TEMAS LIVRES DO XXXI CONGRESSO BRASILEIRO DE ALERGIA APRESENTAÇÃO: ORAL DATA.: 06/11/2004 SALA BRUM NEGREIROS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TEMAS LIVRES DO XXXI CONGRESSO BRASILEIRO DE ALERGIA APRESENTAÇÃO: ORAL DATA.: 06/11/2004 SALA BRUM NEGREIROS"

Transcrição

1 APRESENTAÇÃO: ORAL DATA.: 06/11/2004 SALA BRUM NEGREIROS NÚMERO TEMA LIVRE TÍTULO LEPTINA PARTICIPA DO CONTROLE DA APOPTOSE EM TIMO ATRAVÉS DE MECANISMO DE SINALIZAÇÃO DEPENDENTE DA VIA 001 IRS-1/PI 3-QUINASE AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE OXIDATIVA DE NEUTRÓFILOS ESTIMULADOS COM PMA E LPS PELO TESTE DA DHR 123 EM PACIENTES COM INFECÇÕES DE REPETIÇÃO. 002 CARACTERIZAÇÃO DO GENE DA MBL (MBL2) E NÍVEIS SÉRICOS DE 003 MBL EM CRIANÇAS BRASILEIRAS AVALIAÇÃO DA RESPOSTA CELULAR EM PACIENTES COM NEUROCRIPTOCOCOSE HIV NEGATIVOS E POSITIVOS. 004 RESPOSTA HUMORAL E ATIVIDADE BACTERICIDA DE SOROS DE PACIENTES COM MENINGITE MENINGOCÓCICA POR NEISSERIA 005 MENINGITIDIS SOROGRUPOS B E C USCETIBILIDADE A PATÓGENOS INTRACELULARES ASSOCIADOS A 006 DISTÚRBIOS DO EIXO IL-12 IFN-GAMA RELAÇÃO ENTRE NÍVEIS INICIAIS DE IGG, CÉLULAS B CD19 + E QUADRO CLÍNICO EM PACIENTES COM IMUNODEFICIÊNCIA 007 COMUM VARIÁVEL. TEMAS LIVRES DO XXXI CONGRESSO BRASILEIRO DE ALERGIA APRESENTAÇÃO: ORAL DATA.: 06/11/2004

2 SALA WALDEMIR ANTUNES PERCEPÇÃO DE BRONCOESPASMO INDUZIDO POR EXERCÍCIO NAS CRIANÇAS E NOS ADOLESCENTES DE ACORDO COM A ESCALA ANALÓGICA VISUAL BRONCOESPASMO INDUZIDO POR EXERCÍCIO EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES E PERCEPÇÃO EVIDENCIADA PELO QUESTIONÁRIO ISAAC A PERCEPÇÃO DE BRONCOESPASMO INDUZIDO POR EXERCÍCIO NAS CRIANÇAS E NOS ADOLESCENTES INFLUENCIA A PRÁTICA DE EXERCÍCIOS? BRONCOESPASMO INDUZIDO POR EXERCÍCIO PODE SER EVIDENCIADO ADEQUADAMENTE COM O QUESTIONÁRIO ISAAC? AVALIAÇÃO DO ÍNDICE CLÍNICO E ESCORE DE MEDICAMENTOS DOS PACIENTES SUBMETIDOS Á IMUNOTERAPIA ESPECÍFICA PARA ÁCAROS COBERTURA DA VACINA BCG EM ADOLESCENTES DE ESCOLAS PÚBLICAS DA CIDADE DO RECIFE - PE FREQUÊNCIA DE CICATRIZ DE VACINA BCG E DIAGNÓSTICO DE ASMA EM ADOLESCENTES

3 APRESENTAÇÃO: ORAL DATA.: 07/11/2004 SALA BRUM NEGREIROS Número do Disquete NÚMERO TEMA LIVRE TÍTULO ESTUDO DA FREQÜÊNCIA RELATIVA ENTRE OS GRUPOS DE IMUNODEFICIÊNCIAS PRIMÁRIAS NO AMBULATÓRIO DE DEFICIÊNCIAS IMUNES - HOSPITAL DAS CLÍNICAS DE RIBEIRÃO PRETO- USP AVALIAÇÃO DA FREQÜÊNCIA DE DOENÇAS AUTO-IMUNES E ASSOCIAÇÕES NO AMBULATÓRIO DE IMUNOLOGIA CLÍNICA E ALERGIA DO HCFMUSP DURANTE O PERÍODO DE JULHO DE 2003 A OUTUBRO DE 2004 O DIAGNÓSTICO DAS IMUNODEFICIÊNCIAS PRIMÁRIAS DEPENDE DO CENTRO DE REFERÊNCIA? CORRELAÇÃO ENTRE MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS, GENÉTICAS E IMUNOBIOLÓGICAS NA SÍNDROME DE DIGEORGE E ASSOCIAÇÃO CHARGE LEUCEMIA AGUDA NO DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DE MANIFESTAÇÕES INFECCIOSAS DE REPETIÇÃO OU DE EVOLUÇÃO ATÍPICA NA CRIANÇA EFEITOS IMUNOMODULADORES DA GAMAGLOBULINA INTRAVENOSA NA SÍNDROME DE HIPER-IGE ESTUDO TERAPÊUTICO DE IL-2 HUMANA EM COMBINAÇÃO COM USO DE GAMAGLOBULINA ENDOVENOSA EM PACIENTES COM IMUNODEFICIÊNCIA COMUM VARIÁVEL.

4 APRESENTAÇÃO: ORAL DATA.: 07/11/2004 SALA WALDEMIR ANTUNES REPRODUTIBILIDADE DA CINTIGRAFIA COM TECNÉCIO 99 M ACHADOS DA TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA DE ALTA RESOLUÇÃO (TCAR) DE TÓRAX EM PACIENTES COM ASMA DE DIFÍCIL CONTROLE MEDIDA DO VEF1 APÓS USO DE BRONCODILATADOR COM E SEM ESPAÇADOR AVALIAÇÃO ESPIROMÉTRICA DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES ASMÁTICOS ACOMPANHADOS EM AMBULATÓRIO ESPECIALIZADO PACIENTES COM POSITIVIDADE SIMULTÂNEA A DER P E SULFATO DE NÍQUEL: RESULTADO DA RESPOSTA LINFOPROLIFERATIVA, CITOMETRIA DE FLUXO E CITOCINAS EXPOSIÇÃO A AEROALÉRGENOS EM UTILITÁRIOS DE TRANSPORTE ESCOLAR NA CIDADE DE UBERLÂNDIA, MG EXPOSIÇÃO A AEROALÉRGENOS EM VEÍCULOS DE PASSEIO NA CIDADE DE UBERLÂNDIA, MG.

5 APRESENTAÇÃO: ORAL DATA.: 08/11/2004 SALA BRUM NEGREIROS PREVALÊNCIA DE URTICÁRIA DE PRESSÃO TARDIA EM PACIENTES COM URTICÁRIA CRÔNICA URTICÁRIA AO FRIO ASSOCIADO COM URTICÁRIA COLINÉRGICA COM MAIS DE 10 ANOS DE EVOLUÇÃO EM INDIVÍDUO ATÓPICO REAÇÕES ADVERSAS A ANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO HORMONAIS NO AMBULATÓRIO DO SERVIÇO DE IMUNOLOGIA CLÍNICA E ALERGIA DO HC FMUSP ANÁLISE DOS AGENTES FÍSICOS COMO DESENCADEANTES EM QUADRO DE URTICÁRIA CRÔNICA ALERGIAS AOS ANTICONVULSIVANTES AROMÁTICOS ANÁLISE DE 10 PACIENTES AVALIAÇÃO DAS REAÇÕES ADVERSAS CUTÂNEAS EM PACIENTES INTERNADOS NO HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL DE SÃO PAULO FRANCISCO MORATO DE OLIVEIRA TESTES CUTÂNEOS E DE PROVOCAÇÃO COM MEDICAMENTOS: EXPERIÊNCIA DO AMBULATÓRIO DE REAÇÕES ADVERSAS A DROGAS (RAD) DO HC-FMUSP NO PERÍODO DE JULHO DE 2003 A SETEMBRO DE

6 APRESENTAÇÃO: ORAL DATA.: 08/11/2004 SALA WALDEMIR ANTUNES CICLOSPORINA A ORAL NA DERMATITE ATÓPICA GRAVE DIAGNÓSTICO CLÍNICO E ETIOLÓGICO DA ALERGIA OCULAR DERMATITE ATÓPICA E ALERGIA ALIMENTAR NOS PACIENTES DO SERVIÇO DE ALERGIA E IMUNOLOGIA DO HSPE O USO DA TALIDOMIDA NA DERMATITE ATÓPICA GRAVE: ESTUDO RETROSPECTIVO DE 11 CASOS HIPOALBUMINEMIA EM PACIENTE COM DERMATITE ATÓPICA GRAVE EM AGUDIZAÇÃO: RELATO DE CASO PERSISTÊNCIA DA ALERGIA AO LEITE DE VACA AOS 5 ANOS DE IDADE: EXPERIÊNCIA DE UM AMBULATÓRIO ESPECIALIZADO ANÁLISE DO PERFIL DOS PACIENTES PORTADORES DE REAÇÃO ALÉRGICA TIPO I AO LÁTEX NO SERVIÇO DE ALERGIA DO HSPE/FMO -SP

7 APRESENTAÇÃO: ORAL DATA.: 09/11/2004 SALA BRUM NEGREIROS AVALIAÇÃO DO USO DE DISPOSITIVOS INALATÓRIOS DE PÓ SECO (IPS) POR CRIANÇAS E ADOLESCENTES PORTADORES DE ASMA AVALIAÇÃO DO USO DOS DISPOSITIVOS DE MEDICAÇÃO INALATÓRIA POR CRIANÇAS E ADOLESCENTES PORTADORES DE ASMA DISPOSITIVOS INALATÓRIOS NA CRISE AGUDA DE ASMA: UM ESTUDO RANDOMIZADO, DUPLO-CEGO, DOUBLE-DUMMY CONTROLADO COM PLACEBO ALÉRGENOS DE DERMATOPHAGOIDES PTERONYSSINUS LIGANTES DE CONCANAVALINA A QUE RECONHECEM IGE DE PACIENTES ATÓPICOS ANÁLISE CROMATOGRÁFICA E ANTIGÊNICA DE EXTRATOS DE CORPO TOTAL DO MOSQUITO CULEX QUINQUEFASCIATUS AVALIAÇÃO DO USO DE IMUNOTERAPIA SUBLINGUAL ESPECÍFICA PARA O LÁTEX EM PACIENTES PORTADORES DE ALERGIA AO LÁTEX SÍNDROME LÁTEX-FRUTAS: REAÇÃO CRUZADA ENTRE ALIMENTOS DE ORIGEM VEGETAL E ALERGIA AO LÁTEX

8 APRESENTAÇÃO: ORAL DATA.: 09/11/2004 SALA WALDEMIR ANTUNES PREVALÊNCIA DE SENSIBILIZAÇÃO A FUNGOS EM GRADUANDOS DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ PREVALÊNCIA DE SENSIBILIZAÇÃO A ÁCAROS EM GRADUANDOS DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ AVALIAÇÃO DO CONHECIMENTO SOBRE ASMA NOS PACIENTES EM SEGUIMENTO EM UM AMBULATÓRIO DE ALERGIA E IMUNOLOGIA PEDIÁTRICA SENSIBILIZAÇÃO A ALÉRGENOS INALÁVEIS EM CRIANÇAS COM ALERGIA RESPIRATÓRIA NA CIDADE DO RIO DE JANEIRO : COMPARAÇÃO ENTRE ASMA BRÔNQUICA E RINITE ALÉRGICA CAUSAS E PREVALÊNCIA DE ALERGIA RESPIRATÓRIA EM POPULAÇÕES EXPOSTAS A AERODISPERSÍVEIS ORIUNDOS DA SOJA DOENÇAS RELACIONADAS A EDIFICAÇÕES: PREVALÊNCIA DE SINTOMAS EM TRABALHADORES DE DOIS EDIFÍCIOS DE ESCRITÓRIOS NO RIO DE JANEIRO DOENÇAS RELACIONADAS A EDIFICAÇÕES: PREVALÊNCIA DE SINTOMAS E CORRELAÇÃO COM OS NÍVEIS DE POLUENTES DO AMBIENTE INTERNO EM PRÉDIO DE ESCRITÓRIOS NO RIO DE JANEIRO

Palácio dos Bandeirantes Av. Morumbi, 4.500 - Morumbi - CEP 05698-900 - Fone: 3745-3344 Nº 223 DOE de 28/11/07. Saúde GABINETE DO SECRETÁRIO

Palácio dos Bandeirantes Av. Morumbi, 4.500 - Morumbi - CEP 05698-900 - Fone: 3745-3344 Nº 223 DOE de 28/11/07. Saúde GABINETE DO SECRETÁRIO Diário Oficial Estado de São Paulo Poder Executivo Seção I Palácio dos Bandeirantes Av. Morumbi, 4.500 - Morumbi - CEP 05698-900 - Fone: 3745-3344 Nº 223 DOE de 28/11/07 Saúde GABINETE DO SECRETÁRIO Resolução

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 48. Na reação de hipersensibilidade imediata do tipo I, qual dos seguintes mediadores é neoformado nos tecidos?

PROVA ESPECÍFICA Cargo 48. Na reação de hipersensibilidade imediata do tipo I, qual dos seguintes mediadores é neoformado nos tecidos? 11 PROVA ESPECÍFICA Cargo 48 QUESTÃO 26 Na reação de hipersensibilidade imediata do tipo I, qual dos seguintes mediadores é neoformado nos tecidos? a) Heparina. b) Histamina. c) Fator ativador de plaquetas

Leia mais

Alérgenos de origem alimentar: eles são preocupantes? Flavio Finardi Filho FCF USP ffinardi@usp.br

Alérgenos de origem alimentar: eles são preocupantes? Flavio Finardi Filho FCF USP ffinardi@usp.br Alérgenos de origem alimentar: eles são preocupantes? Flavio Finardi Filho FCF USP ffinardi@usp.br Alérgenos de origem alimentar Características gerais glicoproteínas resistência térmica resistente à proteólise

Leia mais

TRATAMENTO DE ALERGIA RESPIRATÓRIA 2/3

TRATAMENTO DE ALERGIA RESPIRATÓRIA 2/3 TRATAMENTO DE ALERGIA RESPIRATÓRIA 2/3 SISTEMA IMUNE E ALERGIA Por alergia, entendem-se as repostas imunes indesejadas contra substâncias que venceram as barreiras como, os epitélios, as mucosas e as enzimas.

Leia mais

Declaração de Conflitos de Interesse. Nada a declarar.

Declaração de Conflitos de Interesse. Nada a declarar. Declaração de Conflitos de Interesse Nada a declarar. Avaliação clínico-laboratorial do paciente alérgico RAST Silvia Daher Apoio: Phadia Diagnósticos Ltda HISTÓRIA TESTE CUTÂNEO RAST SD Diagnóstico de

Leia mais

Doenças Respiratórias Crônicas. Caderno de Atenção Básica 25

Doenças Respiratórias Crônicas. Caderno de Atenção Básica 25 Doenças Respiratórias Crônicas Caderno de Atenção Básica 25 PREVALÊNCIA O Asma (acomete cerca de 300 milhões de indivíduos no mundo) O Rinite Alérgica (afeta cerca de 20 25% da população) O DPOC (afeta

Leia mais

PROGRAMA DE RESIDÊNCIA EM ALERGIA E IMUNOLOGIA HCFMRP-USP

PROGRAMA DE RESIDÊNCIA EM ALERGIA E IMUNOLOGIA HCFMRP-USP PROGRAMA DE RESIDÊNCIA EM ALERGIA E IMUNOLOGIA HCFMRP-USP Introducao Doenças alérgicas afetam atualmente mais que 20% da população brasileira, e são causa importante de doença crônica no mundo inteiro.

Leia mais

ALERGIA E IMUNOLOGIA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA EM HCFMRP-USP

ALERGIA E IMUNOLOGIA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA EM HCFMRP-USP 1 PROGRAMA DE RESIDÊNCIA EM ALERGIA E IMUNOLOGIA HCFMRP-USP 2 Introdução Doenças alérgicas afetam atualmente mais que 20% da população brasileira, e são causa importante de doença crônica no mundo inteiro.

Leia mais

Alergia e Pneumologia Pediátrica Hospital Infantil João Paulo II Hospital Felício Rocho www.alergopneumoped.com.br. Wilson Rocha Filho

Alergia e Pneumologia Pediátrica Hospital Infantil João Paulo II Hospital Felício Rocho www.alergopneumoped.com.br. Wilson Rocha Filho Alergia e Pneumologia Pediátrica Hospital Infantil João Paulo II Hospital Felício Rocho www.alergopneumoped.com.br Wilson Rocha Filho De acordo com as normas n o 1.595/2000 do Conselho Federal de Medicina

Leia mais

Sumário. Data: 23/05/2013 NOTA TÉCNICA 75/2013. Medicamento/ x dieta Material Procedimento Cobertura. Solicitante. Processo Número 0024 13 023060-0

Sumário. Data: 23/05/2013 NOTA TÉCNICA 75/2013. Medicamento/ x dieta Material Procedimento Cobertura. Solicitante. Processo Número 0024 13 023060-0 NOTA TÉCNICA 75/2013 Solicitante Juiz de Direito Dr.Alexsander Antenor Penna Silva Comarca de João Monlevade Processo Número 0024 13 023060-0 Data: 23/05/2013 Medicamento/ x dieta Material Procedimento

Leia mais

Semana Mundial da Alergia 13 a 19 de Abril de 2015

Semana Mundial da Alergia 13 a 19 de Abril de 2015 Semana Mundial da Alergia 13 a 19 de Abril de 2015 Associação Brasileira de Alergia e Imunologia Regional Rio de Janeiro ASBAI RJ www.asbairj.org.br Semana Mundial da Alergia 2014 Rio de Janeiro - Brasil

Leia mais

MUCOSA RINOSSINUSAL. José Ângelo Rizzo IMPACTO DO MANEJO DA RINITE NA OBTENÇÃO DO CONTROLE DA ASMA

MUCOSA RINOSSINUSAL. José Ângelo Rizzo IMPACTO DO MANEJO DA RINITE NA OBTENÇÃO DO CONTROLE DA ASMA José Ângelo Rizzo IMPACTO DO MANEJO DA RINITE NA OBTENÇÃO DO CONTROLE DA ASMA CENTRO DE PESQUISAS EM ALERGIA E IMUNOLOGIA CLÍNICA EM PEDIATRIA HOSPITAL DAS CLÍNICAS/UFPE MUCOSA RINOSSINUSAL..... 1 MUCOSA

Leia mais

PLANEJAMENTO DO TRATAMENTO DA ASMA BRÔNQUICA

PLANEJAMENTO DO TRATAMENTO DA ASMA BRÔNQUICA PLANEJAMENTO DO TRATAMENTO DA ASMA BRÔNQUICA O estudo do sistema imune (proteção) surgiu no início do século 20, com futuro muito promissor, mas isto não se confirmou de imediato. Os fenômenos imunológicos

Leia mais

Concurso Público. Exames laboratoriais: Com base nesses dados, responda às questões a seguir:

Concurso Público. Exames laboratoriais: Com base nesses dados, responda às questões a seguir: 01 Concurso Público Menina de sete anos de idade apresentou imagem radiológica de pneumatoceles em ambos os pulmões. História pregressa de rash neonatal, atraso da dentição e fraturas recorrentes devido

Leia mais

Easy PDF Creator is professional software to create PDF. If you wish to remove this line, buy it now.

Easy PDF Creator is professional software to create PDF. If you wish to remove this line, buy it now. Programa de Residência Médica em Alergia e Imunologia Clínica A - Objetivos gerais da ASBAI para o programa de Residência Médica em Alergia e Imunologia Clínica. 1- Aprimorar as habilidades técnicas, o

Leia mais

MÉTODOS DIAGNÓSTICOS EM ALERGIA

MÉTODOS DIAGNÓSTICOS EM ALERGIA MÉTODOS DIAGNÓSTICOS EM ALERGIA INTRODUÇÃO HISTÓRIA CLÍNICA; ANTECEDENTES FAMILIARES E PESSOAIS; AVALIAÇÃO CLÍNICA; REPERCUSSÃO DA ALERGIA; FATORES DESENCADEANTES; A história e a avaliação clínica de uma

Leia mais

SÍNDROME DE HIPER-IgM

SÍNDROME DE HIPER-IgM SÍNDROME DE HIPER-IgM Esta brochura é para ser usada pelos pacientes e pelas suas famílias e não deve substituir o aconselhamento de um imunologista clínico. 1 Também disponível: AGAMAGLOBULINEMIA LIGADA

Leia mais

ALERGIAS NA INFÂNCIA

ALERGIAS NA INFÂNCIA ALERGIAS NA INFÂNCIA Tema: Alergias na Infância Objetivos Conceituar alergia, classificar os principais tipos e indutores das doenças alérgicas. Identificar e relacionar os fatores de risco associados

Leia mais

Rejeição de Transplantes Doenças Auto-Imunes

Rejeição de Transplantes Doenças Auto-Imunes Rejeição de Transplantes Doenças Auto-Imunes Mecanismos da rejeição de transplantes Envolve várias reações de hipersensibilidade, tanto humoral quanto celular Habilidade cirúrgica dominada para vários

Leia mais

Intolerâncias Alimentares Distúrbios da Deglutição

Intolerâncias Alimentares Distúrbios da Deglutição Intolerâncias Alimentares Distúrbios da Deglutição Intolerâncias Alimentares Alergias alimentares Intolerâncias metabólicas Reações farmacológicas Erros congênitos do metabolismo Alergia alimentar Mediada

Leia mais

TEMA: NEOCATE NA ALERGIA A LEITE DE VACA (APLV)

TEMA: NEOCATE NA ALERGIA A LEITE DE VACA (APLV) NOTA TÉCNICA 24/2014 Solicitante Regina Célia Silva Neves Juizado Fazenda Pública de Itaúna Processo Número 0338.13.012.595-2 Data: 07/02/2014 Medicamento/ dieta x Material Procedimento Cobertura TEMA:

Leia mais

Semana Mundial da Alergia 08 a 14/04/2013. Atividades nos Serviços de Alergia e Imunologia do Rio de Janeiro

Semana Mundial da Alergia 08 a 14/04/2013. Atividades nos Serviços de Alergia e Imunologia do Rio de Janeiro Semana Mundial da Alergia 08 a 14/04/2013 Atividades nos Serviços de Alergia e Imunologia do Rio de Janeiro ABRA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ASMÁTICOS palestra na quarta feira, dia 10 abril, no período da

Leia mais

12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS ALERGISTA. Com relação à corticoterapia sistêmica na dermatite atópica grave, assinale a resposta CORRETA:

12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS ALERGISTA. Com relação à corticoterapia sistêmica na dermatite atópica grave, assinale a resposta CORRETA: 12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS ALERGISTA QUESTÃO 21 Com relação à corticoterapia sistêmica na dermatite atópica grave, assinale a resposta CORRETA: a) não há estudos sistematizados que avaliem a

Leia mais

Métodos sorológicos de Diagnóstico e Pesquisa. Reação Ag-Ac in vitro

Métodos sorológicos de Diagnóstico e Pesquisa. Reação Ag-Ac in vitro Métodos sorológicos de Diagnóstico e Pesquisa Reação Ag-Ac in vitro Testes sorológicos Uso de soro ou outros fluidos biológicos de paciente p/ diagnóstico laboratorial Demonstração de anticorpos específicos

Leia mais

INDICAÇÃO DE VACINAS ESPECIAIS (CRIE)

INDICAÇÃO DE VACINAS ESPECIAIS (CRIE) SUBPAV/SVS COORDENAÇÃO DO PROGRAMA DE IMUNIZAÇÕES INDICAÇÃO DE VACINAS ESPECIAIS (CRIE) VACINA INATIVADA CONTRA POLIOMIELITE (VIP) Crianças imunocomprometidas (com deficiência imunológica congênita ou

Leia mais

PLANILHA GERAL - Fundamentos da Clínica IV - 8º - 2º 2015

PLANILHA GERAL - Fundamentos da Clínica IV - 8º - 2º 2015 PLANILHA GERAL - Fundamentos da Clínica IV - 8º - 2º 2015 Dia Data Hora Professor Sala Conteúdo Módulo QUINTA 06/08/2015 Aula Inaugural Med e Fisiopatologia das doenças respiratórias: edema, inflamação,

Leia mais

HIV/AIDS Pediatria Sessão Clínica do Internato Revisão Teórica. Orientadora: Dra Lícia Moreira Acadêmico: Pedro Castro (6 Ano)

HIV/AIDS Pediatria Sessão Clínica do Internato Revisão Teórica. Orientadora: Dra Lícia Moreira Acadêmico: Pedro Castro (6 Ano) HIV/AIDS Pediatria Sessão Clínica do Internato Revisão Teórica Orientadora: Dra Lícia Moreira Acadêmico: Pedro Castro (6 Ano) AIDS Conceito Doença que manifesta-se por infecções comuns de repetição, infecções

Leia mais

VIROLOGIA HUMANA. Professor: Bruno Aleixo Venturi

VIROLOGIA HUMANA. Professor: Bruno Aleixo Venturi VIROLOGIA HUMANA Professor: Bruno Aleixo Venturi O que são vírus? A palavra vírus tem origem latina e significa "veneno". Provavelmente esse nome foi dado devido às viroses, que são doenças causadas por

Leia mais

Algoritmo de investigação Alterações do leucograma

Algoritmo de investigação Alterações do leucograma 2013 26 de Abril Sexta-feira Algoritmo de investigação Lígia Peixoto Manuel Ferreira Gomes Teste simples e barato. Consiste no estudo da série branca, efectuando-se uma contagem total Intervalos dos leucócitos

Leia mais

13 RESUMO DAS INDICAÇÕES DOS CRIES, POR IMUNOBIOLÓGICO

13 RESUMO DAS INDICAÇÕES DOS CRIES, POR IMUNOBIOLÓGICO 13 RESUMO DAS INDICAÇÕES DOS CRIES, POR IMUNOBIOLÓGICO Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS)/MS Manual dos Centros de Referência para Imunobiológicos Especiais 2014 1 Vacina inativada poliomielite (VIP)

Leia mais

Protocolo de Atendimento de Reação Adversa a Medicações

Protocolo de Atendimento de Reação Adversa a Medicações Protocolo de Atendimento de Reação Adversa a Medicações Unidade de Anestesia Versão eletrônica atualizada em Março 2009 Protocolo de Atendimento de Reação Adversa a Medicações Definições OMS Uma resposta

Leia mais

Suspeita clínic a de doença celíaca. + IgA sérica POSITIVO 3? Anti-gliadina IgG POSITIVO?

Suspeita clínic a de doença celíaca. + IgA sérica POSITIVO 3? Anti-gliadina IgG POSITIVO? DOENÇA CELÍACA Suspeita clínic a de doença celíaca ttg 1 IgA ou Antiendomísio (AEM) IgA 2 + IgA sérica 3? Probabilidade de doença celíaca é baixa Probabilidade de doença celíaca é alta Deficiência de IgA?

Leia mais

Glossário. Caso Pendente de Intoxicação: aquele que não passou por avaliação médica.(oms)

Glossário. Caso Pendente de Intoxicação: aquele que não passou por avaliação médica.(oms) Toxicovigilância Glossário Agente Tóxico (Toxicante): é qualquer substância, ou seus metabólitos, capaz de produzir um efeito tóxico (nocivo, danoso) num organismo vivo, ocasionando desde alterações bioquímicas,

Leia mais

PEDIATRIA CLÍNICA 1. OBJETIVOS

PEDIATRIA CLÍNICA 1. OBJETIVOS PEDIATRIA CLÍNICA PROGRAMA PARA O 6º. ANO DE MEDICINA 2015 Estágio obrigatório em tempo integral, que visa à formação em Pediatria Geral, em estagio prático, sob supervisão docente, com ênfase ao raciocínio

Leia mais

ENSAIOS IMUNOLÓGICOS NAS ENFERMIDADES VIRAIS ANTICORPOS MONOCLONAIS GENÉTICA MOLECULAR CITOMETRIA DE FLUXO

ENSAIOS IMUNOLÓGICOS NAS ENFERMIDADES VIRAIS ANTICORPOS MONOCLONAIS GENÉTICA MOLECULAR CITOMETRIA DE FLUXO ENSAIOS IMUNOLÓGICOS NAS ENFERMIDADES VIRAIS I - INTRODUÇÃO *NOVAS TECNOLOGIAS ANTICORPOS MONOCLONAIS GENÉTICA MOLECULAR CITOMETRIA DE FLUXO *DECISÃO DIAGNÓSTICA CONFIRMAÇÃO TRATAMENTO MONITORAMENTO PREVENÇÃO

Leia mais

Nota Técnica de Caxumba

Nota Técnica de Caxumba Nota Técnica de Caxumba Isabella Ballalai Membro do comitê de Saúde Escolar da SOPERJ e presidente da SBIm Tânia Cristina de M. Barros Petraglia Presidente do comitê de Infectologia da SOPERJ e vice presidente

Leia mais

CICLOSPORINA PARA DERMATITE ATÓPICA REFRATÁRIA

CICLOSPORINA PARA DERMATITE ATÓPICA REFRATÁRIA Medicamento X Data: 30/09/2013 Nota Técnica 238 2013 Solicitante: Juiz de Direito JOSÉ CARLOS DE MATOS Material Procedimento Cobertura Número do processo: 0362.13.009927-2. Réu: Município de João Monlevade

Leia mais

PERFIS COM EXIGÊNCIA DE INSCRIÇÃO NOS CONSELHOS DE CLASSE

PERFIS COM EXIGÊNCIA DE INSCRIÇÃO NOS CONSELHOS DE CLASSE PERFIS COM EXIGÊNCIA DE INSCRIÇÃO NOS CONSELHOS DE CLASSE CARGO: TÉCNICO EM SAÚDE PÚBLICA Perfil Escolaridade/ Formação Observações Localização Vagas Construção Civil (Edificações) Ensino Médio Completo

Leia mais

Contagem total de leucócitos Contagem diferencial e absoluta Neutrófilos Linfócitos Monócitos Eosinófilos Basófilos Achados de esfregaço sanguíneo

Contagem total de leucócitos Contagem diferencial e absoluta Neutrófilos Linfócitos Monócitos Eosinófilos Basófilos Achados de esfregaço sanguíneo Contagem total de leucócitos Contagem diferencial e absoluta Neutrófilos Linfócitos Monócitos Eosinófilos Basófilos Achados de esfregaço sanguíneo Contagem total de leucócitos Contagem diferencial e absoluta

Leia mais

Programas de Controlo de Qualidade Externo UK NEQAS ALERGIA E IMUNODEFICIÊNCIA

Programas de Controlo de Qualidade Externo UK NEQAS ALERGIA E IMUNODEFICIÊNCIA Programas de Controlo de Qualidade Externo UK NEQAS ALERGIA E IMUNODEFICIÊNCIA Programas Disponíveis Analitos Nº de distribuições por ano Nº de amostras por distribuição IgE Total IgE Total 6 2 IgE Específica

Leia mais

Mycobacterium sp. Classe Actinomycetes. Família Mycobacteriaceae. Gêneros próximos: Nocardia, Rhodococcus e Corynebacterium

Mycobacterium sp. Classe Actinomycetes. Família Mycobacteriaceae. Gêneros próximos: Nocardia, Rhodococcus e Corynebacterium Mycobacterium sp. Classe Actinomycetes Família Mycobacteriaceae Gêneros próximos: Nocardia, Rhodococcus e Corynebacterium Mycobacterium sp. Complexo M.tuberculosis M.tuberculosis M.bovis M.africanum Micobactérias

Leia mais

Eficácia clínica da imunoterapia nasal comparada com imunoterapia sublingual em pacientes com rinite alérgica

Eficácia clínica da imunoterapia nasal comparada com imunoterapia sublingual em pacientes com rinite alérgica 09/32-01/13 Rev. bras. alerg. imunopatol. Copyright 2009 by ASBAI ARTIGO ORIGINAL Eficácia clínica da imunoterapia nasal comparada com imunoterapia sublingual em pacientes com rinite alérgica Clinical

Leia mais

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE GERÊNCIA DE IMUNIZAÇÕES E REDE FRIO GOIÁS EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO CAMPANHA DE MULTIVACINAÇÃO E IMPLANTAÇÃO DA VACINA INATIVADA POLIOMIELITE

Leia mais

Alimentos. O que é? Papel da IgE sérica específica no diagnóstico da alergia alimentar. IgE Específico

Alimentos. O que é? Papel da IgE sérica específica no diagnóstico da alergia alimentar. IgE Específico IgE Específico Alimentos O que é? IgEs específicos para alimentos são testes que avaliam a presença, na amostra testada, de anticorpos IgE contra alérgenos derivados de um alimento específico. Papel da

Leia mais

NORMA TÉCNICA 02/2013

NORMA TÉCNICA 02/2013 Introdução NORMA TÉCNICA 02/2013 DOENÇA PULMONAR OBSTRUTIVA CRÔNICA - DPOC A doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) se caracteriza por sinais e sintomas respiratórios associados a obstrução crônica

Leia mais

TB - TUBERCULOSE. Prof. Eduardo Vicente

TB - TUBERCULOSE. Prof. Eduardo Vicente TB - TUBERCULOSE Prof. Eduardo Vicente A História do TB A tuberculose foi chamada antigamente de "peste cinzenta", e conhecida também em português como tísica pulmonar ou "doença do peito" - é uma das

Leia mais

TEMA: Seretide, para Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC).

TEMA: Seretide, para Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC). NOTA TÉCNICA 92/2013 Solicitante Dr. Wellington Reis Braz João Monlevade Processo nº 0362.13.4367-6 Data: 13/06/2013 Medicamento X Material Procedimento Cobertura TEMA: Seretide, para Doença Pulmonar Obstrutiva

Leia mais

Patologia Geral AIDS

Patologia Geral AIDS Patologia Geral AIDS Carlos Castilho de Barros Augusto Schneider http://wp.ufpel.edu.br/patogeralnutricao/ SÍNDROME DA IMUNODEFICIÊNCIA ADQUIRIDA (AIDS ou SIDA) Doença causada pela infecção com o vírus

Leia mais

RELATÓRIO PARA A. SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS

RELATÓRIO PARA A. SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE informações sobre recomendações de incorporação de medicamentos e outras tecnologias no SUS RELATÓRIO PARA A SOCIEDADE Este relatório é uma versão resumida do relatório técnico

Leia mais

CONSÓRCIO BRASILEIRO DE CENTROS DE REFERÊNCIA E DE TREINAMENTO EM IMUNODEFICIÊNCIAS PRIMÁRIAS

CONSÓRCIO BRASILEIRO DE CENTROS DE REFERÊNCIA E DE TREINAMENTO EM IMUNODEFICIÊNCIAS PRIMÁRIAS CONSÓRCIO BRASILEIRO DE CENTROS DE REFERÊNCIA E DE TREINAMENTO EM IMUNODEFICIÊNCIAS PRIMÁRIAS OUTUBRO DE 2012 1 CONSÓRCIO BRASILEIRO DE CENTROS DE REFERÊNCIA E DE TREINAMENTO EM IMUNODEFICIÊNCIAS PRIMÁRIAS

Leia mais

A minha criança tem eczema?

A minha criança tem eczema? FONDATION A minha criança tem eczema? Informações para os pais e úteis para os docentes Doutor Jacques ROBERT Pediatra - Alergologista REALIZADO PELA FUNDAÇÃO PARA A DERMATITE ATÓPICA Compreender o eczema

Leia mais

Imunodeficiência Primária (IDP)

Imunodeficiência Primária (IDP) Imunodeficiência Primária (IDP) Sinais de Alerta: Quatro ou mais infecções que necessitam uso de antibióticos no período de 1 ano (otite, bronquite, sinusite, pneumonia) Infecção de repetição ou infecção

Leia mais

Perguntas e respostas sobre imunodeficiências primárias

Perguntas e respostas sobre imunodeficiências primárias Perguntas e respostas sobre imunodeficiências primárias Texto elaborado pelos Drs Pérsio Roxo Júnior e Tatiana Lawrence 1. O que é imunodeficiência? 2. Estas alterações do sistema imunológico são hereditárias?

Leia mais

Imunodepressão em Atletas Os marcadores Laboratoriais

Imunodepressão em Atletas Os marcadores Laboratoriais Imunodepressão em Atletas Os marcadores Laboratoriais Quem Sou? Carlos Ballarati : Formação Medicina: Formado em Medicina pela PUC-SP Sorocaba em 1988. Residência Médica: Clinica Medica Unicamp em 1989

Leia mais

Microbiologia e Imunologia Clínica

Microbiologia e Imunologia Clínica Estudo dos mecanismos naturais de defesa contra doenças. Microbiologia e Imunologia Clínica Estudo do sistema imune do corpo e suas funções e alterações. Profa. Ms. Renata Fontes Fundamentos da Imunologia

Leia mais

TEMA: URO-VAXON no tratamento da infecção recorrente do trato urinário em paciente portador de DM SUMÁRIO 1. RESUMO EXECUTIVO... 3

TEMA: URO-VAXON no tratamento da infecção recorrente do trato urinário em paciente portador de DM SUMÁRIO 1. RESUMO EXECUTIVO... 3 NT89/2013 Solicitante: Ilmo Dr Des. Bitencourt Marcondes 8ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais Data: 10/06/2013 Medicamento X Material Procedimento Cobertura Numeração: 1.0313.13.008851-8/001

Leia mais

1. Motivos biológicos como imunodepressão, asplenia, transplante, AIDS;

1. Motivos biológicos como imunodepressão, asplenia, transplante, AIDS; IMUNOBIOLÓGICOS ESPECIAIS São produtos (vacinas e Imunoglobulinas), destinados aos Centros de Referência para Imunobiológicos Especiais CRIES, objetivando facilitar o acesso de usuários portadores de quadros

Leia mais

168 Rev. bras. alerg. imunopatol. Vol. 31, Nº 5, 2008 Temas livres

168 Rev. bras. alerg. imunopatol. Vol. 31, Nº 5, 2008 Temas livres 168 Rev. bras. alerg. imunopatol. Vol. 31, Nº 5, 2008 Temas livres 001 - Associações entre Dermatite Atópica e Alergia Alimentar em ambulatório especializado de um hospital terciário. Borges DB, Meireles

Leia mais

Introdução: Objetivo. Materiais e métodos:

Introdução: Objetivo. Materiais e métodos: Estudo das alterações citogenéticas em pacientes com suspeita clínica de síndrome mieloproliferativa e em pacientes com leucemia mielóide crônica em uso de imatinib. Experiência do laboratório Sérgio Franco

Leia mais

PROGRAMA PARA CONTROLAR A ASMA PRIMEIRA PARTE

PROGRAMA PARA CONTROLAR A ASMA PRIMEIRA PARTE PROGRAMA PARA CONTROLAR A ASMA PRIMEIRA PARTE O cuidado apropriado com a asma pode ajudar o paciente a prevenir a maior parte das crises, a ficar livre de sintomas problemáticos diurnos e noturnos e a

Leia mais

DOENÇAS AUTO-IMUNES MUCOCUTÂNEAS

DOENÇAS AUTO-IMUNES MUCOCUTÂNEAS Curso: Graduação em Odontologia 4º e 5º Períodos Disciplina: Patologia Oral DOENÇAS AUTO-IMUNES MUCOCUTÂNEAS http://lucinei.wikispaces.com Prof.Dr. Lucinei Roberto de Oliveira 2012 DOENÇAS AUTO-IMUNES

Leia mais

HEPATITE C PCR Qualitativo, Quantitativo e Genotipagem

HEPATITE C PCR Qualitativo, Quantitativo e Genotipagem HEPATITE C PCR Qualitativo, Quantitativo e Genotipagem O Vírus da Hepatite C (HCV) é considerado o principal agente etiológico responsável por 90 a 95% dos casos de hepatite pós-transfusional não A e não

Leia mais

Ass. de Comunicação www.ptexto.com.br. Veículo: Correio Braziliense Data: 17/04/2011 Seção: Trabalho Pág.: 3 Assunto: Great Place to Work

Ass. de Comunicação www.ptexto.com.br. Veículo: Correio Braziliense Data: 17/04/2011 Seção: Trabalho Pág.: 3 Assunto: Great Place to Work Veículo: Correio Braziliense Data: 17/04/2011 Seção: Trabalho Pág.: 3 Assunto: Great Place to Work Veículo: Correio Braziliense Data: 17/04/2011 Seção: Saúde Pág.: 27 Assunto: Amados mas perigosos Veículo:

Leia mais

RESUMO DAS INDICAÇÕES DE IMUNOBIOLÓGICOS ESPECIAIS E ESQUEMAS RECOMENDADOS PELO CRIE/MINISTÉRIO DA SAÚDE

RESUMO DAS INDICAÇÕES DE IMUNOBIOLÓGICOS ESPECIAIS E ESQUEMAS RECOMENDADOS PELO CRIE/MINISTÉRIO DA SAÚDE RESUMO DAS INDICAÇÕES DE IMUNOBIOLÓGICOS ESPECIAIS E ESQUEMAS RECOMENDADOS PELO CRIE/MINISTÉRIO DA SAÚDE Procedimentos para Avaliação e Indicação de Imunobiológicos Especiais: 1. Avaliar histórico vacinal

Leia mais

PROGRAMA TEÓRICO E PRÁTICO PARA ESTÁGIO EM CARDIOLOGIA 2014 Credenciado e reconhecido pela Sociedade Brasileira de Cardiologia

PROGRAMA TEÓRICO E PRÁTICO PARA ESTÁGIO EM CARDIOLOGIA 2014 Credenciado e reconhecido pela Sociedade Brasileira de Cardiologia HOSPITAL SÃO FRANCISCO RIBEIRÃO PRETO ESTADO DE SÃO PAULO PROGRAMA TEÓRICO E PRÁTICO PARA ESTÁGIO EM CARDIOLOGIA 2014 Credenciado e reconhecido pela Sociedade Brasileira de Cardiologia Início 28 de Fevereiro

Leia mais

Imunologia 06/07 Regulação da resposta imune Aula Teórica 10/11/06

Imunologia 06/07 Regulação da resposta imune Aula Teórica 10/11/06 Imunologia 06/07 Regulação da resposta imune Aula Teórica 10/11/06 Leitura recomendada: Immunology 7ed, Male et al, capítulo 11 Regulação pelo antigénio Regulação por anticorpos Regulação por linfócitos

Leia mais

Imunidade aos microorganismos

Imunidade aos microorganismos Imunidade aos microorganismos Características da resposta do sistema imune a diferentes microorganismos e mecanismos de escape Eventos durante a infecção: entrada do MO, invasão e colonização dos tecidos

Leia mais

Atualização do Congresso Americano de Oncologia 2014. Fabio Kater

Atualização do Congresso Americano de Oncologia 2014. Fabio Kater Atualização do Congresso Americano de Oncologia 2014 Fabio Kater Multivitaminas na prevenção do câncer de mama, próstata e pulmão: caso fechado! Revisão da literatura para tipos específicos de câncer

Leia mais

Pulmozyme. (alfadornase) Produtos Roche Químicos e Farmacêuticos S.A. Solução para inalação 1,0 mg/ml

Pulmozyme. (alfadornase) Produtos Roche Químicos e Farmacêuticos S.A. Solução para inalação 1,0 mg/ml Pulmozyme (alfadornase) Produtos Roche Químicos e Farmacêuticos S.A. Solução para inalação 1,0 mg/ml PULMOZYME alfadornase (rhdnase) Roche Outros produtos para o aparelho respiratório APRESENTAÇÃO Pulmozyme

Leia mais

PERFIL DO CONSUMO DE ÀLCOOL EM MULHERES DE UM NÚCLEO DE SAÚDE DA FAMÍLIA

PERFIL DO CONSUMO DE ÀLCOOL EM MULHERES DE UM NÚCLEO DE SAÚDE DA FAMÍLIA PERFIL DO CONSUMO DE ÀLCOOL EM MULHERES DE UM NÚCLEO DE SAÚDE DA FAMÍLIA AGNES MERI YASUDA; Juliana Maria Marques Megale, Quitéria de Lourdes Lourosa; Aldaísa Cassanho Forster; Clarissa Lin Yasuda HOSPITAL

Leia mais

Imunidade Adaptativa Humoral

Imunidade Adaptativa Humoral Imunidade Adaptativa Humoral Daiani Cristina Ciliao Alves Taise Natali Landgraf Imunidade Adaptativa Humoral 1) Anticorpos: Estrutura Localização 2) Maturação de célula B: Interação dependente de célula

Leia mais

ANEXO. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Para candidatos que desejam entrar na 4ª etapa do curso

ANEXO. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Para candidatos que desejam entrar na 4ª etapa do curso ANEXO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Para candidatos que desejam entrar na 4ª etapa do curso Células e Tecidos do Sistema Imune Anatomia do sistema linfático Inflamação aguda e crônica Mecanismos de agressão por

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PESQUISADOR CIENTÍFICO LABORATÓRIOS DE INVESTIGAÇÃO MÉDICA HCFMUSP

CONCURSO PÚBLICO PESQUISADOR CIENTÍFICO LABORATÓRIOS DE INVESTIGAÇÃO MÉDICA HCFMUSP CONCURSO PÚBLICO PESQUISADOR CIENTÍFICO LABORATÓRIOS DE INVESTIGAÇÃO MÉDICA HCFMUSP Período de inscrições 04/08 a 05/09/08, das 8 às 16 horas Local de inscrições Serviço de Seleção do Hospital das Clínicas

Leia mais

Métodos para detecção de alérgenos em alimentos. Gerlinde Teixeira Departamento de Imunobiologia Universidade Federal Fluminense

Métodos para detecção de alérgenos em alimentos. Gerlinde Teixeira Departamento de Imunobiologia Universidade Federal Fluminense Métodos para detecção de alérgenos em alimentos Gerlinde Teixeira Departamento de Imunobiologia Universidade Federal Fluminense Antigenos vs Alérgenos Antigeno Imunógeno Qualquer substância capaz de estimular

Leia mais

PRURIDO VULVAR DIFÍCIL ABORDAGEM

PRURIDO VULVAR DIFÍCIL ABORDAGEM PRURIDO VULVAR DE DE DIFÍCIL DIFÍCIL ABORDAGEM ABORDAGEM Diretora Administrativa da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO) Conselheira do Conselho Regional de Medicina

Leia mais

Maconha. Alessandro Alves. Conhecendo a planta

Maconha. Alessandro Alves. Conhecendo a planta Maconha Alessandro Alves Entenda bem. A maconha é a droga ilícita mais utilizada no mundo. Está entre as plantas mais antigas cultivadas pelo homem. Na China seus grãos são utilizados como alimento e no

Leia mais

MENINGITES. Manual de Instruções

MENINGITES. Manual de Instruções SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DE SÃO PAULO COORDENAÇÃO DOS INSTITUTOS DE PESQUISA CENTRO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DIVISÃO DE DOENÇAS DE TRANSMISSÃO RESPIRATÓRIA MENINGITES Manual de Instruções Critérios

Leia mais

ATUALIZAÇÃO E EDUCAÇÃO EM SÍNDROME DA IMUNODEFICIÊNCIA ADQUIRIDA

ATUALIZAÇÃO E EDUCAÇÃO EM SÍNDROME DA IMUNODEFICIÊNCIA ADQUIRIDA ATUALIZAÇÃO E EDUCAÇÃO EM SÍNDROME DA IMUNODEFICIÊNCIA ADQUIRIDA Daniel Martins do Nascimento 2,3 ; Cristiane Alves Fonseca 1,3 ; Andréia Juliana Leite 1,4 ; 1 Pesquisador Orientador 2 Voluntário Iniciação

Leia mais

Propilenoglicol e potencial alergênico em cosméticos

Propilenoglicol e potencial alergênico em cosméticos Propilenoglicol e potencial alergênico em cosméticos Os cuidados com a aparência física e a busca incessante pelo ideal de beleza levam as pessoas a se submeterem aos mais variados tratamentos estéticos

Leia mais

Seleção de Temas. Questionário - Proficiência Clínica. Área: Imunologia Rodada: Julho/2008. Prezado Participante,

Seleção de Temas. Questionário - Proficiência Clínica. Área: Imunologia Rodada: Julho/2008. Prezado Participante, Seleção de Temas Prezado Participante, Gostaríamos de contar com a sua contribuição para a elaboração dos próximos materiais educativos. Cada questionário desenvolve um assunto (temas) específico dentro

Leia mais

IBFC_801 - ALERGIA E IMUNOLOGIA

IBFC_801 - ALERGIA E IMUNOLOGIA IBFC_801 - ALERGIA E IMUNOLOGIA IBFC_801 - ALERGIA E IMUNOLOGIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS HOSPITALARES HUB - HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DE BRASÍLIA CONCURSO PÚBLICO - EDITAL Nº

Leia mais

TRATAMENTO DE ALERGIA RESPIRATÓRIA 3/3

TRATAMENTO DE ALERGIA RESPIRATÓRIA 3/3 TRATAMENTO DE ALERGIA RESPIRATÓRIA 3/3 VACINA ANTIALÉRGICA UM TRATAMENTO DE EXCELÊNCIA A imunoterapia é o tratamento preventivo para impedir as reações alérgicas provocadas por substâncias como ácaros

Leia mais

Púrpura Trombocitopênica Auto-imune

Púrpura Trombocitopênica Auto-imune Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Púrpura Trombocitopênica Auto-imune Rafael Machado Mantovani E-mail: rafaelmm@uai.com.br Introdução

Leia mais

DESLORATADINA. Antialérgico

DESLORATADINA. Antialérgico DESLORATADINA Antialérgico Vantagens: Não provoca sonolência, que é um dos efeitos colaterais mais desagradáveis causados por medicamentos desse tipo. Age mais rápido, combate a obstrução nasal e praticamente

Leia mais

Iniciação. Angiogênese. Metástase

Iniciação. Angiogênese. Metástase Imunidade contra tumores Câncer Cancro, tumor, neoplasia, carcinoma Características: Capacidade de proliferação Capacidade de invasão dos tecidos Capacidade de evasão da resposta imune Câncer Transformação

Leia mais

Tratamento no período inter-crise

Tratamento no período inter-crise 1º Curso Itinerante de Alergia e Imunologia da Sociedade Brasiuleira de Pediatria Salvador - Bahia 07 a 09 de abril de 2011 Avanços no tratamento da alergia respiratória: Tratamento no período inter-crise

Leia mais

Julho 2014 Reduzindo a Obesidade e a Asma em Adolescentes no Hospital de Clínicas Sheila Meneghette (41) 3091-1000 projetos@amigosdohc.org.

Julho 2014 Reduzindo a Obesidade e a Asma em Adolescentes no Hospital de Clínicas Sheila Meneghette (41) 3091-1000 projetos@amigosdohc.org. Julho 2014 Reduzindo a Obesidade e a Asma em Adolescentes no Hospital de Clínicas Sheila Meneghette (41) 3091-1000 projetos@amigosdohc.org.br A REDUZINDO A OBESIDADE E A ASMA EM ADOLESCENTES NO HOSPITAL

Leia mais

CRIE CENTRO DE REFERÊNCIA PARA IMUNOBIOLÓGICOS ESPECIAIS

CRIE CENTRO DE REFERÊNCIA PARA IMUNOBIOLÓGICOS ESPECIAIS CRIE CENTRO DE REFERÊNCIA PARA IMUNOBIOLÓGICOS ESPECIAIS IMUNOBIOLÓGICOS ESPECIAIS Os Centros de referência de Imunobiológicos Especiais (CRIE) têm como finalidade facilitar o acesso à população, em especial

Leia mais

FICHA DE SOLICITAÇÃO DE IMUNOBIOLÓGICOS ESPECIAIS CENTRO DE REFERÊNCIA PARA IMUNOBIOLÓGICOS ESPECIAIS

FICHA DE SOLICITAÇÃO DE IMUNOBIOLÓGICOS ESPECIAIS CENTRO DE REFERÊNCIA PARA IMUNOBIOLÓGICOS ESPECIAIS SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE - SUVISA GERÊNCIA DE IMUNIZAÇÕES E REDE DE FRIO GIRF COORDENAÇÃO DE EAPV/CRIE FICHA DE SOLICITAÇÃO DE IMUNOBIOLÓGICOS ESPECIAIS CENTRO DE REFERÊNCIA PARA IMUNOBIOLÓGICOS

Leia mais

TABELA DE EQUIVALÊNCIA Curso de Odontologia

TABELA DE EQUIVALÊNCIA Curso de Odontologia TABELA DE EQUIVALÊNCIA Curso de Odontologia Disciplina A Disciplina B Código Disciplina C/H Curso Disciplina C/H Código Curso Ano do Currículo 64823 MICROBIOLOGIA GERAL 17/34 ODONTOLOGIA MICROBIOLOGIA

Leia mais

São Paulo, 26 de agosto de 2010. Asma. Paula Meireles

São Paulo, 26 de agosto de 2010. Asma. Paula Meireles São Paulo, 26 de agosto de 2010 Asma Paula Meireles Doença inflamatória crônica Hiper-responsividade Limitação variável ao fluxo aéreo ASMA Definição Episódios recorrentes de sibilância, dispnéia, aperto

Leia mais

VACINAS ANTIPNEUMOCÓCICAS CONJUGADAS

VACINAS ANTIPNEUMOCÓCICAS CONJUGADAS VACINAS ANTIPNEUMOCÓCICAS CONJUGADAS As vacinas conjugadas são aquelas nas quais os antígenos bacterianos são ligados a carreadores protéicos, facilitando o processamento pelos linfócitos T, gerando então,

Leia mais

Aspectos semiológicos das alergias respiratórias. Fernando Monteiro Aarestrup MD, PhD

Aspectos semiológicos das alergias respiratórias. Fernando Monteiro Aarestrup MD, PhD Aspectos semiológicos das alergias respiratórias Fernando Monteiro Aarestrup MD, PhD Diagnóstico alergia respiratória História clínica Exame Físico Exames complementares Doenças alérgicas mediadas por

Leia mais

ALTERAÇÕES METABÓLICAS NO PERFIL LIPÍDICO E GLICÊMICO DE PACIENTES HIV POSITIVOS QUE FAZEM USO DE ANTIRETROVIRAIS

ALTERAÇÕES METABÓLICAS NO PERFIL LIPÍDICO E GLICÊMICO DE PACIENTES HIV POSITIVOS QUE FAZEM USO DE ANTIRETROVIRAIS ALTERAÇÕES METABÓLICAS NO PERFIL LIPÍDICO E GLICÊMICO DE PACIENTES HIV POSITIVOS QUE FAZEM USO DE ANTIRETROVIRAIS Greice Rodrigues Bittencourt Introdução A terapia antiretroviral contemporânea (TARV) baseado

Leia mais

MONTELUCASTE DE SÓDIO. Biosintética Farmacêutica Ltda. Comprimidos revestidos 10mg

MONTELUCASTE DE SÓDIO. Biosintética Farmacêutica Ltda. Comprimidos revestidos 10mg MONTELUCASTE DE SÓDIO Biosintética Farmacêutica Ltda. Comprimidos revestidos 10mg BULA PARA PACIENTE Bula de acordo com a Resolução-RDC nº 47/2009 montelucaste de sódio Medicamento genérico Lei nº 9.787,

Leia mais

URTICÁRIA NA INFÂNCIA. Helena Maria Correa de Sousa Vieira. Departamento de Alergia e Imunologia.

URTICÁRIA NA INFÂNCIA. Helena Maria Correa de Sousa Vieira. Departamento de Alergia e Imunologia. URTICÁRIA NA INFÂNCIA Helena Maria Correa de Sousa Vieira. Departamento de Alergia e Imunologia. Sociedade Brasileira de Pediatria CONCEITO Condição multifatorial, complexa, com grande impacto na qualidade

Leia mais

ALERGIA A INSETOS PICADORES (CHOQUE ANAFILÁTICO)

ALERGIA A INSETOS PICADORES (CHOQUE ANAFILÁTICO) ALERGIA A INSETOS PICADORES (CHOQUE ANAFILÁTICO) As abelhas do gênero Apis (abelha-europa ou abelha-africana), as vespas (marimbondos) e as formigas lava-pés são insetos do gênero dos himenópteros que

Leia mais

Sumário. Data: 06/12/2013 NT 245 /2013. Medicamento x Material Procedimento Cobertura

Sumário. Data: 06/12/2013 NT 245 /2013. Medicamento x Material Procedimento Cobertura NT 245 /2013 Solicitante: Ilmo Dr RODRIGO DIAS DE CASTRO Juiz de Direito Comarca de Campestre Data: 06/12/2013 Medicamento x Material Procedimento Cobertura Número do processo: 0023168-04.2013.8.13.0110

Leia mais

O Sistema do Complemento

O Sistema do Complemento UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Programa de Pós- Graduação em Imunologia Básica e Aplicada Disciplina- Integração Imunologia Básica- Clínica O Sistema do Complemento Elyara

Leia mais