Declaração de Conflitos de Interesse. Nada a declarar.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Declaração de Conflitos de Interesse. Nada a declarar."

Transcrição

1 Declaração de Conflitos de Interesse Nada a declarar.

2 Avaliação clínico-laboratorial do paciente alérgico RAST Silvia Daher Apoio: Phadia Diagnósticos Ltda

3 HISTÓRIA TESTE CUTÂNEO RAST SD

4 Diagnóstico de Alergia Para estabelecer o diagnóstico de alergia é necessário confirmar a presença de IgE específica para determinados alérgenos e evidenciar a participação destes na indução dos sintomas.

5 Diagnóstico de Alergia IDENTIFICAÇÃO DA IgE ESPECÍFICA: Nos tecidos (in vivo): Pele testes cutâneos (prick teste) Órgão de choque - Provocação No sangue (in vitro) no soro: RAST

6 RAST - histórico A marca RAST começou a ser usada para qualquer determinação sérica de IgE específica Vários estudos mostram resultados discrepantes entre os diferentes fabricantes Performance???

7 RAST Características Gerais Ensaios que envolvem a medida de diferentes Ac IgE com diferentes afinidades a diferentes alérgenos O individuo alérgico pode sensibilizar-se a qualquer uma, a algumas ou a todas as proteínas de uma dada fonte. A precisão da avaliação requer que todos os alérgenos relevantes estejam presentes

8 RAST TÉCNICA EXTRATOS SENSIBILIDADE ESPECIFICIDADE

9 Princípios do Teste Fase sólida Quantificação kua/l

10 RAST Pool de Alérgenos -screening Grupo de alérgenos de mesma categoria Alérgenos isolados

11 Manifestações respiratória Dermatite Gastro intestinal polipose chiado Otite DA persistente Eczema asma SD

12 IgE específica in vitro RAST 5 Diagnóstico Preciso = tratamento específico

13 Teste Cutâneo ( Prick test ) Mais Rápido IgE Específico (RAST) Menor risco Menor custo Especialista Material de emergência Anti H1 e Corticóide não interfere Doenças cutâneas não interferem In vitro

14 Doenças cutâneas RAST Indicações Dermatite atópica, urticária, dermografismo Impossibilidade de suspender medicamento Risco de reações sistêmicas: Venenos, látex, alimentos

15 RAST - Indicações Confirmar o teste cutâneo Não disponível extrato para teste cutâneo Drogas ( penicilinas insulinas )

16 RAST Interpretação Inferior a 0,35 0,35 a 0,70 0,70 a 3,50 3,50 a 17,50 17,50 a a 100 Superior a 100 Classe 0 Classe 1 Classe 2 Classe 3 Classe 4 Classe 5 Classe 6

17 RAST Interpretação Resultados positivos significam que o indivíduo está sensibilizado e NÃO necessariamente com manifestações clínicas.

18 precisão na determinação de IgE limite de detecção : 0.1 kua/l curvas de diluição paralela com alta recuperação independente da concentração de IgE e da especificidade precisão em todos os níveis de kua/l reprodutibilidade

19 detectar até o zero oportunidade

20 qual o valor de diminuir o limite de detecção?

21 como interpretar? como interpretar o cut-off de 0.35UA/l? como considerar resultados abaixo de 0.35UA/l? 0.35UA/l ainda pode ser considerado valor limite de cut-off?

22 como interpretar sensibilização alérgica? sensibilização = presença de IgE, não significa sintomas clínicos, mas é prérequisito para o desenvolvimento de doença alérgica mediada por IgE

23 como interpretar sensibilização alérgica? com um teste quantitativo preciso, a síntese de IgE pode ser detectada em estágio inicial, antes mesmo que apareçam manifestações clínicas

24 RAST Sensibilização/Clínica População Geral IgE específica detectável 25% - inseto 60% - alimento Simons et al. JACI, 2007

25 RAST Alimentos X Aeroalérgenos Positivo: quanto? Devo tratar?

26 RAST - Considerações crianças pequenas parecem reagir mais a baixas concentrações de IgE do que mais velhas em casos de alergia a insetos e drogas é importante IgE específica sempre significa risco mesmo níveis bem reduzidos devem ser considerados

27 RAST- relevância clínica os resultados de testes devem ser considerados sempre em conjunção com a história para o diagnóstico final

28 RAST Diferentes interpretações: idade, relações clínicas Monitoramento Reações cruzadas - polissensibilização

29 Dados da População Brasileira Níveis séricos de IgE total (UI/mL ml) Faixa etária RAST (-) RAST (+) RAST (+) - Ascaris < 2 30,1 1002,4 85, ,2 716,7 87, ,3 832,3 116, ,7 818,1 202, ,7 921,5 247,7 Média 32,7 961,7 120,6

30 Dados da População Brasileira Faixa etária < TOTAL N RAST e/ou Phadiatop (+) N % 50 63, , , , , ,1

31 Dados da População Brasileira Pacientes Alérgeno D. pteronyssinus D. farinae Blomia tropicalis Gato Cão Vaca-epitélio Barata Fungos Ovo Amendoim Leite Peixe Ascaris lumbricoides Phadiatop N (+) RAST (+) % 66,7 64,5 55,2 12,0 7,8 10,0 32,8 2,9 24,4 14,0 23,1 29,5 36,1 67,6

32 Diagnóstico diferencial de alergia mediada por IgE teste in vitro N= 147 (idade média 2 anos) História: eczema e/ou chiado Prick-teste e Phadiatop IgE específica alimentos e inalantes Fiocchi et al. Ann Allergy Asthma Immunoll 2004; 93:328.

33 61 mediado por IgE 78 não Atópico 8 inconclusivo Leite de vaca é o principal alérgico Destaque também: clara de ovo e cão 50% das crianças com <6 meses: + IgE p/ leite de vaca ou clara de ovo Aeroalérgeno: geralmente após 1 ano Fiocchi et al. Ann Allergy Asthma Immunoll 2004; 93:328.

34 Sampson, H.A. & Ho, D.G., J Allergy Clin Immunol, 100, 1997 N = 196 Relationship between food-specific IgE concentrations and the risk of positive food challenges in children and adolescents Alergia alimentar: DA - 50% História clínica Prick teste CAP System FEIA AB + RA Desafio duplo cego:alimento/placebo

35 Níveis de IgE específica Níveis de decisão para DBFCPC ovo leite amendoim peixe 32.0 A /L ku ovo leite peixe Reference: Calculated from Sampson and Ho, J Allergy Clin Immunol 1997; 100:

36 valores preditivos em população brasileira 23 crianças com alergia ao leite de vaca: anafilaxia ou DBPCFC. 23 controles IgE especifica para leite de vaca Nível de decisão: 11 ku/l Variação: população? Gushken AKF et al,aaaai 2006

37 valores preditivos em população brasileira 23 crianças com alergia ao leite de vaca: anafilaxia ou DBPCFC. 23 controles Valores de corte: α -lactoalbumina = 3 ku/l β-lactoglobulina = 2 ku/l caseína= 4 ku/l Diagnóstico: valores abaixo do ponto de corte para leite Castro APM et al,aaaai 2006

38 RAST IgE ESPECÍFICO ABUSOS

39 DOENÇAS mediadas por IgE Urticária e angioedema Rinite alérgica Conjuntivite Alergia por insetos Asma brônquica Alergia Alimentar CORANTES NÃO! Alergia a medicamentos Penicilina, Insulina AINH NÃO!

40 RAST ABUSOS 1. Solicitação de exames sem indicação 2. Solicitação de exames em reações NÃO IgE mediadas 3. Excesso de exames: anamnese!!!! 4. Valores de Referência inadequados?? 5.Laudo suspeito 6. CAP : para aumentar confiança 7. Substâncias testadas????

41 RAST- Drogas ITENS COMERCIALIZADOS C1 PENICILINA G C2 PENICILINA V C5 -AMPICILINA C6 - AMOXACILINA C70 INSULINA C71 INSULINA BOVINA C73 INSULINA HUMANA

42

43

44

45 RAST diagnóstico/prevenção/ terapia

46 EVOLUÇÃO

47 Teste Rápido gato cão ácaros-parietaria Leite ovo

48 Perspectivas aplicação da tecnologia interpretação valorização do conhecimento

Alérgenos de origem alimentar: eles são preocupantes? Flavio Finardi Filho FCF USP ffinardi@usp.br

Alérgenos de origem alimentar: eles são preocupantes? Flavio Finardi Filho FCF USP ffinardi@usp.br Alérgenos de origem alimentar: eles são preocupantes? Flavio Finardi Filho FCF USP ffinardi@usp.br Alérgenos de origem alimentar Características gerais glicoproteínas resistência térmica resistente à proteólise

Leia mais

Alimentos. O que é? Papel da IgE sérica específica no diagnóstico da alergia alimentar. IgE Específico

Alimentos. O que é? Papel da IgE sérica específica no diagnóstico da alergia alimentar. IgE Específico IgE Específico Alimentos O que é? IgEs específicos para alimentos são testes que avaliam a presença, na amostra testada, de anticorpos IgE contra alérgenos derivados de um alimento específico. Papel da

Leia mais

ALERGIA E IMUNOLOGIA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA EM HCFMRP-USP

ALERGIA E IMUNOLOGIA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA EM HCFMRP-USP 1 PROGRAMA DE RESIDÊNCIA EM ALERGIA E IMUNOLOGIA HCFMRP-USP 2 Introdução Doenças alérgicas afetam atualmente mais que 20% da população brasileira, e são causa importante de doença crônica no mundo inteiro.

Leia mais

PROGRAMA DE RESIDÊNCIA EM ALERGIA E IMUNOLOGIA HCFMRP-USP

PROGRAMA DE RESIDÊNCIA EM ALERGIA E IMUNOLOGIA HCFMRP-USP PROGRAMA DE RESIDÊNCIA EM ALERGIA E IMUNOLOGIA HCFMRP-USP Introducao Doenças alérgicas afetam atualmente mais que 20% da população brasileira, e são causa importante de doença crônica no mundo inteiro.

Leia mais

MÉTODOS DIAGNÓSTICOS EM ALERGIA

MÉTODOS DIAGNÓSTICOS EM ALERGIA MÉTODOS DIAGNÓSTICOS EM ALERGIA INTRODUÇÃO HISTÓRIA CLÍNICA; ANTECEDENTES FAMILIARES E PESSOAIS; AVALIAÇÃO CLÍNICA; REPERCUSSÃO DA ALERGIA; FATORES DESENCADEANTES; A história e a avaliação clínica de uma

Leia mais

TEMAS LIVRES DO XXXI CONGRESSO BRASILEIRO DE ALERGIA APRESENTAÇÃO: ORAL DATA.: 06/11/2004 SALA BRUM NEGREIROS

TEMAS LIVRES DO XXXI CONGRESSO BRASILEIRO DE ALERGIA APRESENTAÇÃO: ORAL DATA.: 06/11/2004 SALA BRUM NEGREIROS APRESENTAÇÃO: ORAL DATA.: 06/11/2004 SALA BRUM NEGREIROS NÚMERO TEMA LIVRE TÍTULO LEPTINA PARTICIPA DO CONTROLE DA APOPTOSE EM TIMO ATRAVÉS DE MECANISMO DE SINALIZAÇÃO DEPENDENTE DA VIA 001 IRS-1/PI 3-QUINASE

Leia mais

Palácio dos Bandeirantes Av. Morumbi, 4.500 - Morumbi - CEP 05698-900 - Fone: 3745-3344 Nº 223 DOE de 28/11/07. Saúde GABINETE DO SECRETÁRIO

Palácio dos Bandeirantes Av. Morumbi, 4.500 - Morumbi - CEP 05698-900 - Fone: 3745-3344 Nº 223 DOE de 28/11/07. Saúde GABINETE DO SECRETÁRIO Diário Oficial Estado de São Paulo Poder Executivo Seção I Palácio dos Bandeirantes Av. Morumbi, 4.500 - Morumbi - CEP 05698-900 - Fone: 3745-3344 Nº 223 DOE de 28/11/07 Saúde GABINETE DO SECRETÁRIO Resolução

Leia mais

Aspectos semiológicos das alergias respiratórias. Fernando Monteiro Aarestrup MD, PhD

Aspectos semiológicos das alergias respiratórias. Fernando Monteiro Aarestrup MD, PhD Aspectos semiológicos das alergias respiratórias Fernando Monteiro Aarestrup MD, PhD Diagnóstico alergia respiratória História clínica Exame Físico Exames complementares Doenças alérgicas mediadas por

Leia mais

Comparison between ImmunoCAP and skin prick test for evaluation of IgE-mediated cow s milk allergy in children. Abstract

Comparison between ImmunoCAP and skin prick test for evaluation of IgE-mediated cow s milk allergy in children. Abstract 0103-2259/10/33-06/224 Rev. bras. alerg. imunopatol. Copyright 2010 by ASBAI Artigo Original Comparação entre ImmunoCAP e teste cutâneo de hipersensibilidade imediata na avaliação da alergia às proteínas

Leia mais

Programas de Controlo de Qualidade Externo UK NEQAS ALERGIA E IMUNODEFICIÊNCIA

Programas de Controlo de Qualidade Externo UK NEQAS ALERGIA E IMUNODEFICIÊNCIA Programas de Controlo de Qualidade Externo UK NEQAS ALERGIA E IMUNODEFICIÊNCIA Programas Disponíveis Analitos Nº de distribuições por ano Nº de amostras por distribuição IgE Total IgE Total 6 2 IgE Específica

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 48. Na reação de hipersensibilidade imediata do tipo I, qual dos seguintes mediadores é neoformado nos tecidos?

PROVA ESPECÍFICA Cargo 48. Na reação de hipersensibilidade imediata do tipo I, qual dos seguintes mediadores é neoformado nos tecidos? 11 PROVA ESPECÍFICA Cargo 48 QUESTÃO 26 Na reação de hipersensibilidade imediata do tipo I, qual dos seguintes mediadores é neoformado nos tecidos? a) Heparina. b) Histamina. c) Fator ativador de plaquetas

Leia mais

TRATAMENTO DE ALERGIA RESPIRATÓRIA 2/3

TRATAMENTO DE ALERGIA RESPIRATÓRIA 2/3 TRATAMENTO DE ALERGIA RESPIRATÓRIA 2/3 SISTEMA IMUNE E ALERGIA Por alergia, entendem-se as repostas imunes indesejadas contra substâncias que venceram as barreiras como, os epitélios, as mucosas e as enzimas.

Leia mais

Alergia Alimentar Uma abordagem prática

Alergia Alimentar Uma abordagem prática Alergia Alimentar Uma abordagem prática Wellington Borges Departamento de Alergia e Imunologia Sociedade Brasileira de Pediatria Conceito Alergia alimentar é uma entidade clínica resultante de reações

Leia mais

Alergia na idade pediátrica: Avaliação dos métodos de rastreio laboratorial

Alergia na idade pediátrica: Avaliação dos métodos de rastreio laboratorial ARTIGO ORIGINAL Alergia na idade pediátrica: Avaliação dos métodos de rastreio laboratorial HELENA RAMALHO*; LOURENÇO LABANDEIRO*; RUI CERQUEIRA*; EMÍLIA MANSO PRETO**; CRISTINA BRAGA***; JOANA MOURA*

Leia mais

GANHO DE PESO NA PRIMEIRA INFÂNCIA ASMA E REATIVIDADE CUTÂNEA EM CRIANÇAS: RESULTADOS DE UMA COORTE (SCAALA)

GANHO DE PESO NA PRIMEIRA INFÂNCIA ASMA E REATIVIDADE CUTÂNEA EM CRIANÇAS: RESULTADOS DE UMA COORTE (SCAALA) Universidade Federal da Bahia Instituto de Saúde Coletiva - ISC Programa de Pós-GraduaP Graduação em Saúde Coletiva GANHO DE PESO NA PRIMEIRA INFÂNCIA ASMA E REATIVIDADE CUTÂNEA EM CRIANÇAS: RESULTADOS

Leia mais

Concurso Público. Exames laboratoriais: Com base nesses dados, responda às questões a seguir:

Concurso Público. Exames laboratoriais: Com base nesses dados, responda às questões a seguir: 01 Concurso Público Menina de sete anos de idade apresentou imagem radiológica de pneumatoceles em ambos os pulmões. História pregressa de rash neonatal, atraso da dentição e fraturas recorrentes devido

Leia mais

ALERGIAS NA INFÂNCIA

ALERGIAS NA INFÂNCIA ALERGIAS NA INFÂNCIA Tema: Alergias na Infância Objetivos Conceituar alergia, classificar os principais tipos e indutores das doenças alérgicas. Identificar e relacionar os fatores de risco associados

Leia mais

Phadiatop no diagnóstico de alergia respiratória em crianças: Projeto Alergia (PROAL)

Phadiatop no diagnóstico de alergia respiratória em crianças: Projeto Alergia (PROAL) 0021-7557/04/80-03/217 Jornal de Pediatria Copyright 2004 by Sociedade Brasileira de Pediatria ARTIGO ORIGINAL Phadiatop no diagnóstico de alergia respiratória em crianças: Projeto Alergia (PROAL) Phadiatop

Leia mais

ALERGIA ALIMENTAR: UMA VISÃO PANORÂMICA

ALERGIA ALIMENTAR: UMA VISÃO PANORÂMICA ALERGIA ALIMENTAR: UMA VISÃO PANORÂMICA No dia-a-dia de um consultório de alergia é muito comum o cliente chegar achando que seu problema alérgico está relacionado à alergia alimentar, principalmente quando

Leia mais

Se é verdade que se morre pela boca, o leite de vaca é a maior prova.

Se é verdade que se morre pela boca, o leite de vaca é a maior prova. CLÍNICA INFANTIL INDIANÓPOLIS CENTRO DE PREVENÇÃO DA ASMA E DOENÇAS CRÔNICAS NA INFÂNCIA * Alergia - Asma - Bronquite - Dermatite Atópica - Eczema - Estrófulo (picada de insetos) - Rinite - Urticária *

Leia mais

Alergia Alimentar. M. Barbosa Unidade de Imunoalergologia H.S.M./F.M.L.

Alergia Alimentar. M. Barbosa Unidade de Imunoalergologia H.S.M./F.M.L. Alergia Alimentar M. Barbosa Unidade de Imunoalergologia H.S.M./F.M.L. Alergia a alimentos A primeira referência é de há 2000 anos. Alergia ao leite descrita por Hipócrates Em 1921 Prausnitz e Kustner

Leia mais

Alergia Alimentar. M. Barbosa Unidade de Imunoalergologia H.S.M./F.M.L.

Alergia Alimentar. M. Barbosa Unidade de Imunoalergologia H.S.M./F.M.L. Alergia Alimentar M. Barbosa Unidade de Imunoalergologia H.S.M./F.M.L. Alergia a alimentos A primeira referência é de há 2000 anos. Alergia ao leite descrita por Hipócrates Em 1921 Prausnitz e Kustner

Leia mais

EFEITOS ADVERSOS A MEDICAMENTOS

EFEITOS ADVERSOS A MEDICAMENTOS EFEITOS ADVERSOS A MEDICAMENTOS INTRODUÇÃO As informações contidas neste folheto têm a finalidade de orientar as pessoas que passaram ou que podem passar pela experiência não-desejada dos efeitos adversos

Leia mais

PLANEJAMENTO DO TRATAMENTO DA ASMA BRÔNQUICA

PLANEJAMENTO DO TRATAMENTO DA ASMA BRÔNQUICA PLANEJAMENTO DO TRATAMENTO DA ASMA BRÔNQUICA O estudo do sistema imune (proteção) surgiu no início do século 20, com futuro muito promissor, mas isto não se confirmou de imediato. Os fenômenos imunológicos

Leia mais

Ass. de Comunicação www.ptexto.com.br. Veículo: Correio Braziliense Data: 17/04/2011 Seção: Trabalho Pág.: 3 Assunto: Great Place to Work

Ass. de Comunicação www.ptexto.com.br. Veículo: Correio Braziliense Data: 17/04/2011 Seção: Trabalho Pág.: 3 Assunto: Great Place to Work Veículo: Correio Braziliense Data: 17/04/2011 Seção: Trabalho Pág.: 3 Assunto: Great Place to Work Veículo: Correio Braziliense Data: 17/04/2011 Seção: Saúde Pág.: 27 Assunto: Amados mas perigosos Veículo:

Leia mais

Papel da dieta: sua intervenção determina a evolução da dermatite atópica?

Papel da dieta: sua intervenção determina a evolução da dermatite atópica? Papel da dieta: sua intervenção determina a evolução da dermatite atópica? Dra. Luciana Samorano Médica Assistente do Departamento de Dermatologia do Hospital das Clínicas da FMUSP Ambulatórios de Dermatologia

Leia mais

Sumário. Data: 23/05/2013 NOTA TÉCNICA 75/2013. Medicamento/ x dieta Material Procedimento Cobertura. Solicitante. Processo Número 0024 13 023060-0

Sumário. Data: 23/05/2013 NOTA TÉCNICA 75/2013. Medicamento/ x dieta Material Procedimento Cobertura. Solicitante. Processo Número 0024 13 023060-0 NOTA TÉCNICA 75/2013 Solicitante Juiz de Direito Dr.Alexsander Antenor Penna Silva Comarca de João Monlevade Processo Número 0024 13 023060-0 Data: 23/05/2013 Medicamento/ x dieta Material Procedimento

Leia mais

Mitos e Verdades sobre Alergia Alimentar e Otites e Sinusites

Mitos e Verdades sobre Alergia Alimentar e Otites e Sinusites Mitos e Verdades sobre Alergia Alimentar e Otites e Sinusites Dr. Manoel de Nóbrega Alergia alimentar Leite de vaca Alergia ao leite de vaca afeta 2 a 3% das crianças até 34 meses de idade. Ampla variedade

Leia mais

ÁCAROS FONTES DE ALERGIZAÇÃO

ÁCAROS FONTES DE ALERGIZAÇÃO ÁCAROS FONTES DE ALERGIZAÇÃO Os alérgenos mais freqüentemente encontrados em nosso meio são os ácaros e eles são responsáveis pelas crises de asma e rinite alérgica. Os ácaros têm uma intima relação conosco,

Leia mais

Quem acredita em vacina alérgica?

Quem acredita em vacina alérgica? Ano 2 - Número 2 - Abril de 2008 Quem acredita em vacina alérgica? Dr. Raul Emrich Melo Dr. Raul Emrich Melo Especialista em Alergia pela Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia Mestre e Doutor

Leia mais

Intolerâncias Alimentares Distúrbios da Deglutição

Intolerâncias Alimentares Distúrbios da Deglutição Intolerâncias Alimentares Distúrbios da Deglutição Intolerâncias Alimentares Alergias alimentares Intolerâncias metabólicas Reações farmacológicas Erros congênitos do metabolismo Alergia alimentar Mediada

Leia mais

TEMA: NEOCATE NA ALERGIA A LEITE DE VACA (APLV)

TEMA: NEOCATE NA ALERGIA A LEITE DE VACA (APLV) NOTA TÉCNICA 24/2014 Solicitante Regina Célia Silva Neves Juizado Fazenda Pública de Itaúna Processo Número 0338.13.012.595-2 Data: 07/02/2014 Medicamento/ dieta x Material Procedimento Cobertura TEMA:

Leia mais

Catálogo Português de Alergias e Reações Adversas

Catálogo Português de Alergias e Reações Adversas Catálogo Português de Alergias e Reações Adversas Catalog of Allergies and Other Adverse Reactions CPARA 0.1 Fevereiro, 2012 Nome Documento CPARA Catálogo Português de Alergias e Reacções Adversas Nome

Leia mais

Rinite alérgica e não-alérgica Resumo de diretriz NHG M48 (primeira revisão, abril 2006)

Rinite alérgica e não-alérgica Resumo de diretriz NHG M48 (primeira revisão, abril 2006) Rinite alérgica e não-alérgica Resumo de diretriz NHG M48 (primeira revisão, abril 2006) Sachs APE, Berger MY, Lucassen PLBJ, Van der Wal J, Van Balen JAM, Verduijn MM. traduzido do original em holandês

Leia mais

Alergia a outros alimentos além do leite de vaca

Alergia a outros alimentos além do leite de vaca Alergia a outros alimentos além do leite de vaca Renata Rodrigues Cocco Universidade Federal de São Paulo Alérgenos alimentares Variações regionais (hábitos alimentares, etnia, clima...) 1 Alérgenos alimentares

Leia mais

INCIDÊNCIA DE ALERGIA ALIMENTAR EM ESCOLA DA REDE PÚBLICA E PRIVADA DO MUNICÍPIO DE CATAGUASES/MG

INCIDÊNCIA DE ALERGIA ALIMENTAR EM ESCOLA DA REDE PÚBLICA E PRIVADA DO MUNICÍPIO DE CATAGUASES/MG INCIDÊNCIA DE ALERGIA ALIMENTAR EM ESCOLA DA REDE PÚBLICA E PRIVADA DO MUNICÍPIO DE CATAGUASES/MG INCIDENCE OF FOOD ALLERGIES IN SCHOOL OF PUBLIC AND PRIVATE NETWORK OF THE MUNICIPALITY OF CATAGUASES/MG

Leia mais

TRATAMENTO DE ALERGIA RESPIRATÓRIA 3/3

TRATAMENTO DE ALERGIA RESPIRATÓRIA 3/3 TRATAMENTO DE ALERGIA RESPIRATÓRIA 3/3 VACINA ANTIALÉRGICA UM TRATAMENTO DE EXCELÊNCIA A imunoterapia é o tratamento preventivo para impedir as reações alérgicas provocadas por substâncias como ácaros

Leia mais

RINITE ALÉRGICA: ALÉRGENOS E POLUIÇÃO

RINITE ALÉRGICA: ALÉRGENOS E POLUIÇÃO RINITE ALÉRGICA: ALÉRGENOS E POLUIÇÃO O tratamento das rinites é considerado um desafio, pois além do processo alérgico existe as causas não-alérgicas. A rinite tem uma morbidade significativa, custo financeiro

Leia mais

Alergia e Pneumologia Pediátrica Hospital Infantil João Paulo II Hospital Felício Rocho www.alergopneumoped.com.br. Wilson Rocha Filho

Alergia e Pneumologia Pediátrica Hospital Infantil João Paulo II Hospital Felício Rocho www.alergopneumoped.com.br. Wilson Rocha Filho Alergia e Pneumologia Pediátrica Hospital Infantil João Paulo II Hospital Felício Rocho www.alergopneumoped.com.br Wilson Rocha Filho De acordo com as normas n o 1.595/2000 do Conselho Federal de Medicina

Leia mais

Caso Clínico. Dermatite atópica: Prevenção e Tratamento

Caso Clínico. Dermatite atópica: Prevenção e Tratamento Caso Clínico Dermatite atópica: Prevenção e Tratamento Caso Clínico Dermatite atópica: Prevenção e Tratamento Descrição do caso Trata-se de um lactente de 9 meses de idade, do sexo masculino, com história

Leia mais

Dermatite Atópica. Cuidados Alergológicos. Dra. Adriana Vidal Schmidt

Dermatite Atópica. Cuidados Alergológicos. Dra. Adriana Vidal Schmidt Dermatite Atópica Cuidados Alergológicos Dra. Adriana Vidal Schmidt Dermatite Atópica Cuidados Alergológicos Dra. Adriana Vidal Schmidt Especialista e Mestre em Alergia e Imunologia Médica do Serviço de

Leia mais

ALERGIAS E INTOLERÂNCIAS ALIMENTARES. PROFª. Ms. SUELI ESSADO PEREIRA 31-AGO-2012 1

ALERGIAS E INTOLERÂNCIAS ALIMENTARES. PROFª. Ms. SUELI ESSADO PEREIRA 31-AGO-2012 1 ALERGIAS E INTOLERÂNCIAS ALIMENTARES PROFª. Ms. SUELI ESSADO PEREIRA 31-AGO-2012 1 COMO DIFERENCIAR A INTOLERÂNCIA ALIMENTAR DE ALERGIA ALIMENTAR?! Adverse Reactions to Food: Position Paper. Allergy 1995;

Leia mais

O diagnóstico preciso de alergia alimentar é necessário para proteger as crianças de dietas inadequadas ou desnecessárias.

O diagnóstico preciso de alergia alimentar é necessário para proteger as crianças de dietas inadequadas ou desnecessárias. Alergia Alimentar Alergia Alimentar é o termo utilizado para descrever reações adversas a alimentos dependentes de mecanismos imunológicos. O diagnóstico preciso de alergia alimentar é necessário para

Leia mais

GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO HOSPITAL NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS

GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO HOSPITAL NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS POP n.º: I 22 Página 1 de 5 1. Sinonímia Beta 2 Microglobulina, b2m 2. Aplicabilidade Aos técnicos e bioquímicos do setor de imunologia 3. Aplicação clínica A beta-2-microglobulina é uma proteína presente

Leia mais

Métodos sorológicos de Diagnóstico e Pesquisa. Reação Ag-Ac in vitro

Métodos sorológicos de Diagnóstico e Pesquisa. Reação Ag-Ac in vitro Métodos sorológicos de Diagnóstico e Pesquisa Reação Ag-Ac in vitro Testes sorológicos Uso de soro ou outros fluidos biológicos de paciente p/ diagnóstico laboratorial Demonstração de anticorpos específicos

Leia mais

ALERGIAS AO LÁTEX...

ALERGIAS AO LÁTEX... ALERGIAS AO LÁTEX... UM PROBLEMA CADA VEZ MAIS PREOCUPANTE O látex, um componente da borracha natural produzido pela seringueira, é um produto com características especiais, por isso muito utilizadas em

Leia mais

Múltipla positividade do teste UniCAP - relato de caso

Múltipla positividade do teste UniCAP - relato de caso 04/27-05/199 Rev. bras. alerg. imunopatol. Copyright 2004 by SBAI RELATO DE CASO Múltipla positividade do teste UniCAP - relato de caso Multiple positive UniCAP test case report Pedro Giavina-Bianchi 1,

Leia mais

Métodos para detecção de alérgenos em alimentos. Gerlinde Teixeira Departamento de Imunobiologia Universidade Federal Fluminense

Métodos para detecção de alérgenos em alimentos. Gerlinde Teixeira Departamento de Imunobiologia Universidade Federal Fluminense Métodos para detecção de alérgenos em alimentos Gerlinde Teixeira Departamento de Imunobiologia Universidade Federal Fluminense Antigenos vs Alérgenos Antigeno Imunógeno Qualquer substância capaz de estimular

Leia mais

FABA ALERGIA ALIMENTAR

FABA ALERGIA ALIMENTAR FABA ALERGIA ALIMENTAR Intolerância Alimentar Aversão Alimentar Reações Imediatas e Tardias ALERGIA ALIMENTAR FABA ALERGIA ALIMENTAR - Reação adversa ao componente protéico do alimento e envolve mecanismo

Leia mais

ALERGIA A INSETOS PICADORES (CHOQUE ANAFILÁTICO)

ALERGIA A INSETOS PICADORES (CHOQUE ANAFILÁTICO) ALERGIA A INSETOS PICADORES (CHOQUE ANAFILÁTICO) As abelhas do gênero Apis (abelha-europa ou abelha-africana), as vespas (marimbondos) e as formigas lava-pés são insetos do gênero dos himenópteros que

Leia mais

Hipersensibilidade a inalantes em adultos jovens que responderam o questionário ISAAC, na cidade de Santo

Hipersensibilidade a inalantes em adultos jovens que responderam o questionário ISAAC, na cidade de Santo Hipersensibilidade a inalantes em adultos jovens que responderam o questionário ISAAC, na cidade de Santo André,, SP. Mariana da Cunha Vieira, Patrícia Taranto, Dra. Maria de Fátima M. Fernandes, Prof.

Leia mais

Alergia a perceves no contexto da síndrome ácaros-crustáceos- -moluscos-baratas

Alergia a perceves no contexto da síndrome ácaros-crustáceos- -moluscos-baratas CASO CLÍNICO / CLINICAL CASE Alergia a perceves no contexto da síndrome ácaros-crustáceos- -moluscos-baratas Barnacle allergy in the context of the mites-crustaceansmolluscs-cockroaches syndrome Rev Port

Leia mais

Protocolo de Atendimento de Reação Adversa a Medicações

Protocolo de Atendimento de Reação Adversa a Medicações Protocolo de Atendimento de Reação Adversa a Medicações Unidade de Anestesia Versão eletrônica atualizada em Março 2009 Protocolo de Atendimento de Reação Adversa a Medicações Definições OMS Uma resposta

Leia mais

Alergia as proteínas do leite de vaca

Alergia as proteínas do leite de vaca Universidade Federal de Santa Catarina Programa de Pós-graduação em Ciência dos Alimentos Centro de Ciências Agrárias Alergia as proteínas do leite de vaca Profa Marilde T. Bordignon Luiz bordign@cca.ufsc.br

Leia mais

Caso Clínico 2. AP Teve dermatite atópica até os 4 anos de idade. CONDIÇÕES AMBIENTAIS Mora em apartamento, tem cachorro.

Caso Clínico 2. AP Teve dermatite atópica até os 4 anos de idade. CONDIÇÕES AMBIENTAIS Mora em apartamento, tem cachorro. Caso Clínico 1. KMA, feminina, 32 anos, casada, natural e procedente de Uberaba, MG, psicóloga. QD Lesões cutâneas e prurido há oito meses HMA Pápulas eritematosas disseminadas, de aparecimento diário,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 216/14 - CIB/RS. A Comissão Intergestores Bipartite/RS, no uso de suas atribuições legais, e considerando:

RESOLUÇÃO Nº 216/14 - CIB/RS. A Comissão Intergestores Bipartite/RS, no uso de suas atribuições legais, e considerando: RESOLUÇÃO Nº 216/14 - CIB/RS A Comissão Intergestores Bipartite/RS, no uso de suas atribuições legais, e considerando: a necessidade de racionalizar a oferta de fórmulas nutricionais especiais pelo Estado,

Leia mais

TEMAS DE PEDIATRIA NÚMERO

TEMAS DE PEDIATRIA NÚMERO nº 88 TEMAS DE PEDIATRIA Estratégias de Prevenção da Alergia Alimentar: Atualização TEMAS DE PEDIATRIA NÚMERO 88 Estratégias de Prevenção da Alergia Alimentar: Atualização Profa. Dra. Cristina Miuki Abe

Leia mais

Alergia e Emoções. Existem 4 tipos básicos de reações alérgicas ou mecanismos imunológicos causadores de hipersensibilidade e doença:

Alergia e Emoções. Existem 4 tipos básicos de reações alérgicas ou mecanismos imunológicos causadores de hipersensibilidade e doença: Alergia e Emoções Alergia é a intolerância do Sujeito ao Objeto, ou a algum Objeto, ou da pessoa para com determinados produtos físicos, químicos ou biológicos, aos quais ela reage de forma exagerada.

Leia mais

Doenças Respiratórias Crônicas. Caderno de Atenção Básica 25

Doenças Respiratórias Crônicas. Caderno de Atenção Básica 25 Doenças Respiratórias Crônicas Caderno de Atenção Básica 25 PREVALÊNCIA O Asma (acomete cerca de 300 milhões de indivíduos no mundo) O Rinite Alérgica (afeta cerca de 20 25% da população) O DPOC (afeta

Leia mais

Catálogo Português de Alergias e outras Reações Adversas Catalog of Allergies and Other Adverse Reactions

Catálogo Português de Alergias e outras Reações Adversas Catalog of Allergies and Other Adverse Reactions Catálogo Português de Alergias e Catalog of Allergies and Other Adverse Reactions CPARA v 1.0 Julho, 2012 Nome Documento CPARA Catálogo Português de Alergias e Nome Curto Versão do Documento CPARA V 1.0

Leia mais

MUCOSA RINOSSINUSAL. José Ângelo Rizzo IMPACTO DO MANEJO DA RINITE NA OBTENÇÃO DO CONTROLE DA ASMA

MUCOSA RINOSSINUSAL. José Ângelo Rizzo IMPACTO DO MANEJO DA RINITE NA OBTENÇÃO DO CONTROLE DA ASMA José Ângelo Rizzo IMPACTO DO MANEJO DA RINITE NA OBTENÇÃO DO CONTROLE DA ASMA CENTRO DE PESQUISAS EM ALERGIA E IMUNOLOGIA CLÍNICA EM PEDIATRIA HOSPITAL DAS CLÍNICAS/UFPE MUCOSA RINOSSINUSAL..... 1 MUCOSA

Leia mais

Manejo Clínico da Rinite Alérgica E1 Gustavo B. Sela Hospital da Cruz Vermelha de Curitiba Orientador: Dr. Eduardo Baptistella

Manejo Clínico da Rinite Alérgica E1 Gustavo B. Sela Hospital da Cruz Vermelha de Curitiba Orientador: Dr. Eduardo Baptistella Manejo Clínico da Rinite Alérgica E1 Gustavo B. Sela Hospital da Cruz Vermelha de Curitiba Orientador: Dr. Eduardo Baptistella Introdução Rinite alérgica são males que atingem a humanidade desde a Antiga

Leia mais

A minha criança tem eczema?

A minha criança tem eczema? FONDATION A minha criança tem eczema? Informações para os pais e úteis para os docentes Doutor Jacques ROBERT Pediatra - Alergologista REALIZADO PELA FUNDAÇÃO PARA A DERMATITE ATÓPICA Compreender o eczema

Leia mais

Utilidade dos anticorpos IgE e IgG4 específicos para caseína em crianças alérgicas ao leite de vaca

Utilidade dos anticorpos IgE e IgG4 específicos para caseína em crianças alérgicas ao leite de vaca índice REVISANDO Estudo populacional de perfil multiplex de sensibilização em relação a asma, óxido nítrico exalado e responsividade brônquica Alérgenos moleculares no diagnóstico de alergia ao látex.

Leia mais

Introdução RESUMO: Lucia Ferro Bricks 1

Introdução RESUMO: Lucia Ferro Bricks 1 Reações Adversas aos Alimentos na Infância: Intolerância e Alergia Alimentar - Atualização. Adverse Food Reactions in Childhood. Food Intolerance and Food Allergy - An Update Lucia Ferro Bricks 1 Instituto

Leia mais

Diagnóstico em Doenças Alérgicas Mediadas por IgE

Diagnóstico em Doenças Alérgicas Mediadas por IgE 09/32-01/3 Rev. bras. alerg. imunopatol. Copyright 2009 by ASBAI GUIA PRÁTICO DE ALERGIA E IMUNOLOGIA EDITOR DA SÉRIE: LUIZ ANTONIO GUERRA BERND Diagnóstico em Doenças Alérgicas Mediadas por IgE Diagnosis

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO PARECER COREN-SP 048/2013 CT PRCI n 100.485 e Ticket n 283.106, 283.519, 286.500, 294.112, 296.718, 300.098, 300.484, 318.752, 318.960. Ementa: Administração de Penicilina por Enfermeiros, Técnicos e Auxiliares

Leia mais

DESLORATADINA. Antialérgico

DESLORATADINA. Antialérgico DESLORATADINA Antialérgico Vantagens: Não provoca sonolência, que é um dos efeitos colaterais mais desagradáveis causados por medicamentos desse tipo. Age mais rápido, combate a obstrução nasal e praticamente

Leia mais

Nos últimos anos temos assistido a uma frequência

Nos últimos anos temos assistido a uma frequência Rev Port Imunoalergologia 2014; 22 (1): 63-68 Estágio de alergia medicamentosa em idade pediátrica Allergy Division of Allergy / Immunology and Rheumatology, Children s Hospital, Boston, Estados Unidos

Leia mais

Alergias: Imunoterapia Específica

Alergias: Imunoterapia Específica Alergias: Imunoterapia Específica Elaboração Final: 10 de julho de 2002 Participantes: Seba JB Autoria: Sociedade Brasileira de Alergia e Imunopatologia O Projeto Diretrizes, iniciativa conjunta da Associação

Leia mais

Rinite, sinusite e doenças oculares

Rinite, sinusite e doenças oculares Rinite, sinusite e Comparação entre aparelhos para testes cutâneos de puntura Warner W. Carr, MD, a Bryan Martin, DO, a Robin S. Howard, MA, b Linda Cox, MD, c Larry Borish, MD, d e o Comitê de Imunoterapia

Leia mais

Propilenoglicol e potencial alergênico em cosméticos

Propilenoglicol e potencial alergênico em cosméticos Propilenoglicol e potencial alergênico em cosméticos Os cuidados com a aparência física e a busca incessante pelo ideal de beleza levam as pessoas a se submeterem aos mais variados tratamentos estéticos

Leia mais

A Doença do Século XXI Alergia Perguntas e Respostas Copyright 2012 by Livraria e Editora Revinter Ltda.

A Doença do Século XXI Alergia Perguntas e Respostas Copyright 2012 by Livraria e Editora Revinter Ltda. iv A Doença do Século XXI Alergia Perguntas e Respostas Copyright 2012 by Livraria e Editora Revinter Ltda. ISBN 978-85-372-0339-2 Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução deste

Leia mais

Newsletter do Grupo 4Work Nº 63 Dezembro de 2014

Newsletter do Grupo 4Work Nº 63 Dezembro de 2014 EU-OSHA LANÇA GUIA ELETRÓNICO SOBRE GESTÃO DE STRESSE E RISCOS PSICOSSOCIAIS O stresse e os problemas de saúde mental constituem o problema de saúde mais grave no local de trabalho para cerca de um quinto

Leia mais

CONTROLE DE QUALIDADE NA INDÚSTRIA DE ALIMENTOS

CONTROLE DE QUALIDADE NA INDÚSTRIA DE ALIMENTOS CONTROLE DE QUALIDADE NA INDÚSTRIA DE ALIMENTOS Alergêneos e Contaminantes em Carnes Isa Beatriz Noll ICTA/UFRGS ALERGÊNEOS E CONTAMINANTES Objetivos: Reações adversas a alimentos Podem ocorrer em todos

Leia mais

FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DO PORTO HOSPITAL DE SÃO JOÃO, E.P.E.

FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DO PORTO HOSPITAL DE SÃO JOÃO, E.P.E. GUIAS, E.P.E. GUIAS LUÍS DELGADO Guias de Saúde Vol. 11 - Alergias Copyright 2011 QuidNovi Colecção coordenada pela Prof.ª Doutora Maria Amélia Ferreira e pela Dra. Sofia Gramaxo, Centro de Educação Médica

Leia mais

ALÉRGENOS EM ALIMENTOS Estratégia Para o Controle de Alérgenos Pela Indústria de Alimentos. Edmilson Rezende - Nestlé Brasil Ltda.

ALÉRGENOS EM ALIMENTOS Estratégia Para o Controle de Alérgenos Pela Indústria de Alimentos. Edmilson Rezende - Nestlé Brasil Ltda. ALÉRGENOS EM ALIMENTOS Estratégia Para o Controle de Alérgenos Pela Indústria de Alimentos V Simpósio Internacional da ABRAPA III Seminário ITAL de Segurança Alimentar IX Simpósio Brasileiro de Microbiologia

Leia mais

GRAVIDEZ EVOLUÇÃO DA ASMA DURANTE A GRAVIDEZ

GRAVIDEZ EVOLUÇÃO DA ASMA DURANTE A GRAVIDEZ GRAVIDEZ EVOLUÇÃO DA ASMA DURANTE A GRAVIDEZ A asma, que afeta 7% das grávidas, é uma doença comum que potencialmente pode complicar, mas, quando é bem controlada, não representa risco significativo para

Leia mais

São Paulo, 26 de agosto de 2010. Asma. Paula Meireles

São Paulo, 26 de agosto de 2010. Asma. Paula Meireles São Paulo, 26 de agosto de 2010 Asma Paula Meireles Doença inflamatória crônica Hiper-responsividade Limitação variável ao fluxo aéreo ASMA Definição Episódios recorrentes de sibilância, dispnéia, aperto

Leia mais

Reações adversas aos alimentos, visão do Imunologista Profa. Dra. Marluce Vilela

Reações adversas aos alimentos, visão do Imunologista Profa. Dra. Marluce Vilela Reações adversas aos alimentos, visão do Imunologista Profa. Dra. Marluce Vilela Segurança do Alimento da Criança Os alimentos de nossas crianças são seguros? Alergia alimentar Reação imune adversa para

Leia mais

Plantas geneticamente modificadas e alergias alimentares

Plantas geneticamente modificadas e alergias alimentares 1 Plantas geneticamente modificadas e alergias alimentares Este material foi produzido pela entidade alemã FBCI Food Biotech Communication Initiative (em português, Iniciativa de Comunicação em Biotecnologia

Leia mais

Hipersensibilidade a inalantes em adultos jovens que responderam o questionário do International Study of Asthma and Allergies in Childhood

Hipersensibilidade a inalantes em adultos jovens que responderam o questionário do International Study of Asthma and Allergies in Childhood 0103-2259/12/35-05/190 Rev. bras. alerg. imunopatol. Copyright 2012 by ASBAI ARTIGO ORIGINAL Hipersensibilidade a inalantes em adultos jovens que responderam o questionário do International Study of Asthma

Leia mais

Leite: benefício ou malefício à saúde humana?

Leite: benefício ou malefício à saúde humana? Leite: benefício ou malefício à saúde humana? Glauce Hiromi Yonamine Nutricionista Unidade de Alergia e Imunologia ICr - HCFMUSP Unidade de Gastroenterologia ICr - HCFMUSP Especialista em Saúde, Nutrição

Leia mais

ALERGIA ALIMENTAR: Prevenção e tratamento

ALERGIA ALIMENTAR: Prevenção e tratamento Alergia e Pneumologia Pediátrica Hospital Infan7l João Paulo II Hospital Felício Rocho www.alergopneumoped.com.br WILSON ROCHA FILHO ALERGIA ALIMENTAR: Prevenção e tratamento Declaração de conflito de

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA NUTRIÇÃO NA INTOLERÂNCIA A LACTOSE E NA ALERGIA A PROTEÍNA DO LEITE DE VACA

A IMPORTÂNCIA DA NUTRIÇÃO NA INTOLERÂNCIA A LACTOSE E NA ALERGIA A PROTEÍNA DO LEITE DE VACA A IMPORTÂNCIA DA NUTRIÇÃO NA INTOLERÂNCIA A LACTOSE E NA ALERGIA A PROTEÍNA DO LEITE DE VACA Jamile Batista Rocha Graduanda em Nutrição Faculdades Integradas de Três Lagoas FITL/AEMS Rafaela Ribeiro de

Leia mais

Gastrointestinal: Dor abdominal, aumento do peristaltismo com urgência para evacuar ou liberação de esfíncter, náusea, vômito, diarréia

Gastrointestinal: Dor abdominal, aumento do peristaltismo com urgência para evacuar ou liberação de esfíncter, náusea, vômito, diarréia Anafilaxia Definição: Anafilaxia é uma reação de hipersensibilidade aguda potencialmente fatal, que envolve a liberação de mediadores dos mastócitos, basófilos e recrutamento de células inflamatórias.

Leia mais

Otosporin hidrocortisona sulfato de neomicina sulfato de polimixina B. Forma farmacêutica e apresentação Suspensão otológica Embalagem contendo 10 ml

Otosporin hidrocortisona sulfato de neomicina sulfato de polimixina B. Forma farmacêutica e apresentação Suspensão otológica Embalagem contendo 10 ml Otosporin hidrocortisona sulfato de neomicina sulfato de polimixina B Forma farmacêutica e apresentação Suspensão otológica Embalagem contendo 10 ml USO ADULTO E PEDIÁTRICO ACIMA DE 1 ANO. VIA OTOLÓGICA

Leia mais

Caso Clínico 16/04/2015. Declaração de conflito de interesse. Fernando Lundgren

Caso Clínico 16/04/2015. Declaração de conflito de interesse. Fernando Lundgren Síndrome / Fernando Lundgren Declaração de conflito de interesse De acordo com a Norma 1595/2000 do Conselho Federal de Medicina e a Resolução RDC 96/2008 da Agência de Vigilância Sanitária declaro que:

Leia mais

Revista Paulista de Pediatria ISSN: 0103-0582 rpp@spsp.org.br Sociedade de Pediatria de São Paulo Brasil

Revista Paulista de Pediatria ISSN: 0103-0582 rpp@spsp.org.br Sociedade de Pediatria de São Paulo Brasil Revista Paulista de Pediatria ISSN: 0103-0582 rpp@spsp.org.br Sociedade de Pediatria de São Paulo Brasil Sole, Dirceu; Jacob, Cristina Miuki A.; Pastorino, Antônio Carlos; Porto Neto, Arnaldo; Burns, Dennis

Leia mais

ASMA BRÔNQUICA TRATAMENTO NOVAS TENDÊNCIAS

ASMA BRÔNQUICA TRATAMENTO NOVAS TENDÊNCIAS ASMA BRÔNQUICA TRATAMENTO NOVAS TENDÊNCIAS Pediátrica Hospital Infantil Darcy Vargas Lúcia Maria Barbalho Guirau Doença inflamatória crônica VAI (mastócitos, eosinófilos, linf T, neutrófilos,etc) Hiperresponsividade

Leia mais

ANEXO 2 VALIDADE DE INSTRUMENTOS DE DIAGNÓSTICO

ANEXO 2 VALIDADE DE INSTRUMENTOS DE DIAGNÓSTICO ANEXO 2 VALIDADE DE INSTRUMENTOS DE DIAGNÓSTICO 207 ANEXO 2 Em vigilância e em investigações de surtos, como em várias outras aplicações da epidemiologia, é importante conhecer os conceitos e aplicações

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA. Fernanda de Figueiredo Beda

UNIVERSIDADE PAULISTA. Fernanda de Figueiredo Beda 1 UNIVERSIDADE PAULISTA Fernanda de Figueiredo Beda Hipersensibilidade ao leite de vaca e possível terapia utilizando o leite de cabra Monografia apresentada para a conclusão do curso de Graduação em Medicina

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO TRATAMENTO DE DESSENSIBILIZAÇÃO NA ALERGIA ÀS PROTEÍNAS DO LEITE DE VACA (APLV)

A IMPORTÂNCIA DO TRATAMENTO DE DESSENSIBILIZAÇÃO NA ALERGIA ÀS PROTEÍNAS DO LEITE DE VACA (APLV) A IMPORTÂNCIA DO TRATAMENTO DE DESSENSIBILIZAÇÃO NA ALERGIA ÀS PROTEÍNAS DO LEITE DE VACA (APLV) Barbara Cavenaghi¹, Mariana Regina Azanha Sanches¹, Prof.Dra Susana Nogueira Diniz² 1. Graduadas em Biomedicina

Leia mais

Rinite. Asma. montelucaste. Margarete Arrais MD, Pneumologista

Rinite. Asma. montelucaste. Margarete Arrais MD, Pneumologista Asma Rinite montelucaste Margarete Arrais MD, Pneumologista Introdução A asma apresenta muitas vezes uma estreita relação com a rinite alérgica. Manifestação diferente de uma mesma entidade nosológica.

Leia mais

Transfusão de sangue UHN. Informação para os pacientes sobre os benefícios, riscos e alternativas

Transfusão de sangue UHN. Informação para os pacientes sobre os benefícios, riscos e alternativas Transfusão de sangue Blood Transfusion - Portuguese UHN Informação para os pacientes sobre os benefícios, riscos e alternativas Quais são os benefícios da transfusão de sangue? A transfusão de sangue pode

Leia mais

Dengue NS1 Antígeno: Uma Nova Abordagem Diagnóstica

Dengue NS1 Antígeno: Uma Nova Abordagem Diagnóstica Dengue NS1 Antígeno: Uma Nova Abordagem Diagnóstica Dengue é uma doença endêmica que afeta mais de 100 países, incluindo as regiões de clima tropical e subtropical da África, Américas, Leste do Mediterrâneo,

Leia mais

Sensibilização ao látex em dois grupos de trabalhadores de hospital geral

Sensibilização ao látex em dois grupos de trabalhadores de hospital geral 07/30-02/62 Rev. bras. alerg. imunopatol. Copyright 2007 by ASBAI ARTIGO ORIGINAL Sensibilização ao látex em dois grupos de trabalhadores de hospital geral Latex sensitization among two groups of workers

Leia mais

HEPATITE C PCR Qualitativo, Quantitativo e Genotipagem

HEPATITE C PCR Qualitativo, Quantitativo e Genotipagem HEPATITE C PCR Qualitativo, Quantitativo e Genotipagem O Vírus da Hepatite C (HCV) é considerado o principal agente etiológico responsável por 90 a 95% dos casos de hepatite pós-transfusional não A e não

Leia mais

EpiCor FORTALECIMENTO IMUNOLÓGICO COM COMPROVADA AÇÃO ANTIALÉRGICA

EpiCor FORTALECIMENTO IMUNOLÓGICO COM COMPROVADA AÇÃO ANTIALÉRGICA EpiCor FORTALECIMENTO IMUNOLÓGICO COM COMPROVADA AÇÃO ANTIALÉRGICA EpiCor é um alimento funcional que aumenta expressivamente a resistência imunológica, previne gripes e resfriados, reduz riscos de doenças

Leia mais

LITERATURA EPICOR FORTALECIMENTO IMUNOLÓGICO COM COMPROVADA AÇÃO ANTIALÉRGICA

LITERATURA EPICOR FORTALECIMENTO IMUNOLÓGICO COM COMPROVADA AÇÃO ANTIALÉRGICA EPICOR FORTALECIMENTO IMUNOLÓGICO COM COMPROVADA AÇÃO ANTIALÉRGICA O sistema imunológico, é extremamente importante no combate a microrganismos invasores como bactérias, vírus, protozoários e fungos, além

Leia mais