GESTÃO FINANCEIRA EM UMA EMPRESA DE TRANSPORTE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GESTÃO FINANCEIRA EM UMA EMPRESA DE TRANSPORTE"

Transcrição

1 UNISALESIANO Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium Curso de Ciências Contábeis Ana Paula Padilha Custódio Fábio Ferreira Maia Pedro Vinícius Vasoler GESTÃO FINANCEIRA EM UMA EMPRESA DE TRANSPORTE Transernestoliver Ltda. - ME Julio Mesquita - SP LINS SP 2010

2 ANA PAULA PADILHA CUSTÓDIO FÁBIO FERREIRA MAIA PEDRO VINÍCIUS VASOLER GESTÃO FINANCEIRA EM UMA EMPRESA DE TRANSPORTE Trabalho de Conclusão de Curso apresentado à Banca Examinadora do Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium, curso de Ciências Contábeis, sob a orientação do Professor M.Sc. Everton Rodrigo Salvático Custódio e orientação técnica da Professora M.Sc.Heloisa Helena Rovery da Silva. LINS SP 2010

3 C991g Custódio, Ana Paula Padilha; Maia, Fabio Ferreira; Vasoler, Pedro Vinícius Gestão Financeira em uma empresa de transporte. / Ana Paula Padilha Custódio; Fábio Ferreira Maia; Pedro Vinícius Vasoler. Lins, p. il. 31cm. Monografia apresentada ao Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium - UNISALESIANO, Lins SP, para graduação em Ciências Contábeis, 2010 Orientadores: Everton Rodrigo Salvático Custódio; Heloisa Helena Rovery da Silva 1. Gestão Financeira. 2. Controle Financeiro. 3. Planejamento. 4. Lucratividade. I Título. CDU 657

4 ANA PAULA PADILHA CUSTÓDIO FÁBIO FERREIRA MAIA PEDRO VINÍCIUS VASOLER GESTÃO FINANCEIRA EM UMA EMPRESA DE TRANSPORTE Monografia apresentada ao Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium, para obtenção do título de Bacharel em Ciências Contábeis. Aprovada em: / / Banca Examinadora: Prof. M.Sc. Everton Rodrigo Salvático Custódio Mestre Profissional em Administração pela Universidade Metodista de Piracicaba - UNIMEP. Assinatura: 1º Prof(a): Titulação: Assinatura: 2º Prof(a): Titulação: Assinatura:

5 A Deus Pela vida. Aos meus pais Ercio e Maria Pelo amor, dedicação e incentivo. Aos meus irmãos Telma e Anderson dificuldades. Pelo carinho e por sempre estarem ao meu lado nos momentos de Aos meus colegas de equipe Fábio e Pedro Pelos momentos de aprendizagem que passamos juntos, pela confiança e amizade conquistadas ao longo deste trabalho. Ao meu marido Adilson Pelo apoio, incentivo e compreensão durante toda a execução deste trabalho. Ana Paula

6 A Deus Rendo graça a Deus pelo fôlego de vida, a certeza que sempre está em todos os lugares, onipresente, tudo o saber, onisciente, todo poder, onipotente, sempre guiando e iluminando nossos passos. Por ter concedido força e oportunidade para concluir minha jornada acadêmica. Que diremos, pois, a estas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós? Romanos 8:31 Aos meus pais Olegário e Nair Que me deram a vida e ensinaram-me os primeiros passos, forneceram-me educação e o respeito para com o próximo. Apoiam-me em minhas virtudes e aconselham-me em minhas falhas. Acreditaram em meu potencial e investiram em minha formação acadêmica. Honra teu pai e tua mãe, e amarás o teu próximo como a ti mesmo. Mateus 19:19 Fábio

7 A Deus Agradeço pelo senhor nosso bom Deus por ele sempre estar ao meu lado. Somente ele sabe do sofrimento que tive para chegar até aqui, nas horas difíceis ele deu seu colo para eu chorar e nas alegres ele estava comigo a sorrir e com isso ele nunca me deixou desanimar, agradeço por ele ter me dado força e sabedoria para chegar até aqui. Senhor, quero agradecer por ter me ajudado, sem você comigo eu não sei o que seria. Aquilo que parecia ser impossível, aquilo que parecia não ter saída, aquilo que parecia ser minha morte, o Senhor mudou minha sorte, sou um milagre, estou aqui. Obrigado meu bom Deus por mais essa vitória. À minha mãe Essa pessoa sempre me apoiou para que eu estudasse, sempre me ajudou nas horas alegres e nas horas difíceis estava ali do meu lado me auxiliando. Para chegar até aqui tive muitas dificuldades, e graças a minha mãe, Teresa de Souza Vasoler, consegui superar todas essas dificuldades. Mãe, agradeço por ter me ajudado a chegar até aqui e o esforço que fez para que eu pudesse estudar, quero um dia retribuir por tudo que você fez por mim. Eu a amo muito!!!! A meu Pai Meu pai Antonio Donizete Vasoler sempre deu conselho para mim e para meus irmãos ensinando-nos o que é certo, dando-nos uma educação para sempre respeitar o próximo e com a graça de Deus nunca deixou nada faltar em casa. Agradeço por ter me ajudado a chegar até aqui. Espero um dia poder retribuir o que vez por mim. O que sou hoje devo à educação que me deu. A minha Família

8 Agradeço meus irmãos Fiori Vasoler e Maira Cristina Vasoler ; meus sobrinhos Pietro Vasoler, Gabriel Augusto Vasoler Ortiz e Eduardo Ortiz Junior ; meus cunhados Eduardo Augusto Ortiz e Lucimar Cardoso Vasoler, por eles terem sempre me apoiado. Aos Mestres Só tenho a dizer que aprendi muito com todos os professores desta casa, excelentes pessoas que contribuíram para o meu crescimento profissional durante esta jornada. Ana Paula e Fábio A vida é meio engraçada, pois quando menos esperamos encontramos pessoas muito especiais, amigos que ficam eternamente em nosso coração. O tempo que passei em companhia dessas pessoas excelentes contribuíu imensamente para meu crescimento pessoal e profissional, graças ao companheirismo desses dois excelentes amigos: Fabio e Ana Paula. Agradeço a essas pessoas com quem aprendi muito. Desejo muito sucesso aos dois. Obrigado!!!! Ao nosso orientador M. Sc. Everton Rodrigo Salvático Custódio Por ele ser um excelente profissional, ético e determinado naquilo que faz. Pessoa que nos momentos mais difíceis nos deu força para nunca desanimar, sempre nos incentivando. Desejo muito sucesso em sua vida. Obrigado!!!! À professora orientadora M. Sc. Heloísa Helena Rovery da Silva Essa pessoa tem o dom de passar uma energia positiva, ela é uma pessoa que está sempre nos apoiando e nos incentivando para que concluíssemos esse trabalho. Obrigado!!!! Pedro

9 AGRADECIMENTOS A Deus Pela ajuda constante e pela oportunidade de concluirmos mais uma etapa de nossas vidas. Às nossas famílias pelos constantes apoios. Aos mestres por ter nos transmitido os conhecimentos necessários para a nossa formação acadêmica. Ao Prof. M.Sc. Everton Rodrigo Salvático Custódio por ter nos orientado e indicado o melhor caminho a seguir em todas as etapas do trabalho. À Profª. M.Sc. Heloísa Helena Rovery Silva pela dedicação e paciência nas orientações técnicas. À Transernestoliver Ltda. ME pela colaboração e abertura para a realização desse trabalho com sucesso. Ana, Fábio e Pedro

10 RESUMO O tema do presente trabalho parte da importância da gestão financeira em uma empresa de transporte, evidenciando a necessidade de um sistema de controle gerencial para garantir a integridade das informações financeiras utilizadas para atingir o desempenho desejável. A gestão financeira é um fator crítico para o sucesso da empresa e passa, necessariamente, pela elaboração do planejamento. Através do planejamento, os objetivos a serem atingidos são traçados e os meios efetivos, para torná-los reais, são estabelecidos. Os tipos de planejamento são o planejamento estratégico, com objetivos em longo prazo; o planejamento tático, que visa objetivos específicos buscando contribuir com a empresa como um todo e o planejamento operacional, que tem o foco nas atividades do dia-a-dia da empresa. As ferramentas de controle financeiro são de extrema importância para identificar antecipadamente as necessidades da empresa, bem como prever os resultados financeiros da mesma. A Transernestoliver Ltda. ME é uma empresa do ramo de prestação de serviços de transportes rodoviário coletivo de passageiros em geral da cidade de Júlio Mesquita e atualmente procura, através da implantação da gestão financeira, obter mais controle financeiro sobre suas operações e expandir sua atuação no mercado. Foi realizado um estudo de caso nessa empresa com o objetivo de identificar quais os benefícios que a implantação de uma gestão financeira proporciona à mesma. A correta utilização dos controles financeiros implantados na empresa possibilita a visualização dos valores de custos e das despesas, assim como das entradas e das saídas, permitindo a melhor utilização dos recursos, reduzindo despesas desnecessárias e, consequentemente, possibilitando o aumento da lucratividade. Palavras-chave: Gestão financeira. Controle financeiro. Planejamento. Lucratividade.

11 ABSTRACT The theme of this work stems from the importance of financial management at a trucking company, highlighting the need for a management control system to ensure the integrity of financial information used to achieve desirable performance. Financial management is a critical factor for business success and necessarily involves the preparation of planning. Through the planning objectives to be achieved are outlined and effective means to make them real is established. The types of planning are strategic planning, with longterm goals, tactical planning, aimed at specific targets area for help with the company as a whole and operational planning, which has a focus on day-to-day the company. The tools of financial control are extremely important to identify in advance the company's needs as well as provide financial results for the same. The Transernestoliver Ltda. - ME is a company of the provision of collective passenger transport by road in the town of General Jules Mosque and is currently looking through the deployment of financial management, more financial control over their operations and expand their market performance. We conducted a case study in this company in order to identify the benefits that the implementation of financial management gives the same. The proper use of financial controls in place at the company lets you view the values of costs and expenses, as well as the inputs and outputs, allowing better use of resources, reducing unnecessary expenditure and, therefore, enabling increased profitability. Keywords: Financial Management. Financial control. Planning. Profitability.

12 LISTA DE FIGURAS Figura 1: Modelo de Fluxo de Caixa Figura 2: Fotos da frota da empresa Transernestoliver Ltda. - ME Figura 3: Fluxo de Caixa LISTA DE QUADROS Quadro 1: Características básicas da contabilidade financeira e gerencial Quadro 2: Etapas do Processo de Gestão Quadro 3: Quadro de controle de despesas Quadro 4: Quadro de controle de custos Quadro 5: Quadro de controle de receitas Quadro 6: Quadro de controle da receita líquida Quadro 7: Balanço Patrimonial Quadro 8: Demonstração do Resultado do Exercício LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS FASB Financial Accounting Standards Board SEC Securities and Exchange Commission

13 SUMÁRIO INTRODUÇÃO CAPÍTULO I A CONTROLADORIA E A GESTÃO FINANCEIRA CONCEITOS Controladoria Contabilidade Gerencial Contabilidade Financeira Contabilidade Gerencial x Contabilidade Financeira Conceito de Gestão Gestão Financeira Planejamento Planejamento Estratégico Planejamento Tático Planejamento Operacional Ferramentas de Controle Financeiro Orçamento Fluxo de Caixa Tesouraria Custos Classificação dos Custos Custos Diretos e Custos Indiretos Custos Fixos e Custos Variáveis CAPÍTULO II - TRANSERNESTOLIVER LTDA. ME HISTÓRICO DA EMPRESA TRANSERNESTOLIVER LTDA. ME Setores da empresa Setor administrativo Setor financeiro Objetivos gerais da empresa... 40

14 2.3 Frota Norma Regulamentadora de Segurança e Saúde no Trabalho, na Agricultura, Pecuária, Silvicultura, Exploração Florestal e Aquicultura (NR31) Código de Trânsito Brasileiro Portaria SUP/DER nº 17, do Estado de São Paulo Parceiros Bradesco Auto Posto Dias e Mira Ltda Auto Mecânica Guaimbê Ltda Clientes Louis Dreyfus Commodities S/A Concorrentes CAPÍTULO III A GESTÃO FINANCEIRA E A EMPRESA TRANSERNESTOLIVER LTDA. ME INTRODUÇÃO Gestão financeira da Transernestoliver Ltda. Me Controle de despesas da Transernestoliver Ltda. ME Controle de custos da Transernestoliver Ltda. ME Acompanhamento de custos de manutenção Controle de receitas da empresa Transernestoliver Ltda. ME Controle de contratos da Transernestoliver Ltda. ME Controle de segurança da empresa Transernestoliver Ltda. ME Fluxo de caixa da empresa Transernestoliver Ltda. ME Demonstrações contábeis da empresa Transernestoliver Ltda. ME Balanço Patrimonial da empresa Transernestoliver Ltda. ME Demonstração do Resultado do Exercício da empresa Transernestoliver Ltda. ME Parecer final sobre o caso PROPOSTA DE INTERVENÇÃO... 57

15 CONCLUSÃO REFERÊNCIAS APÊNDICES ANEXOS... 69

16 17 INTRODUÇÃO O tema abordado no presente trabalho é mostrar sobre a necessidade de um sistema de gestão financeira em uma empresa de transporte. O crescimento da competitividade exige das empresas maior controle na gestão dos recursos financeiros, levando as empresas a adotarem um sistema de gestão financeira que auxilie no planejamento e utilização dos recursos financeiros. A gestão financeira desempenha um papel importante nas tomadas de decisões da empresa sendo relevante no planejamento das necessidades, na inventariação dos recursos disponíveis, na obtenção de financiamentos de forma mais vantajosa, na aplicação criteriosa dos recursos financeiros e, principalmente, na análise econômica e financeira da mesma. Os objetivos desta pesquisa foram de acompanhar os controles gerencias da empresa; pesquisar sobre ferramentas de gestão financeira; enfatizar a importância da controladoria, da contabilidade gerencial e da contabilidade financeira; verificar a utilização das ferramentas de gestão financeira na empresa estagiada; destacar as vantagens de uma empresa possuir um controle de gestão financeira e implantar uma gestão financeira na empresa Transernestoliver Ltda.- ME. Baseando-se nestes fundamentos, foi levantada a seguinte questão: Quais os benefícios que a implantação de uma gestão financeira proporciona à empresa? A priori surgiu a seguinte hipótese: a utilização da contabilidade para uma gestão financeira proporciona crescimento econômico para a empresa? Para buscar uma resposta clara e objetiva para tal questionamento foi realizada uma pesquisa na empresa Transernestoliver Ltda.- ME durante o período de fevereiro a outubro de 2010, cujos métodos e técnicas estão descritos no Capítulo III. A Transernestoliver Ltda.-ME é uma empresa que presta serviços de transporte rodoviário coletivo de passageiros em geral. Está localizada na Rua Dr. Horácio Sabino, nº 247, na cidade de Júlio Mesquita SP. O trabalho está assim estruturado:

17 18 Capítulo I aborda teoricamente a controladoria, contabilidade financeira e gerencial, conceitos, ferramentas, objetivos e importância da gestão financeira. Capítulo II descreve a Transernestoliver Ltda.-ME, seu histórico, seus setores, objetivos, parceiros e concorrentes. Capítulo III demonstra a pesquisa realizada na Transernestoliver Ltda.- ME. Por fim, apresenta-se a proposta de intervenção e a conclusão.

18 19 CAPÍTULO I A CONTROLADORIA E A GESTÃO FINANCEIRA 1 CONCEITOS Este capítulo apresenta alguns conceitos ligados à Gestão Financeira, tais como: Controladoria, Contabilidade Gerencial, Contabilidade Financeira, Ferramentas de Controle Financeiro e outros. 1.1 Controladoria A Controladoria tem como função principal promover a eficácia das decisões desenvolvendo e analisando as alternativas disponíveis para as soluções dos problemas. A função da controladoria é apoiar o processo de decisão através de sistemas de informações que possibilitem o controle operacional, visando o monitoramento das atividades da empresa. (NASCIMENTO; REGINATO, 2007, p. 2). Compreende as operações globais da empresa monitorando a execução dos objetivos estabelecidos, investigando e diagnosticando as razões para a ocorrência de eventuais desvios entre os resultados alcançados e os esperados. Pode-se entender Controladoria como o departamento responsável pelo projeto, elaboração, implementação e manutenção do sistema integrado de informações operacionais, financeiras e contábeis de determinada entidade, com ou sem finalidades lucrativas, sendo considerada por muitos autores como o atual estágio evolutivo da Contabilidade. (OLIVEIRA; PEREZ JR.; SILVA, 2002, p.12). Pode-se entender como o conjunto de princípios, procedimentos e

19 20 métodos originados das ciências da Contabilidade, Administração, Economia e Estatística, relacionado às atividades econômicas da empresa. De acordo com Nascimento e Reginato (2007), a área da controladoria tem a função de interagir, constantemente com o processo decisório da empresa, buscando dados e informações econômico-financeiras em suas áreas de apoio utilizando-se, principalmente, dos sistemas de mensuração, informação e de controles internos. Na busca pela eficácia gerencial, os gestores utilizam o setor de controladoria para garantir informações adequadas ao processo decisório. Segundo Padoveze (2004), a Controladoria, por meio do sistema contábil gerencial, incorpora os conceitos de lucro econômico, dá as condições à empresa de avaliar todo o processo de geração ou criação de valor (geração de lucro para os acionistas). No exercício da função contábil gerencial, a Controladoria pode monitorar o processo de geração de valor dentro da empresa por meio da adoção dos conceitos adequados de mensuração do lucro empresarial e por meio do apoio às atividades operacionais no processo de geração de valor através do sistema de informação contábil gerencial. 1.2 Contabilidade Gerencial Pode-se entender a Contabilidade Gerencial como a ferramenta contábil que mede o desempenho econômico de unidades operacionais descentralizadas, como unidades de negócios, divisões e departamentos. Segundo Horngren, Sundem e Stratton (2006), a Contabilidade Gerencial é o processo de identificar, mensurar, acumular, analisar, preparar, interpretar e comunicar informações que auxiliem os gestores a atingir objetivos organizacionais. A Contabilidade Gerencial é por sua vez um dos principais meios pelos quais trabalhadores, gerentes e executivos recebem retorno de seu desempenho, fazendo com que utilizem experiências passadas para melhorar o futuro.

20 21 Contabilidade gerencial é processo de produção de informações financeiras e operacionais para funcionários e gerentes. O processo deve ser orientado pelas necessidades de informação interna e deve dirigir suas decisões operacionais e de investimentos. (ATKINSON et al., 2008, p.36). As funções da Contabilidade Gerencial podem ser apontadas como: identificação, mensuração, acumulação, análise, preparação, interpretação e comunicação das informações financeiras usadas pela administração. A identificação é o reconhecimento e a avaliação das transações empresariais e outros eventos econômicos. A mensuração é a quantificação, incluindo estimação das transações empresariais ou de outros eventos econômicos ocorridos ou as previsões sobre o que possa ocorrer. A acumulação é a sistematização de abordagens disciplinadas e consistentes para registrar e classificar as transações empresariais apropriadas e outros eventos econômicos. A análise é a determinação das razões para a atividade relatada e seu relacionamento com outros eventos e situações econômicas. A preparação e a interpretação são a coordenação da contabilidade e/ou planejamento dos dados para fornecer informações apresentadas de forma lógica, que inclui se apropriadas, as conclusões extraídas desses dados. A comunicação consiste na preparação de relatórios pertinentes à administração e a outros usuários internos e externos. As informações financeiras fornecidas aos administradores pela Contabilidade Gerencial servem para planejar, avaliar e controlar uma organização e assegurar o uso apropriado e a responsabilização por seus recursos e a elaboração de relatórios externos. O planejamento é a quantificação e interpretação dos efeitos das transações planejadas e de outros eventos econômicos sobre a organização. Este planejamento inclui aspectos estratégicos, táticos e operacionais e requer que o contador forneça informações históricas quantitativas e prospectivas para facilitá-lo. Inclui também a participação no desenvolvimento do sistema de planejamento, no estabelecimento de metas alcançáveis e na escolha de meios apropriados para monitorar o cumprimento dessas metas. A avaliação é o julgamento das implicações dos eventos históricos e

21 22 esperados. A avaliação inclui transformar dados em tendências e relacionamentos; comunicação pontual e efetiva das conclusões extraídas das análises. O controle é a garantia da integridade das informações financeiras; monitoramento e mensuração do desempenho. Fornece informações aos executivos em suas áreas operacionais e funcionais que possam ser usadas para atingir o desempenho desejável. Assegurar recursos de responsabilização, trata-se da implementação de um sistema de relatórios que esteja alinhado às responsabilidades organizacionais que contribua ao uso efetivo dos recursos e que mensure o desempenho da administração; transmitir as metas e os objetivos da administração em toda organização na forma de atribuição de responsabilidades, base para identificar a responsabilização; fornecer um sistema contábil e de relatórios que acumule as receitas, as despesas, os ativos, as obrigações e relacione as informações quantitativas aos gerentes que terão melhor controle sobre esses elementos. Os relatórios externos são destinados à preparação de documentos financeiros baseados em princípios contábeis geralmente aceitos ou em outras bases apropriadas a grupos não administrativos, como: acionistas, credores, órgãos regulatórios e autoridades tributárias e participar no processo de desenvolvimento dos princípios contábeis que formam a base dos relatórios externos. Segundo Padoveze (2004), para se fazer Contabilidade Gerencial é necessário um Sistema de Informação Contábil Gerencial, um Sistema de Informação Operacional, que seja um instrumento dotado de características que preencham todas as necessidades informacionais dos administradores para o gerenciamento de sua entidade. O Sistema de Informação é um conjunto de recursos humanos, materiais, tecnológicos e financeiros que permite às organizações o cumprimento de seus objetivos. Classifica-se em Sistemas de Informação de Apoio às Operações, que têm como objetivo auxiliar os departamentos e atividades a executarem suas funções operacionais, como: compras, estocagem, produção, vendas, recebimentos, pagamentos e Sistemas de Informação de Apoio à Gestão, que se preocupam basicamente com as

22 23 informações necessárias à gestão econômica da empresa e têm como base de apoio informacional as informações de processo e quantitativas geradas pelos sistemas operacionais. De acordo com Padoveze (2004), o Sistema de Informação Contábil é um sistema de apoio à gestão, juntamente com os demais sistemas de controladoria e finanças. Os fundamentos de um Sistema de Informação Contábil são os seguintes: a) operacionalidade: significa que todos que utilizam e trabalham com a informação contábil devem saber e sentir que estão operando com dados reais, significativos, práticos e objetivos; b) integração: é quando todas as áreas necessárias para o gerenciamento da informação contábil estejam abrangidas por um único sistema de informação contábil, em outras palavras, todos os usuários do sistema de informação contábil receberão a mesma informação e falarão a mesma língua; c) custo da informação: é quando o Sistema de Informação Contábil é analisado na relação custo-benefício para a empresa. A Informação Gerencial é uma das principais fontes de controle e tomada de decisão nas organizações. Informação contábil gerencial são dados financeiros e operacionais sobre atividades, processos, unidades operacionais, produtos, serviços e clientes de uma organização; por exemplo, o custo calculado de um produto, de uma atividade ou de um departamento em período de tempo recente. (ATKINSON et al., 2008, p.36). As informações contábeis internas e externas são elaboradas pelos contadores gerenciais,os quais trabalham com os administradores analisando e apresentando dados relevantes no sentido de orientar as decisões. O contador gerencial fornece dados que ajudam no desenvolvimento da estratégia, na construção de recursos e capacidades e na implementação da estratégia. (HORNGREN; DATAR; FOSTER, 2008, p.3). 1.3 Contabilidade Financeira

23 24 A Contabilidade financeira está relacionada ao fornecimento de informações para os proprietários, credores e outros que estão direta ou indiretamente ligados à empresa. Contabilidade financeira refere-se à informação contábil desenvolvida para usuários externos, como acionistas, fornecedores, bancos e agências regulatórias governamentais. (HORNGREN; SUNDEM; STRATTON, 2006, p.5). Tem como objetivo facilitar a análise financeira para as necessidades dos usuários externos, utilizando-se de relatórios financeiros, tais como: Balanço Patrimonial, Demonstração dos Resultados, Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos, Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido e Fluxo de Caixa, entre outros. O processo contábil-financeiro está restrito às exigências obrigatórias de elaboração de relatórios por parte das autoridades regulamentadoras externas, como o Financial Accounting Standards Board (FASB) e a Securities and Exchange Commission (SEC) nos Estados Unidos, bem como por órgãos governamentais de impostos. De acordo com Atkinson et al. (2008), Contabilidade Financeira é o processo de geração de demonstrativos financeiros para públicos externos, como acionistas, credores e autoridades governamentais. Esse processo é fortemente limitado por autoridades governamentais que definem padrões, regulamentações e impostos, além de exigir o parecer de auditores independentes (contrasta com a contabilidade gerencial). 1.4 Contabilidade Gerencial x Contabilidade Financeira A Contabilidade Gerencial e a Contabilidade Financeira são diferentes, embora tradicionalmente a informação contábil gerencial tenha sido financeira, entretanto, recentemente, a informação contábil gerencial expandiu-se para envolver a informação operacional ou física (não-financeira), como qualidade e tempos de processos, bem como uma informação mais subjetiva; já a informação contábil financeira deve ser objetiva, verificável e relevante. O objetivo da Contabilidade Financeira é facilitar a análise financeira

24 25 para as necessidades dos usuários externos, em contrapartida com o objetivo da Contabilidade Gerencial que é facilitar o planejamento, o controle, a avaliação de desempenho e a tomada de decisão internamente. A contabilidade gerencial é relacionada com o fornecimento de informações para os administradores isto é, aqueles que estão dentro da organização e que são responsáveis pela direção e controle de suas operações. A contabilidade gerencial pode ser contrastada com a contabilidade financeira, que é relacionada com o fornecimento de informações para os acionistas, credores e outros que estão fora da organização. (PADOVEZE, 2004, p.39). Os relatórios na Contabilidade Financeira são elaborados sob orientação histórica e os relatórios da Contabilidade gerencial são orientados para o futuro a fim de facilitar o planejamento, o controle e a avaliação de desempenho antes do fato (para impor metas), acoplada com uma orientação histórica para avaliar os resultados reais (para o controle posterior do fato). Uma das principais diferenças entre contabilidade financeira e contabilidade gerencial é que a informação contábil financeira é prescrita ou exigida pelas autoridades que estabelecem os padrões dos relatórios externos. Em contraste, a informação contábil gerencial deve sempre ser justificada pelos benefícios que fornece à organização. (ATKINSON et al., 2008, p.92). continua Características básicas da contabilidade financeira e gerencial Contabilidade Financeira Contabilidade Gerencial Audiência Externa: acionistas, credores, Interna: funcionários, gerentes, autoridades tributárias. executivos. Propósito Relatar o desempenho passado ao público externo, contratos com Informar as decisões internas tomadas por funcionários ou proprietários e credores. gerentes; dar feedback e controlar o desempenho operacional. Posição do Tempo Histórica; atrasada. Atual, orientada para o futuro. Restrições Regulamentada; orientada por Desregulamentada; sistemas e princípios contábeis geralmente informações determinados pela aceitos e por autoridades administração para atender às governamentais. necessidades estratégicas e operacionais.

25 26 conclusão Tipo de Informação Apenas mensurações financeiras. Mensurações financeiras, Natureza Informação da Objetiva, auditável, confiável, consistente, precisa. operacionais e físicas sobre processos, tecnologias, fornecedores, clientes e concorrentes. Mais subjetiva e sujeita a juízo de valor; válida, relevante, precisa. Escopo Altamente agregada; relatórios sobre a organização total. Desagregada; informa decisões e ações locais. Fonte: ATKINSON et al., 2008, p.38. Quadro 1: Características básicas da contabilidade financeira e gerencial 1.5 Conceito de Gestão Gestão é o ato de gerir, administrar a organização conduzindo-a para a concretização de objetivos, através das seguintes fases: planejamento, execução e controle. O termo Gestão deriva do latim gestione e significa gerir, gerência, administração. Administrar é planejar, organizar, dirigir e controlar recursos, visando atingir determinado objetivo. Gerir é fazer as coisas acontecerem e conduzir a organização para seus objetivos. Portanto, Gestão é o ato de conduzir para a obtenção dos resultados desejados. (OLIVEIRA; PEREZ; SILVA, 2002, p.136). O gestor é o responsável pela identificação, mensuração e controladoria do processo financeiro com funções e princípios norteadores definidos do modelo da gestão do sistema da empresa e com uma área de conhecimento humano com fundamentos, conceitos, princípios e métodos oriundos de outras ciências. continua Etapas do Processo de Gestão Etapas Normas decorrentes dos princípios Elementos da Organização

Palavras-chave: Implantação. Gestão financeira. Lucratividade. ABSTRACT

Palavras-chave: Implantação. Gestão financeira. Lucratividade. ABSTRACT GESTÃO FINANCEIRA: UM ESTUDO SOBRE A IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE GESTÃO FINANCEIRA NA EMPRESA TRANSERNESTOLIVER LTDA. ME FINANCIAL MANAGEMENT: A STUDY ON THE ESTABLISHMENT OF A FINANCIAL MANAGEMENT SYSTEM

Leia mais

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE UNESC CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS LUIZ PAULO RONCHI FREITAS

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE UNESC CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS LUIZ PAULO RONCHI FREITAS 0 UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE UNESC CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS LUIZ PAULO RONCHI FREITAS AS FUNÇÕES DA CONTROLADORIA E O PERFIL DO CONTROLLER NAS EMPRESAS INTEGRANTES DOS PRINCIPAIS

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL Aldemar Dias de Almeida Filho Discente do 4º ano do Curso de Ciências Contábeis Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS Élica Cristina da

Leia mais

CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA

CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA Constata-se que o novo arranjo da economia mundial provocado pelo processo de globalização tem afetado as empresas a fim de disponibilizar

Leia mais

Universidade de Brasília Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação Departamento de Ciência da

Universidade de Brasília Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação Departamento de Ciência da Universidade de Brasília Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação Departamento de Ciência da Informação e Documentação Disciplina: Planejamento e Gestão

Leia mais

1 - Por que a empresa precisa organizar e manter sua contabilidade?

1 - Por que a empresa precisa organizar e manter sua contabilidade? Nas atividades empresariais, a área financeira assume, a cada dia, funções mais amplas de coordenação entre o operacional e as expectativas dos acionistas na busca de resultados com os menores riscos.

Leia mais

CONTROLADORIA NO SUPORTE A GESTÃO EMPRESARIAL

CONTROLADORIA NO SUPORTE A GESTÃO EMPRESARIAL CONTROLADORIA NO SUPORTE A GESTÃO EMPRESARIAL Cristiane de Oliveira 1 Letícia Santos Lima 2 Resumo O objetivo desse estudo consiste em apresentar uma base conceitual em que se fundamenta a Controladoria.

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO GESTÃO ESTRATÉGICA DE FINANÇAS 1 JUSTIFICATIVA

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO GESTÃO ESTRATÉGICA DE FINANÇAS 1 JUSTIFICATIVA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO GESTÃO ESTRATÉGICA DE FINANÇAS 1 JUSTIFICATIVA A atividade empresarial requer a utilização de recursos financeiros, os quais são obtidos na forma de crédito e de

Leia mais

A FUNÇÃO CONTROLE. Orientação do controle

A FUNÇÃO CONTROLE. Orientação do controle A FUNÇÃO CONTROLE O controle é a ultima função da administração a ser analisadas e diz respeito aos esforços exercidos para gerar e usar informações relativas a execução das atividades nas organizações

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis Resumo Demonstrações contábeis são informações e dados que as empresas oferecem ao fim de cada exercício, com a finalidade de mostrar aos acionistas, ao governo e todos os interessados,

Leia mais

Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares

Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares Existem três níveis distintos de planejamento: Planejamento Estratégico Planejamento Tático Planejamento Operacional Alcance

Leia mais

Princípios de Finanças

Princípios de Finanças Princípios de Finanças Apostila 03 O objetivo da Empresa e as Finanças Professora: Djessica Karoline Matte 1 SUMÁRIO O objetivo da Empresa e as Finanças... 3 1. A relação dos objetivos da Empresa e as

Leia mais

INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA 1.1

INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA 1.1 1.0 INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA 1.1 1.2 ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Qual o objetivo das empresas para a administração financeira? Maximizar valor de mercado da empresa; Aumentar a riqueza dos acionistas.

Leia mais

Plataforma da Informação. Finanças

Plataforma da Informação. Finanças Plataforma da Informação Finanças O que é gestão financeira? A área financeira trata dos assuntos relacionados à administração das finanças das organizações. As finanças correspondem ao conjunto de recursos

Leia mais

FLUXO DE CAIXA. Entradas a) contas à receber b) empréstimos c) dinheiro dos sócios

FLUXO DE CAIXA. Entradas a) contas à receber b) empréstimos c) dinheiro dos sócios FLUXO DE CAIXA É a previsão de entradas e saídas de recursos monetários, por um determinado período. Essa previsão deve ser feita com base nos dados levantados nas projeções econômico-financeiras atuais

Leia mais

Administração Financeira

Administração Financeira Prof. Fabini Hoelz Bargas Alvarez O que são finanças? Finanças é a arte e a ciência de gestão do dinheiro; Imprescindível, pois todos os indivíduos e organizações recebem ou levantam dinheiro; A teoria

Leia mais

INSTRUMENTOS DE PLANEJAMENTO E CONTROLE FINANCEIRO

INSTRUMENTOS DE PLANEJAMENTO E CONTROLE FINANCEIRO INSTRUMENTOS DE PLANEJAMENTO E CONTROLE FINANCEIRO Sistema de informações gerenciais Sistema de informações gerencial => conjunto de subsistemas de informações que processam dados e informações para fornecer

Leia mais

FLUXO DE CAIXA COMO FERRAMENTA DE GESTÃO FINANCEIRA PARA MICROEMPRESA

FLUXO DE CAIXA COMO FERRAMENTA DE GESTÃO FINANCEIRA PARA MICROEMPRESA FLUXO DE CAIXA COMO FERRAMENTA DE GESTÃO FINANCEIRA PARA MICROEMPRESA Laércio Dahmer 1 Vandersézar Casturino2 Resumo O atual mercado competitivo tem evidenciado as dificuldades financeiras da microempresa.

Leia mais

ANÁLISE DAS FERRAMENTAS DE CONTROLE GERENCIAL PARA MELHORIA DA PERFORMANCE EMPRESARIAL. Prof. Elias Garcia egarcia@unioeste.br

ANÁLISE DAS FERRAMENTAS DE CONTROLE GERENCIAL PARA MELHORIA DA PERFORMANCE EMPRESARIAL. Prof. Elias Garcia egarcia@unioeste.br ANÁLISE DAS FERRAMENTAS DE CONTROLE GERENCIAL PARA MELHORIA DA PERFORMANCE EMPRESARIAL Prof. Elias Garcia egarcia@unioeste.br Prof. Elias Garcia Bacharel em Ciências Contábeis 1988 Especialização em Contabilidade

Leia mais

Administrando o Fluxo de Caixa

Administrando o Fluxo de Caixa Administrando o Fluxo de Caixa O contexto econômico do momento interfere no cotidiano das empresas, independente do seu tamanho mercadológico e, principalmente nas questões que afetam diretamente o Fluxo

Leia mais

FUNDAMENTOS DA GESTÃO FINANCEIRA

FUNDAMENTOS DA GESTÃO FINANCEIRA Unidade II FUNDAMENTOS DA GESTÃO FINANCEIRA Prof. Jean Cavaleiro Objetivos Ampliar a visão sobre os conceitos de Gestão Financeira; Conhecer modelos de estrutura financeira e seus resultados; Conhecer

Leia mais

Processos Gerenciais

Processos Gerenciais UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Processos Gerenciais Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Processos Gerenciais. 1.

Leia mais

Para poder concluir que chegamos a: a) registrar os eventos; b) controlar o patrimônio; e c) gerar demonstrações

Para poder concluir que chegamos a: a) registrar os eventos; b) controlar o patrimônio; e c) gerar demonstrações Contabilidade: é objetivamente um sistema de informação e avaliação, destinado a prover seus usuários com demonstrações e análise de natureza econômica financeira. tratar as informações de natureza repetitiva

Leia mais

AUDITORIA INTERNA DA ATLAS

AUDITORIA INTERNA DA ATLAS AUDITORIA INTERNA DA ATLAS A auditoria interna serve à administração como meio de identificação de que todos os processos internos e políticas definido pela ATLAS, assim como sistemas contábeis e de controle

Leia mais

GERENCIAMENTO DE PROCESSOS DE NEGÓCIO. Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br

GERENCIAMENTO DE PROCESSOS DE NEGÓCIO. Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br GERENCIAMENTO DE PROCESSOS DE NEGÓCIO Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br Guia de Estudo Vamos utilizar para a nossa disciplina de Modelagem de Processos com BPM o guia

Leia mais

CONSULTORIA MUDAR NEM SEMPRE É FÁCIL, MAS AS VEZES É NECESSÁRIO

CONSULTORIA MUDAR NEM SEMPRE É FÁCIL, MAS AS VEZES É NECESSÁRIO MUDAR NEM SEMPRE É FÁCIL, MAS AS VEZES É NECESSÁRIO CONTEÚDO 1 APRESENTAÇÃO 2 PÁGINA 4 3 4 PÁGINA 9 PÁGINA 5 PÁGINA 3 APRESENTAÇÃO 1 O cenário de inovação e incertezas do século 21 posiciona o trabalho

Leia mais

Elétrica montagem e manutenção ltda. AVALIAÇÃO DE COLABORADORES

Elétrica montagem e manutenção ltda. AVALIAÇÃO DE COLABORADORES AVALIAÇÃO DE COLABORADORES RESUMO A preocupação com o desempenho dos colaboradores é um dos fatores que faz parte do dia-a-dia da nossa empresas. A avaliação de desempenho está se tornando parte atuante

Leia mais

Conceito. Praticamente todos os indivíduos e organizações recebem ou levantam, gastam ou investem dinheiro.

Conceito. Praticamente todos os indivíduos e organizações recebem ou levantam, gastam ou investem dinheiro. Plano de Ensino Conceito A Função Financeira nas Empresas Utilização das informações contábeis Áreas de Decisões Financeiras Objetivos do Administrador Financeiro Organização da Função Financeira Estrutura

Leia mais

AS INFORMAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AOS INDICADORES ECONÔMICO- FINANCEIROS: IMPORTANTE CONHECIMENTO NAS TOMADAS DE DECISÕES.

AS INFORMAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AOS INDICADORES ECONÔMICO- FINANCEIROS: IMPORTANTE CONHECIMENTO NAS TOMADAS DE DECISÕES. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ UFPA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS AS INFORMAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AOS INDICADORES ECONÔMICO- FINANCEIROS: IMPORTANTE CONHECIMENTO

Leia mais

FLUXO DE CAIXA INSTRUMENTO DE PLANEJAMENTO E CONTROLE FINANCEIRO

FLUXO DE CAIXA INSTRUMENTO DE PLANEJAMENTO E CONTROLE FINANCEIRO FLUXO DE CAIXA INSTRUMENTO DE PLANEJAMENTO E CONTROLE FINANCEIRO Lúcia de Fátima de Lima Lisboa RESUMO O presente artigo apresenta o fluxo de caixa como uma ferramenta indispensável para a gestão financeira

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS Conselho de Administração Diretoria Geral Gerenciamento de Capital Diretoria de Controladoria, Operações, Jurídico, Ouvidoria e Cobrança Diretoria de Tesouraria, Produtos e Novos Negócios Operações Bancárias

Leia mais

O Plano Financeiro no Plano de Negócios Fabiano Marques

O Plano Financeiro no Plano de Negócios Fabiano Marques O Plano Financeiro no Plano de Negócios Fabiano Marques Seguindo a estrutura proposta em Dornelas (2005), apresentada a seguir, podemos montar um plano de negócios de forma eficaz. É importante frisar

Leia mais

Contabilidade Financeira e Orçamentária II

Contabilidade Financeira e Orçamentária II Contabilidade Financeira e Orçamentária II Curso de Ciências Contábeis - 7º período Prof. Edenise Tópicos Iniciais Plano Orçamentário compreende: todo o processo operacional da empresa. Envolve todos os

Leia mais

Princípios de Finanças

Princípios de Finanças Princípios de Finanças Apostila 02 A função da Administração Financeira Professora: Djessica Karoline Matte 1 SUMÁRIO A função da Administração Financeira... 3 1. A Administração Financeira... 3 2. A função

Leia mais

Auditoria Interna do Futuro: Você está Preparado? Oswaldo Basile, CIA, CCSA. Presidente IIA Brasil

Auditoria Interna do Futuro: Você está Preparado? Oswaldo Basile, CIA, CCSA. Presidente IIA Brasil Auditoria Interna do Futuro: Você está Preparado? Oswaldo Basile, CIA, CCSA. Presidente IIA Brasil O futuro é (deveria ser) o sucesso Como estar preparado? O que você NÃO verá nesta apresentação Voltar

Leia mais

INDICADORES FINANCEIROS NA TOMADA DE DECISÕES GERENCIAIS

INDICADORES FINANCEIROS NA TOMADA DE DECISÕES GERENCIAIS INDICADORES FINANCEIROS NA TOMADA DE DECISÕES GERENCIAIS ANA BEATRIZ DALRI BRIOSO¹, DAYANE GRAZIELE FANELLI¹, GRAZIELA BALDASSO¹, LAURIANE CARDOSO DA SILVA¹, JULIANO VARANDAS GROPPO². 1 Alunos do 8º semestre

Leia mais

PLANEJAR, ELABORAR E CUMPRIR METAS

PLANEJAR, ELABORAR E CUMPRIR METAS PLANEJAR, ELABORAR E CUMPRIR METAS Fernanda Micaela Ribeiro Theiss Prof. Ademar Lima Júnior Centro Universitário Leonardo da Vinci UNIASSELVI Bacharelado em Ciências Contábeis (CTB 561) 14/05/2012 RESUMO

Leia mais

Conceito de Contabilidade

Conceito de Contabilidade !" $%&!" #$ "!%!!&$$!!' %$ $(%& )* &%""$!+,%!%!& $+,&$ $(%'!%!-'"&!%%.+,&(+&$ /&$/+0!!$ & "!%!!&$$!!' % $ $(% &!)#$ %1$%, $! "# # #$ &&$ &$ 0&$ 01% & $ #$ % & #$&&$&$&* % %"!+,$%2 %"!31$%"%1%%+3!' #$ "

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro

PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro Anexo 3 PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro 1. Capa 2. Sumário 3. Sumário executivo 4. Descrição da empresa 5. Planejamento Estratégico do negócio 6. Produtos e Serviços 7. Análise de Mercado 8. Plano de Marketing

Leia mais

O Valor da TI. Introduzindo os conceitos do Val IT para mensuração do valor de Tecnologia da Informação. Conhecimento em Tecnologia da Informação

O Valor da TI. Introduzindo os conceitos do Val IT para mensuração do valor de Tecnologia da Informação. Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação O Valor da TI Introduzindo os conceitos do Val IT para mensuração do valor de Tecnologia da Informação 2010 Bridge Consulting

Leia mais

CAPÍTULO 2. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS, IMPOSTOS, e FLUXO DE CAIXA. CONCEITOS PARA REVISÃO

CAPÍTULO 2. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS, IMPOSTOS, e FLUXO DE CAIXA. CONCEITOS PARA REVISÃO Bertolo Administração Financeira & Análise de Investimentos 6 CAPÍTULO 2 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS, IMPOSTOS, e FLUXO DE CAIXA. CONCEITOS PARA REVISÃO No capítulo anterior determinamos que a meta mais

Leia mais

Administração Financeira: princípios,

Administração Financeira: princípios, Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras Ana Paula Mussi Szabo Cherobim Antônio Barbosa Lemes Jr. Claudio Miessa Rigo Material de apoio para aulas Administração Financeira:

Leia mais

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa Aécio Costa A segurança da informação é obtida a partir da implementação de um conjunto de controles adequados, incluindo políticas, processos, procedimentos, estruturas organizacionais e funções de software

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Modelo de Otimização de SAM Controle, otimize, cresça Em um mercado internacional em constante mudança, as empresas buscam oportunidades de ganhar vantagem competitiva

Leia mais

Unidade Ribeirão Preto -SP

Unidade Ribeirão Preto -SP Unidade Ribeirão Preto -SP Gestão Estratégica de Controladoria O papel da controladoria na gestão estratégica de uma empresa Curriculum Luís Valíni Neto Técnico Contábil Administrador de Empresas pela

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS O plano de negócios deverá conter: 1. Resumo Executivo 2. O Produto/Serviço 3. O Mercado 4. Capacidade Empresarial 5. Estratégia de Negócio 6. Plano de marketing

Leia mais

FLUXO DE CAIXA. Dinâmica: O que faço de diferente ou estranho. (Objetivo: Conhecer um pouco cada participante)

FLUXO DE CAIXA. Dinâmica: O que faço de diferente ou estranho. (Objetivo: Conhecer um pouco cada participante) FLUXO DE CAIXA Dinâmica: O que faço de diferente ou estranho. (Objetivo: Conhecer um pouco cada participante) Brainstorming: Chuva de ideias ou Toró de parpite: O QUE É FLUXO DE CAIXA? (Objetivo: Saber

Leia mais

Empresa como Sistema e seus Subsistemas. Professora Cintia Caetano

Empresa como Sistema e seus Subsistemas. Professora Cintia Caetano Empresa como Sistema e seus Subsistemas Professora Cintia Caetano A empresa como um Sistema Aberto As organizações empresariais interagem com o ambiente e a sociedade de maneira completa. Uma empresa é

Leia mais

Existem três categorias básicas de processos empresariais:

Existem três categorias básicas de processos empresariais: PROCESSOS GERENCIAIS Conceito de Processos Todo trabalho importante realizado nas empresas faz parte de algum processo (Graham e LeBaron, 1994). Não existe um produto ou um serviço oferecido por uma empresa

Leia mais

ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação

ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação UNIFEI Universidade Federal de Itajubá Prof. Dr. Alexandre Ferreira de Pinho 1 Componentes de uma empresa Organizando uma empresa: funções empresariais básicas Funções

Leia mais

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey Executivos em todos os níveis consideram que a sustentabilidade tem um papel comercial importante. Porém, quando se trata

Leia mais

Unidade II PROCESSOS ORGANIZACIONAIS. Prof. Léo Noronha

Unidade II PROCESSOS ORGANIZACIONAIS. Prof. Léo Noronha Unidade II PROCESSOS ORGANIZACIONAIS Prof. Léo Noronha Macroprocesso Referência: sistema de gestão da qualidade pela NBR ISO 9011:2008. Macroprocesso Para a realização do produto, necessitase da integração

Leia mais

Prof. Cleber Oliveira Gestão Financeira

Prof. Cleber Oliveira Gestão Financeira Aula 2 Gestão de Fluxo de Caixa Introdução Ao estudarmos este capítulo, teremos que nos transportar aos conceitos de contabilidade geral sobre as principais contas contábeis, tais como: contas do ativo

Leia mais

GPME Prof. Marcelo Cruz

GPME Prof. Marcelo Cruz GPME Prof. Marcelo Cruz Política de Crédito e Empréstimos Objetivos Compreender os tópicos básicos da administração financeira. Compreender a relação da contabilidade com as decisões financeiras. Compreender

Leia mais

Administração Financeira e Orçamentária I. Introdução à Administração Financeira

Administração Financeira e Orçamentária I. Introdução à Administração Financeira Administração Financeira e Orçamentária I Introdução à Administração Financeira Conteúdo O Campo das Finanças A Função Financeira na Empresa As Funções do Administrador Financeiro O Objetivo da Empresa

Leia mais

Plano de Negócios. Passo a passo sobre como iniciar um Plano de Negócios para sua empresa. Modelo de Planejamento prévio

Plano de Negócios. Passo a passo sobre como iniciar um Plano de Negócios para sua empresa. Modelo de Planejamento prévio Plano de Negócios Passo a passo sobre como iniciar um Plano de Negócios para sua empresa Modelo de Planejamento prévio Fraiburgo, 2015 Plano de Negócios Um plano de negócios é uma descrição do negócio

Leia mais

ESTUDO DA IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA O COMÉRCIO VAREJISTA LUCIMEIRI CEZAR ANDRÉ

ESTUDO DA IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA O COMÉRCIO VAREJISTA LUCIMEIRI CEZAR ANDRÉ ESTUDO DA IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA O COMÉRCIO VAREJISTA LUCIMEIRI CEZAR ANDRÉ Acadêmica de Administração Geral na Faculdade Metropolitana de Maringá /PR - 2005 RESUMO: A atividade comercial

Leia mais

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS METODOLOGIA DE AUDITORIA PARA AVALIAÇÃO DE CONTROLES E CUMPRIMENTO DE PROCESSOS DE TI NARDON, NASI AUDITORES E CONSULTORES CobiT

Leia mais

Governança de TI Evolução e Conceitos de Gestão da TI. Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br

Governança de TI Evolução e Conceitos de Gestão da TI. Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br Governança de TI Evolução e Conceitos de Gestão da TI Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br Agenda Conceitos de Governança de TI Fatores motivadores das mudanças Evolução da Gestão de TI Ciclo da Governança

Leia mais

A Controladoria no Processo de Gestão. Clóvis Luís Padoveze

A Controladoria no Processo de Gestão. Clóvis Luís Padoveze 1 A Controladoria no Processo de Gestão Clóvis Luís Padoveze Cascavel - 21.10.2003 2 1. Controladoria 2. Processo de Gestão 3. A Controladoria no Processo de Gestão 3 Visão da Ciência da Controladoria

Leia mais

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio Página 1 NORMA ISO 14004 Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio (votação 10/02/96. Rev.1) 0. INTRODUÇÃO 0.1 Resumo geral 0.2 Benefícios de se ter um Sistema

Leia mais

29/10/2014. Métodos de Custeio TEORIA DA DECISÃO MODELOS DE DECISÃO TEORIA DA MENSURAÇÃO MODELOS DE MENSURAÇÃO. Formas de Custeio

29/10/2014. Métodos de Custeio TEORIA DA DECISÃO MODELOS DE DECISÃO TEORIA DA MENSURAÇÃO MODELOS DE MENSURAÇÃO. Formas de Custeio Gestão de Custos TEORIA DA DECISÃO MODELOS DE DECISÃO Métodos de Custeio TEORIA DA MENSURAÇÃO MODELOS DE MENSURAÇÃO Formas de Custeio TEORIA DA INFORMAÇÃO MODELOS DE INFORMAÇÃO Sistemas de acumulação A

Leia mais

ORÇAMENTO ESTÁTICO x ORÇAMENTO FLEXÍVEL ORÇAMENTO

ORÇAMENTO ESTÁTICO x ORÇAMENTO FLEXÍVEL ORÇAMENTO ORÇAMENTO ESTÁTICO x ORÇAMENTO FLEXÍVEL ORÇAMENTO É a etapa do processo do planejamento estratégico em que se estima (projeta) e determina a melhor relação entre resultados e despesas para atender às necessidades

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Marketing Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Marketing. 1. Introdução Os Projetos

Leia mais

Sistema de Informação Gerencial (SIG)

Sistema de Informação Gerencial (SIG) Sistema de Informação Gerencial (SIG) Os Sistemas de Informação Gerencial (SIG) são sistemas ou processos que fornecem as informações necessárias para gerenciar com eficácia as organizações. Um SIG gera

Leia mais

Unidade I FINANÇAS EM PROJETOS DE TI. Prof. Fernando Rodrigues

Unidade I FINANÇAS EM PROJETOS DE TI. Prof. Fernando Rodrigues Unidade I FINANÇAS EM PROJETOS DE TI Prof. Fernando Rodrigues Nas empresas atuais, a Tecnologia de Informação (TI) existe como uma ferramenta utilizada pelas organizações para atingirem seus objetivos.

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

REGIMENTO DA UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA DO IF SUDESTE DE MINAS GERAIS CAPÍTULO I

REGIMENTO DA UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA DO IF SUDESTE DE MINAS GERAIS CAPÍTULO I REGIMENTO DA UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA DO IF SUDESTE DE MINAS GERAIS CAPÍTULO I Disposições Preliminares Art. 1º A Auditoria Interna do IF Sudeste de Minas Gerais, está vinculada ao Conselho Superior,

Leia mais

Módulo 15 Resumo. Módulo I Cultura da Informação

Módulo 15 Resumo. Módulo I Cultura da Informação Módulo 15 Resumo Neste módulo vamos dar uma explanação geral sobre os pontos que foram trabalhados ao longo desta disciplina. Os pontos abordados nesta disciplina foram: Fundamentos teóricos de sistemas

Leia mais

Qualidade na gestão de projeto de desenvolvimento de software

Qualidade na gestão de projeto de desenvolvimento de software Qualidade na gestão de projeto de desenvolvimento de software [...] O que é a Qualidade? A qualidade é uma característica intrínseca e multifacetada de um produto (BASILI, et al, 1991; TAUSWORTHE, 1995).

Leia mais

www.pwc.com.br Como melhorar a gestão da sua empresa?

www.pwc.com.br Como melhorar a gestão da sua empresa? www.pwc.com.br Como melhorar a gestão da sua empresa? Como melhorar a gestão da sua empresa? Melhorar a gestão significa aumentar a capacidade das empresas de solucionar problemas. Acreditamos que, para

Leia mais

Capacitando Profissionais

Capacitando Profissionais Capacitando Profissionais 2014 Setup Treinamentos & Soluções em TI www.setuptreinamentos.com APRE SENTA ÇÃ O A atual realidade do mercado de trabalho, que cada dia intensifica a busca por mão-de-obra qualificada,

Leia mais

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12 Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12 Questões sobre o tópico Desenvolvimento e treinamento de pessoal: levantamento de necessidades, programação, execução e avaliação. Olá Pessoal, hoje veremos outro

Leia mais

Governança de TI. ITIL v.2&3. parte 1

Governança de TI. ITIL v.2&3. parte 1 Governança de TI ITIL v.2&3 parte 1 Prof. Luís Fernando Garcia LUIS@GARCIA.PRO.BR ITIL 1 1 ITIL Gerenciamento de Serviços 2 2 Gerenciamento de Serviços Gerenciamento de Serviços 3 3 Gerenciamento de Serviços

Leia mais

Gestão de Finanças Públicas

Gestão de Finanças Públicas APRESENTAÇÃO Desde a primeira edição deste livro mencionamos como os avanços no arcabouço institucional e instrumental de gestão financeira foram relevantes para que o governo brasileiro, efetivamente,

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Recursos Humanos Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos 1.

Leia mais

M A N U A L TREINAMENTO. Mecânica de Veículos Piçarras Ltda. Manual Prático de Procedimento do Treinamento

M A N U A L TREINAMENTO. Mecânica de Veículos Piçarras Ltda. Manual Prático de Procedimento do Treinamento M A N U A L TREINAMENTO 1. Introdução A velocidade das mudanças tecnológicas, o aumento da diversidade nos locais de trabalho e a acentuada mobilidade dos trabalhadores atuais são aspectos do mundo contemporâneo

Leia mais

AUDITORIA GOVERNAMENTAL. Maio de 2013 Sandra Maria de Carvalho Campos

AUDITORIA GOVERNAMENTAL. Maio de 2013 Sandra Maria de Carvalho Campos AUDITORIA GOVERNAMENTAL Maio de 2013 Sandra Maria de Carvalho Campos KPMG no Mundo A KPMG é uma rede global de firmas independentes que prestam serviços profissionais de Audit, Tax e Advisory presente

Leia mais

CONTABILIDADE DE CUSTOS. A necessidade da análise e do controle dos gastos empresariais acentua-se à medida que cresce a competição entre as empresas.

CONTABILIDADE DE CUSTOS. A necessidade da análise e do controle dos gastos empresariais acentua-se à medida que cresce a competição entre as empresas. CONTABILIDADE DE CUSTOS A necessidade da análise e do controle dos gastos empresariais acentua-se à medida que cresce a competição entre as empresas. A Contabilidade de Custos que atende essa necessidade

Leia mais

Balanced Scorecard BSC. O que não é medido não é gerenciado. Medir é importante? Também não se pode medir o que não se descreve.

Balanced Scorecard BSC. O que não é medido não é gerenciado. Medir é importante? Também não se pode medir o que não se descreve. Balanced Scorecard BSC 1 2 A metodologia (Mapas Estratégicos e Balanced Scorecard BSC) foi criada por professores de Harvard no início da década de 90, e é amplamente difundida e aplicada com sucesso em

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL

RESPONSABILIDADE SOCIAL RESPONSABILIDADE SOCIAL Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares TODO COMPORTAMENTO TEM SUAS RAZÕES. A ÉTICA É SIMPLESMENTE A RAZÃO MAIOR DAVID HUME DEFINIÇÕES

Leia mais

DECIFRANDO O CASH FLOW

DECIFRANDO O CASH FLOW Por: Theodoro Versolato Junior DECIFRANDO O CASH FLOW Para entender melhor o Cash Flow precisamos entender a sua origem: Demonstração do Resultado e Balanço Patrimonial. O Cash Flow é a Demonstração da

Leia mais

FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Módulo de Planejamento Prof.º Fábio Diniz

FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Módulo de Planejamento Prof.º Fábio Diniz FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Módulo de Planejamento Prof.º Fábio Diniz COMPETÊNCIAS A SEREM DESENVOLVIDAS CONHECER A ELABORAÇÃO, CARACTERÍSTICAS E FUNCIONALIDADES UM PLANO DE NEGÓCIOS.

Leia mais

IMPORTANTES ÁREAS PARA SUCESSO DE UMA EMPRESA

IMPORTANTES ÁREAS PARA SUCESSO DE UMA EMPRESA IMPORTANTES ÁREAS PARA SUCESSO DE UMA EMPRESA SILVA, Paulo Henrique Rodrigues da Discente da Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerencias E-mail: ph.rs@hotmail.com SILVA, Thiago Ferreira da Docente da Faculdade

Leia mais

PARTE III Auditoria Conceitos Introdutórios

PARTE III Auditoria Conceitos Introdutórios FATERN Faculdade de Excelência Educacional do RN Coordenação Tecnológica de Redes e Sistemas Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Auditoria em Sistemas de Informação Prof. Fabio Costa

Leia mais

GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS

GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 2 2. PLANO DE NEGÓCIOS:... 2 2.1 RESUMO EXECUTIVO... 3 2.2 O PRODUTO/SERVIÇO... 3 2.3 O MERCADO... 3 2.4 CAPACIDADE EMPRESARIAL... 4 2.5

Leia mais

GESTÃO FINANCEIRA para FICAR NO Azul

GESTÃO FINANCEIRA para FICAR NO Azul GESTÃO FINANCEIRA para ficar no azul índice 03 Introdução 04 Capítulo 1 O que é gestão financeira? 06 Capítulo 2 Gestão financeira e tomada de decisões 11 13 18 Capítulo 3 Como projetar seu fluxo financeiro

Leia mais

Finance Training - Treinamento Gerencial e Consultoria Empresarial

Finance Training - Treinamento Gerencial e Consultoria Empresarial Página 1 de 5. 05/09/2011 ORÇAMENTO BASE ZERO uma ferramenta gerencial para redução de custos e otimização de resultados, distribuição de dividendos e nível de retorno dos investimentos Prof. Ricardo Ferro

Leia mais

FLUXO DE CAIXA: IMPORTANTE FERRAMENTA PARA AS DECISÕES EMPRESARIAIS Cristiane Aparecida MOTA 1 Hiroshi Wilson YONEMOTO 2 Marcela de Souza CABRAL 3

FLUXO DE CAIXA: IMPORTANTE FERRAMENTA PARA AS DECISÕES EMPRESARIAIS Cristiane Aparecida MOTA 1 Hiroshi Wilson YONEMOTO 2 Marcela de Souza CABRAL 3 1 FLUXO DE CAIXA: IMPORTANTE FERRAMENTA PARA AS DECISÕES EMPRESARIAIS Cristiane Aparecida MOTA 1 Hiroshi Wilson YONEMOTO 2 Marcela de Souza CABRAL 3 RESUMO: Este trabalho tem a intenção de demonstrar a

Leia mais

CAPÍTULO VI - AVALIAÇÃO DE RISCOS, PROCESSOS DECISÓRIOS E GERENCIAMENTO DE RISCOS

CAPÍTULO VI - AVALIAÇÃO DE RISCOS, PROCESSOS DECISÓRIOS E GERENCIAMENTO DE RISCOS CAPÍTULO VI - AVALIAÇÃO DE RISCOS, PROCESSOS DECISÓRIOS E GERENCIAMENTO DE RISCOS VI.1. Introdução A avaliação de riscos inclui um amplo espectro de disciplinas e perspectivas que vão desde as preocupações

Leia mais

5 CCN 1 Apostila baseada exclusivamente na Obra de Clovis Luis Padoveze 1

5 CCN 1 Apostila baseada exclusivamente na Obra de Clovis Luis Padoveze 1 SISTEMAS DE INFORMAÇÕES CONTÁBEIS PROFESSOR Edmundo Tork APOSTILA 3 TURMA: EMPRESA E SISTEMA 5 CCN 1 Apostila baseada exclusivamente na Obra de Clovis Luis Padoveze 1 2 EMPRESA COMO SISTEMA E SEUS SUBSISTEMAS

Leia mais

O que é Finanças? instituições, mercados e instrumentos envolvidos na transferência de fundos entre pessoas, empresas e governos.

O que é Finanças? instituições, mercados e instrumentos envolvidos na transferência de fundos entre pessoas, empresas e governos. Demonstrações Financeiras O Papel de Finanças e do Administrador Financeiro Professor: Roberto César O que é Finanças? Podemos definir Finanças como a arte e a ciência de administrar fundos. Praticamente

Leia mais

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT MASTER IN PROJECT MANAGEMENT PROJETOS E COMUNICAÇÃO PROF. RICARDO SCHWACH MBA, PMP, COBIT, ITIL Atividade 1 Que modelos em gestão de projetos estão sendo adotados como referência nas organizações? Como

Leia mais

INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Adriana Beal, Eng. MBA Maio de 2001

INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Adriana Beal, Eng. MBA Maio de 2001 INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, Eng. MBA Maio de 2001 Apresentação Existe um consenso entre especialistas das mais diversas áreas de que as organizações bem-sucedidas no século XXI serão

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Elaboração Luiz Guilherme D CQSMS 10 00 Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes Avaliação da Necessidade de Treinamento

Leia mais

Módulo 4. Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios

Módulo 4. Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios Módulo 4 Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios Estruturas e Metodologias de controle adotadas na Sarbanes COBIT

Leia mais

4 passos para uma Gestão Financeira Eficiente

4 passos para uma Gestão Financeira Eficiente 4 passos para uma Gestão Financeira Eficiente Saiba como melhorar a gestão financeira da sua empresa e manter o fluxo de caixa sob controle Ciclo Financeiro Introdução Uma boa gestão financeira é um dos

Leia mais

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Miriam Regina Xavier de Barros, PMP mxbarros@uol.com.br Agenda Bibliografia e Avaliação 1. Visão Geral sobre o PMI e o PMBOK 2. Introdução

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC N.º 1.133/08. Aprova a NBC T 16.6 Demonstrações Contábeis.

RESOLUÇÃO CFC N.º 1.133/08. Aprova a NBC T 16.6 Demonstrações Contábeis. RESOLUÇÃO CFC N.º 1.133/08 Aprova a NBC T 16.6 Demonstrações Contábeis. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, CONSIDERANDO a internacionalização das

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratação de consultoria pessoa física para serviços de preparação

Leia mais