GÁLATAS. Não Há Outro Evangelho 6

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GÁLATAS. Não Há Outro Evangelho 6"

Transcrição

1 GÁLATAS Cpítulo Pulo, póstolo nvio, não prt homns nm por mio psso lgum, ms por Jsus Cristo por Dus Pi, qu o rssusitou os mortos, toos os irmãos qu stão omigo, às igrjs Glái: A voês, grç pz prt Dus nosso Pi o Snhor Jsus Cristo, 4 qu s ntrgou si msmo por nossos pos fim nos rsgtr st prsnt r prvrs, sguno vont nosso Dus Pi, 5 qum sj glóri pr too o smpr. Amém. Não Há Outro Evnglho Amiro-m qu voês stjm nonno tão rpimnt qul qu os hmou pl grç Cristo, pr sguirm outro vnglho 7 qu, n rli, não é o vnglho. O qu oorr é qu lgums pssos os stão prturno, qurno prvrtr o vnglho Cristo. 8 Ms in qu nós ou um njo os éus prgu um vnglho ifrnt qul qu lhs prgmos, qu sj mliçoo! 9 Como já issmos, gor rpito: S lguém lhs nuni um vnglho ifrnt qul qu já rrm, qu sj mliçoo! 0 Aso uso u gor provção os homns ou Dus? Ou stou tntno grr homns? S u in stivss prourno grr homns, não sri srvo Cristo. Pulo, Chmo por Dus Irmãos, quro qu sim qu o vnglho por mim nunio não é origm humn. Não o ri psso lgum nm m foi l nsino; o ontrário, u o ri Jsus Cristo por rvlção. Voês ouvirm qul foi o mu proimnto no juísmo, omo prsgui om violêni igrj Dus, prourno struí-l. 4 No juísmo, u suprv miori os juus minh i, r xtrmmnt zloso s triçõs os mus ntpssos. 5 Ms Dus m sprou s o vntr mtrno m hmou por su grç. Quno lh grou rvlr o su Filho m mim pr qu u o nuniss ntr os gntios, não onsulti psso lgum. 7 Tmpouo sui Jruslém pr vr os qu já rm póstolos nts mim, ms imito prti pr Arái, volti outr vz Dmso. 8 Dpois três nos, sui Jruslém pr onhr Pro pssolmnt, stiv om l quinz is. 9 Não vi nnhum os outros póstolos, não sr Tigo, irmão o Snhor. 0 Qunto o qu lhs srvo, firmo int Dus qu não minto. A sguir, fui pr s rgiõs Síri Cilíi. Eu não r pssolmnt onhio pls igrjs Juéi qu stão m Cristo. Apns ouvim izr: Aqul qu nts nos prsgui, gor stá nunino fé qu outror prourv struir. 4 E glorifivm Dus por minh us. Cpítulo Pulo é Aito plos Apóstolos Ctorz nos pois, sui novmnt Jruslém, ss vz om Brné, lvno tmém Tito omigo. Fui pr lá por us um rvlção xpus int ls o vnglho qu prgo ntr os gntios, fzno-o, porém, m prtiulr os qu prim mis influnts, pr não orrr ou tr orrio inutilmnt. Ms nm msmo Tito, qu stv omigo, foi origo irunir-s, psr sr grgo. 4 Ess qustão foi lvnt porqu lguns flsos irmãos infiltrrm-s m nosso mio pr spionr lir qu tmos m Cristo Jsus nos ruzir à srvião. 5 Não nos sumtmos ls nm por um instnt, pr qu vr o vnglho prmnss om voês. Qunto os qu prim influnts o qu rm ntão não fz ifrnç pr mim; Dus não julg pl prêni tis homns influnts não m rsntrm n. 7 Ao ontrário, ronhrm qu mim hvi sio onfi prgção o vnglho os inirunisos, ssim omo Pro, os irunisos. 8 Pois Dus, qu oprou por mio Pro omo póstolo os irunisos, tmém oprou por mu intrméio pr. Isto é, os qu não são juus; tmém m too o livro Gálts.. Grgo: rn sngu..8 Grgo: Cfs..7 Ou os gntios.7 Ou os juus; tmém nos vrsíulos 8 9.

2 om os gntios. 9 Ronhno grç qu m for oni, Tigo, Pro João, tios omo oluns, stnrm mão irit mim Brné m sinl omunhão. Els onorrm m qu vímos nos irigir os gntios, ls, os irunisos. 0 Somnt pirm qu nos lmrássmos os pors, o qu m sfori por fzr. Pulo Rprn Pro Quno, porém, Pro vio Antioqui, nfrnti-o f f, por su titu onnávl. Pois, nts hgrm lguns prt Tigo, l omi om os gntios. Quno, porém, ls hgrm, fstou-s sprou-s os gntios, tmno os qu rm irunisão. Os mis juus tmém s unirm l nss hiporisi, moo qu té Brné s ixou lvr. 4 Quno vi qu não stvm nno oro om vr o vnglho, lri Pro, int toos: Voê é juu, ms viv omo gntio não omo juu. Portnto, omo po origr gntios vivrm omo juus? 5 Nós, juus nsimnto não gntios pors, smos qu ninguém é justifio pl práti Li, ms mint fé m Jsus Cristo. Assim, nós tmém rmos m Cristo Jsus pr srmos justifios pl fé m Cristo, não pl práti Li, porqu pl práti Li ninguém srá justifio. 7 S, porém, prourno sr justifios m Cristo sorimos qu nós msmos somos pors, srá Cristo ntão ministro o po? D moo lgum! 8 S ronstruo o qu struí, provo qu sou trnsgrssor. 9 Pois, por mio Li u morri pr Li, fim vivr pr Dus. 0 Fui ruifio om Cristo. Assim, já não sou u qum viv, ms Cristo viv m mim. A vi qu gor vivo no orpo, vivo- pl fé no filho Dus, qu m mou s ntrgou por mim. Não nulo grç Dus; pois, s justiç vm pl Li, Cristo morru inutilmnt! Cpítulo Fé ou Oiêni à Li? Ó gálts insnstos! Qum os nfitiçou? Não foi int os sus olhos qu Jsus Cristo foi xposto omo ruifio? Gostri sr pns um ois: foi pl práti Li qu voês rrm o Espírito, ou pl fé nquilo qu ouvirm? Srá qu voês são tão insnstos qu, tno omço plo Espírito, qurm gor s prfiçor plo sforço próprio? 4 Srá qu foi inútil sofrrm tnts oiss? S é qu foi inútil! 5 Aqul qu lhs á o su Espírito opr milgrs ntr voês rliz sss oiss pl práti Li ou pl fé om qul rrm plvr? Consirm o xmplo Arão: El ru m Dus, isso lh foi rito omo justiç. 7 Estjm rtos, portnto, qu os qu são fé, sts é qu são filhos Arão. 8 Prvno Esritur qu Dus justifiri os gntios pl fé, nuniou primiro s os novs Arão: Por mio voê tos s nçõs srão nços. 9 Assim, os qu são fé são nçoos junto om Arão, homm fé. 0 Já os qu s póim n práti Li stão ixo mlição, pois stá srito: Mlito too qul qu não prsist m prtir tos s oiss srits no livro Li f. É vint qu int Dus ninguém é justifio pl Li, pois o justo vivrá pl fé g. A Li não é s n fé; o ontrário, qum prtir sts oiss, por ls vivrá h. Cristo nos rimiu mlição Li quno s tornou mlição m nosso lugr, pois stá srito: Mlito too qul qu for pnuro num miro i. 4 Isso pr qu m Cristo Jsus ênção Arão hgss tmém os gntios, pr qu rêssmos promss o Espírito mint fé. A Li Promss 5 Irmãos, humnmnt flno, ninguém po nulr um tstmnto j pois rtifio, nm rsntr-lh lgo. Assim tmém s promsss form fits Arão o su snnt. A Esritur não iz: E os sus snnts, omo s flno muitos, ms: Ao su snnt k, no.9 Grgo: Cfs; tmém nos vrsíulos 4..0 Grgo: n rn.. Grgo: pl rn.. Gn 5..8 Gn.; 8.8;.8 f.0 Dt 7. g. H.4 h. Lv 8.5 i. Dt. j.5 Ou um linç. Vj o vrsíulo 7. k. Grgo: smnt; tmém nos vrsíulos 9 9. Gn.7;.5; 4.7

3 ntnr qu s trt um só, isto é, Cristo. 7 Quro izr isto: A Li, qu vio qutrontos trint nos pois, não nul linç prvimnt stli por Dus, moo qu vnh invlir promss. 8 Pois, s hrnç pn Li, já não pn promss. Dus, porém, onu- grtuitmnt Arão mint promss. 9 Qul r ntão o propósito Li? Foi rsnt por us s trnsgrssõs, té qu viss o Dsnnt qum s rfri promss, foi promulg por mio njos, pl mão um mior. 0 Contuo, o mior rprsnt mis um; Dus, porém, é um. Então, Li opõ-s às promsss Dus? D mnir nnhum! Pois, s tivss sio um li qu puss onr vi, rtmnt justiç viri li. Ms Esritur nrrou tuo ixo o po, fim qu promss, qu é pl fé m Jsus Cristo, foss os qu rêm. Ants qu viss ss fé, stávmos so ustói Li, nl nrros, té qu fé qu hvri vir foss rvl. 4 Assim, Li foi o nosso tutor té Cristo, pr qu fôssmos justifios pl fé. 5 Agor, porém, tno hgo fé, já não stmos mis so o ontrol o tutor. Os Filhos Dus Toos voês são filhos Dus mint fé m Cristo Jsus, 7 pois os qu m Cristo form tizos, Cristo s rvstirm. 8 Não há juu nm grgo, srvo nm livr, homm nm mulhr; pois toos são um m Cristo Jsus. 9 E, s voês são Cristo, são snêni Arão hriros sguno promss. Cpítulo 4 Digo porém qu, nqunto o hriro é mnor i, m n ifr um srvo, mor sj ono tuo. No ntnto, l stá sujito guriãs ministrors té o tmpo trmino por su pi. Assim tmém nós, quno érmos mnors, stávmos srvizos os prinípios lmntrs o muno. 4 Ms, quno hgou plnitu o tmpo, Dus nviou su Filho, nsio mulhr, nsio ixo Li, 5 fim rimir os qu stvm so Li, pr qu rêssmos oção filhos. E, porqu voês são filhos, Dus nviou o Espírito su Filho o orção voês, l lm: A, Pi. 7 Assim, voê já não é mis srvo, ms filho;, por sr filho, Dus tmém o tornou hriro. A Proupção Pulo om os Gálts 8 Ants, quno voês não onhim Dus, rm srvos quls qu, por nturz, não são uss. 9 Ms gor, onhno Dus, ou mlhor, sno por l onhios, omo é qu stão voltno àquls msmos prinípios lmntrs, fros sm por? Qurm sr srvizos por ls outr vz? 0 Voês stão osrvno is spiis, mss, osiõs spífis nos! Tmo qu os mus sforços por voês tnhm sio inútis. Eu lhs suplio, irmãos, qu s tornm omo u, pois u m torni omo voês. Em n voês m ofnrm; omo sm, foi por us um onç qu lhs prgui o vnglho pl primir vz. 4 Emor minh onç lhs tnh sio um provção, voês não m trtrm om sprzo ou sém; o ontrário, rrm-m omo s u foss um njo Dus, omo o próprio Cristo Jsus. 5 Qu ontu om lgri voês? Tnho rtz qu, s foss possívl, voês trim rrno os próprios olhos pr á-los mim. Torni-m inimigo voês por lhs izr vr? 7 Os qu fzm tnto sforço pr grá-los não gm m, ms qurm isolá-los fim qu voês tmém mostrm zlo por ls. 8 É om smpr sr zloso plo m, não pns quno stou prsnt. 9 Mus filhos, novmnt stou sofrno ors prto por su us, té qu Cristo sj formo m voês. 0 Eu gostri str om voês gor mur o mu tom voz, pois stou prplxo qunto voês. Sr Hgr Digm-m voês, os qu qurm str ixo Li: Aso voês não ouvm Li? Pois stá srito qu Arão tv ois filhos, um srv outro livr. O filho srv nsu moo nturl, ms o filho livr nsu mint promss. 4 Isto é uso qui omo um ilustrção ; sts mulhrs rprsntm us linçs. Um linç pro o mont Sini gr filhos pr srvião: st é Hgr. 5 Hgr rprsnt o mont Sini, n Arái, orrspon à tul i Jruslém, qu stá srviz om os sus filhos. Ms Jruslém o lto é livr, é noss mã. 7 Pois stá srito: Rgozij-s, ó stéril, voê qu nun tv um filho; grit lgri, 4. Trmo rmio pr Pi. 4.4 Grgo: lgori.

4 voê qu nun stv m trlho prto; porqu mis são os filhos mulhr non o qu os qul qu tm mrio. 8 Voês, irmãos, são filhos promss, omo Isqu. 9 Nqul tmpo, o filho nsio moo nturl prsguiu o filho nsio sguno o Espírito. O msmo ont gor. 0 Ms o qu iz Esritur? Mn mor srv o su filho, porqu o filho srv jmis srá hriro om o filho livr. Portnto, irmãos, não somos filhos srv, ms livr. Cpítulo 5 A Lir m Cristo Foi pr lir qu Cristo nos lirtou. Portnto, prmnçm firms não s ixm sumtr novmnt um jugo srvião. Ouçm m o qu u, Pulo, lhs igo: Cso s ixm irunir, Cristo n lhs srvirá. D novo lro too homm qu s ix irunir, qu stá origo umprir to Li. 4 Voês, qu prourm sr justifios pl Li, sprrm-s Cristo; írm grç. 5 Pois é mint o Espírito qu nós gurmos pl fé justiç, qu é noss sprnç. Porqu m Cristo Jsus nm irunisão nm inirunisão têm fito lgum, ms sim fé qu tu plo mor. 7 Voês orrim m. Qum os impiu ontinur ono à vr? 8 Tl prsusão não provém qul qu os hm. 9 Um pouo frmnto lv to mss. 0 Estou onvnio no Snhor qu voês não pnsrão nnhum outro moo. Aqul qu os prtur, sj qum for, sofrrá onnção. Irmãos, s in stou prgno irunisão, por qu ontinuo sno prsguio? Nss so, o sânlo ruz foi rmovio. Qunto sss qu os prturm, qum r qu s strssm! Irmãos, voês form hmos pr lir. Ms não usm lir pr r osião à vont rn ; o ontrário, sirvm uns os outros mint o mor. 4 To Li s rsum num só mnmnto: Am o su próximo omo si msmo. 5 Ms s voês s morm s vorm uns os outros, uio pr não s struírm mutumnt. Vi plo Espírito Por isso igo: Vivm plo Espírito, moo nnhum stisfrão os sjos rn. 7 Pois rn sj o qu é ontrário o Espírito; o Espírito, o qu é ontrário à rn. Els stão m onflito um om o outro, moo qu voês não fzm o qu sjm. 8 Ms, s voês são guios plo Espírito, não stão ixo Li. 9 Or, s ors rn são mnifsts: imorli sxul, impurz lirtingm; 0 ioltri fitiçri; óio, isóri, iúms, ir, goísmo, issnsõs, fçõs invj; mriguz, orgis oiss smlhnts. Eu os virto, omo nts já os vrti: Aquls qu prtim sss oiss não hrrão o Rino Dus. Ms o fruto o Espírito é mor, lgri, pz, piêni, mili, on, fili, mnsião omínio próprio. Contr sss oiss não há li. 4 Os qu prtnm Cristo Jsus ruifirm rn, om s sus pixõs os sus sjos. 5 S vivmos plo Espírito, nmos tmém plo Espírito. Não sjmos prsunçosos, provono uns os outros tno invj uns os outros. Cpítulo Fçmos o Bm Toos Irmãos, s lguém for surprnio m lgum po, voês, qu são spirituis, vrão rsturá-lo om mnsião. Cui-s, porém, um pr qu tmém não sj tnto. Lvm os fros psos uns os outros, ssim, umprm f li Cristo. S lguém s onsir lgum ois, não sno n, ngn-s 4.7 Is Gn.0 5. Ou nturz pminos; tmém 5.,7,9, Lv Ou o m qu sjm; ou in não pom fzr o qu sjm f. Vários mnusritos izm umprirão. 4

5 si msmo. 4 C um xmin os próprios tos, ntão porá orgulhr-s si msmo, sm s omprr om ninguém, 5 pois um vrá lvr própri rg. O qu stá sno instruío n plvr prtilh tos s oiss os om qul qu o instrui. 7 Não s ixm ngnr: Dus não s zom. Pois o qu o homm smr, isso tmém olhrá. 8 Qum smi pr su rn, rn olhrá struição; ms qum smi pr o Espírito, o Espírito olhrá vi trn. 9 E não nos nsmos fzr o m, pois no tmpo próprio olhrmos, s não snimrmos. 0 Portnto, nqunto tmos oportuni, fçmos o m toos, spilmnt os fmíli fé. A Nov Crição Sustitui Cirunisão Vjm om qu ltrs grns stou lhs srvno próprio punho! Os qu sjm usr o imprssão xtriormnt, tntno origá-los s irunirm, gm ss moo pns pr não srm prsguios por us ruz Cristo. Nm msmo os qu são irunios umprm Li; qurm, no ntnto, qu voês sjm irunios fim s glorirm no orpo voês. 4 Qunto mim, qu u jmis m glori, não sr n ruz nosso Snhor Jsus Cristo, por mio qul o muno foi ruifio pr mim, u pr o muno. 5 D n vl sr irunio ou não. O qu import é sr um nov rição. Pz misrióri stjm sor toos os qu nm onform ss rgr, tmém sor o Isrl Dus. 7 Sm mis, qu ninguém m prtur, pois trgo m mu orpo s mrs Jsus. 8 Irmãos, qu grç nosso Snhor Jsus Cristo sj om o spírito voês. Amém.. Grgo: n rn.. Grgo: n rn..4 Ou qum 5

CASA DE DAVI CD VOLTARÁ PARA REINAR 1. DEUS, TU ÉS MEU DEUS. E B C#m A DEUS, TU ÉS MEU DEUS E SENHOR DA TERRA

CASA DE DAVI CD VOLTARÁ PARA REINAR 1. DEUS, TU ÉS MEU DEUS. E B C#m A DEUS, TU ÉS MEU DEUS E SENHOR DA TERRA S VI VOLTRÁ PR RINR 1. US, TU ÉS MU US #m US, TU ÉS MU US SNHOR TRR ÉUS MR U T LOUVRI #m SM TI NÃO POSSO VIVR M HGO TI OM LGRI MOR NST NOV NÇÃO #m #m OH...OH...OH LVNTO MINH VOZ #m LVNTO MINHS MÃOS #m

Leia mais

1 PEDRO. Capítulo 1. Louvor a Deus por uma Esperança Viva 3

1 PEDRO. Capítulo 1. Louvor a Deus por uma Esperança Viva 3 PEDRO Pro, póstolo Jsus Cristo, Cpítulo os litos Dus, prgrinos isprsos no Ponto, n Glái, n Cpói, n províni Ási n Bitíni, 2 solhios oro om o pré-onhimnto Dus Pi, pl or sntiior o Espírito, pr oiêni Jsus

Leia mais

CD CORAÇÃO DA NOIVA - 1. O SENHOR É BOM INTR:E D A/C# C7+ B E D A/C# O SENHOR É BOM C7+ B E SEU AMOR DURA PARA SEMPRE ELE É BOM...

CD CORAÇÃO DA NOIVA - 1. O SENHOR É BOM INTR:E D A/C# C7+ B E D A/C# O SENHOR É BOM C7+ B E SEU AMOR DURA PARA SEMPRE ELE É BOM... C CORÇÃO NOIV - 1. O SNHOR É OM INTR: /C# C7+ /C# O SNHOR É OM C7+ SU MOR UR PR SMPR L É OM... Letra e Música: avi Silva C CORÇÃO NOIV - 2. SNTO É O TU NOM M TO TRR S OUVIRÁ UM NOVO SOM UM CNÇÃO MOR PRCORRRÁ

Leia mais

1 A ELE A GLÓRIA 2 AINDA QUE A FIGUEIRA 3 AO ERGUERMOS 4 ATRAI O MEU CORAÇÃO 5 DEUS É BOM 6 EM ESPÍRITO, EM VERDADE 7 EM TODO TEMPO 8 EU TE QUERO

1 A ELE A GLÓRIA 2 AINDA QUE A FIGUEIRA 3 AO ERGUERMOS 4 ATRAI O MEU CORAÇÃO 5 DEUS É BOM 6 EM ESPÍRITO, EM VERDADE 7 EM TODO TEMPO 8 EU TE QUERO 1 L GLÓRI 2 IND QU FIGUIR 3 O RGURMOS 4 TRI O MU CORÇÃO 5 DUS É OM 6 M SPÍRITO, M VRDD 7 M TODO TMPO 8 U T QURO 9 LOUV 10 LOUV TI 11 MIS QU UM MIGO 12 M DLITO M TI 13 ND LÉM DO SNGU 14 O LÃO D TRIO D JUDÁ

Leia mais

Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia

Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia www.smorsplvr.om.r Curso Tologi Mtril ompilo por José Joquim Gonçlvs Fri Assssori Milton Vill Doutrin Cristã D Orção PG. ORAÇÃO. DOUTRINA CRISTÃ DA 04 INTRODUÇÃO. 04 I, O QUE É ORAÇÃO CRISTÃ? 06 II, COMO

Leia mais

Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia

Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia www.smorsplvr.om.r Curso Tologi Mtril ompilo por José Joquim Gonçlvs Fri Assssori Milton Vill Doutrin Cristã Ar Do io PG. io. DOUTRINA CRISTÃ ACERCA o 03 INTRODUÇÃO. 03 I, A FONTE DE INFORMAÇÕES SOBRE

Leia mais

(BIS) GLÓRIA A DEUS, GLÓRIA A DEUS, GLÓRIA A DEUS, GLÓRIA A DEUS,

(BIS) GLÓRIA A DEUS, GLÓRIA A DEUS, GLÓRIA A DEUS, GLÓRIA A DEUS, P á g i n a 57 LÓRI US (TOM: Ó) 4/4 PLO SOL QU RILH, LÓRI US PL LOR QU NS, LÓRI US PLOS MONTS LTOS, LÓRI US PLO MR TMÉM, LÓRI US PLOS PSSRINHOS, LÓRI US PL NOIT O I, LÓRI US PL RIS LR, LÓRI US QU LON VM,

Leia mais

E NINGUÉM PODE TIRAR O QUE MEU DEUS ME DÁ A D B SUAS PROMESSAS EM MIM SE CUMPRIRÃO E JÁ POSSO CELEBRAR

E NINGUÉM PODE TIRAR O QUE MEU DEUS ME DÁ A D B SUAS PROMESSAS EM MIM SE CUMPRIRÃO E JÁ POSSO CELEBRAR LÓRI ÚLTIM S Intro: ON HVI SURIÃO LUZ US M MIM RILHOU ON STV SO SUS ÁUS RRMOU MINH OR ULP SOR SI L LVOU UM NOVO NTINO M MUS LÁIOS OLOOU # U VOU, VOU LRR VOU TRNSOR LRI # PORQU LÓRI ÚLTIM S JÁ É MIOR QU

Leia mais

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente:

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente: ELETRÔNICA TEMPO TOTAL APLICADO: h m www.tltroni.om.r TOTAL PONTOS TURMA Nom: Dt: / Hor: h m às h m Rsolv os prolms ssinl ltrntiv orrsponnt: Toos os iritos rsrvos. Proii rproução totl ou pril sts págins

Leia mais

Eu sou feliz, tu és feliz CD Liturgia II (Caderno de partituras) Coordenação: Ir. Miria T. Kolling

Eu sou feliz, tu és feliz CD Liturgia II (Caderno de partituras) Coordenação: Ir. Miria T. Kolling Eu su iz, s iz Lirgi II (drn d prtirs) rdnçã: Ir. Miri T. King 1) Eu su iz, s iz (brr) & # #2 4. _ k.... k. 1 Eu su "Eu su iz, s iz!" ( "Lirgi II" Puus) iz, s _ iz, & # º #.. b... _ k _. Em cm Pi n cn

Leia mais

Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia

Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia wwwsmorsplvromr Curso Tologi Mtril ompilo por José Joquim Gonçlvs Fri Assssori Milton Vill Doutrin Cristã Do Po PG PECADO DOUTRINA CRISTÃ DO 03 INTRODUÇÃO 03 I, PECADO, O QUE É? 04 II, O ROTEIRO DO PECADO,

Leia mais

Grafos. Luís Antunes. Grafos dirigidos. Grafos não dirigidos. Definição: Um grafo em que os ramos não são direccionados.

Grafos. Luís Antunes. Grafos dirigidos. Grafos não dirigidos. Definição: Um grafo em que os ramos não são direccionados. Luís Antuns Grfos Grfo: G=(V,E): onjunto vértis/nós V um onjunto rmos/ros E VxV. Rprsntção visul: Grfos não irigios Dfinição: Um grfo m qu os rmos não são irionos. Grfos irigios Dfinição: Um grfo m qu

Leia mais

ORION 6. Segunda Porta USB. Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas Ltda.

ORION 6. Segunda Porta USB. Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas Ltda. ORION 6 Sgun Port USB Hnry Equipmntos Eltrônios Sistms Lt. Ru Rio Piquiri, 400 - Jrim Wissópolis Cóigo Postl: 83.322-010 Pinhis - Prná - Brsil Fon: +55 41 3661-0100 INTRODUÇÃO: Pr orrto unionmnto, é nssário

Leia mais

ROMANOS. Capítulo 1. A todos os que em Roma são amados de Deus e chamados para serem santos:

ROMANOS. Capítulo 1. A todos os que em Roma são amados de Deus e chamados para serem santos: ROMANOS Cpítulo Pulo, srvo Cristo Jsus, hmo pr sr póstolo, spro pr o vnglho Dus, 2 o qul oi promtio por l ntmão por mio os sus prots ns Esriturs Sgrs, 3 r su Filho, qu, omo homm, r snnt Dvi, 4 qu mint

Leia mais

Paróquia Nossa Senhora do Lago

Paróquia Nossa Senhora do Lago LRI... 10 BR... 10 HV O OFR... 11 OMÇR M MIM... 11 IFIR IRJ... 12 L LÓRI (LF, ÔM)... 12 SOLHI... 12 HOR VZ... 13 JUVNTU É UM SMNT... 14 MSM NÇÃO... 15 MISSÃO O RISTÃO... 16 NÓS SI IVIN LUZ... 17 PZ QU

Leia mais

= 1, independente do valor de x, logo seria uma função afim e não exponencial.

= 1, independente do valor de x, logo seria uma função afim e não exponencial. 6. Função Eponncil É todo função qu pod sr scrit n form: f: R R + = Em qu é um númro rl tl qu 0

Leia mais

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente:

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente: ELETRÔNICA TEMPO TOTAL APLICADO: h m www.tltroni.om.r TOTAL PONTOS TURMA Nom: Dt: / Hor: h m às h m Toos os iritos rsrvos. Proii rproução totl ou pril sts págins sm utorizção CTA Eltrôni Rsolv os prolms

Leia mais

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente:

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente: ELETRÔNICA TEMPO TOTAL APLICADO: h m www.tltroni.om.r TOTAL PONTOS TURMA Nom: Dt: / Hor: h m às h m Rsolv os prolms ssinl ltrntiv orrsponnt: Toos os iritos rsrvos. Proii rproução totl ou pril sts págins

Leia mais

Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia

Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia www.smorsplvr.om.r Curso Tologi Mtril ompilo por José Joquim Gonçlvs Fri Assssori Milton Vill Doutrin Cristã Do Homm PG. HOMEM. DOUTRINA CRISTÃ DO 03 INTRODUÇÃO. 03 I, A CRIAÇÃO DO HOMEM. 03 II, A CONSTITUIÇÃO

Leia mais

CD CIA DE JOÃO BATISTA - 1. PREPARAI O CAMINHO INTR: C9 SOMOS UM POVO CLAMANDO POR JESUS QUE VENHA O SEU REINO SOBRE NÓS

CD CIA DE JOÃO BATISTA - 1. PREPARAI O CAMINHO INTR: C9 SOMOS UM POVO CLAMANDO POR JESUS QUE VENHA O SEU REINO SOBRE NÓS C CI JOÃO BTIST - 1. PRPRI O CMINHO INTR: SOMOS UM POVO CLMNO POR JSUS QU VNH O SU RINO SOBR NÓS VOZ OS SUS PROFTS S OUVIRÁ m7 PRPRI O CMINHO O SNHOR COMO UM NOIV O SU NOIVO SPRR C NSIMOS SU VOLT ÓH JSUS,

Leia mais

Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia

Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia www.smorsplvr.om.r Curso Tologi Mtril ompilo por José Joquim Gonçlvs Fri Assssori Milton Vill Doutrin Cristã D Jsus Cristo CRISTO DESOBEDECESSE Ministério Smors Plvr PG. DOUTRINA CRISTÃ DE JESUS CRISTO.

Leia mais

1) VAMOS CELEBRAR Autor:Piter di Laura/Maria Eduarda/Carlos Tocco. Intro: E A9 E/G# D9 A/C# E/B A/C# E/G# D9 A9 E A9 E TODOS REUNIDOS NA CASA DE DEUS

1) VAMOS CELEBRAR Autor:Piter di Laura/Maria Eduarda/Carlos Tocco. Intro: E A9 E/G# D9 A/C# E/B A/C# E/G# D9 A9 E A9 E TODOS REUNIDOS NA CASA DE DEUS 1) VAMOS CLBRAR Autor:Piter di Laura/Maria duarda/carlos Tocco Intro: /# D9 A/C# /B A/C# /# D9 TODOS RUNIDOS NA CASA D DUS COM CANTOS D ALRIA RAND LOUVOR VAMOS CLBRAR OS FITOS DO SNHOR SUA BONDAD QU NUNCA

Leia mais

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente:

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente: TEMPO TOTAL APLICADO: h m TOTAL PONTOS TURMA Nom: Dt: / Hor: h m às h m Toos os iritos rsrvos. Proii rproução totl ou pril sts págins sm utorizção CTA Eltrôni Rsolv os prolms ssinl ltrntiv orrsponnt: 01)

Leia mais

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente:

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente: ELETRÔNICA TEMPO TOTAL APLICADO: h m www.tltroni.om.r TOTAL PONTOS TURMA Nom: Dt: / Hor: h m às h m Toos os iritos rsrvos. Proii rproução totl ou pril sts págins sm utorizção CTA Eltrôni. Rsolv os prolms

Leia mais

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente:

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente: TEMPO TOTAL APLICADO: h m www.tltroni.om.r TOTAL PONTOS TURMA Nom: Dt: / Hor: h m às h m Toos os iritos rsrvos. Proii rproução totl ou pril sts págins sm utorizção CTA Eltrôni Rsolv os prolms ssinl ltrntiv

Leia mais

MESTRADO INTEGRADO EM ENGENHARIA INFORMÁTICA E COMPUTAÇÃO EIC0011 MATEMÁTICA DISCRETA

MESTRADO INTEGRADO EM ENGENHARIA INFORMÁTICA E COMPUTAÇÃO EIC0011 MATEMÁTICA DISCRETA 1. Tm 40 livros irnts qu vi gurr m 4 ixs ors irnts, olono 10 livros m ix.. Qunts possiilis tm istriuir os livros pls ixs irnts? Justiiqu.. Suponh gor qu tinh 60 livros. Qunts possiilis pr os olor ns 4

Leia mais

Teoria dos Grafos Aula 11

Teoria dos Grafos Aula 11 Tori dos Gros Aul Aul pssd Gros om psos Dijkstr Implmntção Fil d prioridds Hp Aul d hoj MST Algoritmos d Prim Kruskl Propridds d MST Dijkstr (o próprio) Projtndo um Rd $ $ $ $ $ Conjunto d lolidds (x.

Leia mais

Encontro na casa de Dona Altina

Encontro na casa de Dona Altina Ano 1 Lagdo, Domingo, 29 d junho d 2014 N o 2 Encontro na casa d Dona Altina Na última visita dos studants da UFMG não foi possívl fazr a runião sobr a água. Houv um ncontro com a Associação Quilombola,

Leia mais

CD RESGATAI A NOIVA - 1. EL SHADAI

CD RESGATAI A NOIVA - 1. EL SHADAI C RSATAI A NOIVA - 1. L SHAAI F9 Bb9 C4 F9 L SHAAI, TOO POROSO ÉS F9 Bb9 C4 m7 L SHAAI, NÃO HÁ OUTRO US IUAL F9 Bb9 C4 m7 L SHAAI, OMÍNIO STÁ M SUAS MÃOS Bb9 C4 F9 POROSO L SHAAI C F9 MU ABA PAI PROVOR,

Leia mais

Instruções para uma impressora conectada localmente no Windows

Instruções para uma impressora conectada localmente no Windows Página 1 6 Guia Conxão Instruçõs para uma imprssora ontaa loalmnt no Winows Nota: Ao instalar uma imprssora ontaa loalmnt, s o sistma opraional não for suportao plo CD Softwar Doumntação, o Assistnt para

Leia mais

Associação de Resistores e Resistência Equivalente

Associação de Resistores e Resistência Equivalente Associção d sistors sistêci Equivlt. Itrodução A ális projto d circuitos rqurm m muitos csos dtrmição d rsistêci quivlt prtir d dois trmiis quisqur do circuito. Além disso, pod-s um séri d csos práticos

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MORTÁGUA Geometria Ficha de Trabalho Nº 02 10º Ano

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MORTÁGUA Geometria Ficha de Trabalho Nº 02 10º Ano AGUPAMENO DE EOLA DE MOÁGUA Gomti Fih lho Nº 0 0º Ano Osv igu o lo... Ini so istm: ois plnos ppniuls us ts plls um t post um plno um t snt o plno FIH us ts não omplns. s oons os vétis... Qul posição ltiv

Leia mais

CD RIO DO LEÃO 1. VEM CANTAR. Int: D G9 D G9 D D/F# G9 Bm7 A Bm7 A/C# D9 G9 A VEM CANTAR, LOUVAR E EXALTAR A DEUS D9 POIS ELE É O NOSSO GRANDE REI

CD RIO DO LEÃO 1. VEM CANTAR. Int: D G9 D G9 D D/F# G9 Bm7 A Bm7 A/C# D9 G9 A VEM CANTAR, LOUVAR E EXALTAR A DEUS D9 POIS ELE É O NOSSO GRANDE REI C RIO O LÃO 1. VM CNTR Int: 9 9 /F# 9 Bm7 Bm7 /C# 9 9 VM CNTR, LOUVR XLTR US 9 POIS L É O NOSSO RN RI 9 SNHOR TRR MR 9 9 LVNTR S MÃOS ORR 9 O NOSSO RN RNTOR 9 TRNO VNCOR /F# POIS L É O NOSSO US, 9 SNHOR

Leia mais

HEBREUS. Capítulo 1. Há muito tempo Deus falou muitas vezes e de várias maneiras aos nossos antepassados por meio dos profetas, 2

HEBREUS. Capítulo 1. Há muito tempo Deus falou muitas vezes e de várias maneiras aos nossos antepassados por meio dos profetas, 2 HEBREUS Cpítulo O Filho é Suprior os Anjos Há muito tmpo Dus flou muits vzs váris mnirs os nossos ntpssos por mio os profts, 2 ms nsts últimos is flou-nos por mio o Filho, qum onstituiu hriro tos s oiss

Leia mais

Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia

Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia www.smorsplvr.om.r Curso Tologi Mtril ompilo por José Joquim Gonçlvs Fri Assssori Milton Vill Doutrin Cristã D Dus DE DE Ministério Smors Plvr PG. = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = =DOUTRINA

Leia mais

3 Proposição de fórmula

3 Proposição de fórmula 3 Proposição fórmula A substituição os inos plos juros sobr capital próprio po sr um important instrumnto planjamnto tributário, sno uma rução lgal a tributação sobr o lucro. Nos últimos anos, a utilização

Leia mais

Lista de Exercícios 9: Soluções Grafos

Lista de Exercícios 9: Soluções Grafos UFMG/ICEx/DCC DCC111 Mtmáti Disrt List Exríios 9: Soluçõs Gros Ciênis Exts & Engnhris 2 o Smstr 2016 1. O gro intrsção um olção onjuntos A 1, A 2,..., A n é o gro qu tm um vérti pr um os onjuntos olção

Leia mais

Em cada ciclo, o sistema retorna ao estado inicial: U = 0. Então, quantidade de energia W, cedida, por trabalho, à vizinhança, pode ser escrita:

Em cada ciclo, o sistema retorna ao estado inicial: U = 0. Então, quantidade de energia W, cedida, por trabalho, à vizinhança, pode ser escrita: Máquinas Térmicas Para qu um dado sistma raliz um procsso cíclico no qual rtira crta quantidad d nrgia, por calor, d um rsrvatório térmico cd, por trabalho, outra quantidad d nrgia à vizinhança, são ncssários

Leia mais

Cifras. Tomo posse tom: G. letra e música: Elias e Alice Passos. G F- C F G F C F Tomo posse das promessas

Cifras. Tomo posse tom: G. letra e música: Elias e Alice Passos. G F- C F G F C F Tomo posse das promessas INTROUÇÃO: F F F- F F F Tomo posse das promessas F- F F F Sou herdeiro, herdeiro de eus m Tudo posso no Senhor BM Sou mais que vencedor onquistarei a terra Não temerei gigantes u saltarei muralhas F m

Leia mais

CD MANIFESTAÇÃO DOS FILHOS DE DEUS VOL.II -1 ABRE OS CÉUS

CD MANIFESTAÇÃO DOS FILHOS DE DEUS VOL.II -1 ABRE OS CÉUS C MANIFSTAÇÃO OS FILHOS US VOL.II -1 ABR OS CÉUS INTR: C /B 9 HÁ UM SJO M NOSSO CORAÇÕS: TU RINO SNHOR 9 /F# TUA PRSNÇA M CAA NAÇÃO CLAMAMOS, JSUS m7 7/F# QU TU VNHAS COM TOO TU POR A4 9 C9 HABITAR NTR

Leia mais

+ = x + 3y = x 1. x + 2y z = Sistemas de equações Lineares

+ = x + 3y = x 1. x + 2y z = Sistemas de equações Lineares Sisms d quçõs Linrs Equção Linr Tod qução do ipo:.. n n Ond:,,., n são os ofiins;,,, n são s inógnis; é o rmo indpndn. E.: d - Equção Linr homogên qundo o rmo indpndn é nulo ( ) - Um qução linr não prsn

Leia mais

Código PE-ACSH-2. Título:

Código PE-ACSH-2. Título: CISI Ctro Itrção Srvços Iformtc rão Excução Atv Itr o CISI Cóo Emto por: Grêc o Stor 1. Objtvo cmpo plcção Est ocumto tm como fl fr o prão brtur chmos suport o CISI. A brtur chmos é rlz o sstm hlpsk, qu

Leia mais

RESOLUÇÃO DE EQUAÇÕES POR MEIO DE DETERMINANTES

RESOLUÇÃO DE EQUAÇÕES POR MEIO DE DETERMINANTES RESOLUÇÃO DE EQUAÇÕES POR EIO DE DETERINANTES Dtrmt um mtrz su orm Sj mtrz: O trmt st mtrz é: Emlo: Vmos suor o sstm us quçõs om us óts y: y y Est sstm quçõs o sr srto orm mtrl: y Est qução r três mtrzs:.

Leia mais

Uma nota sobre bissetrizes e planos bissetores

Uma nota sobre bissetrizes e planos bissetores Runs Ros Ortg Junior 83 Um not sor isstris pnos isstors Runs Ros Ortg Junior Doutor Curso Mtmáti Univrsi Tuiuti o rná Dprtmnto Mtmáti Univrsi Fr o rná Tuiuti: Ciêni Cutur n 9 FCET 4 pp 83-9 Curiti r 84

Leia mais

COMUNHÃO E PARTICIPAÇÃO. ****** TRANSPONDO PARA Bm

COMUNHÃO E PARTICIPAÇÃO. ****** TRANSPONDO PARA Bm COMUNHÃO PRTICIPÇÃO rquidiocese de Goiânia OMINGO RMOS 01 de abril de 2012 no XXIX **** CLMMOS O CRUCIICO **** 1 BRTUR QUNO JSUS S PROXIMOU (38º Curso - mar/09) - Pag. 06 - aixa 02 Tom original: Sugerimos

Leia mais

PLANEJAMENTO (IDENTIDADE)

PLANEJAMENTO (IDENTIDADE) Professora: Denise Pfeiffer PLNJMNTO (IDNTIDD) ompetências Objetivos stratégias em Língua Portuguesa (contemplando os 4 eixos: Leitura; Produção de textos; Oralidade; nálise Linguística) Leitura scrita

Leia mais

1 Sm ª 13. Então, se dispôs Davi com os seus homens, uns seiscentos, saíram de Queila e se foram sem rumo certo. Ziclague

1 Sm ª 13. Então, se dispôs Davi com os seus homens, uns seiscentos, saíram de Queila e se foram sem rumo certo. Ziclague 1 Sm. 23.13ª 13 Então, s dspôs Dv om os ss homns, ns ssntos, sírm d Q s form sm rmo rto. Z 1 Sm 27.1-3 1 Dss, porém, Dv onso msmo: Pod sr q m d vnh prr ns mãos d S; nd há, pos, mhor pr mm do q fr pr trr

Leia mais

Expressão Semi-Empírica da Energia de Ligação

Expressão Semi-Empírica da Energia de Ligação Exprssão Smi-Empíric d Enrgi d Ligção om o pssr do tmpo n usênci d um tori dtlhd pr dscrvr strutur nuclr, vários modlos form dsnvolvidos, cd qul corrlcionndo os ddos xprimntis d um conjunto mis ou mnos

Leia mais

REPERTÓRIO ACAMZECA 2005

REPERTÓRIO ACAMZECA 2005 RPRTÓRIO MZ 2005 1. OR QU PRTO STÁS... 2 2. M VNTUROS... 3 3. PI MOR... 4 4. MU US... 5 5. SNTO... 6 6. N O FOO M MIM... 7 7. FÇO O MLHOR... 8 8. ÉS TOO POROSO... 9 9. TU ÉS SNTO... 10 10. SNHOR T QURO...

Leia mais

CASA DE DAVI CD TUA MORADA 1. TUA MORADA NÃO DAREI DESCANSO AOS MEUS OLHOS

CASA DE DAVI CD TUA MORADA 1. TUA MORADA NÃO DAREI DESCANSO AOS MEUS OLHOS 1. TUA MORAA A/ NÃO ARI SCANSO AOS MUS OLHOS A/ NÃO ARI SCANSO AS MINHAS PÁLPBRAS F#m B/# C#m ATÉ VR O LUAR PARA TI JSUS A/ NTRARI NO TU SANTUARIO A/ SUBIRI O TU SANTO MONT F#m B A ATÉ VR O LUAR PRPARAO

Leia mais

QUEBRANTADO (SWEETLY BROKEN Jeremy Riddle / Versão: Vineyar Music Brasil)

QUEBRANTADO (SWEETLY BROKEN Jeremy Riddle / Versão: Vineyar Music Brasil) QURNTO (SWTLY ROKN Jeremy Riddle / Versão: Vineyar Music rasil) U OLHO PR RUZ PR RUZ U VOU m O SU SOFRR PRTIIPR F SU OR VOU NTR MU SLVOR N RUZ MOSTROU m O MOR O PI F O JUSTO US PL RUZ M HMOU m NTILMNT

Leia mais

Instruções para uma impressora conectada localmente no Windows

Instruções para uma impressora conectada localmente no Windows Página 1 6 Guia onxão Instruçõs para uma imprssora ontaa loalmnt no Winows Nota: Ao instalar uma imprssora ontaa loalmnt, s o sistma opraional não or suportao plo CD Sotwar oumntação, o Assistnt para aiionar

Leia mais

UTL Faculdade de Motricidade Humana. Mestrado em Reabilitação Psicomotora. Estágio CERCI Lisboa

UTL Faculdade de Motricidade Humana. Mestrado em Reabilitação Psicomotora. Estágio CERCI Lisboa UTL Fculd Motricid Humn Mstrdo m Rbilitção Psicomotor Estágio CERCI Lisbo Sssão Activid no Mio Aquático 16/11/2011 Clint: C.M., L.V., A.E., F.C. S.C. domínio Nom Dscrição Obj. Esp. Mtriis Estrtégis Critério

Leia mais

CAPÍTULO 9 COORDENADAS POLARES

CAPÍTULO 9 COORDENADAS POLARES Luiz Frncisco d Cruz Drtmnto d Mtmátic Uns/Buru CAPÍTULO 9 COORDENADAS POLARES O lno, tmbém chmdo d R, ond R RR {(,)/, R}, ou sj, o roduto crtsino d R or R, é o conjunto d todos os rs ordndos (,), R El

Leia mais

SISTEMA DE PONTO FLUTUANTE

SISTEMA DE PONTO FLUTUANTE Lógica Matmática Computacional - Sistma d Ponto Flutuant SISTEM DE PONTO FLUTUNTE s máquinas utilizam a sguint normalização para rprsntação dos númros: 1d dn * B ± 0d L ond 0 di (B 1), para i = 1,,, n,

Leia mais

EUTÍFRON. Eutífron Sócrates

EUTÍFRON. Eutífron Sócrates EUTÍFRON (Ou Sor a Pia Gênro proatório) Prsonagns: Eutífron Sórats St. I 2 a 3 a I Eutífron Qu novia houv, Sórats, para ixars as onvrsaçõs o Liu t pors aqui no pórtio o riaront? Não hás tr, omo u, nnhuma

Leia mais

FOI DEUS QUEM FEZ VOCÊ

FOI DEUS QUEM FEZ VOCÊ FOI DEUS QUEM FEZ OCÊ AMELINHA Arr Neton W Mcedo Crmo Gregory c c c Deus que fez vo - Deus quem fez vo - Deus quem fez vo- c Deus quem fez vo - J De-us 4 Deus quem fez vo - Deus quem fez vo - J Deus quem

Leia mais

Ana Carolina.doc - 1 -

Ana Carolina.doc - 1 - na arolina.doc Me Sento na Rua Tom: Intro:,, Me sento na rua em frente as horas omo a qualquer hora assim mesmo eu sou Sou de qualquer jeito nem tudo eu respeito Pra onde for o vento eu vou Pano de mesa

Leia mais

2 Mbps (2.048 kbps) Telepac/Sapo, Clixgest/Novis e TV Cabo; 512 kbps Cabovisão e OniTelecom. 128 kbps Telepac/Sapo, TV Cabo, Cabovisão e OniTelecom.

2 Mbps (2.048 kbps) Telepac/Sapo, Clixgest/Novis e TV Cabo; 512 kbps Cabovisão e OniTelecom. 128 kbps Telepac/Sapo, TV Cabo, Cabovisão e OniTelecom. 4 CONCLUSÕES Os Indicadors d Rndimnto avaliados nst studo, têm como objctivo a mdição d parâmtros numa situação d acsso a uma qualqur ára na Intrnt. A anális dsts indicadors, nomadamnt Vlocidads d Download

Leia mais

Datas das próximas viagens da UFMG. Sondagem do solo em Lagedo e Riacho

Datas das próximas viagens da UFMG. Sondagem do solo em Lagedo e Riacho Ano 2 Lagdo, Domingo, 31 d maio d 2015 N o 12 Datas das próximas viagns da UFMG Data Casa 12 29 d maio a 31 d maio d 2015 Alcion/Paulo 13 26 d junho a 28 d junho d 2015 Gralda/Antônio 14 24 d julho a 26

Leia mais

DIAGRAMA DE INTERLIGAÇÃO DE AUTOMAÇÃO NESS LRC MULTILINHAS C/ IHM

DIAGRAMA DE INTERLIGAÇÃO DE AUTOMAÇÃO NESS LRC MULTILINHAS C/ IHM 4 5 6 7 8 9 0 QUIPNOS ONROLOS 5 LINS RSRIOS OU LINS ONLOS LIN RSRIOS IR INRLIÇÃO UOÇÃO NSS LR ULILINS O I 8 0/0/5 URÇÃO LRÇÃO OS UNIUS, RPOSIIONNO O POLI LRÇÂO N LIS RIIS LOUV 7 7 0/0/5 LRO O LYOU, SUSIUIO

Leia mais

COMUNHÃO E PARTICIPAÇÃO

COMUNHÃO E PARTICIPAÇÃO OMUNHÃO PRTIIPÇÃO rquidiocese de Goiânia SOLNIDD D SNT MÃ D DUS 01 de janeiro de 2012 no XXIX **** O RI DOS SÉULOS, IMORTL INVISÍVL, HONR GLÓRI PLOS SÉULOS. MÉM! **** 1 RTUR NOSSO DUS VIU QU O TMPO HGOU

Leia mais

Quem falou foi Henrieta, toda arrumada com a camisa de goleira. E tinha mais um monte de gente: Alice, Cecília, Martinha, Edilene, Luciana, Valdete,

Quem falou foi Henrieta, toda arrumada com a camisa de goleira. E tinha mais um monte de gente: Alice, Cecília, Martinha, Edilene, Luciana, Valdete, Cpítul 3 N ã p! Abu! On já viu? Et qu é n! Cê minh mã? Qun mnin chgm p jg nqul ming, qu ncntm? Um gup mnin. D cmit, têni, clçã muit ipiçã. E g? Afinl, qum tinh ti qul ii mluc? D qun vcê gtm futl? pguntu

Leia mais

NESS-A TOUCH SCREEN 7" C/ MODEM

NESS-A TOUCH SCREEN 7 C/ MODEM 6 7 8 9 0 QUIPMNTOS ONTROLOS OMPRSSOR LTRNTIVO // LTRÇÃO LYOUT-IM MUTI PR SOPOST OTÃO MRÊNI LLN9 0 07/0/ LTRÇÃO O MOM O LYOUT LOUV 7 0 06// INLUSÃO O ORINTTIVO O LÇO OMUNIÇÃO IO V. 00 8/0/ INIIL TOS R.

Leia mais

+ fotos e ilustrações técnicas de outras usinas

+ fotos e ilustrações técnicas de outras usinas Imgns problms mbintis no sul Snt Ctrin, corrnts s tivis minrção crvão, su lvgm su uso m usin trmlétric + fotos ilustrçõs técnics outrs usins Fotos fits por Oswl Svá ntr 1992 2001, durnt visits fits juntmnt

Leia mais

BOLETIM DE QUESTÕES PROVA TIPO 2 2ª ETAPA

BOLETIM DE QUESTÕES PROVA TIPO 2 2ª ETAPA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ BOLETIM DE QUESTÕES PROVA TIPO 2 2ª ETAPA LEIA, COM ATENÇÃO, AS SEGUINTES INSTRUÇÕES 1. Est Boltim Qustõs é onstituío 60 qustõs ojtivs. 2. Voê rrá, tmém um CARTÃO-RESPOSTA

Leia mais

Missa Ave Maris Stella

Missa Ave Maris Stella Missa Av Maris Stlla Para coro a calla a quatro vozs SATB Notas sobr a comosição A rsnt comosição constituis a artir d um ordinário da missa m latim ara coro a quatro vozs a calla, sm divisi Sorano, Alto,

Leia mais

QUESTIONÁRIO. Senhor(a) Professor(a),

QUESTIONÁRIO. Senhor(a) Professor(a), 2013 QUSTIONÁRIO O PROSSOR Senhor(a) Professor(a), O Sistema Nacional de valiação da ducação ásica, S, é composto por dois tipos de instrumentos de avaliação: as provas aplicadas aos estudantes e os questionários

Leia mais

======================== ˆ_ ˆ«

======================== ˆ_ ˆ« Noss fest com Mri (Miss pr os simpes e pequenos, inspirdo em Jo 2,112) ( Liturgi I Puus) 1) eebremos n egri (bertur) Rgtime & c m m.. _ m m.. _ e e bre mos n_ e gri, nos s fes t com M ri : & _.. _ º....

Leia mais

Escola Básica e Secundária de Velas. Governo dos Açores. 1º Ciclo ENSINO BÁSICO. Planificação Anual de EMRC. 1º Ano

Escola Básica e Secundária de Velas. Governo dos Açores. 1º Ciclo ENSINO BÁSICO. Planificação Anual de EMRC. 1º Ano Govrno dos Açors Escola Básica Scundária d Vlas º Ciclo ENSINO BÁSICO Planificação Anual d EMRC º Ano º Príodo Unidad Ltiva - Tr um coração bom Curriculars F B. Construir uma d litura rligiosa da pssoa,

Leia mais

CD MOSTRA-ME TUA GLÓRIA - 1. ELE REINARÁ INTR: E B/E C#m B E/G# A9 E B A E B A IGUAL A TI JESUS OUTRO NÃO HÁ E B A CHEIO DE GLÓRIA E PODER

CD MOSTRA-ME TUA GLÓRIA - 1. ELE REINARÁ INTR: E B/E C#m B E/G# A9 E B A E B A IGUAL A TI JESUS OUTRO NÃO HÁ E B A CHEIO DE GLÓRIA E PODER CD MOSTR-ME TU LÓRI - 1. ELE REINRÁ INTR: E B/E C#m B E/# 9 E B E B IUL TI JESUS OUTRO NÃO HÁ E B CHEIO DE LÓRI E PODER C#m7 B E/# TEU REINDO NÃO VI TER FIM E B E B COM TEU OLHR DE FOO VENS PR REINR E

Leia mais

O Uso da Álgebra Linear nas Equações Diferenciais

O Uso da Álgebra Linear nas Equações Diferenciais Uso d Álgr ir s Equçõs ifriis íi Gri ol úi Rsd rir Bofim Fuldd d mái FT Uivrsidd Fdrl d Urlâdi UFU 88 - Urlâdi ril d 8 Rsumo Álgr ir é um supor mmáio pr muis árs d iêi Vrmos omo lgus d sus rsuldos podm

Leia mais

Taxi: Opção mais rápida e cara. Deve ser evitada, a não ser que você privilegie o conforte

Taxi: Opção mais rápida e cara. Deve ser evitada, a não ser que você privilegie o conforte Vi vijr pr? Situ-s com nosss dics roportos trns mtrôs Chgd m Avião: Aroporto Hthrow: Situdo crc 20 km ost um dos mis movim ntdos d Europ possui cinco trminis Dpois pssr pls formlids imigrção pgr su bggm

Leia mais

CAPÍTULO 4 Exercícios Propostos

CAPÍTULO 4 Exercícios Propostos 53. Calcular o valor dos juros pagos por um fiaciamto d capital d giro d $1.500 por cico dias cotratado à taxa d 3% a.m., capitalizada diariamt. Dados: P = $1.500, j = 3% a.m.. k =, m = 5 dias, J =? k

Leia mais

======================== Œ œ»» Œ C7 ˆ_ ««G 7

======================== Œ œ»» Œ C7 ˆ_ ««G 7 1) É tã bnit n tr (ntrd) cminh cm Jesus (Miss d Temp mum cm crinçs) & 2 4 m œ É tã b ni t n_ tr me s s gr d, & œ t h brn c, ve ce s. & _ Mis s vi c me çr n ns s_i gre j; _u & j im c ris ti cm e gri, v

Leia mais

01 C À tua presença. C D- À Tua presença venho, SENHOR, C G. Com reverência, pois Tu és Deus; C F E assim poder receber

01 C À tua presença. C D- À Tua presença venho, SENHOR, C G. Com reverência, pois Tu és Deus; C F E assim poder receber 01 C À tua presença C - À Tua presença venho, SNHOR, C Com reverência, pois Tu és eus; C F assim poder receber C o que Tu tens para mim, F F- C assim também entregar o que há em mim. C Quero exaltar Teu

Leia mais

Germinação de Sementes

Germinação de Sementes Grminção Smnts Monootilôns Euiotilôns rminção pí rminção hipó Smnts nospémis Smnts não nospémis rof. Mrlo F. omplli Dr. m Fisioloi Vtl Fisioloi Vtl BO248 turm L1 hsolus vulris L. Z mys L. Grminção smnt:

Leia mais

CATÁLOGO DE PEÇAS COLHEDORA DE CAPIM. Rev /01

CATÁLOGO DE PEÇAS COLHEDORA DE CAPIM. Rev /01 TÁLOO PÇS Rev. 0.0/0 OLOR PIM N 00 Implementos Netz Ltda. one: () -7 / -00 ndereço: RS, KM, - ao lado da O do rasil Santa Rosa - RS ÍNI N00 (VISÃO RL OLOR PIM) 0 N00 (LIST PÇS OLOR PIM) 0 N0 (J MT I) 0

Leia mais

PSICROMETRIA 1. É a quantificação do vapor d água no ar de um ambiente, aberto ou fechado.

PSICROMETRIA 1. É a quantificação do vapor d água no ar de um ambiente, aberto ou fechado. PSICROMETRIA 1 1. O QUE É? É a quantificação do vapor d água no ar d um ambint, abrto ou fchado. 2. PARA QUE SERVE? A importância da quantificação da umidad atmosférica pod sr prcbida quando s qur, dntr

Leia mais

Streptococcus mutans, mas podem me

Streptococcus mutans, mas podem me Estação Saída Estação 1 - Olá moçada!! Mu nom é Strptococcus mutans, mas podm m chamar d Sr. Mutans. Vocês nm imaginam, mas u stou prsnt m uma part muito important do su corpo: a cavidad bucal!! Eu sou

Leia mais

Capri L.138 / A.101 / P. 77,5 cm

Capri L.138 / A.101 / P. 77,5 cm BERÇO & CM Cpri L.38 /.0 / P. 77,5 m Gur ss mnul l po srvir pr futurs onsults m so vris, lmbrno qu nossos móvis tm rnti 2 nos. Pr surnç o su bbê, li om muit tnção tos s instruçõs nts iniir montm. MNUL

Leia mais

soluções sustentáveis soluções sustentáveis

soluções sustentáveis soluções sustentáveis soluções sustentáveis 1 1 1 2 3 KEYAS S OCIADOS UNIDADES DE NEGÓCIO ALGUNS CLIENTES 2 2 1 2 3 KEYAS S OCIADOS UNIDADES DE NEGÓCIO ALGUNS CLIENTES 3 3 APRES ENTAÇÃO A KEYAS S OCIADOS a tu a d e s d e 1

Leia mais

ANEXO II MODELO DE PROPOSTA

ANEXO II MODELO DE PROPOSTA Plnih01 ANEXO II MODELO DE PROPOSTA Lot Itm Dsrição Uni 1 2 3 4 5 Imprssão CARTAZ: Formto A4, 21x29,7 m, Ppl rilo, 120 g/m² Nº ors: 4/0 ors. Qunti Rgistrr: 6.000 Imprssão CARTAZ: Formto A4, 21x29,7 m Ppl

Leia mais

Dado um grafo G, é possível encontrar uma representação gráfica para o grafo tal que não

Dado um grafo G, é possível encontrar uma representação gráfica para o grafo tal que não 13 - Gros Plnrs Nst ul qurmos rsponr à suint qustão: Do um ro G, é possívl nontrr um rprsntção rái pr o ro tl qu não hj ruzmnto rsts? Consir por xmplo o ro K 4 rprsnto rimnt ns iurs i1, i2 i3.: i. 1 i.

Leia mais

MECANISMOS DE REAÇÕES

MECANISMOS DE REAÇÕES /4/7 MECSMS DE REÇÕES rof. Hrly. Mrins Filho Rçõs lmnrs Rçõs qu concm m pns um p são rçõs lmnrs. molculri rção lmnr é o númro moléculs qu rgm. Rção lmnr unimolculr: C molécul m um proili inrínsc s compor

Leia mais

ÍNDICE PREFÁCIO 9 O GREGO 9 FONÉTICA 11 MORFOLOGIA 23 PARTE PARTE CAPÍTULO I 25 ARTIGO CAPÍTULO II 26 SUBSTANTIVOS. QUADRO GERAL DAS DESINÊNCIAS

ÍNDICE PREFÁCIO 9 O GREGO 9 FONÉTICA 11 MORFOLOGIA 23 PARTE PARTE CAPÍTULO I 25 ARTIGO CAPÍTULO II 26 SUBSTANTIVOS. QUADRO GERAL DAS DESINÊNCIAS ÍNI 1 PRT 2 PRT PRÁIO 9 O GRGO 9 ONÉTI 11 LTO GRGO PRONÚNI TRIIONL... 12 SONS LÍNGU GRG... 13 ONSONTS QU POM INLIZR PLVRS... 13 MOIIÇÕS ONÉTIS... 14 1. SÍLS... 15 2. ONTRÇÃO... 16 3. RS... 16 4. LISÃO...

Leia mais

Fabiano Gontijo. fgontijo@hotmail.com. Graduada em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro

Fabiano Gontijo. fgontijo@hotmail.com. Graduada em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro UZIEL, Ann Pul. Rio Homossxulid Jniro: Grmond, ção. 2007. Fbino Gontijo Doutor m Antropologi m pl Scincs Écol s Socils Huts Frnç. Étus Profssor Adjunto Bolsist Antropologi Produtivid d m Univrsid Psquis

Leia mais

DIAGRAMA DE INTERLIGAÇÃO DE AUTOMAÇÃO EXXA -SL

DIAGRAMA DE INTERLIGAÇÃO DE AUTOMAÇÃO EXXA -SL 3 4 7 8 9 0 QUIPMNTOS ONTROLOS XX SL (L44) - RJ4- /SNSORS - IM SOPOR 30.400.83.7 XX SL (L44) - RJ4- /SNSORS - IM MUTIR 30.400.84. IRM INTRLIÇÃO UTOMÇÃO XX -SL 3 0// INTIIÇÃO OS SNSORS UMI PRSSÃO /03/4

Leia mais

Eu só quero um xodó. Música na escola: exercício 14

Eu só quero um xodó. Música na escola: exercício 14 Eu só qu u xdó Músic n scl: xcíci 14 Eu só qu u xdó Ptitus Mi, hni lt Aut: Dinguinhs stáci Rgiã: Pnbuc : 1973 Fix: 14 Anj: Edsn Jsé Alvs Músics: Edsn Jsé Alvs vilã Pvt clints, sx t Jsé Alvs Sbinh Zzinh

Leia mais

Matemática Aplicada. A Mostre que a combinação dos movimentos N e S, em qualquer ordem, é nula, isto é,

Matemática Aplicada. A Mostre que a combinação dos movimentos N e S, em qualquer ordem, é nula, isto é, Mtemátic Aplicd Considere, no espço crtesino idimensionl, os movimentos unitários N, S, L e O definidos seguir, onde (, ) R é um ponto qulquer: N(, ) (, ) S(, ) (, ) L(, ) (, ) O(, ) (, ) Considere ind

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, ATUÁRIA, CONTABILIDADE E SECRETARIADO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, ATUÁRIA, CONTABILIDADE E SECRETARIADO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, ATUÁRIA, CONTABILIDADE E SECRETARIADO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Orçmnto Emprsri Copyrit Prir, F. I. Pro. Isiro MINI CASE # 12

Leia mais

Axel! Axel! Mas onde foi que se meteu o meu sobrinho?

Axel! Axel! Mas onde foi que se meteu o meu sobrinho? Hmburgo, domingo, 24 d mio d 1863... O profssor Lidnbrock s dirig prssdo à su pqun cs, situd no númro 19 d Königstrss. Já voltou, snhor Lidnbrock?!! Sim, Mrth, ms o jntr não prcis str pronto. não são nm

Leia mais

Estatística II. Aula 8. Prof. Patricia Maria Bortolon, D. Sc.

Estatística II. Aula 8. Prof. Patricia Maria Bortolon, D. Sc. Estatística II Aula 8 Pro. Patricia Maria Bortolon, D. Sc. Tsts Qui Quadrado Objtivos da Aula 8 Nsta aula, você aprndrá: Como quando utilizar o tst qui-quadrado para tablas d contingência Como utilizar

Leia mais

«ˆ «======================== & ˆ. ˆ. ˆ ˆ«======================== & œ G«

«ˆ «======================== & ˆ. ˆ. ˆ ˆ«======================== & œ G« œ œ 1) Oh! egri (bertur) est d mr Mis de Priir ucristi ( "Liturgi I" Puus) Letr e Músic: Ir. Miri T. King (x) ======================== & 2 º 4.. œ œ. œ œ. œ _.. = m ======================== &.... = gri

Leia mais

+12V. 0.1uF/ 100V RL4 :A ULN2003A C3 3 U1:D LIGA/ DESLIGA CARREGADOR. 10uF/ 16V C2 4 1N4148 D1 1 1N K GND 10K BC337 R2 5 CRISTAL DE 2 0 MHZ

+12V. 0.1uF/ 100V RL4 :A ULN2003A C3 3 U1:D LIGA/ DESLIGA CARREGADOR. 10uF/ 16V C2 4 1N4148 D1 1 1N K GND 10K BC337 R2 5 CRISTAL DE 2 0 MHZ ДХILUIR P/ LRR RL_ R To l. er a l es. Num. QU M PRVR IOO P O RROR MIOR V R LMJ U: UZZR R 0 ILUIR P M PRLLO OM ONTTO O RL 0.u/ 00V V R 0 0 R 0 verm elho U: ULN00 U: LMJ 0 ULN00 U: LI/ LI RROR V N R 0u/

Leia mais

QUESTIONÁRIO DO DIRETOR. Senhor(a) Diretor(a),

QUESTIONÁRIO DO DIRETOR. Senhor(a) Diretor(a), 2013 QUSTONÁRO O RTOR Senhor(a) iretor(a), s avaliações do Sistema Nacional de valiação da ducação ásica (S) são compostas por dois tipos de instrumentos de avaliação: as provas aplicadas aos estudantes

Leia mais

TÓPICOS. Números complexos. Plano complexo. Forma polar. Fórmulas de Euler e de Moivre. Raízes de números complexos.

TÓPICOS. Números complexos. Plano complexo. Forma polar. Fórmulas de Euler e de Moivre. Raízes de números complexos. Not m: litur dsts potmtos ão disps d modo lgum litur tt d iliogrfi pricipl d cdir Chm-s tção pr importâci do trlho pssol rlir plo luo rsolvdo os prolms prstdos iliogrfi, sm cosult prévi ds soluçõs proposts,

Leia mais

6ª LISTA DE EXERCÍCIOS - DINÂMICA

6ª LISTA DE EXERCÍCIOS - DINÂMICA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE FÍSICA DEPARTAMENTO DE FÍSICA DA TERRA E DO MEIO AMBIENTE CURSO: FÍSICA GERAL E EXPERIMENTAL I E SEMESTRE: 2008.1 6ª LISTA DE EXERCÍCIOS - DINÂMICA Considr g=10

Leia mais

MEU PROFETA (Entrada)

MEU PROFETA (Entrada) MU PROFTA (ntrada) Dm F A7 Dm ANTS QU T FORMASSS DNTRO DO SIO D TUA MÃ ANTS QU TU NASCSSS, T CONHCIA T CONSAGRI. F A7 Dm PARA SR MU PROFTA NTR AS NAÇÕS U T SCOLHI. IRÁS OND NVIAR-T O QU T MANDO PROCLAMARÁS.

Leia mais

EC1 - LAB - CIRCÚITOS INTEGRADORES E DIFERENCIADORES

EC1 - LAB - CIRCÚITOS INTEGRADORES E DIFERENCIADORES - - EC - LB - CIRCÚIO INEGRDORE E DIFERENCIDORE Prof: MIMO RGENO CONIDERÇÕE EÓRIC INICII: Imaginmos um circuito composto por uma séri R-C, alimntado por uma tnsão do tipo:. H(t), ainda considrmos qu no

Leia mais