Projeto de Pesquisa EDUCAÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Projeto de Pesquisa EDUCAÇÃO"

Transcrição

1 PROGRAMA: P-4 - UNIUBE LINHA DE PESQUISA: E SOCIEDADE A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO ESTADO DE MINAS GERIAS: UMA ANÁLISE HISTÓRICO-POLÍTICO, CONTRIBUIÇÕES PARA O DEBATE ( ) 2001 Descrição: RESUMO O presente projeto de pesquisa tem por objetivo investigar acerca dos aspectos históricos-políticos da formação continuada de professores na área de influência da Universidade de Uberaba, nesse sentido analisaremos as características que assumem as políticas de formação de professores a partir da década de 70, centrando-se no debate filosófico e político do período. Para tal será realizado um levantamento de programas, projetos, documentos legislativos, que visam a formação de professores durante as três últimas décadas. Para a seleção, classificação e análise da informação coletada, toma-se em conta as referências conceptuais e metodológicas, assim como os aspectos que se desprendem no nível operativo dos objetivos traçados para o desenvolvimento do projeto. Trabalhar-se-á com uma massa documental suficientemente representativa da dinâmica histórica, social, educativa e pedagógica do período, tanto a nível nacional como regional. A metodologia escolhida corresponde ao enfoque histórico crítico que compreende uma ampla pesquisa de fontes primárias em diferentes campos históricos políticos, no período. Alunos Envolvidos: Graduação: 3 3 ALEXANDRE AUGUSTO CARDOSO CRISTINA BEATRIZ PARANHOS SILVA DIRCE MARIA FALCONE GARCIA MARGARITA VICTORIA RODRIGUEZ MARIZA HELENA SIQUEIRA RIBEIRO NEVES AVALIAÇÃO DA LITERATURA UTILIZADA NOS CURSOS DE PEDAGOGIA NO TRIÂNGULO MINEIRO: UM 2003 ESTUDO DE CASO Descrição: Tendo como campo de observação um curso de Pedagogia no Triângulo Mineiro e o transformando em Estudo de Caso, por meio de um investigação qualitativo e tendo como delineamento metodológico, depoimentos de alunos e professores, observações, dentre outros, o presente projeto de pesquisa visa avaliar a literatura utilizada nos cursos de Pedagogia como suporte da formação de formadores. Para tanto, parte-se da constatação, observada no cotidiano de alunos e professores, de que cada vez mais está grassando uma espécie de "literatura de auto-ajuda" no campo pedagógico, disseminada de modo estratégico por meio de textos de fácil assimilação, no marco de um mercado de idéias gerador de um festival de conceitos que "viram moda" nas linguagens e práticas pedagógicas, tanto de professores como de alunos. Para avaliar este uso partimos da hipótese de que esta "auto-ajuda" não contribui para a construção de um "esqueleto teórico" sustentável e compatível à construção de uma massa crítica em torno dos caminhos e descaminhos do processo educacional e sua prática realmente mediadora e emancipadora dos saberes escolares e extra-escolares. Desse modo, podem estar tornando a formação de professores um espaço puramente mimético de idéias apenas aparentemente "inovadoras". Alunos Envolvidos: Graduação: 0 ALAÍDE RITA DONATONI Maria Rita Nascimento Pereira OTAVIANO JOSÉ PEREIRA 1 de 11

2 PROGRAMA: P-4 - UNIUBE LINHA DE PESQUISA: E SOCIEDADE PRODUÇÃO CIENTÍFICA E FORMAÇÃO DOCENTE NAS IESs 2002 Descrição: RESUMO Dando continuidade a pesquisa realizada em uma instituição isolada do Norte do Brasil, num estudo de caso, esta pesquisa, trazida para o contexto do Triângulo Mineiro, realiza um diagnóstico descritivo das instituições isoladas da região e sua capacidade de abrigar a pesquisa como fomentadora do ensino, sem a qual o trabalho docente fica comprometido. Trata-se de uma meta-pesquisa, ou, uma pesquisa sobre a pesquisa. Ela deve fortalecer a idéia de que não tem nada a ensinar quem não pesquisa. E o levantamento, com questões abertas, sobre a produção científica dos professores, na sua maioria horistas, deve apresentar impactos extremamente significativos para a leitura da formação, inicial ou continuada, puxando para baixo a qualidade de um conhecimento emancipador, por diversas razões, entre elas a ausência de uma cultura da pesquisa, mesmo quando os documentos das instituições investigadas, seus PDIs, por exemplo, apontam para contradições entre o afirmado e o inexistente. Se estas instituições isoladas respondem a demandas do mercado no capitalismo dependente, por exemplo, por vias da expansão do ensino noturno, no marco de um ensino repetitivo e mimético, elas evidenciam a crise de identidade da universidade. Livres da obrigatoriedade da pesquisa, essas IESs se identificam com o quê? Como fica o caráter educativo da pesquisa inexistente, para a formação, inicial ou continuada? É o que vamos diagnosticar. Alunos Envolvidos: Graduação: OTAVIANO JOSÉ PEREIRA REPERCURSSÕES DAS PREFERÊNCIAS ESTÉTICAS DE PROFESSORES DA BÁSICA NO 2003 ENSINO DAS ARTES: UM ESTUDO INTERCULTURAL ( BRASIL/PORTUGAL) Descrição: RESUMO Vários estudos indicam que muitos dos problemas que afetam a educação escolar ocorrem porque a escola pouco considera as práticas culturais vivenciadas pelos alunos/as/as. Isto também acontece no ensino artístico, que em geral privilegia as produções eruditas, em detrimento das produções de outros grupos sociais. Tanto no Brasil como em Portugal questões de ordem didática, relacionadas ao como levar os alunos/as/as à apreciação da obra de arte vêm sendo amplamente abordadas. Já as preferências estéticas dos professores/as, que orientam a escolha das obras que devem ser levadas à apreciação dos alunos/as/as, pouco têm sido exploradas e discutidas. Observa-se nos dois países que, em geral, nas escolas as práticas de apreciação são subjugadas por valores canônicos, preconceitos e regras que prevalecem no meio social da classe hegemônica. Considerando-se tal problemática, a pesquisa, a ser desenvolvida no Brasil e em Portugal, tem como objetivo identificar e comparar quais valores, práticas e artefatos relacionados às várias artes - artes visuais, música e artes dramáticas - são trabalhados nas escolas de educação infantil, ensino fundamental e médio dos dois países, atentando para os possíveis modos como preferências estéticas de professores/as foram se constituindo e se sedimentando ao longo do tempo, construindo suas subjetividades. Almeja-se, ainda, avaliar em que medida o gosto pessoal dos professores/as interfere no trabalho que desenvolvem em sala de aula. Alunos Envolvidos: Graduação: CELIA MARIA DE CASTRO ALMEIDA 2 de 11

3 PROGRAMA: P-4 - UNIUBE LINHA DE PESQUISA: E SOCIEDADE REPERCUSSÕES DO REPERTÓRIO CULTURAL DE PROFESSORES/AS DA BÁSICA DE UBERABA E UBERLÂNDIA (MG) NAS SUAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS 2003 Descrição: Vários estudos indicam que muitos dos problemas que afetam a educação escolar ocorrem porque esta ignora ou pouco considera as práticas culturais? entendidas como as relacionadas ao conjunto de símbolos e significados partilhados pelos membros de um sistema cultural, campo de conflito em torno do conhecimento e da identidade? presentes na vida cotidiana de alunos/as. No entanto, são raras as pesquisas sobre se e como práticas culturais vivenciadas por professores/as se expressam em suas práticas pedagógicas. Partindo do pressuposto de que ao fazer a mediação dos conhecimentos escolares os professores/as utilizam-se de um conjunto de experiências constituído e sedimentado ao longo de suas vidas, a pesquisa tem como objetivo geral investigar qual a extensão e qualidade do repertório cultural? conjunto internalizado de experiências vividas em diferentes contextos socioculturais que constituem o sujeito? de professores/as da educação básica de Uberaba e Uberlândia (MG), e como ele contribui para a constituição dos saberes docentes. O problema será investigado por meio de um projeto temático que abarcará quatro subprojetos: 1) "Práticas culturais e gênero: repercussões na atividade docente", que tem como objetivo investigar as relações entre gênero e práticas culturais, e como tais relações se manifestam na vida cotidiana dos professores/as e nas suas práticas docentes; 2) "A afetividade na interação do repertório cultural de professores/as e alunos/as do ensino fundamental de Uberaba (MG)", cujo objetivo é verificar o lugar da afetividade no processo intersubjetivo constituído na articulação dos repertórios culturais de professores/as e alunos/as, que subjaz nas práticas educativas; 3) "Repertório cultural e preferências estéticas visuais de professores/as da educação básica de Uberaba (MG)", que pretende identificar e analisar se, como e em que medida o gosto estético visual de professores/as se expressa em suas práticas pedagógicas; 4) "A urdidura da arte do cotidiano? um olhar sobre o Centro de Tecelagem de Uberlândia (MG)", que objetiva investigar processos de criação e padrões estéticos desenvolvidos nos trabalhos em tear realizados por tecelãs e seus/suas aprendizes, e ainda, identificar o impacto dessa atividade na vida cotidiana e na educação escolar dessas pessoas. A pesquisa temática será desenvolvida em duas perspectivas: quantitativa e qualitativa. Num primeiro momento, os quatro subprojetos trabalharão dados gerados a partir de informações recolhidas por meio de questionário com questões abertas e de múltipla escolha, aplicados em 30% do universo de professores/as das escolas municipais e estaduais de educação infantil, ensino fundamental e médio de Uberaba e Uberlândia (MG). Tais dados serão analisados com o auxílio do software Statistical Package for Social Science (SPSS), que possibilita análise fatorial de variância, freqüência média e desvio padrão, entre outros tipos de análise. Tais análises subsidiarão os quatro subprojetos que, num segundo momento, desenvolverão alguns procedimentos metodológicos comuns e outros diferenciados, em função dos seus objetivos específicos: observação participante, entrevista semi-estruturada, e atividades de intervenção junto aos professores/as. Acredita-se que a interpretação dos resultados da pesquisa temática poderá levar à compreensão de como se constituem os saberes dos professores/as na interação de seus repertórios culturais com os de seus alunos/as, e à compreensão dos modos como esses saberes orientam suas práticas pedagógicas. Tal compreensão poderá contribuir para a construção de novos conhecimentos sobre formação e desenvolvimento profissional de professores da educação básica. Alunos Envolvidos: Graduação: 1 3 ANA MARIA FACCIOLI DE CAMARGO CELIA MARIA DE CASTRO ALMEIDA ELIANA HELENA CORREA NEVES SALGE Elisa Muniz Barretto de Carvalho GISELE PASSOS COSTA HELIANA OMETTO NARDIN Ivana Cardoso de Melo MARIA ELISA DE CASTRO ALMEIDA SILVIA MARIA CINTRA DA SILVA SUELI FERREIRA 3 de 11

4 PROGRAMA: P-4 - UNIUBE LINHA DE PESQUISA: E SOCIEDADE REPERTÓRIO CULTURAL e PREFERÊNCIAS ESTÉTICAS DE PROFESSORES/AS DA BÁSICA DE UBERABA (MG) Descrição: Vários estudos indicam que muitos dos problemas que afetam a educação escolar ocorrem porque esta pouco considera as práticas culturais vivenciadas pelos alunos/as. No entanto, são raras as investigações sobre as práticas culturais vivenciadas pelos professores/as, em especial as relacionadas à produção e apreciação das artes. Muitos estudos orientam e prescrevem práticas educativas e recursos didáticos que conformam um determinado gosto estético, mas as preferências estéticas dos professores/as que orientam seus modos de ensinar pouco têm sido exploradas e discutidas. Considerando tal problemática, esta pesquisa tem por objetivo compreender se e como ocorrem as relações entre educação e cultura(s) no cotidiano das práticas educativas dos professores/as da educação básica de Uberaba (MG), identificando: a) quais valores, práticas e artefatos culturais fazem parte de repertório cultural(1) dos professores/as; b) como suas preferências estéticas foram se constituindo e se sedimentando, construindo suas subjetividades; c) se, como e em que medida o gosto pessoal dos professores/as é expresso em suas práticas educativas. Partindo do pressuposto de que ao fazer a mediação dos conhecimentos escolares os professores/as utilizam-se não apenas da cultura escolar e da cultura da escola (2), mas também de um repertório cultural constituído e sedimentado ao longo de uma vida vivida em diferentes contextos socioculturais? e não exclusivamente em sua formação escolar?, justifica-se a relevância de um estudo que irá investigar a extensão e qualidade do repertório cultural de professores/as que atuam em Uberaba (MG), particularmente no que se refere às práticas culturais relacionadas às diferentes linguagens artísticas. Num primeiro momento, os dados da pesquisa serão produzidos a partir de informações recolhidas por meio de questionário com questões abertas e de múltipla escolha, que serão aplicados em 30% do universo de professores/as das escolas municipais e estaduais de educação infantil, ensino fundamental e médio de Uberaba. A análise se dará através do software Statistical Package for Social Science (SPSS). A seguir, 10% dos respondentes serão entrevistados com o objetivo de ampliar e aprofundar as informações obtidas através do questionário. Ressalto ainda que esta pesquisa é um dos subprojetos de pesquisa que compõem o projeto temático?repercussões do repertório cultural de professores/as da educação Básica de Uberaba e Uberlândia (MG) nas suas práticas pedagógicas, que compreende outros três subprojetos de pesquisa. NOTAS: Estou denominando?repertório cultural? o conjunto internalizado de experiências vividas nos diferentes contextos socioculturais e que constituem o sujeito. Deste conjunto, me interessa, nesta pesquisa, as práticas de consumo e apreciação dos diferentes produtos e manifestações culturais? música, teatro, artes visuais, literatura, TV etc. Cultura como sistema simbólico, como conjunto de símbolos e significados partilhados pelos membros de um sistema cultural (LARAIA, 2003). Já os termos?cultura da escola? e?cultura escolar? empresto de Fourquin (1993, p. 167), para quem?[...] a escola é também um?mundo social?, que tem suas características de vida próprias, seus ritmos e seus ritos, sua linguagem, seu imaginário, seus modos próprios de regulação e de transgressão, seu regime próprio de produção e de gestão de símbolos. E esta?cultura da escola? (no sentido em que se pode também falar de?cultura da oficina? ou de?cultura da prisão?) não deve ser confundida tampouco com o que se entende por?cultura escolar?, que se pode definir como o conjunto dos conteúdos cognitivos e simbólicos que, selecionados, organizados,?normalizados?,?rotinizados?, sob o efeito dos imperativos de didatização, constituem habitualmente o objeto de transmissão deliberada no contexto das escolas.? Alunos Envolvidos: Graduação: CELIA MARIA DE CASTRO ALMEIDA 4 de 11

5 PROGRAMA: P-4 - UNIUBE LINHA DE PESQUISA: E SOCIEDADE SOCIEDADES EM REDE TRABALHO EM E SUBJETIVIDADES CONTEMPORÂNEAS 2002 Descrição: Dadas as alterações tecnológicas mais recentes e suas expressões na sociedade contemporânea, seus reflexos e suas articulações com a vida cotidiana, pretende-se neste projeto compreender o modo como o trabalho em educação vem se dando e o que dele resulta para a configuração da subjetividade de profissionais do ensino superior e para o padrão de relações sociais daí emergentes. Este projeto dá seguimento a um projeto maior que tem como objeto central a análise dos impactos da tecnologia nas relações sociais, tomando como referência o trabalho na Universidade de Uberaba, cujos setores vêm sendo progressivamente informatizados. Serão investigadas as mudanças geradas pela chamada sociedade em rede (Castells, 1999), as demandas individuais e coletivas daí decorrentes, e suas articulações com a definição de um novo modo de conceber e exercer a educação e o que disso resulta para a redefinição da identidade do profissional docente e a natureza de seu trabalho. Trata-se de compreender o conjunto dessas mudanças e, de modo particular, o que estas acarretam para o trabalho, a saúde e a subjetividade de um grupo de professores expostos a novas tecnologias e ferramentas de trabalho. A questão é avaliar o processo de trabalho docente, compreender a sua natureza, seus conteúdos e o modo como eles são afetados pela revolução informacional (Lojkine, 1995), de modo examinar a natureza das relações entre tecnologia, sociedade, educação e carreira docente. Objetiva-se discutir suas articulações com novas demandas que se estabelecem para a escola e demais equipamentos sociais, vistos como co-responsáveis pela produção e implementação das inovações consideradas necessárias ao desenvolvimento das novas sociabilidades e identidades que esta sociedade está a exigir. Esta pesquisa se dará na interface das abordagens disciplinares da sociologia, da psicologia social e das ciências da educação e da informação, trazidas pelos pesquisadores participantes em suas experiências diversas. Nos dizeres de Morin (2000), dar-se-á ênfase ao pensamento complexo que capte as relações, inter-relações e implicações mútuas, os fenômenos multidirecionais, as realidades que são simultaneamente solidárias e conflitivas (Deslandes,1994). Visa à causalidade em espiral que, como afirma Morin, ao contrário da linear, busca a ligação entre princípios originalmente opostos. Isso se fará pela problematização do cotidiano do trabalho, a partir dos próprios sujeitos pesquisados, buscando pela reintegração criativa (Bachelard, 1989) dos diversos saberes a construção de um modelo explicativo das experiências e representações que delas têm cada um dos envolvidos. Com base na metodologia da pesquisa qualitativa, recorrendo-se à história oral, a observações e à pesquisa documental, serão levantadas as informações, cuja análise, apoiada no referencial da teoria do pensamento complexo (Morin, 1990), auxilie a explicar os fundamentos teórico-metodológicos da formação e da práxis de professores e os condicionamentos históricos, políticos, culturais e sociais, a elas subjacentes e que vêm direcionando suas atividades de ensino e de pesquisa num contexto institucional e organizacional dados. O objetivo é avaliar as alterações no seu modo de trabalhar e viver trazidas pelo uso da informática e suas ligações com a sua saúde, destacando a natureza da relação sociedade/educação e o lugar que o trabalho tem na sua cotidianidade, consideradas as principais inovações sociais em curso a que estão expostos os indivíduos, como sujeitos individuais e coletivos. Alunos Envolvidos: Graduação: 1 3 CRISTIANA CHAVES AVEIRO Nilza Consuelo Alves Pinheiro SÁLUA CECILIO Sandra Mára Tiveron Juliano 5 de 11

6 PROGRAMA: P-4 - UNIUBE A AFETIVIDADE E A INTERAÇÃO DO REPERTÓRIO CULTURAL DE PROFESSORES/AS E ALUNOS/AS DO ENSINO FUNDAMENTAL DAS ESCOLAS PÚBLICAS DE UBERABA (MG) Descrição: Projeto de pesquisa aprovado pelo PAPE (Programa de Apoio à pesquisa) da Universidade de Uberaba, com direito à pesquisadora de Iniciação Científica (sem bolsa). Projeto apresentado ao CNPQ como subprojeto de um projeto maior, aprovado em Alunos Envolvidos: Graduação: 1 ANA CATARINA NORONHA RIBEIRO SUELI FERREIRA A FAMÍLIA NA CRECHE: UM ENFOQUE ECOLÓGICO EM FORMAÇÃO DE PROFESSORES 2003 Descrição: O projeto propõe que os contextos mediacionais de aprendizagem, para promover o desenvolvimento da criança- família e creche - sejam estudados ao mesmo tempo e não de forma isolada, já que a criança, na concepção de Bronfrebenner, ao ingressar em uma instituição, passa a atuar em um mesosistema, que é a uma área de interação entre os sistemas familiar e educacional e o professor deve ser formado para propiciar a colaboração da família. Alunos Envolvidos: Graduação: 3 2 CARMEN CAMPOY SCRIPTORI DÉBORA NOGUEIRA TOMÁS EULÁLIA HENRIQUES MAIMONE LÚCIA HELENA MENDONÇA COSTA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE ENSINO MEDIO E A PEDAGOGIA DAS COMPETÊNCIAS: ANALISANDO LICENCIATURAS EM INSTITUIÇÕES DO ENSINO SUPERIOR EM UBERABA (MG) Descrição: Este trabalho de investigação parte do pressuposto de que é preciso elucidar as relações entre as políticas de educação e os processos de formação docente, nos cursos de licenciatura, tendo em vista os destinatários da ação educativa, os jovens do Ensino Médio. Voisa apreender correlações entre reformas educacionais, que dão ênfase ao modelo das competências e o modo como formadores de professores e professores, nas licencituras, lidam com estes conceitos e sugerem práticas, tratam do currículo, da educação básica. Pesquisa qualitativa, com pesquisa bibliográfica, documental e de campo. Referenciais teóricos básicos, ligados à análise da reestruturação do sistema produtivo com repercussões na educação em: Castells, Castel, Frigotto, Hirata, Kuenzer, C. Ferretti, Tanguy, Perrenoud, Burnier, Bourdier. Alunos Envolvidos: Graduação: 1 DIRCE MARIA FALCONE GARCIA 6 de 11

7 PROGRAMA: P-4 - UNIUBE A ORGANIZAÇÃO DO ENSINO DE MATEMÁTICA E O DESENVOLVIMENTO DA AUTONOMIA E DA AFETIVIDADE NA FORMAÇÃO E PRÁTICA DOCENTE Graduação: 2 Descrição: O presente projeto configura-se numa pesquisa-formação, envolvendo os professores da creche do Centro de Apoio ao Trabalhador Rural, do município de Uberaba/MG, e os docentes da UNIUBE responsáveis por esta pesquisa, numa parceria entre a rede municipal de ensino e a universidade. Pensado, organizado e praticado coletivamente, este projeto visa, principalmente, desencadear um processo de formação profissional em todos os envolvidos, tomando como pretexto o ensino da Matemática e o desenvolvimento da autonomia e da afetividade. A escolha dessas áreas de atuação justifica-se pelos resultados da pesquisa "Promoção de Qualidade na Educação Infantil: um programa de intervenção em formação de educadores", desenvolvido no âmbito da Universidade de Uberaba, financiado pela FAPEMIG, que identificou a carência desses campos no cotidiano da creche. Fundamentado na teoria da atividade de Leontiev, o compartilhamento de diferentes saberes e experiências é o princípio teórico-metodológico da dinâmica de trabalho desenvolvida nesse processo de formação. Este projeto conta com o financiamento do Programa de Apoio à Pesquisa (PAPE) da Universidade de Uberaba e com 02 bolsas do Programa Institucional de Iniciação Científica (PIBIC). Alunos Envolvidos: ANDRÉA MATURANO LONGAREZI ELAINE SAMPAIO ARAUJO ESTER MODESTO MAGDALA AHMAR SUELI FERREIRA 7 de 11

8 PROGRAMA: P-4 - UNIUBE CONHECIMENTO SOCIAL E APRENDIZAGEM ESCOLAR: FUNDAMENTOS PARA UMA DIDÁTICA ATIVA 2003 Descrição: O PROBLEMA: Estudos e pesquisas constatam a existência de uma ordem no desenvolvimento das noções sociais em crianças e adolescentes, o que implica que essa ordem deveria ser um guia útil para a organização dos conteúdos escolares. Na prática educativa escolar, constata-se a existência de compassos e descompassos entre os aspectos psicogenéticos da aprendizagem das noções sociais, os conteúdos escolares e as propostas didáticas dos professores, nos ciclos do Ensino Fundamental. A questão que se coloca é: "como é possível favorecer a compreensão da sociedade, suas instituições e relações, por parte dos estudantes?" Objetivos: Coordenar as contribuições dos resultados de pesquisas psicológicas sobre o conhecimento social e o ensino atual das noções sociais praticado nos diferentes ciclos (1ª a 8ª Séries) e investigar em que medida este leva em conta as formas de representação que os alunos fazem da sociedade. ETAPAS DA PESQUISA: 1) Fazer um diagnóstico do estado atual desse tipo de ensino, partindo da análise dos programas ou projetos e dos textos didáticos habitualmente utilizados nas escolas públicas e particulares; 2) identificar os compassos e descompassos existentes entre os aspectos psicogenéticos da aprendizagem dos conceitos sociais, os conteúdos selecionados e as propostas didáticas dos professores, nos ciclos escolares; 3) estabelecer as bases de uma didática que venha a ser mais adequada às capacidades e interesses dos alunos. ESTADO ATUAL DO CONHECIMENTO: Resultados de estudos e pesquisas realizados sobre o conhecimento social, evidenciam aspectos: a) de ordem econômica, como a noção de dinheiro, a estratificação e a mobilidade social (Delval, 1989; Delval e Echeíta, 1991; Delval, Enesco e Navarro, 1994/95; Delval e Denegri, 2002; b) de ordem política, (Adelson, Green, e O'Neill, 1969; Adelson, 1975), Connell (1971) e Furth (1980); o sentido de comunidade e a noção de lei (Adelson, J., Green, B. e O'Neill, R., 1969); o raciocínio político (Gallatin, 1977); as atitudes com relação ao sistema judicial (Torney, 1971); o compromisso político (Furth e McConville, 1981); a autoridade presidencial, o Governo e o Estado (Delval, 1986; Castorina e Aisenberg, 1989; Berti, 1994; Castorina, Lenzi e Aisenberg, 1997; Berti e Benesso, 1998; Lenzi, 1998); as relações internacionais (Torney-Purta, 1989 e 1994); os processos eleitorais (Moore, 1989); o raciocínio moral e as normas jurídicas relativas ao sistema judicial (Tapp e Kohlberg, 1971; Langford, 1997; Berti e Ugolini, 1998); a compreensão dos direitos, as garantias e liberdades civis (Gallatin e Adelson, 1971; Delval, del Barrio, Espinosa, Breña e Chakur, 1995; Ruck, Abramovitch e Keating, 1998); representação da realidade escolar (Chaves & Barbosa, 1998); e a compreensão da guerra e da paz (Delval e del Barrio, 1992, 2002) e c) outros, estudos brasileiros realizados pelo LPG/FE/UNICAMP como, etnia, (Godoy, 1997 e 1999); direitos humanos (Saravalli, 1999); amizade (Tortella, 1996 e 1999). METODOLOGIA: Fase 1) Sistematização dos resultados de pesquisas sobre o Conhecimento Social; Participação no Grupo de Estudos do Departamento de Psicologia Evolutiva, da Universidade Autônoma de Madri, sob coordenação do Prof. Dr. Juan Delval, para estabelecer categorias que permitam agrupar e sustentar a análise dos dados. Fase 2) Coleta de dados, análise de programas, projetos de ensino e textos escolares disponíveis no mercado e nos meios escolares. A metodologia será de observação participante ou não participante, com questionários abertos e entrevistas não diretivas. O registro será feito em diários de campo, gravações sonoras, em vídeo e fotografia. RESULTADOS ESPERADOS: 1) Produção de documentos e divulgação dos resultados sob forma de textos, artigos e documentos escritos ou na Web para serem divulgados e discutidos por profissionais da educação, em oficinas, seminários e cursos de formação inicial ou continuada de mestres e professores da área de pedagogia e de ciências sociais. Os resultados mais imediatos permitirão criar espaços de discussão e reflexão a propósito de das defasagens entre a maneira de pensar sobre os fenômenos da sociedade por crianças e adolescentes e o modo como se pretende ensinar essas ciências sociais na escola. A realização de oficinas, cursos e encontros de reflexão com professores dos diferentes ciclos e níveis escolares, propiciarão a tomada de consciência da distância que existe entre o que se pretende ensinar e aquilo que os alunos podem compreender, o que viria a contribuir para a elaboração de ferramentas mais efetivas para a ação didática. Alunos Envolvidos: Graduação: 1 1 ALAÍDE RITA DONATONI CARMEN CAMPOY SCRIPTORI JULIANA FERNANDES ROCHA PRISCILLA NUNES NASCIMENTO SANDRA MARA DANTAS 8 de 11

9 PROGRAMA: P-4 - UNIUBE FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES EM SERVIÇO. ESCOLA MUNICIPAL ANÍSIO TEIXEIRA - UBERABA 2002 Descrição: Este é um projeto de formação de professores em serviço, desenvolvido mediante um processo de pesquisa que, com sua própria metodologia, pretende resolver a seguinte questão: Que elementos teóricos metodológicos orientam o desenvolvimento de um projeto de formação continuada de professores, em uma instituição escolar (como um todo)? Pretende também a formação continuada de professores em serviço, entendendo esta como realizada no próprio local de trabalho e tomando como objeto de estudo o próprio exercício profissional. As reflexões individuais e coletivas, trocas de experiências sobre o fazer docente tornam possível as transformações do cotidiano profissional e da própria formação continuada. A metodologia da pesquisa está baseada em fundamentos da pesquisa - ação e da pesquisa participativa que na construção dos dados implica a participação coletiva da escola como um todo. Parte-se do princípio de que as experiências dos professores contêm conhecimentos para serem confrontados com conhecimentos universalmente sistematizados, visando a construção coletiva de uma proposta político pedagógica da unidade escolar. O desenvolvimento da pesquisa tem permitido resultados como: a construção de dados para caracterização da Escola Municipal Anísio Teixeira (EMPAT) enquanto à espaço físico, professores, alunos e pais; a construção de elementos para a elaboração do Projeto Político Pedagógico da escola; a construção da tríade professor - conhecimento - aluno como eixo para o desenvolvimento Projeto Político Pedagógico. Alunos Envolvidos: Graduação: 1 1 JANE MAGALI FERNANDES CIVIDANES GENARCKI LUIS EDUARDO ALVARADO PRADA RENILDA MARIA ROSA Valéria de Freitas Oliveira FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES: AÇÕES DESENVOLVIDAS EM MUNICÍPIOS DA REGIÃO DE UBERABA Descrição: O presente projeto de pesquisa pretende levantar "o que" e "como" estão sendo desenvolvidas as atividades de formação continuada de professores em aproximadamente 25 municípios da região de Uberaba, para que estes dados subsidiem, tanto os formuladores de políticas, como os executores das mesmas nos processos de formação de professores, inclusive professores de professores. As experiências e/ou ações de formação continuada que acontecem no cotidiano do exercício profissional docente são pouco registradas, sistematizadas e pesquisadas, por isso, são nosso objeto de pesquisa neste projeto que pretenda, acima de tudo, dispor alguns dados atendendo às seguintes questões: que ações de formação continuada de professores são desenvolvidas pelos diferentes setores da sociedade? Onde e quando estas ações acontecem? Qual a participação dos professores? Como são desenvolvidas, mediante que metodologias? Quais os recursos financeiros utilizados? Quais os interesses dos professores quanto à sua própria formação? O que cada escola, como instiuição, faz para a formação continuada de seus professores? No contexto destas inúmeras indagações, tomamos como questão central, compreender como e que ações de educação continuada de professores de ensino fundamental e médio das escolas da rede pública e privada estão sendo desenvolvidas na região de Uberaba. A metodologia da pesquisa baseia-se, fundamentalmente, em abordagens qualitativa, capazes de viabilizar a construção coletiva dos dados. Nessa perspectiva, serão utilizados questionários, entrevistas, oficinas, encontros de experiências, seminários permanentes, técnicas de devolução de dados para sistematizar e qualificar dados. Participarão deste estudo professores das escolas públicas e privadas de cada um dos municípios envolvidos neste trabalho e os funcionários geradores ou responsáveis pela aplicação de políticas de educação continuada nesses municípios. Alunos Envolvidos: Graduação: ANDRÉA MATURANO LONGAREZI LUIS EDUARDO ALVARADO PRADA Valéria de Freitas Oliveira 9 de 11

10 PROGRAMA: P-4 - UNIUBE FORMAÇÃO DE EDUCADORES DE INFÂNCIA: UM PERCURSO PELA MATEMÁTICA. CORRESPONDENDO BRASIL E PORTUGAL Descrição: Este projeto, a ser desenvolvido no âmbito da formação profissional, tem seu cenário no Jardim de Infância/Escola onde os Educadores são produtores de conhecimento. Assim, defendemos a constituição de comunidades de aprendizagem como um dos instrumentos favorecedores dessa produção e do desenvolvimento profissional docente. Na trajetória que propomos seguir, privilegiaremos dois aspectos: a matemática como área de conhecimento e o intercâmbio entre Educadores do Brasil e de Portugal. É nosso objetivo investigar em que medida a proposta de formação, por nós defendida, tem impacto na formação profissional dos que trabalham na/com Educação de Infância e das Séries iniciais e como se explicita na qualidade da relação ensino e aprendizagem, bem como, na sistematização, por meio de um projeto em matemática, como síntese desse processo de aprendizagem. Interessa-nos revelar o processo de pensamento teórico do professor no movimento de elaboração, reflexão, aplicação, análise e síntese da atividade orientadora de ensino. Nesse sentido, nosso objeto é o desenvolvimento profissional docente. Alunos Envolvidos: Graduação: 1 ELAINE SAMPAIO ARAUJO O FAZER O PENSAR NO COTIDIANO DA SALA DE AULA: PESQUISA EM FORMAÇÃO CONTINUADA COM 2003 PROFESSORES/AS DA UNIUBE Descrição: O projeto de pesquisa tem como proposta refletir sobre a formação pedagógica oferecida pelo Grupo de Apoio Pedagógico e Pesquisa - GAPP, constituído por professores/as do Instituto de Formação de Educadores, aos professores/as da Universidade de Uberaba. Entre as diversas atividades oferecidas pelo GAPP privilegiamos o Curso de Atualização:?O Fazer e o Pensar no Cotidiano da Sala de Aula? para objeto de estudo dessa pesquisa. Nesse curso os professores/as das mais diferentes áreas da Universidade, refletem sua prática em conjunto com professores/as do Instituto de Formação de Educadores pensando numa aprendizagem em diálogo com a experiência e a história de vida de cada professor/a. As teorias sobre?o professor reflexivo e pesquisador? (Dewey, Nóvoa, Schön, Alarcão entre outros) são um dos fundamentos à luz dos quais propomos, analisamos, interpretamos e refletimos as ações desenvolvidas no apoio pedagógico. Para dar maior consistência e profundidade ao aprender com o próprio agir e a se desenvolver como profissional docente, recorremos às formas de produção de subjetividades, cujo referencial teórico encontramos nos estudos culturais e mais especificamente nos estudos foucaultianos voltados para a educação. O GAPP, como grupo de pesquisa prioriza dois objetivos: 1. investigar se as ações pedagógicas desenvolvidas e em desenvolvimento com os professores/as da Universidade de Uberaba contribuem para mudanças na prática docente e identificar a natureza de tais mudanças; 2. desvelar como nas práticas pedagógicas se estabelecem, se regulam e se modificam as relações do sujeito consigo mesmo. A natureza das questões que pretendemos aprofundar e sua abrangência exige um tratamento metodológico que a pesquisa qualitativa atende. Definimos como caminhos mais representativos de pesquisa de campo a observação dos professores/as nas diferentes atividades de apoio pedagógico previstas, assim como os depoimentos dos docentes participantes do curso?o Fazer e o Pensar no Cotidiano da Sala de Aula?. Os roteiros de observação serão elaborados através de discussão de toda a equipe, tendo por base o referencial teórico da pesquisa. Quanto às entrevistas optamos pela técnica da história oral temática, pois o relato oral nos dará acesso às representações que os professores/as fazem dos fatos de suas vidas. A formação de professores/as nessa perspectiva pode promover a apropriação dos diferentes discursos educacionais, entendendo que desse campo de negociação resulta a produção de subjetividades. Alunos Envolvidos: Graduação: 1 ANA MARIA FACCIOLI DE CAMARGO ANTÔNIO BARIONI GUSMAN DOMINGOS GOULART DE FARIA GLAURA MORAIS PARONETO MARTHA MARIA PRATA LINHARES ORMEZINDA MARIA RIBEIRO OSANA MARIA LEAL SILVA SUELI TERESINHA DE ABREU BERNARDES SUEMI HAMADA MORAIS SILVA 10 de 11

11 PROGRAMA: P-4 - UNIUBE O FAZER O PENSAR NO COTIDIANO DA SALA DE AULA: PESQUISA EM FORMAÇÃO CONTINUADA COM PROFESSORES/AS E O AMBIENTE TELEDUC. Descrição: O presente projeto de pesquisa tem como proposta refletir sobre a formação pedagógica oferecida pelo Grupo de Apoio Pedagógico e Pesquisa - GAPP, constituído por professores do Instituto de Formação de Educadores, aos professores da Universidade de Uberaba. Entre as diversas atividades oferecidas pelo GAPP privilegiamos o Curso?O Fazer e o Pensar no Cotidiano da Sala de Aula? para objeto de estudo desta pesquisa. Neste curso os professores das mais diferentes áreas da Universidade, refletem sua prática pensando-a na forma de interação com diferentes ambientes de aprendizagem (seja presencial ou não presencial). Para isso recorremos aos modos de produção de subjetividades. O GAPP propõe incursionar na trajetória de vida de um grupo de professores, profissionais de outras formações que compõem o corpo docente da Universidade de Uberaba, que fizeram ou fazem o Curso:?O Fazer e o Pensar no Cotidiano da Sala de Aula?, procurando em suas posturas educativas individuais e coletivas o que de fato mudou, e como mudou nesses profissionais, após trilhar os caminhos pedagógicos e assumir o discurso da educação.. A natureza das questões que pretendemos aprofundar e sua abrangência exige um tratamento metodológico que a pesquisa qualitativa atende. Tomando a linguagem como elemento integrador e fomentador da reflexão e da transformação, procuraremos identificar o que as vivências dos docentes pesquisados revelam sobre o redirecionamento de sua profissão em outras áreas para a função de professor. Alunos Envolvidos: Graduação: 2 ANA MARIA FACCIOLI DE CAMARGO IOLANDA RODRIGUES NUNES MARTHA MARIA PRATA LINHARES NORBERTO CIRINEU ALVES PEREIRA ORMEZINDA MARIA RIBEIRO ROWENA BORRALHO MONTEIRO LACERDA UM ESTUDO DO FRACASSO ESCOLAR EM CRIANÇAS DE 3ª A 4ª SÉRIES EM UMA ESCOLA PÚBLICA DE UBERABA (MG) Descrição: Trata-se de uma pesquisa de campo que, juntamente com alunas do Curso de Serviço Social e do Mestrado em Educação, num trabalho interdisciplinar, tem o objetivo de verificar a incidência e a natureza do fracasso escolar em crianças de 9 a 12 anos de idade de uma escola pública de Uberaba (MG). Da mesma forma, busca verificar em qual área do conhecimento esse fracasso escolar se destaca para, futuramente, se averiguar a necessidade de intervenções pedagógicas. Na metodologia serão utilizadas observações, entrevistas e questionários escritos aos alunos de 3ª/4ª séries e seus professores. Alunos Envolvidos: Graduação: 3 ALAÍDE RITA DONATONI NEIVA MARIA DA SILVA JACOMINI OTAVIANO JOSÉ PEREIRA ROSLILANE DOS SANTOS SIRLEI GOMES DA SILVA E SILVA 11 de 11

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA 1 CURSO EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INVESTIGAÇÃO DA PRÁTICA DOCENTE I... 4 02 LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO... 4 03 PROFISSIONALIDADE DOCENTE... 4 04 RESPONSABILIDADE

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL... 4 02 INVESTIGAÇÃO PEDAGÓGICA: DIVERSIDADE CULTURAL NA APRENDIZAGEM... 4 03 METODOLOGIA CIENTÍFICA...

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL Fase: 1ª Carga Horária: 30 h/a Prática: 30 h/a Créditos: 4 A biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2004.1. Disciplinas do Núcleo Comum 01 ANTROPOLOGIA CULTURAL

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2004.1. Disciplinas do Núcleo Comum 01 ANTROPOLOGIA CULTURAL Disciplinas do Núcleo Comum 01 ANTROPOLOGIA CULTURAL Fase: 1ª Carga Horária: 30 h/a Prática: 10 h/a Créditos: 2 : A Antropologia enquanto ciência e seus principais ramos. Metodologia da pesquisa em Antropologia

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Habilitação: Regime: Duração: PEDAGOGIA LICENCIATURA FORMAÇÃO PARA O MAGISTÉRIO EM EDUCAÇÃO INFANTIL SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização:

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2008.1A

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2008.1A 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL Fase: 1ª Prática: 15 h/a Carga Horária: 60 h/a Créditos: 4 A biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão

Leia mais

O PROJETO PIBID: PRÁTICA PEDAGÓGICA INOVADORA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE.

O PROJETO PIBID: PRÁTICA PEDAGÓGICA INOVADORA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE. O PROJETO PIBID: PRÁTICA PEDAGÓGICA INOVADORA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE. Joelma Carvalho Vilar(UFS) 1 Cleverton dos Santos(UFS) 2 Érica Santos de Jesus(UFS) 3 Vera Lúcia Mendes de Farias(UFS)

Leia mais

Produção de vídeos pelos Educandos da Educação Básica: um meio de relacionar o conhecimento matemático e o cotidiano

Produção de vídeos pelos Educandos da Educação Básica: um meio de relacionar o conhecimento matemático e o cotidiano Produção de vídeos pelos Educandos da Educação Básica: um meio de relacionar o conhecimento matemático e o cotidiano SANTANA, Ludmylla Siqueira 1 RIBEIRO, José Pedro Machado 2 SOUZA, Roberto Barcelos 2

Leia mais

Curso de Pedagogia Ementário da Matriz Curricular 2010.2

Curso de Pedagogia Ementário da Matriz Curricular 2010.2 1ª FASE 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL A Biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão neurológica nos processos básicos: os sentidos

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE PEDAGOGIA Disciplina: Comunicação e Expressão Ementa: A leitura como vínculo leitor/texto através do conhecimento veiculado pelo texto escrito. Interpretação:

Leia mais

EXPERIÊNCIAS SIGNIFICATIVAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE PINHAIS-PR: COMPARTILHANDO IDEIAS E IDEAIS

EXPERIÊNCIAS SIGNIFICATIVAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE PINHAIS-PR: COMPARTILHANDO IDEIAS E IDEAIS EXPERIÊNCIAS SIGNIFICATIVAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE PINHAIS-PR: COMPARTILHANDO IDEIAS E IDEAIS Cordeiro, Juliana SEMED/Pinhais, vínculo efetivo, Pinhais, Paraná, Brasil juliana.cordeiro@pinhais.pr.gov.br

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR CENECISTA DE FARROUPILHA Mantido pela Campanha Nacional de Escolas da Comunidade

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR CENECISTA DE FARROUPILHA Mantido pela Campanha Nacional de Escolas da Comunidade MANUAL DE ESTÁGIO Curso de PEDAGOGIA S U M Á R I O 1. Apresentação... 03 2. Proposta de Estágio... 03 3. Aspectos legais... 04 4. Objetivo Geral... 04 5. Campo de Estágio... 05 6. Modalidades de Estágio...

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DOCÊNCIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DOCÊNCIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DOCÊNCIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL 1. APRESENTAÇÃO Este curso, que ora apresentamos, insere-se como mais uma ação na perspectiva da formação do educador e destina-se a especializar

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2008.1

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2008.1 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL Fase: 1ª Carga Horária: 60 h Prática: 15 h Créditos: 4 A Biologia e o educador. Herança e meio, a hereditariedade. Reprodução humana. As funções vegetativas (digestão e alimentos,

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR 1.ª SÉRIE DE OFERTA 99-8791-04 DIDÁTICA 160 0 160 99-8792-04

MATRIZ CURRICULAR 1.ª SÉRIE DE OFERTA 99-8791-04 DIDÁTICA 160 0 160 99-8792-04 Curso: Graduação: Regime: Duração: PEDAGOGIA LICENCIATURA PLENA MATRIZ CURRICULAR SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 04 (QUATRO) ANOS LETIVOS - MÁXIMO

Leia mais

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA - 2008. Disciplinas Teórica Prática Estágio Total. 1º Período

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA - 2008. Disciplinas Teórica Prática Estágio Total. 1º Período MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas. UNIFAL-MG Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700. Alfenas/MG. CEP 37130-000 Fone: (35) 3299-1000. Fax: (35) 3299-1063 DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE

Leia mais

(IM)PACTOS DA/COM A LEITURA LITERÁRIA NA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES ALFABETIZADORES Fernanda de Araújo Frambach UFRJ

(IM)PACTOS DA/COM A LEITURA LITERÁRIA NA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES ALFABETIZADORES Fernanda de Araújo Frambach UFRJ (IM)PACTOS DA/COM A LEITURA LITERÁRIA NA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES ALFABETIZADORES Fernanda de Araújo Frambach UFRJ Resumo O presente trabalho objetiva apresentar uma pesquisa em andamento que

Leia mais

ANEXO E: EMENTÁRIO DO CURRÍCULO 13

ANEXO E: EMENTÁRIO DO CURRÍCULO 13 ANEXO E: EMENTÁRIO DO CURRÍCULO 13 I CICLO DE ESTUDOS INTERDISCIPLINARES (1º e 2º semestres): FUNDAMENTOS DA FORMAÇÃO DO PEDAGOGO EMENTÁRIO: O I Ciclo do Curso de Pedagogia do UniRitter desenvolve os fundamentos

Leia mais

Gláucia Cristina Negreiros Coordenação do Curso de Pedagogia

Gláucia Cristina Negreiros Coordenação do Curso de Pedagogia Faculdades Integradas Mato - Grossenses de Ciências Sociais e Humanas Missão: Formar cidadãos, através da educação, para atuar de forma transformadora, ética e crítica, no contexto profissional e social

Leia mais

JUSTIFICATIVA OBJETIVOS GERAIS DO CURSO

JUSTIFICATIVA OBJETIVOS GERAIS DO CURSO FATEA Faculdades Integradas Teresa D Ávila Plano de Ensino Curso: Pedagogia Disciplina: Fundamentos Teoricos Metodologicos para o Ensino de Arte Carga Horária: 36h Período: 2º ano Ano: 2011 Turno: noturno

Leia mais

MEDIAÇÃO E CRIAÇÃO DE ELOS MEDIADORES NO DESENVOLVIMENTO DA LEITURA E DA ESCRITA: A EXPERIÊNCIA DE UM 2º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL.

MEDIAÇÃO E CRIAÇÃO DE ELOS MEDIADORES NO DESENVOLVIMENTO DA LEITURA E DA ESCRITA: A EXPERIÊNCIA DE UM 2º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL. MEDIAÇÃO E CRIAÇÃO DE ELOS MEDIADORES NO DESENVOLVIMENTO DA LEITURA E DA ESCRITA: A EXPERIÊNCIA DE UM 2º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL. RICOMINI, Ingrid da Silva; GIROTTO, Cyntía Graziella Guizelim Simões.

Leia mais

RELATO DO PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO. GT 06 Formação de professores de Matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional

RELATO DO PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO. GT 06 Formação de professores de Matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional RELATO DO PROJETO OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO GT 06 Formação de professores de Matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional Maria Madalena Dullius, madalena@univates.br Daniela Cristina Schossler,

Leia mais

A Interdisciplinaridade como Metodologia de Ensino INTRODUÇÃO

A Interdisciplinaridade como Metodologia de Ensino INTRODUÇÃO A Interdisciplinaridade como Metodologia de Ensino O bom professor é o que consegue, enquanto fala trazer o aluno até a intimidade do movimento de seu pensamento. Paulo Freire INTRODUÇÃO A importância

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UFPE CENTRO DE ARTES E COMUNICAÇÃO - CAC CURSO DE LICENCIATURA EM DANÇA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UFPE CENTRO DE ARTES E COMUNICAÇÃO - CAC CURSO DE LICENCIATURA EM DANÇA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UFPE CENTRO DE ARTES E COMUNICAÇÃO - CAC CURSO DE LICENCIATURA EM DANÇA Coordenadora do Curso: Prof a Maria Cláudia Alves Guimarães IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1. Denominação

Leia mais

UMA ANÁLISE DO FORMATO DO ESTÁGIO NAS LICENCIATURAS A DISTÂNCIA DA UFRN. Natal/RN, 05/2009.

UMA ANÁLISE DO FORMATO DO ESTÁGIO NAS LICENCIATURAS A DISTÂNCIA DA UFRN. Natal/RN, 05/2009. 1 UMA ANÁLISE DO FORMATO DO ESTÁGIO NAS LICENCIATURAS A DISTÂNCIA DA UFRN Natal/RN, 05/2009. Auta Stella de Medeiros Germano - SEDIS-UFRN - autastella@yahoo.com.br Categoria (Gerenciamento e Logística)

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.638, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.638, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.638, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura

Leia mais

GRUPO FRESTAS: FORMAÇÃO E RESSIGNIFICAÇÃO DO EDUCADOR: SABERES, TROCA, ARTE E SENTIDOS

GRUPO FRESTAS: FORMAÇÃO E RESSIGNIFICAÇÃO DO EDUCADOR: SABERES, TROCA, ARTE E SENTIDOS Eixo: Políticas para a Infância e Formação de Professores Contempla as produções acadêmico-científicas que tratam de ações políticas e legislações referentes à Educação Infantil e a infância. Aborda pesquisas

Leia mais

Uso da Lousa Digital em Aulas de Matemática: um estudo com professores do Ensino Médio

Uso da Lousa Digital em Aulas de Matemática: um estudo com professores do Ensino Médio Uso da Lousa Digital em Aulas de Matemática: um estudo com professores do Ensino Médio João Victor Maceno Lacerda 1 GD6 Educação Matemática, Tecnologias Informáticas e Educação à Distância Resumo: Neste

Leia mais

O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA.

O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA. O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA. Profa. Elizabeth Rodrigues Felix 1 I- INTRODUÇÃO Com dezoito anos de existência, o

Leia mais

Centro de Estudos Avançados em Pós Graduação e Pesquisa

Centro de Estudos Avançados em Pós Graduação e Pesquisa EDUCAÇÃO INFANTIL JUSTIFICATIVA O momento social, econômico, político e histórico em que vivemos está exigindo um novo perfil de profissional, de cidadão: informado, bem qualificado, crítico, ágil, criativo,

Leia mais

Docente do Programa de Mestrado em Educação da Universidade de Uberaba. Membro do grupo de pesquisa Formação de Professores e suas Práticas.

Docente do Programa de Mestrado em Educação da Universidade de Uberaba. Membro do grupo de pesquisa Formação de Professores e suas Práticas. 1 AÇÕES E ATIVIDADES FORMATIVAS: UM ESTUDO SOBRE PROCESSOS DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES LONGAREZI, Andréa Maturano UNIUBE GT-08: Formação de Professores Agência Financiadora: PAPE e UNIUBE O presente

Leia mais

POLO ARTE NA ESCOLA: FORMAÇÃO CONTINUADA DE ENSINO DA ARTE PARA PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA DE BANANEIRAS/PB

POLO ARTE NA ESCOLA: FORMAÇÃO CONTINUADA DE ENSINO DA ARTE PARA PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA DE BANANEIRAS/PB POLO ARTE NA ESCOLA: FORMAÇÃO CONTINUADA DE ENSINO DA ARTE PARA PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA DE BANANEIRAS/PB ANDRADE, Luciene de 1 BARBOSA,Jamylli da Costa 2 FERREIRA, Jalmira Linhares Damasceno 3 SANTOS,

Leia mais

CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO INFANTIL CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Claudia Maria da Cruz Consultora Educacional FEVEREIRO/2015 CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO INFANTIL A ênfase na operacionalização escrita dos documentos curriculares municipais é

Leia mais

A ARTE NA FORMAÇÃO CONTÍNUA DE PROFESSORES DO ENSINO FUNDAMENTAL: EM BUSCA DE UMA PRAXE TRANSFORMADORA

A ARTE NA FORMAÇÃO CONTÍNUA DE PROFESSORES DO ENSINO FUNDAMENTAL: EM BUSCA DE UMA PRAXE TRANSFORMADORA A ARTE NA FORMAÇÃO CONTÍNUA DE PROFESSORES DO ENSINO FUNDAMENTAL: EM BUSCA DE UMA PRAXE TRANSFORMADORA Sumaya Mattar Moraes Mestranda na Área de Linguagem e Educação da FEUSP Esta pesquisa coloca em pauta

Leia mais

Formação Pedagógica em Educação Profissional: A Prática Pedagógica na Tutoria em Enfermagem

Formação Pedagógica em Educação Profissional: A Prática Pedagógica na Tutoria em Enfermagem Formação Pedagógica em Educação Profissional: A Prática Pedagógica na Tutoria em Enfermagem Resumo Maria Marly de Oliveira Coelho 1 Francinete Massulo Corrêa 2 O texto em pauta tem como foco reflexões,

Leia mais

EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA

EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA GT-1 FORMAÇÃO DE PROFESSORES EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA RESUMO Maria de Lourdes Cirne Diniz Profa. Ms. PARFOR E-mail: lourdinhacdiniz@oi.com.br

Leia mais

A IMAGEM NA SALA DE AULA: UMA PROPOSTA DE PROJETO DE TRABALHO

A IMAGEM NA SALA DE AULA: UMA PROPOSTA DE PROJETO DE TRABALHO A IMAGEM NA SALA DE AULA: UMA PROPOSTA DE PROJETO DE TRABALHO Gabriela Gonçalves da Silva 1 Jonney Gomes de Freitas Abreu 2 Marielli Gomes Mendonça 3 Mônica Mitchell de Morais Braga 4 Murilo Raphael Dias

Leia mais

A DANÇA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA COM O ESTILO HIP-HOP 1

A DANÇA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA COM O ESTILO HIP-HOP 1 A DANÇA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA COM O ESTILO HIP-HOP 1 Claudiane da S. EUSTACHIO Dayana Pires Alves GARCIA Fátima RODRIGUES Jean de J. SANTANA 2 Juliana CESANA 3 Ana Lucia de Carvalho MARQUES

Leia mais

Articulando saberes e transformando a prática

Articulando saberes e transformando a prática Articulando saberes e transformando a prática Maria Elisabette Brisola Brito Prado Na sociedade do conhecimento e da tecnologia torna-se necessário repensar o papel da escola, mais especificamente as questões

Leia mais

Palavras-chave: formação continuada, educação básica, ensino de artes visuais.

Palavras-chave: formação continuada, educação básica, ensino de artes visuais. 4CCHLADAVPEX01 O ENSINO DE ARTES VISUAIS NAS ESCOLAS PÚBLICAS DE ALHANDRA: UMA PROPOSTA DE FORMAÇÃO CONTINUADA PARA OS PROFESSORES DO ENSINO FUNDAMENTAL Cláudia Oliveira de Jesus (1); Adeílson França (1);

Leia mais

O talento é seu. A gente só aperfeiçoa. Conheça: est.edu.br

O talento é seu. A gente só aperfeiçoa. Conheça: est.edu.br O talento é seu. A gente só aperfeiçoa. EXTENSÃO Conheça: est.edu.br PROGRAMA DE EXTENSÃO A Faculdades EST é vinculada à Rede Sinodal de Educação, identificada com a Igreja Evangélica de Confissão Luterana

Leia mais

A REFLEXÃO CRÍTICA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: Entre Práticas e Saberes. Alciane Gonçalves Barbosa - Graduanda em Pedagogia/UFPI

A REFLEXÃO CRÍTICA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: Entre Práticas e Saberes. Alciane Gonçalves Barbosa - Graduanda em Pedagogia/UFPI A REFLEXÃO CRÍTICA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: Entre Práticas e Saberes Alciane Gonçalves Barbosa - Graduanda em Pedagogia/UFPI Maria Antonia Alves Lima Graduanda em Pedagogia /UFPI Bárbara Maria Macedo

Leia mais

Unidade 4: Contextualização de Objetos de Aprendizagem

Unidade 4: Contextualização de Objetos de Aprendizagem Coordenação: Juliana Cristina Braga Autoria: Rita Ponchio Você aprendeu na unidade anterior a importância da adoção de uma metodologia para a construção de OA., e também uma descrição geral da metodologia

Leia mais

MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO EM SAÚDE: um relato de experiência

MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO EM SAÚDE: um relato de experiência UFMA UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM POLÍTICAS PÚBLICAS III JORNADA INTERNACIONAL DE POLÍCAS PÚBLICAS QUESTÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO NO SÉCULO XXI 1 MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA

PROGRAMA DA DISCIPLINA UPE Campus Petrolina PROGRAMA DA DISCIPLINA Curso: GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA Disciplina: ESTÁGIO I Carga Horária: 90h Teórica: Prática: 80h Semestre: 2013.2 Professora: Claudia Mara Soares

Leia mais

INSTITUTO SINGULARIDADES CURSO PEDAGOGIA MATRIZ CURRICULAR POR ANO E SEMESTRE DE CURSO

INSTITUTO SINGULARIDADES CURSO PEDAGOGIA MATRIZ CURRICULAR POR ANO E SEMESTRE DE CURSO INSTITUTO SINGULARIDADES CURSO PEDAGOGIA MATRIZ CURRICULAR POR ANO E SEMESTRE DE CURSO 1º N1 1. Espaços e Práticas Culturais 40h N1 2. Oficina de Artes Visuais 80h N1 3. Prática de Leitura e escrita 80h

Leia mais

MEDIAÇÃO CULTURAL REFLEXÕES A PARTIR DA TEORIA HISTORICO-CULTURAL

MEDIAÇÃO CULTURAL REFLEXÕES A PARTIR DA TEORIA HISTORICO-CULTURAL ISSN 1981-2566 MEDIAÇÃO CULTURAL REFLEXÕES A PARTIR DA TEORIA HISTORICO-CULTURAL Silvia Maria Cintra da Silva Universidade Federal de Uberlândia silvia_ufu@hotmail.com Introdução A constituição social

Leia mais

QUADRO DE EQUIVALENTES, CONTIDAS E SUBSTITUTAS DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO

QUADRO DE EQUIVALENTES, CONTIDAS E SUBSTITUTAS DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO 28380 Antropologia Teológica A 1 34 28380 Antropologia Teológica A 1 34 A partir de conceitos teológicos, estimula o aluno a problematizar e analisar, criticamente, Equivalente Estuda a cultura humana,

Leia mais

PSICOPEDAGOGIA. DISCIPLINA: Desenvolvimento Cognitivo, Afetivo e Motor: Abordagens Sócio Interacionistas

PSICOPEDAGOGIA. DISCIPLINA: Desenvolvimento Cognitivo, Afetivo e Motor: Abordagens Sócio Interacionistas PSICOPEDAGOGIA DISCIPLINA: Fundamentos da Psicopedagogia EMENTA: Introdução e fundamentos da Psicopedagogia. O objeto de estudo. Visão histórica e atual. Concepções que sustentam a Psicopedagogia. O papel

Leia mais

Padrões de Competências para o Cargo de Coordenador Pedagógico

Padrões de Competências para o Cargo de Coordenador Pedagógico Padrões de Competências para o Cargo de Coordenador Pedagógico O Coordenador Pedagógico é o profissional que, na Escola, possui o importante papel de desenvolver e articular ações pedagógicas que viabilizem

Leia mais

ARCO-ÍRIS DE SABERES NA PRÁTICA EDUCATIVA: UMA EXPERIÊNCIA VIVENCIADA NO CURSO DE PEDAGOGIA DO IFESP

ARCO-ÍRIS DE SABERES NA PRÁTICA EDUCATIVA: UMA EXPERIÊNCIA VIVENCIADA NO CURSO DE PEDAGOGIA DO IFESP 1 ARCO-ÍRIS DE SABERES NA PRÁTICA EDUCATIVA: UMA EXPERIÊNCIA VIVENCIADA NO CURSO DE PEDAGOGIA DO IFESP Claudete da Silva Ferreira - IFESP Márcia Maria Alves de Assis - IFESP RESUMO Esta apresentação se

Leia mais

A PESQUISA NA FORMAÇÃO DE PEDAGOGOS: UM ESTUDO DE CASO

A PESQUISA NA FORMAÇÃO DE PEDAGOGOS: UM ESTUDO DE CASO A PESQUISA NA FORMAÇÃO DE PEDAGOGOS: UM ESTUDO DE CASO Msc. Maria Iolanda Fontana - PUCPR / UTP miolandafontana@hotmail.com RESUMO O presente trabalho sintetiza parcialmente o conteúdo da dissertação de

Leia mais

CULTURA ESCOLAR DICIONÁRIO

CULTURA ESCOLAR DICIONÁRIO CULTURA ESCOLAR Forma como são representados e articulados pelos sujeitos escolares os modos e as categorias escolares de classificação sociais, as dimensões espaço-temporais do fenômeno educativo escolar,

Leia mais

A construção participativa da Base Nacional Comum Curricular

A construção participativa da Base Nacional Comum Curricular Ministério da Educação Secretaria de Educação Básica A construção participativa da Base Nacional Comum Curricular Direitos e Objetivos de Aprendizagem e Desenvolvimento Diretrizes Curriculares Nacionais

Leia mais

Projeto Leitura e Escrita na Educação Infantil

Projeto Leitura e Escrita na Educação Infantil Projeto Leitura e Escrita na Educação Infantil Mônica Correia Baptista/UFMG Maria Fernanda Rezende Nunes/UNIRIO Patrícia Corsino/UFRJ Vanessa Ferraz Almeida Neves/UFMG Rita Coelho/MEC Ângela Barreto/Consultora

Leia mais

PROVA BRASIL: A AVALIAÇÃO EM MATEMÁTICA E AS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NO 5º ANO

PROVA BRASIL: A AVALIAÇÃO EM MATEMÁTICA E AS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NO 5º ANO PROVA BRASIL: A AVALIAÇÃO EM MATEMÁTICA E AS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NO 5º ANO Sylmara Fagundes da Silva Sylmara.fagundes@hotmail.com RESUMO O presente trabalho teve como objetivo analisar os resultados das

Leia mais

PEDAGOGIA. 1. ATIVIDADES COMPLEMENTARES O aluno deve comprovar 100h de atividades no decorrer do curso.

PEDAGOGIA. 1. ATIVIDADES COMPLEMENTARES O aluno deve comprovar 100h de atividades no decorrer do curso. PEDAGOGIA Ementas das Disciplinas 1. ATIVIDADES COMPLEMENTARES O aluno deve comprovar 100h de atividades no decorrer do curso. 2. COMUNICAÇÃO E EXPRESSÃO Leitura e compreensão de textos. Gêneros textuais.

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB Edital Pibid n 061 /2013 CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO

Leia mais

Justificativa: Cláudia Queiroz Miranda (SEEDF 1 ) webclaudia33@gmail.com Raimunda de Oliveira (SEEDF) deoliveirarai@hotmail.com

Justificativa: Cláudia Queiroz Miranda (SEEDF 1 ) webclaudia33@gmail.com Raimunda de Oliveira (SEEDF) deoliveirarai@hotmail.com 1 COMO COLOCAR AS TEORIAS ESTUDADAS NA FORMAÇÃO DO PNAIC EM PRÁTICA NA SALA DE AULA? REFLEXÕES DE PROFESSORES ALFABETIZADORES SOBRE O TRABALHO COM O SISTEMA DE NUMERAÇÃO DECIMAL Cláudia Queiroz Miranda

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS MISSÃO DO CURSO O Curso de Licenciatura em Artes Visuais busca formar profissionais habilitados para a produção, a pesquisa

Leia mais

ESTRATÉGIAS DE FORMAÇÃO CONTINUADA PARA DUCADORAS DE BERÇÁRIO: EM FOCO O TRABALHO EDUCATIVO COM A LINGUAGEM MOVIMENTO

ESTRATÉGIAS DE FORMAÇÃO CONTINUADA PARA DUCADORAS DE BERÇÁRIO: EM FOCO O TRABALHO EDUCATIVO COM A LINGUAGEM MOVIMENTO ESTRATÉGIAS DE FORMAÇÃO CONTINUADA PARA DUCADORAS DE BERÇÁRIO: EM FOCO O TRABALHO EDUCATIVO COM A LINGUAGEM MOVIMENTO NADOLNY, Lorena de Fatima PMC e UFPR lorenaedf@gmail.com GARANHANI, Marynelma Camargo-

Leia mais

A influência das Representações Sociais na Docência no Ensino Superior

A influência das Representações Sociais na Docência no Ensino Superior A influência das Representações Sociais na Docência no Ensino Superior Eixo temático 2: Formação de professores e cultura digital ZAIDAN, Lílian Araújo Ferreira 1 VIEIRA, Vânia Maria de Oliveira 2 No ensino

Leia mais

MODELAGEM NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: ABORDAGEM CRÍTICA DE TEMAS LIGADOS A SUSTENTABILIDADE

MODELAGEM NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: ABORDAGEM CRÍTICA DE TEMAS LIGADOS A SUSTENTABILIDADE 1 PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO Programa de Bolsa Institucional de Ensino e Aprendizagem Submodalidade Ensino Licenciatura em Matemática (Turno Noturno) MODELAGEM NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: ABORDAGEM CRÍTICA

Leia mais

Curso: Pedagogia ( 1 ª Licenciatura) I Bloco. Fundamentos Epistemológicos de Pedagogia 60 horas

Curso: Pedagogia ( 1 ª Licenciatura) I Bloco. Fundamentos Epistemológicos de Pedagogia 60 horas Curso: Pedagogia ( 1 ª Licenciatura) I Bloco Fundamentos Epistemológicos de Pedagogia 60 horas Metodologia Científica 60 horas História da Educação 60 horas Sociologia da Educação I 60 horas Filosofia

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Formação de professor/pedagogo. Didática. Mediação. Práxis. Introdução

PALAVRAS-CHAVE Formação de professor/pedagogo. Didática. Mediação. Práxis. Introdução 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

DISCIPLINAS TEORIA DAS ORGANIZAÇÕES:

DISCIPLINAS TEORIA DAS ORGANIZAÇÕES: DISCIPLINAS TEORIA DAS ORGANIZAÇÕES: A Teoria das Organizações em seu contexto histórico. Conceitos fundamentais. Abordagens contemporâneas da teoria e temas emergentes. Balanço crítico. Fornecer aos mestrandos

Leia mais

CINEMA PEDAGÓGICO COMO INTERVENÇÃO PARA PRÁTICA DOCENTE. Elaine Fernanda Dornelas de Souza

CINEMA PEDAGÓGICO COMO INTERVENÇÃO PARA PRÁTICA DOCENTE. Elaine Fernanda Dornelas de Souza Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 721 CINEMA PEDAGÓGICO COMO INTERVENÇÃO PARA PRÁTICA DOCENTE Elaine Fernanda Dornelas de Souza Serviço Nacional de

Leia mais

PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA: Perspectivas da formação de professores no viés da Gestão de Conhecimento

PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA: Perspectivas da formação de professores no viés da Gestão de Conhecimento PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA: Perspectivas da formação de professores no viés da Gestão de Conhecimento Leonardo Rocha de Almeida Mestrando Profissional em Gestão Educacional Universidade

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA

DIRETRIZES GERAIS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA DIRETRIZES GERAIS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA INTRODUÇÃO O Estágio Curricular foi criado pela Lei 6.494, de 7 de dezembro de 1977 e regulamentado pelo Decreto 87.497, de 18 de agosto

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 8, DE 7 DE MAIO DE 2004. (*)

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 8, DE 7 DE MAIO DE 2004. (*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 8, DE 7 DE MAIO DE 2004. (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de graduação em Psicologia. O Presidente

Leia mais

Curso de Especialização Educação Infantil 2ª Edição EMENTA DAS DISCIPLINAS

Curso de Especialização Educação Infantil 2ª Edição EMENTA DAS DISCIPLINAS Curso de Especialização Educação Infantil 2ª Edição EMENTA DAS DISCIPLINAS Psicologia do Desenvolvimento e Aprendizagem da Criança de 0 a 5 anos Docente do Curso Gilza Maria Zauhy Garms Total da Carga

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE PEDAGOGIA Comunicação e Expressão: Leitura e compreensão de textos. Gêneros textuais. Linguagem verbal e não verbal. Linguagem literária. Variação da língua,

Leia mais

CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU EM PSICOPEDAGOGIA PROJETO PEDAGÓGICO

CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU EM PSICOPEDAGOGIA PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU EM PSICOPEDAGOGIA PROJETO PEDAGÓGICO Campo Limpo Paulista 2012 1 CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU EM PSICOPEDAGOGIA Marcos Legais Resolução CNE CES 1 2002 Resolução CNE

Leia mais

OS SIGNIFICADOS DA DOCÊNCIA NA FORMAÇÃO EM ALTERNÂNCIA - A PERSPECTIVA DOS PROFISSIONAIS DAS ESCOLAS FAMILIA AGRÍCOLA

OS SIGNIFICADOS DA DOCÊNCIA NA FORMAÇÃO EM ALTERNÂNCIA - A PERSPECTIVA DOS PROFISSIONAIS DAS ESCOLAS FAMILIA AGRÍCOLA OS SIGNIFICADOS DA DOCÊNCIA NA FORMAÇÃO EM ALTERNÂNCIA - A PERSPECTIVA DOS PROFISSIONAIS DAS ESCOLAS FAMILIA AGRÍCOLA SILVA, Lourdes Helena da - UFV GT: Educação Fundamental /n.13 Agência Financiadora:

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO 1.ª SÉRIE

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO 1.ª SÉRIE MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Regime: Duração: BACHARELADO SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 04 (QUATRO) ANOS LETIVOS - MÁXIMO = 07 (SETE)

Leia mais

Trabalhos Aprovados: Eixo: Educação Infantil Manhã (8:30 às 12:00hrs.) Sala 26

Trabalhos Aprovados: Eixo: Educação Infantil Manhã (8:30 às 12:00hrs.) Sala 26 AS APRESENTAÇÕES ACONTECERÃO DIA 20/05 (QUARTA-FEIRA), NO PERÍODO DA MANHÃ E DA TARDE! Trabalhos Aprovados: Eixo: Educação Infantil Manhã (8:30 às 12:00hrs.) Sala 26 s: Práticas na leitura e escrita na

Leia mais

A FORMAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA: O PIBID COMO ESPAÇO DE TRABALHO COLETIVO. Palavras-chave: Licenciatura, Educação Física, Escola, Trabalho Coletivo.

A FORMAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA: O PIBID COMO ESPAÇO DE TRABALHO COLETIVO. Palavras-chave: Licenciatura, Educação Física, Escola, Trabalho Coletivo. A FORMAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA: O PIBID COMO ESPAÇO DE TRABALHO COLETIVO Bruna de Paula,CRUVINEL(FEF); Jehnny Kellen Vargas Batista, QUEIROZ (FEF); Lorrayne Bruna de CARVALHO (FEF); Karine Danielly L. M.

Leia mais

AÇÕES DO PROGRAMA ARTE E MATEMÁTICA: POSSIBILIDADES INTERDISCIPLINARES NA EDUCAÇÃO BÁSICA

AÇÕES DO PROGRAMA ARTE E MATEMÁTICA: POSSIBILIDADES INTERDISCIPLINARES NA EDUCAÇÃO BÁSICA ISSN 2316-7785 AÇÕES DO PROGRAMA ARTE E MATEMÁTICA: POSSIBILIDADES INTERDISCIPLINARES NA EDUCAÇÃO BÁSICA Resumo Tiago Dziekaniak Figueiredo Universidade Federal do Rio Grande FURG tiago@furg.br José Alexandre

Leia mais

Área de Ciências Humanas

Área de Ciências Humanas Área de Ciências Humanas Ciências Sociais Unidade: Faculdade de Ciências Humanas e Filosofia (FCHF) www.fchf.ufg.br Em Ciências Sociais estudam-se as relações sociais entre indivíduos, grupos e instituições,

Leia mais

EMENTÁRIO LETRAS EaD INGLÊS

EMENTÁRIO LETRAS EaD INGLÊS EMENTÁRIO LETRAS EaD INGLÊS 1ª FASE LLE 931 Introdução aos Estudos da Linguagem Total h/a Introdução aos conceitos de língua e língua(gem); características da língua(gem) humana; a complexidade da língua(gem)

Leia mais

A FORMAÇÃO DO BIBLIOTECÁRIO ESCOLAR

A FORMAÇÃO DO BIBLIOTECÁRIO ESCOLAR A FORMAÇÃO DO BIBLIOTECÁRIO ESCOLAR GLEICE PEREIRA (UFES). Resumo Com o objetivo de apresentar considerações sobre a formação do bibliotecário escolar, esta pesquisa analisa o perfil dos alunos do Curso

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CONSELHO PLENO RESOLUÇÃO CNE/CP Nº 1, DE 15 DE MAIO DE 2006. (*)

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CONSELHO PLENO RESOLUÇÃO CNE/CP Nº 1, DE 15 DE MAIO DE 2006. (*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CONSELHO PLENO RESOLUÇÃO CNE/CP Nº 1, DE 15 DE MAIO DE 2006. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia, licenciatura. O Presidente

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS ESPECÍFICAS DA EDUCAÇÃO BÁSICA

DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS ESPECÍFICAS DA EDUCAÇÃO BÁSICA DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS ESPECÍFICAS DA EDUCAÇÃO BÁSICA SUBSÍDIOS PARA A REVISÃO DAS DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL TRABALHO ENCOMENDADO PELO MEC/SEB DIRETORIA DE CONCEPÇÕES

Leia mais

Palavras chave: Letramento Literário; Educação infantil; Literatura infantil; Primeira Infância; Formação Docente.

Palavras chave: Letramento Literário; Educação infantil; Literatura infantil; Primeira Infância; Formação Docente. LETRAMENTO LITERÁRIO NA PRIMEIRA INFÂNCIA Mônica Correia Baptista (FAPEMIG/FaE/UFMG) monicacb@fae.ufmg.br Amanda de Abreu Noronha (FaE/UFMG) amandadeabreu13@gmail.com Priscila Maria Caligiorne Cruz FALE/(UFMG)

Leia mais

Saberes da Docência Online

Saberes da Docência Online Saberes da Docência Online Edméa Santos Professora do PROPED-Faculdade de Educação da UERJ E-mail: mea2@uol.com.br Web-site: http://www.docenciaonline.pro.br/moodle http://www.proped..pro.br/moodle Fones

Leia mais

EDUCAÇÃO DO CAMPO: Interfaces teóricas e políticas na formação do professor

EDUCAÇÃO DO CAMPO: Interfaces teóricas e políticas na formação do professor EDUCAÇÃO DO CAMPO: Interfaces teóricas e políticas na formação do professor Juliana Graciano Parise 1 Eliane de Lourdes Felden 2 Resumo: O trabalho apresenta uma experiência de ensino articulado à pesquisa

Leia mais

Ementas aprovadas nos Departamentos (as disciplinas obrigatórias semestrais estão indicadas; as demais são anuais)

Ementas aprovadas nos Departamentos (as disciplinas obrigatórias semestrais estão indicadas; as demais são anuais) UFPR SETOR DE EDUCAÇÃO CURSO DE PEDAGOGIA EMENTAS DAS DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS Ementas aprovadas nos Departamentos (as disciplinas obrigatórias semestrais estão indicadas; as demais são anuais) 1º ANO

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO ENSINO A DISTÂNCIA (EAD) DE PEDAGOGIA (LICENCIATURA) 1. COMUNICAÇÃO E EXPRESSÃO A leitura como vínculo leitor/texto, através da subjetividade contextual, de atividades de

Leia mais

PROJETOS DE ENSINO: PROPOSTA NA FORMAÇÃO ACADÊMICA E DOCENTE PARA OS LICENCIANDOS EM CIÊNCIAS NATURAIS

PROJETOS DE ENSINO: PROPOSTA NA FORMAÇÃO ACADÊMICA E DOCENTE PARA OS LICENCIANDOS EM CIÊNCIAS NATURAIS PROJETOS DE ENSINO: PROPOSTA NA FORMAÇÃO ACADÊMICA E DOCENTE PARA OS LICENCIANDOS EM CIÊNCIAS NATURAIS FREITAS, M.L.L 1 PROJETOS DE ENSINO: PROPOSTA NA FORMAÇÃO ACADÊMICA E DOCENTE PARA OS LICENCIANDOS

Leia mais

OBJETIVOS DO CURSO PERFIL DO EGRESSO

OBJETIVOS DO CURSO PERFIL DO EGRESSO 1 APRESENTAÇÃO Segundo Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos Tecnologicos conforme RESOLUÇÃO CNE/CP 3, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2002, A educação profissional de nível tecnológico, integrada às diferentes

Leia mais

O PIBID NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: CONTRIBUIÇOES E AÇÕES DO PIBID PARA FORMAÇÃO INICIAL DOS BOLSISTAS.

O PIBID NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: CONTRIBUIÇOES E AÇÕES DO PIBID PARA FORMAÇÃO INICIAL DOS BOLSISTAS. O PIBID NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: CONTRIBUIÇOES E AÇÕES DO PIBID PARA FORMAÇÃO INICIAL DOS BOLSISTAS. 1 Marcos Antonio de Sousa Rodrigues Bolsista/ PIBID/ UESPI 2 Sara Juliana Lima Ferreira Bolsista/

Leia mais

UMA CÂMERA OU CELULAR NA MÃO E UMA IDEIA NA CABEÇA: TRABALHANDO O GÊNERO DOCUMENTÁRIO EM SALA DE AULA

UMA CÂMERA OU CELULAR NA MÃO E UMA IDEIA NA CABEÇA: TRABALHANDO O GÊNERO DOCUMENTÁRIO EM SALA DE AULA UMA CÂMERA OU CELULAR NA MÃO E UMA IDEIA NA CABEÇA: TRABALHANDO O GÊNERO DOCUMENTÁRIO EM SALA DE AULA Wanda Patrícia de Sousa Gaudêncio (UFPB/PROFLETRAS) wandapatricia@evl.com.br Sandra Regina Pereira

Leia mais

ANÁLISE DAS DISSERTAÇÕES E TESES QUE ABORDARAM OS JOGOS E BRINCADEIRAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL

ANÁLISE DAS DISSERTAÇÕES E TESES QUE ABORDARAM OS JOGOS E BRINCADEIRAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL ANÁLISE DAS DISSERTAÇÕES E TESES QUE ABORDARAM OS JOGOS E BRINCADEIRAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL CLIMENIA MARIA LACERDA DE OLIVEIRA Núcleo de Estudos e Pesquisas: Trabalho Docente, Formação de Professores e

Leia mais

A AVALIAÇÃO EM CONTEXTO DIFERENCIADO PARA EDUCAÇÃO INFANTIL

A AVALIAÇÃO EM CONTEXTO DIFERENCIADO PARA EDUCAÇÃO INFANTIL A AVALIAÇÃO EM CONTEXTO DIFERENCIADO PARA EDUCAÇÃO INFANTIL JOSÉ MATEUS DO NASCIMENTO zenmateus@gmail.com POLIANI SANTOS DA SILVA poliany_mme@hotmail.com MARIA AUXILIADORA DOS SANTOS MARINHO Campus IV(CCAE)

Leia mais

Orientações para a elaboração dos projetos de pesquisa (Iniciação científica)

Orientações para a elaboração dos projetos de pesquisa (Iniciação científica) GRUPO PAIDÉIA FE/UNICAMP Linha: Episteduc Coordenador: Prof. Dr. Silvio Sánchez Gamboa Orientações para a elaboração dos projetos de pesquisa (Iniciação científica) Os projetos de pesquisa se caracterizam

Leia mais

PROJETO 7. 1. Identificação do projeto

PROJETO 7. 1. Identificação do projeto PROJETO 7 1. Identificação do projeto Título:Cinema, vídeo e tridimensionalidade: o AVA-AV na integração do ensino presencial e a distância. Responsável:Dra. Ana Zeferina Ferreira Maio Vínculo institucional:professora

Leia mais

O PAPEL DESEMPENHADO PELO PROGRAMA LEXT-OESSTE E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA A FORMAÇÃO E PARA O EXERCÍCIO PROFISSIONAL

O PAPEL DESEMPENHADO PELO PROGRAMA LEXT-OESSTE E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA A FORMAÇÃO E PARA O EXERCÍCIO PROFISSIONAL O PAPEL DESEMPENHADO PELO PROGRAMA LEXT-OESSTE E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA A FORMAÇÃO E PARA O EXERCÍCIO PROFISSIONAL Larissa dos Santos Gomes Resumo O presente artigo refere-se ao trabalho de conclusão

Leia mais

ANEXO II CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ENSINO MÉDIO

ANEXO II CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ENSINO MÉDIO ANEXO II CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ENSINO MÉDIO I PORTUGUÊS: Compreensão e interpretação de texto. Ortografia: divisão silábica, pontuação, hífen, sinônimo, acentuação gráfica, crase. Morfologia: classes de

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DO GT CAPOEIRA E EDUCAÇÃO

CONTRIBUIÇÕES DO GT CAPOEIRA E EDUCAÇÃO CONTRIBUIÇÕES DO GT CAPOEIRA E EDUCAÇÃO Este documento apresenta os resultados dos debates desenvolvidos pelo Grupo de Trabalho Capoeira e Educação, do 1º Encontro Regional do Programa Nacional de Salvaguarda

Leia mais