DIAGRAMA DE INTERLIGAÇÃO DE AUTOMAÇÃO NESS LRC MULTILINHAS C/ IHM

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DIAGRAMA DE INTERLIGAÇÃO DE AUTOMAÇÃO NESS LRC MULTILINHAS C/ IHM"

Transcrição

1 QUIPNOS ONROLOS 5 LINS RSRIOS OU LINS ONLOS LIN RSRIOS IR INRLIÇÃO UOÇÃO NSS LR ULILINS O I 8 0/0/5 URÇÃO LRÇÃO OS UNIUS, RPOSIIONNO O POLI LRÇÂO N LIS RIIS LOUV 7 7 0/0/5 LRO O LYOU, SUSIUIO O P INLUSO ~6 LOUV 7 6 7/04/4 INIIÇÃO PRUSOS RIS LRS S URÇÕS IÇÕS PL 5 7/04/4 LR URÇÂO OS UNIUS LOUV 7 LOUV 7 9 /9 NOS, LN OS NONLURS 4 4/0/4 LR LIÇÃO O OULO ORÇNO OS ISJUNORS URO /9 7 /9 LIS PRIÉRIOS LIS RIIS /0/4 LRO LYOU LIÇÃO O IR URO /9 5 /9 SQU LIÇÃO V NUL / UOÁIO IR INRLIÇÕS O ÓULO P-0 VRSÃO ONLOS (PNS PO) 09/0/4 LRO LYOU LIÇÃO S VS ORÇNO 9/06/ 0 0/09/09 INIIL LRÇÃO NO LY-OU INLUSÃO O SQU LIÇÃO V NUL / UOÁIO URO 794 VI INN.. 4 /9 /9 /9 /9 IR INRLIÇÕS O ÓULO P-0 IR RL LI. O. LY-OU INRNO O LY-OU P O OIVO VR. ÍNI PROJIS UIVO ÍULO RSON 600 SNIS UL 0/0/5 INSLÇÃO Nº O SNO NSS LR ULILINS / I Q- INIIL VI P-SQ-N-007-R08.VS 8 S/ S P9 5/0/ IR INRLIÇÃO RRÊNI 0/ ONROLS UOÇÃO

2 SR SOP VIS RONL RN P 6 VIS RONL INRN O RO 57 5 NSS LR 7 70 S S I NO 0 8 RSO I NO IQUS S SÍS IIIS NR POÊNI VIS INRIOR RN I NR SINIS NLÓIOS NO NO Q- 90x0x7 edidas em mm PROJIS UIVO ÍULO RSON 600 SNIS UL 0/0/5 INSLÇÃO Nº O SNO NSS LR ULILINS / I Q- INIIL VI P-SQ-N-007-R08.VS 8 S/ :5 S 9 5/0/ LY-OU P O RRÊNI / ONROLS UOÇÃO

3 VIS RONL ON N PL VIS RONL PL NO ~ 6 J 50 R NO 0x50 0x50 P-0 R R L S S S S4 S S S ON 65 x0 4 NO NO P P P P4 R,59, ,6, NO PL 60x70 edidas em mm PROJIS UIVO ÍULO RSON 600 SNIS UL 0/0/5 INSLÇÃO Nº O SNO NSS LR ULILINS / I Q- INIIL VI P-SQ-N-007-R08.VS 8 S/ :5 S 9 5/0/ LY-OU INRNO O RRÊNI / ONROLS UOÇÃO

4 R L. 5/8 () R () R R L. 5/8 R 0/4Vac 0V 0V 4V 0V 4 O N J NO 4 R 5 P N L L Vac P-0 L/ V RS485 SUP. R O. I I I N POR O L/ V I R N L L R L RR RR PL P LINÇÃO 0Vac + NURO + RR OU + + RR (VRIIR ORINÇÃO N NO ) PR ORIO (/R) - () P NR OUS R + (R) L L - () P R + (R) PR ORIO (/R) SÍ OUS PROJIS UIVO ÍULO RSON 600 SNIS UL 0/0/5 INSLÇÃO Nº O SNO NSS LR ULILINS / I Q- INIIL VI P-SQ-N-007-R08.VS 8 S/ S 9 5/0/ IR RL LINÇÃO OUNIÇÃO RRÊNI / ONROLS UOÇÃO

5 S NL NL NL Vcc Vcc S-0 5 P-0 S S-0 S-0 S-0 S-04 S-05 R PL NO 6 0 R P 0 R P 0 R P 40 R 4 P 50 R 5 P ONROLOR OULO ORÇNO 0 PO L St St 5 6 NO 5 5 N N NO 6 N 5 6 N N NO 4 J. Sindal. Sindal 4. Sindal J J4 J5 J6 5. Sindal 6. Sindal RI NURO NURO NURO NURO NURO R liente R quip PROJIS RSON 600 SNIS LIRÇÃO S-0 S-0 P000 P000 P000 P000 P000 P000 SINL UIVO UL 4~0m 4~0m 0/0/5 ÍULO INSLÇÃO NSS LR ULILINS / I Nº O SNO Q- INIIL VI P-SQ-N-007-R08.VS 8 S/ S 9 5/0/ PRIÉRIOS P000-50~50 P000-50~50 P000-50~50 P000-50~50 P000-50~ PRUR ONROL -0 PRUR ONROL -0 PRUR ONROL -0 PRUR ONROL -04 PRUR ONROL -05 RS. RS. RS. RS. 4 RS. 5 IR INRLIÇÕS O ÓULO P-0 V NUL / UOÁIO NUL / UOÁIO RRÊNI LI / SLI VSL LI / SLI VSL 4/ LI / SLI VSL LI / SLI VSL4 LI / SLI VSL5 RS. RS. RS. RS. 4 RS. 5 VISO VISO PO SUPR OISSION. ONROLS UOÇÃO

6 S NL NL NL Vcc Vcc P-0 ongelados S-0 5 S S-0 S-0 S-0 S-04 S-05 R PL R P 0 R P 0 R P NO 6 ONROLOR OULO ORÇNO 0 RRÊNI PR LIÇÃO PO. VRSÃO: ONLOS PO NO N L St St NO 6 N N NO 4 J. Sindal NO 4. Sindal J 4. Sindal NO 4 5. Sindal 6. Sindal J4 RI NURO NURO NURO NURO NURO R liente R quip PROJIS RSON 600 SNIS LIRÇÃO S-0 S-0 P000 P000 P000 P000 P000 P000 SINL UIVO UL 4~0m 4~0m 0/0/5 ÍULO INSLÇÃO NSS LR ULILINS / I Nº O SNO Q- INIIL VI P-SQ-N-007-R08.VS 8 S/ S 9 5/0/ PRIÉRIOS P000-50~50 P000-50~50 P000-50~50 P000-50~50 P000-50~ PRUR ONROL -0 PRUR ONROL -0 PRUR ONROL -0 ON. ON. RS. IR INRLIÇÕS O ÓULO P-0 VRSÃO ONLOS V NUL / UOÁIO NUL / UOÁIO RRÊNI LI / SLI VSL LI / SLI RSISÊNI LO 5/ LI / SLI VSL LI / SLI RSISÊNI LO LI / SLI VSL ON. ON. ON. ON. RS. VISO VISO PO SUPR OISSION. ONROLS UOÇÃO

7 L. /8 R L. / NO 7 60 R 6 P ONROLOR NRS PO SÍS 4 5 OULO ORÇNO L St St () R () R N N () PROJIS RSON 600 SNIS UIVO UL 0/0/5 ÍULO INSLÇÃO NSS LR ULILINS / I Nº O SNO Q- INIIL VI P-SQ-N-007-R08.VS 8 S/ S 9 5/0/ SQU LIÇÃO V NUL / UOÁIO RRÊNI 6/ ONROLS UOÇÃO

8 I Q UNI. INIIÇÃO Q- / L R P- I SRIÇÃO LIS RIIS OLO / R. ÓIO IROLU RIN OPLO SK RR RR RRNO LÃO INO ~ 6 ORN RR UL S-66 6,0mm² SK ORN RR UL,5mm² SK RNSOROR 0/4V 0V -005 PRLU ONROLOR IROPROSSO PU 6 0V L. IROLU INR O-QUIN L IIOS IROLU P ORN PRUSO,5-0 P P00-06 PONI NO 6 - POS ORN PRUSO,5-5/S 5 P PONI NO - P5-7 ~ 6 V ORÇNO 0V PR USO INRNO O 0V IROLU J R ISJUNOR UNIPOLR URV SK RLÉ PORIOR ÍLIO SSÍNRONO R/60IN 94~4V OL 6 ~ 6 ORN PRUSO 4,0/RK,5-4 P PONI NO - UNIU RO O RRUL ROS SP " -059 RONIN 4 P PR---IN-PN-PI,59, P P P4 R PR-Q--I--PI PR-Q--I-PN-PI PR-Q--I-PN-PI RI POP LUINIO,6, SIP PON ORN PRUSO 4,00² Q P PONI NO PR---PN-IN-PI,5-099 SUPOR PR RILO. (65) IROLU PROJIS UIVO ÍULO RSON 600 SNIS UL 0/0/5 INSLÇÃO Nº O SNO NSS LR ULILINS / I Q- INIIL VI P-SQ-N-007-R08.VS 8 S/ S 9 5/0/ LIS RIIS RRÊNI 7/ ONROLS UOÇÃO

9 LIS PRIÉRIOS I Q UNI. INIIÇÃO SRIÇÃO OLO / R. ÓIO IROLU RIN 5-0~5 SNSOR PRUR / O PV 000mm P K4.S5 IROLU PROJIS UIVO ÍULO RSON 600 SNIS UL 0/0/5 INSLÇÃO Nº O SNO NSS LR ULILINS / I Q- INIIL VI P-SQ-N-007-R08.VS 8 S/ S 9 5/0/ LIS PRIÉRIOS RRÊNI 8/ ONROLS UOÇÃO

10 I P R L/ PRVR UNIU ÔNIO " PR S NRS SÍS NLÓIS OUNIÇÃO, QU PO SR PSSOS NU S UULÇÃO, PORÉ SPROS IRUIOS IIIS. P R V P R SIOLOI LN OS SRIÇÃO INO LÍVL 750V #,0mm² (/R) NI- INO LÍVL 750V #,0mm² () NI- INO LÍVL 750V #,0mm² () NI- O PR ORIO x0,5mm² (P/R) O PR ORIO x0,5mm² (/R) O PR ORIO x0,5mm² O LIN - R. POLIRON 05 INO SINLO LÍVL,0mm² () - R. PIRLLI PIRSI NIL O PR ORIO x0,5mm² - R. POLIRON 05 O RIO ORIO x0,5mm² - R. POLIRON 05 R NOS PRVR UNIU ÔNIO PR S NRS SÍS IIIS, QU PO SR PSSOS NU S UULÇÃO, JUNN O IRUIOS 0Vac. PRVR RILO S5 PR IÇÃO O ONROLOR, ISJUNOR. ISJUNOR SORR O URO IRUIO (ISJUNOR UNIPOLR PR PROÇÃO VSL IROOOR). () NURO ORNIOS PLO LIN. SQU LIÇÃO NUL / UOÁIO N PÁIN 5/8. QUNO S VS SIVR POSIIONS UOÁIO, IR ONINUI N -06, L VRÁ SR URO. ONSIRR 6 ORNS SINL,5 IOS N PL O PRUSO ORR ISOLOR. ONSIRR 7 ORNS SINL 6 IOS N PL O PRUSO ORR ISOLOR. PRVR IÇÃO O POLIRONO PÓS IÇÃO O ÓULO ORÇNO NS IÇÃO I. PROJO PR INSLÇÃO ( + NURO), QUNO INSLÇÃO OR ( + ) V-S SUSIUIR O ORN-0 POR U ISJUNOR PR PROÇÃO. LIÇÃO INRN O ISJUNOR (J) OS ORNS ( ~ 6) V SR RLI PLO LO SQURO. UILIR I UPL PR IÇÃO O RILO S5 4 UILIR PON ORNS 5 ORR OS OIS ÚLIOS RPOS IRI N NL NRL, PR QU OS OS NLÓIOS NÃO N OSRUÇÕS N PSS V R L/ V R INO LÍVL 750V #,0mm² (V) NI- O N PLIÇÃO () / NURO (R) () / (R) NR IIIS 0Vac NR IIIS 4Vdc SÍS IIIS NRS SÍS NLÓIS OUNIÇÃO OUNIÇÃO I O US NRS SÍ IIIS SNSORS NLÓIOS SNSORS NLÓIOS / VÁLVULS INRLIÇÕS INRNS INRLIÇÕS RNS NONLURS Q - UOÇÃO RIO LINR P - ÓULO PRINIPL RIO LINR - ÓULO PNSÃO - ORN ÚSIVL R - RNSOROR J - ISJUNOR R - RLÉ PORIOR - NR NLÓI S - SÍ NLÓI - NR IIL S - SÍ IIL - LOO OUNIÇÃO - LOO NLÓIO - LOO IIL R - RÉU ORNS RI - RÉU ORNS INRN (UOÇÃO) - SNSOR PRUR I - INR O ÁQUIN P - PRUSO R - RI PROJIS UIVO RSON 600 SNIS UL 0/0/5 ÍULO INSLÇÃO Nº O SNO NSS LR ULILINS / I Q- INIIL VI P-SQ-N-007-R08.VS 8 S/ S 9 5/0/ NOS, LNS OS NONLURS RRÊNI 9/ ONROLS UOÇÃO

DIAGRAMA DE INTERLIGAÇÃO DE AUTOMAÇÃO EXXA -SL

DIAGRAMA DE INTERLIGAÇÃO DE AUTOMAÇÃO EXXA -SL 3 4 7 8 9 0 QUIPMNTOS ONTROLOS XX SL (L44) - RJ4- /SNSORS - IM SOPOR 30.400.83.7 XX SL (L44) - RJ4- /SNSORS - IM MUTIR 30.400.84. IRM INTRLIÇÃO UTOMÇÃO XX -SL 3 0// INTIIÇÃO OS SNSORS UMI PRSSÃO /03/4

Leia mais

NESS-A TOUCH SCREEN 7" C/ MODEM

NESS-A TOUCH SCREEN 7 C/ MODEM 6 7 8 9 0 QUIPMNTOS ONTROLOS OMPRSSOR LTRNTIVO // LTRÇÃO LYOUT-IM MUTI PR SOPOST OTÃO MRÊNI LLN9 0 07/0/ LTRÇÃO O MOM O LYOUT LOUV 7 0 06// INLUSÃO O ORINTTIVO O LÇO OMUNIÇÃO IO V. 00 8/0/ INIIL TOS R.

Leia mais

8/8 6/8 5/8 4/8 3/8 2/8 1/8 LAY-OUT DO QUADRO FOLHA 2 LAY-OUT DO QUADRO FOLHA 1 MOTIVO ÉRITON S. VER.

8/8 6/8 5/8 4/8 3/8 2/8 1/8 LAY-OUT DO QUADRO FOLHA 2 LAY-OUT DO QUADRO FOLHA 1 MOTIVO ÉRITON S. VER. 3 4 6 7 8 9 ÁR S MÁQUIN QUIPMNTOS ONTROLOS STÁIOS À 8/8 NOTS, LN OS NOMNLTURS 7/8 LIST PRIÉRIOS 3 7/04/ LTRÇÃO OS USÍVIS, NOTS, LNS OS LIST MTRIIS TOS 77 6/8 /8 4/8 LIST MTRIIS IRM INTRLIÇÕS O MÓULO M-0.

Leia mais

DIAGRAMA DE INTERLIGAÇÃO DE AUTOMAÇÃO NESS P2 COM SENSORES NESS P2 SEM SENSORES

DIAGRAMA DE INTERLIGAÇÃO DE AUTOMAÇÃO NESS P2 COM SENSORES NESS P2 SEM SENSORES 0 QUIPMTOS OTROLOS OMPRSSOR PRUSO IRM ITRLIÇÃO UTOMÇÃO 0.0.. SS P OM SSORS 0.0..0 SS P SM SSORS /0/ ILUSÃO O MOLO SM SSORS 0/0/ LTRÇÃO MR O TRSUTOR ORRT URO URO /0/ RVISÃO S IMSÕS O LYOUT /0/ LTRÇÃO O

Leia mais

CATÁLOGO DE PEÇAS COLHEDORA DE CAPIM. Rev /01

CATÁLOGO DE PEÇAS COLHEDORA DE CAPIM. Rev /01 TÁLOO PÇS Rev. 0.0/0 OLOR PIM N 00 Implementos Netz Ltda. one: () -7 / -00 ndereço: RS, KM, - ao lado da O do rasil Santa Rosa - RS ÍNI N00 (VISÃO RL OLOR PIM) 0 N00 (LIST PÇS OLOR PIM) 0 N0 (J MT I) 0

Leia mais

Rev /00. Metalúrgica Netz Ltda. Fone/FAX: (55) Endereço: RS 344, KM 43,5 - ao lado da AGCO do Brasil. Santa Rosa - RS.

Rev /00. Metalúrgica Netz Ltda. Fone/FAX: (55) Endereço: RS 344, KM 43,5 - ao lado da AGCO do Brasil. Santa Rosa - RS. TÁLOO PÇS Rev. 05.2013/00 ROÇIR Metalúrgica Netz Ltda. one/x: (55) 3511-1500 ndereço: RS 344, KM 43,5 - ao lado da O do rasil. Santa Rosa - RS. ÍNI R 1,3 (VISÃO RL ROIR RIOL 1300) 01 R 1,3 (LIST PÇS ROIR

Leia mais

GRAVITAÇÃO UNIVERSAL

GRAVITAÇÃO UNIVERSAL GVIÇÃO UNIVESL z- u ci féric u fr chubo rio, l qu u uprfíci ngnci uprfíci xrn fr chubo p plo cnro priii fr chubo r D coro co Li Grição Unirl, qul rá forç co qu fr chubo rirá u pqun fr locliz à iânci, o

Leia mais

Índice KF-017 DBL P / KF-017 DBL PC / KF-017 DS P / KF-017 DS PC / KF-111 DB P / KF-111 DS P 22 - KF-052 P / KF-052 PC / KF-057 P / KF-057 PC

Índice KF-017 DBL P / KF-017 DBL PC / KF-017 DS P / KF-017 DS PC / KF-111 DB P / KF-111 DS P 22 - KF-052 P / KF-052 PC / KF-057 P / KF-057 PC TÁLOO PROUTOS - 2014 pág Índice 01 - Sistema de ixação Rápida / orça de Retenção rampo Vertical 02 - K-631 / K-631 I / K-631 R / K-631 RI / K-631 L / K-631 IL / K-631 RL / K-631 RIL K-010 / K-010 R / K-011

Leia mais

Prgrmçã O Mu s u Év r, p r l ém f rcr s s i g ns «vi s i t s cl áss i cs» qu cri m s p nt s c nt ct nt r s di v rs s p úb l ic s qu vi s it m s c nt ú d s d s u ri c s p ó l i, p r cu r, c nc m i t nt

Leia mais

9. MODELAGEM DE CONVERSORES: MODELO DA CHAVE PWM

9. MODELAGEM DE CONVERSORES: MODELO DA CHAVE PWM Fns Chs C. 9 Mlgm nrsrs: ml h PWM J. A. Pml 9. MOEAGEM E CONERSORES: MOEO A CHAE PWM As lgs báss nrsrs CCCC ssum um h nrl ur nãnrl sss lmns lnrs nrns n m. A njun ss us hs r nm h PWM [9.]. O bj ns íul é

Leia mais

Nova Linha T-holder com Grampo Combinado para Pastilhas de Cerâmica

Nova Linha T-holder com Grampo Combinado para Pastilhas de Cerâmica Stmro 2014 www.tgut.om.r 1/13 Nov Lin T-olr om Grmpo Comino pr Pstils Crâmi Stmro 2014 www.tgut.om.r 2/13 Nov Lin T-olr om Grmpo Comino pr Pstils Crâmi A TguT stá rpginno lin T-olr pr pstils râmi. O tul

Leia mais

c=mr cloj=klk=ttmjntov^

c=mr cloj=klk=ttmjntov^ c=mr cloj=klk=ttmjntov^ bهضنلëـ cê~ه ~لë aةىيëإـ kةاةêن~هاë fي~نل~هç bëé~ çن pîةهëâ~ a~هëâ kçêëâ pىçمل mçêيىضىئë إëëçيéêـ Magyar Polski esky Slovensky Românete Slovensko Hrvatski Srpski P cc ه¼ ½و apc

Leia mais

Matrizes - Teoria ...

Matrizes - Teoria ... Mrzs - Tor Mrz Rgulr Mrz Rgulr d ord por é u qudro fordo por los dsposos lhs olus ou s Rprsros u rz d lhs olus por Os los d rz srão dfdos por u lr o dos íds o prro íd d lh o sgudo íd olu à qu pr o lo Iguldd

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MORTÁGUA Geometria Ficha de Trabalho Nº 02 10º Ano

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MORTÁGUA Geometria Ficha de Trabalho Nº 02 10º Ano AGUPAMENO DE EOLA DE MOÁGUA Gomti Fih lho Nº 0 0º Ano Osv igu o lo... Ini so istm: ois plnos ppniuls us ts plls um t post um plno um t snt o plno FIH us ts não omplns. s oons os vétis... Qul posição ltiv

Leia mais

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 D A T A D E A B E R T U R A : 2 9 d e d e z e m b r o d e 2 0 1 0 H O R Á R I O : 9:0 0 h o r a s L O C A L D A S E S S Ã O P Ú B L I C A: S a l a d a C P L/

Leia mais

+ = x + 3y = x 1. x + 2y z = Sistemas de equações Lineares

+ = x + 3y = x 1. x + 2y z = Sistemas de equações Lineares Sisms d quçõs Linrs Equção Linr Tod qução do ipo:.. n n Ond:,,., n são os ofiins;,,, n são s inógnis; é o rmo indpndn. E.: d - Equção Linr homogên qundo o rmo indpndn é nulo ( ) - Um qução linr não prsn

Leia mais

TCC COBERTURA S/ ESC PROF. DR. CARLOS EDUARDO DIAS COMAS

TCC COBERTURA S/ ESC PROF. DR. CARLOS EDUARDO DIAS COMAS T RTUR / PRF. R. RL UR I M 1/8 R. PR WI RVIÇ UITÓRI PÁTI RVIÇ PÁTI RVIÇ RR LH RI P Ç XP IÇÕ ITR TRUÇÃ UM T P Ç IÇÕ M LG M IT M ÁRI ULI IT FMI ÁRI I XP F IL P Ç XP IÇÕ MU U XP IÇ IT P V. M RR Õ LHR RR I

Leia mais

FOI DEUS QUEM FEZ VOCÊ

FOI DEUS QUEM FEZ VOCÊ FOI DEUS QUEM FEZ OCÊ AMELINHA Arr Neton W Mcedo Crmo Gregory c c c Deus que fez vo - Deus quem fez vo - Deus quem fez vo- c Deus quem fez vo - J De-us 4 Deus quem fez vo - Deus quem fez vo - J Deus quem

Leia mais

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I 1 3Mr P e re s, R e s e r h D i re t r I D C B rs i l Br 0 0metr Cis e Bn L rg n Brsil, 2005-201 0 R e s l t s P ri m e i r T ri m e s t re e 2 0 0 7 Prer r Prer r Met e Bn Lrg em 2 0 1 0 n Brs i l : 10

Leia mais

5(6,67Ç1&,$(&$3$&,7Æ1&,$

5(6,67Ç1&,$(&$3$&,7Æ1&,$ 59 5(6,67Ç&,$(&$3$&,7Æ&,$ ÃÃ5(6,67Ç&,$Ã(Ã/(,Ã'(Ã+0 No pítulo 6 efinimos ução J σ omo seno um ensie e oente e onução. Multiplino mos os los po um áe S, el fiá: J.S σs (A (8. σs (A (8. Se o mpo elétio fo

Leia mais

MECANISMOS DE REAÇÕES

MECANISMOS DE REAÇÕES /4/7 MECSMS DE REÇÕES rof. Hrly. Mrins Filho Rçõs lmnrs Rçõs qu concm m pns um p são rçõs lmnrs. molculri rção lmnr é o númro moléculs qu rgm. Rção lmnr unimolculr: C molécul m um proili inrínsc s compor

Leia mais

BANCO DE FÓRMULAS PROF. FRED MOURA. Movimento Circular 1 T. a cp. = velocidade angular. = espaço angular. Unidades de medida

BANCO DE FÓRMULAS PROF. FRED MOURA. Movimento Circular 1 T. a cp. = velocidade angular. = espaço angular. Unidades de medida O D ÓMUL O. D MOU MU & MU Moo ul Lço Oblíuo p = lo ul * opo l - MU y y y y y s y y y = lo é = ção spço = spço ul = o H s = Ilo po = üê * opo hozol - MU = spço (l) = píoo x os = spço Il = lo = lo l = lção

Leia mais

NOVA CASA DO ESTUDANTE PARA O CENTRO CIDADE BAIXA, PORTO ALEGRE RESTAURANTE UNIVERSITÁRIO CAMPUS CENTRAL DA UFRGS PARQUE DA REDENÇÃO CIDADE BAIXA

NOVA CASA DO ESTUDANTE PARA O CENTRO CIDADE BAIXA, PORTO ALEGRE RESTAURANTE UNIVERSITÁRIO CAMPUS CENTRAL DA UFRGS PARQUE DA REDENÇÃO CIDADE BAIXA .T STUNT UNIVSITÁI U TY PUS NTL UGS N É H YU VI NT QU T V. NG. LU I IZ NGL T Ã.J V SS P V Í I IX, PT LG SILV V. LUI PQU NÇÃ V Ã.J P SS G N L S N T L IT LI SI L V LI PÚ S I V L S I IX LLIZÇÃ esc 1/00 NT

Leia mais

NATURE INSPIRATION BY KRION

NATURE INSPIRATION BY KRION NATURE INSPIRATION BY KRION NATURE INSPIRATION Íni Lvos Lvtórios 7 Frros Lv-loiçs 15 KRION Sris KRION Sris 21 Asorios Assórios 23 5 6 NATURE INSPIRATION BY KRION 7 Lvos Lvtórios B201 70 2.75 50 1.96

Leia mais

+12V. 0.1uF/ 100V RL4 :A ULN2003A C3 3 U1:D LIGA/ DESLIGA CARREGADOR. 10uF/ 16V C2 4 1N4148 D1 1 1N K GND 10K BC337 R2 5 CRISTAL DE 2 0 MHZ

+12V. 0.1uF/ 100V RL4 :A ULN2003A C3 3 U1:D LIGA/ DESLIGA CARREGADOR. 10uF/ 16V C2 4 1N4148 D1 1 1N K GND 10K BC337 R2 5 CRISTAL DE 2 0 MHZ ДХILUIR P/ LRR RL_ R To l. er a l es. Num. QU M PRVR IOO P O RROR MIOR V R LMJ U: UZZR R 0 ILUIR P M PRLLO OM ONTTO O RL 0.u/ 00V V R 0 0 R 0 verm elho U: ULN00 U: LMJ 0 ULN00 U: LI/ LI RROR V N R 0u/

Leia mais

O sinal Impulso Unitário 1. Definição

O sinal Impulso Unitário 1. Definição O sinl mpuls Uniári. Dfiniçã mpuls uniári mp iscr [n] [ n], n, cs cnrári mpuls uniári mp cnínu, 2. Hisóric O sinl l Dirc fi cri pl físic inglês Pul A. Muric Dirc 92-984 p sr is cm quiln cnínu l Krnckr

Leia mais

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

DIMENSÕES DO PRODUTO / DIMENSIONS PRODUCT F2 11

DIMENSÕES DO PRODUTO / DIMENSIONS PRODUCT F2 11 RK RTRÔ 85 INSÕS RUT / INSINS RUT L / W x / x / - 1620 x 388 x 547 TNÇÃ: VÍ NTG ISNÍVL N SIT www.olivar.com.br TNÇÃ ST RUT NÃ SR RRST S: TS S ÇS SÃ NURS. X: 1915X-X 05 (nº da peça) 3 3 2 1 03 08 1 05 UIS

Leia mais

1 Capítulo 2 Cálc l u c lo l I ntegra r l l em m R

1 Capítulo 2 Cálc l u c lo l I ntegra r l l em m R píulo álculo Ingrl m R píulo - álculo Ingrl SUMÁRIO rimiivs imdis ou qus-imdis rimiivção por prs por subsiuição rimiivção d unçõs rcionis Ingris órmul d Brrow ropridds do ingrl dinido Ingris prméricos

Leia mais

CASA DE DAVI CD VOLTARÁ PARA REINAR 1. DEUS, TU ÉS MEU DEUS. E B C#m A DEUS, TU ÉS MEU DEUS E SENHOR DA TERRA

CASA DE DAVI CD VOLTARÁ PARA REINAR 1. DEUS, TU ÉS MEU DEUS. E B C#m A DEUS, TU ÉS MEU DEUS E SENHOR DA TERRA S VI VOLTRÁ PR RINR 1. US, TU ÉS MU US #m US, TU ÉS MU US SNHOR TRR ÉUS MR U T LOUVRI #m SM TI NÃO POSSO VIVR M HGO TI OM LGRI MOR NST NOV NÇÃO #m #m OH...OH...OH LVNTO MINH VOZ #m LVNTO MINHS MÃOS #m

Leia mais

SECON SENSORES E INSTRUMENTOS FONE: (51) 3223.0608 FAX: (51) 3233.3878. comercial@secon.com.br FAX: (51)3388.8237. sensores e instrumentos

SECON SENSORES E INSTRUMENTOS FONE: (51) 3223.0608 FAX: (51) 3233.3878. comercial@secon.com.br FAX: (51)3388.8237. sensores e instrumentos SECON sensores e instrumentos SENSORES E INSTRUMENTOS www.secon.com.br FONE: (51)3333.5653 comercial@secon.com.br FAX: (51)3388.8237 FONE: (51) 3223.0608 FAX: (51) 3233.3878 TRANSDUTORES SECON sensores

Leia mais

21/07/2015 13:36:51 ARTE MODA ARTE ARQUITETURA ARQUITETURA ENTRETENIMENTO MODA DESTINO GASTRONOMIA GASTRONOMIA MODA POLINÉSIA FRANCESA. CAPA 24.

21/07/2015 13:36:51 ARTE MODA ARTE ARQUITETURA ARQUITETURA ENTRETENIMENTO MODA DESTINO GASTRONOMIA GASTRONOMIA MODA POLINÉSIA FRANCESA. CAPA 24. R 3 R R D S VL L Ó S L U D K LÃ W -S / 3 SH FW -S Ã P UL F S SP / / : 8:3 3// 8/ 3/ : 6: SPCL - PRU C VCÊ UC VU.in 7 R Ú 8 9 - R$,,9 R$ CP.in S D PP R S G GS S - R$, 9 R D : : U Q R VG D R SÃ PU L FS H

Leia mais

MONITORAMENTO DE INFORMAÇÃO

MONITORAMENTO DE INFORMAÇÃO A Casan 5/09) Diário do Sul/Tubarão - 29/09/2015 2 - Colunista - Arilton Barriros Mídia Imprssa A Ca www.clipagm.com.br 1 Mídia Imprssa Pr Projto d li ncaminha Balnário Piçarras ao tratamnto d sgoto 8/09)

Leia mais

Análises de sistemas no domínio da frequência

Análises de sistemas no domínio da frequência prmno d Engnhri Químic d Prólo UFF iciplin: TEQ0- COTROLE E PROCESSOS náli d im no domínio d frquênci Prof inok Boorg Rpo d Frquênci Cliqu pr dir o ilo do xo mr COCEITO: Coni d um méodo gráfico-nlíico

Leia mais

Questionário sobre o Ensino de Leitura

Questionário sobre o Ensino de Leitura ANEXO 1 Questionário sobre o Ensino de Leitura 1. Sexo Masculino Feminino 2. Idade 3. Profissão 4. Ao trabalhar a leitura é melhor primeiro ensinar os fonemas (vogais, consoantes e ditongos), depois as

Leia mais

Racionamento de água. Abril/2017

Racionamento de água. Abril/2017 Racionamento de água Abril/2017 Objetivo da Pesquisa Metodologia Tópicos da Pesquisa Informações técnicas Levantar informações sobre temas importantes no contexto atual dos Pequenos Negócios. TEMA ANALISADO

Leia mais

< ()& : 555>?

< ()& : 555>? P Ú s Pr s t Pr t Pr r str Pr ss t át P q çõ s r ç s çõ s s é s r r t r Pr r sé rt r P Ú s Pr s t Pr t Pr r str Pr ss t át P q çõ s r ç s çõ s s é s r ss rt çã r s t rt s r q s t s r t çã tít str t r r

Leia mais

ADESIVO PARAFUSO TRANSPORTE 2 7

ADESIVO PARAFUSO TRANSPORTE 2 7 9 0 Nº O ITM Nº PÇ QT. 0.00. - STRUTUR RVISÃO 0 0 N.. LOLIZÇÃO SRIÇÃO - RTIR O ONJUNTO MORTOR RONTL 0 T SOLIITO POR MOIIO POR 9/0/0 GUILHRM RNNO - SI 0.00.(x) / NTR 0.00.(x) 09/0/0 RNNO RNNO 0.00. - RLO

Leia mais

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO 1. RESULTADOS QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO 1.1- QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO: AMOSTRA REFERENTE AS

Leia mais

Politiska riktlinjer, avsnitt 2 En stنndigt f rنnderlig vنrld

Politiska riktlinjer, avsnitt 2 En stنndigt f rنnderlig vنrld Politiska riktlinjer, avsnitt 2 En stنndigt f rنnderlig vنrld i~éé هê pلا o~ا cêëن~ضëëي نن~êة aلëيêلâي vêâ~هاة cêةاê~ض~هاةë êâ~هاة M m~êيلëي êةنëةه _لر~ننيلننâ~éليةنOلêلâينلهàةêه~ T OT _لر~نن _لر~نن نêا~ضOEâ~éليةنOFKاçإ

Leia mais

A solução mais geral da equação anterior tem a forma: α 2 2. Aplicando estes resultados na equação do MHS, temos que:

A solução mais geral da equação anterior tem a forma: α 2 2. Aplicando estes resultados na equação do MHS, temos que: . qação para o MHS Qano o oino corpo cr a rajória, a parir cro inan coça a rpir a rajória, izo q oino é prióico. O po q o corpo gaa para olar a prcorrr o o pono a rajória é chaao príoo. No noo coiiano

Leia mais

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1)

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) ANEXO I BICICLETA ESCOLAR Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) Assunto: Adesão à ata de registro de preços nº 70/2010 do pregão eletrônico nº 40/2010. 1 2 BICICLETA 20 - AC,

Leia mais

AII. ANEXO II COEFICIENTE DE CONDUTIBILIDADE TÉRMICA IN-SITU

AII. ANEXO II COEFICIENTE DE CONDUTIBILIDADE TÉRMICA IN-SITU ANEXO II Coficint d Condutibilidad Térmica In-Situ AII. ANEXO II COEFICIENTE DE CONDUTIBILIDADE TÉRMICA IN-SITU AII.1. JUSTIFICAÇÃO O conhcimnto da rsistência térmica ral dos componnts da nvolvnt do difício

Leia mais

PR RÓJ - PR RÓJ - ᖷ嗗ᖷ嗗 ST ᖷ嗗R J U ᖷ嗗 U ၇劧r ၇劧 ᖷ嗗 ᖷ嗗 RS J S ᖷ嗗 ᖷ嗗 哇1ᖷ嗗 dr i၇劧ż. ar 哇ᖷ嗗. ᖷ嗗R US TUS ᖷ嗗ŃS ၇劧pr. ၇劧r 1ᐗ嚗 哇Sz 哇ᐗ嚗ᆗ啧 dr i၇劧ż. ar 哇ᖷ嗗. Jᖷ嗗 ᖷ嗗ᖷ嗗 P ᐗ嚗 S ၇劧pr. ၇劧r ᆗ啧၇劧 哇Sz 哇၇劧ᖷ嗗ᖷ嗗ᖷ嗗 PRᖷ嗗 ᐗ嚗: - PR

Leia mais

CD CORAÇÃO DA NOIVA - 1. O SENHOR É BOM INTR:E D A/C# C7+ B E D A/C# O SENHOR É BOM C7+ B E SEU AMOR DURA PARA SEMPRE ELE É BOM...

CD CORAÇÃO DA NOIVA - 1. O SENHOR É BOM INTR:E D A/C# C7+ B E D A/C# O SENHOR É BOM C7+ B E SEU AMOR DURA PARA SEMPRE ELE É BOM... C CORÇÃO NOIV - 1. O SNHOR É OM INTR: /C# C7+ /C# O SNHOR É OM C7+ SU MOR UR PR SMPR L É OM... Letra e Música: avi Silva C CORÇÃO NOIV - 2. SNTO É O TU NOM M TO TRR S OUVIRÁ UM NOVO SOM UM CNÇÃO MOR PRCORRRÁ

Leia mais

1. COMPONENTES PARA REBOQUE E CISTERNA 1.1. COMPONENTES PARA REBOQUE PEÇAS E ACESSÓRIOS PARA MÁQUINAS AGRÍCOLAS. Página 11 de 123

1. COMPONENTES PARA REBOQUE E CISTERNA 1.1. COMPONENTES PARA REBOQUE PEÇAS E ACESSÓRIOS PARA MÁQUINAS AGRÍCOLAS. Página 11 de 123 1. OMPONNTS PR ROQU ISTRN 1.1. OMPONNTS PR ROQU PÇS SSÓRIOS PR MÁQUINS RÍOLS Página 11 de 123 1.1. OMPONNTS PR ROQU OLHL PR NT ROQU máxima rebocável inâmica 00575 - Não certificada 84 29 100 30 109 M24

Leia mais

para você aulas experimentais de Química só deverão ser realizadas em laboratório?

para você aulas experimentais de Química só deverão ser realizadas em laboratório? 56 para você aulas experimentais de Química só deverão ser realizadas em laboratório? 45% 55% SIM NÃO Gráfico 15. Questionário aplicado ao Aluno. ;"'(& % ' = #6= 458# %%% 6N5_8 % A / A %% % % 655_8 %'

Leia mais

Transformada de Laplace. Parte 3

Transformada de Laplace. Parte 3 Transformada de Laplace Parte 3 Elementos de circuito no domínio da frequência O resistor no domínio da frequência Pela lei de OHM : v= Ri A transformada da equação acima é V(s) = R I(s) O indutor no domínio

Leia mais

CAPÍTULO 9 COORDENADAS POLARES

CAPÍTULO 9 COORDENADAS POLARES Luiz Frncisco d Cruz Drtmnto d Mtmátic Uns/Buru CAPÍTULO 9 COORDENADAS POLARES O lno, tmbém chmdo d R, ond R RR {(,)/, R}, ou sj, o roduto crtsino d R or R, é o conjunto d todos os rs ordndos (,), R El

Leia mais

O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE?

O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE? O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE? Instrumento que permite o financiamento, por meio de incentivos fiscais, de projetos esportivos aprovados pelo Ministério do Esporte. BASE LEGAL: Lei 11.438/06 -

Leia mais

Anexo II A do Edital de Pregão Amplo nº 20/2008 - Planilha de Preços para o Lote A - Preço da Calibração

Anexo II A do Edital de Pregão Amplo nº 20/2008 - Planilha de Preços para o Lote A - Preço da Calibração Anexo II A do Edital de Pregão Amplo nº 20/2008 - Planilha de Preços para o Lote A - Preço da Calibração Lote Tipo Marca / Modelo Qtd Preço Médio Peso com Preço Unitário do Subtotal da Embalagem Serviço

Leia mais

SUMÁRIO TEMPERADO - 10MM BOX FRISADO...16

SUMÁRIO TEMPERADO - 10MM BOX FRISADO...16 SUMÁRIO TEMPERADO - 08MM... 8 TEMPERADO - 10MM... 11 STANDART - 08MM... 13 STANDART - 10MM... 14 BOX LISO...15 BOX FRISADO...16 GRADIL... 18 FACHADA CORTINA... 22 FACHADA OMEGA... 23 FACHADA PELE DE VIDRO

Leia mais

Unidade Tipo de Serviço Análise da proposta Análise da proposta (em 15/10/2014, após diligência)

Unidade Tipo de Serviço Análise da proposta Análise da proposta (em 15/10/2014, após diligência) Unidade Tipo de Serviço Análise da proposta Análise da proposta (em 15/10/2014, após diligência) MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO SECRETARIA EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Telas de Borracha para. Peneiras Vibratórias VIMAX

Telas de Borracha para. Peneiras Vibratórias VIMAX Telas de Borracha para Peneiras Vibratórias VIMAX Telas de Borracha No processamento de minérios e agregados em geé, â classificâção por tamanhos constitui uma das etâpâs mais imponantes devido à sua grand

Leia mais

Cálculo Numérico Faculdade de Engenharia, Arquiteturas e Urbanismo FEAU

Cálculo Numérico Faculdade de Engenharia, Arquiteturas e Urbanismo FEAU Cálculo Numérico Fculdde de Enenhri, Arquiteturs e Urnismo FEAU Pro. Dr. Serio Pillin IPD/ Físic e Astronomi V Ajuste de curvs pelo método dos mínimos qudrdos Ojetivos: O ojetivo dest ul é presentr o método

Leia mais

1 I D E N T I F I C A Ç Ã O

1 I D E N T I F I C A Ç Ã O CONTRIBUIÇÃO DE MINI MUSEUS NA CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO RELATIVO A FENOMENOS FÍSICO QUÍMICOS A ESTUDANTES DE ENSINO BÁSICO E FUNDAMENTAL NO CONTEXTO AMBIENTAL. [MEC / SESU / UFLA] 1 I D E N T I F I C

Leia mais

ANEXO II MODELO DE PROPOSTA

ANEXO II MODELO DE PROPOSTA Plnih01 ANEXO II MODELO DE PROPOSTA Lot Itm Dsrição Uni 1 2 3 4 5 Imprssão CARTAZ: Formto A4, 21x29,7 m, Ppl rilo, 120 g/m² Nº ors: 4/0 ors. Qunti Rgistrr: 6.000 Imprssão CARTAZ: Formto A4, 21x29,7 m Ppl

Leia mais

VAGA VIVA 3 ESTRATÉGIA. GARAGEM (1º e 2ºpav) LUCAS PICCOLI WEINMANN. parking loft em Porto Alegre. Avenida Mauá. Rua General Câmara 02.

VAGA VIVA 3 ESTRATÉGIA. GARAGEM (1º e 2ºpav) LUCAS PICCOLI WEINMANN. parking loft em Porto Alegre. Avenida Mauá. Rua General Câmara 02. Trss rso Loro Tr R rl âmr R sso o Nsmto R Sqr mpos 1:250 STUÇÃO TUL 20m PLNTÇÃO prk lot m Porto lr LOLZÇÃO 1 LUS POL WNNN Urs rl o Ro r o Sl Trlho olsão rso 2014.1 Ortor rt Pxoto Púlo pês Sls rm Lojs r

Leia mais

, "., são ligadó!1 em série. Sabendo-se que a ;'tensão em R3 é 94OrnV. ~) No circuito, determinar a resistência total do potenciômetro

, ., são ligadó!1 em série. Sabendo-se que a ;'tensão em R3 é 94OrnV. ~) No circuito, determinar a resistência total do potenciômetro ~ercíc~os ~11!;: - Propostos, "., ". ~tl) Quatro resistores 'RI = IK5, R2 = 4K7, R3 = 470 fie R4 = 2K2 são ligadó!1 em série. Sabendo-se que a ;'tensão em R3 é 94OrnV.. determinar:.,- ~ ~-- ~--- ~. a)

Leia mais

MANUAL DE ESTRUTURA, NORMAS E PROCESSOS DA BIBLIOTECA DA FESVV

MANUAL DE ESTRUTURA, NORMAS E PROCESSOS DA BIBLIOTECA DA FESVV BIBLIOTECA DA FACULDADE ESTÁCIO DE SÁ DE VILA VELHA MANUAL DE ESTRUTURA, NORMAS E PROCESSOS DA BIBLIOTECA DA FESVV Bibliotecária Luzia Ribeiro 2010 Juarez Moraes Ramos Júnior Diretor Geral Luiz Cláudio

Leia mais

Quadro de conteúdos. Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano. Lição 1 As crianças e os lugares onde vivem

Quadro de conteúdos. Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano. Lição 1 As crianças e os lugares onde vivem Quadro de conteúdos Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano Língua Portuguesa Matemática História Geografia Ciências Naturais Arte Inglês ABC da passarinhada O alfabeto Quantidade A ideia de quantidade Eu, criança

Leia mais

E s t u d o s o br e o P e r fil e a L o t a ç ã o d o s S e r v id o r e s d o I N S S. Abril/2015

E s t u d o s o br e o P e r fil e a L o t a ç ã o d o s S e r v id o r e s d o I N S S. Abril/2015 E s t u d o s o br e o P e r fil e a L o t a ç ã o d o s S e r v id o r e s d o I N S S Abril/2015 Composição do Quadro de Servidores do INSS Existem 2 (duas) carreiras ativas, com 3 (três) cargos distintos

Leia mais

Genética e Nutrição Florestal MDS

Genética e Nutrição Florestal MDS Melhoramento Genético e Manejo Florestal na Duratex MDS A DURATEX É UMA EMPRESA DO GRUPO ITAÚSA MDS PRODUTOS DA DIVISÃO MADEIRA PAINÉIS DE MADEIRA RECONSTITUIDA: - MDF/HDF - MDP - CHAPA DURA DE FIBRA -

Leia mais

2 Extensão do Produto Vetorial Sobre uma Álgebra Exterior

2 Extensão do Produto Vetorial Sobre uma Álgebra Exterior 2 Extensão do Produto Vetorial Sobre uma Álgebra Exterior Seja R 3 o espaço euclidiano tridimensional, chamamos de álgebra exterior de R 3 a álgebra Λ(R 3 ) gerada pela base canônica {e 1, e 2, e 3 } satisfazendo

Leia mais

DE PESSOAL DE NÍVEL N. Brasília, Março de 2010 Ministério da Educação

DE PESSOAL DE NÍVEL N. Brasília, Março de 2010 Ministério da Educação Brasília, Março de 2010 I Conferência da ANAMBA e Encontro Regional Americano do EMBA COUNCIL São Paulo, 08 a 10 de março de 2010 A AVALIAÇÃO DO SISTEMA NACIONAL DE PÓS GRADUAÇÃO TÓPICOS O SNPG e a necessidade

Leia mais

Ana Carolina.doc - 1 -

Ana Carolina.doc - 1 - na arolina.doc Me Sento na Rua Tom: Intro:,, Me sento na rua em frente as horas omo a qualquer hora assim mesmo eu sou Sou de qualquer jeito nem tudo eu respeito Pra onde for o vento eu vou Pano de mesa

Leia mais

turismo corporate negócio noronha roma seul garopaba brasília são lu gramado brasília são paulo recife natal tóquio lisboa rio de janeiro capadócia

turismo corporate negócio noronha roma seul garopaba brasília são lu gramado brasília são paulo recife natal tóquio lisboa rio de janeiro capadócia brlim sã l brlim santg rcif curi sul punta dl st rma sul nrnha r rcif rcif garpabacapa nrnha mntvidéu r barilch punta dl st mació sã paul mació sul capadóc r mnt SUPER sã l ngóci gramad turism FÉRIAS crprat

Leia mais

RESOLUÇÃO DE EQUAÇÕES POR MEIO DE DETERMINANTES

RESOLUÇÃO DE EQUAÇÕES POR MEIO DE DETERMINANTES RESOLUÇÃO DE EQUAÇÕES POR EIO DE DETERINANTES Dtrmt um mtrz su orm Sj mtrz: O trmt st mtrz é: Emlo: Vmos suor o sstm us quçõs om us óts y: y y Est sstm quçõs o sr srto orm mtrl: y Est qução r três mtrzs:.

Leia mais

PURIAR MANN FRAM TIPO FOTO DO PRODUTO

PURIAR MANN FRAM TIPO FOTO DO PRODUTO PURIAR MANN FRAM TIPO FOTO DO PRODUTO MERCEDES - L1218R, L1418R, L1519, L1520, L1620, LK1620, L1924, L2219, L2220 (Canavieiros), LS1524, LS1525, LS2225, 1720, 1720A, 1720K, 1723 PA-2007 C 23440/1 CA 4685

Leia mais

SINDCONT-SP PALESTRA ICMS NO COMÉRCIO ELETRONICO DIFERENCIAL DE ALÍQUOTAS OPERAÇÕES INTERESTADUAIS

SINDCONT-SP PALESTRA ICMS NO COMÉRCIO ELETRONICO DIFERENCIAL DE ALÍQUOTAS OPERAÇÕES INTERESTADUAIS SINDCONT-SP PALESTRA ICMS NO COMÉRCIO ELETRONICO DIFERENCIAL DE ALÍQUOTAS OPERAÇÕES INTERESTADUAIS TRÊS TIPOS DE DIFERENCIAIS (não confunda!!!) 1 Diferencial clássico 2 Diferencial S.T. 3 Diferencial nas

Leia mais

APARADOR BUFFET RETRÔ 90

APARADOR BUFFET RETRÔ 90 TEÇÃ ESTE PRUT Ã PE SER RRST PRR UET RETRÔ 90 ESÕES PRUT / ESS PRUT L / W X P/ X / H - 800 x 4 x 762 12 2 11 1 2 11 1 13 S: TS S PEÇS SÃ UERS. EX: 1915X-X (nº da peça) US ESPES LPEZ- Pano limpo umedecido

Leia mais

Plugues e Tomadas Industriais

Plugues e Tomadas Industriais Plugues e Toms Inustriis Linh Inustril Instlções mis onfiáveis e segurs. CARACTERÍSTICAS GERAIS A Linh e Plugs e Toms Inustriis Soprno é ini pr onexão e iversos equipmentos, em mientes sujeitos pó, águ,

Leia mais

URBANISMO COMERCIAL EM PORTUGAL E A REVITALIZAÇÃO DO CENTRO DAS CIDADES

URBANISMO COMERCIAL EM PORTUGAL E A REVITALIZAÇÃO DO CENTRO DAS CIDADES LEITURAS URBANISMO COMERCIAL EM PORTUGAL E A REVITALIZAÇÃO DO CENTRO DAS CIDADES [Carlos José Lopes Balsas (1999), Gabinete de Estudos e Prospectiva Económica, Ministério da Economia, ISBN: 972-8170-55-6]

Leia mais

Atendimento por marcação Atualizado em:

Atendimento por marcação Atualizado em: SEGURANÇA SOCIAL pr rcçã Atulizd : 23-01-2017 O qu é O tn pr rcçã é u rvi qu prit gn d tn di hr prvint finid. C t rvi cidã é tndid n di hr qu i qu à u dipnibili, tr prncr fil pr. O tn pr rcçã p r fit n-lin

Leia mais

Hans Staden Luiz Antonio Aguiar PROJETO DE LEITURA. O autor. Romance histórico. Ficha Autor: Quadro sinóptico

Hans Staden Luiz Antonio Aguiar PROJETO DE LEITURA. O autor. Romance histórico. Ficha Autor: Quadro sinóptico Hs S Lz r J L r Lz r s 9, Jr. sr Lrr rslr, l -J, s sr lr lr sss, é rss rs lrárs, rr, rr, só Lr slr rl r fs rçã rçã lrár. rl r rrs sórs qrs ár l rk. s íls ls vrss rês ss lvrs, lsv J lr íl f- l Jvl, 99,

Leia mais

Índice Abraçadeiras para Tubos e Mangueiras

Índice Abraçadeiras para Tubos e Mangueiras Índice Abraçadeiras para Tubos e Mangueiras SÉRIE STANDARD de acordo com DIN 3015, Parte 1 (para D.E. tubo 6 a 102 mm) Código para pedido - Componentes................................................................16-18

Leia mais

CAP. 3 REALIMENTAÇÃO TE 054 CIRCUITOS ELETRÔNICOS LINEARES

CAP. 3 REALIMENTAÇÃO TE 054 CIRCUITOS ELETRÔNICOS LINEARES CAP. 3 REALIMENTAÇÃO INTRODUÇÃO Realimentação: uma amostra do sinal de saída é incorporada à entrada Realimentação: Positiva (regenerativa) Negativa (degenerativa) Vantagens da realimentação negativa Estabilização

Leia mais

Easy Servo Motor Datasheet

Easy Servo Motor Datasheet Easy Servo Motor Datasheet 1. Marca do Produto Legenda de Part-Number LS-Leadshine ES-Easy Servo 2. Especificações Técnicas Part Number Nº de Ângulo de Nº de Holding Corrente por Resistencia por Indutância

Leia mais

Dados Técnicos. Conexões. Materiais. Especificações Técnicas. Normas de Referência

Dados Técnicos. Conexões. Materiais. Especificações Técnicas. Normas de Referência V - Válvula de ipartida Passagem Plena lasse 1 onstrução SM 16.3 PI Spec 6 (sob consulta) NR 27 (sob consulta) PI 59 ISO 1097/PI 607 (ire Safe) onexões IMM MRMNT ILUSTRTIV ados Técnicos I LN SM 16.5 lasse

Leia mais

MONTAGEM DO MOTOR E FLANGE DA CAÇAMBA

MONTAGEM DO MOTOR E FLANGE DA CAÇAMBA Cód. Prod: 72 73 71 35 9 53 60 43 MONTAGEM DAS PÁS NO EIXO MONTAGEM DAS POLIAS E MANCAIS 45 70 75 46 65 44 33 54 1 49 57 68 61 63 76 64 67 50 51 58 66 36 52 32 15 11 27 28 000387 Capa Epoxi 000388-00 Capa

Leia mais

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009 FGV 010/1-13.1.009 VESTIBULAR FGV 010 DEZEMBRO 009 MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A PROVA DE MATEMÁTICA QUESTÃO 1 (Prova: Tipo B Resposta E; Tipo C Resposta C; Tipo D Resposta A) O gráfico abaio fornece o

Leia mais

09. Se. 10. Se. 12. Efetue: 13. Calcule C. a é:, determine a matriz X

09. Se. 10. Se. 12. Efetue: 13. Calcule C. a é:, determine a matriz X LIST DE EER MTRIZES E DETERMINNTES PROF ROGERINHO º ENSINO MÉDIO NOME Nº TURM Rrsn n for d l rz, co s, s, Dd rz, co, scrv rz (M O rço d u rz qudrd é so dos lnos d su dgonl rncl O rço d rz ) (, l qu é:

Leia mais

Correção da fuvest ª fase - Matemática feita pelo Intergraus

Correção da fuvest ª fase - Matemática feita pelo Intergraus da fuvest 009 ª fase - Matemática 08.0.009 MATEMÁTIA Q.0 Na figura ao lado, a reta r tem equação y x no plano cartesiano Oxy. Além dis so, os pontos 0,,, estão na reta r, sendo 0 = (0,). Os pontos A 0,

Leia mais

Polos Olímpicos de Treinamento. Aula 9. Curso de Álgebra - Nível 3. Somas de Newton. Prof. Cícero Thiago / Prof. Marcelo Mendes

Polos Olímpicos de Treinamento. Aula 9. Curso de Álgebra - Nível 3. Somas de Newton. Prof. Cícero Thiago / Prof. Marcelo Mendes Polos Olímpicos d Trinamnto Curso d Álgbra - Nívl 3 Prof Cícro Thiago / Prof Marclo Aula 9 Somas d Nwton Chamarmos d somas d Nwton as somas das k - ésimas potências das raízs d um polinômio Iniciarmos

Leia mais

ROUPEIRO JERIBÁ / VERITÀ

ROUPEIRO JERIBÁ / VERITÀ PX () 59-5050 v. Jesus Candian, -. angueira Rural - CP 500-000 - Ubá - G -mail: qualidade@moveisnovohorizonte.com.br ROUPIRO JRIÁ / VRIÀ L.: 0mm LRG.: 900mm PROF.: 555 mm CUR NO PÁGIN NO FCOOK LINK O LDO

Leia mais

«ˆ «======================== & ˆ. ˆ. ˆ ˆ«======================== & œ G«

«ˆ «======================== & ˆ. ˆ. ˆ ˆ«======================== & œ G« œ œ 1) Oh! egri (bertur) est d mr Mis de Priir ucristi ( "Liturgi I" Puus) Letr e Músic: Ir. Miri T. King (x) ======================== & 2 º 4.. œ œ. œ œ. œ _.. = m ======================== &.... = gri

Leia mais

CD RESGATAI A NOIVA - 1. EL SHADAI

CD RESGATAI A NOIVA - 1. EL SHADAI C RSATAI A NOIVA - 1. L SHAAI F9 Bb9 C4 F9 L SHAAI, TOO POROSO ÉS F9 Bb9 C4 m7 L SHAAI, NÃO HÁ OUTRO US IUAL F9 Bb9 C4 m7 L SHAAI, OMÍNIO STÁ M SUAS MÃOS Bb9 C4 F9 POROSO L SHAAI C F9 MU ABA PAI PROVOR,

Leia mais

MESTRADO INTEGRADO EM ENGENHARIA INFORMÁTICA E COMPUTAÇÃO EIC0011 MATEMÁTICA DISCRETA

MESTRADO INTEGRADO EM ENGENHARIA INFORMÁTICA E COMPUTAÇÃO EIC0011 MATEMÁTICA DISCRETA 1. Tm 40 livros irnts qu vi gurr m 4 ixs ors irnts, olono 10 livros m ix.. Qunts possiilis tm istriuir os livros pls ixs irnts? Justiiqu.. Suponh gor qu tinh 60 livros. Qunts possiilis pr os olor ns 4

Leia mais

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e :

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ 13 DE JULH DE 2015! Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : Caso vo cê nunca t e nh a pa

Leia mais

Faculdade de saúde Pública. Universidade de São Paulo HEP-5705. Epidemiologia I. Estimando Risco e Associação

Faculdade de saúde Pública. Universidade de São Paulo HEP-5705. Epidemiologia I. Estimando Risco e Associação 1 Fuldde de súde Públi Universidde de São Pulo HEP-5705 Epidemiologi I Estimndo Riso e Assoição 1. De 2.872 indivíduos que reeberm rdioterpi n infâni em deorrêni de presentrem o timo umentdo, 24 desenvolverm

Leia mais

F-31 FILTROS DE CABINE APLICAÇÃO FILTROS DE CABINE APLICAÇÃO FILTROS DE CABINE APLICAÇÃO FILTROS DE CABINE D E F A C

F-31 FILTROS DE CABINE APLICAÇÃO FILTROS DE CABINE APLICAÇÃO FILTROS DE CABINE APLICAÇÃO FILTROS DE CABINE D E F A C -31 Localização dos iltros: (linha leve) Lado ir. Lado sq. B entro stão localizados no compartimento stão abaixo do porta-luvas. stão localizados do lado do passageiro UI 3 96/ 1H644 TT //... 1H644 ITRON

Leia mais

4.2. Veio Cilíndrico de Secção Circular

4.2. Veio Cilíndrico de Secção Circular Cpíulo IV Torção de Peçs Lineres 1 CPÍTULO IV TORÇÃO DE PEÇS LINERES.1. Inrodução. sorção ou rnsmissão de esforços de orção: o Veios ou árvores de rnsmissão o Brrs de orção; ols; Esruurs uulres (veículos

Leia mais

TRT-00290-2014-079-03-00-7 RO

TRT-00290-2014-079-03-00-7 RO Primeira Turma Publicacao: 14/11/2014 Ass. Digital em 11/11/2014 por CLEBER LUCIO DE ALMEIDA Relator: CLA Revisor: LOLR PODER JUDICIÁRIO R e c o r r e n t e : A L I S S O N C A R V A L H O B O R G E S

Leia mais

ERROS ESTACIONÁRIOS. Controle em malha aberta. Controle em malha fechada. Diagrama completo. Análise de Erro Estacionário CONSTANTES DE ERRO

ERROS ESTACIONÁRIOS. Controle em malha aberta. Controle em malha fechada. Diagrama completo. Análise de Erro Estacionário CONSTANTES DE ERRO ERROS ESTACIONÁRIOS Control Mlh Abrt Fhd Constnts d rro Tios d sistms Erros unitários Exmlo Control m mlh brt Ação bási, sm rlimntção A ntrd do ontroldor é um sinl d rrêni A síd do ontroldor é o sinl d

Leia mais

CONTADOR GEIGER PORTÁTIL COM ESCALA LOGARÍTMICA INSTITUTO DE PESQUISAS RADIOATIVAS U. F. M G. - CN.1N. ' ; BELO HORIZONTE - BRASIL. :\'.

CONTADOR GEIGER PORTÁTIL COM ESCALA LOGARÍTMICA INSTITUTO DE PESQUISAS RADIOATIVAS U. F. M G. - CN.1N. ' ; BELO HORIZONTE - BRASIL. :\'. CONTADOR GEIGER PORTÁTIL COM ESCALA LOGARÍTMICA JUNHO 1971 DR-39 OLIVEIRA, L.A.O. CHAGAS, Ê.A. BITTENCOURT, F.A. - 1 INSTITUTO DE PESQUISAS RADIOATIVAS U. F. M G. - CN.1N. ' ; * S" Gd«de Universitérié

Leia mais

PABX (32) Av. Jesus Candian, B. Mangueira Rural - CEP Ubá - MG

PABX (32) Av. Jesus Candian, B. Mangueira Rural - CEP Ubá - MG X () 59-5050 v. Jesus Candian, -. angueira Rural - C 500-000 - bá - G -mail: qualidade@moveisnovohorizonte.com.br RIR G TS T.: 55mm RG.: 00mm R.: 50mm CRT NSS ÁGIN N CK INK D (QR CD) ICH TÉCNIC RDT 00%

Leia mais

Sobre a obra: Sobre nós:

Sobre a obra: Sobre nós: Sobre a obra: A presente obra é disponibilizada pela equipe do ebook espírita com o objetivo de oferecer conteúdo para uso parcial em pesquisas e estudos, bem como o simples teste da qualidade da obra,

Leia mais

CE R T IFICADO DE GA R ANT IA

CE R T IFICADO DE GA R ANT IA ÓIO 90 9 LORÇÃO WR TOS esenhista de Produtos PROUTO SQU OT O. I. OZ. W LORÇ 0V 0X00X90 O. I. OZ. W LORÇ 0V 0X00X QUT. VOLUS PROVÇÃO T LORÇÃO: T RVISÃO: IUL UZZO oordenador de epartamento Técnico /0/0 09//0

Leia mais