DESENVOLVIMENTO DE APLICATIVO PARA SUPERVISÃO DE UM SISTEMA DE COMUNICAÇÃO QUE ACIONA DIFERENTES DISPOSITIVOS POR MEIO DE UMA INTERFACE IHC VIA RSSF.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DESENVOLVIMENTO DE APLICATIVO PARA SUPERVISÃO DE UM SISTEMA DE COMUNICAÇÃO QUE ACIONA DIFERENTES DISPOSITIVOS POR MEIO DE UMA INTERFACE IHC VIA RSSF."

Transcrição

1 DESENVOLVIMENTO DE APLICATIVO PARA SUPERVISÃO DE UM SISTEMA DE COMUNICAÇÃO QUE ACIONA DIFERENTES DISPOSITIVOS POR MEIO DE UMA INTERFACE IHC VIA RSSF. Juliana Salgado Oliveira da Silva Faculdade de Análise de Sistemas CEATEC Prof. Dr. David Bianchini Sistemas de Telecomunicações e Informática Gestão de Redes e Serviços CEATEC Resumo: A iniciação científica descrita tem por objetivo projetar e construir uma interface humanocomputador - IHC a ser instalada em um celular (iphone) a qual permitirá a seu usuário supervisionar as ações de um paciente de Afasia que, via outra interface humano computador específica, instalada em um dispositivo tipo tablet, estará acionando alguns recursos presentes no seu entorno (como o acender/apagar de uma luz, ligar/desligar um ventilador, dentre outras). Ações estas viabilizadas por meio de uma rede de sensores sem fio RSSF. O supervisor seria a pessoa cuidadora desse paciente, que além de acompanhar todas as solicitações de seu celular, pode ser chamada em caráter de urgência pelo paciente, por um botão de pânico presente na interface do tablet. Espera-se estar oferecendo a este cuidador, um meio de acompanhar remotamente seu paciente, nos momentos que precise se afastar dele. Palavras-chave: RSSF, Supervisório, Afasia. Área do conhecimento: 03 - Engenharias telecomunicações. 1. INTRODUÇÃO A Iniciação Científica descrita é parte de um projeto que tem por objetivo estudar a viabilidade de se montar um sistema de comunicação apoiado em uma rede de sensores RSSF, e plataforma Radiuino [1] para captura e transmissão de sinais por meio de duas interfaces humano computador IHC presentes em dois dispositivos, bastante comuns nos dias atuais, um tablet e um celular, tipo iphone. O trabalho busca a um paciente e seu cuidador maior qualidade de vida. Espera-se que o paciente, nos momentos de afastamento do cuidador, possa comandar um dispositivo como, por exemplo, o acender/desligar de uma lâmpada, ou ligar/desligar um ventilador etc. Acredita-se que assim se ofereça uma maior acessibilidade a pessoas que sofreram Acidente Vascular Cerebral AVC e são portadoras de Hemiplegia e Afasia não fluente [2], por meio do envio e recebimento de informações (sistema de comunicação experimental) melhorando assim sua adaptação e convívio em sociedade. A relevância de estudos e pesquisa nesta área trazem novas soluções com custos menores e maior abrangência através do uso das Tecnologias de Informação e Comunicação TIC e devido às possibilidades geradas pela crescente descoberta de novas arquiteturas de interoperabilidade [3]. O escopo do projeto, como um todo, baseia-se em três vertentes, uma interface junto ao paciente, uma RSSF e a monitoração de todo o processo. Inclui-se a possibilidade de um chamado de urgência em uma condição de pânico do paciente. Neste contexto, o objetivo da IC era estudar e elaborar o aplicativo para supervisão que permitisse gerenciar um sistema de comunicação onde o usuário através da interface acione dispositivos de controle (controlador de temperatura, luminosidade etc.) via um sistema de comunicação baseado em RSSF. 2. SISTEMAS SUPERVISÓRIOS Os sistemas supervisórios [4] permitem que sejam monitoradas e rastreadas informações de um processo produtivo ou instalação física. Tais informações são coletadas por meio de equipamentos de aquisição de dados e, em seguida, manipuladas, analisadas, armazenadas e posteriormente, apresentadas ao usuário. Estes sistemas também são chamados de SCADA (Supervisory Controland Data Aquisition). A seguir são apresentados algumas soluções para supervisão: 2.1 Cimplicity HMI O Cimplicity HMI [5] consiste em um sistema SCADA que, baseado no padrão cliente/servidor, promete um

2 menor tempo de resposta com custo reduzido e considerável aumento de produtividade. Sua licença é vendida de acordo com o número de entradas e saídas de cada servidor, chamadas de I/O Count (contagem de entradas e saídas). Quanto maior for o número de E/S o produto torna-se mais oneroso. 2.2 Eclipse E3 Elipse E3 é um sistema que tem como foco garantir uma grande conectividade, flexibilidade e principalmente confiabilidade. Indicado principalmente para sistemas críticos, onde cada parada do controle acarreta grandes prejuízos. O E3 permite também a comunicação com inúmeros protocolos e equipamentos, podendo ser utilizado tanto em sistemas locais como geograficamente distribuídos [6]. No geral é um supervisório ideal para empresas que tem equipamentos de diversos fabricantes, e se mostrou bastante estável, o que confirmou a segurança prometida para quem o utiliza. 2.3 Lintouch Considerando os outros sistemas supervisórios citados, fica impossível fazer uma comparação, pois toda a estrutura do Lintouch ainda está em fase de aperfeiçoamento, mas a importância deste projeto é clara, pois pode se fazer uma analogia com o sistema operacional Linux. O Lintouch é um sistema que ainda precisa de muito aperfeiçoamento, mas que tem tendência de se tornar um grande sistema por apresentar cada vez mais parceiros em seu desenvolvimento e também por ser gratuito [7]. 2.4 A plataforma genérica ScadaBr O ScadaBR pode ser acessado a partir de um navegador de Internet, preferencialmente o Firefox ou o Chrome. A interface principal do ScadaBR é de fácil utilização e oferece visualização das variáveis, gráficos, estatísticas, configurações dos protocolos, alarmes, construções de telas tipo IHC, tratadores de eventos, controle de usuário entre outros. Depois de configurar os protocolos de comunicação com os equipamentos e definir as variáveis (entradas e saídas) de uma aplicação automatizada, é possível montar interfaces de operador web utilizando o próprio navegador. Também é possível criar aplicativos personalizados, em qualquer linguagem de programação moderna, a partir do código fonte disponibilizado no site do ScadaBr via internet. É um software livre de código aberto e sem custo, com uma aplicação multiplataforma baseada em Java [8]. Analisando-se os sistemas existentes e considerando os requisitos desta pesquisa que são: aplicação com custo reduzido, disponibilidade de uma grande variedade de ferramentas e software livre, o ScadaBr é o que melhor se encaixa no perfil da Iniciação. 3. AFASIA Inicialmente deve-se esclarecer o conceito de afasia. De acordo com ABC SAÚDE [9] Afasia A (=não) fasia (=falar) significa por este motivo que uma pessoa não é mais capaz de falar o que gostaria. A principal causa da afasia é o AVC [9] que resulta em uma lesão cerebral. Se como resultado de uma lesão cerebral uma ou mais partes do uso da linguagem pararem de funcionar apropriadamente, isto é chamado afasia Perfil do paciente afásico Ao observar alguns casos no Hospital e Maternidade Celso Pierro sob a orientação de uma professora especialista em fonoaudiologia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas, conseguiu-se compreender o perfil de alguns pacientes para visualizar com clareza suas necessidades e limitações com a finalidade de estabelecer um perfil. Inicialmente foi possível observar em ambiente próprio, separado e restrito, o acompanhamento e o estudo desses problemas realizados pelas alunas de fonoaudiologia. Foi solicitado que seus pacientes colocassem algumas imagens na sequência lógica, por exemplo, no cultivo de um vegetal: primeiro plantar a semente, depois regar a terra e por fim mostraria a imagem do vegetal já desenvolvido em um vaso. Observou-se que em algumas ocasiões (é sempre bom lembrar que em afasia cada caso é um caso), os pacientes podem ter apresentado mais de um dos sintomas de afasia como: Dificuldade em compreender o que era para ser feito, ou seja, ordenar as imagens. Compreender o que era para ser feito, porém, na metade da atividade esquecer e então a médica ter que explicar várias vezes durante a consulta. Dificuldade em completar a sequência lógica corretamente. Dificuldade em movimentar as imagens. Dificuldade na comunicação oral.

3 Descrição distorcida das imagens apresentadas quando da sua análise. Devido à complexidade dos inúmeros casos, estabeleceu-se um perfil de um afásico com dificuldades motoras que se justifique a necessidade da automação residencial. 4. METODOLOGIA Dentro do escopo do projeto especificamente na IC, foi efetuado o estudo sobre interface humanocomputador IHC [10] e a respeito de sistemas de supervisão [8] que permitissem a elaborar um aplicativo para integração dos diferentes módulos, interface, rede e supervisório que atendessem parâmetros de qualidade e facilidade de utilização. Após o desenvolvimento do módulo de supervisão este foi integrado à rede para realização de testes, com a validação da transmissão dos comandos desejados e a análise de qualidade monitorando-se os resultados finais no controle de diferentes dispositivos. 4.1 Desenvolvimento da interface para supervisão O sistema surgiu da necessidade do deficiente portador de afasia, obter uma melhor qualidade de vida e, mesmo que minimamente, diminuir sua dependência para com seu cuidador. Estima-se que o instrumento deva ser usado por um período não longo, cerca de uma hora, dando chance de que o cuidador possa se ausentar e fazer alguma outra atividade, mas com a possibilidade de obter informações online em um dispositivo móvel. Ao sentir a necessidade de acionar um dispositivo, o usuário lançará mão de um aplicativo desenvolvido em uma IC em paralelo visualizado em um Tablet, tocando em uma determinada imagem para que a ação possa ser realizada. O aplicativo desenvolvido terá duas telas, uma relacionada às necessidades pessoais evidenciando-se o caso de emergência em que é enviado um alerta ao cuidador por , para que este retorne imediatamente, conforme Figura 1, e outra tela representando as automações conforme Figura 2. Figura 1. Interface Aplicativo utilizado pelo paciente (desenvolvimento pela IC em paralelo) Figura 2. Interface Aplicativo utilizado pelo paciente (desenvolvimento pela IC em paralelo) Por fim, escolhida a imagem através do toque na tela do Tablet, este se comunicará com o reator instalado no dispositivo e será acionado. Paralelamente ao aplicativo, atua o sistema supervisório, responsável pela supervisão do processo, para que em caso de falhas o cuidador possa intermediar e tomar providências, conforme protótipo da Figura 3, recebendo notificações e alarmes periodicamente via . Além da visualização das solicitações feitas, garantindo a supervisão do processo. Figura 3. Interface página web sistema supervisório (desenvolvida por esta IC) a ser utilizada pelo cuidador. Baseando-se nas premissas apresentadas, o protótipo da página de supervisão desenvolvido se apoiou na premissa de que deveria ser uma interface simples e intuitiva. Considerou-se aqui que seu usuário,

4 geralmente não viria a ter muitos conhecimentos na área da informática. Este pressuposto induziu a se optar por seguir o padrão da interface do afásico para os itens de automação, facilitando a aprendizagem do sistema. Buscou-se também seguir os conceitos de usabilidade propostos por Nielsen [11] bem como foram definidos guidelines, ou seja, regras que a interface deve seguir de modo a ser fácil e simples de manipulá-la, conforme se pode observar nos principais definidos nas Tabelas I,II,III e IV. Guideline 1 Tabela 1. Primeiro Guideline Prover informação de dispositivos acionados. Se uma porta estiver aberta a interface de supervisão deve exibi-la como tal. O cuidador deve ser capaz de obter informações em tempo real a respeito do afásico. Tabela 2. Segundo Guideline Guideline 2 Guideline 3 Prover informações de necessidades solicitadas Se o afásico no dispositivo solicitar sede, fome, ou qualquer necessidade deve ser exibida na interface de supervisão. O cuidador deve ser capaz de obter informações em tempo real. Tabela 3. Terceiro Guideline Prover relatório de atividades. Exibir todas as solicitações da ultima hora. Acompanhamento de todo o período ausente. Guideline 4 Tabela 4. Quarto Guideline Padronizar tamanho dos ícones. Todos os ícones que exibem as solicitações devem possuir o mesmo tamanho O design deve ser organizado, mantendo-se as proporções a um tablet de sete polegadas. Partindo dos guidelines definidos, o protótipo foi apresentado a uma especialista em fonoaudiologia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas, que trabalha com pacientes afásicos e após sua aprovação iniciou-se a etapa do desenvolvimento. 4.2 Desenvolvimento da aplicação O desenvolvimento inicia-se configurando as variáveis do sistema, ou seja, os data sources e data points. Primeiramente devem-se configurar os data sources, definidos do tipo Radiuino para as automações e do tipo virtual para as necessidades pessoais. Configurados estes a próxima etapa consiste em definir os data points, variáveis do tipo binário que controla o estado do dispositivo do Radiuino (1 para ligado ou 0 para desligado), ou no caso de necessidades pessoais ( 1 para solicitado e 0 para não solicitado). As modificações feitas no sistema só são vistas ao reiniciar o servidor utilizado pelo aplicativo Apache Tomcat [12] e então as imagens podem ser visualizadas no desenvolvimento da interface. O design foi alterado devido ao tamanho em que foi desenvolvido, no caso para um tablet de sete polegadas, buscando deixar a interface o mais simples possível e sem informações ambíguas. No design inicial pode ser visto se um dispositivo está acionado através das imagens ou dos ícones acompanhados de texto, que na nova versão somente será visualizado pela imagem, buscando tornar mais intuitivo possível, mantendo-se texto e ícone somente para os itens de necessidade pessoal, conforme Figura 4.

5 Figura 5. Integração das três iniciações. Figura 4. Visualização gráfica do aplicativo no sistema ScadaBr. Para que o cuidador obtenha informação da atividade do paciente no momento de ausência, devem-se configurar os watch lists, que são as variáveis monitoradas. Também gerenciar alarmes, pois quando for solicitado pelo botão emergência, o cuidador deve ser notificado via , sendo essencial que seja configurado o período do envio do mesmo. Seguindo-se os passos descritos concluiu-se o desenvolvimento do aplicativo supervisório. No desenvolvimento evidencia-se a maleabilidade do sistema ao desenvolver a interface gráfica. Entretanto o ScadaBr apresenta atualmente problemas de compatibilidade quando se importa um aplicativo de um computador para o outro e ocorre de ambos não possuírem a mesma versão instalada. Este fato pode gerar problemas caso o usuário não tenha bons conhecimentos de informática. Outro ponto relevante no desenvolvimento do projeto foi observar que o TomCat muitas vezes se mostrou um serviço instável pois a aplicação parava e voltava a funcionar, sem que nada fosse feito. 4.3 Testes A etapa de testes consistiu na integração das três IC s (Figura 5), ou seja, o protótipo de uma residência automatizada, o acionamento do protótipo através do acionamento de uma interface disponível em um dispositivo móvel (Figura 5) e por fim a supervisão desse processo (Figuras 7 e 8). Os resultados obtidos atenderam as expectativas. Podem-se visualizar as solicitações no sistema supervisório, conforme foi proposto. Figura 6. Acionamento da maquete através do dispositivo móvel. Figura 7. Supervisório exibindo que a luz está acesa, assim como foi acionado.

6 Figura 9. Supervisório exibindo solicitação de fome e dor conforme solicitado no aplicativo. É importante salientar que nas figuras a interface de supervisão está presente em um microcomputador apenas por questão de visualização, visto que na figura 5 a imagem, no celular, ela fica muito pequena. 5. ANÁLISE DOS RESULTADOS Concluídos os testes juntamente com as IC s em paralelo, foi feita uma demonstração à especialista em fonoaudiologia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas. Foi a mesma professora que havia aprovado o protótipo inicial e considerou-se importante que a mesma especialista avaliasse o resultado final. O trabalho foi aprovado por ela e considerados atendidos os pressupostos do projeto. Foram sugeridas melhorias futuras com relação ao tamanho dos botões da interface que ficaria junto ao paciente e que acionam os dispositivos de automação. Com relação a esta IC evidenciou-se a importância do envio de e ativação do sinal sonoro de alerta, para que o cuidador sinta-se confortável e possa monitorar o paciente no tempo em que estiver ausente. O projeto inicialmente propunha o uso da voz para ativar os dispositivos, entretanto, devido ao fato do aplicativo utilizado não permitir o controle por voz, esta funcionalidade não foi implementada, ficando como sugestão futura o desenvolvimento da mesma partindo da premissa que seja escolhida outra plataforma que não o ScadaBr. 6. CONCLUSÃO A pesquisa científica realizada pôde proporcionar a experiência de acompanhar a realidade, neste caso foi a realidade dos pacientes afásicos bem como a de seus cuidadores. Pôde-se observar a escassez de recursos disponíveis bem como o alto custo dos mesmos. Evidenciando-se a importância do projeto de pesquisa que permite ao cuidador uma melhora em sua qualidade de vida, garantido uma autonomia de um período de uma hora, com custos reduzidos comparados aos recursos disponíveis no mercado. AGRADECIMENTOS Os agradecimentos vão ao Prof. Dr. David Bianchini, Prof. Luciana Granja, Prof. Dr. Omar Branquinho, Prof. Dr. José Oscar Fontanini pelo esclarecimento de dúvidas referentes às suas respectivas especialidades. Aos alunos Bruna Aveiro e Davi Mazargão, pela colaboração durante o desenvolvimento da pesquisa, cujas respectivas iniciações em paralelo contribuíram para que todo o conjunto se integrasse perfeitamente. REFERÊNCIAS [1] Arduino (2014), Reference, capturado online em 25/06/2014 de< [2] PANHOCA I. (2013), O papel do cuidador na clínica fonoaudiológica dando voz a quem cuida de um sujeito afásico, capturado online em 30/03/13 de < revistas.pucsp.br/index.php/dic/article/download/ 6673/4833 >. [3] Hummel, G. S. (2006), ehealth: o iluminismo digital chega a saúde. São Paulo: Editora STS. [4] Elipse Knowledgebase (2013), O que são sistemas supervisórios. Capturado online em 10/08/2013 em vis%c3%b3rios%3f> [5] GE Intelligent Plataforms (2014), Cimplicy HMI, capturado online em 10/06/2014 de <http://www.geip.com/products/proficy-hmi-scada-cimplicity/p2819>. [6] Elipse Software (2014), Eclipse E3, capturado online em 10/06/2014 de <http://www.elipse.com.br/port/index.aspx>. [7] LinuxSCADA (2014), Lintouch, capturado online em 18/07/2014 de <http://linuxscada.info/lintouch.htm>. [8] ScadaBr (2014), Você já conhece o ScadaBr, capturado online em 22/07/2014 de < [9] ABC Saúde (2013), Afasia. Capturado online em 12/08/2013 de <http://www.abcsaude.com.br/artigo.php?>. [10] Rocha. V. H.; Baranauskas, C. C. (2003),Design e avaliação de interfaces humano-computador. Campinas: NIED/UNICAMP. [11] Nielsen, J., Loranger H. (2007), Usabilidade na Web. Rio de Janeiro, Elsevier. [12] TomCat (2014), Apache Tomcat. capturado online em 03/08/2014 de <

Aula 02 Conceitos básicos elipse. INFORMÁTICA INDUSTRIAL II ENG1023 Profª. Letícia Chaves Fonseca leticia.chavesfonseca@gmail.com

Aula 02 Conceitos básicos elipse. INFORMÁTICA INDUSTRIAL II ENG1023 Profª. Letícia Chaves Fonseca leticia.chavesfonseca@gmail.com Aula 02 Conceitos básicos elipse INFORMÁTICA INDUSTRIAL II ENG1023 Profª. Letícia Chaves Fonseca leticia.chavesfonseca@gmail.com 1. Introdução O Elipse E3 trabalha totalmente orientado para a operação

Leia mais

SISTEMA DE DOMÓTICA APLICADA AO USO E CONTROLE EFICIENTE DE ENERGIA ELÉTRICA, A PARTIR DE MEDIÇÕES DE CORRENTE ELÉTRICA.

SISTEMA DE DOMÓTICA APLICADA AO USO E CONTROLE EFICIENTE DE ENERGIA ELÉTRICA, A PARTIR DE MEDIÇÕES DE CORRENTE ELÉTRICA. SISTEMA DE DOMÓTICA APLICADA AO USO E CONTROLE EFICIENTE DE ENERGIA ELÉTRICA, A PARTIR DE MEDIÇÕES DE CORRENTE ELÉTRICA. Guilherme Vischi de Andrade Pontifícia Universidade Católica de Campinas CEATEC

Leia mais

O que são sistemas supervisórios?

O que são sistemas supervisórios? O que são sistemas supervisórios? Ana Paula Gonçalves da Silva, Marcelo Salvador ana-paula@elipse.com.br, marcelo@elipse.com.br RT 025.04 Criado: 10/09/2004 Atualizado: 20/12/2005 Palavras-chave: sistemas

Leia mais

TÍTULO: SISTEMA DE CLIMATIZAÇÃO SUSTENTÁVEL CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E TECNOLOGIAS SUBÁREA: ENGENHARIAS

TÍTULO: SISTEMA DE CLIMATIZAÇÃO SUSTENTÁVEL CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E TECNOLOGIAS SUBÁREA: ENGENHARIAS Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: SISTEMA DE CLIMATIZAÇÃO SUSTENTÁVEL CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E TECNOLOGIAS SUBÁREA:

Leia mais

DOMÓTICA APLICADA AO USO EFICIENTE DA ÁGUA

DOMÓTICA APLICADA AO USO EFICIENTE DA ÁGUA DOMÓTICA APLICADA AO USO EFICIENTE DA ÁGUA Gabriel Mendes Veiga Faculdade de Engenharia Elétrica CEATEC gabriel.mv3@puccamp.edu.br Resumo: Com as variações climáticas que vem acontecendo no país, certas

Leia mais

SISTEMA DE SUPERVISÃO DE RAMPAS DE ACESSO APLICADO PARA AVALIAÇÃO DE ACESSIBILIDADE EM EDIFICAÇÕES E MEIO URBANO.

SISTEMA DE SUPERVISÃO DE RAMPAS DE ACESSO APLICADO PARA AVALIAÇÃO DE ACESSIBILIDADE EM EDIFICAÇÕES E MEIO URBANO. SISTEMA DE SUPERVISÃO DE RAMPAS DE ACESSO APLICADO PARA AVALIAÇÃO DE ACESSIBILIDADE EM EDIFICAÇÕES E MEIO URBANO. José Vinícius de Faria Pontifícia Universidade Católica de Campinas CEATEC jose.vf@puccamp.edu.br

Leia mais

AUTOR(ES): LUIS WAGNER PASSINHO, ALESSANDRA CRISTINA SILVA, DANIEL ALVES DA ROCHA

AUTOR(ES): LUIS WAGNER PASSINHO, ALESSANDRA CRISTINA SILVA, DANIEL ALVES DA ROCHA TÍTULO: AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL PELA INTERNET COM PHP E ARDUINO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA SUBÁREA: COMPUTAÇÃO E INFORMÁTICA INSTITUIÇÃO: FACULDADE ANHANGUERA DE CAMPINAS AUTOR(ES):

Leia mais

Desenvolvimento de um CMS 1 para a criação e publicação de web sites acessíveis por deficientes visuais.

Desenvolvimento de um CMS 1 para a criação e publicação de web sites acessíveis por deficientes visuais. Desenvolvimento de um CMS 1 para a criação e publicação de web sites acessíveis por deficientes visuais. Tales Henrique José MOREIRA 1 ; Gabriel da SILVA 2 ; 1 Estudante de Tecnologia em Sistemas para

Leia mais

Automação de Locais Distantes

Automação de Locais Distantes Automação de Locais Distantes Adaptação do texto Improving Automation at Remote Sites da GE Fanuc/ Water por Peter Sowmy e Márcia Campos, Gerentes de Contas da. Nova tecnologia reduz custos no tratamento

Leia mais

Gravação e Transmissão

Gravação e Transmissão O D-Guard Center é um poderoso sistema de controle e monitoramento, integrado aos mais diversos equipamentos de segurança eletrônica. Ilimitados dispositivos podem ser controlados e monitorados simultaneamente:

Leia mais

Sistemas Supervisórios

Sistemas Supervisórios Sistemas Supervisórios Prof a. Michelle Mendes Santos michelle@cpdee.ufmg.br Sistemas Supervisórios Objetivos: Apresentação e posicionamento da utilização de sistemas supervisórios em plantas industriais;

Leia mais

TÍTULO: ARCASE - AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL COM ANDROID E SISTEMAS EMBARCADOS

TÍTULO: ARCASE - AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL COM ANDROID E SISTEMAS EMBARCADOS Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: ARCASE - AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL COM ANDROID E SISTEMAS EMBARCADOS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA:

Leia mais

Sistemas de controle para processos de bateladas

Sistemas de controle para processos de bateladas Sistemas de controle para processos de bateladas Por Alan Liberalesso* Há algum tempo os processos de batelada deixaram de ser um mistério nas indústrias e no ambiente de automação. O cenário atual nos

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA. Automação residencial utilizando dispositivos móveis e microcontroladores.

PROJETO DE PESQUISA. Automação residencial utilizando dispositivos móveis e microcontroladores. PROJETO DE PESQUISA 1. Título do projeto Automação residencial utilizando dispositivos móveis e microcontroladores. 2. Questão ou problema identificado Controlar remotamente luminárias, tomadas e acesso

Leia mais

Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy

Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy Ricardo Caruso Vieira Aquarius Software Revista Cadware Ed.22 versão online 1. Introdução Há mais de duas décadas, a indústria investe intensamente

Leia mais

Introdução e Aplicação de Sistemas SCADA em Engenharia

Introdução e Aplicação de Sistemas SCADA em Engenharia Introdução e Aplicação de Sistemas SCADA em Engenharia Eng. Fernando Guessi Plácido E-mail: fernandogplacido@hotmail.com Skype: fernando.guessi Roteiro O que é SCADA Benefícios de um sistema de supervisão;

Leia mais

Desenvolvendo e Integrando Serviços Multiplataforma de TV Digital Interativa

Desenvolvendo e Integrando Serviços Multiplataforma de TV Digital Interativa Desenvolvendo e Integrando Serviços Multiplataforma de TV Digital Interativa Agenda Introdução Aplicações interativas de TV Digital Desafios de layout e usabilidade Laboratório de usabilidade Desafios

Leia mais

MY HOME INTRODUÇÃO TOUCH SCREEN. Comando de Automação

MY HOME INTRODUÇÃO TOUCH SCREEN. Comando de Automação TOUCH SCREEN Comando de Automação Central de Cenário 54 ÍNDICE DE SEÇÃO 56 A casa como você quer 62 As vantagens de 66 Dispositivos BUS 68 Integração das funções My Home 70 Vantagens da instalação BUS

Leia mais

PROTÓTIPO DE ATENDIMENTO DOMICILIAR AUTOMATIZADO: HOME CARE DE BAIXO CUSTO

PROTÓTIPO DE ATENDIMENTO DOMICILIAR AUTOMATIZADO: HOME CARE DE BAIXO CUSTO PROTÓTIPO DE ATENDIMENTO DOMICILIAR AUTOMATIZADO: HOME CARE DE BAIXO CUSTO Wilker Luiz Machado Barros¹, Wyllian Fressatti¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil wilkermachado1@hotmail.com,

Leia mais

Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy

Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy Integração de Sistemas Industriais com a Suíte GE Proficy Ricardo Caruso Vieira Aquarius Software 1. Introdução Há mais de duas décadas, a indústria investe intensamente em sistemas ERP (Enterprise Resource

Leia mais

Manual do Usuário Android Neocontrol

Manual do Usuário Android Neocontrol Manual do Usuário Android Neocontrol Sumário 1.Licença e Direitos Autorais...3 2.Sobre o produto...4 3. Instalando, Atualizando e executando o Android Neocontrol em seu aparelho...5 3.1. Instalando o aplicativo...5

Leia mais

AUTOR(ES): CARLOS ANTONIO PINHEIRO PINTO, ERMÍNIO PEDRAL SANTANA, GUILHERME CASSIANO DA SILVA

AUTOR(ES): CARLOS ANTONIO PINHEIRO PINTO, ERMÍNIO PEDRAL SANTANA, GUILHERME CASSIANO DA SILVA Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: SISTEMA MÓVEL DE COMPRAS POR QR CODE CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E TECNOLOGIAS SUBÁREA:

Leia mais

O que é o Virto ERP? Onde sua empresa quer chegar? Apresentação. Modelo de funcionamento

O que é o Virto ERP? Onde sua empresa quer chegar? Apresentação. Modelo de funcionamento HOME O QUE É TOUR MÓDULOS POR QUE SOMOS DIFERENTES METODOLOGIA CLIENTES DÚVIDAS PREÇOS FALE CONOSCO Suporte Sou Cliente Onde sua empresa quer chegar? Sistemas de gestão precisam ajudar sua empresa a atingir

Leia mais

CEFET/RJ UnED Petrópolis

CEFET/RJ UnED Petrópolis CEFET/RJ UnED Petrópolis Relatório de Estágio Supervisionado Empresa: CEFET/RJ UnED Petrópolis Curso: Técnico em Telecomunicações/TV Digital Estagiária: Dayana Kelly Turquetti de Moraes Telefones: (24)

Leia mais

Gerenciador de Log. Documento Visão. Projeto Integrador 2015/2. Engenharia de Software. Versão 2.0. Engenharia de Software

Gerenciador de Log. Documento Visão. Projeto Integrador 2015/2. Engenharia de Software. Versão 2.0. Engenharia de Software Documento Visão e Documento Suplementar Gerenciador de Log Documento Visão Versão 2.0 1 Índice 1. Histórico de Revisões...3 2. Objetivo do Documento...4 3. Sobre o Problema...4 4. Sobre o produto...4 4.1.

Leia mais

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1 DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1 SUMÁRIO DEFINIÇÃO DE REQUISITOS 4 1. INTRODUÇÃO 4 1.1 FINALIDADE 4 1.2 ESCOPO 4 1.3 DEFINIÇÕES, ACRÔNIMOS

Leia mais

Fundamentos de Automação. Controladores

Fundamentos de Automação. Controladores Ministério da educação - MEC Secretaria de Educação Profissional e Técnica SETEC Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Rio Grande Fundamentos de Automação Controladores

Leia mais

Prime IHC. Intelligent Home Control. Automação residencial com estilo, segurança e economia de energia.

Prime IHC. Intelligent Home Control. Automação residencial com estilo, segurança e economia de energia. Intelligent Home Control com estilo, segurança e economia de energia. Projetos inteligentes exigem um sistema de automação completo. Funcionamento do sistema. O funciona com entradas e saídas, controlando

Leia mais

PRÓTOTIPO MÓVEL DE TELEMEDICINA PARA AUXILIO DE DIAGNOSTICO CARDIACO COM ECG EM CARATER EMERGENCIAL

PRÓTOTIPO MÓVEL DE TELEMEDICINA PARA AUXILIO DE DIAGNOSTICO CARDIACO COM ECG EM CARATER EMERGENCIAL PRÓTOTIPO MÓVEL DE TELEMEDICINA PARA AUXILIO DE DIAGNOSTICO CARDIACO COM ECG EM CARATER EMERGENCIAL Adson Diego Dionisio da SILVA 1, Saulo Soares de TOLEDO², Luiz Antonio Costa Corrêa FILHO³, Valderí Medeiros

Leia mais

AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL

AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL Automação e Controle AR026 SUMÁRIO I. Sistemas Supervisórios... 3 II. Automação... 4 III. Arquitetura de Redes Industriais... 5 IV. Comunicação entre Supervisório e CLP...7 V. O Protocolo

Leia mais

Sistema de Telemetria para Hidrômetros e Medidores Aquisição de Dados Móvel e Fixa por Radio Freqüência

Sistema de Telemetria para Hidrômetros e Medidores Aquisição de Dados Móvel e Fixa por Radio Freqüência Sistema de Telemetria para Hidrômetros e Medidores Aquisição de Dados Móvel e Fixa por Radio Freqüência O princípio de transmissão de dados de telemetria por rádio freqüência proporciona praticidade, agilidade,

Leia mais

Sistemas de Supervisão e IHM s Automação Semestre 01/2015

Sistemas de Supervisão e IHM s Automação Semestre 01/2015 Sistemas de Supervisão e IHM s Automação Semestre 01/2015 Engenharia de Controle e Automação Introdução Sistemas Supervisórios são sistemas digitais de monitoração e operação da planta que gerenciam as

Leia mais

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1 DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1 SUMÁRIO DEFINIÇÃO DE REQUISITOS 4 1. INTRODUÇÃO 4 1.1 FINALIDADE 4 1.2 ESCOPO 4 1.3 DEFINIÇÕES, ACRÔNIMOS

Leia mais

DIGIMAN. WTB Tecnologia 2009. www.wtb.com.br

DIGIMAN. WTB Tecnologia 2009. www.wtb.com.br DIGIMAN MANDADO JUDICIAL ELETRÔNICO Arquitetura WTB Tecnologia 2009 www.wtb.com.br Arquitetura de Software O sistema DIGIMAN é implementado em três camadas (apresentação, regras de negócio e armazém de

Leia mais

TÍTULO: SISTEMA DE ACESSIBILIDADE E AUTOMATIZAÇÃO PARA PESSOAS PORTADORAS DE NECESSIDADE ESPECIAIS

TÍTULO: SISTEMA DE ACESSIBILIDADE E AUTOMATIZAÇÃO PARA PESSOAS PORTADORAS DE NECESSIDADE ESPECIAIS TÍTULO: SISTEMA DE ACESSIBILIDADE E AUTOMATIZAÇÃO PARA PESSOAS PORTADORAS DE NECESSIDADE ESPECIAIS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE TECNOLOGIA

Leia mais

Documento de Requisitos de Sistemas. SGC Sistema Gerenciador de Clínicas

Documento de Requisitos de Sistemas. SGC Sistema Gerenciador de Clínicas Documento de Requisitos de Sistemas SGC Sistema Gerenciador de Clínicas Versão 1.0 Autores: Angelo Alexandre Pinter Estevão Danilo Abílio Luiz Guilherme Schlickmann Espíndola Leonardo Machado Fernandes

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES

MANUAL DE INSTRUÇÕES MANUAL DE INSTRUÇÕES 1 Conteúdo 1. LogWeb... 3 2. Instalação... 4 3. Início... 6 3.1 Painel Geral... 6 3.2 Salvar e Restaurar... 7 3.3 Manuais... 8 3.4 Sobre... 8 4. Monitoração... 9 4.1 Painel Sinóptico...

Leia mais

Projeto de controle e Automação de Antena

Projeto de controle e Automação de Antena Projeto de controle e Automação de Antena Wallyson Ferreira Resumo expandido de Iniciação Tecnológica PUC-Campinas RA: 13015375 Lattes: K4894092P0 wallysonbueno@gmail.com Omar C. Branquinho Sistemas de

Leia mais

Produtos ehealth. Desenvolvimento de negócios ehealth Diretoria P&S Verticais

Produtos ehealth. Desenvolvimento de negócios ehealth Diretoria P&S Verticais Produtos ehealth Desenvolvimento de negócios ehealth Diretoria P&S Verticais 1 Participação da Telefônica Vivo nas Instituições de Saúde TIC TIC TIC TIC Telemedicina TIC Telemedicina Desenvolvimento de

Leia mais

Controlador de Bombas modelo ABS PC 242 Monitoramento e Controle de Bombas e Estações de Bombeamento

Controlador de Bombas modelo ABS PC 242 Monitoramento e Controle de Bombas e Estações de Bombeamento Controlador de Bombas modelo ABS PC 242 Monitoramento e Controle de Bombas e Estações de Bombeamento Um Único Dispositivo para Monitoramento e Controle Há várias formas de melhorar a eficiência e a confiabilidade

Leia mais

Sistemas Supervisórios para Automação Industrial usando Software Livre

Sistemas Supervisórios para Automação Industrial usando Software Livre Sistemas Supervisórios para Automação Industrial usando Software Livre Alan Carvalho de Assis acassis@gmail.com 1 Sumário 1) Breve histórico da Automação/Controle 2) Linux em Automação Industrial 3) Introdução

Leia mais

TÍTULO: PROGRAMAÇÃO DE CLP PARA UMA MÁQUINA DE SECÇÃO SEGMENTOS ORGÂNICOS

TÍTULO: PROGRAMAÇÃO DE CLP PARA UMA MÁQUINA DE SECÇÃO SEGMENTOS ORGÂNICOS Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: PROGRAMAÇÃO DE CLP PARA UMA MÁQUINA DE SECÇÃO SEGMENTOS ORGÂNICOS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA:

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 001/2011 SENAI-DR-RN/CTGÁS-ER PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS. CARGO: INSTRUTOR DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLOGIAS I Nível O

PROCESSO SELETIVO 001/2011 SENAI-DR-RN/CTGÁS-ER PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS. CARGO: INSTRUTOR DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLOGIAS I Nível O 2 PROCESSO SELETIVO 001/2011 SENAI-DR-RN/CTGÁS-ER PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CARGO: INSTRUTOR DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLOGIAS I Nível O CÓDIGO DO CARGO/VAGA: V0013 1) Considere um transformador

Leia mais

EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO 60 h 1º Evolução histórica dos computadores. Aspectos de hardware: conceitos básicos de CPU, memórias,

Leia mais

Uma poderosa ferramenta de monitoramento. Madson Santos - madson@pop-pi.rnp.br Técnico de Operação e Manutenção do PoP-PI/RNP

Uma poderosa ferramenta de monitoramento. Madson Santos - madson@pop-pi.rnp.br Técnico de Operação e Manutenção do PoP-PI/RNP Uma poderosa ferramenta de monitoramento Madson Santos - madson@pop-pi.rnp.br Técnico de Operação e Manutenção do PoP-PI/RNP Abril de 2008 O que é? Características Requisitos Componentes Visual O que é?

Leia mais

InSight* Soluções no Gerenciamento do Conhecimento. Descrição e Uso. Boletim Técnico de Produto

InSight* Soluções no Gerenciamento do Conhecimento. Descrição e Uso. Boletim Técnico de Produto Boletim Técnico de Produto InSight* Soluções no Gerenciamento do Conhecimento As aplicações de água e processo geram ou afetam diretamente grandes quantidades de dados operacionais, que podem ser de natureza

Leia mais

Sistemas SCADAS. Apresentação dos sistemas de supervisão do mercado de automação: - Elipse E3 (fabricante Eilpse)

Sistemas SCADAS. Apresentação dos sistemas de supervisão do mercado de automação: - Elipse E3 (fabricante Eilpse) A palavra SCADA é um acrônimo para Supervisory Control And Data Acquisition. Os primeiros sistemas SCADA, basicamente telemétricos, permitiam informar periodicamente o estado corrente do processo industrial,

Leia mais

A solução INFOTRÂNSITO abrange sistemas web multiplataformas, podendo ser instalados em ambientes Linux, Windows e Apple.

A solução INFOTRÂNSITO abrange sistemas web multiplataformas, podendo ser instalados em ambientes Linux, Windows e Apple. INFOTRÂNSITO A plataforma INFOTRÂNSITO emprega tecnologias inovadoras para garantir ao poder público um gerenciamento eficaz da operação do trânsito nos grandes centros urbanos. A partir da coleta, em

Leia mais

automação residencial module neocontrol

automação residencial module neocontrol automação residencial module neocontrol 2014 www.neocontrol.com.br A Neocontrol S/A, indústria brasileira, oferece produtos e soluções para o mercado de automação residencial e predial. Com mais de 215

Leia mais

BANCO DE DADOS DISTRIBUIDO PARA CONSULTA DE TEMPERATURA E UMIDADE UTILIZANDO ARDUINO E ANDROID

BANCO DE DADOS DISTRIBUIDO PARA CONSULTA DE TEMPERATURA E UMIDADE UTILIZANDO ARDUINO E ANDROID BANCO DE DADOS DISTRIBUIDO PARA CONSULTA DE TEMPERATURA E UMIDADE UTILIZANDO ARDUINO E ANDROID Douglas Bento Scriptore¹, José de Moura Júnior² ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil. douglasscriptore@gmail.com

Leia mais

Automação Residencial

Automação Residencial Automação Residencial F. A. Dias G. M. de Paula L. S. de Oliveira G.F. Vieira 1 CEFET-MG, Brasil Contexto Social e Profissional, 2009 Graduação em Engenharia Mecatrônica Motivação Questão fundamental O

Leia mais

Guia ineocontrol. iphone e ipod Touch

Guia ineocontrol. iphone e ipod Touch Guia ineocontrol iphone e ipod Touch Referência completa para o integrador do sistema Module. Aborda os recursos necessários para a itulização, instalação do software e importação das interfaces criadas

Leia mais

APLICAÇÕES PARA CASAS INTELIGENTES EM AMBIENTES PERVASIVOS

APLICAÇÕES PARA CASAS INTELIGENTES EM AMBIENTES PERVASIVOS APLICAÇÕES PARA CASAS INTELIGENTES EM AMBIENTES PERVASIVOS RESUMO Alessandro Lumertz Garcia 1 Anderson Yanzer Cabral 2 Este artigo apresenta tipos de aplicações que podem existir nas casas inteligentes,

Leia mais

Access Professional Edition O sistema de controle de acesso flexível que cresce com o seu negócio

Access Professional Edition O sistema de controle de acesso flexível que cresce com o seu negócio Access Professional Edition O sistema de controle de acesso flexível que cresce com o seu negócio 2 Access Professional Edition: a solução de controle de acesso ideal para empresas de pequeno e médio porte

Leia mais

Localização e Inteligência Móvel. Com a iguard todos os caminhos levam sua empresa onde ela precisa chegar.

Localização e Inteligência Móvel. Com a iguard todos os caminhos levam sua empresa onde ela precisa chegar. Localização e Inteligência Móvel Com a iguard todos os caminhos levam sua empresa onde ela precisa chegar. 1 2 Localização e Inteligência Móvel Todos os dias sua empresa enfrenta grandes desafios para

Leia mais

Manual do usuário. isic 5 - Android

Manual do usuário. isic 5 - Android Manual do usuário isic 5 - Android isic 5 - Android Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. O novo aplicativo Intelbras isic 5 possui tecnologia capaz de visualizar

Leia mais

Comm5 Tecnologia Manual de utilização da família MI. Manual de Utilização. Família MI

Comm5 Tecnologia Manual de utilização da família MI. Manual de Utilização. Família MI Manual de Utilização Família MI ÍNDICE 1.0 COMO LIGAR O MÓDULO... pág 03 e 04 2.0 OBJETIVO... pág 05 3.0 COMO CONFIGURAR O MÓDULO MI... pág 06, 07, 08 e 09 4.0 COMO TESTAR A REDE... pág 10 5.0 COMO CONFIGURAR

Leia mais

Sistemas de Supervisão e Aquisição de Dados. SCADA - Supervisory Control and Data Aquisition

Sistemas de Supervisão e Aquisição de Dados. SCADA - Supervisory Control and Data Aquisition Sistemas de Supervisão e Aquisição de Dados SCADA - Supervisory Control and Data Aquisition São sistemas que utilizam software para monitorar e supervisionar as variáveis e os dispositivos de sistemas

Leia mais

Proposta Técnica. Desenvolvimento de software QUICKSITE

Proposta Técnica. Desenvolvimento de software QUICKSITE Proposta Técnica Desenvolvimento de software CONTEÚDO Resumo Executivo...3 1.1 Duração e Datas Especiais... 3 1.2 Fatores Críticos de Sucesso... 3 A Hi Level...3 Solução Proposta...4 1.3 Escopo... 4 1.4

Leia mais

AUTOMAÇÃO NA SULGÁS COM O SOFTWARE ELIPSE E3

AUTOMAÇÃO NA SULGÁS COM O SOFTWARE ELIPSE E3 AUTOMAÇÃO NA SULGÁS COM O SOFTWARE ELIPSE E3 Este case apresenta a solução adotada para monitorar as diferentes variáveis de campo envolvidas no processo de distribuição de gás natural realizado pela Altus

Leia mais

Proposta de Arquitetura para Auxiliar a Avaliação de Circuitos Elétricos de Veículos Automotores

Proposta de Arquitetura para Auxiliar a Avaliação de Circuitos Elétricos de Veículos Automotores 1 Proposta de Arquitetura para Auxiliar a Avaliação de Circuitos Elétricos de Veículos Automotores Francisco Carlos Parquet Bizarria 1,2 José Walter Parquet Bizarria 1 Michele Bazana de ouza 1 fcpb@iae.cta.br

Leia mais

Access Professional Edition O sistema de controle de acesso flexível que cresce com o seu negócio

Access Professional Edition O sistema de controle de acesso flexível que cresce com o seu negócio Access Professional Edition O sistema de controle de acesso flexível que cresce com o seu negócio 2 Access Professional Edition: a solução de controle de acesso ideal para empresas de pequeno e médio porte

Leia mais

Plataforma de Telemedicina para Aplicações de Telemonitoração

Plataforma de Telemedicina para Aplicações de Telemonitoração Plataforma de Telemedicina para Aplicações de Telemonitoração Heloísa Melo Hertzog, Jorge Guedes Silveira Grupo de Pesquisas Avançadas em Redes de Comunicação e Tecnologia da Informação Programa de Pós-Graduação

Leia mais

Controle de Processo Ideal: PCS 7 Library SIMOCODE pro SIRIUS. Respostas para a indústria.

Controle de Processo Ideal: PCS 7 Library SIMOCODE pro SIRIUS. Respostas para a indústria. Controle de Processo Ideal: PCS 7 Library SIMOCODE pro Respostas para a indústria. Percepção, previsão, visão ampliada: SIMOCODE pro integrado no SIMATIC PCS7 O sistema flexível de gerenciamento de motores

Leia mais

Controladores Lógicos Programáveis (CLPs)

Controladores Lógicos Programáveis (CLPs) Controladores Lógicos Programáveis (CLPs) A UU L AL A Uma empresa fabrica clipes em três tamanhos: grande, médio e pequeno. Seus clientes consomem os produtos dos três tamanhos, mas a empresa nunca conseguiu

Leia mais

BRAlarmExpert. Software para Gerenciamento de Alarmes. BENEFÍCIOS obtidos com a utilização do BRAlarmExpert:

BRAlarmExpert. Software para Gerenciamento de Alarmes. BENEFÍCIOS obtidos com a utilização do BRAlarmExpert: BRAlarmExpert Software para Gerenciamento de Alarmes A TriSolutions conta com um produto diferenciado para gerenciamento de alarmes que é totalmente flexível e amigável. O software BRAlarmExpert é uma

Leia mais

Ricardo Schäffer. (Palavras-chave: EEMUA, HCI, SCADA) HCI. Apresentação

Ricardo Schäffer. (Palavras-chave: EEMUA, HCI, SCADA) HCI. Apresentação EEMUA 201 GUIA DE DESIGN PARA INTERFACES HUMANAS OPERACIONAIS Versão adaptada do guia original publicado pela Associação de Usuários de Equipamentos e Materiais de Engenharia. Ricardo Schäffer Resumo -

Leia mais

SISTEMA PARA AUTOMATIZAR O MONITORAMENTO DE ROTEADORES DE UM PROVEDOR DE ACESSO

SISTEMA PARA AUTOMATIZAR O MONITORAMENTO DE ROTEADORES DE UM PROVEDOR DE ACESSO FURB Universidade Regional de Blumenau Bacharelado em Ciência da Computação SISTEMA PARA AUTOMATIZAR O MONITORAMENTO DE ROTEADORES DE UM PROVEDOR DE ACESSO Jean Victor Zunino Miguel Alexandre Wisintainer

Leia mais

MAPEAMENTO E LOCALIZAÇÃO DE REGIÕES DE INTERESSE UTILIZANDO REALIDADE AUMENTADA EM DISPOSITIVOS MÓVEIS COM PLATAFORMA ANDROID

MAPEAMENTO E LOCALIZAÇÃO DE REGIÕES DE INTERESSE UTILIZANDO REALIDADE AUMENTADA EM DISPOSITIVOS MÓVEIS COM PLATAFORMA ANDROID MAPEAMENTO E LOCALIZAÇÃO DE REGIÕES DE INTERESSE UTILIZANDO REALIDADE AUMENTADA EM DISPOSITIVOS MÓVEIS COM PLATAFORMA ANDROID Alessandro Teixeira de Andrade¹; Geazy Menezes² UFGD/FACET Caixa Postal 533,

Leia mais

www.andrix.com.br professor@andrix.com.br Conceitos Básicos

www.andrix.com.br professor@andrix.com.br Conceitos Básicos Desenvolvimento Andrique web Amorim II www.andrix.com.br professor@andrix.com.br Conceitos Básicos Sites e Aplicações Web Normalmente, as pessoas utilizam o termo SITE quando se referem a blogs, sites

Leia mais

www.comtecno.com.br A Empresa

www.comtecno.com.br A Empresa A Empresa A Comtecno é uma empresa com 10 anos de atuação de mercado e que desenvolve soluções intera vas, com base tecnológica em Salvador e escritórios em São Paulo e Brasília. De redes proprietárias

Leia mais

FOUR Soluções. Projeto Integrador Documento Visão. Versão <1.0>

FOUR Soluções. Projeto Integrador Documento Visão. Versão <1.0> FOUR Soluções Projeto Integrador Documento Visão Versão Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 24/11/2014 001 Reunião para discussão e divisão do trabalho Eudes Pina 24/11/2014 002 Apresentação

Leia mais

WHITEPAPER. Guia de compra para câmeras IP: tudo o que você precisa saber antes de adquirir a sua solução digital

WHITEPAPER. Guia de compra para câmeras IP: tudo o que você precisa saber antes de adquirir a sua solução digital WHITEPAPER Guia de compra para câmeras IP: tudo o que você precisa saber antes de adquirir a sua solução digital Câmera IP ou câmera analógica? Se você está em dúvida sobre a aquisição de uma solução analógica

Leia mais

INTERNET HOST CONNECTOR

INTERNET HOST CONNECTOR INTERNET HOST CONNECTOR INTERNET HOST CONNECTOR IHC: INTEGRAÇÃO TOTAL COM PRESERVAÇÃO DE INVESTIMENTOS Ao longo das últimas décadas, as organizações investiram milhões de reais em sistemas e aplicativos

Leia mais

RASTREAMENTO VEICULAR SEGURANÇA & LOGÍSTICA. Funcionalidade Gerenciamento Equipamentos Comunicação Benefícios

RASTREAMENTO VEICULAR SEGURANÇA & LOGÍSTICA. Funcionalidade Gerenciamento Equipamentos Comunicação Benefícios RASTREAMENTO VEICULAR SEGURANÇA & LOGÍSTICA Funcionalidade Gerenciamento Equipamentos Comunicação Benefícios Soluções ICS A ICS desenvolve soluções que utilizam hardware com tecnologia de ponta. Os softwares

Leia mais

Mais inteligência para reforçar sua frota

Mais inteligência para reforçar sua frota Mais inteligência para reforçar sua frota Com o SiteWatch, nossos clientes deixam as suposições de lado na hora de gerenciar a frota O CASE SiteWatch é um sistema de telemetria que captura informações

Leia mais

Serviços Prestados Infovia Brasília

Serviços Prestados Infovia Brasília Serviços Prestados Infovia Brasília Vanildo Pereira de Figueiredo Brasília, outubro de 2009 Agenda I. INFOVIA Serviços de Voz Softphone e Asterisk INFOVIA MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO INFOVIA MINISTÉRIO

Leia mais

Uma Proposta de Tecnologia Embarcada na Internação Domiciliar Capítulo 5 Conclusões 133

Uma Proposta de Tecnologia Embarcada na Internação Domiciliar Capítulo 5 Conclusões 133 Capítulo 5 Conclusões 133 CAPÍTULO 5 CONCLUSÕES Neste capítulo são abordadas as conclusões traçadas no desenvolvimento e validação do SMD, e indicação de estudos futuros. Ressalta-se o atendimento aos

Leia mais

AUTOMAÇÃO E INSTRUMENTAÇÃO VIRTUAL. Sistema Integrado de Teste em Umbilicais

AUTOMAÇÃO E INSTRUMENTAÇÃO VIRTUAL. Sistema Integrado de Teste em Umbilicais BI AUTOMAÇÃO E INSTRUMENTAÇÃO VIRTUAL Sistema Integrado de Teste em Umbilicais Objetivos da Apresentação Demonstrar a Arquitetura de hardware e software da National Instruments utilizada na solução; Discutir

Leia mais

ScatiSuite, A melhor ferramenta para a gravação e a gestão do CFTV

ScatiSuite, A melhor ferramenta para a gravação e a gestão do CFTV ScatiSuite, A melhor ferramenta para a gravação e a gestão do CFTV www.scati.com info@scati.com Índice Scati Suite Caraterísticas gerais Gravação Aplicações cliente de gestão Outras funcionalidades Scati

Leia mais

RECONHECIMENTO DE VOZ UTILIZANDO ARDUINO

RECONHECIMENTO DE VOZ UTILIZANDO ARDUINO RECONHECIMENTO DE VOZ UTILIZANDO ARDUINO Jessica Garcia Luz, Wyllian Fressatti Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí - PR - Brasil jessica.garcia.luz@gmail.com wyllian@unipar.br Resumo. Este artigo

Leia mais

AverbaCTe Averbação Eletrônica Nacional AT&M

AverbaCTe Averbação Eletrônica Nacional AT&M AverbaCTe Averbação Eletrônica Nacional AT&M Versão 1.2 Controle de Versão Versão Controle Data Razões para alteração Responsável 1 0 22/06/2012 Criação do Documento Lucas 1 1 14/08/2012 Ajustes no texto

Leia mais

Tecnologia da Informação. Prof. Esp. Lucas Cruz

Tecnologia da Informação. Prof. Esp. Lucas Cruz Tecnologia da Informação Prof. Esp. Lucas Cruz Componentes da Infraestrutura de TI Software A utilização comercial da informática nas empresas iniciou-se por volta dos anos 1960. O software era um item

Leia mais

GT BLOCK LBS RASTREAMENTO VIA CÉLULA COM BLOQUEADOR

GT BLOCK LBS RASTREAMENTO VIA CÉLULA COM BLOQUEADOR GT BLOCK LBS RASTREAMENTO VIA CÉLULA COM BLOQUEADOR Esta tecnologia torna possível o sistema de anti sequestro, rastreamento, escuta e bloqueio de veículos conforme a área de cobertura, que ao ser acionado,

Leia mais

Manual Easy Chat Data de atualização: 20/12/2010 16:09 Versão atualizada do manual disponível na área de download do software.

Manual Easy Chat Data de atualização: 20/12/2010 16:09 Versão atualizada do manual disponível na área de download do software. 1 - Sumário 1 - Sumário... 2 2 O Easy Chat... 3 3 Conceitos... 3 3.1 Perfil... 3 3.2 Categoria... 4 3.3 Ícone Específico... 4 3.4 Janela Específica... 4 3.5 Ícone Geral... 4 3.6 Janela Geral... 4 4 Instalação...

Leia mais

Grifon Alerta. Manual do Usuário

Grifon Alerta. Manual do Usuário Grifon Alerta Manual do Usuário Sumário Sobre a Grifon Brasil... 4 Recortes eletrônicos... 4 Grifon Alerta Cliente... 4 Visão Geral... 4 Instalação... 5 Pré-requisitos... 5 Passo a passo para a instalação...

Leia mais

Até meados da década de 60, todo o controle dos processos fabris, nas indústrias e fabricações em geral, era feito através de lógica de relês.

Até meados da década de 60, todo o controle dos processos fabris, nas indústrias e fabricações em geral, era feito através de lógica de relês. - Introdução Até meados da década de 60, todo o controle dos processos fabris, nas indústrias e fabricações em geral, era feito através de lógica de relês. Os relês são elementos versáteis que possuem

Leia mais

Orientações sobre o Novo Produto SACR Sistema de Acolhimento com Classificação de Risco. Versão 1.0, 30/11/2009

Orientações sobre o Novo Produto SACR Sistema de Acolhimento com Classificação de Risco. Versão 1.0, 30/11/2009 Orientações sobre o Novo Produto SACR Sistema de Acolhimento com Classificação de Risco Versão 1.0, 30/11/2009 Sumário Objetivo Introdução Características do SACR Organização Questões Funcionais Infraestrutura

Leia mais

Atividade Capitulo 6 - GABARITO

Atividade Capitulo 6 - GABARITO Atividade Capitulo 6 - GABARITO 1. A Internet é uma força motriz subjacente aos progressos em telecomunicações, redes e outras tecnologias da informação. Você concorda ou discorda? Por quê? Por todos os

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL INSTRUÇÃO NORMATIVA SECOM-PR N o 8 DE 19 DE DEZEMBRO DE 2014 Disciplina a implantação e a gestão da Identidade Padrão de Comunicação Digital das

Leia mais

AUTOMAÇÃO PREDIAL EM SALAS COMERCIAIS UTILIZANDO O LABVIEW E ARDUINO. Fábio F. M. de Moraes, Simon Pedro da F. Pinheiro, Roger R.

AUTOMAÇÃO PREDIAL EM SALAS COMERCIAIS UTILIZANDO O LABVIEW E ARDUINO. Fábio F. M. de Moraes, Simon Pedro da F. Pinheiro, Roger R. AUTOMAÇÃO PREDIAL EM SALAS COMERCIAIS UTILIZANDO O LABVIEW E ARDUINO Fábio F. M. de Moraes, Simon Pedro da F. Pinheiro, Roger R. da Silva Instituto de Estudos Superior da Amazônia - IESAM Av. José Malcher,

Leia mais

15/03/2010. Análise por pontos de função. Análise por Pontos de Função. Componentes dos Pontos de Função. Componentes dos Pontos de Função

15/03/2010. Análise por pontos de função. Análise por Pontos de Função. Componentes dos Pontos de Função. Componentes dos Pontos de Função Análise por pontos de função Análise por Pontos de Função Referência: Manual de práticas de contagem IFPUG Versão 4.2.1 Técnica que permite medir a funcionalidade de um software ou aplicativo, sob a visão

Leia mais

Soluções permitem o monitoramento a distância das instalações da casa, visando redução de consumo e alto desempenho

Soluções permitem o monitoramento a distância das instalações da casa, visando redução de consumo e alto desempenho Casa do futuro Soluções permitem o monitoramento a distância das instalações da casa, visando redução de consumo e alto desempenho Por Heloisa Medeiros A rápida evolução de produtos e equipamentos eletrônicos

Leia mais

Vid8 Servidor. Correção da conexão com o GME, quando placa VP-1616F com 32 canais; Correção da conexão com o GME, quando configurado em modo DVR;

Vid8 Servidor. Correção da conexão com o GME, quando placa VP-1616F com 32 canais; Correção da conexão com o GME, quando configurado em modo DVR; Vid8 Servidor Versão 8.13.0411 Correção da conexão com o GME, quando placa VP-1616F com 32 canais; Versão 8.12.0311 Correção da conexão com o GME, quando configurado em modo DVR; Versão 8.11.0311 Correção

Leia mais

Utilização do aplicativo ODK como suporte na inspeção de Via Permanente

Utilização do aplicativo ODK como suporte na inspeção de Via Permanente Utilização do aplicativo ODK como suporte na inspeção de Via Permanente Eric Pretti Serafim 1 * 1 VALES/A. Rod. BR155, s/n, Pátio Ferroviário de Marabá, 68508-970, Marabá - Pará e-mail: eric.pretti@vale.com

Leia mais

Manual do usuário. isic 5 - Android

Manual do usuário. isic 5 - Android Manual do usuário isic 5 - Android isic 5 - Android Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. O novo aplicativo Intelbras isic 5 possui tecnologia capaz de visualizar

Leia mais

Guia de Especificação. Vijeo Citect

Guia de Especificação. Vijeo Citect Guia de Especificação Vijeo Citect Guia de Especificação Vijeo Citect > Este documento destina-se à auxiliar nas especificações do software SCADA Vijeo Citect. > Descreve as licenças disponíveis e mostra

Leia mais

Interação Humano-Computador: Conceitos Básicos INF 1403 Introdução a IHC Aula 03 19/02/2014 Conteúdo da Aula Interação, Interface e Affordance Critérios de qualidade de uso Usabilidade Experiência do Usuário

Leia mais

Tecnologia da Informação Aplicada a Gerenciamento de Acervo Documental Histórico

Tecnologia da Informação Aplicada a Gerenciamento de Acervo Documental Histórico Tecnologia da Informação Aplicada a Gerenciamento de Acervo Documental Histórico Kayo Delgado Medeiros de Almeida¹, Elon Gomes Vieira 2, Carlos Vitor de Alencar Carvalho 3, Magno Fonseca Borges 4, José

Leia mais

Solução Completa em Automação. FieldLogger. Registro e Aquisição de Dados

Solução Completa em Automação. FieldLogger. Registro e Aquisição de Dados Solução Completa em Automação FieldLogger Registro e Aquisição de Dados Ethernet & USB Até 16GB de memória Conversor A/D 24 bits Até 1000 amostras por segundo Apresentação FieldLogger O FieldLogger é um

Leia mais