Planificação Anual. Professora: Maria da Graça Valente Disciplina: Ciências Naturais Ano: 6.º Turma: B Ano letivo:

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Planificação Anual. Professora: Maria da Graça Valente Disciplina: Ciências Naturais Ano: 6.º Turma: B Ano letivo: 2014-2015"

Transcrição

1 Planificação Anual Professora: Maria da Graça Valente Disciplina: Ciências Naturais Ano: 6.º Turma: B Ano letivo: Competências Aprendizagens Atividades/Estratégias Avaliação o Relacionar alimento com nutriente; o Identificar os diferentes nutrientes; o Relacionar os nutrientes com as respetivas funções no organismo; o Relacionar as funções dos nutrientes com as necessidades do organismo. o Identificar desequilíbrios alimentares; o Referir algumas regras para uma alimentação equilibrada, variada e completa; o Compreender que a alimentação influência a saúde; o Aplicar conhecimentos sobre alimentação racional em situações do dia-a-dia. 1- Trocas Nutricionais entre os animais e o meio 1.1 Os alimentos como veículo de nutrientes/ Alimentação o O que são nutrientes? o Quais as funções dos nutrientes? o Consequências da carência ou excesso de nutrientes. o Para que serve a roda dos alimentos? o Quais são as refeições mais equilibradas? o Que informações devem constar nas embalagens dos alimentos? o Compreender que os nutrientes fazem parte da constituição de todos os alimentos; o Interpretar de tabelas e gráficos contendo a constituição de vários alimentos, recorrendo a imagens, textos e fichas; o Explorar várias imagens de doenças provocadas por desequilíbrios alimentares e fazer uma listagem das mais vulgares; o Analisar a roda dos alimentos de modo a permitir a descoberta do nutriente presente, em maior quantidade, dentro de cada grupo; o Analisar ementas e identificar, em grupo, as que são equilibradas, apoiados por tabelas nutricionais; o Analisar rótulos de embalagens. o Registo da participação escrita e oral o Registo das atitudes e valores o Registo e correcção das atividades propostas, individualmente e em pequenos grupos; o Registo da autonomia e responsabilidade o Caderno diário; o Registo dos trabalhos de casa; o Fichas de trabalho; o Avaliação formativa; Calendarização o 1º Período o Ficha de Avaliação.

2 o Descrever a constituição do Sistema Digestivo e localizar os seus órgãos; o Referir as funções de cada tipo de dentes; o Explicar o processo da digestão; o Distinguir transformações mecânicas de transformações químicas dos alimentos; o Distinguir digestão de absorção e assimilação; o Referir regras de higiene do sistema digestivo e aplicá-las em situações do diaa-dia. o Descrever a constituição dos sistemas digestivos dos ruminantes e das granívoras. o Órgãos do sistema digestivo do homem digestão como processo de obtenção de nutrientes. o Quais são as transformações que os alimentos sofrem na boca? o Que transformações sofre o bolo alimentar no estômago? o O que acontece no intestino delgado? o O que acontece no intestino grosso? o Quais os cuidados que devemos ter com Sistema Digestivo? o Características do sistema digestivo em função de regime alimentar dos animais. o Realizar uma atividade de revisão de conhecimentos sobre os órgãos deste sistema, a sua forma e as suas, funções básicas; o Elaboração de trabalhos, em grupos, sobre as regras de higiene do sistema digestivo; o Comparar o sistema digestivo humano com o de outros animais (vaca e galinha); o Ficha de avaliação e correção. o Identificar e situar os órgãos do sistema respiratório; o Distinguir inspiração e expiração; o Descrever os mecanismos de inspiração e de expiração; o Distinguir ar inspirado de ar expirado; o Definir hematose pulmonar; o Referir regras de higiene do sistema respiratório e da respiração; o Aplicar, no dia-a-dia, conhecimentos para a saúde do sistema respiratório; o Referir alguns métodos de socorros de urgência; o Descrever o sistema respiratório de um peixe. 1.2 Circulação do Ar o Movimentos respiratórios - ar inspirado e ar expirado. o Como é que o ar entra e sai dos pulmões? o Quais são as diferenças entre o ar inspirado e o ar expirado? o Sistema respiratório pulmões e vias respiratórias. o O que é a hematose pulmonar? o Quais os cuidados a ter com o sistema respiratório? o Sistema respiratório de um peixe. o Outros animais que respiram por brânquias. o Atividade em grupo sobre movimentos respiratórios - medição do volume da caixa torácica durante a inspiração e a expiração, com o registo das conclusões. o Utilizando imagens explorar a constituição do sistema respiratório bem como a função de cada um dos órgãos que o constitui; o Resolução de fichas de atividades de análise e interpretação de tabelas e gráficos sobre a constituição do ar inspirado e do ar expirado; o Atividade em grupo para o levantamento de regras de higiene do sistema respiratório e da respiração; o Utilizando imagens explorar a constituição do sistema respiratório do peixe, bem como a função de cada um

3 dos órgãos que o constitui; o Ficha de avaliação e correção. o Identificar e caracterizar os constituintes do sangue; o Relacionar os constituintes do sangue com as suas funções; o Identificar os órgãos que constituem do sistema circulatório; o Distinguir artérias de veias e de vasos capilares; o Descrever o funcionamento do coração; o Descrever o trajecto do sangue no organismo; o Distinguir sangue venoso de sangue arterial; o Explicar a interdependência dos sistemas circulatórios, respiratório e digestivo; 1.3 Transporte de nutrientes e oxigénio até às células o O sangue importância dos seus constituintes. o Quais são as caraterísticas e as funções dos elementos figurados do sangue? o Circulação do sangue coração e vasos sanguíneos. o Como é que se faz a circulação do sangue? o Como funciona coração? o Quais são os cuidados a ter com o sistema circulatório? o Iniciar o tema realizando uma atividade experimental de observação de um esfregaço sanguíneo ao microscópio, para poderem visualizar os constituintes do sangue; o Resolução de atividades sobre as funções dos vários constituintes sanguíneos; o Observação de análises de sangue, interpretando os resultados; o Fazer a contagem de pulsações; o Atividade de investigação sobre doenças ligadas ao funcionamento do coração e sistema circulatório; o Registo da participação escrita e oral o Registo das atitudes e valores o Registo e correcção das atividades propostas, individualmente e em pequenos grupos; o Registo da autonomia e responsabilidade o 2º Período o Reconhecer a importância da manutenção da saúde do sistema circulatório o Ficha de avaliação e correção. o Caderno diário; o Registo dos trabalhos de casa; o Fichas de trabalho; o Avaliação formativa; o Ficha de Avaliação.

4 o Identificar materiais e produtos da respiração celular; o Reconhecer o papel do sangue no transporte de substâncias para a célula; o Relacionar a respiração com a libertação de energia; o Relacionar a atividade física como consumo de energia; o Identificar os principais produtos de excreção; o Identificar os órgãos do sistema urinário e os constituintes da pele; o Relacionar as estruturas do sistema urinário e da pele com a função que desempenham; o Explicar como se forma a urina; o Justificar a importância dos rins na purificação do sangue; o Referir regras de higiene para o sistema urinário e pele, e sua aplicação no dia-adia Utilização de nutrientes na produção de energia o Evidências da respiração celular. o Relação entre atividade física e o consumo de nutrientes. 1.5 Eliminação de produtos da atividade celular o Quais são os principais produtos de excreção? o A higiene do sistema urinário e da pele. o Dialogando com os alunos, lançar perguntas chave - como nos sentimos depois de fazer esforço físico? O que devemos fazer após um esforço? o Fazer uma breve revisão sobre a célula e os seus constituintes; o Através de uma atividade, analisar o que acontece durante a respiração celular; o Atividade de análise e discussão de tabelas e gráficos relativos ao consumo de energia em várias atividades; o Utilizando textos e imagens, abordar a constituição do sistema urinário e a respetiva função dos órgãos constituintes; o Desenvolver atividades para o estudo da pele, com recurso à observação da pele, utilizando a lupa binocular; o Partindo de situações vividas pelos alunos diariamente e dos seus hábitos de higiene, fazer uma listagem de comportamentos a ter e a evitar para um bom funcionamento do sistema excretor; o Ficha de avaliação e sua correção.

5 3 - Transmissão da vida o Reconhecer a importância da reprodução; o Compreender que a reprodução humana é diferente da dos outros animais; o Enumerar as modificações do corpo humano; o Distinguir caracteres sexuais primários e de secundários; o Identificar os órgãos do sistema reprodutor masculino e feminino; o Relacionar a constituição dos sistemas reprodutores com as respetivas funções; o Relacionar a fecundação com a origem do novo ser; o Ordenar as diferentes fases do desenvolvimento embrionário e fetal; o Explicar a função das estruturas que se desenvolvem durante a gravidez; o Referir cuidados a ter durante a gravidez; o Compreender como se processa o nascimento do bebé; o Definir puberdade; o Reconhecer que os jovens têm diferentes ritmos de crescimento. 3.1 Reprodução humana e crescimento o Caracteres sexuais. o Algumas modificações desde o nascimento até ao estado adulto. o Sistema reprodutor masculino. o Sistema reprodutor feminino. o Da fecundação ao embrião. o Do embrião ao feto. o O nascimento e os primeiros anos de vida sua importância. o Saúde do recém-nascido. o Que mudanças ocorrem na adolescência? o Iniciar o tema, fazendo uma breve revisão à reprodução sexuada e importância e necessidade da reprodução para perpetuação das espécies; o Através do diálogo, enumerar situações que evidenciem a diferença da reprodução humana relativamente às outras espécies animais; o Com o auxílio de imagens, explorar a noção de caracteres sexuais (primários e secundários); o Utilizando imagens e/ou PowerPoint explorar a constituição dos sistemas reprodutores humanos (masculino e feminino); o Atividade de pesquisa sobre os cuidados a ter durante a gravidez; o Ficha de avaliação e sua correção.

6 o Reconhecer que as plantas necessita de determinadas condições para se desenvolverem; o Relacionar os órgãos da planta com a respetiva função; o Reconhecer que as plantas são capazes de produzir o seu próprio alimento; o Relacionar a função alimentar das plantas com a fotossíntese; o Identificar as condições necessárias para a realização da fotossíntese bem como os seus produtos resultantes; o Distinguir seiva bruta de seiva elaborada; o Identificar plantas com órgãos que têm substâncias de reserva. 2 -Trocas Nutricionais entre o organismo e o meio nas plantas Como se alimentam as plantas? o Captação de água e sais minerais; o A água e os sais minerais na planta; o As plantas elaboram o seu alimento - fotossíntese; o Acumulação de Reservas. o Iniciar a exploração do tema com o problema -como se alimentam as plantas? o Discutir e selecionar as hipóteses levantadas e testadas; o Sistematizar e consolidar conhecimentos com o auxílio de imagens e atividades de consolidação; o Recorrendo a imagens e fichas explorar o conceito de fotossíntese e das condições necessárias para que possa ocorrer; o Enumerar diferentes tipos de plantas que possuam órgãos de reserva de substâncias; o Enumerar diversas situações em que se evidencie a importância da acumulação de substâncias de reserva por parte de alguns órgãos da planta. o Registo da participação escrita e oral o Registo das atitudes e valores o Registo e correcção das atividades propostas, individualmente e em pequenos grupos; o Registo da autonomia e responsabilidade o Caderno diário; o Registo dos trabalhos de casa; o 3º Período o Descrever de forma simplificada, as trocas gasosas que ocorrem nas plantas; o Explicar a importância da fotossíntese, respiração e transpiração das plantas; o Identificar os órgãos das plantas onde se realizam as trocas gasosas; o Enumerar os produtos resultantes da respiração; A importância das plantas para o mundo vivo o As trocas gasosas nas plantas - qualidade do ar; o Qual é a importância das plantas para a qualidade do ar? o As plantas e a qualidade do ar; o As plantas, fonte de alimento e fonte de matéria - prima. o Recorrendo a textos e imagens, explorar com a turma a respiração e a transpiração das plantas; o Atividade de observação de estomas de algumas plantas; o Fichas de trabalho; o Avaliação formativa; o Ficha de Avaliação.

7 o Justificar a importância dos estomas nas trocas gasosas e na transpiração; o Reconhecer a importância das zonas verdes numa cidade; o Referir medidas para a conservação das zonas verdes; o Reconhecer que as plantas são a principal fonte de alimentos e matérias-primas para o Homem. o Referir o papel da flor na reprodução da planta; o Identificar as estruturas responsáveis pela reprodução das plantas; o Descrever o processo de polinização; o Distinguir polinização directa de polinização cruzada; o Reconhecer a importância dos insectos, do vento, da água na polinização; o Explicar a formação da semente; o Identificar os constituintes do fruto; o Conhecer algumas formas curiosas de disseminação de sementes; o Descrever o processo de germinação de sementes; o Identificar os factores indispensáveis à germinação; o Explicar como se reproduzem algumas plantas sem flor. 3.2 Reprodução nas plantas o Reprodução por sementes; o Polinização, frutificação e disseminação; o Germinação das sementes; o Reprodução das plantas sem flor - reprodução por esporos. o Os alunos irão desenhar uma flor (em corte) e fazer a legenda de acordo com os conhecimentos do ano anterior; o Atividade de revisão, utilizando imagens e textos, de modo a relembrar onde se formam os grãos de pólen e os óvulos; o Exploração da noção de polinização, recorrendo a uma ficha de atividades; o Recorrendo a textos e a imagens, explicar o que acontece depois de se dar a polinização; o Enumerar as várias formas de disseminação das sementes; o Ficha de avaliação e sua correção.

8 o Dar exemplos de micróbios úteis e micróbios prejudiciais; o Conhecer algumas ações de micróbios úteis; o Enumerar algumas doenças provocadas por micróbios; o Conhecer modos de transmissão de micróbios; o Explicar como atuam os glóbulos brancos na defesa do organismo; o Distinguir processos preventivos de processos curativos; o Explicar como atuam as vacinas; o Justificar a importância das vacinas e antibióticos. 4 - Os Micróbios 4.1 Micróbios causadores de doenças o O que são micróbios? o Quais as caraterísticas dos diferentes tipos de micróbios? Meios de defesa contra as agressões microbianas - a prevenção da doença o Quais são os meios de defesa naturais do nosso organismo? o O que acontece quando os micróbios patogénicos conseguem entrar no organismo? o Como se podem prevenir as doenças? o Prevenir o desenvolvimento de micróbios prejudiciais? o Recorrendo a imagens de micróbios (microscópio electrónico), fazer alusão a algumas doenças provocadas por micróbios mas também a alguns benefícios e utilidades para a vida do Homem. o Atividades sobre os benefícios e os malefícios trazidos por micróbios e análise de imagens do agente e das suas consequências para o Homem; o Compreender a importância dos hábitos de higiene; o Reconhecer que os hábitos saudáveis incluem, além da limpeza corporal, do vestuário e do calçado, a postura, a prática de exercício físico e horas de descanso e de sono; 5 - Higiene e problemas sociais 5.1 Higiene pessoal o Que cuidados de higiene pessoal devemos ter? o Outros cuidados de higiene pessoal. o Como os conteúdos desta unidade foram exploradas, em parte, em unidades anteriores, pretende-se que os alunos, com a informação que já dispõem sobre estes assuntos, sejam capazes de pesquisar e aumentar, consideravelmente, o nível de conhecimentos, relativamente, às diferentes temáticas. Assim, os alunos irão desenvolver trabalhos de pesquisa;

9 o Reconhecer os malefícios do tabaco, álcool e droga; o Conhecer as consequências do tabaco, álcool e droga no organismo humano e no comportamento e relacionamento social; o Conhecer o significado da sigla SIDA; o Identificar alguns sintomas da SIDA e compreender que é uma doença contagiosa; o Enumerar diferentes tipos de poluição; o Identificar processos de combate à poluição O tabagismo. O alcoolismo. Outras drogas o O que é o tabagismo? o Quais os efeitos do tabagismo? o O que se deve fazer para prevenir o tabagismo? o O que é o alcoolismo? o Quais são os perigos sociais resultantes do abuso do consumo de álcool? o Pode prevenir-se o alcoolismo? o O que são drogas? o Quais são as atitudes que se devem tomar perante as drogas? o O que é a sida? o Outras doenças que afetam o Homem. o Como prevenir o cancro? 5.3 Poluição o Quais os principais tipos de poluição que prejudicam a saúde? o Que atitudes devem ser tomadas para proteger o ambiente em que vivemos? o Apresentação de cada um dos trabalhos em assembleia de turma, onde se fará a discussão e a sistematização das principais ideias dos trabalhos. o Avaliação final. Fronteira, 15 de setembro de 2014 A Professora (Maria da Graça Valente)

Planificação Curricular Anual Ano letivo 2014/2015

Planificação Curricular Anual Ano letivo 2014/2015 PROCESSOS VITAIS COMUNS AOS SERES VIVOS Trocas nutricionais entre o organismo e o meio: nos animais. 1. Compreender a importância de uma alimentação equilibrada e segura 1.1. Apresentar um conceito de

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA CAPARICA PLANIFICAÇÃO ANUAL 2015/2016 2.º CICLO DISCIPLINA: CIÊNCIAS NATURAIS 6.º ANO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA CAPARICA PLANIFICAÇÃO ANUAL 2015/2016 2.º CICLO DISCIPLINA: CIÊNCIAS NATURAIS 6.º ANO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA CAPARICA PLANIFICAÇÃO ANUAL 2015/2016 2.º CICLO DISCIPLINA: CIÊNCIAS NATURAIS 6.º ANO Período Nº semanas Nº de aulas Previstas 1º 13 37 2º 10 32 3º 9 27 TOTAL 96 Domínios Subdomínios

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ÁLVARO VELHO LAVRADIO. Planeamento Curricular referente ao 1 º Período

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ÁLVARO VELHO LAVRADIO. Planeamento Curricular referente ao 1 º Período AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ÁLVARO VELHO LAVRADIO Planeamento Curricular referente ao 1 º Período Ano e Turma 5º Disciplina Ciências Naturais Prof. (a) N.º Aulas Previstas Domínio: ÁGUA, O AR, AS ROCHAS

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL Documento(s) Orientador(es): Currículo Nacional do Ensino Básico Competências essenciais 2º CICLO CIÊNCIAS NATURAIS

Leia mais

PLANIFICAÇÃO A MÉDIO/LONGO PRAZO CIÊNCIAS DA NATUREZA 6º ANO

PLANIFICAÇÃO A MÉDIO/LONGO PRAZO CIÊNCIAS DA NATUREZA 6º ANO PLANIFICAÇÃO A MÉDIO/LONGO PRAZO CIÊNCIAS DA NATUREZA 6º ANO Competências essenciais Conteúdos Materiais N.º de aulas (45 min.) Compreender que a vida dos seres é assegurada pela realização de funções

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS - 6.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS - 6.º ANO DE CIÊNCIAS NATURAIS - 6.º ANO Ano Letivo 2014 2015 PERFIL DO ALUNO No domínio dos Processos vitais comuns aos seres vivos o aluno deve ser capaz de: Compreender a importância de uma alimentação equilibrada

Leia mais

CIÊNCIAS NATURAIS 6º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL. 1º Período. Domínio1- TROCAS VITAIS COMUNS AOS SERES VIVOS

CIÊNCIAS NATURAIS 6º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL. 1º Período. Domínio1- TROCAS VITAIS COMUNS AOS SERES VIVOS Ano letivo 01/016 CIÊNCIAS NATURAIS 6º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL 1º Período : Domínio1- TROCAS VITAIS COMUNS AOS SERES VIVOS 1.1. Importância de uma alimentação equilibrada e segura Alimentos e nutrientes;

Leia mais

Ano Letivo: 2015/2016. Disciplina de: CIÊNCIAS NATURAIS 6º ANO. Período de Calendarização: 1º, 2º E 3º PERÍODOS. Nº de blocos semanais: 1,5

Ano Letivo: 2015/2016. Disciplina de: CIÊNCIAS NATURAIS 6º ANO. Período de Calendarização: 1º, 2º E 3º PERÍODOS. Nº de blocos semanais: 1,5 Escola EB 2,3 de António Feijó Ponte de Lima Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Subestrutura de Ciências Naturais PROGRAMA CALENDARIZAÇÃO Ano Letivo: 2015/2016 Disciplina de: CIÊNCIAS

Leia mais

Escola Básica de S. Pedro da Cova Ano Letivo 2015 / 2016 2º Ciclo do Ensino Básico Matriz da prova de Exame de Ciências Naturais

Escola Básica de S. Pedro da Cova Ano Letivo 2015 / 2016 2º Ciclo do Ensino Básico Matriz da prova de Exame de Ciências Naturais Escola Básica de S. Pedro da Cova Ano Letivo 2015 / 2016 2º Ciclo do Ensino Básico Matriz da prova de Exame de Ciências Naturais 1. Objeto da avaliação TEMAS CONTEÚDOS OBJETIVOS Grupo I (5º ano) (23 pontos)

Leia mais

ANO LETIVO 2013/2014 2º Ciclo 6º Ano CONTEÚDOS ANUAIS

ANO LETIVO 2013/2014 2º Ciclo 6º Ano CONTEÚDOS ANUAIS ANO LETIVO 2013/2014 2º Ciclo 6º Ano CONTEÚDOS ANUAIS CONTEÚDOS CIÊNCIAS DA NATUREZA AULAS PREVISTAS 6.ºA 6.ºB 6.ºC 6.ºD 98 97 97 97 Tema 1 Processos vitais comuns aos seres vivos CONTEÚDOS ESPECÍFICOS

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS LUÍS DE CAMÕES ESCOLA BÁSICA 2, 3 LUÍS DE CAMÕES. PROJECTO CURRICULAR DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS NATURAIS 6º Ano

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS LUÍS DE CAMÕES ESCOLA BÁSICA 2, 3 LUÍS DE CAMÕES. PROJECTO CURRICULAR DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS NATURAIS 6º Ano AGRUPAMENTO DE ESCOLAS LUÍS DE CAMÕES ESCOLA BÁSICA 2, 3 LUÍS DE CAMÕES ANO LECTIVO 2014 / 2015 PROJECTO CURRICULAR DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS NATURAIS 6º Ano DOMÍNIO: PROCESSOS VITAIS COMUNS AOS SERES

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL Planos de Unidade ÁREA CURRICULAR: Ciências da Natureza 6º ANO ANO LETIVO: 2012/2013

PLANIFICAÇÃO ANUAL Planos de Unidade ÁREA CURRICULAR: Ciências da Natureza 6º ANO ANO LETIVO: 2012/2013 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CASTRO DAIRE - 161718 GRUPO DISCIPLINAR 230 MATEMÁTICA/ CIÊNCIAS DA NATUREZA ÁREA CURRICULAR: Ciências da Natureza 6º ANO ANO LETIVO: 2012/2013 TEMA/ CONTEÚDO: Processos Vitais

Leia mais

Escola Básica 2 Roberto Ivens. Informação da prova de equivalência à frequência da disciplina de Ciências da Natureza

Escola Básica 2 Roberto Ivens. Informação da prova de equivalência à frequência da disciplina de Ciências da Natureza SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO, CULTURA E CIÊNCIA DIRECÇÃO REGIONAL DA EDUCAÇÃO ESCOLA BÁSICA INTEGRADA ROBERTO IVENS Escola Básica 2 Roberto Ivens. Informação da prova de equivalência à frequência da

Leia mais

Agrupamento Escolas José Belchior Viegas - Escola E.B. 2,3 Poeta Bernardo de Passos Ciências Naturais Planificação anual 6ºAno Ano letivo: 2015-16

Agrupamento Escolas José Belchior Viegas - Escola E.B. 2,3 Poeta Bernardo de Passos Ciências Naturais Planificação anual 6ºAno Ano letivo: 2015-16 Agrupamento Escolas José Belchior Viegas - Escola E.B. 2,3 Poeta Bernardo de Passos Ciências Naturais Planificação anual 6ºAno Ano letivo: 2015-16 Período 1ºPeríodo Nº Aulas previstas 37 aulas Conteúdos

Leia mais

ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA CLARA DE RESENDE

ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA CLARA DE RESENDE 1. OS ALIMENTOS COMO VEÍCULO DE NUTRIENTES Compreender a importância de uma alimentação equilibrada e segura Nutrientes - o que são Funções dos nutrientes ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA CLARA DE RESENDE Apresentar

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE CIÊNCIAS DA NATUREZA - 6º ANO

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE CIÊNCIAS DA NATUREZA - 6º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL DE CIÊNCIAS DA NATUREZA - 6º ANO Livro adotado: Ciências da natureza 6 Satillana Ano Letivo 2012/2013 UNIDADE DIDÁCTICA CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS Nº DE AULAS (1ºP) Preparação do ano escolar.

Leia mais

Rota de Aprendizagem 2015/16 6.º Ano

Rota de Aprendizagem 2015/16 6.º Ano Ciências Naturais Projeto 1 Os alimentos como veículo de nutrientes. Tempo Previsto: 3 quinzenas do 1ºPeríodo 1.ª Fase: Alimentação saudável e segura 2.ª Fase: O Processo digestivo de ser humano 3.ª Fase:

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CASTRO DAIRE. Ano Letivo 2012/2013 DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS PLANIFICAÇÃO ANUAL CIÊNCIAS NATURAIS

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CASTRO DAIRE. Ano Letivo 2012/2013 DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS PLANIFICAÇÃO ANUAL CIÊNCIAS NATURAIS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CASTRO DAIRE Ano Letivo 2012/2013 DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS PLANIFICAÇÃO ANUAL CIÊNCIAS NATURAIS 9º ANO As Docentes Responsáveis: 1º Periodo Unidade

Leia mais

Planificação a longo prazo 2014/2015

Planificação a longo prazo 2014/2015 Planificação a longo prazo 2014/2015 1º Período Tema organizador: Viver melhor na Terra Conteúdos Nº de aulas Apresentação 1 1. Trocas nutricionais entre o organismo e o meio 9 1.1. Os alimentos como veículos

Leia mais

1. Saúde individual e comunitária. 1.1. Indicadores do estado de saúde de uma população. 1.2. Medidas de ação para promoção de saúde.

1. Saúde individual e comunitária. 1.1. Indicadores do estado de saúde de uma população. 1.2. Medidas de ação para promoção de saúde. ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DA GRACIOSA CIÊNCIAS NATURAIS 9º ANO ANO LETIVO 2014/2015 AULAS PREVISTAS TEMA ORGANIZADOR CONTEÚDOS CONCETUAIS (45 MINUTOS) A B VIVER MELHOR NA TERRA 1. Saúde individual e comunitária.

Leia mais

ESCOLA E.B. 2/3 CICLOS DE PEDROUÇOS. Planificação de Ciências da Natureza 6ª Ano 2012/2013 1º Período. Tempo (x45 )

ESCOLA E.B. 2/3 CICLOS DE PEDROUÇOS. Planificação de Ciências da Natureza 6ª Ano 2012/2013 1º Período. Tempo (x45 ) ESCOLA E.B. /3 CICLOS DE PEDROUÇOS Planificação de Ciências da Natureza 6ª Ano 0/03 º Período TEMA ORGANIZADOR: Viver melhor na Terra: Trocas nutricionais entre os animais e o meio Conteúdos Competências

Leia mais

MATRIZ DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS DA NATUREZA

MATRIZ DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS DA NATUREZA MATRIZ DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS DA NATUREZA 1. Introdução Os exames de equivalência à frequência incidem sobre a aprendizagem definida para o final do 2.º ciclo do ensino básico, de acordo com o currículo

Leia mais

DEPARTAMENTO DE 1º Ciclo - Grupo 110. Planificação Anual / Critérios de avaliação. Disciplina: Estudo do Meio 2.º ano 2015/2016

DEPARTAMENTO DE 1º Ciclo - Grupo 110. Planificação Anual / Critérios de avaliação. Disciplina: Estudo do Meio 2.º ano 2015/2016 DEPARTAMENTO DE 1º Ciclo - Grupo 110 Planificação Anual / Critérios de avaliação Disciplina: Estudo do Meio 2.º ano 2015/2016 Domínio (Unidade/ tema) Subdomínio/Conteúdos Metas de Aprendizagem Estratégias/

Leia mais

Planificação da disciplina de Ciências Naturais

Planificação da disciplina de Ciências Naturais ANO LETIVO 2013/2014 Departamento Curricular: Ciências Experimentais Grupo Disciplinar: Biologia e Geologia 9º Ano Planificação da disciplina de Ciências Naturais 1º Conteúdos / Unidades Didáticas 1.Saúde

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS - 9.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS - 9.º ANO DE CIÊNCIAS NATURAIS - 9.º ANO Ano Letivo 2014 2015 PERFIL DO ALUNO No domínio Viver melhor na Terra, o aluno deve ser capaz de: Compreender a importância da saúde individual e comunitária na qualidade

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS 9.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS 9.º ANO DE CIÊNCIAS NATURAIS 9.º ANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO No domínio Viver melhor na Terra, o aluno deve ser capaz de: Compreender a importância da saúde individual e comunitária na qualidade de

Leia mais

2014/2015 3Ventos. 3Ventos. Curso Vocacional 3º Ciclo Ensino Básico

2014/2015 3Ventos. 3Ventos. Curso Vocacional 3º Ciclo Ensino Básico Curso Vocacional 3º Ciclo Ensino Básico B - Áreas Vocacionais Empregado(a) Comercial Acompanhante de Ação Educativa Operador(a) de Informática C - Matriz curricular Componentes de Formação Cada disciplina

Leia mais

Rota de Aprendizagem 2015/16 9.º Ano

Rota de Aprendizagem 2015/16 9.º Ano Ciências Naturais CienTic Projeto 1 Qual é a importância da saúde e quais são as estratégias para a promover? Tempo Previsto: 3 quinzenas do 1ºPeríodo 1.ª Fase: Saúde e qualidade de vida da população.

Leia mais

Plano Anual Curricular Estudo do Meio - 1º Ciclo -

Plano Anual Curricular Estudo do Meio - 1º Ciclo - Plano Anual Curricular Estudo do Meio - 1º Ciclo - Estudo do Meio 1º Ano 1º Período 2º Período 3º Período À descoberta de si mesmo - A sua identificação Conhecer a sua identificação Conhecer o seu nome

Leia mais

1º Período. Subtemas Competências essenciais específicas Conceitos Estratégias Blocos. -Saúde -Esperança média de vida; -Prevenção da saúde;

1º Período. Subtemas Competências essenciais específicas Conceitos Estratégias Blocos. -Saúde -Esperança média de vida; -Prevenção da saúde; Saúde individual e comunitária 1º Período Indicadores do estado de saúde de uma população Medidas de ação para a promoção da saúde Compreender o conceito de saúde; Conhecer os indicadores do estado de

Leia mais

Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Grupo de Biologia e Geologia. Escola Secundária de Valongo. As Professoras:

Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Grupo de Biologia e Geologia. Escola Secundária de Valongo. As Professoras: Escola Secundária de Valongo Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Grupo de Biologia e Geologia As Professoras: Cláudia Rocha Fátima Garcia Tema Organizador: Viver Melhor na Terra 1º PERÍODO

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 01/014 PLANIFICAÇÃO ANUAL Documento(s) Orientador(es): Projeto Educativo e Programa de Biologia e Geologia do 11ºano ENSINO SECUNDÁRIO BIOLOGIA

Leia mais

Ex.: A B C D E 2 Boa Sorte! TESTE -1ªEliminatória

Ex.: A B C D E 2 Boa Sorte! TESTE -1ªEliminatória Este teste é constituído por 20 questões que abordam diversas temáticas da Biologia. Lê-as atentamente e seleciona a opção correta unicamente na Folha de Respostas, marcando-a com um X no quadrado respetivo.

Leia mais

AGRUPAMENTO ESCOLAS DE REDONDO Escola Básica e Secundária Dr. Hernâni Cidade

AGRUPAMENTO ESCOLAS DE REDONDO Escola Básica e Secundária Dr. Hernâni Cidade AGRUPAMENTO ESCOLAS DE REDONDO Escola Básica e Secundária Dr. Hernâni Cidade INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS NATURAIS Abril de 2015 Prova 02 2015 2.º Ciclo do Ensino

Leia mais

- Diálogo professor/aluno. - Avaliação diagnóstica. - Discussão alargada, sobre o

- Diálogo professor/aluno. - Avaliação diagnóstica. - Discussão alargada, sobre o Unidade Didática Tema(s)/Conteúdo(s) Metodologia(s)/Estratégias Instrumento(s) de avaliação N.º de tempos previstos Período lectivo Apresentação - Diálogo professor/aluno. SAÚDE INDIVIDUAL E - Avaliação

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Terras de Bouro Informação Prova de Equivalência à Frequência

Agrupamento de Escolas de Terras de Bouro Informação Prova de Equivalência à Frequência Informação Prova de Equivalência à Frequência CIÊNCIAS NATURAIS Abril de 2015 2ºCiclo do Ensino Básico (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) Prova 02/2015 Tipo de Prova: Escrita Duração: 90 minutos

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AVEIRO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AVEIRO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AVEIRO Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares OFERTA COMPLEMENTAR 1º e 2º anos de escolaridade Ano letivo 2015/2016 l -Introdução No presente ano letivo a Oferta Complementar

Leia mais

Programação Anual. 6 ọ ano (Regime 9 anos) 5 ạ série (Regime 8 anos) VOLUME VOLUME

Programação Anual. 6 ọ ano (Regime 9 anos) 5 ạ série (Regime 8 anos) VOLUME VOLUME Programação Anual 6 ọ ano (Regime 9 anos) 5 ạ série (Regime 8 anos) 1. Astronomia: estudando o céu Estrelas e constelações Estudo do Universo Sistema Solar 2. Movimentos da Terra e da Lua Dia e noite Estações

Leia mais

TEMA ORGANIZADOR: Saúde individual e comunitária

TEMA ORGANIZADOR: Saúde individual e comunitária TEMA ORGANIZADOR: Saúde individual e comunitária UNIDADE TEMÁTICA: Saúde N.º DE Saúde Individual e Comunitária. - Desenvolvimento do conceito de saúde Definição de Saúde pela O.M.S..2 -Medidas para a promoção

Leia mais

1ºCiclo Estudo do meio De 12 Agosto a 20 Outubro

1ºCiclo Estudo do meio De 12 Agosto a 20 Outubro Guião do aluno 1ºCiclo meio De 12 Agosto a 20 Outubro Aula 1 (Apresentação) descoberta de si Semana 1 12 Ago 18 Ago. Moodle A saúde do nosso corpo Registo e inscrição dos alunos na plataforma Moodle Teste

Leia mais

Calendarização da Componente Letiva 2015/16 7º Ano Área Disciplinar de Ciências Naturais

Calendarização da Componente Letiva 2015/16 7º Ano Área Disciplinar de Ciências Naturais ANDRÉ SOARES (109) Calendarização da Componente Letiva 01/16 7º Ano Área Disciplinar de Ciências Naturais Períodos 1º Período Número de aulas previstas (4 minutos) Apresentação e Diagnóstico Avaliação

Leia mais

Informação Prova de equivalência à frequência

Informação Prova de equivalência à frequência Informação Prova de equivalência à frequência 2.º Ciclo do Ensino Básico 1ª e 2ª fases Ano Letivo 2014/2015 Disciplina: Ciências Naturais Duração: 90 minutos Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho 1-

Leia mais

Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data! CIÊNCIAS - UNIDADE 4 RESPIRAÇÃO E EXCREÇÃO

Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data! CIÊNCIAS - UNIDADE 4 RESPIRAÇÃO E EXCREÇÃO Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data! Use canetas coloridas ou escreva palavras destacadas, para facilitar na hora de estudar. E capriche! Não se esqueça

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL 11/12 Disciplina de Ciências Naturais 3.º Ciclo 7º Ano de Escolaridade

PLANIFICAÇÃO ANUAL 11/12 Disciplina de Ciências Naturais 3.º Ciclo 7º Ano de Escolaridade PLANIFICAÇÃO ANUAL 11/12 Disciplina de Ciências Naturais 3.º Ciclo 7º Ano de Escolaridade A TERRA NO ESPAÇO CTSA (Ciência, Tecnologia, Sociedade e Ambiente) - Compreender o carácter dinâmico da ciência.

Leia mais

Sistema neuro-hormonal

Sistema neuro-hormonal Sistema neuro-hormonal O que é o sistema neuro-hormonal? Qualquer alteração no exterior ou no interior do corpo corresponde a um Estímulo que provoca uma resposta do sistema neurohormonal. Como funciona

Leia mais

CIENTISTAS NO PARQUE ENSINO BÁSICO

CIENTISTAS NO PARQUE ENSINO BÁSICO CIENTISTAS NO PARQUE ENSINO BÁSICO Este programa aborda a disciplina de ciências naturais de uma forma prática, partindo de temas como a biodiversidade, a gestão de recursos e a monitorização ambiental.

Leia mais

Atividade de Enriquecimento Curricular. Área: SENSIBILIZAÇÃO AMBIENTAL. Nível escolaridade: 1º ciclo - 1º e 2º anos

Atividade de Enriquecimento Curricular. Área: SENSIBILIZAÇÃO AMBIENTAL. Nível escolaridade: 1º ciclo - 1º e 2º anos Atividade de Enriquecimento Curricular Área: SENSIBILIZAÇÃO AMBIENTAL Nível escolaridade: 1º ciclo - 1º e 2º anos Entidade: Associação de Defesa do Paul de Tornada - PATO A Educação Ambiental é determinante

Leia mais

Prof Thiago Scaquetti de Souza

Prof Thiago Scaquetti de Souza Prof Thiago Scaquetti de Souza SISTEMA RESPIRATÓRIO HUMANO Funções e anatomia O sistema respiratório humano possui a função de realizar as trocas gasosas (HEMATOSE). Esse sistema é composto pelas seguintes

Leia mais

OS ALIMENTOS COMO VEÍCULO DE NUTRIENTES

OS ALIMENTOS COMO VEÍCULO DE NUTRIENTES Página1 OS ALIMENTOS COMO VEÍCULO DE NUTRIENTES Importância dos alimentos Todos os animais, incluindo o homem, precisam de se alimentar para sobreviver. Porque são tão importantes os alimentos? Os alimentos

Leia mais

3ª Série / Vestibular

3ª Série / Vestibular 3ª Série / Vestibular 01. Uma característica típica de todo o tecido conjuntivo é: (A) apresentar células em camadas unidas; (B) apresentar poucas camadas de células; (C) apresentar muito material intersticial;

Leia mais

DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO

DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO Provas 2º Bimestre 2012 CIÊNCIAS DESCRITORES DESCRITORES DO 2º BIMESTRE DE 2012

Leia mais

Planificação Disciplina de Saúde 2.º ano Módulos 3, 4, 5,6 Curso Profissional de Técnico Auxiliar de Saúde

Planificação Disciplina de Saúde 2.º ano Módulos 3, 4, 5,6 Curso Profissional de Técnico Auxiliar de Saúde Objetivos gerais: Planificação Disciplina de Saúde 2.º ano Módulos 3, 4, 5,6 Curso Profissional de Técnico Auxiliar de Saúde 2015/2016 Explicar que as tarefas que se integram no âmbito de intervenção do/a

Leia mais

CENTRO DE ESTUDOS SOMA. Ficha de trabalho Sistema digestivo

CENTRO DE ESTUDOS SOMA. Ficha de trabalho Sistema digestivo Ficha de trabalho Sistema digestivo Grupo I 1- Faz a legenda da figura. 1-2- 3-4- 5-6- 7-8- 9-10- 11-12- 1.1. Diz o que entendes por Digestão. 1.2. Dos órgãos que legendaste indica: a. Os que fazem parte

Leia mais

DEPARTAMENTO DO 1.º CICLO/PRÉ-ESCOLAR CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO. 1.º Ciclo do Ensino Básico

DEPARTAMENTO DO 1.º CICLO/PRÉ-ESCOLAR CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO. 1.º Ciclo do Ensino Básico DEPARTAMENTO DO 1.º CICLO/PRÉ-ESCOLAR Ano letivo 2015/2016 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1.º Ciclo do Ensino Básico CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1.º Ciclo do Ensino Básico ANO LETIVO 2015/2016 Constituem objeto de

Leia mais

CIÊNCIAS PROVA 1º BIMESTRE 4º ANO

CIÊNCIAS PROVA 1º BIMESTRE 4º ANO PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO CIÊNCIAS PROVA 1º BIMESTRE 4º ANO 2010 Questão 1 PROVA DE CIÊNCIAS 4 ANO Boa alimentação

Leia mais

Planificação Curricular Pré-escolar

Planificação Curricular Pré-escolar PLANO ANUAL DE ATIVIDADES Ciclo/ Área/ Disciplina: Pré-escolar Ano Letivo 2012/2013 Área de Formação pessoal e Social Esboço Curricular para a Educação de Infância (segundo as Orientações Curriculares

Leia mais

1.º PERÍODO. n.º de aulas previstas DOMÍNIOS SUBDOMÍNIOS/CONTEÚDOS OBJETIVOS. De 36 a 41

1.º PERÍODO. n.º de aulas previstas DOMÍNIOS SUBDOMÍNIOS/CONTEÚDOS OBJETIVOS. De 36 a 41 DE FÍSICO-QUÍMICA - 7.º ANO Ano Letivo 2014 2015 PERFIL DO ALUNO O aluno é capaz de: o Conhecer e compreender a constituição do Universo, localizando a Terra, e reconhecer o papel da observação e dos instrumentos

Leia mais

Recomendada. A coleção apresenta eficiência e adequação. Ciências adequados a cada faixa etária, além de

Recomendada. A coleção apresenta eficiência e adequação. Ciências adequados a cada faixa etária, além de Recomendada Por quê? A coleção apresenta eficiência e adequação metodológica, com os principais temas relacionados a Ciências adequados a cada faixa etária, além de conceitos em geral corretos. Constitui

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM AnoAno Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM AnoAno Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM AnoAno Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL Documento(s) Orientador(es): Programa de Biologia e Geologia 10º Ano e Projeto Educativo ENSINO SECUNDÁRIO BIOLOGIA

Leia mais

Planificação Anual de Ciências Naturias 6º ano

Planificação Anual de Ciências Naturias 6º ano Planificação Anual de Ciências Naturias 6º ano º Período ( 7 semanas) Ano Lectivo 202/203 Apresentação. Regras de trabalho na aula. Ficha diagnóstica. 3 Processos vitais comuns aos seres vivos. Trocas

Leia mais

Recuperação Final CFB 8º ano do EF

Recuperação Final CFB 8º ano do EF COLÉGIO MILITAR DOM PEDRO II SEÇÃO TÉCNICA DE ENSINO Recuperação Final CFB 8º ano do EF Aluno: Série: 8º ano Turma: Data: de dezembro de 2015 LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 1. Esta prova é um documento

Leia mais

Conteúdo Básico Comum (CBC) de CIÊNCIAS do Ensino Fundamental do 6º ao 9º ano Exames Supletivos/2015

Conteúdo Básico Comum (CBC) de CIÊNCIAS do Ensino Fundamental do 6º ao 9º ano Exames Supletivos/2015 SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MINAS GERAIS SUBSECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO BÁSICA SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DO ENSINO MÉDIO DIRETORIA DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Conteúdo

Leia mais

Planificação anual de Ciências Naturais 9º Ano de escolaridade 2013 / 14

Planificação anual de Ciências Naturais 9º Ano de escolaridade 2013 / 14 Departamento de Ciências Experimentais Grupo de recrutamento 520 - Biologia e Geologia Planificação anual de Ciências Naturais 9º Ano de escolaridade 2013 / 14 1 ESCOLA SECUNDÁRIA DR. GINESTAL MACHADO

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIACÃO

CRITÉRIOS DE AVALIACÃO CRITÉRIOS DE AVALIACÃO Educação Visual 5º Ano Educação Visual 6º Ano Educação Tecnológica 5º Ano Educação Tecnológica 6º Ano ANO ESCOLAR 2015 / 2016 Ano letivo de 2015 / 2016 INTRODUÇÃO Sendo a avaliação

Leia mais

ÁREA: CIÊNCIAS NATURAIS

ÁREA: CIÊNCIAS NATURAIS PLANIFICAÇÃO DO PCE Escola Básica e Secundária de Velas ANO LETIVO: 2014/2015 ANO: 7º ÁREA: CIÊNCIAS NATURAIS COMPETÊNCIAS- CHAVE C1;C3;C5;C7 C3;C5;C7 C3;C6;C7 DOMÍNIOS/ CONTEÚDOS METAS CURRICULARES ATIVIDADES/ESTRATÉGIAS

Leia mais

PREVENÇÃO DAS DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS PREVENIR É PRECISO MANUAL DE ORIENTAÇÕES AOS SERVIDORES VIGIAS DA PREFEITURA DE MONTES CLAROS

PREVENÇÃO DAS DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS PREVENIR É PRECISO MANUAL DE ORIENTAÇÕES AOS SERVIDORES VIGIAS DA PREFEITURA DE MONTES CLAROS PREVENÇÃO DAS DOENÇAS MANUAL DE ORIENTAÇÕES AOS SERVIDORES CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS VIGIAS DA PREFEITURA DE MONTES CLAROS design ASCOM-PMMC PREVENIR É PRECISO DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS No

Leia mais

Meio Ambiente PROJETOS CULTURAIS. 3 0 a O - fu dame tal. Cuidar da vida também é coisa de criança. Justificativa

Meio Ambiente PROJETOS CULTURAIS. 3 0 a O - fu dame tal. Cuidar da vida também é coisa de criança. Justificativa Meio mbiente 3 0 a O - fu dame tal Cuidar da vida também é coisa de criança Justificativa PROJETOS CULTURS Na idade escolar, as crianças estão conhecendo o mundo (Freire, 1992), sentindo, observando, identificando-se

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO 1º Ciclo Planificação Anual de Estudo do Meio 1º ano Ano Letivo 2015/2016

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO 1º Ciclo Planificação Anual de Estudo do Meio 1º ano Ano Letivo 2015/2016 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO 1º Ciclo Planificação Anual de Estudo do Meio 1º ano Ano Letivo 2015/2016 1º Trimestre DE SI MESMO A sua identificação Os seus gostos e preferências O seu

Leia mais

Sistema respiratório

Sistema respiratório Texto de apoio ao professor T6 Sistema respiratório Trocas gasosas (classificação e processo) Doenças respiratórias (causas e exemplos) Durante as trocas gasosas os gases deslocam-se dos locais onde a

Leia mais

O esquema representa uma provável filogenia dos Deuterostomados. Assinale a opção que apresenta CORRETAMENTE as características I, II, III e IV.

O esquema representa uma provável filogenia dos Deuterostomados. Assinale a opção que apresenta CORRETAMENTE as características I, II, III e IV. 1 PROVA DE BIOLOGIA I QUESTÃO 31 O esquema representa uma provável filogenia dos Deuterostomados. Assinale a opção que apresenta CORRETAMENTE as características I, II, III e IV. I II III IV a) Coluna vertebral

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR

SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 2ª AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DO 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 2012 CIÊNCIAS

Leia mais

Escola Profissional Gustave Eiffel Curso Técnico de Apoio à Infância Disciplina de Saúde Infantil - 2.º ano

Escola Profissional Gustave Eiffel Curso Técnico de Apoio à Infância Disciplina de Saúde Infantil - 2.º ano Introdução Apresentação do Módulo Escola Profissional Gustave Eiffel Curso Técnico de Apoio à Infância Disciplina de Saúde Infantil - 2.º ano Introdução Apresentação do Módulo Objectivos de Aprendizagem:

Leia mais

CIÊNCIAS PROVA 2º BIMESTRE 8º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ

CIÊNCIAS PROVA 2º BIMESTRE 8º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO CIÊNCIAS PROVA 2º BIMESTRE 8º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ Prova elaborada

Leia mais

A ENERGIA NO CENTRO DAS ATENÇÕES

A ENERGIA NO CENTRO DAS ATENÇÕES A ENERGIA NO CENTRO DAS ATENÇÕES A Responde às perguntas com a informação que consta nas páginas 2-3. Porque ingerimos alimentos? Qual é a unidade de energia utilizada em nutrição? Quando emagrecemos?

Leia mais

BIOLOGIA HUMANA TEMAS. ORGANIZAÇÃO ESTRUTURAL E FUNCIONAL DO ORGANISMO HUMANO 1. Compartimentos orgânicos Distinguir o meio interno do meio externo.

BIOLOGIA HUMANA TEMAS. ORGANIZAÇÃO ESTRUTURAL E FUNCIONAL DO ORGANISMO HUMANO 1. Compartimentos orgânicos Distinguir o meio interno do meio externo. BIOLOGIA HUMANA TEMAS ORGANIZAÇÃO ESTRUTURAL E FUNCIONAL DO ORGANISMO HUMANO 1. Compartimentos orgânicos Distinguir o meio interno do meio externo. 2. Homeostasia (1) Conceito de homeostasia; Importância

Leia mais

1º ANO MATRIZ CURRICULAR DE CIÊNCIAS NATURAIS. Eu um ser no ambiente

1º ANO MATRIZ CURRICULAR DE CIÊNCIAS NATURAIS. Eu um ser no ambiente 1º ANO MATRIZ CURRICULAR DE CIÊNCIAS NATURAIS Eu um ser no ambiente Higiene Corporal Os cinco sentidos Corpo humano Perceber a importância do cuidado com o corpo, da vacinação e da prevenção de acidentes.

Leia mais

Fotografia: Arte,Ciência e Tecnologia

Fotografia: Arte,Ciência e Tecnologia Fotografia: Arte,Ciência e Tecnologia E.E. Frontino Guimarães Sala 5 2ª Sessão Professor(es) Apresentador(es): Meire Pereira de França Roseli Fernandes Euquério Lima Realização: Foco Desenvolvimento da

Leia mais

CURSINHO PRÉ VESTIBULAR DISCIPLINA: BIOLOGIA PROFº EDUARDO

CURSINHO PRÉ VESTIBULAR DISCIPLINA: BIOLOGIA PROFº EDUARDO Aula 16: Sistema circulatório CURSINHO PRÉ VESTIBULAR DISCIPLINA: BIOLOGIA PROFº EDUARDO As funções realizadas pela circulação do sangue são indispensáveis para o equilíbrio de nosso corpo e vitais para

Leia mais

DISCIPLINA: Ciências Naturais CÓDIGO DA PROVA: 02

DISCIPLINA: Ciências Naturais CÓDIGO DA PROVA: 02 DISCIPLINA: Ciências Naturais CÓDIGO DA PROVA: 02 CICLO: 2º Ciclo ANO DE ESCOLARIDADE: 6º 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características da prova de exame de equivalência à frequência

Leia mais

Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data!

Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data! Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data! Use canetas coloridas ou escreva palavras destacadas, para facilitar na hora de estudar. E capriche! Não se esqueça

Leia mais

Trabalho do sistema excretor

Trabalho do sistema excretor GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE PEDAGOGIA Trabalho do sistema excretor

Leia mais

- Compreender a formação do universo em se tratando da evolução do homem como um todo. - análise de texto - Leitura; - Texto descritivo.

- Compreender a formação do universo em se tratando da evolução do homem como um todo. - análise de texto - Leitura; - Texto descritivo. Plano de ação- 2015 - trimestral Colégio Estadual Mahatma Gandhi Ensino Fundamental Ciências 8º A, 8ºB, 8C Professora: Josiane Maria Guerra Conteúdo específico Objetivos Encaminhamentos metodológicos e

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO CURSO VOCACIONAL 3º CICLO AMGE - Auxiliar de Manutenção e Gestão de Espaços CRITÉRIOS DE Ano Lectivo 2014/15 Coordenador do Curso: José Pedro Moutinho Critérios de Avaliação (14-15) VOCACIONAL C AMGE -

Leia mais

Você saberia responder aos questionamentos de forma cientificamente correta?

Você saberia responder aos questionamentos de forma cientificamente correta? Você saberia responder aos questionamentos de forma cientificamente correta? Como as fezes são formadas? Como a urina é formada no nosso corpo? Sistema Cardiovascular Funções Gerais: Transporte de nutrientes,

Leia mais

PLANO DE ÁREA DE ESTUDO (PLAEST)

PLANO DE ÁREA DE ESTUDO (PLAEST) SISTEMA COLÉGIO MILITAR DO BRASIL COLÉGIO MILITAR DE CURITIBA ENSINO FUNDAMENTAL ELABORADO EM 2007 Fl-1 CIÊNCIAS FÍSICAS E BIOLÓGICAS 6ª ANO CARGA HORÁRIA: 120 HORAS Nr SESSÕES: 160 horas-aula PLANO DE

Leia mais

12º ANO. Competências procedimentais Actividades sugeridas Tempo previsto Conceitos. - Análise do ciclo de vida humano com esquema em power point.

12º ANO. Competências procedimentais Actividades sugeridas Tempo previsto Conceitos. - Análise do ciclo de vida humano com esquema em power point. 12º ANO Valorizar os conhecimentos sobre reprodução humana para compreender o funcionamento do próprio corpo, de modo a adoptar comportamentos promotores de saúde Competências procedimentais Actividades

Leia mais

PLANO CURRICULAR DISCIPLINAR. Ciências Naturais 9.º Ano

PLANO CURRICULAR DISCIPLINAR. Ciências Naturais 9.º Ano PLANO CURRICULAR DISCIPLINAR Ciências Naturais 9.º Ano UNIDADES DIDÁTICAS CONTEÚDOS METAS DE APRENDIZAGEM 1º Período VIVER MELHOR NA TERRA Saúde individual e comunitária Medidas de ação para a promoção

Leia mais

Nutrientes. E suas funções no organismo humano

Nutrientes. E suas funções no organismo humano Nutrientes E suas funções no organismo humano O corpo humano necessita de uma série de substâncias básicas indispensáveis para a formação de tecidos, para obtenção de energia, para a realização de atividades

Leia mais

D) Presença de tubo digestivo completo em anelídeos, e incompleto em cnidários.

D) Presença de tubo digestivo completo em anelídeos, e incompleto em cnidários. QUESTÓES DE ESPECÍFICA BIOLOGIA PROFª: THAÍS ALVES/ DATA: 15/07/14 01. Critérios anatômicos, fisiológicos e embrionários servem também de base para estabelecer o grau de parentesco entre os seres e, consequentemente,

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS 5.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS 5.º ANO DE CIÊNCIAS NATURAIS 5.º ANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO No domínio da Água, o ar, as rochas e o solo - materiais terrestres, o aluno deve ser capaz de: Compreender a Terra como um planeta especial

Leia mais

PSICOLOGIA (CEF) - PLANIFICAÇÃO MÓDULO 1 - CRESCER E DESENVOLVER-SE

PSICOLOGIA (CEF) - PLANIFICAÇÃO MÓDULO 1 - CRESCER E DESENVOLVER-SE PSICOLOGIA (CEF) - PLANIFICAÇÃO MÓDULO 1 - CRESCER E DESENVOLVER-SE COMPETÊNCIAS CONTEÚDOS ACTIVIDADES/ - Apresentar comportamentos que promovam um melhor crescimento saudável de si, dada a compreensão

Leia mais

Ano: 8 Turma: 8.1 e 8.2

Ano: 8 Turma: 8.1 e 8.2 COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Final 2ª Etapa 2014 Disciplina: Ciências Professor (a): Felipe Cesar Ano: 8 Turma: 8.1 e 8.2 Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de recuperação.

Leia mais

Sistema Respiratório Introdução

Sistema Respiratório Introdução Introdução Nesse caso, o termo respiração é empregado incluindo as trocas gasosas através do corpo e as trocas gasosas nas células dos diferentes tecidos. As trocas gasosas são realizadas através da superfície

Leia mais

SISTEMA EXCRETOR P R O F E S S O R A N A I A N E

SISTEMA EXCRETOR P R O F E S S O R A N A I A N E SISTEMA EXCRETOR P R O F E S S O R A N A I A N E O que não é assimilado pelo organismo O que o organismo não assimila, isto é, os materiais inúteis ou prejudiciais ao seu funcionamento, deve ser eliminado.

Leia mais

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação PROVA FINAL DE CIÊNCIAS Aluno(a): Nº Ano: 8º Turma: Data: Nota: Professora: Karina Valor da Prova: 90 pontos Assinatura do responsável: Orientações gerais: 1)

Leia mais

BIOLOGIA ANATOMIA E FISIOLOGIA ANIMAL PROF ESTEVAM DIGESTÃO

BIOLOGIA ANATOMIA E FISIOLOGIA ANIMAL PROF ESTEVAM DIGESTÃO BIOLOGIA ANATOMIA E FISIOLOGIA ANIMAL PROF ESTEVAM CONTEÚDO: Digestão e Circulação DIGESTÃO O processo de digestão é um dos primordiais dos seres vivos por ser por meio dele que se adquire a matéria necessária

Leia mais

DISTÚRBIOS ALIMENTARES

DISTÚRBIOS ALIMENTARES DISTÚRBIOS ALIMENTARES Adolescência Período da vida entre a infância e a idade adulta. Fase decisiva na vida do ser humano. Fase de experiências, mudanças físicas, psicológicas e emocionais, que são avaliadas

Leia mais

Atividades de educação ambiental

Atividades de educação ambiental 1213 Centro Atividades de educação ambiental Ambiental da Pena 1 Introdução / Com vista à preservação e gestão equilibrada dos recursos naturais existentes no nosso planeta e face às alterações que o mesmo

Leia mais

MATERIAL DE APOIO PARA INSÍGINIA MUNDIAL DE CONSERVACIONISMO

MATERIAL DE APOIO PARA INSÍGINIA MUNDIAL DE CONSERVACIONISMO MATERIAL DE APOIO PARA INSÍGINIA MUNDIAL DE CONSERVACIONISMO 03 DE JULHO DE 2009 ÍTENS DA ETAPA MARROM 1. TOMAR PARTE, DE PREFERÊNCIA EM UM GRUPO, EM DOIS PROJETOS, TAIS COMO: Limpar um arroio, valo ou

Leia mais