AMBULATÓRIO DE DISTÚRBIOS VESTIBULARES. Cristiana B. Pereira

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AMBULATÓRIO DE DISTÚRBIOS VESTIBULARES. Cristiana B. Pereira"

Transcrição

1 AMBULATÓRIO DE DISTÚRBIOS VESTIBULARES Cristiana B. Pereira

2 Resumo dos dados: nov/1999 a fev/2009 número de atendimentos:

3 Resumo dos dados: nov/1999 a fev/2009 total: 822 pacientes mulheres: 557 (67%); homens: 265 (33%) média de idade: 56 anos (10 a 91) média de idade, mulheres: 56,79 média de idade, homens: 55,66

4 amb. distúrbios vestibulares fluxo de atendimento em acompanhamento: 96 alta: 342 encaminhados: 152 perda de seguimento: 232

5 diagnósticos mais comuns VPPB % 34.2% vertigem fóbica % 13% causas clínicas % vertigem central % 11.8% outras causas neurológicas % D. Menière % 8.6% enxaqueca % 8.2% neurite vestibular % 6.0% lesão periférica % 5.5% indefinido % 2.6% paroxismia vestibular % 2.3% vestibulopatia bilateral % 2.2%

6 diagnósticos mais comuns 2004* 2009 VPPB 28,5% 34.2% vertigem fóbica 11,5% 13% vertigem central 10,1% 11.8% D. Menière 8,5% 8.6% enxaqueca 6,4% 8.2% neurite vestibular 9,7% 6.0% * Arq Neuropsiquiatr 2005;63(1)

7 diagnósticos mais comuns LMU HC VPPB 18,5% 34.2% vertigem fóbica 15,6% 13% vertigem central 12,5% 11.8% D. Menière 9,5% 8.6% enxaqueca 10% 8.2% neurite vestibular 7,5% 6.0%

8 diagnósticos raros flutter ocular: 2 nistagmo periódico alternante: 1 epilepsia vestibular: 1

9 diagnósticos mais comuns - VPPB mulheres: 174; homens; 63 <50 anos mulheres: 22; homens: 17 média de idade: 62,6 (23-89) lado acometido direito: 48% esquerdo: 33% indeterminado: 15% bilateral: 4%

10 VPPB manobra de Epley

11 VPPB manobra de Semont

12 VPPB Manobra de Brandt-Daroff

13 VPPB - tratamento VPPB lado definido manobra de Epley ou Semont lado indefinido manobra de Brandt-Daroff retorno em 7 a 14 dias retorno em 14 dias a 28 dias cura sem melhora cura sem melhora alta nova manobra de Epley ou Semont + manobra domiciliar alta considerar investigação

14 VPPB - evolução Epley Semont Brandt-Daroff n cura 76% 70% 65% melhora parcial 6% 7,5% 2,5% sem melhora 0 7,5% 2,5% indeterminada 18% 15% 30%

15 diagnósticos mais comuns Vertigem fóbica média de idade: 50 mulheres: 65; homens: 25 na faixa etária VPPB: 37 Vertigem fóbica: 32

16 Vertigem fóbica vertigem e sensação subjetiva de desequilíbrio durante posição ortostática ou marcha, com exame normal vertigem descrita como flutuação, com episódios de duração de segundos ou minutos, sensação de balanço do corpo ataques espontâneos ou desencadeados por situações específicas ansiedade e sintomas vegetativos traços de personalidade obsessivo-compulsiva, labilidade emocional e depressão leve * início após evento emocional estressante, doença grave ou distúrbio vestibular orgânico

17 Vertigem fóbica avaliação psicológica (n=19) transtorno do humor depressão maior: 10 depressão menor: 4 transtorno de ansiedade: 13

18 Vertigem fóbica evolução boa resposta ao tratamento tratamento medicamentoso * VF primária: 62% VF secundária: 40% antidepressivos: 47% psicoterapia breve: 20% * Arq Neuropsiquiatr 2004;62(3-A):

19 diagnósticos mais comuns vertigem central média de idade: 56 anos mulheres: 40; homens: 31 etiologias AVC/ AIT: 19 neurocisticercose: 5 esclerose múltipla: 5 A. Chiari: 4

20 vertigem central: neurocisticercose 1a consulta: 2003 fem, 53 anos não deambulava, não ficava em pé ou sentada nistagmo upbeat na posição primária piora do nistagmo ao olhar para os lados e para cima OKN abolido sacada lentificada seguimento muito comprometido

21 vertigem central: neurocisticercose

22 vertigem central: neurocisticercose

23 vertigem central: neurocisticercose última consulta dez/2008 caminha sem apoio, marcha pouco alargada vertigem ao movimentar a cabeça vertigem posicional central

24 vertigem central nistagmo downbeat média de idade: 44 homens:6; mulheres:5; etiologia: atrofia cerebelar: 3 A. Chiari: 3 tumor: 1 indeterminado: 4 evolução: sem melhora/ pouca resposta: 8 melhora parcial: 1

25 nistagmo downbeat etiologia e comorbidades em 117 pacientes degenerativa: 23 lesões de fossa posterior: 10 malformação crânio-cervical: 8 tóxica: 5 inflamatória/ infecciosa: 4 neoplásica: 4 ataxia episódica tipo II: 4 paraneoplásica: 3 outros: 11 indefinida: 45 (38%) JNNP 2008; 79:

26 diagnósticos mais comuns: D. Menière média de idade: 55 mulheres: 49; homens: 11 tratamento: betaistina bom controle: 54% diurético bom controle: 47% total bom controle: 75%

27 diagnósticos mais comuns: neurite vestibular média de idade: 47 mulheres: 21; homens: 20 evolução melhora dos sintomas: 77%

28 Neurite vestibular etiologia mais provável: reativação do vírus Herpes simplex incidência maior nos meses de inverno (hemisfério Norte) HC + HSPE (2004): não foi observada sazonalidade em 50 pacientes consecutivos

29 neurite vestibular - tratamento benefício da fisioterapia na recuperação * tratamento medicamentoso ** 141 pacientes placebo: 38 metilpredinisolona: 35 valacilcovir: 33 metilpredinisolona + valaciclovir: 35 benefício da metilpredinisolona (dose inicial 100mg/dia, redução progressiva, 22 dias de tratamento) sem benefício de valaciclovir * Ann N T Acad Sci 2001;952:79-94 ** N Engl J Med 2004;351(4):

30 diagnósticos mais comuns: lesão periférica média de idade: 60 (20-87) mulheres: 28; homens: 10 etiologias mastoidopatia: 3 schwannoma: 4 trauma: 2 colesteatoma: 1

31 diagnósticos mais comuns: paroxismia vestibular média de idade: 57 mulheres: 9; homens: 7 tratamento: CBZ boa resposta: 10 indeterminada: 6

32 paroxismia vestibular fem, 60 anos referia há quat há 4 anos: contrações involuntárias na hemiface esquerda e dor intensa após alguns meses começou a apresentar episódios de curta duração de vertigem rotatória e zumbido. Arq Neuropsiquiatr 2005;63(3-A):

33 paroxismia vestibular exame neurológico: espasmo hemifacial à esquerda, nistagmo de provocação para a direita e hipoacusia neurossensorial à esquerda. iniciado tratamento com CBZ melhora da dor e diminuição na freqüência e intensidade dos episódios de vertigem.

34 diagnósticos mais comuns: vestibulopatia bilateral média de idade: 62 (34-80) homens:10; mulheres: 5 etiologias def vit B12: 2 D. Menière: 1 associada neuropatia: 1 meningite: 1

35 vestibulopatia bilateral etiologia em 255 pacientes antibiótico: 32 meningite: 13 D. Menière: 17 degenerativa: 9 autoimune: 8 def vit B12: 4 outras 42 indeterminada: 126 (51%) Ann Nurol 2007;61;

36 Obrigada

DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DAS PRINCIPAIS SÍNDROMES VESTIBULARES

DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DAS PRINCIPAIS SÍNDROMES VESTIBULARES Arq Neuropsiquiatr 2005;63(1):140-144 DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DAS PRINCIPAIS SÍNDROMES VESTIBULARES Aline Mizuta Kozoroski Kanashiro 1, Cristiana Borges Pereira 2, Antonio Carlos de Paiva Melo 3, Milberto

Leia mais

Vertigem na emergência. Dra. Cristiana Borges Pereira

Vertigem na emergência. Dra. Cristiana Borges Pereira Vertigem na emergência Dra. Cristiana Borges Pereira Dra. Cristiana Borges Pereira Doutorado FMUSP Tratamento domiciliar da vertigem de posicionamento paroxística benigna Responsável pelo ambulatório de

Leia mais

Semiologia do sistema vestibular e motor ocular. Dra. Cristiana Borges Pereira

Semiologia do sistema vestibular e motor ocular. Dra. Cristiana Borges Pereira Semiologia do sistema vestibular e motor ocular Dra. Cristiana Borges Pereira Anamnese TONTURA OU VERTIGEM? Anamnese tontura: estado de tonto, zonzo vertigem: 1. estado mórbido em que o indivíduo tem a

Leia mais

O que é Fisioterapia Vestibular?

O que é Fisioterapia Vestibular? O que é Fisioterapia Vestibular? Existem 02 tipos de tontura: rotatória ou vertigem, quando o paciente relata que tudo gira ao seu redor; e não-rotatória, equivalente à instabilidade postural ou desequilíbrio.

Leia mais

Sistema vestibular. semiologia. Cristiana B. Pereira

Sistema vestibular. semiologia. Cristiana B. Pereira Sistema vestibular semiologia Cristiana B. Pereira Sistema vestibular: semiologia INTRODUÇÃO Vertigem e tontura são sintomas que podem estar envolvidos no comprometimento de múltiplos sistemas e em diferentes

Leia mais

ARTIGO DE REVISÃO. Abstract. Resumo. Este artigo consiste em uma revisão ampla sobre vertigem e seu diagnóstico diferencial.

ARTIGO DE REVISÃO. Abstract. Resumo. Este artigo consiste em uma revisão ampla sobre vertigem e seu diagnóstico diferencial. 1806-4280/08/37-01/91 Arquivos Catarinenses de Medicina Arquivos Catarinenses de Medicina Vol. 37, n o. 1, de 2008 91 ARTIGO DE REVISÃO Nova abordagem das Vertigens: correlação clínica Rosemeri Maurici

Leia mais

Síndromes vestibulares no idoso. Dra. Cristiana B Pereira

Síndromes vestibulares no idoso. Dra. Cristiana B Pereira Síndromes vestibulares no idoso Dra. Cristiana B Pereira Síndromes vestibulares avaliação adequada identificar causas vestibulares periféricas e centrais identificação do mecanismo, causa específicas tratamento

Leia mais

Aspectos Neuropsiquiátricos em Geriatria. Dr. José Eduardo Martinelli Faculdade de Medicina de Jundiaí

Aspectos Neuropsiquiátricos em Geriatria. Dr. José Eduardo Martinelli Faculdade de Medicina de Jundiaí Aspectos Neuropsiquiátricos em Geriatria Dr. José Eduardo Martinelli Faculdade de Medicina de Jundiaí Psiquiatria: Especialidade médica que se dedica ao estudo, diagnóstico, tratamento e à prevenção de

Leia mais

Tonturas e vertigens. Isabela M. Benseñor Hospital das Clínicas da FMUSP

Tonturas e vertigens. Isabela M. Benseñor Hospital das Clínicas da FMUSP Isabela M. Benseñor Hospital das Clínicas da FMUSP Tontura e vertigem são condições muito freqüentes na prática médica, e, na grande maioria das vezes, não estão associadas a problema clínico grave. O

Leia mais

DOENÇA INFLAMATÓRIA INTESTINAL. Profª. Thais de A. Almeida Aula 21/05/13

DOENÇA INFLAMATÓRIA INTESTINAL. Profª. Thais de A. Almeida Aula 21/05/13 DOENÇA INFLAMATÓRIA INTESTINAL Profª. Thais de A. Almeida Aula 21/05/13 Doença Inflamatória Intestinal Acometimento inflamatório crônico do TGI. Mulheres > homens. Pacientes jovens (± 20 anos). Doença

Leia mais

A neurite vestibular é uma infecção de ouvido causada por vírus, apresentando vários sintomas, incluindo a vertigem. (1)

A neurite vestibular é uma infecção de ouvido causada por vírus, apresentando vários sintomas, incluindo a vertigem. (1) METILPREDNISOLONA Resultados satisfatórios no tratamento da Neurite Vestibular Doutor, o objetivo desse informe científico é demonstrar alta eficácia da METILPREDNISOLONA no tratamento da neurite vestibular.

Leia mais

FISIOTERAPIA VESTIBULAR E TONTURAS NO ESPORTE

FISIOTERAPIA VESTIBULAR E TONTURAS NO ESPORTE FISIOTERAPIA VESTIBULAR E TONTURAS NO ESPORTE André Luís dos Santos Silva, D.Sc. Doutor em Fisioterapia Universidad de Buenos Aires/UFRJ Diretor do Instituto Brasileiro de Fisioterapia Vestibular e Equilíbrio

Leia mais

Demência associada ao HIV

Demência associada ao HIV Demência associada ao HIV A complicação do SNC mais comum é um comprometimento cognitivo de gravidade suficiente para justificar o diagnóstico de demência (Centers for Disease Control and Prevention; CDCP

Leia mais

OTORRINOLARINGOLOGIA Labirintite e Zumbido no Ouvido

OTORRINOLARINGOLOGIA Labirintite e Zumbido no Ouvido Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira OTORRINOLARINGOLOGIA Labirintite e Zumbido no Ouvido Labirintite é um termo com significado popular

Leia mais

Doença do Neurônio Motor

Doença do Neurônio Motor FACULDADE DE MEDICINA/UFC-SOBRAL MÓDULO SISTEMA NERVOSO NEUROANATOMIA FUNCIONAL Doença do Neurônio Motor Acd. Mauro Rios w w w. s c n s. c o m. b r Relato de Caso Paciente M.V., sexo masculino, 62 anos,

Leia mais

A EFETIVIDADE DA REABILITAÇÃO VESTIBULAR NA SÍNDROME LABIRÍNTICA PERIFÉRICA IRRITATIVA

A EFETIVIDADE DA REABILITAÇÃO VESTIBULAR NA SÍNDROME LABIRÍNTICA PERIFÉRICA IRRITATIVA A EFETIVIDADE DA REABILITAÇÃO VESTIBULAR NA SÍNDROME LABIRÍNTICA PERIFÉRICA IRRITATIVA ZANDOMENIGHI, P. M. C.; LOPES, J. Resumo: A reabilitação vestibular com o uso do protocolo de Cawthorne-Cooksey (PCC)

Leia mais

DEMÊNCIAS. Medicina Abril 2007. Francisco Vale Grupo de Neurologia Comportamental HCFMRP-USP

DEMÊNCIAS. Medicina Abril 2007. Francisco Vale Grupo de Neurologia Comportamental HCFMRP-USP DEMÊNCIAS Medicina Abril 2007 Francisco Vale Grupo de Neurologia Comportamental HCFMRP-USP Queixa de memória, autocrítica excessiva depressão, ansiedade efeito de doença sistêmica ou medicação envelhecimento

Leia mais

REABILITAÇÃO VESTIBULAR: UM ENFOQUE FISIOTERAPÊUTICO RESUMO. fisiologia, sua adaptação e função no controle postural, fornecendo desta forma, a

REABILITAÇÃO VESTIBULAR: UM ENFOQUE FISIOTERAPÊUTICO RESUMO. fisiologia, sua adaptação e função no controle postural, fornecendo desta forma, a REABILITAÇÃO VESTIBULAR: UM ENFOQUE FISIOTERAPÊUTICO José Wagner Cavalcante Muniz 1 João Sérgio de Sousa Oliveira 2 Poliana Pedrinha de Lima 3 Ridailda de Oliveira Amaral 4 RESUMO O presente artigo aborda

Leia mais

PROPOSTA REABILITAÇÃO VESTIBULAR NA VERTIGEM POSICIONAL PAROXÍSTICA BENIGNA CRÔNICA

PROPOSTA REABILITAÇÃO VESTIBULAR NA VERTIGEM POSICIONAL PAROXÍSTICA BENIGNA CRÔNICA PROPOSTA REABILITAÇÃO VESTIBULAR NA VERTIGEM POSICIONAL PAROXÍSTICA BENIGNA CRÔNICA Veruska Cronemberger Nogueira 1, 2, 4, Elmirana Maria Lopes Machado 1, Rafael Costa Oliveira 1, Maria Clara Napoleão

Leia mais

Entenda tudo sobre a Síndrome do Intestino Irritável

Entenda tudo sobre a Síndrome do Intestino Irritável Entenda tudo sobre a Síndrome do Intestino Irritável Apesar de ainda não existir cura definitiva para esse problema de saúde crônico, uma diferenciação entre essa patologia e a sensibilidade ao glúten

Leia mais

FACULDADE DE MEDICINA/UFC-SOBRAL MÓDULO SISTEMA NERVOSO NEUROANATOMIA FUNCIONAL. Ataxias. Acd. Flora Paz. w w w. s c n s. c o m.

FACULDADE DE MEDICINA/UFC-SOBRAL MÓDULO SISTEMA NERVOSO NEUROANATOMIA FUNCIONAL. Ataxias. Acd. Flora Paz. w w w. s c n s. c o m. FACULDADE DE MEDICINA/UFC-SOBRAL MÓDULO SISTEMA NERVOSO NEUROANATOMIA FUNCIONAL Ataxias Acd. Flora Paz w w w. s c n s. c o m. b r Caso clínico Paciente F.C.S, 50 anos, sexo masculino, etilista crônico

Leia mais

TONTURA. Qual é a fisiologia do sistema vestibular?

TONTURA. Qual é a fisiologia do sistema vestibular? 2 TONTURA Dr. Carlos R. Caron Objetivos 1. Saber o significado de tontura para o paciente. 2. Qual é a fisiopatología da vertigem. 3. Quais os principais tipos de vertigem. 4. Como distinguir uma vertigem

Leia mais

Demências na Terceira idade. Enfª Mda Josiane Steil Siewert

Demências na Terceira idade. Enfª Mda Josiane Steil Siewert Demências na Terceira idade Enfª Mda Josiane Steil Siewert Grandes síndromes neuropsiquiatricas na terceira idade: Delirium Demencias Depressão Doenças Orgânicas do Cérebro Quando uma pessoa idosa de repente

Leia mais

A neurite vestibular é uma infecção de ouvido causada por vírus, apresentando vários sintomas, incluindo a vertigem. (1)

A neurite vestibular é uma infecção de ouvido causada por vírus, apresentando vários sintomas, incluindo a vertigem. (1) Resultados satisfatórios no tratamento da Neurite Vestibular Doutor, o objetivo desse informe científico é demonstrar alta eficácia da no tratamento da neurite vestibular. Segundo estudos, administrada

Leia mais

GLIOMA CEREBELAR E A CONTRIBUIÇÃO DA NEURORREABILITAÇÃO: RELATO DE CASO

GLIOMA CEREBELAR E A CONTRIBUIÇÃO DA NEURORREABILITAÇÃO: RELATO DE CASO NEURORREABILITAÇÃO: RELATO DE CASO ( Introdução Os tumores do sistema central (SNC) são responsáveis por 1,5% dos cânceres, e por 2,4% de suas mortes. Os tumores localizados no ângulopontocerebelar (APC)

Leia mais

Cefaleia Cefaleia tipo tensão tipo tensão

Cefaleia Cefaleia tipo tensão tipo tensão Cefaleia tipo tensão Cefaleia tipo tensão O que é a cefaleia tipo tensão? Tenho dores de cabeça que duram vários dias de cada vez e sinto-me como se estivesse a usar um chapéu muito apertado - mais como

Leia mais

Modelo de Atenção às Condições Crônicas. Seminário II. Laboratório de Atenção às Condições Crônicas. O caso da depressão. Gustavo Pradi Adam

Modelo de Atenção às Condições Crônicas. Seminário II. Laboratório de Atenção às Condições Crônicas. O caso da depressão. Gustavo Pradi Adam Modelo de Atenção às Condições Crônicas Seminário II Laboratório de Atenção às Condições Crônicas O caso da depressão Gustavo Pradi Adam Caso clínico Sempre te Vi, Nunca te Amei Sra. X, 43 anos, sexo feminino,

Leia mais

Fonte: Jornal Carreira & Sucesso - 151ª Edição

Fonte: Jornal Carreira & Sucesso - 151ª Edição IDENTIFICANDO A DEPRESSÃO Querida Internauta, Lendo o que você nos escreveu, mesmo não sendo uma profissional da área de saúde, é possível identificar alguns sintomas de uma doença silenciosa - a Depressão.

Leia mais

A vertigem e as alterações do equilíbrio

A vertigem e as alterações do equilíbrio A vertigem e as alterações do equilíbrio O síndrome vertiginoso é um sintoma definido como a sensação ilusória de movimento. O tratamento baseia-se num programa de reeducação vestibular PEDRO ARAÚJO Texto

Leia mais

Evidências em Otorrinolaringologia. Índice Temático 2014

Evidências em Otorrinolaringologia. Índice Temático 2014 Evidências em Otorrinolaringologia Temático 2014 Temático OTOLOGIA 3 RINOLOGIA 4 BUCO-FARINGO-LARINGOLOGIA 5 MEDICINA DO SONO 6 CIRURGIA DE CABEÇA E PESCOÇO 7 MEDICINA GERAL 8 http://www.evidenciasemorl.com.br

Leia mais

Paralisia facial periférica Resumo de diretriz NHG M93 (agosto 2010)

Paralisia facial periférica Resumo de diretriz NHG M93 (agosto 2010) Paralisia facial periférica Resumo de diretriz NHG M93 (agosto 2010) Klomp MA, Striekwold MP, Teunissen H, Verdaasdonk AL traduzido do original em holandês por Luiz F.G. Comazzetto 2014 autorização para

Leia mais

Dor de cabeça Resumo de diretriz NHG M19 (terceira revisão, janeiro 2014)

Dor de cabeça Resumo de diretriz NHG M19 (terceira revisão, janeiro 2014) Dor de cabeça Resumo de diretriz NHG M19 (terceira revisão, janeiro 2014) Dekker F, Van Duijn NP, Ongering JEP, Bartelink MEL, Boelman L, Burgers JS, Bouma M, Kurver MJ traduzido do original em holandês

Leia mais

PATOLOGIAS DO APARELHO AUDITIVO ANDERSON CELSO LUANA MUNIQUE PRISCILA PAMELA

PATOLOGIAS DO APARELHO AUDITIVO ANDERSON CELSO LUANA MUNIQUE PRISCILA PAMELA PATOLOGIAS DO APARELHO AUDITIVO ANDERSON CELSO LUANA MUNIQUE PRISCILA PAMELA 1 INTRODUÇÃO A audição possibilita a aquisição da linguagem e a conseqüente integração do homem com o mundo sonoro e social.

Leia mais

A investigação da dor no paciente idoso e ardência bucal. Paulo Pimentel

A investigação da dor no paciente idoso e ardência bucal. Paulo Pimentel A investigação da dor no paciente idoso e ardência bucal Paulo Pimentel Sistema Estomatognático Mastigação, fala, digestão e deglutição Paladar, respiração Defesa e reconhecimento imunológico Estética,

Leia mais

Laura Meyer da Silva SEXO: MUITO PRAZER 2. Como ter uma vida sexual plena e feliz. www.lpm.com.br L&PM POCKET

Laura Meyer da Silva SEXO: MUITO PRAZER 2. Como ter uma vida sexual plena e feliz. www.lpm.com.br L&PM POCKET Laura Meyer da Silva SEXO: MUITO PRAZER 2 Como ter uma vida sexual plena e feliz www.lpm.com.br L&PM POCKET 3 3 Quando a ejaculação prematura reforça a angústia Ejaculação rápida, ejaculação prematura

Leia mais

Epilepsia e distúrbio de aprendizagem: tem relação?

Epilepsia e distúrbio de aprendizagem: tem relação? Epilepsia e distúrbio de aprendizagem: tem relação? Apresentação: Daniele Istile (2º ano) Maria Gabriela Cavalheiro (4ºano) Orientação: Doutoranda Thaís dos Santos Gonçalves Local: Anfiteatro da Biblioteca

Leia mais

Humberto Bia Lima Forte

Humberto Bia Lima Forte Humberto Bia Lima Forte Observando-se a maneira como o paciente se move, é possível, em algumas infecções neurológicas, suspeitar-se ou dar-se o diagnóstico sindrômico Marcha helicópode, ceifante ou hemiplégica

Leia mais

Ansiedade Resumo de diretriz NHG M62 (fevereiro 2012)

Ansiedade Resumo de diretriz NHG M62 (fevereiro 2012) Ansiedade Resumo de diretriz NHG M62 (fevereiro 2012) Lieke Hassink-Franke, Berend Terluin, Florien van Heest, Jan Hekman, Harm van Marwijk, Mariëlle van Avendonk traduzido do original em holandês por

Leia mais

Primeira droga em cápsula foi lançada agora no país e outras estão em teste.

Primeira droga em cápsula foi lançada agora no país e outras estão em teste. ESCLEROSE MÚLTIPLA GANHA NOVAS OPÇÕES DE TRATAMENTO. (extraído de http://www.orkut.com.br/main#commmsgs?cmm=17111880&tid=5682929915348274548, em 09/05/2012) Primeira droga em cápsula foi lançada agora

Leia mais

Comitê Multidisciplinar de Saúde Mental da ITAIPU Binacional

Comitê Multidisciplinar de Saúde Mental da ITAIPU Binacional Comitê Multidisciplinar de Saúde Mental da GRAZIELI LOISE PEREIRA HOPPE FERNANDA CABRAL SCHVEITZER DENISE PERES DE ALMEIDA LEON Setembro/2013 Os transtornos psiquiátricos afetam pessoas de todas as regiões

Leia mais

Universidade Federal de Santa Catarina

Universidade Federal de Santa Catarina Universidade Federal de Santa Catarina Centro de Ciências da Saúde Departamento de Clínica Médica Campus Universitário Trindade Florianópolis/SC AMBULATÓRIO DE EPILEPSIA Médico: Data do atendimento: /

Leia mais

SURDEZ NO IDOSO. Dr. Décio Gomes de Souza Prof. da Fac. de Med. da PUC

SURDEZ NO IDOSO. Dr. Décio Gomes de Souza Prof. da Fac. de Med. da PUC SURDEZ NO IDOSO www.sorocaba.pucsp.br/atn/apostilas/otorrino/index.htm www.dgsotorrinolaringologia.med.br Imagens particulares e de livros e artigos de vários autores. Dr. Décio Gomes de Souza Prof. da

Leia mais

TEMA: FINGOLIMODE NA ESCLEROSE MÚLTIPLA

TEMA: FINGOLIMODE NA ESCLEROSE MÚLTIPLA NTRR 253/2013 Solicitante: Alyrio Ramos Desembargador da 8ª Câm. Cível - TJMG Data: 13/12/2013 Medicamento X Material Procedimento Cobertura Número do processo: 1.0702.13.078195-9/001 TEMA: FINGOLIMODE

Leia mais

DOENÇAS DO SISTEMA MUSCULAR ESQUELÉTICO. Claudia de Lima Witzel

DOENÇAS DO SISTEMA MUSCULAR ESQUELÉTICO. Claudia de Lima Witzel DOENÇAS DO SISTEMA MUSCULAR ESQUELÉTICO Claudia de Lima Witzel SISTEMA MUSCULAR O tecido muscular é de origem mesodérmica (camada média, das três camadas germinativas primárias do embrião, da qual derivam

Leia mais

Dra. Fabiana Hauser Fisiatra e Acupunturista Serviço de Dor e Cuidados Paliativos Hospital Nossa Senhora da Conceição Porto Alegre

Dra. Fabiana Hauser Fisiatra e Acupunturista Serviço de Dor e Cuidados Paliativos Hospital Nossa Senhora da Conceição Porto Alegre Dra. Fabiana Hauser Fisiatra e Acupunturista Serviço de Dor e Cuidados Paliativos Hospital Nossa Senhora da Conceição Porto Alegre Dor Crônica Cuidados Paliativos Atendimento ambulatorial Internação Ambulatório

Leia mais

Vertigem e ansiedade: uma aborgadem comportamental. Cristiana Borges Pereira

Vertigem e ansiedade: uma aborgadem comportamental. Cristiana Borges Pereira uma aborgadem comportamental Cristiana Borges Pereira Vertigem e ansiedade Há uma prevalência de 11% de vertigem e ansiedade, o que é maior do que seria de se esperar pela simples co-ocorrência (5%) Vertigem

Leia mais

-Os Papiloma Vírus Humanos (HPV) são vírus da família Papovaviridae.

-Os Papiloma Vírus Humanos (HPV) são vírus da família Papovaviridae. -Os Papiloma Vírus Humanos (HPV) são vírus da família Papovaviridae. -Chamado de HPV, aparece na forma de doenças como condiloma acuminado, verruga genital ou crista de galo. -Há mais de 200 subtipos do

Leia mais

Transtornos Alimentares. Dr. Eduardo Henrique Teixeira PUC-Campinas

Transtornos Alimentares. Dr. Eduardo Henrique Teixeira PUC-Campinas Transtornos Alimentares Dr. Eduardo Henrique Teixeira PUC-Campinas Anorexia Nervosa Anorexia sem fome Comportamento obstinado e propositado a perder peso Medo intenso de aumento de peso Alteração da imagem

Leia mais

Sintomas da LER- DORT

Sintomas da LER- DORT LER-DORT A LER e DORT são as siglas para Lesões por Esforços Repetitivos e Distúrbios Osteo-musculares Relacionados ao Trabalho. Os termos LER/DORT são usados para determinar as afecções que podem lesar

Leia mais

Obesidade e Transtornos Alimentares

Obesidade e Transtornos Alimentares Obesidade e Transtornos Alimentares NECPAR Maringá 26 e 27 de Julho de 2013 Transtornos Alimentares (TA) Características Gerais: Severas perturbações no comportamento alimentar, que trazem sérios comprometimentos

Leia mais

Costuma- se classificar o Schwannoma em quatro estágios evolutivos:

Costuma- se classificar o Schwannoma em quatro estágios evolutivos: O ângulo pontocerebelar é uma área vital para o tecido neurológico, tumores que crescem nessa região podem causar graves disfunções cerebrais e até mesmo a morte dependendo do tamanho e velocidade de crescimento.

Leia mais

A causa exata é determinada em apenas 12-15% dos pacientes extensamente investigados

A causa exata é determinada em apenas 12-15% dos pacientes extensamente investigados LOMBALGIA Prof. Jefferson Soares Leal Turma: Fisioterapia e Terapia Ocupacional Faculdade de Medicina da UFMG Aula e bibliografia recomendada estarão disponíveis para os alunos para donwload no site www.portalvertebra.com.br

Leia mais

Doença de Parkinson Resumo de diretriz NHG M98 (julho 2011)

Doença de Parkinson Resumo de diretriz NHG M98 (julho 2011) Doença de Parkinson Resumo de diretriz NHG M98 (julho 2011) Draijer LW, Eizenga WH, Sluiter A traduzido do original em holandês por Luiz F.G. Comazzetto 2014 autorização para uso e divulgação sem fins

Leia mais

DEPRESSÃO CONHECENDO SEU INIMIGO

DEPRESSÃO CONHECENDO SEU INIMIGO DEPRESSÃO CONHECENDO SEU INIMIGO E- BOOK GRATUITO Olá amigo (a), A depressão é um tema bem complexo, mas que vêm sendo melhor esclarecido à cada dia sobre seu tratamento e alívio. Quase todos os dias novas

Leia mais

Quando o medo transborda

Quando o medo transborda Quando o medo transborda (Síndrome do Pânico) Texto traduzido e adaptado por Lucas Machado Mantovani, mediante prévia autorização do National Institute of Mental Health, responsável pelo conteúdo original

Leia mais

Vestibulopatias na Infância

Vestibulopatias na Infância Vestibulopatias na Infância Raquel Mezzalira Introdução As labirintopatias eram consideradas até pouco tempo atrás como doenças de adultos ou de idosos. Porém crianças também podem ser acometidas por doenças

Leia mais

Qual é o papel da ressecção ou da radiocirurgia em pacientes com múltiplas metástases? Janio Nogueira

Qual é o papel da ressecção ou da radiocirurgia em pacientes com múltiplas metástases? Janio Nogueira Qual é o papel da ressecção ou da radiocirurgia em pacientes com múltiplas metástases? Janio Nogueira METÁSTASES CEREBRAIS INTRODUÇÃO O SIMPLES DIAGNÓSTICO DE METÁSTASE CEREBRAL JÁ PREDIZ UM POBRE PROGNÓSTICO.

Leia mais

Fundada em 1986. Gestão Comportamental. Educação para a saúde Gestão de crise

Fundada em 1986. Gestão Comportamental. Educação para a saúde Gestão de crise MISSÃO Educar para a prevenção e condução de crises, visando a saúde emocional individual, da família e da organização. Gestão Comportamental Fundada em 1986 PAP - Programa de Apoio Pessoal Atuações em

Leia mais

Psicoterapia e Psicofarmacologia. Como optar ou associá-las? Hewdy Lobo Ribeiro Psiquiatra Forense e Psicogeriatra AMBULIM e ProMulher IPq - USP

Psicoterapia e Psicofarmacologia. Como optar ou associá-las? Hewdy Lobo Ribeiro Psiquiatra Forense e Psicogeriatra AMBULIM e ProMulher IPq - USP e Psicofarmacologia. Como optar ou associá-las? Hewdy Lobo Ribeiro Psiquiatra Forense e Psicogeriatra AMBULIM e ProMulher IPq - USP Estudo da forma e função dos Psicofármacos Psicofármacos / Psicotrópicos

Leia mais

NOVEMBRO DOURADO VIVA ESTA IDEIA! VENHA PARTICIPAR!

NOVEMBRO DOURADO VIVA ESTA IDEIA! VENHA PARTICIPAR! NOVEMBRO DOURADO VIVA ESTA IDEIA! VENHA PARTICIPAR! Serviço de OncoHematologia do HIJG DIA NACIONAL DE COMBATE AO CÂNCER NA CRIANÇA E NO ADOLESCENTE O Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantojuvenil (lei

Leia mais

Caracterizada por queimação associada à irritação, ardência, prurido, dor ou edema, com duração de 3-6 meses.

Caracterizada por queimação associada à irritação, ardência, prurido, dor ou edema, com duração de 3-6 meses. Vulvodínia Isabel do Val Profª Ad. Ginecologia UFF- Patologia TGI e Colposcopia Presidente da ABPTGIC- Cap RJ Membro ISSVD IFCPC Member Educational Committee Dor Vulvar Caracterizada por queimação associada

Leia mais

23ª Imagem da Semana: Tomografia computadorizada de crânio

23ª Imagem da Semana: Tomografia computadorizada de crânio 23ª Imagem da Semana: Tomografia computadorizada de crânio Enunciado Paciente do sexo feminino, 86 anos, previamente hígida, há 4 meses com queixas de problemas de memória, déficit de atenção, lentificação

Leia mais

Comorbidades: Transtorno de AnsiedadeeDependênciaQuímica

Comorbidades: Transtorno de AnsiedadeeDependênciaQuímica XXII Curso de Inverno em Atualização em Dependência Química do Hospital Mãe de Deus Comorbidades: Transtorno de AnsiedadeeDependênciaQuímica Ana Paula Pacheco Psicóloga da Unidade de Dependência Química

Leia mais

Artropatias inflamatórias crônicas

Artropatias inflamatórias crônicas Disciplina de Traumato-Ortopedia e Reumatologia Artropatias inflamatórias crônicas Prof. Marcelo Bragança dos Reis Introdução Principais manisfestações músculo-esqueléticas das doenças reumatológicas -

Leia mais

Introdução à Neuropsicologia

Introdução à Neuropsicologia MÓDULO III Elaboração da anamnese: atendimento ao paciente cirúrgico. Apresentação de caso clínico Professora: Beatriz Baldivia Mini-currículo do professor -Psicóloga pela UNESP-Bauru (2005) - Mestre em

Leia mais

SAUDE MENTAL DA MULHER NOS CICLOS DE VIDA

SAUDE MENTAL DA MULHER NOS CICLOS DE VIDA SAUDE MENTAL DA MULHER NOS CICLOS DE VIDA ENCONTRO MULHER DE ATITUDE Campanha de Prevenção do Câncer Cérvico C Uterino Março o 2013 Maristela C Sousa - Médica Psiquiatra DVSAM/DACC/SAS/SESA Dados Epidemiológicos

Leia mais

(inicia no slide 17) Bipolaridade

(inicia no slide 17) Bipolaridade (inicia no slide 17) Bipolaridade Os Transtornos do Humor Bipolar são transtornos crônicos, recorrentes e, muitas vezes, com remissão incompleta e potencialmente letais. Os pólos de apresentação são: *

Leia mais

Enfermagem em Oncologia e Cuidados Paliativos

Enfermagem em Oncologia e Cuidados Paliativos Prof. Rivaldo Assuntos Enfermagem em Oncologia e Cuidados Paliativos Administração e Gerenciamento de Enfermagem Enfermagem na Atenção à Saúde da Mulher e da Criança Enfermagem nas Doenças Transmissíveis

Leia mais

NEURALGIA DO TRIGÊMEO

NEURALGIA DO TRIGÊMEO NEURALGIA DO TRIGÊMEO Se você abriu esta página, sabemos que você está sofrendo! A neuralgia do trigêmeo (NT) é uma das piores dores que o ser humano pode sofrer. A dor da NT caracteriza-se por ser súbita,

Leia mais

Roberto Satler Cetlin R2 CLN ANCP

Roberto Satler Cetlin R2 CLN ANCP Roberto Satler Cetlin R2 CLN ANCP Aspectos Históricos Final do século XIX: primeiras descrições da associação entre SNC e anemia megaloblástica (Leichtenstern e Lichtheim). Início do séc. XX: descritas

Leia mais

A seguir enumeramos algumas caracteristicas do TBH:

A seguir enumeramos algumas caracteristicas do TBH: OQUEÉOTRANSTORNOBIPOLARDO HUMOR(TBH)? O transtorno bipolar do humor (também conhecido como psicose ou doença maníaco-depressiva) é uma doença psiquiátrica caracterizada por oscilações ou mudanças de humor

Leia mais

CURSO DE REABILITAÇAO VESTIBULAR: FUNDAMENTOS E PRÁTICA

CURSO DE REABILITAÇAO VESTIBULAR: FUNDAMENTOS E PRÁTICA CURSO DE REABILITAÇAO VESTIBULAR: FUNDAMENTOS E PRÁTICA 14 e 15 de novembro de 2015 São Paulo - SP Brasil Local: INSTITUTO VITA UNIDADE HIGIENÓPOLIS RUA MATO GROSSO, 306 1º ANDAR SÃO PAULO / SP Sábado,

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DAS CEFALEIAS (IHS 2004)

CLASSIFICAÇÃO DAS CEFALEIAS (IHS 2004) CLASSIFICAÇÃO DAS CEFALEIAS (IHS 2004) ENXAQUECAS Enxaqueca sem aura De acordo com a IHS, a enxaqueca sem aura é uma síndroma clínica caracterizada por cefaleia com características específicas e sintomas

Leia mais

LER/DORT. www.cpsol.com.br

LER/DORT. www.cpsol.com.br LER/DORT Prevenção através s da ergonomia DEFINIÇÃO LER: Lesões por Esforços Repetitivos; DORT: Doenças Osteomusculares Relacionadas ao Trabalho; São doenças provocadas pelo uso inadequado e excessivo

Leia mais

Esclerose Lateral Amiotrófica ELA

Esclerose Lateral Amiotrófica ELA Esclerose Lateral Amiotrófica ELA É uma doença implacável, degenerativa e fatal que afeta ambos os neurônios motores superior e inferior; Etiologia desconhecida; Incidência de 1 a 2 : 100.000 pessoas;

Leia mais

Maria da Conceição M. Ribeiro

Maria da Conceição M. Ribeiro Maria da Conceição M. Ribeiro Segundo dados do IBGE, a hérnia de disco atinge 5,4 milhões de brasileiros. O problema é consequência do desgaste da estrutura entre as vértebras que, na prática, funcionam

Leia mais

TUMORES CEREBRAIS. Maria da Conceição Muniz Ribeiro

TUMORES CEREBRAIS. Maria da Conceição Muniz Ribeiro TUMORES CEREBRAIS Maria da Conceição Muniz Ribeiro Tumor Cerebral é uma lesão localizada que ocupa o espaço intracerebral e tende a acusar um aumento de PIC. Em adulto, a maior parte dos tumores se origina

Leia mais

DOR PÉLVICA DISMENORRÉIA TPM. Profa. Dra. Maria Bethânia da Costa Chein Departamento de Medicina III

DOR PÉLVICA DISMENORRÉIA TPM. Profa. Dra. Maria Bethânia da Costa Chein Departamento de Medicina III DOR PÉLVICA DISMENORRÉIA TPM Profa. Dra. Maria Bethânia da Costa Chein Departamento de Medicina III Dor pélvica -Sem relação com fluxo menstrual Aguda d. inflamatória Crônica diagnóstico diferencial 2

Leia mais

Doença de Paget. Definição:

Doença de Paget. Definição: Definição: É uma doença sistêmica de origem desconhecida que determina alteração no Processo de Remodelação Óssea. Apresenta um forte componente genético. Se caracteriza por um aumento focal no remodelamento

Leia mais

TEMA: QUETIAPINA NO TRATAMENTO DA AGITAÇÃO PSICOMOTORA DE PACEINTE PORTADOR DE DOENÇA DE ALZHEIMER

TEMA: QUETIAPINA NO TRATAMENTO DA AGITAÇÃO PSICOMOTORA DE PACEINTE PORTADOR DE DOENÇA DE ALZHEIMER NTRR63/2013 Solicitante: Des. Alyrio Ramos Desembargador da 8ª Câm. Cível - TJMG Número do processo:1.0145.12.066387-0/001 Réu: Estado de Minas e Município de Pirapora Data: 03/05/2013 Medicamento X Material

Leia mais

TEMA: Topiramato, Olanzapina, Daforin, Rivotril em paciente com depressão grave.

TEMA: Topiramato, Olanzapina, Daforin, Rivotril em paciente com depressão grave. NOTA TÉCNICA 65/2013 Solicitante Alyrio Ramos Desembargador da 8ª Câmara Cível TJMG RÉU: ESTADO DE MINAS GERAIS E MUNICÍPIO DE ITAPECERICA Data: 05/05/2013 Medicamento x Material Procedimento Cobertura

Leia mais

Instabilidade postural

Instabilidade postural Centro de Medicina do Idoso Hospital Universitário de Brasília Universidade de Brasília Instabilidade Postural e Quedas. Por que os Idosos Caem? Agosto de 2008 Conceitos Instabilidade postural Tendência

Leia mais

ESCOLIOSE Lombar: Sintomas e dores nas costas

ESCOLIOSE Lombar: Sintomas e dores nas costas ESCOLIOSE Lombar: Sintomas e dores nas costas O que é escoliose? É um desvio látero-lateral que acomete acoluna vertebral. Esta, quando olhada de frente, possui aparência reta em pessoas saudáveis. Ao

Leia mais

MEDO E SISTEMA VESTIBULAR Hipóteses fisiopatológicas para a ansiedade relacionada a vertigem

MEDO E SISTEMA VESTIBULAR Hipóteses fisiopatológicas para a ansiedade relacionada a vertigem MEDO E SISTEMA VESTIBULAR Hipóteses fisiopatológicas para a ansiedade relacionada a vertigem INTRODUÇÃO 1. APRESENTAÇÃO A associação entre vertigem e ansiedade é reconhecida há séculos, mas ainda hoje

Leia mais

COMPRESSÃO DO NERVO MEDIANO NO PUNHO (SÍNDROME DO

COMPRESSÃO DO NERVO MEDIANO NO PUNHO (SÍNDROME DO COMPRESSÃO DO NERVO MEDIANO NO PUNHO (SÍNDROME DO TÚNEL DO CARPO) Roberto Sergio Martins A síndrome do túnel do carpo (STC) é a neuropatia de origem compressiva mais frequente, incidindo em cerca de 1%

Leia mais

www.colunasemdor.com.br

www.colunasemdor.com.br RESUMO Reabilitação vestibular: uma revisão bibliográfica da intervenção fisioterápica Autor: Fabíola Zucco - Fisioterapeuta Este é uma revisão dos principais aspectos do Sistema Vestibular e da Reabilitação

Leia mais

Escoliose: uso de órteses

Escoliose: uso de órteses Escoliose: uso de órteses Marcus Ziegler Ortopedista Traumatologista especialista em Cirurgia da Coluna Mestre em Gerontologia msziegler@me.com www.institutocoluna.com.br Objetivo Histórico Identificar

Leia mais

Centro de Reabilitação Dra. Linamara R. Battistella

Centro de Reabilitação Dra. Linamara R. Battistella Centro de Reabilitação Dra. Linamara R. Battistella Secretaria Municipal de Saúde Prefeitura Municipal de Centro de Reabilitação Até ano 2000: Casa de Saúde Stella Maris (05 fisios); Ano 2000: Clínica

Leia mais

Relato de um Caso Clínico atendido no Projeto ATM

Relato de um Caso Clínico atendido no Projeto ATM Relato de um Caso Clínico atendido no Projeto ATM Paciente: J. B. L. Idade: 27anos Sexo: feminino Profissão: desempregada Tipo Facial : Braquifacial Classificação de Angle: classe I Leucoderma Queixa Principal

Leia mais

TÍTULO: DADOS PRELIMINARES DA AVALIAÇÃO DE SINTOMAS DEPRESSIVOS EM MULHERES COM FIBROMIALGIA

TÍTULO: DADOS PRELIMINARES DA AVALIAÇÃO DE SINTOMAS DEPRESSIVOS EM MULHERES COM FIBROMIALGIA TÍTULO: DADOS PRELIMINARES DA AVALIAÇÃO DE SINTOMAS DEPRESSIVOS EM MULHERES COM FIBROMIALGIA CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: FISIOTERAPIA INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE SANTA

Leia mais

Especialização em SAÚDE DA FAMÍLIA. Caso complexo Natasha. Fundamentação teórica Dispepsia

Especialização em SAÚDE DA FAMÍLIA. Caso complexo Natasha. Fundamentação teórica Dispepsia Caso complexo Natasha Especialização em Fundamentação teórica DISPEPSIA Vinícius Fontanesi Blum Os sintomas relacionados ao trato digestivo representam uma das queixas mais comuns na prática clínica diária.

Leia mais

PMMG CBMMG IPSM, ZELANDO PELA SAÚDE DA FAMILIA MILITAR. JUNTOS NA CONSTRUÇÃO DE UM SISTEMA DE SAÚDE CADA DIA. MELHOR!

PMMG CBMMG IPSM, ZELANDO PELA SAÚDE DA FAMILIA MILITAR. JUNTOS NA CONSTRUÇÃO DE UM SISTEMA DE SAÚDE CADA DIA. MELHOR! D I R E T O R I A D E S A Ú D E INFORMATIVO CEFALEIA O mês de maio é considerado pela Sociedade Brasileira de Cefaleia, o Mês da Cefaleia, pois foi em maio de 1978 que esta entidade foi fundada por um

Leia mais

12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO NEUROLOGISTA

12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO NEUROLOGISTA 12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO NEUROLOGISTA QUESTÃO 21 Crises convulsivas, hemiplegias, afasia e hemianopsias como sinais isolados ou em associação, sugerem patologia neurológica de topografia:

Leia mais

SÍNDROMES MEDULARES. Profa Dra Cláudia Ferreira da Rosa Sobreira

SÍNDROMES MEDULARES. Profa Dra Cláudia Ferreira da Rosa Sobreira SÍNDROMES MEDULARES Profa Dra Cláudia Ferreira da Rosa Sobreira Divisão de Neurologia Departamento de Neurociências e Ciências do Comportamento Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Universidade de São

Leia mais

CONSULTA EM CLINICA MÉDICA CÓDIGO SIA/SUS 03.01.01.007-2

CONSULTA EM CLINICA MÉDICA CÓDIGO SIA/SUS 03.01.01.007-2 CONSULTA EM CLINICA MÉDICA CÓDIGO SIA/SUS 03.01.01.007-2 INDICAÇÃO 1. Diabetes Mellitus (CIDs E11 ao E14) 2. Tireoidopatias (CIDs E01 ao E02 e E04 ao E05) 2.1. Hipotireoidismo e 2.2. Hipertireoidismo 3.

Leia mais

FIBROMIALGIA Mitos & Realidades

FIBROMIALGIA Mitos & Realidades FIBROMIALGIA Mitos & Realidades Dr Roberto E. Heymann UNIFESP- EPM Afinal que é a Fibromialgia? A.E um quadro de depressão que tem como conseqüência um quadro de dor crônica no corpo todo? B.Em um quadro

Leia mais

04/06/2012. Curso Nacional de Atualização em Pneumologia SBPT 2012. Tratamento da dor oncológica. Definição. Dr Guilherme Costa

04/06/2012. Curso Nacional de Atualização em Pneumologia SBPT 2012. Tratamento da dor oncológica. Definição. Dr Guilherme Costa Curso Nacional de Atualização em Pneumologia SBPT 2012 Tratamento da dor oncológica Dr Guilherme Costa Mestre em Pneumologia - UNIFESP Especialista em Pneumologia SBPT Coordenador da Comissão de Câncer

Leia mais

Genética Molecular Padrões de Herança Citoplasmática e Multifatorial

Genética Molecular Padrões de Herança Citoplasmática e Multifatorial Genética Molecular Padrões de Herança Citoplasmática e Multifatorial Padrão de herança citoplasmático A mitocôndria é uma organela da célula que contém um filamento de ácido desoxiribonucléico (DNA) próprio,

Leia mais

~ 2 ~ Do Susto ao Sucesso. HERPES GENITAL & Relacionamentos Por Eduardo Rosadarco. www.dosustoaosucesso.com. 1ª Edição Agosto, 2011

~ 2 ~ Do Susto ao Sucesso. HERPES GENITAL & Relacionamentos Por Eduardo Rosadarco. www.dosustoaosucesso.com. 1ª Edição Agosto, 2011 ~ 2 ~ Do Susto ao Sucesso HERPES GENITAL & Relacionamentos Por Eduardo Rosadarco www.dosustoaosucesso.com 1ª Edição Agosto, 2011 Copyright 2011 por Eduardo Rosadarco Todos os direitos reservados. ~ 4 ~

Leia mais

TÍTULO: CARACTERÍSTICAS DOS IDOSOS COM OSTEOARTROSE EM TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO EM GRUPO NA CLÍNICA DE FISIOTERAPIA DA UNAERP

TÍTULO: CARACTERÍSTICAS DOS IDOSOS COM OSTEOARTROSE EM TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO EM GRUPO NA CLÍNICA DE FISIOTERAPIA DA UNAERP TÍTULO: CARACTERÍSTICAS DOS IDOSOS COM OSTEOARTROSE EM TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO EM GRUPO NA CLÍNICA DE FISIOTERAPIA DA UNAERP CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: FISIOTERAPIA

Leia mais