INTRODUÇÃO À GESTÃO DE PROCESSOS. Professora: Vanessa Leonardo de Araujo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INTRODUÇÃO À GESTÃO DE PROCESSOS. Professora: Vanessa Leonardo de Araujo"

Transcrição

1 INTRODUÇÃO À GESTÃO DE PROCESSOS Professora: Vanessa Leonardo de Araujo

2 OBJETIVOS DO CURSO Colaborar para a qualificação e aperfeiçoamento contínuo dos servidores da Assembleia Legislativa do Estado de Goiás. Alinhar o entendimento dos participantes quanto aos principais conceitos, ferramentas, técnicas e boas práticas da Gestão de Processos. Buscar a melhoria contínua dos processos internos, contribuindo para aumentar a eficiência e a celeridade no serviço público. O curso terá carga horária de 8 horas e será ministrado em duas aulas.

3 DISCIPLINA GERENCIAL Gerenciar é dar RESULTADOS! Atingir OBJETIVOS e METAS! Sua equipe sabe o que fazer para atingir as metas? Sua equipe conhece as metas a serem alcançadas?

4 DISCIPLINA GERENCIAL Monitoramento e controle é fundamental... Você mede seu desempenho por meio de indicadores? Suas metas estão sendo atingidas? Você sabe quais são os principais gargalos? Os problemas mais críticos?

5 CONCEITO: PROCESSO Processo é um conjunto de recursos e atividades inter-relacionadas ou interativas que transformam insumos (entradas) em serviços/produtos (saídas). Os processos representam um instrumento que permite aproximar as diretrizes estratégicas daqueles que executam o trabalho nas instituições públicas, permitindo o alcance de objetivos. Fonte: Gespública, Governo Federal. Guia de gestão de processos do governo.

6 CONCEITO: PROCESSO Fonte:

7 CLASSIFICAÇÃO Processos Primários/Finalísticos Agregam valor diretamente ao cliente e estão relacionados à atividade fim da organização. Ex: marketing, vendas, entrega de produtos/serviços. Processos de Suporte Entregam valor a outros processos e não diretamente ao cliente. Frequentemente são interfuncionais. Ex: Considerando uma empresa de software, pode-se citar: recursos humanos, compras, financeiro. Processos Gerenciais Relacionados ao planejamento, medição, monitoramento e controle das atividades de negócio. Formulação de políticas e diretrizes para se estabelecer e concretizar metas. Ex: gestão de processos, gestão de projetos, planejamento estratégico.

8 HIERARQUIA DE PROCESSO MACROPROCESSO: Geralmente envolve mais de uma função organizacional. Ex: Gestão de pessoas. PROCESSO: Conjunto de atividades que transformam insumos em resultados que representam agregação de valor. Ex: Avaliação de desempenho. SUBPROCESSO: Divisões do processo com objetivos específicos. Ex: Desenvolvimento de pessoal. ATIVIDADE: Conjunto de operações que ocorrem dentro de um processo ou subprocesso, destinadas a produzir um resultado específico. Ex: Realizar avaliação. TAREFA: Nível mais detalhado das atividades. Trabalhos a serem executados que envolvem rotina e prazo determinado. Ex: Enviar avaliação devidamente preenchida Fonte: MPF, Manual de Gestão por Processos.

9 HIERARQUIA DE PROCESSO Exemplo: Fonte: UNB, DPO e DPR. Introdução ao BPM e CBOK.

10 CONCEITO: GESTÃO DE PROCESSOS Engloba estratégias, objetivos, cultura, estruturas organizacionais, papéis, políticas, métodos e tecnologias para analisar, desenhar, implementar, gerenciar desempenho, transformar e estabelecer a governança de processos. Pressupõe que os objetivos organizacionais podem ser alcançados por meio da definição, desenho, controle, e transformação contínua dos processos de negócio. (ABPMP CBOK V3.0)

11 CONCEITO: GESTÃO DE PROCESSO Trata o trabalho ponta a ponta e a administração das atividades ao longo das funções de negócio. Ao contrário da abordagem funcional tradicional, em que as organizações estão separadas por área de atuação e sem visão sistêmica do trabalho que realizam. Requer a participação de toda a organização, desde a liderança até o nível operacional e ao longo das funções e papéis. Auxilia no estabelecimento de princípios e práticas que permitem aumento de eficiência e eficácia dos processos de negócio.

12 ESTRUTURA TRADICIONAL X POR PROCESSOS Vertical Funcional Funcional com processos em segundo plano Processual com funcional em segundo plano Processos horizontais

13 PRINCÍPIOS PARA GESTÃO DE PROCESSOS Satisfação dos clientes; Gerência participativa; Desenvolvimento humano; Metodologia padronizada; Melhoria contínua; Informação e comunicação; Busca da excelência. Fonte: MPF, Manual de Gestão por Processos.

14 DIFERENÇA ENTRE Abordagem sistemática para mapeamento, análise, redesenho, melhoria e gestão de um processo. Metodologia que pressupõe estruturar, organizar, mensurar e gerenciar uma organização a partir de seus processos de negócio. Fonte: UNB, DPO e DPR. Introdução ao BPM e CBOK.

15 RESISTÊNCIA A transformação implica em repensar, inovar e mudar paradigmas. Processo não significa burocracia. O processo é descrito e aprovado pela equipe; O direcionamento pode ser agilizar ou também adicionar pontos de controle quando necessário. Pensar que o objetivo é somente aumentar o controle sobre as atividades. Não comprometimento da gestão, que possui a autoridade necessária para a realização de mudanças.

16 BENEFÍCIOS Respostas ágeis Controle de custo, qualidade, e melhoria contínua Visibilidade, entendimento e prontidão para a mudança Acesso a informações relevantes Facilidade no controle e redução de custos PARA A ORGANIZAÇÃO Impacto positivo Melhor atendimento das expectativas das partes interessadas Maior controle dos compromissos PARA O CLIENTE PARA A GERÊNCIA Confirmação que as atividades agregam valor Otimização do desempenho Melhoria de planejamento e projeções Melhoria na interação entre as áreas Gestão do conhecimento Padronização da metodologia, ferramentas e técnicas Medição por meio dos indicadores PARA A EQUIPE Maior segurança e ciência sobre seus papéis e responsabilidades Maior compreensão do todo Uso de ferramentas apropriadas Maior contribuição para os resultados Fonte: ABPMP CBOK V3.0

17 FLUXOGRAMA Fluxograma é um desenho gráfico feito com símbolos padronizados, que mostra a sequência lógica das etapas de realização de um processo de trabalho. Além de permitir a interpretação conjunta do processo, apresenta as seguintes vantagens: Visão integrada do processo de trabalho; Visualização de detalhes críticos do processo de trabalho; Identificação do fluxo do processo de trabalho entre os subprocessos; Identificação dos potenciais pontos de controle; Identificação das oportunidades de melhoria. Fonte: GOVERNO DE GOIÁS, SEGPLAN. Manual de gestão por Processos.

18 FLUXOGRAMA Existe uma infinidade de modelos que podem ser utilizados para o desenho dos fluxogramas do processo de trabalho. Todo o histórico deve ser guardado. Não se devem descartar as versões anteriores até o final do processo. Ferramenta muito utilizada por se tratar de um software livre e de fácil operação: BizAgi Modeler. Vantagens da Notação de Modelagem de Processos de Negócio (BPMN): uso e entendimento difundido em várias organizações e é suportado por muitas ferramentas. Fonte: GOVERNO DE GOIÁS, SEGPLAN. Manual de gestão por Processos.

19 FLUXOGRAMA Símbolos mais utilizados: Atividade: Decisão: Sentido do fluxo: Limites (Início e Término): Documentos: Participantes (raias):

20 EXEMPLO DE FLUXOGRAMA Fonte: GOVERNO DE GOIÁS, SEGPLAN. Manual de gestão por Processos.

21 DOCUMENTAÇÃO A modelagem de um diagrama, mesmo que utilizando a notação BPMN, normalmente não é suficiente para descrever todos os detalhes que envolvem uma atividade de um processo. Algumas ferramentas disponibilizam recursos úteis para a documentação de um processo: documentos envolvidos nas atividades, tabelas de regras de negócio, controle de tempo de execução, checklists, produtos de trabalho, entre vários outros.

22 5W2H É uma ferramenta para elaboração de planos de ação que, por sua simplicidade, objetividade e orientação à ação, tem sido muito utilizada em Gestão de Projetos, Análise de Negócios, Elaboração de Planos de Negócio, Planejamento Estratégico e outros. Seu nome refere-se às iniciais do inglês: WHAT O que será feito (objetivo, meta) WHY Por que será feito (justificativa, benefícios) WHERE Onde será feito (local, departamento) WHEN Quando será feito (tempo, cronograma, condição) WHO Por quem será feito (responsabilidades, atribuições) HOW Como será feito (métodos, procedimentos, atividades) HOW MUCH Quanto custará fazer (custo, quantidade)

23 AULA 02

24 IDENTIFICAÇÃO DAS RUPTURAS Atividades existentes, mas que não agregam valor. Atividades inexistentes, mas necessárias. Atividades existentes, necessárias, mas que precisam ser ajustadas. Enfim, é tudo aquilo que está impedindo o processo de atingir seus resultados atuais ou os resultados futuros projetados.

25 TIPOS DE RUPTURAS Uma possível classificação: ORGANIZACIONAIS (DE CONTEXTO) Políticas e diretrizes Normas internas Estrutura Organizacional PROCESSOS Fluxo de atividades Sistemas Procedimentos Equipamentos PESSOAS Capacitação Perfil Remuneração

26 REDESENHAR PROCESSO Processo Atual Identificação / Priorização / Bloqueio das Rupturas Processo Redesenhado

27 ANÁLISE DE CAUSA E EFEITO Todo problema deve ser entendido como sendo o efeito de uma ou várias causas geradoras, portanto, solucionar problemas é atuar nas suas respectivas causas e não nele diretamente. Análise e Soluções: Este é o problema ou é algo que vem antes de ele acontecer? O que provoca esse problema? Qual é causa de sua ocorrência? O que pode ser feito para eliminar a causa do problema? O que pode ser feito para minimizar o problema de imediato? Qual é o problema que deve ser tratado com maior prioridade? Fonte: GOVERNO DE GOIÁS, SEGPLAN. Manual de gestão por Processos.

28 DIAGRAMA DE ISHIKAWA (DE CAUSA E EFEITO) MATERIAIS / MATÉRIA PRIMA MÁQUINAS/ EQUIPAMENTOS MÃO DE OBRA PROBLEMA (Efeito) MEIO AMBIENTE MEDIDA MÉTODO

29 EXEMPLO *

30 TÉCNICA DOS 5 PORQUÊS Os 5 Porquês é uma técnica para encontrar a causa raiz de um defeito ou problema. Geralmente se diz que: No 1º porquê, temos um sintoma No 2º porquê, temos uma desculpa No 3º porquê, temos um culpado No 4º porquê, temos uma causa No 5º porquê, temos a causa raiz EXEMPLO PRÁTICO os produtos têm sido entregues sistematicamente com atraso? Suponhamos que o problema seja que os produtos têm sido entregues sistematicamente com atraso. Porque foram postados com atraso. atraso? os produtos foram postados com o prazo de produção estourou? Porque o prazo de produção estourou. Porque os materiais para a confecção não estavam disponíveis. os materiais não estavam disponíveis? os materiais não foram solicitados a tempo ao fornecedor? Porque não foram solicitados a tempo ao fornecedor. Porque o controle de estoque não acompanhou o aumento da demanda pelo material.

31 CICLO DE VIDA DE PROCESSOS A literatura é repleta de ciclo de vida de processos de negócio que descrevem a abordagem de gerenciamento em um ciclo contínuo. Independente da quantidade e dos títulos das fases em um ciclo de vida de processos, a maioria pode ser mapeada como um ciclo básico PDCA (PLAN - DO - CHECK - ACT) de Deming. Fonte: ABPMP CBOK V3.0

32 CICLO PDCA Fonte: MPF, Manual de Gestão por Processos, 2013.

33 CICLO PDCA A aplicação do PDCA permite: Avaliação de desempenho; Análise comparativa entre o realizado e o planejado Análise dos desvios; Tomada de ações corretivas; Acompanhamento da eficiência das ações implementadas; Captação de informações que auxiliem a tomada de decisões. Fonte: MPF, Manual de Gestão por Processos, 2013.

34 CICLO DE VIDA BPM Estas etapas não estão separadas, são totalmente interligadas. As fases podem variar conforme a maturidade da empresa na prática de BPM. Fonte: ABPMP CBOK V3.0

35 1. PLANEJAMENTO Segundo o guia CBOK, deve-se desenvolver um plano e uma estratégia dirigida a processos, onde sejam analisadas suas estratégias e metas, fornecendo uma estrutura e o direcionamento contínuo de processos. Identificação de papéis e responsabilidades associados ao gerenciamento de processos, aspectos relacionados a patrocínio, metas, expectativas de desempenho e metodologias. Fonte: Gespública, Governo Federal. Guia de gestão de processos do governo.

36 2. ANÁLISE Entender os atuais processos no contexto das metas e objetivos desejados. Algumas técnicas: Brainstorming, Grupo de Trabalho com foco no processo, Entrevista, Cenários, Questionário e 5W2H. Identificação de pontos fortes, pontos fracos, variáveis externas, entre outros. Fonte: Gespública, Governo Federal. Guia de gestão de processos do governo.

37 2. ANÁLISE Alguns questionamentos: Este processo agrega valor? As responsabilidades de cada participante estão bem definidas? Quais são os clientes do processo e quais são suas expectativas? Quais são as interfaces com outros processos? Quais são os pontos críticos? Qual o impacto do processo para a empresa? Como está o desempenho? Como ele será medido? O processo é capaz de atingir os objetivos definidos? Que ferramentas são utilizadas? Elas estão adequadas? Existem atividades desnecessárias? Ou que precisam de ajustes? Entre outros.

38 3. DESENHO O desenho do processo é sua materialização. A modelagem tem por objetivo criar uma representação do processo que o descreva de forma necessária e suficiente para o entendimento e realização do trabalho pretendido. Conhecer o processo com mais detalhes: procedimentos, envolvidos, início, fim, objetivo, produtos, quando é executado, etc. Fonte: Gespública, Governo Federal. Guia de gestão de processos do governo.

39 4. IMPLEMENTAÇÃO É definida pelo guia CBOK como a fase que tem por objetivo realizar o desenho aprovado do processo de negócio na forma de procedimentos e fluxos de trabalho documentados, testados e operacionais. Inclui também a elaboração e execução de políticas e procedimentos novos ou revisados. Fonte: Gespública, Governo Federal. Guia de gestão de processos do governo.

40 5. MONITORAMENTO E CONTROLE Fornece informações-chave para os gestores de processos de negócio ajustarem recursos a fim de atingir os objetivos dos processos. Verifica se as premissas iniciais estavam corretas, se os objetivos estabelecidos foram atingidos e quais são seus impactos internos e externos. Aferição e validação do processo, como forma de garantir que o mesmo está representado conforme sua realidade, bem como pelo estudo de diversos cenários, possibilitando a análise de mudanças no processo. Rastreamento dos resultados para determinar a eficácia e eficiência do processo. Produz informações para tomada de decisões e direcionamento para ações de melhoria de um processo. Fonte: Gespública, Governo Federal. Guia de gestão de processos do governo.

41 6. REFINAMENTO Transformação dos processos, implementando o resultado da análise de desempenho. Desafios associados à gestão de mudanças na organização, à melhoria contínua e à otimização de processo. Fonte: Gespública, Governo Federal. Guia de gestão de processos do governo.

42 REFLEXÃO... Não se gerencia o que não se mede, não se mede o que não se define, não se define o que não se entende, e não há sucesso no que não se gerencia (William Edwards Deming)

43 Curso elaborado e ministrado por: Vanessa Leonardo de Araujo, PMP Servidora efetiva da Assembleia Legislativa do Estado de Goiás Seção Administrativa da Escola do Legislativo MBA em Gerenciamento de Projetos pela FGV Goiânia, 29 de Abril de 2016

44 REFERÊNCIAS ABPMP. Guia para o Gerenciamento de Processos de Negócio Corpo Comum de Conhecimento (BPM CBOK). ABPMP CBOK V3.0, GESPÚBLICA, GOVERNO FEDERAL. Guia de gestão de processos do Governo. Disponível em: < /Guia%20de%20Gestao%20de%20Processos%20de%20Governo.pdf>. Acesso em: 15/04/2016. MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL. Manual de Gestão por Processos. Disponível em: < Acesso em: 15/04/2016. GOVERNO DE GOIÁS, SEGPLAN. Manual de gestão por Processos. Disponível em: < Acesso em: 15/04/2016. UNB, DPO (Decanato de Planejamento e Orçamento) e DPR (Diretoria de Processos Organizacionais). Introdução ao BPM e CBOK. Disponível em: < Acesso em: 15/04/2016. GOVERNO DE GOIÁS, SEGPLAN. Modelagem de processos com bizagi modeler. Disponível em: < Acesso em: 15/04/2016.

OSM - PROCESSOS ORGANIZACIONAIS BPM / BPMN

OSM - PROCESSOS ORGANIZACIONAIS BPM / BPMN OSM - PROCESSOS ORGANIZACIONAIS BPM / BPMN BPM - BUSINESS PROCESS MANAGEMENT (GERENCIAMENTO DE PROCESSOS DE NEGÓCIO) Os princípios fundamentais de BPM enfatizam a visibilidade, a responsabilidade e a capacidade

Leia mais

MODELAGEM DE PROCESSO

MODELAGEM DE PROCESSO MODELAGEM DE PROCESSO Helder Marcos Freitas Administrador UFJF Residente de Gestão Hospitalar HU/UFJF E-mail: residecoadm.hu@ufjf.edu.br Introdução Processo é uma agregação de atividades e comportamentos

Leia mais

Processamento. Atividades Agregar Valor Troughput*

Processamento. Atividades Agregar Valor Troughput* Processos Processo é qualquer atividade ou conjunto de atividades que toma um input, adiciona valor a ele e fornece um output a um cliente específico. Inputs podem ser materiais, informações, conhecimento,

Leia mais

MAPEAMENTO E MODELAGEM DE PROCESSOS COM NOTAÇÃO BPMN

MAPEAMENTO E MODELAGEM DE PROCESSOS COM NOTAÇÃO BPMN MAPEAMENTO E MODELAGEM DE PROCESSOS COM NOTAÇÃO BPMN Fonte: Cláudio Márcio / Eder Bart - Pirâmides do Egito - Foram erguidas 2700 a.c. - 2,3 milhões de blocos de rocha, cada um pesando em média 2,5 toneladas

Leia mais

GLOSSÁRIO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

GLOSSÁRIO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO GLOSSÁRIO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO AÇÕES ESTRATÉGICAS Ações que objetivam, basicamente, o aproveitamento das oportunidades, e potencialidades, bem como a minimização do impacto das ameaças e fragilidades.

Leia mais

Curso Mapeamento de Processos com BPMN

Curso Mapeamento de Processos com BPMN UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ Curso Mapeamento de Processos com BPMN 13, 14 e 15 de fevereiro (12 horas) Horário: 14 às 18 h Prof. Dr. Cláudio Márcio Mendonça cmarcio@gmail.com 1 PROCESSOS BPM / BPMN 13/2

Leia mais

RAFAEL BARBOSA GESTÃO PÚBLICA

RAFAEL BARBOSA GESTÃO PÚBLICA RAFAEL BARBOSA GESTÃO PÚBLICA 1. Ciclo de gerenciamento de processos a) CBOK: A prática de gerenciamento de processos de negócio pode ser caracterizada como um ciclo de vida contínuo de etapas integradas:

Leia mais

Aluno do Curso de Gerenciamentos de Projetos - FIJ/Rio de Janeiro. Na atualidade competitiva profissional em Gestão de Projetos, exige-se

Aluno do Curso de Gerenciamentos de Projetos - FIJ/Rio de Janeiro. Na atualidade competitiva profissional em Gestão de Projetos, exige-se PLANEJAMENTO DE PROJETOS Mauro Lúcio Batista Cazarotti Aluno do Curso de Gerenciamentos de Projetos - FIJ/Rio de Janeiro Na atualidade competitiva profissional em Gestão de Projetos, exige-se dos profissionais

Leia mais

Engenharia de Software Modelagem de Negócio

Engenharia de Software Modelagem de Negócio Engenharia de Software Modelagem de Negócio Prof. Ms.C. Paulino Wagner Palheta Viana Manaus, Março 2018 1 Modelagem de negócio Estrutura dinâmica da organização; visão comum da organização por clientes

Leia mais

AULA 8 - MONITORAMENTO E CONTROLE

AULA 8 - MONITORAMENTO E CONTROLE ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA AULA 8 - MONITORAMENTO E CONTROLE Prof Me Alan Mazuco AGENDA: 1. INTRODUÇÃO 2. O CICLO PDCA 3. INDICADORES 4. BSC 5. RESUMO 1 Introdução Nesta aula vamos conhecer as formas de

Leia mais

Diagramação de Processos com o Software Bizagi Gabriela Musse Branco

Diagramação de Processos com o Software Bizagi Gabriela Musse Branco Diagramação de Processos com o Software Bizagi Gabriela Musse Branco ESCRITÓRIO DE PROCESSOS - DGI - PROPLAN Programa Objetivo: capacitar os participantes a entender a gestão por processos e diagramar

Leia mais

Gestão da Qualidade. Profa. Ms. Ana Cabanas 02/09/ Aula 2 - QUALIDADE TOTAL QUALIDADE TOTAL QUALIDADE TOTAL

Gestão da Qualidade. Profa. Ms. Ana Cabanas 02/09/ Aula 2 - QUALIDADE TOTAL QUALIDADE TOTAL QUALIDADE TOTAL Gestão da Qualidade Profa. Ms. Ana Cabanas - Aula 2 - QUALIDADE TOTAL Qualidade Assegura 1980 Aspectos segurança e responsabilidade civil Produto/serviço QUALIDADE TOTAL QUALIDADE TOTAL ISO 9000 Década

Leia mais

MODELAGEM DE PROCESSO

MODELAGEM DE PROCESSO MODELAGEM DE PROCESSO Helder Marcos Freitas Administrador UFJF Residente de Gestão Hospitalar HU/UFJF E-mail: residecoadm.hu@ufjf.edu.br Introdução Processo é uma agregação de atividades e comportamentos

Leia mais

Introdução à Gestão de Processos

Introdução à Gestão de Processos Introdução à Gestão de Processos Módulo4 Ferramentas para Gestão de Processos Brasília - 2016. Fundação Escola Nacional de Administração Pública Presidente Francisco Gaetani Diretor de Desenvolvimento

Leia mais

Seção de Modelagem de Processos. Manual de Governança de Processos

Seção de Modelagem de Processos. Manual de Governança de Processos Manual de Governança de Processos Versão 2016 Luiz Pedro San Gil Jutuca Vice-Reitor José da Costa Filho Pró-Reitoria de Planejamento Janaina Specht da Silva Menezes Diretoria de Tecnologia da Informação

Leia mais

1. Transformação de Processos de Negócio

1. Transformação de Processos de Negócio 1. Transformação de Processos de Negócio A Organização é tão boa quanto seus processos Gerenciamento de Processos de Negócio (BPM Business Process Management) é uma disciplina gerencial que integra estratégias

Leia mais

GERENCIAMENTO DA QUALIDADE DO PROJETO

GERENCIAMENTO DA QUALIDADE DO PROJETO GERENCIAMENTO DA QUALIDADE DO PROJETO Planejar a Qualidade O gerenciamento da qualidade do projeto inclui os processos e as atividades da organização executora que determinam as políticas de qualidade,

Leia mais

Gestão de Processos. O que é processo? Tipos Hierarquia Gestão por Funções X Gestão por Processos Gestão por Processos

Gestão de Processos. O que é processo? Tipos Hierarquia Gestão por Funções X Gestão por Processos Gestão por Processos Gestão de Processos O que é processo? Tipos Hierarquia Gestão por Funções X Gestão por Processos Gestão por Processos Processos Processo é qualquer atividade ou conjunto de atividades que toma um input,

Leia mais

Gestão de Processos. O que é processo? Tipos Hierarquia Gestão por Funções X Gestão por Processos Gestão por Processos

Gestão de Processos. O que é processo? Tipos Hierarquia Gestão por Funções X Gestão por Processos Gestão por Processos Gestão de Processos O que é processo? Tipos Hierarquia Gestão por Funções X Gestão por Processos Gestão por Processos Gestão de Processos Sordi: a abordagem da Gestão por Processos é também conhecida como

Leia mais

ISO 9001: Abordagem de processo

ISO 9001: Abordagem de processo ISO 9001:2008 0.2. Abordagem de processo Apesar dos requisitos da ISO 9001 propriamente ditos só começarem no item 4 da norma, o item 0.2 Abordagem de processo, é uma exigência básica para a aplicação

Leia mais

Sistemas de Informação e Decisão II. Douglas Farias Cordeiro

Sistemas de Informação e Decisão II. Douglas Farias Cordeiro Sistemas de Informação e Decisão II Douglas Farias Cordeiro Processos As empresas são grandes coleções de processo! Todo trabalho importante realizado nas empresas faz parte de algum processo. Não existe

Leia mais

Disciplina: Gestão da Qualidade

Disciplina: Gestão da Qualidade Disciplina: Gestão da Qualidade Controle do Processo pelo PDCA 1ª Parte Prof. Fernando Porto Introdução É comum encontrar gerentes e diretores que acham que, quando ocorrem maus resultados, saem com a

Leia mais

Gerenciamento dos Riscos do Projeto (PMBoK 5ª ed.)

Gerenciamento dos Riscos do Projeto (PMBoK 5ª ed.) Gerenciamento dos Riscos do Projeto (PMBoK 5ª ed.) Esta é uma área essencial para aumentar as taxas de sucesso dos projetos, pois todos eles possuem riscos e precisam ser gerenciados, ou seja, saber o

Leia mais

Gestão de Processos. O que é processo? Tipos Hierarquia Gestão por Funções X Gestão por Processos Gestão por Processos

Gestão de Processos. O que é processo? Tipos Hierarquia Gestão por Funções X Gestão por Processos Gestão por Processos Gestão de Processos O que é processo? Tipos Hierarquia Gestão por Funções X Gestão por Processos Gestão por Processos Gestão de Processos Sordi: a abordagem da Gestão por Processos é também conhecida como

Leia mais

Gestão de Processos Introdução Aula 1. Professor: Osmar A. Machado

Gestão de Processos Introdução Aula 1. Professor: Osmar A. Machado Gestão de Processos Introdução Aula 1 Professor: Osmar A. Machado Algumas definições de processos Todo trabalho importante realizado nas empresas faz parte de algum processo. Não existe um produto ou serviço

Leia mais

(ADMINISTRAÇÃO GERAL. Organização, Sistemas e Métodos. Gestão de Processos Parte 4. Prof.ª Karen Estefan Dutra

(ADMINISTRAÇÃO GERAL. Organização, Sistemas e Métodos. Gestão de Processos Parte 4. Prof.ª Karen Estefan Dutra (ADMINISTRAÇÃO GERAL Organização, Sistemas e Métodos Gestão de Processos Parte 4 Prof.ª Karen Estefan Dutra Modelagem significa que a representação pode ser usada para mostrar o desempenho do que está

Leia mais

Gerenciamento da Qualidade

Gerenciamento da Qualidade Gerenciamento da Qualidade Aula 09 Prof. Ewerton Monti Objetivo principal das empresas: Satisfação das necessidades das pessoas. Incluindo consumidores, empregados, acionistas, sociedade, fornecedores

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação TLCne-051027-P0 Gestão da Tecnologia da Informação Disciplina: Governança de TI São Paulo, Novembro de 2012 0 Sumário TLCne-051027-P1 Conteúdo desta Aula Finalizar o conteúdo da Disciplina Governança de

Leia mais

Áreas de Conhecimento, Técnicas de Análise de Negócio e Conceitos-Chave

Áreas de Conhecimento, Técnicas de Análise de Negócio e Conceitos-Chave Primeiro Módulo: Parte 3 Áreas de Conhecimento, Técnicas de Análise de Negócio e Conceitos-Chave AN V 3.0 [60] Rildo F Santos (@rildosan) rildo.santos@etecnologia.com.br www.etecnologia.com.br http://etecnologia.ning.com

Leia mais

Gerenciamento do Escopo do Projeto (PMBoK 5ª ed.)

Gerenciamento do Escopo do Projeto (PMBoK 5ª ed.) Gerenciamento do Escopo do Projeto (PMBoK 5ª ed.) De acordo com o PMBok 5ª ed., o escopo é a soma dos produtos, serviços e resultados a serem fornecidos na forma de projeto. Sendo ele referindo-se a: Escopo

Leia mais

Modelagem e Análise de Processos na área de TI. Josué Vitor Professor e Pesquisador DEPAD/UFRN

Modelagem e Análise de Processos na área de TI. Josué Vitor Professor e Pesquisador DEPAD/UFRN Modelagem e Análise de Processos na área de TI Josué Vitor josuevitor16@gmail.com Professor e Pesquisador DEPAD/UFRN CONCEITOS INTRODUTÓRIOS Um processo de negócio descreve o trabalho executado pelos recursos

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação TLCne-051027-P0 Gestão da Tecnologia da Informação Disciplina: Governança de TI São Paulo, Agosto de 2012 0 Sumário TLCne-051027-P1 Conteúdo desta Aula Continuação do Domínio de Processos PO (PO4, PO5

Leia mais

Gestão de Processos. Processamento. Atividades Agregar Valor

Gestão de Processos. Processamento. Atividades Agregar Valor Gestão de Processos Processo é qualquer atividade ou conjunto de atividades que toma um input, adiciona valor a ele e fornece um output a um cliente específico. Entrada Insumos Inputs Processamento Atividades

Leia mais

Capítulo 5 Gerenciamento do Escopo do projeto. Introdução. Antes de iniciarmos vamos pensar um pouco.

Capítulo 5 Gerenciamento do Escopo do projeto. Introdução. Antes de iniciarmos vamos pensar um pouco. Capítulo 5 Gerenciamento do Escopo do projeto 1 Introdução Antes de iniciarmos vamos pensar um pouco. 2 Introdução 3 Introdução 4 Introdução 5 Introdução O projeto se inicia com a definição de quais objetivos

Leia mais

FAMEBLU Engenharia Civil

FAMEBLU Engenharia Civil Disciplina LOGÍSTICA EMPRESARIAL FAMEBLU Engenharia Civil Aula 8: Indicadores Conceito Indicadores de Desempenho KPI Como implantar indicadores Professor: Eng. Daniel Funchal, Esp. Indicadores Indicadores

Leia mais

GESTÃO DA QUALIDADE: UM ESTUDO DE CASO EM UMA EMPRESA DE APOIO PORTUÁRIO

GESTÃO DA QUALIDADE: UM ESTUDO DE CASO EM UMA EMPRESA DE APOIO PORTUÁRIO ISSN 1984-9354 GESTÃO DA QUALIDADE: UM ESTUDO DE CASO EM UMA EMPRESA DE APOIO PORTUÁRIO Luciana Costa da Silva Alves (LATEC/UFF) Resumo As organizações modernas precisam estar preparadas para lidar com

Leia mais

na Administração Pública

na Administração Pública na Administração Pública 1 2 1 ABPMP - Associação de Profissionais de BPM Gerenciamento de Processos de Negócio 1 Ordenação específica das atividades de trabalho no tempo e no espaço, com começo e fim,

Leia mais

MEDE, NÃO SE GERENCIA."

MEDE, NÃO SE GERENCIA. "O QUE NÃO SE MEDE, NÃO SE GERENCIA." (Adaptado de William Edwards Deming) O encontro das competências gerenciais da Mereo e ISAT Consulting aliadas à plataforma MEREO proporcionam condições de gerenciamento

Leia mais

Normas ISO:

Normas ISO: Universidade Católica de Pelotas Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina de Qualidade de Software Normas ISO: 12207 15504 Prof. Luthiano Venecian 1 ISO 12207 Conceito Processos Fundamentais

Leia mais

PSP: Personal Software Process. PSP- Personal Software Process. PSP: Personal Software Process. PSP: Personal Software Process

PSP: Personal Software Process. PSP- Personal Software Process. PSP: Personal Software Process. PSP: Personal Software Process PSP- Personal Software Process Maria Cláudia F. P. Emer PSP: Personal Software Process z Já foram vistas ISO/IEC 9126 foco no produto ISO 9001 e CMM foco no processo de desenvolvimento z Critica a essas

Leia mais

OFICINA 1 GERENCIAMENTO POR PROCESSOS E TERRITORIALIZAÇÃO

OFICINA 1 GERENCIAMENTO POR PROCESSOS E TERRITORIALIZAÇÃO LABORATÓRIO DE CONDIÇÕES CRÔNICAS ORGANIZAÇÃO DOS MACROPROCESSOS BÁSICOS DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE OFICINA 1 GERENCIAMENTO POR PROCESSOS E TERRITORIALIZAÇÃO SANTO ANTÔNIO DO MONTE - Junho, 2013 1 SECRETARIA

Leia mais

Aula 1. Noções Básicas sobre Processos. Prof. Carina Frota Alves

Aula 1. Noções Básicas sobre Processos. Prof. Carina Frota Alves Aula 1 Noções Básicas sobre Processos Prof. Carina Frota Alves 1 O que significa BPM? BPM Business Process Modelling BPM Business Process Management Em geral, iniciativas BPM referem-se ao ciclo de vida

Leia mais

Projeto de Modernização Administrativa da Reitoria da UFSM: Implementando a Gestão por Processos em uma Instituição Federal de Ensino Superior

Projeto de Modernização Administrativa da Reitoria da UFSM: Implementando a Gestão por Processos em uma Instituição Federal de Ensino Superior Projeto de Modernização Administrativa da Reitoria da UFSM: Implementando a Gestão por Processos em uma Instituição Federal de Ensino Superior Evandro G. Flores, Frank L. Casado, Daniele M. Rizzetti, Jonas

Leia mais

Diagramação de Processos com o Software Bizagi Gabriela Musse Branco

Diagramação de Processos com o Software Bizagi Gabriela Musse Branco Diagramação de Processos com o Software Bizagi Gabriela Musse Branco ESCRITÓRIO DE PROCESSOS - DGI - PROPLAN Revisão O que é processo? O que é BPM? Qual a importância/benefícios? Para que serve a modelagem

Leia mais

FCC TRT-2 - Técnico Judiciário

FCC TRT-2 - Técnico Judiciário FCC 2014 - TRT-2 - Técnico Judiciário Davenport e Gonçalves afirmam que, para a organização adotar o ponto de vista do cliente, deve usar a abordagem de processo, o qual necessita ser projetado para satisfazer

Leia mais

Ementário EMBA em Gestão de Projetos

Ementário EMBA em Gestão de Projetos Ementário EMBA em Gestão de Projetos Grade curricular Disciplina MATEMÁTICA FINANCEIRA - N FUNDAMENTOS DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS E GERENCIAMENTO DE ESCOPO - N GERENCIAMENTO DE RISCOS EM PROJETOS GESTÃO

Leia mais

Caderno de apoio: elaboração e gestão de projetos

Caderno de apoio: elaboração e gestão de projetos Caderno de apoio: elaboração e gestão de projetos Outubro de 2015 Consultor responsável: Adriana Ielo Deróbio. 2. Elaboração e Gestão de Projetos 2.1 O tema e sua importância Projeto é um esforço temporário

Leia mais

DESCRITORES (TÍTULOS E TERMOS)

DESCRITORES (TÍTULOS E TERMOS) SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE FAMÍLIA NBR ISO 9000 INDEXAÇÃO TEMÁTICA Abordagem de processo [VT: Princípios de Gestão da Qualidade] 0.2 / 2.4 0.2 / 4.3 0.2 Abordagem de sistemas de gestão da qualidade

Leia mais

Introdução a Eventos e Hospitalidade

Introdução a Eventos e Hospitalidade Introdução a Eventos e Hospitalidade Prof. Éber Santos ejsantos2010@gmail.com (http://profanalucia.com.br/) 1º sem. 2015 27/03/2015 1 Ciclo de Gerenciamento de Eventos Avaliação Planejamento Implementação

Leia mais

Workshop Paraense de Tecnologia de Software PROCESSO DE MEDIÇÃO. Fabrício Medeiros Alho

Workshop Paraense de Tecnologia de Software PROCESSO DE MEDIÇÃO. Fabrício Medeiros Alho Workshop Paraense de Tecnologia de Software 1 PROCESSO DE MEDIÇÃO Fabrício Medeiros Alho E-mail: fabricioalho@unama.br Empresa: UNAMA Workshop Paraense de Tecnologia de Software 2 Roteiro Introdução; Por

Leia mais

Definição / Abordagem de Processos

Definição / Abordagem de Processos Definição / Abordagem de Processos Ao longo da história dos processos produtivos e administrativos, as organizações têm crescido em tamanho, complexidade e requisitos. Para assegurar a qualidade, a eficácia

Leia mais

Gestão de Escritórios AULA 7. Temas: Ferramentas de Gestão da Qualidade

Gestão de Escritórios AULA 7. Temas: Ferramentas de Gestão da Qualidade Gestão de Escritórios AULA 7 Temas: Ferramentas de Gestão da Qualidade Gestão da Qualidade no Escritório Com a Revolução Industrial, a produção passou a ser em massa. Surge a mecanização, as linhas de

Leia mais

GESTÃO POR PROCESSOS NAS IFES. Alexander Perelló de Freitas

GESTÃO POR PROCESSOS NAS IFES. Alexander Perelló de Freitas GESTÃO POR PROCESSOS NAS IFES Alexander Perelló de Freitas O curso Foco Gerencial. Não visa dizer o COMO e sim apresentar conceitos e situações que incitem pensar e discutir o novo. Estruturação: 1º dia

Leia mais

Etapa 6 - Elaboração da documentação da qualidade

Etapa 6 - Elaboração da documentação da qualidade Módulo 3 Etapa 6 Elaboração dos documentos do sistema de gestão da qualidade, Etapa 7 Implementação dos requisitos planejados, Etapa 8 Palestras de sensibilização em relação à gestão da qualidade e outros

Leia mais

Organização 10/08/2017. Porto Alegre / RS. Apoio

Organização 10/08/2017. Porto Alegre / RS. Apoio Organização 10/08/2017 Apoio 14:00 14:20 A ABPMP, a certificação CBPP e o CBOK Kelly Sganderla - Gestora Regional da ABPMP 14:20 15:10 Mesa redonda 1: a utilização de boas práticas de BPM nas organizações

Leia mais

Paulo Roberto Chiarolanza Vilela 1

Paulo Roberto Chiarolanza Vilela 1 Paulo Roberto Chiarolanza Vilela 1 AULA 04 TERMO DE ABERTURA DE PROJETO 2 Introdução Desenvolvimento do Termo de abertura Especificação do trabalho do projeto e Business Case Contrato e Ciclo de Vida do

Leia mais

9- Preparação e respostas à emergências

9- Preparação e respostas à emergências Módulo 3 Etapas para implantação de um sistema de gestão integrado: planos de emergência, implantação dos processos comuns a todas as normas, documentação, vantagens, dificuldades, decisão e exercícios

Leia mais

Gerenciamento da Integração de Projetos. Parte 03. Gerenciamento de Projetos Espaciais CSE-301. Docente: Petrônio Noronha de Souza

Gerenciamento da Integração de Projetos. Parte 03. Gerenciamento de Projetos Espaciais CSE-301. Docente: Petrônio Noronha de Souza Gerenciamento da Integração de Projetos Parte 03 Gerenciamento de Projetos Espaciais CSE-301 Docente: Petrônio Noronha de Souza Curso: Engenharia e Tecnologia Espaciais Concentração: Engenharia e Gerenciamento

Leia mais

SIMPLIFICAR O AMBIENTE ADMINISTRATIVO COMO PROPOSTA NA MEMÓRIA DOS PROCESSOS REGULATÓRIOS

SIMPLIFICAR O AMBIENTE ADMINISTRATIVO COMO PROPOSTA NA MEMÓRIA DOS PROCESSOS REGULATÓRIOS SIMPLIFICAR O AMBIENTE ADMINISTRATIVO COMO PROPOSTA NA MEMÓRIA DOS PROCESSOS REGULATÓRIOS Marla Cecilia R. Canedo de Amorim (1) Administradora, formada pela Pontifícia Universidade Católica PUC/GO. Pós-graduada

Leia mais

Módulo 4. Estrutura da norma ISO Sistemas de Gestão da Qualidade - Requisitos Requisitos 5.4, 5.5 e 5.6 Exercícios

Módulo 4. Estrutura da norma ISO Sistemas de Gestão da Qualidade - Requisitos Requisitos 5.4, 5.5 e 5.6 Exercícios Módulo 4 Estrutura da norma ISO 9001-2008 Sistemas de Gestão da Qualidade - Requisitos Requisitos 5.4, 5.5 e 5.6 Exercícios 5.4 - Planejamento 5.4.1 - Objetivos da qualidade Os objetivos da qualidade devem

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE GESTÃO, ARTICULAÇAO E PROJETOS EDUCACIONAIS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE GESTÃO, ARTICULAÇAO E PROJETOS EDUCACIONAIS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE GESTÃO, ARTICULAÇAO E PROJETOS EDUCACIONAIS TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos MBA em EXCELÊNCIA EM GESTÃO DE PROJETOS E PROCESSOS ORGANIZACIONAIS Planejamento e Gestão de Projetos Prof. Msc Maria C. Lage Prof. Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Riscos 1 Introdução Gerenciamento

Leia mais

Unidade I PROCESSOS ORGANIZACIONAIS. Prof. Léo Noronha

Unidade I PROCESSOS ORGANIZACIONAIS. Prof. Léo Noronha Unidade I PROCESSOS ORGANIZACIONAIS Prof. Léo Noronha Introdução aos processos organizacionais Qualquer tamanho de empresa, até as informais ou do terceiro setor. Visão moderna de gestão organizacional,

Leia mais

Paradigmas de Software

Paradigmas de Software Paradigmas de Software Objetivos Introdução aos paradigmas de software. Descrição de modelos genéricos e sua aplicabilidade. Descrição dos processos de requisitos, desenvolvimento, teste e evolução. Modelo

Leia mais

Gestão de Projetos. Introdução. Prof. Dr. Braz Bello Junior Aula 1

Gestão de Projetos. Introdução. Prof. Dr. Braz Bello Junior Aula 1 Gestão de Projetos Introdução Prof. Dr. Braz Bello Junior Aula 1 Gestão Estratégica de Informação 2 Conceitos básicos Projeto é um esforço temporário, com início e término definidos, empreendido para criar

Leia mais

Oficina - Gestão por Processos

Oficina - Gestão por Processos Oficina - Gestão por Processos Isaac da Silva Torres João Francisco da Fontoura Vieira 02/09/2015 Escritório de Processos 1 Tópicos Nesta oficina, apresentaremos a Gestão por Processos e a sua relação

Leia mais

Plano de Manejo Parque Natural Municipal Doutor Tancredo de Almeida Neves. Encarte 6 MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO. IVB-2012 Página 1

Plano de Manejo Parque Natural Municipal Doutor Tancredo de Almeida Neves. Encarte 6 MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO. IVB-2012 Página 1 Encarte 6 MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO IVB-2012 Página 1 CONTEÚDO 6 MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO 6.1 Monitoramento e avaliação anual da implementação do Plano 6.2 Monitoramento e avaliação da efetividade do

Leia mais

Agenda da Aula. Melhoria do Processo de Software. Por que melhorar o processo? De onde veio a idéia? Qualidade do Produto. Qualidade de Software

Agenda da Aula. Melhoria do Processo de Software. Por que melhorar o processo? De onde veio a idéia? Qualidade do Produto. Qualidade de Software Engenharia de Software Aula 20 Agenda da Aula Melhoria do Processo de Software Eduardo Figueiredo http://www.dcc.ufmg.br/~figueiredo dcc603@gmail.com 16 Maio 2012 Melhoria de Processo Medição Análise Mudança

Leia mais

(baseado nas sugestões do IATF)

(baseado nas sugestões do IATF) Polvo e Tartarugas Método de mapeamento de processos (identificação e determinação da seqüência e interação dos processos) (baseado nas sugestões do IATF) Princípios de Gestão da Qualidade Um dos oito

Leia mais

Nomenclatura usada pela série ISO Série ISO 9000

Nomenclatura usada pela série ISO Série ISO 9000 Slide 1 Nomenclatura usada pela série ISO 9000 (ES-23, aula 03) Slide 2 Série ISO 9000 ISO 9000 (NBR ISO 9000, versão brasileira da ABNT): Normas de gestão da qualidade e garantia da qualidade. Diretrizes

Leia mais

A importância estratégica do gerenciamento e mapeamento de processos. Plataforma da Informação

A importância estratégica do gerenciamento e mapeamento de processos. Plataforma da Informação A importância estratégica do gerenciamento e mapeamento de processos. Plataforma da Informação Prazer, Vitor Mol 2012.2 Analista de Qualidade 2013 Diretor de Qualidade 2014 Presidente 2015 Presidente do

Leia mais

PROJETO INTEGRADO AULA 4 INTEGRAÇÃO E ESCOPO

PROJETO INTEGRADO AULA 4 INTEGRAÇÃO E ESCOPO PROJETO INTEGRADO AULA 4 INTEGRAÇÃO E ESCOPO PROF.: KAIO DUTRA Gerenciamento da Integração do Projeto O gerenciamento da integração do projeto inclui os processos e as atividades necessárias para identificar,

Leia mais

Elaboração: Everaldo Mota Engenheiro Mecânico/Pós-Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho e Gestão Ambiental.

Elaboração: Everaldo Mota Engenheiro Mecânico/Pós-Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho e Gestão Ambiental. Elaboração: Everaldo Mota Engenheiro Mecânico/Pós-Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho e Gestão Ambiental. Email: everaldomota@yahoo.com.br OBJETIVO * Demonstrar Estudo de Caso de Auditorias

Leia mais

Unidade II PROCESSOS DECISÓRIOS. Prof. Me. Livaldo dos Santos

Unidade II PROCESSOS DECISÓRIOS. Prof. Me. Livaldo dos Santos Unidade II PROCESSOS DECISÓRIOS Prof. Me. Livaldo dos Santos Objetivos MASP conceito geral Etapas do MASP Detalhamento das Fases do MASP PDCA Fases do PDCA MASP - Método de análise e solução de problemas

Leia mais

CICLO PDCA CICLO PDCA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANA DEPARTAMENTO DE CONSTRUC A O CIVIL GERENCIAMENTO DE PROJETOS. PROFª MSc. HELOISA F.

CICLO PDCA CICLO PDCA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANA DEPARTAMENTO DE CONSTRUC A O CIVIL GERENCIAMENTO DE PROJETOS. PROFª MSc. HELOISA F. SETOR DE TECNOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL GESTÃO DE Prof.ª: MSc.: Heloisa Fuganti Campos 2 SUBMETIDA E APROVADA A PROPOSTA DO PROJETO PLANEJAMENTO PROCESSO DE

Leia mais

GESPUBLICA. Programa Nacional de Gestão Pública e Desburocratização 8/7/2008 1

GESPUBLICA. Programa Nacional de Gestão Pública e Desburocratização 8/7/2008 1 GESPUBLICA Programa Nacional de Gestão Pública e Desburocratização 8/7/2008 1 Fundamentos GESPUBLICA Publicidade Moralidade Excelência dirigida ao Cidadão Impessoalidade Eficiência Histórico Amplitude

Leia mais

Impactos da utilização do SEI na modelagem de processos: caso do processo de Redistribuição de Servidores na UFG

Impactos da utilização do SEI na modelagem de processos: caso do processo de Redistribuição de Servidores na UFG Impactos da utilização do SEI na modelagem de processos: caso do processo de Redistribuição de Servidores na UFG Renata Moreira Limiro 1, Vínicius Sobreira Braga 2, Kátia Kelvis Cassiano 1, Douglas Farias

Leia mais

O que são os Sistemas ERP?

O que são os Sistemas ERP? O que são os Sistemas ERP? Enterprise Resource Planning (ERP) é um sistema integrado, utilizado para fazer o planejamento de recursos da empresa, ou seja, ele integra todos os dados e processos de uma

Leia mais

PLANEJAMENTO CICLO PDCA PLANEJAMENTO CICLO PDCA PLANO DO PROJETO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ 28/03/2016. PROFª MSc. HELOISA F.

PLANEJAMENTO CICLO PDCA PLANEJAMENTO CICLO PDCA PLANO DO PROJETO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ 28/03/2016. PROFª MSc. HELOISA F. SETOR DE TECNOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL GESTÃO DE Prof.ª: MSc.: Heloisa Fuganti Campos 2 SUBMETIDA E APROVADA A PROPOSTA DO PROJETO PLANEJAMENTO PROCESSO DE PLANEJAMENTO

Leia mais

Programa Ensino Integral

Programa Ensino Integral PROCEDIMENTO PASSO A PASSO: GUIA DE APRENDIZAGEM Programa Ensino Integral PROCEDIMENTO PASSO A PASSO GUIA DE APRENDIZAGEM Definição: O Guia de Aprendizagem é um instrumento de gestão que se destina fundamentalmente

Leia mais

Gestão de Projetos 05/05/2013

Gestão de Projetos 05/05/2013 Gestão e Avaliação de Projetos Unidade 05 Processos de Gerenciamento de Projetos de um Projeto humberto@humbertoarantes.com.br www.humbertoarantes.com.br Para que serve o Termo de Abertura de Projeto?

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade 2ª Edição Plano de Aula - 40 Aulas (Aulas de 1 Hora)

Sistema de Gestão da Qualidade 2ª Edição Plano de Aula - 40 Aulas (Aulas de 1 Hora) 7728 - Sistema de Gestão da Qualidade 2ª Edição Plano de Aula - 40 Aulas (Aulas de 1 Hora) Aula 1 Capítulo 1 - Conceitos e Fundamentos da Qualidade 1.1. O que é Qualidade?... 19 1.2. Evolução da Qualidade...

Leia mais

1 Modelagem de Processos de Negócio Engenharia de Software.

1 Modelagem de Processos de Negócio Engenharia de Software. 1 Modelagem de Processos de Negócio Engenharia de Software. Modelagem de processos de negócio A Modelagem de Processo de Negócio é uma das atividades que visa a criação de um modelo com os processos de

Leia mais

MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO APSUS - 2012

MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO APSUS - 2012 MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO APSUS - 2012 REFLEXÃO INICIAL "Não é possível gerir o que não se pode medir...e, se não se pode gerir, não se poderá melhorar " (William Hewlett) Se você não mede, você não gerencia!

Leia mais

QUALIDADE Grau até o qual um conjunto de características satisfaz as necessidades! Cumprimento dos requisitos pré determinados no Escopo do projeto;

QUALIDADE Grau até o qual um conjunto de características satisfaz as necessidades! Cumprimento dos requisitos pré determinados no Escopo do projeto; SETOR DE TECNOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL Prof.ª: MSc.: Heloisa Fuganti Campos 2 COMPETITIVIDADE NA CONSTRUÇÃO CIVIL INTRODUÇÃO SATISFAÇÃO DOS CLIENTES! INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO

Leia mais

INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ISO 9001 ISO /03/2015 QUALIDADE! GERENCIAMENTO DE PROJETOS GESTÃO DE QUALIDADE

INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO ISO 9001 ISO /03/2015 QUALIDADE! GERENCIAMENTO DE PROJETOS GESTÃO DE QUALIDADE UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL INTRODUÇÃO 2 GERENCIAMENTO DE PROJETOS Prof.: Heloisa Campos COMPETITIVIDADE NA CONSTRUÇÃO CIVIL SATISFAÇÃO DOS CLIENTES! INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO

Leia mais

ISO 9000 e ISO 14.000

ISO 9000 e ISO 14.000 DISCIPLINA: QUALIDADE NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PROFESSORA: ALEXSANDRA GOMES PERÍODO: 3º PERÍODO CARGA HORÁRIA: 60 HORAS ISO 9000 e ISO 14.000 ISO 9000 A expressão ISO 9000 designa um grupo de normas técnicas

Leia mais

Introdução ao CEP- Controle Estatístico de Processo

Introdução ao CEP- Controle Estatístico de Processo Introdução ao CEP- Controle Estatístico de Processo Prof. José Carlos de Toledo GEPEQ Grupo de Estudo e Pesquisa em Qualidade DEP- UFSCar 1. A METODOLOGIA DO CONTROLE DA QUALIDADE E O CEP O controle da

Leia mais

e ao Introdução ao BPM Guia BPM CBOK Instrutor: Eduardo Oliveira Slide XII Semana de Administração Orçamentária, Financeira e de Contratações Públicas

e ao Introdução ao BPM Guia BPM CBOK Instrutor: Eduardo Oliveira Slide XII Semana de Administração Orçamentária, Financeira e de Contratações Públicas Introdução ao BPM e ao Guia BPM CBOK Instrutor: Eduardo Oliveira 1. Conceitos básicos 1.1. Processos É um fluxo coordenado e padronizado de atividades executadas por pessoas ou máquinas, as quais podem

Leia mais

É o resultado indesejável de um processo ou trabalho; É o não atendimento de um requisito especificado;

É o resultado indesejável de um processo ou trabalho; É o não atendimento de um requisito especificado; Objetivo Problema TRATAMENTO DE NÃO CONFORMIDADE, AÇÕES CORRETIVAS E PREVENTIVAS Apresentar ferramentas para o tratamento de não conformidades e de solução de problemas. ANÁLISE BÁSICA DE UM PROBLEMA CONCEITOS

Leia mais

Introdução à Gestão de Processos

Introdução à Gestão de Processos Introdução à Gestão de Processos 1. Painel 2. Meus cursos 3. Introdução à Gestão de Processos 4. Módulo 4 - Ferramentas para Gestão de Processos 5. Exercício Avaliativo 4 Iniciado em terça, 31 jul 2018,

Leia mais

Mapeamento e Modelagem de Processos. Business Process Management - BPM

Mapeamento e Modelagem de Processos. Business Process Management - BPM Mapeamento e Modelagem de Processos Business Process Management - BPM 2 www.nbs.com.br Soluções eficazes em Gestão de Negócios. Nossa Visão Ser referência em consultoria de desenvolvimento e implementação

Leia mais

Modelagem de Processos de Negócio. Prof. Msc. Paulo Alipio Alves de Oliveira

Modelagem de Processos de Negócio. Prof. Msc. Paulo Alipio Alves de Oliveira Modelagem de Processos de Negócio Prof. Msc. Paulo Alipio Alves de Oliveira Modelagem de Processos de Negócio Análise e modelagem de processos de negócios, quando feitas corretamente, evitam que a empresa

Leia mais

ÍNDICE DO MÓDULO Atendimento ao cliente Reclamações dos clientes Controle de ensaios e calibrações não conformes

ÍNDICE DO MÓDULO Atendimento ao cliente Reclamações dos clientes Controle de ensaios e calibrações não conformes MÓDULO 4 REQUISITOS 4.7 - Atendimento ao cliente 4.8 - Reclamações dos clientes 4.9 - Controle de ensaios e calibrações não conformes 4.10 - Melhoria continua 4.11 - Ação corretiva 4.12 - Ação preventiva

Leia mais

ITIL v3 Desenho de Serviço Parte 1

ITIL v3 Desenho de Serviço Parte 1 ITIL v3 Desenho de Serviço Parte 1 O Desenho de Serviço vem após a Estratégia de Serviço, após levantar tudo o que foi necessário como as políticas, estratégia, recursos e restrições. O pessoal envolvido

Leia mais

Business Case (Caso de Negócio)

Business Case (Caso de Negócio) Terceiro Módulo: Parte 5 Business Case (Caso de Negócio) AN V 3.0 [54] Rildo F Santos (@rildosan) rildo.santos@etecnologia.com.br www.etecnologia.com.br http://etecnologia.ning.com 1 Business Case: Duas

Leia mais

CONTROLE DA QUALIDADE TOTAL (TQC)

CONTROLE DA QUALIDADE TOTAL (TQC) CONTROLE DA QUALIDADE TOTAL (TQC) Professor: Leandro Zvirtes UDESC/CCT 1 Objetivos de uma empresa Objetivo principal Pessoas Meios Satisfação das necessidades das pessoas CONSUMIDORES EMPREGADOS ACIONISTAS

Leia mais

ISO/DIS Compreendendo a nova norma internacional para a saúde e segurança no trabalho. Mapping Guide

ISO/DIS Compreendendo a nova norma internacional para a saúde e segurança no trabalho. Mapping Guide ISO/DIS 45001 Compreendendo a nova norma internacional para a saúde e segurança no trabalho Mapping Guide ISO/DIS 45001 Compreendendo a nova norma internacional para a saúde e segurança no trabalho O novo

Leia mais