GeADAP. Avaliação de Desempenho dos Serviços e Servidores Públicos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GeADAP. Avaliação de Desempenho dos Serviços e Servidores Públicos"

Transcrição

1 Avaliação de Desempenho dos Serviços e Servidores Públicos Praia, 1 e 2 de Dezembro de 2011

2 Desempenho Os Serviços Públicos, como qualquer outra atividade humana, procuram sempre melhorar o seu desempenho Em termos de eficácia, resultados atingidos no desempenho da sua função; Em termos de eficiência, correspondente às características pessoais, competências ou comportamentos, evidenciados no exercício da sua função. O desempenho dos serviços está ligado ao desempenho dos funcionários Melhorar o desempenho significa sempre Capacidade de definir objetivos Capacidade de medir o atingimento desses objetivos Capacidade de intervir para garantir que se atingem esses objetivos 2011 Unisys Corporation. All rights reserved. Page 2

3 Avaliação de Desempenho Um dos pilares fundamentais da Modernização Administrativa é a Gestão por Objetivos Objetivos Avaliação Desempenho A avaliação de desempenho deve ser: Sistemática: observação orientada e continuada do desempenho profissional dos indivíduos e serviços Periódica: definição de períodos regulares de observação Estandardizada e Qualificada: obedecendo critérios e procedimentos estabelecidos tecnicamente 2011 Unisys Corporation. All rights reserved. Page 3

4 Sistema de Avaliação de Desempenho A Avaliação de Desempenho oferece à organização uma ferramenta que permite Fundamentar as decisões sobre os funcionários e os serviços Motivar as pessoas Identificar as fragilidades Definir planos de formação Comparar desempenhos de funcionários e serviços equivalentes Adequar os objetivos às reais capacidades do serviço Gerir carreiras Melhorar os processos Melhorar a Informação 2011 Unisys Corporation. All rights reserved. Page 4

5 Desempenho individual vs Desempenho dos Serviços A Gestão por objetivos implica Definição de objetivos Que estejam alinhados com a estratégia da organização Que sejam realistas, simples e atingíveis Articulação entre os objetivos individuais (dos funcionários) e os objetivos coletivos (dos serviços) A hierarquia de objetivos deve ser coerente Deve incluir os Trabalhadores, os Dirigentes, os Serviços Criação de um sistema que premeie quem tem melhor desempenho Criação de incentivos à melhoria Funcionários: promoções, remuneração, formação Serviços: Orçamento, autonomia, divulgação Benchmarking permanente 2011 Unisys Corporation. All rights reserved. Page 5

6 Avaliação de Desempenho da Administração Pública Em Dezembro de 2007 foi definido uma abordagem à Avaliação de Desempenho na Administração Pública Portuguesa SIADAP 1 Desempenho Organizacional Aplica-se aos serviços SIADAP 2 Desempenho Estratégico Aplica-se aos Dirigentes Superiores Desempenho da Gestão Aplica-se aos Dirigentes Intermédios SIADAP 3 Desempenho Operacional Aplica-se aos Trabalhadores 2011 Unisys Corporation. All rights reserved. Page 6

7 A Unisys Portugal desenvolveu uma plataforma SIADAP 123 que serve a Administração Pública, oferecendo: Uma plataforma centralizada para o Estado Português Gestão do ciclo de vida da Avaliação de Desempenho dos Serviços e Colaboradores Esta plataforma encontra-se em Unisys Corporation. All rights reserved. Page 7

8 Sistema integrado de avaliação de desempenho da AP Gerap e Instituto de Informática do MFAP GeADAP, solução tecnológica que operacionaliza o SIADAP 123, sistema integrado de gestão e avaliação do desempenho dos organismos e funcionários na Administração Pública, central do estado. 24% 13% 63% Organismos SIADAP23 Organismos SIADAP1 e SIADAP23 Organismos SIADAP1 Avaliação Nº Organismos Avaliação Nº Avaliações SIADAP1 61 SIADAP SIADAP1 + SIADAP SIADAP SIADAP1 354 (QUAR) Total de Organismos utilizadores do GEADAP Unisys Corporation. All rights reserved. Page 8

9 A plataforma SIADAP 123 da Administração Pública Portuguesa 2011 Unisys Corporation. All rights reserved. Page 9

10 2011 Unisys Corporation. All rights reserved. Page 10

11 Avaliação dos Serviços 2011 Unisys Corporation. All rights reserved. Page 11

12 O GeADAP oferece a cada organismo da Administração Pública um espaço de avaliação que reproduz os seus objetivos de desempenho e a sua orgânica. Avaliação dos Serviços Delegação de Competências Acesso aos Quar de cada Ministério pelo GP Ponto único de Disponibilização Pública dos QUAR dos vários Ministérios 2011 Unisys Corporation. All rights reserved. Page 12

13 O ciclo de vida da Avaliação dos Serviços passa por carregar os objetivos, avaliar regularmente o seu desempenho e produzir os relatórios de desempenho do serviço público Unisys Corporation. All rights reserved. Page 13

14 O modelo de avaliação de cada organização é vertido na plataforma de modo a se articular com os objetivos da organização e os objetivos dos funcionários 2011 Unisys Corporation. All rights reserved. Page 14

15 Avaliação dos Funcionários (Trabalhadores e Dirigentes) 2011 Unisys Corporation. All rights reserved. Page 15

16 De acordo com o perfil do funcionário, poderá aceder aos seus objetivos e desempenho ou aos objetivos e desempenho dos seus subordinados. Esses objetivos têm de estar enquadrados pelos objetivos da organização Avaliação Individual Gestão do Processo Usabilidade Acesso ao histórico 2011 Unisys Corporation. All rights reserved. Page 16

17 O modelo de avaliação de cada funcionário é vertido na sua Ficha de Avaliação que vai sendo atualizada regularmente, com inputs da chefia e do próprio funcionário Unisys Corporation. All rights reserved. Page 17

18 Os dirigentes agregam as Fichas de Avaliação dos seus funcionários subordinados Unisys Corporation. All rights reserved. Page 18

19 A avaliação de desempenho resulta da aplicação do Modelo de Avaliação a cada Ficha individual, sendo os resultados consolidados de acordo com a hierarquia Funcionário > Dirigente > Serviço 2011 Unisys Corporation. All rights reserved. Page 19

20 Em cada nível (Trabalhador, Dirigente, Serviço) existe um conjunto de indicadores que dão o estado da avaliação e um conjunto de indicadores sobre o desempenho dos funcionários e dos serviços Unisys Corporation. All rights reserved. Page 20

21 Os relatórios gerados seguem o formalismo legal e alimentam diferentes subsistemas de Gestão de Recursos Humanos Unisys Corporation. All rights reserved. Page 21

22 OBRIGADO

25 Maio Reitoria UNL

25 Maio Reitoria UNL 25 Maio Reitoria UNL 25 Maio Reitoria UNL Gestão de Serviços Partilhados na Administração Pública José Cordeiro Gomes Gestão de Serviços Partilhados na AP Agenda: 1. Enquadramento dos Serviços Partilhados

Leia mais

Sistema Integrado de Avaliação do Desempenho da Administração Pública

Sistema Integrado de Avaliação do Desempenho da Administração Pública Sistema Integrado de Avaliação do Desempenho da Administração Pública 21 Junho 2005 Sistema Integrado de Avaliação do Desempenho da Administração Pública Enquadramento jurídico do sistema Formalização

Leia mais

Avaliação do Desempenho 2009

Avaliação do Desempenho 2009 Relatório Anual Instituto do Desporto de Portugal I.P. Avaliação do 2009 Sistema Integrado de Gestão e Avaliação do na Administração Pública (SIADAP) Novembro 2010 I Introdução No âmbito da aplicação do

Leia mais

Artigo 2.º (Definições) Para efeitos da aplicação do SIADAP no seio da UC, entende-se por: a) «Dirigente máximo do serviço», o reitor.

Artigo 2.º (Definições) Para efeitos da aplicação do SIADAP no seio da UC, entende-se por: a) «Dirigente máximo do serviço», o reitor. 1 Nos termos do disposto no n.º 3 do artigo 110.º do RJIES, a aprovação do presente regulamento, elaborado ao abrigo do estatuído no artigo 3.º da Lei n.º 66-B/2007, de 28 de Dezembro, é precedida da sua

Leia mais

Planeamento e gestão de recursos. Jornadas dos assistentes técnicos da saúde Porto 28.05.2011

Planeamento e gestão de recursos. Jornadas dos assistentes técnicos da saúde Porto 28.05.2011 Planeamento e gestão de recursos Jornadas dos assistentes técnicos da saúde Porto 28.05.2011 1 Componentes da Reforma da 2004 Administração Pública ADE LQIP EPD SIADAP 2007 PRACE SIADAP Revisão Estatuto

Leia mais

Deverá utilizar este procedimento, na qualidade de primeiro avaliador de avaliado(s) pertencente(s) à carreira especial de enfermagem.

Deverá utilizar este procedimento, na qualidade de primeiro avaliador de avaliado(s) pertencente(s) à carreira especial de enfermagem. Carreira Enfermagem Objetivo Deverá utilizar este procedimento, na qualidade de primeiro avaliador de avaliado(s) pertencente(s) à carreira especial de enfermagem. Pré-requisitos Aceder ao Sistema com

Leia mais

Regimento do Conselho Coordenador da Avaliação da Escola Secundária Martins Sarmento. Artigo 1º Objecto

Regimento do Conselho Coordenador da Avaliação da Escola Secundária Martins Sarmento. Artigo 1º Objecto Regimento do Conselho Coordenador da Avaliação da Escola Secundária Martins Sarmento Artigo 1º Objecto O presente regimento define a composição, as competências e as regras de funcionamento do Conselho

Leia mais

Gestão Documental e Governança da Informação - O Debate Necessário

Gestão Documental e Governança da Informação - O Debate Necessário Gestão Documental e Governança da Informação - O Debate Necessário 11 de novembro de 2014 Auditório da Torre do Tombo PATROCINDADORES Apoio Patrocinadores Globais APDSI Casos de implementação Gerir a complexidade

Leia mais

QUADRO DE AVALIAÇÃO E RESPONSABILIZAÇÃO

QUADRO DE AVALIAÇÃO E RESPONSABILIZAÇÃO QUADRO DE AVALIAÇÃO E RESPONSABILIZAÇÃO Sessão Plenária 15 de Dezembro 2009 A. Sevinate Pontes H. Pinto CS/11 Comissão Sectorial para a Educação e Formação Índice 1 2 3 4 5 6 7 8 Enquadramento Legal Âmbito

Leia mais

GESTÃO DOS RECURSOS HUMANOS E QUALIDADE DE SERVIÇO Indicadores de Desempenho na Gestão de Recursos Humanos

GESTÃO DOS RECURSOS HUMANOS E QUALIDADE DE SERVIÇO Indicadores de Desempenho na Gestão de Recursos Humanos GESTÃO DOS RECURSOS HUMANOS E QUALIDADE DE SERVIÇO Indicadores de Desempenho na Gestão de Recursos Humanos Luis Gaspar da ROSA 1 ;Paulo OLIVEIRA 2 ;Paulo LOPES 3 RESUMO A conjuntura económica atual vem

Leia mais

Gerenciamento de projetos prof. Mário Garcia

Gerenciamento de projetos prof. Mário Garcia Gerenciamento de projetos prof. Mário Garcia MBA em Gestão de Energia PROPPEX Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão Centro Universitário Fundação Santo André Gerenciamento de projetos prof.

Leia mais

FAQ s para os Administradores do Sistema, sobre a Carreira especial médica

FAQ s para os Administradores do Sistema, sobre a Carreira especial médica FAQ s para os Administradores do Sistema, sobre a Carreira especial médica Este documento disponibiliza FAQ s sobre a avaliação de elementos da Carreira Médica no GeADAP. Clique sobre o tema que lhe interessa

Leia mais

O NOVO MODELO DE AVALIAÇÃO

O NOVO MODELO DE AVALIAÇÃO III Congresso Consad de Gestão Pública O NOVO MODELO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DA SEPLAG Norma Maria Cavalcanti Alcoforado Painel 02/007 Avaliação de desempenho e remuneração variável O NOVO MODELO DE

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DE CAPARICA. Avaliação de Pessoal Não Docente 2010 SIADAP 3

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DE CAPARICA. Avaliação de Pessoal Não Docente 2010 SIADAP 3 ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DE CAPARICA Avaliação de Pessoal Não Docente 2010 SIADAP 3 Legislação aplicável Lei nº 66-B/2007 de 28 de Dezembro (Subsistema de Avaliação do Desempenho dos Trabalhadores da

Leia mais

ANEXO C FORMAÇÃO PROFISSIONAL

ANEXO C FORMAÇÃO PROFISSIONAL Claustro central do edifício sede do Ministério das Finanças Foto de Luís Grancho, SGMF ANEO C FORMAÇÃO PROFISSIONAL O Plano de Frequência de ações de formação 2013, adiante incluído, integra o Plano de

Leia mais

Avaliação e gestão do. Lei nº 66-B/2007 de 28 de Dezembro

Avaliação e gestão do. Lei nº 66-B/2007 de 28 de Dezembro Avaliação e gestão do desempenho 2008 Lei nº 66-B/2007 de 28 de Dezembro Subsistemas SIADAP 1- Avaliação de desempenho dos serviços da Administração Pública SIADAP 2 Avaliação de desempenho dos dirigentes

Leia mais

Avaliação do Desempenho 2007

Avaliação do Desempenho 2007 Outubro de 2008 Relatório Geral Avaliação do Desempenho 2007 Universidade de Coimbra Conselho de Coordenação da Avaliação da Universidade de Coimbra No ano de 2007, a avaliação do desempenho pelo Sistema

Leia mais

PROPOSTA DE LEI N.º 101/IX CRIA O SISTEMA INTEGRADO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Exposição de motivos

PROPOSTA DE LEI N.º 101/IX CRIA O SISTEMA INTEGRADO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Exposição de motivos PROPOSTA DE LEI N.º 101/IX CRIA O SISTEMA INTEGRADO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Exposição de motivos Tendo em consideração que a Administração Pública tem como objectivo fundamental

Leia mais

Casos de Estudo nacionais Traduzir a estratégia em ação com o BSC. Joana Miguel Santos

Casos de Estudo nacionais Traduzir a estratégia em ação com o BSC. Joana Miguel Santos Casos de Estudo nacionais Traduzir a estratégia em ação com o BSC Joana Miguel Santos Caso de Sucesso: Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social

Leia mais

SIADAP Lei n.º 66-B/07. Gestão Por Objectivos (GPO)

SIADAP Lei n.º 66-B/07. Gestão Por Objectivos (GPO) SIADAP Lei n.º 66-B/07 Gestão Por Objectivos (GPO) Novas e Melhores Políticas Públicas para novas necessidades. ONTEM AP: Vertical hierarquizada, inflexível A logica da oferta: serviço compartimentalizado

Leia mais

Lei n.º 66-B/2007 de 28 de Dezembro Estabelece o sistema integrado de gestão e avaliação do desempenho na Administração Pública

Lei n.º 66-B/2007 de 28 de Dezembro Estabelece o sistema integrado de gestão e avaliação do desempenho na Administração Pública Lei n.º 66-B/2007 de 28 de Dezembro Estabelece o sistema integrado de gestão e avaliação do desempenho na Administração Pública A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º

Leia mais

IAPMEI EEN. KMS Knowledge Management Solution

IAPMEI EEN. KMS Knowledge Management Solution IAPMEI EEN KMS Knowledge Management Solution Praia, 1 e 2 de Dezembro de 2011 IAPMEI Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e à Inovação http://www.iapmei.pt/ Principal instrumento das políticas

Leia mais

Sílvia Pereira Marketing e Comunicação Joana Santos SI de Gestão Estratégica

Sílvia Pereira Marketing e Comunicação Joana Santos SI de Gestão Estratégica Sílvia Pereira Marketing e Comunicação Joana Santos SI de Gestão Estratégica www.quidgest.com quidgest@quidgest.com Quem somos Desenvolvemos SI desde 1988 Trabalhamos com Grandes Empresas e Organismos

Leia mais

DIAGNÓSTICO GERAL DAS ADMINISTRAÇÕES PÚBLICAS ESTADUAIS PESQUISA PNAGE

DIAGNÓSTICO GERAL DAS ADMINISTRAÇÕES PÚBLICAS ESTADUAIS PESQUISA PNAGE DIAGNÓSTICO GERAL DAS ADMINISTRAÇÕES PÚBLICAS ESTADUAIS PESQUISA PNAGE Fernando Luiz Abrucio DIMENSÃO DO ESTADO Principais Problemas Precariedade das informações Falta de Bancos de Dados compartilhados

Leia mais

O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso das atribuições que lhe são conferidas pela legislação em vigor,

O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso das atribuições que lhe são conferidas pela legislação em vigor, DECRETO Nº 36670 DE 1º DE JANEIRO DE 2013 Institui o modelo de governança para execução do Plano Estratégico 2013-2016 da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro e dá outras providências. O PREFEITO DA

Leia mais

7 motivos pelos quais as Redes Sociais Corporativas vão se consolidar na América Latina.

7 motivos pelos quais as Redes Sociais Corporativas vão se consolidar na América Latina. 7 motivos pelos quais as Redes Sociais Corporativas vão se consolidar na América Latina. Não é possível voltar atrás. As Redes Sociais Corporativas (RSC) chegaram à América Latina para ficar, e irão se

Leia mais

Lei n.º 66-B/2007, de 28 de dezembro. Sistema Integrado de Gestão e Avaliação do Desempenho na Administração Pública (SIADAP)

Lei n.º 66-B/2007, de 28 de dezembro. Sistema Integrado de Gestão e Avaliação do Desempenho na Administração Pública (SIADAP) Lei n.º 66-B/2007, de 28 de dezembro Sistema Integrado de Gestão e Avaliação do Desempenho na Administração Pública (SIADAP) Texto consolidado pela Direção Geral da Administração e do Emprego Público Texto

Leia mais

Em aprovação pela tutela Versão 3.0 revista em julho 2015

Em aprovação pela tutela Versão 3.0 revista em julho 2015 Plano de atividades 2015 Índice 01 introdução... 4 nota introdutória 4 02 enquadramento... 7 2.1 enquadramento e atribuições 7 2.2 missão, visão e valores 12 2.3 estrutura organizativa 13 2.4 principais

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO SIADAP

REGULAMENTO INTERNO DO SIADAP REGULAMENTO INTERNO DO SIADAP CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Objeto 1. O presente regulamento determina as normas de regulamentação interna da aplicação do Sistema Integrado de Gestão e Avaliação

Leia mais

[CONSTRUÇÃO DO QUAR] linhas de orientação

[CONSTRUÇÃO DO QUAR] linhas de orientação C C A S ConselhoCoordenador deavaliaçãodeserviços [CONSTRUÇÃODOQUAR] Não apresentam apenas um objectivo estratégico mas antes vários objectivos estratégicos, ou são tão vagos que não permitem conhecer

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO E AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA (SIADAP) (Versão consolidada) 4

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO E AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA (SIADAP) (Versão consolidada) 4 SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO E AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA (SIADAP) Lei n.º 66-B/2007, de 28 de dezembro, alterada pelas Leis n.º s 64-A/2008, de 31 de dezembro 1, 55-A/2010, de 31

Leia mais

Regulamento de Funcionamento

Regulamento de Funcionamento AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE S. PEDRO DO SUL Avaliação de Desempenho Pessoal não Docente Regulamento de Funcionamento Regulamento da Avaliação de Desempenho do Pessoal não Docente do Agrupamento de Escolas

Leia mais

SIADAP 3 Subsistema de Avaliação do Desempenho dos Trabalhadores da Administração Pública

SIADAP 3 Subsistema de Avaliação do Desempenho dos Trabalhadores da Administração Pública Agrupamento de Escolas de Serpa Avaliação de Pessoal Não Docente SIADAP 3 Subsistema de Avaliação do Desempenho dos Trabalhadores da Administração Pública Legislação aplicável Lei n.º 66-B/2007 de 28 de

Leia mais

Modelo de Gestão das Comarcas - Recomendações

Modelo de Gestão das Comarcas - Recomendações Modelo de Gestão das Comarcas - Recomendações Conselho Superior da Magistratura Janeiro 2012 Modelo de Gestão das Comarcas - Recomendações O Conselho Superior da Magistratura, enquanto órgão máximo de

Leia mais

Gestão de Talentos. Aula 01. Contextualização. Instrumentalização

Gestão de Talentos. Aula 01. Contextualização. Instrumentalização Gestão de Talentos Aula 01 Prof. Me. Maria Tereza F. Ribeiro 1. Contextualização Apresentação dos tópicos a serem abordados atualidades 2. Instrumentalização Conceitos principais 3. Aplicação Exemplos

Leia mais

European Foundation for Quality Management na Secretaria-Geral do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

European Foundation for Quality Management na Secretaria-Geral do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior European Foundation for Quality Management na Secretaria-Geral do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior 1 ÍNDICE 1. A Secretaria-Geral do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

Leia mais

Introdução. Uma forma comum de estabelecimento de metas usada nas organizações é a Administração por Objetivos - APO

Introdução. Uma forma comum de estabelecimento de metas usada nas organizações é a Administração por Objetivos - APO ADMINISTRAÇÃO POR OBJETIVOS 1 Introdução Uma forma comum de estabelecimento de metas usada nas organizações é a Administração por Objetivos - APO Este processo é uma tentativa de alinhar metas pessoais

Leia mais

Plano de Gestão do Risco (2013-2015)

Plano de Gestão do Risco (2013-2015) Plano de Gestão do Risco (2013-2015) Camões, I.P. Janeiro de 2013 Lisboa, janeiro de 2013 Camões, Instituto da Cooperação e da Língua Av. da Liberdade, 270 1250-149 Lisboa 1 Índice Índice... 2 Acrónimos...

Leia mais

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS N.º 02/SAMA2020/2015

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS N.º 02/SAMA2020/2015 AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS N.º 02/SAMA2020/2015 REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DA OPERAÇÃO SISTEMA DE APOIO À MODERNIZAÇÃO E CAPACITAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA (SAMA2020) Página 1 de 16

Leia mais

GOVERNO. Estatuto Orgânico do Ministério da Administração Estatal

GOVERNO. Estatuto Orgânico do Ministério da Administração Estatal REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR LESTE GOVERNO Decreto N. 2/ 2003 De 23 de Julho Estatuto Orgânico do Ministério da Administração Estatal O Decreto Lei N 7/ 2003 relativo à remodelação da estrutura orgânica

Leia mais

A Nossa Oferta Formativa para a Administração Pública

A Nossa Oferta Formativa para a Administração Pública A Nossa Oferta Formativa para a Administração Pública 2011 DESIGNAÇÃO A inscrição poderá DO CURSO ser efectuada Nº através DE do PREÇO site POR www.significado.pt Para mais informações, por favor contacte

Leia mais

Diretrizes para aplicação do SIADAP no INMLCF, I.P.

Diretrizes para aplicação do SIADAP no INMLCF, I.P. Diretrizes para aplicação do SIADAP no INMLCF, I.P. Na sequência das deliberações tomadas nas reuniões ocorridas nos dias 20 e 31 de março de 2015, tendo em vista uma aplicação objetiva e harmónica do

Leia mais

A Gestão de Competências na Modernização da Administração Pública

A Gestão de Competências na Modernização da Administração Pública A Gestão de Competências na Modernização da Administração Pública 4º Congresso Nacional da Administração Pública 2 e 3 Novembro de 2006 José Alberto Brioso Pedro Santos Administração Pública Contexto Perspectiva

Leia mais

Plano de Redução e Melhoria da Administração Central do Estado

Plano de Redução e Melhoria da Administração Central do Estado Plano de Redução e Melhoria da Administração Central do Estado PREMAC Relatório de Execução 15.09.2011 Hélder Rosalino Propósitos gerais: O Governo assumiu, no seu Programa, a urgência de reduzir os custos

Leia mais

FAQ s para os Administradores do Sistema

FAQ s para os Administradores do Sistema FAQ s para os Administradores do Sistema Este documento disponibiliza FAQ s sobre vários temas. Clique sobre o tema que lhe interessa para aceder às respetivas FAQ s. FAQ s sobre a credenciação do Administrador

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

OS QUATRO PAPÉIS DA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS (UM MODELO)

OS QUATRO PAPÉIS DA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS (UM MODELO) CRANBERRY TOOLBOX: OS QUATRO PAPÉIS DA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS (UM MODELO) EM POUCAS PALAVRAS A função gestão de pessoas tem hoje de demonstrar a sua contribuição para a criação de valor e para suportar

Leia mais

Objectivos Estratégicos (OE) Meta 2008 Taxa de Realização

Objectivos Estratégicos (OE) Meta 2008 Taxa de Realização Ministério: Organismo: MISSÃO: Ministério das Finanças e da Administração Pública Direcção-Geral do Orçamento A Direcção-Geral do Orçamento (DGO) tem por missão superintender na elaboração e execução do

Leia mais

Quadro de Avaliação e Responsabilização

Quadro de Avaliação e Responsabilização ANO: Ministério das Finanças Direcção -Geral da Qualificação dos Trabalhadores em Funções Públicas MISSÃO: Promover o desenvolvimento, a qualificação e a mobilidade dos trabalhadores em funções públicas,

Leia mais

O FATOR HUMANO EM PROJETOS DE TI

O FATOR HUMANO EM PROJETOS DE TI 1 O FATOR HUMANO EM PROJETOS DE TI 2 INTRODUÇÃO O FATOR HUMANO E OS FATORES QUE IMPACTAM PROCESSOS EM PROJETOS DE TI Mudança de paradigma: humano é o ponto central fator humano Processos Normas Normas

Leia mais

REGIMENTO INTERNO AVALIAÇÃO DO PESSOAL NÃO DOCENTE

REGIMENTO INTERNO AVALIAÇÃO DO PESSOAL NÃO DOCENTE REGIMENTO INTERNO AVALIAÇÃO DO PESSOAL NÃO DOCENTE Artigo 1.º Objectivos da avaliação A avaliação do pessoal não docente visa: a) A avaliação profissional, tendo em conta os conhecimentos, qualidades e

Leia mais

www.dalecarnegie.com.br Como Impulsionar o Engajamento de Colaboradores em PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Dale Carnegie Training White Paper

www.dalecarnegie.com.br Como Impulsionar o Engajamento de Colaboradores em PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Dale Carnegie Training White Paper Como Impulsionar o Engajamento de Colaboradores em PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Dale Carnegie Training White Paper www.dalecarnegie.com.br Copyright 2014 Dale Carnegie & Associates, Inc. All rights reserved.

Leia mais

Liderança Feminina. Que tipo de clima as altas executivas geram em suas equipes? Setembro/2009

Liderança Feminina. Que tipo de clima as altas executivas geram em suas equipes? Setembro/2009 Liderança Feminina Que tipo de clima as altas executivas geram em suas equipes? Setembro/2009 Sobre o Hay Group Hay Group é uma consultoria global em gestão que trabalha com líderes para transformar estratégias

Leia mais

PROJECTO DE REGULAMENTO DOS SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E FINANCEIROS

PROJECTO DE REGULAMENTO DOS SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E FINANCEIROS PROJECTO DE REGULAMENTO DOS SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E FINANCEIROS Artigo 1.º (Âmbito) 1 - O presente Regulamento estabelece a estrutura orgânica e as competências dos Serviços Administrativos e Financeiros

Leia mais

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Projeto Saber Contábil O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Alessandra Mercante Programa Apresentar a relação da Gestão de pessoas com as estratégias organizacionais,

Leia mais

Definição e Implementação de Metodologia, Modelo e Ferramentas para Avaliação de Projectos e Despesas TIC

Definição e Implementação de Metodologia, Modelo e Ferramentas para Avaliação de Projectos e Despesas TIC Definição e Implementação de Metodologia, Modelo e Ferramentas para Avaliação de Projectos e Despesas TIC Overview do Processo de Avaliação de Projectos e Despesas TIC www.ama.pt Índice 1. Enquadramento

Leia mais

ATO NORMATIVO Nº 006 /2007

ATO NORMATIVO Nº 006 /2007 ATO NORMATIVO Nº 006 /2007 Dispõe sobre os cargos em comissão do Ministério Público do Estado da Bahia, e dá outras providências. O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA, no uso das atribuições

Leia mais

Processo de Construção de um Plano de Cargos e Carreira. nas Organizações Públicas Brasileiras

Processo de Construção de um Plano de Cargos e Carreira. nas Organizações Públicas Brasileiras Processo de Construção de um Plano de Cargos e Carreira nas Organizações Públicas Brasileiras A estruturação ou revisão de um PCCR se insere em um contexto de crescente demanda por efetividade das ações

Leia mais

Balanced Scorecard e SIADAP: Articulação, Integração e Desenvolvimento

Balanced Scorecard e SIADAP: Articulação, Integração e Desenvolvimento 50 Administração Pública Interface Balanced Scorecard e SIADAP: Articulação, Integração e Desenvolvimento O BSC poderá ser a solução quando a necessidade de mudança se centrar no alinhamento da organização

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA-GERAL. Relatório de Actividades 2009

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA-GERAL. Relatório de Actividades 2009 MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Relatório de Actividades 2009 Abril 2010 DO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Relatório de Actividades 2009 Abril 2010 MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Praça do Comércio 1149-019 Lisboa Homepage: http://www.sg.mj.pt

Leia mais

Assunto: Sistema integrado de gestão e avaliação do desempenho na Administração Pública (SIADAP)

Assunto: Sistema integrado de gestão e avaliação do desempenho na Administração Pública (SIADAP) Ofício Circular 13/GDG/08 Assunto: Sistema integrado de gestão e avaliação do desempenho na Administração Pública (SIADAP) A Lei n.º 66-B/2007, de 28 de Dezembro, veio rever e aperfeiçoar o anterior sistema

Leia mais

BALANCED SCORECARD NA ABORDAGEM POR PROCESSOS

BALANCED SCORECARD NA ABORDAGEM POR PROCESSOS APLICAÇÃO DA METODOLOGIA BALANCED SCORECARD NA ABORDAGEM POR PROCESSOS -1- AGENDA Quem somos Modelo de Gestão Gestão por Objectivos - BSC Conclusões e Resultados -2- AGENDA Quem somos -3- O QUE FAZEMOS

Leia mais

MANUAL DE ACOLHIMENTO E INTEGRAÇÃO

MANUAL DE ACOLHIMENTO E INTEGRAÇÃO MANUAL DE ACOLHIMENTO E INTEGRAÇÃO Ficha Técnica Título Manual de Acolhimento e Integração Autor/Editor Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género (CIG) Avenida da República, nº 32, 1º 1050-193 Lisboa

Leia mais

LEI DELEGADA N.º 79, DE 18 DE MAIO DE 2.007

LEI DELEGADA N.º 79, DE 18 DE MAIO DE 2.007 LEI DELEGADA N.º 79, DE 18 DE MAIO DE 2.007 DISPÕE sobre a SECRETARIA DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA SSP, definindo suas finalidades, competências e estrutura organizacional, fixando o seu quadro de cargos

Leia mais

PATROCINADOREPRINCIPAISS

PATROCINADOREPRINCIPAISS PATROCINADOREPRINCIPAISS Da Inovação Aberta à Inteligência Competitiva Maio 2016 20154 espap Entidade de Serviços Partilhados da Administração Pública, I.P. Direitos reservados. 1 Da Inovação Aberta à

Leia mais

1. Agência Nacional de Compras Públicas - Enquadramento. 2. Estratégia para as Compras Públicas. 3. Modelo de Compras Públicas Electrónicas

1. Agência Nacional de Compras Públicas - Enquadramento. 2. Estratégia para as Compras Públicas. 3. Modelo de Compras Públicas Electrónicas Agenda 1. Agência Nacional de Compras Públicas - Enquadramento 2. Estratégia para as Compras Públicas 3. Modelo de Compras Públicas Electrónicas 4. Desafios para 2009 2 Propósito Estratégico: Agência Nacional

Leia mais

Mercer College Brasil 2014. Programa de Desenvolvimento em Gestão do Capital Humano

Mercer College Brasil 2014. Programa de Desenvolvimento em Gestão do Capital Humano Mercer College Brasil 2014 Programa de Desenvolvimento em Gestão do Capital Humano APRENDA, PRATIQUE E DESENVOLVA-SE COM O MERCER COLLEGE VISÃO GERAL OBJETIVOS Os objetivos do Programa de Desenvolvimento

Leia mais

CAPÍTULO I DAS FINALIDADES

CAPÍTULO I DAS FINALIDADES PORTARIA INSTITUCIONAL Nº 08 A Direção Geral da Faculdades SPEI, no uso das suas atribuições, ouvido o Conselho Superior e aprovado pela Mantenedora, conforme Regimento Interno, RESOLVE: Estabelecer o

Leia mais

REGULAMENTO DO CENTRO DE CONGRESSOS DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA

REGULAMENTO DO CENTRO DE CONGRESSOS DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA REGULAMENTO DO CENTRO DE CONGRESSOS DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA Aprovado pelo Presidente do ISEL a NOTA INTRODUTÓRIA Criado a 19 de Setembro de 2006 e tendo iniciado as suas funções a

Leia mais

Redes Sociais: networking digital e um diferencial para um novo perfil de profissionais

Redes Sociais: networking digital e um diferencial para um novo perfil de profissionais Talent Solutions Redes Sociais: networking digital e um diferencial para um novo perfil de profissionais Domingos Zuccherelli Gerente Regional de Vendas As redes sociais são uma realidade incontestável.

Leia mais

Como calcular o número necessário de servidores? E QUANDO O PROCESSO DE TRABALHO NÃO É QUANTIFICÁVEL COM FACILIDADE? ALTERNATIVA 2 Uma possibilidade para transpor essa restrição seria a utilização de um

Leia mais

Carteira. de formação. análise às nossas oportunidades e recursos. Missão, Visão e Objectivos. Desenvolver competências técnicas e transversais

Carteira. de formação. análise às nossas oportunidades e recursos. Missão, Visão e Objectivos. Desenvolver competências técnicas e transversais conteúdos: Programa de formação avançada centrado nas competências e necessidades dos profissionais. PÁGINA 2 Cinco motivos para prefirir a INOVE RH como o seu parceiro, numa ligação baseada na igualdade

Leia mais

Gestão de Recursos Humanos e Contratualização. Nelson Marconi

Gestão de Recursos Humanos e Contratualização. Nelson Marconi Gestão de Recursos Humanos e Contratualização Nelson Marconi Estágios das Políticas de Recursos Humanos 1º estágio: controles e ajuste das despesas 2º estágio: definição de políticas consistentes porém

Leia mais

ANEXO XI. Resenha histórica da IGF e respetivas leis orgânicas

ANEXO XI. Resenha histórica da IGF e respetivas leis orgânicas ANEXO XI Resenha histórica da IGF e respetivas leis orgânicas Inicialmente, as suas competências eram, fundamentalmente, de órgão de inspeção das direções de finanças, repartições de finanças e de dar

Leia mais

Serviços de Informática Lógica de Serviços Partilhados de Sistemas e Tecnologias de Informação

Serviços de Informática Lógica de Serviços Partilhados de Sistemas e Tecnologias de Informação Lógica de Serviços Partilhados de Sistemas e Tecnologias de Informação 05-03-2015 1 Sumário: Missão dos Serviços de Informática da UAlg Atribuições dos Serviços de Informática Estrutura dos Serviços de

Leia mais

PARTE J3 MINISTÉRIO DAS FINANÇAS. 48414 Diário da República, 2.ª série N.º 236 12 de Dezembro de 2011

PARTE J3 MINISTÉRIO DAS FINANÇAS. 48414 Diário da República, 2.ª série N.º 236 12 de Dezembro de 2011 48414 Diário da República, 2.ª série N.º 236 12 de Dezembro de 2011 PARTE J3 MINISTÉRIO DAS FINANÇAS Direcção-Geral da Administração e do Emprego Público Acordo colectivo de trabalho n.º 12/2011 Acordo

Leia mais

Todos na empresa sabem definir inovação? Como a visão da empresa está alinhada com a Inovação? As lideranças da organização estão preparadas para estimular o ambiente de Inovação? Os objetivos da organização

Leia mais

Planejamento Estratégico nos Órgãos Públicos

Planejamento Estratégico nos Órgãos Públicos Planejamento Estratégico nos Órgãos Públicos Juan Cristóbal Bonnefoy ILPES-CEPAL Curso-seminário Políticas orçamentárias e gestão pública por resultados Caucaia, Ceará, Brasil, agosto de 2005 Pilares do

Leia mais

Unisys Security Index 2014. Marcelo Neves, Especialista em Segurança e Diretor da Unisys Brasil

Unisys Security Index 2014. Marcelo Neves, Especialista em Segurança e Diretor da Unisys Brasil Unisys Security Index 2014 Marcelo Neves, Especialista em Segurança e Diretor da Unisys Brasil 15 de Maio, 2014 Sobre a Unisys Principal fornecedor de soluções e serviços para ambientes de missão crítica

Leia mais

PROJETO DE ASSESSORIA TÉCNICA DA UERJ PARA A FUNDAÇÃO PARA A INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA - FIA

PROJETO DE ASSESSORIA TÉCNICA DA UERJ PARA A FUNDAÇÃO PARA A INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA - FIA PROJETO DE ASSESSORIA TÉCNICA DA UERJ PARA A FUNDAÇÃO PARA A INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA - FIA OBJETIVOS Elaboração de diagnóstico da situação presente da Fundação; definição de metas institucionais de curto,

Leia mais

Cultura do Planejamento Estratégico e Gestão do Desempenho

Cultura do Planejamento Estratégico e Gestão do Desempenho Cultura do Planejamento Estratégico e Gestão do Desempenho Alexandre Kalil Pires Gerente de Projeto - SEGES/MP A Função do Planejamento Estratégico Construir, junto a alta administração, um consenso sobre

Leia mais

Palbit investe no Microsoft Dynamics CRM para suportar crescimento do negócio

Palbit investe no Microsoft Dynamics CRM para suportar crescimento do negócio Microsoft Dynamics CRM Cliente Referência: PALBIT Palbit Palbit investe no Microsoft Dynamics CRM para suportar crescimento do negócio Sumário País Portugal Sector Produção Industrial Perfil do Cliente

Leia mais

Gestão de Recursos Humanos - II,I.P. Atualizado em: 01-12-2015

Gestão de Recursos Humanos - II,I.P. Atualizado em: 01-12-2015 SEGURANÇA SOCIAL Gestão de Recursos Humanos - II,I.P. Atualizado em: 01-12-2015 Política de Recursos Humanos A política de recursos humanos do Instituto de Informática, I.P. (II,I.P.) tem por objetivo

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA-GERAL. Relatório de Actividades 2008

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SECRETARIA-GERAL. Relatório de Actividades 2008 MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Relatório de Actividades 2008 Abril 2009 DO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Relatório de Actividades 2008 Abril 2009 MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Praça do Comércio 1149-019 Lisboa Homepage: http://www.sg.mj.pt

Leia mais

SIADAP Sistema Integrado de Gestão e Avaliação do Desempenho na Administração Pública

SIADAP Sistema Integrado de Gestão e Avaliação do Desempenho na Administração Pública SIADAP Sistema Integrado de Gestão e Avaliação do Desempenho na Administração Pública (Lei n.º 66-B/2007, de 28 de dezembro, com as alterações introduzidas pela Lei n.º 66-B/2012, de 31 de dezembro) 1

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA FUNÇÃO PÚBLICA MODELO CONCEPTUAL DO SISTEMA DE GESTÃO DE DESEMPENHO

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA FUNÇÃO PÚBLICA MODELO CONCEPTUAL DO SISTEMA DE GESTÃO DE DESEMPENHO REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA FUNÇÃO PÚBLICA MODELO CONCEPTUAL DO SISTEMA DE GESTÃO DE DESEMPENHO 1 CONTEXTUALIZAÇÃO A Reforma do sector público em curso no país enquadra se na estratégia mais

Leia mais

BRASIL 2015 PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EM GESTÃO DO CAPITAL HUMANO

BRASIL 2015 PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EM GESTÃO DO CAPITAL HUMANO BRASIL 2015 PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EM GESTÃO DO CAPITAL HUMANO APRENDA, PRATIQUE E DESENVOLVA-SE COM O MERCER COLLEGE VISÃO GERAL OBJETIVOS Os objetivos do Mercer College, Programa de Desenvolvimento

Leia mais

12/09/2015. Conceituação do SIG. Introdução. Sistemas de Informações Gerenciais Terceira Parte

12/09/2015. Conceituação do SIG. Introdução. Sistemas de Informações Gerenciais Terceira Parte Sistemas de Informações Gerenciais Terceira Parte Prof. William C. Rodrigues Copyright 2015. Todos direitos reservados. Atualizado em setembro de 2015 Conceituação do SIG Introdução Nessa fase o executivo

Leia mais

A SECRETARIA-GERAL DO ME

A SECRETARIA-GERAL DO ME Conferência Anual de Serviços Partilhados e Compras Públicas NOVOS DESAFIOS PARA AS COMPRAS PÚBLICAS A DO ME Mª Ermelinda Carrachás 26 de novembro de 2014 MINISTÉRIO DA ECONOMIA O Ministério da Economia

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Material adicional: Sistemas de Informação livro Osistema de Informação : Enfoque Gerencial... livro O Analista de Negócios e da Informação... 1. Conceito de Sistema A palavra sistema envolve, de fato,

Leia mais

Miguel de Paula. Gente, Gestão e Serviços

Miguel de Paula. Gente, Gestão e Serviços Miguel de Paula Gente, Gestão e Serviços Provendo Serviços e Talentos 2 Estrutura GENTE, GESTÃO E SERVIÇOS SERVIÇOS COMPARTILHADOS TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO GENTE Serviços Acadêmicos Serviços Financeiros

Leia mais

Optimização do Custo de Sinistros Automóvel através da gestão de prestadores. Lisboa, 07 de Maio de 2008 2008 Accenture. All rights reserved.

Optimização do Custo de Sinistros Automóvel através da gestão de prestadores. Lisboa, 07 de Maio de 2008 2008 Accenture. All rights reserved. Optimização do Custo de Sinistros Automóvel através da gestão de prestadores Lisboa, 07 de Maio de 2008 2008 Accenture. All rights reserved. AGENDA Enquadramento e Oportunidade Caso Prático 2008 Accenture.

Leia mais

Anexo I CRITÉRIOS A APLICAR NA REALIZAÇÃO DE AVALIAÇÃO POR PONDERAÇÃO CURRICULAR CARREIRA DE TÉCNICO SUPERIOR

Anexo I CRITÉRIOS A APLICAR NA REALIZAÇÃO DE AVALIAÇÃO POR PONDERAÇÃO CURRICULAR CARREIRA DE TÉCNICO SUPERIOR Anexo I CRITÉRIOS A APLICAR NA REALIZAÇÃO DE AVALIAÇÃO POR PONDERAÇÃO CURRICULAR CARREIRA DE TÉCNICO SUPERIOR. Relativamente aos anos de 20-204, na avaliação de desempenho dos trabalhadores por ponderação

Leia mais

Avaliação do Desempenho dos Médicos.

Avaliação do Desempenho dos Médicos. ORDEM DE SERVIÇO Nº. 24/13 De: 12.11.2013 ASSUNTO: Regulamento de Funcionamento do Conselho Coordenador de Avaliação do Desempenho dos Médicos. Vem o Conselho de Administração, por este meio, informar

Leia mais

Instituto de Informática. Ministério das Finanças e da Administração Pública

Instituto de Informática. Ministério das Finanças e da Administração Pública O que é o SGU? O SGU (Sistema de Gestão de Utilizadores) é uma solução informática de gestão de permissões e acessos a sistemas de informação no âmbito da Administração Pública Portuguesa, disponível a

Leia mais

Pesquisa Clima Organizacional 2009. Relatório Embrapa Gado de Corte

Pesquisa Clima Organizacional 2009. Relatório Embrapa Gado de Corte Pesquisa Clima Organizacional 2009 Relatório Embrapa Gado de Corte 1. Fundamentação Teórica A Pesquisa de Cultura e Clima Organizacional é um instrumento de levantamento de informações, utilizado para

Leia mais

Relatório. de Conclusões/ Recomendações

Relatório. de Conclusões/ Recomendações Relatório de Conclusões/ Recomendações AUDITORIA: Operacional Divisão de Valorização dos Recursos Humanos (DVRH) Cascais, Janeiro de 2014 3 Índice 1. Enquadramento... 5 2. Conclusões e Recomendações...

Leia mais

COMMON ASSESSMENT FRAMEWORK. Modelo de auto-avaliação para a melhoria da qualidade dos serviços públicos

COMMON ASSESSMENT FRAMEWORK. Modelo de auto-avaliação para a melhoria da qualidade dos serviços públicos CAF COMMON ASSESSMENT FRAMEWORK ESTRUTURA COMUM DE AVALIAÇÃO Modelo de auto-avaliação para a melhoria da qualidade dos serviços públicos Agenda OModeloCAF o que é; para que serve; vantagens; como surgiu;

Leia mais

Sistema Integrado de Avaliação do Desempenho na Administração Publica (SIADAP)

Sistema Integrado de Avaliação do Desempenho na Administração Publica (SIADAP) Sistema Integrado de Avaliação do Desempenho na Administração Publica (SIADAP) REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DO CONSELHO COORDENADOR DA AVALIAÇÃO O Decreto Regulamentar n.º 18/2009, de 4 de setembro, procedeu

Leia mais