ÁCAROS FONTES DE ALERGIZAÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ÁCAROS FONTES DE ALERGIZAÇÃO"

Transcrição

1 ÁCAROS FONTES DE ALERGIZAÇÃO Os alérgenos mais freqüentemente encontrados em nosso meio são os ácaros e eles são responsáveis pelas crises de asma e rinite alérgica. Os ácaros têm uma intima relação conosco, ou seja, vivem em nossa cama, em nosso travesseiro e em nossas cobertas. As emanações dos ácaros são responsáveis pelas crises alérgicas respiratórias, lembrando que os ácaros podem desencadear crises estando vivos ou mortos. São responsáveis por 85% das sensibilizações. O tratamento com vacina antialérgica específica trata a causa da alergia do paciente e isto é muito importante que seja compreendido. Os remédios também são importantes, pois impedem ou tratam as crises de alergia e somente as crises. O quadro abaixo exemplifica diversos alérgenos e seus depósitos dentro de casa.

2 FOTOS DE ACÁROS ENCONTRADOS EM NOSSAS RESIDÊNCIAS As três espécies de ácaros (abaixo) são as mais importantes encontradas dentro de nossas residências. Tyrophagus putrescentiae Blomia tropicalis Dermatophagoides pteronyssinus FOTO DE INSETOS Os insetos provocam alergia respiratória dentre eles as baratas são as mais importantes, representam de 15 25% das pessoas alergizadas. As três espécies (abaixo) são as mais freqüentes em nossas casas. Periplaneta Americana, Blatela oriental e Blatela germanica FUNGOS-DO-AR Dentre os milhares de espécies de fungos-do-ar, destacam as seguintes Alternaria alternata, Aspergilus fumigatus e Cladosporium herbarium que

3 representam menos de 3% das sensibilizações dos alérgicos respiratórios. Vejam a fotos abaixo. FOTOS DOS FUNGOS-DO-AR Alternaria alternata Crescimento em meio de cultura (Placa de Petri) esporos microscópicos Aspergilus Fumigatus Crescimento em meio de cultura (Placa de Petri) esporos microscópicos Cladosporium herbarium Crescimento em meio de cultura esporos microscópicos

4 A casa com encanamento de água vazando, telhados danificados ou calhas entupidas podem favorecer o aparecimento de fungos-do-ar nas paredes ou nos tetos. Teto e Parede mofadas Animais domésticos Os animais domésticos podem ser responsáveis por alergias respiratórias geralmente graves. Quando alguém é alérgico a gato ou cão, um dos dois tem que sair de casa. Os animais domésticos também podem provocar choque anafilático. O choque anafilático pode levar a morte. O que provoca alergia são as descamações, saliva e fezes e não o tamanho do pele do animal. Gato Cães O Cavalo, o boi e as galinhas podem provocar as mesmas reações nas pessoas que lidam com eles, proprietário, tratadores e veterinários.

5 POLENS Das espécies vegetais que freqüentemente dão testes positivo em meu consultório são uma espécie de grama (Lolium sp) e uma espécie de árvore (Ligustrum vulgaris). Lembrando que existem muitas espécies vegetais que podem desencadear crises de alergia respiratória (asma e rinite). Os polens somente afetam os alérgicos quando as espécies estão em floração. Quando a planta está florida ela lança no ar os polens (gameta masculino) que irão fecundar outras flores e produzir sementes e frutos. Lolium perene (azevem) O azevém é cultivado no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e nas regiões mais frias do Paraná. A produção se dá nos meses de inverno e primavera. Esquema Plantação Aspecto do azevem Rolos de Azevem e Pólen (microscópio)

6 Ligustro vulgaris Esta árvore foi usada para arborizar muitas cidades do Brasil. Esquema Ligustro florido frutos verdes Frutos maduros polens (microscópicos) DÚVIDAS E PERGUNTAS DEVERÃO SER LEVADAS AO SEU ALERGISTA PARA ESCLARECIMENTO. IMPORTANTE As informações disponíveis no site possui caráter informativo e educativo. No caso de consulta procurar seu médico de confiança para diagnóstico e tratamento. Dr. Luiz Carlos Bertoni Alergista - Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia (ASBAI) Membro - World Allergy Organization (WAO) CRM-PR 5779

RINITE ALÉRGICA: ALÉRGENOS E POLUIÇÃO

RINITE ALÉRGICA: ALÉRGENOS E POLUIÇÃO RINITE ALÉRGICA: ALÉRGENOS E POLUIÇÃO O tratamento das rinites é considerado um desafio, pois além do processo alérgico existe as causas não-alérgicas. A rinite tem uma morbidade significativa, custo financeiro

Leia mais

PLANEJAMENTO DO TRATAMENTO DA ASMA BRÔNQUICA

PLANEJAMENTO DO TRATAMENTO DA ASMA BRÔNQUICA PLANEJAMENTO DO TRATAMENTO DA ASMA BRÔNQUICA O estudo do sistema imune (proteção) surgiu no início do século 20, com futuro muito promissor, mas isto não se confirmou de imediato. Os fenômenos imunológicos

Leia mais

MÉTODOS DIAGNÓSTICOS EM ALERGIA

MÉTODOS DIAGNÓSTICOS EM ALERGIA MÉTODOS DIAGNÓSTICOS EM ALERGIA INTRODUÇÃO HISTÓRIA CLÍNICA; ANTECEDENTES FAMILIARES E PESSOAIS; AVALIAÇÃO CLÍNICA; REPERCUSSÃO DA ALERGIA; FATORES DESENCADEANTES; A história e a avaliação clínica de uma

Leia mais

PROGRAMA PARA CONTROLAR A ASMA PRIMEIRA PARTE

PROGRAMA PARA CONTROLAR A ASMA PRIMEIRA PARTE PROGRAMA PARA CONTROLAR A ASMA PRIMEIRA PARTE O cuidado apropriado com a asma pode ajudar o paciente a prevenir a maior parte das crises, a ficar livre de sintomas problemáticos diurnos e noturnos e a

Leia mais

ALERGIA A INSETOS PICADORES (CHOQUE ANAFILÁTICO)

ALERGIA A INSETOS PICADORES (CHOQUE ANAFILÁTICO) ALERGIA A INSETOS PICADORES (CHOQUE ANAFILÁTICO) As abelhas do gênero Apis (abelha-europa ou abelha-africana), as vespas (marimbondos) e as formigas lava-pés são insetos do gênero dos himenópteros que

Leia mais

TRATAMENTO DE ALERGIA RESPIRATÓRIA 2/3

TRATAMENTO DE ALERGIA RESPIRATÓRIA 2/3 TRATAMENTO DE ALERGIA RESPIRATÓRIA 2/3 SISTEMA IMUNE E ALERGIA Por alergia, entendem-se as repostas imunes indesejadas contra substâncias que venceram as barreiras como, os epitélios, as mucosas e as enzimas.

Leia mais

ALERGIA RESPIRATÓRIA POEIRA DOMICILIAR PERGUNTAS E RESPOSTAS

ALERGIA RESPIRATÓRIA POEIRA DOMICILIAR PERGUNTAS E RESPOSTAS ALERGIA RESPIRATÓRIA POEIRA DOMICILIAR PERGUNTAS E RESPOSTAS A poeira domiciliar provoca alergia mesmo em casa bem limpa? Sim. A poeira domiciliar desencadeia crises de coriza aquosa, nariz entupido, coceira

Leia mais

TRATAMENTO DE ALERGIA RESPIRATÓRIA 3/3

TRATAMENTO DE ALERGIA RESPIRATÓRIA 3/3 TRATAMENTO DE ALERGIA RESPIRATÓRIA 3/3 VACINA ANTIALÉRGICA UM TRATAMENTO DE EXCELÊNCIA A imunoterapia é o tratamento preventivo para impedir as reações alérgicas provocadas por substâncias como ácaros

Leia mais

EFEITOS ADVERSOS A MEDICAMENTOS

EFEITOS ADVERSOS A MEDICAMENTOS EFEITOS ADVERSOS A MEDICAMENTOS INTRODUÇÃO As informações contidas neste folheto têm a finalidade de orientar as pessoas que passaram ou que podem passar pela experiência não-desejada dos efeitos adversos

Leia mais

ALERGIA A INSETOS SUGADORES (ESTRÓFULO)

ALERGIA A INSETOS SUGADORES (ESTRÓFULO) ALERGIA A INSETOS SUGADORES (ESTRÓFULO) A maioria das pessoas não-alérgicas a picadas de insetos geralmente apresentam uma reação papulosa no local da picada do inseto. A pápula surge em 5 a 20 minutos

Leia mais

ALERGIAS AO LÁTEX...

ALERGIAS AO LÁTEX... ALERGIAS AO LÁTEX... UM PROBLEMA CADA VEZ MAIS PREOCUPANTE O látex, um componente da borracha natural produzido pela seringueira, é um produto com características especiais, por isso muito utilizadas em

Leia mais

ALERGIA ALIMENTAR: UMA VISÃO PANORÂMICA

ALERGIA ALIMENTAR: UMA VISÃO PANORÂMICA ALERGIA ALIMENTAR: UMA VISÃO PANORÂMICA No dia-a-dia de um consultório de alergia é muito comum o cliente chegar achando que seu problema alérgico está relacionado à alergia alimentar, principalmente quando

Leia mais

Declaração de Conflitos de Interesse. Nada a declarar.

Declaração de Conflitos de Interesse. Nada a declarar. Declaração de Conflitos de Interesse Nada a declarar. Avaliação clínico-laboratorial do paciente alérgico RAST Silvia Daher Apoio: Phadia Diagnósticos Ltda HISTÓRIA TESTE CUTÂNEO RAST SD Diagnóstico de

Leia mais

GANHO DE PESO NA PRIMEIRA INFÂNCIA ASMA E REATIVIDADE CUTÂNEA EM CRIANÇAS: RESULTADOS DE UMA COORTE (SCAALA)

GANHO DE PESO NA PRIMEIRA INFÂNCIA ASMA E REATIVIDADE CUTÂNEA EM CRIANÇAS: RESULTADOS DE UMA COORTE (SCAALA) Universidade Federal da Bahia Instituto de Saúde Coletiva - ISC Programa de Pós-GraduaP Graduação em Saúde Coletiva GANHO DE PESO NA PRIMEIRA INFÂNCIA ASMA E REATIVIDADE CUTÂNEA EM CRIANÇAS: RESULTADOS

Leia mais

Papel da IgE sérica específica no diagnóstico da alergia a epitélio e proteínas de animais

Papel da IgE sérica específica no diagnóstico da alergia a epitélio e proteínas de animais IgE Específico Epitélios e Proteínas de Animais IgEs específicos para epitélios e proteínas de animais são testes que avaliam a presença, na amostra testada, de anticorpos IgE contra alérgenos derivados

Leia mais

Ass. de Comunicação www.ptexto.com.br. Veículo: Correio Braziliense Data: 17/04/2011 Seção: Trabalho Pág.: 3 Assunto: Great Place to Work

Ass. de Comunicação www.ptexto.com.br. Veículo: Correio Braziliense Data: 17/04/2011 Seção: Trabalho Pág.: 3 Assunto: Great Place to Work Veículo: Correio Braziliense Data: 17/04/2011 Seção: Trabalho Pág.: 3 Assunto: Great Place to Work Veículo: Correio Braziliense Data: 17/04/2011 Seção: Saúde Pág.: 27 Assunto: Amados mas perigosos Veículo:

Leia mais

Doenças Respiratórias Crônicas. Caderno de Atenção Básica 25

Doenças Respiratórias Crônicas. Caderno de Atenção Básica 25 Doenças Respiratórias Crônicas Caderno de Atenção Básica 25 PREVALÊNCIA O Asma (acomete cerca de 300 milhões de indivíduos no mundo) O Rinite Alérgica (afeta cerca de 20 25% da população) O DPOC (afeta

Leia mais

DERMATITE (ECZEMA) DE CONTATO

DERMATITE (ECZEMA) DE CONTATO DERMATITE (ECZEMA) DE CONTATO A pele exerce a função principal de revestimento e proteção do corpo humano contra fatores físicos e químicos do ambiente. A pele também tem papel importante na regulação

Leia mais

A Engenharia Civil e as Construções Sustentáveis

A Engenharia Civil e as Construções Sustentáveis Engenharia A Engenharia Civil e as Construções Sustentáveis A construção sustentável é um novo conceito que está surgindo dentro da engenharia civil. A construção sustentável além de tornar a obra ecológica,

Leia mais

!" "!#$%&! ' (& %()#' *& %)' )+,-&

! !#$%&! ' (& %()#' *& %)' )+,-& !" "!#$%&! ' (& %()#' *& %)' )+,-& (vista lateral) (vista superior) (órgão feminino - vista lateral) (órgão masculino) 1 &./*& %)' )+,-& 0É a transferência do pólen da antera para o estigma da flor. Pólen

Leia mais

ATIVIDADES DE REVISÃO PARA AVALIAÇÃO FINAL. Professor (a): Aline Tonin Ano /Série: 7º ano Componente Curricular: Ciências 17A,17B, 17C, 17D e E.

ATIVIDADES DE REVISÃO PARA AVALIAÇÃO FINAL. Professor (a): Aline Tonin Ano /Série: 7º ano Componente Curricular: Ciências 17A,17B, 17C, 17D e E. ATIVIDADES DE REVISÃO PARA AVALIAÇÃO FINAL Professor (a): Aline Tonin Ano /Série: 7º ano Componente Curricular: Ciências Turma: 17A,17B, 17C, 17D e E. Lista dos conteúdos Características dos Seres Vivos

Leia mais

ASPECTOS CONSTRUTIVOS E AMBIENTAIS DE TELHADOS VERDES EXTENSIVOS

ASPECTOS CONSTRUTIVOS E AMBIENTAIS DE TELHADOS VERDES EXTENSIVOS I Congresso Baiano de Engenharia Sanitária e Ambiental - I COBESA ASPECTOS CONSTRUTIVOS E AMBIENTAIS DE TELHADOS VERDES EXTENSIVOS Matheus Paiva Brasil (1) Graduando em Engenharia Sanitária e Ambiental

Leia mais

Respostas das questões sobre as regiões do Brasil

Respostas das questões sobre as regiões do Brasil Respostas das questões sobre as regiões do Brasil Região Norte 1. Qual a diferença entre região Norte, Amazônia Legal e Amazônia Internacional? A região Norte é um conjunto de 7 estados e estes estados

Leia mais

Rinite alérgica e não-alérgica Resumo de diretriz NHG M48 (primeira revisão, abril 2006)

Rinite alérgica e não-alérgica Resumo de diretriz NHG M48 (primeira revisão, abril 2006) Rinite alérgica e não-alérgica Resumo de diretriz NHG M48 (primeira revisão, abril 2006) Sachs APE, Berger MY, Lucassen PLBJ, Van der Wal J, Van Balen JAM, Verduijn MM. traduzido do original em holandês

Leia mais

PROGRAMA DE RESIDÊNCIA EM ALERGIA E IMUNOLOGIA HCFMRP-USP

PROGRAMA DE RESIDÊNCIA EM ALERGIA E IMUNOLOGIA HCFMRP-USP PROGRAMA DE RESIDÊNCIA EM ALERGIA E IMUNOLOGIA HCFMRP-USP Introducao Doenças alérgicas afetam atualmente mais que 20% da população brasileira, e são causa importante de doença crônica no mundo inteiro.

Leia mais

Regiões Litorâneas. Javali. https://meadd.com/seviero/43049322. http://pt.wikipedia.org/wiki/javali

Regiões Litorâneas. Javali. https://meadd.com/seviero/43049322. http://pt.wikipedia.org/wiki/javali Javali A4 Regiões Litorâneas A3 http://pt.wikipedia.org/wiki/javali https://meadd.com/seviero/43049322 O javali tem uma grande distribuição geográfica. Aparece em parte da Europa e Norte da África (juntamente

Leia mais

MANUAL PROJETO AMBIENTAL ELAS PRESERVANDO NAS ESCOLAS

MANUAL PROJETO AMBIENTAL ELAS PRESERVANDO NAS ESCOLAS MANUAL PROJETO AMBIENTAL ELAS PRESERVANDO NAS ESCOLAS www.elasecomodas.com.br INTRODUÇÃO Este manual tem por finalidade servir como apoio para que as escolas parceiras do Projeto Ambiental Elas Preservando

Leia mais

Por que limpar a casa?

Por que limpar a casa? A UU L AL A Por que limpar a casa? Você, dona de casa, faxineiro, empregada doméstica ou trabalhador que limpa a casa nos finais de semana, sabe o quanto é duro fazer uma boa faxina para deixar tudo limpinho,

Leia mais

CIÊNCIAS PROVA 4º BIMESTRE 7º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ

CIÊNCIAS PROVA 4º BIMESTRE 7º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO CIÊNCIAS PROVA 4º BIMESTRE 7º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ 2010 01. As fotografias

Leia mais

Alérgenos de origem alimentar: eles são preocupantes? Flavio Finardi Filho FCF USP ffinardi@usp.br

Alérgenos de origem alimentar: eles são preocupantes? Flavio Finardi Filho FCF USP ffinardi@usp.br Alérgenos de origem alimentar: eles são preocupantes? Flavio Finardi Filho FCF USP ffinardi@usp.br Alérgenos de origem alimentar Características gerais glicoproteínas resistência térmica resistente à proteólise

Leia mais

Programa RespirAr. Asma e bronquite sem crise. RespirAr

Programa RespirAr. Asma e bronquite sem crise. RespirAr Programa RespirAr. Asma e bronquite sem crise. RespirAr Prevenir é o melhor remédio para uma boa saúde, evitando-se as doenças e suas complicações. Problemas respiratórios, por exemplo, podem se tornar

Leia mais

Semana Mundial da Alergia 08 a 14/04/2013. Atividades nos Serviços de Alergia e Imunologia do Rio de Janeiro

Semana Mundial da Alergia 08 a 14/04/2013. Atividades nos Serviços de Alergia e Imunologia do Rio de Janeiro Semana Mundial da Alergia 08 a 14/04/2013 Atividades nos Serviços de Alergia e Imunologia do Rio de Janeiro ABRA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ASMÁTICOS palestra na quarta feira, dia 10 abril, no período da

Leia mais

TEMAS LIVRES DO XXXI CONGRESSO BRASILEIRO DE ALERGIA APRESENTAÇÃO: ORAL DATA.: 06/11/2004 SALA BRUM NEGREIROS

TEMAS LIVRES DO XXXI CONGRESSO BRASILEIRO DE ALERGIA APRESENTAÇÃO: ORAL DATA.: 06/11/2004 SALA BRUM NEGREIROS APRESENTAÇÃO: ORAL DATA.: 06/11/2004 SALA BRUM NEGREIROS NÚMERO TEMA LIVRE TÍTULO LEPTINA PARTICIPA DO CONTROLE DA APOPTOSE EM TIMO ATRAVÉS DE MECANISMO DE SINALIZAÇÃO DEPENDENTE DA VIA 001 IRS-1/PI 3-QUINASE

Leia mais

Doenças Respiratórias O QUE SÃO E COMO AS PREVENIR?

Doenças Respiratórias O QUE SÃO E COMO AS PREVENIR? Doenças Respiratórias O QUE SÃO E COMO AS PREVENIR? O NÚMERO DE PESSOAS AFETADAS POR DOENÇAS RESPIRATÓRIAS EVITÁVEIS NÃO PÁRA DE AUMENTAR. AS CRIANÇAS E OS MAIS VELHOS SÃO OS MAIS ATINGIDOS. SÃO DOENÇAS

Leia mais

3 Plantio e Semeadura

3 Plantio e Semeadura 3 Plantio e Semeadura 1 Plantio Éo ato de se colocar mudas ou partes vegetativas no solo para a instalação de determinada cultura. Exemplos: - Cana-de-açúcar; - Mandioca; - Arroz no cultivo com transplantio

Leia mais

Diretrizes para a Vigilância e Controle de Morcegos em Áreas

Diretrizes para a Vigilância e Controle de Morcegos em Áreas Diretrizes para a Vigilância e Controle de Morcegos em Áreas Urbanas Marcelo Yoshito Wada Grupo Técnico da Raiva COVEV/CGDT/DEVEP/SVS/MS / /S S/ S Outubro, 2008 Importância para saúde pública Aproximadamente

Leia mais

DIVERSIDADE DE CLIMAS = DIVERSIDADE DE VEGETAÇÕES

DIVERSIDADE DE CLIMAS = DIVERSIDADE DE VEGETAÇÕES FORMAÇÕES VEGETAIS - Os elementos da natureza mantém estreita relação entre si. - A essa relação, entendida como a combinação e coexistência de seres vivos (bióticos) e não vivos (abióticos) dá-se o nome

Leia mais

CONCURSO JARDIM MAIS BONITO 2015 REGULAMENTO

CONCURSO JARDIM MAIS BONITO 2015 REGULAMENTO CONCURSO JARDIM MAIS BONITO 2015 REGULAMENTO OBJETIVOS - Valorizar o trabalho dos moradores de Colinas no cuidado do seu Jardim; - Desenvolver o turismo no nosso município; - Despertar a consciência ecológica

Leia mais

Grupos de Ervas Daninhas

Grupos de Ervas Daninhas Santa Luzia Última atualização outubro de 2013 Código Pólens de Gramíneas Nome Científico g2 g3 g5 g6 g12 gx1 gx2 gx3 Grama rasteira Dátilo; Capim dos pomares Azevém perene, Capim Inglês Capim rabo de

Leia mais

Como Eu Ensino Biomas brasileiros Material de apoio

Como Eu Ensino Biomas brasileiros Material de apoio Roteiro da atividade: Jogo da Sobrevivência Como jogar 1. Cada jogador iniciará o jogo com uma população de sessenta quatis na primeira geração e, portanto, marcará na folha-região 60 indivíduos no eixo

Leia mais

BIOLOGIA 2ª Série do Ensino Médio Atividades direcionadas Prova final - 2011

BIOLOGIA 2ª Série do Ensino Médio Atividades direcionadas Prova final - 2011 Para a prova final da 2ª Série do Ensino Médio, o aluno deverá ser capaz de: Interpretar árvores filogenéticas; Identificar as principais características dos grupos vegetais; Identificar as principais

Leia mais

Aspectos semiológicos das alergias respiratórias. Fernando Monteiro Aarestrup MD, PhD

Aspectos semiológicos das alergias respiratórias. Fernando Monteiro Aarestrup MD, PhD Aspectos semiológicos das alergias respiratórias Fernando Monteiro Aarestrup MD, PhD Diagnóstico alergia respiratória História clínica Exame Físico Exames complementares Doenças alérgicas mediadas por

Leia mais

Vigilância Epidemiológica de Agravos Transmissíveis de Notificação Sistema de Informação de Agravos de Notificação SINAN

Vigilância Epidemiológica de Agravos Transmissíveis de Notificação Sistema de Informação de Agravos de Notificação SINAN INFORMATIVO EPIDEMIOLÓGICO AGRAVOS AGUDOS TRANSMISSÍVEIS 23 de fevereiro de 2015 Vol. 01/2015 NESTA EDIÇÃO INVESTIGAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA NOS CASOS DE CONTATO COM MORCEGO SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE CENTRO

Leia mais

Tradicionalmente, as plantas têm sido divididas em dois grandes grupos:

Tradicionalmente, as plantas têm sido divididas em dois grandes grupos: INTRODUÇÃO À BOTÂNICA CARACTERÍSTICAS GERAIS O Reino vegetal reúne as plantas ou vegetais, tais como, musgos, samambaias, pinheiros, árvores, arbustos, etc. São organismos eucariontes, multicelulares e

Leia mais

ORIENTAÇÕES RESUMO TEÓRICO EXERCÍCIOS RESOLVIDOS. BIOLOGIA 3 Prof.: Vinícius (Minguado) LISTA 5.a GRUPOS VEGETAIS (ANGIOSPERMAS)

ORIENTAÇÕES RESUMO TEÓRICO EXERCÍCIOS RESOLVIDOS. BIOLOGIA 3 Prof.: Vinícius (Minguado) LISTA 5.a GRUPOS VEGETAIS (ANGIOSPERMAS) BIOLOGIA 3 Prof.: Vinícius (Minguado) LISTA 5.a GRUPOS VEGETAIS (ANGIOSPERMAS) ORIENTAÇÕES CICLO REPRODUTIVO DAS ANGIOSPERMAS A lista 8.a apresenta exercícios sobre as angiospermas, o grupo vegetal mais

Leia mais

Se sim passar para apresentação 2 abaixo, se não passar para A2 A2 Será possível falar com essa pessoa numa outra altura?

Se sim passar para apresentação 2 abaixo, se não passar para A2 A2 Será possível falar com essa pessoa numa outra altura? Entrevistador: Nome: Data: Número de telefone: Prefixo: Sufixo: Hora de início da entrevista: Apresentação 1 Bom dia/tarde, o meu nome é.. A Faculdade de Medicina da Universidade do Porto está a realizar

Leia mais

Uma perspectiva de ensino para as áreas de conhecimento escolar CIÊNCIAS NATURAIS

Uma perspectiva de ensino para as áreas de conhecimento escolar CIÊNCIAS NATURAIS Uma perspectiva de ensino para as áreas de conhecimento escolar CIÊNCIAS NATURAIS A proposta A proposta de ensino das Ciências Naturais se fundamenta na construção do pensamento científico acerca dos fenômenos

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL Documento(s) Orientador(es): Currículo Nacional do Ensino Básico Competências essenciais 2º CICLO CIÊNCIAS NATURAIS

Leia mais

ALERGIA E IMUNOLOGIA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA EM HCFMRP-USP

ALERGIA E IMUNOLOGIA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA EM HCFMRP-USP 1 PROGRAMA DE RESIDÊNCIA EM ALERGIA E IMUNOLOGIA HCFMRP-USP 2 Introdução Doenças alérgicas afetam atualmente mais que 20% da população brasileira, e são causa importante de doença crônica no mundo inteiro.

Leia mais

4 o ano Ensino Fundamental Data: / / Atividades de Ciências Nome:

4 o ano Ensino Fundamental Data: / / Atividades de Ciências Nome: 4 o ano Ensino Fundamental Data: / / Atividades de Ciências Nome: 1) Observe esta figura e identifique as partes do vegetal representadas nela. Posteriormente, associe as regiões identificadas às funções

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DE ESTUDO DO MEIO setembro/outubro

PLANIFICAÇÃO DE ESTUDO DO MEIO setembro/outubro PLANIFICAÇÃO DE ESTUDO DO MEIO setembro/outubro À DESCOBERTA DE SI MESMO: O meu passado mais longínquo Reconhecer datas e factos importantes da sua vida Localizar datas e factos importantes numa linha

Leia mais

EXERCÍCIOS EXTRAS REINO PLANTAE Professora: Giselle Cherutti - Ensino Fundamental II - 7º ano

EXERCÍCIOS EXTRAS REINO PLANTAE Professora: Giselle Cherutti - Ensino Fundamental II - 7º ano EXERCÍCIOS EXTRAS REINO PLANTAE Professora: Giselle Cherutti - Ensino Fundamental II - 7º ano 1. As briófitas são plantas que possuem pequeno porte. A característica que impede que essas plantas atinjam

Leia mais

Aula 5 Reprodução das Angiospermas

Aula 5 Reprodução das Angiospermas Aula 5 Reprodução das Angiospermas Nas angiospermas, o esporófito é formado por raízes, caule, folhas, flores, frutos e sementes. As flores são folhas modificadas, preparadas para a reprodução das angiospermas.

Leia mais

Questão 21. Questão 23. Questão 22. alternativa B. alternativa B. alternativa D

Questão 21. Questão 23. Questão 22. alternativa B. alternativa B. alternativa D Questão 21 A recente descoberta de uma vasta região de mar descongelado no Pólo Norte é um exemplo dos efeitos do aquecimento global pelo qual passa o planeta. Alarmados com a situação, alguns países industrializados

Leia mais

www.cpsol.com.br TEMA 003 CONHEÇA E PREVINA AS DOENÇAS DO INVERNO

www.cpsol.com.br TEMA 003 CONHEÇA E PREVINA AS DOENÇAS DO INVERNO TEMA 003 CONHEÇA E PREVINA AS DOENÇAS DO INVERNO 1/8 O inverno chegou e junto com ele maiores problemas com as doenças respiratórias entre outras Isso não ocorre por acaso já que pé nesta estação onde

Leia mais

UFPI PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL/ 2015-2018

UFPI PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL/ 2015-2018 Hospital de ensino, com funcionamento 24 horas, inaugurado em 09 de setembro de 2003. - Atende ao ensino de graduação em Medicina Veterinária - Pós-graduação - Execução das atividades dos Programas de

Leia mais

Aula 2 Os vegetais Talófita : Briófitas: Pteridófita:

Aula 2 Os vegetais Talófita : Briófitas: Pteridófita: Aula 2 Os vegetais O reino Plantae (ou Metaphyta) está representado por uma enorme diversidade de espécies, como algas, musgos, samambaias, pinheiros, mangueiras. São classificadas de acordo com a presença

Leia mais

SANITIZAÇÃO DE AMBIENTES. Guilherme Francisco Botana

SANITIZAÇÃO DE AMBIENTES. Guilherme Francisco Botana Curso - Higienização em sistemas de ar condicionado e ambientes SANITIZAÇÃO DE AMBIENTES Guilherme Francisco Botana Fontes de Contaminação Ambientes Climatizados Fonte Primária Fonte Secundaria Fonte Terciária

Leia mais

Quem somos. A maior franquia de jardinagem do Brasil! Nosso foco é tratamento e nutrição de plantas e gramados;

Quem somos. A maior franquia de jardinagem do Brasil! Nosso foco é tratamento e nutrição de plantas e gramados; Conheça a maior franquia de jardinagem do Brasil! Sobre nós A Ecojardim partiu do sonho de um jovem técnico agrícola que tinha em suas mãos mais de 15 anos de experiência nos mercados de agricultura e

Leia mais

Nematóides mais comuns em Seres Humanos e Animais

Nematóides mais comuns em Seres Humanos e Animais Nematóides mais comuns em Seres Humanos e Animais 1- Ascaridíase gênero Ascaris 2- Ancilostomíase gênero Ancylostoma 3- Oxiuríase gênero Enterobius 4- Filaríase gênero Wuchereria Ascaris O gênero Ascaris

Leia mais

www.drapriscilaalves.com.br [COMPLEXO RESPIRATÓRIO VIRAL FELINO]

www.drapriscilaalves.com.br [COMPLEXO RESPIRATÓRIO VIRAL FELINO] [COMPLEXO RESPIRATÓRIO VIRAL FELINO] 2 Complexo Respiratório Viral Felino É um conjunto de sintomas causado pelas doenças Rinotraqueíte Felina e Calicivirose Felina. São doenças virais cujos sinais clínicos

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO I ETAPA LETIVA CIÊNCIAS 5. o ANO/EF - 2015

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO I ETAPA LETIVA CIÊNCIAS 5. o ANO/EF - 2015 SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA MANTENEDORA DA PUC MINAS E DO COLÉGIO SANTA MARIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO I ETAPA LETIVA CIÊNCIAS 5. o ANO/EF - 2015 Caro (a) aluno(a), É tempo de conferir os conteúdos estudados

Leia mais

Lixo é tudo aquilo que já não tem utilidade e é jogado fora, qualquer material de origem doméstica ou industrial.

Lixo é tudo aquilo que já não tem utilidade e é jogado fora, qualquer material de origem doméstica ou industrial. Lixo reflexo da sociedade Definição Lixo é tudo aquilo que já não tem utilidade e é jogado fora, qualquer material de origem doméstica ou industrial. Todo lixo gerado pode ser classificado em dois tipos:orgânico

Leia mais

M i c r o Z o o m. - um jogo de observação e memória -

M i c r o Z o o m. - um jogo de observação e memória - M i c r o Z o o m - um jogo de observação e memória - Material de Apoio Raiva A raiva é uma doença fatal. Isso significa que se uma pessoa que se uma pessoa não vacinada for contaminada pelo vírus da raiva

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NÃO - FORMAL Definições: Educação Ambiental não - formal: pode ser definida como as ações e práticas educativas voltadas à sensibilização da coletividade sobre as questões ambientais

Leia mais

MANUAL DE PUBLICIDADE

MANUAL DE PUBLICIDADE MANUAL DE PUBLICIDADE DO MÉDICO VETERINÁRIO Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado do Paraná Manual de Publicidade do Médico Veterinário 2015 www.crmv-pr.org.br MANUAL DE PUBLICIDADE DO MÉDICO

Leia mais

ALERGIAS NA INFÂNCIA

ALERGIAS NA INFÂNCIA ALERGIAS NA INFÂNCIA Tema: Alergias na Infância Objetivos Conceituar alergia, classificar os principais tipos e indutores das doenças alérgicas. Identificar e relacionar os fatores de risco associados

Leia mais

www.drapriscilaalves.com.br [ORIENTAÇÕES SOBRE O FILHOTE]

www.drapriscilaalves.com.br [ORIENTAÇÕES SOBRE O FILHOTE] [ORIENTAÇÕES SOBRE O FILHOTE] 2 orientações sobre o filhote 1. Informações iniciais: É natural que o filhote estranhe seu novo lar nos primeiros dias. Assim, é importante ser compreensivo, carinhoso e

Leia mais

Ecologia da Polinização

Ecologia da Polinização Universidade Federal da Bahia Instituto de Biologia Programa de Pós- Graduação em Ecologia e Biomonitoramento Patrícia Ferreira Salvador Setembro/Outubro 2007 Fenologia Fases Reprodutivas Fase Vegetativa

Leia mais

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 2ª PROVA PARCIAL DE CIÊNCIAS

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 2ª PROVA PARCIAL DE CIÊNCIAS COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 2012 2ª PROVA PARCIAL DE CIÊNCIAS Aluno(a): Nº Ano: 7º Turma: Data: 11/08/2012 Nota: Professor(a): Karina Valor da Prova: 40 pontos Orientações gerais: 1) Número

Leia mais

RESPIRE SAÚDE SANITIZAÇÃO para aparelhos de AR-CONDICIONADO

RESPIRE SAÚDE SANITIZAÇÃO para aparelhos de AR-CONDICIONADO RESPIRE SAÚDE SANITIZAÇÃO para aparelhos de AR-CONDICIONADO QUALIDADE DE Somos a primeira em no seguimento de pre limpeza, higienização aparelhos de ar-condi a remoção. Sim, nossa ra possibilita a realiz

Leia mais

Horta do Bairro. Assembleia Municipal de Crianças de Lisboa. 4ºAno 2011/2012. Apresentação: Joana Silva e Sehul Ramgi

Horta do Bairro. Assembleia Municipal de Crianças de Lisboa. 4ºAno 2011/2012. Apresentação: Joana Silva e Sehul Ramgi Assembleia Municipal de Crianças de Lisboa 4ºAno 2011/2012 Apresentação: Joana Silva e Sehul Ramgi 20 de abril de 2012 1ª Investigação do tema 2ª Inquérito à população 3ªOrganização dos dados 4ª Visita

Leia mais

1 2 3 4 Índice Artigo Dr. Fabio Morato Castro... 7 Aerolérgenos e controle ambiental... 9 Aeroalérgenos... 9 Poeira domiciliar e ácaros... 10 Epitélios e outros alérgenos de origem animal... 11 Quadro

Leia mais

Disciplina: Ciências Período: 1º. Equipe - 3 ano - turmas: 31, 32 e 33. PLANEJAMENTO ANUAL - 2013 CONTEÚDOS

Disciplina: Ciências Período: 1º. Equipe - 3 ano - turmas: 31, 32 e 33. PLANEJAMENTO ANUAL - 2013 CONTEÚDOS PLANEJAMENTO ANUAL - 2013 Unidade 1 Os sentidos Os sentidos: o tato. Os sentidos: a visão e audição. Os sentidos: o olfato e a gustação. Disciplina: Ciências Período: 1º Reconhecer que usamos os sentidos

Leia mais

Compreensão das diferenças entre os artrópodes, crustáceos, insetos, aracnídeos, quilópodes e diplópodes, reconhecendo suas características

Compreensão das diferenças entre os artrópodes, crustáceos, insetos, aracnídeos, quilópodes e diplópodes, reconhecendo suas características Compreensão das diferenças entre os artrópodes, crustáceos, insetos, aracnídeos, quilópodes e diplópodes, reconhecendo suas características O que são artrópodes? Para que servem? Onde podem ser encontrados?

Leia mais

A principal função da flor numa planta é a de reprodução. As flores de uma planta são constituídas por (Figura 1):

A principal função da flor numa planta é a de reprodução. As flores de uma planta são constituídas por (Figura 1): 1. Reprodução das plantas com flor 1.1. Flor principal função da flor numa planta é a de reprodução. s flores de uma planta são constituídas por (Figura 1): Figura 1 onstituição de uma flor completa de

Leia mais

P.P. Reparações. TELF/FAX: 21 920 34 22 EMAIL : geral@ppreparacoes.com

P.P. Reparações. TELF/FAX: 21 920 34 22 EMAIL : geral@ppreparacoes.com Filtros p/ jarros de agua DESCRIÇÃO 14,00 já c/ iva 3 unidades 3 UNIDADES Filtro de agua p/ Kenwood Filtro de agua UNIVERSAL 2 UNIDADES 16,00 já c/ iva S-BAG E210 B ULTRA LONG 11,22 JÁ C/ iva EMBALAGEM

Leia mais

VACINA ANTIALÉRGICA UM TRATAMENTO DE EXCELÊNCIA IMUNOTERAPIA ANTIALÉRGICA

VACINA ANTIALÉRGICA UM TRATAMENTO DE EXCELÊNCIA IMUNOTERAPIA ANTIALÉRGICA VACINA ANTIALÉRGICA UM TRATAMENTO DE EXCELÊNCIA IMUNOTERAPIA ANTIALÉRGICA A imunoterapia é o tratamento preventivo para impedir as reações alérgicas provocadas por substâncias como ácaros da poeira caseira,

Leia mais

Comunicado de imprensa de ZinCo GmbH

Comunicado de imprensa de ZinCo GmbH ZinCo telhado verde com sistema A vida no telhado Dificilmente uma forma de telhado, proporciona tantos usos diferentes, como o telhado plano. Um telhado verde oferece dependendo do desenho de um novo

Leia mais

Você já sabe que o vento é o ar em movimento. Mas o que será que faz o ar se movimentar?

Você já sabe que o vento é o ar em movimento. Mas o que será que faz o ar se movimentar? PROFESSOR: EQUIPE DE CIÊNCIAS BANCO DE QUESTÕES - CIÊNCIAS 3º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ========================================================================== Leia VENTO VENTANDO! Você já sabe que o

Leia mais

O homem e o meio ambiente

O homem e o meio ambiente A U A UL LA O homem e o meio ambiente Nesta aula, que inicia nosso aprendizado sobre o meio ambiente, vamos prestar atenção às condições ambientais dos lugares que você conhece. Veremos que em alguns bairros

Leia mais

Projeto da Emater aumenta a produtividade do feijão no Paraná

Projeto da Emater aumenta a produtividade do feijão no Paraná 06 DE NOVEMBRO DE 2012 caderno de editais PREFEITURA MUNICIPAL DE PIRAQUARA Projeto da Emater aumenta a produtividade do feijão no Paraná Arquivo/ANPr Os agricultores ainda têm informações sobre o uso

Leia mais

Período de incubação nos seres humanos, varia de 3 a 15 dias, mais comum de 5 a 6 dias, isto significa que o paciente vai sentir os sintomas depois

Período de incubação nos seres humanos, varia de 3 a 15 dias, mais comum de 5 a 6 dias, isto significa que o paciente vai sentir os sintomas depois DENGUE DENGUE : DOENÇA QUE MATA DENGUE FORMAS CLÍNICAS DA DENGUE Assintomática Oligossintomática Dengue clássica Dengue grave Febre hemorrágica Dengue com Complicações transmissão Dengue é transmitida

Leia mais

Com este pequeno guia pode, finalmente, tirar partido do seu lixo... e sentir-se bem por isso!

Com este pequeno guia pode, finalmente, tirar partido do seu lixo... e sentir-se bem por isso! Com este pequeno guia pode, finalmente, tirar partido do seu lixo... e sentir-se bem por isso! Os restos de comida, as folhas do jardim ou as plantas secas do quintal ganham vida nova através de um processo

Leia mais

VIGILÂNCIA EM SAÚDE AMBIENTAL CIEVS- Centro de Informações Estratégicas em Saúde

VIGILÂNCIA EM SAÚDE AMBIENTAL CIEVS- Centro de Informações Estratégicas em Saúde VIGILÂNCIA EM SAÚDE AMBIENTAL CIEVS- Centro de Informações Estratégicas em Saúde Boletim de Alerta do VIGIAR Palmas 09 de setembro de 2014 RECOMENDAÇÕES PARA ENFRENTAR SITUAÇÕES DE A BAIXA UMIDADE RELATIVA

Leia mais

O Inova Agro é parte do Plano Inova Empresa

O Inova Agro é parte do Plano Inova Empresa O Inova Agro é parte do Plano Inova Empresa Orçamento de contratação 2013-14: R$ 32 bilhões............ Objetivos: Fomentar e apoiar planos de negócios de inovação, através do uso coordenado dos instrumentos

Leia mais

ARBORICULTURA I. Propagação de Plantas

ARBORICULTURA I. Propagação de Plantas ARBORICULTURA I Propagação de Plantas O que é a propagação de plantas? É a multiplicação de indivíduos do reino vegetal, por métodos sexuados ou assexuados, por forma a obter na descendência um determinado

Leia mais

Prof. João Carlos. aula 3. botânica e parasitoses

Prof. João Carlos. aula 3. botânica e parasitoses Prof. João Carlos aula 3 botânica e parasitoses Briófitas : musgos Os musgos (verdes) produzem gametas, seus filhos produzem esporos Esporos gametas Pteridófitas: samambaias Ciclo das samambaias O gameta

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL Planos de Unidade ÁREA CURRICULAR: Ciências da Natureza 6º ANO ANO LETIVO: 2012/2013

PLANIFICAÇÃO ANUAL Planos de Unidade ÁREA CURRICULAR: Ciências da Natureza 6º ANO ANO LETIVO: 2012/2013 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CASTRO DAIRE - 161718 GRUPO DISCIPLINAR 230 MATEMÁTICA/ CIÊNCIAS DA NATUREZA ÁREA CURRICULAR: Ciências da Natureza 6º ANO ANO LETIVO: 2012/2013 TEMA/ CONTEÚDO: Processos Vitais

Leia mais

Semana Mundial da Alergia 13 a 19 de Abril de 2015

Semana Mundial da Alergia 13 a 19 de Abril de 2015 Semana Mundial da Alergia 13 a 19 de Abril de 2015 Associação Brasileira de Alergia e Imunologia Regional Rio de Janeiro ASBAI RJ www.asbairj.org.br Semana Mundial da Alergia 2014 Rio de Janeiro - Brasil

Leia mais

Curiosidades A Vida das Abelhas.

Curiosidades A Vida das Abelhas. Curiosidades A Vida das Abelhas. Se as abelhas desaparecessem da face da terra, a espécie humana teria somente mais 4 anos de vida. Sem abelhas não há polinização, ou seja, sem plantas, sem animais, sem

Leia mais

r io Seu guia para fazer o bem no dia n ºa 10 de abril de 2016

r io Seu guia para fazer o bem no dia n ºa 10 de abril de 2016 10 de abril de 2016 n ºa Seu guia para fazer o bem no dia e iv rsá r io O que é o Dia das Boas Ações? Um movimento global de Boas Ações! Junte-se a nós no 10º anversário do Dia das Boas Ações, dia 10 de

Leia mais

193 - TRABALHOS COM HORTAS ESCOLARES NO MUNICÍPIO DE DIONÍSIO CERQUEIRA, SC

193 - TRABALHOS COM HORTAS ESCOLARES NO MUNICÍPIO DE DIONÍSIO CERQUEIRA, SC Sociedade e Natureza Monferrer RESUMO 193 - TRABALHOS COM HORTAS ESCOLARES NO MUNICÍPIO DE DIONÍSIO CERQUEIRA, SC Fabia Tonini 1 ; Andréia Tecchio 2 O espaço Horta Escolar pode ser utilizado como meio

Leia mais

III BIMESTRE TRABALHO DE BIOLOGIA 2011

III BIMESTRE TRABALHO DE BIOLOGIA 2011 III BIMESTRE TRABALHO DE BIOLOGIA 2011 INSTRUÇÕES 1. Preencha o cabeçalho e com o nome completo de cada aluno da equipe MÉDIA = 2. Todas as respostas deverão ser apresentadas nos espaços apropriados, com

Leia mais

Plano Curricular de Estudo do Meio 2.º Ano - Ano Letivo 2015/2016

Plano Curricular de Estudo do Meio 2.º Ano - Ano Letivo 2015/2016 1.º Período Localização no espaço e no tempo: Localização/compreensão espacial e temporal Reconhecer datas e factos importantes da sua vida. Localizar datas e factos importantes numa linha de tempo. Reconhecer

Leia mais

o hemofílico. Meu filho também será?

o hemofílico. Meu filho também será? A U A UL LA Sou hemofílico. Meu filho também será? Nas aulas anteriores, você estudou alguns casos de herança genética, tanto no homem quanto em outros animais. Nesta aula, analisaremos a herança da hemofilia.

Leia mais

Os animais. Eliseu Tonegawa mora com a família - a. www.interaulaclube.com.br. nova

Os animais. Eliseu Tonegawa mora com a família - a. www.interaulaclube.com.br. nova A U A UL LA Os animais Atenção Eliseu Tonegawa mora com a família - a esposa, Marina, e três filhos - num pequeno sítio no interior de São Paulo. Para sobreviver, ele mantém algumas lavouras, principalmente

Leia mais

AGRICULTURA ORGÂNICA

AGRICULTURA ORGÂNICA Conceitos básicos Oficina do Grupo Meio Ambiente, Mudanças Climáticas e Pobreza Setembro 2009 O que é De modo geral, a agricultura orgânica é uma forma de produção agrícola que não utiliza agrotóxicos,

Leia mais

MANUAL PARA CADASTRO DE PROJETOS

MANUAL PARA CADASTRO DE PROJETOS MANUAL PARA CADASTRO DE PROJETOS O QUE É O AMOR ANIMAL? É um site de financiamento coletivo, onde pessoas e/ou entidades cadastram iniciativas exclusivas para causas animais. Estes projetos ficam abertos

Leia mais