GESTÃO FINANCEIRA EM UMA EMPRESA DE TRANSPORTE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GESTÃO FINANCEIRA EM UMA EMPRESA DE TRANSPORTE"

Transcrição

1 UNISALESIANO Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium Curso de Ciências Contábeis Ana Paula Padilha Custódio Fábio Ferreira Maia Pedro Vinícius Vasoler GESTÃO FINANCEIRA EM UMA EMPRESA DE TRANSPORTE Transernestoliver Ltda. - ME Julio Mesquita - SP LINS SP 2010

2 ANA PAULA PADILHA CUSTÓDIO FÁBIO FERREIRA MAIA PEDRO VINÍCIUS VASOLER GESTÃO FINANCEIRA EM UMA EMPRESA DE TRANSPORTE Trabalho de Conclusão de Curso apresentado à Banca Examinadora do Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium, curso de Ciências Contábeis, sob a orientação do Professor M.Sc. Everton Rodrigo Salvático Custódio e orientação técnica da Professora M.Sc.Heloisa Helena Rovery da Silva. LINS SP 2010

3 C991g Custódio, Ana Paula Padilha; Maia, Fabio Ferreira; Vasoler, Pedro Vinícius Gestão Financeira em uma empresa de transporte. / Ana Paula Padilha Custódio; Fábio Ferreira Maia; Pedro Vinícius Vasoler. Lins, p. il. 31cm. Monografia apresentada ao Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium - UNISALESIANO, Lins SP, para graduação em Ciências Contábeis, 2010 Orientadores: Everton Rodrigo Salvático Custódio; Heloisa Helena Rovery da Silva 1. Gestão Financeira. 2. Controle Financeiro. 3. Planejamento. 4. Lucratividade. I Título. CDU 657

4 ANA PAULA PADILHA CUSTÓDIO FÁBIO FERREIRA MAIA PEDRO VINÍCIUS VASOLER GESTÃO FINANCEIRA EM UMA EMPRESA DE TRANSPORTE Monografia apresentada ao Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium, para obtenção do título de Bacharel em Ciências Contábeis. Aprovada em: / / Banca Examinadora: Prof. M.Sc. Everton Rodrigo Salvático Custódio Mestre Profissional em Administração pela Universidade Metodista de Piracicaba - UNIMEP. Assinatura: 1º Prof(a): Titulação: Assinatura: 2º Prof(a): Titulação: Assinatura:

5 A Deus Pela vida. Aos meus pais Ercio e Maria Pelo amor, dedicação e incentivo. Aos meus irmãos Telma e Anderson dificuldades. Pelo carinho e por sempre estarem ao meu lado nos momentos de Aos meus colegas de equipe Fábio e Pedro Pelos momentos de aprendizagem que passamos juntos, pela confiança e amizade conquistadas ao longo deste trabalho. Ao meu marido Adilson Pelo apoio, incentivo e compreensão durante toda a execução deste trabalho. Ana Paula

6 A Deus Rendo graça a Deus pelo fôlego de vida, a certeza que sempre está em todos os lugares, onipresente, tudo o saber, onisciente, todo poder, onipotente, sempre guiando e iluminando nossos passos. Por ter concedido força e oportunidade para concluir minha jornada acadêmica. Que diremos, pois, a estas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós? Romanos 8:31 Aos meus pais Olegário e Nair Que me deram a vida e ensinaram-me os primeiros passos, forneceram-me educação e o respeito para com o próximo. Apoiam-me em minhas virtudes e aconselham-me em minhas falhas. Acreditaram em meu potencial e investiram em minha formação acadêmica. Honra teu pai e tua mãe, e amarás o teu próximo como a ti mesmo. Mateus 19:19 Fábio

7 A Deus Agradeço pelo senhor nosso bom Deus por ele sempre estar ao meu lado. Somente ele sabe do sofrimento que tive para chegar até aqui, nas horas difíceis ele deu seu colo para eu chorar e nas alegres ele estava comigo a sorrir e com isso ele nunca me deixou desanimar, agradeço por ele ter me dado força e sabedoria para chegar até aqui. Senhor, quero agradecer por ter me ajudado, sem você comigo eu não sei o que seria. Aquilo que parecia ser impossível, aquilo que parecia não ter saída, aquilo que parecia ser minha morte, o Senhor mudou minha sorte, sou um milagre, estou aqui. Obrigado meu bom Deus por mais essa vitória. À minha mãe Essa pessoa sempre me apoiou para que eu estudasse, sempre me ajudou nas horas alegres e nas horas difíceis estava ali do meu lado me auxiliando. Para chegar até aqui tive muitas dificuldades, e graças a minha mãe, Teresa de Souza Vasoler, consegui superar todas essas dificuldades. Mãe, agradeço por ter me ajudado a chegar até aqui e o esforço que fez para que eu pudesse estudar, quero um dia retribuir por tudo que você fez por mim. Eu a amo muito!!!! A meu Pai Meu pai Antonio Donizete Vasoler sempre deu conselho para mim e para meus irmãos ensinando-nos o que é certo, dando-nos uma educação para sempre respeitar o próximo e com a graça de Deus nunca deixou nada faltar em casa. Agradeço por ter me ajudado a chegar até aqui. Espero um dia poder retribuir o que vez por mim. O que sou hoje devo à educação que me deu. A minha Família

8 Agradeço meus irmãos Fiori Vasoler e Maira Cristina Vasoler ; meus sobrinhos Pietro Vasoler, Gabriel Augusto Vasoler Ortiz e Eduardo Ortiz Junior ; meus cunhados Eduardo Augusto Ortiz e Lucimar Cardoso Vasoler, por eles terem sempre me apoiado. Aos Mestres Só tenho a dizer que aprendi muito com todos os professores desta casa, excelentes pessoas que contribuíram para o meu crescimento profissional durante esta jornada. Ana Paula e Fábio A vida é meio engraçada, pois quando menos esperamos encontramos pessoas muito especiais, amigos que ficam eternamente em nosso coração. O tempo que passei em companhia dessas pessoas excelentes contribuíu imensamente para meu crescimento pessoal e profissional, graças ao companheirismo desses dois excelentes amigos: Fabio e Ana Paula. Agradeço a essas pessoas com quem aprendi muito. Desejo muito sucesso aos dois. Obrigado!!!! Ao nosso orientador M. Sc. Everton Rodrigo Salvático Custódio Por ele ser um excelente profissional, ético e determinado naquilo que faz. Pessoa que nos momentos mais difíceis nos deu força para nunca desanimar, sempre nos incentivando. Desejo muito sucesso em sua vida. Obrigado!!!! À professora orientadora M. Sc. Heloísa Helena Rovery da Silva Essa pessoa tem o dom de passar uma energia positiva, ela é uma pessoa que está sempre nos apoiando e nos incentivando para que concluíssemos esse trabalho. Obrigado!!!! Pedro

9 AGRADECIMENTOS A Deus Pela ajuda constante e pela oportunidade de concluirmos mais uma etapa de nossas vidas. Às nossas famílias pelos constantes apoios. Aos mestres por ter nos transmitido os conhecimentos necessários para a nossa formação acadêmica. Ao Prof. M.Sc. Everton Rodrigo Salvático Custódio por ter nos orientado e indicado o melhor caminho a seguir em todas as etapas do trabalho. À Profª. M.Sc. Heloísa Helena Rovery Silva pela dedicação e paciência nas orientações técnicas. À Transernestoliver Ltda. ME pela colaboração e abertura para a realização desse trabalho com sucesso. Ana, Fábio e Pedro

10 RESUMO O tema do presente trabalho parte da importância da gestão financeira em uma empresa de transporte, evidenciando a necessidade de um sistema de controle gerencial para garantir a integridade das informações financeiras utilizadas para atingir o desempenho desejável. A gestão financeira é um fator crítico para o sucesso da empresa e passa, necessariamente, pela elaboração do planejamento. Através do planejamento, os objetivos a serem atingidos são traçados e os meios efetivos, para torná-los reais, são estabelecidos. Os tipos de planejamento são o planejamento estratégico, com objetivos em longo prazo; o planejamento tático, que visa objetivos específicos buscando contribuir com a empresa como um todo e o planejamento operacional, que tem o foco nas atividades do dia-a-dia da empresa. As ferramentas de controle financeiro são de extrema importância para identificar antecipadamente as necessidades da empresa, bem como prever os resultados financeiros da mesma. A Transernestoliver Ltda. ME é uma empresa do ramo de prestação de serviços de transportes rodoviário coletivo de passageiros em geral da cidade de Júlio Mesquita e atualmente procura, através da implantação da gestão financeira, obter mais controle financeiro sobre suas operações e expandir sua atuação no mercado. Foi realizado um estudo de caso nessa empresa com o objetivo de identificar quais os benefícios que a implantação de uma gestão financeira proporciona à mesma. A correta utilização dos controles financeiros implantados na empresa possibilita a visualização dos valores de custos e das despesas, assim como das entradas e das saídas, permitindo a melhor utilização dos recursos, reduzindo despesas desnecessárias e, consequentemente, possibilitando o aumento da lucratividade. Palavras-chave: Gestão financeira. Controle financeiro. Planejamento. Lucratividade.

11 ABSTRACT The theme of this work stems from the importance of financial management at a trucking company, highlighting the need for a management control system to ensure the integrity of financial information used to achieve desirable performance. Financial management is a critical factor for business success and necessarily involves the preparation of planning. Through the planning objectives to be achieved are outlined and effective means to make them real is established. The types of planning are strategic planning, with longterm goals, tactical planning, aimed at specific targets area for help with the company as a whole and operational planning, which has a focus on day-to-day the company. The tools of financial control are extremely important to identify in advance the company's needs as well as provide financial results for the same. The Transernestoliver Ltda. - ME is a company of the provision of collective passenger transport by road in the town of General Jules Mosque and is currently looking through the deployment of financial management, more financial control over their operations and expand their market performance. We conducted a case study in this company in order to identify the benefits that the implementation of financial management gives the same. The proper use of financial controls in place at the company lets you view the values of costs and expenses, as well as the inputs and outputs, allowing better use of resources, reducing unnecessary expenditure and, therefore, enabling increased profitability. Keywords: Financial Management. Financial control. Planning. Profitability.

12 LISTA DE FIGURAS Figura 1: Modelo de Fluxo de Caixa Figura 2: Fotos da frota da empresa Transernestoliver Ltda. - ME Figura 3: Fluxo de Caixa LISTA DE QUADROS Quadro 1: Características básicas da contabilidade financeira e gerencial Quadro 2: Etapas do Processo de Gestão Quadro 3: Quadro de controle de despesas Quadro 4: Quadro de controle de custos Quadro 5: Quadro de controle de receitas Quadro 6: Quadro de controle da receita líquida Quadro 7: Balanço Patrimonial Quadro 8: Demonstração do Resultado do Exercício LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS FASB Financial Accounting Standards Board SEC Securities and Exchange Commission

13 SUMÁRIO INTRODUÇÃO CAPÍTULO I A CONTROLADORIA E A GESTÃO FINANCEIRA CONCEITOS Controladoria Contabilidade Gerencial Contabilidade Financeira Contabilidade Gerencial x Contabilidade Financeira Conceito de Gestão Gestão Financeira Planejamento Planejamento Estratégico Planejamento Tático Planejamento Operacional Ferramentas de Controle Financeiro Orçamento Fluxo de Caixa Tesouraria Custos Classificação dos Custos Custos Diretos e Custos Indiretos Custos Fixos e Custos Variáveis CAPÍTULO II - TRANSERNESTOLIVER LTDA. ME HISTÓRICO DA EMPRESA TRANSERNESTOLIVER LTDA. ME Setores da empresa Setor administrativo Setor financeiro Objetivos gerais da empresa... 40

14 2.3 Frota Norma Regulamentadora de Segurança e Saúde no Trabalho, na Agricultura, Pecuária, Silvicultura, Exploração Florestal e Aquicultura (NR31) Código de Trânsito Brasileiro Portaria SUP/DER nº 17, do Estado de São Paulo Parceiros Bradesco Auto Posto Dias e Mira Ltda Auto Mecânica Guaimbê Ltda Clientes Louis Dreyfus Commodities S/A Concorrentes CAPÍTULO III A GESTÃO FINANCEIRA E A EMPRESA TRANSERNESTOLIVER LTDA. ME INTRODUÇÃO Gestão financeira da Transernestoliver Ltda. Me Controle de despesas da Transernestoliver Ltda. ME Controle de custos da Transernestoliver Ltda. ME Acompanhamento de custos de manutenção Controle de receitas da empresa Transernestoliver Ltda. ME Controle de contratos da Transernestoliver Ltda. ME Controle de segurança da empresa Transernestoliver Ltda. ME Fluxo de caixa da empresa Transernestoliver Ltda. ME Demonstrações contábeis da empresa Transernestoliver Ltda. ME Balanço Patrimonial da empresa Transernestoliver Ltda. ME Demonstração do Resultado do Exercício da empresa Transernestoliver Ltda. ME Parecer final sobre o caso PROPOSTA DE INTERVENÇÃO... 57

15 CONCLUSÃO REFERÊNCIAS APÊNDICES ANEXOS... 69

16 17 INTRODUÇÃO O tema abordado no presente trabalho é mostrar sobre a necessidade de um sistema de gestão financeira em uma empresa de transporte. O crescimento da competitividade exige das empresas maior controle na gestão dos recursos financeiros, levando as empresas a adotarem um sistema de gestão financeira que auxilie no planejamento e utilização dos recursos financeiros. A gestão financeira desempenha um papel importante nas tomadas de decisões da empresa sendo relevante no planejamento das necessidades, na inventariação dos recursos disponíveis, na obtenção de financiamentos de forma mais vantajosa, na aplicação criteriosa dos recursos financeiros e, principalmente, na análise econômica e financeira da mesma. Os objetivos desta pesquisa foram de acompanhar os controles gerencias da empresa; pesquisar sobre ferramentas de gestão financeira; enfatizar a importância da controladoria, da contabilidade gerencial e da contabilidade financeira; verificar a utilização das ferramentas de gestão financeira na empresa estagiada; destacar as vantagens de uma empresa possuir um controle de gestão financeira e implantar uma gestão financeira na empresa Transernestoliver Ltda.- ME. Baseando-se nestes fundamentos, foi levantada a seguinte questão: Quais os benefícios que a implantação de uma gestão financeira proporciona à empresa? A priori surgiu a seguinte hipótese: a utilização da contabilidade para uma gestão financeira proporciona crescimento econômico para a empresa? Para buscar uma resposta clara e objetiva para tal questionamento foi realizada uma pesquisa na empresa Transernestoliver Ltda.- ME durante o período de fevereiro a outubro de 2010, cujos métodos e técnicas estão descritos no Capítulo III. A Transernestoliver Ltda.-ME é uma empresa que presta serviços de transporte rodoviário coletivo de passageiros em geral. Está localizada na Rua Dr. Horácio Sabino, nº 247, na cidade de Júlio Mesquita SP. O trabalho está assim estruturado:

17 18 Capítulo I aborda teoricamente a controladoria, contabilidade financeira e gerencial, conceitos, ferramentas, objetivos e importância da gestão financeira. Capítulo II descreve a Transernestoliver Ltda.-ME, seu histórico, seus setores, objetivos, parceiros e concorrentes. Capítulo III demonstra a pesquisa realizada na Transernestoliver Ltda.- ME. Por fim, apresenta-se a proposta de intervenção e a conclusão.

18 19 CAPÍTULO I A CONTROLADORIA E A GESTÃO FINANCEIRA 1 CONCEITOS Este capítulo apresenta alguns conceitos ligados à Gestão Financeira, tais como: Controladoria, Contabilidade Gerencial, Contabilidade Financeira, Ferramentas de Controle Financeiro e outros. 1.1 Controladoria A Controladoria tem como função principal promover a eficácia das decisões desenvolvendo e analisando as alternativas disponíveis para as soluções dos problemas. A função da controladoria é apoiar o processo de decisão através de sistemas de informações que possibilitem o controle operacional, visando o monitoramento das atividades da empresa. (NASCIMENTO; REGINATO, 2007, p. 2). Compreende as operações globais da empresa monitorando a execução dos objetivos estabelecidos, investigando e diagnosticando as razões para a ocorrência de eventuais desvios entre os resultados alcançados e os esperados. Pode-se entender Controladoria como o departamento responsável pelo projeto, elaboração, implementação e manutenção do sistema integrado de informações operacionais, financeiras e contábeis de determinada entidade, com ou sem finalidades lucrativas, sendo considerada por muitos autores como o atual estágio evolutivo da Contabilidade. (OLIVEIRA; PEREZ JR.; SILVA, 2002, p.12). Pode-se entender como o conjunto de princípios, procedimentos e

19 20 métodos originados das ciências da Contabilidade, Administração, Economia e Estatística, relacionado às atividades econômicas da empresa. De acordo com Nascimento e Reginato (2007), a área da controladoria tem a função de interagir, constantemente com o processo decisório da empresa, buscando dados e informações econômico-financeiras em suas áreas de apoio utilizando-se, principalmente, dos sistemas de mensuração, informação e de controles internos. Na busca pela eficácia gerencial, os gestores utilizam o setor de controladoria para garantir informações adequadas ao processo decisório. Segundo Padoveze (2004), a Controladoria, por meio do sistema contábil gerencial, incorpora os conceitos de lucro econômico, dá as condições à empresa de avaliar todo o processo de geração ou criação de valor (geração de lucro para os acionistas). No exercício da função contábil gerencial, a Controladoria pode monitorar o processo de geração de valor dentro da empresa por meio da adoção dos conceitos adequados de mensuração do lucro empresarial e por meio do apoio às atividades operacionais no processo de geração de valor através do sistema de informação contábil gerencial. 1.2 Contabilidade Gerencial Pode-se entender a Contabilidade Gerencial como a ferramenta contábil que mede o desempenho econômico de unidades operacionais descentralizadas, como unidades de negócios, divisões e departamentos. Segundo Horngren, Sundem e Stratton (2006), a Contabilidade Gerencial é o processo de identificar, mensurar, acumular, analisar, preparar, interpretar e comunicar informações que auxiliem os gestores a atingir objetivos organizacionais. A Contabilidade Gerencial é por sua vez um dos principais meios pelos quais trabalhadores, gerentes e executivos recebem retorno de seu desempenho, fazendo com que utilizem experiências passadas para melhorar o futuro.

20 21 Contabilidade gerencial é processo de produção de informações financeiras e operacionais para funcionários e gerentes. O processo deve ser orientado pelas necessidades de informação interna e deve dirigir suas decisões operacionais e de investimentos. (ATKINSON et al., 2008, p.36). As funções da Contabilidade Gerencial podem ser apontadas como: identificação, mensuração, acumulação, análise, preparação, interpretação e comunicação das informações financeiras usadas pela administração. A identificação é o reconhecimento e a avaliação das transações empresariais e outros eventos econômicos. A mensuração é a quantificação, incluindo estimação das transações empresariais ou de outros eventos econômicos ocorridos ou as previsões sobre o que possa ocorrer. A acumulação é a sistematização de abordagens disciplinadas e consistentes para registrar e classificar as transações empresariais apropriadas e outros eventos econômicos. A análise é a determinação das razões para a atividade relatada e seu relacionamento com outros eventos e situações econômicas. A preparação e a interpretação são a coordenação da contabilidade e/ou planejamento dos dados para fornecer informações apresentadas de forma lógica, que inclui se apropriadas, as conclusões extraídas desses dados. A comunicação consiste na preparação de relatórios pertinentes à administração e a outros usuários internos e externos. As informações financeiras fornecidas aos administradores pela Contabilidade Gerencial servem para planejar, avaliar e controlar uma organização e assegurar o uso apropriado e a responsabilização por seus recursos e a elaboração de relatórios externos. O planejamento é a quantificação e interpretação dos efeitos das transações planejadas e de outros eventos econômicos sobre a organização. Este planejamento inclui aspectos estratégicos, táticos e operacionais e requer que o contador forneça informações históricas quantitativas e prospectivas para facilitá-lo. Inclui também a participação no desenvolvimento do sistema de planejamento, no estabelecimento de metas alcançáveis e na escolha de meios apropriados para monitorar o cumprimento dessas metas. A avaliação é o julgamento das implicações dos eventos históricos e

21 22 esperados. A avaliação inclui transformar dados em tendências e relacionamentos; comunicação pontual e efetiva das conclusões extraídas das análises. O controle é a garantia da integridade das informações financeiras; monitoramento e mensuração do desempenho. Fornece informações aos executivos em suas áreas operacionais e funcionais que possam ser usadas para atingir o desempenho desejável. Assegurar recursos de responsabilização, trata-se da implementação de um sistema de relatórios que esteja alinhado às responsabilidades organizacionais que contribua ao uso efetivo dos recursos e que mensure o desempenho da administração; transmitir as metas e os objetivos da administração em toda organização na forma de atribuição de responsabilidades, base para identificar a responsabilização; fornecer um sistema contábil e de relatórios que acumule as receitas, as despesas, os ativos, as obrigações e relacione as informações quantitativas aos gerentes que terão melhor controle sobre esses elementos. Os relatórios externos são destinados à preparação de documentos financeiros baseados em princípios contábeis geralmente aceitos ou em outras bases apropriadas a grupos não administrativos, como: acionistas, credores, órgãos regulatórios e autoridades tributárias e participar no processo de desenvolvimento dos princípios contábeis que formam a base dos relatórios externos. Segundo Padoveze (2004), para se fazer Contabilidade Gerencial é necessário um Sistema de Informação Contábil Gerencial, um Sistema de Informação Operacional, que seja um instrumento dotado de características que preencham todas as necessidades informacionais dos administradores para o gerenciamento de sua entidade. O Sistema de Informação é um conjunto de recursos humanos, materiais, tecnológicos e financeiros que permite às organizações o cumprimento de seus objetivos. Classifica-se em Sistemas de Informação de Apoio às Operações, que têm como objetivo auxiliar os departamentos e atividades a executarem suas funções operacionais, como: compras, estocagem, produção, vendas, recebimentos, pagamentos e Sistemas de Informação de Apoio à Gestão, que se preocupam basicamente com as

22 23 informações necessárias à gestão econômica da empresa e têm como base de apoio informacional as informações de processo e quantitativas geradas pelos sistemas operacionais. De acordo com Padoveze (2004), o Sistema de Informação Contábil é um sistema de apoio à gestão, juntamente com os demais sistemas de controladoria e finanças. Os fundamentos de um Sistema de Informação Contábil são os seguintes: a) operacionalidade: significa que todos que utilizam e trabalham com a informação contábil devem saber e sentir que estão operando com dados reais, significativos, práticos e objetivos; b) integração: é quando todas as áreas necessárias para o gerenciamento da informação contábil estejam abrangidas por um único sistema de informação contábil, em outras palavras, todos os usuários do sistema de informação contábil receberão a mesma informação e falarão a mesma língua; c) custo da informação: é quando o Sistema de Informação Contábil é analisado na relação custo-benefício para a empresa. A Informação Gerencial é uma das principais fontes de controle e tomada de decisão nas organizações. Informação contábil gerencial são dados financeiros e operacionais sobre atividades, processos, unidades operacionais, produtos, serviços e clientes de uma organização; por exemplo, o custo calculado de um produto, de uma atividade ou de um departamento em período de tempo recente. (ATKINSON et al., 2008, p.36). As informações contábeis internas e externas são elaboradas pelos contadores gerenciais,os quais trabalham com os administradores analisando e apresentando dados relevantes no sentido de orientar as decisões. O contador gerencial fornece dados que ajudam no desenvolvimento da estratégia, na construção de recursos e capacidades e na implementação da estratégia. (HORNGREN; DATAR; FOSTER, 2008, p.3). 1.3 Contabilidade Financeira

23 24 A Contabilidade financeira está relacionada ao fornecimento de informações para os proprietários, credores e outros que estão direta ou indiretamente ligados à empresa. Contabilidade financeira refere-se à informação contábil desenvolvida para usuários externos, como acionistas, fornecedores, bancos e agências regulatórias governamentais. (HORNGREN; SUNDEM; STRATTON, 2006, p.5). Tem como objetivo facilitar a análise financeira para as necessidades dos usuários externos, utilizando-se de relatórios financeiros, tais como: Balanço Patrimonial, Demonstração dos Resultados, Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos, Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido e Fluxo de Caixa, entre outros. O processo contábil-financeiro está restrito às exigências obrigatórias de elaboração de relatórios por parte das autoridades regulamentadoras externas, como o Financial Accounting Standards Board (FASB) e a Securities and Exchange Commission (SEC) nos Estados Unidos, bem como por órgãos governamentais de impostos. De acordo com Atkinson et al. (2008), Contabilidade Financeira é o processo de geração de demonstrativos financeiros para públicos externos, como acionistas, credores e autoridades governamentais. Esse processo é fortemente limitado por autoridades governamentais que definem padrões, regulamentações e impostos, além de exigir o parecer de auditores independentes (contrasta com a contabilidade gerencial). 1.4 Contabilidade Gerencial x Contabilidade Financeira A Contabilidade Gerencial e a Contabilidade Financeira são diferentes, embora tradicionalmente a informação contábil gerencial tenha sido financeira, entretanto, recentemente, a informação contábil gerencial expandiu-se para envolver a informação operacional ou física (não-financeira), como qualidade e tempos de processos, bem como uma informação mais subjetiva; já a informação contábil financeira deve ser objetiva, verificável e relevante. O objetivo da Contabilidade Financeira é facilitar a análise financeira

24 25 para as necessidades dos usuários externos, em contrapartida com o objetivo da Contabilidade Gerencial que é facilitar o planejamento, o controle, a avaliação de desempenho e a tomada de decisão internamente. A contabilidade gerencial é relacionada com o fornecimento de informações para os administradores isto é, aqueles que estão dentro da organização e que são responsáveis pela direção e controle de suas operações. A contabilidade gerencial pode ser contrastada com a contabilidade financeira, que é relacionada com o fornecimento de informações para os acionistas, credores e outros que estão fora da organização. (PADOVEZE, 2004, p.39). Os relatórios na Contabilidade Financeira são elaborados sob orientação histórica e os relatórios da Contabilidade gerencial são orientados para o futuro a fim de facilitar o planejamento, o controle e a avaliação de desempenho antes do fato (para impor metas), acoplada com uma orientação histórica para avaliar os resultados reais (para o controle posterior do fato). Uma das principais diferenças entre contabilidade financeira e contabilidade gerencial é que a informação contábil financeira é prescrita ou exigida pelas autoridades que estabelecem os padrões dos relatórios externos. Em contraste, a informação contábil gerencial deve sempre ser justificada pelos benefícios que fornece à organização. (ATKINSON et al., 2008, p.92). continua Características básicas da contabilidade financeira e gerencial Contabilidade Financeira Contabilidade Gerencial Audiência Externa: acionistas, credores, Interna: funcionários, gerentes, autoridades tributárias. executivos. Propósito Relatar o desempenho passado ao público externo, contratos com Informar as decisões internas tomadas por funcionários ou proprietários e credores. gerentes; dar feedback e controlar o desempenho operacional. Posição do Tempo Histórica; atrasada. Atual, orientada para o futuro. Restrições Regulamentada; orientada por Desregulamentada; sistemas e princípios contábeis geralmente informações determinados pela aceitos e por autoridades administração para atender às governamentais. necessidades estratégicas e operacionais.

25 26 conclusão Tipo de Informação Apenas mensurações financeiras. Mensurações financeiras, Natureza Informação da Objetiva, auditável, confiável, consistente, precisa. operacionais e físicas sobre processos, tecnologias, fornecedores, clientes e concorrentes. Mais subjetiva e sujeita a juízo de valor; válida, relevante, precisa. Escopo Altamente agregada; relatórios sobre a organização total. Desagregada; informa decisões e ações locais. Fonte: ATKINSON et al., 2008, p.38. Quadro 1: Características básicas da contabilidade financeira e gerencial 1.5 Conceito de Gestão Gestão é o ato de gerir, administrar a organização conduzindo-a para a concretização de objetivos, através das seguintes fases: planejamento, execução e controle. O termo Gestão deriva do latim gestione e significa gerir, gerência, administração. Administrar é planejar, organizar, dirigir e controlar recursos, visando atingir determinado objetivo. Gerir é fazer as coisas acontecerem e conduzir a organização para seus objetivos. Portanto, Gestão é o ato de conduzir para a obtenção dos resultados desejados. (OLIVEIRA; PEREZ; SILVA, 2002, p.136). O gestor é o responsável pela identificação, mensuração e controladoria do processo financeiro com funções e princípios norteadores definidos do modelo da gestão do sistema da empresa e com uma área de conhecimento humano com fundamentos, conceitos, princípios e métodos oriundos de outras ciências. continua Etapas do Processo de Gestão Etapas Normas decorrentes dos princípios Elementos da Organização

Palavras-chave: Implantação. Gestão financeira. Lucratividade. ABSTRACT

Palavras-chave: Implantação. Gestão financeira. Lucratividade. ABSTRACT GESTÃO FINANCEIRA: UM ESTUDO SOBRE A IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE GESTÃO FINANCEIRA NA EMPRESA TRANSERNESTOLIVER LTDA. ME FINANCIAL MANAGEMENT: A STUDY ON THE ESTABLISHMENT OF A FINANCIAL MANAGEMENT SYSTEM

Leia mais

Conceito. Praticamente todos os indivíduos e organizações recebem ou levantam, gastam ou investem dinheiro.

Conceito. Praticamente todos os indivíduos e organizações recebem ou levantam, gastam ou investem dinheiro. Plano de Ensino Conceito A Função Financeira nas Empresas Utilização das informações contábeis Áreas de Decisões Financeiras Objetivos do Administrador Financeiro Organização da Função Financeira Estrutura

Leia mais

CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA

CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA Constata-se que o novo arranjo da economia mundial provocado pelo processo de globalização tem afetado as empresas a fim de disponibilizar

Leia mais

1. INTRODUÇÃO SISTEMA INTEGRADO DE CONTABILIDADE

1. INTRODUÇÃO SISTEMA INTEGRADO DE CONTABILIDADE 1. INTRODUÇÃO A contabilidade foi aos poucos se transformando em um importante instrumento para se manter um controle sobre o patrimônio da empresa e prestar contas e informações sobre gastos e lucros

Leia mais

A FUNÇÃO CONTROLE. Orientação do controle

A FUNÇÃO CONTROLE. Orientação do controle A FUNÇÃO CONTROLE O controle é a ultima função da administração a ser analisadas e diz respeito aos esforços exercidos para gerar e usar informações relativas a execução das atividades nas organizações

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO FLUXO DE CAIXA EM UMA ORGANIZAÇÃO

A IMPORTÂNCIA DO FLUXO DE CAIXA EM UMA ORGANIZAÇÃO A IMPORTÂNCIA DO FLUXO DE CAIXA EM UMA ORGANIZAÇÃO Nádia Nascimento Cardoso 1, Carla Cristina Ferreira de Miranda orientadora 2 1 Faculdade de Ciências Sociais e Aplicadas Universidade do Vale Paraíba,

Leia mais

ANÁLISE DAS FERRAMENTAS DE CONTROLE GERENCIAL PARA MELHORIA DA PERFORMANCE EMPRESARIAL. Prof. Elias Garcia egarcia@unioeste.br

ANÁLISE DAS FERRAMENTAS DE CONTROLE GERENCIAL PARA MELHORIA DA PERFORMANCE EMPRESARIAL. Prof. Elias Garcia egarcia@unioeste.br ANÁLISE DAS FERRAMENTAS DE CONTROLE GERENCIAL PARA MELHORIA DA PERFORMANCE EMPRESARIAL Prof. Elias Garcia egarcia@unioeste.br Prof. Elias Garcia Bacharel em Ciências Contábeis 1988 Especialização em Contabilidade

Leia mais

Princípios de Finanças

Princípios de Finanças Princípios de Finanças Apostila 03 O objetivo da Empresa e as Finanças Professora: Djessica Karoline Matte 1 SUMÁRIO O objetivo da Empresa e as Finanças... 3 1. A relação dos objetivos da Empresa e as

Leia mais

1 - Por que a empresa precisa organizar e manter sua contabilidade?

1 - Por que a empresa precisa organizar e manter sua contabilidade? Nas atividades empresariais, a área financeira assume, a cada dia, funções mais amplas de coordenação entre o operacional e as expectativas dos acionistas na busca de resultados com os menores riscos.

Leia mais

Plataforma da Informação. Finanças

Plataforma da Informação. Finanças Plataforma da Informação Finanças O que é gestão financeira? A área financeira trata dos assuntos relacionados à administração das finanças das organizações. As finanças correspondem ao conjunto de recursos

Leia mais

A IMPORTANCIA DA GESTÃO DE CAPITAL DE GIRO RESUMO

A IMPORTANCIA DA GESTÃO DE CAPITAL DE GIRO RESUMO A IMPORTANCIA DA GESTÃO DE CAPITAL DE GIRO Flávio Augusto da Silva Dias flavinhokaf@hotmail.com Julio Cesar Sgarbi Julio.uru@hotmail.com RESUMO Com a busca de melhores resultados e maximização dos lucros

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL Aldemar Dias de Almeida Filho Discente do 4º ano do Curso de Ciências Contábeis Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS Élica Cristina da

Leia mais

O que é Finanças? 22/02/2009 INTRODUÇÃO ÀS FINANÇAS CORPORATIVAS

O que é Finanças? 22/02/2009 INTRODUÇÃO ÀS FINANÇAS CORPORATIVAS Prof. Paulo Cesar C. Rodrigues E mail: prdr30@terra.com.br INTRODUÇÃO ÀS FINANÇAS CORPORATIVAS O que é administração financeira? Qual sua importância para as corporações? Como são tomadas as decisões financeiras?

Leia mais

FLUXO DE CAIXA INSTRUMENTO DE PLANEJAMENTO E CONTROLE FINANCEIRO

FLUXO DE CAIXA INSTRUMENTO DE PLANEJAMENTO E CONTROLE FINANCEIRO FLUXO DE CAIXA INSTRUMENTO DE PLANEJAMENTO E CONTROLE FINANCEIRO Lúcia de Fátima de Lima Lisboa RESUMO O presente artigo apresenta o fluxo de caixa como uma ferramenta indispensável para a gestão financeira

Leia mais

CONTROLADORIA: TOMANDO DECISÕES EM BUSCA DA EFICÁCIA

CONTROLADORIA: TOMANDO DECISÕES EM BUSCA DA EFICÁCIA CONTROLADORIA: TOMANDO DECISÕES EM BUSCA DA EFICÁCIA NETO, Antonio Rodrigues¹ PORFÍRIO, Anderson Cassiano¹ SILVA, Carlos Eduardo Candido da¹ OLIVEIRA, Dirce Benedita de¹ SARAIVA, Antonio W. Pereira² RESUMO

Leia mais

5 CCN 1 Apostila baseada exclusivamente na Obra de Clovis Luis Padoveze 1

5 CCN 1 Apostila baseada exclusivamente na Obra de Clovis Luis Padoveze 1 SISTEMAS DE INFORMAÇÕES CONTÁBEIS PROFESSOR Edmundo Tork APOSTILA 3 TURMA: EMPRESA E SISTEMA 5 CCN 1 Apostila baseada exclusivamente na Obra de Clovis Luis Padoveze 1 2 EMPRESA COMO SISTEMA E SEUS SUBSISTEMAS

Leia mais

FLUXO DE CAIXA. Entradas a) contas à receber b) empréstimos c) dinheiro dos sócios

FLUXO DE CAIXA. Entradas a) contas à receber b) empréstimos c) dinheiro dos sócios FLUXO DE CAIXA É a previsão de entradas e saídas de recursos monetários, por um determinado período. Essa previsão deve ser feita com base nos dados levantados nas projeções econômico-financeiras atuais

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO GESTÃO ESTRATÉGICA DE FINANÇAS 1 JUSTIFICATIVA

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO GESTÃO ESTRATÉGICA DE FINANÇAS 1 JUSTIFICATIVA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO GESTÃO ESTRATÉGICA DE FINANÇAS 1 JUSTIFICATIVA A atividade empresarial requer a utilização de recursos financeiros, os quais são obtidos na forma de crédito e de

Leia mais

Administração Financeira

Administração Financeira Prof. Fabini Hoelz Bargas Alvarez O que são finanças? Finanças é a arte e a ciência de gestão do dinheiro; Imprescindível, pois todos os indivíduos e organizações recebem ou levantam dinheiro; A teoria

Leia mais

TÍTULO: A IMPORTANCIA DA GESTÃO DO FLUXO DE CAIXA NAS EMPRESAS PARA AS TOMADA DE DECISÕES

TÍTULO: A IMPORTANCIA DA GESTÃO DO FLUXO DE CAIXA NAS EMPRESAS PARA AS TOMADA DE DECISÕES TÍTULO: A IMPORTANCIA DA GESTÃO DO FLUXO DE CAIXA NAS EMPRESAS PARA AS TOMADA DE DECISÕES CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE JAGUARIÚNA

Leia mais

GR SOLUÇÕES EMPRESARIAIS IMPULSIONANDO A COMPETITIVIDADE DE SUA EMPRESA

GR SOLUÇÕES EMPRESARIAIS IMPULSIONANDO A COMPETITIVIDADE DE SUA EMPRESA Quem Somos: A GR Soluções Empresarias é uma empresa provedora de soluções corporativas e serviços personalizados em Advocacia, Contabilidade e Tecnologia da Informação, orientada pelos interesses das empresas

Leia mais

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE UNESC CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS LUIZ PAULO RONCHI FREITAS

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE UNESC CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS LUIZ PAULO RONCHI FREITAS 0 UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE UNESC CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS LUIZ PAULO RONCHI FREITAS AS FUNÇÕES DA CONTROLADORIA E O PERFIL DO CONTROLLER NAS EMPRESAS INTEGRANTES DOS PRINCIPAIS

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis Resumo Demonstrações contábeis são informações e dados que as empresas oferecem ao fim de cada exercício, com a finalidade de mostrar aos acionistas, ao governo e todos os interessados,

Leia mais

GAION, Aparecida Vanif; SÉRGIO, Paulo; ALBERTINI, Peter, et. all. A IMPORTÂNCIA DA CONTROLADORIA NO PROCESSO DE GESTÃO.

GAION, Aparecida Vanif; SÉRGIO, Paulo; ALBERTINI, Peter, et. all. A IMPORTÂNCIA DA CONTROLADORIA NO PROCESSO DE GESTÃO. A IMPORTÂNCIA DA CONTROLADORIA NO PROCESSO DE GESTÃO THE COMPUTING IN ADMINISTRATION Heber Ridão Silva * Leônidas da Silva JosuéAmaral Fabio Ferreira Paula Sergio Peter Albertini Aparecida Vanif.Gaion

Leia mais

CONTROLADORIA: ATRIBUIÇÃO DE VALOR À ORGANIZAÇÃO

CONTROLADORIA: ATRIBUIÇÃO DE VALOR À ORGANIZAÇÃO CONTROLADORIA: ATRIBUIÇÃO DE VALOR À ORGANIZAÇÃO Beatriz Alves Paes CONSORTE 1 - RGM 071627 Benedito Fernando FAVARETTO¹ - RGM 028811 Daniel Gazal ZUPO¹ - RGM 085144 Kaleo Carlos Felix BARROSO¹ - RGM 071294

Leia mais

Unidade I FUNDAMENTOS DA GESTÃO. Prof. Jean Cavaleiro

Unidade I FUNDAMENTOS DA GESTÃO. Prof. Jean Cavaleiro Unidade I FUNDAMENTOS DA GESTÃO FINANCEIRA Prof. Jean Cavaleiro Introdução Definir o papel da gestão financeira; Conceitos de Gestão Financeira; Assim como sua importância na gestão de uma organização;

Leia mais

COBIT. Governança de TI. Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br

COBIT. Governança de TI. Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br COBIT Governança de TI Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br Sobre mim Juvenal Santana Gerente de Projetos PMP; Cobit Certified; ITIL Certified; OOAD Certified; 9+ anos de experiência em TI; Especialista

Leia mais

ORIENTAÇÕES GERAIS ...

ORIENTAÇÕES GERAIS ... ORIENTAÇÕES GERAIS O Projeto de viabilidade econômico-financeira será solicitado, a critério do Banco, de acordo com as características do investimento, finalidade do projeto, tipo de segmento de mercado,

Leia mais

SUMÁRIO FLUXO DE CAIXA...3 FATORES QUE AFETAM O FLUXO DE CAIXA...4 DESEQUILÍBRIO FINANCEIRO...6 ADMINISTRAÇÃO DE CAIXA...7

SUMÁRIO FLUXO DE CAIXA...3 FATORES QUE AFETAM O FLUXO DE CAIXA...4 DESEQUILÍBRIO FINANCEIRO...6 ADMINISTRAÇÃO DE CAIXA...7 FLUXO DE CAIXA SUMÁRIO FLUXO DE CAIXA...3 INTRODUÇÃO...3 CICLO DO FLUXO DE CAIXA...4 FATORES QUE AFETAM O FLUXO DE CAIXA...4 FATORES INTERNOS...4 FATORES EXTERNOS...5 DESEQUILÍBRIO FINANCEIRO...6 SINTOMAS...6

Leia mais

PROJETO UTILIZANDO QLIKVIEW PARA ESTUDO / SIMULAÇÃO DE INDICADORES

PROJETO UTILIZANDO QLIKVIEW PARA ESTUDO / SIMULAÇÃO DE INDICADORES PROJETO UTILIZANDO QLIKVIEW PARA ESTUDO / SIMULAÇÃO DE INDICADORES Fábio S. de Oliveira 1 Daniel Murara Barcia 2 RESUMO Gerenciar informações tem um sido um grande desafio para as empresas diante da competitividade

Leia mais

Um Modelo de Sistema de Informação Contábil para Mensuração do Desempenho Econômico das Atividades Empresariais

Um Modelo de Sistema de Informação Contábil para Mensuração do Desempenho Econômico das Atividades Empresariais 1 UM MODELO DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL PARA MENSURAÇÃO DO DESEMPENHO ECONOMICO DAS ATIVIDADES EMPRESARIAIS Autor: Reinaldo Guerreiro Professor Assistente Doutor do Departamento de Contabilidade

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL (SIG) Conjunto integrado de pessoas, procedimentos, banco de dados e dispositivos que suprem os gerentes e os tomadores

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Turno/Horário Noturno PROFESSOR: Salomão Soares AULAS Apostila nº.

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Turno/Horário Noturno PROFESSOR: Salomão Soares AULAS Apostila nº. Disciplina Contabilidade e Sistemas de Custos CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS TURMA 5º CCN Turno/Horário Noturno PROFESSOR: Salomão Soares AULAS Apostila nº. 01 Introdução

Leia mais

A Controladoria no Processo de Gestão. Clóvis Luís Padoveze

A Controladoria no Processo de Gestão. Clóvis Luís Padoveze 1 A Controladoria no Processo de Gestão Clóvis Luís Padoveze Cascavel - 21.10.2003 2 1. Controladoria 2. Processo de Gestão 3. A Controladoria no Processo de Gestão 3 Visão da Ciência da Controladoria

Leia mais

FUNÇÃO FINANCEIRA DE UM EMPREENDIMENTO AGROPECUÁRIO

FUNÇÃO FINANCEIRA DE UM EMPREENDIMENTO AGROPECUÁRIO FUNÇÃO FINANCEIRA DE UM EMPREENDIMENTO AGROPECUÁRIO Odilio Sepulcri 1 Conforme ROSE 1, pode-se representar a administração de uma empresa, de uma forma geral, dividindo em três níveis: operações, estratégia

Leia mais

USO DA CONTABILIDADE DE GESTÃO NAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE DOURADOS-MS

USO DA CONTABILIDADE DE GESTÃO NAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE DOURADOS-MS VIII CIAEC 046 USO DA CONTABILIDADE DE GESTÃO NAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE DOURADOS-MS Luciana Crispim de Souza Universidade Federal da Grande Dourados (Brasil) Antonio Carlos Vaz Lopes Universidade

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA CAPÍTULO 33 Este Capítulo é parte integrante do Livro Contabilidade Básica - Finalmente Você Vai Entender a Contabilidade. 33.1 CONCEITOS A demonstração dos fluxos de caixa evidencia as modificações ocorridas

Leia mais

INTRODUÇÃO. Copyright 2015 Todos os direitos reservados. Capacitação e Certificação COBIT 4.1 Foundation

INTRODUÇÃO. Copyright 2015 Todos os direitos reservados. Capacitação e Certificação COBIT 4.1 Foundation Apresentação Inicial BEM-VINDO!!! Por favor, descreva o seu atual conhecimento sobre Governança de TI 1 INTRODUÇÃO 2 Introdução do Curso Bem vindo ao Controle de Objetivos de informação e Tecnologia (COBIT)

Leia mais

CONTROLE ESTRATÉGICO

CONTROLE ESTRATÉGICO CONTROLE ESTRATÉGICO RESUMO Em organizações controlar significa monitorar, avaliar e melhorar as diversas atividades que ocorrem dentro de uma organização. Controle é fazer com que algo aconteça como foi

Leia mais

CONCEITOS BÁSICOS DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA

CONCEITOS BÁSICOS DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA January, 99 1 CONCEITOS BÁSICOS DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Paulo César Leite de Carvalho 1. INTRODUÇÃO A administração financeira está estritamente ligada à Economia e Contabilidade, e pode ser vista

Leia mais

1. INTRODUÇÃO À CONTABILIDADE

1. INTRODUÇÃO À CONTABILIDADE 1. INTRODUÇÃO À CONTABILIDADE Definir Contabilidade Contextualizar a finalidade da contabilidade Introduzir a contabilidade no âmbito das organizações Discutir o objeto de estudo da contabilidade Apresentar

Leia mais

SÉRIE IPO s: TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE ABERTURA DE CAPITAL. Parte 4: Como tornar sua Empresa uma Companhia de Capital Aberto

SÉRIE IPO s: TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE ABERTURA DE CAPITAL. Parte 4: Como tornar sua Empresa uma Companhia de Capital Aberto SÉRIE IPO s: TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE ABERTURA DE CAPITAL Parte 4: Como tornar sua Empresa uma Companhia de Capital Aberto o O que é Abertura de Capital o Vantagens da abertura o Pré-requisitos

Leia mais

CAPÍTULO 2. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS, IMPOSTOS, e FLUXO DE CAIXA. CONCEITOS PARA REVISÃO

CAPÍTULO 2. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS, IMPOSTOS, e FLUXO DE CAIXA. CONCEITOS PARA REVISÃO Bertolo Administração Financeira & Análise de Investimentos 6 CAPÍTULO 2 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS, IMPOSTOS, e FLUXO DE CAIXA. CONCEITOS PARA REVISÃO No capítulo anterior determinamos que a meta mais

Leia mais

UNISALESIANO. Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium. Curso de Administração. João Gilberto Frioli Dias. Robson Carlos dos Reis Oliveira

UNISALESIANO. Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium. Curso de Administração. João Gilberto Frioli Dias. Robson Carlos dos Reis Oliveira UNISALESIANO Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium Curso de Administração João Gilberto Frioli Dias Robson Carlos dos Reis Oliveira Yata Anderson de Oliveira Costa CONTROLE GERENCIAL COMO FERRAMENTA

Leia mais

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS: ESTUDO DE CASO DA EMPRESA MA PROMOTORA DE EVENTOS LTDA. Luciana da Silva Moraes 1. Moisés Araújo Guarda 2

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS: ESTUDO DE CASO DA EMPRESA MA PROMOTORA DE EVENTOS LTDA. Luciana da Silva Moraes 1. Moisés Araújo Guarda 2 1 ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS: ESTUDO DE CASO DA EMPRESA MA PROMOTORA DE EVENTOS LTDA. Luciana da Silva Moraes 1 Moisés Araújo Guarda 2 Sara Alexssandra Gusmão França 3 RESUMO Este artigo versa

Leia mais

INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA 1.1

INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA 1.1 1.0 INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA 1.1 1.2 ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Qual o objetivo das empresas para a administração financeira? Maximizar valor de mercado da empresa; Aumentar a riqueza dos acionistas.

Leia mais

ANÁLISE DA ESTRUTURA DE LIQUIDEZ PROPOSTA POR FLEURIET: UM ESTUDO DE CASO DA EMPRESA LOCALIZA RENT A CAR

ANÁLISE DA ESTRUTURA DE LIQUIDEZ PROPOSTA POR FLEURIET: UM ESTUDO DE CASO DA EMPRESA LOCALIZA RENT A CAR 0 ANÁLISE DA ESTRUTURA DE LIQUIDEZ PROPOSTA POR FLEURIET: UM ESTUDO DE CASO DA EMPRESA LOCALIZA RENT A CAR Gabriela de Castro Gaudêncio Cassimiro 1 Thiago Moura de Carvalho 2 Rosália Gonçalves Costa Santos

Leia mais

GPME Prof. Marcelo Cruz

GPME Prof. Marcelo Cruz GPME Prof. Marcelo Cruz Política de Crédito e Empréstimos Objetivos Compreender os tópicos básicos da administração financeira. Compreender a relação da contabilidade com as decisões financeiras. Compreender

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO DO LUCRO 1

DISTRIBUIÇÃO DO LUCRO 1 DISTRIBUIÇÃO DO LUCRO 1 Gillene da Silva Sanses 2 O artigo apresenta a nova realidade em que se inserem, sob a perspectiva de critério para cálculo, deliberação e distribuição aos sócios, dos lucros. O

Leia mais

DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS:

DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS: DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS: Contabilidade de Custos e Gerencial CIC 816 Carga Horária: 60 Créditos: 04 Coordenador: Prof. Poueri do Carmo Mário Teoria de Custos (abordagem econômica e contábil). Métodos

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE FLUXO DE CAIXA Por: Adriana Sant Anna dos Santos Orientador Profº.: Luiz Claudio Lopes Alves D.Sc. Rio de Janeiro 2009 2 UNIVERSIDADE

Leia mais

Gestão Contábil e Financeira nas Pequenas e Médias Empresas PMEs

Gestão Contábil e Financeira nas Pequenas e Médias Empresas PMEs Gestão Contábil e Financeira nas Pequenas e Médias Empresas PMEs. 1 A Contabilidade como Ferramenta de Gestão: Nova Visão Empresarial Benefícios e Vantagens; Parceria do Administrador e do Profissional

Leia mais

CONTROLADORIA NO SUPORTE A GESTÃO EMPRESARIAL

CONTROLADORIA NO SUPORTE A GESTÃO EMPRESARIAL CONTROLADORIA NO SUPORTE A GESTÃO EMPRESARIAL Cristiane de Oliveira 1 Letícia Santos Lima 2 Resumo O objetivo desse estudo consiste em apresentar uma base conceitual em que se fundamenta a Controladoria.

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro

PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro Anexo 3 PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro 1. Capa 2. Sumário 3. Sumário executivo 4. Descrição da empresa 5. Planejamento Estratégico do negócio 6. Produtos e Serviços 7. Análise de Mercado 8. Plano de Marketing

Leia mais

BREVE INTRODUÇÃO AOS CONCEITOS CONTÁBEIS E DE ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES

BREVE INTRODUÇÃO AOS CONCEITOS CONTÁBEIS E DE ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES BREVE INTRODUÇÃO AOS CONCEITOS CONTÁBEIS E DE ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES BALANÇO PATRIMONIAL: é a representação quantitativa do patrimônio de uma entidade. REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DO BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO

Leia mais

Gest ão em Cooper at i vi smo

Gest ão em Cooper at i vi smo Gest ão em Cooper at i vi smo Dirceu Granado de Souza Dinâmica Patrimonial Consult & Assess Empresarial 1 A Contabilidade como Ciências; Princípios Fundamentais de Contabilidade e Normas Brasileiras de

Leia mais

A Importância e a Responsabilidade da Gestão Financeira na Empresa

A Importância e a Responsabilidade da Gestão Financeira na Empresa 1 A IMPORTÂNCIA E A RESPONSABILIDADE DA GESTÃO FINANCEIRA NA EMPRESA. Profa.Ângela Cheng Professora do Departamento de Contabilidade e Atuaria da Faculdade de economia e administração da Universidade de

Leia mais

Administração Financeira: princípios,

Administração Financeira: princípios, Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras Ana Paula Mussi Szabo Cherobim Antônio Barbosa Lemes Jr. Claudio Miessa Rigo Material de apoio para aulas Administração Financeira:

Leia mais

Manual Administrativo. A.D.M Consultoria Jr. Gestão 2009

Manual Administrativo. A.D.M Consultoria Jr. Gestão 2009 Manual Administrativo A.D.M Consultoria Jr. Gestão 2009 Teresina 07/10/2009 SUMÁRIO Empresa Júnior ICF 03 Áreas de atuação da A.D.M Consultoria Jr. 04 Organograma 08 Competências 09 Das Atribuições do

Leia mais

Peter Drucker diz que administrar é manter as organizações coesas, fazendo-as funcionar.

Peter Drucker diz que administrar é manter as organizações coesas, fazendo-as funcionar. 1º material O que é Administração Financeira? A administração financeira é a disciplina que trata dos assuntos relacionados à administração das Finanças de empresas e organizações. Ela está diretamente

Leia mais

Anderson Geraldo da Silva Faculdade Maurício de Nassau Caruaru-PE

Anderson Geraldo da Silva Faculdade Maurício de Nassau Caruaru-PE Anderson Geraldo da Silva Faculdade Maurício de Nassau Caruaru-PE 1. Diagnóstico Empresarial 2. Definição e Gestão da Estrutura Organizacional 2.1. Administração Estratégica 2.1.1. Processos 2.1.2. Resultados

Leia mais

FLUXO DE CAIXA COMO FERRAMENTA DE GESTÃO FINANCEIRA PARA MICROEMPRESA

FLUXO DE CAIXA COMO FERRAMENTA DE GESTÃO FINANCEIRA PARA MICROEMPRESA FLUXO DE CAIXA COMO FERRAMENTA DE GESTÃO FINANCEIRA PARA MICROEMPRESA Laércio Dahmer 1 Vandersézar Casturino2 Resumo O atual mercado competitivo tem evidenciado as dificuldades financeiras da microempresa.

Leia mais

Análise das Demonstrações Contábeis

Análise das Demonstrações Contábeis Análise das Demonstrações Contábeis Prof. José MANOEL da Costa As demonstrações contábeis para usuário externo, publicadas aos usuários em geral, como já visto, são publicadas conforme princípios e normas

Leia mais

Escritório Modelo da Faculdade de Diadema

Escritório Modelo da Faculdade de Diadema Escritório Modelo da Faculdade de Diadema Profª. Vânia Amaro Gomes Coordenação de Curso DIADEMA, 2015 Introdução Atualmente há uma grande dificuldade dos alunos egressos das Faculdades em obter emprego

Leia mais

FUNDAMENTOS DA GESTÃO FINANCEIRA

FUNDAMENTOS DA GESTÃO FINANCEIRA Unidade II FUNDAMENTOS DA GESTÃO FINANCEIRA Prof. Jean Cavaleiro Objetivos Ampliar a visão sobre os conceitos de Gestão Financeira; Conhecer modelos de estrutura financeira e seus resultados; Conhecer

Leia mais

Administrando o Fluxo de Caixa

Administrando o Fluxo de Caixa Administrando o Fluxo de Caixa O contexto econômico do momento interfere no cotidiano das empresas, independente do seu tamanho mercadológico e, principalmente nas questões que afetam diretamente o Fluxo

Leia mais

Modelo para elaboração do Plano de Negócios

Modelo para elaboração do Plano de Negócios Modelo para elaboração do Plano de Negócios 1- SUMÁRIO EXECUTIVO -Apesar de este tópico aparecer em primeiro lugar no Plano de Negócio, deverá ser escrito por último, pois constitui um resumo geral do

Leia mais

FLUXO DE CAIXA. Dinâmica: O que faço de diferente ou estranho. (Objetivo: Conhecer um pouco cada participante)

FLUXO DE CAIXA. Dinâmica: O que faço de diferente ou estranho. (Objetivo: Conhecer um pouco cada participante) FLUXO DE CAIXA Dinâmica: O que faço de diferente ou estranho. (Objetivo: Conhecer um pouco cada participante) Brainstorming: Chuva de ideias ou Toró de parpite: O QUE É FLUXO DE CAIXA? (Objetivo: Saber

Leia mais

Gerenciamento de Serviços em TI com ITIL. Gerenciamento de Serviços de TI com ITIL

Gerenciamento de Serviços em TI com ITIL. Gerenciamento de Serviços de TI com ITIL Gerenciamento de Serviços de TI com ITIL A Filosofia do Gerenciamento de Serviços em TI Avanços tecnológicos; Negócios totalmente dependentes da TI; Qualidade, quantidade e a disponibilidade (infra-estrutura

Leia mais

Unidade II PROCESSOS ORGANIZACIONAIS. Prof. Léo Noronha

Unidade II PROCESSOS ORGANIZACIONAIS. Prof. Léo Noronha Unidade II PROCESSOS ORGANIZACIONAIS Prof. Léo Noronha Macroprocesso Referência: sistema de gestão da qualidade pela NBR ISO 9011:2008. Macroprocesso Para a realização do produto, necessitase da integração

Leia mais

O Uso do Sistema de Informação Contábil como Ferramenta para a Tomada de Decisão nas Empresas da Região de Contagem - Minas Gerais.

O Uso do Sistema de Informação Contábil como Ferramenta para a Tomada de Decisão nas Empresas da Região de Contagem - Minas Gerais. O Uso do Sistema de Informação Contábil como Ferramenta para a Tomada de Decisão nas Empresas da Região de Contagem - Minas Gerais. Elaine Raquel Fernandes carlosadm@bol.com.br SENAC Flávia Cristina Pereira

Leia mais

CONTROLADORIA: UM MECANISMO DE AUXILIO A AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO E A TOMADA DE DECISÃO 1 RESUMO

CONTROLADORIA: UM MECANISMO DE AUXILIO A AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO E A TOMADA DE DECISÃO 1 RESUMO CONTROLADORIA: UM MECANISMO DE AUXILIO A AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO E A TOMADA DE DECISÃO 1 GELAIN, Anna Júlia Lorenzzon 2 ; LORENZETT, Daniel Benitti 3 ; GODOY, Taís Pentiado 4 ; LOSEKANN, Andresa Girardi

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS NAS MICROS E PEQUENAS EMPRESAS

A IMPORTÂNCIA DA ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS NAS MICROS E PEQUENAS EMPRESAS A IMPORTÂNCIA DA ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS NAS MICROS E PEQUENAS EMPRESAS Claudio Barbosa Cardoso Orientador: Benedito Giovani Martins de Paula Linha de Pesquisa: Demonstrações Financeiras Universidade

Leia mais

PORTIFÓLIO DE CONSULTORIA E ASSESSORIA

PORTIFÓLIO DE CONSULTORIA E ASSESSORIA PORTIFÓLIO DE CONSULTORIA E ASSESSORIA SUMÁRIO DE PROJETOS WORKFLOW... 03 ALINHAMENTO ESTRATÉGICO... 04 IDENTIDADE CORPORATIVA... 04 GESTÃO DE COMPETÊNCIAS... 05 TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO... 05 REMUNERAÇÃO...

Leia mais

CARACTERÍSTICAS DE UM PROJETO

CARACTERÍSTICAS DE UM PROJETO CARACTERÍSTICAS DE UM PROJETO Temporário: significa que cada projeto tem um início e um fim muito bem definidos. Um projeto é fundamentalmente diferente: porque ele termina quando seus objetivos propostos

Leia mais

CONVERSAO DE DEMONSTRACOES CONTABEIS EM MOEDA. ESTRAGEIRA: FASB nº 8 e FASB nº 52

CONVERSAO DE DEMONSTRACOES CONTABEIS EM MOEDA. ESTRAGEIRA: FASB nº 8 e FASB nº 52 CONVERSAO DE DEMONSTRACOES CONTABEIS EM MOEDA Evolução das Normas de Contabilidade aplicadas no EUA Critérios Contábeis brasileiros e americanos (USGAAP) Objetivos da conversão de demonstrações contábeis

Leia mais

Processo de Negociação. Quem somos. Nossos Serviços. Clientes e Parceiros

Processo de Negociação. Quem somos. Nossos Serviços. Clientes e Parceiros Quem somos Nossos Serviços Processo de Negociação Clientes e Parceiros O NOSSO NEGÓCIO É AJUDAR EMPRESAS A RESOLVEREM PROBLEMAS DE GESTÃO Consultoria empresarial a menor custo Aumento da qualidade e da

Leia mais

MODELO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO (MEG), UMA VISÃO SISTÊMICA ORGANIZACIONAL

MODELO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO (MEG), UMA VISÃO SISTÊMICA ORGANIZACIONAL MODELO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO (MEG), UMA VISÃO SISTÊMICA ORGANIZACIONAL Alessandro Siqueira Tetznerl (1) : Engº. Civil - Pontifícia Universidade Católica de Campinas com pós-graduação em Gestão de Negócios

Leia mais

A CONTABILIDADE COMO FERRAMENTA DE GESTÃO EMPRESARIAL

A CONTABILIDADE COMO FERRAMENTA DE GESTÃO EMPRESARIAL A CONTABILIDADE COMO FERRAMENTA DE GESTÃO EMPRESARIAL Gestão Empresarial Márlio Lúcio Ribeiro Gomes Coorientador: Prof. Evânio de Carvalho Cruz Universidade do Vale do Sapucaí RESUMO Este trabalho tem

Leia mais

Unidade II Orçamento Empresarial. Profª Msc Mary Wanyza Disciplina : Orçamento

Unidade II Orçamento Empresarial. Profª Msc Mary Wanyza Disciplina : Orçamento Unidade II Orçamento Empresarial Profª Msc Mary Wanyza Disciplina : Orçamento Referências Bibliográficas Fundamentos de Orçamento Empresarial Coleção resumos de contabilidade Vol. 24 Ed. 2008 Autores:

Leia mais

TIPOS DE PROCESSOS Existem três categorias básicas de processos empresariais:

TIPOS DE PROCESSOS Existem três categorias básicas de processos empresariais: PROCESSOS GERENCIAIS Conceito de Processos Todo trabalho importante realizado nas empresas faz parte de algum processo (Graham e LeBaron, 1994). Não existe um produto ou um serviço oferecido por uma empresa

Leia mais

Administração Financeira e Orçamentária I. Introdução à Administração Financeira

Administração Financeira e Orçamentária I. Introdução à Administração Financeira Administração Financeira e Orçamentária I Introdução à Administração Financeira Conteúdo O Campo das Finanças A Função Financeira na Empresa As Funções do Administrador Financeiro O Objetivo da Empresa

Leia mais

UM ESTUDO HISTÓRICO DA ANÁLISE DE BALANÇO BEM COMO A SUAS APLICAÇÕES NO NOSSO TEMPO. Paola Guariso Crepaldi 1, Renato Nogueira Perez Avila 2,

UM ESTUDO HISTÓRICO DA ANÁLISE DE BALANÇO BEM COMO A SUAS APLICAÇÕES NO NOSSO TEMPO. Paola Guariso Crepaldi 1, Renato Nogueira Perez Avila 2, UM ESTUDO HISTÓRICO DA ANÁLISE DE BALANÇO BEM COMO A SUAS APLICAÇÕES NO NOSSO TEMPO Paola Guariso Crepaldi 1, Renato Nogueira Perez Avila 2, Elisangela Leme Antonio 3, Viviane Batista Mastelari 4 RESUMO

Leia mais

GOVERNANÇA DE T.I. - CONCEITOS. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

GOVERNANÇA DE T.I. - CONCEITOS. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza GOVERNANÇA DE T.I. - CONCEITOS Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza GOVERNANÇA CORPORATIVA GOVERNANÇA CORPORATIVA Também conhecida como Governança Empresarial " os mecanismos ou

Leia mais

ESCRITÓRIO MODELO DA FACULDADE DO GUARUJÁ.

ESCRITÓRIO MODELO DA FACULDADE DO GUARUJÁ. ESCRITÓRIO MODELO DA FACULDADE DO GUARUJÁ. Prof. Marat Guedes Barreiros Agosto/2013 Introdução É notória nos dias de hoje a dificuldade dos alunos egressos das Faculdades em obter emprego nas empresas

Leia mais

Tecnologias e Sistemas de Informação

Tecnologias e Sistemas de Informação Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Administração Tecnologia e Sistemas de Informação - 02 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti

Leia mais

Análise Estruturada de Sistemas

Análise Estruturada de Sistemas Análise Estruturada de Sistemas Capítulo 3 Estudo de Viabilidade Definição das Necessidades Funcionais O propósito desta etapa é produzir um documento formal que contenha uma descrição detalhada da proposta,

Leia mais

AUDITORIA INTERNA E SUA IMPORTÂNCIA PARA AS ORGANIZAÇÕES

AUDITORIA INTERNA E SUA IMPORTÂNCIA PARA AS ORGANIZAÇÕES 1 AUDITORIA INTERNA E SUA IMPORTÂNCIA PARA AS ORGANIZAÇÕES Alessandra Cristina Rubio¹ Josiane Marcacini Silva² RESUMO Thiago Silva Guimarães³ A auditoria interna é de suma importância para as organizações,

Leia mais

GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS

GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 2 2. PLANO DE NEGÓCIOS:... 2 2.1 RESUMO EXECUTIVO... 3 2.2 O PRODUTO/SERVIÇO... 3 2.3 O MERCADO... 3 2.4 CAPACIDADE EMPRESARIAL... 4 2.5

Leia mais

Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A.

Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A. Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A. 31 de dezembro de 2014 com o relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras Índice Relatório dos auditores independentes

Leia mais

Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda.

Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Demonstrações financeiras Índice Relatório

Leia mais

Fundação Libertas. Nova denominação da entidade. Manual de Governança Corporativa

Fundação Libertas. Nova denominação da entidade. Manual de Governança Corporativa Manual de Governança Corporativa Sumário 1. Definição.... Objetivo... 3. Da Contextualização da PREVIMINAS... 3.1. Arcabouço Legal e Regulatório... 3.. A Identidade da PREVIMINAS... A Filosofia Empresarial

Leia mais

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA AVANÇADA Revisão Geral BR-GAAP. PROF. Ms. EDUARDO RAMOS. Mestre em Ciências Contábeis FAF/UERJ SUMÁRIO

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA AVANÇADA Revisão Geral BR-GAAP. PROF. Ms. EDUARDO RAMOS. Mestre em Ciências Contábeis FAF/UERJ SUMÁRIO CONTABILIDADE SOCIETÁRIA AVANÇADA Revisão Geral BR-GAAP PROF. Ms. EDUARDO RAMOS Mestre em Ciências Contábeis FAF/UERJ SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 2. PRINCÍPIOS CONTÁBEIS E ESTRUTURA CONCEITUAL 3. O CICLO CONTÁBIL

Leia mais

Ciclo Operacional. Venda

Ciclo Operacional. Venda Sumário 1 Introdução... 1 2 Dinâmica dos Fluxos de Caixa... 2 3 Capital Circulante Líquido (CCL) e Conceitos Correlatos... 4 4 Necessidade de capital de giro (NCG)... 6 5 Saldo em Tesouraria (ST)... 9

Leia mais

Determinação do Capital de Giro

Determinação do Capital de Giro Determinação do Capital de Giro Foco da Palestra Orientar e esclarecer os conceitos básicos para determinação e gerenciamento do Capital de Giro da empresa. Classificar e analisar as fontes e aplicações

Leia mais

Empresa como Sistema e seus Subsistemas. Professora Cintia Caetano

Empresa como Sistema e seus Subsistemas. Professora Cintia Caetano Empresa como Sistema e seus Subsistemas Professora Cintia Caetano A empresa como um Sistema Aberto As organizações empresariais interagem com o ambiente e a sociedade de maneira completa. Uma empresa é

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO ANEXO

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO ANEXO PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO ANEXO Plano de Ação Estratégico Estratégias empresariais Anexo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas SEBRAE Unidade de Capacitação Empresarial Estratégias

Leia mais

Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Vale do Rio Doce (C.N.P.J. nº 04.890.401/0001-15) (Administrado pelo Banco J. Safra S.A.

Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Vale do Rio Doce (C.N.P.J. nº 04.890.401/0001-15) (Administrado pelo Banco J. Safra S.A. Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Vale do Rio Doce (Administrado pelo Banco J. Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 30 de setembro de 2015 e relatório dos auditores independentes Relatório dos

Leia mais

MOORE STEPHENS AUDITORES E CONSULTORES

MOORE STEPHENS AUDITORES E CONSULTORES DURATEX COMERCIAL EXPORTADORA S.A. AVALIAÇÃO DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO CONTÁBIL APURADO POR MEIO DOS LIVROS CONTÁBEIS EM 31 DE AGOSTO DE 2015 Escritório Central: Rua Laplace, 96-10 andar - Brooklin - CEP 04622-000

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL PARA O CURSO DE ADMINISTRAÇÃO NA CIDADE DE SÃO PAULO

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL PARA O CURSO DE ADMINISTRAÇÃO NA CIDADE DE SÃO PAULO XXVIENANGRAD A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL PARA O CURSO DE ADMINISTRAÇÃO NA CIDADE DE SÃO PAULO Tatiana Regis Fernandes Edineide Maria de Oliveira Terezinha de Jesus N. Guidon Coelho José Emilio

Leia mais