROFISSIONAL EM SAÚDE MATERNO -INFANTIL ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE LUANDA DE ALLELUIA AVALIAÇÃO CLÍNICA E FUNCIONAL

Leia mais

Sessão Televoter Pneumologia Como eu trato a DPOC

Sessão Televoter Pneumologia Como eu trato a DPOC 2012 4 de Maio Sexta-feira Sessão Televoter Pneumologia Como eu trato a DPOC Agostinho Marques Definição de DPOC GOLD 2011 A DPOC, uma doença prevenível e tratável, é caracterizada por limitação persistente

Leia mais