Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia"

Transcrição

1 Curso Tologi Mtril ompilo por José Joquim Gonçlvs Fri Assssori Milton Vill Doutrin Cristã D Jsus Cristo

2 CRISTO DESOBEDECESSE Ministério Smors Plvr PG. DOUTRINA CRISTÃ DE JESUS CRISTO. 04 INTRODUÇÃO. 04 I, ASPECTOS IMPORTANTES SOBRE A VINDA DE JESUS CRISTO À TERRA. 05 I, 1, CONCEPÇÃO SOBRENATURAL DE JESUS CRISTO. 05 I, 2, O NASCIMENTO DE JESUS CRISTO. 05 I, 3, A GENEALOGIA DE JESUS CRISTO. 06 I, 4, A EXALTAÇÃO DE JESUS CRISTO APÓS SEU NASCIMENTO. 06 I, 5, A CIRCUNCISÃO DE JESUS CRISTO E SUA APRESENTAÇÃO NO TEMPLO. 07 I, 6, A FUGA DE JESUS CRISTO PARA O EGITO E SUA VOLTA. 07 I, 7, JESUS CRISTO NO TEMPLO AOS DOZE ANOS DE IDADE. 07 I, 8, O SILÊNCIO BÍBLICO ACERCA DA VIDA DE JESUS CRISTO ATÉ SEU BATISMO. 07 I, 9, O BATISMO DE JESUS CRISTO. 08 I, 9, A, HUMILDADE DE JESUS CRISTO. 08 I, 9, B, EXALTAÇÃO DE JESUS CRISTO. 08 I, 9, C, INTRODUÇÃO DE JESUS CRISTO EM SEU MINISTÉRIO. 08 I, 10, A TENTAÇÃO DE JESUS CRISTO. 09 I, 10, A, O io TENTOU ABALAR A FÉ QUE JESUS CRISTO TINHA NO PAI. 09 I, 10, B, O io TENTOU DESVIAR JESUS CRISTO DA SUA MISSÃO. 09 I, 10, C, O io TENTOU FAZER COM QUE JESUS AO PAI COM O ATO DE ADORAÇÃO. 10 I, 11, A VINDA DE JESUS CRISTO E A PLENITUDE DOS TEMPOS. 10 I, 11, A, A DERROCADA DAS RELIGIÕES PAGÃS. 10 I, 11, B, A CRIAÇÃO DE UM POVO (O POVO ISRAELITA). 11 I, 11, C, A PREPARAÇÃO DO POVO ISRAELITA. 11 I, 11, C,, A PREPARAÇÃO DO POVO ISRAELITA ATRAVÉS DA LEI. 11 I, 11, C,, A PREPARAÇÃO DO POVO ISRAELITA ATRAVÉS DOS PROFETAS. 12 I, 11, C,, A PREPARAÇÃO DO POVO ISRAELITA ATRAVÉS DO CATIVEIRO BABILÔNICO. 12 I, 11, C,, 1, A DERROCADA DA IDOLATRIA ENTRE O POVO JUDEU. 12 I, 11, C,, 2, A MUDANÇA DE HÁBITOS DO POVO JUDEU. 12 I, 11, D, A EXISTÊNCIA DE UMA LEI CIVIL QUE ABRANGIA TODO O IMPÉRIO ROMANO. 13 I, 11, E, A EXISTÊNCIA DE UMA LÍNGUA CONHECIDA EM TODO O IMPÉRIO ROMANO. 13 II, OS NOMES; JESUS, CRISTO, MESSIAS E SEUS SIGNIFICADOS. 13 II, 1, O NOME JESUS. 14 II, 2, O NOME CRISTO. 14 II, 3, O NOME MESSIAS. 16 II, 4, OUTROS NOMES E TÍTULOS REFERENTES A JESUS CRISTO. 16 III, AS DUAS NATUREZAS DE JESUS CRISTO. 17 III, 1, A NATUREZA DIVINA DE JESUS CRISTO. 17 III, 2, A NATUREZA HUMANA DE JESUS CRISTO. 18 III, 3, ALGUMAS TEORIAS ACERCA DAS DUAS NATUREZAS DE JESUS CRISTO. 18 III, 3, A, A TEORIA DOS DOCETAS. 19 III, 3, B, A TEORIA DOS EBIONITAS. 19 III, 3, C, A TEORIA DE ÁRIO. 19 III, 3, D, A TEORIA DE APOLINÁRIO. 20 III, 3, E, A TEORIA DE NESTÓRIO. 20 III, 3, F, A TEORIA DE EUTIQUES. 20 IV, A ENCARNAÇÃO DE DEUS (JESUS CRISTO). 21 V, O ESPÍRITO DE JESUS CRISTO. 21 VI, O TRÍPLICE MINISTÉRIO DE JESUS CRISTO. 22 VI, 1, JESUS CRISTO, PROFETA. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 2

3 PROFÉTICO CRISTO CRISTO CRISTO ATRAVÉS CRISTO E CRISTO E CRISTO E Ministério Smors Plvr 23 VI, 1, A, MINISTÉRIO PROFÉTICO DE JESUS CRISTO ATRAVÉS DO ENSINAMENTO. 23 VI, 1, B, MINISTÉRIO DE JESUS DA PREDIÇÃO DE ACONTECIMENTOS FUTUROS. 23 VI, 1, C, MINISTÉRIO PROFÉTICO DE JESUS CRISTO ATRAVÉS DE MILAGRES. 24 VI, 2, JESUS CRISTO, SACERDOTE. 24 VI, 2, A, MINISTÉRIO SACERDOTAL DE JESUS CRISTO ATRAVÉS DO SEU SACRIFÍCIO. 24 VI, 2, B, MINISTÉRIO SACERDOTAL DE JESUS CRISTO ATRAVÉS DA INTERCESSÃO. 25 VI, 2, C, CARACTERÍSTICAS DE UM SACERDOTE. 25 VI, 2, C,, JESUS É SEMELHANTE AO POVO (TOMADO DENTRE OS HOMENS), H 5:1. 25 VI, 2, C,, JESUS CRISTO FOI ESCOLHIDO POR DEUS (COMO ARÃO), H 5:4. 25 VI, 3, JESUS CRISTO, REI. 27 VII, OS ESTADOS DE JESUS CRISTO. 27 VII, 1, O ESTADO DE HUMILHAÇÃO DE JESUS CRISTO. 28 VII, 2, O ESTADO DE EXALTAÇÃO DE JESUS CRISTO. 28 VIII, A MORTE DE JESUS CRISTO E SEUS EFEITOS SALVÍFICOS. 28 VIII, 1, A MORTE VICÁRIA (SUBSTITUTIVA) DE JESUS CRISTO. 29 VIII, 2, A MORTE VICÁRIA DE JESUS CRISTO E SEUS EFEITOS NA VIDA DO SER HUMANO. 29 VIII, 2, A, A MORTE VICÁRIA DE JESUS CRISTO E A PROPICIAÇÃO. 30 VIII, 2, B, A MORTE VICÁRIA DE JESUS CRISTO E A EXPIAÇÃO. 31 VIII, 2, C, A MORTE VICÁRIA DE JESUS CRISTO E A REDENÇÃO. 31 VIII, 2, D, A MORTE VICÁRIA DE JESUS CRISTO E A RECONCILIAÇÃO COM DEUS. 32 IX, A RESSURREIÇÃO DE JESUS CRISTO E A APROVAÇÃO DE DEUS. 32 IX, 1, A RESSURREIÇÃO DE JESUS A APROVAÇÃO DE DEUS RELATIVA À SUA PESSOA. 33 IX, 2, A RESSURREIÇÃO DE JESUS A APROVAÇÃO DE DEUS RELATIVA À SUA MENSAGEM. 33 IX, 3, A RESSURREIÇÃO DE JESUS A APROVAÇÃO DE DEUS RELATIVA À SUA MORTE. 33 X, A ASCENSÃO DE JESUS CRISTO. 34 X, 1, PELA ASCENSÃO, A NATUREZA HUMANA DE JESUS CRISTO NÃO FICOU NA TERRA. 34 X, 2, PELA ASCENSÃO, DEUS EXALTA A JESUS CRISTO. 34 X, 2, A, PELA ASCENSÃO O PAI EXALTA JESUS CRISTO E O COLOCA À SUA DESTRA. 35 X, 2, B, A ASCENSÃO EXALTA JESUS CRISTO, O QUAL, BATIZA SUA IGREJA COM O ESPÍRITO SANTO. 35 X, 2, C, A ASCENSÃO EXALTA JESUS CRISTO, O QUAL, INTERCEDE CONSTANTEMENTE P ELOS FILHOS DE DEUS. 35 XI, A VOLTA DE JESUS CRISTO. 35 XI, 1, NINGUÉM SABE A DATA DA VOLTA DE JESUS CRISTO. 36 XI, 2, A VOLTA DE JESUS CRISTO SERÁ VISÍVEL A TODOS. 36 XI, 3, A VOLTA DE JESUS CRISTO SERÁ COM GRANDE PODER E GLÓRIA. 37 XII, OS MILAGRES DE JESUS CRISTO. 38 XII, 1, OS MILAGRES DE JESUS E A DEMONSTRAÇÃO DO SEU PODER E DO SEU AMOR. 38 XII, 1, A, A ONIPOTÊNCIA DE JESUS CRISTO DEMONSTRADA EM SEUS MILAGRES. 38 XII, 1, B, O AMOR DE JESUS DEMONSTRADO EM SEUS MILAGRES. 39 XII, 2, OS MILAGRES DE JESUS CRISTO E A CHEGADA DO REINO DE DEUS. 39 XIII, OS ENSINOS DE JESUS CRISTO. 39 XIII, 1, ASPECTOS DOS ENSINOS DE JESUS CRISTO. 40 XIII, 1, A, JESUS CRISTO ENSINAVA ATRAVÉS DA PRÓPRIA VIDA. 40 XIII, 1, B, JESUS CRISTO ENSINAVA COM AUTORIDADE. 41 XIII, 1, C, JESUS CRISTO ENSINAVA ATRAVÉS DE VERDADES SIMPLES. 41 XIII, 1, D, JESUS CRISTO ENSINAVA ATRAVÉS DE VERDADES UNIVERSAIS. 42 CONCLUSÃO. 43 BIBLIOGRAFIA. 44 PROVA DE AVALIAÇÃO. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 3

4 DOUTRINA CRISTÃ DE JESUS CRISTO. INTRODUÇÃO. Est stuo é muito importnt pr toos os CRISTÃOS, visto qu, vrs sor nsinmntos ásios r psso JESUS CRISTO, o FILHO DE DEUS, o qul é o próprio DEUS qu s fz homm vio o muno pr proporionr o sr humno possiili tr VIDA ETERNA. Cristologi é o stuo outrinário, ou outrinl psso JESUS CRISTO. Por isso, in qu folizmos, rpimnt, sor lguns sptos vi JESUS CRISTO, st, não é um stuo iográfio r o SALVADOR, é, isto sim, um stuo sor su psso, su ministério, su or su vlor m prol o sr humno. Em sum, o qu vmos stur é outrin psso JESUS CRISTO. Os stuos qui rlizos são ásios rsumios, por isso, não ontêm tuo o qu s poss onhr r o nosso SALVADOR, porém, stumos om fé, rtos qu, os msmos, muito nos jurão mlhor omprnr onhr psso JESUS CRISTO. I, ASPECTOS IMPORTANTES SOBRE A VINDA DE JESUS CRISTO À TERRA. Vjmos, pssgm, lguns sptos importnts vi JESUS CRISTO, os quis, monstrm su singulri. A vi JESUS CRISTO é singulr n su totl snti, João 8:46; H 4:15; 1ªP 2:22, no totl umprimnto s profis su rspito, Mt 1:2223, 27:35; João 1:45, m su totl oiêni DEUS, Mt 26:39, 42; Mr 14:36; Lu 22:42; João 4:34, 6:3840. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 4

5 DEUS s fz homm n psso JESUS CRISTO, João 1:14, vio à Trr pr slvr o su povo os sus pos, Mt 1:2023. I, 1, CONCEPÇÃO SOBRENATURAL DE JESUS CRISTO. A onpção JESUS CRISTO ontu moo sornturl. A virgm Mri ru, trvés um njo, notíi qu sri mã o SALVADOR, o njo lh iss qu JESUS CRISTO sri gro no su vntr plo por o ESPÍRITO SANTO, Lu 1:2635; José, tmém foi viso por um njo r st ontimnto, Mt 1:1821. Est fto s u m umprimnto à profi Is 7:14; Mt 1: I, 2, O NASCIMENTO DE JESUS CRISTO. Mt 1:25, fl suintmnt o nsimnto JESUS CRISTO. Lu 2:17 nrr om mis riquz tlhs o nsimnto JESUS CRISTO. O proft Miquéis hvi proftizo, qu JESUS CRISTO nsri m Blém, Miq 5:2; Mt 2:46, porém, José Mri morvm n Gliléi, n i Nzré, Lu 2:4. Contuo, profi s umpriu, lmnt, sm qu José Mri intrfrissm, pssol isolmnt, pr qu msm s umpriss. O impror Romno, Césr Augusto, rtou um listmnto (rnsmnto) m too o império, pr or tl rto, toos os hitnts qu morvm for sus is origm, vrim listrs m sus própris is, Lu 2:15. Com to rtz, o o DEUS stv por trás st rto. Por isso, José Mri sm Gliléi vão té Blém pr listrs no rnsmnto, oportuni st, m qu JESUS CRISTO nsu, Lu 2:17. I, 3, A GENEALOGIA DE JESUS CRISTO. Mt 1:117 Lu 3:2338, nos prsntm gnlogi JESUS CRISTO. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 5

6 As gnlogis mostrs plos ois Evnglists são muito ifrnts. A ifrnç ntr s us gnlogis s v o fto Mtus prsntr gnlogi JESUS CRISTO plo lo ptrno Lus prsntál plo lo mtrno. Além isto, gnlogi Mtus hg pns Arão, o psso qu gnlogi Lus vi té Aão DEUS. A prsntção árvor gnlógi JESUS CRISTO é importnt, não pr mostrr onhimnto, ms, priniplmnt, pr provr o povo juu, trvés Mtus os gntios, por intrméio Lus, qu JESUS CRISTO, lém toos os mis umprimntos profétios, tm toos os rquisitos nssários, pr sr rio omo o MESSIAS promtio, Dn 9:2526, já qu sn o ri Dvi Mt 1:6; Lu 3:3132, Arão, Mt 1:12; Lu 3:34. I, 4, A EXALTAÇÃO DE JESUS CRISTO APÓS SEU NASCIMENTO. Após su nsimnto, JESUS CRISTO foi xlto: 01, Plos njos, Lu 2:814 (14). 02, Plos pstors, Lu 2: , Plos mgos o Orint, Mt 2:112 (11). É om srmos, qu visit os mgos não ontu imitmnt o nsimnto JESUS CRISTO, morou, isto sim, lgum tmpo. Outro fto importnt, plvr mgos v sr ntni omo sáios. I, 5, A CIRCUNCISÃO DE JESUS CRISTO E SUA APRESENTAÇÃO NO TEMPLO. A irunisão r sinl linç ntr o povo isrlit (juu) DEUS, Gên 17:914; Lv 12:13. Por sr juu, JESUS CRISTO tmém foi irunio, Lu 2:21. Além isso, quno s umprirm os is purifição Mri, JESUS CRISTO foi lvo o tmplo m Jruslém pr sr José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 6

7 prsnto o SENHOR, Lu 2:2224, pr umprir trminção DIVINA, Êx 13:12, 22:29. I, 6, A FUGA DE JESUS CRISTO PARA O EGITO E SUA VOLTA. Em virtu o óio o ri Hros o ri os juus (JESUS CRISTO) o viso o ANJO DO SENHOR, José Mri fugirm pr o Egito, lvno JESUS om ls, Mt 2:1218 (14). Do Egito só rtornrm pós mort o ri Hros, qul, tmém foi notifi plo ANJO DO SENHOR, Mt 2:1923 (21). Tmos qui um monstrção prsrvção DEUS (DEUS PAI), sor o mnino JESUS (DEUS FILHO). Tmos tmém, o umprimnto um profi r JESUS CRISTO, Osé 11:1; Mt 2:15. I, 7, JESUS CRISTO NO TEMPLO AOS DOZE ANOS DE IDADE. Aos oz nos i, pós um visit Jruslém urnt um fst rligios páso, JESUS CRISTO fiou n i à rvli sus pis. Porém, não stv prio, fiou no tmplo ilogno om os outors, osião m qu foi miro pl su imns sori, Lu 2:47. Ao sr nontro por sus pis, sts o rprnrm, JESUS CRISTO rsponu qu stv trtno os ngóios o su PAI (DEUS). Est nrrtiv stá m Lu 2:4151. I, 8, O SILÊNCIO BÍBLICO ACERCA DA VIDA DE JESUS CRISTO ATÉ SEU BATISMO. A BÍBLIA SAGRADA n mis ont r vi JESUS CRISTO té qu foi tizo por João Btist, não sr o qu stá rgistro m Lu 2:52. I, 9, O BATISMO DE JESUS CRISTO. Em Mt 3:1317; Mr 1:911 Lu 3:2122, tmos nrrtiv BÍBLICA o tismo JESUS CRISTO. No tismo JESUS CRISTO, pomos osrvr, plo mnos, três ftos: A, HUMILDADE DE JESUS CRISTO. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 7

8 B, EXALTAÇÃO DE JESUS CRISTO. C, INTRODUÇÃO DE JESUS CRISTO EM SEU MINISTÉRIO. I, 9, A, HUMILDADE DE JESUS CRISTO. JESUS CRISTO sno DEUS, s olo no msmo nívl o sr humno norml, ino té João Btist pr sr, por st, tizo, Mt 3:1316; Mr 1:9; Lu 3:21. I, 9, B, EXALTAÇÃO DE JESUS CRISTO. À smlhnç o su nsimnto, tmém, quno o su tismo, JESUS CRISTO foi xlto: 01, Atrvés mnifstção o ESPÍRITO SANTO qu, m form pom, pousou sor JESUS CRISTO, Mt 3:16; Mr 1:10; Lu 3:22; João 1: , Por DEUS, trvés um voz vin o CÉU, Mt 3:17; Mr 1:11; Lu 3:22. 03, Por João Btist, Mt 3:14; João 1:2930. Por osião o tismo JESUS CRISTO pomos vrifir xistêni TRINDADE, trvés voz DEUS (O PAI), prsnç o FILHO (JESUS CRISTO), m omo prsnç o ESPÍRITO SANTO (n form orpór um pom). I, 9, C, INTRODUÇÃO DE JESUS CRISTO EM SEU MINISTÉRIO. João Btist, tm missão introuzir JESUS CRISTO m su ministério, Is 40:3; Mt 3:3; Mr 1:23; Lu 3:4; João 1:23. E om fito, João Btist introuz JESUS CRISTO m su ministério, João 1:2934. I, 10, A TENTAÇÃO DE JESUS CRISTO. JESUS CRISTO s sujitou tntçõs, urnt too o su ministério, porém, su grn tntção stá rgistr m Mt 4:111; Mr 1:1213; Lu 4:113. Logo pós su tismo, JESUS CRISTO, hio o ESPÍRITO SANTO, foi onuzio plo ESPÍRITO SANTO o srto pr sr tnto plo io. Vrifirmos rpimnt qul o signifio grl s José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 8

9 tntçõs, não um ls m prtiulr. A tntção JESUS CRISTO, ontu m, PELO MENOS, três sptos: A, O DIABO TENTOU ABALAR A FÉ QUE JESUS CRISTO TINHA NO PAI. B, O DIABO TENTOU DESVIAR JESUS CRISTO DA SUA MISSÃO. C, O DIABO TENTOU FAZER COM QUE JESUS CRISTO DESOBEDECESSE AO PAI. I, 10, A, O io TENTOU ABALAR A FÉ QUE JESUS CRISTO TINHA NO PAI. S tu és o FILHO DE DEUS, mn qu sts prs s tornm m pão, Mt 4:3; Lu 4:3. Vitóri JESUS CRISTO sor o io, usno omo rm, vsslor, PALAVRA DE DEUS, Dut 8:3. Nm só pão vivrá o homm, ms to plvr qu si o DEUS, Mt 4:4; Lu 4:4. I, 10, B, O io TENTOU DESVIAR JESUS CRISTO DA SUA MISSÃO. Citno o Slmo 91:1112, o io iz: Lnçt no r, pr qu os njos t tomm ns mãos, Mt 4:56; Lu 4:911 (o sjo o io r qu JESUS CRISTO foss lmo, plos homns, om fm glóri, pr sviálo ruz). Vitóri JESUS CRISTO sor o io, usno, novmnt, omo rm PALAVRA DE DEUS, Dut 6:16. Não tntrás o SENHOR tu DEUS, Mt 4:7; Lu 4:12. I, 10, C, O io TENTOU FAZER COM QUE JESUS CRISTO DESOBEDECESSE AO PAI COM O ATO DE ADORAÇÃO. Toos os rinos to glóri os rinos o muno t ri s prostro m orrs Mt 4:89; Lu 4:57. (st foi propost o io pr qu JESUS CRISTO o orss o invés orr o PAI). Nov vitóri JESUS CRISTO sor o io, usno omo rm PALAVRA DE DEUS, Êx 20:15. Ao SENHOR tu DEUS orrás, só l srvirás, Mt 4:10; Lu 4:8. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 9

10 ATENÇÃO, CUIDADO, PERIGO, o io usou PALAVRA DE DEUS om propósitos susos, pr isto, istoru, porém, JESUS CRISTO, lutno om tos s sus forçs, vnu tos sts, fortíssims, tntçõs, usno, orrtmnt, PALAVRA DE DEUS. Est é um grn xmplo pr nós, uio om s istorçõs PALAVRA DE DEUS qu nos hgm os ouvios. Ao invés isso, tnhmos onfinç totl n vri por PALAVRA DE DEUS. Porqu JESUS CRISTO lutou vnu, po soorrr os filhos DEUS quno sts são tntos, H 2:18. I, 11, A VINDA DE JESUS CRISTO E A PLENITUDE DOS TEMPOS. A BÍBLIA SAGRADA rlt qu DEUS nviou JESUS CRISTO à Trr quno hgou plnitu os tmpos, Gál 4:4. A plnitu os tmpos, signifi qu hvi hgo hor JESUS CRISTO vir à Trr. A plnitu os tmpos hgou, porqu DEUS, o longo o tmpo, prprou o muno pr vin JESUS CRISTO m omo, pr onsqünt implntção xpnsão o ristinismo, m, plo mnos, ino sptos: A, A DERROCADA DAS RELIGIÕES PAGÃS. B, A CRIAÇÃO DE UM POVO (O POVO ISRAELITA). C, A PREPARAÇÃO DO POVO ISRAELITA: D, A EXISTÊNCIA DE UMA LEI CIVIL QUE ABRANGIA TODO O IMPÉRIO ROMANO. E, A EXISTÊNCIA DE UMA LÍNGUA CONHECIDA EM TODO O IMPÉRIO ROMANO. I, 11, A, A DERROCADA DAS RELIGIÕES PAGÃS. Já m Dut 18:914, pomos vrifir sm muito sforço qul r quli vi spiritul os gntios. Est rro spiritul usou ntrg Cnã o povo isrlit, Dut 18:12. I, 11, B, A CRIAÇÃO DE UM POVO (O POVO ISRAELITA). O povo isrlit foi rio por DEUS prtir o ptrir Arão, Gên 12:19. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 10

11 Arão grou Isqu, Gên 21:17; Isqu grou Jó, Gên 25:1926. DEUS muou o nom Jó pr Isrl, Gên 32:2232 (28). Os filhos Jó, xto José Lvi, Núm 1:117 (515), formrm s oz trios Isrl, um om o nom um os sus filhos (s xçõs stão inis ixo). A isão DEUS ontu m virtu os snnts Lvi trm rio, prt DEUS, o ministério rligioso, Núm 1:4754, 18:21; Dut 10:89, 18:18; Josué 13:14, por isso vivrim os ízimos o povo isrlit, Núm 18:2032. Em lugr José Trio Lvi, DEUS oloou os ois filhos José, quis sjm, Efrim Mnssés, Núm 1:10; Josué 14:4. O povo isrlit, é o povo o qul fz prt JESUS CRISTO. JESUS CRISTO é snnt o filho Jó hmo Juá, Mt 1:117 (23), o ptrir um s trios isrlits, Núm 1:7. Em vários pssgns, BÍBLIA nos fl os isrlits, vjmos lgums, Lv 24:1011; Núm 25:14; João 1:47; Rom 11:1. I, 11, C, A PREPARAÇÃO DO POVO ISRAELITA. A prprção o povo isrlit ontu m três sptos, quis sjm:, ATRAVÉS DA LEI., ATRAVÉS DOS PROFETAS., ATRAVÉS DO CATIVEIRO BABILÔNICO. I, 11, C,, A PREPARAÇÃO DO POVO ISRAELITA ATRAVÉS DA LEI. Um os mios usos por DEUS, pr prprção o povo isrlit pr vin JESUS CRISTO foi LEI, o DECÁLOGO ou os DEZ MANDAMENTOS, qu foi ntrgu o povo isrlit trvés o ministério Moisés, Êx 20:117. I, 11, C,, A PREPARAÇÃO DO POVO ISRAELITA ATRAVÉS DOS PROFETAS. Outro mio plo qul DEUS prprou o povo isrlit pr vin JESUS CRISTO foi trvés o ministério profétio. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 11

12 Gên 3:15, é primir rfrêni BÍBLICA à psso JESUS CRISTO, smnt mulhr, porém, há mis, Is 7:14, 9:67, 52:1353:12; Miq 5:2. I, 11, C,, A PREPARAÇÃO DO POVO ISRAELITA ATRAVÉS DO CATIVEIRO BABILÔNICO. O tiviro ilônio foi outro mio trvés o qul DEUS prprou o povo isrlit (gor povo juu) pr vin JESUS CRISTO. O prpro o povo isrlit, trvés o tiviro ilônio, ontu m ois sptos: I, 11, C,, 1, A DERROCADA DA IDOLATRIA ENTRE O POVO JUDEU. O povo isrlit iu muits vzs n ioltri, vjmos ioltri o povo isrlit (juu), pns no rino Jorão, 2ºCrôn 21:520 (1213). Vjmos o qu DEUS fl rspito os íolos m Isrl, pns m Ez 14:111. Vjmos in o sprzo DEUS os íolos no Slmo 115:48. Porém, quno o povo juu voltou o tiviro ilônio stv, totlmnt, uro ioltri, Ez 36:1631 (25). I, 11, C,, 2, A MUDANÇA DE HÁBITOS DO POVO JUDEU. O povo juu qu r ssnilmnt gríol, pstoril, pssou sr, tmém, um povo mrntil omril, st munç o pitou ptrs qulqur pís o muno. Até hoj, toos onhm o porio pitlist o povo juu, m omo, su pi ptção qulqur situção, qulqur pís o muno ou qulqur lugr. I, 11, D, A EXISTÊNCIA DE UMA LEI CIVIL QUE ABRANGIA TODO O IMPÉRIO ROMANO. Quno JESUS CRISTO nsu, Rom ominv to ost o Mitrrâno, Lu 2:17. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 12

13 Por volt o no inqünt (50) DC, Rom ominv qus to tul Ingltrr, Europ s o sul o rio Rno o rio Dnúio; to ost nort Áfri, inluino o Egito; ominv tmém grn prt Ási, s o mr Mitrrâno té Msopotâmi. A orm mnti m too st império, não r pns pl forç, ms tmém trvés os nfíios qu su ivilizção mis int lvv os povos onquistos. Além isso, o por impril Rom mntinh os povos ominos, politimnt, pl implntção PAX ROMANA (PAZ ROMANA), qul, so tutl um úni li, prtimnt, oliu to qulqur gurr ntr os povos so o su omínio. A PAX ROMANA fvoru, xtrorinrimnt, igrj primitiv, no qu onrn à xpnsão o ristinismo, too o império romno. I, 11, E, A EXISTÊNCIA DE UMA LÍNGUA CONHECIDA EM TODO O IMPÉRIO ROMANO. S Rom ominv os povos politimnt, Gréi tinh um norm influêni ulturl, priniplmnt, ntr os povos s osts o mr Mitrrâno. Tl influêni molou mrou mntli os povos o império romno. Dvio ss norm influêni, língu grg r onhi m too o império. Est fto, tmém, muito ontriuiu pr issminção o ristinismo. Em virtu st situção ulturl, o NOVO TESTAMENTO foi srito n língu grg. II, OS NOMES; JESUS, CRISTO, MESSIAS E SEUS SIGNIFICADOS. II, 1, O NOME JESUS. A plvr JESUS é nom próprio signifi, DEUS É SALVADOR, Mt 1:21. D rt form, é sinônimo EMANUEL m Is 7:14 (DEUS o SALVADOR onoso, Is 43:11, 45:15, 21) Mt 1:23. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 13

14 II, 2, O NOME CRISTO. CRISTO, é um plvr grg rfrnt à hri MESSIAS qu, signifi, UNGIDO, At 10:3438 (36, 38). II, 3, O NOME MESSIAS. A plvr MESSIAS é riv plvr hri MESHIAH, qul, omo já vimos, signifi UNGIDO, JOÃO 1:41, 4:25. Sguno o oniso iionário tologi CRISTÃ, MESSIAS signifi: 01, Litrlmnt O UNGIDO. O lír signo por DEUS pr umprir missão spil rnção lirtção. Sguno o Aurélio, MESSIAS signifi: 01, Do hrio MASHIAH, ungio, plo ltim MESSIAS. 02, Psso ou oltivi n qul s onrtizvm s spirçõs slvção ou rnção. 03, Psso qum DEUS omuni lgo su por ou utori. 04, Lír rismátio. 05, Psso spr nsiosmnt. 06, Rformor ou prtnso rformor soil. Portnto plvr grg CRISTO hri MESSIAS são rfrnts título, não nom próprio. No Antigo Tstmnto, quno ris, srots lírs rm spros pr o su ministério, rm ungios om ólo, Êx 28:41, 29:7; Lv 4:3, 6:20; 1ºSm 9:16, 10:1, 15:1; 2ºSm 23:1. Por isso, ungir, tm, tmém, o signifio sprr, onsgrr. Assim sno, um psso ungi é um psso spr pr o xríio um ministério spífio. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 14

15 É o so JESUS CRISTO, o qul, vrmos mis int qu, xr um trípli ministério. A unção, tmém, simoliz influêni o ESPÍRITO SANTO JESUS CRISTO é totlmnt influnio plo ESPÍRITO SANTO, porqu hio o msmo, João 3:34. Rlmrmos, tmém, si o ESPÍRITO SANTO, m form pom, sor JESUS CRISTO por osião o su tismo, Mt 3:16; Mr 1:10; Lu 3:22; João 1:3234. Portnto, tnto plvr grg CRISTO (UNGIDO) qunto hri MESSIAS (UNGIDO) s nixm, prfitmnt, n psso JESUS CRISTO (O UNGIDO DE DEUS), Sl 45:67; H 1:89. Como já vimos, o título MESSIAS ou UNGIDO, r o às pssos hms por DEUS pr xutrm um trf spil. Os juus tinhm promss qu smpr hvri um ri linhgm Dvi no trono Isrl, 2ºSm 7:829 (16, 19, 29). Porém, históri nos mostr qu, nm smpr um ri linhgm Dvi, govrnou Isrl. Muits vzs, Isrl foi govrno por povos gntios, inlusiv, no tmpo JESUS CRISTO qum govrnv o povo isrlit (juu) rm os romnos, nturlmnt, um povo gntio, Lu 2:17. Porém, os juus não prim sprnç o umprimnto promss. Dint su rli históri, os juus sprvm qu um i viri um ri juu (O MESSIAS DO SENHOR) qu xpulsri o su trritório os onquistors gntios rsturri o povo isrlit, fznoo novmnt um rino inpnnt. Como já vimos, n tntção JESUS CRISTO no srto, o io o tntou qu isso ontss. Por muito tmpo os isípulos JESUS CRISTO tmém pnsrm ssim, At 1:57 (6). Porém, onform JESUS CRISTO iss, o su rino não é st muno, João 8:23, 18:36. S o rino JESUS CRISTO foss, pns, st muno, omo pori r SALVAÇÃO ETERNA à humni? José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 15

16 II, 4, OUTROS NOMES E TÍTULOS REFERENTES A JESUS CRISTO. 01, FILHO DO HOMEM, Dnil us st nom m su profi r JESUS CRISTO, Dn 7:1314, inino su humni mssini. JESUS CRISTO pli o título, FILHO DO HOMEM, si msmo, Mt 11:19; Mr 2:28; Lu 9:26; João 3:14; Lu 21:27. 02, FILHO DE DEUS, Lu 1:3235; At 3:13. Su onpção é um to o ESPÍRITO SANTO, Mt 1:20; Lu 1:35. 03, SENHOR, nom uso pós rssurrição, Is 40:3; Mt 3:3; João 20:25, 28; Apo 1:10. 04, SALVADOR, porqu l slvrá o su povo os sus pos, Mt 1:21; Lu 2:11. 05, REDENTOR, Rom 3:24; 1ªCor 1:30: H 9:12. 06, BOM PASTOR, João 10:11, , VERBO (LÓGOS), João 1:1, , EMANUEL (DEUS CONOSCO), Is 7:14; Mt 1:23. 09, REI DOS REIS E SENHOR DOS SENHORES, 1ªTim 6:15; Apo 17:14, 19:16. 10, MARAVILHOSO, Is 9:6. 11, CONSELHEIRO, Is 9:6. 12, DEUS FORTE, Is 9:6. 13, PAI DA ETERNIDADE, Is 9:6. 14, PRÍNCIPE DA PAZ, Is 9:6. III, AS DUAS NATUREZAS DE JESUS CRISTO. JESUS CRISTO é um psso singulr, pois só JESUS CRISTO tm us nturzs. 1, A NATUREZA DIVINA. 2, A NATUREZA HUMANA. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 16

17 III, 1, A NATUREZA DIVINA DE JESUS CRISTO. Após lgum tmpo úvi, Tomé viu JESUS CRISTO rssusito fz st glorios lrção: SENHOR mu DEUS mu, João 20:28. Est é um lrção insofismávl DIVINDADE JESUS CRISTO. Além st pssgm BÍBLICA, vrifiqumos DIVINDADE JESUS CRISTO m João 1:14, 14; H 1:114 (512); 1ªJoão 5:20. Em CRISTO hit to plnitu DIVINDADE, Col 2:69, ou sj, n o qu é DIVINO flt m JESUS CRISTO. Por isso, lrmos, tgorimnt. JESUS CRISTO É VERDADEIRO DEUS. Apsr isto, há grupos, té, intitulos CRISTÃOS, qu ngm DIVINDADE JESUS CRISTO. Como DEUS, JESUS CRISTO é sgun psso TRINDADE, por isso, é PREEXISTENTE, ou sj, é trno, smpr xistiu. JESUS CRISTO já xisti nts tos s oiss ris, João 1:13, 8:58, 17:5; Col 1:17. Pssgns iionis r DIVINDADE JESUS CRISTO, Is 7:14, 9:6; Mt 1:23, 26:6364; Mr 2:57; João 10:30; Rom 9:5; Filip 2:511; Tito 2:13; Tigo 2:1. III, 2, A NATUREZA HUMANA DE JESUS CRISTO. A nturz humn JESUS CRISTO é mis fáil itr, visto qu, é um utêntio prsongm históri humni, Mt 4:2; Lu 2:7, 4052; João 4:7, 11:3546; At 2:22. Por isso, tmém, lrmos, tgorimnt. JESUS CRISTO É VERDADEIRO HOMEM. Como sr humno JESUS CRISTO iniiou su históri, n i Blém, trvés o su nsimnto o vntr virgm Mri, Mt 1:25; Lu 2:17; João 1:14. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 17

18 Pssgns iionis r, vrir, humni JESUS CRISTO, Mt 8:24; Lu 22:44; João 4:67, 11:35, 12:27; Rom 5:15; 1ªCor 15:21; 1ªTim 2:5; H 4:15. Dlrção, onjunt, s nos stuos st pítulo. JESUS CRISTO É VERDADEIRO DEUS E VERDADEIRO HOMEM. Há um uio sum importâni, sr onsiro, r DIVINDADE E DA HUMANIDADE DE JESUS CRISTO. A psso JESUS CRISTO não é mt DEUS mt homm. JESUS CRISTO É SIMULTÂNEA, TOTAL E INTEGRALMENTE DEUS E HOMEM. III, 3, ALGUMAS TEORIAS ACERCA DAS DUAS NATUREZAS DE JESUS CRISTO. Já vimos nst pítulo qu JESUS CRISTO é vriro DEUS vriro homm. Entrtnto, inflizmnt, nm tos s pssos rêm ss form, omo BÍBLIA SAGRADA nos nsin lrmnt, 1ªJoão 4:13. Dmos sguir váris toris, ou outrins, inflizmnt, rrs r psso JESUS CRISTO. III, 3, A, A TEORIA DOS DOCETAS. Est plvr é um rivção o grgo okts, okin, tm o signifio prr, rr num prêni, t. Surgirm por volt 70 DC. prmnrm té 170 DC. Os ots ngvm, vrir, humni JESUS CRISTO, m virtu onsirrm qu s oiss mtriis rm, por nturz, más (orrupts), por isso, rm s too o po too o ml. Dizim: s o ml stá n mtéri s JESUS CRISTO nun pou, ntão jmis tv orpo mtril (humno). Est pnsmnto outrinário r fruto s filosofis grg pgã no intrior IGREJA DE JESUS CRISTO. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 18

19 III, 3, B, A TEORIA DOS EBIONITAS. Aprrm m 107 DC, ngvm nturz DIVINA JESUS CRISTO. Pr ls, JESUS CRISTO r pns homm. Er um grupo omposto por juus, os quis, psr s intitulrm CRISTÃOS, não itvm outrin CRISTÃ Trin. Pr ls, JESUS CRISTO r pns um grn proft, qu s rlionv, intimmnt, om DEUS, porém, não r DEUS. III, 3, C, A TEORIA DE ÁRIO. O rinismo pru m 325 DC, muitos itrm ts Ário, su funor, o qul ngv intgri prfição nturz DIVINA JESUS CRISTO. Pr ls, O VERBO QUE SE FEZ CARNE, João 1:14, não r DEUS, ms um os srs mis lvos o CRIADOR. Assim sno, pr ls, O VERBO não r mis o qu um ritur DEUS. Em virtu st onpção não onsguim itr nrnção DEUS, n psso humn JESUS CRISTO. III, 3, D, A TEORIA DE APOLINÁRIO. Est tori pru m 381 DC. Conform Apolinário nsinv, JESUS CRISTO não tinh mnt humn. O qu JESUS CRISTO tinh humno, r pns o orpo o spírito. O VERBO QUE SE FEZ CARNE, tomou o lugr mnt, por isso, JESUS CRISTO não r homm prfito. Sguno st tori, JESUS CRISTO r omposto orpo, vro spírito. Portnto, tori Apolinário ngv intgri nturz humn JESUS CRISTO. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 19

20 III, 3, E, A TEORIA DE NESTÓRIO. Est tori pru m 431 DC. trvés Nstório. Nstório, ngv união vrir ntr s us nturzs JESUS CRISTO. Nstório vi m JESUS CRISTO us prts ou ivisõs, um humn outr ivin. Quno JESUS CRISTO ormi, r prt humn qu ormi. Porém, quno, por xmplo, rprni os vntos, r su prt ivin qu stv m ção. A vr, porém, é qu JESUS CRISTO não s ivi m us prts, JESUS CRISTO não opr, ou g, prlmnt, g, isto sim, om to su prsonli. III, 3, F, A TEORIA DE EUTIQUES. Est tori nsin qu, s us nturzs JESUS CRISTO funirms tl form qu, formrm um trir nturz, qu não r ivin nm humn. Dst form, pr ls, JESUS CRISTO não r ivino nm humno. Vimos ssim, váris toris qu tntm xplir nturz JESUS CRISTO, porém, são toris ontráris à BÍBLIA SAGRADA, portnto, igns rpúio plo povo DEUS. IV, A ENCARNAÇÃO DE DEUS (JESUS CRISTO). Como vimos no pítulo ntrior, JESUS CRISTO é, simultnmnt, DEUS homm. Est rli só é possívl m virtu nrnção DEUS, n psso JESUS CRISTO, João 1:14. A nrnção DEUS n psso humn JESUS CRISTO é o fto, ou rli DEUS, pl su onipotêni, fzrs homm. A nrnção não liminou nm iminuiu os triutos DEUS. Durnt o tmpo nrnção, DEUS ontinuou sno DEUS, omo é trnmnt. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 20

21 Pl nrnção, DEUS ssumiu, não só um orpo humno, ms nturz humn omplt. A nturz humn JESUS CRISTO é, omo toos os homns, ompost, pr os iotomists, orpo lm, qunto o orpo não há úvi, qunto à lm, Mt 26:38; Mr 14:34; João 12:27, pr os triotomists é ompost orpo, lm spírito, Mt 27:50; Lu 23:46; João 19:30. Em João 1:14 vmos, lrmnt, DEUS tornnos homm, n psso JESUS CRISTO. A úni ifrnç ntr JESUS CRISTO, homm, os mis srs humnos, é o fto JESUS CRISTO jmis hvr po, Is 53:9; H 4:15; 1ªP 2:2123, nm jmis prá H 9:28. A nrnção proporionou JESUS CRISTO possiili sr tnto, Mt 4:111; Mr 1:1213; Lu 4:113. Em virtu JESUS CRISTO sr vriro homm m tuo tr sio tnto, nrnção propiiou o sr humno um sumo srot fil misriorioso, H 2:17, 4:15. No sxto pítulo, sturmos sor o sróio JESUS CRISTO. Por isso, JESUS CRISTO não é um justiiro tirno, plo ontrário, é um srot fil misriorioso, porqu ntn s nosss tntçõs. A nrnção, tmém, foi nssári, pr JESUS CRISTO fzr xpição plos nossos pos (mis int sturmos sor isto). V, O ESPÍRITO DE JESUS CRISTO. O ESPÍRITO DE JESUS CRISTO é, o ESPÍRITO DE DEUS, ou o ESPÍRITO SANTO, Rom 8:9; Filip 1:19; 1ªP 1:911. VI, O TRÍPLICE MINISTÉRIO DE JESUS CRISTO. Ministério, signifi: Crgo, inumêni, mistr; Crgo, função, profissão; Função ministro. JESUS CRISTO xr um trípli ministério; JESUS CRISTO é: 1, PROFETA. 2, SACERDOTE. 3, REI. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 21

22 VI, 1, JESUS CRISTO, PROFETA. O proft tinh in tm su nrgo fzr o homm onhr vont DEUS, Juí 6:8; 1ºRis 16:12, 20:13, 22:7; 2ºRis 3:11, 20:1; 2ºCrô 12:5. JESUS CRISTO omo proft, foi proftizo por Moisés, Dut 18:15, 18; João 1:45. JESUS CRISTO onsirous proft, Lu 13:3133. Mt 13:5458; Mr 6:14; JESUS CRISTO foi ronhio trto omo proft pl mulhr smritn, João 4:19. JESUS CRISTO foi ronhio onsiro omo proft plo povo, Mt 21:4546; Lu 7:1116; João 6:14, 7:40, pls multiõs, Mt 21:1011. JESUS CRISTO foi ronhio onsiro omo proft plos ois isípulos Emús, Lu 24:19. JESUS CRISTO é, por xlêni, o proft DEUS, H 1:1. No iníio o su ministério, num i Sáo, num singog m Nzré, JESUS CRISTO lu no livro (rolo) o proft Isís 61:12. Após litur, firmou os prsnts qu o umprimnto qul profi stv ontno, nqul i, int ls os sus ouvios, Lu 4:1724. Os profts flvm: Assim iz o SENHOR, Juí 6:8; Is 44:24; Jr 8:4; Agu 1:7. JESUS CRISTO izi: Eu vos igo, ntr muits outrs pssgns, Mt 5:32, 19:9; Lu 13:24, 14:24; João 4:35, 14:10. JESUS CRISTO é infinitmnt suprior toos os mis profts, sts pom, pns, prolmr mnsgm DEUS, Is 52:4, o psso qu JESUS CRISTO, lém prolmr mnsgm DEUS, é prfit rvlção o PAI, João 1:18, 14:9; H 1:1. JESUS CRISTO É, COM TODA A CERTEZA, O PROFETA PERFEITO. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 22

23 O ministério profétio r smpnho plos profts, trvés três mios spífios. 1, ATRAVÉS DO ENSINAMENTO. Exmplo, Is 1:1020, trvés st lição, Isís nsin o povo qul o vriro signifio os srifíios. 2, ATRAVÉS DA PREDIÇÃO DE ACONTECIMENTOS FUTUROS. Exmplos, priçõs rápio umprimnto, 1ºRis 20:143 (1314, 22, 28, 3536). Priçõs umprimnto rmoto, Dn 12: , ATRAVÉS DE MILAGRES. Exmplo, 1ºRis 18:1739. VI, 1, A, MINISTÉRIO PROFÉTICO DE JESUS CRISTO ATRAVÉS DO ENSINAMENTO. JESUS CRISTO nsinv om utori, Mt 7:29; Mr 1:22. VI, 1, B, MINISTÉRIO PROFÉTICO DE JESUS CRISTO ATRAVÉS DA PREDIÇÃO DE ACONTECIMENTOS FUTUROS. Priçõs JESUS CRISTO rápio umprimnto, Mt 26:3475 (34, 6974); Mr 14:3072 (14, 6772). Priçõs umprimnto longínquo, Mt 24:151. VI, 1, C, MINISTÉRIO PROFÉTICO DE JESUS CRISTO ATRAVÉS DE MILAGRES. Toos nós smos qu JESUS CRISTO oprou muitos milgrs, pns um xmplo, Mt 14:1321. Nnhum proft, no smpnho o su ministério, fz uso sts três mios, moo tão prfito, omo JESUS CRISTO. Por isso, rptimos: JESUS CRISTO É, COM TODA A CERTEZA, O PROFETA PERFEITO. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 23

24 VI, 2, JESUS CRISTO, SACERDOTE. O srot tinh, omo ministério ofiil, o nrgo prsntr o homm sus pos DEUS, fim onsguir prão, H 5:14. JESUS CRISTO é o únio, plo qul, o sr humno tm sso o PAI, porqu é o únio intrmiário ntr o homm DEUS, 1ªTim 2:5. O livro Slmos fl sor o sróio JESUS CRISTO, Sl 110:4, o qul stá onfirmo m H 5:6, 10, 6:20. O livro hrus é, n BÍBLIA SAGRADA, o livro qu mis fl sor o sróio JESUS CRISTO. JESUS CRISTO é sumo srot, H 2:17, 3:1, 4:1415, 5:56, 7:26, 8:1, 9:11. JESUS CRISTO é hmo por DEUS srot, sguno orm (tgori) Mlquisqu, H 5:6, 10, 6:20, 7:17. Em virtu os nossos pos, nssitmos o ministério srotl JESUS CRISTO, porqu é nssário qu um srot fç purifição os pos. O ministério srotl onsisti m onsguir o prão pr os pos o povo, o qul r onsguio trvés srifíios intrssão: 01, SACRIFÍCIOS, H 9:22. 02, INTERCESSÃO, Núm 6:2227. VI, 2, A, MINISTÉRIO SACERDOTAL DE JESUS CRISTO ATRAVÉS DO SEU SACRIFÍCIO. JESUS CRISTO é o nosso srifíio, João 1:29; 1ªP 1:1819. Outrs pssgns sor o srifíio JESUS CRISTO, Is 53:112; Mr 10:45; Rom 3:2425, 5:68; 1ªCor 5:7; Gál 1:4; Ef 5:2; H 9:11-17, 10:1014, 1920; 1ªP 2:24, 3:18. VI, 2, B, MINISTÉRIO SACERDOTAL DE JESUS CRISTO ATRAVÉS DA INTERCESSÃO. JESUS CRISTO é nosso intrssor, João 17:126; Rom 8:34. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 24

25 Outrs pssgns sor intrssão JESUS CRISTO, Is 53:12; H 7:25. JESUS CRISTO É INTERCESSOR ETERNO DOS CRENTES, H 7:2128 (25). VI, 2, C, CARACTERÍSTICAS DE UM SACERDOTE. Sguno H 5:16, um srot há tr us rtrístis:, Sr smlhnt o povo (tomo ntr os homns), H 5:1., Sr solhio por DEUS (omo Arão), H 5:46. VI, 2, C,, JESUS CRISTO É SEMELHANTE AO POVO (TOMADO DENTRE OS HOMENS), H 5:1. JESUS CRISTO é smlhnt nós, H 4:15. VI, 2, C,, JESUS CRISTO FOI ESCOLHIDO POR DEUS (COMO ARÃO), H 5:4. JESUS CRISTO é hmo por DEUS, srot trnmnt, H 5:6, 10, 7:128. Outrs pssgns sor o sróio JESUS CRISTO, H 1:3, 3:1, 4:1416, 5:510, 6:20, 7:2628, 8:13. JESUS CRISTO É, COM TODA A CERTEZA, O SACERDOTE PERFEITO. VI, 3, JESUS CRISTO, REI. Sm ntrr m tlhs minuiosos, o ri tinh o omínio sor o povo, 1ºSm 9:17. JESUS CRISTO É REI ETERNO, H 1:8; Apo 17:14. JESUS CRISTO rinrá sor tos s oiss, Sl 2:58; Mt 25:31-32, 28:18. JESUS CRISTO foi prito omo ri Jruslém plo proft Zris, Z 9:9, st profi Zris é umpri m Mt 21:111; Mr 11:110; Lu 19:2838; João 12:1215. JESUS CRISTO é trto omo ri os juus, plos mgos o orint, Mt 2:2. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 25

26 JESUS CRISTO foi hmo ri os juus por Piltos, Mr 15:9, 12; João 18:39, 19:1415. JESUS CRISTO não ngou o título ri os juus, quno Piltos o intrrogou, Mt 27:11; Mr 15:2; Lu 23:3; João 18:33-34, 37. Em virtu o título REI DOS JUDEUS, JESUS CRISTO foi srnio, Mt 27:2831; Mr 15:17:20; Lu 23:3638; João 19:23. Piltos mnou olor, n ruz m qu JESUS CRISTO foi ruifio, im su ç, um pl, n qul, ornou qu srvssm, ns língus hri, grg ltin, st é JESUS o ri os juus, Mt 27:37; Mr 15:26; Lu 23:38; João 19:1922. JESUS CRISTO rin im tuo, sor su IGREJA, Ef 1:2023. Há um rtrísti spil r o rino JESUS CRISTO, qul sj, o rino JESUS CRISTO não é st muno, João 18:36. Contuo, JESUS CRISTO, omo REI, é o únio qu tém to utori, tnto no Céu, qunto n Trr, Mt 28:18. JESUS CRISTO É O REI DIFERENCIADO, porqu É O REI DOS REIS, E SENHOR DOS SENHORES, Apo 17:14. Artxrxs Nuoonozor tmém form hmos, um, su tmpo, ri os ris, Es 7:12; Ez 26:7. Porém, JESUS CRISTO É MUITO DIFERENTE E INFINITAMENTE SUPERIOR Artxrxs Nuoonozor porqu sts morrrm sus orpos prmnm n trr, o psso qu JESUS CRISTO rssusitou, gloriosmnt, Mt 28:16. JESUS CRISTO omo Ri, Is 9:7; Mt 28:18; Lu 1:3233; Apo 19:16. JESUS CRISTO rin, moo spil, nos rnts, Col 1:1213. JESUS CRISTO rin no univrso, Mt 28:18. No futuro JESUS CRISTO rinrá finitiv totlmnt, Dn 7:1314; Filip 2:911; 2ªTim 4:18. JESUS CRISTO É, COM TODA A CERTEZA, O REI PERFEITO. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 26

27 VII, OS ESTADOS DE JESUS CRISTO. N psso vi JESUS CRISTO há ois stos: 1, ESTADO DE HUMILHAÇÃO. 2, ESTADO DE EXALTAÇÃO. VII, 1, O ESTADO DE HUMILHAÇÃO DE JESUS CRISTO. Humilhção, signifi: 01, Ato ou fito humilhrs. Por su vz, humilhr, signifi: 01, Tornrs humil; humilr. E in, humil, signifi: 01, Qu tm ou prnt humil. 02, Singlo, simpls, mosto, por. Rspitoso, tor; sumisso. A humilhção JESUS CRISTO, Filip 2:58 (8), ontu m, plo mnos, qutro sptos. 01, NA SUA ENCARNAÇÃO, João 1:14. 02, NOS SEUS SOFRIMENTOS, Is 53:37; Mt 8:20; Mr 1:13; João 1:11. 03, NA SUA MORTE, Dut 21:23; Gál 3:13; Filip 2:8. 04, NO SEU SEPULTAMENTO, Mt 27:5766; Mr 15:4247; Lu 23:5056; João 19:3842. To st humilhção, JESUS CRISTO suportou, por mor à humni. Um spto importnt onsirr é qu, m su sto humilhção, JESUS CRISTO tv vários momntos xltção, plo mnos, omo já vimos, no su tismo, Mt 3:1317 (1617); Mr 1:911; Lu 3:2122, n trnsfigurção, Mt 17:18; Mr 9:28; Lu 9:2836. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 27

28 VII, 2, O ESTADO DE EXALTAÇÃO DE JESUS CRISTO. Exltção, no so JESUS CRISTO, signifi: Glorifição. A xltção JESUS CRISTO, Filip 2:911, tmém m, plo mnos, qutro sptos. 01, NA SUA RESSURREIÇÃO, Mt 28:110; Mr 16:110; Lu 24:112; João 20: , NA SUA ASCENSÃO, Mr 16:1920; Lu 24:51; At 1: , NA SUA POSIÇÃO À DIREITA DO PAI, At 7:5556; Col 3:1; H 10:12. 04, POR FIM, QUANDO VIER EM GLÓRIA, O PONTO SUPREMO DA EXALTAÇÃO DE JESUS CRISTO, Mt 24:30; Mr 13:2627; Lu 21:27; Apo 1:7. No sto xltção, JESUS CRISTO jmis pssou ou pssrá por nnhum momnto humilhção. VIII, A MORTE DE JESUS CRISTO E SEUS EFEITOS SALVÍFICOS. Historimnt, JESUS CRISTO, homm, morru ruifio no mont, hmo, Clvário (Cvir), (m hrio, Gólgot), Mt 27:3156 (50); Mr 15:2041 (37); Lu 23:2649 (46); João 19:1637 (30). A mort JESUS CRISTO n ruz, proporionou o sr humno, possiili SALVAÇÃO ETERNA. VIII, 1, A MORTE VICÁRIA (SUBSTITUTIVA) DE JESUS CRISTO. Viário, signifi: 01, Qu fz s vzs outrm ou outr ois. Sustituto, signifi: 01, Qu sustitui; Inivíuo ou lgo qu sustitui outro, ou lh fz s vzs. Em sum, viário sustituto, são plvrs sinônims. A mort JESUS CRISTO, oorru m lugr m fvor o sr humno, Rom 5:68, porém, somnt qul qu, rrpnio, o it om únio sufiint SALVADOR, João 3:16. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 28

29 Portnto, JESUS CRISTO morru m nosso lugr. Pl mort viári JESUS CRISTO, os pos qum rê nl omo únio sufiint SALVADOR são proos. Qum tm os sus pos proos, tm VIDA ETERNA, qul é plo únio qu po SALVAR, qu é JESUS CRISTO, At 4:12. Outrs pssgns qu tstm vri mort viári JESUS CRISTO, Is 53:46; Gál 1:34; H 9:2628; 1ªP 2:2124, 3:18, 4:1. VIII, 2, A MORTE VICÁRIA DE JESUS CRISTO E SEUS EFEITOS NA VIDA DO SER HUMANO. A mort viári JESUS CRISTO é, infinitmnt, vloros pr o sr humno, já qu, só l prouz fitos trnos n vi o rnt, quis sjm: A, PROPICIAÇÃO. B, EXPIAÇÃO. C, REDENÇÃO. D, RECONCILIAÇÃO COM DEUS. VIII, 2, A, A MORTE VICÁRIA DE JESUS CRISTO E A PROPICIAÇÃO. Propiição signifi: 01, Ato ou fito propiir. 02, Ação, grlmnt nturz ritul ou rimonil, om qu s us grr lguém, um ivin, um forç nturl ou sornturl, t., pr otr su prão, su fvor ou o vont. Propiir signifi: 01, Tornr propíio, fvorávl. Propíio signifi: 01, Qu protg ou uxili; Fvorávl, fvoror. Como já tivmos oportuni stur, JESUS CRISTO é srot tmém srifíio. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 29

30 No ANTIGO TESTAMENTO, o srot fzi propiição plos pors trvés srifíios nimis, Lv 4:20, 19:22. Com su mort, JESUS CRISTO s torn propíio (fvorávl) o por (não o po) omo srot prsnt DEUS o su, próprio orpo m, srifíio, omo propiição plos pos o sr humno onvrtio, Rom 3:25; 1ªJoão 2:12, 4:10. PORTANTO, EM VIRTUDE DA SUA MORTE, JESUS CRISTO É NOSSA PROPICIAÇÃO DIANTE DO PAI. VIII, 2, B, A MORTE VICÁRIA DE JESUS CRISTO E A EXPIAÇÃO. Expição signifi: 01, Ato ou fito xpir. 02, Cstigo, pnitêni, umprimnto pn. Expir signifi: 01, Rmir ( ulp), umprino pn; pgr; Sofrr s onsqüênis ; Sofrr, pr; Purifirs ( rims ou pos). Por fim, rmir signifi: 01, Aquirir novo; Tirr o tiviro, o por lhio; rsgtr; Innizr, ompnsr, rprr, rssrir; Livrr s pns o Infrno; slvr; Fzr squr; xpir, pgr. Lirtr (um propri) um ônus, pgno importâni l. No ANTIGO TESTAMENTO xpição r fit trvés mort um vítim, qul r prsnt DEUS, Lv 4:14, 21, 26, 31; Ez 45:17. Pl su mort, o srot JESUS CRISTO prsnt o PAI o su próprio srifíio. Plo su próprio srifíio JESUS CRISTO sofr s onsqüênis (o stigo), qu vrim ir sor qum nl rê omo únio sufiint SALVADOR. Por su próprio srifíio, JESUS CRISTO xpiou os pos os filhos DEUS, H 2:17. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 30

31 Grçs DEUS plo srifíio xpitório JESUS CRISTO, já qu, m virtu os nossos pos, o qu mrmos é, simplsmnt, mort (onnção trn), Rom 5:12, 21, 6:23. Outros txtos rfrnts à xpição. Lv 5:16, 18, 17:11; João 1:29. VIII, 2, C, A MORTE VICÁRIA DE JESUS CRISTO E A REDENÇÃO. Rnção, signifi: 01, Ato ou fito rmir ou rimir; Aju ou rurso pz livrr ou slvr lguém situção flitiv ou prigos; A SALVAÇÃO ofri por JESUS CRISTO n ruz, om ênfs no spto lirtção srvião o po. Rmir, signifi: 01, Aquirir novo; Tirr o tiviro, o por lhio; rsgtr; Innizr, ompnsr, rprr, rssrir; Livrr s pns o Infrno; slvr; Fzr squr; xpir, pgr; Lirtr (um propri) um ônus, pgno importâni l; Livrr, lirtr, rsgtr. Pl su mort, JESUS CRISTO opr rnção o onvrtio, ou sj, fz om qu, qum nl rê omo únio sufiint SALVADOR, ix prtnr o io, o qul, pssou prtnr s qu Aão, pr, prtir onvrsão gnuín, prtnr DEUS, Rom 3:24; 1ªCor 1:30; Ef 1:7; Col 1:14; 1ªTim 2:6; H 9:12. Outros txtos rfrnts à rnção: Mt 20:28; 1ªCor 6:1920; Gál 3:13, 4:45; Col 1:1214; 1ªTim 2:56; Tito 2:1314; H 9:1112; 1ªP 1:1819; Apo 5:9. VIII, 2, D, A MORTE VICÁRIA DE JESUS CRISTO E A RECONCILIAÇÃO COM DEUS. Ronilição, signifi: 01, Ato ou fito ronilir (s); Rtmnto miz. A ronilição om DEUS é um nssi, porqu, sm fé m JESUS CRISTO omo únio sufiint SALVADOR, o qu há, é inimiz ntr o sr humno DEUS, Rom 5:1011. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 31

32 A mort JESUS CRISTO opr ronilição om DEUS, qum nl rê omo únio sufiint SALVADOR, 2ªCor 5:1821; Ef 2:1118; Col 1:1823. IX, A RESSURREIÇÃO DE JESUS CRISTO E A APROVAÇÃO DE DEUS. Após su mort, JESUS CRISTO foi spulto, porém, o triro i, rssusitou urnt qurnt is pru váris vzs os póstolos, Mt 28:120; Mr 16:120; Lu 24:153; João 20:121:25; At 1:1-9, lém tr sio visto um vz, por mis quinhntos irmãos, 1ªCor 15:48. A fé n rssurrição JESUS CRISTO, é sum importâni, porqu, pl rssurrição, DEUS provou JESUS CRISTO. Aprovr, nst so, signifi: 01, Aitr; Mostrr qu gost; Confirmr. Portnto, om su provção, DEUS onfirmou totli s plvrs ors su filho JESUS CRISTO. Em su srmão, no i Pntosts, Pro rfrius JESUS CRISTO, omo homm provo por DEUS, At 2:22, firmno qu DEUS hvi onfirmo tuo o qu JESUS CRISTO flr fizr. JESUS CRISTO foi rjito plos homns, At 4:1011, ms DEUS o xltou im toos, Rom 9:5, m omo, lh u um nom qu é sor too o nom, Filip 2:9. JESUS CRISTO foi provo por DEUS o longo su vi ministério. A rssurrição omprov provção DEUS rltiv: A, À PESSOA DE JESUS CRISTO. B, À MENSAGEM DE JESUS CRISTO. C, À MORTE DE JESUS CRISTO. IX, 1, A RESSURREIÇÃO DE JESUS CRISTO E A APROVAÇÃO DE DEUS RELATIVA À SUA PESSOA. Em su rt os Romnos 1:34, Pulo iz: Ar su Filho, qu nsu snêni Dvi sguno rn, lro FILHO DE DEUS m por, sguno o ESPÍRITO sntifição, pl rssurrição os mortos, JESUS CRISTO, NOSSO SENHOR. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 32

33 DEUS prov psso JESUS CRISTO, o lrr qu JESUS CRISTO, o qul, nsu snêni Dvi, é su FILHO, m omo, pl su rssurrição ntr os mortos. IX, 2, A RESSURREIÇÃO DE JESUS CRISTO E A APROVAÇÃO DE DEUS RELATIVA À SUA MENSAGEM. JESUS CRISTO firmou qu pois su mort, rssusitri, Mt 16:21, 26:32; Mr 9:910. DEUS onfirmou st firmção JESUS CRISTO, o qul, rssusitou ntr os mortos, Mt 28:120; Mr 16:120; Lu 24:153; João 20:121:25; At 1:19. DEUS provou pl rssurrição, não só st lrção JESUS CRISTO, ms to su mnsgm, onstituí por toos os sus nsinmntos, João 18:37. IX, 3, A RESSURREIÇÃO DE JESUS CRISTO E A APROVAÇÃO DE DEUS RELATIVA À SUA MORTE. JESUS CRISTO firmou qu ri su vi m rsgt muitos (homns), Mt 20:28; Mr 10:45. N vr, muitíssims pssos não rêm nisso. Entrtnto, pl rssurrição JESUS CRISTO, Mt 28:120; Mr 16:120; Lu 24:153; João 20:121:25; At 1:19, DEUS provou o vlor slvífio su mort. Plo tstmunho o PAI, pomos, sm ifiul, vrifir qu DEUS provou mort JESUS CRISTO, 1ªJoão 5:913. X, A ASCENSÃO DE JESUS CRISTO. Qunto o fto snsão JESUS CRISTO, pns rlmrmos, Mr 16:19; Lu 24:51; At 1:9. A snsão JESUS CRISTO é sum importâni pr o ristinismo, porqu: 1, PELA ASCENSÃO, A NATUREZA HUMANA DE JESUS CRISTO NÃO FICOU NA TERRA. 2, PELA ASCENSÃO, DEUS EXALTA A JESUS CRISTO. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 33

34 X, 1, PELA ASCENSÃO, A NATUREZA HUMANA DE JESUS CRISTO NÃO FICOU NA TERRA. Quno JESUS CRISTO rssusitou, in qu, om um orpo glorifio, rssusitou orporlmnt, msm form, su snsão foi orporl. Assim sno, n su nturz humn prmnu n Trr, rptimos, Mr 16:19; Lu 24:51; At 1:9. Em virtu snsão, JESUS CRISTO ixou sr visto, orporlmnt, n Trr. X, 2, PELA ASCENSÃO, DEUS EXALTA A JESUS CRISTO. Como já vimos, ntriormnt, snsão JESUS CRISTO fz prt su xltção. Alguns ftos importnts, m virtu snsão JESUS CRISTO: A, A ASCENSÃO EXALTA JESUS CRISTO, APÓS A QUAL ESTÁ À DESTRA DO PAI. B, A ASCENSÃO EXALTA JESUS CRISTO, O QUAL, BATIZA SUA IGREJA COM O ESPÍRITO SANTO. C, A ASCENSÃO EXALTA JESUS CRISTO, O QUAL, INTERCEDE CONSTANTEMENTE PELOS FILHOS DE DEUS. X, 2, A, PELA ASCENSÃO O PAI EXALTA JESUS CRISTO E O COLOCA À SUA DESTRA. Ants su mort, JESUS CRISTO orou o PAI, nsts trmos Glorifim ó Pi, junto ti msmo, om qul glóri qu tinh ontigo nts qu o muno xistiss, João 17:5. Com snsão, o PAI rspon st orção JESUS CRISTO o xlt. Como já tivmos oportuni vrifir, m su mort n ruz, JESUS CRISTO foi humilho, porém, om su snsão, JESUS CRISTO é xlto, já qu o PAI o olo o su lo, Col 3:1; H 1:3, 13, 8:1, 10:12, 12:2; 1ªP 3:2122. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 34

35 X, 2, B, A ASCENSÃO EXALTA JESUS CRISTO, O QUAL, BATIZA SUA IGREJA COM O ESPÍRITO SANTO. JESUS CRISTO xlto, tiz su IGREJA om o ESPÍRITO SANTO, At 2:3234. João Btist hvi ito qu JESUS CRISTO tizri om o ESPÍRITO SANTO om fogo, Mt 3:11; Mr 1:78; Lu 3:16; João 1:33. Est profi s umpriu, visivlmnt, m Jruslém, no i Pntosts, imitmnt, postrior à snsão JESUS CRISTO o éu, At 2:113. Porém, não foi pns no i Pntosts qu JESUS CRISTO tizou om o ESPÍRITO SANTO, vjmos o qu nos iz 1ªCor 12:13. No último i um s fsts os trnáulos, o próprio JESUS CRISTO hvi promtio qu, toos os qu nl rssm (omo únio sufiint SALVADOR), rrim (srim tizos om) o ESPÍRITO SANTO, o qul in não for o porqu JESUS CRISTO in não hvi sio glorifio, João 7:3839. X, 2, C, A ASCENSÃO EXALTA JESUS CRISTO, O QUAL, INTERCEDE CONSTANTEMENTE PELOS FILHOS DE DEUS. No CÉU, JESUS CRISTO stá, onstntmnt, intrno plo povo DEUS, H 7:25, outr pssgm BÍBLICA qu rforç noss fé no ministério intrssor JESUS CRISTO é 1ªJoão 2:12. XI, A VOLTA DE JESUS CRISTO. A volt JESUS CRISTO é ssunto sum importâni pr toos os rnts nl, já qu, om o su rgrsso, s umprirão os ontimntos finis históri humni. Não ntrrmos qui ns minúis, nm nos sptos rlionos o rgrsso JESUS CRISTO o milênio, ms, o su rgrsso omo s for um ontimnto isolo. XI, 1, NINGUÉM SABE A DATA DA VOLTA DE JESUS CRISTO. Mt 24:4244. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 35

36 XI, 2, A VOLTA DE JESUS CRISTO SERÁ VISÍVEL A TODOS. Mt 24:30; Mr 13:26; Lu 21:27; At 1:11; Apo 1:7. 01, Há qum firm qu volt JESUS CRISTO ont no momnto onvrsão. É vr qu JESUS CRISTO, n psso o ESPÍRITO SANTO, pss hitr nos orçõs s pssos rrpnis onvrtis, porém, st é um ontimnto spiritul. Já su volt, omo vimos im, srá visívl orporl. 02, Outros firmm qu volt JESUS CRISTO ont quno um rnt morr so à su prsnç no CÉU, porém, nst so, o qu ont, é i o rnt, não volt JESUS CRISTO. XI, 3, A VOLTA DE JESUS CRISTO SERÁ COM GRANDE PODER E GLÓRIA. Mt 24:30; Mr 13:26; Lu 21:27. 01, Quno JESUS CRISTO vio à Trr, vio m sto humilhção, Filip 2:58, porz, Mt 8:20; Lu 9:58, porém su volt srá om por grn glóri, rptimos, Mt 24:30; Mr 13:26; Lu 21:27. 02, Em virtu o su por glóri, Mt 24:30, vio à su promss, João 14:13, JESUS CRISTO lvrá os slvos pr o CÉU, Mt 24:3031; 1ªTss 4: , Porém, in m virtu o su por, s pssos sm SALVAÇÃO ETERNA rrão o prêmio su inruli, qul sj, onnção trn, trvés um julgmnto grl, Mt 25:3146 (46); João 3:18. Portnto, sm ntrrmos m muitos tlhs importnts r volt JESUS CRISTO, su mior trf, ou or, é olor os slvos, junto l, no CÉU (gozo trno) os não slvos no infrno (sofrimnto trno). José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 36

37 XII, OS MILAGRES DE JESUS CRISTO. Sguno o Aurélio, milgr signifi: 01, Fito ou oorrêni xtrorinári, qu não s xpli pls lis nturz. Aontimnto mirávl, spntoso. Portnto, proígio, mrvilh. Oorrêni qu prouz mirção ou surprs. Qulqur mnifstção prsnç tiv DEUS n históri humn. 01, Sinl ss prsnç, rtrizo sortuo por um ltrção rpntin insólit os trminismos nturis. Portnto, milgr, é um fto for o omum qu po sr visto, ou, sntio. Os milgrs DIVINOS, não pom sr xplios, não sr pl fé n ção irt o próprio DEUS. Pous vzs n históri, DEUS qurou, onsutivmnt, o moo nturl, ou s lis nturz. Porém, m qutro príoos rítios, históri, pomos vrifir DEUS gino intns sornturlmnt (pr nós, homns). 01, No tmpo Moisés Josué, épo o stlimnto o povo DEUS n Trr promti. 02, No tmpo Elis Elizu, épo lut ontr ioltri. 03, No tmpo Dnil, no tiviro ilônio, quno on imprv ioltri. 04, No tmpo JESUS CRISTO os póstolos, urnt o primiro séulo r Cristã, quno rição, implntção iníio xpnsão o Cristinismo. Porém, não há úvi qu, hvno nssi, sguno vont DEUS, pr su honr glóri, milgrs, não só pom ontr, ms ontm rlmnt. XII, 1, OS MILAGRES DE JESUS CRISTO E A DEMONSTRAÇÃO DO SEU José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 37

38 PODER E DO SEU AMOR. Tos s vzs qu JESUS CRISTO rlizv um milgr monstrv, lrmnt, su onipotêni su imnsurávl mor. XII, 1, A, A ONIPOTÊNCIA DE JESUS CRISTO DEMONSTRADA EM SEUS MILAGRES. JESUS CRISTO, já qu é DEUS, é onipotnt, Mt 28:18. To vz qu JESUS CRISTO oprv um milgr, monstrv, su onipotêni. Os milgrs JESUS CRISTO monstrm su por m qutro sfrs istints: 01, PODER SOBRE AS FORÇAS DA NATUREZA, Mt 8: , PODER SOBRE OS DEMÔNIOS, Mt 8: , PODER SOBRE AS ENFERMIDADES, Mt 9: , PODER SOBRE A MORTE, Lu 7:1115; João 11:146. Ests são pns lguns xmplos monstrção o por JESUS CRISTO, quno rlizção sus milgrs. Porém, qum o sjr, nontrrá n BÍBLIA SAGRADA, um norm list milgrs rlizos plo próprio JESUS CRISTO, urnt su vi ministério trrno, m omo, milgrs rlizos m su nom, pois su snsão o Céu, no livro Atos os Apóstolos. XII, 1, B, O AMOR DE JESUS DEMONSTRADO EM SEUS MILAGRES. JESUS CRISTO, já qu é DEUS, é mor, 1ªJoão 4:8. Quno JESUS CRISTO oprv um milgr, tmém monstrv su mor. Jmis JESUS CRISTO, monstrno su onipotêni, oprou qulqur spéi milgr, pr prtir qulqur spéi ml, por mnor qu foss. Toos os milgrs JESUS CRISTO, não há úvi, monstrvm su mor. Em virtu o mor, inigulávl, JESUS CRISTO, toos os sus milgrs form prtios, tno m vist, o m o sr humno. XII, 2, OS MILAGRES DE JESUS CRISTO E A CHEGADA DO REINO DE José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 38

39 DEUS. Os milgrs rlizos por JESUS CRISTO, não o form pr tornálo populr, ms, pr provr qu o REINO DE DEUS hvi hgo. Os juus gntios o tmpo JESUS CRISTO rim qu st muno r um rino mônios, qu sts rm os usors tos s nfrmis (onçs). N tuli, in há, um imnsião pssos qu rêm qu to qulqur nfrmi é, inuitvlmnt, us plos mônios (qu DEUS tnh misrióri qum ssim pns), porém, st é outr mtéri. Atrvés os milgrs xpulsão mônios, JESUS CRISTO provou qu hgr o REINO DE DEUS; Mt 12:28 rlt um milgr xpulsão mônios, JESUS CRISTO iss qu fzi quilo porqu o REINO DE DEUS hvi hgo. Em rlção às nfrmis, vjmos Lu 7:1922 omprmos plvr EVANGELHO om Mr 1:14 Lu 4:43. Portnto, os milgrs opros por JESUS CRISTO monstrvm, lrmnt, qu o REINO DE DEUS hvi hgo. XIII, OS ENSINOS DE JESUS CRISTO. Um spto muito importnt vi JESUS CRISTO, qu v srvir lição toos os filhos DEUS, são sus nsinmntos. JESUS CRISTO r onhio omo RABI (plvr qu signifi mstr, ou mu mstr), Mt 26:25, 49; Mr 14:45; João 1:38, 49, 3:2, 4:31, 6:25, 9:2, 11:8, Roni (om o msmo signifio) João 20:16. XIII, 1, ASPECTOS DOS ENSINOS DE JESUS CRISTO. Os nsinmntos JESUS CRISTO stvm sos m, plo mnos, qutro, importnts, sptos, quis sjm: A, JESUS CRISTO ENSINAVA ATRAVÉS DA PRÓPRIA VIDA. B, JESUS CRISTO ENSINAVA COM AUTORIDADE. C, JESUS CRISTO ENSINAVA ATRAVÉS DE VERDADES SIMPLES. D, JESUS CRISTO ENSINAVA ATRAVÉS DE VERDADES UNIVERSAIS. XIII, 1, A, JESUS CRISTO ENSINAVA ATRAVÉS DA PRÓPRIA VIDA. José Joquim Gonçlvs Fri Milton Vill 39

CASA DE DAVI CD VOLTARÁ PARA REINAR 1. DEUS, TU ÉS MEU DEUS. E B C#m A DEUS, TU ÉS MEU DEUS E SENHOR DA TERRA

CASA DE DAVI CD VOLTARÁ PARA REINAR 1. DEUS, TU ÉS MEU DEUS. E B C#m A DEUS, TU ÉS MEU DEUS E SENHOR DA TERRA S VI VOLTRÁ PR RINR 1. US, TU ÉS MU US #m US, TU ÉS MU US SNHOR TRR ÉUS MR U T LOUVRI #m SM TI NÃO POSSO VIVR M HGO TI OM LGRI MOR NST NOV NÇÃO #m #m OH...OH...OH LVNTO MINH VOZ #m LVNTO MINHS MÃOS #m

Leia mais

Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia

Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia www.smorsplvr.om.r Curso Tologi Mtril ompilo por José Joquim Gonçlvs Fri Assssori Milton Vill Doutrin Cristã Ar Do io PG. io. DOUTRINA CRISTÃ ACERCA o 03 INTRODUÇÃO. 03 I, A FONTE DE INFORMAÇÕES SOBRE

Leia mais

Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia

Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia wwwsmorsplvromr Curso Tologi Mtril ompilo por José Joquim Gonçlvs Fri Assssori Milton Vill Doutrin Cristã Do Po PG PECADO DOUTRINA CRISTÃ DO 03 INTRODUÇÃO 03 I, PECADO, O QUE É? 04 II, O ROTEIRO DO PECADO,

Leia mais

Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia

Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia www.smorsplvr.om.r Curso Tologi Mtril ompilo por José Joquim Gonçlvs Fri Assssori Milton Vill Doutrin Cristã D Dus DE DE Ministério Smors Plvr PG. = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = =DOUTRINA

Leia mais

Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia

Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia www.smorsplvr.om.r Curso Tologi Mtril ompilo por José Joquim Gonçlvs Fri Assssori Milton Vill Doutrin Cristã D Orção PG. ORAÇÃO. DOUTRINA CRISTÃ DA 04 INTRODUÇÃO. 04 I, O QUE É ORAÇÃO CRISTÃ? 06 II, COMO

Leia mais

Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia

Ministério Semeadores da Palavra. Curso de Teologia www.smorsplvr.om.r Curso Tologi Mtril ompilo por José Joquim Gonçlvs Fri Assssori Milton Vill Doutrin Cristã Do Homm PG. HOMEM. DOUTRINA CRISTÃ DO 03 INTRODUÇÃO. 03 I, A CRIAÇÃO DO HOMEM. 03 II, A CONSTITUIÇÃO

Leia mais

CRISTOLOGIA: DOUTRINA DE CRISTO

CRISTOLOGIA: DOUTRINA DE CRISTO CRISTOLOGIA: DOUTRINA DE CRISTO ETERNIDADE DEUS PAI LOGUS ESPIRITO SANTO A TRINDADE 1Jo.5.7 LOGUS QUER DIZER PALAVRA OU VERBO SE REFERE AO FILHO NA ETERNIDADE I - SUA PRÉ-EXISTÊNCIA 1 - SUA EXISTÊNCIA

Leia mais

GÁLATAS. Não Há Outro Evangelho 6

GÁLATAS. Não Há Outro Evangelho 6 GÁLATAS Cpítulo Pulo, póstolo nvio, não prt homns nm por mio psso lgum, ms por Jsus Cristo por Dus Pi, qu o rssusitou os mortos, toos os irmãos qu stão omigo, às igrjs Glái: A voês, grç pz prt Dus nosso

Leia mais

Teoria dos Grafos Aula 11

Teoria dos Grafos Aula 11 Tori dos Gros Aul Aul pssd Gros om psos Dijkstr Implmntção Fil d prioridds Hp Aul d hoj MST Algoritmos d Prim Kruskl Propridds d MST Dijkstr (o próprio) Projtndo um Rd $ $ $ $ $ Conjunto d lolidds (x.

Leia mais

A Unidade de Deus. Jesus Cristo é o Único Deus. Pai Filho Espírito Santo. Quem é Jesus? Como os Apóstolos creram e ensinaram? O que a Bíblia diz?

A Unidade de Deus. Jesus Cristo é o Único Deus. Pai Filho Espírito Santo. Quem é Jesus? Como os Apóstolos creram e ensinaram? O que a Bíblia diz? A Unidade de Deus Quem é Jesus? Como os Apóstolos creram e ensinaram? O que a Bíblia diz? Vejamos a seguir alguns tópicos: Jesus Cristo é o Único Deus Pai Filho Espírito Santo ILUSTRAÇÃO Pai, Filho e Espírito

Leia mais

Grafos. Luís Antunes. Grafos dirigidos. Grafos não dirigidos. Definição: Um grafo em que os ramos não são direccionados.

Grafos. Luís Antunes. Grafos dirigidos. Grafos não dirigidos. Definição: Um grafo em que os ramos não são direccionados. Luís Antuns Grfos Grfo: G=(V,E): onjunto vértis/nós V um onjunto rmos/ros E VxV. Rprsntção visul: Grfos não irigios Dfinição: Um grfo m qu os rmos não são irionos. Grfos irigios Dfinição: Um grfo m qu

Leia mais

18 Estudos Bíblicos para Evangelismo e Discipulado

18 Estudos Bíblicos para Evangelismo e Discipulado LIÇÃO 1 - EXISTE UM SÓ DEUS 18 Estudos Bíblicos para Evangelismo e Discipulado A Bíblia diz que existe um único Deus. Tiago 2:19, Ef. 4 1- O Deus que Criou Todas as coisas, e que conduz a sua criação e

Leia mais

1 A ELE A GLÓRIA 2 AINDA QUE A FIGUEIRA 3 AO ERGUERMOS 4 ATRAI O MEU CORAÇÃO 5 DEUS É BOM 6 EM ESPÍRITO, EM VERDADE 7 EM TODO TEMPO 8 EU TE QUERO

1 A ELE A GLÓRIA 2 AINDA QUE A FIGUEIRA 3 AO ERGUERMOS 4 ATRAI O MEU CORAÇÃO 5 DEUS É BOM 6 EM ESPÍRITO, EM VERDADE 7 EM TODO TEMPO 8 EU TE QUERO 1 L GLÓRI 2 IND QU FIGUIR 3 O RGURMOS 4 TRI O MU CORÇÃO 5 DUS É OM 6 M SPÍRITO, M VRDD 7 M TODO TMPO 8 U T QURO 9 LOUV 10 LOUV TI 11 MIS QU UM MIGO 12 M DLITO M TI 13 ND LÉM DO SNGU 14 O LÃO D TRIO D JUDÁ

Leia mais

Introdução à 26/05/2011 A doutrina de Cristo segundo as escrituras Divindade de Cristo O que a história da igreja fala sobre o assunto? A Igreja Primitiva No início do século II, o cristianismo era uma

Leia mais

ORION 6. Segunda Porta USB. Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas Ltda.

ORION 6. Segunda Porta USB. Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas Ltda. ORION 6 Sgun Port USB Hnry Equipmntos Eltrônios Sistms Lt. Ru Rio Piquiri, 400 - Jrim Wissópolis Cóigo Postl: 83.322-010 Pinhis - Prná - Brsil Fon: +55 41 3661-0100 INTRODUÇÃO: Pr orrto unionmnto, é nssário

Leia mais

O SENHOR JESUS CRISTO

O SENHOR JESUS CRISTO O SENHOR JESUS CRISTO I. SUA EXISTÊNCIA A) Provada pelo Antigo Testamento: (Mq 5.2; Is 9:6 Pai da Eternidade ) B) Provada pelo Novo Testamento: 1) João 1.1, em comparação com o versículo 14. 2) Jo 8.58

Leia mais

A Bíblia afirma que Jesus é Deus

A Bíblia afirma que Jesus é Deus A Bíblia afirma que Jesus é Deus Há pessoas (inclusive grupos religiosos) que entendem que Jesus foi apenas um grande homem, um mestre maravilhoso e um grande profeta. Mas a Bíblia nos ensina que Jesus

Leia mais

CD CORAÇÃO DA NOIVA - 1. O SENHOR É BOM INTR:E D A/C# C7+ B E D A/C# O SENHOR É BOM C7+ B E SEU AMOR DURA PARA SEMPRE ELE É BOM...

CD CORAÇÃO DA NOIVA - 1. O SENHOR É BOM INTR:E D A/C# C7+ B E D A/C# O SENHOR É BOM C7+ B E SEU AMOR DURA PARA SEMPRE ELE É BOM... C CORÇÃO NOIV - 1. O SNHOR É OM INTR: /C# C7+ /C# O SNHOR É OM C7+ SU MOR UR PR SMPR L É OM... Letra e Música: avi Silva C CORÇÃO NOIV - 2. SNTO É O TU NOM M TO TRR S OUVIRÁ UM NOVO SOM UM CNÇÃO MOR PRCORRRÁ

Leia mais

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente:

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente: ELETRÔNICA TEMPO TOTAL APLICADO: h m www.tltroni.om.r TOTAL PONTOS TURMA Nom: Dt: / Hor: h m às h m Rsolv os prolms ssinl ltrntiv orrsponnt: Toos os iritos rsrvos. Proii rproução totl ou pril sts págins

Leia mais

01 C À tua presença. C D- À Tua presença venho, SENHOR, C G. Com reverência, pois Tu és Deus; C F E assim poder receber

01 C À tua presença. C D- À Tua presença venho, SENHOR, C G. Com reverência, pois Tu és Deus; C F E assim poder receber 01 C À tua presença C - À Tua presença venho, SNHOR, C Com reverência, pois Tu és eus; C F assim poder receber C o que Tu tens para mim, F F- C assim também entregar o que há em mim. C Quero exaltar Teu

Leia mais

DECLARAÇÃO DE FÉ 27/06/15 PLANO DE SALVAÇÃO

DECLARAÇÃO DE FÉ 27/06/15 PLANO DE SALVAÇÃO DECLARAÇÃO DE FÉ Pr Josemeire Ribeiro CRM PR 2015 O que é credo? É o que eu creio. PLANO DE SALVAÇÃO QUEDA REDENÇÃO RESTAURAÇÃO Declaração de Fé da IEQ foi compilada por sua fundadora Aimeé Semple McPherson,

Leia mais

ELABORAÇÃO UMA LITURGIA. Adoração e Louvor Aula 10

ELABORAÇÃO UMA LITURGIA. Adoração e Louvor Aula 10 ELABORAÇÃO UMA LITURGIA Adoração e Louvor Aula 10 Os cânticos e hinos devem ser previamente escolhidos conforme o tema do culto, a mensagem e o momento litúrgico. Exemplo Prático: Liturgia do dia 01-12-2013

Leia mais

2º Aquele que não pratica (não pratica a Lei), mas crê naquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é

2º Aquele que não pratica (não pratica a Lei), mas crê naquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é Muitos, ao ouvirem que o cristão não precisa praticar as obras da Lei, como: guarda do sábado, sacrifício de jejum, uso do véu, devolução de dízimo, etc., logo fazem a seguinte pergunta: A Lei de Deus

Leia mais

9.9 Jesus Cristo é homem perfeito

9.9 Jesus Cristo é homem perfeito 9.9 Jesus Cristo é homem perfeito Aula 48 Assim como é importante verificarmos na Palavra de Deus e crermos que Jesus Cristo é Deus, também é importante verificarmos e crermos na humanidade de Jesus após

Leia mais

1ª Leitura - Ex 17,3-7

1ª Leitura - Ex 17,3-7 1ª Leitura - Ex 17,3-7 Dá-nos água para beber! Leitura do Livro do Êxodo 17,3-7 Naqueles dias: 3 O povo, sedento de água, murmurava contra Moisés e dizia: 'Por que nos fizeste sair do Egito? Foi para nos

Leia mais

O PAI É MAIOR DO QUE O FILHO

O PAI É MAIOR DO QUE O FILHO O PAI É MAIOR DO QUE O FILHO O PAI É MAIOR DO QUE O FILHO Vós ouviste o que vos disse: Vou e retorno a vós. Se me amásseis, ficaríeis alegres por eu ir para o Pai, porque o Pai é maior do que eu. João

Leia mais

A Diferença entre DEUS e seu FILHO

A Diferença entre DEUS e seu FILHO A Diferença entre DEUS e seu FILHO João 4.22 Vós adorais o que não sabeis; nós adoramos o que sabemos porque a salvação vem dos judeus. Mateus 15.9 Mas, em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos

Leia mais

(BIS) GLÓRIA A DEUS, GLÓRIA A DEUS, GLÓRIA A DEUS, GLÓRIA A DEUS,

(BIS) GLÓRIA A DEUS, GLÓRIA A DEUS, GLÓRIA A DEUS, GLÓRIA A DEUS, P á g i n a 57 LÓRI US (TOM: Ó) 4/4 PLO SOL QU RILH, LÓRI US PL LOR QU NS, LÓRI US PLOS MONTS LTOS, LÓRI US PLO MR TMÉM, LÓRI US PLOS PSSRINHOS, LÓRI US PL NOIT O I, LÓRI US PL RIS LR, LÓRI US QU LON VM,

Leia mais

Eu sou feliz, tu és feliz CD Liturgia II (Caderno de partituras) Coordenação: Ir. Miria T. Kolling

Eu sou feliz, tu és feliz CD Liturgia II (Caderno de partituras) Coordenação: Ir. Miria T. Kolling Eu su iz, s iz Lirgi II (drn d prtirs) rdnçã: Ir. Miri T. King 1) Eu su iz, s iz (brr) & # #2 4. _ k.... k. 1 Eu su "Eu su iz, s iz!" ( "Lirgi II" Puus) iz, s _ iz, & # º #.. b... _ k _. Em cm Pi n cn

Leia mais

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente:

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente: TEMPO TOTAL APLICADO: h m TOTAL PONTOS TURMA Nom: Dt: / Hor: h m às h m Toos os iritos rsrvos. Proii rproução totl ou pril sts págins sm utorizção CTA Eltrôni Rsolv os prolms ssinl ltrntiv orrsponnt: 01)

Leia mais

E NINGUÉM PODE TIRAR O QUE MEU DEUS ME DÁ A D B SUAS PROMESSAS EM MIM SE CUMPRIRÃO E JÁ POSSO CELEBRAR

E NINGUÉM PODE TIRAR O QUE MEU DEUS ME DÁ A D B SUAS PROMESSAS EM MIM SE CUMPRIRÃO E JÁ POSSO CELEBRAR LÓRI ÚLTIM S Intro: ON HVI SURIÃO LUZ US M MIM RILHOU ON STV SO SUS ÁUS RRMOU MINH OR ULP SOR SI L LVOU UM NOVO NTINO M MUS LÁIOS OLOOU # U VOU, VOU LRR VOU TRNSOR LRI # PORQU LÓRI ÚLTIM S JÁ É MIOR QU

Leia mais

Estudo 17 Testemunhar a Cristo: um desafio diário. Em Marcha, 2015.1 IGREJA METODISTA ASA NORTE 406

Estudo 17 Testemunhar a Cristo: um desafio diário. Em Marcha, 2015.1 IGREJA METODISTA ASA NORTE 406 Estudo 17 Testemunhar a Cristo: um desafio diário Em Marcha, 2015.1 IGREJA METODISTA ASA NORTE 406 Roteiro 1- Introdução 2- Fundamento Bíblico 3- Conclusão 1. Introdução Voce entende por que é importante

Leia mais

ASSEMBLÉIA DE DEUS MINISTÉRIO DE MADUREIRA Cristologia

ASSEMBLÉIA DE DEUS MINISTÉRIO DE MADUREIRA Cristologia ASSEMBLÉIA DE DEUS MINISTÉRIO DE MADUREIRA Cristologia Pr. Erivelton Rodrigues Nunes Tema Indo Jesus para as bandas de Cesaréria de Felipe, perguntou a seus discípulos: Quem diz o povo ser o Filho do

Leia mais

1 PEDRO. Capítulo 1. Louvor a Deus por uma Esperança Viva 3

1 PEDRO. Capítulo 1. Louvor a Deus por uma Esperança Viva 3 PEDRO Pro, póstolo Jsus Cristo, Cpítulo os litos Dus, prgrinos isprsos no Ponto, n Glái, n Cpói, n províni Ási n Bitíni, 2 solhios oro om o pré-onhimnto Dus Pi, pl or sntiior o Espírito, pr oiêni Jsus

Leia mais

= 1, independente do valor de x, logo seria uma função afim e não exponencial.

= 1, independente do valor de x, logo seria uma função afim e não exponencial. 6. Função Eponncil É todo função qu pod sr scrit n form: f: R R + = Em qu é um númro rl tl qu 0

Leia mais

O Batismo é mencionado pela primeira vez, no Novo Testamento, quando do ministério de João Batista.

O Batismo é mencionado pela primeira vez, no Novo Testamento, quando do ministério de João Batista. Lição 11 A DOUTRINA DO BATISMO NAS ÁGUAS Por: Pr Valdimário Santos O Batismo é mencionado pela primeira vez, no Novo Testamento, quando do ministério de João Batista. Em Mateus 3.1,2 notamos que a mensagem

Leia mais

Por isso, redescobrir a Eucaristia na plenitude é redescobrir o CRISTO. Hoje queremos agradecer este grande dom, que Cristo nos deu.

Por isso, redescobrir a Eucaristia na plenitude é redescobrir o CRISTO. Hoje queremos agradecer este grande dom, que Cristo nos deu. O Pão da Vida Na solenidade de Corpus Christi, queremos recordar que os atos redentores de Cristo, que culminam na sua morte e ressurreição, atualizam-se na Eucaristia, celebrada pelo Povo de Deus e presidida

Leia mais

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente:

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente: TEMPO TOTAL APLICADO: h m www.tltroni.om.r TOTAL PONTOS TURMA Nom: Dt: / Hor: h m às h m Toos os iritos rsrvos. Proii rproução totl ou pril sts págins sm utorizção CTA Eltrôni Rsolv os prolms ssinl ltrntiv

Leia mais

RESOLUÇÃO DE EQUAÇÕES POR MEIO DE DETERMINANTES

RESOLUÇÃO DE EQUAÇÕES POR MEIO DE DETERMINANTES RESOLUÇÃO DE EQUAÇÕES POR EIO DE DETERINANTES Dtrmt um mtrz su orm Sj mtrz: O trmt st mtrz é: Emlo: Vmos suor o sstm us quçõs om us óts y: y y Est sstm quçõs o sr srto orm mtrl: y Est qução r três mtrzs:.

Leia mais

Exorto, pois, antes de tudo que se façam súplicas, orações, intercessões, e ações de graças por todos os homens. (1 Timóteo 2:1)

Exorto, pois, antes de tudo que se façam súplicas, orações, intercessões, e ações de graças por todos os homens. (1 Timóteo 2:1) Ministério de Intercessão A Intercessão e a Batalha Espiritual Exorto, pois, antes de tudo que se façam súplicas, orações, intercessões, e ações de graças por todos os homens. (1 Timóteo 2:1) O que é Intercessão?

Leia mais

JESUS CRISTO PADECEU SOB PÔNCIO PILATOS, FOI CRUCIFICADO, MORTO E SEPULTADO

JESUS CRISTO PADECEU SOB PÔNCIO PILATOS, FOI CRUCIFICADO, MORTO E SEPULTADO JESUS CRISTO PADECEU SOB PÔNCIO PILATOS, FOI CRUCIFICADO, MORTO E SEPULTADO 25-02-2012 Catequese com adultos 11-12 Chave de Bronze Como se deu a entrada messiânica em Jerusalém? No tempo estabelecido,

Leia mais

O NOME DE JESUS A AUTORIDADE DE CRISTO

O NOME DE JESUS A AUTORIDADE DE CRISTO 1 O NOME DE JESUS A AUTORIDADE DE CRISTO Fp 2 9 Por isso Deus o exaltou à mais alta posição e lhe deu o nome que está acima de todo nome, 10 para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na

Leia mais

CAPÍTULO 2. O Propósito Eterno de Deus

CAPÍTULO 2. O Propósito Eterno de Deus CAPÍTULO 2 O Propósito Eterno de Deus Já falamos em novo nascimento e uma vida com Cristo. Mas, a menos que vejamos o objetivo que Deus tem em vista, nunca entenderemos claramente o porque de tudo isso.

Leia mais

O CÂNON Sagrado compreende 46 Livros no ANTIGO TESTAMENTO e 27 Livros no NOVO TESTAMENTO.

O CÂNON Sagrado compreende 46 Livros no ANTIGO TESTAMENTO e 27 Livros no NOVO TESTAMENTO. Ao contrário do que parece à primeira vista, a Bíblia não é um livro único e independente, mas uma coleção de 73 livros, uma mini biblioteca que destaca o a aliança e plano de salvação de Deus para com

Leia mais

O que é o batismo nas águas? Por que o fazemos? Como deve ser ministrado, quando e para quem?

O que é o batismo nas águas? Por que o fazemos? Como deve ser ministrado, quando e para quem? O Batismo nas Águas O que é o batismo nas águas? Por que o fazemos? Como deve ser ministrado, quando e para quem? É UMA ORDENANÇA DE JESUS O batismo é uma ordenança clara de Jesus para todo aquele que

Leia mais

CATEQUESE 1 Estamos reunidos de novo. CATEQUESE 1 Estamos reunidos de novo

CATEQUESE 1 Estamos reunidos de novo. CATEQUESE 1 Estamos reunidos de novo CATEQUESE 1 Estamos reunidos de novo Tens uma tarefa importante para realizar: 1- Dirige-te a alguém da tua confiança. 2- Faz a pergunta: O que admiras mais em Jesus? 3- Regista a resposta nas linhas.

Leia mais

ÍNDICE PREFÁCIO 9 O GREGO 9 FONÉTICA 11 MORFOLOGIA 23 PARTE PARTE CAPÍTULO I 25 ARTIGO CAPÍTULO II 26 SUBSTANTIVOS. QUADRO GERAL DAS DESINÊNCIAS

ÍNDICE PREFÁCIO 9 O GREGO 9 FONÉTICA 11 MORFOLOGIA 23 PARTE PARTE CAPÍTULO I 25 ARTIGO CAPÍTULO II 26 SUBSTANTIVOS. QUADRO GERAL DAS DESINÊNCIAS ÍNI 1 PRT 2 PRT PRÁIO 9 O GRGO 9 ONÉTI 11 LTO GRGO PRONÚNI TRIIONL... 12 SONS LÍNGU GRG... 13 ONSONTS QU POM INLIZR PLVRS... 13 MOIIÇÕS ONÉTIS... 14 1. SÍLS... 15 2. ONTRÇÃO... 16 3. RS... 16 4. LISÃO...

Leia mais

Há Harmonia entre os Evangelhos?

Há Harmonia entre os Evangelhos? Há Harmonia entre os Evangelhos? AULA 4 Mar/Abr/2015 Rodrigo Hernandes e Felipe Coelho 22/3/2015 Algumas Passagens Difíceis dos Evangelhos Definindo Astrologia Uma estrela no céu narra o nascimento de

Leia mais

NESS-A TOUCH SCREEN 7" C/ MODEM

NESS-A TOUCH SCREEN 7 C/ MODEM 6 7 8 9 0 QUIPMNTOS ONTROLOS OMPRSSOR LTRNTIVO // LTRÇÃO LYOUT-IM MUTI PR SOPOST OTÃO MRÊNI LLN9 0 07/0/ LTRÇÃO O MOM O LYOUT LOUV 7 0 06// INLUSÃO O ORINTTIVO O LÇO OMUNIÇÃO IO V. 00 8/0/ INIIL TOS R.

Leia mais

4. A IMPORTÂNCIA DE SER BATIZADO

4. A IMPORTÂNCIA DE SER BATIZADO 4. A IMPORTÂNCIA DE SER BATIZADO O batismo nas águas é um dos passos importantes nos primeiros princípios da doutrina de Cristo. Ele não é apenas uma forma ou cerimônia sem sentido, mas uma experiência

Leia mais

ESTUDO SOBRE A DISPENSAÇÃO DA LEI (1.718 Anos) Ex 3:1-10 Ex 12:37-38 Lc 16:16 Mt 3:1-3

ESTUDO SOBRE A DISPENSAÇÃO DA LEI (1.718 Anos) Ex 3:1-10 Ex 12:37-38 Lc 16:16 Mt 3:1-3 ESTUDO SOBRE A DISPENSAÇÃO DA LEI (1.718 Anos) Ex 3:1-10 Ex 12:37-38 Lc 16:16 Mt 3:1-3 Definição de Dispensação: período de tempo durante o qual a humanidade é moralmente responsável diante de Deus em

Leia mais

CONHECENDO O ESPÍRITO SANTO. APOSTILA DA CLASSE DE NOVOS MEMBROS Volume 06 de 07

CONHECENDO O ESPÍRITO SANTO. APOSTILA DA CLASSE DE NOVOS MEMBROS Volume 06 de 07 CONHECENDO O ESPÍRITO SANTO APOSTILA DA CLASSE DE NOVOS MEMBROS Volume 06 de 07 A trindade sempre existiu, mas se apresenta com maior clareza com vinda de Cristo e a redação do Novo Testamento. Por exemplo,

Leia mais

Panorama do Antigo Testamento. Escola Bíblica IECI 1º Semestre de 2015 Aula 6

Panorama do Antigo Testamento. Escola Bíblica IECI 1º Semestre de 2015 Aula 6 Panorama do Antigo Testamento Escola Bíblica IECI 1º Semestre de 2015 Aula 6 Divisão Mais Usual PENTATEUCO HISTÓRICOS POÉTICOS Maiores PROFÉTICOS Menores Gn Ex Lv Nm Dt Js Jz Rt 1 Sm 2 Sm 1 Re 2 Re 1 Cr

Leia mais

CD CIA DE JOÃO BATISTA - 1. PREPARAI O CAMINHO INTR: C9 SOMOS UM POVO CLAMANDO POR JESUS QUE VENHA O SEU REINO SOBRE NÓS

CD CIA DE JOÃO BATISTA - 1. PREPARAI O CAMINHO INTR: C9 SOMOS UM POVO CLAMANDO POR JESUS QUE VENHA O SEU REINO SOBRE NÓS C CI JOÃO BTIST - 1. PRPRI O CMINHO INTR: SOMOS UM POVO CLMNO POR JSUS QU VNH O SU RINO SOBR NÓS VOZ OS SUS PROFTS S OUVIRÁ m7 PRPRI O CMINHO O SNHOR COMO UM NOIV O SU NOIVO SPRR C NSIMOS SU VOLT ÓH JSUS,

Leia mais

CELEBRAÇÃO ARCIPRESTAL DA EUCARISTIA EM ANO DA FÉ

CELEBRAÇÃO ARCIPRESTAL DA EUCARISTIA EM ANO DA FÉ CELEBRAÇÃO ARCIPRESTAL DA EUCARISTIA EM ANO DA FÉ SEIA 23 DE JUNHO 2013 ENTRADA NÓS SOMOS AS PEDRAS VIVAS DO TEMPLO DO SENHOR, NÓS SOMOS AS PEDRAS VIVAS DO TEMPLO DO SENHOR, POVO SACERDOTAL, IGREJA SANTA

Leia mais

JESUS CRISTO FOI CONCEBIDO PELO PODER DO ESPÍRITO SANTO, E NASCEU DA VIRGEM MARIA (CONT)

JESUS CRISTO FOI CONCEBIDO PELO PODER DO ESPÍRITO SANTO, E NASCEU DA VIRGEM MARIA (CONT) JESUS CRISTO FOI CONCEBIDO PELO PODER DO ESPÍRITO SANTO, E NASCEU DA VIRGEM MARIA (CONT) 11-02-2012 Catequese com adultos 11-12 Chave de Bronze Em que sentido toda a vida de Cristo é Mistério? Toda a vida

Leia mais

QUEM É JESUS. Paschoal Piragine Jr 1 31/08/2015

QUEM É JESUS. Paschoal Piragine Jr 1 31/08/2015 1 QUEM É JESUS Jo 1 26 Respondeu João: Eu batizo com água, mas entre vocês está alguém que vocês não conhecem. 27 Ele é aquele que vem depois de mim, e não sou digno de desamarrar as correias de suas sandálias

Leia mais

"Ajuntai tesouros no céu" - 5

Ajuntai tesouros no céu - 5 "Ajuntai tesouros no céu" - 5 Mt 6:19-21 Temos procurado entender melhor através das escrituras, o que Jesus desejou ensinar aos seus discípulos nesta sequência de palavras, e pra isso, estudamos algumas

Leia mais

EBD ADU 2011. Aulas sobre o Espírito Santo e você. Prefácio

EBD ADU 2011. Aulas sobre o Espírito Santo e você. Prefácio Aulas sobre o Espírito Santo e você. EBD ADU 2011 Prefácio 1. Quem é o Espírito Santo? 2. Os símbolos do Espírito Santo 3. O Espírito Santo e as Escrituras 4. Da criação até o nascimento de Jesus 5. Do

Leia mais

ANEXO II MODELO DE PROPOSTA

ANEXO II MODELO DE PROPOSTA Plnih01 ANEXO II MODELO DE PROPOSTA Lot Itm Dsrição Uni 1 2 3 4 5 Imprssão CARTAZ: Formto A4, 21x29,7 m, Ppl rilo, 120 g/m² Nº ors: 4/0 ors. Qunti Rgistrr: 6.000 Imprssão CARTAZ: Formto A4, 21x29,7 m Ppl

Leia mais

A Bíblia realmente afirma que Jesus

A Bíblia realmente afirma que Jesus 1 de 7 29/06/2015 11:32 esbocandoideias.com A Bíblia realmente afirma que Jesus Cristo é Deus? Presbítero André Sanchez Postado por em: #VocêPergunta Muitas pessoas se confundem a respeito de quem é Jesus

Leia mais

fé, a esta graça na qual estamos firmes; e gloriamo-nos na esperança da glória de Deus.

fé, a esta graça na qual estamos firmes; e gloriamo-nos na esperança da glória de Deus. ACESSO A DEUS Texto Base: Rm 5.2 =... pôr intermédio de quem obtivemos igualmente acesso, pela fé, a esta graça na qual estamos firmes; e gloriamo-nos na esperança da glória de Deus. Introdução: Ter acesso

Leia mais

JESUS É A LUZ DO MUNDO João 8.12 Pr. Vlademir Silveira IBME 24/03/13

JESUS É A LUZ DO MUNDO João 8.12 Pr. Vlademir Silveira IBME 24/03/13 JESUS É A LUZ DO MUNDO João 8.12 Pr. Vlademir Silveira IBME 24/03/13 INTRODUÇÃO O Evangelho de João registra 7 afirmações notáveis de Jesus Cristo. Todas começam com Eu sou. Jesus disse: Eu sou o pão vivo

Leia mais

Aula 5.1 Conteúdo: As grandes Religiões de matriz ocidental Judaísmo Cristianismo Islamismo ENSINO RELIGIOSO CONTEÚDO E HABILIDADES

Aula 5.1 Conteúdo: As grandes Religiões de matriz ocidental Judaísmo Cristianismo Islamismo ENSINO RELIGIOSO CONTEÚDO E HABILIDADES CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Aula 5.1 Conteúdo: As grandes Religiões de matriz ocidental Judaísmo Cristianismo Islamismo 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MORTÁGUA Geometria Ficha de Trabalho Nº 02 10º Ano

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MORTÁGUA Geometria Ficha de Trabalho Nº 02 10º Ano AGUPAMENO DE EOLA DE MOÁGUA Gomti Fih lho Nº 0 0º Ano Osv igu o lo... Ini so istm: ois plnos ppniuls us ts plls um t post um plno um t snt o plno FIH us ts não omplns. s oons os vétis... Qul posição ltiv

Leia mais

O Deus testemunhado por Jesus Cristo o Pai. Objetivos 12/4/2012. Identidade e relevância da cristologia. Cláudio Ribeiro

O Deus testemunhado por Jesus Cristo o Pai. Objetivos 12/4/2012. Identidade e relevância da cristologia. Cláudio Ribeiro O Deus testemunhado por Jesus Cristo o Pai Cláudio Ribeiro Objetivos Avaliar a doutrina de Trindade suas raízes, premissas fundamentais, ênfases e mudanças no contexto global da história da Igreja e as

Leia mais

INTRODUÇÃO À BÍBLIA Revisão aula 1

INTRODUÇÃO À BÍBLIA Revisão aula 1 I NTRODUÇÃO À BÍ BLI A Revisão aula 1 INTRODUÇÃO À BÍBLIA Revisão aula 1 A BÍBLIA... UM CONJUNTO DE 66 LIVROS, COMEÇOU A SER ESCRITO HÁ MAIS OU MENOS 3500 ANOS, DEMOROU QUASE 1600 ANOS PARA SER CONCLUÍDO,

Leia mais

Curso de Discipulado

Curso de Discipulado cidadevoadora.com INTRODUÇÃO 2 Este curso é formado por duas partes sendo as quatro primeiras baseadas no evangelho de João e as quatro últimas em toda a bíblia, com assuntos específicos e muito relevantes

Leia mais

ASSEMBLEIA DO RENOVAMENTO CARISMÁTICO DA DIOCESE DO PORTO 21 de Abril de 2012

ASSEMBLEIA DO RENOVAMENTO CARISMÁTICO DA DIOCESE DO PORTO 21 de Abril de 2012 ASSEMBLEIA DO RENOVAMENTO CARISMÁTICO DA DIOCESE DO PORTO 21 de Abril de 2012 Mantendo-vos, portanto, firmes, tendo cingido os vossos rins com a verdade, vestindo a couraça da justiça e calçando os pés

Leia mais

Curso Bíblico Básico (Nível Médio) Parte VII

Curso Bíblico Básico (Nível Médio) Parte VII COMUNIDADE CRISTÃ ASSEMBLEIA DOS JUSTOS SISTEMA EDUCACIONAL BÍBLICO ECLESIÁSTICO DEPARTAMENTO DE CURSO BÍBLICO BÁSICO Curso Bíblico Básico (Nível Médio) Parte VII A Divindade do Senhor Jesus Este é o assunto

Leia mais

#61. 10.14 O batismo do Espírito Santo

#61. 10.14 O batismo do Espírito Santo 10.14 O batismo do Espírito Santo #61 Estudamos o novo nascimento e vimos como o Espírito Santo realiza essa obra juntamente com a Palavra de Deus. Tínhamos que entender o novo nascimento e como alguém

Leia mais

A ESCRITURA SAGRADA: A PALAVRA DA BÍBLIA É A REVELAÇÃO DO PAI E O ENCONTRO COM JESUS PELA AÇÃO DO ESPIRITO. É PRECISO FUNDAMENTAR TODA A NOSSA VIDA

A ESCRITURA SAGRADA: A PALAVRA DA BÍBLIA É A REVELAÇÃO DO PAI E O ENCONTRO COM JESUS PELA AÇÃO DO ESPIRITO. É PRECISO FUNDAMENTAR TODA A NOSSA VIDA INSTRUMENTAL BÍBLICO ANO DA FÉ: A ESCRITURA SAGRADA: A PALAVRA DA BÍBLIA É A REVELAÇÃO DO PAI E O ENCONTRO COM JESUS PELA AÇÃO DO ESPIRITO. É PRECISO FUNDAMENTAR TODA A NOSSA VIDA NA ROCHA DA PALAVRA

Leia mais

PARÓQUIA NOSSA SENHORA APARECIDA e SÃO LOURENÇO Em obediência à vossa palavra, lançarei as redes (Lc 5,5b)

PARÓQUIA NOSSA SENHORA APARECIDA e SÃO LOURENÇO Em obediência à vossa palavra, lançarei as redes (Lc 5,5b) Evangelho A palavra Evangelho significa: Boas Novas. Portando, não temos quatro evangelhos, mas quatro evangelistas que escreveram, cada um, conforme sua visão, as boas-novas de salvação, acerca do Senhor

Leia mais

REIS BONS E REIS MAUS

REIS BONS E REIS MAUS Bíblia para crianças apresenta REIS BONS E REIS MAUS Escrito por: Edward Hughes Ilustradopor:Lazarus Adaptado por: Ruth Klassen O texto bíblico desta história é extraído ou adaptado da Bíblia na Linguagem

Leia mais

EVANGELHOS DE MATEUS E MARCOS

EVANGELHOS DE MATEUS E MARCOS Lição 3 EVANGELHOS DE MATEUS E MARCOS 1. Mateus O Evangelho de Mateus recebe o nome do seu autor, que significa presente do Senhor. Mateus foi um judeu, coletor de impostos para o governo romano, ou seja,

Leia mais

Aspetos inclusivos e exclusivos na fé nova-apostólica

Aspetos inclusivos e exclusivos na fé nova-apostólica Igreja Nova Apostólica Internacional Aspetos inclusivos e exclusivos na fé nova-apostólica Depois de, na última edição, termos abordado os aspetos inclusivos e exclusivos no Antigo e no Novo Testamento,

Leia mais

Associação de Resistores e Resistência Equivalente

Associação de Resistores e Resistência Equivalente Associção d sistors sistêci Equivlt. Itrodução A ális projto d circuitos rqurm m muitos csos dtrmição d rsistêci quivlt prtir d dois trmiis quisqur do circuito. Além disso, pod-s um séri d csos práticos

Leia mais

A BELA HISTORIA DE JESUS DE NAZARÉ

A BELA HISTORIA DE JESUS DE NAZARÉ A BELA HISTORIA DE JESUS DE NAZARÉ JESUS E TENTADO NO DESERTO Volume 4 Escola: Nome : Professor (a): Data : / / 11 7) PERGUNTAS: 1. Depois de ser batizado, onde Jesus foi guiado pelo espírito? 2. Quem

Leia mais

Se Jesus ressuscitou, onde estão as testemunhas?

Se Jesus ressuscitou, onde estão as testemunhas? Se Jesus ressuscitou, onde estão as testemunhas? 1 Coríntios 15.1-11 1. Irmãos, quero lembrar-lhes o evangelho que lhes preguei, o qual vocês receberam e no qual estão firmes. 2. Por meio deste evangelho

Leia mais

A BELA HISTORIA DE JESUS DE NAZARÉ

A BELA HISTORIA DE JESUS DE NAZARÉ A BELA HISTORIA DE JESUS DE NAZARÉ O BATISMO DO SENHOR JESUS CRISTO E O COMEÇO DE SEU MINIST ÉRIO Volume 03 Escola: Nome : Professor (a): Data : / / 5) VAMOS BRINCAR DE FORCA? Marque com um x na letra

Leia mais

MESTRADO INTEGRADO EM ENGENHARIA INFORMÁTICA E COMPUTAÇÃO EIC0011 MATEMÁTICA DISCRETA

MESTRADO INTEGRADO EM ENGENHARIA INFORMÁTICA E COMPUTAÇÃO EIC0011 MATEMÁTICA DISCRETA 1. Tm 40 livros irnts qu vi gurr m 4 ixs ors irnts, olono 10 livros m ix.. Qunts possiilis tm istriuir os livros pls ixs irnts? Justiiqu.. Suponh gor qu tinh 60 livros. Qunts possiilis pr os olor ns 4

Leia mais

O povo judeu e sua religião

O povo judeu e sua religião A Vida de JESUS O povo judeu e sua religião O POVO JUDEU Religião Deus e o relacionamento com o homem O Tabernáculo A Arca da Aliança O Templo As Escrituras As Sinagogas Grupos religiosos O POVO JUDEU

Leia mais

No princípio era aquele que é a Palavra... João 1.1 UMA IGREJA COM PROPÓSITOS. Pr. Cristiano Nickel Junior

No princípio era aquele que é a Palavra... João 1.1 UMA IGREJA COM PROPÓSITOS. Pr. Cristiano Nickel Junior No princípio era aquele que é a Palavra... João 1.1 UMA IGREJA COM PROPÓSITOS Pr. Cristiano Nickel Junior O propósito é que a Igreja seja um exército com bandeiras Martyn Lloyd-Jones No princípio era aquele

Leia mais

O PLANO CONTRA LÁZARO

O PLANO CONTRA LÁZARO João 12 Nesta Lição Estudará... Jesus em Betânia O Plano Contra Lázaro Jesus Entra em Jerusalém Alguns Gregos Vão Ver Jesus Anuncia a Sua Morte Os Judeus Não Crêem As Palavras de Jesus Como Juiz JESUS

Leia mais

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente:

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente: ELETRÔNICA TEMPO TOTAL APLICADO: h m www.tltroni.om.r TOTAL PONTOS TURMA Nom: Dt: / Hor: h m às h m Rsolv os prolms ssinl ltrntiv orrsponnt: Toos os iritos rsrvos. Proii rproução totl ou pril sts págins

Leia mais

Lembrança da Primeira Comunhão

Lembrança da Primeira Comunhão Lembrança da Primeira Comunhão Jesus, dai-nos sempre deste pão Meu nome:... Catequista:... Recebi a Primeira Comunhão em:... de... de... Local:... Pelas mãos do padre... 1 Lembrança da Primeira Comunhão

Leia mais

Mosaicos #2 Um Novo e superior Testamento Hb 1:1-3 Introdução: Se desejamos compreender o hoje, muitas vezes precisaremos percorrer o passado.

Mosaicos #2 Um Novo e superior Testamento Hb 1:1-3 Introdução: Se desejamos compreender o hoje, muitas vezes precisaremos percorrer o passado. 1 Mosaicos #2 Um Novo e superior Testamento Hb 1:1-3 Introdução: Se desejamos compreender o hoje, muitas vezes precisaremos percorrer o passado. Neste sentido a Carta aos Hebreus é uma releitura da lei,

Leia mais

Nascimento e infância de Jesus

Nascimento e infância de Jesus FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Programa I Religião à Luz do Espiritismo Tomo I Cristianismo e Espiritismo Módulo II O Cristianismo Roteiro 1 Nascimento e infância

Leia mais

======================== ˆ_ ˆ«

======================== ˆ_ ˆ« Noss fest com Mri (Miss pr os simpes e pequenos, inspirdo em Jo 2,112) ( Liturgi I Puus) 1) eebremos n egri (bertur) Rgtime & c m m.. _ m m.. _ e e bre mos n_ e gri, nos s fes t com M ri : & _.. _ º....

Leia mais

CARTA DE PRINCÍPIOS, CRENÇAS E VALORES 1 ALIANÇA CRISTÃ EVANGÉLICA BRASILEIRA Aliança Evangélica. A unidade na fé a caminho da missão

CARTA DE PRINCÍPIOS, CRENÇAS E VALORES 1 ALIANÇA CRISTÃ EVANGÉLICA BRASILEIRA Aliança Evangélica. A unidade na fé a caminho da missão CARTA DE PRINCÍPIOS, CRENÇAS E VALORES 1 ALIANÇA CRISTÃ EVANGÉLICA BRASILEIRA Aliança Evangélica A unidade na fé a caminho da missão Nossa Visão Manifestar a unidade da igreja por meio do testemunho visível

Leia mais

CRISTO EM TI A MANIFESTAÇÃO DA GLÓRIA

CRISTO EM TI A MANIFESTAÇÃO DA GLÓRIA CRISTO EM TI A MANIFESTAÇÃO DA GLÓRIA INTRODUÇÃO Irmãos! A bíblia nos ensina que Deus nos chama a realizar, a ser, a conhecer e a alcançar muitas coisas, tais como, realizar a obra de Deus, a ser santos,

Leia mais

Apostila Fundamentos. Batismo nas Águas. batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo... Mt 28:19

Apostila Fundamentos. Batismo nas Águas. batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo... Mt 28:19 Apostila Fundamentos Batismo nas Águas batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo... Mt 28:19 B a t i s m o n a s Á g u a s P á g i n a 2 Batismo nas Águas Este é outro passo que está

Leia mais

POR QUE ESTUDAR A BÍBLIA? PANORAMA GERAL DA BÍBLIA

POR QUE ESTUDAR A BÍBLIA? PANORAMA GERAL DA BÍBLIA PANORAMA BÍBLICO Pr Jardel Roscamp Guarapuava PR POR QUE ESTUDAR A BÍBLIA? PANORAMA GERAL DA BÍBLIA A BÍBLIA É UM LIVRO OUSADO ETERNIDADE FINAL DO NT A BÍBLIA É O CAMINHO DE VOLTA À DEUS CRIAÇÃO GÊNESIS

Leia mais

ESCOLA BÍBLICA I.E. SOS JESUS

ESCOLA BÍBLICA I.E. SOS JESUS Data: 01/02/09 Aula 01 AS VESTES SACERDOTAIS O Sumo Sacerdote I - O que era um sacerdote: Era um ministro investido da autoridade, isto é, autorizado diante de Deus a interceder em favor do povo. Servia

Leia mais

A primeira razão pela qual Jesus chamou os discípulos foi para que estivessem consigo para que tivesses comunhão com Ele.

A primeira razão pela qual Jesus chamou os discípulos foi para que estivessem consigo para que tivesses comunhão com Ele. 1 Marcos 3:13 «E (Jesus) subiu ao Monte e chamou para si os que ele quis; e vieram a ele. E nomeou doze para que estivessem com ele e os mandasse a pregar, e para que tivessem o poder de curar as enfermidades

Leia mais

A TEOLOGIA DE GENESIS Márcio Martins

A TEOLOGIA DE GENESIS Márcio Martins A TEOLOGIA DE GENESIS Márcio Martins O LIVRO DE GENESIS PODE SER CONSIDERADO COMO A BASE TEOLÓGICA DO NOVO TESTAMENTO. GENESIS DE CERTA FORMA ESTÁ MAIS PROXIMO DO NOVO TESTAMENTO DO QUE DO VELHO. VARIOS

Leia mais

Perfil da Igreja que possui maturidade

Perfil da Igreja que possui maturidade Perfil da Igreja que possui maturidade TEXTO BÍBLICO BÁSICO Atos 2.7-45 7 - E, ouvindo eles isto, compungiram-se em seu coração, e perguntaram a Pedro e aos demais apóstolos: Que faremos, homens irmãos?

Leia mais

DIAGRAMA DE INTERLIGAÇÃO DE AUTOMAÇÃO EXXA -SL

DIAGRAMA DE INTERLIGAÇÃO DE AUTOMAÇÃO EXXA -SL 3 4 7 8 9 0 QUIPMNTOS ONTROLOS XX SL (L44) - RJ4- /SNSORS - IM SOPOR 30.400.83.7 XX SL (L44) - RJ4- /SNSORS - IM MUTIR 30.400.84. IRM INTRLIÇÃO UTOMÇÃO XX -SL 3 0// INTIIÇÃO OS SNSORS UMI PRSSÃO /03/4

Leia mais

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente:

TOTAL PONTOS Nome: Data: / Hora: h m às h m Resolva os problemas e assinale a alternativa correspondente: ELETRÔNICA TEMPO TOTAL APLICADO: h m www.tltroni.om.r TOTAL PONTOS TURMA Nom: Dt: / Hor: h m às h m Toos os iritos rsrvos. Proii rproução totl ou pril sts págins sm utorizção CTA Eltrôni Rsolv os prolms

Leia mais

Lição 01 O propósito eterno de Deus

Lição 01 O propósito eterno de Deus Lição 01 O propósito eterno de Deus LEITURA BÍBLICA Romanos 8:28,29 Gênesis 1:27,28 Efésios 1:4,5 e 11 VERDADE CENTRAL Deus tem um propósito original e eterno para minha vida! OBJETIVO DA LIÇÃO Que eu

Leia mais