PLANO DE NEGÓCIOS PARA ESTUDO DA VIABILIDADE DE IMPLANTAÇÃO DA EMPRESA ECO VEST CONFECÇÕES LTDA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLANO DE NEGÓCIOS PARA ESTUDO DA VIABILIDADE DE IMPLANTAÇÃO DA EMPRESA ECO VEST CONFECÇÕES LTDA"

Transcrição

1 PLANO DE NEGÓCIOS PARA ESTUDO DA VIABILIDADE DE IMPLANTAÇÃO DA EMPRESA ECO VEST CONFECÇÕES LTDA Davidson Henrique Ferreira 1 Débora Martins Paes¹ Greyce Kelly Leite da Silva¹ Izabela Câmara¹ Juliana Pereira Fialho¹ Marina Pinheiro¹ Nayara Corrêa Gomes¹ Noelle Ferreira dos Santos¹ Sirléia Ferreira de Morais¹ Armando Sérgio Aguiar Filho 2 Ronaldo Maciel Guimarães 3 RESUMO Este trabalho teve como objetivo testar a viabilidade econômica e financeira da Empresa ECO VEST Confecções Ltda, empresa voltada para o segmento têxtil com o propósito de fabricar roupas utilizando tecidos ecológicos produzidos a partir da mescla de tecidos obtidos da tradicional fibra de algodão e das fibras extraídas de garrafas pet. Primeiramente, o trabalho foi fundamentado em pesquisa bibliográfica que discorreu sobre a importância da elaboração de um plano de negócios por um empreendedor de sucesso, no processo de formalizar e direcionar o planejamento dos objetivos e estratégias da empresa. Posteriormente, foram analisados os itens que fomentaram a construção do plano de negócios bem como indicadores financeiros que apontaram para a viabilidade da instalação do empreendimento. Palavras-chave: Empreendedorismo, Planejamento e Plano de negócios. 1 INTRODUÇÃO Este trabalho tem o objetivo de subsidiar a construção do plano de negócios de uma empresa do ramo de confecções, cujo diferencial produtivo é o uso da malha pet como matéria prima. Os caminhos para tal construção percorrem uma descrição breve do empreendedorismo e do planejamento no cenário atual dos 1 Aluno(a) do Curso de Administração da Faculdade Promove de Minas Gerais 2 Armando Sérgio Aguiar Filho : Mestre em Administração; Professor do Curso de pós-graduação e de extensão de Políticas Sustentáveis da Faculdade Milton Campos 3 Ronaldo Maciel Guimarães: Graduado em Administração, Especialista em Educação a Distância e Mestre em Administração. Professor da Faculdade Promove de Minas Gerais

2 negócios, passando pela elaboração concreta do documento com base na estrutura proposta pelo SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio ás Micro e Pequenas Empresas). Pretende-se com isso, coletar dados a respeito do público-alvo, dos concorrentes, dos fornecedores e do mercado de atuação em geral para projetar as estratégias e objetivos nas áreas de marketing, finanças, recursos humanos e dos processos produtivos propriamente ditos. Dessa forma, fornecer informações que auxiliem a tomada de decisões no planejamento do novo negócio, minimizando as possibilidades de insucesso. A ideia do negócio nasceu da vontade de criar algo que pudesse conciliar benefícios ao meio ambiente e a geração de lucros da empresa tendo por base o conceito de Lavoisier Na natureza, nada se cria, nada se perde, tudo se transforma. Outro aspecto que direcionou essa escolha é a previsão de crescimento do setor de produtos ecológicos impulsionado por uma maior conscientização da sociedade. Rene Oliveira, presidente da Deslee-Clama (empresa belga do setor têxtil) para o Brasil, América Latina e Caribe, ressalta que "os produtos ecológicos formam um nicho de mercado ainda novo para a indústria têxtil, onde nem todas as empresas já atuam. Oliveira afirma ainda que "o setor têxtil cresce quanto maior o valor agregado do produto" e, portanto, os produtos com apelo sustentável estão em alta. Segundo Falcão, a Associação Brasileira da Indústria Têxtil (Abit) prevê um crescimento de até 2% na produção do setor têxtil e de confecções no ano de 2013 e para o varejo de vestuário projeta expansão de 4% em volume. A moda sustentável já alcançou até as passarelas de eventos importantes do mundo da moda como o São Paulo Fashion Week e isso tem feito com que algumas marcas se destaquem no mercado tornando a sustentabilidade um diferencial competitivo bem aceito pelas pessoas. Apesar de essa divulgação ter alcançado espaços tão expressivos, a designer de moda Micheli Hoffmann afirma que ainda é pequeno o mercado de roupas sustentáveis e os consumidores enfrentam dificuldade para ter acesso a esse tipo de produto. Existe então, um mercado promissor para a comercialização de produtos ecologicamente corretos e esta tendência deve se prolongar diante da constante necessidade de preservação do meio ambiente e da própria espécie humana.

3 2 REVISÃO DE LITERATURA 2.1. O Planejamento Como Base Para o Empreendedorismo A nova ordem mundial, que aponta para a globalização da economia, exige das empresas novos padrões de competitividade (Casarotto Filho, 2002). O cenário atual de competição torna indispensável o planejamento das ações para aqueles que querem entrar e/ou permanecer no mercado. Nesse contexto, um plano de negócios pode se tornar uma poderosa arma para que os empreendedores possam minimizar os riscos envolvidos na formulação de um novo negócio. No Brasil, cerca de 90% das novas empresas não consegue sobreviver nos três primeiros anos após sua criação e grande parte pode atribuir esse fator ao lançamento precoce do novo produto ou serviço (Dolabela, 2008). O autor esclarece que alguns gestores são bons técnicos, mas não possuem boa capacidade de gerenciamento. Dolabela (2008) define o empreendedor como um agente de mudanças, responsável pelo desenvolvimento econômico, um ser social produto do meio em que vive e que busca transformar seus sonhos em realidade. São características de um empreendedor: é visionário e aproveita as oportunidades com iniciativa e força de vontade, busca conhecimento e informações do seu ramo de atuação, é persistente, otimista, autoconfiante, planeja e tem senso de organização, e está disposto a assumir riscos calculados (Farah, Cavalvanti e Marcondes, 2011). Essas duas últimas características podem ser determinantes para o sucesso de um empreendedor. Jones e George (2008, p. 265) explicam que planejar é determinar onde está a organização no presente e decidir onde ela deverá estar no futuro e como fazê-la ir adiante. Dessa forma, uma estruturação prévia permite à empresa aproveitar melhor as oportunidades e lidar com possíveis ameaças, bem como alocar mais racionalmente os recursos disponíveis (Jones e George, 2008). O planejamento também serve para dar um norte à empresa ao passo que são estabelecidos os objetivos e as estratégias necessárias para alcançar os resultados. Se essa noção de direção e propósito for suprimida, o próprio empreendedor e as pessoas envolvidas no negócio poderão interpretar os papéis e as tarefas de maneira confusa, não convergindo para os objetivos organizacionais (Jones e George, 2008).

4 O planejamento é função administrativa que determina antecipadamente o que se deve fazer e quais objetivos a serem alcançados. É uma reação à mentalidade simplista de solução de problemas à medida que surgem. É uma técnica para absorver a incerteza e tornar mais consistente o desempenho da empresa (Farah, Cavalvanti e Marcondes, 2011, p. 39). Observou-se então que, com o passar do tempo, tornou-se maior a necessidade de estruturar uma ideia antes de colocá-la em prática devido à complexidade e as constantes mudanças ocorridas no mundo globalizado. Promover a análise do mercado como um todo é crucial para que se aponte a viabilidade ou não de um projeto O Plano de Negócios Dolabela (2008) define plano de negócios como uma linguagem completa utilizada para descrever o que é ou a pretensão do que deve ser uma empresa, sendo que sua utilização reduz a taxa de risco do negócio e sustenta a tomada de decisões, que também pode sinalizar que não se deve abrir a empresa ou lançar o produto. A definição também pode ser dada: O plano de negócios é um documento utilizado para planejar um empreendimento ou unidade de negócios, em estágio inicial ou não, com o propósito de definir e delinear sua estratégia de atuação para o futuro. Trata-se ainda de um guia para a gestão estratégica de um negócio ou unidade empresarial. ( Dornelas, 2011, p. 4) Casarotto Filho (2002) destaca que têm sido comum a edição de manuais de como elaborar esses projetos apontando para seu uso nos diversos tipos de empreendimentos, mas ressalta que é necessário que os manuais sejam adaptados a cada ramo específico de atividade. Na contemporaneidade, Deutscher (2010, p. 12) defende que o plano de negócios é a ferramenta que suporta a gestão da inovação, sendo responsável pelo planejamento e pela comunicação da empresa com os públicos interno e externo. São vários os motivos para se construir um plano de negócios. Além de dar maior segurança ao próprio empreendedor, este documento formal transmite aos diversos públicos interessados de maneira concreta os objetivos e metas organizacionais e os métodos para alcançá-los. O público interno são os principais envolvidos na gestão e o conhecimento do plano de negócios deverá ser compartilhado por toda a empresa para gerar comprometimento, especialmente quando se tratar das definições de

5 missão, visão, riscos e estratégias financeiras. Já o público externo é formado por fornecedores e clientes estratégicos, executivos que se pretenda contratar, investidores e outros públicos interessados (stakeholders) (Deutscher, 2010). Dornelas (2011) cita outros exemplos de stakeholders: parceiros interessados em formular estratégias conjuntas, incubadoras de empresas que analisam os candidatos que solicitam vagas nesses locais, bancos comerciais interessados em conceder financiamentos, investidores e bancos de investimento, clientes potenciais. O autor propõe ainda que os diversos públicos possuem expectativas diferentes do negócio, e, portanto, talvez seja interessante desenvolver várias versões de um mesmo plano de negócios para atender aos interesses de cada interlocutor. Salim [et. al] (2005) alerta ainda sobre a preocupação com a imagem pública da empresa, a qual deve mostrar interesse pelos aspectos que impactam na vida da comunidade onde está inserida. Além de promover a interação com o público, o plano de negócios serve ainda para: testar a viabilidade de um negócio, orientar o fomento das estratégias e das operações, atrair recursos financeiros, transmitir credibilidade e desenvolver as pessoas responsáveis pela gestão (Dornelas, 2011) Construção de um Plano de Negócios Para iniciar um bom plano de negócios é preciso primeiramente que se faça uma análise do mercado e identifique se a atividade pretendida apresenta boas perspectivas e possibilidade real de sucesso (Farah, Cavalcanti e Marcondes,2011). Um empreendedor que acumula êxitos sabe distinguir uma simples ideia de uma verdadeira oportunidade, mas mesmo assim, a convicção de que ela poderá se tornar um bom negócio deverá vir após uma análise de viabilidade proporcionada pelo plano de negócios (Dolabela, 2008). De forma simplificada, o documento deve conter: Nos aspectos técnicos, descrevem-se, caracterizam-se e qualificam-se os produtos a serem fabricados e o processo produtivo. Nos aspectos financeiros, estabelece-se e calcula-se o investimento fixo.; quantificam-se os recursos humanos necessários e calculam-se os salários e encargos; estimam-se as receitas e custos gerais; apuram-se os resultados; projeta-se o fluxo de caixa e o capital de giro; apresenta-se a estrutura patrimonial e, finalmente, calcula-se o preço de venda (Farah, Cavalcanti e Marcondes,2011, p. 18)

6 Uma possível sequência para o desenvolvimento de um plano de negócios pode ser assim apresentada (Dornelas, 2011, p ): a) definir o seu modelo de negócio (o que vender, o que é o negócio, como vender, para quem, a que preço, o plano de marketing...) e projeções iniciais de receita; b) estabelecer os investimentos iniciais necessários; c) verificar a necessidade de recursos humanos; d) projetar custos, despesas e receitas ao longo do tempo; e) fechar o modelo de negócio cruzando necessidade de recursos com resultados; f) criar os demonstrativos financeiros; g) fazer análises de viabilidade através de índices de retorno sobre investimento, rentabilidade, etc; h) revisão completa de todos os passos; i) concluir a redação do plano e fechamento do modelo. Dornelas (2011, p. 20) propõe que o plano de negócios pode ser composto pelos seguinte tópicos: A. O conceito do negócio: é uma seção objetiva estruturada em uma ou duas páginas que indica qual é o negócio da empresa, o que é vendido e para quem, a definição de uma visão de futuro, estrutura legal da empresa, composição societária, entre outros. B. Mercado e competidores: análise do setor de atuação, concorrentes, nicho de mercado a ser atendido, necessidades dos clientes a serem atendidas, identificar o comportamento do mercado e as lacunas que poderão ser supridas pela empresa. C. Equipe de gestão: organograma funcional, descrição das habilidades, competências e experiências dos principais executivos responsáveis pela gestão da organização e definição das responsabilidades individuais. D. Produtos e serviços: descrição sucinta dos produtos ou serviços oferecidos, benefícios e diferenciais, tecnologia utilizada e ciclo de vida do produto. E. Estrutura e operações: seção que dá continuidade às duas seções anteriores. Pode ser abordado: pesquisa e desenvolvimento, parcerias estratégicas, tecnologia, critérios de seleção dos produtos, produção e distribuição, serviços pós-

7 venda, propriedade intelectual, questões sobre necessidade de regulamentações e certificações, maquinário, processos produtivos, fornecedores, infraestrutura. F. Marketing e vendas: definição dos 4Ps de marketing (produto/serviço, preço, praça, e propaganda/comunicação). G. Estratégia de crescimento: após realização da análise SWOT (Strengths,Weaknesses, Opportunities e Threats ou seja, pontos fortes, pontos fracos, oportunidades e ameaças), definir os objetivos e metas bem como a estratégia de crescimento da empresa. H. Finanças: parte reservada a consolidar em números a estratégia da empresa, indicando a necessidade de investimentos, previsão de receitas, prazo de retorno e demais índices de retorno do investimento para apontar a viabilidade financeira do negócio. I. Sumário executivo: deve ser posicionado no início do plano de negócios devido a sua importância e por discorrer de forma resumida os pontos críticos e de maior interesse de parceiros/investidores. O SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio ás Micro e Pequenas Empresas) também disponibiliza um software gratuito que facilita a elaboração de um plano de negócios e propõe uma estrutura bastante semelhante às apresentadas anteriormente: 1. Sumário Executivo 2. Análise de Mercado 3. Plano de Marketing 4. Plano Operacional 5. Plano Financeiro 6. Construção de Cenários 7. Avaliação Estratégica 8. Avaliação do Plano de Negócios Os tópicos que diferem são o Plano Operacional, Construção de Cenários, Avaliação Estratégica e Avaliação do Plano de Negócios. O Plano Operacional é reservado ao registro das questões relativas a layout, capacidade produtiva, processos operacionais e necessidade de pessoal. A Construção de Cenários é onde o empreendedor faz uma previsão de resultados pessimistas e planeja ações para minimizá-los ou extinguí-los.

8 A Avaliação Estratégica destina-se à análise da Matriz FOFA (Forças, Oportunidades, Fraquezas e Ameaças), e a Avaliação do Plano de Negócios apresenta as conclusões, indicando a viabilidade ou não do empreendimento. De uma forma geral, as estruturas apresentam grande similaridade de conteúdo, embora difiram em parte nas nomenclaturas utilizadas e na ordem de apresentação dos tópicos. Ficou evidenciado que o plano de marketing e o plano financeiro são partes essenciais em um plano de negócios. Eles devem estar apoiados em uma construção realista, em coerência com o mercado, para que possam suportar a formulação das estratégias corretas na consecução dos objetivos da organização. É papel do plano de marketing orientar o processo decisório de marketing, funcionando como um mapa, mostrando à empresa para onde ela está indo e como chegar lá (Dolabela, 2008, p. 139). O Plano de Marketing é constituído pela Análise de Mercado, voltada para o conhecimento de clientes, concorrentes, fornecedores e ambiente em que a empresa vai atuar, para saber se o negócio é realmente viável, e pela Estratégia de Marketing, em que se faz o planejamento da forma como a empresa oferecerá seus produtos ao mercado, visando otimizar suas potencialidades de sucesso (Dolabela, 2008, p. 138). Na análise de mercado é necessário que se faça uma análise completa dos mercados, dos concorrentes, dos parceiros e das alianças estratégicas, procurando segmentar os mercados e avaliar a forma de abordagem que deve ser dada a cada segmento (Salim [et al], 2005, p. 74). Já a estratégia de marketing envolve os 4Ps de Marketing, os serviços ao cliente (venda e pós-venda) e o relacionamento com os clientes (Dolabela, 2008). É função do plano de marketing ainda identificar as oportunidades de negócios mais promissoras para a empresa e esboçar como penetrar em mercados identificados, como conquistá-los e manter posições (Dolabela, 2008, p. 139). O plano financeiro, por sua vez, inclui desde os investimentos necessários até os fluxos de caixa que serão obtidos futuramente pela empresa, bem como as análises de viabilidade financeira do negócio e os indicadores que mostram se a organização tem potencial financeiro ou não (Dornelas, 2011). Os empreendedores estão sendo convidados de maneira frequente a repensar sobre os diversos fatores que influenciam seu negócio e a realizar detalhadamente um planejamento prévio antes de iniciar suas atividades (Salim [et

9 al], 2005). Neste novo mundo dos negócios, não se pensa mais em abrir ou manter uma empresa sem fazer antes um bom Plano de Negócios (Salim [et al], 2005, p. 3). Ao ser bem planejado, as chances de um empreendimento crescer e se desenvolver alcançando o sucesso saem de um patamar imaginário para se concretizar, desde que essa importante ferramenta seja utilizada por pessoas proativas, perseverantes e que tragam inovação para o mercado (Santos e Silva, 2012). Porém, é importante salientar que o plano de negócios é apenas um passo - embora de suma relevância - em meio a tantos desafios que será confrontado no gigantesco mundo do empreendedorismo (Santos e Silva, 2012, p. 18). 3 METODOLOGIA O presente trabalho sustenta-se em revisão de literatura e foi elaborado a partir de uma pesquisa qualitativa, que proporciona melhor visão e compreensão do problema, além de ser apropriada ao enfrentarmos uma situação de incerteza, como quando os resultados conclusivos diferem das expectativas (Malhotra, et al, 2005, p. 113). Trata-se também de um estudo de caso que utiliza a estrutura de plano de negócios desenvolvido pelo SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) que serviu de parâmetro para a busca de informações acerca do mercado de atuação pretendido bem como para a organização lógica dessas informações. A estrutura proposta pelo SEBRAE é composta pelos seguintes tópicos: Sumário Executivo, Análise de Mercado, Plano de Marketing, Plano Operacional, Plano Financeiro, Construção de Cenários, Avaliação Estratégica e Avaliação do Plano de Negócios. Um estudo de caso deve ser importante, original, eficaz, detalhista, suficiente e seu relato deve ocorrer de maneira atraente (Martins, 2008). Em síntese, deve ser algo inovador que tenha sustentação teórica e dados que comprovem sua proposição, de forma a garantir a veracidade e validade do estudo (Martins, 2008). 4 ANÁLISE DOS RESULTADOS Tomando como base as pesquisas realizadas e a estrutura do plano de negócios do SEBRAE, inicia-se a análise da viabilidade de implementação da empresa ECO VEST Confecções.

10 A empresa tem como proposta a produção de camisetas utilizando como matéria-prima principal tecido ecológico. Com esse produto pretende-se atender pessoas da classe B, em sua maioria jovens, de ambos os sexos e moradores de Belo Horizonte e região Metropolitana. A empresa tem como missão produzir camisetas com apelo sustentável, voltada para atender pessoas com ideais de conscientização e preservação ambiental. Sua visão é procurar evoluir constantemente os processos de produção e estamparia para tornar-se referência no Estado de Minas Gerais no ramo de confecção ecológica até Para isso tem como valores: Respeito, honestidade, humildade e inovação Análise do Ambiente Externo Com base no estudo realizado é possível afirmar que o setor de moda sustentável no Brasil encontra-se em crescimento, esta fase caracteriza-se por um aumento gradativo nas vendas à medida que vai ocorrendo à aceitação do produto no mercado. Por isso a ameaça de novos entrantes é alta, a rivalidade entre os concorrentes é média, a ameaça de produtos substitutos e o poder de barganha dos clientes e dos fornecedores são baixos..para se defender frente a essas cinco forças competitivas a ECO VEST irá focar na estratégia genérica de diferenciação com intuito de agregar valor em relação às características peculiares do seu produto e com isso conquistar presença de mercado e fidelidade entre o consumidor e a marca. Analisando os fornecedores a empresa identificou que será preciso buscar parcerias com empresas de outros Estados para poder reduzir custos, principalmente ao adquirir seu maquinário para produção. Quanto à concorrência, esta ainda é pouco expressiva no mercado de Belo Horizonte.

11 4.2. Análise do Ambiente Interno Em relação ao ambiente interno, percebe-se que os pontos fortes da empresa são: o prazo de entrega, a linha de produção, o maquinário e o design do produto e os pontos fracos são: o desenvolvimento de novos produtos e a falta de experiência na condução de uma empresa. A ECO VEST pretende trabalhar estrategicamente sobre esses fatores para alcançar com sucesso sua missão Composto de Marketing Em relação ao produto, as camisetas da ECO VEST são confeccionadas em malha PET (composta por 50% algodão orgânico e 50% poliéster, que é derivado do plástico reciclado de garrafa PET), em diversos tamanhos (P, M e G), modelos feminino e masculino, regatas e com mangas curtas e somente nas cores naturais da garrafa PET, ou seja, verde, azul e branco.. As peças terão um toque despojado através de frases que chamarão a atenção das pessoas para a questão da sustentabilidade e que serão feitas com o uso da tecnologia digital de estamparia o que facilita a impressão de tecidos e do uso de tintas ecológicas. Tudo isso sem deixar de lado a importância de criar roupas confortáveis e de alta durabilidade, lavagem e secagem rápida e preço acessível. O preço das camisetas foi determinado levando em consideração a percepção do cliente e sua conseqüente valorização a um produto considerado sustentável, mas é claro sem deixar de lado os custos envolvidos no processo de fabricação. Quanto à localização procurou-se facilitar o acesso de todos os stakeholders e o processo de distribuição dos produtos, estando à empresa e o showroom localizado próximo a avenidas e rodovias e a um importante centro comercial de Belo Horizonte, o Minas Shopping. Conhecendo bem o mercado no qual pretende atuar e levando em consideração a estratégia adotada de diferenciação a empresa visa investir bastante em comunicação com o mercado, pois esta é a melhor forma de conquistar nossos clientes, divulgar a marca e difundir na sociedade a ideia de que sustentabilidade é mais do que uma alternativa, é uma necessidade para o futuro. As formas de publicidade e propaganda adotadas pela empresa serão: representante comercial,

12 mala direta, outdoor, inserções mensais em rádio e através do próprio site que também é uma loja virtual Necessidade de Pessoal Para desempenhar com eficiência suas atividades foi constatado que a empresa necessitará como mão-de-obra de: quatro costureiras, uma arrematadeira, um estampador, um cortador, um estoquista, um representante comercial e uma vendedora. A administração geral da empresa ficará a cargo de um dos sócios. Visando minimizar custos e aumentar o nível de eficiência e assertividade a empresa ECOVEST irá terceirizar seu processo de recrutamento e seleção. Para isso contratará uma empresa especializada que será responsável por divulgar as vagas em sites, jornais e outros meios de comunicação. Após esta fase de recrutamento haverá a fase de seleção inicial, onde os candidatos irão preencher formulários para verificar quais são aqueles que possuem os requisitos mínimos para preencher a vaga. Os candidatos melhor qualificados irão para a fase da seleção substantiva que consiste em testes psicológicos, dinâmicas em grupos e entrevistas com a empresa de RH e com o gestor da ECOVEST. Este processo, no entanto pode variar dependendo da vaga que se pretende ocupar. O próprio gestor é quem decidirá dentre os candidatos enviados pela empresa de RH, aquele que melhor atende as qualificações da vaga e que se adaptará a cultura da empresa. Selecionado o candidato, o próximo passo é fazer os exames médicos e dar inicio ao processo de contratação.

13 4.5. Análise Financeira Analisando o plano financeiro da empresa, é possível verificar os resultados proposto para o primeiro ano da empresa no mercado. Demonstrativo de Resultados Discriminação ANO 2013 Receitas de Vendas R$ Custos Variáveis R$ Margem de Contribuição R$ Custos Fixos R$ Lucro Operacional R$ Optante pelo SIMPLES R$ Lucro Líquido R$ Temos uma receita de vendas no valor de R$ ,00; Custos variáveis R$ ,00, Margem de Contribuição R$ ,00; Custos Fixos R$ ,00; Lucro Operacional R$41.000,00; Optante pelo Simples(Imposto) R$3.091,00, teremos um lucro líquido totalizando R$37.909,00. Com estes resultados, consegue-se identificar os índices financeiros, que mostram a realidade do negócio e sua viabilidade de implementação. DISCRIMINAÇÃO PROJETADA LUCRATIVIDADE 6% RENTABILIDADE 25% PRI 4,0 PE 84% Conforme análise dos índices financeiros também pode concluir que a empresa possui potencial para manter-se no mercado, pois possui uma lucratividade de 6%; uma rentabilidade de 25% do valor investido através dos lucros obtidos no negócio; com um ponto de equilíbrio de 84%; em um prazo para retorno do investimento de 4 anos.

14 5 CONCLUSÃO O objetivo deste trabalho foi testar a viabilidade econômica e financeira da Empresa ECO VEST Confecções Ltda. Este objetivo foi atingido através dos estudos realizados no segmento têxtil que fabricam roupas utilizando tecidos ecológicos, da análise dos indicadores financeiros e dos dados mercadológicos deste setor. Os dados obtidos no plano de negócios da ECO VEST mostram uma oportunidade de mercado para atender o público de classe B, compreendidos entre as faixas etárias de 15 a 25 anos. Esse público mostra ter conscientização ecológica e um grande apelo pela sustentabilidade. Com isso facilita a aceitação da diferenciação de preço entre uma camiseta comum e uma camiseta ecológica, o que favorece o nosso produto. Diante dos índices destacados na análise financeira deste artigo, concluise que a implantação da empresa ECO VEST Confecções Ltda. no mercado é viável. Mesmo com a lucratividade atual sendo de 6% e o prazo de retorno de 4 anos os sócios optam por investir na empresa, pois acreditam que o ramo de confecções ecológicas tende a ser valorizado cada vez mais no mercado, podendo assim alcançar uma lucratividade maior e reduzir o prazo de retorno de investimento. 6 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS CASAROTTO FILHO, Nelson. Projeto de negócio: estratégias e estudos de viabilidade. São Paulo: Atlas, p. DEUSTSHER, José Arnaldo. Plano de negócios: um guia prático. Rio de Janeiro: Editora FGV, p DOLABELA, Fernando. O segredo de Luísa. Rio de Janeiro: Sextante, DORNELAS, José Carlos Assis. Plano de negócios: seu guia definitivo. 2ª reimp. Rio de Janeiro: Elsevier, p.

15 FALCÃO, Marina. Indústria têxtil espera crescer até 2% em Disponível em: <http://www.valor.com.br/empresas/ /industria-textil-esperacrescer-ate-2-em-2013>. Acesso em 06 out FARAH, Osvaldo Elias; CAVALCANTI, Marli; MARCONDES, Luciana Passos. Empreendedorismo estratégico: criação e gestão de pequenas empresas. São Paulo: Cengage Learning, p. JONES, Gareth R.; GEORGE, Jennifer M.. Administração contemporânea. 4. ed. Tradução Maria Lúcia G. L. Rosa; revisão técnica Alexandre Faria. São Paulo: Mc Graw-Hill, p. LADEIA, Bárbara. Deslee-Clama quer crescer 30% com tecidos ecológicos. Disponível em: <http://www.brasileconomico.com.br/noticias/nprint/86852.html>. Acesso em 06 out MALHOTRA, Naresh k. Introdução à pesquisa de marketing. Tradutor Robert Brian Taylor. São Paulo: Pearson Prentice Hall, MARTINS, Gilberto de Andrade. Estudo de caso: uma estratégia de pesquisa. 2. ed. 2. reimpr. São Paulo: Atlas, PORTAL ECODESENVOLVIMENTO.ORG. De tendência para comportamento, a moda sustentável alça voo. Disponível em: >http://www.ecodesenvolvimento.org/noticias/moda-sustentavel-de-tendencia-paracomportamento>. Acesso em 06 out SALIM, Cesar Simões; HOCHMAN, Nelson; RAMAL, Andrea Cecilia; RAMAL, Silvina Ana. Construindo planos de negócios. 3. ed. rev. e atualizada. Rio de Janeiro: Elsevier, SANTOS, Emanoel Alves dos; SILVA, Carlos Eduardo. Os modelos de plano de negócios e sua relevância para sustentabilidade das micro e

16 pequenas empresas. Revista Brasileira de Administração Científica, Aquidabã, v.3, n.1, Jan, Fev, Mar,Abr, Mai, Jun 2012.SEÇÃO: Artigos TEMA: Empreendedorismo e Inovação. Disponível em: Acesso em 25 ago SEBRAE SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO AS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS. Software Plano de negócios 2.0. Disponível em:<http://www.sebraemg.com.br/atendimento/bibliotecadigital/documento/software/ Software-Plano-de-Negocio-20>. Acesso em 28 set

Faculdade Pitágoras de Uberlândia. Administração

Faculdade Pitágoras de Uberlândia. Administração Faculdade Pitágoras de Uberlândia Apostila de Administração Prof. Walteno Martins Parreira Júnior www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo.com 2014 SUMÁRIO 1 O PLANO DE NEGÓCIOS...2 1.1 SUMÁRIO EXECUTIVO...5

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS E PLANEJAMENTO: SUA IMPORTÂNCIA PARA O EMPREENDIMENTO

PLANO DE NEGÓCIOS E PLANEJAMENTO: SUA IMPORTÂNCIA PARA O EMPREENDIMENTO PLANO DE NEGÓCIOS E PLANEJAMENTO: SUA IMPORTÂNCIA PARA O EMPREENDIMENTO Bruna Carolina da Cruz Graduando em administração Unisalesiano Lins bruna-estella@hotmail.com Rafael Victor Ostetti da Silva Graduando

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS 1 Jane do Socorro do Rosário Ventura 2

PLANO DE NEGÓCIOS 1 Jane do Socorro do Rosário Ventura 2 1 PLANO DE NEGÓCIOS 1 Jane do Socorro do Rosário Ventura 2 RESUMO O Plano de Negócios é parte fundamental do processo empreendedor, visto que os empreendedores precisam saber planejar suas ações e delinear

Leia mais

GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS

GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 2 2. PLANO DE NEGÓCIOS:... 2 2.1 RESUMO EXECUTIVO... 3 2.2 O PRODUTO/SERVIÇO... 3 2.3 O MERCADO... 3 2.4 CAPACIDADE EMPRESARIAL... 4 2.5

Leia mais

Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques

Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques Nada é mais perigoso do que uma idéia, quando ela é a única que temos. (Alain Emile Chartier) Neste módulo, faremos, a partir

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS O plano de negócios deverá conter: 1. Resumo Executivo 2. O Produto/Serviço 3. O Mercado 4. Capacidade Empresarial 5. Estratégia de Negócio 6. Plano de marketing

Leia mais

O Plano de Negócios Fabiano Marques

O Plano de Negócios Fabiano Marques O Plano de Negócios Fabiano Marques Um negócio bem planejado terá mais chances de sucesso que aquele sem planejamento, na mesma igualdade de condições. (Dornelas, 2005) O termo empreendedorismo está naturalmente

Leia mais

Resumo Executivo. Modelo de Planejamento. Resumo Executivo. Resumo Executivo. O Produto ou Serviço. O Produto ou Serviço 28/04/2011

Resumo Executivo. Modelo de Planejamento. Resumo Executivo. Resumo Executivo. O Produto ou Serviço. O Produto ou Serviço 28/04/2011 Resumo Executivo Modelo de Planejamento O Resumo Executivo é comumente apontada como a principal seção do planejamento, pois através dele é que se perceberá o conteúdo a seguir o que interessa ou não e,

Leia mais

Modelo para elaboração do Plano de Negócios

Modelo para elaboração do Plano de Negócios Modelo para elaboração do Plano de Negócios 1- SUMÁRIO EXECUTIVO -Apesar de este tópico aparecer em primeiro lugar no Plano de Negócio, deverá ser escrito por último, pois constitui um resumo geral do

Leia mais

Empreendedorismo. Tópico 4 Plano de Negócios: Visão Geral

Empreendedorismo. Tópico 4 Plano de Negócios: Visão Geral Empreendedorismo Tópico 4 Plano de Negócios: Visão Geral Conteúdo 1. Objetivos do Encontro... 3 2. Introdução... 3 3. Planejar. Por quê?... 3 4. O Plano é produto do empreendedor... 4 5. Estrutura do Plano

Leia mais

Trabalho de Conclusão de Curso - TCC. Graduação em Administração

Trabalho de Conclusão de Curso - TCC. Graduação em Administração Trabalho de Conclusão de Curso - TCC Graduação em Administração Educação Presencial 2011 1 Trabalho de Conclusão de Curso - TCC O curso de Administração visa formar profissionais capacitados tanto para

Leia mais

METODOLOGIA PARA PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO NA PEQUENA EMPRESA: UM ESTUDO DE CASO

METODOLOGIA PARA PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO NA PEQUENA EMPRESA: UM ESTUDO DE CASO METODOLOGIA PARA PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO NA PEQUENA EMPRESA: UM ESTUDO DE CASO Mauricio João Atamanczuk (UTFPR) atamanczuk@hotmail.com Prof. Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefet.br RESUMO:

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO SIMONSEN PLANO DE NEGÓCIO

PÓS-GRADUAÇÃO SIMONSEN PLANO DE NEGÓCIO PÓS-GRADUAÇÃO SIMONSEN PLANO DE NEGÓCIO RESUMO DO EMPREENDIMENTO 01 EMPREENDIMENTO 02 NEGÓCIO E MERCADO: DESCRIÇÃO 2.1 ANÁLISE MERCADOLÓGICA 2.2 MISSÃO DA EMPRESA 03 CONCORRÊNCIA 04 FORNECEDORES 05 PLANO

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS. UM ESTUDO SOBRE SUA IMPORTÂNCIA E ESTRUTURA

PLANO DE NEGÓCIOS. UM ESTUDO SOBRE SUA IMPORTÂNCIA E ESTRUTURA PLANO DE NEGÓCIOS. UM ESTUDO SOBRE SUA IMPORTÂNCIA E ESTRUTURA FELIPE RABELO DE AGUIAR Graduando do Curso de Ciências Contábeis da UFPA feliperabelo11@yahoo.com.br Héber Lavor Moreira Professor Orientador

Leia mais

ESTRATÉGIAS DE COMPETIVIDADE PARA UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR DE CONFECÇÕES.

ESTRATÉGIAS DE COMPETIVIDADE PARA UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR DE CONFECÇÕES. ESTRATÉGIAS DE COMPETIVIDADE PARA UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR DE CONFECÇÕES. Virgínia do S. Motta Aguiar Departamento de Administração Universidade Federal da Paraíba Campus II End. Res. Rua João Julião

Leia mais

Aula 2 Assunto: Modelos para Plano de Negócios

Aula 2 Assunto: Modelos para Plano de Negócios DISCIPLINA: Gestão Empresarial Aula 2 Assunto: Modelos para Plano de Negócios Prof Ms Keilla Lopes Mestre em Administração pela UFBA Especialista em Gestão Empresarial pela UEFS Graduada em Administração

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: EMPREENDEDORISMO Código: ENF - 314 Pré-requisito: ENF 212 Enfermagem em Urgência

Leia mais

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Josiane Corrêa 1 Resumo O mundo dos negócios apresenta-se intensamente competitivo e acirrado. Em diversos setores da economia, observa-se a forte

Leia mais

Eline Cristina Miranda 0501006001. Administração Financeira e Orçamentária

Eline Cristina Miranda 0501006001. Administração Financeira e Orçamentária UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS BACHARELADO EM CIENCIAS CONTÁBEIS PROF: HÉBER LAVOR MOREIRA Eline Cristina Miranda 0501006001 Administração

Leia mais

UNIDADE 5 A estrutura de um Plano de Negócios

UNIDADE 5 A estrutura de um Plano de Negócios UNIDADE 5 A estrutura de um Plano de Negócios É evidente a importância de um bom plano de negócios para o empreendedor, mas ainda existem algumas questões a serem respondidas, por exemplo: Como desenvolver

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO BOLSAS E ACESSÓRIOS

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO BOLSAS E ACESSÓRIOS OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO BOLSAS E ACESSÓRIOS 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser fotocopiada,

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS SÓ DELLA LINGERIES

PLANO DE NEGÓCIOS SÓ DELLA LINGERIES UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CENTRO SÓCIO ECONÔMICO DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS ALESSANDRA PAIXÃO HUNGRIA Mat: 0201010801 FABIANA SUELI DAMASCENO DOS SANTOS Mat: 0101009601

Leia mais

Plano de Negócios PLANEJAMENTO DO PROJETO FINAL. Sumário

Plano de Negócios PLANEJAMENTO DO PROJETO FINAL. Sumário Plano de Negócios Plano de Negócios Sumário Introdução... 3 Plano de Negócios... 3 Etapas do Plano de Negócio... 3 Fase 1... 3 Fase 2... 8 Orientação para entrega da Atividade de Avaliação... 12 Referências

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro

PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro Anexo 3 PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro 1. Capa 2. Sumário 3. Sumário executivo 4. Descrição da empresa 5. Planejamento Estratégico do negócio 6. Produtos e Serviços 7. Análise de Mercado 8. Plano de Marketing

Leia mais

CEAP CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA COMÉRCIO ELETRÔNICO PROF. CÉLIO CONRADO

CEAP CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA COMÉRCIO ELETRÔNICO PROF. CÉLIO CONRADO Contexto e objetivos CEAP CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA COMÉRCIO ELETRÔNICO PROF. CÉLIO CONRADO O desenvolvimento do plano de negócios, como sistematização das idéias

Leia mais

EMPREENDEDORISMO Marketing

EMPREENDEDORISMO Marketing Gerenciando o Marketing EMPREENDEDORISMO Marketing De nada adianta fabricar um bom produto ou prestar um bom serviço. É preciso saber colocálo no mercado e conseguir convencer as pessoas a comprá-lo. O

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS W ARTE "SERRALHARIA E ESQUADRIA RAPOSÃO" Empreendedor(a): WALBER MACEDO DOS SANTOS

PLANO DE NEGÓCIOS W ARTE SERRALHARIA E ESQUADRIA RAPOSÃO Empreendedor(a): WALBER MACEDO DOS SANTOS PLANO DE NEGÓCIOS W ARTE "SERRALHARIA E ESQUADRIA RAPOSÃO" Empreendedor(a): WALBER MACEDO DOS SANTOS Maio/2013 SUMÁRIO 1 SUMÁRIO EXECUTIVO 1.1 Resumo dos principais pontos do plano de negócio 1.2 Empreendedores

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIO: UMA FERRAMENTA COM MULTIPLAS APLICAÇÕES

PLANO DE NEGÓCIO: UMA FERRAMENTA COM MULTIPLAS APLICAÇÕES 1 PLANO DE NEGÓCIO: UMA FERRAMENTA COM MULTIPLAS APLICAÇÕES Angela Brasil (Docente das Faculdades Integradas de Três Lagoas -AEMS) E-mail:angelabrasil@ibest.com.br Cleucimar Aparecida Pereira Prudente

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 7 Planejamento Estratégico Planejamento de TI Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO ANEXO

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO ANEXO PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO ANEXO Plano de Ação Estratégico Estratégias empresariais Anexo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas SEBRAE Unidade de Capacitação Empresarial Estratégias

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA PESQUISA DE MARKETING PARA GESTORES DE NEGÓCIO

A IMPORTÂNCIA DA PESQUISA DE MARKETING PARA GESTORES DE NEGÓCIO A IMPORTÂNCIA DA PESQUISA DE MARKETING PARA GESTORES DE NEGÓCIO Mariana Ferreira Soares, Priscila Petrusca Messias Gomes Silva e Marcos Alexandre de Melo Barros. Faculdade Senac de Pernambuco. E-mail:

Leia mais

ESTRATÉGIAS DE NEGÓCIOS E CRIAÇÃO DE VALOR NA EMPRESA MODERNA

ESTRATÉGIAS DE NEGÓCIOS E CRIAÇÃO DE VALOR NA EMPRESA MODERNA ESTRATÉGIAS DE NEGÓCIOS E CRIAÇÃO DE VALOR NA EMPRESA MODERNA Natália Igreja da Silva Ferreira 1, Vilma da Silva Santos 2, Paulo Cesar Ribeiro Quintairos 3, Edson Aparecida de Araújo Querido Oliveira 4

Leia mais

Unidade II. Unidade II

Unidade II. Unidade II Unidade II 6 PLANO DE NEGÓCIOS (PN): UMA VISÃO GERAL - O QUE É E PARA QUE SERVE? Plano de negócios (do inglês business plan), também chamado plano empresarial, é um documento que especifica, em linguagem

Leia mais

6. Planejamento do Negócio

6. Planejamento do Negócio 6. Planejamento do Negócio Conteúdo 1. O que é um Plano de Negócios 2. Elaboração de um Plano de Negócios 3. Sessões Propostas para um Plano de Negócios 4. Idéias para um Plano de Negócios 5. Sites para

Leia mais

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS - FAN CEUNSP SALTO /SP CURSO DE TECNOLOGIA EM MARKETING TRABALHO INTERDISCIPLINAR

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS - FAN CEUNSP SALTO /SP CURSO DE TECNOLOGIA EM MARKETING TRABALHO INTERDISCIPLINAR APRESENTAÇÃO DO TI O Trabalho Interdisciplinar é um projeto desenvolvido ao longo dos dois primeiros bimestres do curso. Os alunos tem a oportunidade de visualizar a unidade da estrutura curricular do

Leia mais

Margem esquerda 3 cm, direita 2,5 cm, superior 2,5 cm, inferior 2,5 cm Fonte do texto: Times 12 ou Arial 11

Margem esquerda 3 cm, direita 2,5 cm, superior 2,5 cm, inferior 2,5 cm Fonte do texto: Times 12 ou Arial 11 IDEIA Manual para elaboração de projeto Curso de ADMINISTRAÇÂO/HOTELARIA (baseado na ABNT) O projeto deve ser escrito sempre de forma impessoal, ou seja, nunca nosso projeto, nossa empresa, faremos etc

Leia mais

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS 1. Sumário Executivo Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso 2. Sumário da Empresa 2.1 Composição da Sociedade Perfil Individual dos sócios, experiência, formação, responsabilidades

Leia mais

ESTUDO DA IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA O COMÉRCIO VAREJISTA LUCIMEIRI CEZAR ANDRÉ

ESTUDO DA IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA O COMÉRCIO VAREJISTA LUCIMEIRI CEZAR ANDRÉ ESTUDO DA IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA O COMÉRCIO VAREJISTA LUCIMEIRI CEZAR ANDRÉ Acadêmica de Administração Geral na Faculdade Metropolitana de Maringá /PR - 2005 RESUMO: A atividade comercial

Leia mais

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS - FAN CEUNSP SALTO /SP CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL TRABALHO INTERDISCIPLINAR

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS - FAN CEUNSP SALTO /SP CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL TRABALHO INTERDISCIPLINAR APRESENTAÇÃO DO TI O Trabalho Interdisciplinar é um projeto desenvolvido ao longo dos dois primeiros bimestres do curso. Os alunos tem a oportunidade de visualizar a unidade da estrutura curricular do

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO ESCOLA DE IDIOMAS PARA CRIANÇAS

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO ESCOLA DE IDIOMAS PARA CRIANÇAS OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO ESCOLA DE IDIOMAS PARA CRIANÇAS 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode

Leia mais

Gestão de Negócios. Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING

Gestão de Negócios. Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING Gestão de Negócios Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING 3.1- CONCEITOS DE MARKETING Para a American Marketing Association: Marketing é uma função organizacional e um Marketing é uma função organizacional

Leia mais

FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Módulo de Planejamento Prof.º Fábio Diniz

FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Módulo de Planejamento Prof.º Fábio Diniz FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Módulo de Planejamento Prof.º Fábio Diniz COMPETÊNCIAS A SEREM DESENVOLVIDAS CONHECER A ELABORAÇÃO, CARACTERÍSTICAS E FUNCIONALIDADES UM PLANO DE NEGÓCIOS.

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Nome_da_Empresa

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Nome_da_Empresa PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Nome_da_Empresa 2008-2009-2010 Conteúdo Introdução... 3 Etapas para a elaboração do Planejamento Estratégico... 3 Análise de Forças, Oportunidades, Fraquezas e Ameaças... 5 Sugestão

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS FRALDAS QUARESMA "FRALDAS DESCARTAVEIS" Empreendedor(a): FLÁVIO QUARESMA DE LIMA SILVA

PLANO DE NEGÓCIOS FRALDAS QUARESMA FRALDAS DESCARTAVEIS Empreendedor(a): FLÁVIO QUARESMA DE LIMA SILVA PLANO DE NEGÓCIOS FRALDAS QUARESMA "FRALDAS DESCARTAVEIS" Empreendedor(a): FLÁVIO QUARESMA DE LIMA SILVA Fevereiro/2013 SUMÁRIO 1 SUMÁRIO EXECUTIVO 1.1 Resumo dos principais pontos do plano de negócio

Leia mais

Tema Nº 3 Primeiros Passos

Tema Nº 3 Primeiros Passos Tema Nº 3 Primeiros Passos Habilidades a Desenvolver: Reconhecer as etapas iniciais do empreendedorismo. Analisar o tipo de negócio, bem como sua viabilidade e demandas de recursos de novos empreendimentos.

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS: UMA FERRAMENTA DE GESTÃO PARA MICRO E PEQUENA EMPRESA RESUMO

PLANO DE NEGÓCIOS: UMA FERRAMENTA DE GESTÃO PARA MICRO E PEQUENA EMPRESA RESUMO 43 PLANO DE NEGÓCIOS: UMA FERRAMENTA DE GESTÃO PARA MICRO E PEQUENA EMPRESA Vivian Silveira Ferreira Eliane Vargas de Campos RESUMO Vive-se uma nova realidade no mercado brasileiro onde as micro e pequenas

Leia mais

Entendendo custos, despesas e preço de venda

Entendendo custos, despesas e preço de venda Demonstrativo de Resultados O empresário e gestor da pequena empresa, mais do que nunca, precisa dedicar-se ao uso de técnicas e instrumentos adequados de gestão financeira, para mapear a situação do empreendimento

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR PROJETO INTEGRADOR 1. INTRODUÇÃO Conforme as diretrizes do Projeto Pedagógico dos Cursos Superiores de Tecnologia da Faculdade Unida de Suzano

Leia mais

PARTE VI O Plano de Negócios

PARTE VI O Plano de Negócios FATERN Faculdade de Excelência Educacional do RN Coordenação Tecnológica de Redes e Sistemas Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Empreendedorismo: Uma Introdução Prof. Fabio Costa Ferrer,

Leia mais

O Plano Financeiro no Plano de Negócios Fabiano Marques

O Plano Financeiro no Plano de Negócios Fabiano Marques O Plano Financeiro no Plano de Negócios Fabiano Marques Seguindo a estrutura proposta em Dornelas (2005), apresentada a seguir, podemos montar um plano de negócios de forma eficaz. É importante frisar

Leia mais

ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE NEGÓCIOS PARA UMA EMPRESA DE TRANSPORTE COLETIVO DE PASSAGEIROS 1

ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE NEGÓCIOS PARA UMA EMPRESA DE TRANSPORTE COLETIVO DE PASSAGEIROS 1 ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE NEGÓCIOS PARA UMA EMPRESA DE TRANSPORTE COLETIVO DE PASSAGEIROS 1 Jéssica Schreiber Boniati 2, Eusélia Pavéglio Vieira 3. 1 Trabalho de conclusão de curso apresentado ao curso

Leia mais

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014 #5 EMPREENDEDORISMO Outubro de 2014 ÍNDICE 1. Apresentação 2. Definição 3. Empreendedorismo: necessidade ou oportunidade? 4. Características do comportamento empreendedor 5. Cenário brasileiro para o empreendedorismo

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO E-COMMERCE - FLORICULTURA VIRTUAL

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO E-COMMERCE - FLORICULTURA VIRTUAL OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO E-COMMERCE - FLORICULTURA VIRTUAL 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação

Leia mais

ANEXO 28c MODELO DE PLANO DE NEGÓCIOS - PINS SOLIDÁRIO. Identificação

ANEXO 28c MODELO DE PLANO DE NEGÓCIOS - PINS SOLIDÁRIO. Identificação ANEXO 28c MODELO DE PLANO DE NEGÓCIOS - PINS SOLIDÁRIO Nome da Entidade Identificação Razão Social CGC/CNPJ Inscrição Estadual Inscrição Municipal Descreva as Pricipais Atividades Desenvolvidas pela Entidade

Leia mais

ESTUDO DE VIABILIDADE PARA IMPLANTAÇÃO DE UM NEGÓCIO NO SEGMENTO DE SEMI JOIAS

ESTUDO DE VIABILIDADE PARA IMPLANTAÇÃO DE UM NEGÓCIO NO SEGMENTO DE SEMI JOIAS 1 ESTUDO DE VIABILIDADE PARA IMPLANTAÇÃO DE UM NEGÓCIO NO SEGMENTO DE SEMI JOIAS Astila Leite Persilva Paratella 1. Davidson Julio Xavier 2. Fernanda Lima Montemor Costa 3. Jéssica Stephanie Monteiro Ribeiro

Leia mais

9 Plano de Marketing 9.1 Estratégias de Produto

9 Plano de Marketing 9.1 Estratégias de Produto 1 Sumário Executivo (O que é o plano de negócios) 2 Agradecimentos 3 Dedicatória 4 Sumário ( tópicos e suas respectivas páginas) 5 Administrativo - Introdução (O que foi feito no módulo administrativo)

Leia mais

Módulo de Gestão Aplicada à TIC. Curso Técnico de Informática Aula 02 Prof. Amadeu Campos

Módulo de Gestão Aplicada à TIC. Curso Técnico de Informática Aula 02 Prof. Amadeu Campos Módulo de Gestão Aplicada à TIC Curso Técnico de Informática Aula 02 Prof. Amadeu Campos FTIN FORMAÇÃO TÉCNICA EM INFORMÁTICA EMPREENDEDORISMO NA ÁREA DE INFORMÁTICA Competências a serem trabalhadas Semana

Leia mais

#11 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

#11 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO #11 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ÍNDICE 1. 2. 3. 4. 5. 6. Apresentação Níveis de planejamento Conceito geral Planejamento estratégico e o MEG Dicas para elaborar um planejamento estratégico eficaz Sobre a

Leia mais

SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO NA MODALIDADE ASSOCIADA

SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO NA MODALIDADE ASSOCIADA SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO NA MODALIDADE ASSOCIADA EDITAL 04/2009 IDÉIA FLUXO CONTÍNUO INCUBADORA MULTI-SETORIAL DE BASE TECNOLÓGICA E INOVAÇÃO Novembro de 2009. PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS

Leia mais

BENEFÍCIOS COM A SMALL

BENEFÍCIOS COM A SMALL BENEFÍCIOS COM A SMALL 2012. Small Consultoria Avenida Engenheiro Caetano Álvares, 530 Casa Verde, São Paulo S.P. Tel. 11 2869.9699 / 11 2638.5372 Todos os direitos reservados. A IDEIA Dentre os exemplos

Leia mais

NEGÓCIOS I PLANO DE PLANO DE NEGÓCIOS I. Ementa. Aula 1 PLANO DE NEGÓCIOS I. Prof. Fábio Guerra guerra@f12consultoria.com.br PLANO DE NEGÓCIOS I

NEGÓCIOS I PLANO DE PLANO DE NEGÓCIOS I. Ementa. Aula 1 PLANO DE NEGÓCIOS I. Prof. Fábio Guerra guerra@f12consultoria.com.br PLANO DE NEGÓCIOS I Aula 1 PLANO DE NEGÓCIOS I Prof. Fábio Guerra guerra@f12consultoria.com.br Ementa Como preparar um Plano de Negócios. Razões para elaborar um Plano de Negócios. Estrutura do Plano de Negócios. Concepção

Leia mais

Maria Tereza da Silva Santos. Confecção - Exemplo. Elaborado por: Plano de Negócio - Exemplos

Maria Tereza da Silva Santos. Confecção - Exemplo. Elaborado por: Plano de Negócio - Exemplos Maria Tereza da Silva Santos Confecção - Exemplo Elaborado por: Plano de Negócio - Exemplos Data criação: 09/01/2014 14:36 Data Modificação: 21/02/2014 14:36 Tipo Empresa: Empresa nascente 1 - Sumário

Leia mais

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING CONSULTOR CARLOS MARTINS CRIA - AÇAO EM MARKETING SUA EMPRESA Copyright Consultor Carlos Martins - Todos os direitos reservados wwwcarlosmartinscombr - consultor@carlosmartinscombr Como conquistar Clientes

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIO: ESMALTE GURIAS LTDA.

PLANO DE NEGÓCIO: ESMALTE GURIAS LTDA. PLANO DE NEGÓCIO: ESMALTE GURIAS LTDA. *Juliana Pinzon *Renata Reis *Valdirene M. de Souza Fonseca Amilto Muller RESUMO: O presente trabalho apresenta o Plano de Negócios para criação de um produto, assim

Leia mais

MODA SUSTENTÁVEL E CONSUMIDORES OSKLEN 1. Lílian Gonring CASOTTI 2 Vanessa Melo TORRES 3 Faculdades Integradas de São Pedro, Vitória, ES

MODA SUSTENTÁVEL E CONSUMIDORES OSKLEN 1. Lílian Gonring CASOTTI 2 Vanessa Melo TORRES 3 Faculdades Integradas de São Pedro, Vitória, ES MODA SUSTENTÁVEL E CONSUMIDORES OSKLEN 1 Lílian Gonring CASOTTI 2 Vanessa Melo TORRES 3 Faculdades Integradas de São Pedro, Vitória, ES RESUMO Falar de sustentabilidade se tornou comum em tempos que o

Leia mais

Plataforma da Informação. Finanças

Plataforma da Informação. Finanças Plataforma da Informação Finanças O que é gestão financeira? A área financeira trata dos assuntos relacionados à administração das finanças das organizações. As finanças correspondem ao conjunto de recursos

Leia mais

EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO

EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO Odilio Sepulcri odilio@emater.pr.gov.br www.odiliosepulcri.com.br www.emater.pr.gov.br Telefone: (41) 3250-2252 ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO 1. Perfil para empreender

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATU SENSU EMENTA MBA GESTÃO DE VAREJO

PÓS-GRADUAÇÃO LATU SENSU EMENTA MBA GESTÃO DE VAREJO MBA GESTÃO DE VAREJO 1 - FORMAÇÃO DE PREÇO E ANÁLISE DE MARGEM NO VAREJO: Ementa: Conhecer o conceito de lucro na visão da precificação baseada no custo; demonstrar termos utilizados na formação de preço

Leia mais

PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO. Modalidade Associada

PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO. Modalidade Associada Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO Modalidade Associada Incubadora Multissetorial de Empresas de Base Tecnológica e Inovação da PUCRS RAIAR

Leia mais

Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os

Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os melhores resultados. 2 ÍNDICE SOBRE O SIENGE INTRODUÇÃO 01

Leia mais

Plano de Ensino Faculdade de Ciências Humanas e Sociais

Plano de Ensino Faculdade de Ciências Humanas e Sociais R. Taquari, 546 - Mooca - São Paulo - CEP 03166-000 Fone(PABX): 2799-1999 Fax: 2799-1652 Av. Vital Brasil, 1000 - Butantã - São Paulo - CEP 05503-001 Fone(PABX): 2799-1999 Fax: 2799-1652 Faculdade Curso

Leia mais

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1 BUSINESS GAME UGB Eduardo de Oliveira Ormond Especialista em Gestão Empresarial Flávio Pires Especialista em Gerencia Avançada de Projetos Luís Cláudio Duarte Especialista em Estratégias de Gestão Marcelo

Leia mais

AzTech Engineering Soluções em Engenharia de Software

AzTech Engineering Soluções em Engenharia de Software Plano de Negócio AzTech Engineering Soluções em Engenharia de Software Rodovia Celso Garcia Cid 2500 86051-990, Londrina - PR aztech@aztech.com.br André Ricardo Gonçalves - CEO / Tecnologia argoncalves@aztech.com.br

Leia mais

Grupo Educacional UNIS - MG

Grupo Educacional UNIS - MG 1º CONCURSO NEUNIS DE PLANOS DE NEGÓCIO PARA UNIVERSITÁRIOS 2014 1 REALIZAÇÃO: UNIS/MG REGULAMENTO CAPÍTULO 1 DOS OBJETIVOS Art. 1º O Concurso NEUNIS de Planos de Negócio para Universitários é uma iniciativa

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO GALERIA E CENTRO DE ARTES

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO GALERIA E CENTRO DE ARTES OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO GALERIA E CENTRO DE ARTES 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser

Leia mais

Somos uma consultoria especializada em Varejo Financeiro

Somos uma consultoria especializada em Varejo Financeiro 1 Somos uma consultoria especializada em Varejo Financeiro Atuamos junto a estes três grupos de empresas, ajudando-os a atender da melhor maneira às necessidades do consumidor 2 Atendemos às necessidades

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS Faça você mesmo

PLANO DE NEGÓCIOS Faça você mesmo PLANO DE NEGÓCIOS Faça você mesmo INTRODUÇÃO É um instrumento que visa estruturar as principais concepções e alternativas para uma análise correta de viabilidade do negócio pretendido, proporcionando uma

Leia mais

Modelo de Plano de Negócios

Modelo de Plano de Negócios Modelo de Plano de Negócios COLEÇÃO DEBATES EM ADMINISTRAÇÃO Empreendedorismo Modelo de Plano de Negócios Elaboração Marcelo Marinho Aidar Escola de Administração de Empresas de São Paulo (EAESP) F U N

Leia mais

Gestão estratégica em processos de mudanças

Gestão estratégica em processos de mudanças Gestão estratégica em processos de mudanças REVISÃO DOS MACRO PONTOS DO PROJETO 1a. ETAPA: BASE PARA IMPLANTAÇÃO DE UM MODELO DE GESTÃO DE PERFORMANCE PROFISSIONAL, que compreenderá o processo de Análise

Leia mais

MATRIZ SWOT VANTAGENS DE SUA UTILIZAÇÃO NO COMÉRCIO VAREJISTA

MATRIZ SWOT VANTAGENS DE SUA UTILIZAÇÃO NO COMÉRCIO VAREJISTA MATRIZ SWOT VANTAGENS DE SUA UTILIZAÇÃO NO COMÉRCIO VAREJISTA Daniela Vaz Munhê 1 Jenifer Oliveira Custódio Camara 1 Luana Stefani 1 Murilo Henrique de Paula 1 Claudinei Novelli 2 Cátia Roberta Guillardi

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PLANO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA Flash Lan House: FOCO NO ALINHAMENTO ENTRE CAPITAL HUMANO E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica e inovadora. O que são

Leia mais

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Autorizado pela Portaria nº 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: EMPREENDEDORISMO

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Autorizado pela Portaria nº 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: EMPREENDEDORISMO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Autorizado pela Portaria nº 1.393 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: EMPREENDEDORISMO Código: CTB - 251 Pré-requisito: -------- Período Letivo: 2013.1 Professor:

Leia mais

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO.

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Workshop para empreendedores e empresários do Paranoá DF. SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Dias 06 e 13 de Dezembro Hotel Bela Vista Paranoá Das 08:00 às 18:00 horas Finanças: Aprenda a controlar

Leia mais

Plano de marketing Um roteiro para a ação

Plano de marketing Um roteiro para a ação Plano de marketing Um roteiro para a ação 1. Planejar, planejar, planejar 2. Planejamento de marketing e plano de marketing 3. Processo de elaboração e roteiro do plano de marketing 4. Detalhamento do

Leia mais

Aula 07 Planejamento Estratégico de RH

Aula 07 Planejamento Estratégico de RH Aula 07 Planejamento Estratégico de RH Objetivos da aula: Nesta aula o objetivo será Apresentar uma visão diferenciada sobre como as ações integradas de planejamento estratégico de Recursos Humanos (RH)

Leia mais

PLANEJAMENTO DE MARKETING

PLANEJAMENTO DE MARKETING PLANEJAMENTO DE MARKETING A análise ambiental e o planejamento beneficiam os profissionais de marketing e a empresa como um todo, ajudando os gerentes e funcionários de todos os níveis a estabelecer prioridades

Leia mais

Líder em consultoria no agronegócio

Líder em consultoria no agronegócio MPRADO COOPERATIVAS mprado.com.br COOPERATIVAS 15 ANOS 70 Consultores 25 Estados 300 cidade s 500 clientes Líder em consultoria no agronegócio 1. Comercial e Marketing 1.1 Neurovendas Objetivo: Entender

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIO PARA EXPANSÃO DE UM EMPREENDIMENTO NA ÁREA DA BELEZA

PLANO DE NEGÓCIO PARA EXPANSÃO DE UM EMPREENDIMENTO NA ÁREA DA BELEZA UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS, CONTÁBEIS, ECONÔMICAS E DA COMUNICAÇÃO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS ANGELICA ISKE PLANO DE NEGÓCIO

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Reconhecimento Renovado pela Portaria MEC nº 264 de 14.07.11, DOU de 19.07.11 PLANO DE CURSO

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Reconhecimento Renovado pela Portaria MEC nº 264 de 14.07.11, DOU de 19.07.11 PLANO DE CURSO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Reconhecimento Renovado pela Portaria MEC nº 264 de 14.07.11, DOU de 19.07.11 Componente Curricular: EMPREENDEDORISMO Código: ADM-353 Pré-requisito: --- Período Letivo: 2015.1 Professor:

Leia mais

Programa Incubadora de Empresas e Projetos

Programa Incubadora de Empresas e Projetos Programa Incubadora de Empresas e Projetos INCETEC - Incubadora de Empresas Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnológica do Sul de Minas Gerais Campus Inconfidentes Plano de Negócios Nome do Negócio

Leia mais

II SIMPÓSIO DE PESQUISA E DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS 2014 ANAIS

II SIMPÓSIO DE PESQUISA E DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS 2014 ANAIS BUSINESS GAME UGB VERSÃO 2 Luís Cláudio Duarte Graduação em Administração de Empresas APRESENTAÇÃO (DADOS DE IDENTIFICAÇÃO) O Business Game do Centro Universitário Geraldo Di Biase (BG_UGB) é um jogo virtual

Leia mais

ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO

ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO CATEGORIAS TÉCNICO TECNÓLOGO TEMAS LIVRE INCLUSÃO SOCIAL COOPERATIVISMO 1. DADOS DA INSTITUIÇÃO 1.1 Nome da Instituição 1.2 Nome do Reitor(a)/Diretor(a)-Geral/Diretor(a) 1.3

Leia mais

INCULTEC. Centro de Referência em Incubação de Empresas e Projetos de Ouro Preto

INCULTEC. Centro de Referência em Incubação de Empresas e Projetos de Ouro Preto INCULTEC Centro de Referência em Incubação de Empresas e Projetos de Ouro Preto EDITAL 01/2015 SELEÇÃO DE NOVOS EMPREENDIMENTOS DE BASE CULTURAL E/OU TECNOLÓGICA PARA PARTICIPA ÇÃO NO PROGRAMA DE INCUBAÇÃO

Leia mais

17/10/2011. Construindo Planos de Negócios. Capítulo 1: Aspectos gerais do plano de negócios

17/10/2011. Construindo Planos de Negócios. Capítulo 1: Aspectos gerais do plano de negócios do plano Construindo Planos de Negócios 2011.2 Tipos Empresa de prestação de serviços Empresa de venda a varejo Empresa de vendas por atacado Distribuidora Empresa Industrial Empresa Mista do plano do

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA

PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA Belo Horizonte 2011 Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins PLANO DE NEGÓCIOS

Leia mais

MARKETING ESTRATÉGICO

MARKETING ESTRATÉGICO MARKETING ESTRATÉGICO O conceito de marketing é uma abordagem do negócio. HOOLEY; SAUNDERS, 1996 Esta afirmação lembra que todos na organização devem se ocupar do marketing. O conceito de marketing não

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO SERVIÇOS DE MÍDIA INDOOR

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO SERVIÇOS DE MÍDIA INDOOR OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO SERVIÇOS DE MÍDIA INDOOR 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser

Leia mais