Jurídico, sim. Esquecido, não. A internet como instrumento de expansão de marca*

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Jurídico, sim. Esquecido, não. A internet como instrumento de expansão de marca*"

Transcrição

1 Jurídico, sim. Esquecido, não. A internet como instrumento de expansão de marca* Daiane Brito da Silva** A cada dia milhares de pessoas na carreira jurídica em todo o mundo aderem a este novo mundo tecnológico. Não se adaptar a ele pode ser mais que um erro estratégico; pode custar a perenidade de uma marca jurídica. Rodrigo Bertozzi e Renata Bucco (2013) RESUMO Este artigo tem como tema a Expansão de Marca Jurídica no Brasil. Pretende-se abordar as principais ferramentas utilizadas na web que podem auxiliar nesse processo. Estarão presentes os mais importantes conceitos de Marketing, com foco no Marketing de Serviços. A escolha do tema se justifica pelas rápidas mudanças na tecnologia da comunicação e pela pouca atuação virtual desse segmento. PALAVRAS-CHAVE: Branding - Marketing Jurídico - Facebook - Expansão de Marca - Marketing de Serviços ABSTRACT This article has as its theme the Legal Brand Expansion in Brazil. To discuss the main tools used in the web that can assist in this process. Will present the most important concepts of marketing, with a focus on Marketing Services. The choice of subject is justified by the rapid changes in communications technology and the low performance of this virtual segment. KEY-WORDS: Branding - Legal Marketing - Facebook - Expansion Brand - Marketing Services 1. INTRODUÇÃO Mostrar como a internet pode contribuir para a expansão de uma marca jurídica no Brasil é o objetivo deste estudo. Para chegar a alguma conclusão foram realizadas pesquisas bibliográfica e webgráfica. Nessa caminhada, pretende-se investigar qual a abordagem mais utilizada por empresas desse * Texto elaborado como prerrogativa para conclusão do curso de Pós-Graduação de MBA em Marketing ** Graduada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo em Explorou o rádio como instrumento de mobilização social no seu trabalho de conclusão de curso e se diz apaixonada pelas transformações que as ferramentas de marketing podem proporcionar às organizações.

2 segmento frente às novas tecnologias da comunicação que favorecem a convergência digital. Essa descoberta será importante porque vai nos mostrar se as empresas de advocacia se fazem presentes e atuantes na web, ou se estão apenas ocupando um espaço virtual. Nessa etapa será visitado o site da IOB (www.iob.com.br), empresa que atua no segmento jurídico com publicações jurídicas e tributárias e serviço de consultoria empresarial. Não se pretende fazer um estudo de caso. A IOB será utilizada apenas como parâmetro para confrontar algumas ideias aplicadas no decorrer desta pesquisa. As abordagens de branding e marca serão apresentadas sob a percepção de José Roberto Martins na obra Branding: o manual para você criar, gerenciar e avaliar marcas (2006); Gustavo Augusto Hanum Sardinha, em Marca Comercial: Quanto vale a sua? (2009) e Philip Kotler, em Administração de Marketing (1998). Como dito, o objetivo-mestre é identificar se a rede mundial de computadores pode contribuir positivamente para tornar uma marca jurídica mais conhecida. Essa indagação é pertinente por perceber que as estratégias de marketing para produtos são diferentes das de marketing de serviço, pelas próprias características tangíveis e intangíveis que os compõem, respectivamente. Para nos ajudar a entender as estratégias que melhor posicionam as empresas de serviços, serão utilizadas obras de Philip Kotler, dentre elas Marketing de Serviços Profissionais (2002), Marketing para o Século XXI (1999) e Administração de Marketing (1998). Quanto à atuação na web, pretende-se ainda observar como a IOB utiliza as estratégias de Marketing. Dentro da amplitude das redes sociais, será foco da nossa análise o Facebook, com perfil da IOB. Nele vamos verificar como ela atua. Além disso, veremos como se dá o reforço do relacionamento com o cliente por esse canal de comunicação. Nessa etapa estarão presentes as ideias de Rodrigo Bertozzi e Renata Bucco, expostas em Marketing Jurídico - O Poder das Novas Mídias (2013), e A Nova Era das Marcas Jurídicas - Como construir uma advocacia de sucesso, de Rodrigo Bertozzi (2009). 2. A HISTÓRIA DA MARCA Para Bertozzi (2009, p. 25), a origem da definição de marca possui inúmeras fontes, a começar pelos primeiros desenhos nas cavernas, pois esses sinais já eram uma marca (herança) da civilização que ali vivia: 2

3 O mais aceito para o nascimento do conceito de marca data de 300 anos. No passado, as marcas eram o sinal característico que se imprimia no gado, para garantir inequivocamente o direito de propriedade sobre aqueles animais. O modelo de marca (adaptado aquipara o mundo jurídico) atual também carrega esta personalização. Com a evolução dos serviços, foi preciso criar um novo conceito, uma nova forma de pensar sobre como algo tão importante, capaz de influenciar centenas de pessoas (a reputação), fosse considerado matéria acessória. De acordo com Zenone (2011, p. 9), no passado, a marca possuía dois objetivos básicos: identificar um produto e diferenciá-lo da concorrência. Kotler (1998, p. 393) afirma que os primeiros registros históricos do uso de marca datam a Idade Média, quando artesãos criavam marcas para identificar os seus produtos e proteger a si próprios e a seus consumidores contra produtos de qualidade inferior. Klein (2004, p. 75) afirma ainda que os primórdios do branding batizavam com nomes próprios açúcar, farinha de trigo, sabão e cereais. Segundo essa autora, a sopa Campbell s, os picles H.J Heinz e a aveia Quaker, ao final do século XIX, parecem ter sido as primeiras logomarcas de produtos industrializados. Para Wheeler (2012, p. 51), a primeira marca registrada foi a Löwenbräu, em 1383, seguida do Guinness, em 1862, e da Olympics, em MARCA: SÍMBOLO DE SUCESSO Para o Sebrae (2010, p. 35), a marca é a identidade de uma empresa. Aaker (2007, p. 70) concorda com essa ideia, quando diz: A identidade de uma pessoa oferece orientação, objetivo e significado a essa pessoa? Avalie a importância das perguntas que se seguem. Quais são meus valores essenciais? O que pretendo? Como desejo ser percebido? Que traços de personalidade gostaria de projetar? Quais são os relacionamentos importantes em minha vida? De modo similar, a identidade de uma marca proporciona sentido, finalidade e significado a essa marca. Segundo Aaker (2007, p. 74), a marca como símbolo está entre as 12 dimensões que envolvem a identidade da marca. Sabe-se que a marca é um dos canais pelos quais a empresa vai projetar os seus valores e até sua missão. Entretanto, se os elementos visuais forem mal dispostos, podem fazer com que a marca seja percebida de forma bem diferente da 3

4 qual foi projetada. Além disso, após criada a marca, a empresa não pode parar no tempo, pois a projeção pode ser distorcida com o passar dos anos. É nesse momento que a ferramenta de brand equity se torna essencial para a manutenção da boa imagem. De acordo com Aaker (2007, p. 19), para gerenciar eficientemente o brand equity e tomar decisões corretas sobre atividades de desenvolvimento, é importante manter-se sensível às formas por meio das quais as marcas fortes criam valor. Ele ainda diz que o brand equity cria valor tanto para os clientes quanto para as empresas. Aaker (2007, p. 85) diz ainda que uma imagem visual poderosa capta grande parte da identidade da marca, porque as conexões entre o símbolo e os elementos da identidade foram construídas ao longo do tempo. Basta um vislumbre para que a marca seja lembrada. Para ele, os símbolos são mais expressivos quando envolvem uma metáfora. Para Aaker, a criação de uma marca deve partir da seguinte pergunta: Que imagem visual você quer que as pessoas tenham de sua marca daqui a cinco anos?. Segundo ele, a imagem resultante impulsiona tudo desse ponto em diante. 2.2 AS CORES E AS MARCAS Nesse contexto, a definição da cor na composição de determinada marca ou produto tem poderes para influenciar. Perez e col (2011, p. 87) mostram quão arraigados estão os significados das cores na cultura do povo ocidental. Isso pode ser percebido por meio de expressões que circundam o dia a dia, veja: de repente a situação ficou preta; fulano estava roxo de raiva; ele sorriu amarelo; o susto foi tão grande que ela ficou branca; estava vermelha de vergonha; ela vivia em um mundo cor-de-rosa. De acordo com esses autores, de forma conotativa, no mundo ocidental a cor branca representa pureza; a preta, negatividade; a cinza, tristeza, coisas amorfas; a vermelha, calor, dinamismo, ação excitação; a rosa, graça, ternura; e a azul, pureza, fé, honradez. Segundo Perez e col (2011, p. 89), adultos e idosos costumam preferir tonalidades escuras, como azul, verde e vermelho. De acordo com Cayuela e col (2011, p. 115), as cores causam diferentes influências nas pessoas. Ele diz que a cor amarela é a de mais rápida percepção 4

5 para o olho humano. Dentro de um planejamento estratégico essa cor faz lembrar que o excesso de otimismo conduz ao fracasso. Esse autor recomenda certo conhecimento das cores para quem vai criar folhetos ou trabalhar com publicidade em geral ou mesmo criar um website. Veja o que Cayuela e col (2011, p. 115) dizem sobre as cores: Cada uma das cores tem uma história, acompanhada de uma tradição e de um significado que, em geral, perduraram através do tempo. Cabe a nós aceitar, modificar ou desafiar os significados que eles têm para o olho e para a psique humana. Ao definir o formato e as cores que vão compor uma logo, é importante ficar atento aos mínimos detalhes, pois a escolha certa pode auxiliar no sucesso do negócio. 2.3 BRANDING E MARCAS SÃO IGUAIS? De acordo com Martins (2006, p. 8), branding e marca não têm o mesmo significado. Para ele, marca é a união de atributos tangíveis e intangíveis simbolizados num logotipo, gerenciados de forma adequada, e que criam influência e geram valor. Por sua vez, branding é o conjunto de ações ligadas à administração das marcas que podem levá-las além da sua natureza econômica, passando a fazer parte da cultura, e influenciar a vida das pessoas. Esse conceito de branding também é partilhado por Sardinha (2009, p. 63) com pequenos acréscimos, haja vista que, segundo ele, as ações de branding podem impactar na avaliação dos ativos de uma empresa. Para explicar o que é uma marca, Crocco (2013, p. 39) e Kotler (1998, p. 393) adotam a definição dada pela American Marketing Association. Para ela, marca é um nome, termo, sinal, símbolo ou combinação dos mesmos, que tem o propósito de identificar bens ou serviços de um vendedor ou grupo de vendedores e de diferenciá-los de seus concorrentes. Gamble (2007, p. 167) diz que a marca é a plataforma-chave para se lançar em novos mercados. Se ela for forte, pode salvar uma companhia de uma situação difícil. Ele cita a IBM, empresa de softwares, como exemplo. Ao passar por problemas em 1990, a IBM apoiou-se no mantra que dizia: Ninguém jamais perdeu o emprego por comprar um IBM. 5

6 Kotler (1998, p. 393) mostra que uma marca é um símbolo complexo que pode conduzir seis níveis de significados: atributos, benefícios, valores, cultura, personalidade e usuário. Segundo ele, os significados mais consistentes que definem a essência de uma marca são seus valores, cultura e personalidade. A Mercedes é citada como exemplo de marca que atende a essas seis dimensões. Ainda citando Crocco (2013, p. 39), a personalidade da marca é resultado de suas características reais, ressaltadas e comunicadas para os consumidores por meio de propaganda, design, embalagem, distribuição, etc. Para Kotler (2003, p. 294): o reconhecimento da marca significa que os clientes ou pacientes se lembram da marca, o que pode constituir enorme vantagem, quando existirem numerosos concorrentes cujas marcas não são reconhecidas. Mesmo que não consigam recordar o nome da empresa sem serem ajudados, os clientes podem lembrá-lo no momento em que consultam uma lista de profissionais ou Páginas Amarelas. Segundo Pinho (1996, p. 29), as marcas corporativas guardam uma estreita relação com os programas de identidade visual, haja vista que a identidade corporativa diferencia a empresa de modo positivo e memorável, projetando assim uma personalidade única e posicionando adequadamente a companhia no mercado. Em relação à personalidade, Gamble (2007, p. 173) diz: Se a proposta de marca é o que a empresa oferece, a personalidade é como ela se comporta. Isso é especialmente importante no setor de negócios e serviços, mas a personalidade da marca também é algo que pode ser criado com publicidade inteligente. Gamble (2007, p. 177) sugere a existência de um ciclo vicioso que pode ser muito favorável à marca: marcas fortes energizam e motivam as pessoas, e funcionários motivados, por sua vez, ajudam a construir marcas fortes. Dentre as vantagens apresentadas por Kotler (1998, p. 397) usufruídas pelas empresas que adotam uma marca estão: a marca fornece à empresa a oportunidade de atrair um grupo de consumidores leais e lucrativos; a marca ajuda a empresa a segmentar mercados, além de ajudar a construir a imagem corporativa. De acordo com Sardinha (2009, p. 83), grandes corporações de todo o mundo utilizam-se do branding para otimizar o valor de uma marca em relação ao faturamento gerado. Isso significa que uma marca forte pode trazer benefícios para 6

7 a empresa. Dentre os benefícios abordados pelo autor está a possibilidade de redução do grau de endividamento e maior facilidade de relacionamento com bancos e fornecedores. Para Crocco (2013, p. 40), uma marca de sucesso é resultado da percepção dos consumidores no sentido de achá-la melhor do que as marcas concorrentes. 2.4 MARCA: O MAIOR ATIVO INTANGÍVEL DE UMA EMPRESA Entende-se por ativo, segundo Sardinha (2009, p. 23), os bens que proporcionam, ao longo do tempo, um fluxo de serviços, sejam eles de consumo ou monetário. Por sua vez, esse mesmo autor define a palavra intangível como aquilo que não se pode tocar; aquilo que não é palpável. Do ponto de vista contábil, Sardinha (2009, p. 24) diz que uma das definições que melhor se enquadra é a de que intangíveis são como ativos de capital que não têm existência física. Dito isso fica fácil entender o porquê de as marcas serem consideradas ativos intangíveis. Para Martins (2006, p. 17), as marcas são os intangíveis mais complexos e de maior visibilidade organizacional. Segundo ele, o maior ou menor tempo de vida de uma marca está fortemente relacionado à capacidade gerencial das pessoas que as administram. Na percepção de Sardinha (2009, p. 90), as marcas têm o condão de interferir diretamente na demanda do consumidor; no interesse dos investidores; transformar o desempenho dos negócios e os resultados financeiros. São fontes primárias de valor corporativo. O elemento marca é tão importante numa organização que existe uma lei que a protege: a Lei n 9.279, de 14/05/1996, que regula direitos e obrigações relativos à propriedade industrial, inclusive a concessão de registro de marca. Crocco (2013, p. 45) afirma que essa lei protege a marca com relação aos seguintes crimes: - reprodução da marca no todo ou em parte, sem autorização do titular; - imitação da marca, de modo que induza à confusão; - alteração da marca de outrem, em produto existente no mercado; - importação, exportação, venda, exposição comercial, ocultação ou estoque de produto com marca pirata, reproduzida ilicitamente ou imitada; - comercialização de produto com marca alheia. 7

8 Essa lei também orienta que o registro da marca deve ser solicitado ao INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial). Esse registro é válido por dez anos, prorrogáveis indefinidamente. As palavras de Schweriner (2010, p. 76) resumem bem isso. Ele diz que marcas podem nomear fabricantes, bem como produtos, ambos podendo valer mais que os próprios ativos das respectivas companhias. A marca, de um nome ou símbolo etéreo e abstrato, passa a significar bilhões de dólares. 2.5 CONSCIÊNCIA DA MARCA Aaker (2007, p.19) traduz consciência da marca como a presença de uma marca na mente dos consumidores. Para ele, a consciência de uma marca é medida de acordo com as diferentes formas que os consumidores recordam uma marca, variando desde o conhecimento, passando pela lembrança, chegando ao top of mind. Na visão de Crocco (2013, p. 43), consciência da marca representa quanto o consumidor conhece a marca. Essa consciência pode ser de três tipos: top of mind vem a ser a primeira marca que vem à lembrança quando a pessoa é questionada sobre marcas relacionadas a uma certa categoria de produto; consciência não assistida refere-se a todas as marcas de que uma pessoa se lembra espontaneamente, sem auxílio, e, por fim, consciência assistida, que se refere a marcas de que o consumidor não se lembra se não for auxiliado, ou seja, consiste em perguntar ao público-alvo se ele já ouviu falar de certas marcas, mesmo que só de nome. A percepção desse autor fez surgir a seguinte indagação: será que existe alguma empresa de advocacia que tenha sido listada pelo top of mind ? A resposta encontrada pela pesquisa é negativa. Não há registro de nenhuma empresa desse segmento, até porque não pesquisam essa categoria de serviços. Na categoria de serviços são listadas apenas empresas de seguros e de planos de saúde, dentre outras. Para Aaker, p., as marcas mais fortes são aquelas gerenciadas não apenas em função da consci ncia geral, mas também em função da consci ncia estratégica. ma coisa é ser lembrado outra, bem diferente, é ser lembrado pelas raz es corretas e evitar ser lembrado pelas erradas. 1 Top of mind é uma pesquisa é realizada pelo Datafolha desde a década de 90, com o objetivo de descobrir qual a marca mais lembrada pelos brasileiros em dezenas de categorias de produtos e serviços. 8

9 3. MARCA JURÍDICA Segundo Bertozzi (2009, p. 19), a marca jurídica está em todo lugar. Elas são como organismos vivos que nascem, amadurecem, reinventam-se, morrem e renascem. Porém, algumas pessoas e suas marcas poderosas deixam mais que simples passos na areia da praia, apagados por uma onda mais ousada. Elas esculpem seu DNA na mente das pessoas e tornam-se inesquecíveis. O autor diz ser de suma importância definir um projeto de marca jurídica com base no planejamento estratégico. Ele também orienta que o gestor se pergunte: como a minha marca deve ser percebida (externamente) e gestada (internamente)? Para Bertozzi (2009, p. 19), a soma da visão, da missão e dos valores formam a essência da marca jurídica. É uma declaração aberta dos princípios e do norte que movem o escritório. Em qualquer porte de escritório, ser bom não basta, é preciso saber claramente (e isso vale para a equipe interna) quem é o escritório (este maravilhoso organismo vivo), o que sua marca representa e transmite, e, por fim, para onde está indo. Para Bertozzi (2009, p. 26), a marca jurídica é a percepção intuitiva (ou sentimento visceral) de um cliente em relação a um serviço jurídico, a um profissional ou a uma banca. Na visão do autor, a reputação pessoal, assim como a do seu escritório, está fora do controle. Para ele, não é o que você diz que ela é é o que os outros dizem que ela é. Ele diz mais (p. 27): a marca jurídica (diferentemente do que a grande maioria pensa) não está sob seu controle absoluto. A marca é formada na mente das pessoas de acordo com os pontos de conexão que elas tenham com a empresa. Você pode influenciar o que os outros pensam de sua marca pessoal ou corporativa, mas, ao final, quem determina a percepção dos serviços que você presta ainda são os outros. Agora imagine nada fazer em termos de marca jurídica. É pedir para que a concorrência (cada vez mais atenta ao marketing jurídico) passe à frente. Bertozzi (2009, p. 26) afirma que os clientes estão cada dia mais conscientes do valor das marcas jurídicas ou da reputação dos advogados. Segundo ele, essa é uma ação provocada pela própria concorrência: 9

10 Ele não procura o advogado passando lentamente os dedos em uma lista telefônica, nem observando as placas na rua. Embora isso ainda possa acontecer em cidades menores ou em áreas específicas, como trabalhista ou previdenciária. Esta não é a regra. Os clientes agora, mais do que em qualquer outro tempo, cruzam informações e referências até chegar à sua porta. Com a natural hiperfragmentação do mercado jurídico e com o cliente tendo mais acesso à informação, caberá aos sócios e gestores da banca desenvolverem e posicionarem a marca (e o DNA) de maneira sustentável, séria e profissional. 4. INTERNET: MAIS INFORMAÇÕES ARMAZENADAS De acordo com matéria publicada pela Folha de São Paulo (2013), com base nos dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o acesso à Internet cresceu 143,8% entre a população com 10 anos ou mais, de 2005 para A maior parcela dos brasileiros que usou a rede (76,1%) tem renda entre três e cinco pisos salariais (R$ a R$ 3.390), considerando o rendimento mensal per capta. Segundo Sterne (2001, p. 1), o uso comercial da World Wide Web não apareceu completamente formado como uma ferramenta de serviço a cliente, tendo se iniciado como um meio de marketing. Para Wheeler (2012, p. 38), a Internet transformou todos nós em empresas globais. Segundo ela, no ciberespaço, em nossos computadores e nos telefones celulares, a geografia se tornou irrelevante. Enquanto a globalização confunde as diferenças entre culturas, as melhores marcas prestam atenção às diversidades culturais. Michael Malone, professor da Universidade Santa Clara, em entrevista à revista Veja (2013, p. 73), disse que a partir de agora, pela primeira vez, podemos começar a tomar decisões com base no todo, com 100% de informação. A humanidade viveu gerações fazendo escolhas impregnadas de incertezas. Eram grandes saltos no desconhecido, disse ele ao falar das novas possibilidades trazidas pelo Big Data 2. Segundo a reportagem, para alguns pesquisadores, o Big Data é tão revolucionário na vida humana quanto a descoberta do fogo ou início da agricultura. Para ter uma ideia, quando os primeiros computadores foram lançados, falavase em bite, byte, megabytes e gigabytes, termos mais comuns ainda no dia a dia. Com o novo rumo tecnológico e alta capacidade de armazenamento de informações 2 um imenso banco de dados, que ultrapassa a capacidade de armazenamento e processamento de qualquer ferramenta tecnológica isoladamente 10

11 fala-se em zettabyte. Um vírgula oito zettabyte armazena todos os dados acumulados pela civilização em um ano. Para Peppers e Rogers (2001, p. 14), a Internet possibilita a interligação de todos os tipos de empresas até então incomunicáveis, de forma cada vez mais eficiente em termos de custos. Essa alta capacidade de armazenamento guarda todas as informações lançadas na Internet. Do ponto de vista comercial, isso representa a possibilidade de as empresas terem um maior conjunto de informações sobre o seu público-alvo e atuar assertivamente. 5. FACEBOOK De acordo com Torres (2010, p. 5), as mídias sociais, com seus blogs, redes sociais, sites colaborativos e de jogos, transformaram decisivamente a relação dos consumidores com as empresas, marcas e produtos. Para ele, as redes sociais se tornaram um canal de comunicação constante entre consumidores, que relatam em detalhes o que compram, como utilizam e o que acharam dos produtos e serviços. Bertozzi e Bucco (2013, p. 16) dizem que o novo poder que nasce das mídias sociais é uma evolução direta do boca a boca e do networking em escala jamais imaginada, pois permitem conexões que impactam na marca jurídica e por consequência em sua carreira. Os autores consolidam a ideia de que tecnologias como Facebook têm o potencial de nos dar mais do que apenas a oportunidade de dizer aos outros de que aconteceu em nosso dia. 6. MARKETING DIGITAL Para Torres (2010, 7), o marketing digital está se tornando cada dia mais importante para os negócios e para as empresas. Ele diz que essa mudança não é apenas por uma questão de tecnologia, mas uma mudança no comportamento do consumidor, que está utilizando cada vez mais a Internet como meio de comunicação, informação, relacionamento e entretenimento. Torres diz ainda que as redes sociais geram grande repercussão porque os usuários mantém uma rede de relacionamentos, onde escreve sobre algo, e podem ter sua informação transmitida viralmente. De acordo com Zenone (2011, p. 258), as empresas podem influenciar o comportamento do consumidor ou do usuário, por meio de seu mix de marketing e 11

12 ainda pelos esforços on-line. Ele reforça que as organizações devem ter controle de seu website. Zenone (p. 259) diz que o cliente no ambiente virtual sofre constantemente com três fatores de influências, quais sejam: funcionalidade, psicológico e conteúdo. A empresa pode administrar o conteúdo de seus instrumentos que influenciem o tomador de decisões (comprador/consumidor). Normalmente o conteúdo é dividido em duas partes: o mix de marketing da empresa; os atributos sensoriais do conteúdo (design e qualidade da apresentação). Bertozzi e Bucco (2013, p. 16) afirmam que com a Internet o cliente consegue comparar serviços jurídicos em qualquer lugar do país e irá escolher aquele que tiver o melhor posicionamento na matéria em questão. Os autores afirmam que o cenário futuro para a advocacia de ponta é a perfeita simbiose entre planejamento estratégico em pessoas, finanças e produção com o marketing jurídico virtual e real. Para Bertozzi e Bucco (2013, p. 16), é incômodo pesquisar o próprio nome e quase nada ver em relação a conteúdo. É para qualquer um entrar em crise! Segundo eles, quando integramos o marketing jurídico do mundo real e virtual estamos dizendo claramente ao mercado que somos diferenciados. É o poder desse conhecimento que pode nos levar ao sucesso. Zenone (2011, p. 259) aconselha: Ao adentrar na Internet, o primeiro estágio obriga a marcar a presença. É preciso estar em rede, mas não basta ser mais um. Quando consolidada a presença, o próximo estágio é o dá busca pela interação. Interagir possibilita aproveitar mais a informação, possibilita melhor relacionamento, mas não necessariamente promove negócios efetivados a contento. reforçam: Quanto a se fazer presente na Internet, Bertozzi e Bucco (2013, p. 16) É uma decisão que deve ser tomada: ser líder de conteúdo referente a uma matéria e construir uma reputação jurídica utilizando as ferramentas à disposição que as mídias digitais, redes sociais e o marketing jurídico proporcionam para potencializar carreiras. De acordo com Zenone (2011, p. 261), se a organização não optar pela inserção na Internet, ela estará com os dias contados. Bertozzi e Bucco (2013, p. 18) afirmam que: 12

13 Para um escritório de advocacia convencional, estratégia de mídia ou redes sociais limitam-se à experiência estática com um site. E por incrível que pareça, muitos acreditam que é suficiente gerar informação estática. O site somado a blogs, redes sociais, relacionamentos com câmaras de comércio, sindicatos, eventos, livros e assim por diante, é que vão compor a trilha perfeita para a eficácia no marketing jurídico. 7. MARKETING DE PRODUTOS E SERVIÇOS Conforme afirmam Kotler e Armstrong (2003, p. 26), as pessoas satisfazem suas necessidades, seus desejos e suas demandas com produtos e serviços. Os autores conceituam produto: Um produto é qualquer coisa que possa ser oferecida a um mercado para satisfazer uma necessidade ou desejo. Serviços e outros fatores, como por exemplo experiências, pessoas, lugares, organizações, informações e ideias também podem ser considerados produtos. Segundo eles, um grande número de organizações empresariais oferece serviços, dentre as citadas estão: empresas de consultoria e escritórios de advocacia. Para os autores, uma empresa deve considerar quatro características especiais do serviço ao elaborar seus programas de marketing: intangibilidade, inseparabilidade, variabilidade e perecibilidade. Kotler e Armstrong (2004, p. 225) afirmam que como os serviços são diferentes dos produtos tangíveis, muitas vezes eles exigem abordagens de marketing adicionais. No caso de uma empresa fabricante de produtos, eles são razoavelmente padronizados e podem ficar nas prateleiras à espera dos consumidores. Mas, no caso das prestadoras de serviços, o cliente e o empregado da linha de frente interagem no momento da execução do serviço. Por isso, as prestadoras têm de interagir efetivamente com seus clientes para criar valor superior durante a realização deles. Interação efetiva, por sua vez, depende da capacidade dos empregados da linha de frente e dos processos de produção e de apoio aos serviços que lhes dão sustentação. Os autores afirmam que existem três tipos de marketing no setor de serviços: marketing interno (endomarketing e relacionamento com o cliente), marketing externo e marketing interativo. Segundo Kotler e Armstrong (2004, p. 226), as prestadoras de serviços têm de enfrentar três importantes tarefas de marketing: 13

14 precisam aumentar a diferenciação competitiva, a qualidade de serviço e a produtividade. 8. IOB - A EMPRESA E SUAS AÇÕES NA INTERNET De acordo com as informações captadas no site da IOB (Informações Objetivas), ela foi fundada em Com sede em São Paulo, a empresa ainda conta com quatro filiais no Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte e Recife. A empresa se considera líder no mercado de informações empresariais, jurídicas e tributárias. Segundo o site, a empresa produz: Mais de 60 produtos de informação (on-line, impresso e em CD-ROM), uma unidade de negócios dedicada exclusivamente à educação profissional, além de uma estrutura integrada de soluções que proporcionam total controle da atividade tributária empresarial. A empresa mostra-se antenada aos artifícios digitais para chegar mais perto do consumidor. São de fácil percepção os ícones de mídias sociais como Facebook, Twitter, You Tube, com canal exclusivo, no site da empresa. No Facebook, consta uma fanpage da empresa em que divulga os produtos e serviços. Ela também divulga promoções, transformando a rede numa extensão de sua central de vendas. Porém, ao realizar uma pesquisa no Google com a expressão consultoria jurídica, a IOB não aparece na lista. No topo, seção de link patrocinados, está a empresa Gomide Contabilidade, situada no Distrito Federal. Ao pesquisar com o nome da empresa (IOB) aparecem páginas de cursos oferecidos pela entidade, loja on-line, e uma página no Facebook exclusiva para concursos, a IOB Concursos, bem como um canal específico no You Tube, com aulas gratuitas e comercializadas. Nota-se que a IOB também dispõe de uma página específica da empresa no Facebook, denominada IOB Informações Objetivas. Isso mostra que o campo de atuação da IOB vai além da prestação de consultoria jurídica. Esse é apenas um dos serviços oferecidos pela empresa. Percebe-se que a empresa busca oferecer a mescla de produtos e serviços para se manter forte no mercado. Mas, mais do que isso, conta com assessoria de comunicação para trabalhar o perfil do público-alvo, de acordo com cada produto. 9. CONCLUSÕES E CONSIDERAÇÕES FINAIS 14

15 O caminho para o reconhecimento de uma marca é longo. Ao realizar este estudo, ficou claro que a decisão de fazer com que uma marca seja reconhecida deve ser tomada ainda no começo, ou o mais breve possível, pois a trilha vai começar não numa página na Internet, esse talvez seja o segundo passo, mas na definição dos objetivos, missão e valores da empresa. Com base nessas premissas, o gestor vai analisar se as cores e as formas contribuem para disseminação dos ideais da empresa. Como saber se vai dar certo? Realizando uma pesquisa de opinião com o público-alvo ou consumidor dos produtos ou serviços ofertados pela empresa. Após isso, compartilhar com a equipe tais premissas será muito importante, pois a marca deve ser, inicialmente, valorizada pelo próprio grupo, que vai espalhar no dia a dia esses sentidos para o público consumidor. Agora sim. Marcar presença na Internet. Criar um bom site, espelhado nas cores da marca, com informações que vão agregar valor à vida do consumidor-alvo. É esse tipo de informação que vai criar um vínculo e contribuir para reforçar o relacionamento entre empresa e consumidor. Investir em anúncios na web para expor a marca também é válido, principalmente para captação de novos clientes. E sim, estar presente no Facebook e compartilhar informações jurídicas de forma que o público compreenda facilmente, abrindo mão dos jargões técnico-jurídicos. Percebe-se que a difusão de uma marca jurídica requer os mesmos cuidados que as outras marcas, afinal a idoneidade da personalidade de uma marca tem o mesmo valor, independentemente do serviço ou produto oferecido. Estar ativamente na Internet fará muita diferença, mas cada vírgula divulgada deve ser precedida de imensa responsabilidade, pois até um erro ortográfico pode repercutir negativamente para a marca. 10. REFERÊNCIAS AAKER, David. Construindo marcas fortes. Porto Alegre: Bookman, BERTOZZI, Rodrigo. A nova era das marcas jurídicas - como construir uma advocacia de sucesso! Curitiba: Juruá, BERTOZZI, Rodrigo. BUCCO, Renata. Marketing Jurídico - o poder das novas mídias. Curitiba: Juruá,

16 CAYUELA, Oscar Malfitano [et al.]. Neuromarketing: para recriar a confiança com os clientes. Rio de Janeiro: Qualitymark Editora, CROCCO, Luciano [et al.]. Decisões de Marketing: os 4 Ps. São Paulo: FOLHA DE SÃO PAULO < > acesso em 16.maio GAMBLE, Paul R. [et al.]. A revolução do marketing. São Paulo: Futura, IOB NO TWITTER. Disponível em <https://twitter.com/iobnews> acesso em 22.maio KLEIN, Naomi. VINAGRE, Ryta (Trad.). Sem logo: a tirania das marcas em um planeta vendido. 4. ed. Rio de Janeiro: Record, KOTLER, Philip. Administração de marketing. 5 ed. São Paulo: Atlas, KOTLER, Philip. ARMSTRONG, Gary. Princípios de Marketing. São Paulo: Prentice Hall, KOTLER, Philip. BLOOM, Thomas. Marketing de Serviços Profissionais. 2 ed. São Paulo: Monele, MARTINS, José Roberto. Branding: um manual para você criar, gerenciar e avaliar marcas. 3 ed. São Paulo: Global Brands, 2006 PEPPERS, Don. ROGERS, Martha. One to one, B2B: estratégias de desenvolvimento de clientes para o mundo business-to-business. Rio de Janeiro: Campus, PEREZ, Clotilde [et al.]. Psicodinâmica das cores em comunicação. 6. Ed. São Paulo: Blucher, PERFIL DA IOB NO FACEBOOK. Disponível em <https://www.facebook.com/iobnews> acesso em 28.maio PESQUISA IOB NO GOOGLE. Disponível em <https://www.google.com.br/#q=iob> acesso em 28.maio

17 PINHO, J. B. O Poder Das Marcas. São Paulo: Summus,1996. QUEM É A IOB. Disponível em <http://www.iob.com.br/quem_somos/> acesso em 22.maio REVISTA VEJA, edição ano 46 - n 20, de 15 de maio de SAMARA, Beatriz Santos. MORSCH, Marco Aurélio. Comportamento do consumidor: conceitos e casos. São Paulo: Pearson Prentice Hall, Saraiva, (Coleção de Marketing; v. 2) SARDINHA, Gustavo Augusto Hanum. Marca comercial: quanto vale a sua? Curitiba: Juruá, SCHWERINER, Mario Rene. Brandscendência o espírito das marcas. São Paulo Saraiva, 2010 STERNE, Jim. Serviço ao cliente na internet. São Paulo: Makron Books, TORRES, Cláudio. Guia prático de marketing para pequenas empresas. Edição do Autor, WHEELER, Alina. Design de identidade da marca guia essencial para toda a equipe de gestão de marcas. 3 ed. Porto Alegre Bookman, 2012 ZENONE, Luiz Cláudio. Gestão estratégica de marketing. São Paulo: Atlas,

AS DECISÕES REFERENTES AOS CANAIS DE MARKETING ESTÃO ENTRE AS MAIS CRÍTICAS COM QUE AS GERÊNCIAS PRECISAM LIDAR

AS DECISÕES REFERENTES AOS CANAIS DE MARKETING ESTÃO ENTRE AS MAIS CRÍTICAS COM QUE AS GERÊNCIAS PRECISAM LIDAR KOTLER, 2006 AS DECISÕES REFERENTES AOS CANAIS DE MARKETING ESTÃO ENTRE AS MAIS CRÍTICAS COM QUE AS GERÊNCIAS PRECISAM LIDAR. OS CANAIS AFETAM TODAS AS OUTRAS DECISÕES DE MARKETING Desenhando a estratégia

Leia mais

www.startercomunicacao.com startercomunic@gmail.com

www.startercomunicacao.com startercomunic@gmail.com 7 DICAS IMPERDÍVEIS QUE TODO COACH DEVE SABER PARA CONQUISTAR MAIS CLIENTES www.startercomunicacao.com startercomunic@gmail.com As 7 dicas imperdíveis 1 2 3 Identificando seu público Abordagem adequada

Leia mais

A importância do branding

A importância do branding A importância do branding Reflexões para o gerenciamento de marcas em instituições de ensino Profª Ligia Rizzo Branding? Branding não é marca Não é propaganda Mas é sentimento E quantos sentimentos carregamos

Leia mais

Unidade de Projetos. Grupo Temático de Comunicação e Imagem. Termo de Referência para desenvolvimento da gestão de Marcas Setoriais.

Unidade de Projetos. Grupo Temático de Comunicação e Imagem. Termo de Referência para desenvolvimento da gestão de Marcas Setoriais. Unidade de Projetos de Termo de Referência para desenvolvimento da gestão de Marcas Setoriais Branding Agosto de 2009 Elaborado em: 3/8/2009 Elaborado por: Apex-Brasil Versão: 09 Pág: 1 / 8 LÍDER DO GRUPO

Leia mais

QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS!

QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS! QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS! 4 Introdução 5 Conheça seu público 5 Crie uma identidade para sua empresa 6 Construa um site responsivo 6 Seja direto, mas personalize o máximo possível

Leia mais

5 Conclusões 5.1. Síntese do estudo

5 Conclusões 5.1. Síntese do estudo 5 Conclusões 5.1. Síntese do estudo Este estudo teve como objetivo contribuir para a compreensão do uso das mídias sociais, como principal ferramenta de marketing da Casar é Fácil, desde o momento da sua

Leia mais

com níveis ótimos de Brand Equity, os interesses organizacionais são compatíveis com as expectativas dos consumidores.

com níveis ótimos de Brand Equity, os interesses organizacionais são compatíveis com as expectativas dos consumidores. Brand Equity O conceito de Brand Equity surgiu na década de 1980. Este conceito contribuiu muito para o aumento da importância da marca na estratégia de marketing das empresas, embora devemos ressaltar

Leia mais

Quando se trata do universo on-line, nada é estático. Tudo pode se transformar de uma hora pra outra, basta o vento mudar de direção.

Quando se trata do universo on-line, nada é estático. Tudo pode se transformar de uma hora pra outra, basta o vento mudar de direção. estratégias online Quando se trata do universo on-line, nada é estático. Tudo pode se transformar de uma hora pra outra, basta o vento mudar de direção. serviços consultoria Benchmark Planejamento

Leia mais

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ÍNDICE em ordem alfabética: Artigo 1 - ENDOMARKETING: UMA FERRAMENTA ESTRATÉGICA PARA DESENVOLVER O COMPROMETIMENTO... pág. 2 Artigo 2 - MOTIVANDO-SE... pág. 4 Artigo 3 - RECURSOS

Leia mais

Imagem corporativa e as novas mídias

Imagem corporativa e as novas mídias Imagem corporativa e as novas mídias Ellen Silva de Souza 1 Resumo: Este artigo irá analisar a imagem corporativa, mediante as novas e variadas formas de tecnologias, visando entender e estudar a melhor

Leia mais

Esperamos que sua empresa faça bom aproveito!

Esperamos que sua empresa faça bom aproveito! À medida que mais e mais empresas aderem ao marketing de conteúdo, notamos que as expectativas são por vezes incompatíveis com a realidade quando se trata de um Blog Corporativo B2B. A maioria dos profissionais

Leia mais

*Todos os direitos reservados.

*Todos os direitos reservados. *Todos os direitos reservados. A cada ano, as grandes empresas de tecnologia criam novas ferramentas Para o novo mundo digital. Sempre temos que nos renovar para novas tecnologias, a Karmake está preparada.

Leia mais

Inteligência para ESTRATÉGIA DIGITAL

Inteligência para ESTRATÉGIA DIGITAL Inteligência para ESTRATÉGIA DIGITAL INTRODUÇÃO Já imaginou ter acesso a dados e estatísticas do website do concorrente? Com alguns aplicativos e ferramentas, isso já é possível. Com ajuda deles, você

Leia mais

Comunicação Empresarial

Comunicação Empresarial Comunicação Empresarial MBA em Gestão Empresarial MBA em Logística MBA em Recursos Humanos MBA em Gestão de Marketing Prof. Msc Alice Selles 24/11 Aula inicial apresentação e visão geral do módulo. Proposição

Leia mais

Como e por onde começar e os melhores formatos de conteúdo para você

Como e por onde começar e os melhores formatos de conteúdo para você Como e por onde começar e os melhores formatos de conteúdo para você A fim de criar, controlar, gerenciar sua reputação online e construir a carreira que você deseja, alguns ações são necessárias. A primeira

Leia mais

JORNAL DIÁRIO DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO PARÁ www.diariodaconstrucao.com.br

JORNAL DIÁRIO DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO PARÁ www.diariodaconstrucao.com.br PROPOSTA DE PROPAGANDA - ANUNCIE NO JDC Apresentação de Plano de Publicidade Online no Site O JORNAL DIÁRIO DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO PARÁ atende com o nome de JDC, porque é uma empresa que tem como sua atividade

Leia mais

TÍTULO: MARKETING DIGITAL, ESTRATÉGIA FUNDAMENTAL PARA O CRESCIMENTO DAS EMPRESAS.

TÍTULO: MARKETING DIGITAL, ESTRATÉGIA FUNDAMENTAL PARA O CRESCIMENTO DAS EMPRESAS. Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: MARKETING DIGITAL, ESTRATÉGIA FUNDAMENTAL PARA O CRESCIMENTO DAS EMPRESAS. CATEGORIA: CONCLUÍDO

Leia mais

Espaços Culturais como estratégia de comunicação de marca

Espaços Culturais como estratégia de comunicação de marca Espaços Culturais como estratégia de comunicação de marca Casos: Oi, Vivo, Citibank e HSBC Objetivos a. Analisar as estratégias de comunicação das empresas que utilizam os espaços culturais do Rio de Janeiro

Leia mais

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey Executivos em todos os níveis consideram que a sustentabilidade tem um papel comercial importante. Porém, quando se trata

Leia mais

Marketing Político na Internet - Eleições 2016

Marketing Político na Internet - Eleições 2016 Marketing Político na Internet - Eleições 2016 Implementar e administrar um Plano de Marketing Digital para as campanhas eleitorais de 2016 CEO da Agência AC7, Elcio Castilho, com 24 anos de experiência

Leia mais

Desenvolvimento de Marcas Fortes. Criação de Brand Equity

Desenvolvimento de Marcas Fortes. Criação de Brand Equity Desenvolvimento de Marcas Fortes Criação de Brand Equity 1. O que é brand equity? Equity significa valor/patrimônio. Brand equity = valor da marca/patrimônio de marca. A American Marketing Association

Leia mais

WWW.OUTSIDE.COM.BR Outside On-Line LTDA Telefone: +55 (19) 3869-1484 (19) 9 9441-3292 (claro) Email: carlos@outside.com.br

WWW.OUTSIDE.COM.BR Outside On-Line LTDA Telefone: +55 (19) 3869-1484 (19) 9 9441-3292 (claro) Email: carlos@outside.com.br MARKETING DIGITAL Ações de comunicação que as empresas podem se utilizar por meio da Internet e da telefonia celular e outros meios digitais para divulgar e comercializar seus produtos, conquistar novos

Leia mais

Como cultivar leads do Comitê de TI

Como cultivar leads do Comitê de TI BRASIL Como cultivar leads do Comitê de TI O marketing está ajudando ou atrapalhando? Confiança + Credibilidade devem ser CONQUISTADAS O profissional de marketing moderno conhece a importância de cultivar

Leia mais

Musculação e Treinamento Personalizado: Marketing Pessoal & Fidelização de Clientes

Musculação e Treinamento Personalizado: Marketing Pessoal & Fidelização de Clientes Musculação e Treinamento Personalizado: Marketing Pessoal & Fidelização de Clientes Copyright 2011 Edvaldo de Farias Prof. Edvaldo de Farias, MSc. material disponível em www.edvaldodefarias.com Minha expectativa

Leia mais

Por Eliseu Barreira Junior MÍDIAS SOCIAIS PARA EMPRESAS. Business-to-Business

Por Eliseu Barreira Junior MÍDIAS SOCIAIS PARA EMPRESAS. Business-to-Business Por Eliseu Barreira Junior MÍDIAS SOCIAIS PARA EMPRESAS Business-to-Business À primeira vista, a conexão entre mídias sociais e empresas que fazem negócios com outras empresas (Business-to-Business) não

Leia mais

Fluxo Ampliado de Marketing

Fluxo Ampliado de Marketing Fluxo Ampliado de Marketing No estudo deste fluxo ampliado de marketing, chega-se a conclusão da importância de um composto mercadológico mais intenso e realmente voltado ao atendimento das necessidades

Leia mais

Comunicação estratégica como diferencial competitivo para as organizações Um estudo sob a ótica de Administradores e Relações Públicas

Comunicação estratégica como diferencial competitivo para as organizações Um estudo sob a ótica de Administradores e Relações Públicas Comunicação estratégica como diferencial competitivo para as organizações Um estudo sob a ótica de Administradores e Relações Públicas Ana Carolina Trindade e-mail: carolinatrindade93@hotmail.com Karen

Leia mais

Cinco principais qualidades dos melhores professores de Escolas de Negócios

Cinco principais qualidades dos melhores professores de Escolas de Negócios Cinco principais qualidades dos melhores professores de Escolas de Negócios Autor: Dominique Turpin Presidente do IMD - International Institute for Management Development www.imd.org Lausanne, Suíça Tradução:

Leia mais

Como a automação de marketing pode aumentar suas vendas

Como a automação de marketing pode aumentar suas vendas edição 04 Guia do inbound marketing Como a automação de marketing pode aumentar suas vendas Como a automação de marketing pode aumentar suas vendas Há um tempo atrás o departamento de marketing era conhecido

Leia mais

Módulo 15 Resumo. Módulo I Cultura da Informação

Módulo 15 Resumo. Módulo I Cultura da Informação Módulo 15 Resumo Neste módulo vamos dar uma explanação geral sobre os pontos que foram trabalhados ao longo desta disciplina. Os pontos abordados nesta disciplina foram: Fundamentos teóricos de sistemas

Leia mais

E-BOOK [TÍTULO DO DOCUMENTO] Matrix [NOME DA EMPRESA] [Endereço da empresa]

E-BOOK [TÍTULO DO DOCUMENTO] Matrix [NOME DA EMPRESA] [Endereço da empresa] E-BOOK [TÍTULO DO DOCUMENTO] Matrix [NOME DA EMPRESA] [Endereço da empresa] 1 Sumário O Surgimento do Analista de Redes Sociais... 2 O que é um Analista de Redes Sociais?... 5 Qual é o Perfil do Analista

Leia mais

Posicionamento Global da marca FSC e Ferramentas de Marketing - Perguntas e Respostas Frequentes

Posicionamento Global da marca FSC e Ferramentas de Marketing - Perguntas e Respostas Frequentes Posicionamento Global da marca FSC e Ferramentas de Marketing - Perguntas e Respostas Frequentes 1. Perguntas e Respostas para Todos os Públicos: 1.1. O que é posicionamento de marca e por que está sendo

Leia mais

Apresentação. Oque é Marca. Multimedia Branding Designer

Apresentação. Oque é Marca. Multimedia Branding Designer Oque é Marca Marca é toda representação simbólica de uma entidade, individuo ou elemento. Uma pegada, uma impressão digital, ou mesmo o meu ou seu nome podem ser caracterizados como marca. Quando nos referimos

Leia mais

A confluência dos vídeos e a Internet

A confluência dos vídeos e a Internet WHITEPAPER A confluência dos vídeos e a Internet Por que sua empresa deveria investir em vídeos em 2013 e como a Construção Civil pode utilizar os vídeos como diferencial competitivo. 1 Saiba como os vídeos

Leia mais

Planejamento e Implementação de Ações de Marketing

Planejamento e Implementação de Ações de Marketing Planejamento e Implementação de Ações de Marketing Aula 01 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso

Leia mais

MBA Gestão de Mercados ementas 2015/2

MBA Gestão de Mercados ementas 2015/2 MBA Gestão de Mercados ementas 2015/2 Análise de Tendências e Inovação Estratégica Levar o aluno a compreender os conceitos e as ferramentas de inteligência preditiva e inovação estratégica. Analisar dentro

Leia mais

Blogs corporativos: uma inovação na Comunicação Organizacional 1

Blogs corporativos: uma inovação na Comunicação Organizacional 1 Blogs corporativos: uma inovação na Comunicação Organizacional 1 Ediane Barbosa Oliveira 2 ECOS/UCPel Resumo: O trabalho busca um estudo sobre uma ferramenta estratégica do ciberespaço no meio da comunicação

Leia mais

A Dehlicom tem a solução ideal em comunicação para empresas de todos os portes, sob medida.

A Dehlicom tem a solução ideal em comunicação para empresas de todos os portes, sob medida. A Dehlicom Soluções em Comunicação é a agência de comunicação integrada que busca divulgar a importância da comunicação empresarial perante as empresas e todos os seus públicos, com atendimento personalizado

Leia mais

Inspire Inove Faça Diferente

Inspire Inove Faça Diferente Inspire Inove Faça Diferente Inspire Inove Faça Diferente Se eu tivesse um único dolar investiria em propaganda. - Henry Ford (Fundador da Motor Ford) As companhias prestam muita atenção ao custo de fazer

Leia mais

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade Eficácia e Liderança de Performance O Administrador na Gestão de Pessoas Grupo de Estudos em Administração de Pessoas - GEAPE 27 de novembro

Leia mais

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional.

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Empresa MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Nossa filosofia e oferecer ferramentas de gestão focadas na

Leia mais

Principais dificuldades

Principais dificuldades Principais dificuldades A maior dificuldade apontada pelas organizações contábeis pesquisadas foi receber informações dos clientes com qualidade e prazo. Apenas 16% delas indicaram problemas com a aderência

Leia mais

Análise do Ambiente Interno

Análise do Ambiente Interno Análise do Ambiente Interno Professor: Claudemir Duca Vasconcelos Disciplina: Estratégia e Planejamento Corporativo Alunas: Gleice Costa e Cintia Belo 16 Abril 2015 Ambiente Interno de uma Organização

Leia mais

CLIMA E CULTURA ORGANIZACIONAL NO AMBIENTE EMPRESARIAL. LIMA, Sílvia Aparecida Pereira 1 RESUMO

CLIMA E CULTURA ORGANIZACIONAL NO AMBIENTE EMPRESARIAL. LIMA, Sílvia Aparecida Pereira 1 RESUMO CLIMA E CULTURA ORGANIZACIONAL NO AMBIENTE EMPRESARIAL LIMA, Sílvia Aparecida Pereira 1 RESUMO A presente pesquisa aborda os conceitos de cultura e clima organizacional com o objetivo de destacar a relevância

Leia mais

Consultoria! O que é e como usar?

Consultoria! O que é e como usar? Consultoria! O que é e como usar? Luciano Terra Afinal, o que é consultoria? Percebe-se que, para muitos, o termo Consultoria, assim como Marketing, Rightsizing, Merchandising, Downsizing e tantos outros,

Leia mais

Proposta de Parceria Comercial e Plano de Marketing

Proposta de Parceria Comercial e Plano de Marketing Oficial Categoria 2 Proposta de Consultoria: Facebook Marketing Proposta de Parceria Comercial e Plano de Marketing Nas próximas páginas: Quem é a Dynamo O Que é Possível Com o Facebook Como Podemos Ajudar

Leia mais

MARKETING DIGITAL PARA PME: APRENDA A DEFINIR QUANDO, COMO E EM QUAIS ESTRATÉGIAS INVESTIR

MARKETING DIGITAL PARA PME: APRENDA A DEFINIR QUANDO, COMO E EM QUAIS ESTRATÉGIAS INVESTIR MARKETING DIGITAL PARA PME: APRENDA A DEFINIR QUANDO, COMO E EM QUAIS ESTRATÉGIAS INVESTIR Introdução 02 A importância de calcular o ROI dos investimentos Capítulo 1 04 Aprendendo a definir os investimentos

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL Introdução A partir da década de 90 as transformações ocorridas nos aspectos: econômico, político, social, cultural,

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Marketing jurídico: desafios e oportunidades no Brasil Marco Antônio P. Gonçalves * Em março de 1999, o The New York Law Journal publicou o artigo How to Get Past Basic Promotion

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

Branding e Estratégia de Marca. Prof. Msc. Cárbio Almeida Waqued

Branding e Estratégia de Marca. Prof. Msc. Cárbio Almeida Waqued Branding e Estratégia de Marca Prof. Msc. Cárbio Almeida Waqued BRANDING TERAPIA DAS MARCAS Eu até queria falar de Marca com eles, mas eles só falam de comunicação... Comentário real de um CEO, sobre uma

Leia mais

Mídias sociais nas empresas O relacionamento online com o mercado

Mídias sociais nas empresas O relacionamento online com o mercado Mídias sociais nas empresas O relacionamento online com o mercado Maio de 2010 Conteúdo Introdução...4 Principais conclusões...5 Dados adicionais da pesquisa...14 Nossas ofertas de serviços em mídias sociais...21

Leia mais

Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico.

Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico. Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico. TENDÊNCIAS NO COMÉRCIO ELETRÔNICO Atualmente, muitos negócios são realizados de forma eletrônica não sendo necessário sair de casa para fazer compras

Leia mais

www.intermidiabrasil.com.br Apresentação Presença Digital

www.intermidiabrasil.com.br Apresentação Presença Digital Apresentação Presença Digital 2012 ÍNDICE 1. GESTÃO MÍDIAS SOCIAIS... 03 2. ESTRATÉGIAS COMPLEMENTARES... 04 3. PERSONALIZAÇÃO... 05 4. CASES... 06 5. SOBRE A INTERMIDIA BRASIL... 13 6. CLIENTES... 14

Leia mais

Prof. Dr. José Dornelas www.josedornelas.com. Manual do Professor

Prof. Dr. José Dornelas www.josedornelas.com. Manual do Professor Prof. Dr. José Dornelas www.josedornelas.com Manual do Professor Manual do professor Este manual deve ser usado em conjunto com o vídeo do autor disponível no site da editora: www.campus.com.br Maiores

Leia mais

g r u p O p o n t o i n i c i a l d a c o m u n i c a ç ã o.

g r u p O p o n t o i n i c i a l d a c o m u n i c a ç ã o. g r u p O p o n t o i n i c i a l d a c o m u n i c a ç ã o. GRUPO ZERO No mercado publicitário desde 2000, o Grupo Zero tem forte atuação no Paraná, São Paulo e Santa Catarina. Durante todos esses anos

Leia mais

com seu consumidores e seu fornecedores. Trazemos para aqui 40 dicas que vão ajudar no amadurecimento, crescimento e no sucesso da sua loja.

com seu consumidores e seu fornecedores. Trazemos para aqui 40 dicas que vão ajudar no amadurecimento, crescimento e no sucesso da sua loja. Com a consolidação do comércio eletrônico no Brasil e mundo, fica cada vez mais claro e a necessidade de estar participando, e mais a oportunidade de poder aumentar suas vendas. Mas é claro que para entrar

Leia mais

Resumo. Palavras-chave: twitter; ferramenta; planejamento; Greenpeace.

Resumo. Palavras-chave: twitter; ferramenta; planejamento; Greenpeace. O Twitter Como Ferramenta de Divulgação Para As Empresas: Um Estudo De Caso do GREENPEACE 1 Jonathan Emerson SANTANA 2 Gustavo Guilherme da Matta Caetano LOPES 3 Faculdade Internacional de Curitiba - FACINTER

Leia mais

PlusPixel Marketing Digital SOMOS MAIS SOCIAIS DO QUE NUNCA

PlusPixel Marketing Digital SOMOS MAIS SOCIAIS DO QUE NUNCA PlusPixel Marketing Digital SOMOS MAIS SOCIAIS DO QUE NUNCA Proposta de Marketing Digital Design inox Marketing de Resultados A PlusPixel vem oferecendo seus serviços desde o início da internet, isso nos

Leia mais

VAMOS DAR INICIO A MAIS UMA AULA DO CURSO DE PROPAGANDA E MARKETING- 4 MÓDULO COMO GANHAR DINHEIRO COM MALA DIRETA

VAMOS DAR INICIO A MAIS UMA AULA DO CURSO DE PROPAGANDA E MARKETING- 4 MÓDULO COMO GANHAR DINHEIRO COM MALA DIRETA VAMOS DAR INICIO A MAIS UMA AULA DO CURSO DE PROPAGANDA E MARKETING- 4 MÓDULO COMO GANHAR DINHEIRO COM MALA DIRETA 4 E ÚLTIMO MÓDULO: Como Ganhar dinheiro com Mala Direta APRESENTAÇÃO PESSOAL Edileuza

Leia mais

Por Tiago Bastos Quer Dinheiro Online? 1

Por Tiago Bastos Quer Dinheiro Online? 1 Por Tiago Bastos Quer Dinheiro Online? 1 Se não pode subir a montanha, torne-se uma. Por Tiago Bastos Quer Dinheiro Online? 2 ISSO ESTÁ ME GERANDO R$7.278,05 - R$10.588,38 POR SEMANA E VOCÊ PODE FAZER

Leia mais

Ponto de Venda para Vender FERRAMENTAS DE MARKETING - DIREITOS RESERVADOS

Ponto de Venda para Vender FERRAMENTAS DE MARKETING - DIREITOS RESERVADOS Ponto de Venda para Vender FERRAMENTAS DE MARKETING - DIREITOS RESERVADOS Como marca, fachada e merchandising podem se ajudar O DESAFIO Competindo com Competência Todos sabem que a competitividade do mercado

Leia mais

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO * César Raeder Este artigo é uma revisão de literatura que aborda questões relativas ao papel do administrador frente à tecnologia da informação (TI) e sua

Leia mais

ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional

ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional Carlos Henrique Cangussu Discente do 3º ano do curso de Administração FITL/AEMS Marcelo da Silva Silvestre Discente do 3º ano do

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DAS FERRAMENTAS DO MARKETING NAS PEQUENAS EMPRESAS. PAES, Paulo César 1 SARAIVA, Antonio Wanderlan Pereira 2 RESUMO

A IMPORTÂNCIA DAS FERRAMENTAS DO MARKETING NAS PEQUENAS EMPRESAS. PAES, Paulo César 1 SARAIVA, Antonio Wanderlan Pereira 2 RESUMO A IMPORTÂNCIA DAS FERRAMENTAS DO MARKETING NAS PEQUENAS EMPRESAS PAES, Paulo César 1 SARAIVA, Antonio Wanderlan Pereira 2 RESUMO A Ferramenta do Marketing nas Pequenas Empresas atualmente vem sendo utilizada

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA DAS QUESTÕES DISCURSIVAS PROFISSIONAL BÁSICO COMUNICAÇÃO SOCIAL

PADRÃO DE RESPOSTA DAS QUESTÕES DISCURSIVAS PROFISSIONAL BÁSICO COMUNICAÇÃO SOCIAL Questão n o 1 a) O candidato deverá apresentar seis dentre as seguintes vantagens: Domínio de tecnologia capaz de produzir bens preferidos por certas classes de compradores Aumento dos índices de qualidade

Leia mais

CONVITE COMERCIAL Rio de Janeiro, 2014

CONVITE COMERCIAL Rio de Janeiro, 2014 CONVITE COMERCIAL Rio de Janeiro, 2014 O Rio ao Vivo é a primeira plataforma de transmissão online, em tempo real,com imagens de alta qualidade dos locais mais movimentados do Rio de Janeiro para o mundo.

Leia mais

ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO.

ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO. 1 ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO. Juliana da Silva RIBEIRO 1 RESUMO: O presente trabalho enfoca as estratégias das operadoras de telefonia móvel TIM,VIVO e CLARO

Leia mais

Por Tiago Bastos 1. 3 Dicas Infalíveis Para Ganhar Dinheiro Online

Por Tiago Bastos 1. 3 Dicas Infalíveis Para Ganhar Dinheiro Online Por Tiago Bastos 1 3 Dicas Infalíveis Para Ganhar Dinheiro Online 3 Dicas Infalíveis Para Ganhar Dinheiro Online Se não pode subir a montanha, torne-se uma. Por Tiago Bastos 2 3 Dicas Infalíveis Para Ganhar

Leia mais

Desenvolvimento do Mix de Marketing

Desenvolvimento do Mix de Marketing Desenvolvimento do Mix de Marketing Mix de Marketing O composto de marketing é conhecido no escopo mercadológico como os 4Ps denominados por Jeronme Mc Carthy como: product, price, place e promotion. Na

Leia mais

Trabalho sobre Social Media Como implementar Social Media na empresa

Trabalho sobre Social Media Como implementar Social Media na empresa Como implementar Social Media na empresa 1 As razões: Empresas ainda desconhecem benefícios do uso de redes sociais Das 2,1 mil empresas ouvidas em estudo do SAS Institute e da Harvard Business Review,

Leia mais

REVISTA ACADÊMICA DA FACULDADE FERNÃO DIAS

REVISTA ACADÊMICA DA FACULDADE FERNÃO DIAS A INFLUÊNCIA DA SEGMENTAÇÃO DE MERCADO NO POSICIONAMENTO E NO BRAND EQUITY DE MARCAS E PRODUTOS Rubens Gomes Gonçalves (FAFE/USCS) * Resumo Muitos autores têm se dedicado a escrever artigos sobre uma das

Leia mais

MARKETING PARA FAZENDAS

MARKETING PARA FAZENDAS DICAS PRÁTICAS DE MARKETING PARA FAZENDAS Sobre o Porteira Digital O Porteira Digital foi criado com objetivo de fornecer soluções práticas de Marketing para o produtor rural que deseja fazer de seu negócio

Leia mais

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES):

Leia mais

Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques

Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques Nada é mais perigoso do que uma idéia, quando ela é a única que temos. (Alain Emile Chartier) Neste módulo, faremos, a partir

Leia mais

Nos últimos anos o mercado brasileiro de imóveis vivenciou um crescimento inacreditável, o lançamento de novas unidades mais a valorização de imóveis

Nos últimos anos o mercado brasileiro de imóveis vivenciou um crescimento inacreditável, o lançamento de novas unidades mais a valorização de imóveis Nos últimos anos o mercado brasileiro de imóveis vivenciou um crescimento inacreditável, o lançamento de novas unidades mais a valorização de imóveis usados, além do crescimento de renda da população e

Leia mais

SUA MAIS NOVA AGÊNCIA ON-LINE. PUBLICIDADE DESIGN WEB.

SUA MAIS NOVA AGÊNCIA ON-LINE. PUBLICIDADE DESIGN WEB. SUA MAIS NOVA AGÊNCIA ON-LINE. PUBLICIDADE DESIGN WEB. #estratégia #marketingdigital #websites Somos uma agência especializada em MARKETING DIGITAL 2007 +7 anos de experiência A Ramosdesign foi criada

Leia mais

SECOVI SIMPLIFICANDO O MARKETING SERVIÇOS

SECOVI SIMPLIFICANDO O MARKETING SERVIÇOS SECOVI SIMPLIFICANDO O MARKETING SERVIÇOS Marketing O que é para você? Como se faz? Quais os pontos chaves? Quais as maiores dificuldades? Marketing Vendas? Promoção? Publicidade? Marketing Simplificar

Leia mais

A compra de TI e as redes sociais

A compra de TI e as redes sociais Solicitada por A compra de TI e as redes sociais Como as redes sociais transformaram o processo de compras B2B e as melhores práticas para adaptar as suas estratégias de marketing à nova realidade BRASIL

Leia mais

O varejo e a era da disrupção

O varejo e a era da disrupção 10Minutos Varejo Total Retail 2015 - Pesquisa anual da PwC com os consumidores O varejo e a era da disrupção Destaques Os consumidores estão definindo sua própria abordagem de relacionamento com o varejo,

Leia mais

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO.

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Workshop para empreendedores e empresários do Paranoá DF. SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Dias 06 e 13 de Dezembro Hotel Bela Vista Paranoá Das 08:00 às 18:00 horas Finanças: Aprenda a controlar

Leia mais

O que as empresas e profissionais devem fazer na crise!

O que as empresas e profissionais devem fazer na crise! O que as empresas e profissionais devem fazer na crise! Temos visto e vivido no Brasil um constante cenário de lamentações, reclamações, busca de culpados, busca de responsáveis e bodes expiatórios para

Leia mais

DP6: Gerando novos negócios a partir do monitoramento de redes sociais

DP6: Gerando novos negócios a partir do monitoramento de redes sociais DP6: Gerando novos negócios a partir do monitoramento de redes sociais O núcleo de inteligência em redes sociais Há cinco anos, a DP6, consultoria de marketing digital com foco em inteligência e performance

Leia mais

MARKETING DE VENDAS. Maiêutica - Curso de Processos Gerenciais

MARKETING DE VENDAS. Maiêutica - Curso de Processos Gerenciais MARKETING DE VENDAS Alcioni João Bernardi Prof. Ivanessa Felicetti Lazzari Centro Universitário Leonardo da Vinci - UNIASSELVI Processos Gerenciais (EMD0130) Prática do Módulo IV 27/11/12 RESUMO Este trabalho

Leia mais

Introdução...3. O que é marca?...4. Marcas x produtos...4. Kotler apresenta cinco níveis para um produto:...5

Introdução...3. O que é marca?...4. Marcas x produtos...4. Kotler apresenta cinco níveis para um produto:...5 Marcas Marcas Introdução...3 O que é marca?...4 Marcas x produtos...4 Kotler apresenta cinco níveis para um produto:...5 Exemplo de diferentes níveis de produto...6 Desafios do branding...8 Conceito de

Leia mais

GUIa Prático para enfrentar a concorrência no e-commerce

GUIa Prático para enfrentar a concorrência no e-commerce GUIa Prático para enfrentar a concorrência no e-commerce Você é do tipo que quer arrancar os cabelos toda vez que um concorrente diminui o preço? Então você precisa ler este guia rápido agora mesmo. Aqui

Leia mais

Nas áreas urbanas, 44% da população está conectada à internet. 97% das empresas e 23,8% dos domicílios brasileiros estão conectados à internet.

Nas áreas urbanas, 44% da população está conectada à internet. 97% das empresas e 23,8% dos domicílios brasileiros estão conectados à internet. Algumas pesquisa realizada recentemente, revelaram resultados surpreendentes sobre o uso da Internet nas empresas no Brasil. Neste artigo interpreta alguns dados e lhe revela as soluções que podem ajudar

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL

RESPONSABILIDADE SOCIAL RESPONSABILIDADE SOCIAL Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares TODO COMPORTAMENTO TEM SUAS RAZÕES. A ÉTICA É SIMPLESMENTE A RAZÃO MAIOR DAVID HUME DEFINIÇÕES

Leia mais

SERÁ UM ORGULHO TÊ-LO EM NOSSO TIME!!!

SERÁ UM ORGULHO TÊ-LO EM NOSSO TIME!!! A MVP é uma agência de Comunicação e Marketing Esportivo que atua de forma diferenciada no mercado, gerenciando a imagem de grandes atletas do esporte nacional desde 2006, passando pelos ciclos olímpicos

Leia mais

Aviso Legal...6. Sobre o autor... 7. Prefácio... 8. 1. Empreendimento Online Por Que Criar Um?... 11. 2. Importação Seus Mistérios...

Aviso Legal...6. Sobre o autor... 7. Prefácio... 8. 1. Empreendimento Online Por Que Criar Um?... 11. 2. Importação Seus Mistérios... Conteúdo Aviso Legal...6 Sobre o autor... 7 Prefácio... 8 1. Empreendimento Online Por Que Criar Um?... 11 2. Importação Seus Mistérios... 14 2.1 Importar é Legal?... 15 2.2 Por Que Importar?... 15 2.3

Leia mais

DIFERENCIAIS SERVIÇOS. 1. Desenvolvimento De Sites Personalizados

DIFERENCIAIS SERVIÇOS. 1. Desenvolvimento De Sites Personalizados DIFERENCIAIS Acredito que o desenvolvimento de soluções para Internet não é um trabalho qualquer, deve-se ter certa experiência e conhecimento na área para projetar sistemas que diferenciem você de seu

Leia mais

Marcas: a criação das identidades visuais

Marcas: a criação das identidades visuais Marcas: a criação das identidades visuais marca A natureza das marcas e o papel que desempenham atualmente nas organizações comerciais podem ser melhor compreendidos pela análise das suas origens. origem

Leia mais

MARKETING EM REDES SOCIAIS RESUMO

MARKETING EM REDES SOCIAIS RESUMO MARKETING EM REDES SOCIAIS Bruna Karine Ribeiro Simão Instituto Federal de Mato Grosso do Sul Campus Nova Andradina bruna_simao@hotmail.com Rodrigo Silva Duran Instituto Federal de Mato Grosso do Sul Campus

Leia mais

TÍTULO: NEUROMARKETING: UMA NOVA FORMA DE FAZER PROPAGANDA. CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS

TÍTULO: NEUROMARKETING: UMA NOVA FORMA DE FAZER PROPAGANDA. CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS TÍTULO: NEUROMARKETING: UMA NOVA FORMA DE FAZER PROPAGANDA. CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE DE RIBEIRÃO PRETO AUTOR(ES): FELIPE

Leia mais

Intranets e Capital Intelectual

Intranets e Capital Intelectual Intranets e Capital Intelectual Intranets e Capital Intelectual As mídias sociais ultrapassaram os limites da vida privada. Os profissionais são 2.0 antes, durante e depois do expediente. É possível estabelecer

Leia mais

JORNADA DE COMPRA. O que é e sua importância para a estratégia de Marketing Digital VECTOR

JORNADA DE COMPRA. O que é e sua importância para a estratégia de Marketing Digital VECTOR O que é e sua importância para a estratégia de Marketing Digital 1 2 3 4 Já falamos muitas vezes sobre produção de conteúdo ser a base de uma estratégia de marketing digital de resultados para a sua empresa.

Leia mais

Associativismo a modernização do sindicalismo nacional

Associativismo a modernização do sindicalismo nacional A união faz a força O dito popular encaixa-se como uma luva quando o assunto é associativismo o assunto em pauta no meio sindical. As principais confederações patronais do País estão investindo nessa bandeira

Leia mais

COMPETÊNCIAS DO CLIENTE: INCORPORAÇÃO NO MODELO DE NEGÓCIOS THOMAS STOB JUNIOR

COMPETÊNCIAS DO CLIENTE: INCORPORAÇÃO NO MODELO DE NEGÓCIOS THOMAS STOB JUNIOR COMPETÊNCIAS DO CLIENTE: INCORPORAÇÃO NO MODELO DE NEGÓCIOS THOMAS STOB JUNIOR RESUMO Este artigo defende a idéia de que na nova economia as empresas precisam incorporar a experiência do cliente a seus

Leia mais

Planejamento Estratégico do Sistema 2008/2010 PARTE II

Planejamento Estratégico do Sistema 2008/2010 PARTE II Planejamento Estratégico do Sistema 2008/2010 Planejamento Estratégico do Sistema 2008/2010 PARTE II 10/08/2007 SUMÁRIO Conceitos... 2 1. Missão... 2 2. Negócio... 3 3. Visão... 3 4. Valores... 5 5. Cenários...

Leia mais