Biologia e Geologia 11º ano

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Biologia e Geologia 11º ano"

Transcrição

1 Ano Letivo 2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL Biologia e Geologia 11º ano Curso Científico - Humanístico de Ciências e Tecnologias (Decreto-Lei nº 139/2012, de 5 de julho, alterado pelo Decreto-Lei nº 91/2013, de 10 de julho)

2 Biologia A planificação da componente de Biologia estrutura-se a partir dos pressupostos constantes no programa de Biologia e Geologia. Objetivos: 1. A construção de um sólido conjunto de conhecimentos, quer os explícitos nas unidades didáticas, quer os implícitos e decorrentes da implementação do programa. 2. O reforço das capacidades de abstração, experimentação, trabalho em equipa, ponderação e sentido de responsabilidade que se consideram alicerces relevantes na Educação para a Cidadania. 3. A interiorização de um sistema de valores e a assunção de atitudes que valorizem os princípios de reciprocidade e responsabilidade do ser humano perante todos os seres vivos, em oposição a princípios de objetividade e instrumentalização característicos de um relacionamento antropocêntrico. Neste sentido consideram-se cruciais os três seguintes princípios éticos: a) valorização da diversidade biológica, nas suas dimensões multissistémica, estrutural e funcional; b) valorização da interdependência Homem Ambiente; c) valorização da evolução biológica enquanto processo que assegura a biodiversidade.

3 Biologia Unidade 5 Crescimento e Renovação Celular Que processos são responsáveis pela unidade e variabilidade celular? Como explicam o crescimento dos seres vivos? Conteúdos conceptuais 1. Crescimento e Renovação Celular - DNA e síntese proteica Conteúdos procedimentais - Interiorizar a necessidade de renovação de alguns constituintes celulares, relacionando a expressão da informação contida no DNA com os processos de renovação dos mesmos; Conteúdos atitudinais - Refletir sobre situações ambientais que podem interferir no ciclo celular conduzindo a situações indesejáveis; Metodologia Revisitação do conceito de célula para que surjam questões relacionadas com o crescimento e renovação celular. Discussão sobre a necessidade de constante renovação de alguns dos constituintes celulares (ex: proteínas). Exploração de um PowerPoint contendo as características químicas do DNA e RNA. Realização de atividades práticas que permitam isolar moléculas de DNA. Revisitação das regras/normas básicas para construção de relatórios científicos e memórias descritivas. Factos, Conceitos, Modelos e Teorias Ribossoma Cariótipo Cromossoma Cromatídeo Centrómero DNA RNA Nucleótido Bases azotadas Ribose Desoxirribose Aulas previstas ( Blocos de 90 minutos ) setembro 4 blocos Análise e interpretação de resultados de situações experimentais descritas no manual.

4 - Analisar e interpretar diferentes tipos de dados referentes aos mecanismos de replicação, transcrição e tradução; - Interpretar procedimentos práticos relacionados com a síntese proteica e ciclo celular, formulando hipóteses sobre a influência de fatores ambientais sobre os mesmos; Analisar e interpretar dados de natureza diversa (em tabelas, esquemas ) relativos aos mecanismos de replicação, transcrição e tradução. Exploração de DVD contendo animações interativas sobre a síntese proteica. Resolução de exercícios envolvendo a biossintese de proteínas. Resolução de exercícios sobre mutações génicas ( anemia falciforme, por exemplo). Replicação Transcrição Tradução Codão Anticodão Gene Genoma Mutação génica outubro Exploração de PowerPoint diferentes etapas da mitose. sobre as - Mitose - Planificar, executar e interpretar procedimentos laboratoriais simples conducentes ao estudo ma Mitose; -Interpretar, esquematizar e descrever as diferentes etapas mitóticas em células - Desenvolver atitudes e opiniões conscientes sobre situações provocadas pelo Homem e que podem afetar os processos de diferenciação celular. Planificação e execução de atividades práticas que permitam observar as diferentes fases do processo de Mitose, com elaboração de uma memória descritiva. Avaliar o papel da mitose nos processos de crescimento, reparação e renovação de tecidos órgãos em seres pluricelulares. Formular e avaliar hipóteses relacionadas com a influência de fatores ambientais sobre o ciclo celular. Análise de situações em que se Ciclo celular Interfase Mitose Profase Metafase Anafase Telofase Citocinese

5 2. Crescimento e regeneração de tecidos vs. diferenciação celular (1) animais e vegetais; - Relacionar o processo de Mitose, associado a fenómenos de diferenciação celular, com o crescimento, reparação e renovação de tecidos; - Discutir a influência de agentes ambientais no processo de diferenciação celular. verifiquem alterações no ciclo celular como consequência de agentes externos, nomeadamente o Homem. Clarificação dos conceitos de Clone e Clonagem, numa visão de obtenção e crescimento de tecidos. Recolha, tratamento e discussão de informação cientifica oriunda de diversas fontes, sobre a consequência dos agentes externos na formação dos tumores malignos, com utilização de matérias diversos, nomadamente: livros, materiais de laboratório, jornais, revistas, recursos multimédia. Célula indiferenciada Célula totipotente Célula especializada Tumores Clone Clonagem novembro Resolução de exercidos do manual de atividades para sistematizar os conteúdos da unidade 5. 0,5 bloco ( 1 ) - conteúdo lecionado no âmbito da educação para a saúde, integrado no tema Prevenção dos Consumos Nocivos e Comportamentos de Risco.

6 Unidade 6 Reprodução Que processos são responsáveis pela unidade e variabilidade celular? Reprodução e variabilidade, que relação? Conteúdos conceptuais 1. Reprodução Assexuada (2) - Estratégias reprodutoras Conteúdos procedimentais - Recolher, analisar e interpretar dados referentes a processos de reprodução assexuada, procedendo à sua relação com o processo mitótico; - Planificar e executar atividades práticas; Conteúdos atitudinais - Desenvolver atitudes críticas acerca da utilização dos processos de reprodução assexuada com fins económicos; Metodologia Recolha interpretação e organização de dados de natureza diversa, relativamente a processos de reprodução assexuada em diferentes tipos de organismos. Exploração de PowerPoint e de esquemas do manual com as principais características dos diferentes processos de reprodução assexuada. Factos, Conceitos, Modelos e Teorias Bipartição Fragmentação Gemulação Partenogénese Multiplicação vegetativa Esporulação Esporo Aulas previstas ( Blocos de 90 minutos ) 0,5 bloco - Avaliar implicações da reprodução assexuada ao nível da variabilidade e sobrevivência de populações; Atividade experimental para observação de processos de fermentação e esporulação, com elaboração de memória descritiva. Resolução de exercícios do manual 1,5 blocos 2. Reprodução sexuada (2) - Meiose e Fecundação - Reprodução sexuada e variabilidade (3) - Interpretar, esquematizar e descrever as principais etapas meióticas em diferentes tipos de células; - Discutir de que modo a Meiose e Fecundação contribuem para a variabilidade dos seres vivos; - Refletir acerca das implicações éticas inerentes à manipulação da reprodução humana; - Tomar consciência das implicações possíveis da intervenção / manipulação Através do diálogo em sala de aula construir esquema exemplificativo da relação existente entre meiose e fecundação. Observação e interpretação de imagens e/ou esquemas de meiose, através da utilização de PowerPoint que permitam identificar e caracterizar as diferentes etapas do processo. Meiose Divisão reducional e equacional Haplóide Diplóide Cromossomas homólogos Crossing-over Mutação

7 em qualquer uma das fases do ciclo de vida na manutenção / evolução das espécies. Estabelecimento da relação entre meiose e variabilidade dos indivíduos. Atividade laboratorial para visualização de células em meiose. cromossómica Gâmeta Construção de gráficos onde se esquematiza relação do número de cromossomas e quantidade de DNA ao logo do processo meiótico. 0,5 bloco Resolução de exercícios do manual para sistematizar a informação sobre meiose. 3. Ciclos de Vida: Unidade e Diversidade (2) - Aplicar conceitos anteriores para a interpretação de diferentes ciclos de vida; - Localizar e identificar os processos de reprodução presentes num ciclo de vida, prevendo a existência ou não de alternância de fases nucleares. Realização de atividades de trabalho cooperativo para análise, interpretação e comparação de diferentes ciclos de vida ( preferencialmente, de seres conhecidos pelos alunos ), com posterior apresentação aos restantes elementos da turma. Apreciação critica das implicações éticas e morais que envolvem a utilização de processos cientifico-tecnológicos na manipulação da reprodução humana ou de outros seres vivos. Resolução de exercícios do manual. Ciclo de vida Alternância de fases nucleares Haplonte Diplonte Haplodiplonte dezembro ( 2 ) - conteúdo lecionado no âmbito da educação para a saúde, integrado no tema Saúde Afetivo-Sexual e Reprodutiva;( 3 ) - conteúdo lecionado no âmbito da educação para a saúde, integrado no tema Ambiente e Saúde.

8 Unidade 7 Evolução Biológica Como é que a Ciência e a Sociedade têm interpretado a grande diversidade dos seres vivos? Conteúdos conceptuais 1. Unicelularidade e Multicelularidade Conteúdos procedimentais - Compreender e comparar diferentes modelos de aparecimento dos seres unicelulares eucariontes; - Discutir a origem da multicelularidade de acordo com a progressiva especialização dos seres coloniais, relacionando-a com processos de diferenciação celular; Conteúdos atitudinais - Valorizar a história da Ciência para compreender as perspetivas atuais; - Reconhecer as hipóteses como elementos epistemologicamente importantes, associado a um conhecimento científico com carácter provisório; Metodologia Observação de seres vivos com diferentes graus de complexidade e organização de forma a estabelecer uma possível relação evolutiva entre eles, possibilitando um abordagem dos modelos explicativos do aparecimento dos organismos unicelulares eucariontes e da origem da multicelularidade. Comparar e avaliar os modelos explicativos do aparecimento dos organismos unicelulares eucariontes. Factos, Conceitos, Modelos e Teorias Procarionte Eucarionte Modelo autogenético Modelo endossimbiótico Colónias Aulas previstas ( Blocos de 90 minutos ) 1,5 blocos Discutir a origem da multicelularidade tendo em conta a progressiva especialização morfofisiológica dos seres coloniais. janeiro Relacionar a pluricelularidade com a diferenciação celular. Resolução de exercícios de aplicação e sistematização. - Reconhecer que Organização de atividades de pesquisa

9 2. Mecanismos de evolução - Evolucionismo vs. Fixismo - Seleção natural, seleção artificial e variabilidade - Analisar e interpretar diferentes tipos de dados que apoiam o Evolucionismo em oposição ao Fixismo; - Analisar e avaliar a importância e benefícios de situações que envolvam seleção natural e artificial; - Relacionar a capacidade adaptativa de uma população com a sua variabilidade. diferentes contextos podem condicionar os avanços científico tecnológicos; - Construir opiniões fundamentadas sobre a problemática da evolução dos seres vivos; - Refletir criticamente sobre a ação humana ao nível da capacidade adaptativa e evolução das espécies. que permitam recolher, organizar e interpretar as ideias fundamentais das correntes explicativas da diversidade dos seres vivos, associando a evolução do conhecimento aos progressos científico tecnológicos. Reconhecer o caráter provisório dos conhecimentos científicos, bem como a importância epistemológica das hipóteses. Reconhecer que o avanço cientificotecnológico é condicionado por contextos (socioeconómicos, religiosos, políticos ), geradores de controvérsias, que podem dificultar o estabelecimento de posições consensuais. Fixismo 0,5 blocos Compreender os princípios básicos da teoria evolucionista de Darwin. Resolução de exercícios que envolvam situações práticas de fixismo e evolucionismo. Evolucionismo Seleção natural Seleção artificial Efeito gargalo 3 blocos Compreender o contributo das diferentes áreas científicas na fundamentação e consolidação do conceito de evolução. Relacionar a capacidade adaptativa de uma população com a sua variabilidade. Debate e reflexão sobre alguns

10 comportamentos humanos (seleção artificial, cruzamentos não aleatórios ), que podem influenciar a capacidade adaptativa e a evolução dos seres. Resolução de exercícios para consolidação de conhecimentos.

11 Unidade 8 Sistemática dos Seres Vivos Face à diversidade, que critérios para sustentar um sistema de classificação dos seres vivos? Conteúdos conceptuais 1. Sistemas de Classificação - Diversidade de critérios - Taxonomia e Nomenclatura Conteúdos procedimentais - Distinguir diferentes sistemas de classificação; - Analisar e comparar perspetivas e argumentos associados a diferentes sistemas de classificação; - Utilizar chaves dicotómicas e regras básicas de Nomenclatura; Conteúdos atitudinais - Valorizar a história da Ciência para compreender as perspetivas atuais; - Reconhecer a importância da Taxonomia e Nomenclatura nos estudos biológicos; Metodologia Desenvolver um momento inicial de reflexão que permita o levantamento de questões acerca da problemática e necessidade de classificação dos seres vivos, servindo de base para a abordagem e comparação dos diferentes sistemas de classificação. Integrar e contrastar perspetivas e argumentos associados aos diferentes sistemas de classificação que foram sendo elaborados. Exploração de um PowerPoint contendo as diferentes regras da nomenclatura. Distinguir sistemas de classificação práticos/racionais, artificiais/naturais e filogenéticos. Factos, Conceitos, Modelos e Teorias Sistemas artificiais, naturais e racionais Sistemática Taxonomia Taxa Reino Filo Classe Ordem Família Género Espécie Chave dicotómica Árvore filogenética Nomenclatura Aulas previstas ( Blocos de 90 minutos ) 0,5 bloco fevereiro

12 2. Sistema de classificação de Whittaker modificado - Compreender e comparar a classificação de Whittaker com outros sistemas de classificação, discutindo as razões da sua consensualidade. - Reconhecer que a construção do conhecimento científico envolve dificuldades como controvérsias e ausência de consenso, que podem ser obstáculos à evolução desse conhecimento. Realização de uma atividade prática utilizando chaves dicotómicas para a classificação de seres vivos onde podem utilizar-se exemplares vivos (sem prejuízo dos mesmos) ou conservados, imagens... Compreender os principais critérios de classificação utilizados por Whittaker na organização dos seres nos cinco reinos. Eubactérias Arqueobactérias Monera Protista Fungi Plantae Animalia s Conhecer as principais características dos seres vivos que constituintes dos cinco reinos. s Realização de exercícios práticos elucidativos dos critérios base do sistema de classificação de Whittaker.

13 Geologia A planificação da componente de Geologia estrutura-se a partir dos objetivos que presidiram à seleção e organização dos conteúdos e das competências a desenvolver, constantes no programa de Biologia e Geologia. Objetivos relativos ao ensino das ciências experimentais, a nível do ensino secundário: - interpretar os fenómenos naturais a partir de modelos progressivamente mais próximos dos aceites pela comunidade científica; - aplicar os conhecimentos adquiridos em novos contextos e a novos problemas; - desenvolver capacidades de selecção, de análise e de avaliação crítica; - desenvolver capacidades experimentais em situações de indagação a partir de problemas do quotidiano; - desenvolver atitudes, normas e valores; - promover uma imagem da Ciência coerente com as perspetivas atuais; - fornecer uma visão integradora da Ciência, estabelecendo relações entre esta e as aplicações tecnológicas, a Sociedade e o Ambiente; - fomentar a participação ativa em discussões e debates públicos respeitantes a problemas que envolvam a Ciência, a Tecnologia, a Sociedade e o Ambiente; - melhorar capacidades de comunicação escrita (texto e imagem) e oral, utilizando suportes diversos, nomeadamente as TIC (Tecnologias da Informação e da Comunicação). Objetivos específicos da área da Geologia: - compreender os princípios básicos do raciocínio geológico; - conhecer os principais factos, conceitos, modelos e teorias geológicas; - interpretar alguns fenómenos naturais com base no conhecimento geológico; - aplicar os conhecimentos geológicos adquiridos a problemas do quotidiano, com base em hipóteses explicativas e em pequenas investigações; - desenvolver competências práticas relacionadas com a Geologia; - reconhecer as interações que a Geologia estabelece com as outras ciências; - valorizar o papel do conhecimento geológico na Sociedade atual.

14 Geologia Tema IV Geologia, problemas e materiais do quotidiano Conteúdos conceptuais 1. Ocupação antrópica e problemas de ordenamento: 1.1 Bacias Hidrográficas ( Análise de uma situação problema ) 1.2 Zonas costeiras ( Análise de uma situação problema ) Conteúdos procedimentais - Identificar os elementos da situação problema; - Problematizar e formular hipóteses; - Planear e concretizar investigações teoricamente enquadradas; - Recolher, observar e interpretar dados de diferentes fontes; - utilizar diferentes formas de comunicação oral e escrita; Conteúdos atitudinais - Assumir atitudes de defesa do património geológico; - Assumir atitudes de rigor e flexibilidade face a novas ideias; - Reconhecer as contribuições da geologia em áreas como a prevenção de riscos geológicos, ordenamento do território, educação ambiental e gestão de recursos; - Compreender a necessidade do uso de diferentes fontes para a resolução de problemas; Metodologia O estudo dos problemas resultantes da interação Terra Homem necessita de uma abordagem interdisciplinar, mas serão analisadas situações problemas para cada um dos temas propostos de forma a deduzir-se que a Geologia pode, nas suas diversas áreas, contribuir favoravelmente para a resolução dos referidos. problemas despertando, simultaneamente, a curiosidade para os materiais e processos que constituem e moldam a superfície terrestre. Exploração de PowerPoint sobre a problemática da ocupação antrópica em zonas de risco geológico. Factos, Conceitos, Modelos e Teorias Ordenamento do território Risco geológico Bacia e rede hidrográfica Leito e leito de cheia Perfil transversal Erosão Transporte Deposição Faixa litoral Arribas Praias Abrasão marinha Plataforma de abrasão Aulas previstas ( Blocos de 90 minutos ) 1,5 bloco 1.3 Zonas de vertente - Desenvolver atitudes e valores inerentes ao Realização de atividade prática para determinação expedita do ângulo de Movimentos de massa 1,5 blocos

15 ( Análise de uma situação problema ) 2. Processos e materiais geológicos importantes em ambientes terrestres: 2.1- Principais etapas de formação das rochas sedimentares. Rochas Sedimentares. As rochas Sedimentares, arquivos históricos da Terra. - Compreender os diferentes processos implicados na génese das rochas sedimentares. trabalho cooperativo; - Ver na investigação científica, também, uma via importante que pode contribuir para a resolução de muitos problemas. - Aceitar que muitos problemas podem ser abordados e explicados a partir de diferentes pontos de vista. - Assumir atitudes de rigor e flexibilidade face a novas ideias. - Observar e interpretar dados. atrito nas zonas de vertente. Construção de memória descritiva. Análise de rochas (amostras de mão) alteradas, inferindo sobre os fatores que estão na base dessas alterações. Relacionar a alteração observada nas amostras de mão com os diferentes tipos de meteorização química e física. Exploração de Powerpoint sobre as várias etapas de formação das rochas sedimentares. Transporte Deposição Meteorização física e química Erosão Transporte Deposição Diagénese Mineral Rocha março s - Usar fontes bibliográficas de forma autónoma pesquisando, organizando e tratando informação. Realização de atividades práticas que simulem laboratorialmente as diferentes etapas de formação das rochas sedimentares. - Utilizar várias formas de comunicação oral e escrita. Exploração de DVD sobre as propriedades físicas dos minerais que constituem as rochas sedimentares. Atividade prática para determinar as propriedades físicas de alguns minerais fornecidos. 1,5 blocos Compreensão da classificação aplicada Rochas

16 aos diferentes grupo de rochas sedimentares. Observação e classificação de amostras de rochas sedimentares, salientando-se as principais características de cada um dos grupos em que estas se dividem. detríticas Rochas biogénicas Petróleo Carvão s s Atividade laboratorial para produção de estalactites e estalagmites. Observação de fósseis, relacionando-os com momentos e locais de formação, inferindo sobre as informações que nos fornecem na atualidade. Aplicação de princípios estratigráficos na resolução de alguns problemas de datação relativa. Fóssil Fossilização Fóssil de ambiente Fóssil de idade Paleoambiente Princípio estratigráfico Exercícios de aplicação 2.2- Magmatismo. As rochas - Compreender a vulnerabilidade dos Simulação dos diferentes ambientes de formação das rochas magmáticas, Magma Tipos de magma Abril

17 Magmáticas Deformação frágil e dúctil. Falhas e Dobras. materiais rochosos gerados em profundidade quando expostos às condições superficiais da crosta. - Relacionar aspectos da composição mineralógica e da textura das rochas magmáticas com os condicionalismos que presidiram à sua formação. - Relacionar a diferente composição dos magmas com os vários ambientes em que são gerados. deduzindo as características dos diferentes grupos como consequência dos seus processos de formação. Análise de amostras de rochas dos diferentes tipos de rochas magmáticas permitindo a sua classificação com base na morfologia externa. Análise de tabelas, gráficos e esquemas que possibilitem o estudo dos diferentes tipos de magmas. Utilização de materiais diversos que permitam deduzir os diferentes comportamentos dos materiais quando sujeitos a forças, inferindo sobre as estruturas geológicas que podem daí resultar. Estudo do processo de formação de dobras e falhas através de um modelo analógico, realçando que na Natureza ocorrem a diferentes escalas de tempo e espaço. Exploração de PowerPoint sobre a classificação de dobras e falhas. Associação de transformações da superfície terrestre como consequência da mobilidade da litosfera. Rocha magmática Rocha vulcânica Rocha plutónica Diferenciação magmática Cristalização fracionada Matéria cristalina Isomorfismo Polimorfismo Comportamento dos materiais Comportamento frágil e dúctil Elementos de falha Direção de falha Inclinação de falha Falhas normais, inversas e de desligamento Dobra Anticlinal Sinclinal antiforma sinforma dobra neutra s

18 Resolução de exercícios 2.4- Metamorfismo. Agentes de Metamorfismo. Rochas Metamórficas. 3. Exploração sustentada de recursos geológicos - Integrar o metamorfismo num processo interno de formação de rochas a partir de rochas pré-existentes. - Compreender os condicionalismos dos diferentes ambientes metamórficos. - Compreender as interrelações entre os diferentes processos envolvidos no ciclo geológico. Análise de amostras de rochas resultantes de diferentes tipos de metamorfismo, inferindo resultados dos fatores que nelas atuaram e deduzindo os seus processos de formação. Distinguir e caracterizar os diferentes tipos de metamorfismo. Através de amostras de rochas diversificadas proceder à classificação das rochas metamórficas. Resolução de exercícios de aplicação Análise de dados relativos à exploração e valor económico de matérias primas minerais e recursos energéticos. Análise de informação de rótulos de águas engarrafadas, localizando-as em termos geográficos e geológicos. Exploração e análise de imagens e esquemas (PowerPoint) que permita estudar os recursos hidrogeológicos. Atividade experimental sobre a Metamorfismo Rochas metamórficas Factores de metamorfismo Recristalização Minerais índice Metamorfismo regional Metamorfismo de contacto Recursos renováveis Recursos não renováveis Recursos Reservas Energia geotérmica Minério Ganga Aquífero Porosidade Permeabilidade maio 1,5 bloco

19 Permeabilidade das Rochas, com análise e discussão dos resultados. Análise de uma atividade do manual que permite estudar a poluição das águas Análise e exploração de esquema e/ou imagens do manual que permite explorar os recursos geológicos. Exploração de um PowerPoint que permite caracterizar os principais recursos minerais utilizados actualmente. Exercícios de aplicação. Trabalho de índole investigativa, com resolução de problemas reais sobre a exploração sustentada dos recursos. Apresentação do trabalho à turma. Aquífero livre Aquífero cativo 0,5 bloco 0,5 bloco 2 bloco junho NOTA: O número total de aulas previstas na planificação é inferior ao número total de aulas previstas para o ano letivo, uma vez que em cada período letivo são necessárias aulas para a realização de elementos escritos de avaliação, revisão de conceitos e autoavaliação. Salienta-se ainda o facto do número de aulas previstas apresentadas poderem ser alteradas de acordo com o ritmo de aprendizagem da turma a que se destina. Avaliação: O domínio cognitivo será avaliado com base em Produção documental, a saber: - Fichas de avaliação (65%) - Trabalhos de grupo / individuais (30%) Trabalhos experimentais Trabalhos de pesquisa Resolução de problemas

COLÉGIO DE SANTA DOROTEIA LISBOA ANO LETIVO 2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS NATURAIS DISCIPLINA: BIOLOGIA E GEOLOGIA 11.

COLÉGIO DE SANTA DOROTEIA LISBOA ANO LETIVO 2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS NATURAIS DISCIPLINA: BIOLOGIA E GEOLOGIA 11. DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS NATURAIS DISCIPLINA: BIOLOGIA E GEOLOGIA 11.º ANO... BIOLOGIA Objetivos / Finalidades Competências procedimentais e atitudinais Competências concetuais Estratégias Tempo 1 Conhecer

Leia mais

Tema 5. Crescimento e renovação celular. UNIDADE 1. Crescimento e renovação celular

Tema 5. Crescimento e renovação celular. UNIDADE 1. Crescimento e renovação celular Tema 5. Crescimento e renovação celular Crescimento e renovação celular Distinção entre DNA e RNA quanto às suas características estruturais e funcionais. Reconhecimento de que os organismos necessitam

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 01/014 PLANIFICAÇÃO ANUAL Documento(s) Orientador(es): Projeto Educativo e Programa de Biologia e Geologia do 11ºano ENSINO SECUNDÁRIO BIOLOGIA

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL. Unidade Didáctica Tema(s)/Conteúdo(s) Metodologia(s)/Estratégias Instrumento(s) de avaliação

PLANIFICAÇÃO ANUAL. Unidade Didáctica Tema(s)/Conteúdo(s) Metodologia(s)/Estratégias Instrumento(s) de avaliação PLANIFICAÇÃO ANUAL DEPARTAMENTO: MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS ÁREA DISCIPLINAR: CIÊNCIAS DA NATUREZA DISCIPLINA: Biologia e Geologia ANO DE ESCOLARIDADE: 11.º DO: CURSO CIENTÍFICO-HUMANÍSTICO DE

Leia mais

PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LECTIVO 2012 / 2013

PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LECTIVO 2012 / 2013 PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LECTIVO 2012 / 2013 CURSO/CICLO DE FORMAÇÃO: TPA/2011-2014 DISCIPLINA: Biologia Inserir data e Hora N.º TOTAL DE MÓDULOS: 3 N.º ORDEM N.º DE HORAS DESIGNAÇÃO DO MÓDULO 4 18 RENOVAÇÃO

Leia mais

Programa de Biologia e Geologia

Programa de Biologia e Geologia Ministério da Educação Departamento do Ensino Secundário Programa de Biologia e Geologia 11º Ano Autores Componente de Biologia Alcina Mendes (Coordenadora) Dorinda Rebelo Eduardo Pinheiro Colaborador

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3.º CICLO DE CAMARATE Planificação de Ciências Naturais 8.º ano Ano letivo 2014/2015

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3.º CICLO DE CAMARATE Planificação de Ciências Naturais 8.º ano Ano letivo 2014/2015 Domínio: Terra em transformação Subdomínio: Dinâmica externa da Terra ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3.º CICLO DE CAMARATE Identificar os minerais constituintes de rochas, considerando as suas propriedades físicas

Leia mais

PLANO CURRICULAR DISCIPLINAR. Ciências Naturais 7.º Ano

PLANO CURRICULAR DISCIPLINAR. Ciências Naturais 7.º Ano PLANO CURRICULAR DISCIPLINAR Ciências Naturais 7.º Ano UNIDADES DIDÁTICAS CONTEÚDOS METAS DE APRENDIZAGEM 1º Período TERRA NO ESPAÇO Terra Um planeta com vida Condições da Terra que permitem a existência

Leia mais

PROCESSO SELETIVO BIOLOGIA ÁREA: CIÊNCIAS DA NATUREZA, MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

PROCESSO SELETIVO BIOLOGIA ÁREA: CIÊNCIAS DA NATUREZA, MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS PROCESSO SELETIVO BIOLOGIA ÁREA: CIÊNCIAS DA NATUREZA, MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS Perceber e utilizar os códigos intrínsecos da Biologia. Relacionar o conhecimento das diversas disciplinas para o entendimento

Leia mais

N1001 ATENÇÃO, ALUNO! Agora, você vai responder a questões de Biologia.

N1001 ATENÇÃO, ALUNO! Agora, você vai responder a questões de Biologia. N1001 ATENÇÃO, ALUNO! Agora, você vai responder a questões de Biologia. Questão 01 B100010RJ Observe o esquema abaixo. 46 23 46 23 46 23 23 Disponível em: . Acesso

Leia mais

PLANO CURRICULAR DISCIPLINAR. Ciências Naturais 7º Ano. Ano Lectivo: 2010/2011

PLANO CURRICULAR DISCIPLINAR. Ciências Naturais 7º Ano. Ano Lectivo: 2010/2011 PLANO CURRICULAR DISCIPLINAR Ciências Naturais 7º Ano Ano Lectivo: 2010/2011 Competências Temas/Unidades Conteúdos _ Conhecer a constituição do Universo e do Sistema Solar _ Conhecer as características

Leia mais

Planificação Anual. Professora: Pedro Miguel Bezerra Disciplina: Ciências Naturais Ano: 5.º Turma: B Ano letivo: 2014-2015

Planificação Anual. Professora: Pedro Miguel Bezerra Disciplina: Ciências Naturais Ano: 5.º Turma: B Ano letivo: 2014-2015 Planificação Anual Professora: Pedro Miguel Bezerra Disciplina: Ciências Naturais Ano: 5.º Turma: B Ano letivo: 2014-2015 Domínio/Objetivos Descritores de Desempenho Atividades/Estratégias Avaliação Matéria

Leia mais

Teste diagnóstico de Geologia (10.º ano)

Teste diagnóstico de Geologia (10.º ano) Teste diagnóstico de Geologia (10.º ano) 10.º Ano Objetivos Averiguar os conhecimentos prévios dos alunos acerca de alguns dos temas de Geociências que irão ser tratados ao longo do ensino secundário,

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS - 7º ANO-

PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS - 7º ANO- PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS - 7º ANO- Tema / Capítulos Competências/Objectivos Estratégias / Actividades Recursos/Materiais Avaliação Aulas previstas (45 min) Articulação Tema I TERRA NO ESPAÇO Capítulo

Leia mais

Escola Secundária de Valongo PROFESSORAS: DINORA MOURA ISABEL MACHADO PIMENTA

Escola Secundária de Valongo PROFESSORAS: DINORA MOURA ISABEL MACHADO PIMENTA Escola Secundária de Valongo PROFESSORAS: DINORA MOURA ISABEL MACHADO PIMENTA 1º PERÍODO TEMAS / CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS O ALUNO DEVERÁ SER CAPAZ DE: BLOCOS (90 min) ALGUMAS SUGESTÕES DE EXPERIÊNCIAS

Leia mais

A função básica do ciclo celular das células somáticas é duplicar todo o conteúdo de DNA...

A função básica do ciclo celular das células somáticas é duplicar todo o conteúdo de DNA... Atividade extra Fascículo 4 Biologia Unidade 9 Questão 1 A função básica do ciclo celular das células somáticas é duplicar todo o conteúdo de DNA. O processo de divisão celular é composto por cinco etapas:

Leia mais

3º trimestre- LISTA DE EXERCICIOS - Biologia - CESINHA Ensino Médio 1º ano classe: Prof. Cesinha Nome: nº

3º trimestre- LISTA DE EXERCICIOS - Biologia - CESINHA Ensino Médio 1º ano classe: Prof. Cesinha Nome: nº . 3º trimestre- LISTA DE EXERCICIOS - Biologia - CESINHA Ensino Médio 1º ano classe: Prof. Cesinha Nome: nº Valor: 10 Nota:. 1. (Uel 2015) Leia o texto a seguir. Quando se fala em divisão celular, não

Leia mais

ÁREA: CIÊNCIAS NATURAIS

ÁREA: CIÊNCIAS NATURAIS PLANIFICAÇÃO DO PCE Escola Básica e Secundária de Velas ANO LETIVO: 2014/2015 ANO: 7º ÁREA: CIÊNCIAS NATURAIS COMPETÊNCIAS- CHAVE C1;C3;C5;C7 C3;C5;C7 C3;C6;C7 DOMÍNIOS/ CONTEÚDOS METAS CURRICULARES ATIVIDADES/ESTRATÉGIAS

Leia mais

GRUPO DE RECRUTAMENTO 620 (ED. FÍSICA)

GRUPO DE RECRUTAMENTO 620 (ED. FÍSICA) GRUPO DE RECRUTAMENTO 620 (ED. FÍSICA) CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO (10º, 11º e 12º anos) ENSINO SECUNDÁRIO ATITUDES E VALORES Assiduidade e Pontualidade 3% Fichas de registo de observação Responsabilidade e

Leia mais

Ensino Secundário Recorrente por Módulos Capitalizáveis Matriz da Prova do Regime de Frequência Não Presencial

Ensino Secundário Recorrente por Módulos Capitalizáveis Matriz da Prova do Regime de Frequência Não Presencial Ensino Secundário Recorrente por Módulos Capitalizáveis Matriz da Prova do Regime de Frequência Não Presencial AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR.ª LAURA AYRES Matriz do exame de Biologia - módulos 1,2,3 (12ºano)

Leia mais

DOCUMENTO DE APOIO AO ESTUDO BIOLOGIA E GEOLOGIA 11.º

DOCUMENTO DE APOIO AO ESTUDO BIOLOGIA E GEOLOGIA 11.º DOCUMENTO DE APOIO AO ESTUDO BIOLOGIA E GEOLOGIA 11.º Avisos 1.EstedocumentoapenasservecomoapoioparcialàsaulasdeBiologiaeGeologia11.ºano Unidade5 lecionadas na Escola Secundária Morgado Mateus(Vila Real)

Leia mais

Mitose e Meiose. Trabalho realizado por Ana Catarina Cúcio, nº 36088 Catarina Maia, nº 38365 Mafalda Pereira, nº 37533

Mitose e Meiose. Trabalho realizado por Ana Catarina Cúcio, nº 36088 Catarina Maia, nº 38365 Mafalda Pereira, nº 37533 Genetica e Selecção em Aquacultura Mestrado em Biologia Marinha Universidade do Algarve Mitose e Meiose Trabalho realizado por Ana Catarina Cúcio, nº 36088 Catarina Maia, nº 38365 Mafalda Pereira, nº 37533

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES. DISCIPLINA: Biologia TURMAS : A/B/C ANO: 12º ANO LECTIVO 2010/2011 ACTIVIDADES ESTRATÉGIAS

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES. DISCIPLINA: Biologia TURMAS : A/B/C ANO: 12º ANO LECTIVO 2010/2011 ACTIVIDADES ESTRATÉGIAS ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES SECUNDÁRIO DISCIPLINA: Biologia TURMAS : A/B/C ANO: 12º ANO LECTIVO 2010/2011 COMPETÊNCIAS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ACTIVIDADES ESTRATÉGIAS AULAS PREVISTAS

Leia mais

PLANIFICAÇÃO CIÊNCIAS NATURAIS (8.º ANO) 2015/2016 Docentes: João Mendes, Madalena Serra e Vanda Messenário

PLANIFICAÇÃO CIÊNCIAS NATURAIS (8.º ANO) 2015/2016 Docentes: João Mendes, Madalena Serra e Vanda Messenário PLANIFICAÇÃO CIÊNCIAS NATURAIS (8.º ANO) 2015/2016 Docentes: João Mendes, Madalena Serra e Vanda Messenário 1 Metras Curriculares Estratégias Tempo Avaliação TERRA UM PLANETA COM VIDA Sistema Terra: da

Leia mais

Escola Secundária de Forte da Casa

Escola Secundária de Forte da Casa Escola Secundária de Forte da Casa Informação - Prova de Equivalência à Frequência / 2012 2013 (Decreto Lei nº 139/2012, de 5 de Julho e Portaria nº 243/2012, de 10 de agosto) 12ºAno Cursos Científico-Humanísticos

Leia mais

O núcleo celular é uma estrutura presente nas células eucarióticas, que contém o DNA da célula. denominado interfase (núcleo interfásico).

O núcleo celular é uma estrutura presente nas células eucarióticas, que contém o DNA da célula. denominado interfase (núcleo interfásico). NÚCLEO E DIVISÃO CELULAR NÚCLEO E DIVISÃO CELULAR O núcleo celular é uma estrutura presente nas células eucarióticas, que contém o DNA da célula. Período em que a célula não se encontra em divisão é denominado

Leia mais

UN.2 -PATRIMÓNIO GENÉTICO E ALTERAÇÕES AO MATERIAL GENÉTICO

UN.2 -PATRIMÓNIO GENÉTICO E ALTERAÇÕES AO MATERIAL GENÉTICO UN.2 -PATRIMÓNIO GENÉTICO E ALTERAÇÕES AO MATERIAL GENÉTICO Biologia 12º ano Cap.2.1. Alterações do Material Genético Mutações UN.2 -PATRIMÓNIO GENÉTICO E ALTERAÇÕES AO MATERIAL GENÉTICO Situação Problemática

Leia mais

NÚCLEO e DIVISÃO CELULAR

NÚCLEO e DIVISÃO CELULAR NÚCLEO e DIVISÃO CELULAR CÉLULA EUCARIONTE Cláudia Minazaki NÚCLEO Único; Normalmente: central Formato: acompanha a forma da célula Tamanho: varia com o funcionamento da célula Ciclo de vida da célula

Leia mais

Rota de Aprendizagem 2015/16 5.º Ano

Rota de Aprendizagem 2015/16 5.º Ano Projeto 1 Onde existe Vida? Tempo Previsto: 4 quinzenas (do 1ºPeríodo) Ciências Naturais A ÁGUA, O AR, AS ROCHAS E O SOLO MATERIAIS TERRESTRES 1.ª Fase: Terra um planeta com vida 2.ª Fase: A importância

Leia mais

Provas de Conhecimento Específico. Módulo I (conhecimentos básicos) (resposta obrigatória a todas as Partes: I, II e III) Programa

Provas de Conhecimento Específico. Módulo I (conhecimentos básicos) (resposta obrigatória a todas as Partes: I, II e III) Programa Provas de Admissão para maiores de 23 anos Ano lectivo: 2012 Curso de Engenharia do Ambiente Provas de Conhecimento Específico Módulo I (conhecimentos básicos) (resposta obrigatória a todas as Partes:

Leia mais

METAS DE APRENDIZAGEM DE CIÊNCIAS DA NATUREZA*

METAS DE APRENDIZAGEM DE CIÊNCIAS DA NATUREZA* METAS DE APRENDIZAGEM DE CIÊNCIAS DA NATUREZA As Metas de Aprendizagem de Ciências são aprendizagens que os alunos deverão ter alcançado no final da escolaridade básica, no domínio das Ciências, de forma

Leia mais

CIÊNCIAS DESCRITORES

CIÊNCIAS DESCRITORES CIÊNCIAS DESCRITORES 1. BIMESTRE - 2015 4.º ANO Identificar a permeabilidade nos diferentes tipos de solo. Identificar a presença de água no interior do corpo dos seres vivos. Identificar as condições

Leia mais

CONTEÚDOS ESTRUTURANTES. CONTEÚDO ESPECÍFICO Biologia: visão geral e origem da vida

CONTEÚDOS ESTRUTURANTES. CONTEÚDO ESPECÍFICO Biologia: visão geral e origem da vida Colégio Estadual Antônio M. Ceretta Ensino Fundamental, Médio e Profissional Plano de Trabalho Docente - Ano 2015 Disciplina: Biologia Professora: Katia Lazaretti Série: 1ª Série Período: 1 trimestre ESTRUTURANTES

Leia mais

Reprodução Sexuada Meiose e Fecundação

Reprodução Sexuada Meiose e Fecundação Reprodução Sexuada Meiose e Fecundação Aula nº 15 a 22/Out Aula nº 17 a 27/Out Aula nº 20 a 3/Nov Prof. Ana Reis2008 E há mais! Para tornar fecunda uma perdiz, basta que ela se encontre sob o vento: muitas

Leia mais

Núcleo Celular. Carlos Moura

Núcleo Celular. Carlos Moura Núcleo Celular Carlos Moura Características do núcleo: Descoberta do núcleo celular por Robert Brown 1833; Presente nas células eucariontes; Delimitado pelo envoltório celular Carioteca. Regular as reações

Leia mais

BIOLOGIA NO ENEM: CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

BIOLOGIA NO ENEM: CONTEÚDO PROGRAMÁTICO BIOLOGIA NO ENEM: CONTEÚDO PROGRAMÁTICO O ENEM, Exame Nacional do Ensino Médio, em sua versão 2012, apresentará uma redação e 180 questões objetivas, divididas nas quatro áreas do conhecimento: - Ciências

Leia mais

Ciências da Natureza 5º ano Planificação 2014/2015

Ciências da Natureza 5º ano Planificação 2014/2015 1º Período Ciências da Natureza 5º ano Planificação 2014/2015 SUBDOMÍNIOS Nº de aulas (45 ) Apresentação 1 A ÁGUA, O AR, AS ROCHAS E O SOLO MATERIAIS TERRESTRES A importância das rochas e do solo na manutenção

Leia mais

Biologia e Geologia (Ano II)

Biologia e Geologia (Ano II) Biologia e Geologia (Ano II) Resumo da segunda parte da Matéria de Biologia 11º Ano O Essencial sobre a Reprodução Assexuada e Sexuada Em 17 Páginas Autor: Objectivos propostos: Identificar estratégias

Leia mais

INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DO ENSINO SECUNDÁRIO - 2015

INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DO ENSINO SECUNDÁRIO - 2015 Prova de Biologia Prova 302 1. INTRODUÇÃO O presente documento visa divulgar as características da prova de equivalência à frequência do ensino secundário, a realizar em 2015 pelos alunos que se encontram

Leia mais

2007 1.ª Fase S E R O IT D E L A E R A

2007 1.ª Fase S E R O IT D E L A E R A 9 pontos 5 pontos 13 pontos 13 pontos 9 pontos 13 pontos 5 pontos 13 pontos 9 pontos 9 pontos 5 pontos 13 pontos TOTAL 200 pontos Prova Escrita de Biologia e Geologia, 2007 10. /11. ou 11. /12. Anos

Leia mais

Ciclos de Vida Unidade e diversidade

Ciclos de Vida Unidade e diversidade Aula nº 24_12-Nov Prof. Ana Reis 2008 Ciclos de Vida Unidade e diversidade Unidade vs. Diversidade dos ciclos de vida Uma das características inerentes aos seres vivos é a sua capacidade de reprodução.

Leia mais

O alelo para a hemoglobina S (cadeia β ) é recessivo. Os indivíduos heterozigóticos (Hb A Hb S ), portadores, são resistentes à malária.

O alelo para a hemoglobina S (cadeia β ) é recessivo. Os indivíduos heterozigóticos (Hb A Hb S ), portadores, são resistentes à malária. Mutação O alelo para a hemoglobina S (cadeia β ) é recessivo. Os indivíduos heterozigóticos (Hb A Hb S ), portadores, são resistentes à malária. Introdução Agentes internos ou externos causam alterações

Leia mais

Organização do Material Genético nos Procariontes e Eucariontes

Organização do Material Genético nos Procariontes e Eucariontes Organização do Material Genético nos Procariontes e Eucariontes Organização do Material Genético nos Procariontes e Eucariontes Procariontes Eucariontes Localização Organização Forma Disperso no citoplasma

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL 11/12 Disciplina de Ciências Naturais 3.º Ciclo 7º Ano de Escolaridade

PLANIFICAÇÃO ANUAL 11/12 Disciplina de Ciências Naturais 3.º Ciclo 7º Ano de Escolaridade PLANIFICAÇÃO ANUAL 11/12 Disciplina de Ciências Naturais 3.º Ciclo 7º Ano de Escolaridade A TERRA NO ESPAÇO CTSA (Ciência, Tecnologia, Sociedade e Ambiente) - Compreender o carácter dinâmico da ciência.

Leia mais

Andreia Silva, n.º 4 Andreia Nunes, n.º 5 Clara Simões, n.º 9 Diana Rocha, n.º 11

Andreia Silva, n.º 4 Andreia Nunes, n.º 5 Clara Simões, n.º 9 Diana Rocha, n.º 11 Escola Secundária Manuel Cargaleiro Biologia Andreia Silva, n.º 4 Andreia Nunes, n.º 5 Clara Simões, n.º 9 Diana Rocha, n.º 11 Fogueteiro, 12 de Novembro de 2006 p. 1. Introdução Teórica... 2 2. Procedimento

Leia mais

Exame de Biologia e Geologia

Exame de Biologia e Geologia Provas de Acesso ao Ensino Superior Para Maiores de 23 Anos Candidatura de 2013 Exame de Biologia e Geologia Tempo para realização da prova: 2 horas Tolerância: 30 minutos Material admitido: Esferográfica

Leia mais

Módulo Núcleo. 2) O esquema a seguir apresenta um experimento realizado com uma alga unicelular.

Módulo Núcleo. 2) O esquema a seguir apresenta um experimento realizado com uma alga unicelular. Módulo Núcleo Exercícios de Aula 1) O envelope nuclear encerra o DNA e define o compartimento nuclear. Assinale a afirmativa INCORRETA sobre o envelope nuclear. a) É formado por duas membranas concêntricas

Leia mais

Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Grupo de Biologia e Geologia. Escola Secundária de Valongo. As Professoras:

Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Grupo de Biologia e Geologia. Escola Secundária de Valongo. As Professoras: Escola Secundária de Valongo Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Grupo de Biologia e Geologia As Professoras: Cláudia Rocha Fátima Garcia Tema Organizador: Viver Melhor na Terra 1º PERÍODO

Leia mais

GEOGRAFIA. transformadas

GEOGRAFIA. transformadas GEOGRAFIA Disciplina A (currículo atual 2008) Disciplina B (currículos extintos) 1ª período 59480 Cartografia Geral 68 Geografia Cartografia B 136 37230 Geografia Contida Ementa: Aborda os fundamentos

Leia mais

P L A N O D E E N S I N O A N O D E 2 0 1 3 ÁREA / DISCIPLINA:

P L A N O D E E N S I N O A N O D E 2 0 1 3 ÁREA / DISCIPLINA: P L A N O D E E N S I N O A N O D E 2 0 1 3 ÁREA / DISCIPLINA: Ciências/Biologia Professor(a): Márcia Mayrink Pinton e Lucas Collares ANO: Nº DE HORAS/AULA SEMANAL: TOTAL DE HORAS/AULA/ANO: 1º 2 80 COMPETÊNCIA

Leia mais

Biologia e Geologia, 11.º Ano Evolução Biológica EVOLUÇÃO BIOLÓGICA

Biologia e Geologia, 11.º Ano Evolução Biológica EVOLUÇÃO BIOLÓGICA EVOLUÇÃO BIOLÓGICA 1. Unicelularidade e Multicelularidade o Dos Procariontes aos Eucariontes o Da Unicelularidade à Multicelularidade 2. Mecanismos da Evolução o Evolucionismo vs. Fixismo o Selecção Natural,

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS 5.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS 5.º ANO DE CIÊNCIAS NATURAIS 5.º ANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO No domínio da Água, o ar, as rochas e o solo - materiais terrestres, o aluno deve ser capaz de: Compreender a Terra como um planeta especial

Leia mais

PLANO DE SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS 1º ano / Ensino Médio Área: Ciências da Natureza e suas Tecnologias Disciplina Biologia carga horária: 120 horas

PLANO DE SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS 1º ano / Ensino Médio Área: Ciências da Natureza e suas Tecnologias Disciplina Biologia carga horária: 120 horas MINISTERIO DA DEFESA DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO E CULTURA DO EXERCITO DIRETORIA DE EDUCAÇÃO PREPARATORIA E ASSISTENCIAL PLANO DE SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS 1º ano / Ensino Médio Área: Ciências da Natureza e suas

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ÁLVARO VELHO LAVRADIO. Planeamento Curricular referente ao 1 º Período

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ÁLVARO VELHO LAVRADIO. Planeamento Curricular referente ao 1 º Período AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ÁLVARO VELHO LAVRADIO Planeamento Curricular referente ao 1 º Período Ano e Turma 5º Disciplina Ciências Naturais Prof. (a) N.º Aulas Previstas Domínio: ÁGUA, O AR, AS ROCHAS

Leia mais

O DNA é formado por pedaços capazes de serem convertidos em algumas características. Esses pedaços são

O DNA é formado por pedaços capazes de serem convertidos em algumas características. Esses pedaços são Atividade extra Fascículo 2 Biologia Unidade 4 Questão 1 O DNA é formado por pedaços capazes de serem convertidos em algumas características. Esses pedaços são chamados de genes. Assinale abaixo quais

Leia mais

Biologia e Geologia. Teste Intermédio de Biologia e Geologia. Teste Intermédio. Versão 1. Duração do Teste: 90 minutos 09.03.2010

Biologia e Geologia. Teste Intermédio de Biologia e Geologia. Teste Intermédio. Versão 1. Duração do Teste: 90 minutos 09.03.2010 Teste Intermédio de Biologia e Geologia Teste Intermédio Biologia e Geologia Versão 1 Duração do Teste: 90 minutos 09.03.2010 11.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Na sua folha

Leia mais

Assista aos vídeos e descreva os processos que ocorrem durante a meiose

Assista aos vídeos e descreva os processos que ocorrem durante a meiose http://4.bp.blogspot.com/-bl7zu4klob4/udtgfm6ygvi/aaaaaaaaamk/yomlckp4xrm/s1600/slide2.png 1 http://4.bp.blogspot.com/-bl7zu4klob4/udtgfm6ygvi/aaaaaaaaamk/yomlckp4xrm/s1600/slide2.png 2 Possibilita a reprodução

Leia mais

Prova Escrita de Biologia e Geologia

Prova Escrita de Biologia e Geologia EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Prova Escrita de Biologia e Geologia 11.º/12.º Anos de Escolaridade Prova 702/Época Especial 15 Páginas Duração da Prova: 120

Leia mais

Criado e Desenvolvido por: Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com

Criado e Desenvolvido por: Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com Criado e Desenvolvido por: Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com O NÚCLEO E A SÍNTESE PROTEÍCA O núcleo celular, descoberto em 1833 pelo pesquisador escocês Robert Brown, é uma estrutura

Leia mais

Escola Secundária do Monte de Caparica Disciplina de Biologia 10 º Ano

Escola Secundária do Monte de Caparica Disciplina de Biologia 10 º Ano Escola Secundária do Monte de Caparica Disciplina de Biologia 10 º Ano Teste de avaliação Nome ----------------------------------------------------------------------- Numero -------------------------------

Leia mais

AEPTBG11-18 PROPOSTA DE SOLUÇÕES

AEPTBG11-18 PROPOSTA DE SOLUÇÕES AEPTBG11-18 PROPOSTA DE SOLUÇÕES PREPARAR OS TESTES BIOLOGIA E GEOLOGIA 11 UNIDADE 5 EXERCÍCIOS PROPOSTOS PÁGS. 23-35 1. A F; B V; C - F; D F; E F; G F; G F; H V 2. 1 B; 2 C; 3 B; 4 A; 5 A; 6 D; 7 A; 8

Leia mais

CONTEÚDOS DE BIOLOGIA POR BIMESTRE PARA O ENSINO MÉDIO COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO

CONTEÚDOS DE BIOLOGIA POR BIMESTRE PARA O ENSINO MÉDIO COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO CONTEÚDOS DE BIOLOGIA POR BIMESTRE PARA O ENSINO MÉDIO COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO GOVERNADOR DE PERNAMBUCO João Lyra Neto SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES Ricardo Dantas

Leia mais

1. Saúde individual e comunitária. 1.1. Indicadores do estado de saúde de uma população. 1.2. Medidas de ação para promoção de saúde.

1. Saúde individual e comunitária. 1.1. Indicadores do estado de saúde de uma população. 1.2. Medidas de ação para promoção de saúde. ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DA GRACIOSA CIÊNCIAS NATURAIS 9º ANO ANO LETIVO 2014/2015 AULAS PREVISTAS TEMA ORGANIZADOR CONTEÚDOS CONCETUAIS (45 MINUTOS) A B VIVER MELHOR NA TERRA 1. Saúde individual e comunitária.

Leia mais

Painéis Do Organismo ao Genoma

Painéis Do Organismo ao Genoma Painéis Do Organismo ao Genoma A série de 5 painéis do organismo ao genoma tem por objetivo mostrar que os organismos vivos são formados por células que funcionam de acordo com instruções contidas no DNA,

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Médio Etec Padre José Nunes Dias Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Médio Etec Padre José Nunes Dias Código: 075 Município: Monte Aprazível Área de conhecimento: Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias

Leia mais

BIOLOGIA - AULA 02 E 03 : CITOLOGIA e DIVISÃO CELULAR

BIOLOGIA - AULA 02 E 03 : CITOLOGIA e DIVISÃO CELULAR BIOLOGIA - AULA 02 E 03 : CITOLOGIA e DIVISÃO CELULAR CITOLOGIA A célula é a unidade morfológica e fisiológica do ser vivo, ou seja, é a menos parcela do ser que tem forma e função definida. A manutenção

Leia mais

DEPARTAMENTO DO 1º CICLO ANO LETIVO 2012-2013. Critérios de avaliação

DEPARTAMENTO DO 1º CICLO ANO LETIVO 2012-2013. Critérios de avaliação DEPARTAMENTO DO 1º CICLO ANO LETIVO 2012-2013 Critérios de avaliação 0 MATRIZ CURRICULAR DO 1º CICLO COMPONENTES DO CURRÍCULO Áreas curriculares disciplinares de frequência obrigatória: Língua Portuguesa;

Leia mais

PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR BIOLOGIA APRESENTAÇÃO

PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR BIOLOGIA APRESENTAÇÃO PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR BIOLOGIA APRESENTAÇÃO A Biologia tem como objeto de estudo o fenômeno Vida, contribuindo para formar sujeitos críticos e atuantes, por meios dos conteúdos que ampliem seu

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÀO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÀO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÀO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA ENSINO MÉDIO ÁREA CURRICULAR: CIÊNCIAS DA NATUREZA, MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS DISCIPLINA: BIOLOGIA SÉRIE 1ª CH 68 ANO 2012 Competências

Leia mais

AVALIAÇÃO NAS DISCIPLINAS CURRICULARES

AVALIAÇÃO NAS DISCIPLINAS CURRICULARES ESCOLA BÁSICA LUÍS DE STTAU MONTEIRO - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº1 DE LOURES AVALIAÇÃO NAS DISCIPLINAS CURRICULARES DOMÍNIOS / CRITÉRIOS 3º Ciclo DISCIPLINA COGNITIVO / OPERATIVO E INSTRUMENTAL CONHECIMENTOS

Leia mais

Divisão Celular: Mitose e Meiose

Divisão Celular: Mitose e Meiose 1) Conceitos Prévios Cromossomo: Estrutura que contém uma longa molécula de DNA associada a proteínas histonas, visível ao microscópio óptico em células metafásicas. Cromossomo Condensação Proteína histona

Leia mais

Módulo Intérfase. Tarefa de Fixação 1) Analise o esquema a seguir e depois RESPONDA as questões propostas.

Módulo Intérfase. Tarefa de Fixação 1) Analise o esquema a seguir e depois RESPONDA as questões propostas. Módulo Intérfase Exercícios de Aula 1) A interfase é a fase em que ocorre o repouso celular. A afirmativa está: a) correta, porque praticamente não há atividade metabólica celular. b) correta, pois ocorrem

Leia mais

A reprodução permite a perpetuação da espécie, mas não a sobrevivência do indivíduo.

A reprodução permite a perpetuação da espécie, mas não a sobrevivência do indivíduo. REPRODUÇÃO A reprodução é uma função característica dos seres vivos que permite o aparecimento de novos indivíduos, através da divisão celular. A reprodução permite a perpetuação da espécie, mas não a

Leia mais

TRANSPOSIÇÃO DIDÁTICA, INTERDISCIPLINARIDADE E CONTEXTUALIZAÇÃO Guiomar Namo de Mello

TRANSPOSIÇÃO DIDÁTICA, INTERDISCIPLINARIDADE E CONTEXTUALIZAÇÃO Guiomar Namo de Mello TRANSPOSIÇÃO DIDÁTICA, INTERDISCIPLINARIDADE E CONTEXTUALIZAÇÃO Como já vimos, a proposta pedagógica é uma articuladora de intenções educativas onde se definem as competências, os conteúdos, os recursos

Leia mais

Biologia-Geologia 11ºano Novembro de 2006. Científico-Humanísticos Curso Ciências e Tecnologias. A hemoglobina. Texto adaptado

Biologia-Geologia 11ºano Novembro de 2006. Científico-Humanísticos Curso Ciências e Tecnologias. A hemoglobina. Texto adaptado Biologia-Geologia 11ºano Novembro de 2006 Científico-Humanísticos Curso Ciências e Tecnologias A hemoglobina Cada molécula de hemoglobina consiste em dois pares separados de globinas alfa e beta (cadeias

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES PLANIFICAÇÃO DISCIPLINA. TECNOLOGIAS da INFORMAÇÃO e COMUNICAÇÃO (TIC) 8º Ano. Ano letivo 2014-2015

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES PLANIFICAÇÃO DISCIPLINA. TECNOLOGIAS da INFORMAÇÃO e COMUNICAÇÃO (TIC) 8º Ano. Ano letivo 2014-2015 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES PLANIFICAÇÃO da DISCIPLINA de TECNOLOGIAS da INFORMAÇÃO e COMUNICAÇÃO (TIC) 8º Ano Ano letivo 2014-2015 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES Desenvolvimento

Leia mais

03. Em fevereiro deste ano, um grupo de pesquisadores divulgou ao mundo a ovelha Dolly, obtido por meio da técnica de clonagem.

03. Em fevereiro deste ano, um grupo de pesquisadores divulgou ao mundo a ovelha Dolly, obtido por meio da técnica de clonagem. 01. Clones são seres vivos obtidos pelo desenvolvimento de células retiradas de indivíduos já existentes. A clonagem é um processo que vem sendo desenvolvido rapidamente com vários organismos e, em humanos,

Leia mais

DEFINIÇÃO. Período e conjunto de eventos que inicia-se com a formação de uma célula após uma divisão celular, até o término da divisão dessa célula.

DEFINIÇÃO. Período e conjunto de eventos que inicia-se com a formação de uma célula após uma divisão celular, até o término da divisão dessa célula. CICLO CELULAR DEFINIÇÃO Período e conjunto de eventos que inicia-se com a formação de uma célula após uma divisão celular, até o término da divisão dessa célula. INTERFASE DIVISÃO CELULAR Mitose Meiose

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2013 Conteúdos Habilidades Avaliação

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2013 Conteúdos Habilidades Avaliação SGAS Q. 906 Conj. E C.P. 30 Fone: (061) 3443-7878 Disciplina: Biologia Trimestre: 1º Professor(a): Elizangela (B1), Guilherme (B) Série: 3º Turmas: 301, 30, 303, 304 PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 013

Leia mais

Prova de Avaliação de Capacidade & Prova Específica de Avaliação de Conhecimentos

Prova de Avaliação de Capacidade & Prova Específica de Avaliação de Conhecimentos Prova de Avaliação de Capacidade & Prova Específica de Avaliação de Conhecimentos Prova Escrita de Biologia Decreto-Lei n.º 43/2014, de 18 de março/ Nº2 do artigo 6º do Regulamento dos Tesp da Ualg. Prova

Leia mais

Escola Secundária de PAREDES. Plano Curricular de Escola

Escola Secundária de PAREDES. Plano Curricular de Escola Escola Secundária de PAREDES Plano Curricular de Escola O currículo nacional, como qualquer documento matriz, tem necessariamente de ser uma moldura complexa e circunscritiva, pois é construído em torno

Leia mais

Núcleo e ciclo celular

Núcleo e ciclo celular Módulo 2 Unidade 4 Núcleo e ciclo celular Para início de conversa... Você já reparou que para que todas as coisas funcionem corretamente é preciso que haja organização? É preciso que algumas pessoas comandem,

Leia mais

PROPOSTA DE CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2011/2012

PROPOSTA DE CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2011/2012 PROPOSTA DE CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2011/2012 1. INTRODUÇÃO: Na lógica do Decreto-Lei 6/2001, de 18 de janeiro, a avaliação constitui um processo regulador das aprendizagens, orientador do percurso escolar

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/2013 1.ª SÉRIE

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/2013 1.ª SÉRIE MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Regime: Duração: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS LICENCIATURA PLENA SERIADO ANUAL NOTURNO 3 (TRÊS) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 03 (TRÊS) ANOS LETIVOS

Leia mais

Projeto Laboratório de Ensino de Genética Jogo Memorizando a Genética

Projeto Laboratório de Ensino de Genética Jogo Memorizando a Genética Universidade Federal de Minas Gerais UFMG Instituto de Ciências Biológicas ICB Projeto Laboratório de Ensino de Genética Jogo Memorizando a Genética Alunos: Bárbara Luiza Júlia Miranda Marina Amaral Priscilla

Leia mais

Ano Lectivo: 2014/2015. Disciplina de: CIÊNCIAS NATURAIS 5º ANO. Período de Calendarização: 1º, 2º E 3º PERÍODOS. Nº de blocos semanais: 1,5

Ano Lectivo: 2014/2015. Disciplina de: CIÊNCIAS NATURAIS 5º ANO. Período de Calendarização: 1º, 2º E 3º PERÍODOS. Nº de blocos semanais: 1,5 PROGRAMA CALENDARIZAÇÃO Ano Lectivo: 04/0 Disciplina de: CIÊNCIAS NATURAIS º ANO Período de Calendarização: º, º E º PERÍODOS blocos semanais:, Nº total de aulas (4 min) previstas: +/- 98 (sem contar com

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ BIOLOGIA PROSEL/ PRISE 1ª ETAPA

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ BIOLOGIA PROSEL/ PRISE 1ª ETAPA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ BIOLOGIA PROSEL/ PRISE 1ª ETAPA EIXO TEMÁTICO I Elementos básicos de formação e desenvolvimento dos seres vivos COMPETÊNCIAS HABILIDADES CONTEÚDOS Perceber e utilizar os

Leia mais

Modelos BioMatemáticos

Modelos BioMatemáticos Modelos BioMatemáticos http://correio.fc.ul.pt/~mcg/aulas/biopop/ Pedro J.N. Silva Sala 4.1.16 Departamento de Biologia Vegetal Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa Pedro.Silva@fc.ul.pt Genética

Leia mais

Critérios Gerais de Avaliação

Critérios Gerais de Avaliação Ensino Secundário 10º ano Cursos Científico Humanísticos Ano Letivo 2014/2015 Critérios Gerais de Avaliação O presente documento pretende materializar a execução dos princípios orientadores da avaliação

Leia mais

TRANSPOSIÇÃO DIDÁTICA, INTERDISCIPLINARIDADE E CONTEXTUALIZAÇÃO

TRANSPOSIÇÃO DIDÁTICA, INTERDISCIPLINARIDADE E CONTEXTUALIZAÇÃO TRANSPOSIÇÃO DIDÁTICA, INTERDISCIPLINARIDADE E CONTEXTUALIZAÇÃO Como já vimos, a proposta pedagógica é uma articuladora de intenções educativas onde se definem as competências, os conteúdos, os recursos

Leia mais

MATRIZ DA PROVA DE EXAME A NÍVEL DE ESCOLA AO ABRIGO DO DECRETO-LEI Nº 357/2007 DE 29 DE OUTUBRO BIOLOGIA 12º ANO

MATRIZ DA PROVA DE EXAME A NÍVEL DE ESCOLA AO ABRIGO DO DECRETO-LEI Nº 357/2007 DE 29 DE OUTUBRO BIOLOGIA 12º ANO MATRIZ DA PROVA DE EXAME A NÍVEL DE ESCOLA AO ABRIGO DO DECRETO-LEI Nº 357/2007 DE 29 DE OUTUBRO Duração da Prova 90 minutos + 30 minutos de tolerância BIOLOGIA 12º ANO (Cursos Científico-Humanísticos

Leia mais

Seminário de Genética BG - 380 Principal Resumo Professores Componentes Bibliografia Links

Seminário de Genética BG - 380 Principal Resumo Professores Componentes Bibliografia Links Seminário de Genética BG - 380 Principal Resumo Professores Componentes Bibliografia Links Darwin Voltar Filogenia anatômica e fisiológica Filogênia Molecular A teoria da evolução de Darwin gerou o conceito

Leia mais

Biologia Professor Leandro Gurgel de Medeiros

Biologia Professor Leandro Gurgel de Medeiros Biologia Professor Leandro Gurgel de Medeiros MEIOSE 1. Considerações Iniciais Processo de divisão celular; Responsável pela formação de gametas e esporos; Células EUCARIONTES (2n); Duplicação dos cromossomos;

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2014 Conteúdos Habilidades Avaliação

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2014 Conteúdos Habilidades Avaliação COLÉGIO LA SALLE BRASÍLIA SGAS Q. 906 Conj. E C.P. 320 Fone: (061) 3443-7878 CEP: 70390-060 - BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL Disciplina: Biologia Trimestre: 1º Professor(a): Camilla Silva (B1) e Elisangela

Leia mais

netxplica.com Biologia e Geologia :: 11.º Ano

netxplica.com Biologia e Geologia :: 11.º Ano VERSÃO 1 Teste de Avaliação de Biologia e Geologia 11.º Ano de Escolaridade Crescimento e Renovação Celular Duração do Teste: 120 minutos Indicações: Na folha de respostas, indica de forma legível a versão

Leia mais

A Célula. Núcleo Celular

A Célula. Núcleo Celular A Célula Núcleo Celular Uma das principais características da célula eucarionte é a presença de um núcleo de forma variável, porém bem individualizado e separado do restante da célula: Ao microscópio óptico

Leia mais

AVALIAÇÃO DO ENSINO SECUNDÁRIO Cursos Cientifico-Humanísticos

AVALIAÇÃO DO ENSINO SECUNDÁRIO Cursos Cientifico-Humanísticos AVALIAÇÃO DO ENSINO SECUNDÁRIO Cursos Cientifico-Humanísticos PORTUGUÊS 2 2 2 1 Oralidade Leitura Escrita Funcionamento da Língua LITERATURA PORTUGUESA 90% Domínio do Conhecimento 3 3 Leitura Escrita Oralidade

Leia mais

EsEscola Básica 2.3 de Pedro de Santarém Ano Lectivo: 2010/2011 5º Ano Planificação Anual de Ciências da Natureza

EsEscola Básica 2.3 de Pedro de Santarém Ano Lectivo: 2010/2011 5º Ano Planificação Anual de Ciências da Natureza Preparar e organizar o trabalho a realizar com os. Reconhecer a diversidade de ambientes e de seres vivos existentes na Biosfera. Compreender as relações entre as características dos organismos e os ambientes

Leia mais

A reprodução refere-se á função através da qual seres vivos produzem descendentes,dando continuidade à sua espécie.

A reprodução refere-se á função através da qual seres vivos produzem descendentes,dando continuidade à sua espécie. A reprodução refere-se á função através da qual seres vivos produzem descendentes,dando continuidade à sua espécie. Todos os organismos vivos resultam da reprodução a partir de organismos vivos pré-existentes,

Leia mais

2. EMBASAMENTO TEÓRICO. Revista Tecnologias na Educação Ano 7 - número 12 Julho 2015 -http://tecnologiasnaeducacao.pro.br/

2. EMBASAMENTO TEÓRICO. Revista Tecnologias na Educação Ano 7 - número 12 Julho 2015 -http://tecnologiasnaeducacao.pro.br/ 1 BLOG COMO INSTRUMENTO PARA DISPONIBILIZAÇÃO DE LINKS DE ANIMAÇÕES PARA O ENSINO DE BIOLOGIA Jonas da Paz Aguiar 1 Laís Soares dos Santos 2 José Almir Moraes Rocha 3 Resumo Este trabalho visa mostrar

Leia mais