FATORES CRÍTICOS DE SUCESSO NA OPERAÇÃO DE ESCRITÓRIOS DE GERENCIAMENTO DE PROJETO (PMOs): UMA ABORDAGEM DELPHI

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FATORES CRÍTICOS DE SUCESSO NA OPERAÇÃO DE ESCRITÓRIOS DE GERENCIAMENTO DE PROJETO (PMOs): UMA ABORDAGEM DELPHI"

Transcrição

1 FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS FGV ESCOLA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA EBAP MESTRADO EXECUTIVO EM GESTÃO EMPRESARIAL Título FATORES CRÍTICOS DE SUCESSO NA OPERAÇÃO DE ESCRITÓRIOS DE GERENCIAMENTO DE PROJETO (PMOs): UMA ABORDAGEM DELPHI Por Gustavo Rukuiza Czekay Projeto de pesquisa apresentado a Escola Brasileira de Administração Pública EBAP da Fundação Getúlio Vargas Prof. Dr. Luiz Antonio Joia VOLUME II Rio de Janeiro Brasil Junho de 2012

2 FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS ESCOLA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E DE EMPRESAS MESTRADO PROFISSIONAL EXECUTIVO EM GESTÃO EMPRESARIAL DISSERTAÇÃO APRESENTADA POR GUSTAVO RUKUIZA CZEKAY TÍTULO FATORES CRÍTICOS DE SUCESSO NA OPERAÇÃO DE ESCRITÓRIOS DE GERENCIAMENTO DE PROJETO (PMOs): UMA ABORDAGEM DELPHI PROFESSOR ORIENTADOR ACADÊMICO: Luiz Antonio Joia APROVADO EM: 25/07/2012 BANCA EXAMINADORA: Prof. Luiz Antonio Joia, D.Sc. (orientador) Fundação Getúlio Vargas - RJ Prof a. Deborah Morais Zouain, D.Sc. Fundação Getúlio Vargas - RJ Prof. Eduardo Ramos, D.Sc. Instituto Infnet - RJ

3 Sumário 1. QUESTIONÁRIO DELPHI PRIMEIRA RODADA (PORTUGUÊS) INSTRUÇÕES PERGUNTAS QUESTIONÁRIO DELPHI PRIMEIRA RODADA (INGLÊS) INSTRUCTIONS QUESTIONNAIRE QUESTIONÁRIO DELPHI SEGUNDA RODADA (PORTUGUÊS) INSTRUÇÕES PERGUNTAS QUESTIONÁRIO DELPHI SEGUNDA RODADA (INGLÊS) INSTRUCTIONS QUESTIONNAIRE...110

4 2 1. QUESTIONÁRIO DELPHI PRIMEIRA RODADA (PORTUGUÊS) 1.1. INSTRUÇÕES O objetivo deste questionário é responder às perguntas listadas abaixo de forma objetiva e clara, sendo possível, ao final, responder ao título da tese proposta FATORES CRÍTICOS DE SUCESSO NA OPERAÇÃO DE ESCRITÓRIOS DE GERENCIAMENTO DE PROJETO (PMOs). A metodologia utilizada neste questionário será a Delphi. Este método consiste em consultar um grupo de analistas sobre eventos atuais e futuros através de um questionário, que é repassado até que seja obtido um consenso (convergência) entre as respostas, o que representará uma consolidação das ideias (conceitos) intuitivo do grupo. O anonimato dos respondentes, a representação estatística da distribuição dos resultados e o retorno das respostas da equipe para reavaliação das rodadas seguintes são as principais características deste método. O método é bastante simples, pois trata-se de um questionário interativo que circula repetidas vezes por um grupo de peritos, preservando o anonimato. Na primeira rodada, os especialistas recebem o questionário preparado por uma equipe de coordenação a ser respondido individualmente, usualmente com respostas quantitativas apoiadas por justificativas e informações qualitativas. As respostas das questões quantitativas são tabuladas, recebendo um tratamento estatístico simples (define-se mediana e quartis) com devolução dos resultados aos participantes na rodada seguinte. Quando há dados qualitativos (justificativas e opiniões) relacionados às questões quantitativas a coordenação busca relacionar os argumentos às projeções quantitativas correspondentes. A cada nova rodada as perguntas são repetidas e os participantes devem reavaliar suas respostas tendo em vista as respostas e justificativas dadas pelos demais respondentes na rodada anterior. Assim, são solicitadas novas previsões com justificativas se estas previsões divergirem das respostas centrais do grupo, tendo este processo repetido nas sucessivas rodadas do questionário até que a divergência de opiniões entre especialistas tenha diminuído a um nível satisfatório e a resposta da última rodada seja considerada como a previsão do grupo. Dessa forma, você foi selecionado, como especialista no assunto, para responder às perguntas abaixo. Cada pergunta terá, ao seu início, um indicador de

5 3 entendimento. Caso haja qualquer desentendimento ou ambiguidade que dificulte a resposta, a opção Pergunta não foi entendida deverá ser marcada. Caso a pergunta seja totalmente entendida, a opção Pergunta foi entendida deverá ser marcada. Solicito que, no caso de desentendimento da pergunta, seja descrito o motivo do desentendimento. É de extrema importância que todas as perguntas sejam comentadas para que seja possível extrair todas as opiniões, buscando a convergência das ideias. Segue abaixo glossário para alguns termos descritos nas perguntas: Escritório Corporativo de Projetos: está posicionado dentro da alta administração da organização e os projetos estão relacionados ao desdobramento dos objetivos e metas do plano estratégico do negócio. Neste caso, o Chief Project Officer (CPO) deve ser um profissional experiente com ampla visão estratégica do negócio (um dos quatro principais modelos do mercado da estrutura organizacional do PMO) fonte: Mansur (2009); Escritório Departamental de Projetos: o PMO está posicionado dentro de um departamento da organização como, por exemplo, o departamento de suporte de tecnologia, respondendo ao líder de suporte (um dos quatro principais modelos do mercado da estrutura organizacional do PMO) Mansur (2009); Escritório Divisional de Projetos: o PMO está posicionado em uma divisão da organização como, por exemplo, a diretoria de tecnologia, respondendo ao diretor executivo de tecnologia (um dos quatro principais modelos do mercado da estrutura organizacional do PMO); Escritório Setorial de Projetos: o PMO está posicionado dentro de um setor da organização como, por exemplo, o setor de operações, respondendo ao gerente de operações (um dos quatro principais modelos do mercado da estrutura organizacional do PMO) fonte: Mansur (2009); Project Management Office (PMO): sinônimo para Escritório de Gerenciamento de Projetos; Strategic Management Office (SMO): Escritório de Gerenciamento de Estratégias da área ou empresa. Este termo é bastante recente, mas vem

6 4 sendo colocado como área responsável pela definição, coordenação e execução das estratégias da empresa.

7 PERGUNTAS Qual o segmento da empresa onde trabalha (marque a opção que mais se adéqua a sua empresa)? Pergunta foi entendida Pergunta não foi entendida Resposta: Alimentos e Bebidas Comércio Construção Eletroeletrônicos Energia Elétrica Financeiro Mineração Máquinas Industriais Papel e Celulose Petróleo e Gás Petroquímica e Química Serviços Educacionais Shoppings Siderurgia Software e Dados Telecomunicações Têxtil Transportes e Serviços Veículos e Peças Outros (especificar): País de Residência:

8 Qual a estrutura de PMO que você considera mais adequada em uma empresa: Um PMO que suporta o gerenciamento de projetos a ser realizado por gerentes de projeto que trabalham em outras áreas da empresa; ou um PMO que gerencia diretamente o projeto, não tendo, assim, gerentes de projeto em outras áreas? Por quê? Pergunta foi entendida Pergunta não foi entendida Resposta:

9 Levando em consideração que as empresas atuam nos níveis estratégico, tático e operacional (níveis da pirâmide), marque abaixo a(s) atividade(s) que você considera importante(s) para que a atuação do PMO seja completa (em todos os níveis). Pergunta foi entendida Pergunta não foi entendida Resposta: Elaboração de Material para a Alta Administração; Definição de Portfólio; Definição / Suporte à Metodologia de Gerenciamento de Projetos; Coaching em Gerenciamento de Projetos; Mentoring em Gerenciamento de Projetos; Operacionalização do cronograma; Elaboração de Atas de Reunião de Acompanhamento do Projeto; Elaboração do Relatório de Acompanhamento Elaboração do Plano de Gerenciamento do Projeto; Elaboração do Plano de Produto do Projeto; Elaboração do Relatório de Lições Aprendidas; Outros (especificar):

10 Os projetos a serem executados por uma empresa devem ser priorizados e planejados, pois seu plano estratégico é executado por estes projetos. Desta forma, qualquer PMO deve participar do processo decisório da área ou da empresa em que atua? Por quê? Pergunta foi entendida Pergunta não foi entendida Resposta:

11 A área de governança da organização revisa o portfólio para obter informações estratégicas como, por exemplo, como está fazendo em comparação com seus pares, se há alguma possibilidade para que um determinado projeto se mova na ordem de priorização, se há dinheiro disponível para as atividades do projeto ou para outros projetos existentes que precisem de ajuda. Sendo assim, qualquer PMO deve se envolver na governança da área ou da empresa em que atua? Por quê? Pergunta foi entendida Pergunta não foi entendida Resposta:

12 Apesar desta estatística estar mudando com o decorrer dos anos a partir do amadurecimento em gerência de projetos, o PMO ainda é considerado por muitos executivos como desnecessário ou burocrático para execução das atividades da empresa. Por que isso acontece e o que deve ser feito para mudar definitivamente esta visão? Pergunta foi entendida Pergunta não foi entendida Resposta:

13 Considerando o momento atual em que começa a aparecer nas empresas uma nova área chamada Strategic Management Office SMO (definição pode ser consultada no item 1.1, na parte sobre glossário), em sua opinião, qual deve ser a relação entre o PMO e o SMO nas empresas? Pergunta foi entendida Pergunta não foi entendida Resposta:

14 Considerando que os gerentes de projeto possuem conhecimentos heterogêneos e que, em muitos casos, falta experiência destes recursos, caso o PMO não tenha controle na estrutura organizacional sobre estes gerentes de projeto, o PMO deve ficar responsável pela atualização das ferramentas de gerenciamento de projetos (ex.: cronograma, relatório de acompanhamento)? Por quê? Pergunta foi entendida Pergunta não foi entendida Resposta:

15 Levando em consideração que o PMO precisa trabalhar com ferramentas (ex: Project, Primavera, SAP módulo Project System, Clarity) e processos padronizados (como criar projetos, como criar programas, como estruturar a EAP, como medir o projeto, como classificar o projeto, como priorizar o projeto), em sua opinião, o que deve ser definido primeiramente em busca do sucesso dos projetos nas empresas: a(s) ferramenta(s) ou o(s) processo(s)? Por quê? Pergunta foi entendida Pergunta não foi entendida Resposta:

16 As estruturas organizacionais existem há mais de dois séculos. Nestas estruturas, as pessoas são agrupadas em funções ou processos de trabalho similares com a autoridade exercida. Em sua opinião, qual estrutura organizacional é mais adequada para o melhor funcionamento do PMO nas organizações: estrutura funcional, projetizada, matricial fraca, matricial balanceada, matricial forte ou composta? Por quê? Pergunta foi entendida Pergunta não foi entendida Resposta:

17 Um PMO Corporativo, Divisional, Setorial ou Departamental (vide explicação no item 1.1) deve planejar, executar e gerenciar o portfólio da área ou da empresa em que atua? Por quê? Pergunta foi entendida Pergunta não foi entendida Resposta:

18 Em sua opinião, quais são os principais fatores de sucesso na operacionalização de PMOs nas organizações? Pergunta foi entendida Pergunta não foi entendida Resposta:

19 Em sua opinião, quais são os principais fatores de insucesso na operacionalização de PMOs nas organizações? Pergunta foi entendida Pergunta não foi entendida Resposta:

20 Um chefe que coordene um PMO deve avaliar sua equipe? Por quê? Caso a resposta seja positiva, qual deve ser, em sua opinião, a periodicidade desta avaliação? Pergunta foi entendida Pergunta não foi entendida Resposta:

21 Os integrantes do PMO devem avaliar seus companheiros? Por quê? Caso a resposta seja positiva, qual deve ser, em sua opinião, a periodicidade desta avaliação? Pergunta foi entendida Pergunta não foi entendida Resposta:

22 Os integrantes do PMO devem se auto avaliar? Por quê? Caso a resposta seja positiva, qual deve ser, em sua opinião, a periodicidade desta avaliação? Pergunta foi entendida Pergunta não foi entendida Resposta:

23 O PMO deve ser avaliado por outras áreas da organização? Por quê? Caso a resposta seja positiva, qual deve ser, em sua opinião, a periodicidade desta avaliação? Pergunta foi entendida Pergunta não foi entendida Resposta:

24 O sucesso das organizações depende do sucesso na realização de seus projetos. Sendo assim, a implantação de qualquer PMO dever ser realizada como um projeto? Comente. Pergunta foi entendida Pergunta não foi entendida Resposta:

25 É perceptível que devido à heterogeneidade de conhecimento dos gerentes de projeto, os cronogramas não seguem os mesmos padrões de condução, deixando o projeto muitas vezes à deriva de um acompanhamento adequado. Sendo assim, é possível padronizar uma estruturação de um cronograma, ainda que até um determinado nível (ex.: acompanhamento por marcos, 50% - 50%, duração, custos)? Comente. Pergunta foi entendida Pergunta não foi entendida Resposta:

26 Uma vez que mais de 70% dos projetos não são concluídos com êxito (fonte: Chaos Report), um PMO corporativo ou divisional ou setorial ou departamental pode contribuir para a diminuição desta estatística? De que forma? Pergunta foi entendida Pergunta não foi entendida Resposta:

27 Uma vez que os maiores problemas relacionados a gerenciamento de projetos estão relacionados à complexidade do projeto, gerenciamento ineficiente ou amador, excesso de conflitos entre membros da equipe de projeto, comunicação, falta de planejamento ou planejamento deficiente, objetivos mal definidos, excesso de alteração de escopo, incertezas e riscos, mudanças tecnológicas, estimativas de prazo e custo mal elaboradas e falta de controle ou controle ineficiente, o PMO pode ajudar na diminuição ou até mesmo na eliminação destes problemas? Como? Pergunta foi entendida Pergunta não foi entendida Resposta:

28 Apesar da maturidade em gerenciamento de projetos estar aumentando, ainda é possível observar que há muitas dificuldades neste gerenciamento, o que contribui de forma expressiva para o alto nível de resistência em gerenciamento de projetos nas organizações (mais de 60% segundo o Estudo de Benchmarking em Gerenciamento de Projetos no Brasil). Isto também se deve ao fato da maturidade dos PMOs nas organizações também ser baixa? Neste caso, a falta de um órgão de conselho de classe como uma OAB ou um CREA ou um CRM contribui para estas dificuldades? Por quê? Pergunta foi entendida Pergunta não foi entendida Resposta:

29 O nível de utilização de Benchmarking como prática corrente é cada vez maior nas organizações brasileiras. Em 2009 observa-se um aumento de 5% em relação ao estudo de Benchmarking de 2008, sendo que 48% das organizações utilizam o Benchmarking como prática corrente. Dessa forma, sua empresa já faz uso das práticas de gerenciamento de benchmarking em gerenciamento de projetos? Se sim, como estas práticas ajudam o PMO e a empresa nas suas atividades e resultados? Como? Pergunta foi entendida Pergunta não foi entendida Resposta:

30 Você considera que a utilização de indicadores para gerenciamento de Projetos e PMO pode contribuir de forma expressiva para um gerenciamento de projetos mais adequado e um melhor atingimento das metas das empresas? Por quê? Qual(is) indicador(es) sua empresa utiliza para projetos e para PMO? Pergunta foi entendida Pergunta não foi entendida Resposta:

31 Terceirização é uma prática bastante utilizada nas organizações. Desta forma, em sua opinião, um PMO de sucesso deve ser composto de recursos da própria empresa ou recursos terceirizados ou uma mescla de recursos próprios e terceirizados? Por quê? Pergunta foi entendida Pergunta não foi entendida Resposta:

32 30 2. QUESTIONÁRIO DELPHI PRIMEIRA RODADA (INGLÊS) 2.1. INSTRUCTIONS The aim of this questionnaire is to answer the questions listed below in a concise, clear and, if possible, at the and, try to answer to the title of the thesis proposal - "CRITICAL SUCCESS FACTORS FOR THE OPERATION OF PROJECT MANAGEMENT OFFICE (PMOs)." Delphi will be used as the methodology in this questionnaire. The main goal of this method is to consult a group of analysts about current and upcoming events via a questionnaire, which is passed until a consensus is reached (convergence) between the responses, representing a consolidation of ideas (concepts) intuitive group. The anonymity of respondents, the statistical representation of the distribution of results and return the response team for reassessment of the rounds are the main characteristics of this method. The method is quite simple, since it's an interactive questionnaire that circulates repeatedly by a group of experts, preserving anonymity. In the first round, the experts receive the questions prepared by a coordination team to be answered individually, usually with quantitative answers supported by justifications and qualitative information. The responses for quantitative questions are tabulated, getting a simple statistical treatment (defined median and quartiles) to return the results to the participants in the next round. When there is qualitative data (opinions and justifications) related to quantitative issues coordination seeks to group the arguments to the corresponding quantitative projections. With each new round the questions are repeated and participants must reevaluate their responses in light of the answers and justifications given by the other respondents in the previous round. Thus, new predictions are requested with justification if these predictions diverge from the central responses of the group, and this process is repeated in successive rounds of the questionnaire until the divergence of views among experts has decreased to a satisfactory response and the last round is considered the group's forecast. Thus, you have been selected as subject matter expert, to answer the questions below. Each question will have, at its beginning, an indicator of understanding. If

33 31 there is any misunderstanding or ambiguity that makes it difficult to answer, the "question was not understood" should be checked. If the question was fully understood, the "question was understood" should be checked. I request that, in case of misunderstanding of the question, please, describe the reason for the disagreement. It is extremely important that all questions be commented so you can extract all the reviews, seeking the convergence of ideas. Below it follows the glossary for some terms described in the questions: Corporate Office Projects: is positioned within the organization's top management and the projects are related to the deployment of goals and objectives of the business strategic plan. In this case, the Chief Project Officer (CPO) should be an experienced professional with extensive strategic business vision (one of the PMO s organizational structure four main market models) source: Mansur (2009); Departmental Office Project: PMO is positioned within a department of the organization, for example, the technology support department, responding to the leader of support (one of the PMO four main market models of the organizational structure) source: Mansur (2009); Divisional Project Office: PMO is positioned on a division of the organization, for example, management of technology, responding to chief technology officer (one of the PMO s organizational structure four main market models); Sector Project Office: PMO is positioned within a sector of the organization, for example, the sector of operations, responding to the operations manager (one of the PMO s organizational structure four main market models) source: Mansur (2009); Strategic Management Office (SMO): Office for Management Strategies in the area or company. This term is fairly recent, but has been placed as a responsible area for defining, coordinating and implementing business strategies. I thank in advance for the attention to get in this research success in the operation of the Project Management Office (PMO) in organizations.

34 QUESTIONNAIRE What s the company s area where do you work (check the option that best fits your company s area)? Question was understood Question was not understood Answer: Food and Beverage Trade Construction Consumer Electronics Electricity Financial Mining Industrial Machinery Pulp and Paper Oil and Gas Petrochemical and Chemical Educational Services Malls Steel Software and Data Telecommunications Textile Transportation and Services Vehicle and Parts Other (specify): Country of Residence:

35 What is the structure of the PMO that you consider most appropriate in a business: A PMO that supports project management being undertaken by project managers who work in other areas of the company, or that a PMO that directly manages the project, not having project managers in other areas? Why? Question was understood Question was not understood Answer:

36 Considering that companies operate at strategic, tactical and operational levels (pyramid levels), check the following(s) activity(ies) that you consider important for the complete performance of the PMO (at all levels). Question was understood Question was not understood Answer: Report Development for Senior Management; Portfolio Definition; Project Management Methodology Definition / Suport; Project Management Coaching; Project Management Mentoring; Schedule Operationalisation; Minutes of Meeting Development for Monitoring Project; Monitoring Report Development; Project Management Plan Development; Project Product Plan Development; Lessons Learned Report Development; Other (specify):

37 The projects to be executed by a company should be prioritized and planned, as its strategic plan is implemented by these projects. Thus, any PMO should participate in decision-making process or business area in which it operates? Why? Question was understood Question was not understood Answer:

38 The governance area of the organization reviews the portfolio to obtain strategic information, such as how they are making comparisons to their peers, if there is any chance for a given project to move priority order, if there is money available for activities project or other existing projects that need help. Therefore, any PMO should be involved with the company governance area that they work? Why? Question was understood Question was not understood Answer:

39 As statistic is changing amoung the years from maturity in project management, PMO is still considered by many as unnecessary and bureaucratic executives to run the company's activities. Why does this happen and what should be done to definitely change this view? Question was understood Question was not understood Answer:

40 Considering the present moment that it s appearing a new business area called "Strategic Management Office" - (SMO definition can be found at item 2.1, the glossary part), in your opinion, what should be the relationship between the PMO and SMO in companies? Question was understood Question was not understood Answer:

41 Considering that project managers have heterogeneous knowledge and, in many cases, the experience of these resources is misunderstood, if the PMO has no control of these project managers over organizational structure, the PMO should be responsible for updating the tools of project management (ex.: schedule, report)? Why? Question was understood Question was not understood Answer:

42 Considering that PMO needs to work with tools (eg Project, Primavera, SAP Project System module, Clarity) and standardized processes (creating projects, creating programs such as the WBS structure, how to measure the project, how to classify the project, how to prioritize the project), in your opinion, what should be defined primarily in search of success in business projects: tool(s) or process(es)? Why? Question was understood Question was not understood Answer:

43 The organizational structures exist for more than two centuries. In these structures, people are grouped into functions or work processes similar to the authority. In your opinion, what is most appropriate organizational structure to improve the functioning of PMO s in organizations: functional structure, projectized, weak matrix, balanced matrix, strong matrix or compound? Why? Question was understood Question was not understood Answer:

44 A Corporate PMO, Divisional, Departmental and Sector (see explanation at item 2.1) must plan, implement and manage the company s portfolio in which it operates? Why? Question was understood Question was not understood Answer:

45 In your opinion, what are the key success factors for the PMO s operation in organizations? Question was understood Question was not understood Answer:

46 In your opinion, what are the main failure factors for the PMO s operation in organizations? Question was understood Question was not understood Answer:

47 A boss who coordinates a PMO should evaluate his/her team? Why? If the answer is yes, what should be, in your opinion, the frequency of this evaluation? Question was understood Question was not understood Answer:

48 The PMO members should evaluate their peers? Why? If the answer is yes, what should be, in your opinion, the frequency of this evaluation? Question was understood Question was not understood Answer:

49 The PMO members should evaluate themselves? Why? If the answer is yes, what should be, in your opinion, the frequency of this evaluation? Question was understood Question was not understood Answer:

50 The PMO should be evaluated by other areas of the organization? Why? If the answer is yes, what should be, in your opinion, the frequency of this evaluation? Question was understood Question was not understood Answer:

51 The success of organizations depends on successful accomplishment of their projects. Thus, the implementation of any PMO should be performed as a project? Comment. Question was understood Question was not understood Answer:

52 It is apparent that due to project managers heterogeneity of knowledge, the schedules do not follow the same standards of conduct, leaving the project far from the proper monitoring. Therefore, it is possible to standardize a structure of a schedule, though at a certain level (eg by using milestones, 50% - 50%, duration, cost)? Comment. Question was understood Question was not understood Answer:

53 Since more than 70% of the projects are not successfully acomplished (source: Chaos Report), a PMO corporate or divisional or departmental or sector can contribute to reduce this statistic? How? Question was understood Question was not understood Answer:

54 Once the major problems related to project management are related to project complexity, inefficient management or amateur, excessive conflicts between project team members, communication, lack of planning or poor planning, ill-defined goals, too much scope change, risks and uncertainties, technological changes, schedule and cost estimates for poorly designed and lack of control or control inefficient, the PMO can help decrease or even eliminate these problems? How? Question was understood Question was not understood Answer:

55 Although the project management maturity is increasing, it is still possible to observe that there are many difficulties at management, which contributes significantly to the high level of resistance in project management in organizations (more than 60% according to the Project Management Benchmarking study in Brazil). This is also due to the fact that the maturity of the PMOs in organizations is low? In this case, the lack of an advisory body as OAB, CREA or CRM contributes to these difficulties? Why? Question was understood Question was not understood Answer:

56 The use level of benchmarking as a practice is increasing in organizations. At 2009 there was an increase of 5% over the 2008 benchmarking study, and 48% of organizations use benchmarking as a practice. Thus, his company already makes use of project management benchmarking practices? If so, how these practices help PMO and the company in its activities and results? Question was understood Question was not understood Answer:

57 Do you consider that the use of project management and PMO indicators can contribute significantly to a more expressive project management and better achievement of corporate goals? Why? Which indicator(s) your company use(s) for monitoring projects and PMO? Question was understood Question was not understood Answer:

58 Outsourcing is a widespread practice in organizations. Thus, in your opinion, a successful PMO should be consisted of company's own resources or completely outsourced recourses or a mix of own and outsourced resources? Why? Question was understood Question was not understood Answer:

59 57 3. QUESTIONÁRIO DELPHI SEGUNDA RODADA (PORTUGUÊS) 3.1. INSTRUÇÕES O objetivo deste questionário é responder às perguntas listadas abaixo de forma objetiva e clara, sendo possível, ao final, responder ao título da tese proposta FATORES CRÍTICOS DE SUCESSO NA OPERAÇÃO DE ESCRITÓRIOS DE GERENCIAMENTO DE PROJETO (PMOs). A metodologia utilizada neste questionário será a Delphi. Este método consiste em consultar um grupo de analistas sobre eventos atuais e futuros através de um questionário, que é repassado até que seja obtido um consenso (convergência) entre as respostas, o que representará uma consolidação das ideias (conceitos) intuitivo do grupo. O anonimato dos respondentes, a representação estatística da distribuição dos resultados e o retorno das respostas da equipe para reavaliação das rodadas seguintes são as principais características deste método. O método é bastante simples, pois trata-se de um questionário interativo que circula repetidas vezes por um grupo de peritos, preservando o anonimato. Na primeira rodada, os especialistas recebem o questionário preparado por uma equipe de coordenação a ser respondido individualmente, usualmente com respostas quantitativas apoiadas por justificativas e informações qualitativas. As respostas das questões quantitativas são tabuladas, recebendo um tratamento estatístico simples (define-se mediana e quartis) com devolução dos resultados aos participantes na rodada seguinte. Quando há dados qualitativos (justificativas e opiniões) relacionados às questões quantitativas a coordenação busca relacionar os argumentos às projeções quantitativas correspondentes. A cada nova rodada as perguntas são repetidas e os participantes devem reavaliar suas respostas tendo em vista as respostas e justificativas dadas pelos demais respondentes na rodada anterior. Assim, são solicitadas novas previsões com justificativas se estas previsões divergirem das respostas centrais do grupo, tendo este processo repetido nas sucessivas rodadas do questionário até que a divergência de opiniões entre especialistas tenha diminuído a um nível satisfatório e a resposta da última rodada seja considerada como a previsão do grupo. Dessa forma, você foi selecionado, como especialista no assunto, para responder às perguntas abaixo. Cada pergunta terá, ao seu início, um indicador de

Project Management Activities

Project Management Activities Id Name Duração Início Término Predecessoras 1 Project Management Activities 36 dias Sex 05/10/12 Sex 23/11/12 2 Plan the Project 36 dias Sex 05/10/12 Sex 23/11/12 3 Define the work 15 dias Sex 05/10/12

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO METROPOLITANO DE SÃO PAULO CURSO ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS

CENTRO UNIVERSITÁRIO METROPOLITANO DE SÃO PAULO CURSO ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS CENTRO UNIVERSITÁRIO METROPOLITANO DE SÃO PAULO CURSO ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS UMA VANTAGEM COMPETITIVA COM A TERCEIRIZAÇÃO DE SERVIÇOS AMANDA ZADRES DANIELA LILIANE ELIANE NUNES ELISANGELA MENDES Guarulhos

Leia mais

A estrutura do gerenciamento de projetos

A estrutura do gerenciamento de projetos A estrutura do gerenciamento de projetos Introdução O Guia do Conhecimento em Gerenciamento de Projetos (Guia PMBOK ) é uma norma reconhecida para a profissão de gerenciamento de projetos. Um padrão é

Leia mais

Organização Sete de Setembro de Cultura e Ensino - LTDA Faculdade Sete de Setembro FASETE Bacharelado em Administração

Organização Sete de Setembro de Cultura e Ensino - LTDA Faculdade Sete de Setembro FASETE Bacharelado em Administração Organização Sete de Setembro de Cultura e Ensino - LTDA Faculdade Sete de Setembro FASETE Bacharelado em Administração VICTOR HUGO SANTANA ARAÚJO ANÁLISE DAS FORÇAS DE PORTER NUMA EMPRESA DO RAMO FARMACÊUTICO:

Leia mais

IETEC INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO DE PROJETOS. Turma 90

IETEC INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO DE PROJETOS. Turma 90 IETEC INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO DE PROJETOS Turma 90 Gerenciamento de riscos Aliado a Gerência do Conhecimento Frederico Ribeiro Nogueira Belo Horizonte, 05/07/2010 IETEC INSTITUTO

Leia mais

Banca examinadora: Professor Paulo N. Figueiredo, Professora Fátima Bayma de Oliveira e Professor Joaquim Rubens Fontes Filho

Banca examinadora: Professor Paulo N. Figueiredo, Professora Fátima Bayma de Oliveira e Professor Joaquim Rubens Fontes Filho Título: Direção e Taxa (Velocidade) de Acumulação de Capacidades Tecnológicas: Evidências de uma Pequena Amostra de Empresas de Software no Rio de Janeiro, 2004 Autor(a): Eduardo Coelho da Paz Miranda

Leia mais

A Dinâmica em um Projeto de Tecnologia de Grande Porte

A Dinâmica em um Projeto de Tecnologia de Grande Porte Fabiano Sannino A Dinâmica em um Projeto de Tecnologia de Grande Porte Dissertação de Mestrado (Opção profissional) Dissertação apresentada como requisito parcial para obtenção do título de Mestre pelo

Leia mais

Trilhas Técnicas SBSI - 2014

Trilhas Técnicas SBSI - 2014 brunoronha@gmail.com, germanofenner@gmail.com, albertosampaio@ufc.br Brito (2012), os escritórios de gerenciamento de projetos são importantes para o fomento de mudanças, bem como para a melhoria da eficiência

Leia mais

Project Communications Management. PMBOK Capítulo 10 hermano@cin.ufpe.br

Project Communications Management. PMBOK Capítulo 10 hermano@cin.ufpe.br Project Communications Management PMBOK Capítulo 10 hermano@cin.ufpe.br Quem não se comunica se intrubica Abelardo CHACRINHA Barbosa Gerência da Comunicação O gerente de projeto gasta de 75% a 90% de seu

Leia mais

Modelo para seleção e avaliação de projetos em uma organização de serviço social.

Modelo para seleção e avaliação de projetos em uma organização de serviço social. Victor da Silva Tardin Figueiredo Modelo para seleção e avaliação de projetos em uma organização de serviço social. Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada ao Programa de Pósgraduação em Administração

Leia mais

Carlos Henrique Santos da Silva

Carlos Henrique Santos da Silva GOVERNANÇA DE TI Carlos Henrique Santos da Silva Mestre em Informática em Sistemas de Informação UFRJ/IM Certificado em Project Management Professional (PMP) PMI Certificado em IT Services Management ITIL

Leia mais

Análise de Sistemas de Planejamento Avançado (APS): conceituação e avaliação

Análise de Sistemas de Planejamento Avançado (APS): conceituação e avaliação Gisele Gomes Aguilar Análise de Sistemas de Planejamento Avançado (APS): conceituação e avaliação Dissertação de Mestrado (Opção profissional) Dissertação apresentada como requisito parcial para obtenção

Leia mais

Sistema de Gerenciamento de Riscos em Projetos de TI Baseado no PMBOK

Sistema de Gerenciamento de Riscos em Projetos de TI Baseado no PMBOK 180 - Encontro Anual de Tecnologia da Informação Sistema de Gerenciamento de Riscos em Projetos de TI Baseado no PMBOK Thiago Roberto Sarturi1, Evandro Preuss2 1 Pós-Graduação em Gestão de TI Universidade

Leia mais

SAP Multinacional alemã de tecnologia, líder global em software de gestão de processos, contrata:

SAP Multinacional alemã de tecnologia, líder global em software de gestão de processos, contrata: SAP Multinacional alemã de tecnologia, líder global em software de gestão de processos, contrata: Vaga: Estagiário Área Jurídica Área: Legal Department O Departamento Jurídico é uma área dinâmica que possui

Leia mais

A Utilização de um Escritório de Projetos em um Ambiente Projetizado

A Utilização de um Escritório de Projetos em um Ambiente Projetizado Resumo: A Utilização de um Escritório de Projetos em um Ambiente Projetizado Emanuel Ferreira Coutinho Serviço Federal de Processamento de Dados Um Escritório de Projetos (PMO) é uma unidade organizacional

Leia mais

MBA Gestão da Tecnologia de Informação

MBA Gestão da Tecnologia de Informação MBA Gestão da Tecnologia de Informação Informações: Dias e horários das aulas: Segundas e Terças-feiras das 18h00 às 22h00 aulas semanais; Sábados das 08h00 às 12h00 aulas quinzenais. Carga horária: 600

Leia mais

Altos Níveis de Estoque nas Indústrias de Conexões de PVC

Altos Níveis de Estoque nas Indústrias de Conexões de PVC Altos Níveis de Estoque nas Indústrias de Conexões de PVC Junior Saviniec Ferreira; Letícia Stroparo Tozetti Faculdade Educacional de Araucária RESUMO O problema de estoque elevado é cada vez menos frequente

Leia mais

DESENVOLVENDO A MATURIDADE EM GESTÃO DE PROJETOS NAS EMPRESAS ATRAVÉS DA IMPLANTAÇÃO DO PMO 1

DESENVOLVENDO A MATURIDADE EM GESTÃO DE PROJETOS NAS EMPRESAS ATRAVÉS DA IMPLANTAÇÃO DO PMO 1 DESENVOLVENDO A MATURIDADE EM GESTÃO DE PROJETOS NAS EMPRESAS ATRAVÉS DA IMPLANTAÇÃO DO PMO 1 Marcelo Campolina de Castro 2 Resumo Com o novo cenário econômico, muitas empresas estão investindo alto na

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANA- ESUDA PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E CONTROLADORIA

FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANA- ESUDA PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E CONTROLADORIA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANA- ESUDA PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E CONTROLADORIA BALANCED SCORECARD: Uma ferramenta de gestão estratégica para empresa do ramo de consultoria contábil com foco

Leia mais

Escritório de Projetos de TI. Gestão e Estratégia de TI Agosto.2014

Escritório de Projetos de TI. Gestão e Estratégia de TI Agosto.2014 Escritório de Projetos de TI Gestão e Estratégia de TI Agosto.2014 1. O Grupo Pão de Açúcar 2 Fonte: Site de RI do GPA 1. O Grupo Pão de Açúcar - Negócios 3 Fonte: Site de RI do GPA 2. EPTI Fala-se muito

Leia mais

Riscos na Implantação de Warehouse Management System (WMS) em Centro de Distribuição: Estudo de Caso

Riscos na Implantação de Warehouse Management System (WMS) em Centro de Distribuição: Estudo de Caso Alcione Santos Dolavale Riscos na Implantação de Warehouse Management System (WMS) em Centro de Distribuição: Estudo de Caso Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial para

Leia mais

MBA ARQUITETURA DE INTERIORES

MBA ARQUITETURA DE INTERIORES MBA ARQUITETURA DE INTERIORES Coordenador: Carlos Russo Professor: Fábio Cavicchioli Netto, PMP 1 APRESENTAÇÃO DO PROFESSOR CONHECENDO OS PARTICIPANTES EXPECTATIVAS DO GRUPO 2 SUMÁRIO PMI / PMBoK / Certificados

Leia mais

Profissionalização de Organizações Esportivas:

Profissionalização de Organizações Esportivas: Eduardo de Andrade Pizzolato Profissionalização de Organizações Esportivas: Estudo de caso do Voleibol Brasileiro Dissertação de Mestrado (Opção profissional) Dissertação apresentada ao Programa de Pósgraduação

Leia mais

MATURIDADE NA GERÊNCIA DE PROJETOS DE EMPRESAS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO: UM ESTUDO ANALÍTICO E EXPLORATÓRIO

MATURIDADE NA GERÊNCIA DE PROJETOS DE EMPRESAS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO: UM ESTUDO ANALÍTICO E EXPLORATÓRIO MATURIDADE NA GERÊNCIA DE PROJETOS DE EMPRESAS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO: UM ESTUDO ANALÍTICO E EPLORATÓRIO Claudiane Oliveira Universidade Federal de Lavras/Brasil claudianeo@gmail.com Ramon Abílio,

Leia mais

Guião M. Descrição das actividades

Guião M. Descrição das actividades Proposta de Guião para uma Prova Grupo: Inovação Disciplina: Inglês, Nível de Continuação, 11.º ano Domínio de Referência: O Mundo do trabalho Duração da prova: 15 a 20 minutos 1.º MOMENTO Guião M Intervenientes

Leia mais

Uma Abordagem para Condução de Iniciativas de Melhoria de Processos de Software

Uma Abordagem para Condução de Iniciativas de Melhoria de Processos de Software Uma Abordagem para Condução de Iniciativas de Melhoria de Processos de Software Mariano Montoni, Cristina Cerdeiral, David Zanetti, Ana Regina Rocha COPPE/UFRJ - Universidade Federal do Rio de Janeiro

Leia mais

PMBOK 4ª Edição I. Introdução

PMBOK 4ª Edição I. Introdução PMBOK 4ª Edição I Introdução 1 PMBOK 4ª Edição Um Guia do Conhecimento em Gerenciamento de Projetos Seção I A estrutura do gerenciamento de projetos 2 O que é o PMBOK? ( Project Management Body of Knowledge

Leia mais

Revista Inteligência Competitiva Daniela Ramos Teixeira

Revista Inteligência Competitiva Daniela Ramos Teixeira 15 INTELIGÊNCIA DE MERCADO: TRANSFORMANDO AS OLIMPÍADAS EM NEGÓCIOS 1 RESUMO Um dos grandes desafios das organizações hoje é a aplicabilidade assertiva das técnicas de análise e métodos utilizados em Inteligência

Leia mais

Guião A. Descrição das actividades

Guião A. Descrição das actividades Proposta de Guião para uma Prova Grupo: Ponto de Encontro Disciplina: Inglês, Nível de Continuação, 11.º ano Domínio de Referência: Um Mundo de Muitas Culturas Duração da prova: 15 a 20 minutos 1.º MOMENTO

Leia mais

Cultural Identity of Young Volunteers Differences and understanding Empowering People. Volunteer Profile Questionnaire

Cultural Identity of Young Volunteers Differences and understanding Empowering People. Volunteer Profile Questionnaire Volunteer Profile Questionnaire 1 Índice 1 VOLUNTEER PROFILE QUESTIONNAIRE... 1.1 Country... 1. AGE... 1. GENDER... 1..1 GENDER vs... 1. Qualification... 1..1 QUALIFICATION GREECE VS PORTUGAL... 1. Are

Leia mais

FATORES CRÍTICOS DE SUCESSO NA OPERAÇÃO DE ESCRITÓRIOS DE GERENCIAMENTO DE PROJETO (PMOs): UMA ABORDAGEM DELPHI

FATORES CRÍTICOS DE SUCESSO NA OPERAÇÃO DE ESCRITÓRIOS DE GERENCIAMENTO DE PROJETO (PMOs): UMA ABORDAGEM DELPHI FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS FGV ESCOLA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA EBAP MESTRADO EXECUTIVO EM GESTÃO EMPRESARIAL Título FATORES CRÍTICOS DE SUCESSO NA OPERAÇÃO DE ESCRITÓRIOS DE GERENCIAMENTO DE PROJETO

Leia mais

Fatores que influenciam o processo de implantação de um escritório de gerenciamento de projetos

Fatores que influenciam o processo de implantação de um escritório de gerenciamento de projetos Fatores que influenciam o processo de implantação de um escritório de gerenciamento de projetos Jacqueline Brasil Accioly de Araújo Faculdade Estácio do Ceará Fortaleza, Brasil JacquelineAccioly@Gmail.com

Leia mais

8/3/2009. Empreendimento temporário que tem por finalidade criar um produto, serviço ou resultado exclusivo.

8/3/2009. Empreendimento temporário que tem por finalidade criar um produto, serviço ou resultado exclusivo. FAE S.J. dos Pinhais Projeto e Desenvolvimento de Software Conceitos Básicos Prof. Anderson D. Moura O que é um projeto? Conjunto de atividades que: 1. Objetivo específico que pode ser concluído 2. Tem

Leia mais

Resultados alcançados com a Ferramenta Channel em implementação de sucesso da Gerência de Projetos no nível G de maturidade do MR-MPS

Resultados alcançados com a Ferramenta Channel em implementação de sucesso da Gerência de Projetos no nível G de maturidade do MR-MPS Resultados alcançados com a Ferramenta Channel em implementação de sucesso da Gerência de Projetos no nível G de maturidade do MR-MPS Mauricio Fiorese 1, Alessandra Zoucas 2 e Marcello Thiry 2 1 JExperts

Leia mais

PMO DE SUCESSO PRECISA TER FOCO! Uma proposta de modelo para Escritórios de Projetos

PMO DE SUCESSO PRECISA TER FOCO! Uma proposta de modelo para Escritórios de Projetos PMO DE SUCESSO PRECISA TER FOCO! Uma proposta de modelo para Escritórios de Projetos por Mario Trentim em http://blog.mundopm.com.br/2013/01/21/pmo-de-sucesso-precisa-terfoco/ Caro amigo leitor, que tal

Leia mais

Institutional Skills. Sessão informativa INSTITUTIONAL SKILLS. Passo a passo. www.britishcouncil.org.br

Institutional Skills. Sessão informativa INSTITUTIONAL SKILLS. Passo a passo. www.britishcouncil.org.br Institutional Skills Sessão informativa INSTITUTIONAL SKILLS Passo a passo 2 2 British Council e Newton Fund O British Council é a organização internacional do Reino Unido para relações culturais e oportunidades

Leia mais

GUIÃO A. Ano: 9º Domínio de Referência: O Mundo do Trabalho. 1º Momento. Intervenientes e Tempos. Descrição das actividades

GUIÃO A. Ano: 9º Domínio de Referência: O Mundo do Trabalho. 1º Momento. Intervenientes e Tempos. Descrição das actividades Ano: 9º Domínio de Referência: O Mundo do Trabalho GUIÃO A 1º Momento Intervenientes e Tempos Descrição das actividades Good morning / afternoon / evening, A and B. For about three minutes, I would like

Leia mais

Palavras-chaves: Auditoria. Controle Interno. Sarbanes Oxley. Planejamento Estratégico. Gestão de Riscos Corporativos. Processo de Negócio.

Palavras-chaves: Auditoria. Controle Interno. Sarbanes Oxley. Planejamento Estratégico. Gestão de Riscos Corporativos. Processo de Negócio. GESTÃO DE PROCESSOS DE NEGÓCIO: a participação dos controles internos na gestão estratégica corporativa Nome: Ricardo Alexandre Gonçalves de Moura (Auditor especialista em revisão de controles internos

Leia mais

CARACTERÍSTICAS DE UM PROJETO

CARACTERÍSTICAS DE UM PROJETO CARACTERÍSTICAS DE UM PROJETO Temporário: significa que cada projeto tem um início e um fim muito bem definidos. Um projeto é fundamentalmente diferente: porque ele termina quando seus objetivos propostos

Leia mais

Escritório de Projetos

Escritório de Projetos 1 Escritório de Projetos Módulo 3 Gestão de Projetos Aluno: Humberto Rocha de Almeida Neto hran@cin.ufpe.br Professores: Hermano Perrelli e Alexandre Vasconcelos 19 de outubro de 2009 Agenda Índice do

Leia mais

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO NBR ISO/IEC 27002: 2005 (antiga NBR ISO/IEC 17799) NBR ISO/IEC 27002:2005 (Antiga NBR ISO/IEC 17799); 27002:2013. Metodologias e Melhores Práticas em SI CobiT; Prof. Me. Marcel

Leia mais

Satisfação no Trabalho e Motivação: Um Estudo sobre os Profissionais de Tecnologia da Informação

Satisfação no Trabalho e Motivação: Um Estudo sobre os Profissionais de Tecnologia da Informação Julia Regina Brito Carneiro Campello Satisfação no Trabalho e Motivação: Um Estudo sobre os Profissionais de Tecnologia da Informação Dissertação de Mestrado (Opção profissional) Dissertação apresentada

Leia mais

Abordagens para a Governança de BPM (parte 2)

Abordagens para a Governança de BPM (parte 2) Abordagens para a Governança de BPM (parte 2) Introdução...... 2 Apresentação de abordagens de Governança de BPM (Parte 2)... 3 Governança em Richardson... 4 Governança em Hammer... 5 Governança em Miers...

Leia mais

25/05/2015. Um pouco de história. O Modelo CMMI. Capability Maturity Model Integration (CMMI) Capability Maturity Model (CMM)

25/05/2015. Um pouco de história. O Modelo CMMI. Capability Maturity Model Integration (CMMI) Capability Maturity Model (CMM) DCC / ICEx / UFMG Um pouco de história O Modelo CMMI Na década de 80, o Instituto de Engenharia de Software (SEI) foi criado Eduardo Figueiredo http://www.dcc.ufmg.br/~figueiredo Objetivos Fornecer software

Leia mais

Planejamento de Comunicação Organizacional: uma releitura da estrutura, enriquecida pelos modelos de análise de marketing.

Planejamento de Comunicação Organizacional: uma releitura da estrutura, enriquecida pelos modelos de análise de marketing. Universidade de São Paulo Escola de Comunicações e Artes - ECA Departamento de Relações Públicas, Propaganda e Turismo Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação Planejamento de Comunicação Organizacional:

Leia mais

José Benedito Alves Junior

José Benedito Alves Junior 1 José Benedito Alves Junior Gerenciamento de Projetos de TI: Uma análise sobre a possibilidade de aplicação da estrutura motivacional sugerida pelo Project Management Body of Knowledge - PMBOK - em uma

Leia mais

Congresso Internacional Six Sigma

Congresso Internacional Six Sigma Reestruturando o Mercado Corporativo Conceito Seis Sigma Projeto (PMBok) O Seis Sigma é uma estratégia gerencial disciplinada e altamente quantitativa, que tem como objetivo aumentar expressivamente a

Leia mais

ESTRUTURA DE CAPITAL: UMA ANÁLISE EM EMPRESAS SEGURADORAS

ESTRUTURA DE CAPITAL: UMA ANÁLISE EM EMPRESAS SEGURADORAS ESTRUTURA DE CAPITAL: UMA ANÁLISE EM EMPRESAS SEGURADORAS THE CAPITAL STRUCTURE: AN ANALYSE ON INSURANCE COMPANIES FREDERIKE MONIKA BUDINER METTE MARCO ANTÔNIO DOS SANTOS MARTINS PAULA FERNANDA BUTZEN

Leia mais

Gerência de Portfólio de Projetos com IBM Rational Portfolio Manager

Gerência de Portfólio de Projetos com IBM Rational Portfolio Manager Gerência de Portfólio de Projetos com IBM Rational Portfolio Manager Sumário Sumário O problema O desafio IBM Rational Portfolio Manager O problema Cenário atual 84% das organizações ou não montam o business

Leia mais

Metodologia de Gerenciamento de Projetos e Captação de Recursos. Secretaria das Cidades. Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos

Metodologia de Gerenciamento de Projetos e Captação de Recursos. Secretaria das Cidades. Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos Metodologia de Gerenciamento de Projetos e Captação de Recursos Secretaria das Cidades Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos Evolução da Administração no Setor Público Melhores práticas de gestão

Leia mais

Universidade do Minho. Escola de Engenharia. UC transversais Programas Doutorais 1º semestre 2012-13. 11 de outubro 2012

Universidade do Minho. Escola de Engenharia. UC transversais Programas Doutorais 1º semestre 2012-13. 11 de outubro 2012 Universidade do Minho Escola de Engenharia UC transversais Programas Doutorais 1º semestre 2012-13 11 de outubro 2012 1 2 2 courses offered in the first semestre: Métodos de Investigação em Engenharia

Leia mais

GUIÃO Domínio de Referência: CIDADANIA E MULTICULTURALISMO

GUIÃO Domínio de Referência: CIDADANIA E MULTICULTURALISMO PROJECTO PROVAS EXPERIMENTAIS DE EXPRESSÃO ORAL DE LÍNGUA ESTRANGEIRA - 2005-2006 Ensino Secundário - Inglês, 12º ano - Nível de Continuação 1 1º Momento GUIÃO Domínio de Referência: CIDADANIA E MULTICULTURALISMO

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO GERENCIAMENTO DE PROJETOS NAS EMPRESAS

A IMPORTÂNCIA DO GERENCIAMENTO DE PROJETOS NAS EMPRESAS A IMPORTÂNCIA DO GERENCIAMENTO DE PROJETOS NAS EMPRESAS THALITA ZOTTELE NUNES THOMAZ i RESUMO A gestão adequada dos projetos traz benefícios para a organização podendo ser empregada em resoluções de problemas

Leia mais

Impasses e Conflitos na Relação entre TI e Business:

Impasses e Conflitos na Relação entre TI e Business: Selma de Fátima Sampaio de Carvalho Impasses e Conflitos na Relação entre TI e Business: Um Estudo de Caso em Empresas de Telecomunicações no Brasil Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada ao programa

Leia mais

Exercícios: Governança de TI Prof. Walter Cunha http://www.waltercunha.com PRIMEIRA BATERIA. PMBoK

Exercícios: Governança de TI Prof. Walter Cunha http://www.waltercunha.com PRIMEIRA BATERIA. PMBoK Exercícios: Governança de TI Prof. Walter Cunha http://www.waltercunha.com PRIMEIRA BATERIA PMBoK 1. (FCC/ANALISTA-MPU 2007) De acordo com o corpo de conhecimento da gerência de projetos, as simulações

Leia mais

O conceito de organizações de aprendizagem em uma empresa de telefonia móvel

O conceito de organizações de aprendizagem em uma empresa de telefonia móvel Andre dos Santos Souza O conceito de organizações de aprendizagem em uma empresa de telefonia móvel Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada ao Programa de Pós- Graduação em Administração de Empresas

Leia mais

Projetos: Terminologia e Aplicações

Projetos: Terminologia e Aplicações Capítulo 1 Projetos: Terminologia e Aplicações A profissionalização da área de Gerenciamento de Projetos é cada vez maior, não somente no Brasil, mas de modo universal. Tal fato é evidenciado observando-se

Leia mais

Gerenciamento do Escopo. PMBOK Guide 2000

Gerenciamento do Escopo. PMBOK Guide 2000 PMBOK Guide 2000 Objetivos Apresentar os processos, ferramentas e técnicas utilizadas para gerenciar o escopo de um projeto Hermano Perrelli CIn-UFPE 2 Ao final desta aula você será capaz de... Organizar

Leia mais

O novo papel de Recursos Humanos: o que é RH Estratégico e qual é a sua contribuição para os negócios

O novo papel de Recursos Humanos: o que é RH Estratégico e qual é a sua contribuição para os negócios Gustavo Leonette de Moura Estevão O novo papel de Recursos Humanos: o que é RH Estratégico e qual é a sua contribuição para os negócios Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada ao Programa de Pósgraduação

Leia mais

Maria Amália Silva Costa ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA E GESTÃO DE PESSOAS POR COMPETÊNCIAS: O CASO POLICARBONATOS

Maria Amália Silva Costa ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA E GESTÃO DE PESSOAS POR COMPETÊNCIAS: O CASO POLICARBONATOS Maria Amália Silva Costa ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA E GESTÃO DE PESSOAS POR COMPETÊNCIAS: O CASO POLICARBONATOS Salvador, 2003 MARIA AMÁLIA SILVA COSTA A D M I N I S T R A Ç Ã O E S T R A T É G I C A E

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA NA CONSTRUÇÃO CIVIL: METODOLOGIA PARA ANÁLISE DO DESEMPENHO ORGANIZACIONAL

GESTÃO ESTRATÉGICA NA CONSTRUÇÃO CIVIL: METODOLOGIA PARA ANÁLISE DO DESEMPENHO ORGANIZACIONAL GESTÃO ESTRATÉGICA NA CONSTRUÇÃO CIVIL: METODOLOGIA PARA ANÁLISE DO DESEMPENHO ORGANIZACIONAL Renato Paraquett Fernandes Mestrando do Programa de Pós-Graduação e Engenharia Civil/Produção da Universidade

Leia mais

desenvolvimento de software em indústria, comunidades acadêmicas e científicas uma fábrica de software?... joa@ufrpe.br silvio@cesar.org.

desenvolvimento de software em indústria, comunidades acadêmicas e científicas uma fábrica de software?... joa@ufrpe.br silvio@cesar.org. desenvolvimento de software em indústria, comunidades acadêmicas e científicas uma fábrica de software?... joa@ufrpe.br silvio@cesar.org.br laboratórios de desenvolvimento... Produção de Software: histórico

Leia mais

Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese

Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese Portuguese Lesson A Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese Story Time is a program designed for students who have already taken high school or college courses or students who have completed other

Leia mais

Português 207 Portuguese for Business

Português 207 Portuguese for Business Português 207 Portuguese for Business Spring 2012: Porugal and the EU Instructor: Jared Hendrickson Office: 1149 Van Hise Office Hours: Monday and Thursday, 11:00 am-12:00 pm e-mail: jwhendrickso@wisc.edu

Leia mais

Digital Cartographic Generalization for Database of Cadastral Maps

Digital Cartographic Generalization for Database of Cadastral Maps Mariane Alves Dal Santo marianedalsanto@udesc.br Francisco Henrique de Oliveira chicoliver@yahoo.com.br Carlos Loch cloch@ecv.ufsc.br Laboratório de Geoprocessamento GeoLab Universidade do Estado de Santa

Leia mais

Gestão de Valor e VMO. Cyrus Associados Apoio em Projetos

Gestão de Valor e VMO. Cyrus Associados Apoio em Projetos Gestão de Valor e VMO Cyrus Associados Como definimos sucesso de uma iniciativa temporária (projetos ou programas)? Agenda Cyrus Associados 1. VALOR como elo entre estratégia, portfolio de programas e

Leia mais

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS METODOLOGIA DE AUDITORIA PARA AVALIAÇÃO DE CONTROLES E CUMPRIMENTO DE PROCESSOS DE TI NARDON, NASI AUDITORES E CONSULTORES CobiT

Leia mais

Consultoria Estratégica. PMSolution Consultoria

Consultoria Estratégica. PMSolution Consultoria PMSolution Consultoria Nossa Atuação Cliente Governança Corporativa Governança de TI Áreas de Conhecimento Consultoria Estratégica Gerenciamento de Projetos e Portfólio Tecnologia Capacitação Confidencial

Leia mais

CURSOS GERENCIAIS 20/12/2010 Antonio Roberto Grazzia, MBA, PMP

CURSOS GERENCIAIS 20/12/2010 Antonio Roberto Grazzia, MBA, PMP CURSOS GERENCIAIS 20/12/2010 Antonio Roberto Grazzia, MBA, PMP Em um ambiente de negócios competitivo, a condução de projetos de forma eficiente e sem desperdícios é um grande diferencial para o sucesso.

Leia mais

fagury.com.br. PMBoK 2004

fagury.com.br. PMBoK 2004 Este material é distribuído por Thiago Fagury através de uma licença Creative Commons 2.5. É permitido o uso e atribuição para fim nãocomercial. É vedada a criação de obras derivadas sem comunicação prévia

Leia mais

OTIMIZAÇÃO DE RECURSOS E INVESTIMENTOS ATRAVÉS DO GERENCIAMENTO DE PROGRAMAS CONSULTORIA

OTIMIZAÇÃO DE RECURSOS E INVESTIMENTOS ATRAVÉS DO GERENCIAMENTO DE PROGRAMAS CONSULTORIA OTIMIZAÇÃO DE RECURSOS E INVESTIMENTOS ATRAVÉS DO GERENCIAMENTO DE PROGRAMAS CONSULTORIA SOBRE A CONSULTORIA Alcance melhores resultados através da gestão integrada de projetos relacionados ou que compartilham

Leia mais

A meus pais, Ari e Célia, sempre presentes, todo o meu amor incondicional!

A meus pais, Ari e Célia, sempre presentes, todo o meu amor incondicional! ii A meus pais, Ari e Célia, sempre presentes, todo o meu amor incondicional! iii Agradeço à Deus, esta força maior, pela vida, pela sabedoria e pelo amor. Mas, sobretudo, por me ensinar saber fazer ser

Leia mais

Slide do Prof. Silvio Meira. http://www.innosight.com/documents/diprimer.pdf

Slide do Prof. Silvio Meira. http://www.innosight.com/documents/diprimer.pdf Slide do Prof. Silvio Meira http://www.innosight.com/documents/diprimer.pdf Slide do Prof. Silvio Meira http://www.innosight.com/documents/diprimer.pdf Slide do Prof. Silvio Meira Slide do Prof. Silvio

Leia mais

INTRODUÇÃO ÀS BOAS PRÁTICAS DE ENGENHARIA APLICADAS À GESTÃO DOS SISTEMAS INSTRUMENTADOS DE SEGURANÇA: UMA ABORDAGEM DE SIL

INTRODUÇÃO ÀS BOAS PRÁTICAS DE ENGENHARIA APLICADAS À GESTÃO DOS SISTEMAS INSTRUMENTADOS DE SEGURANÇA: UMA ABORDAGEM DE SIL INTRODUÇÃO ÀS BOAS PRÁTICAS DE ENGENHARIA APLICADAS À GESTÃO DOS SISTEMAS INSTRUMENTADOS DE SEGURANÇA: UMA ABORDAGEM DE SIL Ana Cristina Costa Almeida Risk and Reliability Senior Consultant DNV Energy

Leia mais

Terceirização da Operação Logística Estudo de caso sobre a terceirização da Logística de Distribuição de uma Indústria Farmacêutica

Terceirização da Operação Logística Estudo de caso sobre a terceirização da Logística de Distribuição de uma Indústria Farmacêutica Mariana Botelho Morais Terceirização da Operação Logística Estudo de caso sobre a terceirização da Logística de Distribuição de uma Indústria Farmacêutica Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada

Leia mais

Gestão de Portfólio Práticas e Competências Necessárias

Gestão de Portfólio Práticas e Competências Necessárias Gestão de Portfólio Práticas e Competências Necessárias Margareth Carneiro, PMP, MSc PMI GovSIG past-chair PMA Diretora Executiva Wander Cleber da Silva, PhD Fundação Funiversa 1 O Guia do PMBoK O Guia

Leia mais

QUEM SOMOS WHO WE ARE

QUEM SOMOS WHO WE ARE QUEM SOMOS A 5PM Consulting é uma empresa de consultoria que atua nos segmentos industrial, construção civil e obras de infraestrutura, fornecendo planejamento, gerenciamento e Follow Up dos empreendimentos.

Leia mais

(C) A-C-E-F-H (D) A-G-F-H (E) A-G-I. Exercícios: Governança de TI Walter Cunha PRIMEIRA BATERIA. PMBoK COBIT

(C) A-C-E-F-H (D) A-G-F-H (E) A-G-I. Exercícios: Governança de TI Walter Cunha PRIMEIRA BATERIA. PMBoK COBIT Exercícios: Governança de TI Walter Cunha PRIMEIRA ATERIA (C) A-C-E-F-H (D) A-G-F-H (E) A-G-I PMoK 1. (FCC/ANALISTA-MPU 2007) De acordo com o corpo de conhecimento da gerência de projetos, as simulações

Leia mais

ESTUDO SOBRE O PLANEJAMENTO DA IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE CONTROLE DE PRODUTOS QUÍMICOS E GERENCIAMENTO DE SUAS OPERAÇÕES EM UMA INDÚSTRIA AUTOMOTIVA

ESTUDO SOBRE O PLANEJAMENTO DA IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE CONTROLE DE PRODUTOS QUÍMICOS E GERENCIAMENTO DE SUAS OPERAÇÕES EM UMA INDÚSTRIA AUTOMOTIVA CRISTINA ZAK RIBEIRO ESTUDO SOBRE O PLANEJAMENTO DA IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE CONTROLE DE PRODUTOS QUÍMICOS E GERENCIAMENTO DE SUAS OPERAÇÕES EM UMA INDÚSTRIA AUTOMOTIVA São Paulo 2007 CRISTINA ZAK RIBEIRO

Leia mais

CARLA ALEXANDRA SEVES DE ANDRADE CANOTILHO

CARLA ALEXANDRA SEVES DE ANDRADE CANOTILHO Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico da Guarda R E L AT Ó R I O D E AT I V I D A D E P R O F I S S I O N A L N A J. V A R G A S - G A B I N E T E T É C N I C O D E G E S T Ã O E

Leia mais

Modelos de Tomada de Decisão e de Gestão em Pesquisa e Desenvolvimento

Modelos de Tomada de Decisão e de Gestão em Pesquisa e Desenvolvimento Modelos de Tomada de Decisão e de Gestão em Pesquisa e Desenvolvimento EATON CORPORATION ENGINEERING CENTER OF EXCELLENCE (CoE) MATERIALS ENGINEERING DORIVAL MUNHOZ JR. 11/JUNHO/2007 Best Practice Methodology

Leia mais

INFORMATION SECURITY IN ORGANIZATIONS

INFORMATION SECURITY IN ORGANIZATIONS INFORMATION SECURITY IN ORGANIZATIONS Ana Helena da Silva, MCI12017 Cristiana Coelho, MCI12013 2 SUMMARY 1. Introduction 2. The importance of IT in Organizations 3. Principles of Security 4. Information

Leia mais

Oficina em Gestão e Mapeamento de Processos - BPM Office

Oficina em Gestão e Mapeamento de Processos - BPM Office Oficina em Gestão e Mapeamento de Processos - BPM Office Na nossa visão, a implantação da Gestão de Processos nas empresas, ou BPM, não se resume somente a uma atividade de mapeamento dos processos ou

Leia mais

Uma visão geral da versão 2.0 do BABOK

Uma visão geral da versão 2.0 do BABOK Uma visão geral da versão 2.0 do BABOK Cover this area with a picture related to your presentation. It can be humorous. Make sure you look at the Notes Pages for more information about how to use the template.

Leia mais

PMONow! Serviço de Implantação de um Escritório de Projetos

PMONow! Serviço de Implantação de um Escritório de Projetos PMONow! Serviço de Implantação de um Escritório de Projetos PMONow! Serviço de Implantação de um Escritório de Projetos As organizações em torno do mundo estão implantando processos e disciplinas formais

Leia mais

Zaira Brilhante Célula de Governança de TI zaira.brilhante@sefin.fortaleza.ce.gov.br

Zaira Brilhante Célula de Governança de TI zaira.brilhante@sefin.fortaleza.ce.gov.br Implantação de um modelo de Governança de TI na Secretaria de Finança de Fortaleza (SEFIN) Heloisa Aragão heloisa.aragao@sefin.fortaleza.ce.gov.br Paulo Henrique Aguair paulo.aguiar@sefin.fortaleza.c e.gov.br

Leia mais

Modelo de Maturidade Organizacional de Gerência de Projetos. Organizational Project Management Maturity Model - OPM3

Modelo de Maturidade Organizacional de Gerência de Projetos. Organizational Project Management Maturity Model - OPM3 Modelo de Maturidade Organizacional de Gerência de Projetos Introdução Organizational Project Management Maturity Model - OPM3 Um trabalho voluntário A idéia de um modelo não é novidade, as organizações

Leia mais

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc PMP, PMI-RMP, PMI-ACP, CSM, CSPO, ITIL & CobiT Certified Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP Especializações Certificações Mestre em Informática

Leia mais

GERENCIAMENTO DE PORTFÓLIO DE PROJETOS E INVESTIMENTOS CONSULTORIA

GERENCIAMENTO DE PORTFÓLIO DE PROJETOS E INVESTIMENTOS CONSULTORIA GERENCIAMENTO DE PORTFÓLIO DE PROJETOS E INVESTIMENTOS CONSULTORIA SOBRE A CONSULTORIA Como realizar inúmeros projetos potenciais com recursos limitados? Nós lhe mostraremos a solução para este e outros

Leia mais

A MATURIDADE EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS ATRAVÉS DO ESCRITÓRIO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS (EGP)

A MATURIDADE EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS ATRAVÉS DO ESCRITÓRIO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS (EGP) A MATURIDADE EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS ATRAVÉS DO ESCRITÓRIO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS (EGP) ROBERTO CELKEVICIUS UNINOVE Universidade Nove de Julho rcelke@gmail.com CÉSAR AUGUSTO BIANCOLINO UNINOVE

Leia mais

O Gerenciamento de Projetos na abordagem do

O Gerenciamento de Projetos na abordagem do Seminário de Desenvolvimento de Gestores de Programas e Projetos Fórum QPC O Gerenciamento de Projetos na abordagem do PMI - Project Management Institute Marco Antônio Kappel Ribeiro Presidente do PMI-RS

Leia mais

DISSEMINAÇÃO DA CULTURA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS: UMA ANÁLISE EM ORGANIZAÇÕES DO SETOR DE MÁQUINAS E IMPLEMENTOS AGRÍCOLAS

DISSEMINAÇÃO DA CULTURA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS: UMA ANÁLISE EM ORGANIZAÇÕES DO SETOR DE MÁQUINAS E IMPLEMENTOS AGRÍCOLAS 6º CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA DE FABRICAÇÃO 6 th BRAZILIAN CONFERENCE ON MANUFACTURING ENGINEERING 11 a 15 de abril de 2011 Caxias do Sul RS - Brasil April 11 th to 15 th, 2011 Caxias do Sul RS

Leia mais

COBIT FOUNDATION - APOSTILA DE RESUMO

COBIT FOUNDATION - APOSTILA DE RESUMO COBIT FOUNDATION - APOSTILA DE RESUMO GOVERNANÇA DE TI O QUE É GOVERNANÇA DE TI É um conjunto de estruturas e processos que visa garantir que a TI suporte e maximize adequadamente os objetivos e estratégias

Leia mais

Responsabilidade Social no Ensino em Administração: um estudo exploratório sobre a visão dos estudantes de graduação

Responsabilidade Social no Ensino em Administração: um estudo exploratório sobre a visão dos estudantes de graduação Renata Céli Moreira da Silva Responsabilidade Social no Ensino em Administração: um estudo exploratório sobre a visão dos estudantes de graduação Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada ao Programa

Leia mais

Sourcing Travel Management Services. Patrocinado por

Sourcing Travel Management Services. Patrocinado por Sourcing Travel Management Services Patrocinado por February 2009 Components Moderator: Ricardo Mandarino Santander, Brasil Panelists: Robert Suquet DuPont, América Latina Paulo Lima TSA, Brasil Federico

Leia mais

ESCRITÓRIO RIO DE PROJETOS

ESCRITÓRIO RIO DE PROJETOS PMO PROJETOS PROCESSOS MELHORIA CONTÍNUA PMI SCRUM COBIT ITIL LEAN SIX SIGMA BSC ESCRITÓRIO RIO DE PROJETOS DESAFIOS CULTURAIS PARA IMPLANTAÇÃO DANIEL AQUERE DE OLIVEIRA, PMP, MBA daniel.aquere@pmpartner.com.br

Leia mais

PROPOSTA UNIFICADORA DE NÍVEIS DE MATURIDADE EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS

PROPOSTA UNIFICADORA DE NÍVEIS DE MATURIDADE EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS ISSN 1984-9354 PROPOSTA UNIFICADORA DE NÍVEIS DE MATURIDADE EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS Debora Athayde Herkenhoff (Latec/UFF) Moacyr Amaral Domingues Figueiredo (Latec/UFF) Gilson Brito de Lima (UFF)

Leia mais

Subject: The finance source/ new application/ project submission form COMPANY / PROJECT INFORMATION. Date of Submission: Registered Company Name

Subject: The finance source/ new application/ project submission form COMPANY / PROJECT INFORMATION. Date of Submission: Registered Company Name Subject: The finance source/ new application/ project submission form All questions must be answered in details to receive an informed response. All information & data are to be provided directly by the

Leia mais

Uma Abordagem para a Avaliação de Processos de Desenvolvimento de Software Baseada em Risco e Conformidade

Uma Abordagem para a Avaliação de Processos de Desenvolvimento de Software Baseada em Risco e Conformidade Rafael de Souza Lima Espinha Uma Abordagem para a Avaliação de Processos de Desenvolvimento de Software Baseada em Risco e Conformidade Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial

Leia mais

Glossário BiSL. Bert Pranger / Michelle Hofland 28 Maio 2012 Versão 1.0-1 -

Glossário BiSL. Bert Pranger / Michelle Hofland 28 Maio 2012 Versão 1.0-1 - Glossário BiSL Bert Pranger / Michelle Hofland 28 Maio 2012 Versão 1.0-1 - 1. Glossário de Terminologia Terminologia em Inglês Terminologia em Português BiSL processes Processos de BiSL Business data management

Leia mais