Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia"

Transcrição

1 Curso Tologi Mtril ompilo por José Joquim Gonçlvs Fri Assssori Milton Vill Doutrin Cristã Ar Do io

2 PG. io. DOUTRINA CRISTÃ ACERCA o 03 INTRODUÇÃO. 03 I, A FONTE DE INFORMAÇÕES SOBRE o io. 04 II, A REALIDADE DA EXISTÊNCIA o io. 05 III, A NATUREZA o io. 05 III, 1, O io, É UMA PESSOA. 06 III, 1, A, O io, E O SEU PODER DE PENSAR. 06 III, 1, B, O io, E O SEU PODER DE SENTIR. 06 III, 1, C, O io, E O SEU PODER DE QUERER. 06 III, 1, D, O io, E O SEU PODER DE CONSCIÊNCIA PRÓPRIA. 06 III, 1, E, O io, E O SEU PODER DE DIREÇÃO PRÓPRIA. 07 III, 2, O io, É UM ESPÍRITO, PORÉM, DECAÍDO E IMUNDO. 07 IV, NOMES o io. 08 IV, 1, io stnás. 09 V, ENDEREÇOS o io. 09 V, 1, O ENDEREÇO o io, ANTES DE SER io. 10 V, 2, O ENDEREÇO o io, APÓS A SUA REBELIÃO, ATÉ O MILÊNIO DE PAZ MUNDIAL. 11 V, 3, O ENDEREÇO o io, DURANTE O MILÊNIO DE PAZ MUNDIAL, MANTIDA POR JESUS CRISTO. 11 V, 4, O ENDEREÇO o io, APÓS O MILÊNIO DE PAZ MUNDIAL, E ANTES DA CONSUMAÇÃO DE TODOS OS ACONTECIMENTOS ESCATOLÓGICOS DA HISTÓRIA HUMANA. 12 V, 5, O ENDEREÇO o io, APÓS A CONSUMAÇÃO DE TODOS OS ACONTECIMENTOS ESCATOLÓGICOS. 12 VI, o us DESTE SÉCULO. 14 VII, O EXÉRCITO o io. 14 VIII, O io E SEUS MINISTROS. 15 IX, O PODER o io. 16 X, OS FILHOS o io. 16 XI, AS OBRAS o io. 17 XII, AÇÃO DIRETA o io, CONTRA OS HOMENS. 18 XII, 1, A OPRESSÃO ióli. 19 XII, 2, A TENTAÇÃO ióli. 21 XII, 3, A OBSESSÃO ióli. 23 XII, 4, A POSSESSÃO ióli, ou moní. 23 XII, 4, A, O CRENTE E A POSSESSÃO ióli. 24 XII, 4, B, A EXPULSÃO DE mônios. 26 XII, 5, PRODÍGIOS ENGANADORES. 26 XII, 6, A FEITIÇARIA. 28 XII, 6, A, MILAGRES LIGADOS AO USO DE OBJETOS, NA BÍBLIA SAGRADA. 35 XII, 7, A IDOLATRIA. 35 XII, 8, A BUSCA DE PACTUANTES. 36 XII, 9, OUTRAS FORMAS o io DOMINAR O SER HUMANO. 36 XIII, O CRISTÃO E o io. 39 XIII, 1, O CRENTE E A EXALTAÇÃO o io. 40 XIII, 2, O CRENTE PODE SERVIR o io? 42 XIII, 3, DEVERÁ O CRENTE AMALDIÇOAR o io? 46 XIV, O TRABALHO MALÉFICO o io, DENTRO DAS IGREJAS DE JESUS CRISTO. 47 XV, O FINAL o io. 47 XV, 1, O INFERNO. 49 CONCLUSÃO. 50 BIBLIOGRAFIA. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 2

3 DOUTRINA CRISTÃ ACERCA o io. INTRODUÇÃO. Po lguém hr qu o stuo outrinário sor o io, não sj importnt pr o rnt m JESUS CRISTO. Porém, s lguém tm st opinião, é só stur DOUTRINA CRISTÃ r o io pr onluir qu tl stuo o jurá, muito, n sl vi CRISTÃ. Smos, om solut rtz, qu o io, lém sr o inimigo númro um DEUS, tmém é o mior inimigo o sr humno, porém, um moo too spil, o slvo por JESUS CRISTO. Assim sno, tmos não só nssi ms origtori onhr o nosso mior inimigo, qul sj, o io, pr qu, trvés o nosso onhimnto r l, o possmos vnr, st form, honrrmos glorifirmos DEUS. Estuno, sor st nfsto prsongm, priniplmnt, sor sus rtimnhs tivis strmos, omo um solo ou xérito, onhor s posiçõs, strtégis rms o inimigo, intnsmnt, munios om muito mis possiilis vitóri, sor l. Estumos sm rio, já qu tuo o qu qui é trto é BÍBLICO om to rtz ooprrá, muito, pr rsimnto spiritul. I, A FONTE DE INFORMAÇÕES SOBRE o io. Pr iniirmos o stuo sor tão tétri prsonli, é nssário qu simos on onsguir informs totlmnt onfiávis sor o io. Po, à primir vist, prr um ontrsnso, ntrtnto, não há outr form nos intirrmos orrtmnt sor psso José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 3

4 o io, não sr n BÍBLIA SAGRADA. Nl, ispomos, too o mtril nssário sor o mior inimigo DEUS os homns. D n intri, usr informçõs m outr litrtur, ou m lgum outro lol, nm msmo, m sus sguiors, visto qu, pr sgrç su, stão prsos à su vont, 2ªTim 2:2326. Dst form, sm qu o sim, têm informçõs rrs ou istoris sor o io, por isso, sus informçõs, não são igns réito. O qu pomos onsguir os sus sguiors é onfirmr om xtião os nsinmntos BÍBLIA SAGRADA sor tão nfst prsonli, trvés sus nsinmntos sus prátis, s quis, são ontráris os nsinmntos PALAVRA DE DEUS. Prourmos, portnto, nos intirr r o qu BÍBLIA SAGRADA nos nsin sor o io, pr prnrmos lir om l, m omo nos fnrmos o msmo. II, A REALIDADE DA EXISTÊNCIA o io. O io é um sr rl ou sj é um sr qu xist. S o io não xistiss, BÍBLIA SAGRADA, não fri tnts rfrênis à su psso. Vjmos lgums. Mt 4:111, 13:3839, 25:41; Lu 4:113; João 8:44, 13:2; At 10:38, 13:10; Ef 4:27, 6:11; 1ªTim 3:67; 2ªTim 2:26; H 2:14; Tigo 4:7; 1ªP 5:8; 1ªJoão 3:8, 10; Ju 9; Apo 12:9, 20:2, 10. Além onhio omo io, tmém é onhio omo stnás. A sguir, lgums pssgns BÍBLICAS m qu o io é hmo por stnás. 1ºCrô 21:1; Jó 1:12; Sl 109:6; Z 3:2; Mt 4:10; At 5:3; 1ªCor 7:5; 1ªTim 5:15; Apo 20:2. III, A NATUREZA o io. O io é um sr nglil, ou sj; é um njo, 2ªCor 11:14; José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 4

5 Ef 6:1112; 2ªP 2:4; Ju 6. Ao sr rio por DEUS, foi rio, omo quruim, Ez 28:1119 (14,16). Porém é um njo ío, isto é, um njo qu iu, ou pru su mgnifiêni, m virtu su soiêni DEUS, Ez 28:1119 (1519). O io é, por isso, um njo (r quruim) qu sou DEUS, tornnos su vrsário, ou sj, ontr DEUS ou ANTI- DEUS, st form, DEUS o pripitou, onno pr too o smpr, Ez 28:1619. Est grção o io ontu, porqu DEUS não á su glóri qum qur qu sj, Is 42:8, 48:11. III, 1, O io, É UMA PESSOA. O qu rtriz um psso não é, omo pom pnsr lguns, um orpo, omo o orpo o sr humno. Um psso possui três rtrístis ssniis, quis sjm. 01, INTELIGÊNCIA. 02, AFEIÇÃO. 03, VONTADE. Ests três rtrístis onstitutivs um sr pssol lh ão lguns pors, os quis listmos sguir: A, PODER DE PENSAR. B, PODER DE SENTIR. C, PODER DE QUERER. D, PODER DE CONSCIÊNCIA PRÓPRIA, OU O PODER DE PENSAR EM SI MESMO. E, PODER DE DIRIGIRSE A SI MESMO. Confirmmos, à luz BÍBLIA, toos sts pors os quis o io é possuior, tnto qunto qulqur psso. III, 1, A, O io, E O SEU PODER DE PENSAR. Só qum pns, ou rioin, po, ntr outrs oiss, ilogr mntir: 01, Em Jó 1:612, 2:16, o io (stnás) ilog om DEUS. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 5

6 02, Em João 8:44, JESUS CRISTO, iz qu o io é mntiroso pi mntir. III, 1, B, O io, E O SEU PODER DE SENTIR. Só qum snt, po sntir: 01, Orgulho, Is 14: , Instisfção, Mt 12: , Dsjo, João 8:44. III, 1, C, O io, E O SEU PODER DE QUERER. Só qum tm o por qurr, po lirr: 01, Sor o qu frá, Is 14: , Sor on irá, Lu 11:2426. III, 1, D, O io, E O SEU PODER DE CONSCIÊNCIA PRÓPRIA. Só qum tm onsiêni própri, po rfrirs si msmo: 01, Eu suiri o Céu, Is 14: , Eu tornri pr minh s, Lu 11:2426. III, 1, E, O io, E O SEU PODER DE DIREÇÃO PRÓPRIA. Só qum tm o por irigirs si msmo, po ir on sj: 01, Então vi, Lu 11: , An m rror lguém, 1ªP 5:8. Conluímos, portnto, qu o io é um prsonli pssol, ou sj, é um psso, pois é tntor toos sts pors. Por isto DEUS onvrs om o io, trtnoo, sm nnhum sutrfúgio, omo um sr pssol, Jó 1:712, 2:17. III, 2, O io, É UM ESPÍRITO, PORÉM, DECAÍDO E IMUNDO. Já vimos no iníio st pítulo, qu o io é um njo, ou sj, um sr nglil spiritul. Ao sr rio por DEUS, o io r um sr spiritul nglil (QUERUBIM) prfito m toos os sptos, Ez 28:1219 (1215). José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 6

7 Porém, omo já vimos, s o momnto su qu, om onsqünt onnção grção, o qu for QUERUBIM prfito, ixou o sr plo PODER, GLÓRIA, MAJESTADE E JUSTIÇA DE DEUS, Ez 28:1119 (1619). Entrtnto, psr ío, ontinuou sno um sr spiritul, omo nts o r. Porém, pós su qu, já qu o io é o prínip (prinipl) os mônios Mt 9:34, 12:24; Mr 3:22; Lu 11:15, Dus o fz spírito imuno, Mt 12:43; Mr 5:2; Lu 4:33. Após su onnção, é qu pssou sr io, nom qu signifi, usor, lunior. Est su triuto usor po, muito m, sr visto m Jó 1:911, 2:45. Portnto o surgimnto o io, omo spírito ío imuno, ontu, pns tãosomnt, pós su soiêni DEUS, om su onsqünt onnção. Assim sno, DEUS não riou o io pr s lh opor, trnsformou, isto sim, um quruim qu s lh opôs num spírito imuno, rroto onno pr too o smpr. IV, NOMES o io. O io, é onhio por vários noms. Muitos ls são xtríos ultur populr, vjmos lguns sts: Arrngo, içuo, o, osujo, fuçu, fut, mito, nht, nhoto, ão, pt, piroto, oisruim, ujo, mo, inho, xomungo, fut, glh, lrgo, mfrrio, mlito, mlvo, mofino, nãosiquig, prootlho, poro, ruo, srnnto, sujo, tinhoso, zrplho, t., t., t. Ests são, prt os sus noms, onhios pns no Brsil. Por quntos mis, não srá onhio no muno intiro? Entrtnto, os mis importnts, são os noms qu BÍBLIA SAGRADA lh á. Vjmos: José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 7

8 01, om, Apo 9:11. 02, poliom, Apo 9:11. 03, lzu, Mt 12:24; Mr 3:22; Lu 11:15. 04, us st séulo, 2ªCor 4:4. 05, io, Mt 4:111, 25:41; Lu 4:113, 8:12; João 8:44, t. 06, rgão, Apo 12:9, 13:2, 20:2. 07, homii, João 8:44. 08, pi mntir, João 8:44. 09, prínip s potsts o r, Ef 2:2. 10, prínip st muno, João 14:30. 11, prínip os mônios, Mt 9:34; Mr 3:22; Lu 11:15. 12, stnás, Jó 1:612, 2:17; Z 3:12; Mt 4:10, 12:26, t. 13, srpnt, 2ªCor 11:3; Apo 12:9, 20:2. IV, 1, io stnás. io stnás, são ois títulos, ou ois triutos msm psso, Apo 12:9. io, vm o grgo iolos, signifi; lunior. stnás, vm o hru stn, signifi; vrsário. V, ENDEREÇOS o io. A iéi, orrnt, qu rsiêni tul fix o io é o infrno, on tm, omo qu, su qurtl gnrl on omn s sus hosts mligns, stá stituí funmnto BÍBLICO, visto qu à luz BÍBLIA SAGRADA o io só srá oloo li, pr lá jmis sir, quno to or DEUS stivr onluí, n históri vi o sr humno. Os nrços o io, pom sr ontos m plo mnos, ino José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 8

9 tps, quis sjm: 1, ANTES DE SER DIABO; OU SEJA, DESDE SUA CRIAÇÃO ATÉ A SUA REBELIÃO. 2, APÓS A SUA REBELIÃO, ATÉ O MILÊNIO DE PAZ MUNDIAL. 3, DURANTE O MILÊNIO DE PAZ MUNDIAL, MANTIDA POR JESUS CRISTO. 4, APÓS O MILÊNIO DE PAZ E ANTES DA CONSUMAÇÃO DE TODOS OS ACONTECIMENTOS ESCATOLÓGICOS DA HISTÓRIA HUMANA. 5, APÓS A CONSUMAÇÃO DE TODOS OS ACONTECIMENTOS ESCATOLÓGICOS. Vjmos, um sts tps, om sus rsptivos nrços. V, 1, O ENDEREÇO o io, ANTES DE SER io. Ds su rição té su rlião, o sr qu gor é o io, ms qu in não o r, tinh su lugr tução, ou nrço, num lugr too spil, é o qu pomos vr m Ez 28:1115. Nst pssgm, lmntção irt é ontr o ri Tiro, porém st, jmis stv no Én, o jrim DEUS, í ntnrmos qu st pssgm BÍBLICA, inuitvlmnt, s rfr o io. Portnto, o nrço o io, nts su rlião ontr DEUS r o Én, jrim DEUS. Ez 28:13 fl qu stv no Én, jrim Dus. Ez 2814 fl qu stv no mont snto DEUS, qu no mio s prs fogus nv. Pl srição o ÉDEN Ezquil, onsttmos, qu r um ÉDEN onstituío prs prioss ouro, o psso qu o ÉDEN Aão Ev, r um ÉDEN on sorssí o rino vgtl. A tntção Aão Ev, ontu nst sguno ÉDEN, Gên 3:124. Não tri o io fito st visit à su ntig s (já um tnto qunto moifi prpr pr rr o sr humno) pr tntr stronr o homm, o lol qu nts lh srvir José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 9

10 s? V, 2, O ENDEREÇO o io, APÓS A SUA REBELIÃO, ATÉ O MILÊNIO DE PAZ MUNDIAL. O nrço mis omum, ou o lol on, n BÍBLIA SAGRADA, o nontrmos mis m viêni, urnt st príoo, é tmosfr, Ef 2:12. Em Ef 6:1112 vmos qu tu no lugrs lstiis. N xplição práol o smor, JESUS CRISTO s rfr às vs o éu, omo sno o mligno, Mt 13:123 (4, 19) o próprio stnás m Mr 4:120 (4, 15). Comprmos, Apo 12:79, om 1ªTss 4:1617. O primiro txto nos fl um tlh m qu Migul os sus njos tlhvm no éu ontr o rgão (io) sus njos. Toos os vrsários MIGUEL sus njos, ou sj, o io sus njos, form pripitos n Trr, Apo 12:79. O sguno txto, nos nsin qu, o SENHOR JESUS CRISTO virá usr su IGREJA, quno, rssusitrá os rnts mortos rrtrá os rnts vivos, juntrá toos ns nuvns, ou sj nos rs, pr strmos pr smpr om o SENHOR, 1ªTss 4:1617. Não stri Migul os sus njos limpno os rs, pr rr glorios IGREJA o SENHOR E SALVADOR JESUS CRISTO? Não firi st form, Trr, livr pr mior lirção o por s trvs, quno grn triulção, Apo 7:14, ou grn flição? Mt 24:125:46 (24:21). S olhrmos tntmnt, pr Gên 1:131, qus tuo o qu foi rio, PALAVRA DE DEUS nos iz: viu DEUS qu r om, Vs 4, 10, 12, 18, 21, 25. É m vr qu no Vrsíulo 31 há um osrvção, um tnto qunto, mis omplt, DEUS viu tuo qunto tinh fito, is qu r muito om. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 10

11 Porém, quno rição xpnsão ntr s águs ixo s im, BÍBLIA não fz msm lrção, Vs 68. Com st omissão, não stri DEUS lmrno (ntipmnt) os tmpos futuros, nos quis, o io imprri nos rs? Ef 6:12. Ain qu o nrço mis omum o io, sj tmosfr, pomos vr qu l tmém trlh n Trr. Limos, os ois iálogos ntr DEUS o io, rltos no livro Jó. PRIMEIRO DIÁLOGO, Jó 1:612 (7). SEGUNDO DIÁLOGO, Jó 2:17 (2). D primir pssgm, stmos o vrsíulo 7 sgun, o vrsíulo 2, os quis nrrm qu stnás rsponu DEUS smlhntmnt; D ror Trr pssr por l. Além isto, BÍBLIA SAGRADA iz qu too o muno stá no mligno, 1ªJoão 5:19, s m qu, too o muno, qui, s rfr mis os inréulos o qu à Trr, proprimnt it. V, 3, O ENDEREÇO o io, DURANTE O MILÊNIO DE PAZ MUNDIAL, MANTIDA POR JESUS CRISTO. Durnt o milênio pz munil, o io, strá prso no ismo, sm qu tnh lgum possiili, nm msmo mis rmot, prturr qum qur qu sj, Apo 20:13. V, 4, O ENDEREÇO o io, APÓS O MILÊNIO DE PAZ MUNDIAL, E ANTES DA CONSUMAÇÃO DE TODOS OS ACONTECIMENTOS ESCATOLÓGICOS DA HISTÓRIA HUMANA. Est srá um urto príoo no qul o io srá solto, por um pouo tmpo, pr tntr ngnr tos s nçõs Trr. Estrá, portnto, n Trr urnt um urto spço tmpo, tntno ngnr tos os povos Trr, pr os juntr m tlh ontr o povo Dus, Apo 20:710. V, 5, O ENDEREÇO o io, APÓS A CONSUMAÇÃO DE TODOS OS ACONTECIMENTOS ESCATOLÓGICOS. Após toos os ontimntos stológios, BÍBLIA SAGRADA, José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 11

12 nos iz: E o io qu os ngnv, foi lnço no lgo fogo nxofr, on stá st o flso proft; i noit srão tormntos pr too o smpr, Apo 20:10. Ali prmnrá, portnto, pr too o smpr, pr jmis, m hipóts lgum, lá tr prmissão pr sir, nm squr por um momnto. Tl prmnêni no lgo fogo nxofr, srá ompnh stigo sofrimnto intrminávl, ou sj, trno. Ests são, plo mnos, s ino tps ou nrços o io, o longo su xistêni, s su rição, té, por to trni. VI, o us DESTE SÉCULO. Est título, uo o póstolo Pulo, m 2ªCor 4:4, Nos quis o us st séulo gou os ntnimntos os inréulos, pr qu não lhs rsplnç LUZ DO EVANGELHO DA GLÓRIA DE CRISTO, qu é imgm DEUS. Nst txto, plvr séulo, não signifi o spço m nos, porém é sinônimo rligiosi os homns, o longo o tmpo. Como us st séulo su mior sjo é sr oro, isto, m onsqüêni julgrs rnio pr tnto. Su sjo sr smlhnt o ALTÍSSIMO, Is 14:1215, não r outr ois, snão um ostinção rr ulto omo DEUS ri tos s lgiõs ngliis. Pouo pois, m prt, ou onsguino, porém, pns os njos qu o sguirm m su rli ontr DEUS. Ez 28:1119, fl sor su onnção m Apo 12:34, pomos ntnr qu, quno su rlião ontr DEUS, lvou trç prt os njos pós si. Ao ngnr Aão Ev su sjo r rr orção. Os povos sonhors PALAVRA DE DEUS orvm in orm uss, porém, omo nos iz o Sl 96:5, tis uss rm ontinum sno íolos. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 12

13 Por isso, qum os or ou lhs prst ulto é prtint ioltri, ou sj é ióltr. O povo lito (Isrl), psr onhr PALAVRA DE DEUS s onstnts vrtênis, inflizmnt, tmém ultuou o io, trvés ioltri, Dut 32:17; 2ºRis 17:720; 2ºCrô 11:15. O io, por su trvimnto, sjou, intntou, rr orção, té o próprio SENHOR JESUS CRISTO, Mt 4:810; Lu 4:58. O io, inflizmnt, g té msmo no mio o povo DEUS, Mt 13:2430. Muits pssos vno o qu JESUS CRISTO fzi rim nl, porém JESUS não onfiv nls, porqu si o qu tinhm m su orção qum prtnim, João 2:2325. O io tri orors, trvés promoção sptáulos trnts, mrvilhosos proigiosos, 2ªTss 2:9. O io, pr sr oro, us o rtifíio o ngno, o qul é muito fort pois tm o por, té, trnsformrs m njo luz, 2ªCor 11:1315 (14). Porém, JESUS CRISTO nos lrt lrmnt, sor s rtimnhs o io, s quis são, rlmnt, muito forts pr psso mnos vis, Mt 24:45, 24. VII, O EXÉRCITO o io. A or mlign o io é, inflizmnt, muito xtns, ntrtnto, msm, não é rliz somnt por l. Pr rlizção to su nfst or, o io vls um numroso xérito njos (os mônios), toos sus sguiors. Por isso, BÍBLIA SAGRADA, ronh o io, omo lzu o prínip os mônios, Mt 9:34, 12:2428; Mr 3:2226; Lu 11: Tl xérito iólio, é onfirmo ns próxims pssgns BÍBLICAS, Mt 12:4345; Mr 5:120 (9), 9:29; Lu 8:30; Apo 12:7. Sguno rt Pulo os Efésios 6:1112, há um hirrqui José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 13

14 ióli, ou, moní no tnroso rino s trvs, ompost, por: 01, PRINCIPADOS. 02, POTESTADES. 03, PRÍNCIPES DAS TREVAS DESTE SÉCULO. 04, HOSTES ESPIRITUAIS DA MALDADE NOS LUGARES CELESTIAIS. VIII, O io E SEUS MINISTROS. Em 2ªCor 11:1315, Pulo srv lr rtmnt sor xistêni os ministros o io (stnás). É m vr, qu o io tm um norm xérito ministros lros, oloos inorporos, m trmins rligiõs sus sits rligioss, os quis, rtmnt, sm nnhum sutrfúgio, l votm orção. Entrtnto, sts não são os mis prigosos, visto qu imns miori s pssos, por vrsão, fog tis tipos orção, já qu, os msmos, lrmnt, orm o io. Por isso, onsintmnt, muito pous pssos o mitm m sus vis, visto qu, o su intlto s rus tl missão. Os ministros mis prigosos o io, são quls qu s ortm, ou s sonm, trás um prnt, ou mi vr, nolhs um tom utntii, qul é muito ifíil istinguir, pls pssos mnos viss por isso msmo, sprvnis, qunto o ngno m qu pom ir, ou m qu já stão inorrno. Pulo é muito lro o flr sor ls m 2ªCor 11:1315. Em 2ªTss 2:117 (211), tmém pomos notr, sm nnhum ifiul, proupção Pulo, qunto à proigios oprção o rro. JESUS CRISTO tmém flou m flsos ristos flsos profts, Mt 24:2325. Portnto, usqumos onhr vr, qunto mis mlhor, pr noss trnqüili pr glóri DEUS. Os ministros o io, lros ou não, juntmnt om toos José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 14

15 os sus sguiors, formm, omo qu um prói o orpo JESUS CRISTO. Não pomos firmr qu st é um lrção BÍBLICA, ntrtnto, s omprrmos s ors DEUS, trvés su IGREJA, om s ors o io, trvés sus sguiors, não pomos nos furtr st onsttção, qul, pomos trnsformr m lrção. O io, juntmnt om toos os sus sguiors, formm um orpo, o qul, pomos firmr, sm mo rrr qu, é o orpo o io. IX, O PODER o io. O io não é too poroso, ntrtnto, quno há prmissão DEUS, o io olo m ção too o su por, mnifstno to su ml, rul óio. 2ªTss 2:89 nos fl ss por. No livro Jó, nontrmos o rlto um históri muito onhi, n qul, o io monstr too o su óio pr om DEUS, m omo, pr om o sr humno, rprsnto nst históri pl psso Jó, Jó 1:12:13. Portnto, plo qu pomos vrifir, in qu o io sj o mior inimigo DEUS sj tntor um trmino por, st por, jmis po sr oloo m ção, não sr om o onsntimnto o TODOPODEROSO. X, OS FILHOS o io. Inflizmnt, o io, tmém tm filhos. Qum são os filhos o io? À luz João 1:12, os filhos o io, são toos os srs humnos qu in não itrm JESUS CRISTO, omo únio sufiint SALVADOR. João 8:1259 (3945), nos fl lrmnt, sm roios qu, qum não m JESUS CRISTO é filho o io (Vs 4244). XI, AS OBRAS o io. O lrão rgistro m João 10:10, ujs ors são rour, mtr struir, po, muito m sr plio o io, m ontrposição à or CRISTO, qul, é DAR VIDA E VIDA COM ABUNDÂNCIA. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 15

16 Entrtnto, BÍBLIA SAGRADA tm mis um grn list ors triuís o io su xérito, vjmos um list, inluino s já itos: 01, Rour, João 10:10. 02, Mtr, Jó 1:1319; João 8:44, 10:10. 03, Dstruir, João 10:10. 04, Initção à soiêni DEUS, 1ºCrô 21:18. 05, Instigção à ivinhção, Dut 18:1012; At 16: , Instigção o rro, Is 19:14. 07, Instigção o óio, 1ºSm 18:1012, 19: , Atormntr, 1ºSm 16: , Mntir, 2ºCrôn 18:1927; João 8:44. 10, Fção, Tigo 3: , Inução à postsi, 1ªTim 4:1. 12, Promoção ioltri, Osé 4:12, 5:4. 13, Possssão ióli, Mr 9: , Tntção o po, Gên 3:124 (17); Mt 4: , Cusor váris nfrmis, Jó 2:110 (7); Mt 15:2128; Lu 13: , Oprssão ióli, At 10:38. 17, Engnr, Gên 3:113 (13); 2ªCor 11:3; Apo 12:9. XII, AÇÃO DIRETA o io, CONTRA OS HOMENS. O io não s ontnt, pns, om o ml qu fz os sus primiros sguiors (os mônios), os quis, o prinípio, ou sj, o srm rios, rm toos oints DEUS. Por isso, s prtimnt rição o sr humno, té os is tuis rmos qu, nqunto não ontrm toos os ontimntos stológios já rvlos por DEUS, o io ontinurá gino José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 16

17 irtmnt sor o sr humno, qur st sj filho DEUS ou não ( não sr urnt o milênio pz munil, Apo 20:27). Est ção ióli, vis priniplmnt soiêni o homm DEUS. As invstis o io ontr o sr humno, onstm váris tivis. Vjmos s mis omuns: 1, OPRESSÃO DIABÓLICA. 2, TENTAÇÃO DIABÓLICA. 3, OBSESSÃO DIABÓLICA. 4, POSSESSÃO DIABÓLICA. 5, PRODÍGIOS ENGANADORES. 6, A FEITIÇARIA. 7, A IDOLATRIA. 8, A BUSCA DE PACTUANTES. Vrmos gor, um sts m prtiulr. XII, 1, A OPRESSÃO ióli. Sguno o miniiionário Aurélio, oprssão, signifi: 01, Ato ou fito oprimir. 02, Tirni. 03, Sufoção. Por su vz, oprimir signifi: 01, Sorrrgr om pso. 02, Aprtr, omprimir. 03, Afligir. 04, Tirnizr. 05, Vxr, humilhr. O oniso iionário tologi CRISTÃ, nos iz r oprssão: Control imorl xrio plos porosos sor s lsss José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 17

18 spossuís. N tologi lirl, é o po m su imnsão mior. Inflizmnt, o oniso iionário, não fl sor oprssão ióli. Imginmos quão trrívl, é oprssão ióli! O io om to su prvrsi, s omprz m usr mls o sr humno. Um s forms om qu lv fito su prvrsi, é oprssão ióli. O io, inflizmnt, onsgu oprimir muits pssos, trvés oloção nfrmis, s mis ivrss, m sus vis, s quis, m trminos sos, são um pso norm trrívl sr rrgo, visto qu, m inúmros pssos, nm miin onsgu rursos intífios, pr soluionáls, Mr 5:2434; Lu 8:4348. Por isto, BÍBLIA SAGRADA tmém hm o io (ou os mônios), : spírito nfrmi Lu 13:11. N BÍBLIA SAGRADA, nontrmos vários sos oprssão ióli, por mio nfrmis, Jó 2:78; Mt 12:22, 15:21-28; Lu 13:1017. A oprssão ióli po, tmém, provor tristz, mlnoli, prssão, sntimnto infriori, sntimnto prsguição, frquz físi, inimiz, úvis, mágo profun, é o so Jó, o qul, lém o su grn infortúnio su norm nfrmi, foi urmnt mgoo, por su mulhr, priniplmnt no spto spiritul, Jó 2:910, m omo plos sus três migos, Elifz, Zofr Bil, Jó 4:1-27:23 (19:129). A oprssão ióli, po ontr n vi um rnt m JESUS CRISTO, sm qu st tnh po, pr qu tl ontç. Assim sno, oprssão ióli, omo no so Jó, ont, omo prov DEUS, não omo stigo. Visto qu o rnt m JESUS CRISTO, po sofrr oprssão ióli, lh, suplir misrióri DEUS, fim livrrs st norm prolm. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 18

19 Um s tivis o ministério JESUS CRISTO foi urr os oprimios io, At 10:38. XII, 2, A TENTAÇÃO ióli. Tntção, sguno o miniiionário Aurélio, é: 01, Ato ou fito tntr. 02, Dsjo vmnt. 03, Psso ou ois qu tnt. 04, O io. Por su vz, tntr, signifi: 01, Emprgr mios pr otr. 02, Busr, prourr. 03, Pôr m práti, mprnr. 04, Arrisrs. 05, Pôr à prov, xprimntr. 06, Prourr suzir. 07, Cusr sjo. O oniso iionário tologi CRISTÃ, nos iz r tntção: 01, Ato inuzir pr ou onição sr lvo pr. N BÍBLIA SAGRADA, o io é tmém onhio omo o tntor, Mt 4:111; Mr 4:113; 1ªTss 3:5. To tntção ióli é um hm ou onvit o po, o qul, quno onsumo é, por su vz, soiêni DEUS. Vjmos lgums pssgns BÍBLICAS onrnnts tntçõs iólis, 1ºCrô 21:18; Lu 8:12; At 5:3; 1ªCor 7:5; 1ªTss 3:5; 1ªTim 5:15. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 19

20 O io não po gir irtmnt n intligêni nm n vont. Porém, po influir sor o orpo, trvés os sntios nturis o sr humno. Est ção, por su vz, prouz fitos n imginção n mmóri. Por st rh, tntção ióli, tu sor intligêni vont, pls quis, o homm po ou não onsntir om tntção, pono, por isso, ir ou não n msm. Já qu, tntção ióli é um fto qu ting tnto o inréulo omo o rnt, st v tomr s vis pruçõs, tos ls unho spiritul, pr vnêl, o máximo. Pr noss totl trnqüili, DEUS grnt qu s tntçõs iólis sor sus filhos, jmis ultrpssrão os limits qu sts pom suportr, 1ªCor 10:13. A BÍBLIA SAGRADA nos nsin quis os proimntos orrtos nssários, pr qu sjmos vitoriosos sor s tntçõs iólis, Ef 6:1118; Tigo 4:7; 1ªP 5:8. Além tuo o qu já flmos sor tntção ióli, é nssário srmos qu, tntção ióli, m si msm, não é po, ms um, fortíssimo, onvit à práti o msmo. XII, 3, A OBSESSÃO ióli. A plvr osssão, sguno o miniiionário Aurélio, signifi: 01, Iéi fix qu prsgu. 02, Mni. Portnto, osssão ióli é: Mni, ou iéi fix qu prsgu lguém, fim prtir onstntmnt o po. Ests iéis fixs, olos plo io, provom tntção ontínu, lvno psso à prti ontinu o po. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 20

21 A osssão ióli, po sujugr, tnto pssos inréuls omo, inflizmnt, rnts m JESUS CRISTO. Pomos squmtizr o minho pr osssão ióli um rnt m JESUS CRISTO, sguint form: 01, Tntção ióli. 02, Qu no po. 03, Arrpnimnto onfissão, sm muit trminção pr ixr o po. 04, Nov tntção ióli, pr práti o msmo po. 05, Nov qu no msmo po. 06, Gozo ou lgri plo po omtio. 07, Tntção pr o não rrpnimnto nm onfissão o po. 08, Flt rrpnimnto onfissão o po omtio. 09, Tntção, pr omtr novmnt o msmo po. 10, Qu no msmo po. 11, Flt rrpnimnto onfissão. 12, Amor o po. 13, Tntção ióli ontinu pr práti o po. 14 Iéi fix pr práti usul o po, om su onstnt práti. Aí stá trist minh um psso slv por JESUS CRISTO, pr hgr à OBSESSÃO DIABÓLICA, qul, om to rtz trrá norms prjuízos, priniplmnt spirituis, os quis porão, tmém, sr sntios m outrs sfrs vi, qu não spiritul. C o slvo por JESUS CRISTO, rsistir o io, pr vnêlo, Tigo 4:78. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 21

22 É om slintr o qu sgu. Quno um psso stá os plo io, msm, ontinu n plnitu tos s sus fuls físis, ms, tmém priniplmnt s mntis, tl form qu tos s sus çõs, in qu lvs fito so prssão um norm tntção ióli (osssão), são rlizs om to su lir solh. Pomos vr, n psso o póstolo Pro, um tp osssão ióli, quno por três vzs ngou JESUS CRISTO, Mt 26:6975; Lu 22:5462. XII, 4, A POSSESSÃO ióli, ou moní. Nm o miniiionário Aurélio, nm o oniso iionário tologi CRISTÃ, nos ão um finição pr possssão ióli, ntrtnto, o miniiionário nos á finição posssso, qul é qu sgu: Enmoninho; Enfurio; Inivíuo posssso. A possssão ióli, ou moní, onstituis, n pr totl o ontrol o sr humno, sor si msmo, pssno st ontrol sr xuto, plo io, ou por um, ou mis, os sus mônios. A BÍBLIA SAGRADA, nos mostr lrmnt, muitos sos possssão ióli ou moní, omo pomos vrifir lrmnt, ns pssgns BÍBLICAS numrs sguir, Mt 8:16, 2834; Mr 1:2128, 3234, 5:120, 7:2430, 9:1429; Lu 4:3336, 41, 6:1718, 8:2639, 9:3742; At 5:16, 8:7. A possssão ióli ou moní, por sus rsultos, tlvz sj mior trgéi vi o sr humno, nturlmnt, tirno for onnção trn. Como vimos ns pssgns BÍBLICAS im, um sr humno m tl situção, pr totlmnt o ontrol sor si msmo, pssno o msmo sr xrio ompltmnt plo io (o mônio, ou mônios), priniplmnt ns hors ris. XII, 4, A, O CRENTE E A POSSESSÃO ióli. Por rnt m JESUS CRISTO, ntnmos um psso qu: José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 22

23 Aitou o SENHOR JESUS CRISTO m su vi, omo su ÚNICO E SUFICIENTE SALVADOR. Dvio st isão, o rnt pss : 01, Sr filho DEUS, João 1:12. 02, Estr sguro pr smpr ns mãos JESUS, João 6:3740, 10: , Sr tmplo hitção o ESPÍRITO SANTO, 1ªCor 3:1617, 6:19. Bsos nsts três, fortíssims, lrçõs BÍBLICAS, om to rtz, tmos utorizção pr lrr o qu sgu: Já qu o rnt vriro: 01, É, pr toos os fitos filho DEUS, João 1:12. 02, Está, pr too o smpr, sguro ns mãos JESUS CRISTO, João 6:3740, 10: , É hitção tmplo o ESPÍRITO SANTO, 1ªCor 3:16, 6:19; 2ªCor 6:16. O FILHO DE DEUS (O CRENTE VERDADEIRO) JAMAIS PODERÁ SER VÍTIMA DE POSSESSÃO ióli. XII, 4, B, A EXPULSÃO DE mônios. Quno um psso fi possss mônio, st, po sr xpulso, m nom JESUS CRISTO, Mr 16:17; Lu 10:17. Em tos s pssgns BÍBLICAS m qu vmos, tnto, JESUS CRISTO, qunto os sus isípulos xpulsno mônios, sts s prsntrm livr spontân vont, sm qu houvss nssi os hmr (invor), pr qu s prsntssm. Porém, n tuli, stmos prsnino, muits pssos xpulsno mônios. Contuo, n imns miori s vzs, sts são hmos (invoos) pr s prsntrm pois srm xpulsos. Muitos mônios, grlmnt, tnm o hmo, s José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 23

24 prsntm, pr pois srm xpulsos s inflizs pssos, qu fim posssss o mônio. Est fto, in qu sj um sptáulo qu tri muits pssos, pom sr té multiõs, nssit funmnto BÍBLICO, pr qu o possmos vlizr. Prourmos, urmnt, n BÍBLIA SAGRADA vrifirmos qu jmis lgum mônio foi hmo à prsnç qum qur qu sj, pr pois sr xpulso. Por isso, rptimos o qu já lrmos im. Em tos s pssgns BÍBLICAS m qu vmos, tnto, JESUS CRISTO, qunto os sus isípulos, xpulsrm mônios, sts s prsntrm livr spontân vont, sm qu houvss nssi os hmr (invor), pr qu s prsntssm. Inflizmnt, possssão moní ont muits vzs n vi muits pssos, s quis, não sm o qu fzr pr s livrrm tão grn trrívl flglo. Sguno JESUS CRISTO, pr qu os mônios sjm xpulsos, há nssi fé, orção jjum, Mt 17:1421. Porém, vrir, ril finl lirtção possssão moní, ont, quno um psso EVANGELIZADA it JESUS CRISTO, COMO SEU ÚNICO E SUFICIENTE SALVADOR. Quno onvrsão ont, psso é: 01, Tmplo Dus, 1ªCor 3:1617, 6:19; 2ªCor 6:16. 02, Hitção o ESPÍRITO SANTO, 1ªCor 3:1617, 6:19; 2ªCor 6:16. 03, Btiz om o ESPÍRITO SANTO, 1ªCor 12:13. 04, Sl om o ESPÍRITO SANTO Ef 1:13, 4:30. Com o ESPÍRITO SANTO hitno no slvo por JESUS CRISTO, qul srá o mônio, st mônios, lgião mônios, ou o próprio io (stnás) om too o su xérito, qu virá slojr o ESPÍRITO SANTO, pr tomr poss um filho Dus, trvés possssão moní ou ióli. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 24

25 Por isso, é impossívl qu o (s) mônio (s) volt (m), ompnho (s) outros st mônios, pr um qu siu, à qu r su s, nts onvrsão gnuín JESUS CRISTO, Mt 12:4345; Lu 11:2426. Su volt é impossívl porqu s não mis stá vzi, stá, isto sim, hit plo ESPÍRITO SANTO, 1ªCor 3:1617, 6:19; 2ªCor 6:16. XII, 5, PRODÍGIOS ENGANADORES. O io, inflizmnt, tmém ngn um norm qunti srs humnos, trvés sinis, proígios, milgrs, t., porém ngnors, por intrméio os sus sguiors, qur sts sjm, lros ou não. É o qu onsttmos om s sguints pssgns BÍBLIA SAGRADA, Mt 7:2123; 24:2325; 2ªCor 11:1315; 2ªTss 2:910; Apo 13:1118 (13). Assim sno, nm toos os proígios, ou milgrs, prom DEUS, vjmos o qu nos iz Mt 7:1523. XII, 6, A FEITIÇARIA. Sguno o Novo iionário Aurélio, fitiçri, signifi: 01, Emprgo fitiços; Bruxri; Sortilégio, nntmnto; Figuro, nlvo, fsinção, sução. Portnto, sguno primir finição, fitiçri onstituis no uso ou mprgo fitiços. Pr FEITIÇO, tmos ntr outros plvr FETICHE, qul por su vz, ntr outros, tm st signifio: 01, Ojto nimo ou innimo, fito plo homm ou prouzio pl nturz, o qul s triui por sornturl s prst ulto; Íolo, mnipnso: [omprr om, multo tlismã]. Portnto: Qulqur niml (ou, um sus prts). Qulqur líquio, pó, pot, pr (ou, um sus prts). José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 25

26 Qulqur mir (ou, um sus prts). Qulqur flor (ou, um sus prts) Et., t., t. Tos sts oiss ou mtriis, qur sjm puros ou misturos, plios ou rios on qur qu sj (omério, s prtiulr, ntro spírit, igrj, t.), s qu usos, por qum qur qu sj, om suposição qu têm lgum por sornturl, qulqur orm, ou provino on qur qu sj, onstituis, inflizmnt num FEITIÇO. Lmro um iionário ntigo no qul r muito mis fáil hgr o signifio plvr fitiçri, qul, ntr outros, signifiv: Emprgo ou uso fitiços. O signifio plvr fitiço r xplíito irto, qul, ntr outros, signifiv: Ojto qu ignornts ou inoutos trium por sornturl. Por isso, não hvi nssi tnt us ou xríio no iionário pr hgrmos o vriro signifio plvr fitiçri. Tl iionário, inflizmnt, não stá m nosso por, por isso, não stá inluío n iliogrfi. Há, inflizmnt, muit gnt qu julg, pns rê qu práti fitiçri stá muito istnt os grupos vngélios. Entrtnto, pr noss tristz, vrifimos, qu, o mprgo fitiços, tmém é práti, um tnto qunto, omum, no ristinismo, priniplmnt no ristinismo nominl. Dissmos, priniplmnt, pois, inflizmnt, porão tmém sr usos por vriros CRISTÃOS, porém imturos ou sprovios sóli s outrinári. Em virtu sts fiiênis, não possum fé sufiint pr José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 26

27 onfir m DEUS, omo O SER qu om su NATUREZA, totlmnt, spiritul, tmém g spiritulmnt, sm mínim nssi prsnç qulqur qunti, ou pço qulqur niml, sustâni, mtril ou ois. Tlvz, nós já fomos fitiiros, ou in o sjmos, sm o srmos! A fitiçri é, portnto, mis um form ção ióli, pr prvrtr vi o sr humno. A fitiçri tmém po sr onsir omo um form ioltri. A fitiçri, é smpr onn pl BÍBLIA SAGRADA, 1ºSm 15:2223; 2ºRis 9:22; 2ºCrô 33:6; Is 47:89, 12; Miq 5:12; Num 3:34; Gál 5:1921 (20); Apo 9:21, 18:23. D msm form qu DEUS onn fitiçri, tmém onn os fitiiros fitiirs, Êx 22:18; Dut 18:1014; 2ºRis 21:6, 23:24; Ml 3:5; Apo 21:8, 22:15. XII, 6, A, MILAGRES NA BÍBLIA SAGRADA LIGADOS AO USO DE OBJETOS. N BÍBLIA SAGRADA há vários milgrs qu ontrm ompnhos lgum mtril físio visívl, os quis, prntmnt, ontrm m virtu o mtril uso. A sguir tmos um list lguns. Mr 8:2226 (23). É vr, JESUS uspiu nos olhos o go. Porém, JESUS CRISTO jmis nsinou ou mnou qum qur qu sj uspir nos olhos qulqur go pr qu st puss ou poss vr. João 9:141 (67, 11, 1415). Tmém é vr, JESUS CRISTO uspiu n trr, fz loo om sliv, untou os olhos o go om o loo. E isslh: Vi, lvt no tnqu Siloé (qu signifi o Envio). Foi, pois, lvous, voltou vno. Porém, omo no milgr ito ntriormnt, JESUS CRISTO jmis nsinou ou mnou qum qur qu sj uspir n José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 27

28 trr, fzr loo om sliv, untr os olhos qulqur go mnálo lvrs m qulqur tnqu pr qu o go poss vr. Ms, nós não vmos fzr o qu JESUS CRISTO fz? Dvmos olhr, muito, pr o qu JESUS CRISTO fz, ms, m sos tis omo st, muito mis pr o qu mnou fzr. Isto, porqu há oiss qu JESUS CRISTO fz ms não ornou ninguém qu s rptiss. Os ois milgrs itos im são xmplos. At 19:1112. Sim, é vr qu DEUS pls mãos Pulo fzi mrvilhs xtrorináris. D sort qu té os lnços vntis s lvvm o su orpo os nfrmos, s nfrmis fugim ls, os spíritos mlignos sím. Porém, xmplo o SENHOR JESUS CRISTO, Pulo, tmém não mnou, nm squr insinuou, qu lguém rptiss o qu onti om l. Tnhmos, portnto, muito uio fujmos o uso qulqur mtril, qur sj tiv ou pssivmnt, n suposição qu DEUS u ou rá o msmo qulqur por sornturl pr qu ontç o qu é o nosso sjo. Vnh tl mtril on vir, o on qur qu sj ou ntrgu por qum qur qu sj. Um fto importnt r Pro stá m At 5:1416. A BÍBLIA SAGRADA firm qu muitos onts tormntos por spíritos imunos rm trzios ixos, m litos, ns rus, sprno Pro pssr pr qu su somr oriss lguns ls. Ao pssr sor ls somr Pro toos rm uros. Ain qu toos os nfrmos nmoninhos fossm uros quno somr Pro pssv sor ls, jmis o vmos nsinno lguém qu pssss à luz o sol, pr qu somr ss lguém urss qulqur nfrmo ou nmoninho. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 28

29 Tmém, nst so, o om snso nos lv não qurrmos imitr o qu onti om Pro. OUTRA PASSAGEM IMPORTANTE, É TIAGO 5:1415, qul nos fl sor unção nfrmos om ólo: Tigo 5:14, Está lguém ntr vós ont? Chm os prsítros igrj, orm sor l, unginoo om zit m nom o Snhor; Tigo 5:15, E orção fé slvrá o ont, o Snhor o lvntrá;, s houvr omtio pos, srlhão proos. É vr, Tigo 5:14 iz: Está lguém ntr vós ont? Chm os prsítros igrj, orm sor l, unginoo om zit m nom o Snhor. Mros 6:13 tmém iz: E xpulsvm muitos mônios, ungim muitos nfrmos om ólo, os urvm. Porém, notmos qu no EVANGELHO sguno os qutro EVANGELISTAS, Mr 6:13, é o únio lol m qu unção nfrmos é it. Notmos, tmém, qu no rstnt o NOVO TESTAMENTO, pns m Tigo 5:14, tl fto é mniono. Ests ois ftos nos lvm, não só pnsr, ms rr qu unção nfrmos om ólo, não é lgo xtrmmnt importnt pr IGREJA DE JESUS CRISTO. Continumos vjmos lgo sum importâni, psr, à primir vist não tr ligção om o tm qu stmos stuno, qul sj, unção nfrmos om ólo. Gên 3:121 nos mostr qu, o pr, o homm foi onno om mort, omo onhmos, Gên 3:19. O po mort pssrm toos os homns, Rom 5:12. Est li mort o homm, somnt porá sr mu pl intrvnção irt DEUS, omo pomos vrifir nos próximos sos. 1, Enoqu, Gên 5:24; H 11:5. 2, Elis, 2ºRis , Quno ontr o rrtmnto IGREJA DE JESUS CRISTO, 1ªTss 4:1318 (17). 4, Em qulqur outr oportuni m qu DEUS sjr pssr José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 29

30 por im su própri li. Tno m mnt onnção o homm om mort, trmin por DEUS, tmos rtz qu, nm tos s vzs m qu os irmãos IGREJA PRIMITIVA orvm por um nfrmo o ungim om ólo, hvi ur o tl nfrmo. D msm form, tmos rtz qu, n tuli msm rli é onstt. Est rtz orr inxorávl trminção DEUS, qul sj, um ou outr form toos morrrão. Isso porqu rgr é, H 9:27, os homns stá orno morrrm um vz. Como já nos rfrimos im, ss é norm grl, qul, só po sr mu por um to trmintivo xlusivo DEUS. Alguém po flr: ms PALAVRA DE DEUS não s umpr? Or; irá ss lguém logo m sgui, s PALAVRA DE DEUS s umpr é só prtiál tuo stá rsolvio! Clro qu PALAVRA DE DEUS s umpr. Ms há um outr vr imutávl, PALAVRA DE DEUS não pss por im PALAVRA DE DEUS, não sr qu própri PALAVRA DE DEUS o trmin mostr o motivo munç. Promnos pl rptição xprssão PALAVRA DE DEUS. Lmrmos qu o qu stmos vrifino stuno é unção nfrmos om ólo, pr ur nfrmis. Vjmos um vr insofismávl. S ur smpr ontu, ont ou ontrá quno um nfrmo foi, é ou for ungio om ólo, plos prsítros IGREJA DE JESUS CRISTO, st tri irmãos vivos s o tmpo JESUS CRISTO. Já imginrm o qu isto signifiri, m trmos tstmunho r o por o EVANGELHO. Hvri, sm úvi, um norm trção plo EVANGELHO por JESUS CRISTO IGREJA sri muito mior mis poros. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 30

31 Porém, por mis qu squrinhmos o muno, té os mínimos tlhs, in qu sjm olos n us pssos mis lt omptêni mis lt stirp morl, in qu sjm usos os instrumntos mis lt prisão, jmis srá nontro, nm long, qulqur nião, qu stj vivo, plo mnos, s os tmpos postólios. Não tri DEUS por pr qu isto ontss? Clro qu tri, vrirmnt, tm. Ms s DEUS não usou su onipotêni pr qu tl ontss, é porqu, om rtz, ssim não o sjou, s não o sjou, é porqu não é importnt, nm nssário, pr IGREJA DE JESUS CRISTO. DEUS não o sjou não é importnt pr IGREJA DE JESUS CRISTO porqu, o EVANGELHO não é, n su ssêni, snsionlist, in qu o msmo sj snsionl, pr qum o xprimnt por mio ss msmo EVANGELHO rê it JESUS CRISTO COMO ÚNICO E SUFICIENTE SALVADOR. Por outro lo, smos qu to ur físi é, smpr, pssgir, visto qu, pós um ou váris urs, ont, inxorvlmnt, mort. Or, om tuo isto m mnt, rio qu o om snso nos lv não prtir unção om ólo sor os nfrmos. Porém, vmos orr por ls, om to fé no por DEUS pr urr, sm, ontuo, trmos qulqur utori pr grntirlhs ur, visto qu, lém o qu DEUS rvl, ninguém é onhr o futuro n ninguém, Dut 29:29; Mt 6:34; At 1:7. É vr qu At 1:7 é rfrnt outro ssunto, porém rmos qu é ótimo pr rrnr o orção, qum qur qu sj, prtnsão grntir lgo qu prtn pns tãosomnt DEUS. Assim sno, qu int grntir ur, s msm não ontr. Quno isto ont, não são pous vzs, o sréito qum grntiu ur é totl. O onslho pr qu não prtiqumos unção nfrmos rmos str mutio no onslho Pulo m 1ºTss 5:22, Astnvos to prêni o ml. Agor ois fiou fi, ungir nfrmos om ólo é prêni o ml? Clm, lm, muit lm. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 31

32 S stivrmos spios pronito rvstios sinri, o olhrmos à noss volt, vrmos um multião pssos qu, não só prgom ms, usm to sort mtriis, ntr ls o ólo, omo lgo qu tm too o por pr oprr to quli proígios, milgrs mrvilhs. Qus toos sm isso. Não squçmos qu o ólo tmém é uso. Porém, pr não izr toos, muitos (inlusiv os qu prgom usm tis mtriis, inlusiv o ólo) tmém sm qu, tis lrçõs grntis vins on qur qu sj (té igrjs vngélis), não pssm musts ngnors fim ngor trir pssos inuts pr ntro os sus rriis. Avnmos. S o ólo for plio m lgum nfrmo, pnsno qu st srá uro m virtu o por sornturl mutio, ou prsnt, no ólo, pr urr st, qul ou tos s nfrmis, tl ólo não pssrá um fitiço, muito, muitíssimo msmo, gosto o io. Isto porqu o uso ou mprgo fitiços é fitiçri. E pr trminr qum us fitiços é fitiiro, omo já vimos ntriormnt. Por isso, sigmos o onslho Pulo, fstmonos, ou sj, stnhmonos to prêni o ml, 1ªTss 5:22. Entrtnto, nm tuo é fitiço, nm tuo é fitiçri, nm toos são fitiiros. O ólo po v sr uso plio, sm qulqur prolm, s qu não lh sj triuío por sornturl pr ur nfrmis ou qulqur outro intnto. Exmplos: Num fri, hg ou ois pri, porém, omo rméio, visto qu o ólo tm propris trpêutis. Porém, m virtu miin str muito vnç, o ólo v sr uso, pns tãosomnt, quno não houvr possiili usr outro mtril ou mimnto. Justmnt, pl prêni o ml, já it ntriormnt. Num mssgm, pr vitr o trito ntr prt mssg o orpo o mssgor, s m qu n tuli há proutos mis proprios qu o ólo. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 32

33 Porém, m virtu hvr outros mtriis mis proprios st práti, o ólo v sr uso, pns tãosomnt, quno não houvr possiili usr outro mtril. Justmnt, pl prêni o ml, já it ntriormnt. N limntção pr fritr omo tmpro. Crmos qu sts xmplos stm. Porém, só pr rlmrr jmis squr. O om snso nos lv jmis usr o ólo, for sts três xmplos ou outros prios. Usmolo, porém, smpr omo mtril omum qu não têm outro vlor lém o norml, nturl omum. Isto porqu: S o ólo for plio sor um nfrmo, in qu o plior não lh triu por sornturl, é muito provávl qu qum prsni tl to, ou qum r plição o msmo, lh triu por sornturl. Aí stá, mléfi, prêni o ml. Além isso, quno o ólo é uso n unção nfrmos, é m provávl qu om o pssr o tmpo, o msmo pss sr uso inisriminmnt; isto po ontr m virtu o sprpro oriros ou pl vont rsolvr toos prolms tos s pssos. E, no so isto ontr, o qu hvrá, já não srá, pns, prêni o ml, ms o próprio ml m plição. Qum sjr ungir nfrmos om ólo, qu o fç, noss prt, o msmo foi olio fz muitos nos. Por isso, rforçmos o onslho, ixmos o uso o ólo n unção nfrmos s, porvntur, stmos ostumos usálo. Crmos qu m virtu s rnçs, ostums prátis tuli, DEUS s lgrrá, muito, om tl isão. XII, 7, A IDOLATRIA. Sguno o miniiionário Aurélio, ioltri, signifi: José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 33

34 Culto prsto íolos. O oniso iionário tologi CRISTÃ, nos iz: Aorção um ou mis íolos. O ulto prsto íolos, ou sj, ioltri, é um form o io fstr o homm DEUS, in qu o homm tnh prtnsão ultuálo. Isto ont, simplsmnt, porqu DEUS É ESPÍRITO só it ADORAÇÃO, por prt o sr humno, m ESPÍRITO E EM VERDADE, João 4:1924 (24). A BÍBLIA SAGRADA stá rh onslhos DIVINOS o sr humno, nsinnoo rsgurrs ontr ioltri, limos pns o qu DEUS nos iz no Slmo 115:49, pr pormos omprnr o sprzo sso DEUS os íolos tnto qunto qum os fz qum nls onfi. XII, 8, A BUSCA DE PACTUANTES. A us pssos, qu om o io fçm pto, ou ontrto, om rquisitos srm osrvos pls us prts ( prt prinipl sr oi plo homm, é orção o io) é outr tivi o io, tno omo mpo tlh o sr humno. Pomos vrifir st tivi o io, quno o tntr JESUS CRISTO no srto, pós um jjum qurnt is qurnt noits, lh propôs um pto. Em primiro lugr, o io ofru JESUS CRISTO toos os rinos o muno, Mt 4:89; Lu 4:57. Ms, pr qu isso ontss JESUS CRISTO tri qu orr o io, Mt 4:89; Lu 4:57. Pto stuto mtriro! JESUS CRISTO rusou, iimnt, lrno o qu stá srito m Mt 4:10; Lu 4:8. XII, 9, OUTRAS FORMAS o io DOMINAR O SER HUMANO. Há in, muits outrs forms o io ominr o sr humno. Dmos sguir um pqun list s rtimnhs mis onhis prtis, quis sjm: José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 34

35 01, ASTROLOGIA, Aivinhção trvés nális posição os stros. 02, CARTOMANCIA, Aivinhção trvés rts rlho norml ou rlhos spiis. 03, HIDROMANCIA, Aivinhção trvés águ. 04, NECROMANCIA, Aivinhção trvés omunição om mortos. 05, QUIROMANCIA, Aivinhção trvés o xm s linhs s mãos. Porém, list não trminou, há muits outrs forms o io ominr mnt o sr humno, (m ultur l intrfr om rtrístis própris), porém tos ls, rtmnt strão, mis ou mnos ntro s rtrístis olos stus nst pítulo. Estjmos tntos, pr não nos ixrmos lvr m ro pls rtimnhs o io, o qul, só sj o nosso ml, visto qu é o nosso mior inimigo. XIII, O CRISTÃO E o io. Já vimos, qu o io po usr oprssão, tntção osssão, tmém n psso slv por JESUS CRISTO. Porém, jmis porá possuíl, trvés possssão ióli ou moní. Toos os itns listos no prágrfo ntrior, já form stuos nst mtéri, sor o io. Po, té prr pouo, o qu o io po fzr um rnt, porém não é, snão vjmos: D um form ou outr, quno o rnt m JESUS CRISTO stá so um tntção, smpr spn lgum nrgi, pr rsistil. Bmvnturo o slvo por JESUS CRISTO qu gst sus nrgis onsgu rsistir à prtinái o io m tntálo pr ir m po. Porém, quno i m po gst mis nrgis, in, pr norjrs o ronhimnto qu pou, o rrpnimnto, à onfissão o su po, m omo, o pio prão DEUS. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 35

36 Às vzs, su orgm, ou sus nrgis spirituis, não são sufiints, pr tomr rpimnt o minho orrto. Quno isto ont, o rnt, stá um psso osssão ióli, já stu ntriormnt. Quno o rnt stá so s forçs osssão, torns um nêmio spiritul, não prouzino fruto pr DEUS; fi tão prto o muno, qu po sr nomino rnt rnl, 1ªCor 3:14. Dst form, nts ruprrs spiritulmnt, vio o su mu tstmunho, muits vzs, pós lgum trlho inútil pr ruprção, é sligo IGREJA qul é mmro, por não qurr rsolvr situção, Mt 18:1518. Ain qu o sligmnto ontç, isto não o ntristç, pois, vio à osssão ióli stá, omo qu, imun à ção o ESPÍRITO SANTO m su vi. Assim sno, é omo qu um solo frio, por isso msmo, impossiilito ntrr n tlh ontr o ml, qur sj, orno, lno, stuno ou mitno sor BÍBLIA SAGRADA, CULTUANDO A DEUS juntmnt om IGREJA ou m prtiulr, EVANGELIZANDO, t. Aitmos oloqumos m práti toos os onslhos DIVINOS, pr qu n isto nos ontç sjmos lurts DEUS n lut ontr o mligno, Rom 12:12; Gál 5:2223; Ef 5:1721; 6:1118; Tigo 4:112; 1ªP 5:69, tuo isto, pr honr glóri DEUS. 1ªP 5:8, nos iz: S sórios; vigii; porqu o io, vosso vrsário, n m rror, rmno omo lão, usno qum poss trgr. Est vrsíulo nos mn sr utlosos m noss mnir pnsr gir, visto qu o io stá nos spritno fim nos ominr. Porém, st vrsíulo não stá isolo, stá, isto sim, insrio num onjunto vrsíulos qul sj, 1ªP 5:111. Limos st pssgm por intiro, fim sturmos tirrmos liçõs srm plis n noss lut ontr o io, só ssim sirmos vitoriosos rmos glóris glóris DEUS. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 36

37 01, A primir lição, pomos tirál os Vs 14; São instruçõs os pstors, sor omo psntr o rnho DEUS. 02, A sgun lição, stá no iníio o Vs 5; Sujição mútu. 03, A trir lição, tmém stá no Vs 5; Humil. 04, Qurt lição, humil ixo potnt mão DEUS, Vs 6. 05, Quint lição, xltção pssol vm DEUS, no tmpo rto, Vs 6. 06, Sxt lição, tos s nosss nsis vm sr olos ns mãos DEUS, porqu l ui nós, Vs 7. 07, Sétim lição, sori vigilâni, m virtu osrvção ióli, usno osião propíi pr tr vitóri sor nós, Vs 8. 08, Oitv lição, Rsistêni o io om firmz n fé, Vs 9. 09, Non lição, ronhr qu toos os irmãos splhos plo muno tmém sofrm, Vs 9. 10, Déim lição, por fim DEUS nos prfiçorá, onfirmrá, fortifirá fortlrá, Vs , Unéim lição, porqu om DEUS stá o por glóri pr too o smpr, Vs 11. Aqui, m omo m to BÍBLIA SAGRADA, o rnt tm tuo o qu nssit pr prnr rsistir o io, omo tmém pr tr muits muits vitóris sor l. XIII, 1, O CRENTE E A EXALTAÇÃO o io. Inflizmnt, muits vzs, o rnt squ r glóri DEUS pr xltr o io trvés, priniplmnt, os pnsmntos, ms tmém plvrs titus. Um xmplo vríio porá nos iluminr: Prstmos tnção o iálogo, vríio, ntr ois irmãos, hmos irmão A irmão B. O irmão A hg pr o irmão B lh ont sguint xpriêni pssol. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 37

38 Eu sou priro; não tnho ifiul pr onstruir um s, ntrtnto, não tnho s própri, porqu não tnho trrno pr onstruir um rsiêni pr mim, minh mulhr mus filhos. Por váris vzs, stiv m prto omprr trrno, pr rlizr o mu sonho. Por váris vzs, stiv qus om qunti rt, m inhiro, pr r ntr num trrno por onstruir s própri. Porém, o io tm gio tl form qu smpr ont lgum ois grv, tl ponto qu o inhiro não s omplt, pior o qu isso, fz om qu, o qu stv mlho tmém sprç, m gstos inspros. Est é minh trist rli! O irmão B qu sutr to históri o irmão A m silênio; p plvr o onslh st form: Ao invés o irmão triuir o io tis prlços, porqu o irmão não s olo m omunhão om DEUS lh fz st prgunt; porqu tns prmitio, SENHOR, qu quno o montnt m inhiro stá qus omplto, m ontçm tão grns prolms qu m origm gstálo? Pois, form qu o irmão tm gio, stá, inflizmnt, in qu inonsintmnt, xltno glorifino o io. Porqu o irmão não ix ou pár triuir o io toos sss ontimntos vrsos? Tlvz, no momnto o iálogo ito im, o irmão B tnh hoo o irmão A o ponto ixálo, intrnqüilo té nrvoso. Porém, o rto é qu, psso não muito tmpo, o irmão A hg junto o irmão B om um lgri ontgint, too sorrint, lh onfini: Grçs DEUS onsgui omprr o mu trrno m rv omçri onstruir minh s. Crmos qu o irmão A ixou triuir os ftos ngtivos o io, humilhous oloous ixo potnt mão DEUS, o José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 38

39 qul no tmpo rto o xltou, 1ªP 5:69. O io É UMA REALIDADE, não o pomos ngr. PORÉM, SE A ELE ATRIBUIRMOS TODO O MAL OU TUDO O QUE DE ERRADO NOS ACONTECE, ESTAMOS EXALTANDOO. Exltmos, portnto o nosso DEUS, ilogumos om l, sor o porquê os ontimntos vrsos noss vi, ronhno o su snhorio sor nós snsmos m sus sorns mãos, gurno o tmpo rto pr qu sjmos por l xltos. XIII, 2, O CRENTE PODE SERVIR o io? Inflizmnt, tos s vzs qu o rnt m JESUS CRISTO stá sono DEUS, ou sj, quno stá pno, stá srvino o io. Num rt oportuni, JESUS CRISTO hm Pro, rtmnt, stnás. Nqul oportuni, quno JESUS CRISTO flou sor o qu lh hvri ontr n ruz, Pro, qu stv srviço o io, rprnu o SENHOR JESUS CRISTO. É om slintr qu, um pouo nts JESUS CRISTO hmr Pro stnás, hmouo mvnturo, porqu rsponu JESUS lgo qu lh for rvlo plo PAI QUE ESTÁ NOS CÉUS. Est ontimnto, stá rgistro m Mt 16:1323 Mr 8:2733. Limos om muit tnção sts pssgns BÍBLICAS, fim nos intirrmos rli st trist vr. Não rmos, form lgum, qu Pro stv possuío plo io, porém, pr toos os fitos, nqul oportuni, stv srviço l. S ontu om Pro, om to rtz, inflizmnt, tmém, porá ontr onoso, ou om lgum nossos irmãos. Porém, vmos sguir um om onslho; JESUS CRISTO, é tntor to utori, porqu, sno DEUS é ONISCIENTE, portnto, su lrção é, totlmnt, ign réito. Entrtnto, nós somos pns humnos, por isso, não smos o qu ont n mnt orção o próximo om solut rtz. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 39

40 Tnhmos, portnto, muito uio fçmos tuo, pr vitr lrr, qu um irmão é stnás, visto qu, stnás porá sr qum fz tl lrção. Isto po, filmnt, ontr: 01, EM VIRTUDE DE UM MAU JUÍZO. 02, POR SENTIMENTO DE SUPERIORIDADE. 03, EM VIRTUDE DE UM JULGAMENTO TEMERÁRIO. 04, EM VIRTUDE DO DESEJO DE INIBIR ALGUÉM. 05, COMO INSTRUMENTO DE DEFESA PESSOAL. 06, COMO ARMA DE ATAQUE. 07, COMO PROVOCAÇÃO AO PRÓXIMO. 08, ETC., ETC., ETC. Portnto, por prvnção, fçmos too o sforço pr não fzrmos um lrção smlhnt à qu JESUS CRISTO fz r Pro. Ormos plo irmão, sós, ou m onjunto om l pr honr glóri DEUS. XIII, 3, DEVERÁ O CRENTE AMALDIÇOAR o io? Não é rro ouvir lguém, sm qulqur rimôni, mliçor o io ou os sus njos (os mônios). Porém, quno isso ont, tl psso fz o qu firm o provério populr, muito onhio: ESTÁ CHOVENDO NO MOLHADO. Num frs pomos firmr qu: QUEM AMALDIÇOA O DIABO E OU OS SEUS ANJOS (OS DEMÔNIOS) ESTÁ PERDENDO O SEU TEMPO, OU SEJA, ESTÁ CHOVENDO NO MOLHADO! Crmos qu st lrção so, um tnto qunto, strnh qum lê ou sut pl primir vz. Porém, in qu, à primir vist, prç strnh, stá José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 40

41 s n BÍBLIA SAGRADA. Isto porqu o io já fz muito tmpo qu stá mliçoo por DEUS! Vjmos lgums pssgns BÍBLICAS. Ez 28:11, Vio mim plvr o SENHOR, izno: Ez 28:12, Filho o homm, lvnt um lmntção sor o ri Tiro, izlh: Assim iz o Snhor DEUS: Tu rs o slo mi, hio sori prfito m formosur. Ez 28:13, Estivst no Én, jrim Dus; to pr prios r tu ortur: srôni, topázio, imnt, turqus, ônix, jsp, sfir, rúnulo, smrl ouro; m ti s fzim os tus tmors os tus pífros; no i m qu fost rio form prpros. Ez 28:14, Tu rs o quruim, ungio pr orir, t stli; no mont snto Dus stvs, no mio s prs fogus nvs. Ez 28:15, Prfito rs nos tus minhos, s o i m qu fost rio, té qu s hou iniqüi m ti. Ez 28:16, N multiplição o tu omério nhrm o tu intrior violêni, pst; por isso t lni, profno, o mont Dus, t fiz prr, ó quruim orior, o mio s prs fogus. Ez 28:17, Elvous o tu orção por us tu formosur, orrompst tu sori por us o tu rsplnor; por trr t lni, int os ris t pus, pr qu olhm pr ti. Ez 28:18, Pl multião s tus iniqüis, pl injustiç o tu omério profnst os tus sntuários; u, pois, fiz sir o mio ti um fogo, qu t onsumiu t torni m inz sor trr, os olhos toos os qu t vêm. Ez 28:19, Toos os qu t onhm ntr os povos stão spntos ti; m grn spnto t tornst, nun mis susistirás. É vr qu pssgm li fz rfrêni irt o ri Tiro, porém: José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 41

CASA DE DAVI CD VOLTARÁ PARA REINAR 1. DEUS, TU ÉS MEU DEUS. E B C#m A DEUS, TU ÉS MEU DEUS E SENHOR DA TERRA

CASA DE DAVI CD VOLTARÁ PARA REINAR 1. DEUS, TU ÉS MEU DEUS. E B C#m A DEUS, TU ÉS MEU DEUS E SENHOR DA TERRA S VI VOLTRÁ PR RINR 1. US, TU ÉS MU US #m US, TU ÉS MU US SNHOR TRR ÉUS MR U T LOUVRI #m SM TI NÃO POSSO VIVR M HGO TI OM LGRI MOR NST NOV NÇÃO #m #m OH...OH...OH LVNTO MINH VOZ #m LVNTO MINHS MÃOS #m

Leia mais

Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia

Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia wwwsmorsplvromr Curso Tologi Mtril ompilo por José Joquim Gonçlvs Fri Assssori Milton Vill Doutrin Cristã Do Po PG PECADO DOUTRINA CRISTÃ DO 03 INTRODUÇÃO 03 I, PECADO, O QUE É? 04 II, O ROTEIRO DO PECADO,

Leia mais

Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia

Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia www.smorsplvr.om.r Curso Tologi Mtril ompilo por José Joquim Gonçlvs Fri Assssori Milton Vill Doutrin Cristã D Orção PG. ORAÇÃO. DOUTRINA CRISTÃ DA 04 INTRODUÇÃO. 04 I, O QUE É ORAÇÃO CRISTÃ? 06 II, COMO

Leia mais

CD CORAÇÃO DA NOIVA - 1. O SENHOR É BOM INTR:E D A/C# C7+ B E D A/C# O SENHOR É BOM C7+ B E SEU AMOR DURA PARA SEMPRE ELE É BOM...

CD CORAÇÃO DA NOIVA - 1. O SENHOR É BOM INTR:E D A/C# C7+ B E D A/C# O SENHOR É BOM C7+ B E SEU AMOR DURA PARA SEMPRE ELE É BOM... C CORÇÃO NOIV - 1. O SNHOR É OM INTR: /C# C7+ /C# O SNHOR É OM C7+ SU MOR UR PR SMPR L É OM... Letra e Música: avi Silva C CORÇÃO NOIV - 2. SNTO É O TU NOM M TO TRR S OUVIRÁ UM NOVO SOM UM CNÇÃO MOR PRCORRRÁ

Leia mais

Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia

Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia www.smorsplvr.om.r Curso Tologi Mtril ompilo por José Joquim Gonçlvs Fri Assssori Milton Vill Doutrin Cristã Do Homm PG. HOMEM. DOUTRINA CRISTÃ DO 03 INTRODUÇÃO. 03 I, A CRIAÇÃO DO HOMEM. 03 II, A CONSTITUIÇÃO

Leia mais

Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia

Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia www.smorsplvr.om.r Curso Tologi Mtril ompilo por José Joquim Gonçlvs Fri Assssori Milton Vill Doutrin Cristã D Dus DE DE Ministério Smors Plvr PG. = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = =DOUTRINA

Leia mais

Grafos. Luís Antunes. Grafos dirigidos. Grafos não dirigidos. Definição: Um grafo em que os ramos não são direccionados.

Grafos. Luís Antunes. Grafos dirigidos. Grafos não dirigidos. Definição: Um grafo em que os ramos não são direccionados. Luís Antuns Grfos Grfo: G=(V,E): onjunto vértis/nós V um onjunto rmos/ros E VxV. Rprsntção visul: Grfos não irigios Dfinição: Um grfo m qu os rmos não são irionos. Grfos irigios Dfinição: Um grfo m qu

Leia mais

(BIS) GLÓRIA A DEUS, GLÓRIA A DEUS, GLÓRIA A DEUS, GLÓRIA A DEUS,

(BIS) GLÓRIA A DEUS, GLÓRIA A DEUS, GLÓRIA A DEUS, GLÓRIA A DEUS, P á g i n a 57 LÓRI US (TOM: Ó) 4/4 PLO SOL QU RILH, LÓRI US PL LOR QU NS, LÓRI US PLOS MONTS LTOS, LÓRI US PLO MR TMÉM, LÓRI US PLOS PSSRINHOS, LÓRI US PL NOIT O I, LÓRI US PL RIS LR, LÓRI US QU LON VM,

Leia mais

Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia

Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia www.smorsplvr.om.r Curso Tologi Mtril ompilo por José Joquim Gonçlvs Fri Assssori Milton Vill Doutrin Cristã D Jsus Cristo CRISTO DESOBEDECESSE Ministério Smors Plvr PG. DOUTRINA CRISTÃ DE JESUS CRISTO.

Leia mais

E NINGUÉM PODE TIRAR O QUE MEU DEUS ME DÁ A D B SUAS PROMESSAS EM MIM SE CUMPRIRÃO E JÁ POSSO CELEBRAR

E NINGUÉM PODE TIRAR O QUE MEU DEUS ME DÁ A D B SUAS PROMESSAS EM MIM SE CUMPRIRÃO E JÁ POSSO CELEBRAR LÓRI ÚLTIM S Intro: ON HVI SURIÃO LUZ US M MIM RILHOU ON STV SO SUS ÁUS RRMOU MINH OR ULP SOR SI L LVOU UM NOVO NTINO M MUS LÁIOS OLOOU # U VOU, VOU LRR VOU TRNSOR LRI # PORQU LÓRI ÚLTIM S JÁ É MIOR QU

Leia mais

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente:

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente: TEMPO TOTAL APLICADO: h m TOTAL PONTOS TURMA Nom: Dt: / Hor: h m às h m Toos os iritos rsrvos. Proii rproução totl ou pril sts págins sm utorizção CTA Eltrôni Rsolv os prolms ssinl ltrntiv orrsponnt: 01)

Leia mais

ORION 6. Segunda Porta USB. Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas Ltda.

ORION 6. Segunda Porta USB. Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas Ltda. ORION 6 Sgun Port USB Hnry Equipmntos Eltrônios Sistms Lt. Ru Rio Piquiri, 400 - Jrim Wissópolis Cóigo Postl: 83.322-010 Pinhis - Prná - Brsil Fon: +55 41 3661-0100 INTRODUÇÃO: Pr orrto unionmnto, é nssário

Leia mais

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente:

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente: TEMPO TOTAL APLICADO: h m www.tltroni.om.r TOTAL PONTOS TURMA Nom: Dt: / Hor: h m às h m Toos os iritos rsrvos. Proii rproução totl ou pril sts págins sm utorizção CTA Eltrôni Rsolv os prolms ssinl ltrntiv

Leia mais

NESS-A TOUCH SCREEN 7" C/ MODEM

NESS-A TOUCH SCREEN 7 C/ MODEM 6 7 8 9 0 QUIPMNTOS ONTROLOS OMPRSSOR LTRNTIVO // LTRÇÃO LYOUT-IM MUTI PR SOPOST OTÃO MRÊNI LLN9 0 07/0/ LTRÇÃO O MOM O LYOUT LOUV 7 0 06// INLUSÃO O ORINTTIVO O LÇO OMUNIÇÃO IO V. 00 8/0/ INIIL TOS R.

Leia mais

GÁLATAS. Não Há Outro Evangelho 6

GÁLATAS. Não Há Outro Evangelho 6 GÁLATAS Cpítulo Pulo, póstolo nvio, não prt homns nm por mio psso lgum, ms por Jsus Cristo por Dus Pi, qu o rssusitou os mortos, toos os irmãos qu stão omigo, às igrjs Glái: A voês, grç pz prt Dus nosso

Leia mais

1 A ELE A GLÓRIA 2 AINDA QUE A FIGUEIRA 3 AO ERGUERMOS 4 ATRAI O MEU CORAÇÃO 5 DEUS É BOM 6 EM ESPÍRITO, EM VERDADE 7 EM TODO TEMPO 8 EU TE QUERO

1 A ELE A GLÓRIA 2 AINDA QUE A FIGUEIRA 3 AO ERGUERMOS 4 ATRAI O MEU CORAÇÃO 5 DEUS É BOM 6 EM ESPÍRITO, EM VERDADE 7 EM TODO TEMPO 8 EU TE QUERO 1 L GLÓRI 2 IND QU FIGUIR 3 O RGURMOS 4 TRI O MU CORÇÃO 5 DUS É OM 6 M SPÍRITO, M VRDD 7 M TODO TMPO 8 U T QURO 9 LOUV 10 LOUV TI 11 MIS QU UM MIGO 12 M DLITO M TI 13 ND LÉM DO SNGU 14 O LÃO D TRIO D JUDÁ

Leia mais

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente:

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente: ELETRÔNICA TEMPO TOTAL APLICADO: h m www.tltroni.om.r TOTAL PONTOS TURMA Nom: Dt: / Hor: h m às h m Rsolv os prolms ssinl ltrntiv orrsponnt: Toos os iritos rsrvos. Proii rproução totl ou pril sts págins

Leia mais

RESOLUÇÃO DE EQUAÇÕES POR MEIO DE DETERMINANTES

RESOLUÇÃO DE EQUAÇÕES POR MEIO DE DETERMINANTES RESOLUÇÃO DE EQUAÇÕES POR EIO DE DETERINANTES Dtrmt um mtrz su orm Sj mtrz: O trmt st mtrz é: Emlo: Vmos suor o sstm us quçõs om us óts y: y y Est sstm quçõs o sr srto orm mtrl: y Est qução r três mtrzs:.

Leia mais

ANEXO II MODELO DE PROPOSTA

ANEXO II MODELO DE PROPOSTA Plnih01 ANEXO II MODELO DE PROPOSTA Lot Itm Dsrição Uni 1 2 3 4 5 Imprssão CARTAZ: Formto A4, 21x29,7 m, Ppl rilo, 120 g/m² Nº ors: 4/0 ors. Qunti Rgistrr: 6.000 Imprssão CARTAZ: Formto A4, 21x29,7 m Ppl

Leia mais

QUESTIONÁRIO DO DIRETOR. Senhor(a) Diretor(a),

QUESTIONÁRIO DO DIRETOR. Senhor(a) Diretor(a), 2013 QUSTONÁRO O RTOR Senhor(a) iretor(a), s avaliações do Sistema Nacional de valiação da ducação ásica (S) são compostas por dois tipos de instrumentos de avaliação: as provas aplicadas aos estudantes

Leia mais

1 PEDRO. Capítulo 1. Louvor a Deus por uma Esperança Viva 3

1 PEDRO. Capítulo 1. Louvor a Deus por uma Esperança Viva 3 PEDRO Pro, póstolo Jsus Cristo, Cpítulo os litos Dus, prgrinos isprsos no Ponto, n Glái, n Cpói, n províni Ási n Bitíni, 2 solhios oro om o pré-onhimnto Dus Pi, pl or sntiior o Espírito, pr oiêni Jsus

Leia mais

DIAGRAMA DE INTERLIGAÇÃO DE AUTOMAÇÃO EXXA -SL

DIAGRAMA DE INTERLIGAÇÃO DE AUTOMAÇÃO EXXA -SL 3 4 7 8 9 0 QUIPMNTOS ONTROLOS XX SL (L44) - RJ4- /SNSORS - IM SOPOR 30.400.83.7 XX SL (L44) - RJ4- /SNSORS - IM MUTIR 30.400.84. IRM INTRLIÇÃO UTOMÇÃO XX -SL 3 0// INTIIÇÃO OS SNSORS UMI PRSSÃO /03/4

Leia mais

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente:

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente: ELETRÔNICA TEMPO TOTAL APLICADO: h m www.tltroni.om.r TOTAL PONTOS TURMA Nom: Dt: / Hor: h m às h m Rsolv os prolms ssinl ltrntiv orrsponnt: Toos os iritos rsrvos. Proii rproução totl ou pril sts págins

Leia mais

Eu sou feliz, tu és feliz CD Liturgia II (Caderno de partituras) Coordenação: Ir. Miria T. Kolling

Eu sou feliz, tu és feliz CD Liturgia II (Caderno de partituras) Coordenação: Ir. Miria T. Kolling Eu su iz, s iz Lirgi II (drn d prtirs) rdnçã: Ir. Miri T. King 1) Eu su iz, s iz (brr) & # #2 4. _ k.... k. 1 Eu su "Eu su iz, s iz!" ( "Lirgi II" Puus) iz, s _ iz, & # º #.. b... _ k _. Em cm Pi n cn

Leia mais

QUESTIONÁRIO. Senhor(a) Professor(a),

QUESTIONÁRIO. Senhor(a) Professor(a), 2013 QUSTIONÁRIO O PROSSOR Senhor(a) Professor(a), O Sistema Nacional de valiação da ducação ásica, S, é composto por dois tipos de instrumentos de avaliação: as provas aplicadas aos estudantes e os questionários

Leia mais

Teoria dos Grafos Aula 11

Teoria dos Grafos Aula 11 Tori dos Gros Aul Aul pssd Gros om psos Dijkstr Implmntção Fil d prioridds Hp Aul d hoj MST Algoritmos d Prim Kruskl Propridds d MST Dijkstr (o próprio) Projtndo um Rd $ $ $ $ $ Conjunto d lolidds (x.

Leia mais

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente:

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente: ELETRÔNICA TEMPO TOTAL APLICADO: h m www.tltroni.om.r TOTAL PONTOS TURMA Nom: Dt: / Hor: h m às h m Toos os iritos rsrvos. Proii rproução totl ou pril sts págins sm utorizção CTA Eltrôni Rsolv os prolms

Leia mais

= 1, independente do valor de x, logo seria uma função afim e não exponencial.

= 1, independente do valor de x, logo seria uma função afim e não exponencial. 6. Função Eponncil É todo função qu pod sr scrit n form: f: R R + = Em qu é um númro rl tl qu 0

Leia mais

O Uso da Álgebra Linear nas Equações Diferenciais

O Uso da Álgebra Linear nas Equações Diferenciais Uso d Álgr ir s Equçõs ifriis íi Gri ol úi Rsd rir Bofim Fuldd d mái FT Uivrsidd Fdrl d Urlâdi UFU 88 - Urlâdi ril d 8 Rsumo Álgr ir é um supor mmáio pr muis árs d iêi Vrmos omo lgus d sus rsuldos podm

Leia mais

MESTRADO INTEGRADO EM ENGENHARIA INFORMÁTICA E COMPUTAÇÃO EIC0011 MATEMÁTICA DISCRETA

MESTRADO INTEGRADO EM ENGENHARIA INFORMÁTICA E COMPUTAÇÃO EIC0011 MATEMÁTICA DISCRETA 1. Tm 40 livros irnts qu vi gurr m 4 ixs ors irnts, olono 10 livros m ix.. Qunts possiilis tm istriuir os livros pls ixs irnts? Justiiqu.. Suponh gor qu tinh 60 livros. Qunts possiilis pr os olor ns 4

Leia mais

+ fotos e ilustrações técnicas de outras usinas

+ fotos e ilustrações técnicas de outras usinas Imgns problms mbintis no sul Snt Ctrin, corrnts s tivis minrção crvão, su lvgm su uso m usin trmlétric + fotos ilustrçõs técnics outrs usins Fotos fits por Oswl Svá ntr 1992 2001, durnt visits fits juntmnt

Leia mais

Quem falou foi Henrieta, toda arrumada com a camisa de goleira. E tinha mais um monte de gente: Alice, Cecília, Martinha, Edilene, Luciana, Valdete,

Quem falou foi Henrieta, toda arrumada com a camisa de goleira. E tinha mais um monte de gente: Alice, Cecília, Martinha, Edilene, Luciana, Valdete, Cpítul 3 N ã p! Abu! On já viu? Et qu é n! Cê minh mã? Qun mnin chgm p jg nqul ming, qu ncntm? Um gup mnin. D cmit, têni, clçã muit ipiçã. E g? Afinl, qum tinh ti qul ii mluc? D qun vcê gtm futl? pguntu

Leia mais

Paróquia Nossa Senhora do Lago

Paróquia Nossa Senhora do Lago LRI... 10 BR... 10 HV O OFR... 11 OMÇR M MIM... 11 IFIR IRJ... 12 L LÓRI (LF, ÔM)... 12 SOLHI... 12 HOR VZ... 13 JUVNTU É UM SMNT... 14 MSM NÇÃO... 15 MISSÃO O RISTÃO... 16 NÓS SI IVIN LUZ... 17 PZ QU

Leia mais

+12V. 0.1uF/ 100V RL4 :A ULN2003A C3 3 U1:D LIGA/ DESLIGA CARREGADOR. 10uF/ 16V C2 4 1N4148 D1 1 1N K GND 10K BC337 R2 5 CRISTAL DE 2 0 MHZ

+12V. 0.1uF/ 100V RL4 :A ULN2003A C3 3 U1:D LIGA/ DESLIGA CARREGADOR. 10uF/ 16V C2 4 1N4148 D1 1 1N K GND 10K BC337 R2 5 CRISTAL DE 2 0 MHZ ДХILUIR P/ LRR RL_ R To l. er a l es. Num. QU M PRVR IOO P O RROR MIOR V R LMJ U: UZZR R 0 ILUIR P M PRLLO OM ONTTO O RL 0.u/ 00V V R 0 0 R 0 verm elho U: ULN00 U: LMJ 0 ULN00 U: LI/ LI RROR V N R 0u/

Leia mais

Associação de Resistores e Resistência Equivalente

Associação de Resistores e Resistência Equivalente Associção d sistors sistêci Equivlt. Itrodução A ális projto d circuitos rqurm m muitos csos dtrmição d rsistêci quivlt prtir d dois trmiis quisqur do circuito. Além disso, pod-s um séri d csos práticos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, ATUÁRIA, CONTABILIDADE E SECRETARIADO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, ATUÁRIA, CONTABILIDADE E SECRETARIADO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, ATUÁRIA, CONTABILIDADE E SECRETARIADO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Orçmnto Emprsri Copyrit Prir, F. I. Pro. Isiro MINI CASE # 12

Leia mais

3 Proposição de fórmula

3 Proposição de fórmula 3 Proposição fórmula A substituição os inos plos juros sobr capital próprio po sr um important instrumnto planjamnto tributário, sno uma rução lgal a tributação sobr o lucro. Nos últimos anos, a utilização

Leia mais

Encontro na casa de Dona Altina

Encontro na casa de Dona Altina Ano 1 Lagdo, Domingo, 29 d junho d 2014 N o 2 Encontro na casa d Dona Altina Na última visita dos studants da UFMG não foi possívl fazr a runião sobr a água. Houv um ncontro com a Associação Quilombola,

Leia mais

DIAGRAMA DE INTERLIGAÇÃO DE AUTOMAÇÃO NESS LRC MULTILINHAS C/ IHM

DIAGRAMA DE INTERLIGAÇÃO DE AUTOMAÇÃO NESS LRC MULTILINHAS C/ IHM 4 5 6 7 8 9 0 QUIPNOS ONROLOS 5 LINS RSRIOS OU LINS ONLOS LIN RSRIOS IR INRLIÇÃO UOÇÃO NSS LR ULILINS O I 8 0/0/5 URÇÃO LRÇÃO OS UNIUS, RPOSIIONNO O POLI LRÇÂO N LIS RIIS LOUV 7 7 0/0/5 LRO O LYOU, SUSIUIO

Leia mais

CD CIA DE JOÃO BATISTA - 1. PREPARAI O CAMINHO INTR: C9 SOMOS UM POVO CLAMANDO POR JESUS QUE VENHA O SEU REINO SOBRE NÓS

CD CIA DE JOÃO BATISTA - 1. PREPARAI O CAMINHO INTR: C9 SOMOS UM POVO CLAMANDO POR JESUS QUE VENHA O SEU REINO SOBRE NÓS C CI JOÃO BTIST - 1. PRPRI O CMINHO INTR: SOMOS UM POVO CLMNO POR JSUS QU VNH O SU RINO SOBR NÓS VOZ OS SUS PROFTS S OUVIRÁ m7 PRPRI O CMINHO O SNHOR COMO UM NOIV O SU NOIVO SPRR C NSIMOS SU VOLT ÓH JSUS,

Leia mais

Anexo IV Estrutura societária. Estrutura societária vigente

Anexo IV Estrutura societária. Estrutura societária vigente tdt ntrg o Anxo: (Pr uso o BNA) Bno Nionl Angol Prtiipçõs Anxo IV Estrutur soitári Estrutur soitári vignt D orm rir o umprimnto os rquisitos lgis stlios n Li s Instituiçõs Finnirs, nos trmos o Aviso nº

Leia mais

Uma nota sobre bissetrizes e planos bissetores

Uma nota sobre bissetrizes e planos bissetores Runs Ros Ortg Junior 83 Um not sor isstris pnos isstors Runs Ros Ortg Junior Doutor Curso Mtmáti Univrsi Tuiuti o rná Dprtmnto Mtmáti Univrsi Fr o rná Tuiuti: Ciêni Cutur n 9 FCET 4 pp 83-9 Curiti r 84

Leia mais

CATÁLOGO DE PEÇAS COLHEDORA DE CAPIM. Rev /01

CATÁLOGO DE PEÇAS COLHEDORA DE CAPIM. Rev /01 TÁLOO PÇS Rev. 0.0/0 OLOR PIM N 00 Implementos Netz Ltda. one: () -7 / -00 ndereço: RS, KM, - ao lado da O do rasil Santa Rosa - RS ÍNI N00 (VISÃO RL OLOR PIM) 0 N00 (LIST PÇS OLOR PIM) 0 N0 (J MT I) 0

Leia mais

A atual relevância do ensino do inglês jurídico nos cursos de graduação em Direito

A atual relevância do ensino do inglês jurídico nos cursos de graduação em Direito A tul rlvânci nsino nos cursos grdução m Brv rflxão crc d ncssid s pssr lcionr o nos cursos grdução m sort mlhor prprr os futuros profissionis r pr o xrcício d dvocci mgistrtur promotori Cro migo litor:

Leia mais

Plugues e Tomadas Industriais

Plugues e Tomadas Industriais Plugues e Toms Inustriis Linh Inustril Instlções mis onfiáveis e segurs. CARACTERÍSTICAS GERAIS A Linh e Plugs e Toms Inustriis Soprno é ini pr onexão e iversos equipmentos, em mientes sujeitos pó, águ,

Leia mais

Fontes Bibliográficas. Estruturas de Dados Aula 15: Árvores. Introdução. Definição Recursiva de Árvore

Fontes Bibliográficas. Estruturas de Dados Aula 15: Árvores. Introdução. Definição Recursiva de Árvore Fonts Biliográis Estruturs Dos Aul 15: Árvors 24/05/2009 Livros: Introução Estruturs Dos (Cls, Crquir Rngl): Cpítulo 13; Projto Algoritmos (Nivio Zivini): Cpítulo 5; Estruturs Dos sus Algoritmos (Szwritr,

Leia mais

Taxi: Opção mais rápida e cara. Deve ser evitada, a não ser que você privilegie o conforte

Taxi: Opção mais rápida e cara. Deve ser evitada, a não ser que você privilegie o conforte Vi vijr pr? Situ-s com nosss dics roportos trns mtrôs Chgd m Avião: Aroporto Hthrow: Situdo crc 20 km ost um dos mis movim ntdos d Europ possui cinco trminis Dpois pssr pls formlids imigrção pgr su bggm

Leia mais

CAPÍTULO 9 COORDENADAS POLARES

CAPÍTULO 9 COORDENADAS POLARES Luiz Frncisco d Cruz Drtmnto d Mtmátic Uns/Buru CAPÍTULO 9 COORDENADAS POLARES O lno, tmbém chmdo d R, ond R RR {(,)/, R}, ou sj, o roduto crtsino d R or R, é o conjunto d todos os rs ordndos (,), R El

Leia mais

CD RESGATAI A NOIVA - 1. EL SHADAI

CD RESGATAI A NOIVA - 1. EL SHADAI C RSATAI A NOIVA - 1. L SHAAI F9 Bb9 C4 F9 L SHAAI, TOO POROSO ÉS F9 Bb9 C4 m7 L SHAAI, NÃO HÁ OUTRO US IUAL F9 Bb9 C4 m7 L SHAAI, OMÍNIO STÁ M SUAS MÃOS Bb9 C4 F9 POROSO L SHAAI C F9 MU ABA PAI PROVOR,

Leia mais

Borboletas da vida. Direção de Vagner de Almeida. Rio de Janeiro: Abia, 2004, 38 min.

Borboletas da vida. Direção de Vagner de Almeida. Rio de Janeiro: Abia, 2004, 38 min. Borbolts d vid. Dirção Vgnr Almid. Rio Jniro: Abi, 2004, 38 min. BASTA um di. Dirção Vgnr Almid. Rio Jniro: Abi, 2006, 55min. Brnic Bnto Univrsid Doutor m Brclon. Sociologi Autor pl Univrsid s livr A Rinvnção

Leia mais

Prgrmçã O Mu s u Év r, p r l ém f rcr s s i g ns «vi s i t s cl áss i cs» qu cri m s p nt s c nt ct nt r s di v rs s p úb l ic s qu vi s it m s c nt ú d s d s u ri c s p ó l i, p r cu r, c nc m i t nt

Leia mais

O SENHOR JESUS CRISTO

O SENHOR JESUS CRISTO O SENHOR JESUS CRISTO I. SUA EXISTÊNCIA A) Provada pelo Antigo Testamento: (Mq 5.2; Is 9:6 Pai da Eternidade ) B) Provada pelo Novo Testamento: 1) João 1.1, em comparação com o versículo 14. 2) Jo 8.58

Leia mais

UTL Faculdade de Motricidade Humana. Mestrado em Reabilitação Psicomotora. Estágio CERCI Lisboa

UTL Faculdade de Motricidade Humana. Mestrado em Reabilitação Psicomotora. Estágio CERCI Lisboa UTL Fculd Motricid Humn Mstrdo m Rbilitção Psicomotor Estágio CERCI Lisbo Sssão Activid no Mio Aquático 16/11/2011 Clint: C.M., L.V., A.E., F.C. S.C. domínio Nom Dscrição Obj. Esp. Mtriis Estrtégis Critério

Leia mais

Treino de Liderança Saúde Quatro Disciplinas Essenciais Perguntas de Avaliação

Treino de Liderança Saúde Quatro Disciplinas Essenciais Perguntas de Avaliação Trino Lirnç Sú Qutro Disiplins Essniis Prgunts Avlição Romnmos qu voê srv sus rsposts m um pço ppl pr qu voê poss pssr sus olgs trlho migos st urso. MÓDULO 1: INTRODUÇÃO 1. Qul os sguints são ojtivos prinipis

Leia mais

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente:

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente: ELETRÔNICA TEMPO TOTAL APLICADO: h m www.tltroni.om.r TOTAL PONTOS TURMA Nom: Dt: / Hor: h m às h m Toos os iritos rsrvos. Proii rproução totl ou pril sts págins sm utorizção CTA Eltrôni. Rsolv os prolms

Leia mais

BOLETIM DE QUESTÕES PROVA TIPO 2 2ª ETAPA

BOLETIM DE QUESTÕES PROVA TIPO 2 2ª ETAPA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ BOLETIM DE QUESTÕES PROVA TIPO 2 2ª ETAPA LEIA, COM ATENÇÃO, AS SEGUINTES INSTRUÇÕES 1. Est Boltim Qustõs é onstituío 60 qustõs ojtivs. 2. Voê rrá, tmém um CARTÃO-RESPOSTA

Leia mais

Lição 07 A COMUNIDADE DO REI

Lição 07 A COMUNIDADE DO REI Lição 07 A COMUNIDADE DO REI OBJETIVO: Apresentar ao estudante, o ensino bíblico sobre a relação entre a Igreja e o Reino de Deus, para que, como súdito desse reino testemunhe com ousadia e sirva em amor.

Leia mais

Lista de Exercícios 9: Soluções Grafos

Lista de Exercícios 9: Soluções Grafos UFMG/ICEx/DCC DCC111 Mtmáti Disrt List Exríios 9: Soluçõs Gros Ciênis Exts & Engnhris 2 o Smstr 2016 1. O gro intrsção um olção onjuntos A 1, A 2,..., A n é o gro qu tm um vérti pr um os onjuntos olção

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MORTÁGUA Geometria Ficha de Trabalho Nº 02 10º Ano

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MORTÁGUA Geometria Ficha de Trabalho Nº 02 10º Ano AGUPAMENO DE EOLA DE MOÁGUA Gomti Fih lho Nº 0 0º Ano Osv igu o lo... Ini so istm: ois plnos ppniuls us ts plls um t post um plno um t snt o plno FIH us ts não omplns. s oons os vétis... Qul posição ltiv

Leia mais

SUAVIZAÇÃO DA FRONTEIRA DEA: O CASO BCC N-DIMENSIONAL COM MULTIPLICIDADE SIMULTÂNEA DOS INPUTS E DOS OUTPUTS

SUAVIZAÇÃO DA FRONTEIRA DEA: O CASO BCC N-DIMENSIONAL COM MULTIPLICIDADE SIMULTÂNEA DOS INPUTS E DOS OUTPUTS SUAVIZAÇÃO DA FRONTEIRA DEA: O CASO BCC N-DIMENSIONAL COM MULTIPLICIDADE SIMULTÂNEA DOS INPUTS E DOS OUTPUTS Flávi Bini Ni Mstro Ennhri Proução Univrsi Frl Fluminns Ru Psso Pátri, 5, São Dominos, CEP:

Leia mais

Deus o chamou para o ministério da palavra e do ensino também. Casou-se aos 21 de idade com a ministra de louvor Elaine Aparecida da Silva

Deus o chamou para o ministério da palavra e do ensino também. Casou-se aos 21 de idade com a ministra de louvor Elaine Aparecida da Silva Biografia Jessé de Souza Nascimento, nascido em 11/04/1986 em um lar evangélico. Filho de Adão Joaquim Nascimento e Maria de Souza Nascimento. Cresceu sendo ensinado dentro da palavra de Deus e desde muito

Leia mais

Apenas 5% dos Brasileiros sabem falar Inglês

Apenas 5% dos Brasileiros sabem falar Inglês Apns 5% ds Brsilirs sb flr Inglês D crd cm um lvntmnt fit pl British Cncil pns 5% d ppulçã sb fl r Dvs lbrr stms épcs pré-vnts sprtivs s lhs d mund td cmçm s vltr cd vz mis pr Brsil pr iss nã bst dminr

Leia mais

======================== ˆ_ ˆ«

======================== ˆ_ ˆ« Noss fest com Mri (Miss pr os simpes e pequenos, inspirdo em Jo 2,112) ( Liturgi I Puus) 1) eebremos n egri (bertur) Rgtime & c m m.. _ m m.. _ e e bre mos n_ e gri, nos s fes t com M ri : & _.. _ º....

Leia mais

RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA UNICAMP-FASE 2. 2014 RESOLUÇÃO: PROFA. MARIA ANTÔNIA C. GOUVEIA

RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA UNICAMP-FASE 2. 2014 RESOLUÇÃO: PROFA. MARIA ANTÔNIA C. GOUVEIA RESOLUÇÃO D PROV DE MTEMÁTIC UNICMP-FSE. PROF. MRI NTÔNI C. GOUVEI. é, sem úv, o lmento refero e mutos ulsts. Estm-se que o onsumo áro no Brsl sej e, mlhão e s, seno o Esto e São Pulo resonsável or % esse

Leia mais

Índia Até o bicho separa o lixo

Índia Até o bicho separa o lixo Opror Máquins Agríols Nº Insrição: Pró-Ritori Gstão Pssos Univrsi Frl Snt Mri Prt I Língu Portugus Pr rsponr às qustõs númros 01 10, li os txtos sguir. Txto I Txto II Txto III OBICHO Vi ontm um iho N imuníi

Leia mais

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 D A T A D E A B E R T U R A : 2 9 d e d e z e m b r o d e 2 0 1 0 H O R Á R I O : 9:0 0 h o r a s L O C A L D A S E S S Ã O P Ú B L I C A: S a l a d a C P L/

Leia mais

ÍNDICE PREFÁCIO 9 O GREGO 9 FONÉTICA 11 MORFOLOGIA 23 PARTE PARTE CAPÍTULO I 25 ARTIGO CAPÍTULO II 26 SUBSTANTIVOS. QUADRO GERAL DAS DESINÊNCIAS

ÍNDICE PREFÁCIO 9 O GREGO 9 FONÉTICA 11 MORFOLOGIA 23 PARTE PARTE CAPÍTULO I 25 ARTIGO CAPÍTULO II 26 SUBSTANTIVOS. QUADRO GERAL DAS DESINÊNCIAS ÍNI 1 PRT 2 PRT PRÁIO 9 O GRGO 9 ONÉTI 11 LTO GRGO PRONÚNI TRIIONL... 12 SONS LÍNGU GRG... 13 ONSONTS QU POM INLIZR PLVRS... 13 MOIIÇÕS ONÉTIS... 14 1. SÍLS... 15 2. ONTRÇÃO... 16 3. RS... 16 4. LISÃO...

Leia mais

Código PE-ACSH-2. Título:

Código PE-ACSH-2. Título: CISI Ctro Itrção Srvços Iformtc rão Excução Atv Itr o CISI Cóo Emto por: Grêc o Stor 1. Objtvo cmpo plcção Est ocumto tm como fl fr o prão brtur chmos suport o CISI. A brtur chmos é rlz o sstm hlpsk, qu

Leia mais

1 Sm ª 13. Então, se dispôs Davi com os seus homens, uns seiscentos, saíram de Queila e se foram sem rumo certo. Ziclague

1 Sm ª 13. Então, se dispôs Davi com os seus homens, uns seiscentos, saíram de Queila e se foram sem rumo certo. Ziclague 1 Sm. 23.13ª 13 Então, s dspôs Dv om os ss homns, ns ssntos, sírm d Q s form sm rmo rto. Z 1 Sm 27.1-3 1 Dss, porém, Dv onso msmo: Pod sr q m d vnh prr ns mãos d S; nd há, pos, mhor pr mm do q fr pr trr

Leia mais

DIAGRAMA DE INTERLIGAÇÃO DE AUTOMAÇÃO NESS P2 COM SENSORES NESS P2 SEM SENSORES

DIAGRAMA DE INTERLIGAÇÃO DE AUTOMAÇÃO NESS P2 COM SENSORES NESS P2 SEM SENSORES 0 QUIPMTOS OTROLOS OMPRSSOR PRUSO IRM ITRLIÇÃO UTOMÇÃO 0.0.. SS P OM SSORS 0.0..0 SS P SM SSORS /0/ ILUSÃO O MOLO SM SSORS 0/0/ LTRÇÃO MR O TRSUTOR ORRT URO URO /0/ RVISÃO S IMSÕS O LYOUT /0/ LTRÇÃO O

Leia mais

Ana Carolina.doc - 1 -

Ana Carolina.doc - 1 - na arolina.doc Me Sento na Rua Tom: Intro:,, Me sento na rua em frente as horas omo a qualquer hora assim mesmo eu sou Sou de qualquer jeito nem tudo eu respeito Pra onde for o vento eu vou Pano de mesa

Leia mais

Germinação de Sementes

Germinação de Sementes Grminção Smnts Monootilôns Euiotilôns rminção pí rminção hipó Smnts nospémis Smnts não nospémis rof. Mrlo F. omplli Dr. m Fisioloi Vtl Fisioloi Vtl BO248 turm L1 hsolus vulris L. Z mys L. Grminção smnt:

Leia mais

Faculdade de saúde Pública. Universidade de São Paulo HEP-5705. Epidemiologia I. Estimando Risco e Associação

Faculdade de saúde Pública. Universidade de São Paulo HEP-5705. Epidemiologia I. Estimando Risco e Associação 1 Fuldde de súde Públi Universidde de São Pulo HEP-5705 Epidemiologi I Estimndo Riso e Assoição 1. De 2.872 indivíduos que reeberm rdioterpi n infâni em deorrêni de presentrem o timo umentdo, 24 desenvolverm

Leia mais

SUA APARIÇÃO E SUA VINDA

SUA APARIÇÃO E SUA VINDA SUA APARIÇÃO E SUA VINDA QUAL É A DIFERANÇA ENTRE SUA APARIÇÃO E SUA VINDA I Timóteo 6.14Que guardes este mandamento sem mácula e repreensão, até à aparição de nosso Senhor Jesus Cristo; Tito 2.13 13 Aguardando

Leia mais

Cifras. Tomo posse tom: G. letra e música: Elias e Alice Passos. G F- C F G F C F Tomo posse das promessas

Cifras. Tomo posse tom: G. letra e música: Elias e Alice Passos. G F- C F G F C F Tomo posse das promessas INTROUÇÃO: F F F- F F F Tomo posse das promessas F- F F F Sou herdeiro, herdeiro de eus m Tudo posso no Senhor BM Sou mais que vencedor onquistarei a terra Não temerei gigantes u saltarei muralhas F m

Leia mais

Alteração da seqüência de execução de instruções

Alteração da seqüência de execução de instruções Iníci Busc d próxim Excut Prd Cicl busc Cicl xcuçã Prgrm Sqüênci instruçõs m mmóri Trdutr : Cmpilr X Intrprtr / Linkditr Cnvrt prgrm-fnt m prgrm bjt (lingugm máqui) Prgrm cmpil = mis rápi Prgrm Intrprt

Leia mais

ASSEMBLEIA DO RENOVAMENTO CARISMÁTICO DA DIOCESE DO PORTO 21 de Abril de 2012

ASSEMBLEIA DO RENOVAMENTO CARISMÁTICO DA DIOCESE DO PORTO 21 de Abril de 2012 ASSEMBLEIA DO RENOVAMENTO CARISMÁTICO DA DIOCESE DO PORTO 21 de Abril de 2012 Mantendo-vos, portanto, firmes, tendo cingido os vossos rins com a verdade, vestindo a couraça da justiça e calçando os pés

Leia mais

QUEBRANTADO (SWEETLY BROKEN Jeremy Riddle / Versão: Vineyar Music Brasil)

QUEBRANTADO (SWEETLY BROKEN Jeremy Riddle / Versão: Vineyar Music Brasil) QURNTO (SWTLY ROKN Jeremy Riddle / Versão: Vineyar Music rasil) U OLHO PR RUZ PR RUZ U VOU m O SU SOFRR PRTIIPR F SU OR VOU NTR MU SLVOR N RUZ MOSTROU m O MOR O PI F O JUSTO US PL RUZ M HMOU m NTILMNT

Leia mais

Comunidade Vida em Família Ministério de Intercessão Curso de Intercessão I.

Comunidade Vida em Família Ministério de Intercessão Curso de Intercessão I. Comunidade Vida em Família Ministério de Intercessão Curso de Intercessão I. Introdução. Na Carta aos Efésios 6.18, podemos perceber que há diversos tipos de oração, instruindo-nos o Espírito Santo que

Leia mais

Nós não estamos aqui para dizer que Davi foi o maior exemplo de pai

Nós não estamos aqui para dizer que Davi foi o maior exemplo de pai E há de ser que, se ouvires tudo o que eu te mandar, e andares pelos meus caminhos, e fizeres o que é reto aos meus olhos, guardando os meus estatutos e os meus mandamentos, como fez Davi, meu servo, eu

Leia mais

igrejabatistaagape.org.br [1] Deus criou o ser humano para ter comunhão com Ele, mas ao criá-lo concedeu-lhe liberdade de escolha.

igrejabatistaagape.org.br [1] Deus criou o ser humano para ter comunhão com Ele, mas ao criá-lo concedeu-lhe liberdade de escolha. O Plano da Salvação Contribuição de Pr. Oswaldo F Gomes 11 de outubro de 2009 Como o pecado entrou no mundo e atingiu toda a raça humana? [1] Deus criou o ser humano para ter comunhão com Ele, mas ao criá-lo

Leia mais

O povo da graça: um estudo em Efésios # 34 Perseverando com graça - Efésios 6.18-24

O povo da graça: um estudo em Efésios # 34 Perseverando com graça - Efésios 6.18-24 Perseverando com graça Efésios 6.18-24 O povo da graça: um estudo em Efésios # 34 18 Orem no Espírito em todas as ocasiões, com toda oração e súplica; tendo isso em mente, estejam atentos e perseverem

Leia mais

ERROS ESTACIONÁRIOS. Controle em malha aberta. Controle em malha fechada. Diagrama completo. Análise de Erro Estacionário CONSTANTES DE ERRO

ERROS ESTACIONÁRIOS. Controle em malha aberta. Controle em malha fechada. Diagrama completo. Análise de Erro Estacionário CONSTANTES DE ERRO ERROS ESTACIONÁRIOS Control Mlh Abrt Fhd Constnts d rro Tios d sistms Erros unitários Exmlo Control m mlh brt Ação bási, sm rlimntção A ntrd do ontroldor é um sinl d rrêni A síd do ontroldor é o sinl d

Leia mais

Rev /00. Metalúrgica Netz Ltda. Fone/FAX: (55) Endereço: RS 344, KM 43,5 - ao lado da AGCO do Brasil. Santa Rosa - RS.

Rev /00. Metalúrgica Netz Ltda. Fone/FAX: (55) Endereço: RS 344, KM 43,5 - ao lado da AGCO do Brasil. Santa Rosa - RS. TÁLOO PÇS Rev. 05.2013/00 ROÇIR Metalúrgica Netz Ltda. one/x: (55) 3511-1500 ndereço: RS 344, KM 43,5 - ao lado da O do rasil. Santa Rosa - RS. ÍNI R 1,3 (VISÃO RL ROIR RIOL 1300) 01 R 1,3 (LIST PÇS ROIR

Leia mais

BOLETIM DE QUESTÕES PROVA TIPO 2

BOLETIM DE QUESTÕES PROVA TIPO 2 UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ BOLETIM DE QUESTÕES PROVA TIPO 2 LEIA, COM ATENÇÃO, AS SEGUINTES INSTRUÇÕES 1. CARTÃO-RESPOSTA stino à mrção s rsposts s 56 qustõs ojtivs. 2. Confir su nom, númro insrição

Leia mais

A Você sabe de onde são estas bandeiras?

A Você sabe de onde são estas bandeiras? Conhno-s mlhor A Voê sa on são stas aniras? 1 Esrva os noms os paíss aaixo as rsptivas aniras. nominação paíss inormaçõs pssoais prguntar pla proissão azr uma suposição ontar (até 102) rvlar a ia Almanha

Leia mais

Transporte de solvente através de membranas: estado estacionário

Transporte de solvente através de membranas: estado estacionário Trnsporte de solvente trvés de membrns: estdo estcionário Estudos experimentis mostrm que o fluxo de solvente (águ) em respost pressão hidráulic, em um meio homogêneo e poroso, é nálogo o fluxo difusivo

Leia mais

A Bíblia realmente afirma que Jesus

A Bíblia realmente afirma que Jesus 1 de 7 29/06/2015 11:32 esbocandoideias.com A Bíblia realmente afirma que Jesus Cristo é Deus? Presbítero André Sanchez Postado por em: #VocêPergunta Muitas pessoas se confundem a respeito de quem é Jesus

Leia mais

Expressão Semi-Empírica da Energia de Ligação

Expressão Semi-Empírica da Energia de Ligação Exprssão Smi-Empíric d Enrgi d Ligção om o pssr do tmpo n usênci d um tori dtlhd pr dscrvr strutur nuclr, vários modlos form dsnvolvidos, cd qul corrlcionndo os ddos xprimntis d um conjunto mis ou mnos

Leia mais

+ = x + 3y = x 1. x + 2y z = Sistemas de equações Lineares

+ = x + 3y = x 1. x + 2y z = Sistemas de equações Lineares Sisms d quçõs Linrs Equção Linr Tod qução do ipo:.. n n Ond:,,., n são os ofiins;,,, n são s inógnis; é o rmo indpndn. E.: d - Equção Linr homogên qundo o rmo indpndn é nulo ( ) - Um qução linr não prsn

Leia mais

A Bíblia nessa passagem a história de um homem que queria deixar de ser cego.

A Bíblia nessa passagem a história de um homem que queria deixar de ser cego. Mensagem: O HOMEM QUE ABRIU OS OLHOS PARA DEUS Pastor: José Júnior Dia: 22/09/2012 sábado AMAZON JOVENS Texto-base: Lucas 18:35-43 A Bíblia nessa passagem a história de um homem que queria deixar de ser

Leia mais

Pontos de Alagamento com Mais de 4 Ocorrências Anuais Período: 2005-2013

Pontos de Alagamento com Mais de 4 Ocorrências Anuais Período: 2005-2013 PSP local referencia Recorrências RÃO ORS V PRO OSQU SU V RÃO ORS V PRO S STOS R RÃO ORS V PRO S STOS R RÃO ORS V PRO S SVR R RÃO ORS V PRO US O V RÃO ORS V PRO RR R RÃO ORS V PRO U STO V RÃO ORS V PRO

Leia mais

COMO E ONDE OS DONS DE PODER SE MANIFESTAM

COMO E ONDE OS DONS DE PODER SE MANIFESTAM DONS DE PODER Lição 4-27 de Abril de 2014 Texto Áureo: I Coríntios 2.4 A minha palavra, e a minha pregação, não consistiram em palavras persuasivas de sabedoria humana, mas em demonstração de Espírito

Leia mais

1º semestre de Engenharia Civil/Mecânica Cálculo 1 Profa Olga (1º sem de 2015) Função Exponencial

1º semestre de Engenharia Civil/Mecânica Cálculo 1 Profa Olga (1º sem de 2015) Função Exponencial º semestre de Engenhri Civil/Mecânic Cálculo Prof Olg (º sem de 05) Função Eponencil Definição: É tod função f: R R d form =, com R >0 e. Eemplos: = ; = ( ) ; = 3 ; = e Gráfico: ) Construir o gráfico d

Leia mais

2015 O ANO DE COLHER ABRIL - 1 A RUA E O CAMINHO

2015 O ANO DE COLHER ABRIL - 1 A RUA E O CAMINHO ABRIL - 1 A RUA E O CAMINHO Texto: Apocalipse 22:1-2 Então o anjo me mostrou o rio da água da vida que, claro como cristal, fluía do trono de Deus e do Cordeiro, no meio da RUA principal da cidade. De

Leia mais

SISTEMA DE PONTO FLUTUANTE

SISTEMA DE PONTO FLUTUANTE Lógica Matmática Computacional - Sistma d Ponto Flutuant SISTEM DE PONTO FLUTUNTE s máquinas utilizam a sguint normalização para rprsntação dos númros: 1d dn * B ± 0d L ond 0 di (B 1), para i = 1,,, n,

Leia mais

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I 1 3Mr P e re s, R e s e r h D i re t r I D C B rs i l Br 0 0metr Cis e Bn L rg n Brsil, 2005-201 0 R e s l t s P ri m e i r T ri m e s t re e 2 0 0 7 Prer r Prer r Met e Bn Lrg em 2 0 1 0 n Brs i l : 10

Leia mais

Leiamos o Texto Sagrado:

Leiamos o Texto Sagrado: Um encontro com Jesus Mateus 14.22-32 Pr. Fernando Fernandes (PIB em Penápolis) Cristo em Casa Glicério, 27/08/2009 Leiamos o Texto Sagrado: Logo em seguida, Jesus insistiu com os discípulos para que entrassem

Leia mais

HAMARTIOLOGIA A DOUTRINA DO PECADO

HAMARTIOLOGIA A DOUTRINA DO PECADO Pr. Jorge Luiz Silva Vieira P á g i n a 1 A origem do pecado: HAMARTIOLOGIA A DOUTRINA DO PECADO Deus não pode pecar Ele é Santo (I Pe 1.16; I Jo 1.5) e não pode ser tentado pelo mal e a ninguém tenta

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DAS ESCRITURAS Conforme registra, por exemplo, o salmo 19.1-6, é através da Criação

A IMPORTÂNCIA DAS ESCRITURAS Conforme registra, por exemplo, o salmo 19.1-6, é através da Criação 1 LIÇÃO 1 A IMPORTÂNCIA DAS ESCRITURAS Conforme registra, por exemplo, o salmo 19.1-6, é através da Criação que Deus tem Se revelado ao homem. Deus revela-se também através da Palavra Escrita, a Bíblia

Leia mais