A NARRATIVA TRANSMÍDIA E O USO DE MÍDIAS SOCIAIS PARA MARKETING EM BIBLIOTECAS: o caso da Faculdade de Tecnologia Senac Florianópolis

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A NARRATIVA TRANSMÍDIA E O USO DE MÍDIAS SOCIAIS PARA MARKETING EM BIBLIOTECAS: o caso da Faculdade de Tecnologia Senac Florianópolis"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E DA EDUCAÇÃO FAED CURSO DE BIBLIOTECONOMIA (Habilitação em Gestão da Informação) JORGE MOISÉS KROLL DO PRADO A NARRATIVA TRANSMÍDIA E O USO DE MÍDIAS SOCIAIS PARA MARKETING EM BIBLIOTECAS: o caso da Faculdade de Tecnologia Senac Florianópolis FLORIANÓPOLIS 2012

2 JORGE MOISÉS KROLL DO PRADO A NARRATIVA TRANSMÍDIA E O USO DE MÍDIAS SOCIAIS PARA MARKETING EM BIBLIOTECAS: o caso da Faculdade de Tecnologia Senac Florianópolis Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Departamento de Biblioteconomia, do Centro de Ciências Humanas e da Educação, FAED, como requisito para a obtenção do título de Bacharel em Biblioteconomia (Habilitação em Gestão da Informação) da Universidade do Estado de Santa Catarina, UDESC. Orientadora: Dra. Elisa Cristina Delfini Corrêa FLORIANÓPOLIS 2012

3 P896n Prado, Jorge Moisés Kroll do, A narrativa transmídia e o uso de mídias sociais para marketing em bibliotecas: o caso da Faculdade de Tecnologia Senac Florianópolis / Jorge Moisés Kroll do Prado; orientadora Elisa Cristina Delfini Corrêa. Florianópolis (SC), f ; 30 cm. Inclui referências bibliográficas. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) Universidade do Estado de Santa Catarina, Centro de Ciências Humanas e da Educação, Departamento de Biblioteconomia e Gestão da Informação, Florianópolis, Marketing em bibliotecas. 2. Redes sociais. 3. Narrativa transmídia. I. Corrêa, Elisa Cristina Delfini. II. Título. CDD 021.7

4 JORGE MOISÉS KROLL DO PRADO A narrativa transmídia e o uso de mídias sociais para marketing em bibliotecas: o caso da Faculdade de Tecnologia Senac Florianópolis Trabalho de conclusão de curso aprovado como requisito para obtenção do grau de Bacharel em Biblioteconomia, no Curso de Graduação em Biblioteconomia Habilitação em Gestão da Informação do Centro de Ciências Humanas e da Educação, da Universidade do Estado de Santa Catarina. Banca examinadora: Orientador: Doutora, Elisa Cristina Delfini Corrêa Universidade do Estado de Santa Catarina Avaliador: Doutor, Jordan Paulesky Juliani Universidade do Estado de Santa Catarina Florianópolis, dezembro de 2012.

5 Aos meus pais, João e Mafalda. Sem o apoio incomensurável deles nesta importante caminhada, talvez eu não teria chegado ao fim.

6 Certa vez ouvi que agradecer enriquece almas, de ambas as partes. Para este trabalho, tenho algumas almas a enriquecer. Pela serenidade, calma, espiritualidade e parceria, agradeço à minha orientadora Profª. Dra. Elisa Corrêa. É o exemplo de que juventude não se mede pela idade, mas pelas ações. Vou te seguir para sempre e retweetar os seus exemplos de vida. Ensinar nunca será simples, mas a tarefa foi bem executada ao longo desses quatro anos. Meus mais sinceros agradecimentos aos meus professores, que construíram meu perfil profissional, aguçaram minha criticidade, suscitaram minha criatividade e cutucaram a minha mente inúmeras vezes. Por tantos conselhos, dicas e confiança adquirida somente em uma disciplina, à Profª. Lani Lucas, que me acompanhou de longe. Quando entrei na universidade, quis aproveitar ao máximo o que ela poderia me oferecer e acho que consegui somente por conta das bolsas concedidas pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Pela liberdade, confiança, parceria, amizade e paixão pelo que fazem, quero agradecer às minhas colegas de trabalho e bibliotecárias Daniela Spudeit e Mairla Pires Costa, pelas várias oportunidades que me deram para crescer. O companheirismo e a boa convivência fazem de quatro anos de estudo algo melhor e mais proveitoso. Adorei fazer parte da turma 2009/1, fiz laços de amizade que levarei pelo resto da vida. No ano mais trabalhoso da graduação e por sua atuação como mais que um grande amigo, um agradecimento ao Robson Kalil, este parceiro inigualável até em suas horas mais difíceis. Uma empresa constrói-se grande quando tornam os seus funcionários grandes. Para a Faculdade de Tecnologia Senac Florianópolis, que me tornou grande ainda como estagiário, meu muito obrigado por acreditar no meu potencial e me liberar para participar de ótimos eventos que fundamentaram muitas das ideias apresentadas neste trabalho. Por fim, aos meus familiares, que acompanharam de longe esta caminhada e sempre me receberam tão bem em todas as vezes que retornei a Rio Negrinho. OBRIGADO!

7 O futuro sempre é mais cedo e mais estranho do que você Reid Hoffman, Presidente do Conselho da LinkedIn Atualizo, logo Andrew Keen, empreendedor no Vale do Silício e escritor controverso

8 RESUMO As redes sociais estão mudando a forma de viver do ser humano e liquidificando algumas áreas do conhecimento. Este trabalho de conclusão de curso apresenta o uso da narrativa transmídia como estratégia de marketing dentro da Biblioteca Universitária da Faculdade de Tecnologia Senac Florianópolis, caracterizada como o universo desta pesquisa. Um plano de marketing foi desenvolvido para determinar as metas e objetivos da ação, para ter uma maior efetividade durante a prática. É apresentada uma análise de toda a evolução do marketing e as escolas de pensamento de cada época, até chegar ao marketing digital. Neste, as redes sociais têm uma presença muito atuante, determinando os rumos de atuação e criação de novas técnicas para atrair e fidelizar os clientes. Finalizando o trabalho, apresentase a narrativa transmídia realizada dentro do espaço da pesquisa bem como os resultados alcançados. Um elenco de mídias sociais que podem ser usadas dentro de bibliotecas para desenvolvimento de marketing também é apresentado. Palavras-chave: Marketing em bibliotecas. Redes sociais. Narrativa transmídia.

9 ABSTRACT Social networks are changing the way of life of the human being and blendering some areas of knowledge. This course conclusion work presents the use of transmedia storytelling as a marketing strategy within the University Library of the Faculty of Technology Senac Florianópolis, characterized as the universe of this research. A marketing plan was developed to determine the goals and objectives of the action, to have greater effectiveness during practice. It presents an analysis of the whole evolution of marketing and the schools of thought each time, until you reach the digital marketing. In this, social networks have a very active presence, determining the course of action and creation of new techniques to attract and retain customers. Finishing work, presents the transmedia storytelling performed within the scope of the research and the results achieved. A cast of social media that can be used in libraries for development marketing is also presented. Keywords: Marketing to libraries. Social networks. Transmedia storytelling.

10 LISTA DE TABELAS Tabela 1 Comparação entre o Marketing 1.0, 2.0 e Tabela 2 Tipos de Produto...28 Tabela 3 Comparação entre blog e site...35 Tabela 4 Acervo em números...41 Tabela 5 Cronograma...45

11 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA MARKETING A história e as definições de marketing MARKETING COMPOSTO DE MARKETING MARKETING APLICADO EM BIBLIOTECAS NARRATIVA TRANSMÍDIA REDES SOCIAIS UM ELENCO DE MÍDIAS SOCIAIS PARA BIBLIOTECAS Blog Facebook Twitter Instagram Foursquare METODOLOGIA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA SENAC FLORIANÓPOLIS PLANO DE MARKETING A Biblioteca: situação Objetivos Plano de ação Cronograma das etapas Custos Avaliação O LIVRO QUE MARCOU MINHA VIDA ACADÊMICA : ESTUDANDO A AÇÃO CONSIDERAÇÕES FINAIS...54 REFERÊNCIAS...57 SUGESTÕES DE LEITURA...62 TWITTERS A SEGUIR...62

12 11 1 INTRODUÇÃO As histórias das bibliotecas e da informação são incrivelmente únicas, permeadas pela evolução lenta, mas constante, de uma sociedade ávida por conhecer, movida por uma curiosidade simples, natural e necessária. Quando se pensa que houve uma época em que os livros eram acorrentados, deixando a informação elitizada em tempos obscuros como a Idade Média e que o homem contemporâneo permanece mergulhado, ora soterrado, instantaneamente em informação; parece falar de dois mundos distintos. As bibliotecas conseguiram e conseguem acompanhar esta linha do tempo cheia de distinções, pois elas refletem as necessidades informacionais da sociedade. Na introdução de seu famoso Manifesto sobre Bibliotecas Públicas (mas que podemos atribuir a outros tipos de unidades de informação), a IFLA/UNESCO (1994) primeiramente amplia que a liberdade, prosperidade e desenvolvimento da sociedade são valores fundamentais para os seres humanos, mas que somente serão adquiridos através da posse de informação que propicie o exercício de seus direitos, atuando assim de maneira significativa na sociedade. De 1994 para cá, pode-se dizer que este trabalho está sendo aos poucos realizado objetivamente por cada tipo de biblioteca, que se depara com obstáculos de natureza burocrática, orçamentária, política ou mesmo cultural. Neste período de quase vinte anos, o mundo passou por uma série de mudanças. O rápido desenvolvimento de novas tecnologias esteve presente na maioria delas. Na saúde, avanços nos tratamentos. Na comunicação, a interação aumenta e as distâncias diminuem. Na economia, as facilidades de compra com o coletivismo e pagamento online, por exemplo. Na educação, formas diferenciadas, simples e mais eficazes. E nas bibliotecas? Com as novas tecnologias, temos bibliotecas cíbridas 1 e mais públicas (não no sentido de pertencer a um governo municipal, estadual ou nacional, mas no sentido de que são espaços crescentes de público). Bibliotecas mais preocupadas 1 As bibliotecas cíbridas são aquelas que atuam em ambientes reais e virtuais, mas sem depender exclusivamente de um ambiente. Mensagens, serviços, produtos e interações podem acontecer em ambos os ambientes (GABRIEL, 2010).

13 12 com sustentabilidade, sociabilidade, direitos (desde o direito à informação até o autoral); bibliotecas que se engajam em ambientes reais e virtuais. 2 Um fenômeno que emplaca em todos estes espaços é o das redes sociais. Aparentemente um conceito novo, tamanha a sua amplitude e variada gama de estudos, entretanto errôneo contentar-se ao dizer que é algo novo. Desde que o homem criou laços e estabeleceu comunicação com seus afins é que se pode datar uma rede social. Estas redes sociais eram resultantes de laços com objetivos, afinidades, atividades ou interesses em comum. As necessidades mudaram, a interação aumentou, as tecnologias se tornaram mais presentes e chegamos ao contexto em que estamos hoje. A grande colaboradora para estes fatos é a internet, a ferramenta que diminui distâncias, não diferencia as pessoas, atualiza antigos métodos e inova nossas práticas de vivência. É o meio de comunicação que mais rapidamente se desenvolveu, de uma forma tão intensa que nem se compara ao telefone e televisão, por exemplo. Se verificarmos as estatísticas de uso e da população na internet, os dados mais recentes (de 30 de junho deste ano), estamos perto dos 3 bilhões de usuários (INTERNET, 2012). Nesta circunstância, com tantas pessoas envolvidas (e se envolvendo), as redes sociais se remodelaram e se fortaleceram em espaço virtual através das chamadas mídias sociais 3. As interações que se tinha em ambiente real difundiramse no virtual apresentando relações de troca, de organizar, reagir, sugerir e de fazer acontecer inúmeros fatos. Com um dispositivo eletrônico como um aparelho celular conectado, de qualquer lugar, uma pessoa se relaciona a outras milhares em vários outros lugares ao mesmo tempo, podendo assumir outros perfis, gerando conteúdo e compartilhando informação. As redes sociais permitem às pessoas a capacidade de serem criadoras, organizadoras, personagens e personalidades instantâneas, idealizadoras e detentoras de uma carga de informação quase sem medida. E com tantas possibilidades, o tempo gasto nestes espaços é considerável, tanto que diferentes 2 Para sustentar este parágrafo, basta ler A nova desordem digital, escrito por David Weinberger (2007), estudioso na área de internet, inovação e liderança, que escreveu dedicando-o aos bibliotecários. 3 As mídias sociais são sites na internet que possibilitam a interação entre as pessoas através do compartilhamento de informações, conteúdos, imagens, vídeos aos quais o usuário é quem cria e consome informações. (GUTIERRES, 2011, p. 02)

14 13 tipos de organização já perceberam isso e voltaram seus olhares mais atentamente às redes sociais. Distribuídas pelos milhares de pessoas, também nas redes sociais, há a participação de vários tipos de organizações: universidades, multinacionais, entidades sem fins lucrativos, pequenas, médias e grandes empresas. Muitas delas adaptaram-se às novas tecnologias para continuar atuando no mercado competitivo (que as redes sociais também ajudaram a construir). A tarefa dessas empresas que sofreu mais impacto das mídias sociais foi o marketing. Assim como as redes sociais, o marketing é um termo antigo. Verbo atuante nesta prática é o trocar, já que em toda a sua evolução, com realidades socioeconômicas diferentes, a troca sempre foi o objetivo proposto 4. Tornou-se uma tarefa mais estratégica a partir da evolução do comércio, do surgimento de outras empresas e da natural competição que se criou entre elas. Assim como muitas pessoas, que ganharam com a internet uma outra vida, uma outra personalidade; pode-se dizer que as empresas também precisaram criar outros seres, que atendessem a essas personalidades criadas no mundo real e atuantes no virtual. Com as redes sociais, o marketing adquiriu características mais humanas, mesmo em ambiente virtual. Tendo o consumidor uma forma mais ampla de comprar, reclamar, sugerir e elogiar seus produtos e serviços, muitas organizações pararam de desenvolver planos de marketing e de comunicação tradicionais e se inseriram no desenvolvimento de planos mais maleáveis com foco no digital. Como o nível de interação dentro das redes sociais é grande, as ferramentas para marketing digital precisam ser cuidadosamente planejadas e principalmente, inovadoras e criativas. Para tal, um investimento em recursos humanos qualificado faz toda a diferença. Estuda-se cada vez mais estas interações digitais, pois é um fenômeno sem precedentes e imprevisível, dia após dia surpreendendo. Uma das técnicas bem sucedidas é a da narrativa transmídia (transmedia storytelling). Apresentada por Jenkins (2009), um adepto da cultural digital, cultura de massa, seriados televisivos, redes sociais e de todos os produtos que emergem daí, a técnica tem a facilidade de atingir um público maior, pois consiste não somente em vender ou propagandear, mas em transmitir ideias através de diferentes mídias que conseguem atingir, inclusive com os sentimentos das pessoas. 4 Mesmo com o marketing 3.0, a troca ainda é o objetivo proposto, pois centrado no ser humano e seus sentimentos, há a troca de valores e percepções entre as pessoas e as organizações.

15 14 A narrativa transmídia tem se apresentado como uma ótima estratégia de marketing porque os meios de comunicação estão se reinventando e trabalhando lado-a-lado com a internet (um exemplo é a prática do social TV materializada na smart TV, com acesso à internet). Entretanto, não somente os aparelhos ligados à eletricidade tem surtido esse efeito. Os livros também estão trazendo outras experiências aos leitores, ora começando na internet, ora terminando nela; ora sendo no papel, ora sendo no áudio ou nos bits. Inserindo-se nas redes sociais e adaptando-se às novas tecnologias, as bibliotecas estão conquistando novos espaços e deixando de lado antigas discussões polêmicas, como a de que o livro vai acabar, para preencherem mais algumas páginas da história do livro e das bibliotecas. Se é direito do cidadão ter acesso à informação e se a biblioteca é um dos espaços legítimos para esta garantia, torna-se natural a adoção de outros suportes informacionais. As bibliotecas sempre se atribuíram do marketing para divulgar seus produtos e serviços. Como não há a venda de bens tangíveis e tendo o atual marketing focado na troca de relações e de valores humanos, verifica-se uma facilidade natural para adaptar esse tipo de estratégia de marketing em unidades de informação. Com todo este contexto, o presente trabalho de conclusão de curso busca responder ao seguinte questionamento: Como o bibliotecário pode se atribuir da narrativa transmídia para o marketing na Biblioteca Universitária da Faculdade de Tecnologia Senac Florianópolis? Depois de uma pesquisa exploratória e bibliográfica, apresenta-se o desenvolvimento de uma ação de narrativa transmídia para a Biblioteca Universitária da instituição situada na região central de Florianópolis. Os principais autores referenciados neste trabalho não são da área da Biblioteconomia ou Ciência da Informação, pois não foram encontrados casos do uso da narrativa transmídia para desenvolvimento do marketing em bibliotecas. 5 Para esta ação, foi desenvolvido um plano de marketing fundamentado em autores especializados da área, mas com algumas adaptações necessárias quanto aos modelos propostos. Para responder à pergunta proposta neste trabalho, o objetivo principal foi desenvolver uma estratégia de marketing através da narrativa transmídia, pois 5 Há alguns exemplos semelhantes às práticas de narrativa transmídia, mas nenhum se atribuiu deste conceito ou de autores especialistas desta área (no caso de trabalhos científicos).

16 15 através de seu planejamento, aplicação e avaliação, é possível investigar se esta técnica é eficaz e eficiente para uma biblioteca. Especificamente, os objetivos deste trabalho são: a) testar a eficácia e eficiência da narrativa transmídia em biblioteca universitária; b) descrever a trajetória do bibliotecário na implementação e desenvolvimento da estratégia com base na experiência na Biblioteca Universitária do Senac; c) acrescentar à produção científica e às práticas nacionais do bibliotecário uma técnica diferenciada de marketing e d) apresentar redes sociais que podem ser usadas pelos bibliotecários como estrategistas em marketing. Em três capítulos pretende-se responder ao questionamento e analisar os objetivos. O primeiro dos capítulos remete à fundamentação teórica do que é marketing. Autores clássicos da área foram referenciados para poder entender o marketing como área do conhecimento, apresentando sua evolução desde como foi entendimento como tal até o atual marketing. Contextualizando para a Biblioteconomia, são apresentadas também neste capítulo algumas referências de como o marketing é trabalho em organizações que tem a informação como principal produto e os serviços advindos dela. No segundo capítulo, fundamenta-se redes sociais. Seus tipos, características e história, para que se possa entender melhor o fenômeno. Para finalizar a exposição das ideias, é apresentada no terceiro capítulo a forma como foi conduzida a estratégia de narrativa transmídia e o papel do bibliotecário nesta performance. O espaço e o plano de marketing são detalhados para se compreender a prática. A fim de avaliar como foi a ação, conclui-se com as percepções identificadas como resultados e alguns relatórios estatísticos. Nas considerações finais, algumas sugestões do que ainda pode ser feito na área da Biblioteconomia envolvendo as redes sociais e um enfoque quanto aos resultados deste trabalho.

17 16 2 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA Para entender como desenvolver uma narrativa transmídia em biblioteca universitária, faz-se necessário apresentar conceitos técnicos da área de marketing, com foco em bibliotecas, e assim entender melhor a aplicabilidade desta estratégia. 2.1 MARKETING A História mundial é marcada por diversos eventos que traçam novas formas de pensar, de viver e de planejar o futuro. A Revolução Industrial é um dos principais, essencialmente no que tange as questões envolvendo a economia e administração, já que a sociedade da época era voltada aos mercados e indústrias. Entretanto, a relação comercial entre as pessoas e produtos é uma prática muito mais antiga, com destaque ao sucesso pioneiro dos fenícios. Com o passar dos séculos, as necessidades de consumo foram mudando e as relações socioeconômicas se adaptando aos novos contextos. Os grandes eventos científicos e tecnológicos que marcam nossa História trouxeram rupturas e acréscimos às mais diversas vivências. Sabe-se que o marketing tem seu reconhecimento como prática e área do conhecimento a partir de 1900, mas é tão antigo quanto o próprio comércio que ao se desenvolver com as conjunturas econômicas fez do marketing uma prática mais independente (SANTOS et al., 2009, p. 91). Eventos históricos como o comércio marítimo, desenvolvimento monetário, invasão islâmica na Europa, desenvolvimento dos mercados oriental e americano, mercantilismo; bem como a influência de alguns pensadores como Tomás de Aquino e seu primeiro estudo a respeito das motivações de consumo (AMBLER, 2004 apud SANTOS et al., 2009, p. 92); fizeram do marketing uma atividade essencial para nossos dias. Conforme Ambler (2004, p. 2), o marketing está intimamente ligado ao comércio: Os mercadores não compravam e vendiam somente; eles desenvolviam relações de longo prazo, o que poderíamos chamar de equidade da marca atualmente. Eles podem não ter sido introspectivos sob seus métodos de

18 17 negociar, mas se não lucrassem de alguma forma e satisfizessem seus consumidores, o comércio poderia não ter sobrevivido. 6 Foi através das mudanças históricas que o marketing começou a se desvincular do comércio para se tornar uma área distinta, e assim como na História, marcada pelos seus eventos, o marketing também possui alguns marcos estratégicos, que o foram caracterizando como área do conhecimento. A linha do tempo abaixo nos mostra uma cronologia do marketing a nível mundial: Figura 1 Linha do tempo do marketing no mundo Fonte: SANTOS et al., 2009, p. 98. Percebe-se que somente a partir de 1900 o marketing se destaca como área do conhecimento. Na literatura, o período que antecede a esta data refere-se ao marketing de uma forma mais bruta, sem técnicas e métodos definidos A história e as definições de marketing Até tornar-se uma área do conhecimento, o marketing era praticado pela simples venda e troca de mercadorias. Foi se transformando junto às mudanças econômicas, sociais, tecnológicas e de produção, chegando ao ápice da mudança e consagração a partir da percepção do comerciante de que o consumidor era o autor essencial para qualquer negócio e que, portanto, merecia ser estudado. Este século de marketing como área do conhecimento, a partir de 1900, é dividido por Las Casas (2004), em três eras: 6 Tradução livre do inglês de: Merchants did not simply buy and sell; they developed long-term relationships and what we would now call brand equity. They may not have been introspective about their business methods but if they did not know how to satisfy customers while making a profit for themselves, commerce would not have survived.

19 18 - Era da Produção (fim da Revolução Industrial): a regra de ordem era a produção, pois a demanda era muito maior que a oferta. - Era de Vendas (1930): a demanda da era anterior foi suprida pela produção em série, mas os estoques ficaram atolados de mercadorias, o que acarretou em técnicas de vendas mais agressivas. - Era do Marketing (a partir de 1950): percebeu-se que vender por vender não era um bom negócio, mas manter o cliente, fidelizá-lo, era a garantia das vendas. O consumidor começou a ser estudado pelos comerciantes, a fim de descobrir seus desejos e necessidades e assim ter um trabalho e produção direcionados. As definições de marketing e alguns de seus elementos começaram a ser apresentados primeiramente pela escola Commodity, que: [...] era baseada na concepção econômica, emergiu no início de 1900, embora os primeiros artigos escritos datem da década de 20, continuando durante a década de 70 e início de 80. Focou nas transações de vendas e objetos, cuja perspectiva baseava-se na interação entre fornecedores e consumidores (MIRANDA; ARRUDA, 2004, p. 41). A maioria dos artigos publicados com esta linha de pensamento tratam de vendas e de canais de comunicação bem distribuídos. De forma mais prática, a segunda linha de pensamento, Funcional, apresenta formas de como vender, sua ênfase foi na identificação, listagem e classificação das funções de marketing necessárias para execução das transações de mercado (MIRANDA; ARRUDA, 2004, p. 42). Várias funções, classificações e métodos foram criados decorrentes desta forma de pensar até meados da década de 60. Com foco na economia e na relação entre os intermediários, deixando um pouco de lado os estudos voltados à mercadoria e funções de marketing, a escola Institucional foi a terceira linha de pensamento que trouxe várias publicações e estudos, começando na década de 1910 e finalizando na de Gerou vários conceitos sobre distribuição e das estruturas que envolvem as dinâmicas de relacionamento apresentadas pelo marketing (MIRANDA; ARRUDA, 2004, p. 43). Após a preocupação com a distribuição, a próxima escola de marketing foi a Regional, que teve estudos com enfoque na localização e na ligação entre vendedores e compradores.

20 19 Nesta escola podem-se inferir os primeiros estudos do que hoje se denomina geomarketing, pois a intenção era de verificar as influências entre os agentes de marketing em relação ao espaço geográfico de influência destes em relação aos consumidores (MARTINS et al., 2010, p. 196). Muito do que se publicava com esta linha de pensamento apresentava cálculos matemáticos, com pouco envolvimento social e interação com o consumidor; diferente do que poderíamos colocar em prática hoje, mesmo se comparando a um mero estudo geográfico. Voltada para o relacionamento, a próxima escola a surgir, na década de 30 e com publicação de textos até a década de 60, foi a Funcionalista. O cliente é visto como um ser único, com necessidades individuais, portanto, precisa de um relacionamento mais pessoal. [a escola] reconheceu o relacionamento interdependente entre os vendedores e os compradores, introduzindo a perspectiva interativa, acreditando no relacionamento interdependente (MIRANDA; ARRUDA, 2004, p. 44). Em meados dos anos 40, um marco histórico para toda a humanidade: a Segunda Guerra Mundial. Representou um importante e divisor de águas no formato de pensar. Tanto que ao seu final, tornou-se objeto de estudo de profissionais do marketing quanto às práticas de persuasão (ANDERSON, 1987 apud SANTOS et al., 2009, p. 95). Nesta década, a importância dada ao relacionamento interdependente entre vendedores e compradores, levantada pela escola anterior, continua a prevalecer, mas tornando agora as relações mais práticas e deixando a teoria somente como base, caracterizando assim a escola Administrativa. Desta escola, Miranda e Arruda (2004) destacam o surgimento de importantes conceitos para o marketing, como o mix de marketing desenvolvido por Neil Borden em 1950 e os quatro P s de autoria de Jerome McCarthy 7. Destaque também para a facilidade de comunicação, que foi observada pelos estudiosos desta época. A próxima escola do marketing volta-se ao poder de compra do consumidor, estudando seus comportamentos com aspectos sociais e demográficos e como isso influenciava nas práticas de mercado (MARTINS et al., 2010, p. 197). Com a escola do Comportamento do Consumidor já se pode perceber que os consumidores compreendiam que quem definia seus planejamentos de vendas e redirecionava as estratégias de marketing era o consumidor e o contexto que a sociedade vivenciava. 7 Mix de marketing e quatro P s serão conceitos trabalhados com mais detalhes adiante.

21 20 Foi uma década importante para o marketing, pois trouxe novas formas de pensar, com técnicas e métodos inovadores voltados tanto à cognição como à economia. Novas correntes de pesquisa começaram a emergir. Robinson, Faris e Wind (1967) focalizaram no comportamento do consumidor. Kotler (1975) enfocou nos serviços sociais públicos, como controle da população, educação, saúde, transporte e nutrição, resultado do interesse surgido da aplicação prática de marketing e conceito de organização sem fins lucrativos. Sheth e Sethi (1977) centraram-se em questões culturais, com grande intensificação nos anos 80 e 90. Sheth (1974) pesquisou a respeito da família influenciando o comportamento do consumidor, incluindo o comportamento entre marido e esposa (MIRANDA; ARRUDA, 2004, p. 46). Com tantas influências e o começo da atenção voltada a outros ramos que não o comércio, fazem desta escola uma das mais importantes e revolucionárias para o marketing. No início dos anos 60 e com algumas influências da escola Institucional, a oitava escola de marketing, da Dinâmica Organizacional, voltou seus estudos novamente para os canais de distribuição, mas com algumas diferenças baseadas nas perspectivas básicas de cada uma, conforme percebe-se de acordo com Miranda e Arruda (2004, p. 47): A escola Institucional utilizou fundamentos econômicos para analisar como o canal de distribuição pode ser estruturado mais eficientemente para o benefício do consumidor final. Ao contrário, a defesa da escola Dinâmica Organizacional moveu sua atenção para o bem estar do consumidor e necessidades dos membros dos canais de distribuição, como os fabricantes, atacadistas e varejistas. Novamente uma escola com uma percepção mais social do consumidor, não focada somente na comercialização. É um consumidor bem satisfeito que fará as trocas mercadológicas acontecerem, motivo pelo qual esta escola também gerou estudos sobre os relacionamentos entre as pessoas e o poder da negociação. A década de 1960 foi marcada por vários avanços no que se refere ao marketing. Uma série de conceitos, métodos e técnicas, bem como a definição mais concretizada de alguns termos como consumidor, atacado e varejo, foram se acumulando através das outras escolas de pensamento e irrompeu numa década marcada pelo que Santos et al. (2009) intitula de período da diferenciação. Este período teve a participação de três novas escolas: duas no início da década de 1960, Macromarketing e Sistêmica, e outra em meados da mesma década, Escola

O FOURSQUARE EM BIBLIOTECAS: UM DIFERENCIAL ESTRATÉGICO EM MARKETING. Jorge Prado

O FOURSQUARE EM BIBLIOTECAS: UM DIFERENCIAL ESTRATÉGICO EM MARKETING. Jorge Prado O FOURSQUARE EM BIBLIOTECAS: UM DIFERENCIAL ESTRATÉGICO EM MARKETING Jorge Prado Resumo: Apresenta o Foursquare como ferramenta que pode ser usada dentro de uma biblioteca e as funcionalidades que ela

Leia mais

POR QUE OFERECER UM ATENDIMENTO MULTICANAL?

POR QUE OFERECER UM ATENDIMENTO MULTICANAL? POR QUE OFERECER UM ATENDIMENTO MULTICANAL? Por que oferecer um atendimento multicanal? Este livro reúne em uma única fonte dicas para inovar na experiência com clientes, de um jeito simples e prático;

Leia mais

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex...

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... (/artigos /carreira/comopermanecercalmosob-pressao /89522/) Carreira Como permanecer calmo sob pressão (/artigos/carreira/como-permanecer-calmosob-pressao/89522/)

Leia mais

COMPOSTO DE MARKETING NA ABORDAGEM DAS UNIDADES DE INFORMAÇÃO

COMPOSTO DE MARKETING NA ABORDAGEM DAS UNIDADES DE INFORMAÇÃO COMPOSTO DE MARKETING NA ABORDAGEM DAS UNIDADES DE INFORMAÇÃO CALDAS, Rosângela Formentini Departamento de Ciência da Informação UNESP/Marília A definição de marketing ainda permanece enquanto uma discussão

Leia mais

A evolução do marketing no Brasil

A evolução do marketing no Brasil A evolução do marketing no Brasil Em agosto de 2004, a AMA (American Marketing Association) elaborou uma definição renovada para o termo marketing: "Marketing é uma função organizacional e uma série de

Leia mais

Eixo Tecnológico: DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL E SOCIAL

Eixo Tecnológico: DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL E SOCIAL Administração Central Unidade do Ensino Médio e Técnico GFAC Grupo de Formulação e Análises Curriculares Eixo Tecnológico: DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL E SOCIAL CAPÍTULO 3 PERFIL PROFISSIONAL DE CONCLUSÃO

Leia mais

Módulo 1. Introdução à Disciplina

Módulo 1. Introdução à Disciplina Módulo 1. Introdução à Disciplina Você conhece o Marketing ele está à sua volta em todos os locais. Você vê os resultados do Marketing na grande quantidade de produtos disponíveis no shopping center, nos

Leia mais

XVI SEMINÁRIO DE PESQUISA DO CCSA ISSN 1808-6381

XVI SEMINÁRIO DE PESQUISA DO CCSA ISSN 1808-6381 GESTÃO DE PESSOAS APLICADA ÀS UNIDADES DE INFORMAÇÃO 1 Mailza Paulino de Brito e Silva Souza 2 Sandra Pontual da Silva 3 Sara Sunaria Almeida da Silva Xavier 4 Orientadora: Profª M.Sc. Luciana Moreira

Leia mais

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes Unidade IV Marketing Profª. Daniela Menezes Comunicação (Promoção) Mais do que ter uma ideia e desenvolver um produto com qualidade superior é preciso comunicar a seus clientes que o produto e/ ou serviço

Leia mais

A confluência dos vídeos e a Internet

A confluência dos vídeos e a Internet WHITEPAPER A confluência dos vídeos e a Internet Por que sua empresa deveria investir em vídeos em 2013 e como a Construção Civil pode utilizar os vídeos como diferencial competitivo. 1 Saiba como os vídeos

Leia mais

MARKETING: UMA FERRAMENTA DA ADMINISTRAÇÃO APLICADA EM UMA ESCOLA DE INFORMÁTICA DE PEQUENO PORTE

MARKETING: UMA FERRAMENTA DA ADMINISTRAÇÃO APLICADA EM UMA ESCOLA DE INFORMÁTICA DE PEQUENO PORTE Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 118 MARKETING: UMA FERRAMENTA DA ADMINISTRAÇÃO APLICADA EM UMA ESCOLA DE INFORMÁTICA DE PEQUENO PORTE Diogo Xavier

Leia mais

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente A Importância do Marketing nos Serviços da Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente Hellen Souza¹ Universidade do Vale do Rio dos Sinos UNISINOS RESUMO Este artigo aborda a importância

Leia mais

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios UNIMEP MBA em Gestão e Negócios Módulo: Sistemas de Informações Gerenciais Aula 4 TI com foco nos Negócios: Áreas envolvidas (Parte II) Flávio I. Callegari www.flaviocallegari.pro.br O perfil do profissional

Leia mais

C.P.F. DOS ENVOLVIDOS: 105111179-06 085997089-29 093745209-23 KRIO. A integração entre a tecnologia e a comunicação para Jovens Aprendizes

C.P.F. DOS ENVOLVIDOS: 105111179-06 085997089-29 093745209-23 KRIO. A integração entre a tecnologia e a comunicação para Jovens Aprendizes C.P.F. DOS ENVOLVIDOS: 105111179-06 085997089-29 093745209-23 KRIO A integração entre a tecnologia e a comunicação para Jovens Aprendizes FLORIANÓPOLIS 2014 2 RESUMO: O projeto apresentado é resultado

Leia mais

Uma solução completa para sua estrátegia de SOCIAL MEDIA HELLO WORLD!

Uma solução completa para sua estrátegia de SOCIAL MEDIA HELLO WORLD! Uma solução completa para sua estrátegia de SOCIAL MEDIA HELLO WORLD! SocialSuite Rua Claudio Soares, 72-16 andar +55 11 3032 1982 São Paulo - SP Brasil Introdução Esse material foi desenvolvido pela equipe

Leia mais

COMÉRCIO ELETRÔNICO UM BREVE HISTÓRICO

COMÉRCIO ELETRÔNICO UM BREVE HISTÓRICO UM BREVE HISTÓRICO COMÉRCIO ELETRÔNICO O comércio sempre existiu desde que surgiram as sociedades. Ele é dito como o processo de comprar, vender e trocar produtos e serviços. Inicialmente praticado pelos

Leia mais

MBA EM GESTÃO COMERCIAL E INTELIGÊNCIA DE MERCADO

MBA EM GESTÃO COMERCIAL E INTELIGÊNCIA DE MERCADO MBA EM GESTÃO COMERCIAL E INTELIGÊNCIA DE MERCADO O programa irá desenvolver no aluno competências sobre planejamento e força de Vendas, bem como habilidades para liderar, trabalhar em equipe, negociar

Leia mais

Marketing de Conteúdo para iniciantes CONTENT STRATEGY

Marketing de Conteúdo para iniciantes CONTENT STRATEGY Marketing de Conteúdo para iniciantes CONTENT STRATEGY A Rock Content ajuda você a montar uma estratégia matadora de marketing de conteúdo para sua empresa. Nós possuimos uma rede de escritores altamente

Leia mais

Plano de Ação para Mídias Sociais: ebook para agências de turismo. Copyright 2015. Agente no Turismo Strategia Consultoria Turística Ltda.

Plano de Ação para Mídias Sociais: ebook para agências de turismo. Copyright 2015. Agente no Turismo Strategia Consultoria Turística Ltda. Plano de Ação para Mídias Sociais: ebook para agências de turismo Copyright 2015 Agente no Turismo Strategia Consultoria Turística Ltda. Todos os direitos reservados. Pode ser compartilhado com conteúdo,

Leia mais

1 Introdução. 1.1 A Nova Era Digital

1 Introdução. 1.1 A Nova Era Digital 11 1 Introdução Com o advento da nova era da internet, conhecida com web 2.0, e o avanço das tecnologias digitais, o consumidor passa a ter maior acesso à informação bem como à facilidade de expressar

Leia mais

Gestão de Negócios. Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING

Gestão de Negócios. Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING Gestão de Negócios Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING 3.1- CONCEITOS DE MARKETING Para a American Marketing Association: Marketing é uma função organizacional e um Marketing é uma função organizacional

Leia mais

SCHOOL CHEF S: ESCOLA DE CULINÁRIA DE PRATOS TÍPICOS LTDA.

SCHOOL CHEF S: ESCOLA DE CULINÁRIA DE PRATOS TÍPICOS LTDA. 93 SCHOOL CHEF S: ESCOLA DE CULINÁRIA DE PRATOS TÍPICOS LTDA. ¹Camila Silveira, ¹Giseli Lima ¹Silvana Massoni ²Amilto Müller RESUMO O presente artigo tem como objetivo apresentar os estudos realizados

Leia mais

Fase I - Contexto e Pesquisa - Alinhamento dos conceitos de Branding, análise do contexto atual e introdução ao Design Thinking.

Fase I - Contexto e Pesquisa - Alinhamento dos conceitos de Branding, análise do contexto atual e introdução ao Design Thinking. Os programas de Pós-Graduação oferecidos pela Faculdade de Tecnologia do Istituto Europeo di Design estão em conformidade legal e atendem as Resoluções CNE/CES nº 1, de 3 de abril de 2001 e nº 1, de 8

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE

ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE Módulo 2 CLIENTES: DEFINIÇÕES E ENTENDIMENTOS Objetivo: Ao final desse módulo, você estará capacitado a termos, como: cliente, comprador, cliente final, consumidor,

Leia mais

Especialização em Marketing Digital - NOVO

Especialização em Marketing Digital - NOVO Especialização em Marketing Digital - NOVO Apresentação Previsão de Início Agosto/2013 Inscrições em Breve - Turma 01 - Campus Stiep O ambiente de negócios tem sido modificado pelas Novas Tecnologias da

Leia mais

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida Unidade IV MERCADOLOGIA Profº. Roberto Almeida Conteúdo Aula 4: Marketing de Relacionamento A Evolução do Marketing E-marketing A Internet como ferramenta As novas regras de Mercado A Nova Era da Economia

Leia mais

NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES

NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES 1. Conectando a Empresa à Rede As empresas estão se tornando empresas conectadas em redes. A Internet e as redes de tipo Internet dentro da empresa (intranets), entre uma

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL (SIG) Conjunto integrado de pessoas, procedimentos, banco de dados e dispositivos que suprem os gerentes e os tomadores

Leia mais

7 dicas rápidas de marketing digital para você sair na frente! MARKETING DIGITAL

7 dicas rápidas de marketing digital para você sair na frente! MARKETING DIGITAL DICAS PARA DIVULGAR SUA EMPRESA E AUMENTAR AS VENDAS NO FIM DE ANO 7 dicas rápidas de marketing digital para você sair na frente! MARKETING DIGITAL Sumário Apresentação Capítulo 1 - Crie conteúdo de alta

Leia mais

Mídias sociais como apoio aos negócios B2C

Mídias sociais como apoio aos negócios B2C Mídias sociais como apoio aos negócios B2C A tecnologia e a informação caminham paralelas à globalização. No mercado atual é simples interagir, aproximar pessoas, expandir e aperfeiçoar os negócios dentro

Leia mais

Princípios e Conceitos de Marketing. Prof. Felipe A. Pires

Princípios e Conceitos de Marketing. Prof. Felipe A. Pires Princípios e Conceitos de Marketing Prof. Felipe A. Pires O que é Marketing? É a execução de um conjunto de atividades comerciais, tendo como objetivo final a troca de produtos ou serviços entre produtores

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 7 Planejamento Estratégico Planejamento de TI Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a

Leia mais

CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes

CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes Mais que implantação, o desafio é mudar a cultura da empresa para documentar todas as interações com o cliente e transformar essas informações em

Leia mais

A Comunicação Mercadológica como Fator de Vantagem Competitiva Empresarial 1

A Comunicação Mercadológica como Fator de Vantagem Competitiva Empresarial 1 A Comunicação Mercadológica como Fator de Vantagem Competitiva Empresarial 1 Tiago Miranda RIBEIRO 2 Kenney Alves LIBERATO 3 Thays Regina Rodrigues PINHO 4 PALAVRAS-CHAVE: comunicação; marketing; estratégia.

Leia mais

7 Passos Para a Criação de Uma Boa Loja Virtual. Índice

7 Passos Para a Criação de Uma Boa Loja Virtual. Índice 2 Índice Introdução... 3 Passo 1 Entender o que é Venda Online e E-commerce... 4 Passo 2 Entender o Mercado de Comércio Eletrônico... 5 Passo 3 Canais de Venda... 6 Passo 4 Como identificar uma Boa Plataforma

Leia mais

Rentabilidade em Food Service

Rentabilidade em Food Service Rentabilidade 6 passos para tornar sua franquia mais lucrativa Seja bem-vindo ao e-book da Linx. Aqui estão reunidos os principais caminhos para o aumento da rentabilidade em operações de fast food. São

Leia mais

O novo desafio das marcas: uma visão global dos hábitos dos clientes em dispositivos móveis e redes sociais

O novo desafio das marcas: uma visão global dos hábitos dos clientes em dispositivos móveis e redes sociais O novo desafio das marcas: uma visão global dos hábitos dos clientes em dispositivos móveis e redes sociais SDL Campaign Management & Analytics Introdução Prezado profissional de marketing, A ideia de

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ANTÔNIO TAVARES PEREIRA ROMILSON BARSANULFO DA SILVA

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ANTÔNIO TAVARES PEREIRA ROMILSON BARSANULFO DA SILVA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ANTÔNIO TAVARES PEREIRA ROMILSON BARSANULFO DA SILVA A IMPORTÂNCIA DAS REDES SOCIAIS PARA A COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL

Leia mais

E-books. Introdução às Mídias Sociais. Sebrae

E-books. Introdução às Mídias Sociais. Sebrae E-books Sebrae Marketing e Vendas Introdução às Mídias Sociais O que fazer com as mídias sociais Tipos de ações As principais mídias sociais Dicas e considerações finais Autor Felipe Orsoli 1 SUMÁRIO 1

Leia mais

MARKETING NA INTERNET

MARKETING NA INTERNET MARKETING NA INTERNET HUGO HOCH CONSULTOR DE MARKETING ER. BAURU SEBRAE-SP hugoh@sebraesp.com.br Marketing na Internet O que é? o Marketing na Internet, também referido como: i-marketing, web marketing,

Leia mais

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING Sumário Parte um Conceitos e tarefas da administração de marketing CAPITULO I MARKETING PARA 0 SÉCULO XXI A importância do marketing O escopo do marketing 0 que é marketing? Troca e transações A que se

Leia mais

Personalização na Internet Como Descobrir os Hábitos de Consumo de seus Usuários, Fidelizá-los e Aumentar o Lucro de seu Negócio

Personalização na Internet Como Descobrir os Hábitos de Consumo de seus Usuários, Fidelizá-los e Aumentar o Lucro de seu Negócio Personalização na Internet Como Descobrir os Hábitos de Consumo de seus Usuários, Fidelizá-los e Aumentar o Lucro de seu Negócio Roberto Torres Novatec Editora 23 Capítulo 1 O que é Personalização? Este

Leia mais

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes Unidade IV Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas Prof a. Daniela Menezes Tipos de Mercado Os mercados podem ser divididos em mercado de consumo e mercado organizacional. Mercado de consumo: o consumidor

Leia mais

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS SALVADOR 2012 1 CONTEXTUALIZAÇÃO Em 1999, a UNIJORGE iniciou suas atividades na cidade de Salvador, com a denominação de Faculdades Diplomata. O contexto

Leia mais

Sistemas de Informação Gerencial SUPPLY CHAIN MANAGEMENT

Sistemas de Informação Gerencial SUPPLY CHAIN MANAGEMENT CIÊNCIAS CONTÁBEIS e ADMINISTRAÇÃO Sistemas de Informação Gerencial SUPPLY CHAIN MANAGEMENT maio/2014 APRESENTAÇÃO Em um ambiente onde a mudança é a única certeza e o número de informações geradas é desmedido,

Leia mais

O QUE É AUTOMAÇÃO DE MARKETING?

O QUE É AUTOMAÇÃO DE MARKETING? O QUE É AUTOMAÇÃO DE MARKETING? AUTOMAÇÃO DE MARKETING AJUDA A Fechar mais negócios Atrair mais potenciais clientes Entregue mais clientes já qualificados para a equipe de vendas e feche mais negócios

Leia mais

www.startercomunicacao.com startercomunic@gmail.com

www.startercomunicacao.com startercomunic@gmail.com 7 DICAS IMPERDÍVEIS QUE TODO COACH DEVE SABER PARA CONQUISTAR MAIS CLIENTES www.startercomunicacao.com startercomunic@gmail.com As 7 dicas imperdíveis 1 2 3 Identificando seu público Abordagem adequada

Leia mais

A administração de marketing precisa de informações e dados confiáveis sobre quais importantes decisões estratégicas serão tomadas.

A administração de marketing precisa de informações e dados confiáveis sobre quais importantes decisões estratégicas serão tomadas. Administração Mercadológica Conceitos fundamentais de marketing No marketing existem conceitos a serem compreendidos para que as ações possam ser assertivas. A administração de marketing começa com a identificação

Leia mais

Módulo 4 CRM. [ Customer Relationship Management ]

Módulo 4 CRM. [ Customer Relationship Management ] Módulo 4 CRM [ Customer Relationship Management ] Sumário Introdução pág. 01 1. Definição 2. Por que usar o CRM?? 3. Cadastro pág. 02 pág. 02 pág. 02 4. Tipos de CRM CRM pág. 04 4.1 Operacional: Criação

Leia mais

Diogo Caixeta 6 PASSOS PARA CONSTRUIR UM NEGÓCIO DIGITAL DE SUCESSO! WWW.PALAVRASQUEVENDEM.COM WWW.CONVERSAODIGITAL.COM.BR

Diogo Caixeta 6 PASSOS PARA CONSTRUIR UM NEGÓCIO DIGITAL DE SUCESSO! WWW.PALAVRASQUEVENDEM.COM WWW.CONVERSAODIGITAL.COM.BR Diogo Caixeta 6 PASSOS PARA CONSTRUIR UM NEGÓCIO DIGITAL DE SUCESSO! WWW.PALAVRASQUEVENDEM.COM WWW.CONVERSAODIGITAL.COM.BR INTRODUÇÃO Você está cansado de falsas promessas uma atrás da outra, dizendo

Leia mais

Apostila. Comércio Eletrônico. e-commerce. Professor: Edson Almeida Junior. Comércio Eletrônico

Apostila. Comércio Eletrônico. e-commerce. Professor: Edson Almeida Junior. Comércio Eletrônico Apostila Comércio Eletrônico e-commerce Professor: Edson Almeida Junior Material compilado por Edson Almeida Junior Disponível em http://www.edsonalmeidajunior.com.br MSN: eajr@hotmail.com E-Mail: eajr@hotmail.com

Leia mais

O CRM e a TI como diferencial competitivo

O CRM e a TI como diferencial competitivo O CRM e a TI como diferencial competitivo Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Profº Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefetpr.br Profº Dr. Luciano Scandelari (UTFPR) luciano@cefetpr.br

Leia mais

PlusPixel Marketing Digital SOMOS MAIS SOCIAIS DO QUE NUNCA

PlusPixel Marketing Digital SOMOS MAIS SOCIAIS DO QUE NUNCA PlusPixel Marketing Digital SOMOS MAIS SOCIAIS DO QUE NUNCA Proposta de Marketing Digital Design inox Marketing de Resultados A PlusPixel vem oferecendo seus serviços desde o início da internet, isso nos

Leia mais

Fase I - Contexto e Pesquisa - Alinhamento dos conceitos de Branding, análise do contexto atual e introdução ao Design Thinking.

Fase I - Contexto e Pesquisa - Alinhamento dos conceitos de Branding, análise do contexto atual e introdução ao Design Thinking. Os programas de Pós-Graduação oferecidos pela Faculdade de Tecnologia do Istituto Europeo di Design estão em conformidade legal e atendem as Resoluções CNE/CES nº 1, de 3 de abril de 2001 e nº 1, de 8

Leia mais

Fase I - Contexto e Pesquisa - Alinhamento dos conceitos de Branding, análise do contexto atual e introdução ao Design Thinking.

Fase I - Contexto e Pesquisa - Alinhamento dos conceitos de Branding, análise do contexto atual e introdução ao Design Thinking. Os programas de Pós-Graduação oferecidos pela Faculdade de Tecnologia do Istituto Europeo di Design estão em conformidade legal e atendem as Resoluções CNE/CES nº 1, de 3 de abril de 2001 e nº 1, de 8

Leia mais

CONQUISTAR E MANTER CLIENTES

CONQUISTAR E MANTER CLIENTES 1 CONQUISTAR E MANTER CLIENTES Historicamente, o marketing se concentrou na atração de novos clientes. O pessoal de vendas era mais recompensado por achar um novo cliente do que por prestar muita atenção

Leia mais

SECOVI SIMPLIFICANDO O MARKETING SERVIÇOS

SECOVI SIMPLIFICANDO O MARKETING SERVIÇOS SECOVI SIMPLIFICANDO O MARKETING SERVIÇOS Marketing O que é para você? Como se faz? Quais os pontos chaves? Quais as maiores dificuldades? Marketing Vendas? Promoção? Publicidade? Marketing Simplificar

Leia mais

O MARKETING NA HISTÓRIA ECONÔMICA

O MARKETING NA HISTÓRIA ECONÔMICA Centro de Educação de Biguaçu Programa de Mestrado Acadêmico em Administração PMA Disciplina: Organizações e Mercados Professor: Dra. Maria José Barbosa de Souza ÊNIO PADILHA O MARKETING NA HISTÓRIA ECONÔMICA

Leia mais

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 1 2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Fundamentos da Vantagem Estratégica ou competitiva Os sistemas de informação devem ser vistos como algo mais do que um conjunto de tecnologias que apoiam

Leia mais

TÍTULO: MARKETING DIGITAL, ESTRATÉGIA FUNDAMENTAL PARA O CRESCIMENTO DAS EMPRESAS.

TÍTULO: MARKETING DIGITAL, ESTRATÉGIA FUNDAMENTAL PARA O CRESCIMENTO DAS EMPRESAS. Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: MARKETING DIGITAL, ESTRATÉGIA FUNDAMENTAL PARA O CRESCIMENTO DAS EMPRESAS. CATEGORIA: CONCLUÍDO

Leia mais

Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce).

Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce). Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce). A natureza global da tecnologia, a oportunidade de atingir

Leia mais

O que é comércio eletrônico?

O que é comércio eletrônico? COMÉRCIO ELETRÔNICO O que é comércio eletrônico? O comércio eletrônico ou e-commerce é a compra e venda de mercadorias ou serviços por meio da Internet, onde as chamadas Lojas Virtuais oferecem seus produtos

Leia mais

de sistemas para recuperação de informação em interfaces de bibliotecas online.

de sistemas para recuperação de informação em interfaces de bibliotecas online. 1 Introdução Na época atual, as certezas definitivas já deram sinais de cansaço e à medida que avança a tecnologia, a sociedade se reformula. O conhecimento estabelecido durante séculos antes confinados

Leia mais

Curso Marketing Político Digital Por Leandro Rehem Módulo III MULTICANAL. O que é Marketing Multicanal?

Curso Marketing Político Digital Por Leandro Rehem Módulo III MULTICANAL. O que é Marketing Multicanal? Curso Marketing Político Digital Por Leandro Rehem Módulo III MULTICANAL O que é Marketing Multicanal? Uma campanha MultiCanal integra email, SMS, torpedo de voz, sms, fax, chat online, formulários, por

Leia mais

O futuro do YouTube - VEJA.com

O futuro do YouTube - VEJA.com Entrevista O futuro do YouTube 29/08/2009 10:49 Por Leo Branco Nesta semana, Chad Hurley, de 32 anos, um dos criadores do YouTube, esteve no Brasil e falou a VEJA sobre o futuro do maior site de vídeos

Leia mais

Mídias Sociais. Fatos e Dicas para 2013. Esteja preparado para um ano digital, social e interativo

Mídias Sociais. Fatos e Dicas para 2013. Esteja preparado para um ano digital, social e interativo Mídias Sociais Fatos e Dicas para 2013 Esteja preparado para um ano digital, social e interativo NESTE E-BOOK VOCÊ VAI ENCONTRAR: 1 - Porque as mídias sociais crescem em tamanho e em importância para o

Leia mais

Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os

Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os melhores resultados. 2 ÍNDICE SOBRE O SIENGE INTRODUÇÃO 01

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO (AULA 04)

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO (AULA 04) Prof. Breno Leonardo Gomes de Menezes Araújo brenod123@gmail.com http://blog.brenoleonardo.com.br ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO (AULA 04) 1 CRM Sistema de Relacionamento com clientes, também

Leia mais

Unidade II. Unidade II

Unidade II. Unidade II Unidade II 6 PLANO DE NEGÓCIOS (PN): UMA VISÃO GERAL - O QUE É E PARA QUE SERVE? Plano de negócios (do inglês business plan), também chamado plano empresarial, é um documento que especifica, em linguagem

Leia mais

Tentar entender como usar melhor os diferentes canais.

Tentar entender como usar melhor os diferentes canais. The New Conversation: Taking Social Media from Talk to Action A Nova Conversação: Levando a Mídia Social da Conversa para a Ação By: Harvard Business Review A sabedoria convencional do marketing por muito

Leia mais

Marketing Prof. Raimundo Donizete de Camargo. Marketing de Serviços. Marketing de Serviços. Marketing de Serviços

Marketing Prof. Raimundo Donizete de Camargo. Marketing de Serviços. Marketing de Serviços. Marketing de Serviços Marketing Prof. Raimundo Donizete de Camargo Objetivos Definir ; Conhecer as diferenças básicas entre Produtos (Bens e Serviços); Analisar uma visão geral do Setor de Serviços; Conhecer o processo de Prestação

Leia mais

social media para bares, restaurantes e afins

social media para bares, restaurantes e afins BARTIPS social media para bares, restaurantes e afins O que buscamos? Divulgar seu estabelecimento para milhares de potenciais consumidores. Fazer você ser parte do dia-a-dia de seu cliente Ter suas novidades,

Leia mais

Item 2- Marketing. Atendimento

Item 2- Marketing. Atendimento Item 2- Marketing Atendimento Item 2- Marketing Atendimento Processo usado para determinar quais produtos ou serviços poderão interessar aos consumidores e qual a melhor estratégia a ser utilizada nas

Leia mais

A Logística de Cargas Fracionadas e Novas Configurações do Mercado de Varejo.

A Logística de Cargas Fracionadas e Novas Configurações do Mercado de Varejo. A Logística de Cargas Fracionadas e Novas Configurações do Mercado de Varejo. Cristian Carlos Vicari (UNIOESTE) viccari@certto.com.br Rua Engenharia, 450 Jd. Universitário C.E.P. 85.819-190 Cascavel Paraná

Leia mais

Os novos usos da tecnologia da informação na empresa

Os novos usos da tecnologia da informação na empresa Os novos usos da tecnologia da informação na empresa Internet promoveu: Transformação Novos padrões de funcionamento Novas formas de comercialização. O maior exemplo desta transformação é o E- Business

Leia mais

MARKETING EMPRESARIAL MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE

MARKETING EMPRESARIAL MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO E SUSTENTABILIDADE Marketing: uma introdução Introdução ao Marketing O que é Marketing Marketing é a área do conhecimento que engloba todas as atividades concernentes às relações

Leia mais

Social-Commerce IT CARLOS MASSA SIMPONE 70609178

Social-Commerce IT CARLOS MASSA SIMPONE 70609178 Social-Commerce IT CARLOS MASSA SIMPONE 70609178 INDICE INTRODUÇÃO DIFINIÇÃO COMO FUNCIONA AS ETAPAS HISTORIA RELACIONAMENTO PRATICAS REDES SOCIAS EXEMPLOS VANTAGEM INTRODUÇÃO Comumente pode se entender

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS 3ª Série Gestão em Marketing CST em Marketing A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensino-aprendizagem desenvolvido por meio de um conjunto de atividades

Leia mais

CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora

CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Prof Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefet.br Prof Dr. Antonio Carlos de Francisco (UTFPR) acfrancisco@pg.cefetpr.br

Leia mais

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Projeto Saber Contábil O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Alessandra Mercante Programa Apresentar a relação da Gestão de pessoas com as estratégias organizacionais,

Leia mais

Marketing Empresarial MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE

Marketing Empresarial MARCO ANTONIO LIMA GESTÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE Marketing Empresarial Capítulo 1 Marketing: uma introdução Introdução ao Marketing O que é Marketing Marketing é a área do conhecimento que engloba todas as atividades concernentes às relações de troca,

Leia mais

ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO COM O PÚBLICO INTERNO

ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO COM O PÚBLICO INTERNO 1 ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO COM O PÚBLICO INTERNO Por Regina Stela Almeida Dias Mendes NOVEMBRO 2004 UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA 2 ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO

Leia mais

Tema Nº 7 Gestão Comercial

Tema Nº 7 Gestão Comercial Tema Nº 7 Gestão Comercial Habilidades a Desenvolver: Identificar as diferenças entre marketing e vendas. Definir as ações de marketing a serem adotadas pela empresa. Estruturar os procedimentos comerciais

Leia mais

MBA Gestão de Mercados ementas 2015/2

MBA Gestão de Mercados ementas 2015/2 MBA Gestão de Mercados ementas 2015/2 Análise de Tendências e Inovação Estratégica Levar o aluno a compreender os conceitos e as ferramentas de inteligência preditiva e inovação estratégica. Analisar dentro

Leia mais

No mundo atual, globalizado e competitivo, as organizações têm buscado cada vez mais, meios de se destacar no mercado. Uma estratégia para o

No mundo atual, globalizado e competitivo, as organizações têm buscado cada vez mais, meios de se destacar no mercado. Uma estratégia para o DATABASE MARKETING No mundo atual, globalizado e competitivo, as organizações têm buscado cada vez mais, meios de se destacar no mercado. Uma estratégia para o empresário obter sucesso em seu negócio é

Leia mais

Thaísa Fortuni. 15 dicas de Mídias Sociais para Moda. Copyright 2015 - Todos os direitos reservados

Thaísa Fortuni. 15 dicas de Mídias Sociais para Moda. Copyright 2015 - Todos os direitos reservados Thaísa Fortuni Thaísa Fortuni 15 dicas de Mídias Sociais para Moda Copyright 2015 - Todos os direitos reservados Sobre Thaísa Fortuni Publicitária por formação, escritora e empreendora digital. Trabalha

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS - UNISINOS CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO CURSO DE RELAÇÕES PÚBLICAS. Daniela Valdez Rodrigues

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS - UNISINOS CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO CURSO DE RELAÇÕES PÚBLICAS. Daniela Valdez Rodrigues UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS - UNISINOS CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO CURSO DE RELAÇÕES PÚBLICAS Daniela Valdez Rodrigues A RELAÇÃO DO MARKETING DE RELACIONAMENTO COM RELAÇÕES PÚBLICAS São Leopoldo

Leia mais

Prof. Cláudio Conceitos e-commerce PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

Prof. Cláudio Conceitos e-commerce PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Cláudio Conceitos e-commerce PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Intranet e Extranet Rede privada baseada na mesma tecnologia utilizada na internet, sendo sua única diferença o objetivo por trás

Leia mais

NO NEGÓCIO SAC TEXTO DE JULIANA KLEIN

NO NEGÓCIO SAC TEXTO DE JULIANA KLEIN NO NEGÓCIO SAC TEXTO DE JULIANA KLEIN 50 A ALMA DO NEGÓCIO Serviço de SAC eficiente é o que todos os clientes esperam e é no que todas as empresas deveriam investir. Especialistas afirmam: essa deve ser

Leia mais

MARKETING DESENVOLVIMENTO HUMANO

MARKETING DESENVOLVIMENTO HUMANO MRKETING DESENVOLVIMENTO HUMNO MRKETING rte de conquistar e manter clientes. DESENVOLVIMENTO HUMNO É a ciência e a arte de conquistar e manter clientes e desenvolver relacionamentos lucrativos entre eles.

Leia mais

UNIÃO DE ENSINO SUPERIOR DE CAMPINA GRANDE FACULDADE DE CAMPINA GRANDE-FAC-CG

UNIÃO DE ENSINO SUPERIOR DE CAMPINA GRANDE FACULDADE DE CAMPINA GRANDE-FAC-CG UNIÃO DE ENSINO SUPERIOR DE CAMPINA GRANDE FACULDADE DE CAMPINA GRANDE-FAC-CG CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING MÓDULO I 304101 FUNDAMENTOS DE MARKETING Fundamentos do Marketing. Processo de Marketing.

Leia mais

COMO CONQUISTAR CLIENTES COM APLICATIVOS PARA CELULAR

COMO CONQUISTAR CLIENTES COM APLICATIVOS PARA CELULAR COMO CONQUISTAR CLIENTES COM APLICATIVOS PARA CELULAR CONTEÚDO 1 2 3 4 5 6 Por que as empresas precisam estar conectadas ao mundo mobile Como os aplicativos mobile podem atrair mais clientes. Como os aplicativos

Leia mais

TÍTULO: A IMPORTÂNCIA DO MARKETING DE VENDAS PARA MELHORAR O DESEMPENHO DA EQUIPE DE VENDAS

TÍTULO: A IMPORTÂNCIA DO MARKETING DE VENDAS PARA MELHORAR O DESEMPENHO DA EQUIPE DE VENDAS Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: A IMPORTÂNCIA DO MARKETING DE VENDAS PARA MELHORAR O DESEMPENHO DA EQUIPE DE VENDAS CATEGORIA:

Leia mais

Curso de Graduação em Administração. Administração da Produção e Operações I

Curso de Graduação em Administração. Administração da Produção e Operações I Curso de Graduação em Administração Administração da Produção e Operações I 3º Encontro - 24/02/2012 18:50 às 20:30h 02 Matar um elefante é fácil. Difícil é remover o cadáver. (Mikhail Gorbachev Estadista

Leia mais

Inteligência para ESTRATÉGIA DIGITAL

Inteligência para ESTRATÉGIA DIGITAL Inteligência para ESTRATÉGIA DIGITAL INTRODUÇÃO Já imaginou ter acesso a dados e estatísticas do website do concorrente? Com alguns aplicativos e ferramentas, isso já é possível. Com ajuda deles, você

Leia mais

FTAD FORMAÇÃO TÉCNICA EM ADMINISTRAÇÃO MÓDULO DE MARKETING. Professor: Arlindo Neto

FTAD FORMAÇÃO TÉCNICA EM ADMINISTRAÇÃO MÓDULO DE MARKETING. Professor: Arlindo Neto FTAD FORMAÇÃO TÉCNICA EM ADMINISTRAÇÃO MÓDULO DE MARKETING Professor: Arlindo Neto Competências a serem trabalhadas GESTÃO DE MARKETING PUBLICIDADE E PROPAGANDA GESTÃO COMERCIAL FTAD FORMAÇÃO TÉCNICA EM

Leia mais

O que as empresas e o marketing não podem perder de vista em 2016

O que as empresas e o marketing não podem perder de vista em 2016 O que as empresas e o marketing não podem perder de vista em 2016 ARTIGO DE OPINIÃO COM: LUÍS RASQUILHA CEO INOVA CONSULTING E INOVA BUSINESS SCHOOL http://www.buzzmedia.pt/2015/12/15/o-que-as-empresas-e-o-marketing-nao-podem-perder-de-vistaem-2016/?eg_sub=24bc6d7c65&eg_cam=34536c4d593d0e914fa739d7ee75abb6&eg_list=30

Leia mais

A APLICAÇÃO DE CONCEITOS DE MARKETING DIGITAL AO WEBSITE INSTITUCIONAL

A APLICAÇÃO DE CONCEITOS DE MARKETING DIGITAL AO WEBSITE INSTITUCIONAL A APLICAÇÃO DE CONCEITOS DE MARKETING DIGITAL AO WEBSITE INSTITUCIONAL Victor Nassar 1 O advento da internet e o consequente aumento da participação do consumidor nos websites, representou uma transformação

Leia mais

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING CONSULTOR CARLOS MARTINS CRIA - AÇAO EM MARKETING SUA EMPRESA Copyright Consultor Carlos Martins - Todos os direitos reservados wwwcarlosmartinscombr - consultor@carlosmartinscombr Como conquistar Clientes

Leia mais