AMINOÁCIDOS, PEPTÍDEOS, PROTEÍNAS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AMINOÁCIDOS, PEPTÍDEOS, PROTEÍNAS"

Transcrição

1 1 AMINÁIDS, PEPTÍDES, PRTEÍNAS As proteínas constituem o mais importante polímero biológico. onstituem mais da metade do peso seco das células Existem milhares de proteínas, cada uma desempenha uma função especial. As funções das proteínas são mais diversificadas do que aquelas dos carboidratos e lipídeos. - Servem de estrutura - Realizam reações - Protegem o organismo - Atuam como reguladores - Transportam substâncias - Realizam outras funções! Existem proteínas de diversos tamanhos e formas - Na média, mesmo as proteínas pequenas têm peso molecular elevado. A pesar da diversidade de tamanhos, formas e funções, todas as proteínas têm características comuns que permitem decifrar suas estruturas e explicar suas propriedades. - As proteínas são poliamidas - As suas unidades monoméricas são os aminoácidos - A hidrólise das proteínas naturais pode produzir até 22 aminoácidos diferentes.

2 2 Aminoácidos Aminoácidos são os blocos de construção das proteínas. Eles contêm tanto um grupo amina, N, como um carboxílico,, na mesma molécula. Ambos os grupos estão ligados ao mesmo átomo de carbono, chamado carbono alfa. s aminoácidos das proteínas são, portanto, conhecidos como α-aminoácidos. N R adeia lateral Aminoácido arbono α - Além de um átomo de hidrogênio, outro átomo ou grupo de átomos, se liga ao carbono alfa. - Este 4 o grupo, que constitui a cadeia lateral, é o que torna um aminoácido diferente do outro. - Existem de 20 a 22 principais aminoácidos encontrados em proteínas, cada uma com uma cadeia lateral característica. - grupamento R pode ter hidrocarboneto, conter um 2 o grupo carboxila ou amina, grupamentos amida, hidroxila, grupos tiol, anéis aromáticos ou anéis aromáticos heterocíclicos nitrogenados.! aminoácido mais simples, glicina, abreviadamente Gly, tem apenas um 2 o átomo de hidrogênio ligado ao carbono alfa. N Glicina (Gly)

3 3 utros grupos R Ex: cadeias laterais hidrocarbonadas N N N N Alanina (Ala) Valina (Val) 3 3 Leucina (Leu) 3 Isoleucina (ILe) Ex: aminoácidos contendo um 2 o grupo carboxílico N N Ácido Aspártico (Asp) Ácido Glutâmico (Glu) As amidas formadas a partir destes 2 ácidos são: N N N Asparagina (Asn) N Glutamina (Gln) Ex: Aminoácidos com grupos nitrogenados adicionais. N N N N Lisina (Lys) N N Arginina (Arg)

4 4 Ex: Aminoácidos com grupos hidroxila N N Serina (Ser) 3 Treonina (Thr) - Dos aminoácidos sulfurados, a cisteína tem um grupo tiol, e a metionina tem um grupamento tioéter. N N S S isteína (ys) 3 Metionina (Met) - Aminoácidos com o grupo aromático fenila. N N Fenilalanina (Phe) Tirosina (Tyr) - Aminoácidos aromáticos que contêm heterociclos nitrogenados N N N N istidina (is) N Triptofano (Trp)! ada um dos grupamentos R irá conferir polaridades diferentes aos aminoácidos, assim, eles podem ser neutros ou eletricamente carregados.

5 5 Aminoácidos como íons dipolares omo os aminoácidos contêm tanto um grupo básico (-N ), quanto um grupo ácido (-) eles são compostos anfóteros. No estado sólido, e secos, os aminoácidos existem como íons dipolares (o grupo carboxila está presente como íon carboxilato -, e o grupo amina está presente como um grupo amônio N 3 + ). Em solução aquosa, o seguinte equilíbrio acontece: N R Forma aniônica (Solução alcalina) _ 3 + _ + 3 N R Íon dipolar (Zwitterion) _ _ 3 N R Forma catiônica (Solução ácida) A natureza do aminoácido e o p da solução determinam a forma existente. A um p particular para cada aminoácido, conhecido como ponto isoelétrico (PI), as concentrações das formas aniônica e catiônica são iguais. (A concentração do íon dipolar atinge seu máximo). Este p varia de 3 a 11 para aminoácidos comuns. No p dos fluídos corporais, os aminoácidos existem principalmente nas suas formas carregadas.! Todos os aminoácidos, exceto a glicina, tem enantiômeros, isto é, estereoisômeros do tipo imagem especular. ada aminoácido do organismo tem a configuração L, que lhe é atribuída com base na semelhança dos grupos ao redor do carbono α do L-Gliceraldeído. N R L-Gliceraldeído Um L-Aminoácido As bactérias podem sintetizar aminoácidos com a configuração D; alguns deles são componentes de antibióticos.

6 6! Dez dos aminoácidos são conhecidos como aminoácidos essenciais. Não podem ser sintetizados pelo organismo, mas são requeridos para o crescimento normal e a manutenção dos tecidos. Devem ser incluídos na dieta alimentar. Eles incluem: Isoleucina, Leucina, Lisina, Metionina, Fenilalanina, Treonina, Triptofano e Valina. - A arginina pode ser sintetizada, mas é requerida em maiores quantidades para um crescimento e desempenho normais. - A histidina é essencial para as crianças. Resolução dos aminoácidos DL - s aminoácidos sintetizados em laboratório são obtidos como modificações racêmicas (exceto a glicina que não tem centro quiral). Existem várias técnicas de resolução racêmica. - Um método especialmente interessante é baseado no uso de enzimas chamadas desacilases. Estas enzimas catalisam, em organismos vivos, a hidrólise dos aminoácidos N-acilados.! Quando se expõe uma modificação racêmica dos aminoácidos N-acilados a estas enzimas, somente os L-aminoácidos são afetados e os produtos são, em seguida, facilmente separados. + 3 N R (DL) _ (3 ) 2 Aminoácido acilado DL R 3 N L R Desacilase N 3 + _ D R 3 N Facilmente separáveis

7 7 Peptídeos, ligações - s aminoácidos podem sofrer uma reação entre o grupo carboxílico de uma molécula e o grupo amino da outra. Nesta reação de condensação, uma molécula de água é liberada, e uma ligação amida se forma. N + N R R' N R N R' Ligação peptídica Dipeptídeo Polímeros α-aminoácidos com pesos moleculares elevados. PM < Polipeptídeos > Proteínas Divisão relativamente arbitrária (São poliamidas) Estrutura primária das proteínas A estrutura primária de uma proteína ou polipeptídeo é a seqüência de seus aminoácidos, isto é, a estrutura covalente. Ela diz exatamente quais estão presentes e a ordem na qual estão unidos.! ada proteína tem um arranjo definido e característico das unidades básicas de aminoácidos. - Usando-se técnicas de sequenciamento foi possível a determinação das estruturas primárias de polipeptídeos e proteínas.! A estrutura primária determina a função de uma proteína no nosso organismo. A troca de 1 único aminoácido num total de muitas centenas pode alterar completamente as propriedades da proteína e afetar sua função biológica.

8 8 Por exemplo, na anemia falciforme, a proteína hemoglobina das hemácias é defeituosa. De cerca de 150 aminoácidos de uma de suas cadeias, apenas 1 (o ácido glutâmico que é o 6 o na seqüência) encontra-se substituído por outro aminoácido (valina). omo resultado, as hemácias tomam forma de foice e se tornam frágeis sob baixa pressão de oxigênio, causando hemólise e em conseqüência anemia. Ex: Val - is - Leu - Thr - Pro - Glu - Glu - Lys - Ser - Ala - Val Thr- Ala - Leu - Trp - Gly - Lys - Val - Asp - Val - Asp - Glu Ala - is - Lys - Tyr - is Estrutura secundária das proteínas A estrutura secundária de uma proteína é conseqüência das maneiras pelas quais uma cadeia polipeptídica pode interagir com ela própria ou outra molécula, formando ligações hidrogênio. R N δ - δ+ R' Este tipo de ligação pode gerar 2 tipos de estrutura muito diferentes nas moléculas de proteína, uma α-hélice e uma folha pregueada (beta). N! A principal técnica experimental usada na elucidação das estruturas secundárias das proteínas foi a análise por difração de raios-x.

9 9 - A conformação em α-hélice, consiste no enrolamento de uma cadeia peptídica num arranjo em espiral (dextro orientada). ada volta contém 3,6 aminoácidos. Ela é mantida por ligações de hidrogênio entre o átomo de hidrogênio de um grupo amina e o oxigênio de um grupo carbonila, quatro aminoácidos distantes ao longo da cadeia. s grupos R estão dispostos para fora do eixo da hélice. A α-hélice é tanto flexível (pode ser dobrada ou curvada sem se romper) como elástica (capaz de recuperar a forma depois de se esticar). utro tipo de estrutura secundária resulta da formação de ligações de hidrogênio entre 2 cadeias de proteínas que correm paralelas entre si. Este arranjo é chamado de folha pregueada por causa das dobras ou pregas resultantes na rede em forma de folha. Folha pregueada formada de quatro cadeias polipeptídicas (paralelas).! A estrutura pregueada é flexível, mas não elástica. Alguns tipos de proteínas, como a seda, consistem de folhas pregueadas.

10 10 Estrutura terciária das proteínas A estrutura terciária de uma proteína é a sua complexa forma tridimensional, ou conformação, resultante das dobras da cadeia polipeptídica. A interação entre as cadeias laterais dos aminoácidos dentro da proteína determina as ligações e propriedades que mantêm íntegra a estrutura terciária. Diversos tipos de força estão envolvidos no processo de enrolamento, inclusive ligações de dissulfeto da estrutura primária. (Ligação covalente Forte). Uma característica da maioria das proteínas é que o enrolamento ocorre de tal forma que um número máximo de grupos polares (hidrofílicos) se expõem ao meio e um número máximo de grupos não-polares (hidrofóbicos) se encobrem dentro de seu interior. Atrações iônicas formam pontes salinas entre grupos carregados positiva e negativamente dentro da molécula. s diferentes tipos de força dentro de uma molécula de proteína estão resumidos abaixo. N (a) N (b) S S (c) - + N 3 ( ) Tipos de ligações formadas entre diferentes partes de uma cadeia polipeptídica (a) (b) (c) (d) Ligações de hidrogênio Ligações tipo dissulfeto entre cisteínas Ponte salina (ácido aspártico e lisina) Ligação hidrofóbica (valina isoleucina)! Muitas destas ligações mantêm a estrutura terciária agindo em conjunto. (d)

11 11 Devido a estes diferentes tipos de interação, as proteínas têm estruturas terciárias muito complexas. A forma de uma proteína é determinada grandemente pela sua estrutura primária, a seqüência de aminoácidos. (Mudando o tipo de ligação, altera-se a conformação tridimensional) - Algumas proteínas são ainda mais complicadas porque contêm mais do que uma cadeia polipeptídica. ada cadeia isolada de aminoácidos é chamada subunidade. A estrutura quaternária de uma proteína descreve a maneira pela qual as subunidades estão arranjadas. Ex: emoglobina onsiste de quatro subunidades. Propriedades das proteínas - ada proteína tem uma forma normal chamada conformação nativa. Que é o arranjo requerido para a proteína realizar sua função biológica. A desorganização da estrutura protéica, ou a destruição da conformação nativa é chamada desnaturação. A conformação nativa é perdida, produzindo uma cadeia ao acaso.

12 12 A desnaturação geralmente envolve a quebra de ligações não covalentes (fracas) que mantêm a estrutura das cadeias polipeptídicas. Embora as ligações peptídicas não sejam quebradas, as estruturas secundária e terciária são perdidas. As cadeias ao acaso resultantes freqüentemente se aglomeram (coagulam) e precipitam (tornam-se insolúveis).! A proteína não pode mais desempenhar a sua função biológica planejada. Fatores desnaturantes: alor, álcoois e outros solventes orgânicos, ácidos e bases, íons metálicos, agentes oxidantes e redutores, agitação. Tipos de proteínas As proteínas podem ser classificadas em grupos, de várias maneiras. Um conjunto baseia-se em sua forma, solubilidade em água e composição. Proteína fibrosa Proteína globular Proteínas fibrosas Insolúveis em água e resistentes à digestão. Freqüentemente consistem de várias cadeias polipeptídicas paralelas que estão espiraladas e esticadas. Ex: olágeno (hélice tripla) Proteína mais abundante do corpo (Principal componente do tecido de sustentação e conjuntivo) Pele Parte orgânica de ossos e dentes

13 13 Queratinas Proteínas fibrosas que fornecem proteção à camada externa da pele, pêlos e unhas. (Lã, penas, garras, escamas, chifres e cascos de animais) Forma α (baseada na alfa hélice), tem grande resistência, é insolúvel e pode esticar-se (Ex. cabelo) Forma β é flexível mas não estica (seda, teias de aranha) Elastina Estruturas elásticas como ligamentos e vasos sangüíneos. Proteínas globulares onsistem de polipeptídeos firmemente dobrados na forma de uma bola e solúveis em água. ada proteína globular tem uma estrutura terciária própria que lhe permite realizar sua função biológica única. Ex: Enzimas, albuminas, globulinas, hemoglobina. A hemoglobina consiste de 4 cadeias polipeptídicas separadas (α 1, α 2, β 1 e β 2 ), cada uma consistindo de aproximadamente 150 aminoácidos. Além disto, cada cadeia forma uma bolsa contendo um heterociclo nitrogenado chamado heme. (Um íon ferroso, Fe +2, no centro do grupo heme, pode fixar uma molécula de oxigênio, transportando-a dos pulmões aos tecidos). A hemoglobina é um exemplo de proteína conjugada. A parte que não é feita de aminoácidos (heme) é chamada grupo prostético utros grupos prostéticos incluem carboidratos e lipídeos. (lipoproteínas, glicoproteínas)

14 14 utro tipo de classificação de proteínas é com base na sua função. Ex. Enzimas Proteínas essenciais que permitem que todas as reações ocorram numa velocidade adequada. Estruturais olágeno, tecido conjuntivo e dos ossos. Queratinas (estruturais de membranas) Transporte emoglobina (Transportam pequenas moléculas). Soroalbumina (leva ácidos graxos do tecido adiposo para vários órgãos). ormônios Regulam processos químicos no organismo (insulina) Armazenamento Reservatório de substâncias químicas. Defesa Anticorpos (Gama globulinas) Toxinas Proteínas prejudiciais ao organismo.

15 15 TERPENS E ESTERÓIDES TERPENS s terpenos ou terpenóides são os constituintes mais importantes dos óleos essenciais. onstituintes odoríferos das plantas que podem ser extraídos a partir da destilação em corrente de vapor. - oje em dia sabe-se que os terpenos (lineares ou cíclicos), amplamente distribuídos no reino vegetal, desempenham funções muito variadas como essências vegetais, vitaminas e pigmentos vegetais. Para o homem constituem uma das mais amplas classes de alimentos funcionais ou fitonutrientes.! s terpenos funcionam como antioxidantes, protegendo os lipídios, o sangue e outros fluidos corporais contra o ataque de radicais livres, grupos hidroxila, peróxidos e radicais superoxido. - A maioria dos terpenos tem o esqueleto de carbono com 10, 15, 20 ou 30 átomos de carbono. N de lasse 10 Monoterpenos 15 Sesquiterpenos 20 Diterpenos 30 Triterpenos - s terpenos podem ser visualizados como sendo construídos de 2 ou mais unidades de 5 carbonos conhecidos como unidades isoprênicas. 3 ou Isopreno

16 16 Esta observação levou à formulação da chamada regra do isopreno, isto é, todos os terpenos devem ser formalmente divisíveis em unidades isopreno. - Alguns exemplos de terpenos acíclicos simples que obedecem esta regra são mostrados abaixo: ; ; Isopreno (5) Geraniol (10) Farnesol (15) - As poucas exceções à regra do isopreno são os compostos que se acredita serem derivados de terpenos que perderam 1 ou mais átomos de carbono ou por rearranjo de carbocátions. - Sabe-se agora que os terpenos não se formam na natureza a partir do isopreno, o qual nunca foi encontrado como produto natural. precursor dos terpenos é o ácido mevalônico que é produzido a partir da acetil-oa. 3 S oa 3 S oa (Acetil-oA) (Acetoacetil-oA) Redução idrólise oa S 3 (Ácido mevalônico)

17 17 BISSÍNTESE Na biossíntese de poliisoprenos, o ácido mevalônico é ativado por fosforilação, seguida por descarboxilação para dar pirofosfato de 3- isopentenila. - A natureza emprega fosfato e principalmente pirofosfato como bons grupos de saída. P P (Fosfato) PP P P (Pirofosfato) Reação (Ácido mevalônico) P PP - P PP 2 PP Pirofosfato de 3-isopentenila (3-IPP) Isomerização Enzima PP Pirofosfato de 2-isopentenila (2-IPP)! A isomerização é uma forma de equilíbrio, por isso a célula dispõe dos dois: 3-IPP e o 2-IPP.

18 18 - Estes dois compostos de 5 carbonos se condensam através de outra reação enzimática para formar o composto de 10-carbonos, o pirofosfato de geranila. 3-IPP PP 2-IPP PP Pirofosfato de geranila (-10) PP Geraniol (óleo de gerânio) 3-IPP PP Pirofosfato de farnesila (-15) PP Farnesol (onstituinte de muitos óleos naturais) ormônios em insetos Lagarta - Mariposa A repetição do processo Polímero TRANS do isopreno (Balata ou Guta-percha) Látex de certas árvores tropicais Borracha natural Maneira semelhante (Polímero IS do isopreno)! utras reações de condensação semelhantes fornecem os precursores para todos os outros terpenos.

19 19 - Um acoplamento redutivo cauda-cauda de 2 moléculas de pirofosfato de farnesila produz o esqualeno, o precursor de outro grupo importante de isoprenoides, os esteróides. s caminhos biossintéticos para os terpenos e esteróides são: 3-IPP + 2-IPP Monoterpenos (-10) (onstituintes dos óleos voláteis) Atração de polinizadores Pirofosfato de geranila (Pirofosfato -10) 3-IPP Sesquiterpenos (-15) (Funções protetoras contra fungos e bactérias) Pirofosfato de farnesila (Pirofosfato -15) 3-IPP Esqualeno (-30) Diterpenos (-20) Pirofosfato -20 Lanosterol (Funções de proteção contra hervíboros, germinação de sementes, inibição de crescimento de raízes) Triterpenos (-30) Tetraterpenos (-40) olesterol (Esteróide) Além dos terpenos formados diretamente do pirofosfato de isopentenila, ocorrem na natureza álcoois alílicos isoméricos e muitos produtos de oxidação e redução. ; ; Linalool itronelal (Óleo de alfazema) (Óleo de eucalipto) Mirceno (Óleo de louro)

20 20 - Muitos terpenos têm também as unidades isoprênicas dispostas em anéis, cuja biossíntese é feita através de precursores de cadeia aberta por reações de ciclização via carbocátions. mirceno, por exemplo, pode ser comparado com o limoneno. utro oxigenado cíclico Mirceno Limoneno Mentol (Óleo de limão/laranja) (Óleo de menta) s carotenóides s carotenos são um grupo especial de terpenos facilmente encontrados em plantas e animais. s carotenos são tetraterpenos, responsáveis pela coloração amarela, laranja e vermelha das flores, frutos, raízes, etc. A cor provém do grande número de ligações duplas conjugadas. - s carotenos são obtidos a partir do pirofosfato o produto da reação enzimática é o hidrocarboneto 40 (fitoeno), que é a seguir, modificado pelas enzimas dos organismos, dando produtos de desidrogenação, ciclização e oxidação, para dar uma variedade de 40 carotenos. Fitoeno utros carotenos β-caroteno (cenouras) e licopeno (tomates, pimentão) 11 ligações duplas conjugadas

21 21 - Nos organismos dos mamíferos, inclusive os seres humanos, o β-caroteno sofre quebra por oxidação para dar dois equivalentes de um aldeído chamado retinal. A redução bioquímica da carbonila do aldeído fornece a vitamina A1, fator importante de crescimento. R R [o] Retinal [] Vitamina A s esteróides correm em todos os organismos animais e vegetais e são essenciais para o funcionamento correto do organismo, desempenhando funções biológicas importantes. Pequenas variações na estrutura molecular de esteróides resultam em grandes diferenças nos seus efeitos. s esteróides que ocorrem naturalmente incluem o colesterol, os sais biliares, os hormônios masculinos e femininos, as vitaminas D e alguns venenos cardíacos. s esteróides são derivados do sistema peridrociclopentanofenantreno A B D s átomos de carbono do sistema básico de anéis são numerados da maneira indicada. s quatro anéis são designados com letras.

22 22 - s esteróis (esteróides que contêm um grupo hidroxila), são os esteróides mais abundantes. esterol mais importante é o colesterol. olesterol colesterol é um dos esteróides mais difundidos na natureza. Pode ser isolado por extração de quase todos os tecidos animais. s cálculos biliares humanos são uma fonte particularmente rica do mesmo. Ainda não são conhecidas todas as suas funções biológicas. Sabe-se que o colesterol serve como intermediário na biossíntese dos hormônios esteroidais e dos ácidos biliares, mas a quantidade de colesterol existente no corpo é muito maior do que a necessária para estas finalidades.! Altos níveis de colesterol no sangue estão implicados no aparecimento de arteriosclerose (endurecimento das artérias) e nos ataques cardíacos, devido à formação de depósitos de colesterol no interior das paredes das artérias do coração. Muita pesquisa nos últimos anos mostrou que a biossíntese do colesterol começa no esqualeno. A degradação bioquímica do colesterol no organismo leva a uma série de compostos de importância fisiológica. Além disso, sofre uma série de reações no fígado que envolve reduções da ligação dupla, oxigenação do anel e destruição da cadeia lateral para dar alguns ácidos semelhantes, conhecidos como ácidos biliares. Ácido cólico Sob a forma de ácidos biliares, ele ajuda na digestão, emulsificando os lipídios.

23 23 ormônios esteróides s hormônios são produzidos no nosso organismo por várias glândulas de secreção interna especiais que constituem o sistema endócrino. Alguns dos hormônios são esteróides. - Por exemplo, os hormônios sexuais masculinos e femininos têm estruturas esteróides relacionadas. Elas são produzidas pelas gônadas, testículos nos homens e ovários nas mulheres. A testosterona é o principal hormônio masculino ou andrógeno. É um esteróide de 19 carbonos produzidos a partir do colesterol. Testosterona A sua função é a de promover e manter os órgãos sexuais masculinos e os caracteres secundários (pelo, voz, etc) Aumenta também o crescimento dos músculos, fígado e rins estimulando a síntese de proteínas. - s estrógenos, hormônios sexuais femininos, são esteróides de 18 átomos de carbono. Tem como base o estradiol, que é produzido nos ovários a partir da testosterona. Estradiol A secreção de estrógenos produz os caracteres secundários das fêmeas. (Pelos axilares e púbicos, mudança na forma do corpo e formação óssea própria). A progesterona é um hormônio encontrado no ovário, placenta e adrenais. 3 A progesterona é secretada durante a 2 a metade do ciclo menstrual. Progesterona Durante a gravidez (óvulo fertilizado) há uma secreção contínua. A progesterona impede a ovulação (liberação do óvulo).

24 24 Esta observação levou ao desenvolvimento de anticoncepcionais orais, sob a forma de progestinas sintéticas. Elas enganam o organismo, como se este estivesse secretando progesterona. 3 Noretindrona Mestranol! Além de possíveis efeitos colaterais, eles podem aumentar o risco de formação de coágulos sangüíneos. utros hormônios esteróides forma isolados do córtex adrenal. ortisol (idrocortisona) Aldosterona ortisol É a principal secreção, responsável pelo aumento do nível de glicose no sangue e pela quantidade de glicogênio hepático. Aldosterona Efeitos semelhantes. Principalmente, manter constante o equilíbrio eletrolítico no sangue.

ESTRUTURA DAS PROTEÍNAS

ESTRUTURA DAS PROTEÍNAS ESTRUTURA DAS PROTEÍNAS Aminoácidos ligam-se por ligações peptídicas = reação de condensação entre: OH do grupo carboxila de um aminoácido H do grupo amina do outro aminoácido ( liberação de uma molécula

Leia mais

AMINOÁCIDOS, PEPTÍDEOS, PROTEÍNAS

AMINOÁCIDOS, PEPTÍDEOS, PROTEÍNAS 1 AMINOÁIDOS, PEPTÍDEOS, POTEÍNAS Proteínas constituem o mais importante polímero biológico. As proteínas constituem mais da metade do peso seco das células, existem milhares de proteínas, cada uma com

Leia mais

Cap. 4: Componentes orgânicos celulares As moléculas multifuncionais. Equipe de Biologia

Cap. 4: Componentes orgânicos celulares As moléculas multifuncionais. Equipe de Biologia ap. 4: omponentes orgânicos celulares As moléculas multifuncionais Equipe de Biologia De que são formados os seres vivos? Substâncias orgânicas arboidratos Lipídios Proteínas Vitaminas Ácidos nucleicos

Leia mais

23/03/2015. Moléculas orgânicas - Carboidratos

23/03/2015. Moléculas orgânicas - Carboidratos Moléculas orgânicas - Carboidratos São formados por C, H, O. São Conhecidos como: Hidratos de Carbono Glucídios Glicídios Açúcares Sacarídeos Funções: Energética (glicose); Glicogênio : reserva energética

Leia mais

Estrutura tridimensional de proteínas. Prof. Dr. Fernando Berton Zanchi

Estrutura tridimensional de proteínas. Prof. Dr. Fernando Berton Zanchi Estrutura tridimensional de proteínas Prof. Dr. Fernando Berton Zanchi Níveis de Estruturas Protéicas A conformação espacial das proteínas As proteínas não são traços rígidos porque suas ligações químicas

Leia mais

Aula: 16 Temática: Estrutura dos aminoácidos e proteínas parte I. Iremos iniciar o estudo da estrutura dos aminoácidos e proteínas.

Aula: 16 Temática: Estrutura dos aminoácidos e proteínas parte I. Iremos iniciar o estudo da estrutura dos aminoácidos e proteínas. Aula: 16 Temática: Estrutura dos aminoácidos e proteínas parte I Acompanhe! Iremos iniciar o estudo da estrutura dos aminoácidos e proteínas. Introdução: A proteína é o composto orgânico mais abundante

Leia mais

Os lipídios são substâncias com estrutura variada sendo muito abundantes em animais e vegetais;

Os lipídios são substâncias com estrutura variada sendo muito abundantes em animais e vegetais; Lipídios Os lipídios são substâncias com estrutura variada sendo muito abundantes em animais e vegetais; Eles compartilham a característica de apresentarem baixa solubilidade em água sendo solúveis em

Leia mais

A base molecular da vida Constituintes da matéria-viva

A base molecular da vida Constituintes da matéria-viva A base molecular da vida Constituintes da matéria-viva Principais elementos químicos dos seres vivos Quando se analisa a matéria-viva que constitui os seres vivos, encontram-se principalmente os seguintes

Leia mais

Bioinformática. Conceitos Fundamentais de Biologia Molecular. Paulo Henrique Ribeiro Gabriel phrg@ufu.br

Bioinformática. Conceitos Fundamentais de Biologia Molecular. Paulo Henrique Ribeiro Gabriel phrg@ufu.br Bioinformática Conceitos Fundamentais de Biologia Molecular Paulo Henrique Ribeiro Gabriel phrg@ufu.br Faculdade de Computação Universidade Federal de Uberlândia 24 de agosto de 2015 Paulo H. R. Gabriel

Leia mais

Aminoácidos peptídeos e proteínas

Aminoácidos peptídeos e proteínas Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Biologia Aminoácidos peptídeos e proteínas Prof. Macks Wendhell Gonçalves, Msc mackswendhell@gmail.com Algumas funções de proteínas A luz produzida

Leia mais

Professor Carlos - Proteinas

Professor Carlos - Proteinas 14085. (Fuvest 2001) Os três compostos abaixo têm uso farmacológico Considere as afirmações: I Nas moléculas dos três compostos, há ligações peptídicas. II A porcentagem em massa de oxigênio na dropropizina

Leia mais

Proteínas. As proteínas são o centro da acção em todos os processos biológicos. Voet & Voet Biochemistry

Proteínas. As proteínas são o centro da acção em todos os processos biológicos. Voet & Voet Biochemistry Proteínas As proteínas são o centro da acção em todos os processos biológicos. Voet & Voet Biochemistry As proteínas são os compostos orgânicos mais abundantes dos organismos vivos (~50% do peso sêco)

Leia mais

UFABC Bacharelado em Ciência & Tecnologia

UFABC Bacharelado em Ciência & Tecnologia UFABC Bacharelado em Ciência & Tecnologia Transformações Bioquímicas (BC0308) Prof Luciano Puzer http://professor.ufabc.edu.br/~luciano.puzer/ Propriedades, funções e transformações de aminoácidos e proteínas

Leia mais

Proteínas. Enzima que Colagénio Insulina degrada a insulina (hormona)

Proteínas. Enzima que Colagénio Insulina degrada a insulina (hormona) Proteínas O seu nome deriva da palavra Grega proteios, que significa de principal importância. As proteínas desempenham um papel fundamental nos sistemas biológicos, estando associadas a todas as formas

Leia mais

CURSO: ENFERMAGEM DISCIPLINA: BIOQUÍMICA HUMANA PROF. WILLAME BEZERRA. Aminoácidos. Prof. Willame Bezerra

CURSO: ENFERMAGEM DISCIPLINA: BIOQUÍMICA HUMANA PROF. WILLAME BEZERRA. Aminoácidos. Prof. Willame Bezerra CURSO: ENFERMAGEM DISCIPLINA: BIOQUÍMICA HUMANA PROF. WILLAME BEZERRA Aminoácidos Prof. Willame Bezerra As proteínas são as biomoléculas mais abundantes nos seres vivos e exercem funções fundamentais em

Leia mais

TURMA DE REVISÃO - EMESCAM 1º SEMESTRE 2012 - QUÍMICA

TURMA DE REVISÃO - EMESCAM 1º SEMESTRE 2012 - QUÍMICA TURMA DE REVISÃO - EMESCAM 1º SEMESTRE 2012 - QUÍMICA Prof. Borges EXERCÍCIOS DE AMINOÁCIDOS 1. (Fuvest) A hidrólise de um peptídeo rompe a ligação peptídica, originando aminoácidos. Quantos aminoácidos

Leia mais

Profa. Dra. Juliana Garcia de Oliveira Disciplina: Biologia celular e molecular Cursos: Ciências Biológicas, Enfermagem, Nutrição e TO.

Profa. Dra. Juliana Garcia de Oliveira Disciplina: Biologia celular e molecular Cursos: Ciências Biológicas, Enfermagem, Nutrição e TO. Profa. Dra. Juliana Garcia de Oliveira Disciplina: Biologia celular e molecular Cursos: Ciências Biológicas, Enfermagem, Nutrição e TO. Bases Macromoleculares das Células Composição química das células

Leia mais

Figura 1: peridrociclopentanofenantreno

Figura 1: peridrociclopentanofenantreno COLESTEROL A n a L a u r a B u e n o Esteróides são álcoois de alto peso molecular. São compostos lipossolúveis muito importantes na fisiologia humana. Os esteróis possuem uma estrutura básica chamada

Leia mais

O QUE SÃO SUBSTÂNCIAS INORGÂNICAS? QUAL A FUNÇÃO BIOLÓGICA DE CADA UMA?

O QUE SÃO SUBSTÂNCIAS INORGÂNICAS? QUAL A FUNÇÃO BIOLÓGICA DE CADA UMA? O QUE SÃO SUBSTÂNCIAS ORGÂNICAS? O QUE SÃO SUBSTÂNCIAS INORGÂNICAS? QUAL A FUNÇÃO BIOLÓGICA DE CADA UMA? SUBSTÂNCIAS ORGÂNICAS: CARBONO, HIDROGÊNIO, OXIGÊNIO E NITROGÊNIO FORMAM CADEIAS LONGAS E COMPLEXAS

Leia mais

Aminoácidos FUNDAÇÃO CARMELITANA MÁRIO PALMÉRIO FACIHUS - FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS

Aminoácidos FUNDAÇÃO CARMELITANA MÁRIO PALMÉRIO FACIHUS - FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS FUNDAÇÃO CARMELITANA MÁRIO PALMÉRIO FACIHUS - FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS Aminoácidos Disciplina: Bioquímica I Prof. Me. Cássio Resende de Morais Introdução Proteínas são as macromoléculas

Leia mais

REVISÃO: ENADE BIOQUÍMICA - 1

REVISÃO: ENADE BIOQUÍMICA - 1 FUNDAÇÃO CARMELITANA MÁRIO PALMÉRIO FACIHUS - FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS REVISÃO: ENADE BIOQUÍMICA - 1 Prof. Me. Cássio Resende de Morais Propriedades da Água Introdução Substância líquida,

Leia mais

Técnico em Alimentos UFRPE. Bioquímica. Sandro do Nascimento Silva Carlos Roberto Rosa Silva. Universidade Federal Rural de Pernambuco

Técnico em Alimentos UFRPE. Bioquímica. Sandro do Nascimento Silva Carlos Roberto Rosa Silva. Universidade Federal Rural de Pernambuco Técnico em Alimentos Sandro do Nascimento Silva arlos Roberto Rosa Silva Bioquímica UFRPE Universidade Federal Rural de Pernambuco Bioquímica Sandro do Nascimento Silva arlos Roberto Rosa Silva UFRPE/DAI

Leia mais

Aula 1. Referência. Bancos de Dados. Linguagem x Informação. Introdução a Bioquímica: Biomoléculas. Introdução ao Curso: Aminoácidos.

Aula 1. Referência. Bancos de Dados. Linguagem x Informação. Introdução a Bioquímica: Biomoléculas. Introdução ao Curso: Aminoácidos. Introdução a Bioquímica: Biomoléculas Aula 1 Introdução ao urso: Aminoácidos eferência Autores: Ignez aracelli e Julio Zukerman-Schpector Editora: EdUFSar Ignez aracelli BioMat DF UNESP/Bauru Julio Zukerman

Leia mais

Água e Solução Tampão

Água e Solução Tampão União de Ensino Superior de Campina Grande Faculdade de Campina Grande FAC-CG Curso de Fisioterapia Água e Solução Tampão Prof. Dra. Narlize Silva Lira Cavalcante Fevereiro /2015 Água A água é a substância

Leia mais

QUÍMICA CELULAR NUTRIÇÃO TIPOS DE NUTRIENTES NUTRIENTES ENERGÉTICOS 4/3/2011 FUNDAMENTOS QUÍMICOS DA VIDA

QUÍMICA CELULAR NUTRIÇÃO TIPOS DE NUTRIENTES NUTRIENTES ENERGÉTICOS 4/3/2011 FUNDAMENTOS QUÍMICOS DA VIDA NUTRIÇÃO QUÍMICA CELULAR PROFESSOR CLERSON CLERSONC@HOTMAIL.COM CIESC MADRE CLÉLIA CONCEITO CONJUNTO DE PROCESSOS INGESTÃO, DIGESTÃO E ABSORÇÃO SUBSTÂNCIAS ÚTEIS AO ORGANISMO ESPÉCIE HUMANA: DIGESTÃO ONÍVORA

Leia mais

M E T B O L I S M O CATABOLISMO ANABOLISMO

M E T B O L I S M O CATABOLISMO ANABOLISMO METABOLISMO É o conjunto das reações químicas que ocorrem num organismo vivo com o fim de promover a satisfação de necessidades estruturais e energéticas. ...metabolismo Do ponto de vista físico-químico,

Leia mais

Proteínas São macromoléculas complexas, compostas de aminoácidos, e necessárias para os processos químicos que ocorrem nos organismos vivos

Proteínas São macromoléculas complexas, compostas de aminoácidos, e necessárias para os processos químicos que ocorrem nos organismos vivos Proteínas São macromoléculas complexas, compostas de aminoácidos, e necessárias para os processos químicos que ocorrem nos organismos vivos São os constituintes básicos da vida: tanto que seu nome deriva

Leia mais

Aminoácidos e Peptídeos. Profa. Alana Cecília

Aminoácidos e Peptídeos. Profa. Alana Cecília Aminoácidos e Peptídeos Profa. Alana Cecília O que são aminoácidos? A estrutura geral dos aminoácidos inclui um grupo amina e um grupo carboxila, ambos ligados ao carbono α (aquele próximo ao grupo carboxila);

Leia mais

Professor Fernando Stuchi M ETABOLISMO DE C ONSTRUÇÃO

Professor Fernando Stuchi M ETABOLISMO DE C ONSTRUÇÃO M ETABOLISMO DE C ONSTRUÇÃO P ROTEÍNAS P ROPRIEDADE BÁSICA São grandes moléculas (macromoléculas) constituídas por aminoácidos, através de ligações peptídicas. É o composto orgânico mais abundante no corpo

Leia mais

As membranas são os contornos das células, compostos por uma bicamada lipídica

As membranas são os contornos das células, compostos por uma bicamada lipídica Células e Membranas As membranas são os contornos das células, compostos por uma bicamada lipídica Organelas são compartimentos celulares limitados por membranas A membrana plasmática é por si só uma organela.

Leia mais

Aminoácidos (aas) Prof.ª: Suziane Antes Jacobs

Aminoácidos (aas) Prof.ª: Suziane Antes Jacobs Aminoácidos (aas) Prof.ª: Suziane Antes Jacobs Introdução Pequenas moléculas propriedades únicas Unidades estruturais (UB) das proteínas N- essencial para a manutenção da vida; 20 aminoácidos-padrão -

Leia mais

UFABC Bacharelado em Ciência & Tecnologia

UFABC Bacharelado em Ciência & Tecnologia UFABC Bacharelado em Ciência & Tecnologia Transformações Bioquímicas (BC0308) Prof Luciano Puzer http://professor.ufabc.edu.br/~luciano.puzer/ Propriedades e funções de proteínas: Mioglobina / Hemoglobina

Leia mais

Função orgânica nossa de cada dia. Profa. Kátia Aquino

Função orgânica nossa de cada dia. Profa. Kátia Aquino Função orgânica nossa de cada dia Profa. Kátia Aquino Vamos analisar! Funções Carboidratros (ou Glicídios) Energética: eles são os maiores fornecedores de energia para os seres vivos, principalmente a

Leia mais

Proteínas Essenciais para o funcionamento das células vivas e, juntamente com os carboidratos e lipídios, constituem a alimentação básica dos animais.

Proteínas Essenciais para o funcionamento das células vivas e, juntamente com os carboidratos e lipídios, constituem a alimentação básica dos animais. Proteínas Essenciais para o funcionamento das células vivas e, juntamente com os carboidratos e lipídios, constituem a alimentação básica dos animais. Exercem várias funções biológicas: proteínas contráteis

Leia mais

Aminoácidos. Prof. Dr. Walter F. de Azevedo Jr. Laboratório de Sistemas BioMoleculares. Departamento de Física. UNESP São José do Rio Preto. SP.

Aminoácidos. Prof. Dr. Walter F. de Azevedo Jr. Laboratório de Sistemas BioMoleculares. Departamento de Física. UNESP São José do Rio Preto. SP. Aminoácidos Prof. Dr. Walter F. de Azevedo Jr. Laboratório de Sistemas BioMoleculares. Departamento de Física. UNESP São José do Rio Preto. SP. Resumo Introdução Quiralidade Ligação peptídica Cadeia peptídica

Leia mais

- Apresentam uma fórmula básica: um átomo central de carbono onde se ligam:

- Apresentam uma fórmula básica: um átomo central de carbono onde se ligam: 1 4 Aminoácidos e proteínas a) Aminoácidos - São encontrados polimerizados formando proteínas ou livres - São degradados, originando moléculas intermediárias da síntese de glicose e lipídeos - Alguns são

Leia mais

Glândulas endócrinas:

Glândulas endócrinas: SISTEMA ENDOCRINO Glândulas endócrinas: Funções: Secreções de substâncias (hormônios) que atuam sobre célula alvo Regulação do organismo (homeostase) Hormônios: Substâncias químicas que são produzidas

Leia mais

Excreção. Manutenção do equilíbrio de sal, água e remoção de excretas nitrogenadas.

Excreção. Manutenção do equilíbrio de sal, água e remoção de excretas nitrogenadas. Fisiologia Animal Excreção Manutenção do equilíbrio de sal, água e remoção de excretas nitrogenadas. Sistema urinario Reabsorção de açucar, Glicose, sais, água. Regula volume sangue ADH: produzido pela

Leia mais

14/02/2017. Genética. Professora Catarina

14/02/2017. Genética. Professora Catarina 14/02/2017 Genética Professora Catarina 1 A espécie humana Ácidos nucleicos Tipos DNA ácido desoxirribonucleico RNA ácido ribonucleico São formados pela união de nucleotídeos. 2 Composição dos nucleotídeos

Leia mais

BIOQUÍMICA I 1º ano de Medicina Ensino teórico 2010/2011

BIOQUÍMICA I 1º ano de Medicina Ensino teórico 2010/2011 BIOQUÍMICA I 1º ano de Medicina Ensino teórico 2010/2011 7ª aula teórica 11 Outubro 2010 Proteínas estruturais e funcionais Organização estrutural das proteínas Estrutura e diferentes funções de proteínas

Leia mais

ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL FREDERICO GUILHERME SCHMIDT Escola Técnica Industrial. Disciplina de Biologia Primeiro Ano Curso Técnico de Eletromecânica

ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL FREDERICO GUILHERME SCHMIDT Escola Técnica Industrial. Disciplina de Biologia Primeiro Ano Curso Técnico de Eletromecânica ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL FREDERICO GUILHERME SCHMIDT Escola Técnica Industrial Disciplina de Biologia Primeiro Ano Curso Técnico de Eletromecânica Prof. Diogo Schott diogo.schott@yahoo.com Substâncias orgânicas

Leia mais

Proteínas As proteínas são as macromoléculas mais abundantes nas células vivas. Elas são os instrumentos moleculares através dos quais a informação genética é expressa. O nome proteína vem do grego protos

Leia mais

Análise de Proteínas. Prof. Eduardo Purgatto Depto. de Alimentos e Nutrição Experimental FCF USP. Curso de Graduação Disciplina de Bromatologia Básica

Análise de Proteínas. Prof. Eduardo Purgatto Depto. de Alimentos e Nutrição Experimental FCF USP. Curso de Graduação Disciplina de Bromatologia Básica Análise de Proteínas Prof. Eduardo Purgatto Depto. de Alimentos e Nutrição Experimental FCF USP Curso de Graduação Disciplina de Bromatologia Básica 2013 Proteínas Macromoléculas compostas de AMINOÁCIDOS

Leia mais

Bioenergética. Profa. Kalyne de Menezes Bezerra Cavalcanti

Bioenergética. Profa. Kalyne de Menezes Bezerra Cavalcanti Bioenergética Profa. Kalyne de Menezes Bezerra Cavalcanti Natal/RN Fevereiro de 2011 Substratos para o exercício O corpo utiliza nutrientes carboidratos, gorduras e proteínas consumidos diariamente para

Leia mais

www.aliancaprevestibular.com

www.aliancaprevestibular.com Professor Juliana Villa-Verde Disciplina Bio I Lista nº Assuntos Texto I Intodução à Citologia CITOLOGIA É o ramo da biologia que estuda a célula, unidade básica dos seres vivos. Hans e Zacarias Jensen

Leia mais

BIOQUÍMICA E BIOLOGIA MOLECULAR 1º S_2010_2011_1º Teste 25/10/2010

BIOQUÍMICA E BIOLOGIA MOLECULAR 1º S_2010_2011_1º Teste 25/10/2010 BIOQUÍMICA E BIOLOGIA MOLECULAR 1º S_2010_2011_1º Teste 25/10/2010 (Duração: 1,5 h) Nome do Aluno: Nº: Curso: Cada uma das questões de escolha múltipla (1 à 40) tem a cotação de 0,5 valores. Será descontado

Leia mais

BÁSICA EM IMAGENS. Aminoácidos, peptídeos e proteínas

BÁSICA EM IMAGENS. Aminoácidos, peptídeos e proteínas Universidade Federal de Pelotas Instituto de Química e Geociências Departamento de Bioquímica 04 BÁSICA EM IMAGENS - um guia para a sala de aula Aminoácidos, peptídeos e proteínas Generalidades AAs x Proteínas

Leia mais

Criado e Desenvolvido por: RONNIELLE CABRAL ROLIM Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com

Criado e Desenvolvido por: RONNIELLE CABRAL ROLIM Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com Criado e Desenvolvido por: RONNIELLE CABRAL ROLIM Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com ÁCIDOS NUCLEICOS ÁCIDOS NUCLÉICOS: são substâncias formadoras de genes, constituídas por um grande

Leia mais

R C COOH. H H H O O desidratação O R1 C C + R2 C C R1 C C H + H 2 O OH OH intramolecular O NH 2 N NH 2 N C C H H OH H R2

R C COOH. H H H O O desidratação O R1 C C + R2 C C R1 C C H + H 2 O OH OH intramolecular O NH 2 N NH 2 N C C H H OH H R2 1. Comentário: A ausência de alimentos de origem animal na dieta implica na ausência de proteínas integrais, as quais possuem todos os aminoácidos essenciais, ou seja, aqueles que não podem ser produzidos

Leia mais

Introdução. Estrutura dos Aminoácidos e Proteínas. Aminoácidos componentes de proteínas. Aminoácidos componentes de proteínas 10/02/2012.

Introdução. Estrutura dos Aminoácidos e Proteínas. Aminoácidos componentes de proteínas. Aminoácidos componentes de proteínas 10/02/2012. Introdução Estrutura dos Aminoácidos e Prof. Dr. Bruno Lazzari de Lima : Componentes celulares mais importantes. Diversidade de forma e função. Estruturais. Enzimáticas. Transportadoras. Ex.: Insulina,

Leia mais

EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO

EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO TAREFINHA DE QUÍMICA PARA O DIA 28/03 2º COLEGIAL EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO 1. Complete as ligações simples, duplas e triplas que estão faltando nas estruturas abaixo: 2. Complete as seguintes fórmulas estruturais,

Leia mais

Aminoácido: um composto que contém tanto um grupo amino como um grupo carboxila

Aminoácido: um composto que contém tanto um grupo amino como um grupo carboxila Aminoácidos e Peptídios 1 Aminoácidos Aminoácido: um composto que contém tanto um grupo amino como um grupo carboxila aaminoácido: têm um grupo carboxila e um grupo amino ligados ao mesmo átomo de carbono

Leia mais

- Ácido ribonucléico (ARN ou RNA): participa do processo de síntese de proteínas.

- Ácido ribonucléico (ARN ou RNA): participa do processo de síntese de proteínas. 1- TIPOS DE ÁCIDO NUCLÉICO: DNA E RNA Existem dois tipos de ácidos nucléicos: - Ácido desoxirribonucléico (ADN ou DNA): é o principal constituinte dos cromossomos, estrutura na qual encontramos os genes,

Leia mais

A oxidação dos aminoácidos e a produção de uréia

A oxidação dos aminoácidos e a produção de uréia A oxidação dos aminoácidos e a produção de uréia A U L A 17 objetivos Ao final desta aula, você deverá ser capaz de: Identificar as situações metabólicas nas quais ocorre o catabolismo dos aminoácidos.

Leia mais

O CITOPLASMA E SUAS ORGANELAS

O CITOPLASMA E SUAS ORGANELAS O CITOPLASMA E SUAS ORGANELAS Citoplasma região entre a membrana plasmática e o núcleo (estão presentes o citosol e as organelas). Citosol material gelatinoso formado por íons e moléculas orgânicas e inorgânicas

Leia mais

ZOOLOGIA E HISTOLOGIA ANIMAL

ZOOLOGIA E HISTOLOGIA ANIMAL ZOOLOGIA E HISTOLOGIA ANIMAL Sistema Endócrino Prof. Fernando Stuchi Introdução Os mensageiros químicos do corpo (hormônios) são produzidos pelas glândulas endócrinas ou glândulas de secreção interna,

Leia mais

Capacidade de organizar os produtos da digestão usando a energia extraída dos mesmos produtos da digestão (REGULAÇÃO)

Capacidade de organizar os produtos da digestão usando a energia extraída dos mesmos produtos da digestão (REGULAÇÃO) Capacidade de organizar os produtos da digestão usando a energia extraída dos mesmos produtos da digestão (REGULAÇÃO) As proteínas são digeridas até aminoácidos, as gorduras (triglicérides) até glicerol

Leia mais

As bactérias operárias

As bactérias operárias A U A UL LA As bactérias operárias Na Aula 47 você viu a importância da insulina no nosso corpo e, na Aula 48, aprendeu como as células de nosso organismo produzem insulina e outras proteínas. As pessoas

Leia mais

INTRODUÇÃO À QUÍMICA ORGÂNICA

INTRODUÇÃO À QUÍMICA ORGÂNICA PROFESSOR: EQUIPE DE QUÍMICA BANCO DE QUESTÕES - QUÍMICA - 1ª SÉRIE - ENSINO MÉDIO - PARTE 1 ============================================================================================= INTRODUÇÃO À QUÍMICA

Leia mais

Nestas últimas aulas irei abordar acerca das vitaminas. Acompanhe!

Nestas últimas aulas irei abordar acerca das vitaminas. Acompanhe! Aula: 31 Temática: Vitaminas parte I Nestas últimas aulas irei abordar acerca das vitaminas. Acompanhe! Introdução O termo vitamina refere-se a um fator dietético essencial requerido por um organismo em

Leia mais

Importante reserva energética; são as gorduras.

Importante reserva energética; são as gorduras. Importante reserva energética; são as gorduras. 1g de lipídio libera 9kcal contra 4kcal por 1g de carboidrato. Podem ser armazenados de forma mais concentrada que os carboidratos. O excesso do consumo

Leia mais

47 Por que preciso de insulina?

47 Por que preciso de insulina? A U A UL LA Por que preciso de insulina? A Medicina e a Biologia conseguiram decifrar muitos dos processos químicos dos seres vivos. As descobertas que se referem ao corpo humano chamam mais a atenção

Leia mais

COMPOSIÇÃO QUÍMICA DA CARNE. Profª Sandra Carvalho

COMPOSIÇÃO QUÍMICA DA CARNE. Profª Sandra Carvalho COMPOSIÇÃO QUÍMICA DA CARNE Profª Sandra Carvalho A carne magra: 75% de água 21 a 22% de proteína 1 a 2% de gordura 1% de minerais menos de 1% de carboidratos A carne magra dos diferentes animais de abate

Leia mais

REGULAÇÃO HIDROELETROLÍTICA FUNÇÃO RENAL

REGULAÇÃO HIDROELETROLÍTICA FUNÇÃO RENAL REGULAÇÃO HIDROELETROLÍTICA FUNÇÃO RENAL Bioquímica Profa. Dra. Celene Fernandes Bernardes Referências Bioquímica Clínica M A T Garcia e S Kanaan Bioquímica Mèdica J W Baynes e M H Dominiczack Fundamentos

Leia mais

Disciplina de Proteômica. Caroline Rizzi Doutoranda em Biotecnologia -UFPel

Disciplina de Proteômica. Caroline Rizzi Doutoranda em Biotecnologia -UFPel Disciplina de Proteômica Caroline Rizzi Doutoranda em Biotecnologia -UFPel Bibliografia REVISÃO QUÍMICA Principais grupos funcionais em proteômica O que é uma ligação de hidrogênio? átomo eletronegativo

Leia mais

BIOFÍSICA MEMBRANAS BIOLÓGICAS

BIOFÍSICA MEMBRANAS BIOLÓGICAS BIOFÍSICA MEMBRANAS BIOLÓGICAS CÉLULA Unidade fundamental dos seres vivos Menor estrutura biológica capaz de ter vida autônoma Átomos Moléculas Estruturas supramoleculares Células tecidos órgãos Sistemas

Leia mais

Faremos uma breve introdução sobre proteínas usando os livros textos que constam nas referências: Lehninger et al., 1993; Stryer, 1995 e Dose, 1982.

Faremos uma breve introdução sobre proteínas usando os livros textos que constam nas referências: Lehninger et al., 1993; Stryer, 1995 e Dose, 1982. 3. Proteínas Faremos uma breve introdução sobre proteínas usando os livros textos que constam nas referências: Lehninger et al., 1993; Stryer, 1995 e Dose, 1982. 3.1 Estrutura de Proteínas Em animais superiores,

Leia mais

Sistema Endócrino: controle hormonal

Sistema Endócrino: controle hormonal Sistema Endócrino: controle hormonal Todos os processos fisiológicos estudados até agora, como digestão, respiração, circulação e excreção, estão na dependência do sistema que fabrica os hormônios. O sistema

Leia mais

2 Lipídeos. - Funções dos lipídeos: Armazenar energia Formar membranas biológicas São co-fatores enzimáticos Hormônios Pigmentos

2 Lipídeos. - Funções dos lipídeos: Armazenar energia Formar membranas biológicas São co-fatores enzimáticos Hormônios Pigmentos 1 2 Lipídeos - São insolúveis em água; - São solúveis em solventes orgânicos como éter, acetona, tetracloreto de carbono - Contêm carbono (C), hidrogênio (H) e oxigênio (), às vezes contêm também nitrogênio

Leia mais

CITOPLASMA. Características gerais 21/03/2015. Algumas considerações importantes: 1. O CITOPLASMA DAS CÉLULAS PROCARIÓTICAS

CITOPLASMA. Características gerais 21/03/2015. Algumas considerações importantes: 1. O CITOPLASMA DAS CÉLULAS PROCARIÓTICAS CITOPLASMA Algumas considerações importantes: Apesar da diversidade, algumas células compartilham ao menos três características: Biologia e Histologia São dotadas de membrana plasmática; Contêm citoplasma

Leia mais

Influência da Genética desempenho

Influência da Genética desempenho UNIVERSIDADE GAMA FILHO PÓS-GRADUAÇÃO Nível: LATO SENSU Curso: FISIOLOGIA E TREINAMENTO APL. ATIVIDADES DE ACADEMIAS E CLUBES Influência da Genética desempenho Prof. Drd. LUIZ CARLOS CARNEVALI luizcarnevalijr@usp.br

Leia mais

Em termos comparativos a chlorella possui proporcionalmente mais proteínas do que a soja, a carne bovina e o trigo.

Em termos comparativos a chlorella possui proporcionalmente mais proteínas do que a soja, a carne bovina e o trigo. O que é? A chlorella é uma alga unicelular de água doce existente na Terra há milhões de anos. A sua estrutura genética manteve-se intacta ao longo do tempo resultando numa grande concentração e variedade

Leia mais

APROFUNDAMENTO DE QUIMICA ORGÂNICA LISTA 04 09/10/2014. Assunto: Estudo das Funções Orgânicas

APROFUNDAMENTO DE QUIMICA ORGÂNICA LISTA 04 09/10/2014. Assunto: Estudo das Funções Orgânicas APROFUNDAMENTO DE QUIMICA ORGÂNICA LISTA 04 09/10/2014 Assunto: Estudo das Funções Orgânicas 01-( Medicina Jundiaí 2014 ) Considere as fórmulas estruturais de substâncias utilizadas como antibióticos:

Leia mais

Células procarióticas

Células procarióticas Pró Madá 1º ano Células procarióticas Citosol - composto por 80% de água e milhares de tipos de proteínas, glicídios, lipídios, aminoácidos, bases nitrogenadas, vitaminas, íons. Moléculas de DNA e ribossomos

Leia mais

AMINOÁCIDOS. Dra. Flávia Cristina Goulart. Bioquímica

AMINOÁCIDOS. Dra. Flávia Cristina Goulart. Bioquímica AMINOÁCIDOS Dra. Flávia Cristina Goulart Bioquímica Os aminoácidos (aa). O que são? AMINOÁCIDOS São as unidades fundamentais das PROTEÍNAS. São ácidos orgânicos formados por átomos de carbono, hidrogênio,

Leia mais

AMINOÁCIDOS: ESTRUTURA E PROPRIEDADES

AMINOÁCIDOS: ESTRUTURA E PROPRIEDADES UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS REATIVIDADE DE COMPOSTOS ORGÂNICOS II E BIOMOLÉCULAS NOTURNO AMINOÁCIDOS: ESTRUTURA E PROPRIEDADES Cibele Rosalin Líria Domingues Luma Antonio

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ BIOLOGIA PROVA DE TRANSFERÊNCIA FACULTATIVA E PARA PORTADOR DE DIPLOMA DE CURSO SUPERIOR

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ BIOLOGIA PROVA DE TRANSFERÊNCIA FACULTATIVA E PARA PORTADOR DE DIPLOMA DE CURSO SUPERIOR UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ BIOLOGIA PROVA DE TRANSFERÊNCIA FACULTATIVA E PARA PORTADOR DE DIPLOMA DE CURSO SUPERIOR 02/12/2012 Candidato: GABARITO Curso Pretendido: OBSERVAÇÕES: 01 Prova SEM consulta

Leia mais

ÁCIDOS NUCLEÍCOS RIBOSSOMO E SÍNTESE PROTEÍCA

ÁCIDOS NUCLEÍCOS RIBOSSOMO E SÍNTESE PROTEÍCA ÁCIDOS NUCLEÍCOS RIBOSSOMO E SÍNTESE PROTEÍCA ÁCIDOS NUCLÉICOS: Moléculas orgânicas complexas, formadas polimerização de nucleotídeos (DNA e RNA) pela Contêm a informação que determina a seqüência de aminoácidos

Leia mais

RESOLUÇÃO DA PROVA DE QUÍMICA DA UFRGS 2011

RESOLUÇÃO DA PROVA DE QUÍMICA DA UFRGS 2011 RESOLUÇÃO DA PROVA DE QUÍMICA DA UFRGS 2011 Questão 26 Como a questão pede a separação do sólido solúvel do líquido, o único processo recomendado é a destilação simples. Lembrando que filtração e decantação

Leia mais

Composição química celular

Composição química celular Natália Paludetto Composição química celular Proteínas Enzimas Ácidos nucléicos Proteínas Substâncias sólidas; Componente orgânico mais abundante da célula. Podem fornecer energia quando oxidadas, mas

Leia mais

Dra. Kátia R. P. de Araújo Sgrillo Sgrillo.ita@ftc.br

Dra. Kátia R. P. de Araújo Sgrillo Sgrillo.ita@ftc.br Dra. Kátia R. P. de Araújo Sgrillo Sgrillo.ita@ftc.br A água é a substância mais abundante nos seres vivos, perfazendo 70% ou mais da massa da maioria dos organismos. A água permeia todas as porções de

Leia mais

Sistema Endócrino Sistema Endócrino Sistema Endócrino Sistema Endócrino Sistema Endócrino Sistema Endócrino Mensagem Química: Hormônios Os hormônios são substâncias químicas liberadas na corrente sanguínea

Leia mais

Aula 6. Introdução a Bioquímica: Biomoléculas. Níveis estruturais das proteínas. Estruturas 3D, domínios motivos 1º 2º 3º 4º

Aula 6. Introdução a Bioquímica: Biomoléculas. Níveis estruturais das proteínas. Estruturas 3D, domínios motivos 1º 2º 3º 4º Introdução a Bioquímica: Biomoléculas Ignez Caracelli BioMat DF UNESP/Bauru Aula 6 Estruturas 3D, domínios motivos Julio Zukerman Schpector Bauru, 24 de setembro de 2007 LaCrEMM DQ UFSCar Níveis estruturais

Leia mais

Aula: 18 Temática: Estrutura dos aminoácidos e proteínas parte III

Aula: 18 Temática: Estrutura dos aminoácidos e proteínas parte III Aula: 18 Temática: Estrutura dos aminoácidos e proteínas parte III A maioria das cadeias polipeptídicas naturais contém entre 50 e 2.000 aminoácidos e são comumente referidas como proteínas. Peptídeos

Leia mais

Dra. Kátia R. P. de Araújo Sgrillo. sgrillo.ita@ftc.br

Dra. Kátia R. P. de Araújo Sgrillo. sgrillo.ita@ftc.br Dra. Kátia R. P. de Araújo Sgrillo sgrillo.ita@ftc.br O metabolismo de carboidratos em humanos pode ser dividido nas seguintes categorias: 1. Glicólise 2. Ciclo de Krebs 3. Glicogênese 4. Glicogenólise

Leia mais

DURAÇÃO DA PROVA: 03 HORAS

DURAÇÃO DA PROVA: 03 HORAS ISTRUÇÕES: PRESS SELETIV 2012/1 - PS PRVA DISURSIVA DE QUÍMIA URS DE GRADUAÇÃ EM MEDIIA 1. Só abra a prova quando autorizado. 2. Veja se este caderno contém 5 (cinco) questões discursivas. aso contrário

Leia mais

ORGANELAS CITOPLASMÁTICAS. Prof. Emerson

ORGANELAS CITOPLASMÁTICAS. Prof. Emerson ORGANELAS CITOPLASMÁTICAS Prof. Emerson Algumas considerações importantes: Apesar da diversidade, algumas células compartilham ao menos três características: São dotadas de membrana plasmática; Contêm

Leia mais

COMPONENTES ORGÂNICOS: CARBOIDRATOS. Glicídios ou Açúcares

COMPONENTES ORGÂNICOS: CARBOIDRATOS. Glicídios ou Açúcares COMPONENTES ORGÂNICOS: CARBOIDRATOS Glicídios ou Açúcares COMPOSIÇÃO DOS CARBOIDRATOS Compostos constituídos principalmente de: Carbono, Hidrogênio Oxigênio Principal fonte de energia para os seres vivos.

Leia mais

METABOLISMO. - ATP é a moeda energética da célula

METABOLISMO. - ATP é a moeda energética da célula INTEGRAÇÃO DO METABOLISMO ESTRATÉGIAS DO METABOLISMO - ATP é a moeda energética da célula - ATP é gerado pela oxidação de moléculas de alimento: * as macromoléculas da dieta são quebradas até suas unidades

Leia mais

METABOLISMO. Nesta 3 a parte da disciplina nosso principal objetivo é compreender os mecanismos pelos quais as células regulam o seu metabolismo

METABOLISMO. Nesta 3 a parte da disciplina nosso principal objetivo é compreender os mecanismos pelos quais as células regulam o seu metabolismo METABOLISMO Nesta 3 a parte da disciplina nosso principal objetivo é compreender os mecanismos pelos quais as células regulam o seu metabolismo Mas o que é metabolismo? Metabolismo é o nome que damos ao

Leia mais

Gabarito -Funções Orgânicas 2015

Gabarito -Funções Orgânicas 2015 Gabarito: Resposta da questão 1: [Resposta do ponto de vista da disciplina de Química] As cenouras de coloração laranja podem ter sido trazidas a Pernambuco durante a invasão holandesa e contêm um pigmento

Leia mais

ENZIMAS. Células podem sintetizar enzimas conforme a sua necessidade.

ENZIMAS. Células podem sintetizar enzimas conforme a sua necessidade. ENZIMAS As enzimas são proteínas, catalisadores (aumenta a velocidade de uma determinada reação química) biológicos (proteínas) de alta especificidade. Praticamente todas as reações que caracterizam o

Leia mais

A Molécula da Vida. Estrutura

A Molécula da Vida. Estrutura A Molécula da Vida Os cromossomos de células eucarióticas são formado por DNA associado a moléculas de histona, que são proteínas básicas. É na molécula de DNA que estão contidos os genes, responsáveis

Leia mais

03/09/2014 FUNÇÕES. Reserva de energia e combustível celular. Membranas celulares (fosfolipídios e glicolipídios)

03/09/2014 FUNÇÕES. Reserva de energia e combustível celular. Membranas celulares (fosfolipídios e glicolipídios) São compostos orgânicos heterogêneos, de origem animal ou vegetal LIPÍDIOS São insolúveis em água e facilmente solúveis em solventes orgânicos, como éter, hexano e outros; Hidrofóbicos São vulgarmente

Leia mais

COLÉGIO MÓDULO DISCIPLINA BIOLOGIA UFBA I UNIDADE PROFESSOR SÉRGIO MAGALHÃES

COLÉGIO MÓDULO DISCIPLINA BIOLOGIA UFBA I UNIDADE PROFESSOR SÉRGIO MAGALHÃES COLÉGIO MÓDULO DISCIPLINA BIOLOGIA UFBA I UNIDADE PROFESSOR SÉRGIO MAGALHÃES 01 V(01) Isótopos radioativos são importantes para elucidação de compostos químicos que são imprescindíveis aos seres vivos.

Leia mais

COMPOSIÇÃO QUÍMICA CELULAR COMPOSTOS INORGÂNICOS: ÁGUA- SAIS MINERAIS COMPOSTOS ORGÂNICOS: CARBOIDRATOS

COMPOSIÇÃO QUÍMICA CELULAR COMPOSTOS INORGÂNICOS: ÁGUA- SAIS MINERAIS COMPOSTOS ORGÂNICOS: CARBOIDRATOS COMPOSIÇÃO QUÍMICA CELULAR COMPOSTOS INORGÂNICOS: ÁGUA- SAIS MINERAIS COMPOSTOS ORGÂNICOS: CARBOIDRATOS COMPOSTOS INORGÂNICOS Não apresentam Carbono em sua estrutura DOIS TIPOS: Água e Sais Minerais ÁGUA:

Leia mais

Soluções de Conjunto de Problemas 1

Soluções de Conjunto de Problemas 1 Soluções de 7.012 Conjunto de Problemas 1 Questão 1 a) Quais são os quatro tipos principais de moléculas biológicas discutidos na aula? Cite uma função importante de cada tipo de molécula biológica na

Leia mais