O GERENCIAMENTO DAS RELAÇÕES PÚBLICAS E DA COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL NA RETROVISA EVENTOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O GERENCIAMENTO DAS RELAÇÕES PÚBLICAS E DA COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL NA RETROVISA EVENTOS"

Transcrição

1 ALINE MICHELLE CARDOSO RAQUEL GONÇALVES DE JESUS VALÉRIA MARIA GALASSI O GERENCIAMENTO DAS RELAÇÕES PÚBLICAS E DA COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL NA RETROVISA EVENTOS Londrina 2006

2 ALINE MICHELLE CARDOSO RAQUEL GONÇALVES DE JESUS VALÉRIA MARIA GALASSI O GERENCIAMENTO DAS RELAÇÕES PÚBLICAS E DA COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL NA RETROVISA EVENTOS Trabalho de Conclusão de Curso apresentado à disciplina 3NIC098, como pré-requisito à obtenção do grau de bacharel em Relações Públicas pela Universidade Estadual de Londrina. Orientadora: Prof.ª Maristela Romagnole de Araújo Jurkevicz. Londrina 2006

3 3 1 INTRODUÇÃO Ao atentar-se às mudanças do mercado e a criação de novas oportunidades para o desenvolvimento organizacional, têm-se nas Relações Públicas estratégias inovadoras, tanto para o fortalecimento dos relacionamentos com os públicos estratégicos quanto na busca de solidez e confiabilidade. O incremento de novas tecnologias e a ampliação das áreas de atuação despertaram na Retrovisa Eventos a necessidade de uma reestruturação da sua maneira de comunicar-se com seus públicos. Neste sentido, o desenvolvimento da Proposta de Relações Públicas teve como objetivo gerenciar estrategicamente a comunicação administrativa, interna e institucional, por meio da gestão de relacionamentos com os principais públicos essenciais da organização colaboradores, clientes e consumidores. O trabalho teve como intuito alcançar uma maior integração entre colaboradores e organização, incentivar a motivação do público interno, e, paralelamente aumentar a satisfação dos clientes e consumidores da Retrovisa Eventos, tornando seu nome sinônimo de qualidade e confiança no ramo de eventos em Londrina e região. No estudo que se segue procurou-se aplicar as bases teóricas adquiridas no trabalho prático na Retrovisa Eventos, dessa forma, na primeira parte apresenta-se à pesquisa teórica sobre Comunicação Organizacional e suas vertentes, assim como também um estudo sobre Públicos, já na segunda parte encontra-se a parte pratica do trabalho, o relato dos programas e projetos desenvolvidos na empresa.

4 4 2 A RETROVISA EVENTOS A Retrovisa Eventos é uma empresa que presta serviços de consultoria e suporte técnico para eventos e produção de vídeos. A organização e execução de um evento requerem trabalho em equipe, criatividade, muita disciplina e profissionalismo. Desde a fundação, em 1991, a Retrovisa tem um caráter inovador, sendo pioneira na região norte do Paraná no ramo de projeção. Essa característica se mantém enraizada na cultura da empresa. A primeira atividade da Retrovisa foi à venda e locação de retro-projetores, em 1993 a arte gráfica em transparências e slides passaram a fazer parte dos serviços prestados. Em 1997 a empresa adicionou o serviço de sonorização, que levou a mudança do nome para Retrovisa Áudio Visuais. Em 2000, a iluminação cênica e robotizada, a projeção multimídia e a transmissão simultânea vieram agregar maior valor ao negócio da empresa. No último ano foi acrescido o serviço de produção de vídeos. Ao final de 2005, a Retrovisa Áudio Visuais transformou-se na Retrovisa Eventos, que atualmente encontra-se na Rua Natal esquina com Av. Leste-Oeste, em uma estrutura ampla e moderna, que oferece mais conforto e comodidade aos clientes e funcionários. A direção da empresa tem caráter familiar, sendo constituída por dois sócios-diretores. A empresa conta com aproximadamente 40 colaboradores, divididos nos departamentos: comercial, operacional, financeiro e vídeo. A diretoria trabalha em ritmo dinâmico e ativo na administração, porém deixa a desejar no que diz respeito à comunicação interna, falhando na transmissão de informações. Observa-se a existência de colaboradores desmotivados, fato que contribui para a ocorrência de um alto índice de rotatividade. Tal problema pode estar relacionado à falta de planejamento estratégico e a pouca divulgação da missão, valores, crenças e filosofias da organização aos funcionários e novos integrantes da equipe. Na Retrovisa o poder está centralizado nas mãos dos diretores, e todas as decisões devem passar pelo seu aval, isso permite que a empresa funcione de maneira unificada, porém, essa concentração acarreta uma lentidão nos processos de trabalho. O ramo de atividade da Retrovisa Eventos tem-se mostrado extremamente promissor, e vêm crescendo em número, importância e grau de sofisticação. A cidade de Londrina é um grande pólo para o desenvolvimento do turismo de eventos.

5 5 Eventos são grandes fontes geradoras de empregos, impostos e riquezas de um modo geral. Os números evidenciam um crescimento anual de 7% na área empresarial, sendo realizados aproximadamente 50 mil eventos que geram mais de R$ 30 bilhões em negócios (MARTIN, 2003, p.10). Devido a essa crescente demanda do mercado, a diretoria da Retrovisa Eventos pretende expandir seus negócios investindo em capital humano e novas tecnologias. A equipe do Trabalho de Conclusão de Curso vem desenvolvendo atividades comunicacionais na Retrovisa Eventos desde o segundo trimestre de 2005, e durante esse período a empresa passou por muitas transformações. A empresa tem buscado atingir seus objetivos, por meio de um contínuo processo de readequação e evoluções, conforme as oportunidades que visualiza. No ponto de vista do grupo os principais objetivos da empresa são: Oferecer um bom atendimento aos seus clientes; Promover soluções em recursos áudio visuais para eventos; Ser líder de mercado na região; Investir em tecnologia; Investir no capital humano. Em quase dois anos em que o grupo acompanhou a empresa constatamos que a Retrovisa Eventos preocupa-se em crescer de forma integrada e está em constante processo de expansão e reconstrução das atividades, dos serviços prestados e da sua cultura.

6 6 3 COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL As organizações transformaram-se em elementos chave para sociedade mundial e funcionam como vetores da posição econômica de seus países de origem. Para que as empresas alcancem a verdadeira eficiência em seus processos é necessário que haja uma cultura de comunicação, e esta deve estar embasada na participação contínua e efetiva de todos os membros da organização. A comunicação baseia-se na compreensão e envolve uma constante troca de informações entre emissor e receptor, no caso, a empresa com seus públicos e vice e versa. Desta forma, a comunicação organizacional pode ser definida como um processo dinâmico por meio no qual as organizações se relacionam com o meio ambiente e por meio do qual as subpartes da organização se conectam entre si (GOLDHABER apud KUNSCH, 1997, p.68). Atualmente é vital para o sucesso das empresas o planejamento da comunicação, pois com a globalização estão sujeitas a constantes influências do ambiente externo, portanto devem estar preparadas para responder as demandas de seus públicos. As empresas costumam investir em marketing e esquecem da importância de cultivar bons relacionamentos com seus públicos essenciais, pois são eles que vão garantir a saúde dos negócios e a boa imagem perante a sociedade. Para Kunsch (2003, p.149), a comunicação organizacional abrange as diferentes modalidades comunicacionais que permeiam sua atividade. Compreende, dessa maneira, a comunicação institucional, a comunicação mercadológica, a comunicação interna e a comunicação administrativa. A seguir será apresentado um estudo sobre as vertentes comunicacionais que foram trabalhadas na Proposta de Relações Públicas para a Retrovisa Eventos, ou seja, comunicação administrativa, interna e institucional.

7 7 4 COMUNICAÇÃO ADMINISTRATIVA Ao se pensar em comunicação nas organizações devemos nos atentar ao fato de que o sistema comunicacional é fundamental ao processamento das funções administrativas internas. É o conjunto de fluxos e redes comunicacionais que permite toda dinâmica no processamento das informações internas da organização. Segundo Davis (1999, p.163) comunicar-se com o funcionário e fazer com que ele se comunique depende da eficácia da comunicação gerencial; e isto, é claro, requer canais tanto formais quanto informais. 4.1 Comunicação Formal A comunicação formal está diretamente ligada à administração, e é por meio dela que são repassadas as informações necessárias ao bom andamento da organização. As informações podem ser transmitidas por veículos impressos, eletrônicos, visuais, auditivos, entre outros. Segundo Kunsch (2003, p.84) a se relaciona com o sistema expresso de normas que regem o comportamento, os objetivos, as estratégias e conduzem as responsabilidades dos integrantes das organizações. Apenas a formalização da comunicação não é suficiente, é essencial que ela seja conhecida e divulgada por todos os seus integrantes Análise da Comunicação Administrativa Formal da Retrovisa Eventos A organização pouco explorava os seus veículos de comunicação administrativa, sendo que, somente há alguns meses estes começaram a seguir uma seqüência e periodicidade. Para melhorar a comunicação formal na Retrovisa Eventos a diretoria precisava estar mais empenhada em difundir as informações de interesse dos funcionários.

8 8 4.2 Comunicação Informal Estudar e entender a rede informal possibilitará à empresa usá-la a seu favor, inserindo informações e monitorando seu fluxo. Independentemente da forma com que a diretoria se coloca, seja considerando a rede informal uma vantagem ou uma desvantagem, é importante que os executivos tentem compreendê-la (DAVIS, 1999, p.164). Por mais perfeita e sincronizada que seja a rede de comunicação formal, sempre existirão as redes informais. Por meio delas as informações fluem com rapidez e de forma desordenada, podemos destacar também, as lideranças que surgem informalmente entre os trabalhadores. O produto mais conhecido e ao mesmo tempo mais temido da comunicação informal é o boato, que em grande parte decorrente da ansiedade, da insegurança e da falta de informações. As empresas estão cada vez mais atentas às necessidades da existência de relacionamentos informais dentro da organização, para isso investem em locais apropriados para lazer e descontração dos funcionários Análise da Comunicação Informal da Retrovisa Eventos Sendo a Retrovisa Eventos uma pequena empresa, os colaboradores estão constantemente em contato, fator que facilita a comunicação face a face. Existe a facilidade na comunicação entre funcionários de departamentos diferentes e proximidade entre colaboradores e diretores. Estes dados confirmam a existência de um grande fluxo de informações repassadas informalmente na organização. Na Retrovisa Eventos são freqüentes as amizades que ultrapassam o local de trabalho. Consideramos este um ponto positivo para integração dos funcionários, que são incentivados a estarem em contato em festas informais.

9 9 4.3 Fluxos Comunicacionais As organizações devem trabalhar seus fluxos de comunicação valorizando todas as direções que a mensagem percorre, a fim de ter um maior controle sobre a disseminação de informações importantes, assegurando que elas cheguem a todos os níveis hierárquicos. Fortes (2003, p.139) afirma que a comunicação administrativa trata dos fluxos de informações que percorrem a instituição, equilibrando o organismo interno e externo onde se implanta, por permitir que cada funcionário seja convenientemente instruído quanto às atividades da empresa e saiba situar-se no seu interior. Os fluxos de informações dentro da organização ocorrem em vários sentidos entre os diferentes níveis hierárquicos. Vários autores já se preocuparam em classificá-los. Para Kunsch (2003, p.84) os fluxos de comunicação são: [...] os descendentes ou verticais, os ascendentes e os horizontais ou laterais. A esses acrescentamos os fluxos transversal e circular. São esses fluxos que conduzem as mais diferentes comunicações dentro de uma organização, nas mais variadas direções Análise dos Fluxos Comunicacionais da Retrovisa Eventos Os fluxos comunicacionais correm em diversas direções na organização. A comunicação transversal pode ser notada nos relacionamentos interpessoais, que são muito fáceis e ágeis. Conversas paralelas entre as pessoas são comuns, fato ao qual a empresa deve estar atenta, pois, na falta de informações corretas o surgimento de boatos torna-se uma possibilidade constante. Vemos de maneira positiva o fluxo comunicacional existente, assim, as informações podem disseminar-se rapidamente dentro da organização, tanto de forma ascendente quanto descendente. Uma notícia ou informação uma vez plantada no fluxo de comunicação atingirá toda a empresa com agilidade, usar este fluxo de forma estratégica poderá trazer mais eficiência para a organização.

10 10 5 COMUNICAÇÃO INTERNA A comunicação interna é dedicada principalmente aos colaboradores da organização, que merecem atenção especial, pois, ela depende deles para se desenvolver. O principal objetivo da comunicação interna é integrar os interesses da organização e os de seus colaboradores. A identificação do funcionário não se dá mais pelo antigo vestir a camisa da empresa, mas sim, pelo apoio aos aspectos estratégicos mais importantes e pela identificação com os valores e princípios da organização. É o quanto o funcionário acredita naquilo que a organização diz que determinara o nível de integração. O ideal para um bom relacionamento interno é que os funcionários sejam informados sobre as decisões tomadas, e sempre que possível consultados, transformando a relação com empresa em uma ligação de confiabilidade e segurança. Ouvir a opinião dos colaboradores e estimular sua participação permite que ele se integre com os objetivos e metas da organização, fazendo com que se dedique cada vez mais em busca de seu sucesso. A integração e o comprometimento do público interno é essencial, sem isso programas de qualidade e mudanças de normas tornam-se inviáveis. No entanto, para que exista um real envolvimento dos funcionários com as metas da organização, os principais dirigentes devem ter uma preocupação constante com a comunicação. Investir em comunicação interna é vantajoso para a organização, pois, o público interno é um multiplicador de opiniões. Em todos os outros ambientes em que convive (família, comunidade, circulo social), o funcionário é como um porta-voz da organização, para quem o vê de fora, os funcionários são a própria empresa. Neste sentido, é necessário que eles estejam bem informados e satisfeitos. 5.1 Análise da Comunicação Interna da Retrovisa Eventos Podemos notar que os colaboradores sentiam-se pouco à vontade em participar de forma ativa da comunicação interna da empresa. Tal situação foi trabalhada pela equipe de Relações Públicas, sendo que o apoio da direção foi primordial e decisivo nesse processo, pois, os colaboradores precisavam sentir-se incentivados.

11 11 Constatou-se que existia uma acentuada individualidade departamental na empresa, o que dificultava o fluxo de informações. A falta de conhecimento sobre o trabalho dos outros departamentos provocava atitudes que acabavam por atrapalhar o bom andamento da empresa como um todo. Trabalhar a comunicação interna, com o intuito de fazer com que os integrantes da empresa realmente a conhecessem de maneira holística, tornou-se primordial ao bom desenvolvimento dos negócios. Dessa forma, os departamentos passaram a trabalhar unidos em prol dos mesmos objetivos diminuindo as disputas.

12 12 6 COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL A comunicação institucional é a principal responsável pela geração de uma imagem forte e positiva da organização, sendo que esta deve ser condizente com sua identidade, ou seja, com a realidade da empresa. A comunicação institucional compreende todo o processo de transmissão dos valores e objetivos da empresa, nela, destaca-se o desenvolvimento de estratégias complementares ao processo de comunicação interna e externa da organização. Seu processo abrange desde a divulgação institucional diante de fatos relevantes ou em situações de crise, até a promoção de eventos e o desenvolvimento de campanhas de motivação dirigidas aos colaboradores. Neste sentido, todos os instrumentos de comunicação interna e externa devem ser coordenados, no intuito de projetar uma imagem consistente e condizente com a identidade que a empresa possui. Para Rego (1986, p.97), a identidade corporativa refere-se aos valores básicos e as características atribuídas a uma corporação pelos seus membros, públicos internos ou externos. O autor afirma ainda que a imagem é o resultado da percepção que se tem das características da organização. A comunicação institucional projeta a empresa como uma rede comunicacional sustentada pelos colaboradores que a compõem. Dentro dela são tratados vários temas como: a interatividade entre organização e públicos; a estruturação da autoridade dentro da empresa, onde se analisa o discurso do poder e o subconsciente organizacional, direcionando o planejamento e a gestão da informação. Existem também, ferramentas que podem ser utilizadas como o jornalismo empresarial, em conjunto com relações públicas e propaganda, que formam o trio comunicacional excelente, o qual transmite as informações acerca da organização. A imagem que a organização tem perante a sociedade, pode não ser verdadeira, pois, muitas vezes esta não condiz com sua identidade, e é justamente no reparo dessas diferenças que está o principal objetivo da comunicação institucional, a qual visa fazer com que a imagem da organização reflita fielmente sua identidade, e esta, possa ser aceita e admirada por todos os seus públicos. Dowling (apud KUNSCH, 2003, p.170), define imagem institucional como: [...] um conjunto de significados pelos quais chegamos a conhecer um objeto e por meio do qual as pessoas o descrevem, recordam e relacionam. É o resultado da interação de crenças, idéias, sentimentos e impressões que sobre um objeto tem uma pessoa.

13 13 Para que a empresa seja aceita e admirada por seus públicos essenciais é necessário o desenvolvimento de um trabalho eficiente de relações públicas, portanto, sem conhecer os reais interesses e necessidades dos mesmos a organização não conseguirá obter um relacionamento eficaz. Com o objetivo de fortalecer a imagem da organização, é necessário verificar onde estão às falhas (lacunas) e trabalhá-las, sempre com cuidado para não mudar um aspecto positivo, de forma que tal mudança venha ter uma repercussão negativa. 6.1 Análise da Comunicação Institucional da Retrovisa Eventos Foi constatado que a imagem da empresa poderia ser melhor trabalhada, visto que, sua divulgação era feita de modo desordenado, por meio de vários veículos como folders promocionais, propagandas em revistas especializadas e estandes em feiras e exposições. A Proposta de Relações Públicas incluiu o planejamento da comunicação institucional de maneira com que as mensagens fossem divulgadas de forma unificadas, fortalecendo a imagem da empresa perante seus públicos essenciais.

14 14 7 RELAÇÕES PÚBLICAS As funções específicas de relações públicas podem apoiar e auxiliar os outros setores da organização são elas a função administrativa, função estratégica, função mediadora e função política. Funções essenciais das Relações Públicas Função Administrativa Relações públicas auxilia no gerenciamento e manutenção de canais mútuos de comunicação, por meio de técnicas especificas faz as articulações necessárias entre a organização e seus grupos de interesse, com intuito de obter compreensão e apoio destes. Função Estratégica A função estratégica de relações públicas esta diretamente ligada ao planejamento e a gestão da comunicação, de modo que esta deve posicionar a empresa frente à sociedade na divulgação da filosofia e da cultura organizacional, fortalecendo seu lado institucional. Função Mediadora A mediação é uma das essências de relações públicas que se utilizam da comunicação e de todos os seus meios para mediar com sucesso os relacionamentos da organização com todos os seus públicos, a opinião pública e a sociedade. Função Política Compreender as relações de poder e influencias nas organizações é fundamental para o bom desempenho da função política de relações públicas, cabendo a elas gerenciar problemas de relacionamentos internos e externos provocados por determinadas decisões ou comportamentos de seus públicos. Quadro 1 - Funções específicas de Relações Públicas Para trabalhar as relações públicas é necessário conhecer a organização e seus públicos profundamente, participar dos processos de decisão e estruturação das políticas organizacionais, envolvendo-as com os objetivos da empresa, com a intenção de alinhar o planejamento da comunicação e o planejamento global da organização. As práticas de relações públicas podem atuar na gestão do conhecimento, promover integração social e profissional, além do gerenciamento de problemas e crises. Os relacionamentos da organização devem ser responsabilidades de cada diretor, gerente e funcionário, fazendo parte da cultura da empresa, como traço de sua identidade, pois a ação isolada de um especialista não traz todos os resultados que se espera quando se pensa em um bom sistema de comunicação organizacional.

15 15 8 PLANO DE RELAÇÕES PÚBLICAS O Plano de Relações Públicas foi desenvolvido a partir da análise dos dados levantados na Pesquisa Institucional, realizada em 2005 na Retrovisa Eventos. A partir da implantação dos programas de comunicação, visualizamos uma maior integração e motivação do público interno, paralelamente ao aumento da satisfação dos clientes e consumidores da organização. 8.1 Justificativa As organizações impreterivelmente se comunicam, a diferença é que algumas fazem isso de forma intencional e outras não, sendo assim, é preferível que a comunicação seja feita de forma estratégica e bem planejada. O desenvolvimento do trabalho de Relações Públicas na Retrovisa Eventos partiu do aprimoramento da comunicação interna e administrativa, na busca do estabelecimento de canais que possibilitassem o relacionamento ágil e transparente, entre a direção e os colaboradores, na rede de comunicação. Simultaneamente, foi trabalhada a comunicação institucional da empresa, com o intuito de alinhar a imagem organizacional com sua identidade corporativa. O que garantiu o aumento da credibilidade dos serviços perante seus clientes e consumidores, e, a projeção da marca no mercado, tornando-a conhecida, sinônimo de segurança e qualidade. 8.2 Públicos Os públicos correspondem aos grupos de pessoas que influenciam a organização de forma direta ou indireta, sendo assim, manter o constante relacionamento com os públicos, torna-se vital para as organizações que pretendem permanecer no mercado, o qual se mostra cada vez mais exigente. Vários autores que fazem à classificação dos públicos, entre eles o que melhor se adequou à realidade da Retrovisa Eventos, foi à classificação lógica de França. Segundo ele os públicos são identificados e mapeados de acordo com as necessidades de cada organização, cujo objetivo é a realização de negócios.

16 16 Públicos essenciais são responsáveis pela constituição, manutenção, sobrevivência e execução das atividades-fim organizacionais. Divididos em: constitutivos (investidores, sócios, diretores, conselhos, governo, etc. que possibilitam a existência da organização), não constitutivos ou de sustentação (colaboradores, fornecedores, clientes e consumidores, revendedores, sócios, e outros; são os públicos que colaboram para a execução das atividades-fim); Públicos não-essenciais participam das atividades-meio da organização, ou seja, atuam em sua promoção institucional, corporativa e mercadológica ou intermediando os relacionamentos com o mercado e são definidos como redes de interesse específico. Públicos de redes de interferência são públicos que pertencem ao cenário externo das organizações e podem exercer influência junto ao mercado e à opinião pública, compostos pela concorrência e redes de comunicação de massa Públicos Trabalhados na Proposta de Relações Públicas Os públicos constitutivos essenciais da Retrovisa Eventos que foram trabalhados na proposta foram os dois sócio-diretores da empresa. Entre o público constitutivo não essencial estão os funcionários, clientes e consumidores da empresa Funcionários A Retrovisa Eventos tem cerca de 40 funcionários, divididos entre os departamentos comercial, financeiro, operacional, vídeo e diretoria, dentre estes, a grande maioria é composta por jovens adultos do sexo masculino, em que a média de idade é de 30 anos e a formação é em média segundo grau completo.

17 Clientes Atender as necessidades e superar as expectativas dos clientes é um dos principais objetivos da Retrovisa Eventos, pois deste modo, manter-se-á a integração e a boa relação empresa/cliente. Os principais clientes da empresa são agências de eventos, profissionais liberais, empresas, organizações públicas e privadas, além de pessoas físicas Consumidores Todos que promovam eventos, seja ele esporádico ou com uma freqüência, independente do tamanho, são consumidores em potencial dos produtos e serviços da Retrovisa Eventos. Desta forma, verificou a importância da projeção institucional da marca Retrovisa Eventos para que esta divulgue a qualidade e seriedade da empresa, pois a mesma possui uma gama de concorrentes em segmentos diversos. 8.3 Objetivo Geral Utilizar o gerenciamento das Relações Públicas e da Comunicação Organizacional para alcançar uma maior integração entre os colaboradores e a empresa, fortalecer a identidade organizacional e propiciar uma aproximação com clientes e consumidores Objetivos Específicos Implantar uma efetiva cultura de comunicação na Retrovisa Eventos; Redimensionar e revitalizar os canais de comunicação; Aumentar o nível de satisfação dos colaboradores em relação à empresa; Buscar a interação entre colaboradores de departamentos e níveis diferentes; Fortalecer a identidade corporativa;

18 Estratégias Para a operacionalização da Proposta de Relações Públicas foram delimitadas as seguintes estratégias: Abertura de novos veículos de comunicação interna e administrativa, além da revitalização dos já existentes; Treinamentos diversos para o corpo funcional da organização; Aumento da interação entre a diretoria e funcionários; Utilização dos recursos humanos da empresa na realização dos projetos; Abertura de canais de comunicação institucional; Investimento em instrumentos específicos para fortalecimento da identidade. Vale ressaltar que houve a preocupação em interligar os projetos de comunicação com os outros projetos existentes na empresa o que facilita a realização dos mesmos e permite que a comunicação atue de modo estratégico.

19 19 9 PROGRAMAS Os programas de comunicação realizados objetivaram o gerenciamento estratégico das informações e a comunicação como ferramentas de Relações Públicas, no constante amadurecimento da Retrovisa Eventos. O acompanhamento do dia-a-dia da organização nos permitiu visualizar aspectos da comunicação que poderiam ser aprimorados. Deste modo, foram aplicadas estratégias de curto prazo, planejadas e bem estruturadas, com o propósito de atingir os principais públicos essenciais, que darão subsídios para implantação das demais ações sugeridas. 9.1 Programa de Informação A gestão estratégica da informação é essencial às organizações que pretendam tornar-se flexíveis, e assim mais competitivas no mercado. Para tanto, é necessário sistematizar e dar agilidade à informação que circula na empresa, tanto formal quanto informalmente, de modo que essas auxiliem nas tomadas de decisão. Para Retrovisa Eventos foi primordial estar atenta às informações, bem como compartilha-las e filtra-las. Transformar a informação em comunicação e conhecimento é fundamental para o sucesso da organização Relato do Projeto Fique Atento Com a realização de uma pesquisa interna, constatou-se que havia pouca comunicação interdepartamental, e que os colaboradores se interessavam pelo trabalho realizado em outras partes da organização, mesmo porque, isto facilitaria os processos de trabalho e o fechamento de novos negócios. O Projeto Fique Atento consistiu revitalização do mural do que passou a ser usado para troca de informações. Cada departamento envia por as atividades serão desenvolvidas àquela semana. São expostas também mensagens da diretoria, notícias sobre a empresa, novidades sobre eventos. As informações buscam combinar os interesses dos funcionários e da diretoria.

20 20 Com o projeto observamos uma maior interação das equipes, sugestões sobre processos de trabalho, tanto em conversas informais, quanto nas reuniões, além de iniciar nos colaboradores o hábito da leitura Relato do Projeto Caminhando Juntos O Projeto Caminhando Juntos consistiu na realização de reuniões mensais com todos os funcionários. Sua finalidade era mobilizá-los para debater questões importantes da empresa. Todos têm livre acesso à palavra e a oportunidade de demonstrar seu conhecimento e visão sobre o negócio da empresa. Como forma de avaliação foi realizada uma pesquisa com os colaboradores, que se mostraram satisfeitos e valorizados em participar das decisões da empresa. 9.3 Programa de Treinamentos Contar com equipes capacitadas, alinhadas e que apresentem bom desempenho é o desejo de qualquer empresa. No entanto, para que isso aconteça são necessários treinamentos constantes, tanto técnicos quanto comportamentais. Pensando neste aspecto, foram aplicados na Retrovisa Eventos projetos de treinamentos em todas as áreas da empresa. O grupo de Relações Públicas, com apoio da alta administração, avaliou a necessidade de treinamento nas áreas requisitadas pelos colaboradores, buscou recursos e acompanhou todo processo Relato do Projeto Atendimento Inesquecível O Projeto Atendimento Inesquecível teve como objetivo treinar todos os colaboradores, para que prestassem um serviço de qualidade, tanto aos clientes externos,

21 21 quanto aos colegas. Para isso, foram desenvolvidas algumas modalidades de treinamentos que envolviam o processo de trabalho da Retrovisa Eventos. Treinamento de Atendimento Para o Treinamento de Atendimento foram montados grupos que assistiram vídeos específicos em salas emprestadas pelo Sebrae. Após o vídeo havia um tempo para debates e análise de situações que ocorrem na empresa. Este treinamento foi feito em quatro etapas semanais, sendo que a última foi destinada à avaliação, por meio de uma conversa, sobre as técnicas aprendidas e o grau de utilização das mesmas no trabalho diário. Os colaboradores consideraram as reflexões e atividades em grupos foram eficazes e coerentes. Treinamento de Vendas Com o conhecimento e o domínio das técnicas de vendas os funcionários foram preparados para abordar os clientes e oferecer soluções nas áreas de consultoria e suporte técnico para eventos e produção de vídeos. O treinamento contemplou todos os produtos e serviços, o que resultou em quatro encontros, um por semana. Projetaram-se metas de vendas, proporcionais ao número de funcionários que participaram dos treinamentos. Verificou-se um bom resultado com este treinamento, pois foi estabelecido como meta que cada equipe deveria fazer indicações de possíveis clientes. Assim, cada departamento participante indicaria e acompanharia o caso. Treinamento do Outlook Para ministrar o curso do Gerenciador de Outlook foi contratado um profissional capacitado pela Microsoft, o qual deu um treinamento de duas horas de exposição e disponibilizou uma apostila. As dúvidas foram tiradas via ou em uma seção de bate-papo via Internet após duas semanas de uso do programa. O treinamento foi aberto a todos, mas apenas 15 pessoas participaram. Após dez dias da aplicação do treinamento os participantes responderam a um questionário, onde se buscou avaliar o nível de utilização do programa no desempenho do trabalho diário, bem como, sua importância.

Política de. [ comunicação] Forluz

Política de. [ comunicação] Forluz Política de [ comunicação] Forluz Índice Apresentação...4 Missão da Forluz...5 Condições para aplicação deste documento...6 Objetivos da Política de Comunicação...7 Diretrizes da Política de Comunicação...8

Leia mais

Política de Comunicação do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) - PCS

Política de Comunicação do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) - PCS Política de Comunicação do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) - PCS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DO SERVIÇO FEDERAL DE PROCESSAMENTO DE DADOS (SERPRO) - PCS A Política de Comunicação do Serviço

Leia mais

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Josiane Corrêa 1 Resumo O mundo dos negócios apresenta-se intensamente competitivo e acirrado. Em diversos setores da economia, observa-se a forte

Leia mais

Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas

Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas Boas propostas são essenciais para que uma gestão tenha êxito, mas para que isso ocorra é fundamental que os dirigentes organizacionais

Leia mais

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex...

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... (/artigos /carreira/comopermanecercalmosob-pressao /89522/) Carreira Como permanecer calmo sob pressão (/artigos/carreira/como-permanecer-calmosob-pressao/89522/)

Leia mais

Pesquisa Institucional: Diagnóstico Organizacional em uma Empresa de Telecomunicações 1

Pesquisa Institucional: Diagnóstico Organizacional em uma Empresa de Telecomunicações 1 Pesquisa Institucional: Diagnóstico Organizacional em uma Empresa de Telecomunicações 1 RESUMO Ariani Castellar CITON 2 Marcielly Cristina MORESCO 3 Steice de França SOUZA 4 Suellen Aparecida CONCEIÇÃO

Leia mais

A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável

A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável Felipe de Oliveira Fernandes Vivemos em um mundo que está constantemente se modificando. O desenvolvimento de novas tecnologias

Leia mais

Fundação Parque Zoológico de São Paulo Projeto Experimental 1

Fundação Parque Zoológico de São Paulo Projeto Experimental 1 Fundação Parque Zoológico de São Paulo Projeto Experimental 1 Fabiane Silveira GOMES 2 Claudia Nociolini REBECHI 3 Universidade Metodista de São Paulo - UMESP, São Paulo, SP RESUMO Em posse de dados cruciais

Leia mais

Planejamento Estratégico da Comunicação Empresarial

Planejamento Estratégico da Comunicação Empresarial Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu e MBA Planejamento Estratégico da Comunicação Empresarial Prof. Dr. Luiz Alberto de Farias Março e Abril de 2014 Prof. Dr. Luiz Alberto de Farias Planejamento Estratégico

Leia mais

O PAPEL DA COMUNICAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES 1. Luciana Jacomini Faculdade de Agudos - FAAG

O PAPEL DA COMUNICAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES 1. Luciana Jacomini Faculdade de Agudos - FAAG O PAPEL DA COMUNICAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES 1 Luciana Jacomini Faculdade de Agudos - FAAG RESUMO A comunicação interna é uma ferramenta fundamental para as organizações no que se refere à obtenção de excelentes

Leia mais

Palavras-chave: comunicação interna; relacionamento, relações públicas; stakeholder

Palavras-chave: comunicação interna; relacionamento, relações públicas; stakeholder Comunicação Interna na Gestão do Relacionamento com os Funcionários 1 Mestranda Vera Elisabeth Damasceno Corrêa PPGCOM/UFRGS 2 e Professora do Curso de Relações Públicas das Faculdades Integradas de Taquara

Leia mais

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014 #5 EMPREENDEDORISMO Outubro de 2014 ÍNDICE 1. Apresentação 2. Definição 3. Empreendedorismo: necessidade ou oportunidade? 4. Características do comportamento empreendedor 5. Cenário brasileiro para o empreendedorismo

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

A pluralidade das relações públicas

A pluralidade das relações públicas A pluralidade das relações públicas Carolina Frazon Terra Introdução Sétima colocada no ranking "As profissões do futuro" segundo a Revista Exame de 13 de abril de 2004, as relações públicas se destacam

Leia mais

A confluência dos vídeos e a Internet

A confluência dos vídeos e a Internet WHITEPAPER A confluência dos vídeos e a Internet Por que sua empresa deveria investir em vídeos em 2013 e como a Construção Civil pode utilizar os vídeos como diferencial competitivo. 1 Saiba como os vídeos

Leia mais

Plano de Comunicação para o Hospital Infantil Varela Santiago¹

Plano de Comunicação para o Hospital Infantil Varela Santiago¹ Plano de Comunicação para o Hospital Infantil Varela Santiago¹ José Alves de SOUZA² Maria Stella Galvão SANTOS³ Universidade Potiguar (UnP ), Natal, RN RESUMO Este Plano de Comunicação refere-se a um estudo

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

MOTIVAÇÃO DE FUNCIONÁRIOS DO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL DE BAMBUÍ-MG

MOTIVAÇÃO DE FUNCIONÁRIOS DO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL DE BAMBUÍ-MG MOTIVAÇÃO DE FUNCIONÁRIOS DO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL DE BAMBUÍ-MG Wemerton Luis EVANGELISTA()*; Franciele Ribeiro DA COSTA (2). () Professor do Curso Superior de Tecnologia em Administração: Pequenas e

Leia mais

A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO

A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO 1 A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO Porto Alegre RS Abril 2010 Bianca Smith Pilla Instituto Federal de Educação,

Leia mais

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Ultrapassando barreiras e superando adversidades. Ser um gestor de pessoas não é tarefa fácil. Existem vários perfis de gestores espalhados pelas organizações,

Leia mais

Unidade II COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL. Profa. Ma. Andrea Morás

Unidade II COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL. Profa. Ma. Andrea Morás Unidade II COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL Profa. Ma. Andrea Morás Comunicação empresarial Envolve todas as ferramentas de comunicação. Atividade multidisciplinar. Envolve conflitos, emoções, potencialidades e

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 7 Planejamento Estratégico Planejamento de TI Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a

Leia mais

Fabiana BAGDONAS.. 2 João Paulo MARTIN 3 Myllena DE PONTES 4 Cintia dos Reis Barreto 5 Universidade Potiguar UnP, Natal/RN

Fabiana BAGDONAS.. 2 João Paulo MARTIN 3 Myllena DE PONTES 4 Cintia dos Reis Barreto 5 Universidade Potiguar UnP, Natal/RN Plano de Comunicação: Uma proposta de implantação de um setor de Comunicação na Cirne Motos Natal/RN 1 Fabiana BAGDONAS.. 2 João Paulo MARTIN 3 Myllena DE PONTES 4 Cintia dos Reis Barreto 5 Universidade

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 41

PROVA ESPECÍFICA Cargo 41 11 PROVA ESPECÍFICA Cargo 41 QUESTÃO 26 Uma boa comunicação empresarial é condição primária para a constituição de uma boa imagem institucional. Nesse sentido, sobre o trabalho das relações públicas junto

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

http://www.bvs.br/ Projeto 4 Plano de Marketing e Divulgação da BVS-SP Brasil 18 de janeiro de 2005

http://www.bvs.br/ Projeto 4 Plano de Marketing e Divulgação da BVS-SP Brasil 18 de janeiro de 2005 http://www.bvs.br/ Projeto 4 18 de janeiro de 2005 Introdução Diante dos novos desafios e contínuas mudanças, as organizações precisam ser ágeis na tomada de decisão. Coordenar esforços de comunicação

Leia mais

ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO COM O PÚBLICO INTERNO

ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO COM O PÚBLICO INTERNO 1 ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO COM O PÚBLICO INTERNO Por Regina Stela Almeida Dias Mendes NOVEMBRO 2004 UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA 2 ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO

Leia mais

Relações Públicas: utilizando a ferramenta essencial para diagnosticar 1

Relações Públicas: utilizando a ferramenta essencial para diagnosticar 1 Relações Públicas: utilizando a ferramenta essencial para diagnosticar 1 Marcio José ARIAS 2 Adriana Simões ESTEVES 3 Ana Aline da SILVA 4 Aline Cristina da ROCHA 5 Mariana de Souza FIGUEIREDO 6 Natalia

Leia mais

PLANO DE COMUNICAÇÃO DA ESTRATÉGIA DA JME/RS

PLANO DE COMUNICAÇÃO DA ESTRATÉGIA DA JME/RS PLANO DE COMUNICAÇÃO DA ESTRATÉGIA DA JME/RS PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO DA ESTRATÉGIA DA JME APRESENTAÇÃO Este projeto trata do Planejamento de Comunicação da Estratégia da Justiça Militar do Estado do

Leia mais

Planejamento Estratégico de Comunicação Interna Comunica Pirelli A Pirelli mais perto de você Versão resumida

Planejamento Estratégico de Comunicação Interna Comunica Pirelli A Pirelli mais perto de você Versão resumida Planejamento Estratégico de Comunicação Interna Comunica Pirelli A Pirelli mais perto de você Versão resumida Análise do contexto da organização A Pirelli é a quinta maior empresa do mundo no mercado de

Leia mais

Público Interno e crises organizacionais: um estudo abordando a incidência de demissões motivadas pelo uso inadequado das redes sociais digitais

Público Interno e crises organizacionais: um estudo abordando a incidência de demissões motivadas pelo uso inadequado das redes sociais digitais Público Interno e crises organizacionais: um estudo abordando a incidência de demissões motivadas pelo uso inadequado das redes sociais digitais Penélope da Silva Almeida SANTOS Universidade Sagrado Coração

Leia mais

Perfil do Líder no Paraná

Perfil do Líder no Paraná Perfil do Líder no Paraná O importante é não parar nunca de questionar Albert Einstein Em 2006, a Caliper do Brasil, empresa multinacional de consultoria em gestão estratégica de talentos, buscando inovar,

Leia mais

A Comunicação no Modelo de Excelência da Gestão (MEG) 1

A Comunicação no Modelo de Excelência da Gestão (MEG) 1 A Comunicação no Modelo de Excelência da Gestão (MEG) 1 Narjara Bárbara Xavier Silva 2 Patrícia Morais da Silva 3 Resumo O presente trabalho é resultado do Projeto de Extensão da Universidade Federal da

Leia mais

As Relações Públicas e o planejamento estratégico: análise e plano comunicacional Panda Zen Unesp Bauru 1

As Relações Públicas e o planejamento estratégico: análise e plano comunicacional Panda Zen Unesp Bauru 1 As Relações Públicas e o planejamento estratégico: análise e plano comunicacional Panda Zen Unesp Bauru 1 Isabella Pinto de Barros LIMA 2 Iolanda Ferreira SOUZA 3 Mariana Reiko Tabuchi HASSUIKE 4 Roseane

Leia mais

PREPARAÇÃO DO SETOR DE SUPORTE TÉCNICO PARA CERTIFICAÇÃO ISO 9001: O CASO DE UMA EMPRESA DE OUTSOURCING DE IMPRESSÃO

PREPARAÇÃO DO SETOR DE SUPORTE TÉCNICO PARA CERTIFICAÇÃO ISO 9001: O CASO DE UMA EMPRESA DE OUTSOURCING DE IMPRESSÃO PREPARAÇÃO DO SETOR DE SUPORTE TÉCNICO PARA CERTIFICAÇÃO ISO 9001: O CASO DE UMA EMPRESA DE OUTSOURCING DE IMPRESSÃO Alisson Oliveira da Silva (FAHOR) as000699@fahor.com.br Matheus Weizenman (FAHOR) mw000944@fahor.com.br

Leia mais

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1.1 APRESENTAÇÃO O Plano de Comunicação e Participação Social subsidiará a elaboração do Plano Diretor de Mobilidade Urbana, criando as bases para

Leia mais

A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO

A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO Marcelo Cristian Vieira 1, Carolina Zavadzki Martins 2,Gerliane

Leia mais

Política de Comunicação Integrada

Política de Comunicação Integrada Política de Comunicação Integrada agosto 2009 Política de Comunicação Integrada 4 1 Objetivos Promover a comunicação integrada entre as empresas Eletrobras e dessas com os seus públicos de relacionamento,

Leia mais

Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO

Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO Comunicação empresarial eficiente: Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO Sumário 01 Introdução 02 02 03 A comunicação dentro das empresas nos dias de hoje Como garantir uma comunicação

Leia mais

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler AULA 5 - PERSPECTIVA DE APRENDIZADO E CRESCIMENTO Abertura da Aula Uma empresa é formada

Leia mais

COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL INTERNA UM ESTUDO DE CASO RESUMO

COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL INTERNA UM ESTUDO DE CASO RESUMO COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL INTERNA UM ESTUDO DE CASO Fábio William da Silva Granado 1 Marluci Silva Botelho 2 William Rodrigues da Silva 3 Prof Ms. Edson Leite Lopes Gimenez 4 RESUMO Realizou-se uma análise

Leia mais

São distintos os conteúdos expostos pela comunicação interna e externa:

São distintos os conteúdos expostos pela comunicação interna e externa: 31 6 COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL Um dos principais objetivos da comunicação institucional é o estabelecimento de relações duradouras com os seus públicos. Isso é possível através de ações personalizadas

Leia mais

PLANO DE CAPACITAÇÃO DO

PLANO DE CAPACITAÇÃO DO www.unp.br PLANO DE CAPACITAÇÃO do Corpo Técnico-Administrativo 2015 Plano de Capacitação do Corpo Técnico-Administrativo 2015 Natal/RN 2015 DIRIGENTES DA UNIVERSIDADE POTIGUAR PRESIDENTE Prof. Marcus

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE Viva Vida Produtos de Lazer Ltda. Manual da Qualidade - MQ V. 1 Sistema de Gestão da Qualidade Viva Vida - SGQVV

MANUAL DA QUALIDADE Viva Vida Produtos de Lazer Ltda. Manual da Qualidade - MQ V. 1 Sistema de Gestão da Qualidade Viva Vida - SGQVV MANUAL DA QUALIDADE Manual da Qualidade - MQ Página 1 de 15 ÍNDICE MANUAL DA QUALIDADE 1 INTRODUÇÃO...3 1.1 EMPRESA...3 1.2 HISTÓRICO...3 1.3 MISSÃO...4 1.4 VISÃO...4 1.5 FILOSOFIA...4 1.6 VALORES...5

Leia mais

Competitividade e Resultados: conseqüência do alinhamento de estratégia, cultura e competências.

Competitividade e Resultados: conseqüência do alinhamento de estratégia, cultura e competências. 1 Programa Liderar O Grupo Solvi é um conglomerado de 30 empresas que atua nas áreas de saneamento, valorização energética e resíduos. Como alicerce primordial de seu crescimento encontrase o desenvolvimento

Leia mais

COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÕES GERENCIAIS UM ESTUDO DE CASO

COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÕES GERENCIAIS UM ESTUDO DE CASO COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÕES GERENCIAIS UM ESTUDO DE CASO Fábio William da Silva Granado 1 Marluci Silva Botelho 2 William Rodrigues da Silva 3 Prof Ms. Edson Leite Lopes Gimenez 4 RESUMO O presente trabalho

Leia mais

GESTÃO DO CONHECIMENTO E INTELIGÊNCIA COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÕES: UMA ABORDAGEM CONCEITUAL 1

GESTÃO DO CONHECIMENTO E INTELIGÊNCIA COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÕES: UMA ABORDAGEM CONCEITUAL 1 GESTÃO DO CONHECIMENTO E INTELIGÊNCIA COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÕES: UMA ABORDAGEM CONCEITUAL 1 Heide Miranda da SILVA 2 RESUMO As exigências do mercado atual somadas aos avanços das tecnologias de informação

Leia mais

03 e 04 de agosto Passo Fundo. O poder da. Liderança. na superação de. resultados

03 e 04 de agosto Passo Fundo. O poder da. Liderança. na superação de. resultados 03 e 04 de agosto Passo Fundo O poder da Liderança na superação de resultados O poder da Liderança na superação de resultados O CONGREGARH Conexão 2016 terá como pauta dois temas fundamentais no ambiente

Leia mais

Comunicação Interna e Publicidade: uma relação de ajuda mútua 1

Comunicação Interna e Publicidade: uma relação de ajuda mútua 1 1 Comunicação Interna e Publicidade: uma relação de ajuda mútua 1 Danielle Rocha Gonzales 2 Resumo: A comunicação de uma organização, para ser eficiente depende de diversos setores e de como os diversos

Leia mais

PERCEPÇÃO DOS GESTORES SOBRE A IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING NA EMPRESA: ESTUDO DE CASO NA PORTO ALEGRE CLÍNICAS

PERCEPÇÃO DOS GESTORES SOBRE A IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING NA EMPRESA: ESTUDO DE CASO NA PORTO ALEGRE CLÍNICAS 1 PERCEPÇÃO DOS GESTORES SOBRE A IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING NA EMPRESA: ESTUDO DE CASO NA PORTO ALEGRE CLÍNICAS Porto Alegre RS Março 2010 Bianca Smith Pilla Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

MODELO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO (MEG), UMA VISÃO SISTÊMICA ORGANIZACIONAL

MODELO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO (MEG), UMA VISÃO SISTÊMICA ORGANIZACIONAL MODELO DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO (MEG), UMA VISÃO SISTÊMICA ORGANIZACIONAL Alessandro Siqueira Tetznerl (1) : Engº. Civil - Pontifícia Universidade Católica de Campinas com pós-graduação em Gestão de Negócios

Leia mais

TECNOLOGIA E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA POSTO DOURADÃO LTDA RESUMO

TECNOLOGIA E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA POSTO DOURADÃO LTDA RESUMO TECNOLOGIA E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA POSTO DOURADÃO LTDA Hewerton Luis P. Santiago 1 Matheus Rabelo Costa 2 RESUMO Com o constante avanço tecnológico que vem ocorrendo nessa

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL PARA AS EMPRESAS

A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL PARA AS EMPRESAS A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL PARA AS EMPRESAS Gilmar da Silva, Tatiane Serrano dos Santos * Professora: Adriana Toledo * RESUMO: Este artigo avalia o Sistema de Informação Gerencial

Leia mais

&DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR

&DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR &DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR Toda comunicação publicitária visa atender a alguma necessidade de marketing da empresa. Para isso, as empresas traçam estratégias de comunicação publicitária, normalmente traduzidas

Leia mais

PARTE IV Consolidação do Profissional como Consultor. Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc.

PARTE IV Consolidação do Profissional como Consultor. Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc. FATERN Faculdade de Excelência Educacional do RN Coordenação Tecnológica de Redes e Sistemas Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc.

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: 4001 Publicidade e Propaganda MISSÃO DO CURSO O curso de Publicidade e Propaganda do Centro Universitário Estácio Radial de São Paulo tem como missão formar

Leia mais

Integrada de Marketing. UNIBAN Unidade Marte Disciplina: Planejamento de Campanha Prof. Me. Francisco Leite Aulas: 31.03.11

Integrada de Marketing. UNIBAN Unidade Marte Disciplina: Planejamento de Campanha Prof. Me. Francisco Leite Aulas: 31.03.11 O Planejamento de Comunicação Integrada de Marketing UNIBAN Unidade Marte Disciplina: Planejamento de Campanha Prof. Me. Francisco Leite Aulas: 31.03.11 Agenda: Planejamento de Comunicação Integrada de

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS GESTÃO POR COMPETÊNCIAS STM ANALISTA/2010 ( C ) Conforme legislação específica aplicada à administração pública federal, gestão por competência e gestão da capacitação são equivalentes. Lei 5.707/2006

Leia mais

A MOTIVAÇÃO COMO FATOR DE SUCESSO NA ORGANIZAÇÃO UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA MARF

A MOTIVAÇÃO COMO FATOR DE SUCESSO NA ORGANIZAÇÃO UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA MARF A MOTIVAÇÃO COMO FATOR DE SUCESSO NA ORGANIZAÇÃO UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA MARF Danilo Domingos Gonzales Simão 1 Fábio Augusto Martins Pereira 2 Gisele Maciel de Lima 3 Jaqueline de Oliveira Rocha 4

Leia mais

Construção de um Sistema de Informações Estratégicas, Integrando Conhecimento, Inteligência e Estratégia.

Construção de um Sistema de Informações Estratégicas, Integrando Conhecimento, Inteligência e Estratégia. Construção de um Sistema de Informações Estratégicas, Integrando Conhecimento, Inteligência e Estratégia. Introdução Sávio Marcos Garbin Considerando-se que no contexto atual a turbulência é a normalidade,

Leia mais

Especialização em Comunicação Organizacional e Reputação Corporativa - NOVO

Especialização em Comunicação Organizacional e Reputação Corporativa - NOVO Especialização em Comunicação Organizacional e Reputação Corporativa - NOVO Apresentação Previsão de Início Julho/2013 Inscrições em Breve - Turma 01 - Campus Stiep O curso de Comunicação Organizacional

Leia mais

Comunicação dirigida nas organizações: o caso da GPS Net 1. Franciele PIMENTA 2 Joseane Curtis REINAÇO 3

Comunicação dirigida nas organizações: o caso da GPS Net 1. Franciele PIMENTA 2 Joseane Curtis REINAÇO 3 Comunicação dirigida nas organizações: o caso da GPS Net 1 Franciele PIMENTA 2 Joseane Curtis REINAÇO 3 Marcela Guimarães e SILVA 4 Universidade Federal do Pampa, Rio Grande do Sul, RS Resumo: A atividade

Leia mais

Estratégias em Propaganda e Comunicação

Estratégias em Propaganda e Comunicação Ferramentas Gráficas I Estratégias em Propaganda e Comunicação Tenho meu Briefing. E agora? Planejamento de Campanha Publicitária O QUE VOCÊ DEVE SABER NO INÍCIO O profissional responsável pelo planejamento

Leia mais

GERENCIAMENTO DE CLÍNICAS

GERENCIAMENTO DE CLÍNICAS GERENCIAMENTO DE CLÍNICAS A administração eficiente de qualquer negócio requer alguns requisitos básicos: domínio da tecnologia, uma equipe de trabalho competente, rigoroso controle de qualidade, sistema

Leia mais

CEAP CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA COMÉRCIO ELETRÔNICO PROF. CÉLIO CONRADO

CEAP CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA COMÉRCIO ELETRÔNICO PROF. CÉLIO CONRADO Contexto e objetivos CEAP CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA COMÉRCIO ELETRÔNICO PROF. CÉLIO CONRADO O desenvolvimento do plano de negócios, como sistematização das idéias

Leia mais

Construção de Site para a empresa Spolti Eventos 1. Claudia GARLET 2 Ana Caroline FINGER 3 Tuane NICOLA 4 André Quiroga SANDI 5

Construção de Site para a empresa Spolti Eventos 1. Claudia GARLET 2 Ana Caroline FINGER 3 Tuane NICOLA 4 André Quiroga SANDI 5 Construção de Site para a empresa Spolti Eventos 1 Claudia GARLET 2 Ana Caroline FINGER 3 Tuane NICOLA 4 André Quiroga SANDI 5 Universidade Federal de Santa Maria Campus Frederico Westphalen RESUMO Este

Leia mais

V Congresso Auditar. Tema:

V Congresso Auditar. Tema: V Congresso Auditar Tema: Carreira em Organizações Públicas - Conceitos e Experiências Prof. Dr. José Antonio Monteiro Hipólito Brasília, 05 de setembro de 014 14:00 15:30h Agenda 1. Introdução: Importância

Leia mais

As 6 Práticas Essenciais de Marketing para Clínicas de Exames

As 6 Práticas Essenciais de Marketing para Clínicas de Exames As 6 Práticas Essenciais de Marketing para Clínicas de Exames Introdução Fique atento aos padrões do CFM ÍNDICE As 6 práticas essenciais de marketing para clínicas de exames Aposte em uma consultoria de

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL. 02/01/2013 rev. 00

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL. 02/01/2013 rev. 00 APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL 02/01/2013 rev. 00 PAUTA INSTITUCIONAL Sobre a Harpia OUTRAS INFORMAÇÕES Clientes Parceiros SERVIÇOS Responsabilidade Social Consultoria & Gestão Empresarial Planejamento Estratégico

Leia mais

POLÍTICA EMRPESARIAL DA INT.4

POLÍTICA EMRPESARIAL DA INT.4 POLÍTICA EMRPESARIAL DA INT.4 INTRODUÇÃO Desde que foi fundada em 2001, a ética, a transparência nos processos, a honestidade a imparcialidade e o respeito às pessoas são itens adotados pela interação

Leia mais

Política de Comunicação Integrada

Política de Comunicação Integrada Política de Comunicação Integrada agosto 2009 Política de Comunicação Integrada Política de Comunicação Integrada 5 1. Objetivos Promover a comunicação integrada entre as empresas Eletrobras e dessas

Leia mais

O gerenciamento da Comunicação Organizacional

O gerenciamento da Comunicação Organizacional O gerenciamento da Comunicação Organizacional Hilbert Reis Comunicação Social Jornalismo UFOP Pesquisador PIP/UFOP Índice 1 Otimização da comunicação integrada 1 2 Estratégias, planejamentos e a gestão

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: compartilhamento de conhecimento; gestão do conhecimento; responsabilidade social.

PALAVRAS-CHAVE: compartilhamento de conhecimento; gestão do conhecimento; responsabilidade social. PROGRAMA DE VALORIZAÇÃO DOS SERVIDORES DA UNICENTRO, PROVARS: COMPARTILHANDO CONHECIMENTOS PARA A EFETIVAÇÃO DE UMA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL. RESUMO: O presente trabalho pretendeu verificar

Leia mais

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO * César Raeder Este artigo é uma revisão de literatura que aborda questões relativas ao papel do administrador frente à tecnologia da informação (TI) e sua

Leia mais

PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL

PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL Relatório e Análise 2005 Introdução: ``Para que a Construtora Mello Azevedo atinja seus objetivos é necessário que a equipe tenha uma atitude vencedora, busque sempre resultados

Leia mais

ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional

ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional Carlos Henrique Cangussu Discente do 3º ano do curso de Administração FITL/AEMS Marcelo da Silva Silvestre Discente do 3º ano do

Leia mais

1 LIDERANÇA. Indicador 1: Eficiência da Comunicação Organizacional

1 LIDERANÇA. Indicador 1: Eficiência da Comunicação Organizacional COMPILADO DAS SUGESTÕES DE MELHORIAS PARA O IDGP/2011 por critério e indicador 1 LIDERANÇA O critério Liderança aborda como está estruturado o sistema de liderança da organização, ou seja, o papel da liderança

Leia mais

REDES, UMA ALTERNATIVA DE ALIANÇA ESTRATÉGICA

REDES, UMA ALTERNATIVA DE ALIANÇA ESTRATÉGICA REDES, UMA ALTERNATIVA DE ALIANÇA ESTRATÉGICA Disciplina de Estágio Supervisionado II - Curso de Administração UNIFRA Preparado pela Acadêmica Ana Carolina Cozza Josende Orientadora: Profª. Greice de Bem

Leia mais

A importância do design nos negócios

A importância do design nos negócios A importância do design nos negócios SUMÁRIO Apresentação 4 A importância do Design 5 Design de Comunicação 13 A Escada do Design 6 Design Gráfico 14 O processo do Design 7 Logomarca 15 Design & Inovação

Leia mais

Prof: Carlos Alberto

Prof: Carlos Alberto AULA 1 Marketing Prof: Carlos Alberto Bacharel em Administração Bacharel em Comunicação Social Jornalismo Tecnólogo em Gestão Financeira MBA em Gestão de Negócios Mestrado em Administração de Empresas

Leia mais

Equipe da GCO: 1. Carlos Campana Gerente 2. Maria Helena 3. Sandro 4. Mariana

Equipe da GCO: 1. Carlos Campana Gerente 2. Maria Helena 3. Sandro 4. Mariana Gerência de Comunicação GCO tem por finalidade planejar, organizar, coordenar e controlar as atividades de comunicação e editoriais do Confea. Competências da GCO 1. Organizar e executar projetos editoriais:

Leia mais

Administração de Pessoas

Administração de Pessoas Administração de Pessoas MÓDULO 16: RESULTADOS RELATIVOS À GESTÃO DE PESSOAS 16.1 Área de RH e sua contribuição O processo de monitoração é o que visa saber como os indivíduos executam as atribuições que

Leia mais

ESTUDO DO PROCESSO DE INOVAÇÃO UTILIZADO PELA ÁREA INDUSTRIAL METALÚRGICA DE BENTO GONÇALVES EM SEU PROCESSO, GERENCIAMENTO E LOGÍSTICA

ESTUDO DO PROCESSO DE INOVAÇÃO UTILIZADO PELA ÁREA INDUSTRIAL METALÚRGICA DE BENTO GONÇALVES EM SEU PROCESSO, GERENCIAMENTO E LOGÍSTICA ESTUDO DO PROCESSO DE INOVAÇÃO UTILIZADO PELA ÁREA INDUSTRIAL METALÚRGICA DE BENTO GONÇALVES EM SEU PROCESSO, GERENCIAMENTO E LOGÍSTICA W.L.MOURA 1 ; L.FILIPETTO 2 ; C.SOAVE 3 RESUMO O assunto sobre inovação

Leia mais

SEMIPRESENCIAL 2013.1

SEMIPRESENCIAL 2013.1 SEMIPRESENCIAL 2013.1 MATERIAL COMPLEMENTAR II DISCIPLINA: GESTÃO DE CARREIRA PROFESSORA: MONICA ROCHA LIDERANÇA E MOTIVAÇÃO Liderança e Motivação são fundamentais para qualquer empresa que deseja vencer

Leia mais

Capital Intelectual. O Grande Desafio das Organizações. José Renato Sátiro Santiago Jr. José Renato Sátiro Santiago. Novatec

Capital Intelectual. O Grande Desafio das Organizações. José Renato Sátiro Santiago Jr. José Renato Sátiro Santiago. Novatec Capital Intelectual O Grande Desafio das Organizações José Renato Sátiro Santiago Jr. José Renato Sátiro Santiago Novatec 1 Tudo começa com o conhecimento A gestão do conhecimento é um assunto multidisciplinar

Leia mais

Gestão de Negócios. Aula 01. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho

Gestão de Negócios. Aula 01. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Gestão de Negócios Aula 01 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos multimídia

Leia mais

FUNÇÕES MOTORAS (Produtos e Serviços)

FUNÇÕES MOTORAS (Produtos e Serviços) FUNÇÕES MOTORAS (Produtos e Serviços) 1. MÉTODO MENTOR - Modelagem Estratégica Totalmente Orientada para Resultados Figura 1: Método MENTOR da Intellectum. Fonte: autor, 2007 O método MENTOR (vide o texto

Leia mais

GERÊNCIA DA PROMOÇÃO NA BIBLIOTECA CENTRAL DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA

GERÊNCIA DA PROMOÇÃO NA BIBLIOTECA CENTRAL DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA GERÊNCIA DA PROMOÇÃO NA BIBLIOTECA CENTRAL DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA Sueli Angelica do Amaral, CRB 1-1044 * Tatiara Paranhos Guimarães ** Maira Murrieta Costa *** RESUMO: A promoção em unidades de informação

Leia mais

Com a sua atuação pró-ativa a SUCESU trouxe diversos benefícios em prol do setor que representa no Brasil, podendo destacar:

Com a sua atuação pró-ativa a SUCESU trouxe diversos benefícios em prol do setor que representa no Brasil, podendo destacar: Introdução É grande a parcela da população das nações mais desenvolvidas do mundo que está se organizando em sociedades e associações civis que defendem interesses comuns. Essas pessoas já perceberam que

Leia mais

#11 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

#11 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO #11 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ÍNDICE 1. 2. 3. 4. 5. 6. Apresentação Níveis de planejamento Conceito geral Planejamento estratégico e o MEG Dicas para elaborar um planejamento estratégico eficaz Sobre a

Leia mais

ESTRUTURA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO TÁTICO E OPERACIONAL

ESTRUTURA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO TÁTICO E OPERACIONAL ESTRUTURA DO ORGANIZAÇÃO MISSÃO O POR QUE A ORGANIZAÇÃO EISTE? O QUE A ORGANIZAÇÃO FAZ? PARA QUEM? EEMPLO DE MISSÃO - MICROSOFT Na Microsoft, a nossa função é ajudar as pessoas e empresas em todo o mundo

Leia mais

XI Inic EPG - UNIVAP 2011. Top Business Magazine: a linguagem empresarial da região Alan Douglas Batista, Profª Msc. Vânia Braz de Oliveira

XI Inic EPG - UNIVAP 2011. Top Business Magazine: a linguagem empresarial da região Alan Douglas Batista, Profª Msc. Vânia Braz de Oliveira XI Inic EPG - UNIVAP 2011 Top Business Magazine: a linguagem empresarial da região Alan Douglas Batista, Profª Msc. Vânia Braz de Oliveira Universidade do Vale do Paraíba - UNIVAP/ Faculdade de Ciências

Leia mais

Mídias sociais como apoio aos negócios B2C

Mídias sociais como apoio aos negócios B2C Mídias sociais como apoio aos negócios B2C A tecnologia e a informação caminham paralelas à globalização. No mercado atual é simples interagir, aproximar pessoas, expandir e aperfeiçoar os negócios dentro

Leia mais

As Novas Competências de RH: Parceria de Negócios de Fora para Dentro

As Novas Competências de RH: Parceria de Negócios de Fora para Dentro As Novas Competências de RH: Parceria de Negócios de Fora para Dentro DAVE ULRICH, JON YOUNGER, WAYNE BROCKBANK E MIKE ULRICH Qualquer bom profissional de RH quer ser melhor. Isto começa com um desejo

Leia mais

Briefing O que é? Para que serve?

Briefing O que é? Para que serve? Faculdade de Tecnologia da Paraíba CURSO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA A INTERNET DISCIPLINA DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES WEB ESTÁTICAS PERÍODO: P2 Semestre: 20082 PROFESSOR Geraldo Rodrigues

Leia mais

A Comunicação Interna Perante as Instituições: Um Recorte da Literatura 1

A Comunicação Interna Perante as Instituições: Um Recorte da Literatura 1 A Comunicação Interna Perante as Instituições: Um Recorte da Literatura 1 Cláudio Henrique DOERNER 2 Katyanne Karinne KRULL 3 Valeska dos Santos Dias FRONZA 4 André MUNZLINGER 5 Centro Universitário para

Leia mais

Apresentação da FAMA

Apresentação da FAMA Pós-Graduação Lato Sensu CURSO DE ESPECIIALIIZAÇÃO 444 horras/aulla 1 Apresentação da FAMA A FAMA nasceu como conseqüência do espírito inovador e criador que há mais de 5 anos aflorou numa família de empreendedores

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS RESOLUÇÃO Nº xx/xxxx CONSELHO UNIVERSITÁRIO EM dd de mês de aaaa Dispõe sobre a criação

Leia mais

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES):

Leia mais

A empresa e o aprendizado coletivo

A empresa e o aprendizado coletivo Profª Carla Mota UCB 2009 PARTE 4 Apesar de o conhecimento que cada empresa detém ser o que de fato lhes garante valor junto a seu mercado - e de vermos na sociedade um crescente estímulo à produção e

Leia mais